Tfc iara costa 2013-ntem

1.894 visualizações

Publicada em

Minha monografia, atualizada.Creio na Educação como meio transformador, para isso temos que rever nossos conceitos e utilizar de todos os meios para alcançar nossos objetivos que é levar ao educando conhecimentos.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.894
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tfc iara costa 2013-ntem

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSEINSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICALANTE – Laboratório de Novas Tecnologias de EnsinoTecnologias da Informação e Comunicação na EducaçãoMatemática: O uso dos Tics no cotidiano escolarIara Maria Ferreira da CostaOrientador: Raimundo José Macário CostaAraruama - RJ2013
  2. 2. 2Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação Matemática: FormaçãoContinuada, uma necessidade para um ensino eficienteTrabalho de Final de Curso apresentado àCoordenação do Curso de Pós-graduaçãoda Universidade Federal Fluminense,como requisito parcial para a obtenção dotítulo de Especialista Lato Sensu em NovasTecnologias no Ensino da Matemática.Aprovada em MÊS de ANO.BANCA EXAMINADORA________________________________________________________________________Prof. Nome - OrientadorSigla da Instituição_________________________________________________________________________Prof. NomeSigla da Instituição________________________________________________________________________Prof. NomeSigla da Instituição
  3. 3. 3DEDICATÓRIADedico este trabalho, a minha filha Ana Beatriz quesuperou com paciência minha ausência durante o trabalhoproposto.
  4. 4. 4AGRADECIMENTOSAgradeço a Deus por mais uma oportunidade, aos diretoresdas minhas escolas Ciep 253 e Colégio Estadual EdmundoSilva durante a minha caminhada.
  5. 5. 5RESUMOEste trabalho pretende destacar a importância do uso das Tecnologias de Informação eComunicação (TICs) no cotidiano escolar, a fim de favorecer a construção doconhecimento, formando cidadãos capazes de buscar a necessária aprendizagem e produzirnovas descobertas, como frutos de uma aprendizagem sólida. Dentre tantas tecnologias,este trabalho se dedica em especial, aos computadores e à sua conexão com a Internet. Poisé necessário conhecer as suas potencialidades, tais como os blogs e os softwares, para usá-los no processo ensino e aprendizagem de forma eficiente e eficaz. Este trabalho destacatambém a importância da incorporação deste conhecimento tanto na formação inicial dosprofessores, quanto na sua formação continuada, levando para o cotidiano escolar toda aevolução tecnológica que hoje faz parte da nova realidade mundial.Palavras–chave: Formação Continuada ; ensino ;eficiente
  6. 6. 6SUMÁRIONº da página1 – Introdução ----------------------------------------------------------------------71.1 – Justificativa ------------------------------------------------------------------81.2 – Objetivos ---------------------------------------------------------------------81.3 – Metodologia------------------------------------------------------------------91.4 – Organização do Trabalho-----------------------------------------------102 – Pressupostos teóricos----------------------------------------------------------113 – Elaboração dos resultados----------------------------------------------------203.1 – Resultados e discussões-----------------------------------------------203.2 –Desenvolvimento e aplicação do questionário---------------------224 – Considerações finais---------------------------------------------------------265 - Referências --------------------------------------------------------------------28
  7. 7. 71. IntroduçãoO uso de TICs e como integrá-las ao cotidiano escolarA nova realidade mundial, formada a partir do salto tecnológico dado pelahumanidade, em um curto espaço de tempo, modificou comportamentos, amplioupossibilidades e criou uma dependência humana em relação às novas tecnologias.Dentre elas, destacam-se os computadores e a conexão com a Internet, que passarama fazer parte do cotidiano de cada um de nós, oferecendo ferramentas decomunicação mais velozes, oportunidades em todas as esferas do conhecimentohumano e a democratização da informação e do conhecimento, dentre tantas outrascaracterísticas (RIBEIRO E SCHONS, 2008).Assim sendo, à medida que essas novas tecnologias ganham terreno eevoluem de forma rápida e constante, vai surgindo a necessidade de conhecer assuas ferramentas, gerais e específicas, que podem ser aplicadas nas diversas áreasdo conhecimento (RIBEIRO E SCHONS, 2008).No entanto, para acompanhar aconstante e rápida evolução dessas ferramentas, é necessária a aprendizagem, oaperfeiçoamento e a atualização constante ao longo da sua utilização.E, tal necessidade nos induz a pensar no papel das instituições de ensino,enquanto formadoras de cidadania e agentes de oportunidades, que precisam estarinseridas no contexto de seu tempo, de forma a suprir as demandas vigentes, taiscomo as relativas às novas tecnologias. E assim, preparar o educando para esta novarealidade, na qual os computadores e suas ferramentas ocuparam definitivos espaços,tornou-se imprescindível, tanto quanto o preparo da escola e dos seus professorespara cumprirem este papel de oferecer conhecimento necessário para tal.Enfim, esse desenvolvimento científico-tecnológico vem adquirindo cada vezmais importância no cenário educacional, bem como sua utilização no processoensino-aprendizagem (RIBEIRO E SCHONS, 2008). Assim, diante dos novos padrõesde comportamentos sociais, as instituições de ensino têm a necessidade de seapropriarem dos conceitos e práticas a eles associados, possibilitando utilizar desserecurso para a criação de estratégias inovadoras, que propicie ao educador e aoeducando uma dinâmica diferenciada no processo ensino-aprendizagem, onde suautilização deve ocorrer na obtenção e na troca de informações, no desenvolvimento deconceitos, e até mesmo propiciar a exploração de algo que seria inviável sem apresença desses recursos (RIBEIRO E SCHONS, 2008). Portanto, levar astecnologias para a sala de aula é um desafio e uma necessidade, para que o ensinoesteja realmente inserido neste contexto atual. E este trabalho busca garimpar dentretantos meios, uma boa maneira de aprender e ensinar, fazendo uso das ferramentasque elas nos oferecem.Sendo assim, torna-se necessário conhecer as novas tecnologias disponíveis(computadores, softwares e blogs) que podem ser utilizadas no cotidiano escolar, asvantagens da sua utilização, os obstáculos que devem ser transpostos e asnecessidades que as escolas devem suprir (equipamento e pessoal) para que o seu
  8. 8. 8uso seja incorporado de forma satisfatória. Além disto, é preciso conhecer aimportância do preparo dos futuros e atuais educadores para o seu uso das.1.1 JustificativaNas últimas décadas, o acelerado avanço das tecnologias provocouimportantes e significativas transformações no modo de vida dos indivíduos. Assimcomo a criação e a evolução dos televisores, rádios, computadores, data show,calculadoras, etc., ampliam as possibilidades da sua utilização no ambiente escolar,tornando a aprendizagem mais eficaz e atrativa, complementando meios e materiaistradicionalmente utilizados, como os quadros, livros e apostilas. Dentre essastecnologias, destacam-se os computadores e as redes de conexão. Através do seudesenvolvimento e do aumento ao seu acesso, os computadores passaram a fazerparte da vida de todos nós, na vida pessoal, no trabalho e nos estudos.São infinitas as possibilidades da utilização da World Wide Web (Web 2.0), nocotidiano escolar: O Google e suas ferramentas de busca e de comunicação; odesenvolvimento colaborativo de textos do software Wiki; a criação de blogs atravésda ferramenta gratuita Blogger; os vídeos através do site YouTube; as apresentaçõesde slides através do site Slideshare; os serviços de comunicação, como o skype,Messenger e gmail.; os Softwares de geometria, de álgebra, de funções e recreativos,tais como Geogegra, C.A.R e Calques 3D, além de diversos objetos de aprendizagem.Diante de tantas ofertas de ferramentas, é impossível não vislumbrar as opçõesde caminhos apropriados, ideais, específicos, enfim, sob medida para cada práticapedagógica e para cada objetivo educacional pretendido, o que nos deixa diante deum leque de opções, para atingirmos o objetivo primordial da educação, que é o deformar cidadãos plenos em direitos e deveres, capazes de darem a sua contribuiçãopara tornarem a sociedade e a vida melhor para todos. E, para desenvolver talpostura, é necessário ir além da reprodução do conhecimento, é preciso torná-loscapazes de produzi-lo de forma a abrir as portas para o novo.1.2 ObjetivosObjetivo GeralAnalisar o uso das TICs como ferramentas capazes de contribuir para odesenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem, potencializando aconstrução do conhecimento e a interação entre educandos, educadores e sociedadeatravés do uso dos computadores e da Internet.Objetivos Específicos Analisar o uso das TICs no cotidiano escolar como ferramenta de construçãodo conhecimento e de integração entre educandos, educadores e sociedade. Articular os recursos digitais com as práticas pedagógicas. Conhecer as vantagens do uso dos blogs como ferramenta de interação, trocae produção de conhecimento.
