CorrecçãO Dos úLtimos ExercíCios Do Manual

732 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
732
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
94
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CorrecçãO Dos úLtimos ExercíCios Do Manual

  1. 1. Página 93 10. 10.1.A produção de oxitocina oscila ao longo do dia, mas aumenta substancialmente com a proximidade ao parto. 10.2. A pressão da cabeça do feto contra o colo do útero inicia um reflexo hormonal que aumenta a secreção desta hormona pela hipófise. 10.3. Quanto maior a produção de oxitocina maior a intensidade das contracções uterinas. 11. 11.1. A situação II. 11.2. Os contraceptivos hormonais são constituídos por estrogénios e progesterona sintéticos em concentração suficiente para exercer sobre o complexo hipotálamo-hipófise um mecanismo de retroalimentação negativa, de tal forma que a produção de GnRH diminui e consequentemente a de FSH e LH também. 11.3. O gráfico da situação I refere-se ao mecanismo hormonal normal sem administração de contraceptivos hormonais. Neste caso, o aumento da concentração de FSH e LH por volta do 14.º dia deve-se ao mecanismo de retroalimentação positiva, que a elevada concentração de estrogénios provoca sobre o complexo hipotálamo-hipófise. 11.4 As hormonas que integram os contraceptivos hormonais são suficientes para estimular o desenvolvimento do endométrio durante o ciclo uterino. Assim, quando a toma da pílula é interrompida, a diminuição da concentração das hormonas no sangue
  2. 2. tem como consequência a ocorrência de uma menstruação. 11.5. Impedem o desenvolvimento e maturação dos folículos e consequente ovulação. 11.6. Não têm qualquer efeito sobre a transmissão de IST. 12. 12.1. A eficácia deste método diminui com o aumento da idade da paciente. 12.2. Deve-se à menor capacidade de resposta da mulher aos tratamentos hormonais, perda de viabilidade da maioria dos oócitos II, dificuldades ao nível da nidação, etc. 12.3. D. e E. 12.4. D. 13. 1 – D; 2 – A; 3 – B; 4 – C. Página 94 14. 14.1. A – Recolha de oócitos II; B – Transferência de embriões; 1 – ovário; 2 – embrião; 3 – espermatozóide; 4 – oócito II; 5 – cateter (seringa); 6 – útero. 14.2. O processamento corresponde ao tratamento e limpeza de produtos em excesso e selecção das células mais viáveis e com maiores capacidades de locomoção, aumentando a eficiência deste processo e impedindo que os espermatozóides com malformações possam fecundar o oócito II.
  3. 3. 14.3. Permite obter um elevado número de oócitos II, de modo a que vários sejam fecundados, para que pelo menos três sejam implantados e os restantes crioconservados. 14.4.Se o espermatozóide é incapaz de fecundar o oócito II, pode ser microinjectado no oócito II em laboratório, com posterior transferência dos embriões. Página 95 16. 16.1. Aumenta a produção de LH e FSH. 16.2. Ao 16.° dia. 16.3. Verdadeiras: B e D; Falsas – A, C, E. 16.4. Com tratamentos hormonais é induzida a ovulação múltipla aumentando a probabilidade de gravidezes múltiplas. 17. A crioconservação de gâmetas e embriões, a destruição de embriões excedentários ou a sua utilização em pesquisas científicas, a escolha das características do descendente (ex.: sexo) e, ainda o desconhecimento dos impactes das técnicas de reprodução medicamente assistida.

×