Palestra sobre Meditação

951 visualizações

Publicada em

A palavra “meditação” vem do latim “meditare” e significa “voltar-se para o centro” ou “estar no centro”.

É comumente utilizada para traduzir o termo sânscrito “dhyana” – a prática de contemplação do Yoga Clássico.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
951
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
145
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra sobre Meditação

  1. 1. 1  
  2. 2. O  QUE  É  MEDITAÇÃO   •  A  palavra  “meditação”  vem  do  latim  “meditare”  e  signi5ica   “voltar-­‐se  para  o  centro”  ou  “estar  no  centro”.     •  É  comumente  utilizada  para  traduzir  o  termo  sânscrito   “dhyana”  –  a  prática  de  contemplação  do  Yoga  Clássico.     •  Na  China    “dhyana”  tornou-­‐se  “ch'anna”  e,  mais  tarde,  “ch'an”   –  termo  utilizado  para  nomear  a  prática  de  “sentar  em   silêncio”  ou  “sentar  na  quietude”  dos  monges  budistas  e   taoístas.     •  No  Japão  “ch'an”  tornou-­‐se  “zen”  e  a  prática  de  sentar  para   meditar  é  denominada  “zazen”.    
  3. 3. ü  Um  método  para  esvaziar  a  mente  e  buscar  a  sabedoria  interior;   ü  Um  estado  no  qual  a  mente  se  concentra  num  único  objeto;   ü  Um  estado  de  relaxamento  que  alivia  o  estresse  e  que  é  bené5ico   para  a  saúde  5ísica  e  psíquica;   ü  Um  estado  alterado  de  consciência  no  qual  são  experienciadas   realidades  espirituais  mais  elevadas;       ü  Um  estado  de  atenção  plena  que  possibilita  manter  a  mente   naturalmente  focada  e  consciente,  experienciando  tudo  que  está   acontecendo  no  momento  presente.   Nossa  proposta  está  em  consonância  com  essa  úl>ma  definição!     DEFINIÇÕES  DE  MEDITAÇÃO   3  
  4. 4. PARA  QUE  MEDITAR?   ²  A  5inalidade  da  meditação  é  nos  libertar  do  hábito  da  desatenção,   ou  seja,  da  tendência  de  estarmos  desconectados  do  corpo,  dos   sentimentos  e  das  verdadeiras  motivações  dos  nossos  atos.     ²  Desse  ponto  de  vista  meditar  não  representa  a  aquisição  de  algo   novo,  mas  um  processo  de  descondicionamento,  uma  forma  de   corrigir  a  tendência  da  mente  de  5icar  “vagueando”  (mente  de   macaco).     ²  Ao  invés  de  lutar  para  atingir  um  “estado  particular”,  permitimos   que  as  atividades  do  corpo  e  da  mente  sigam  seu  5luxo  natural   enquanto  5icamos  progressivamente  mais  conscientes  de  nossas   experiências  internas.     4  
  5. 5. EFEITOS  DA  MEDITAÇÃO   •  O  efeito  imediato  de  uma  prática  de  meditação  bem  feita  é  uma   sensação  de  profundo  descanso,  semelhante  a  uma  boa  noite  de   sono.     •  Devido  ao  fato  de  5icarmos  mais  conscientes  e  centrados  após  uma   meditação,  outro  grande  bene5ício  é  uma  melhora  signi5icativa  da   nossa  performance  5ísica  e  mental.   •  Meditar  permite  que  corpo  e  a  mente  a  experimentem  um  estado   de  coerência  e  tranquilidade  que  promove  o  auto-­‐crescimento  em   vários  níveis  (pessoal,  moral,  social  e  espiritual).   •  Para  os  taoístas  “sentar  na  quietude”  é  uma  prática  para  a  saúde    e   longevidade,  uma  forma  de  o  praticante  se  manter  no  Caminho   (TAO)  e  alcançar  a  “imortalidade”.   5  
