SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Massagem Desportiva
Definição: A massagem Terapêutica específica para atletas,
normalmente denominada Massagem Desportiva, define-se como uma
forma criteriosa e intuitiva de aplicação de massagem, movimento e
alongamento para indivíduos fisicamente activos.




                          Hugo Pedrosa 2009
Massagem Desportiva
Que variáveis para diferenciarmos a massagem a
efectuar a cada indivíduo?
1 - Condições físicas
2 - Momento de aplicação
3 - Modalidade
4 - Estado do tecido
5 - História médica do indivíduo
6 – Áreas comuns de tensão
7 - O calendário de treinos e competições




                           Hugo Pedrosa 2009
Massagem Desportiva
CATEGORIAS DE MASSAGEM DESPORTIVA
Alguns artigos dividem a M.D em 5 aplicações:

1 - Recuperação,
2 - Tratamento,
3 - Reabilitação,
4 - Manutenção
5 - Evento.

Contudo, as diferenças entre tratamento, reabilitação e recuperação
são reduzidas e podem não ser tão úteis para o terapeuta como uma
divisão mais simples:

1 – Massagem de Evento
2 – Massagem de Manutenção
3 – Massagem de Tratamento
                              Hugo Pedrosa 2009
Massagem Desportiva
1 - MASSAGEM DE EVENTO

 a - Pré-evento
 b - Inter-evento (entre provas/competições/jogos)
 c - Pós-evento

 Palavras chave:

 Ritmo
 Duração
 Preparação para o esforço
 Recuperação do esforço
 Grandes grupos musculares




                         Hugo Pedrosa 2009
Massagem Desportiva
2 - MASSAGEM DE MANUTENÇÃO


 Palavras chave:

 Ambiente clinico
 Minimizar efeitos do exercício
 Manutenção performance
 Flexibilidade e tónus muscular
 Preventiva
 Conjugação de manobras: MD, MF e NM




                      Hugo Pedrosa 2009
Massagem Desportiva
3 - MASSAGEM DE TRATAMENTO


  Palavras chave:

  Lesão aguda
  Tendinite de sobrecarga
  Diminuição da performance
  Circunscrita à lesão


Objectivo: assegurar um correcto processo evolutivo (fisiológico) da
lesão ajudando a encurtar o mesmo (com respectivo retorno mais breve
à actividade).


                        Hugo Pedrosa 2009
Massagem Desportiva
3 - MASSAGEM DE TRATAMENTO
Esta abordagem é desenhada especificamente de acordo com o
tipo de lesão, etapa de lesão, severidade da lesão e as outras
modalidades a utilizar pelo terapeuta. Todas as técnicas base de:
a) massagem desportiva,
b) miofascial
c) neuromuscular

…são usadas neste processo e as:

d) técnicas da facilitação linfática são adicionadas.

Esta junção da abordagem linfática para os protocolos correntes,
oferece aos técnicos um novo, único e simples método de aceder
ao edema traumático com segura base de investigação.

                          Hugo Pedrosa 2009
Massagem Desportiva
Grandes objectivos
Atletas prepararem-se para...
... recuperarem de...

Cargas impostas pelo exercício


OBJECTIVO PRINCIPAL DA MASSAGEM DE EVENTO

- Cria condições internas óptimas para a
  preparação e recuperação de estruturas
  sobrecarregadas.




                          Hugo Pedrosa 2009
Massagem Desportiva
OBJECTIVOS DA MASSAGEM DE PRÉ-EVENTO

- Actualmente, a performance de um atleta é um conjunto de variáveis onde a
massagem desempenha um papel importante.

- Possui a mesma intenção que o aquecimento, no entanto, não o substitui já
que não mobiliza tecido suficiente para criar alterações circulatórias e de
temperatura necessárias para as necessidades do atleta.




                          Hugo Pedrosa 2009
Massagem em eventos desportivos
 Os objectivos incluem:

 1 - “Amolecer” e libertar a fáscia e outras estruturas de tecido conjuntivo

  2 - Diminuir a tensão muscular generalizada

 3 - Aumentar a resposta de hipermia nos músculos a serem utilizados na
 actividade
 4 - Providenciar mais sentido cinestésico que ajuda a criar uma atitude positiva
 (os atletas sentem os músculos mais relaxados o que significa potencialmente
 mais confiança e menor risco de lesão).




