20 de novembro Dia da Consciência Negra Comemoração no CEU PERUS - 17/11/06 (40 slides)
Origem
Nelson Mandela  da África do Sul
Reinos <ul><li>Antes de sofrer com o colonialismo europeu, vários reinos progrediam no continente africano. Entre eles o R...
Mathin Luther King  dos Estados Unidos
Reinos <ul><li>O continente africano possui uma história vastíssima, extremamente complexa e de fundamental importância pa...
Luiz Gama (1830-1882) advogado, jornalista e poeta
Reinos <ul><li>O Egito foi provavelmente o primeiro estado a constituir-se em África, há cerca de 5000 anos, mas muitos ou...
Capoeira
Capoeira <ul><li>Os escravos negros começaram a ser desembarcados no Brasil por volta de 1548 e, nos três séculos seguinte...
Capoeira <ul><li>Não existe na historiografia recente do Brasil, nenhum dado que possa afirmar que a capoeira é provenient...
QUILOMBO (imagem do filme de Cacá Diegues)
QUILOMBO <ul><li>Dessa forma, o surgimento da capoeira se confunde com a história da resistência dos negros no Brasil. Eis...
QUILOMBO (ilustração da época)
ZAMBI
Zambi, também chamado capitão Zumbi dos Palmares, também chamado Francisco. <ul><li>A grande figura do quilombo dos Palmar...
Navio Negreiro: arte de Rugendas
Escravidão <ul><li>Já existia entre alguns grupos africanos o costume de escravizar prisioneiros de guerras. Isto foi apro...
Raul Bopp: poeta modernista
Escravidão <ul><li>Negro -  Raul Bopp  </li></ul><ul><li>Pesa em teu sangue a voz de ignoradas origens / As florestas guar...
Escravidão <ul><li>O mar era um irmão da tua raça / Uma madrugada /Baixaram as velas do convés / </li></ul><ul><li>Havia u...
Machado de Assis (1839-1908) O mais elogiado escritor brasileiro
Preconceito <ul><li>&quot;Minha cor  – poema de uma estudante </li></ul><ul><li>Ai meu Deus! / quando será que isso vai ac...
POEMA DE UMA ESTUDANTE <ul><li>Porque da minha cor vou ter orgulho  </li></ul><ul><li>Sou negra não vou mudar </li></ul><u...
Música de Tupac Amaru Shakur, também escrito 2Pac, também chamado Makaveli
<ul><li>Tradução da Música Changes: “Mudanças” </li></ul><ul><li>Vamos lá vamos lá </li></ul><ul><li>Eu não vejo mudanças ...
Continua música “Changes” de 2Pac <ul><li>Refrão </li></ul><ul><li>Esse é o caminho </li></ul><ul><li>As coisas nunca mais...
Continua música “Changes” de 2Pac <ul><li>Falando: </li></ul><ul><li>Nós temos que ininiar uma mudança... </li></ul><ul><l...
Final da “Changes” de 2Pac <ul><li>Não deixe ele te chamarem de macaco, fazerem voce recuar, </li></ul><ul><li>Tirar você ...
2Pac:  (16 de junho de 1971  – 13 de setembro de 1996)
Sabotage (Mauro Mateus dos Santos: 1973-2003)
O que é ser negro  no Brasil hoje?
Palavras do geógrafo  Milton Santos: <ul><li>“ Há uma frequente indagação sobre como é ser negro em outros lugares, forma ...
Milton Santos (1926-2001)
Palavras do geógrafo  Milton Santos: <ul><li>“ (...) Ser negro no Brasil é, pois, com frequência, ser objeto de um olhar e...
Milton Santos
Palavras do geógrafo  Milton Santos: <ul><li>“ Pode-se dizer, como fazem os que se deliciam com jogos de palavras, que aqu...
Palavras do geógrafo  Milton Santos: <ul><li>“ Trata-se, na realidade, de uma forma do apartheid à brasileira, contra a qu...
BIBLIOGRAFIA <ul><li>“ Minha Cor” - Poema de uma estudante:  </li></ul><ul><li>http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/l...
