Slides conferencia de berlim 1

5.125 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.125
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
59
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
131
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slides conferencia de berlim 1

  1. 1. Neocolonialismo e o caso africano
  2. 2. O que é neocolonialismo? Durante o século XIX, principalmente em sua segunda metade, desenvolveu-se um processo de conquistas sobre a África e Ásia, denominado Neocolonialismo. Praticamente todo o continente africano foi conquistado, exceção à Etiópia e a Libéria, pelas potências européias. Os territórios dominados por Portugal e Espanha eram os mais antigos.
  3. 3. O que é neocolonialismo? <ul><li>O Neocolonialismo foi a principal expressão do imperialismo, forma assumida pelo capitalismo a partir da Segunda Revolução Industrial. O domínio das potências européias não foi apenas econômico, mas completo, ou seja, militar, político e social, impondo à força um novo modelo de organização do trabalho, que pudesse garantir, principalmente, a extração de minérios, para as industrias da Europa. `A violência militar e a exploração do trabalho, somam-se as imposições sociais, incluindo a disseminação do cristianismo entre os povos nativos, num processo de aculturação e na maioria dos casos, de destribalização. </li></ul>
  4. 4. Revolução Industrial: novas necessidades
  5. 5. O que é neocolonialismo? Do ponto de vista ideológico, o neocolonialismo foi justificado por uma teoria racista, que julgava que os povos asiáticos e, principalmente africanos, não poderiam, sozinhos, atingir o progresso e o desenvolvimento, cabendo ao europeu levar-lhes essa possibilidade.
  6. 6. O que é neocolonialismo? Essas características, que compõem o quadro de exploração afro-asiático, refletiam a nova ordem da economia a partir do século XIX, a burguesia tornou-se hegemônica em alguns países. Essa classe proprietária, possuía o poder econômico, passou a servir de modelo social e, por último, conquistou o poder político. A hegemonia burguesa e a rápida industrialização deu origem aos grandes conglomerados empresariais e ao capitalismo monopolista, que passou a buscar mercados monopolizados.
  7. 7. O que é neocolonialismo? A Partilha Afro-asiática foi um processo desigual, tendo a Inglaterra formado um verdadeiro Império Colonial, ao passo que, Alemanha e Itália (que se unificaram tardiamente) ficaram com um número menor de territórios, fato que é considerado uma das causas para a eclosão da Primeira Guerra Mundial.
  8. 8. O que é neocolonialismo? Um dos processos mais destacados durante o avanço do imperialismo foi a abertura dos mercados chineses, primeiro através da Guerra do Ópio (1839-42), que terminou com a derrota da China, que foi forçada a aceitar o Tratado de Nanquim, pelo qual os chineses se comprometiam a abrir cinco portos ao comércio inglês, destacando-se Xangai e Cantão, e, além disso, cediam o de Hong Kong. Na década de 50, uma intervenção franco-britânica obrigou o governo chinês a fazer novas concessões. Pelo Tratado de Pequim (1860) abriram-se 11 outros portos no país e foram ampliadas as vantagens aos comerciantes estrangeiros.
  9. 9. O que é neocolonialismo? O Domínio econômico estrangeiro e a fraqueza do Império, fez surgir no país, diversos movimentos de cunho nacionalista, que atingiu o auge em 1900, quando os representantes estrangeiros em Pequim foram perseguidos e, em resposta, houve a intervenção militar conjunta da Inglaterra, França, EUA, Rússia, Alemanha e Japão.
  10. 10. Imperialismo
  11. 11. Imperialismo <ul><li>Domínio e divisão do mundo em áreas de influência controladas pelas potências industriais com o objetivo de garantir mercados consumidores, mão-de-obra barata e matéria-prima para suas indústrias </li></ul>