  9. 9. 9 Utilizar softwares, como o Geogebra, o Régua e Compasso e o Calques 3D namodelagem do conhecimento Destacar a necessidade e a importância da formação dos professores, paraque se tornem capazes de utilizar as ferramentas tecnológicas na práticapedagógica.1.3 MetodologiaEsta etapa fala da necessidade do uso das TICs de modo a permitir que oaluno construa o próprio conhecimento, tornando-se questionador e ativo, serãoabordados os recursos tecnológicos e as que podem ser inseridos no processoeducacional, visto que se fazem necessários num mundo totalmente globalizado. Recursos digitais; Objetos de aprendizagem; Repositórios de recursos digitais de aprendizagem.A integração das TICs no cotidiano escolar:Esta etapa fala do uso do computador e da internet no cotidiano escolar, comoferramentas na construção do conhecimento, analisando a inserção do computador eda internet no cotidiano escolar; a postura do professor, as novas possibilidades e asnecessidades diante desta nova realidade.A utilização de softwares no cotidiano escolar:Esta etapa fala da importância dos softwares na construção do conhecimento,identificando os softwares como possíveis ferramentas na modelagem e a naprodução do conhecimento, permitindo a elaboração de conjecturas e a suaverificação.A criação de um blog para ser utilizado como ferramenta na educação:Esta etapa fala construção de um blog, como veículo de comunicação eaprendizagem, propiciando a interatividade entre as informações; fortalecendo epotencializando novas idéias; evidenciando a possibilidade de troca de informações econhecimentos; possibilitando a interação do usuário, tornando-o autor e não apenasreceptor; tornando as informações e o conhecimento facilmente compartilhados;possibilitando a interação à distância.A formação dos professores:
  10. 10. 10Esta etapa fala da importância dos professores em buscar atualização, bemcomo da necessidade de serem oferecidas a eles possibilidades para tal. Analisandoas tecnologias da informação e comunicação no contexto da sociedadecontemporânea; as exigências formativa dos profissionais da educação e acapacitação dos docentes.1.4 Organização do TrabalhoO presente trabalho deverá passar por algumas etapas que serão descritasabaixo:Na 1ª etapa será feita uma abordagem teórica sobre o uso das TICs, especialmentedos computadores e da internet, no cotidiano escolar.Na 2ª etapa serão apresentados os softwares e a sua utilização no cotidiano escolar,como ferramentas para a construção do conhecimento.Na 3ª etapa será feita a construção de um blog com assuntos e atividades voltadaspara a Matemática, voltado para alunos e professores, explicando como funcionam epara que servem. O desenvolvimento deste blog se dará com a utilização de um siteespecífico para esse fim, cuja licença é gratuita.E, finalmente, na 4ª etapa será feita uma abordagem teórica sobre a aprendizagemdas TICs, nos cursos de formação de professores e na sua formação continuada.
  11. 11. 112. Pressupostos teóricosAtualmente, existem variados recursos digitais de aprendizagem disponíveisgratuitamente na Internet, para que professores os utilizem de forma personalizada emsuas aulas. Atraentes para os alunos esses recursos, podem ser usados para finseducacionais e aproveitá-los como uma oportunidade de propiciar aprendizagenssignificativas. Devido ao crescimento exponencial do acesso aos computadores e àInternet, os alunos muitas vezes estão mais familiarizados com os recursos decomunicação do que os professores. Os quais são os mais diversos os recursos decomunicação digital, sendo eles: histórias em quadrinhos, desenhos animados, vídeos,imagens, figuras, gráficos, áudios, apresentações multimídia, jogos, entre outros.No artigo “Recursos Digitais de Aprendizagem”, Jordão (2009) cita os variadosrecursos digitais de aprendizagem disponíveis na internet, os quais permitem aosprofessores utilizarem os mesmos para aulas diferenciadas e atraentes, que possamdespertar nos jovens alunos o atrativo para aulas dinâmicas e personalizadas, asquais permitam propiciar uma aprendizagem significativa, a fim de tornar esses jovensalunos dominadores de conhecimentos científicos e tecnológicos, para as futurasgerações do nosso país.Para que os recursos de comunicação digital sejam desenvolvidos no momentoatual, é necessário pessoas especializadas, o que torna financeiramente inviável paraa maioria das instituições. Assim, para que o seu custo de desenvolvimento diminuaprogressivamente é necessário que esses recursos fossem reaproveitados emdiferentes contextos, por diferentes professores em séries e disciplinas diferentes(JORDÃO, 2009)Os objetos digitais de aprendizagem seguem algumas características: Chamados de metadados (TAROUCO, 2003) de um objeto, os quais permitemdescrever características relevantes sobre ele, sendo útil para sua catalogaçãoe podendo ser reutilizada por qualquer membro da instituição; A clareza para o desenvolvimento do objetivo possuindo todos os requisitos,que permite ser reutilizado em situação diferente e por docentes diferentes; Acessibilidade é uma característica muito importante, assim deve haver umafacilidade em acessar em qualquer tempo e lugar; Interoperabilidade, o que permite ser utilizado em plataformas diferentes, nãohavendo o risco de não funcionar ou problemas de incompatibilidade; A durabilidade permite que os objetos não necessitam de reprogramaçãosendo adaptado em qualquer plataforma; O grau de granularidade do objeto, ou seja, seu tamanho, deve serespecificado pela instituição, e quanto menor ele for, mais situações dereutilização irá sofrer.Os repositórios de recursos digitais tem como finalidade fazer a integração dosrecursos disponíveis na instituição, que muitas vezes não ficam centralizados em umúnico lugar, o que dificulta o seu acesso pelos seus membros. Assim, essesrepositórios são grandes bases de dados disponíveis na Internet e que, por meio de
  12. 12. 12um sistema de busca, permitem aos professores e alunos acessarem rapidamente osmateriais de que precisam. Para a educação seria um ganho enorme, se existisse umarede que ligasse todos os repositórios de objetos existentes no mundo, os quaisfossem de livre acesso e uso por qualquer pessoa. Assim, de acordo com Lévy (2000),torna-se possível a construção de uma “inteligência coletiva”, entendida “como umainteligência globalmente distribuída, incessantemente valorizada, coordenada emtempo real, que conduz a uma mobilização efetiva de competências” . Os principaisrepositórios de objetos de aprendizagem existentes são Merlot, Careo, Belle, Pool,Ponds, Lydia, Canarie, Rived, LabVirt e o Portal do Professor do Ministério daEducação – MECA seguir uma apresentação dos bancos de recursos digitais de aprendizagemde acesso gratuito e desenvolvidos no Brasil: Rived1 (Rede Internacional Virtual de Educação) , desenvolvida pelo Ministérioda Educação por meio da Secretaria de Educação à Distância (Seed) e daSecretaria de Educação Média e Tecnológica (Semtec), que foi uma daspioneiras no Brasil no sentido de produzir e disponibilizar objetos deaprendizagem gratuitamente em seus repositórios. Tendo como objetivoprincipal produzir recursos didáticos em formato de objetos de aprendizagempara melhora a qualidade do ensino nas escolas públicas; LabVirt2, Laboratório