  6. 6. EVIDÊNCIAS  CIENTÍFICAS     DOS  EFEITOS  DA  MEDITAÇÃO   Segundo estudos científicos a prática regular da meditação: ü  equilibra  o  funcionamento  do  sistema  nervoso  autônomo  (simpá;co  e   parassimpá;co),  reduzindo  a  ansiedade  e  regulando  o  humor;   ü  diminui  os  índices  de  cor;sol  (hormônio  relacionado  ao  estresse)  e   fortalece  o  sistema  imunológico;     ü  ajuda  a  melhorar  diversos  problemas  clínicos,  como  asma,  diabetes,   doenças  cardiovasculares,  tensão  pré-­‐menstrual  e  dores  crônicas;   ü  reduz  diversos  sintomas  psicológicos,  como  insônia,  fobias  e  distúrbios   alimentares;   ü  reduz  o  desgaste  cor;cal  resultante  do  envelhecimento  e  aumenta  a   massa  cinzenta  na  região  pré-­‐frontal  do  cérebro.   6  
  7. 7. ²  Na  primeira  damos  atenção  a  alguns  princípios  básicos  como   disposição  interna,  ambiente,  atitude  mental,  postura  5ísica  e   respiração  adequadas.     ²  Na  segunda  treinamos  a  concentração,  direcionando  a  consciência   para  certos  pontos  ou  regiões  chave  do  corpo,  uma  prática  taoísta   denominada  “ativação  da  órbita  microcósmica”.     ²  A  terceira  baseia-­‐se  na  prática  de  budista  de  meditação   denominada  mindfulness  meditation  (meditação  de  atenção  plena).     APRENDENDO  A  MEDITAR   A  meditação  que  iremos  pra>car  compõe-­‐se  de  três  etapas:   7  
  8. 8. PRIMEIRA  ETAPA:     PRINCÍPIOS  BÁSICOS   ü  Adote  uma  atitude  interna  adequada  que  consiste  em  integrar   decisão,  disciplina  e  contentamento:  decisão  de  se  manter  atento,   disciplina  para  tornar  essa  atenção  um  hábito  e  a  alegria  de  estar   realizando  algo  por  você  (para  seu  autocrescimento).     ü  Escolha  um  ambiente  propício,  onde  você  possa  praticar  sem  ser   interrompido.  Assuma  uma  postura  5ísica  confortável,  mantendo  a   coluna  ereta,  o  corpo  e  a  mente  relaxados.  A  postura  mais  usual  é   sentado,  mas  você  pode  meditar  em  várias  posições  (deitado,   recostado,  em  pé  e  até  mesmo  andando).     ü  Distancie-­‐se  dos  ruídos  externos,  das  preocupações  e  problemas,   (deixando  para  se  ocupar  com  eles  somente  depois  da  prática)  e   conecte-­‐se  com  seu  corpo  e  sua  respiração   8  
  9. 9. 9   CONECTANDO  COM  A  RESPIRAÇÃO:     Após sentar-se numa posição confortável, prepare-se para iniciar a prática abstraindo dos sentidos externos e conectando-se com a respiração. Respire o mais naturalmente possível, direcionando sua atenção para os movimentos do abdome, do diafragma e do tórax. Comece apenas acompanhando o fluir da respiração e, depois de algum tempo, passe a induzir um ritmo regular contando mentalmente: 1 - 2 - 3 .... na inspiração, 1 - 2 - 3 .... na expiração.
  10. 10. ²  Existem  inúmeros  métodos  de  meditação  que  se  baseiam  na   concentração  prolongada  em  um  único  objeto.  A  principal   diferença  entre  eles  é  a  escolha  do  objeto  no  qual  a  atenção   deve  5icar  focada  (um  símbolo,  um  mantra,  a  respiração,   etc.).     ²  O  método  que  utilizamos  é  baseado  na  tradição  taoísta,  onde   a  atenção  é  direcionada  para  o  próprio  corpo.  Concentramo-­‐ nos  alternadamente  em  determinados  pontos  ou  regiões   corporais  (plexos  nervosos),  seguindo  um  circuito   denominado  de  “órbita  microcósmica”.     SEGUNDA  ETAPA:     A  CONCENTRAÇÃO     10  
