FormaçãO Do Sistema Solar

20.319 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
3 comentários
18 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.319
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.323
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
3
Gostaram
18
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • FormaçãO Do Sistema Solar

    1. 1. Formação do Sistema Solar Rio Maior, 2007 Professora: Cidália Santos Aguiar Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira
    2. 2. Provável origem do Sol e dos planetas O estudo da formação da Terra é necessáriamente acompanhado do estudo da formação do Sistema Solar É facto aceite que os corpos celestes mais próximos da Terra se encontram relacionados através de uma génese comum <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    3. 3. Algumas teorias sobre a origem do sistema solar <ul><li>Ideias catastrofistas </li></ul><ul><li>A formação do Sistema Solar resultaria da colisão entre duas estrelas </li></ul><ul><li>O Sol teria sido o primeiro a formar-se </li></ul><ul><li>Inicialmente o Sol não teria qq planeta a girar à sua volta </li></ul><ul><li>Uma estrela vagueando no espaço teria chocado com o Sol </li></ul><ul><li>O impacto teria feito com que pequenos “pedaços” se libertassem e condensassem em seu redor, dando origem aos planetas </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    4. 4. Algumas teorias sobre a origem do sistema solar <ul><li>Hipótese de Chamberlain </li></ul><ul><li>Possível aproximação , sem colisão , de duas estrelas </li></ul><ul><li>Por acção dos campos gravíticos elas seriam de tal forma deformadas que pequenas porções seriam “arrancadas” </li></ul><ul><li>Estas porções levariam também à formação de planetas </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    5. 5. Teoria nebular <ul><li>O nascimento da teoria </li></ul><ul><li>1755, Immanuel Kant </li></ul><ul><li>Hipótese de que o sistema solar tinha origem numa nuvem turbilhonante e fria de gases e poeiras </li></ul><ul><li>1796, Pierre Simon de Laplace </li></ul><ul><li>desenvolvimento da teoria de Kant </li></ul><ul><li>A nuvem teria sido animada de um movimento de rotação em torno de si própria. Em consequência das forças de gravitação a nuvem ter-se-ía contraido </li></ul><ul><li>As partículas centrais formaram o Sol </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    6. 6. Teoria nebular <ul><li>O nascimento da teoria </li></ul><ul><li>Esta teoria não resistiu às leis fundamentais da Física </li></ul><ul><li>O Sol, quando submetido a tal força, giraria cada vez mais depressa à medida que o seu volume fosse diminuindo </li></ul><ul><li>A velocidade de rotação teria de ser substancialmente superior à que apresenta actualmente </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    7. 7. Teoria nebular <ul><li>Actualmente a hipótese mais aceite para explicar a formação do sistema solar é a Teoria Nebular </li></ul><ul><li>Inicio com uma nuvem primordial: </li></ul><ul><ul><li>enriquecida em elementos pesados </li></ul></ul><ul><ul><li>Fria </li></ul></ul><ul><ul><li>Dimensões gigantes </li></ul></ul><ul><ul><li>Constituída por gases e matéria interestelar </li></ul></ul><ul><li>O núcleo foi aquecendo gradualmente devido à condensação da matéria </li></ul><ul><li>A nuvem começou a rodar </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    8. 8. Teoria nebular <ul><li>No núcleo da nuvem a temperatura ter-se-à elevado a milhões de graus </li></ul><ul><li>Inicio das reacções termonucleares, por fusão do hidrogénio </li></ul><ul><li>Após alguns milhares de anos, a velocidade de rotação foi sendo cada vez mais rápida e levou ao achatamento da nuvem </li></ul><ul><li>Muitas das partículas aglutinaram -se no centro </li></ul><ul><li>Formação do Sol </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    9. 9. Teoria nebular <ul><li>As partículas que rodeavam o Sol foram-se concentrando nas zonas internas, tendo ocorrido condensação da matéria, com aumento da temperatura </li></ul><ul><ul><li>Formação dos planetas telúricos ou terrestres, com elevada densidade </li></ul></ul><ul><li>Condensação de matéria semelhante à do Sol nas zonas externas da nuvem, onde a temperatura é inferior </li></ul><ul><ul><li> Formação dos planetas Gasosos , de menor densidade </li></ul></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    10. 10. Teoria nebular <ul><li>O planetas começaram a descrever órbitas, mais ou menos circulares </li></ul><ul><li>As orbitas entraram posteriormente em equilíbrio, de modo a interferirem minimamente entre si </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    11. 