Virtual da Escola do Futuro da USP, que desenvolvesituações-problema ligadas ao cotidiano, que são transformadas poruniversitários em simulações e animações publicadas na internet e sãodiscutidas e reutilizadas por diversos grupos em escolas públicas; No Portal do Professor do Ministério da Educação e Cultura3, na área deRecursos Educacionais, existem 1.833 recursos digitais de aprendizagem(simulações, animações, vídeos, áudios, mapas, experimentos e imagens)disponíveis e de acesso gratuito. Existe a previsão de que este númeroaumente para mais de 5.000 recursos até 2009. O portal incentiva que osprofessores, além de utilizar, também comentem e façam novas sugestões deuso de tais recursos.A Reutilização de Recursos Digitais de Aprendizagem por parte dosprofessores é uma forma criativa e inovadora que deve ser utilizada para inovar ediferenciar os modelos tradicionais de ensino aprendizagem e cabe aos professoresrefletirem sobre o melhor uso destes recursos com o objetivo de proporcionarsituações propícias para aprendizagens significativas (JORDÃO, 2009).Considerando também uma formação contínua e dialógica por parte dosdocentes, que permite romper limites, aprender com os próprios erros, assumir riscos,inovar, gerenciar a própria aprendizagem, tornar-se confiante admitindo que a ética épossível, ousar com responsabilidade, estudar para aprender e ensinar, abrir-se aoconhecimento novo, ser capaz de enxergar que a mudança é possível e ultrapassa olimiar de simples metas procedimentais (JORDÃO, 2009).
  13. 13. 13Algumas iniciativas de instituições que disponibilizam seus repositórios derecursos digitais de aprendizagem, gratuitamente, permitindo ao professor reutilizá-losem diferentes contextos, inclusive possibilitando a personalização, quando necessário.Entretanto, por serem poucas iniciativas e pelo fato de faltar investimento na formaçãodos professores para o uso das tecnologias de informação e comunicação, nemmesmo estes poucos recursos são utilizados pela quantidade de pessoas que poderiabeneficiar. O professor necessita ampliar os olhares para contribuir com odesenvolvimento de projetos com as novas tecnologias, incentivando o espírito críticoe reforçando nos alunos o prazer em aprender (JORDÃO, 2009).É frente a esta nova realidade em radical transformação que a educação deverefletir sobre a identidade de seu papel e propor novos rumos, de forma a contribuir nodesenvolvimento de cidadãos críticos, autônomos, criativos, que solucionemproblemas em contextos imprevistos, que questionem e transformem sua própriasociedade (JORDÃO, 2009).Os autores Emanuel Andrade e Tacio Silva (2010) concluem em “Osprofessores de matemática e as TICs na educação” que os computadores podemtornar mais significativo o ensino da Matemática, sendo necessário um maiorenvolvimento do aluno no processo aprendizagem. As escolas e os professoresdevem se preparar para todas essas mudanças decorrentes desses avançostecnológicosO autor José Carlos Antônio (2010) ressalta em “O uso das TICs na gestãopedagógica do processo de ensino e aprendizagem” a importância das TICs noprocesso ensino aprendizagem, tendo o educador que se adaptar a todas essasmudanças impostas pela era tecnológica.Os autores Andrade e da Silva (2011) argumentam que a inserção docomputador no ambiente educacional vem sendo dada aos poucos, apesar dastecnologias estarem atropelando nossas vidas. Apesar disso tudo, ocorre umdespreparo do professor aliada a falta de estrutura das escolas, para que ocomputador e outros recursos de multimídia sejam uma ferramenta de auxílio paraeducação. Para isso necessita-se a formação de profissionais capacitados para talsituação.Como nossos alunos são nativos digitais, que nasceram e cresceram com astecnologias digitais presentes em sua vivência, verifica-se ainda um fator a favor douso de todas essas tecnologias, necessitando do professor como mediador.As Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) potencializam o processoeducacional, possibilitando uma maior aprendizagem, visto que permite uma maiorcomunicação entre as pessoas (ANDRADE e DA SILVA, 2011).Os computadores, programas informáticos e redes de comunicação sãotecnologias cognitivas que permitem a transmissão de ideias de maneira rápida(ANDRADE E DA SILVA, 2011)
  14. 14. 14Para os autores Andrade e da Silva (2011), para que o computador potencializeas aulas faz necessária uma preparação do professor. Assim então ele poderá usar aTIC como colaboradora do processo ensino-aprendizagem, onde os alunos serãocapazes de usar os recursos tecnológicos para depurar conhecimentos.O professor despreparado diante das tecnologias adquire uma posturacontroladora, pois fica inseguro diante das situações que aparecem no dia-a-dia. Todaessa mudança educacional deve ser apoiada pelas instituições de ensino, que devemdar respaldo ao professor com atualizações e reciclagens. (ANDRADE E DA SILVA,2011)A Matemática ainda vem sendo apresentada de maneira tradicional, gerandoassim conflitos no processo ensino-aprendizagem. Os softwares matemáticos vêmauxiliar as aulas, para que fiquem mais atrativas e significativas (ANDRADE E DASILVA, 2011).Segundo Andrade e da Silva (2011) foi realizada uma pesquisa sobre o usodas TICs na educação com professores e alunos do curso de Especialização noEnsino da Matemática da Universidade Estadual Vale do Acaraú pólo Parnamirim / RNe conclui-se que os professores estão tentando se atualizar para poder utilizar as TICsna educação, visto que devem estar atentos para toda essa evolução tecnológica, jáque estão num mundo digital e querem inserir de vez a tecnologia no processo-educacional, que deve ser respaldada por ações pedagógicas.No artigo “Softwares e internet na sala de aula de matemática”, Borba (2010)durante o X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática,Cultura e Diversidade Salvador – BA, 7 a 9 de Julho de 2010, procura “discutir comoatores informáticos, tais como softwares e a Internet, podem moldar a maneira como oconhecimento é produzido, mais especificamente, o papel que softwares podemassumir em dois contextos distintos: a sala de aula presencial e online.”Borba (2010) define como os softwares e a Internet pode moldar a produção doconhecimento no contexto de sala de aula de matemática presencial e online. A partirde pesquisas desenvolvidas pelo Grupo de Pesquisa em Informática, outras Mídias eEducação Matemática (GPIMEM), formado por professores, alunos e ex-alunos doPrograma de Pós Graduação em Educação Matemática e estudantes de graduaçãoenvolvidos em projetos de iniciação científica da UNESP (Universidade EstadualPaulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Rio Claro/SP), sobre o papel dasTecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no ensino e aprendizagem deMatemática, concluiu-se que as possibilidades que os softwares oferecem podemmudar os tipos de atividades e transformar a natureza do conhecimento matemático.Na produção do conhecimento matemático, os Softwares oferecempossibilidades experimentais que exploradas, levam à elaboração de conjecturas àsua verificação, contribuindo para que estudantes cheguem a uma justificativamatemática e façam a ligação entre a exploração indutiva e o desenvolvimento doraciocínio dedutivo (BORBA, 2010).