  11. 11. ²  O  primeiro  é  denominado    “canal  funcional”  ou  “vaso  da   concepção”.  Começa  no  centro  do  abdome  (Dan  Tian),  desce  até  o   períneo  e  sobe  pela  linha  média  anterior,  passando  pelos  genitais,   órgãos  digestivos,  coração,  garganta  e  chegando  à  base  da  língua.     ²  O  segundo  é  chamado  de  “canal  regencial”  ou  “vaso  governador”.   Começa  no  Dan  Tian,  desce  até  o  períneo  e  direciona-­‐se  para  o   cóccix,  de  onde  ascende  pela  coluna  vertebral  até  a  base  do  crânio.   Nesse  ponto,  penetra  no  cérebro,  subindo  até  ápice  da  cabeça  e   desce,  acompanhando  a  linha  mediana,  em  direção  ao  céu  da  boca.     A  ÓRBITA  MICROCÓSMICA     Os  an>gos  mestres  taoístas  descrevem  dois  canais  centrais  (meridianos)   por  onde  flui  uma  corrente  de  energia  especialmente  forte.:   11  
  12. 12. Canal Funcional Canal Regencial
  13. 13. TOCAR  A  LÍNGUA  NO  CÉU  DA  BOCA   •  Os  dois  canais  centrais  formam  um  circuito  único  por  onde  5lui   uma  quintessência  energética  denominada  na  medicina  chinesa   de  “Yuan  Qi”  (energia  original).     •  Quando  essa  energia  5lui  livremente  pelos  canais  centrais,  os   mestres  chineses  dizem  que  o  “pequeno  círculo  sagrado”  ou  a   “órbita  microcósmica”  está  completada.     •  A  língua  é  como  um  interruptor  que  liga  os  dois  canais.  Quando   toca  o  céu  da  boca,  atrás  dos  dentes  frontais,  ela  fecha  um  circuito   que  acelera  o  5luxo  da  energia  pela  órbita  microcósmica   produzindo  profundos  efeitos  na  consciência  do  praticante.   13  
  14. 14. A  ÓRBITA  MICROCÓSMICA  
  15. 15. PLEXOS  E  ÁREAS  NEURAIS   Córtex     frontal   Plexo   cardíaco   Plexo   celíaco   Umbigo   Plexo   hipogástrico   Plexo   sacral   Plexo   lombar   Plexo   braquial   Tronco   encefálico  
  16. 16. VG24  –  Shen  Ting     Pá;o  do  espírito   VC17  –  Shang  Zhong     Palácio  do  coração   VC14  –  Ju  Que     Grande  portão   VC8  –  Shen  Que     Portão  do  espírito   VC4  –  Guan  Yuan     Morada  da  energia  original   VG2  –  Yao  Shu     Morada  dos  oito  santos   VG4  –  Ming  Men     Porta  da  vida   VG13  –  Tao  Dao     Caminho  da  felicidade   VG17  –  Nao  Hu     Porta  do  cérebro   PONTOS  DE  ACUPUNTURA     E  SEUS  SIGNIFICADOS  
  17. 17. A  SEQUÊNCIA  DOS  TRIGRAMAS  
  18. 18. APLICANDO  CORES  SOBRE    A  ÓRBITA  MICROCÓSMICA  
  19. 19. IMPRIMINDO  PALAVRAS  E  IDÉIAS     SOBRE  OS  PLEXOS  E  AS  CORES   Consciência  desperta,     cria;vidade,  atenção  plena   Vontade  em  ação,     alegria  nas  realizações   Vitalidade,  clareza,   proteção     Despertar  da  consciência,     transmutar,  ascender   Força,  potencialidade,     fer;lidade,  pureza,   Retorno  à  origem   Confiança  no  processo  da  vida,     equanimidade,  autoconfiança   Amor  fluindo  nos   relacionamentos   Paz  profunda,     serenidade  penetrante  
  20. 20. 20  
  21. 21. ²  Nessa  fase  recolhemos  a  atenção  na  região  do  umbigo  e,  usando  a   respiração  como  âncora,  permanecemos  atentos  a  qualquer  coisa  que   estiver  passando  pela  mente.   ²  Pensamentos,  sentimentos,  imagens,  sensações,  lembranças,  desejos  e   planos  –  todos  chegam  e  vão  embora,  enquanto  nos  mantemos   conscientes  e  centrados.  Deixamos  que  todas  as  impressões  mentais  se   manifestem  sem  nos  prendermos  a  elas,  sem  lutar  contra  elas  e  sem  nos   apegar  a  elas.     ²  Simplesmente  continuamos  relaxando  e  acompanhando  a  respiração,  até   o  momento  em  que  decidirmos  5inalizar  o  processo  e  retornar  desse   estado  de  contemplação,  trazendo  para  a  vida  e  os  relacionamentos  a  paz   e  a  serenidade  alcançada.   TERCEIRA  ETAPA:     ATENÇÃO  PLENA   21  
  22. 22. 22  
  23. 23. 23  

×