Extra: campanha  “Desligue a TV”
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dia da Consciencia Negra

21.078 visualizações

Publicada em

Arquivo slide feito com o programa Open Office para discutir o dia de Zumbi, respeito à diferença e a luta contra o preconceito.

Apresentado no CEU Perus em novembro de 2006 junto com a peça teatral amadora ZUMBI GRACIOSO escrita e encenada pela primeira vez por alunos da EMEF FERNANDO GRACIOSO da DRE Pirituba.

a peça pode ser achada em várias versões no Youtube:
https://www.youtube.com/results?search_query=zumbi+gracioso&spfreload=10

Publicada em: Educação
1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
21.078
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.336
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.097
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dia da Consciencia Negra

  1. 1. 20 de novembro Dia da Consciência Negra Comemoração no CEU PERUS - 17/11/06 (40 slides)
  2. 2. Origem
  3. 3. Nelson Mandela da África do Sul
  4. 4. Reinos <ul><li>Antes de sofrer com o colonialismo europeu, vários reinos progrediam no continente africano. Entre eles o Reino do Congo: localizado no sudoeste de África no território que hoje corresponde ao noroeste de Angola, a Cabinda, à República do Congo, à parte ocidental da República Democrática do Congo e à parte centro-sul do Gabão. </li></ul>
  5. 5. Mathin Luther King dos Estados Unidos
  6. 6. Reinos <ul><li>O continente africano possui uma história vastíssima, extremamente complexa e de fundamental importância para a humanidade. </li></ul><ul><li>Muitos estudos dizem que a humanidade surgiu na África. Os mais antigos fósseis de hominídeos encontrados em África têm cerca de cinco milhões de anos. </li></ul>
  7. 7. Luiz Gama (1830-1882) advogado, jornalista e poeta
  8. 8. Reinos <ul><li>O Egito foi provavelmente o primeiro estado a constituir-se em África, há cerca de 5000 anos, mas muitos outros reinos ou cidades-estados se foram sucedendo neste continente, ao longo dos séculos. Para além disso, a África foi, desde a antiguidade, procurada por povos doutros continentes, que buscavam as suas riquezas, por vezes ocupando partes do “Continente Negro” por largos períodos. </li></ul>
  9. 9. Capoeira
  10. 10. Capoeira <ul><li>Os escravos negros começaram a ser desembarcados no Brasil por volta de 1548 e, nos três séculos seguintes, seriam predominante do tronco lingüístico banto, do qual faz parte a língua Quimbundo. Esse grupo englobava angolas, benguelas, Moçambique, canbindas e congos... No Brasil, esses grupos étnicos, antes rivais, se uniram pela escravidão formando uma cultura africana que plantou bases muito fortes na cultura brasileira, de dança, música e técnicas de corpo, como a capoeira&quot;. </li></ul>
  11. 11. Capoeira <ul><li>Não existe na historiografia recente do Brasil, nenhum dado que possa afirmar que a capoeira é proveniente da África. Com certeza ela foi desenvolvida por escravos no Brasil. Portanto, a capoeira é legítima e genuinamente brasileira. </li></ul><ul><li>Os registros que determinam datas para seu surgimento, utilizam datas que variam entre 1578 e 1632. Sabe-se que a capoeira realmente surgiu como instrumentos de libertação contra um sistema opressor, onde o homem negro era tratado como peça, os meninos negros como moleques e as mulheres escravas com filhos como fêmeas com crias. </li></ul>
  12. 12. QUILOMBO (imagem do filme de Cacá Diegues)