11. Teoria nebular <ul><li>Actualmente a teoria nebular está de acordo com as características do sistema solar </li></ul><ul><li>os planetas encontram-se, aproximadamente, no mesmo plano equatorial que o Sol </li></ul><ul><li>as órbitas dos planetas são quase circulares </li></ul><ul><li>os planetas gasosos que se encontram na parte exterior do sistema solar possuem velocidades de rotação muito elevadas , em consequência do movimento que a nebulosa primitiva lhes conferiu </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    12. 12. Teoria nebular e os diferentes grupos de planetas <ul><li>No núcleo da nuvem a temperatura ter-se-à elevado a milhões de graus </li></ul><ul><li>Inicio das reacções termonucleares, por fusão do hidrogénio </li></ul><ul><li>Após alguns milhares de anos, a velocidade de rotação foi sendo cada vez mais rápida e levou ao achatamento da nuvem </li></ul><ul><li>Muitas das partículas aglutinaram -se no centro </li></ul><ul><li>Formação do Sol </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    13. 13. Teoria nebular e os diferentes grupos de planetas <ul><li>Parte externa do sistema solar: </li></ul><ul><ul><li>Material condensado da nebulosa tinha silicatos e gelo </li></ul></ul><ul><ul><li>Planetas com massa muito superior à da Terra e baixa densidade </li></ul></ul><ul><li>- Parte interna do sistema solar: </li></ul><ul><ul><li>Apenas silicatos presentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Formação de nucleos protoplanetários muito densos </li></ul></ul><ul><ul><li>Dimensões mais pequenas </li></ul></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    14. 14. Teoria nebular Investigações recentes… <ul><li>Dados que apoiam a teoria nebular: </li></ul><ul><ul><li>Modernos telescópio puderam verificar a existência de outras nebulosas </li></ul></ul><ul><ul><li>Estas nebulosas são constituídas por maioritariamente por: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Hidrogénio </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Hélio </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Materiais rochosos quimicamente similares aos encontrados na Terra </li></ul></ul></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    15. 15. Teoria nebular Investigações recentes… <ul><li>Em 2001 o telescópio Hubble mostrou, pela primeira vez, um planeta alinhado com um disco de pó circundante da sua estrela </li></ul><ul><li>Planeta extra-solar que orbita a estrela de Épsilon Eridani (semelhante ao Sol) </li></ul><ul><li>Localizada a 10,5 anos-luz da Terra </li></ul><ul><li>Movimento de translação de aproximadamente 7 anos terrestres </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    16. 16. Planetas e pequenos corpos do sistema solar <ul><ul><li>Resolução da 26ª Assembleia Geral da União Astronómica Internacional (Praga, 2006) </li></ul></ul><ul><ul><li>Novas categorias de classificação dos corpos do sistema solar: </li></ul></ul><ul><li>Uma estrela central, o Sol (99% da massa do sistema solar) </li></ul><ul><li>8 planetas principais </li></ul><ul><li>Dezenas de planetas secundários </li></ul><ul><li>alguns planetas anões </li></ul><ul><li>Pequenos corpos do sistema solar </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    17. 17. Planetas e pequenos corpos do sistema solar <ul><ul><li>Alguns Números… </li></ul></ul><ul><ul><li>Quão pequenos nós somos??? </li></ul></ul><ul><li>A massa do Sol é 333 000 vezes a da Terra </li></ul><ul><li>O seu volume é 1 400 000 vezes </li></ul><ul><li>Distância da Terra ao Sol é ~ 150 milhões de Km (ou 1 Unidade Astronómica) </li></ul><ul><li>A luz do Sol demora pouco mais de 8 minutos a chegar a nós </li></ul><ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    18. 18. <ul><li>Definição de planeta principal </li></ul><ul><ul><li>(segundo a União Astronómica Internacional) </li></ul></ul><ul><ul><li>Corpo celeste que : </li></ul></ul><ul><ul><li>Orbita em torno do Sol </li></ul></ul><ul><ul><li>Tem massa suficiente para ter gravidade própria e que assume uma forma arredondada (o que geralmente se aplica a objectos com massa superior a 5 x 10 50 Kg e diâmetro superior a 800 Km) </li></ul></ul><ul><ul><li>Domina claramente a sua órbita, isto é, possui uma orbita desimpedida de outros astros </li></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    19. 19. <ul><li>Planetas principais </li></ul><ul><ul><li>(segundo a União Astronómica Internacional) </li></ul></ul><ul><ul><li>8 : </li></ul></ul><ul><ul><li>Mercúrio </li></ul></ul><ul><ul><li>Vénus </li></ul></ul><ul><ul><li>Terra </li></ul></ul><ul><ul><li>Marte </li></ul></ul><ul><ul><li>Júpiter </li></ul></ul><ul><ul><li>Saturno </li></ul></ul><ul><ul><li>Úrano </li></ul></ul><ul><ul><li>Neptuno </li></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    20. 