                              Hugo Pedrosa 2009
Massagem em eventos desportivos
 Os efeitos estruturais da massagem (redução da tensão/tónus muscular e a
 libertação da componente fascial/tendinosa) contribuem para o potencial de
 performance de duas formas:


 1 – Melhorias significativas na amplitude de movimento/potência;

 2 – Benefícios inerentes à sensação de o atleta se sentir relaxado/”liberto”;




                             Hugo Pedrosa 2009
Massagem em eventos desportivos
 OBJECTIVOS DA MASSAGEM DE INTER-EVENTO
 *Tal como a categoria anterior, não pode tomar o lugar do aquecimento


 1 - O objectivo primário é identificar e aceder a quaisquer áreas de tensão
 excessiva que se desenvolvem durante o exercício;

 2 - Os atletas podem “encaminhar” as mãos do técnico para um ponto de dor;

 Se estamos perante duas a três provas no mesmo dia, os objectivos passam
 também por:

 1 - Melhorar o movimento linfático o que pode melhorar a velocidade de
 Recuperação;

 2 - Tal como na massagem de pré-evento o técnico deve evitar sedar o atleta;

                                   Hugo Pedrosa 2009
Massagem em eventos desportivos
OBJECTIVOS DA MASSAGEM DE PÓS-EVENTO

 Esta categoria assiste o organismo em determinados processos fisiológicos:

 1 - Aumento do metabolismo para recolocar o déficit de O2
 2 - Reciclagem de sub-produtos metabólitos)
 3 – redução da tensão muscular generalizada
 4 – Facilitação da circulação linfática
 5 - Remoção de edema
 6 – Devolver flexibilidade ao tecido muscular e conjuntivo.

Os objectivos incluem:

a) Ajudar os músculos a alcançar índices normais de tónus e alongamento;
b) Ajudar no retorno venoso para potenciar a recuperação metabólica;
c) Desactivar pontos-gatilho que se podem ter desenvolvido;
d) Reduzir o risco de rigidez muscular tardia;
                             Hugo Pedrosa 2009
Momento, ritmo e duração da massagem de evento

 Massagem de pré-evento

 - Deve realizada a menos de 1 hora do início da prova/jogo;

  - Podem ser feitas algumas manobras a alguns músculos específicos,
   seguindo-se o aquecimento e depois a rotina normal de massagem;

 - Deve terminar pelo menos 10 minutos antes do início da prova/jogo;

 - Duração – 10 a 15 minutos nunca excedendo os 20 minutos;

 - O ritmo é mais rápido (quer para ocupar correctamente o tempo
   disponível quer para evitar a sedar);

 - Atletas muito ansiosos podem necessitar de uma abordagem mais
   lenta;


                         Hugo Pedrosa 2009
Momento, ritmo e duração da massagem de evento

 Massagem de inter-evento

  - O momento de aplicação é óbvio;

  - A massagem complementa a rotina regular entre eventos;

  - Desenhada para aceder apenas a alguns músculos/áreas corporais;

  - Cadência um pouco mais lenta;

  - Duração / 5 a 10 minutos nunca excedendo os 15;




                        Hugo Pedrosa 2009
Momento, ritmo e duração da massagem de evento

 Massagem de pós-evento

  - Não possui rigidez de duração;

  - Será mais proveitosa para o atleta se for realizada cerca de 2h
    após o final da prova;
  - Coadjuvante do processo de arrefecimento (administrada após o final
    dessa rotina específica);

  - Massagem continua a ser curta e dirigida a grandes grupos musculares
    (até porque o técnico pode ter de trabalhar sobre diversos atletas);

  - Cadência mais lenta (aprofundando a pressão de forma progressiva);

  - Investigação demonstra a importância do timing de aplicação para evitar
    a rigidez muscular tardia (aparentemente quebra um dos primeiros passos
    do processo de inflamação – acumulação de neutrófilos);

                         Hugo Pedrosa 2009
Massagem de manutenção
Entende-se que a massagem de manutenção minimiza os efeitos
negativos do movimento repetido através da identificação e tratamento
de áreas tensas ou com restrições.

Objectivo principal – Manter o atleta no pico de performance

Comparação entre a massagem de evento e de manutenção



Anatomicamente mais dirigida



Para origens, inserções, tendões, ligamentos, ligações miotendinosas e
estruturas miofasciais.


                            Hugo Pedrosa 2009
Massagem de manutenção
a) Combina as técnicas base de massagem desportiva com técnicas
miofasciais e neuromusculares;

b) Duração (30 a 90 minutos);

c) A frequência da massagem de manutenção pode relacionar-se,
com o facto de alguns atletas/modalidades terem regularmente
fisiopatologias crónicas associadas ao esforço desenvolvido;




                         Hugo Pedrosa 2009
Massagem de manutenção
Objectivos e benefícios da massagem de manutenção

a) Não podemos assegurar que esta rotina previna totalmente lesões;


b) A lesão aguda é variável, imprevisível e na maior parte das vezes
impossível de prevenir;

c) No entanto, aplicamos o maior número de medidas preventivas com o
objectivo de baixar a probabilidade de acontecer um episódio agudo;

d) Actua-se em grande parte sobre regiões onde as lesões crónicas se
instalam. Não esquecer alguns factores preventivos associados ao desporto;




                             Hugo Pedrosa 2009
Massagem de manutenção
Nota: Importante lembrar que ao invés de efeitos/alterações imediatas nos
tecidos, a Massagem Desportiva provoca nos atletas um efeito gradual
e cumulativo e esta mensagem é importante passar .


