Primeira Revolução Industrial<br />
:<br />Podemos apresentar algumas razões fundamentais:<br />
<ul><li> A supremacia naval inglesa: desde o ano de 1651, quando Oliver Cromwell decretou os Atos de Navegação e Comércio,...
<ul><li>A Monarquia Parlamentar: a Revolução Gloriosa de 1688/89 estabeleceu na Inglaterra a Declaração dos Direitos (Bill...
<ul><li>Na primeira metade do século os sistemas de transporte e de comunicação desencadearam as primeiras inovações com o...
A análise de tantos feitos tecnológicos não poderia ficar carente das mudanças sociais ocorridas neste mesmo período. As e...
 O liberalismo de Adam Smith<br />
<ul><li>As novidades da Revolução Industrial trouxeram muitas dúvidas. O pensador escocês Adam Smith procurou responder ra...
Movimentos<br />Ludismo (1811-1812)<br />
<ul><li>Reclamações contra as máquinas inventadas após a revolução para poupar a mão-de-obra já eram normais. Mas foi em 1...
Anos depois os operários ingleses mais experientes adotaram métodos mais eficientes de luta, como a greve e o movimento si...
<ul><li>Em seqüência veio o movimento "cartista", organizado pela "Associação dos Operários", que exigia melhores condiçõe...
particularmente a limitação de oito horas para a jornada de trabalho
a regulamentação do trabalho feminino
a extinção do trabalho infantil
a folga semanal
o salário mínimo
Este movimento lutou ainda pelos direitos políticos, como o estabelecimento do sufrágio universal (apenas para os homens, ...
<ul><li>Os empregados das fábricas também formaram associações denominadas trade unions, que tiveram uma evolução lenta em...
Até 1850, a Inglaterra continuou dominando o primeiro lugar entre os países industrializados. Embora outros países já cont...
De 1830 a 1929 : A Expansão pelo mundo<br />
<ul><li>Após 1830, a produção industrial se descentralizou da Inglaterra e se expandiu rapidamente pelo mundo, principalme...
Na Alemanha com o resultado da Guerra Franco-prussiana em 1870, houve a Unificação Alemã que, liderada por Bismarck, impul...
A partir da Revolução Industrial o volume de produção aumentou extraordinariamente: a produção de bens deixou de ser artes...
A industrialização no Brasil<br />
O Brasil, como uma antiga colônia de uma nação européia, faz parte de um grupo de países de industrialização tardia<br />
A industrialização em Portugal<br />
Em Portugal, as reformas de Mouzinho da Silveira liquidam os resquícios das estruturas feudais e consolidam a burguesia no...
Historia<br />Artesanato/Manufatura/<br />Maquinofatura<br />
Artesanato<br /><ul><li>A história do artesanato tem início no mundo com a própria história do homem.
Os primeiros artesãos surgiram no período neolítico (6.000 a.C) quando o homem aprendeu a polir a pedra, a fabricar a cerâ...
O artesanato foi primeira forma de produção, que voltou com força total no fim da Idade Média com o renascimento comercial...
Com o aumento do consumo.<br />O artesão  teve que produzir mais peças,só que ele demorava muito.<br />Como resolução veio...
Manufatura<br />
<ul><li>Durante a Revolução Industrial, houve grande avanço no modo de produção.
O trabalho que antes era somente manual passou a ser feito por máquinas, o que gerou uma maior produção em menor tempo.
Manufatura era um sistema de fabricação de grande quantidade de produtos de forma padronizada e em série. Isso quer dizer ...
Mais ainda existiam  muitas partes feitas a mão.</li></li></ul><li>
Assim a tecnologia foi melhorando e aumentando, ate que as maquinas assumiram todos os processos de fabricação que deu lug...
Maquinofatura<br />
<ul><li>Foi nesta etapa que se consolidou a Revolução Industrial .
Com a Maquinofatura os trabalhadores já  estavam sub­metido ao regime de funcionamento da máquina e à gerência direta do e...