20. <ul><li>Planeta anão </li></ul><ul><ul><li>(segundo a União Astronómica Internacional) </li></ul></ul><ul><ul><li>Corpo celeste muito semelhante a um planeta principal, uma vez que possui uma forma arredondada, mas não possui uma órbita desimpedida . </li></ul></ul><ul><ul><li>A órbita de Plutão chega a cruzar a órbita de Neptuno </li></ul></ul><ul><ul><ul><li> Este facto foi determinante na sua desclassificação como planeta clássico </li></ul></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    21. 21. <ul><ul><li>Ceres </li></ul></ul><ul><ul><li>localizado na Cintura de Asteróides </li></ul></ul><ul><ul><li>Possui uma órbita repleta de pequenos astros com os quais pode colidir </li></ul></ul><ul><ul><li>até 2006 classificado de Asteróide </li></ul></ul><ul><ul><ul><li> Encontra-se classificado agora como planeta anão </li></ul></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    22. 22. Assim, a distinção entre planetas anões e planetas principais baseia-se no facto de que os primeiros não possuem força gravítica suficiente para removerem pequenos corpos cujas órbitas os levem a colidir , capturar entre si, ou sofrer perturbações gravitacionais Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    23. 23. <ul><li>Cintura de Kuiper </li></ul><ul><ul><li>Planetas anões transneptunianos: </li></ul></ul><ul><ul><li>Planetas anões que se localizam para lá de Neptuno, numa região exterior do sistema solar </li></ul></ul><ul><ul><li>São constituídos por materiais gelados </li></ul></ul><ul><ul><li>órbitas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>muito inclinadas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Grande excentricidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Períodos orbitais superiores a 200 anos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex.: Plutão e Éris (antigo 2003 UB313 ) </li></ul></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    24. 24. <ul><li>Planetas secundários ou satélites naturais: </li></ul><ul><ul><li>Planetas que giram em torno de outros planetas </li></ul></ul><ul><ul><li>* É de realçar que determinados planetas secundários possuem um diâmetro superior a alguns planetas principais </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex. Ganimedes (satélite natural de Jupiter) </li></ul></ul><ul><ul><li> Titã (satélite natural de Saturno) </li></ul></ul><ul><ul><li> são maiores que mercúrio </li></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    25. 25. Número de Planetas pode aumentar A família de planetas poderá aumentar por causa da discussão de há muitos anos. TSF, 16 de Agosto de 2006 Planetas do sistema solar Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>Decisão final será tomada no dia 24 Ceres, Caronte e Xena podem vir a juntar-se aos planetas do sistema solar. Público, 17 de Agosto de 2006 Plutão gera controvérsia A discussão sobre a manutenção de Plutão na lista de planetas está a dividir a comunidade científica. Uns querem vê-lo depromovido, outros pretendem aumentar o número de planetas do sistema solar juntando corpos celestes com características semelhantes a Plutão. Correio da Manhã, 23 de Agosto de 2006 Plutão já não é um planeta O sistema solar passou a ter apenas oito planetas. A União Astronómica Internacional decidiu hoje que Plutão, até aqui um dos nove planetas do nosso sistema solar, é um planeta anão. Público, 24 de Agosto de 2006
    26. 26. 1. Indique a problemática científica abordada nas notícias. Planetas do sistema solar Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>A classificação a atribuir ao planeta Plutão pela comunidade científica
    27. 27. 1. De que modo estes textos reforçam o carácter dinâmico e evolucionista da ciência? Planetas do sistema solar Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>De facto, a classificação de Plutão como planeta principal nunca foi consensual na comunidade científica… Desde a sua descoberta, que alguns investigadores colocavam em causa a classificação tendo em atenção as suas características físicas (órbita, massa, dimensões, constituição química, etc.) Esta despromoção efectivou-se em 2006, 76 anos depois de sua descoberta
    28. 28. 3. Comente a seguinte afirmação: “Sem tecnologia, o avanço da Ciência não seria possível”. Planetas do sistema solar Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>Este caso de Plutão é demonstrativo da importância da tecnologia para o avanço da Ciência. Esta discussão em torno deste e de outros planetas só foi possível após a utilização de telescópios e satélites sofisticados, que permitem efectuar novas observações e obter novos dados sobre as características físicas e químicas destes corpos celestes.