Principais objectivos:

1 - Reduzir hipertonicidade/espasmo muscular;


 2 - Alongar e libertar tecido conjuntivo nas áreas de stress comum;


 3 - Potenciar flexibilidade em geral e a amplitude de movimento;

 4 - Diminuir o impacto da rigidez muscular pós-exercício e as pequenas
 rupturas estruturais associadas a esforços de grande intensidade;

                           Hugo Pedrosa 2009
Massagem de manutenção
Notas importantes:
- Conhecer métodos de treino (geral), técnicas específicas/gestos
técnicos, calendários e biomecânica dos desportos com os quais
trabalhamos;
- Sugestão de calendarização… normalmente as modalidades variam
entre dias de treino intenso com dias de treino de menor intensidade;

 - Deveremos preferir dias com treino de menor intensidade
  - … principalmente porque, como já foi referido, a massagem ajuda no
  processo de recuperação
 - Um atleta que treina 5 dias por semana e compete regularmente
 deverá receber uma sessão por semana (corpo inteiro)
  - Em semanas de trabalho intenso é benéfico que os atletas recebam
  3 sessões semanais de 30 minutos em vez de sessões gerais de corpo
  inteiro
                          Hugo Pedrosa 2009
Massagem de manutenção
 Não esquecer…

 Etapas a respeitar:

 1 – Perceber se o desporto é predominantemente SUPERIOR
 ou INFERIOR no que diz respeito à especificidade dos gestos
 técnicos;

 2 – Estimularmos em primeiro lugar os principais elementos
 miofasciais da região;
 ;
 3 – De seguida iniciar trabalho sobre grupos musculares principais
 que estão regularmente em sobrecarga;
 4 – Não esquecer que temos de trabalhar as regiões miotendinosas,
 “estações” fasciais com respectivas linhas e finalmente a relação
 por vezes problemática entre os epimísios dos principais ventres
 musculares;
                       Hugo Pedrosa 2009

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Massagens
MassagensMassagens
Massagens
 
Massagens corporal
Massagens corporalMassagens corporal
Massagens corporal
 
(Massagem clasica)
(Massagem clasica)(Massagem clasica)
(Massagem clasica)
 
Apresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras QuentesApresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras Quentes
 
Shiatsu I
Shiatsu IShiatsu I
Shiatsu I
 
A importância do toque
A importância do toque A importância do toque
A importância do toque
 
Ventosaterapia
VentosaterapiaVentosaterapia
Ventosaterapia
 
Massagem miofascial
Massagem miofascialMassagem miofascial
Massagem miofascial
 
História da massagem thiago nishida
História da massagem   thiago nishidaHistória da massagem   thiago nishida
História da massagem thiago nishida
 
Quick massage
Quick massageQuick massage
Quick massage
 
Reflexogia podal podologia
Reflexogia podal    podologiaReflexogia podal    podologia
Reflexogia podal podologia
 
Hidroterapia introdução - aula 1
Hidroterapia   introdução - aula 1Hidroterapia   introdução - aula 1
Hidroterapia introdução - aula 1
 
Massagem relaxante
Massagem relaxanteMassagem relaxante
Massagem relaxante
 
62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia
 
Hidroterapia
Hidroterapia Hidroterapia
Hidroterapia
 
Perguntas e Respostas sobre Massagens
Perguntas e Respostas sobre MassagensPerguntas e Respostas sobre Massagens
Perguntas e Respostas sobre Massagens
 
52759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-1
52759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-152759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-1
52759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-1
 
Massagem para Alívio da Dor
Massagem para Alívio da DorMassagem para Alívio da Dor
Massagem para Alívio da Dor
 
Portfolio Massagem Cadeira
Portfolio Massagem CadeiraPortfolio Massagem Cadeira
Portfolio Massagem Cadeira
 
Manual de massagem.
Manual de massagem.Manual de massagem.
Manual de massagem.
 