O processo de produção já era feito todo por maquinas o homem só tinha que controlá-las.[Eram muito funcionários]
Os lucros também já era de enriquecimento.Que ai tudo pro Dono das industrias e sócios.</li></li></ul><li>
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

1ª Revolução Industrial

5.548 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.548
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
43
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1ª Revolução Industrial

  1. 1. Primeira Revolução Industrial<br />
  2. 2. :<br />Podemos apresentar algumas razões fundamentais:<br />
  3. 3. <ul><li> A supremacia naval inglesa: desde o ano de 1651, quando Oliver Cromwell decretou os Atos de Navegação e Comércio, que asseguraram exclusividade aos navios ingleses para o transporte de mercadorias para o seu país, que a Inglaterra passou a controlar o comércio mundial de larga escala. Isso permitiu a organização de um vasto império colonial que, ao mesmo tempo, será seu mercado consumidor de produtos manufaturados e fornecedor de matérias primas.</li></li></ul><li><ul><li>A disponibilidade de mão-de-obra: o estabelecimento do absolutismo na Inglaterra no século XVI levou a burguesia em aliança com a nobreza a promover um processo de expulsão dos camponeses de suas terras. Estas terras foram cercadas e transformadas em áreas de pastagens para ovelhas que ofereciam a matéria-prima básica para o tecido: lã. Houve, portanto, um intenso êxodo rural, que tornou as grandes cidades um lugar onde se encontrava uma grande disponibilidade de mão-de-obra. Dessa maneira, os salários sofreram um rebaixamento, fato que contribuiu para a elevação da produtividade na indústria.</li></li></ul><li>A disponibilidade de matérias-primas: a Inglaterra não tinha dificuldades de acesso às matérias-primas básicas para seu desenvolvimento industrial. Era rico em minério de carvão, lã, algodão (obtido nos EUA) etc.<br />
  4. 4. <ul><li>A Monarquia Parlamentar: a Revolução Gloriosa de 1688/89 estabeleceu na Inglaterra a Declaração dos Direitos (Bill of. Rights) que permitiu a supremacia do parlamento sobre a monarquia, surgindo, portanto, o parlamentarismo. Isso significou o fim do absolutismo que permitiu à burguesia uma maior participação nas decisões do governo e na vida política do país. Dessa maneira, a economia do país passou a se organizar de maneira a atender aos anseios da burguesia.</li></li></ul><li>Os grandes <br />Avanços Tecnológicos<br />
  5. 5. <ul><li>Na primeira metade do século os sistemas de transporte e de comunicação desencadearam as primeiras inovações com os primeiros barcos à vapor (Robert Fulton/1807) e locomotiva (Stephenson/1814), revestimentos de pedras nas estradas McAdam/1819), telégrafos (Morse/1836). As primeiras iniciativas no campo da eletricidade como a descoberta da lei da corrente elétrica (Ohm/1827) e do eletromagnetismo (Faraday/1831). Dá para imaginar a quantidade de mudanças que estes setores promoveram ou mesmo promoveriam num futuro próximo. As distâncias entre as pessoas, entre os países, entre os mercados se encurtariam. Os contatos mais regulares e freqüentes permitiriam uma maior aproximação de mundos tão distintos como o europeu e o asiático.</li></li></ul><li>As grandes mudanças sociais<br />
  6. 6. A análise de tantos feitos tecnológicos não poderia ficar carente das mudanças sociais ocorridas neste mesmo período. As empresas industriais perderam totalmente suas feições caseiras adquirindo uma nova forma. Grandes conglomerados econômicos, a crescente participação do setor financeiro na produção industrial - trustes, cartéis, holdings. <br />Ao lado de uma intensificação da exploração do trabalho operário, da urbanização desenfreada e sem planejamentos, das epidemias provocadas pelo acúmulo de populações nos grandes centros sem infra-estrutura, cresciam as fábricas cada vez mais poderosas e determinantes de um processo irreversível.<br />
  7. 7. O liberalismo de Adam Smith<br />
  8. 8. <ul><li>As novidades da Revolução Industrial trouxeram muitas dúvidas. O pensador escocês Adam Smith procurou responder racionalmente às perguntas da época. Seu livro A Riqueza das Nações (1776) é considerado uma das obras fundadoras da ciência econômica. Ele dizia que o individualismo é útil para a sociedade. Seu raciocínio era este: quando uma pessoa busca o melhor para si, toda a sociedade é beneficiada. </li></li></ul><li>Adam Smith.<br />
  9. 9. Movimentos<br />Ludismo (1811-1812)<br />
  10. 10. <ul><li>Reclamações contra as máquinas inventadas após a revolução para poupar a mão-de-obra já eram normais. Mas foi em 1811 que o estopim estourou e surgiu o movimento ludista, uma forma mais radical de protesto. O nome deriva de Ned Ludd, um dos líderes do movimento. Os luditas chamaram muita atenção pelos seus atos. Invadiram fábricas e destruíram máquinas, que, segundo os luditas, por serem mais eficientes que os homens, tiravam seus trabalhos, requerendo, contudo, duras horas de jornada de trabalho. Os manifestantes sofreram uma violenta repressão, foram condenados à prisão, à deportação e até à forca. Os luditas ficaram lembrados como "os quebradores de máquinas".