    29. 29. 4. Mencione a importância da União Astronómica internacional em todo este processo relacionado com Plutão. Planetas do sistema solar Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>Como todas as organizações científicas, a União Astronómica Internacional tem o papel de promover a discussão entre os investigadores, uniformizar critérios de investigação e obter, se possível, conclusões consensuais.
    30. 30. <ul><li>Todos os planetas do nosso sistema solar realizam dois movimentos: </li></ul><ul><ul><li>O movimento de translação : </li></ul></ul><ul><ul><li>realizado pelos planetas principais em torno do Sol </li></ul></ul><ul><ul><li>O movimento de rotação: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Realizado pelos planetas em torno de si próprios </li></ul></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    31. 31. <ul><li>Sentido do movimento de rotação: </li></ul><ul><li>Sentido directo </li></ul><ul><li>Maioria dos planetas gira no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio </li></ul><ul><li>Sentido retrógrado </li></ul><ul><li>Vénus possui um movimento de rotação no sentido dos ponteiros do relógio. </li></ul><ul><li>Úrano, devido à forte inclinação do seu eixo de rotação também parece girar no sentido retrógrado </li></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    32. 32. Características de alguns planetas Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>   Amoníaco, hidrogénio, hélio 60 300 Saturno    Dióxido de carbono, azoto, vapor de água 3393,5 Marte    Vapor de água, azoto, dióxido de carbono 6378 Terra Núcleo Manto crusta Estrutura interna Composição da atmosfera Raio equatorial (Km) Planetas
    33. 33. 1.1. Relativamente aos três planetas referenciados no quadro, indique as principais diferenças da composição da atmosfera e da estrutura interna. Planetas do sistema solar Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><li>A diferença de composição da atmosfera entre o planeta Marte e a Terra reside no facto de este último planeta possuir oxigénio. </li></ul><ul><li>Comparando estes dois planetas com Saturno, verifica-se que este é constituído por uma grande quantidade de gases raros, tais como amoníaco e hélio. </li></ul><ul><li>Relativamente à estrutura interna dos planetas, as principais diferenças são: em relação à crusta, esta encontra-se ausente em Saturno e ocupa um maior volume em Marte, quando comparada com a Terra. </li></ul>
    34. 34. 1.2. Que dados permitem afirmar que Saturno é um planeta essencialmente gasoso? Planetas do sistema solar Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><li>Não se consegue diferenciar uma crusta rochosa </li></ul>
    35. 35. 1.3. Por que razão Marte e Terra são considerados planetas rochosos? Planetas do sistema solar Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><li>Porque possuem uma camada exterior, pouco espessa e rochosa, que se designa crusta. </li></ul>
    36. 36. <ul><li>Planetas principais </li></ul><ul><ul><li>Dividem-se em: </li></ul></ul><ul><ul><li>Planetas menores, terrestres ou telúricos: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mercúrio, Vénus, Terra e Marte </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Planetas gigantes ou gasosos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno </li></ul></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    37. 37. <ul><li>Planetas menores, terrestres ou telúricos </li></ul><ul><ul><li>Características comuns: </li></ul></ul><ul><ul><li>Pequenas dimensões , com diâmetro aproximado ao da Terra </li></ul></ul><ul><ul><li>Elevada densidade , constituídos maioritariamente por material rochoso </li></ul></ul><ul><ul><li>Poucos satélites ou até mesmo nenhum </li></ul></ul><ul><ul><li>Movimento de rotação lento </li></ul></ul><ul><ul><li>Os materiais que constituem o seu interior estão estruturados em camadas mais ou menos concêntricas </li></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    38. 