  13. 13. QUILOMBO <ul><li>Dessa forma, o surgimento da capoeira se confunde com a história da resistência dos negros no Brasil. Eis porque a maioria dos autores que escrevem sobre a questão associam o aparecimento da capoeira ao surgimento dos primeiros quilombos; alguns chegam a se referir especificamente ao Quilombo de Palmares (que foi o que reuniu um número maior de pessoas, cerca de 25 mil, e foi destruído em 1694) como sendo o berço da capoeira. </li></ul>
  14. 14. QUILOMBO (ilustração da época)
  15. 15. ZAMBI
  16. 16. Zambi, também chamado capitão Zumbi dos Palmares, também chamado Francisco. <ul><li>A grande figura do quilombo dos Palmares, símbolo da resistência afro-brasileira contra a escravidão e toda forma de opressão. Considerado um dos inventores da antiga capoeira. Era casado com DANDARA . Julga-se que era sobrinho de GANGA ZUMBA , rei de Palmares. </li></ul><ul><li>Foi assassinado em 20 de novembro de 1695, que agora é lembrado como Dia da Consciência Negra. </li></ul>
  17. 17. Navio Negreiro: arte de Rugendas
  18. 18. Escravidão <ul><li>Já existia entre alguns grupos africanos o costume de escravizar prisioneiros de guerras. Isto foi aproveitado pelos invasores europeus, principalmente ingleses, franceses e portugueses, que usaram o sequestro de seres humanos para terem lucro: primeiro com a venda como escravos; depois como mão-de-obra em grandes plantações na América. </li></ul>
  19. 19. Raul Bopp: poeta modernista
  20. 20. Escravidão <ul><li>Negro - Raul Bopp </li></ul><ul><li>Pesa em teu sangue a voz de ignoradas origens / As florestas guardaram na sombra o segredo da tua história / A tua primeira inscrição em baixo-relevo / Foi uma chicotada no lombo / Um dia /Atiraram-te no bojo de um navio negreiro / E durante longas noites e noites /Vieste escutando o rugido do mar / Como um soluço no porão soturno </li></ul>
  21. 21. Escravidão <ul><li>O mar era um irmão da tua raça / Uma madrugada /Baixaram as velas do convés / </li></ul><ul><li>Havia uma nesga de terra e um porto / </li></ul><ul><li>Armazéns com depósitos de escravos / </li></ul><ul><li>E a queixa dos teus irmãos amarrados em coleiras de ferro / Principiou aí a tua história / O resto / a que ficou para trás / O Congo as florestas e o mar /continuam a doer na corda do urucungo. </li></ul><ul><li>Poema de Raul Bopp (1898-1984) </li></ul>
  22. 22. Machado de Assis (1839-1908) O mais elogiado escritor brasileiro
  23. 23. Preconceito <ul><li>&quot;Minha cor – poema de uma estudante </li></ul><ul><li>Ai meu Deus! / quando será que isso vai acabar? / Minha cor tem história para podermos falar e quem sabe me orgulhar./ Mas não entrou na minha cabeça que não tinha como mudar / Eu sou negra e tenho que me valorizar. / Ali eu ouvi me xingarem e me humilharem / Não vou chorar, vou levantar a cabeça e para frente vou olhar / Quem sabe um dia isso vai acabar /Vou gostar de mim e me amar/ </li></ul>
  24. 24. POEMA DE UMA ESTUDANTE <ul><li>Porque da minha cor vou ter orgulho </li></ul><ul><li>Sou negra não vou mudar </li></ul><ul><li>vou lutar pelo meu futuro e </li></ul><ul><li>um dia vou me levantar .&quot; </li></ul>
  25. 25. Música de Tupac Amaru Shakur, também escrito 2Pac, também chamado Makaveli
