Aula.gravidez.mauer.2013

1.080 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.080
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula.gravidez.mauer.2013

  1. 1. FISIOLOGIA DA GRAVIDEZ Mauer Gonçalves 1 UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO FACULDADE DE MEDICINA DEI DE CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS
  2. 2. SUMÁRIO 1. OBJECTIVOS 2. INTRODUÇÃO 3. FISIOLOGIA DA FECUNDAÇÃO 4. NUTRIÇÃO DO EMBRIÃO 5. PLACENTA 5.1. Etapas de formação 5.2. Funções 6.HORMONAS DA GESTAÇÃO 7. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GESTANTE 8. ANOMALIAS FREQUENTES DA GESTAÇÃO 9. BIBLIOGRAFIA 2
  3. 3. 1. OBJECTIVOS1. OBJECTIVOS • Geral 1. Descrever as principais alterações fisiológicas registadas durante a gravidez e caracterizar os mecanismos envolvidos no processo. • Específicos 1. Explicar os mecanismos fisiológicos relacionados ao processo de fecundação; 2. Descrever as alterações fisiológicas que ocorrem no organismo da mulher durante a gestação; 3. Explicar as diferentes formas de nutrição do embrião nas diferentes etapas da gestação e sua manutenção; 4. Explicar as diferentes etapas da formação da placenta e evidenciar as suas principais funções; 5. Identificar as principais hormonas da gestação e caracterizar as respectivas funções nas diferentes fases; 6. Mencionar algumas anomalias que ocorrem durante a gravidez. 3
  4. 4. 2. INTRODUÇÃO2. INTRODUÇÃO 4
  5. 5. 2. INTRODUÇÃO2. INTRODUÇÃO  A gravidez humana resulta da fecundação do óvulo pelo espermatozóide;  A fecundação dá início a um processo de multiplicação celular ;  Duração da gravidez: 37 - 42 semanas ( ± 9 meses ) 5
  6. 6. 3. FISIOLOGIA DA3. FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃOREPRODUÇÃO • Após a ovulação, o ovócito secundário é captado pela ampola da trompa uterina (o cúmulus oophorus adere aos cílios das fímbrias). • O ovócito é viável durante 12-24 horas, enquanto os espermatozóides podem sobreviver até 48 horas. • Dos cerca de 300 milhões de espermatozóides ejaculados, a esmagadora maioria morre e apenas 100 chegam a entrar nas trompas uterinas. 6
  7. 7. 3.3. FISIOLOGIA DAFISIOLOGIA DA REPRODUÇÃOREPRODUÇÃO Acto sexualActo sexual Espermatozóides • No canal vaginal Ampolas CapacitaçãoCapacitação Canal cervical FertilizaçãoFertilização •Duração: 7h •Interações epiteliais •Influxo de Ca2+ •Aumento da motilidade 1º Penetração na coroa radiata 2º Penetração na zona pelúcida 3º Fusão das membranas 4º Término da segunda divisão meiótica e formação dos pronúcleos 5º Quebra das membranas pronucleares e condensação dos cromossomas
  8. 8. 8
  9. 9. 9
  10. 10. 4. NUTRIÇÃO DO4. NUTRIÇÃO DO EMBRIÃOEMBRIÃO Secreções produzidas pelas cél. secretoras da trompa de Falópio secreções endometriais “leite uterino” Cél. do estroma endometrial (decídua) Placenta (16º dia pós-fertilização) Placenta (16º dia pós-fertilização)
  11. 11. 5.5. PLACENTAPLACENTA 6.1. ETAPAS DE FORMAÇÃO Componente fetal (80%) Transformação do córion -Córion leve -Córion frondoso 10º/13º - 70º dia pós-fertilização Surgimento das vilosidades coriônicas -Primárias -Secundárias -Terciárias Componente materno (20%) Modificações nos vasos maternos adjacentes -Flácidos -Saculares -de dilatação + passiva -Permite o fluxo aumentado Citotrofoblasto extravilositário
  12. 12. 5.5. PLACENTAPLACENTA 5.2. FUNÇÕES •Protecção – “barreira protectora” •Respiração •Nutrição – metabólica e por transporte •Excreção •Secreção endócrina •Transporte •Protecção – “barreira protectora” •Respiração •Nutrição – metabólica e por transporte •Excreção •Secreção endócrina •Transporte
  13. 13. NISTAGMO VESTIBULAR
  14. 14. 6. HORMONAS DA6. HORMONAS DA GESTAÇÃOGESTAÇÃO  Gonadotropina coriônica humana (HCG)  Estrogênio  Progesterona  Somatomamotropina  Impede a involução do corpo lúteo Impede a involução do corpo lúteo O corpo lúteo involui progressivamente a partir da 13ª a 17ª semana Gonadotropina coriônica humana (HCG)  ↑ do útero e das mamas Crescimento dos ductos das mamas e ↑ da genitália externa  Relaxam os ligamentos pélvicos  ↑ do útero e das mamas Crescimento dos ductos das mamas e ↑ da genitália externa  Relaxam os ligamentos pélvicos Sua secreção materna ↑ no final da gestação, 30X acima do normal Estrogênio ↑ Estimula a nutrição do embrião ↓ a contracção do útero grávido, evitando o aborto  Contribui para o desenvolvimento do concepto Auxilia o estrogênio a preparar as mamas para lactação ↑ Estimula a nutrição do embrião ↓ a contracção do útero grávido, evitando o aborto  Contribui para o desenvolvimento do concepto Auxilia o estrogênio a preparar as mamas para lactação Progesterona  Função semelhante à da hormona de crescimento ↓ a sensibilidade à insulina na mãe, direccionando a glicose ao concepto.  Função semelhante à da hormona de crescimento ↓ a sensibilidade à insulina na mãe, direccionando a glicose ao concepto. Começa a ser secretada em torno da 5ª semana Somatomamotropina