38. <ul><li>Planetas gigantes ou gasosos </li></ul><ul><ul><li>Características comuns: </li></ul></ul><ul><ul><li>Grandes dimensões , com diâmetro muito superior ao da Terra </li></ul></ul><ul><ul><li>Baixa densidade , constituídos principalmente por materiais gasosos </li></ul></ul><ul><ul><li>Muitos satélites naturais </li></ul></ul><ul><ul><li>Movimento de rotação rápido </li></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    39. 39. <ul><li>Planetas principais </li></ul><ul><ul><li>Quanto à sua localização em relação à cintura de asteróides, dividem-se em: </li></ul></ul><ul><ul><li>Planetas interiores: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mercúrio, Vénus, Terra e Marte </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Planetas exteriores </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno </li></ul></ul></ul>Planetas do sistema solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    40. 40. Características dos planetas principais Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>1 5,5 15 1,0 12756 23,9h 365d 149 13 27 47 63 2 0 0 Nº de satélites naturais 1,7 1,1 0,6 1,3 3,9 5,2 5,4 Densidade Média água=1g/cm 3 -220 -210 -180 -120 -40 464 -170 a 430 Temperatura superficial (ºC) 17,2 14,5 95,1 317,8 0,1 0,81 0,055 Massa (unidade 1) 49100 51800 120600 142800 6787 12100 4878 Diâmetro equatorial 10h 29,4 a 1427 Saturno Marte ▪ 243 d 224,7d 100 Vénus Neptuno Úrano 18h ▪▪ 16h 9,5h 24,5h 58,6 d Período de rotação 164,8 a 84 a 11,8 a 687 d 88 d Período de translação 4497 2870 778 228 57,9 Distância média ao Sol Júpiter Terra Mercúrio Planetas
    41. 41. Características dos planetas principais Actividade  <ul><ul><li>Com base nas informações no quadro, indique: </li></ul></ul><ul><ul><li>O planeta cuja temperatura superficial é mais elevada </li></ul></ul><ul><ul><li>O planeta cuja temperatura superficial é mais baixa </li></ul></ul><ul><ul><li>O planeta de maiores dimensões </li></ul></ul><ul><ul><li>O planeta de menores dimensões </li></ul></ul>Saturno Marte Vénus Neptuno Úrano Júpiter Terra Mercúrio Planetas -220 -210 -180 -120 -40 15 464 -170 a 430 Temperatura superficial (ºC) Saturno Marte Vénus Neptuno Úrano Júpiter Terra Mercúrio Planetas 49100 51800 120600 142800 6787 12756 12100 4878 Diâmetro equatorial
    42. 42. Características dos planetas principais Actividade  <ul><ul><li>Com base nas informações no quadro, indique: </li></ul></ul><ul><ul><li>Os planetas que não possuem satélites naturais </li></ul></ul><ul><ul><li>Estabeleça a relação entre a distância ao Sol e o período de translação. </li></ul></ul>Saturno Marte Vénus Neptuno Úrano Júpiter Terra Mercúrio Planetas Saturno Marte Vénus Neptuno Úrano Júpiter Terra Mercúrio Planetas 13 27 47 63 2 1 0 0 Nº de satélites naturais 164,8 a 84 a 29,4 a 11,8 a 687 d 365d 224,7d 88 d Período de translação 4497 2870 1427 778 228 149 100 57,9 Distância média ao Sol
    43. 43. Características dos planetas principais Actividade  <ul><ul><li>Com base nas informações no quadro, indique: </li></ul></ul><ul><ul><li>Os planetas com raio superior e os planetas com raio inferior ao Terra </li></ul></ul><ul><ul><li>Indique quais os 3 tipos distintos de estrutura interna que se podem observar </li></ul></ul>Crusta Manto Núcleo Núcleo externo Núcleo interno Manto (Hidrogénio e Hélio) Manto (Água, Amoníaco e Metano) Saturno Marte Vénus Neptuno Úrano Júpiter Terra Mercúrio Planetas 49100 51800 120600 142800 6787 12756 12100 4878 Diâmetro equatorial Saturno Marte Vénus Neptuno Úrano Júpiter Terra Mercúrio Planetas Estrutura Interna
    44. 44. Características dos planetas principais Actividade  Crusta Manto Núcleo Núcleo externo Núcleo interno Manto (Hidrogénio e Hélio) Manto (Água, Amoníaco e Metano) <ul><ul><li>Tipos de Estrutura Interna </li></ul></ul><ul><ul><li>1º tipo- crusta + manto + núcleo </li></ul></ul><ul><ul><li>2º tipo- crusta + manto + núcleo externo + núcleo interno </li></ul></ul><ul><ul><li>3º tipo- manto + núcleo </li></ul></ul>Saturno Marte Vénus Neptuno Úrano Júpiter Terra Mercúrio Planetas Estrutura Interna