  26. 26. <ul><li>Tradução da Música Changes: “Mudanças” </li></ul><ul><li>Vamos lá vamos lá </li></ul><ul><li>Eu não vejo mudanças acordo de manhã e me pergunto </li></ul><ul><li>A vida é valiosa ou devo me matar? </li></ul><ul><li>Eu estou cansado de ser pobre e até pior eu sou preto </li></ul><ul><li>Meu estômago ronca então eu procuro uma bolsa pra roubar </li></ul><ul><li>Os tiras sempre culpam os negros </li></ul><ul><li>Puxam o gatilho, mata um negão ele é um herói </li></ul><ul><li>Dar crack para as crianças quem se importa </li></ul><ul><li>Menos uma boca faminta para a assistência social </li></ul><ul><li>Primeiro jogam elas no tráfico e deixa eles negociarem os irmãos </li></ul><ul><li>Dá armas pra eles dá um passo pra trás e assiste eles se matarem </li></ul><ul><li>É hora da briga acabar como Huey disse </li></ul><ul><li>2 tiros no escuro agora Huey está morto </li></ul><ul><li>Eu tenho amor pelo meu irmão mas nós nunca podemos ir a lugar nenhum </li></ul><ul><li>Ao menos que nós compartilhemos uns com os outros </li></ul><ul><li>Nós temos que começar a fazer mudanças </li></ul><ul><li>Aprender a nos vermos como um irmãos em vez de dois estranhos distantes </li></ul><ul><li>E é assim que deve ser </li></ul><ul><li>Como o diabo pode levar um irmão se ele está unido a mim? </li></ul><ul><li>Eu adoraria voltar ao tempo em que éramos crianças </li></ul><ul><li>Mas as coisas mudam, e esse é o caminho </li></ul>
  27. 27. Continua música “Changes” de 2Pac <ul><li>Refrão </li></ul><ul><li>Esse é o caminho </li></ul><ul><li>As coisas nunca mais serão as mesmas </li></ul><ul><li>Esse é o caminho </li></ul><ul><li>Aww yeahh </li></ul><ul><li>Repete </li></ul><ul><li>Eu não vejo mudanças tudo que eu vejo são rostos racistas </li></ul><ul><li>Ódio desenfreado que traz desgraça pras raças </li></ul><ul><li>Nós a minoria. eu imagino o que será preciso para fazer disso </li></ul><ul><li>Um lugar melhor, vamos apagar os vestígios </li></ul><ul><li>Tirar o demônio das pessoas elas vão agir certo </li></ul><ul><li>Porque tanto os pretos quanto os brancos estão fumando crack esta noite </li></ul><ul><li>E a única vez em que nos esquentamos é quando nós matamos uns aos outros </li></ul><ul><li>É preciso ter habilidade se tornar real, tempo para amenizarmos uns com os outros </li></ul><ul><li>E embora isso pareça o paraíso </li></ul><ul><li>Nós ainda não estamos prontos para ter um presidente preto, uhh </li></ul><ul><li>E não é nenhum segredo não conciliar os fatos </li></ul><ul><li>A penitenciária está lotada, e está cheia de pretos </li></ul><ul><li>Mas algumas coisas nunca mudam </li></ul><ul><li>Tento mostrar outro caminho mas você continua no jogo das drogas </li></ul><ul><li>Agora diga-me o que uma mãe faz </li></ul><ul><li>Sendo verdadeira e não apelar para o irmão em você </li></ul><ul><li>Você seguiu o caminho fácil </li></ul><ul><li>&quot;eu ganhei mil hoje&quot; mas você fez pelo caminho sujo </li></ul><ul><li>Vendendo crack para as crianças. &quot;eu fui pago&quot; </li></ul><ul><li>Bem hã, bem esse é o caminho!?... </li></ul>
  28. 28. Continua música “Changes” de 2Pac <ul><li>Falando: </li></ul><ul><li>Nós temos que ininiar uma mudança... </li></ul><ul><li>É hora de nós fazermos algumas mudanças </li></ul><ul><li>Vamos mudar o jeito que nós comemos, vamos mudar o jeito que vivemos </li></ul><ul><li>E vamos mudar o jeito que nos tratamos uns aos outros. </li></ul><ul><li>Você vê que o velho caminho não funcionou, então cabe a nós fazermos </li></ul><ul><li>O que nós temos que fazer, para sobreviver. </li></ul><ul><li>E eu ainda não vejo mudanças um irmão não pode ter um pouco de paz? </li></ul><ul><li>É guerra nas ruas e guerra no meio leste </li></ul><ul><li>Em vez de guerra contra a pobreza eles fazem guerra pelas drogas </li></ul><ul><li>Então vem a polícia possa me incomodar </li></ul><ul><li>E eu nunca cometi um crime eu ainda não tive que cometer </li></ul><ul><li>Mas agora eu estou de volta com os pretos devolvendo para você </li></ul>