  15. 15. 15Os softwares nos oferecem estratégias, como um feedback referente aoaspecto visual, permitindo a compreensão dos conceitos e a resolução de problemas.No Winplot, por exemplo, pode-se inserir uma função e gerar um gráfico apresentandoo seu comportamento, sendo variável com novos parâmetros inseridos.A Internet permite a elaboração de atividades investigativas de pesquisasabrangentes, além da modelagem de problemas, inclusive a partir de temas que aindanão são encontrados em livros. Além disto, permite o acesso a cursos à distância, emhorários disponíveis pelos alunos e nos locais aonde os presenciais não chegam(BORBA, 2010).Quanto ao uso de softwares no cotidiano escolar, temos diversos trabalhos,tais como: O artigo “Avaliação de softwares matemáticos quanto a sua funcionalidadee tipo de licença para uso em sala de aula”, Santos, Loreto e Gonçalves (2010)apresentam os “objetivos de apresentar conceitos dos diferentes tipos de softwares elicenças ajudando na escolha daquele que não apresente custos e que ainda possuarecursos para auxiliar no processo de ensino e aprendizagem na área de matemática,ou seja, a identificação e classificação de softwares, destacando os que se enquadramnas categorias de código aberto, gratuitos ou livres e indicar as séries de ensino econteúdos de matemática de cada software classificado.”E, ainda, o artigo “O uso do geogebra na sala de aula: uma reflexão naprodução acadêmica do PPGECNM”, Lopes (2011) objetiva divulgar a produçãoacadêmica do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais eMatemática (PPGECNM) relacionada ao uso do software GeoGebra no ensinoaprendizagem da Matemática.No trabalho “A matemática na arte e a arte na matemática construçõesgeométricas com o software régua e compasso”, Mathias (2011) usa a geometria deforma a relacionar com a arte, mostrando como a matemática contribui para a belezaexistente em distintas obras de artistas famosos.Os autores: Santos, Duarte e Cavalcanti (2011), no trabalho “A geometriaensinada através do software régua e compasso: Perspectivas e desafios”, procuram“explorar as funções do referido software, abordando conteúdos que enfatizam oestudo das figuras geométricas planas e mostrar alguns dos recursos disponíveis desua interface.”O artigo “A contribuição da Web 2.0 nos sistemas de educação online” deRibeiro e Schons (2008), trata do contexto da contribuição da Web 2.0 nos sistemasde educação online, destacando a importância da construção do conhecimentocoletivo.Em “Materiais didáticos manipuláveis no ensino e aprendizagem de GeometriaEspacial”, Leite (2008), relata a experiência realizada com o uso de materiais didáticosmanipuláveis no ensino de Geometria Plana e Espacial mostrando as possibilidadesde uma real aprendizagem sendo a principal ferramenta pedagógica os geoplanosquadrados e circulares.
  16. 16. 16No artigo “O Uso de Blog como Ferramenta Educacional de Comunicação eInteração”, Sanna (2011) “reflete sobre o uso do blog como ferramenta educacional decomunicação e interação, enfatizando a sua importância para a construção doconhecimento. O objetivo geral que embasa o presente artigo visa à análise do blogeducacional como ferramenta capaz de contribuir para o desenvolvimento do processode ensino e aprendizagem através da comunicação e interação dos alunos através daInternet”.É notório que o uso da tecnologia no cenário educacional é de relevantecontribuição para o desenvolvimento do processo de aprendizagem dos alunos, bemcomo para o auxílio das atividades dos educadores (SANNA, 2011).A rede mundial de computadores encurtou distâncias de uma formainacreditável, instantaneamente, estar conectado com o outro lado do mundo. Noentanto, a maior revolução que a Internet trouxe não é somente a facilidade de acessoàs informações, mas principalmente, a possibilidade do usuário interagir, podendointerferir nesse processo, sendo autor e não apenas receptor de informações. Sãovárias as ferramentas que possibilitam isso, mas especialmente uma delas temalcançado grande espaço na mídia virtual nos últimos tempos: o blog. (MARTINS,FIORENTIN e MICHELIN, 2007, p. 11).O blog é uma ferramenta que alcança resultados positivos, por propiciar ainteratividade entre as informações, apresentando como características, publicaçõesem forma de diários, admitindo comentários que possuem o objetivo de contribuir parao aprimoramento das idéias e pensamentos e apresentados (SANNA, 2011).Percebe-se a presença do blog educacional e toda a sua contribuição atravésda educação à distância, a qual possibilita a interação de diferentes alunos, criandouma rede de comunicação que se encontra aproximada através do blog, evidenciandoa possibilidade de crescimento intelectual sem haver empecilhos relacionados àdistância de contato entre os educandos. (SANNA, 2011)De acordo com Maia e Mattar (2007, p. 17), o aluno virtual tem mais autonomiado que um aluno presencial, no sentido de que ele tem mais domínio sobre osobjetivos, as experiências de aprendizagem e as decisões de avaliação do seuprograma.Os blogs educacionais são vistos como uma ferramenta instrucional centradana aprendizagem. Como atividade centrada nos alunos, os blogs permitem a elesconstruir capacidade de atuarem tanto individualmente como em grupo, atributos quehoje são reconhecidos como importantes e essenciais para as pessoas na sociedadecontemporânea (MARINHO, 2007, p. 03).“A educação é um processo no qual faz parte toda a sociedade, não só aescola”, afirma Moran (2007, p.153). Através deste pressuposto, reflete-se aconcepção de que o mundo virtual, as ferramentas da internet, possibilita odesenvolvimento de uma educação coorporativa, a qual conta em sua estrutura com a
  17. 17. 17influência de diferentes conhecimentos, capazes de proporcionar a interação entrediferentes culturas e formas de pensamento. (SANNA, 2011)Segundo Moran (2007) a sociedade educa quando transmitem idéias, valores econhecimentos, os meios de comunicação enfatizam o desenvolvimento de uma novapostura dos indivíduos, possibilitando-os interagir com diferentes conhecimentos,podendo ser expressas idéias que em conjunto com outras interpretações,desenvolvem o processo de aprendizagem.Portanto, a interação e a comunicação estabelecida através dos blogseducacionais constituem uma meta de desenvolvimento de ações que visam nãoapenas transmitir informações, mas estimular os alunos a construírem os seusconhecimentos através das orientações dos educadores e da troca de informações,experiências e vivências entre alunos e professores, demonstrando que a educaçãonão se restringe a um espaço físico, que a mesma pode ser desenvolvidavirtualmente, utilizando o computador e suas tecnologias em busca da construção dabagagem intelectual e cultural dos indivíduos que se propõem a ultrapassar osobstáculos da aprendizagem (SANNA, 2011).No artigo “O uso do blog como ferramenta pedagógica”, Rodrigues (2011)destaca que o blog, é na verdade mais um espaço – entre tantos que o professor podeexplorar -, um pretexto para entender que o uso de tecnologia na escola é inevitável.No trabalho “Blog educacional: O Uso das novas tecnologias no ensino”, Silva(2010) apresenta uma reflexão sobre o blog educacional, a fim de demonstrar aspossibilidades de uso desse gênero no processo ensino/aprendizagem. Além disso,destacam-se os tipos de blogs de educação. Muito embora, seja apresentada umaexperiência do uso do blog nas atividades de leitura e de produção no EnsinoSuperior, pode-se perfeitamente adaptar o presente artigo para aplicação no EnsinoMédio.Existe uma grande necessidade de reformular o ensino, tornando maisdinâmico e motivador. Verificamos a cada ano um grande desinteresse dos alunospelas aulas, estamos num período onde a informática faz parte do cotidiano dosnossos discentes.Os autores Novikoff, Lima e Gaspar (2010) no texto “TIC no ensino-aprendizagem de ciência e tecnologia”, discutem a relação entre a aprendizagemcolaborativa e a teoria de Vigotski (2001), no ensino de matemática mediados porwebquests, analisando o corpus dissertativo da Capes (2005 a 2007), para repensar osentido desta aprendizagem na superação da estratégia de ensino de racionalidadeinstrumental.O computador na sala de aula: uma pesquisa em 03 escolas brasileiras deensino Fundamental e médio na província de Saitama-Ken-Japão”, Yamane (2006)discute que “as mudanças provocadas com o advento da tecnologia trazem a tonaquestionamentos em relação à postura de qualquer profissional e, sobretudo, do