    45. 45. Características dos planetas principais Actividade  <ul><ul><li>Formule um hipótese que explique o facto de Vénus possuir uma temperatura superior à de Mercúrio </li></ul></ul><ul><ul><li>A grande acumulação de gases na atmosfera de Vénus (em particular o CO2), permite que o calor penetre na atmosfera, mas impede que ele saia. Este efeito é semelhante ao de uma estufa </li></ul></ul>Saturno Marte Vénus Neptuno Úrano Júpiter Terra Mercúrio Planetas -220 -210 -180 -120 -40 15 464 -170 a 430 Temperatura superficial (ºC)
    46. 46. <ul><ul><li>Asteróides </li></ul></ul><ul><ul><li>seguem as leis gerais do movimento dos planetas. </li></ul></ul><ul><ul><li>São corpos rochosos (existindo alguns com composição metálica), de forma irregular </li></ul></ul><ul><ul><li>Cerca de 220 asteróides apresentam dimensões superiores a 100 Km </li></ul></ul><ul><ul><li>Apesar de existirem milhares de asteróides, a sua massa total é inferior à da Lua </li></ul></ul>Pequenos corpos do Sistema Solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    47. 47. <ul><ul><li>Asteróides- GRUPOS (de acordo com a órbita) </li></ul></ul><ul><ul><li>Cintura de Asteróides </li></ul></ul><ul><ul><li>Entre as orbitas de Marte e Júpiter (2,2 a 3,3 UA do Sol) </li></ul></ul><ul><ul><li>Asteróides próximos da Terra </li></ul></ul><ul><ul><li>(NEA- Near Earth Asteroids) </li></ul></ul><ul><ul><li>Próximos da Terra e cujas órbitas, muito mais elípticas, se estendem aos planetas interiores e, portanto, podem, potencialmente, entrar em colisão com a Terra </li></ul></ul>Pequenos corpos do Sistema Solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    48. 48. <ul><ul><li>Asteróides- GRUPOS (de acordo com a órbita) </li></ul></ul><ul><ul><li>Asteróides Troianos </li></ul></ul><ul><ul><li>Movimentam-se ao longo da órbita de Júpiter </li></ul></ul><ul><ul><li>Asteróides Centauros </li></ul></ul><ul><ul><li>Orbitam a zona externa do Sistema Solar </li></ul></ul>Pequenos corpos do Sistema Solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    49. 49. <ul><ul><li>Cometas </li></ul></ul><ul><ul><li>Na antiguidade eram interpretados como prenúncio da desgraça </li></ul></ul><ul><ul><li>São pequenos corpos celestes esferoidais </li></ul></ul><ul><ul><li>Constituídos essencialmente por água, gases congelados e poeiras rochosas </li></ul></ul><ul><ul><li>Diâmetro entre 1 Km e 10 Km </li></ul></ul><ul><ul><li>Giram à volta do Sol, com órbitas muito excêntricas </li></ul></ul>Pequenos corpos do Sistema Solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    50. 50. <ul><ul><li>Cometas </li></ul></ul><ul><ul><li>ESTRUTURA (quando a órbita se aproxima do Sol): </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Núcleo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cabeleira </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cauda </li></ul></ul></ul>Pequenos corpos do Sistema Solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    51. 51. <ul><ul><li>Cometas </li></ul></ul><ul><ul><li>ORIGEM </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cintura de Kuiper </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Situada para lá das orbitas de Neptuno e Plutão </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Nuvem de cometas de Oort </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Para lá da cintura de Kuiper </li></ul></ul></ul></ul>Pequenos corpos do Sistema Solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    52. 