Destaque

Definicao Massagem Terapeutica
Definicao Massagem TerapeuticaDefinicao Massagem Terapeutica
Definicao Massagem TerapeuticaMassagem Pro
 
Palpacao - Importancia da avaliacao dos tecidos na massagem
Palpacao - Importancia da avaliacao dos tecidos na massagemPalpacao - Importancia da avaliacao dos tecidos na massagem
Palpacao - Importancia da avaliacao dos tecidos na massagemHugo Pedrosa
 
Recursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducaoRecursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducaoNay Ribeiro
 
Manual de massagem terapêutica
Manual de massagem terapêuticaManual de massagem terapêutica
Manual de massagem terapêuticaSGC
 
Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.Cleusa Kochhann
 
A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1wellizyf
 
Apostila de zen shiatsu
Apostila de zen shiatsuApostila de zen shiatsu
Apostila de zen shiatsuEli Júnior
 
Fascias e pompages impressao
Fascias e pompages impressaoFascias e pompages impressao
Fascias e pompages impressaopamellabartolomeu
 
Como fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteComo fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteRosiane Bezerra
 
Portfolio Formacao Massagem Tailandesa
Portfolio Formacao Massagem TailandesaPortfolio Formacao Massagem Tailandesa
Portfolio Formacao Massagem TailandesaHugo Pedrosa
 
Portfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
Portfolio Mecanica Corporal do MassoterapeutaPortfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
Portfolio Mecanica Corporal do MassoterapeutaHugo Pedrosa
 
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.ppsSlide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.ppsClaudionor Delgado
 
Reflexologia Podal
Reflexologia PodalReflexologia Podal
Reflexologia PodalHugo Pedrosa
 
Os efeitos psicológicos da massoterapia
Os efeitos psicológicos da massoterapiaOs efeitos psicológicos da massoterapia
Os efeitos psicológicos da massoterapiaMah HS
 

Destaque (20)

Definicao Massagem Terapeutica
Definicao Massagem TerapeuticaDefinicao Massagem Terapeutica
Definicao Massagem Terapeutica
 
Palpacao - Importancia da avaliacao dos tecidos na massagem
Palpacao - Importancia da avaliacao dos tecidos na massagemPalpacao - Importancia da avaliacao dos tecidos na massagem
Palpacao - Importancia da avaliacao dos tecidos na massagem
 
CONTRATURAS
CONTRATURASCONTRATURAS
CONTRATURAS
 
Recursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducaoRecursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducao
 
Manual de massagem terapêutica
Manual de massagem terapêuticaManual de massagem terapêutica
Manual de massagem terapêutica
 
Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.
 
Manual.de.massagem.livro
Manual.de.massagem.livroManual.de.massagem.livro
Manual.de.massagem.livro
 
A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1
 
Apostila de zen shiatsu
Apostila de zen shiatsuApostila de zen shiatsu
Apostila de zen shiatsu
 
Curso de especialização em massagem desportiva
Curso de especialização em massagem desportivaCurso de especialização em massagem desportiva
Curso de especialização em massagem desportiva
 
Fascias e pompages impressao
Fascias e pompages impressaoFascias e pompages impressao
Fascias e pompages impressao
 
Como fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteComo fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxante
 
Técnicas de Osteopatia para el Tratamiento Miofascial
Técnicas de Osteopatia para el Tratamiento MiofascialTécnicas de Osteopatia para el Tratamiento Miofascial
Técnicas de Osteopatia para el Tratamiento Miofascial
 
Mobilização Articular da Coluna Torácica - RTM
Mobilização Articular da Coluna Torácica - RTMMobilização Articular da Coluna Torácica - RTM
Mobilização Articular da Coluna Torácica - RTM
 
Portfolio Formacao Massagem Tailandesa
Portfolio Formacao Massagem TailandesaPortfolio Formacao Massagem Tailandesa
Portfolio Formacao Massagem Tailandesa
 
Portfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
Portfolio Mecanica Corporal do MassoterapeutaPortfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
Portfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
 
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.ppsSlide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
 
Reflexologia Podal
Reflexologia PodalReflexologia Podal
Reflexologia Podal
 
Os efeitos psicológicos da massoterapia
Os efeitos psicológicos da massoterapiaOs efeitos psicológicos da massoterapia
Os efeitos psicológicos da massoterapia
 
Massagem para gestante e shantala
Massagem para gestante e shantalaMassagem para gestante e shantala
Massagem para gestante e shantala
 

Semelhante a Massagem Desportiva

248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladoraEliseu Correa
 
A importância do alongamento em atividades físicas
A importância do alongamento em atividades físicasA importância do alongamento em atividades físicas
A importância do alongamento em atividades físicasAlexandra Nurhan
 
SLIDE - VD2 Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdf
SLIDE - VD2  Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdfSLIDE - VD2  Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdf
SLIDE - VD2 Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdfRenataNogueira70
 
Projeto ginástico laboral (nadieli) (2)
Projeto ginástico laboral (nadieli) (2)Projeto ginástico laboral (nadieli) (2)
Projeto ginástico laboral (nadieli) (2)herafanu
 
2º ano prova bimestral 4º bim.
2º ano prova bimestral 4º bim.2º ano prova bimestral 4º bim.
2º ano prova bimestral 4º bim.Tony
 
Promoção da saude
Promoção da saudePromoção da saude
Promoção da saudeCatalin Danu
 