  18. 18. 18profissional da educação diante do seu compromisso frente a seus aprendizes e dasociedade a qual ele pertence.”O Pimentel (2012), demonstra a necessidade do educador se adequar eatualizar no uso do TICS, mostrando a necessidade de usar ferramentas e softwaresque ajudam a fazer a aprendizagem mais interessante e de fácil assimilação por essaclientela nova.Rodrigues (2012) ressalta a necessidade de preparação dos futuroseducadores, bem como dos educadores já formados, para utilização adequada dasTICs no processo ensino-aprendizagem.Para incorporar as Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) nocotidiano escolar, é necessário ousar, vencer os desafios da aprendizagem, articularsaberes, criar e desatar nós (SILVA E ALVES, 2010). As autoras relatam anecessidade da formação continuada dos professores, da metodologia e dasdificuldades do seu uso. Destacando ainda o quanto os professores precisam inovar,se qualificar e atualizar para que o seu papel de mediador seja vivenciado inclusivecom a utilização dessas novas tecnologias.Desse modo, sua formação deve trazer respostas aos desafios da novasociedade e as potencialidades oferecidas pelas TICs. Nessa concepçãobusca-se uma capacitação capaz de criar condições para que possam refletirsobre essa nova sociedade além de identificar potencialidades e limitações decada tecnologia, para melhor compreender como, por quê, quando e comointegrá-las às atividades docentes (SILVA E ALVES, 2010).A possibilidade de interligar pessoas de diferentes sociedades, dasdiversas partes do planeta, com diversas culturas, divulgando conhecimento,trocando experiências, informando acontecimentos em tempo real, favorecendoas novas descobertas, transformou o mundo em uma aldeia global (RIBEIRO ESCHONS, 2008). E assim, os sites, os correios eletrônicos e os blogs oferecemas possibilidades de encurtar distâncias e transmitir informações, pesquisas edescobertas em tempo real, disponíveis em um clique.Enfim, diante desta nova realidade, é preciso conhecer quando e como estaspossibilidades podem ser usadas como ferramentas no processo do ensino eaprendizagem, objetivando a ampliação e a criação de novos conhecimentos, ou seja,construir e compartilhar o conhecimento, tanto nos cursos presenciais, quanto noscursos à distância. No entanto, é preciso saber o que se busca. As ferramentassozinhas não produzem efeitos, é necessário um planejamento, com objetivos emétodos (RIBEIRO E SCHONS, 2008).E, diante desta nova realidade, são muitas as oportunidades de ensinar eaprender, de aperfeiçoar a prática pedagógica, de quebrar barreiras de tempo eespaço, democratizando o ensino.
  19. 19. 19As Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) são importantesferramentas para o desenvolvimento da educação, por oferecer condições aos seususuários de usufruírem das suas possibilidades, ampliando o conhecimento. Mediantediferentes formas de pensamentos, orientados por educadores que buscam incluir oseducandos no mundo digital, transformando-os em internautas que navegam embusca de novos saberes, propiciando contribuir para o aprimoramento eenriquecimento cultural, intelectual, social, político e econômico, transformando-os emagentes ativos na transformação social (PCN, 1997)Portanto, as novas tecnologias abrem caminho pra uma nova práticapedagógica, que ao invés de substituir, promove a soma de possibilidades para atingiros objetivos que sempre existiram, mas que agora exigem mudanças queacompanhem o desenvolvimento tecnológico da humanidade. Enfim, é precisoconhecer a contribuição que as novas tecnologias, como os computadores conectadosà Internet, podem oferecer para o processo da aprendizagem, com o intuito depromover o entendimento sobre a sua utilização e como integrá-las ao cotidianoescolar, favorecendo a construção e a assimilação de novos conhecimentos econtribuindo para a formação intelectual, cultural e social dos alunos.
  20. 20. 203 - Apresentação dos resultados e discussão.Este trabalho foi desenvolvido através das sucessivas etapas descritasabaixo:Em “O uso das TICs para a construção do conhecimento” foi realizada umaabordagem teórica sobre o uso das TICs no cotidiano escolar. Através de umtrabalho de pesquisa (Anexo 1) e os resultados serão apresentados por meio degráficos e textos explicativos.A etapa “A integração das TICs no cotidiano escolar”, foi feita uma abordagemteórica sobre as possibilidades do uso das dos computadores e da internet nocotidiano escolar, que será apresentada através da elaboração de textos alicerçadosno material pesquisado e nas conclusões obtidas na etapa anterior.Através da etapa “A utilização de softwares no cotidiano escolar”, foramapresentadas atividades que utilizem softwares como o Régua e Compasso, oGeogebra e o Calques 3D. As demonstrações serão feitas através de materialimpresso sobre as apresentações das atividades propostas e da utilização de umlaptop e um data show, além da divulgação das apresentações no blog criado naetapa posterior.Em “A criação de um blog para ser utilizado como ferramenta para aeducação”, foi feita a apresentação do blog com assuntos e atividades voltadas paraa Matemática, o desenvolvimento desse blog se dará com a utilização de um siteespecífico para esse fim, cuja licença é gratuita e a sua apresentação será feitaatravés do lap top e do data show.Finalmente, em “Formação continuada, uma necessidade para uma qualidadede ensino eficiente”, foi desenvolvida uma abordagem teórica sobre aaprendizagem das TICs nos cursos de formação de professores e na sua formaçãocontinuada, através da elaboração e aplicação de um questionário (Anexo 2), comperguntas norteadoras sobre o uso das TICs e a formação dos professores, a seremfeitas aos profissionais de ensino, incluindo diretores, orientadores educacionais epedagógicos e pode ser estendido aos alunos. Os resultados obtidos serãoexpressos através de gráficos comparativos.3.1- Apresentação dos ResultadosPesquisa de campo.O questionamento se abrange aos profissionais de ensino, diretores,orientadores educacionais e pedagógicos e pode ser estendido para os alunos.Nessapesquisa haverá um balanço das mudanças ocorridas em professores atualmente,daqueles que fizeram a Formação e daqueles que não fizeram, das avaliações doaprendizado ocorridos usando as Tics como um dos instrumentos, assim como amotivação ocorrida nas aulas após essas mudanças ocorridas.Os resultados obtidos serão expressos através de gráficos comparativos eserão baseados nos resultados obtidos do questionamento.