52. <ul><ul><li>Meteoróides </li></ul></ul><ul><ul><li>Particulas rochosas de variadas dimensões </li></ul></ul><ul><ul><li>Resultam da desagregação de cometas ou da colisão de asteróides </li></ul></ul><ul><ul><li>Estas partículas podem ser atraidas pelo campo gravitacional terrestre </li></ul></ul><ul><ul><li>Esta entrada causa aumento da temperatura, devido ao atrito, tornando-se incandescente (chuva de estrelas) </li></ul></ul>Pequenos corpos do Sistema Solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    53. 53. <ul><ul><li>Meteoritos </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode suceder que alguns meteoróides resistam ao atrito provocado pela entrada na atmosfera terrestre </li></ul></ul><ul><ul><li>Estes podem assim colidir com a superfície terrestre </li></ul></ul><ul><ul><li>Do impacto resulta a cratera de impacto </li></ul></ul>Pequenos corpos do Sistema Solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>
    54. 54. Características de alguns planetas Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><ul><li>Indique as principais diferenças entre as rochas da crusta terrestre e os meteoritos </li></ul></ul>As rochas da crusta terrestre são pobres em ferro e níquel e possuem água. Os meteoritos são ricos em ferro e níquel e não possuem água Hidratadas Anidros Presença de água Quartzo e outros silicatos Ferromagnesianos Minerais mais abundantes Praticamente inexistente Muito abundante Liga Fe-Ni Rochas da Crusta terrestre Meteoritos Composição
    55. 55. Características de alguns planetas Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><ul><li>Refira a composição química mais abundante dos meteoritos </li></ul></ul>Liga metálica constituída por Ferro e Níquel Hidratadas Anidros Presença de água Quartzo e outros silicatos Ferromagnesianos Minerais mais abundantes Praticamente inexistente Muito abundante Liga Fe-Ni Rochas da Crusta terrestre Meteoritos Composição
    56. 56. Características de alguns planetas Actividade  <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><ul><li>Formule uma hipótese que explique o facto da quase inexistência de Ferro e Níquel nas rochas da crusta terrestre </li></ul></ul>Porque durante o processo de formação do nosso planeta, devido à intensa rotação, os materiais mais densos, tais como o Ferro e o Níquel, deslocaram-se para o núcleo terrestre Hidratadas Anidros Presença de água Quartzo e outros silicatos Ferromagnesianos Minerais mais abundantes Praticamente inexistente Muito abundante Liga Fe-Ni Rochas da Crusta terrestre Meteoritos Composição
    57. 57. <ul><ul><li>Meteoritos </li></ul></ul><ul><ul><li>CLASSIFICAÇÃO </li></ul></ul><ul><ul><li>SIDERITOS OU FÉRREOS </li></ul></ul><ul><ul><li>SIDERÓLITOS OU PETROFÉRREOS </li></ul></ul><ul><ul><li>AERÓLITOS OU PÉTREOS </li></ul></ul>Pequenos corpos do Sistema Solar <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul>Essencialmente formados por uma liga metálica de ferro e níquel Apresentam inclusões de um mineral não muito frequente na Terra- a troilite São constituídos por proporções idênticas de minerais silicatados, tal como feldspato, e de uma liga metálica de ferro e níquel Possuem na sua composição uma elevada percentagem de minerais silicatados e uma reduzida percentagem da liga ferro e níquel Dividem-se em Condritos e Acondritos CONDRITOS - Meteoritos pétreos com côndrulos ACONDRITOS - São meteoritos pétreos de textura homogénea, isto é, sem o desenvolvimento de côndrulos, apresentando grande semelhança com as rochas da superfície terrestre, em composição e textura Pequenos agregados esféricos, com cerca de 1mm de diâmetro, de minerais de alta temperatura, tais como a olivina e a piroxena
    58. 58. Terra - Acreção e diferenciação <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><ul><li>O inicio da série de processos que culminaram na formação dos planetas ocorreu há cerca de 4600 M.a., no seio da matéria que rodeava o Sol </li></ul></ul><ul><ul><li>FORMAÇÃO DOS PROTOPLANETAS </li></ul></ul><ul><ul><li>Aglutinação de planetesimais </li></ul></ul><ul><ul><li>Fenómenos de acreção </li></ul></ul><ul><ul><li>CARACTERÍSTICAS DOS PROTOPLANETAS </li></ul></ul><ul><ul><li>Composição heterogénea </li></ul></ul><ul><ul><li>Disposição homogénea dos elementos constituintes </li></ul></ul>