Portfolio Massagem Tecidos Profundos
Portfolio Massagem Tecidos ProfundosPortfolio Massagem Tecidos Profundos
Portfolio Massagem Tecidos ProfundosHugo Pedrosa
 
Guia CrossFit Seguro
Guia CrossFit Seguro Guia CrossFit Seguro
Guia CrossFit Seguro GrupoIPub1
 
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptxPalestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptxLinda Moreira
 
Resistência muscular localizada rml
Resistência muscular localizada   rmlResistência muscular localizada   rml
Resistência muscular localizada rmlpagodes
 

Semelhante a Massagem Desportiva (20)

ginástica laboral
ginástica laboralginástica laboral
ginástica laboral
 
Documento
DocumentoDocumento
Documento
 
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
 
Fadiga | Recuperação
Fadiga | RecuperaçãoFadiga | Recuperação
Fadiga | Recuperação
 
A importância do alongamento em atividades físicas
A importância do alongamento em atividades físicasA importância do alongamento em atividades físicas
A importância do alongamento em atividades físicas
 
SLIDE - VD2 Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdf
SLIDE - VD2  Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdfSLIDE - VD2  Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdf
SLIDE - VD2 Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdf
 
Projeto ginástico laboral (nadieli) (2)
Projeto ginástico laboral (nadieli) (2)Projeto ginástico laboral (nadieli) (2)
Projeto ginástico laboral (nadieli) (2)
 
2º ano prova bimestral 4º bim.
2º ano prova bimestral 4º bim.2º ano prova bimestral 4º bim.
2º ano prova bimestral 4º bim.
 
Massagem triatleta
Massagem triatletaMassagem triatleta
Massagem triatleta
 
Promoção da saude
Promoção da saudePromoção da saude
Promoção da saude
 
Ginástica laboral
Ginástica laboralGinástica laboral
Ginástica laboral
 
Cuidador de idoso_19
Cuidador de idoso_19Cuidador de idoso_19
Cuidador de idoso_19
 
Portfolio Massagem Tecidos Profundos
Portfolio Massagem Tecidos ProfundosPortfolio Massagem Tecidos Profundos
Portfolio Massagem Tecidos Profundos
 
Lesoes
LesoesLesoes
Lesoes
 
Lesoes
LesoesLesoes
Lesoes
 
Guia CrossFit Seguro
Guia CrossFit Seguro Guia CrossFit Seguro
Guia CrossFit Seguro
 
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptxPalestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
 
Atividade Fisica na Atencao Primaria
Atividade Fisica na Atencao PrimariaAtividade Fisica na Atencao Primaria
Atividade Fisica na Atencao Primaria
 
Resistência muscular localizada rml
Resistência muscular localizada   rmlResistência muscular localizada   rml
Resistência muscular localizada rml
 
Cuidador de idoso_21
Cuidador de idoso_21Cuidador de idoso_21
Cuidador de idoso_21
 

Mais de Hugo Pedrosa

Apresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de ReflexologiaApresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de ReflexologiaHugo Pedrosa
 
Biblioteca 5 guia de patologias para massoterapeutas
Biblioteca 5   guia de patologias para massoterapeutasBiblioteca 5   guia de patologias para massoterapeutas
Biblioteca 5 guia de patologias para massoterapeutasHugo Pedrosa
 
Biblioteca 4 - Massoterapia Clínica
Biblioteca 4 - Massoterapia ClínicaBiblioteca 4 - Massoterapia Clínica
Biblioteca 4 - Massoterapia ClínicaHugo Pedrosa
 
Efeitos da Massagem
Efeitos da MassagemEfeitos da Massagem
Efeitos da MassagemHugo Pedrosa
 
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De AnatomiaBiblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De AnatomiaHugo Pedrosa
 
Biblioteca 2 - Stretching Anatomy
Biblioteca 2 - Stretching AnatomyBiblioteca 2 - Stretching Anatomy
Biblioteca 2 - Stretching AnatomyHugo Pedrosa
 
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares ModernasBiblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares ModernasHugo Pedrosa
 
Expectativas Formador
Expectativas FormadorExpectativas Formador
Expectativas FormadorHugo Pedrosa
 
Ligaduras Funcionais
Ligaduras FuncionaisLigaduras Funcionais
Ligaduras FuncionaisHugo Pedrosa
 
Miologia posterior do tronco
Miologia posterior do troncoMiologia posterior do tronco
Miologia posterior do troncoHugo Pedrosa
 
Fisiologia Muscular
Fisiologia MuscularFisiologia Muscular
Fisiologia MuscularHugo Pedrosa
 
CV tradicional versus Portfólio fotografico
CV tradicional versus Portfólio fotograficoCV tradicional versus Portfólio fotografico
CV tradicional versus Portfólio fotograficoHugo Pedrosa
 