  21. 21. 21Educar é uma missão onde existe sempre reformulação, quem ensina tambémaprende, com as vivências e expectativas alheias e tem que saber a hora de inovar erecriar fórmulas e conceitos adequando ao meio que está.QUESTIONÁRIO1- Qual é a sua idade, série e escola?2- Quais as vantagens da utilização de tecnologias no cotidiano escolar?3- Quais são as tecnologias que podem ser utilizadas no cotidiano escolar?4- De que forma as TICs podem ser utilizadas no cotidiano escolar?5- Quais são as necessidades que as escolas devem suprir (equipamento epessoal) para que o uso das TICs seja incorporado a contento no cotidianoescolar?6- Quais as vantagens da utilização dos blogs como ferramentas educacionaispara o ensino da matemática?7- Quais são os obstáculos para a utilização dos blogs na educação? E comosuperá-los?8- De que forma os blogs podem ser utilizados como ferramentas educacionaispara a construção do conhecimento?9- De que forma os softwares podem ser utilizados na construção doconhecimento matemático?10- Quais as vantagens da utilização dos softwares como ferramentaseducacionais para o ensino da matemática?11- Quais são os obstáculos para a utilização dos softwares na educação? Ecomo superá-los?12- Qual é a importância de se preparar futuros e atuais educadores para o usodas TICs?13- Como e quando pode ser feita a preparação dos educadores para as TICs?14- Pesquisa a ser feita nas nossas escolas:15- Quantos educadores já participaram de alguma formação continuada?16- Para cada entrevistado, em caso positivo, pedir que fale no que essaexperiência acrescentou para melhorar a eficácia das suas aulasministradas.Como já verificamos, através de leitura de textos científicos, existe umanecessidade de investirmos em uma capacitação dos educadores no uso dos Ticspara levar o educando idéias, conceitos e teoremas de modo prático e levando emconta a interdisciplinidade e o cotidiano.Verifica-se que as redes públicas investem em encontros pedagógicos, cursosde reciclagem, encontros e cursos de formação, visando levar ao público docente a terconhecimentos de experiências inovadoras que levam ao sucesso da aprendizagem.Mas será que as expectativas estão sendo alcançadas?Através de um questionário elaborado com perguntas norteadoras, podemosverificar em escolas da rede estadual e municipal, a aplicação e uso dos tics, assimcomo a necessidade de haver cursos de formação continuada.A rede estadual do Rio de Janeiro está através de um consórcio com o Cederj,desde 2011 promovendo formação Continuada para os professores de sua rede,inicialmente com professores de Português e Matemática e agora expandida para
  22. 22. 22outras áreas, assim como investindo em reformular e dar suporte aos professores,apresentando trabalhos que usam de vários instrumentos tecnológicos para motivar elevar a construção do conhecimento.O questionamento se abrange aos profissionais de ensino, diretores,orientadores educacionais e pedagógicos e pode ser estendido para os alunos.Nessapesquisa haverá um balanço das mudanças ocorridas em professores atualmente,daqueles que fizeram a Formação e daqueles que não fizeram, das avaliações doaprendizado ocorridos usando as Tics como um dos instrumentos, assim como amotivação ocorrida nas aulas após essas mudanças ocorridas.3.2- DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÂO DO QUESTIONÁRIOApós aplicação desse questionário entre 3 escolas da rede estadual e 2 darede municipal no município de Araruama, percebe-se que os projetos da redeestadual em formação continuada está sendo aderida aos poucos, mas que já estãotendo respostas positivas, com professores aderindo ao uso de novas tecnologias etendo suas aulas mais motivadas. Porém, dentre 45 profissionais pesquisados só 20%fizeram ou estão cursando algum projeto de formação continuada, do restante 30%desejam se aprimorar futuramente.Na rede municipal a dificuldade é maior, falta sala de aula de informáticafuncionando adequadamente, além de material básico, professores com carga horáriadupla, desmotivados, porém abertos a idéia de fazerem formação continuada que oslevem a saber usar as ferramentas tecnológicas de maneira adequada, porém aprefeitura não investe em cursos e a pouca iniciativa está vindo do sindicato dosfuncionários públicos de Araruama que coloca em sua sede mini cursos ensinando ausar algumas ferramentas como o data-show, retroprojetor e curso de informática compreços populares e voltado para o público em geral.A direção das escolas estaduais visitadas apóiam seus professores parafazerem cursos, passando todos os informes em seus quadros na sala de professor,existe é claro o problema de manutenção dos computadores, problemas de rede, efalta de orientadores tecnológicos, que ajudariam muito a incentivar e manter as salasde informática em bom estado de uso.Por parte dos alunos grande parte desejam ter mais aulas com uso de recursostecnológicos variados, vídeos aulas, exercícios mais dinâmicos que o levassem aentender a Matemática e outras matérias.Acredito que o caminho ainda será árduo porém, promissor, se os profissionaisde ensino receberem bolsas, e cursos atraentes a tendência é que brevemente mais emais professores usarão as TIcs em suas aulas.Existe um despreparo geral quanto ao uso de software adequados, vemos ouso por parte de alguns professores do data- show, mas os softwares educativos,muitos disponibilizados em portais como o Mec e outros mais, ainda são pouco usadose explorados.O gráfico 1 mostra a necessidade de investir nos cursos de formaçãocontinuada, resultado obtido após ida as escolas.Professores que usam os tics emsuas aulas 10%.
