Prof gislaine capitalismo e socialismo

2.778 visualizações

Publicada em

GISLAINEGEOGRAFIAHUMANAS

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.778
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
855
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prof gislaine capitalismo e socialismo

  1. 1. DO FEUDALISMO AO CAPITALISMO, QUANTA EVOLUÇÃO!
  2. 2. Segundo Le Goff, o termo feudalismo, “no sentido exato do termo: vínculos feudo-vassálicos. Conjunto de instituições que criaram obrigações de obediência e de serviço por parte de um homem livre dito vassalo. Em troca de sua fidelidade o vassalo recebia do seu senhor a posse hereditária de um feudo.” Os camponeses cuidavam da agropecuária dos  feudos  e, em troca, recebiam o direito a uma gleba de terra para morar, além da proteção contra ataques  bárbaros O feudalismo tem suas origens no  século IV  a partir das invasões  germânicas  ( bárbaras ) ao  Império Romano do Ocidente  (Europa
  3. 3. Só pra relembrar... O artesanato é tradicionalmente a produção de caráter familiar, na qual o produtor (artesão) possui os meios de produção (sendo o proprietário da oficina e das ferramentas) e trabalha com a família em sua própria casa, realizando todas as etapas da produção, desde o preparo da matéria-prima, até o acabamento; ou seja, não havendo divisão do trabalho ou especialização para a confecção de algum produto. Em algumas situações o artesão tinha junto a si um ajudante ou aprendiz.
  4. 4. Manufatura é um sistema de fabricação de grande quantidade de produtos de forma padronizada e em série. Neste processo pode ser usado somente as mãos (como era feito antes da Revolução Industrial) ou com a utilização de máquinas como passou a ocorrer após a Revolução Industrial.
  5. 5. . A manufatura resultou da ampliação do consumo, que levou o artesão a aumentar a produção e o comerciante a dedicar-se à produção industrial . O manufatureiro distribuía a matéria-prima e o artesão trabalhava em casa, recebendo pagamento combinado. Esse comerciante passou a produzir. Primeiro, contratou artesãos para dar acabamento aos tecidos; depois, tingir; e tecer; e finalmente fiar. Surgiram fábricas, com assalariados, sem controle sobre o produto de seu trabalho. A produtividade aumentou por causa da divisão social, isto é, cada trabalhador realizava uma etapa da produção. Na maquinofatura , o trabalhador estava sub­metido ao regime de funcionamento da máquina e à gerência direta do empresário. Foi nesta etapa que se consolidou a Revolução Industrial .
  6. 6. <ul><li>O capitalismo é um sistema econômico em que os meios de produção e distribuição são de propriedade privada e com fins lucrativos; </li></ul>
  7. 7. PROPRIEDADE PRIVADA <ul><li>Ela compreende, na sua formulação clássica, os poderes de usar, gozar e dispor de uma coisa, a princípio de modo absoluto, exclusivo e perpétuo. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>O termo capitalismo foi criado e utilizado por socialistas e anarquistas ( Karl Marx no final do século XIX e no início do século XX , </li></ul><ul><li>para identificar o sistema político-econômico existente na sociedade ocidental quando se referiam a ele em suas críticas. </li></ul>
  9. 9. Olá, somos a classe trabalhadora! Agora vamos contar as fases do capitalismo.
  10. 10. O Capitalismo Comercial teve início no século XVI, com a intensificação do comércio na Europa e as grandes navegações, que se tornou possível graças ao desenvolvimento do transporte marítimo com a invenção das caravelas e da bússola que possibilitou a navegação para lugares distantes culminando no descobrimento da América. Os pioneiros nesta empreitada foram Portugal e Espanha ao descobrirem novas rotas comerciais para a Ásia, principal entreposto para fornecimento de matérias-primas e que mantinham forte relacionamento comercial com a Europa.
  11. 11. A Revolução Industrial e a Inglaterra A Revolução Industrial teve início na Inglaterra, na segunda metade do século XVIII. Durante o século XIX, estendeu-se para outros países da Europa, para os Estados Unidos e o Japão. Bases para o surgimento da Revolução Industrial A.  O crescimento demográfico ,devido as melhorias das condições de higiene e alimentação; e avanço científico e progressos da medicina. Como consequências teve o aumento da necessidade de produtos e serviços. A acumulação de capital : a burguesia ao longo do período de &quot;transição&quot;, na chamada acumulação primitiva, graças principalmente a exploração colonial. A invenção de máquinas , substituindo as ferramentas pessoais dos artesões. Existência de Matérias-Primas : Algodão, carvão. Mão-de-obra disponível : Mercados Consumidores :
  12. 12. Newcomen inventou uma máquina a vapor, mais tarde aperfeiçoada por James Watt
  13. 13. INVENTOS: Máquina à vapor: criada no século XVIII e utilizada para fabricar tecidos e retirar água acumulada nas minas de Ferro e de Carvão. Ferrovias e locomotivas: Criadas em 1829, alcançava 45 km/h e podia seguir centenas de quilômetros
  14. 14. As cidades tornaram-se feias e negras , envoltas numa atmosfera fumarenta, estendendo por todos os lados seus subúrbios mal construídos. (...) nelas desenvolveu-se uma vida urbana que a velha Inglaterra não havia conhecido. Era a massa enorme e confusa do proletariado que ocupava o formigueiro industrial com seu movimento disciplinado; a cima dela, dirigindo para seu lucro todo o mecanismo da grande indústria, a aristocracia manufatureira, a classe poderosa dos capitalistas fundadores e proprietários das fábricas.
  15. 15. O capitalismo financeiro   tem seu início no século XX, e os fatos históricos e características da etapa remetem-se à Segunda Revolução Industrial, o descobrimento do petróleo como fonte de energia, invento do motor à combustão , a indústria automobilística e a evolução nos transportes, economia monopolizada de indústria e finanças, a criação da União Soviética, Crash da Bolsa em 1929 (crise de 29), intervenção do estado na economia, terminando com o liberalismo puro, a expansão e surgimento de grandes corporações e empresas transnacionais.

×