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos ProfundosExcerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos ProfundosHugo Pedrosa
 
Excerto do manual de Massagem Terapêutica
Excerto do manual de Massagem TerapêuticaExcerto do manual de Massagem Terapêutica
Excerto do manual de Massagem TerapêuticaHugo Pedrosa
 
Curso de Massagem Geotermal
Curso de Massagem GeotermalCurso de Massagem Geotermal
Curso de Massagem GeotermalHugo Pedrosa
 

Mais de Hugo Pedrosa (20)

Bibliografia 1
Bibliografia 1Bibliografia 1
Bibliografia 1
 
Apresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de ReflexologiaApresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de Reflexologia
 
Biblioteca 5 guia de patologias para massoterapeutas
Biblioteca 5   guia de patologias para massoterapeutasBiblioteca 5   guia de patologias para massoterapeutas
Biblioteca 5 guia de patologias para massoterapeutas
 
Biblioteca 4 - Massoterapia Clínica
Biblioteca 4 - Massoterapia ClínicaBiblioteca 4 - Massoterapia Clínica
Biblioteca 4 - Massoterapia Clínica
 
Efeitos da Massagem
Efeitos da MassagemEfeitos da Massagem
Efeitos da Massagem
 
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De AnatomiaBiblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
 
Biblioteca 2 - Stretching Anatomy
Biblioteca 2 - Stretching AnatomyBiblioteca 2 - Stretching Anatomy
Biblioteca 2 - Stretching Anatomy
 
Apresentações
ApresentaçõesApresentações
Apresentações
 
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares ModernasBiblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
 
Expectativas Formador
Expectativas FormadorExpectativas Formador
Expectativas Formador
 
Ligaduras Funcionais
Ligaduras FuncionaisLigaduras Funcionais
Ligaduras Funcionais
 
Miologia posterior do tronco
Miologia posterior do troncoMiologia posterior do tronco
Miologia posterior do tronco
 
Manual Thera Cane
Manual Thera CaneManual Thera Cane
Manual Thera Cane
 
Anamnese
AnamneseAnamnese
Anamnese
 
Fisiologia Muscular
Fisiologia MuscularFisiologia Muscular
Fisiologia Muscular
 
CV tradicional versus Portfólio fotografico
CV tradicional versus Portfólio fotograficoCV tradicional versus Portfólio fotografico
CV tradicional versus Portfólio fotografico
 
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos ProfundosExcerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
 
Excerto do manual de Massagem Terapêutica
Excerto do manual de Massagem TerapêuticaExcerto do manual de Massagem Terapêutica
Excerto do manual de Massagem Terapêutica
 
Curso de Massagem Geotermal
Curso de Massagem GeotermalCurso de Massagem Geotermal
Curso de Massagem Geotermal
 
Termoterapia
TermoterapiaTermoterapia
Termoterapia
 

Último

Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxLucasFCapistrano
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfbragamoysesaline
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoCelimaraTiski
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSPedro Luis Moraes
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanomarla71199
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................mariagrave
 

Último (20)

Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 

Massagem Desportiva

  • 1. Massagem Desportiva Definição: A massagem Terapêutica específica para atletas, normalmente denominada Massagem Desportiva, define-se como uma forma criteriosa e intuitiva de aplicação de massagem, movimento e alongamento para indivíduos fisicamente activos. Hugo Pedrosa 2009
  • 2. Massagem Desportiva Que variáveis para diferenciarmos a massagem a efectuar a cada indivíduo? 1 - Condições físicas 2 - Momento de aplicação 3 - Modalidade 4 - Estado do tecido 5 - História médica do indivíduo 6 – Áreas comuns de tensão 7 - O calendário de treinos e competições Hugo Pedrosa 2009
  • 3. Massagem Desportiva CATEGORIAS DE MASSAGEM DESPORTIVA Alguns artigos dividem a M.D em 5 aplicações: 1 - Recuperação, 2 - Tratamento, 3 - Reabilitação, 4 - Manutenção 5 - Evento. Contudo, as diferenças entre tratamento, reabilitação e recuperação são reduzidas e podem não ser tão úteis para o terapeuta como uma divisão mais simples: 1 – Massagem de Evento 2 – Massagem de Manutenção 3 – Massagem de Tratamento Hugo Pedrosa 2009
  • 4. Massagem Desportiva 1 - MASSAGEM DE EVENTO a - Pré-evento b - Inter-evento (entre provas/competições/jogos) c - Pós-evento Palavras chave: Ritmo Duração Preparação para o esforço Recuperação do esforço Grandes grupos musculares Hugo Pedrosa 2009
  • 5. Massagem Desportiva 2 - MASSAGEM DE MANUTENÇÃO Palavras chave: Ambiente clinico Minimizar efeitos do exercício Manutenção performance Flexibilidade e tónus muscular Preventiva Conjugação de manobras: MD, MF e NM Hugo Pedrosa 2009
  • 6. Massagem Desportiva 3 - MASSAGEM DE TRATAMENTO Palavras chave: Lesão aguda Tendinite de sobrecarga Diminuição da performance Circunscrita à lesão Objectivo: assegurar um correcto processo evolutivo (fisiológico) da lesão ajudando a encurtar o mesmo (com respectivo retorno mais breve à actividade). Hugo Pedrosa 2009
  • 7. Massagem Desportiva 3 - MASSAGEM DE TRATAMENTO Esta abordagem é desenhada especificamente de acordo com o tipo de lesão, etapa de lesão, severidade da lesão e as outras modalidades a utilizar pelo terapeuta. Todas as técnicas base de: a) massagem desportiva, b) miofascial c) neuromuscular …são usadas neste processo e as: d) técnicas da facilitação linfática são adicionadas. Esta junção da abordagem linfática para os protocolos correntes, oferece aos técnicos um novo, único e simples método de aceder ao edema traumático com segura base de investigação. Hugo Pedrosa 2009
  • 8. Massagem Desportiva Grandes objectivos Atletas prepararem-se para... ... recuperarem de... Cargas impostas pelo exercício OBJECTIVO PRINCIPAL DA MASSAGEM DE EVENTO - Cria condições internas óptimas para a preparação e recuperação de estruturas sobrecarregadas. Hugo Pedrosa 2009
  • 9. Massagem Desportiva OBJECTIVOS DA MASSAGEM DE PRÉ-EVENTO - Actualmente, a performance de um atleta é um conjunto de variáveis onde a massagem desempenha um papel importante. - Possui a mesma intenção que o aquecimento, no entanto, não o substitui já que não mobiliza tecido suficiente para criar alterações circulatórias e de temperatura necessárias para as necessidades do atleta. Hugo Pedrosa 2009
  • 10. Massagem em eventos desportivos Os objectivos incluem: 1 - “Amolecer” e libertar a fáscia e outras estruturas de tecido conjuntivo 2 - Diminuir a tensão muscular generalizada 3 - Aumentar a resposta de hipermia nos músculos a serem utilizados na actividade 4 - Providenciar mais sentido cinestésico que ajuda a criar uma atitude positiva (os atletas sentem os músculos mais relaxados o que significa potencialmente mais confiança e menor risco de lesão). Hugo Pedrosa 2009
  • 11. Massagem em eventos desportivos Os efeitos estruturais da massagem (redução da tensão/tónus muscular e a libertação da componente fascial/tendinosa) contribuem para o potencial de performance de duas formas: 1 – Melhorias significativas na amplitude de movimento/potência; 2 – Benefícios inerentes à sensação de o atleta se sentir relaxado/”liberto”; Hugo Pedrosa 2009
  • 12. Massagem em eventos desportivos OBJECTIVOS DA MASSAGEM DE INTER-EVENTO *Tal como a categoria anterior, não pode tomar o lugar do aquecimento 1 - O objectivo primário é identificar e aceder a quaisquer áreas de tensão excessiva que se desenvolvem durante o exercício; 2 - Os atletas podem “encaminhar” as mãos do técnico para um ponto de dor; Se estamos perante duas a três provas no mesmo dia, os objectivos passam também por: 1 - Melhorar o movimento linfático o que pode melhorar a velocidade de Recuperação; 2 - Tal como na massagem de pré-evento o técnico deve evitar sedar o atleta; Hugo Pedrosa 2009
  • 13. Massagem em eventos desportivos OBJECTIVOS DA MASSAGEM DE PÓS-EVENTO Esta categoria assiste o organismo em determinados processos fisiológicos: 1 - Aumento do metabolismo para recolocar o déficit de O2 2 - Reciclagem de sub-produtos metabólitos) 3 – redução da tensão muscular generalizada 4 – Facilitação da circulação linfática 5 - Remoção de edema 6 – Devolver flexibilidade ao tecido muscular e conjuntivo. Os objectivos incluem: a) Ajudar os músculos a alcançar índices normais de tónus e alongamento; b) Ajudar no retorno venoso para potenciar a recuperação metabólica; c) Desactivar pontos-gatilho que se podem ter desenvolvido; d) Reduzir o risco de rigidez muscular tardia; Hugo Pedrosa 2009