  23. 23. 23O gráfico 2, , demonstra o interesse dos professores pela formação continuada;Dados coletados 45 professores, 9 fizeram formação continuada, 14 desejamfazer futuramente o curso e 22 não souberam opinar, pois ainda não sabem como issomudaria suas aulas.Grafico2-Pesquisa sobre formação continuadaAo estender para os alunos sobre as aulas com o uso de recursos variadosobteve-se um grande interesse por quase toda totalidade.Os entrevistadosdemonstraram interesse em ter aulas diferenciadas e que sejam permitidos recursoscomo calculadora e notebook como material didático próprio, assim eles teriam maisinteresse em digitar as aulas no lugar de copiar em seus cadernos.Os alunos elogiaram o trabalho dos professores que usam os Tics desperta aatenção e leva ao debate. Comentaram que as aulas quando são incorporadas algumtipo de ferramenta inovadora, como ida ao laboratório de informática torna oconhecimento mais fácil de ser apreendido.Figura 1: alunos usando na biblioteca seus noteooks para estudocomplementarsim; 10%não; 90%; 0 ; 0fizeram ;20%desejamfazer; 30%não sabemopinar; 50%; 0
  24. 24. 24Muitas escolas da rede estadual do Rio de Janeiro já aderiram ao uso de blogs,porém verificamos que muitas deixam de atualizar seus conteúdos e são poucosdivulgadas em suas escolas.Nas Escola Estadual Edmundo Silva e no Ciep Brizolão 253 vemos empenhode usarem as Tics para melhoria do conhecimento, porém o espaço físico e disputadopor vários professores e muitas vezes encontra-se problemas de conexão oucomputadores que precisam de manutenção.Figura 2:Alunos do CEES com diretora adjunta Angelines e OT Raquel.
  25. 25. 25Figura 3:Alunos do 3 °ano FG usando o data show paraincentivar colegas a fazer o Saerjinho (Ciep 253).Figura 4 :Professor Paulo Rezende usando a sala de computação em aulas dematemática (Ciep 253)
  26. 26. 264-Considerações FinaisVerificando o resultado desta pesquisa, percebemos que os objetivos propostos foramalcançados. Foram verificados e analisados o uso das ferramentas Tics como formade contribuição motivadora, mostrando as vantagens do uso em sala de aula comomais um recurso didático.Observou-se ao aplicar os questionários nas escolas, junto ao corpo docente,vemos que ainda são poucos os professores que usam das Tics em suas aulas,muitos por não saberem como usar. A maioria não foi treinada e nem recebeu cursosde adequação a essa nova realidade, mas existe um interesse crescente no saber edesejam, futuramente, serem treinados nas práticas das TICS.Outros fatores contribuem para o não uso das Tics, como a falta demanutenção das salas de computação e outras ferramentas interessantes para seremusadas aulas, além dos agendamentos prévios, já que muitas escolas possuemapenas um data show para uso geral.Não adianta somente equipar as salas, temos que reconhecer que sem umapolítica de formação do docente adequada não surtirá o efeito de melhoria do ensino enem a inclusão digital. As Tics são ferramentas que ajudam na construção doconhecimento, mas para isso o docente tem que estar familiarizado e saber exploraradequadamente esses recursos.Quanto ao uso do blog, ainda é uma ferramenta que ainda não é bemexplorada pela maioria dos professores, muitos desconhecem suas práticas de trocasde informações usando apenas como local onde se encontra textos e links. Esserecurso didático é uma excelente forma de interação do aluno com a aprendizagem,onde ele seria usado como mediador, instrumento que leva a reflexão dos conteúdosdados e acessados, onde o discente opinaria e questionaria expondo suas dúvidas.O trabalho mostra a necessidade de se investir mais na formação do corpodocente em cursos de capacitação, onde ele seria treinado a usar os softwares,ferramentas e instrumentos diversos, que o ajudariam a tornar a aprendizagemeficiente, aumentando a qualidade do seu trabalho e alcançando ao conhecimentodesejado. Estamos em uma era moderna, onde precisamos usar esses recursos decomunicação com mais desenvoltura, pois as Tics deveriam estar disponíveis a todos,como constam em nossa constituição, onde existe um capítulo que destina-se aodesenvolvimento tecnológico onde deve atender ao bem estar social, enfimprivilegiando o cidadão.Analisando a pesquisa nota-se a importância do uso das Tics na vida escolar,observando a necessidade de trabalhar mais na formação dos professores no uso dasferramentas como recursos tecnológicos para que a inclusão digital seja eficiente.Ainda existe um grande caminho a ser feito para que esse objetivo seja alcançado.Necessita-se que os governos invistam mais, aperfeiçoando o programa deatualização dos educadores, usando uma legislação educacional que ampare e queseja flexível, assim professores mais capacitados tecnologicamente formarão cidadãosmais capacitados, isso devido ao trabalho voltado para interdisciplinalidade, com baseem questões do cotidianoVerifica-se a necessidade de se investir em políticas pedagógicas, dandoênfase a formação de professores para o desenvolvimento de currículos eplanejamentos de aulas, onde o uso de projetos que usam as tecnologias de
  27. 27. 27informação e comunicação sejam recursos que levem ao aprendizado, novas formasde ensinar e aprender.Acredito que futuramente a educação será reformulada, mas para issonecessita-se de um continuo trabalho com os professores oferecendo sempre cursos,atualizando e equipando adequadamente as escolas, investindo mais nos recursosdidáticos.Há uma necessidade de, em um trabalho futuro, verificar o quanto progredimosno uso das ferramentas Tics, fazendo um novo balancete do quadro, atualizando etentando apontar uma trajetória mais adequada para termos os objetivos da inclusãodigital ser finalmente real.A educação é um investimento feito a longo prazo, temos que rever semprenossos conceitos, adequarmos ao novo, modificarmos nossas abordagens, enfim umtrabalho continuo e que trará frutos, mas para isso temos que sair do ostracismo einvestir nas Tics e em projetos pedagógicos que buscam a eficiência da educação.
  28. 28. 285. Referências BibliográficasANDRADE, Emanuel Adeilton de Oliveira; SILVA, Tacio Vitaliano . Os professores dematemática e as TICs na educação. Acesso em 11/2012:http://www.educonufs.com.br/vcoloquio/cdcoloquio/cdroom/eixo%208/PDF/Microsoft%20Word%20%20OS%20PROFESSORES%20DE%20MATEMATICA%20E%20AS%20TIC%20NA%20EDUCACAO%5B1%5D.pdf.ANTÔNIO, José Carlos. O uso das TICs na gestão pedagógica do processo deensino e aprendizagem. Acesso em 11/2012:<http://professordigital.wordpress.com/2010/04/23/o-uso-das-tics-na-gestao-pedagogica-do-processo-de-ensino-e-aprendizagem/>.ARENA, Carla. Educação a Distância e Formação de Professores. Acesso: 11/ 2012: <http://www.slideshare.net/carlaarena/educao-a-distncia-e-formao-de-professores>.AZEVEDO, Leila Marta Costa de. “A integração das Tics no cotidianoescolar”.Trabalho final do curso de Pós Graduação Lato Sensu Ntem da UFF– 2013BORBA, Marcelo de Carvalho. Softwares e internet na sala de aula de matemática.Acesso em 03/2013:<http://www.rc.unesp.br/gpimem/downloads/artigos/borba/marceloxenen.PDF>JACOB, Angela Saida Alvarez. “ A utilização de Softwares no cotidiano escolar”.Trabalho final do curso de Pós Graduação lato Sensu da UFF em Ntem-2013JORDÃO, Teresa Cristina - Recursos Digitais de Aprendizagem , Acesso em11/2012: <http://tecnologiasnaeducacao.pro.br/?page_id=10>.LEITE, José Mario. Materiais didáticos manipuláveis no ensino e aprendizagem deGeometria Espacial. Acesso: 03/2013:<http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1664-8.pdf>.LOPES, Maria Maroni Lopes. O uso do geogebra na sala de aula: uma reflexão naprodução acadêmica do PPGECNM. Acesso: 11/2012:<http://www4.pucsp.br/geogebrala/submissao/pdfs/70lopes.pdf>.