  29. 29. Final da “Changes” de 2Pac <ul><li>Não deixe ele te chamarem de macaco, fazerem voce recuar, </li></ul><ul><li>Tirar você do sério e cafetão te espancar </li></ul><ul><li>Você tem que aprender a ser você mesmo </li></ul><ul><li>Eles têm inveja quando te veêm com seu celular </li></ul><ul><li>Mas fale aos tiras que eles não podem tocá-lo </li></ul><ul><li>Eu não confio neles, quando eles tentarem empurrar eu peito eles </li></ul><ul><li>Esse é o som do meu brinquedo você diz que isso ainda não é legal </li></ul><ul><li>Minha mãe não criou um otário </li></ul><ul><li>E enquanto eu for preto eu tenho que ficar ligado </li></ul><ul><li>E nunca descansar </li></ul><ul><li>Porque eu sempre tenho que me preocupar com as vinganças </li></ul><ul><li>Algum cara que eu dei uma dura há algum tempo atrás </li></ul><ul><li>Estou de volta depois de todos estes anos </li></ul><ul><li>Rat-a-tat-tat-tat-tat esse é o caminho . </li></ul><ul><li>Tupac </li></ul>
  30. 30. 2Pac: (16 de junho de 1971 – 13 de setembro de 1996)
  31. 31. Sabotage (Mauro Mateus dos Santos: 1973-2003)
  32. 32. O que é ser negro no Brasil hoje?
  33. 33. Palavras do geógrafo Milton Santos: <ul><li>“ Há uma frequente indagação sobre como é ser negro em outros lugares, forma de perguntar, também, se isso é diferente de ser negro no Brasil... </li></ul><ul><li>(...) a opinião pública foi, por cinco séculos, treinada para desdenhar e, mesmo, não tolerar manifestações de inconformidade, vistas como um injustificável complexo de inferioridade, já que o Brasil, segundo a doutrina oficial, jamais acolhera nenhuma forma de discriminação ou preconceito.” </li></ul>
  34. 34. Milton Santos (1926-2001)
  35. 35. Palavras do geógrafo Milton Santos: <ul><li>“ (...) Ser negro no Brasil é, pois, com frequência, ser objeto de um olhar enviesado. A chamada boa sociedade parece considerar que há um lugar predeterminado, lá em baixo, para os negros e assim tranquilamente se comporta. Logo, tanto é incômodo haver permanecido na base da pirâmide social quanto haver &quot;subido na vida&quot;. “ </li></ul>
  36. 36. Milton Santos
  37. 37. Palavras do geógrafo Milton Santos: <ul><li>“ Pode-se dizer, como fazem os que se deliciam com jogos de palavras, que aqui não há racismo (à moda sul-africana ou americana) ou preconceito ou discriminação, mas não se pode esconder que há diferenças sociais e econômicas estruturais e seculares, para as quais não se buscam remédios. A naturalidade com que os responsáveis encaram tais situações é indecente, mas raramente é adjetivada dessa maneira. “ </li></ul>
  38. 38. Palavras do geógrafo Milton Santos: <ul><li>“ Trata-se, na realidade, de uma forma do apartheid à brasileira, contra a qual é urgente reagir se realmente desejamos integrar a sociedade brasileira de modo que, num futuro próximo, ser negro no Brasil seja, também, ser plenamente brasileiro no Brasil.” </li></ul><ul><li>Artigo escrito por Milton Santos, geógrafo, professor emérito da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, falecido em 2001. </li></ul><ul><li>Fonte: Folha de S.Paulo – caderno Mais - brasil 501 d.c. - 07 de maio de 2000 </li></ul>
  39. 39. BIBLIOGRAFIA <ul><li>“ Minha Cor” - Poema de uma estudante: </li></ul><ul><li>http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/anpocs/nieme.rtf. </li></ul><ul><li>Sobre capoeira: http://br.geocities.com/siteberimbau/historico.htm </li></ul><ul><li>Pesquisas: google e wikipedia </li></ul><ul><li>Saite sugerido: www.acordacultura.org.br </li></ul>
  40. 40. Extra: campanha “Desligue a TV”

×