  11. 11. Anos depois os operários ingleses mais experientes adotaram métodos mais eficientes de luta, como a greve e o movimento sindical.</li></li></ul><li>Movimento <br />Cartista (1837-1848)<br />
  12. 12. <ul><li>Em seqüência veio o movimento "cartista", organizado pela "Associação dos Operários", que exigia melhores condições de trabalho como:
  13. 13. particularmente a limitação de oito horas para a jornada de trabalho
  14. 14. a regulamentação do trabalho feminino
  15. 15. a extinção do trabalho infantil
  16. 16. a folga semanal
  17. 17. o salário mínimo
  18. 18. Este movimento lutou ainda pelos direitos políticos, como o estabelecimento do sufrágio universal (apenas para os homens, nesta época) e extinção da exigência de propriedade para se integrar ao parlamento e o fim do voto censitário. Esse movimento se destacou por sua organização, e por sua forma de atuação, chegando a conquistar diversos direitos políticos para os trabalhadores.</li></li></ul><li>As "trade-unions"<br />
  19. 19. <ul><li>Os empregados das fábricas também formaram associações denominadas trade unions, que tiveram uma evolução lenta em suas reivindicações. Na segunda metade do século XIX, as trade unions evoluíram para os sindicatos, forma de organização dos trabalhadores com um considerável nível de ideologização e organização, pois o século XIX foi um período muito fértil na produção de idéias antiliberais que serviram à luta da classe operária, seja para obtenção de conquistas na relação com o capitalismo, seja na organização do movimento revolucionário cuja meta era construir o socialismo objetivando o comunismo. O mais eficiente e principal instrumento de luta das trade unions era a greve.</li></li></ul><li> A industrialização na Europa: a partir de 1815<br />
  20. 20. Até 1850, a Inglaterra continuou dominando o primeiro lugar entre os países industrializados. Embora outros países já contassem com fábricas e equipamentos modernos, esses eram considerados uma "miniatura de Inglaterra", como por exemplo os vales de Ruhr e Wupper na Alemanha, que eram bem desenvolvidos, porém não possuíam a tecnologia das fábricas inglesas.<br />
  21. 21. De 1830 a 1929 : A Expansão pelo mundo<br />
  22. 22. <ul><li>Após 1830, a produção industrial se descentralizou da Inglaterra e se expandiu rapidamente pelo mundo, principalmente para o noroeste europeu, e para o leste dos Estados Unidos da América. Porém, cada país se desenvolveu em um ritmo diferente baseado nas condições econômicas, sociais e culturais de cada lugar.
  23. 23. Na Alemanha com o resultado da Guerra Franco-prussiana em 1870, houve a Unificação Alemã que, liderada por Bismarck, impulsionou a Revolução Industrial no país que já estava ocorrendo desde 1815. Foi a partir dessa época que a produção de ferro fundido começou a aumentar de forma exponencial.</li></li></ul><li>As conseqüências da Revolução Industrial<br />
  24. 24. A partir da Revolução Industrial o volume de produção aumentou extraordinariamente: a produção de bens deixou de ser artesanal e passou a ser maquino faturada; as populações passaram a ter acesso a bens industrializados e deslocaram-se para os centros urbanos em busca de trabalho. As fábricas passaram a concentrar centenas de trabalhadores, que vendiam a sua força de trabalho em troca de um salário.<br />
  25. 25. A industrialização no Brasil<br />
  26. 26. O Brasil, como uma antiga colônia de uma nação européia, faz parte de um grupo de países de industrialização tardia<br />
  27. 27. A industrialização em Portugal<br />
  28. 28. Em Portugal, as reformas de Mouzinho da Silveira liquidam os resquícios das estruturas feudais e consolidam a burguesia no poder, modernizando o país. Na segunda metade do século XIX implanta-se a malha ferroviária no país em paralelo a um desenvolvimento industrial e do comércio, à dinâmica do colonialismo, e a uma grande emigração, principalmente em direção ao Brasil e aos Estados Unidos da América.<br />
  29. 29. Historia<br />Artesanato/Manufatura/<br />Maquinofatura<br />
  30. 30. Artesanato<br /><ul><li>A história do artesanato tem início no mundo com a própria história do homem.
  31. 31. Os primeiros artesãos surgiram no período neolítico (6.000 a.C) quando o homem aprendeu a polir a pedra, a fabricar a cerâmica e a tecer fibras de animais e vegetais.