  29. 29. 29MARTINS, Marilia do Rio; FIORENTIN, Marli Lenir Dagnese; MICHELIN, NeivaMorello. Blog: a interatividade a serviço da aprendizagem. Monografia, PontíficiaUniversidade Católica do Rio de Janeir, Departamento de Educação – CCEAD –PUC - Rio. Porto Alegre, 2007. Acesso: 01/2013:<http://arrobaeduc.terapad.com/resources/4489/assets/documents/monografia.pdf >MATHIAS, Carmen Vieira. A matemática na arte e a arte na matemática: construçõesgeométricas com o software régua e compasso. Acesso: 03/2013:<http://www.cimm.ucr.ac.cr/ocs/index.php/xiii_ciaem/xiii_ciaem/paper/viewFile/1377/214>.NOVIKOFF, Cristina; LIMA, Alexandre A. B. e GASPAR, José Carlos Gonçalves. TICno ensino-aprendizagem de ciência e tecnologia. Acesso: 11/2012:<http://www.pg.cefetpr.br/sinect/anais/artigos/11%20TICnoensinoaprendizagemdecienciaetecnologia/TICnoensinoaprendizagemdecienciaetecnologia_artigo19.pdfPINHEIRO, Maria Inara Platenik. “ O uso do Blog nas aulas deMatemática”. Trabalhofinal do curso de Pós Graduação Lato Sensu da UFF em Ntem- 2013PRATA, Carmem Lúcia. A importância do diagnóstico. In: Programa de FormaçãoContinuada Mídia na Educação. Módulo Gestão Integrada de Mídias. Brasília, 2002.RIBEIRO, Adriano Carlos e SHONS, Cláudio Henrique. A contribuição da Web 2.0 nossistemas de educação online. Acesso: 03/2013:<http://www.facef.br/quartocbs/artigos/G/G_140.pdf>RODRIGUES, Cláudia. O uso do blog como ferramenta pedagógica. . Acesso em11/2012: < http://www.univesp.ensinosuperior.sp.gov.br/preunivesp/2304/o-uso-do-i-blog-i-como-ferramenta-pedag-gica.html>.RODRIGUES, Elisabete da Fonseca. Formação de Professores para a utilização eintegração das TIC no Ensino: Definição de Competências e Metodologias deFormação. Acesso em 11/2012:<http://www.educ.fc.ul.pt/recentes/mpfip/pdfs/elisabeterodrigues.pdf>.ROSA, Paulo Ricardo da Silva. O que é ser professor? - A Teoria de Vygotsky.Acesso: 03/2013: <http://www.dfi.ccet.ufms.br/prrosa/Pedagogia/Capitulo_5.pdf >SANNA, Thereza Christina Frishe. O Uso de Blog como Ferramenta Educacional deComunicação e Interação. Acesso em 11/2012:<http://www.anated.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=304:o-uso-deblog-como-ferramenta-educacional-de-comunicacao-einteracao&catid=53:artigos&Itemid=192>.SANTOS, Fernando Tranquilino Marques dos; DUARTE, Jorge Henrique Duarte;CAVALCANTI, Rilva José Pereira Uchoa. A geometria ensinada através do softwarerégua e compasso: Perspectivas e desafios. Acesso:03/2013:<http://www.cimm.ucr.ac.cr/ocs/index.php/xiii_ciaem/xiii_ciaem/paper/viewFile/2665/1004>.
  30. 30. 30SANTOS, Juçanã Francisco dos; NASCIMENTO, Deise Santos do e SILVA, LucasBerto. A integração do curso formação continuada em tecnologias na educação:Ensinando e aprendendo com as tics para professores do ensino básico da redemunicipal em estância/ SE. Acesso em 11/2012:</http://www.educonufs.com.br/cdvicoloquio/eixo_02/PDF/98.pdf>.SANTOS, Rosana dos; LORETO, Aline Brum Loreto e GONÇALVES, Lucas.Avaliação de softwares matemáticos quanto a sua funcionalidade e tipo de licençapara uso em sala de aula. Acesso em nov. 2012:<http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/4/4>.SILVA, Adriana da. Blog educacional: O uso das novas tecnologias no ensino. Acessoem 11/2012:<http://intranet.ufsj.edu.br/rep_sysweb/File/vertentes/Vertentes_31/adriana_da_silva.pdf>.SILVA, Maria da Luz R. Formação Continuada: interagindo com as TICs. Acesso emnov. 2012:http://www.pedagogiadaluz.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=369:fcicat&catid=17:experiias-formativas-&Itemid=26.SILVA, Priscila Alessandra e ALVES, Alessandra Conceição Monteiro. FormaçãoContinuada: Exigência Formativa para o uso das TICs como ferramenta didática.Acesso em 11/2012: <http://www.educonufs.com.br/IVcoloquio/cdcoloquio/eixo_09/e9-62a.pdf >.WEISS, Alba Maria Lemme. Reflexões sobre a Informática Educativa. Acesso em11/2012: <http://www.visaoeducacional.com.br/visao_educacional/artigo3.htm>.XAVIER, Wilian. Formação continuada ensinando e aprendendo com as tics. Acesso:11/ 2012:</http://tecnologiascefaprontetangara.blogspot.com.br/2009/06/formacao-continuada-ensinando-e.html>.YAMANE, Ramioro Thamay.O computador na sala de aula: uma pesquisa em 03escolas brasileiras de ensino Fundamental e médio na província de Saitama-KenJapão. Acesso: 11/ 2012:<http://monografias.brasilescola.com/educacao/o-computador-na-sala-aula-uma-pesquisa-03-escolas-brasileiras.htm>.ZUCHETTI, José Humberto. Monografia. Acesso em 11/2012:<http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ea000417.pdf>.SitesCalques 3D. Acesso: 03/2013: <http://www.uff.br/calques3d/index.html>
  31. 31. 31Educação Matemática: EDUMAT. Acesso: 03/2013:<http://www.edumat.com.br/software-matematicos/Blog do Prof. Nildo Galvão. Acesso em 11/2012: <http://www.ngmatematica.com/>Blog de Matemática do Prof. Vianna. Acesso em 11/2012: <http://prof-ricardovianna.blogspot.com.br/>Blog da Matemática Ensino Médio. Acesso em 11/2012:<http://blogdamatematicaensinomedio.blogspot.com.br/>Educação matemática- EDUMAT. Acesso em 11/ 2012:<http://www.edumat.com.br/software-matematicos/>.Educação Matemática e Tecnologia Informática. Acesso em 11/2012:<http://www2.mat.ufrgs.br/edumatec/softwares/softwares_index.php>.Mundo sites. Acesso em 11/ 2012:<http://www.mundosites.net/cienciasexatas/matematica.htm>.O seu portal matemático. Acesso 11/2012:<http://www.somatematica.com.br/softOnline.php>.Portal da educação e tecnologia. Acesso em 11/2012:<http://www.portaleducacaoetecnologia.com/#!blogs>.Só Matemática. Acesso em 11/2012: <http://www.somatematica.com.br/>.Infopedagogia. Acesso em 11/2012:<http://www.infopedagogica.com.br/sites_matematica/Sites_matematica.htm>.

×