  • 14. Momento, ritmo e duração da massagem de evento Massagem de pré-evento - Deve realizada a menos de 1 hora do início da prova/jogo; - Podem ser feitas algumas manobras a alguns músculos específicos, seguindo-se o aquecimento e depois a rotina normal de massagem; - Deve terminar pelo menos 10 minutos antes do início da prova/jogo; - Duração – 10 a 15 minutos nunca excedendo os 20 minutos; - O ritmo é mais rápido (quer para ocupar correctamente o tempo disponível quer para evitar a sedar); - Atletas muito ansiosos podem necessitar de uma abordagem mais lenta; Hugo Pedrosa 2009
  • 15. Momento, ritmo e duração da massagem de evento Massagem de inter-evento - O momento de aplicação é óbvio; - A massagem complementa a rotina regular entre eventos; - Desenhada para aceder apenas a alguns músculos/áreas corporais; - Cadência um pouco mais lenta; - Duração / 5 a 10 minutos nunca excedendo os 15; Hugo Pedrosa 2009
  • 16. Momento, ritmo e duração da massagem de evento Massagem de pós-evento - Não possui rigidez de duração; - Será mais proveitosa para o atleta se for realizada cerca de 2h após o final da prova; - Coadjuvante do processo de arrefecimento (administrada após o final dessa rotina específica); - Massagem continua a ser curta e dirigida a grandes grupos musculares (até porque o técnico pode ter de trabalhar sobre diversos atletas); - Cadência mais lenta (aprofundando a pressão de forma progressiva); - Investigação demonstra a importância do timing de aplicação para evitar a rigidez muscular tardia (aparentemente quebra um dos primeiros passos do processo de inflamação – acumulação de neutrófilos); Hugo Pedrosa 2009
  • 17. Massagem de manutenção Entende-se que a massagem de manutenção minimiza os efeitos negativos do movimento repetido através da identificação e tratamento de áreas tensas ou com restrições. Objectivo principal – Manter o atleta no pico de performance Comparação entre a massagem de evento e de manutenção Anatomicamente mais dirigida Para origens, inserções, tendões, ligamentos, ligações miotendinosas e estruturas miofasciais. Hugo Pedrosa 2009
  • 18. Massagem de manutenção a) Combina as técnicas base de massagem desportiva com técnicas miofasciais e neuromusculares; b) Duração (30 a 90 minutos); c) A frequência da massagem de manutenção pode relacionar-se, com o facto de alguns atletas/modalidades terem regularmente fisiopatologias crónicas associadas ao esforço desenvolvido; Hugo Pedrosa 2009
  • 19. Massagem de manutenção Objectivos e benefícios da massagem de manutenção a) Não podemos assegurar que esta rotina previna totalmente lesões; b) A lesão aguda é variável, imprevisível e na maior parte das vezes impossível de prevenir; c) No entanto, aplicamos o maior número de medidas preventivas com o objectivo de baixar a probabilidade de acontecer um episódio agudo; d) Actua-se em grande parte sobre regiões onde as lesões crónicas se instalam. Não esquecer alguns factores preventivos associados ao desporto; Hugo Pedrosa 2009
  • 20. Massagem de manutenção Nota: Importante lembrar que ao invés de efeitos/alterações imediatas nos tecidos, a Massagem Desportiva provoca nos atletas um efeito gradual e cumulativo e esta mensagem é importante passar . Principais objectivos: 1 - Reduzir hipertonicidade/espasmo muscular; 2 - Alongar e libertar tecido conjuntivo nas áreas de stress comum; 3 - Potenciar flexibilidade em geral e a amplitude de movimento; 4 - Diminuir o impacto da rigidez muscular pós-exercício e as pequenas rupturas estruturais associadas a esforços de grande intensidade; Hugo Pedrosa 2009
  • 21. Massagem de manutenção Notas importantes: - Conhecer métodos de treino (geral), técnicas específicas/gestos técnicos, calendários e biomecânica dos desportos com os quais trabalhamos; - Sugestão de calendarização… normalmente as modalidades variam entre dias de treino intenso com dias de treino de menor intensidade; - Deveremos preferir dias com treino de menor intensidade - … principalmente porque, como já foi referido, a massagem ajuda no processo de recuperação - Um atleta que treina 5 dias por semana e compete regularmente deverá receber uma sessão por semana (corpo inteiro) - Em semanas de trabalho intenso é benéfico que os atletas recebam 3 sessões semanais de 30 minutos em vez de sessões gerais de corpo inteiro Hugo Pedrosa 2009
  • 22. Massagem de manutenção Não esquecer… Etapas a respeitar: 1 – Perceber se o desporto é predominantemente SUPERIOR ou INFERIOR no que diz respeito à especificidade dos gestos técnicos; 2 – Estimularmos em primeiro lugar os principais elementos miofasciais da região; ; 3 – De seguida iniciar trabalho sobre grupos musculares principais que estão regularmente em sobrecarga; 4 – Não esquecer que temos de trabalhar as regiões miotendinosas, “estações” fasciais com respectivas linhas e finalmente a relação por vezes problemática entre os epimísios dos principais ventres musculares; Hugo Pedrosa 2009