    59. 59. Terra - Acreção e diferenciação <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><ul><li>O inicio da série de processos que culminaram na formação dos planetas ocorreu há cerca de 4600 M.a., no seio da matéria que rodeava o Sol </li></ul></ul><ul><ul><li>FORMAÇÃO DOS PROTOPLANETAS </li></ul></ul><ul><ul><li>Aglutinação de planetesimais </li></ul></ul><ul><ul><li>Fenómenos de acreção </li></ul></ul><ul><ul><li>CARACTERÍSTICAS DOS PROTOPLANETAS </li></ul></ul><ul><ul><li>Composição heterogénea </li></ul></ul><ul><ul><li>Disposição homogénea dos elementos constituintes </li></ul></ul>
    60. 60. Terra - Acreção e diferenciação <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><ul><li>Após a longa fase de acreção de materiais… </li></ul></ul><ul><ul><li>Fusões no interior dos planetas rochosos </li></ul></ul><ul><ul><li>O aumento da temperatura é devido às colisões de que os planetas foram alvo e as reacções nucleares de elementos presentes no interior </li></ul></ul><ul><ul><li>Consequências da fusão: </li></ul></ul><ul><ul><li>Materiais metálicos, mais densos, como o ferro e o níquel, afundaram-se para o interior do planeta </li></ul></ul><ul><ul><li>Materiais menos densos, como os silicatos, emergiram para a superfície </li></ul></ul>DIFERENCIAÇÃO
    61. 61. Terra - Acreção e diferenciação <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><ul><li>Formação da Crusta Primitiva </li></ul></ul><ul><ul><li>Devido ao arrefecimento da superfície da Terra, os materiais à superfície solidificaram </li></ul></ul><ul><ul><li>Formação da Crusta Continental </li></ul></ul><ul><ul><li>A crusta primitiva era quebrada e perfurada devido ao bombardeamento por meteoritos </li></ul></ul><ul><ul><li>Estas quebras permitiam que o magma primitivo subisse à superfície, espalhando-se em vastos lençóis </li></ul></ul><ul><ul><li>Formou-se assim primeira verdadeira crusta continental, que flutuava sobre o material mais denso </li></ul></ul>
    62. 62. Terra - Acreção e diferenciação <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><ul><li>Crusta Continental Secundária </li></ul></ul><ul><ul><li>Sabe-se hoje que a crusta primitiva foi completamente reciclada, admitindo-se que o único material que resistiu foi o zircão. </li></ul></ul><ul><ul><li>A crusta actual é já secundária </li></ul></ul><ul><ul><li>Foi na crusta secundária que se começaram a verificar os primeiros fenómenos de deslocamento de placas </li></ul></ul>
    63. 63. Terra - Acreção e diferenciação <ul><li>PROVÁVEL ORIGEM DO SOL E DOS PLANETAS </li></ul><ul><li>TEORIA NEBULAR </li></ul><ul><li>PLANETAS E PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>PLANETAS </li></ul><ul><li>PEQUENOS CORPOS </li></ul><ul><li>ACREÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DA TERRA </li></ul><ul><li>SÍNTESE </li></ul><ul><ul><li>Atmosfera primitiva </li></ul></ul><ul><ul><li>Gases capturados na nebulosa solar primitiva </li></ul></ul><ul><ul><li>Estes foram posteriormente removidos pelo intenso vento solar </li></ul></ul><ul><ul><li>Devido aos gases libertados pelas rochas em arrefecimento e a intensa actividade vulcânica </li></ul></ul><ul><ul><li>Esta atmosfera seria composta basicamente por dióxido de carbono, Azoto, água, metano, amoníaco, mas sem oxigénio </li></ul></ul>
    64. 65. Angiogénese Angiogénese Precursores medulares Vasos pré-existentes <ul><li>ANGIOGÉNESE </li></ul><ul><li>FACTORES </li></ul><ul><li>PRÓ-ANGIOGÉNICOS </li></ul><ul><li>FACTORES </li></ul><ul><li>INIBIDORES DA </li></ul><ul><li>ANGIOGÉNESE </li></ul><ul><li>INIBIDORES DA </li></ul><ul><li>ANGIOGÉNESE </li></ul><ul><li>BEVACIZUMAB </li></ul><ul><li>LIMITAÇÕES </li></ul><ul><li>ENSAIOS CLÍNICOS </li></ul><ul><li>CONCLUSÃO </li></ul>

    ×