  32. 32. O artesanato foi primeira forma de produção, que voltou com força total no fim da Idade Média com o renascimento comercial e urbano e definiu-se pela produção independente: nisso o produtor possuía os meios de produção: instalações, ferramentas e matéria-prima. E fazia todo o trabalho em casa, sozinho ou com a família, onde o realizava todas as etapas da produção.</li></li></ul><li>
  33. 33. Com o aumento do consumo.<br />O artesão teve que produzir mais peças,só que ele demorava muito.<br />Como resolução veio a manufatura[Revolução industrial].Que passou a ser um pouco mais rápido.<br />
  34. 34. Manufatura<br />
  35. 35. <ul><li>Durante a Revolução Industrial, houve grande avanço no modo de produção.
  36. 36. O trabalho que antes era somente manual passou a ser feito por máquinas, o que gerou uma maior produção em menor tempo.
  37. 37. Manufatura era um sistema de fabricação de grande quantidade de produtos de forma padronizada e em série. Isso quer dizer que era feito etapa por etapa, e era também especializado, cada trabalhador tinha sua especialização numa área.
  38. 38. Mais ainda existiam muitas partes feitas a mão.</li></li></ul><li>
  39. 39. Assim a tecnologia foi melhorando e aumentando, ate que as maquinas assumiram todos os processos de fabricação que deu lugar a maquinofatura.<br />
  40. 40. Maquinofatura<br />
  41. 41. <ul><li>Foi nesta etapa que se consolidou a Revolução Industrial .
  42. 42. Com a Maquinofatura os trabalhadores já estavam sub­metido ao regime de funcionamento da máquina e à gerência direta do empresário e dono.
  43. 43. O processo de produção já era feito todo por maquinas o homem só tinha que controlá-las.[Eram muito funcionários]
  44. 44. Os lucros também já era de enriquecimento.Que ai tudo pro Dono das industrias e sócios.</li></li></ul><li>
  45. 45. Cronologia <br />De alguns inventos.<br />
  46. 46. <ul><li>Século XVII
  47. 47. 1698 - Thomas Newcomen, em Staffordshire, na Grã-Bretanha, instala um motor a vapor para esgotar água em uma mina de carvão.
  48. 48. Século XVIII
  49. 49. 1708 - Jethro Tull (agricultor), em Berkshire, na Grã-Bretanha, inventa a primeira máquina de semear puxada a cavalo, permitindo a mecanização da agricultura.
  50. 50. 1709 - Abraham Darby, em Coalbrookdale, Shropshire, na Grã-Bretanha, utiliza o carvão para baratear a produção do ferro.
  51. 51. 1733 - John Kay, na Grã-Bretanha, inventa uma lançadeira volante para o tear, acelerando o processo de tecelagem.
  52. 52. 1740 - Benjamin Huntsman, em Handsworth, na Grã-Bretanha, descobre a técnica do uso de cadinho para fabricação de aço.
  53. 53. 1761 - Abertura do Canal de Bridgewater, na Grã-Bretanha, primeira via aquática inteiramente artificial.
  54. 54. 1764 - James Hargreaves, na Grã-Bretanha, inventa a fiadora "spinning Jenny", uma máquina de fiar rotativa que permitia a um único artesão fiar oito fios de uma só vez[2].
  55. 55. 1765 - James Watt, na Grã-Bretanha, introduz o condensador na máquina de Newcomen, componente que aumenta consideravelmente a eficiência do motor a vapor. </li></li></ul><li><ul><li>1768 - Richard Arkwright, na Grã-Bretanha, inventa a "spinning-frame", uma máquina de fiar mais avançada que a "spinning jenny".
  56. 56. 1771 - Richard Arkwright, em Cromford, Derbyshire, na Grã-Bretanha, introduz o sistema fabril em sua tecelagem ao acionar a sua máquina - agora conhecida como "water-frame" - com a força de torrente de água nas pás de uma roda.
  57. 57. 1776 - 1779 - John Wilkinson e Abraham Darby, em Ironbridge, Shrobsihire, na Grã-Bretanha, constroem a primeira ponte em ferro fundido.
  58. 58. 1779 - Samuel Crompton, na Grã-Bretanha, inventa a "spinning mule", combinação da "water frame" com a "spinning jenny", permitindo produzir fios mais finos e resistentes. A mule era capaz de fabricar tanto tecido quanto duzentos trabalhadores, apenas utilizando alguns deles como mão-de-obra.
  59. 59. 1780 - Edmund Cartwright, de Leicestershire, na Grã-Bretanha, patenteia o primeiro tear a vapor.
  60. 60. 1793 - Eli Whitney, na Geórgia, Estados Unidos da América, inventa o descaroçador de algodão.
  61. 61. 1800 - Alessandro Volta, na Itália, inventa a bateria elétrica. </li></li></ul><li>Algumas das Primeiras Maquinas de Fiar<br />

×