  15. 15. 7. ALTERAÇÕES7. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DAFISIOLÓGICAS DA GESTANTEGESTANTE HormonasHormonas •↑ do tamanho das mamas, do útero, genitália externa •↑ da retenção de gorduras e de edema, •↑ de apetite •↑ de peso (normal: 11 Kg) •↑ do metabolismo basal (15%) + ↑ do dispêndio de energia Sudorese excessiva ↑ do metabolismo basal (15%) + ↑ necessidades sanguíneas do feto ↑ Do débito cardíaco 30-40%
  16. 16. 7. ALTERAÇÕES7. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DAFISIOLÓGICAS DA GESTANTEGESTANTE ↑ Ventilação/min. (20%) ↑ Ventilação/min. (20%) ↑ do metabolismo basal + ↑ do tamanho da mãe ↑ da volêmia (30%) na 2ª metade da gestação ↑ da volêmia (30%) na 2ª metade da gestação •aldosterona + estrogênio •hiperatividade da medula óssea •↑ da retenção de líquidos pelos rins ↑ utilização de O2 + Quantidade de CO2 proporcional
  17. 17. 7. ALTERAÇÕES7. ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DAFISIOLÓGICAS DA GESTANTEGESTANTE ↑ taxa de formação/excreção de urina ↑ taxa de formação/excreção de urina ↑ de esteróides + ↑ função glomerular ↑ capac. de retenção de Na+ , Cl- e H2O
  18. 18. 8. ANOMALIAS FREQUENTES DA8. ANOMALIAS FREQUENTES DA GESTAÇÃOGESTAÇÃO 18 Anomalias da 1º metade da gestação 1. Aborto 2. Gravidez ectópica
  19. 19. 8. ANOMALIAS FREQUENTES DA8. ANOMALIAS FREQUENTES DA GESTAÇÃOGESTAÇÃO 19 Anomalias da 2º metade da gestação 1. Placenta prévia 2. Hematoma retroplacentário 3. Rotura uterina
  20. 20. 9. BIBLIOGRAFIA9. BIBLIOGRAFIA •Guyton AC & Hall; Tratado de Fisiologia Médica; 11ª edição; Elsevier; Rio de Janeiro; 2006 •Graça, L.M. e colaboradores; Medicina Materno-Fetal; 3ª edição; LIDEL; Lisboa; 2010. •Guyton AC & Hall; Tratado de Fisiologia Médica; 9ª edição; Guanabara Koogan SA; •Junqueira L. & Carneiro J.; Histologia Básica, 10ª edição, Koogan SA; Rio de Janeiro; 2004. •Moore, Keith L., Persaud, T. V. N.; Embriologia Clínica, 7ª edição, CIDADE, Elsevier; 2008. •Seeley RR, Stephens TD, Tate P; Anatomia e Fisiologia; 6ª edição; Lusociência Lda; Loures; 2007. •Reis, Maria José; Manual teórico de Histologia I sobre a 1ª semana de desenvolvimento embrionário.
  21. 21. Tabela 1 - Respostas da gestante perante a gravidez. Resposta Placenta Secreção de estrogénio, progesterona, hCG, inibina, lactógeno placentário e outras hormonas. Pituitária anterior Aumento de secreção de prolactina. Secreção diminuta de FSH e LH. Cortex adrenal Aumento de secreção de aldosterona e cortisol. Pituitária posterior Aumento de secreção de vasopressina. Paratiróides Aumento a secreção da hormona paratiroidea Rins Aumento da secreção renal (renina, heritropoietina e 1,25-dihydroxivitamina D. Retenção de sal e água. Causa: Aumento de aldosterona, vasopressina e estrogénio Mamas Aumento e desenvolvimento de estrutura glandular maturada Volume sanguíneo Aumento. Causa: Aumento no volume total de eritrócitos pela eritropoietina e de volume do plasma pela retenção de sódio e água. Contudo, o aumento do volume plasmático geralmente excede o aumento dos eritrócitos, levando consequentemente a uma ligeira diminuição nos niveis de eritrócitos. Fonte: Widmaier, E. P. , Raff, H. & Strang, K. T.; Vander's Human Physiology; Mc Graw Hill International edition, 10ª edition.
  22. 22. Tabela 1 - Respostas da gestante perante a gravidez (continuação). Resposta Renovação óssea Aumento. Causa: Aumento da hormona paratiroidea e 1,25-dihydroxyvitamina D Peso corporal Aumenta em média 12,5 kg, 60% dos quais é água Circulação Aumento do "output cardíaco", com diminuição da resistência periférica total (vasodilatação no útero, pele, mamas, tracto gastrointestinal e rins), e a pressão arterial média mantém-se constante. Respiração Hiperventilação ocorre (PCO2 diminui) devido aos efeitos do aumento da progesterona Metabolismo orgânico Aumento das taxas metabólicas. Aumento generalizado da glicémia, gliconeogenese e mobilização de ácidos gordos: Hiporesponsividade à insulina devido ao antagonismo da insulina provocado pela hormona lactógeno placentário e cortisol. Apetite e sede Aumento (particularmente após o primeiro trimestre) RDA's nutricionais Aumento. Fonte: Widmaier, E. P. , Raff, H. & Strang, K. T.; Vander's Human Physiology; Mc Graw Hill International edition, 10ª edition.
  23. 23. 23

×