  12. 12. Fatores econômicos <ul><li>Segunda Revolução Industrial </li></ul><ul><ul><li>Aço, petróleo, energia elétrica, motor à combustão interna, automóvel,avião, cinema </li></ul></ul><ul><ul><li>Busca por novas fontes de matéria-prima e aumento espetacular da produção </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Taylorismo – Controle científico do trabalho </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Surgimento do engenheiro </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Profissionalização da administração </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Expansão da industrialização para a Europa, EUA e Japão </li></ul></ul><ul><ul><li>Crises cíclicas de superprodução e queda dos preços </li></ul></ul>
  13. 18. Fatores econômicos <ul><li>Capitalismo Financeiro (monopolista) </li></ul><ul><ul><li>Fim da livre concorrência e surgimento de grandes conglomerados industriais </li></ul></ul><ul><ul><li>trustes – empresas que absorvem as menores e monopolizam o mercado de determinado produto </li></ul></ul><ul><ul><li>Cartéis – acordo entre grandes empresas para controlar os preços do mercado (oligopólio)‏ </li></ul></ul><ul><ul><li>Holdings – empresas (geralmente bancos) que tomam o controle acionário de várias indústrias e empresas, atuando coordenadamente para controlar o mercado </li></ul></ul>
  14. 20. Fatores políticos e sociais <ul><li>Concorrência comercial entre os países virou questão de Estado </li></ul><ul><ul><li>Protecionismo econômico através de barreiras tarifárias </li></ul></ul><ul><li>Controle de áreas coloniais permitia escoar a população excedente </li></ul><ul><li>Imperialismo criava sentimento nacionalista entre a população,que apoiava os governos – Evitava a guerra civil e a revolução social </li></ul>
  15. 21. Características <ul><li>Séculos XV e XVI </li></ul><ul><ul><li>Benefício do Estado </li></ul></ul><ul><ul><li>Busca por metais preciosos </li></ul></ul><ul><ul><li>Pequena Imigração </li></ul></ul><ul><ul><li>Difusão do Cristianismo como justificativa </li></ul></ul><ul><li>Século XIX </li></ul><ul><ul><li>Benefício da alta burguesia </li></ul></ul><ul><ul><li>Busca de matérias-primas </li></ul></ul><ul><ul><li>Incentivo à imigração </li></ul></ul><ul><ul><li>Difusão da “Civilização” como justificativa </li></ul></ul>
  16. 22. Neocolonialismo e o caso africano (2ª parte)‏
  17. 23. África antes da Conferência de Berlim, 1885
  18. 24. A partilha da África Os europeus já exploravam algumas regiões do litoral Africano desde o século XVI, por causa do comércio de escravos. Mas os europeus não conheciam totalmente a África. Houve muitas expedições com a finalidade de conhecer mais a África. Muitos aventureiros, botânicos, biólogos foram para lá estudar e conhecer a região.
  19. 25. Foi a partir de 1870 que começou a disputa imperialista. Em 1885 foi realizada uma Conferência Internacional em Berlim, onde se estabeleceu a partilha da África para que não houvesse conflitos. A Conferência ocorreu de 1885 até 1887. Os países que já tinham domínio sobre algumas regiões expandiram seus territórios. Houve algumas resistências internas contra a modernização ocidental: A guerra dos Bôeres Os britânicos queriam ocupar as regiões de Transvaal e Rodésia, por causa das jazidas de ouro e diamantes, mas tiveram que enfrentar a resistência dos bôeres. A disputa durou de 1899 até 1902, com a vitória dos britânicos.
  20. 26. A partilha da África <ul><li>Conferência de Berlim (1885-1887)‏ </li></ul><ul><ul><li>Não levou os interesses africanos em conta </li></ul></ul><ul><ul><li>Fronteiras artificiais </li></ul></ul><ul><ul><li>90 % do território ocupado </li></ul></ul><ul><ul><li>Introdução do capitalismo e do cristianismo </li></ul></ul><ul><ul><li>Fim do modo de vida tradicional das populações africanas </li></ul></ul>

×