Curso de meditação

1.653 visualizações

Publicada em

Meditação

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.653
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
198
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso de meditação

  1. 1. Curso deMeditaç ão• E Autoconhecimento É claro que nós cientistas usamos a intuição. Conhecemos a resposta antes de ir checá-la. Linus Pauling, Prêmio Nobel de Química de 1954
  2. 2. •• Yô ga chitta vritti nirodha
  3. 3. O que é Meditaç ão  A palavra Meditaç ão  Dhyaná  Contemplaç ão“Quando o observador, o objeto observado e o ato da observaç ãose fundem numa só coisa, isso é meditaç ã dizem os Shá o”, stras.
  4. 4. INTUIÇÃO COMUM• “Penso 99 vezes e nã descubro nada, paro e pensar e descubro tudo.” o • Einstein
  5. 5. INTUIÇÃO LINEAR• Flash
  6. 6. Meditar aumenta ou reduz a consciência?Aumenta, expande. Por isso seu veículo é chamado superconsciente.Não meditar ou terminar a meditação e voltar ao estado mental é entrar num processo de hibernação da consciência. É como blindar a lucidez com uma pesada armadura de lógica e raciocínio. Mestre DeRose
  7. 7. MEDITAÇÃO É UMA TÉ CNICA? A história de Huberto RohdenMEDITAÇÃO É PARTE DO YÔ GADesportistaKundaliní
  8. 8.  As 8 partes do SwáSthya Yô ga ortodoxo: Ashtánga Sádhana Mudrá pú , mantra, prá yá , já ná ma, kriyá á , sana, yô ganidráe samyama
  9. 9. SAMYAMADHÁRANÁDHYANÁSAMÁ DHI
  10. 10. A prática de 8 minutos A diferenç a entre fazer só meditaç ã e a prá o tica completa. Conclusã a meditaç ã é mesmo parte de um contexto e o: o nã deve ser praticada fora dele. o
  11. 11.  Hiperconsciente • Mô nada  Superconsciente • Intuiciona  Consciente l  Subconsciente • Mental  Inconsciente • Emocion alO MAIS DENSO ECLIPSA O MAIS SUTIL • FísicoExemplo: esportes, carnaval, digestão,cego de paixão,
  12. 12. • PARÁBOLA DA LAGOA
  13. 13. Termo: Yôga chitta vritti nirôdhah
  14. 14. A lagoa é a mente. O diamante é o Púrusha.A superfície encrespada é a turbulê ncia das ondas mentais (chitta vritti).A superfície serena corresponde à supressã da o instabilidade da consciência (chitta vritti nirô dhah).•
  15. 15. Efeitos da Meditação
  16. 16. A história do alquimista
  17. 17. O Ló tus da Meditaç ão
  18. 18.  COMO SABER SE ESTÁ EM MEDITAÇÃO OU EM AUTO-HIPNOSE? Teste da distorç ã do tempo. Quarta dimensã o o. Swá Satyá mi nanda. Conclusão
  19. 19. PratyáháraAbstraç ão dos sentidos externos www.ecfretta.or g
  20. 20. Percebe-se esta supressão (abstraç ão) somente quando for consciente e voluntá ria.Crianç a que chora
  21. 21. Yô gins antigosPedras pontiagudas, jejuns, escalada de montanhas geladas,posiç õ de equilíbrio de horas ou até dias. es
  22. 22.  Todas as sensaç õ tornam-se percepç õ es es: a sensaç ão de um ruído nos da a percepç ão de que caiu alguma coisa. Determinados estímulos tornam-se emoç ões, o organismo traduz o medo, a ira, o amor.
  23. 23. • O controle dos sentidos abarca uma gana imensa de fenô menos subjetivos:Sensaç ão,Emoç ão,Sentimento,•• Repercutindo no ego. Um frio intenso pode queimar, assim com uma febre provocar calafrios.•o
  24. 24.  Para o ocidental talvez o pratyá ra seja vencer o há controle emocional, a sexualidade desenfreada , a tendência ao menos esforç o e o apego ao conforto .
  25. 25. Bhrá rí o vô o da Abelha má
  26. 26.  Quando vocêvirar um yô gin, vai ficar mais adestrado naabstraç ã vai poder superar a dor, o que é muito ú em diversas o, tilcircunstâ ncias da vida.Jáum Instrutor abstrai-se de todos os outros sentidos: comoaudiç ã visã olfato, paladar e tato. o, o,
  27. 27. Ná gra dristti sá
  28. 28. Exemplo prático
  29. 29. Exercício do relógio Exercício da eliminação de todo som.
  30. 30. Dháraná (concentraç ão)Dháranásignifica reter a fixaç ã da mente num só objeto, ode modo que toda atenç ã gire em torno do mesmo. oExercício - Concentrar-se nas batidas do coraç ão.
  31. 31. A palavra dhr significa manter apertado durante umbom tempo, a fixaç ã da mente sob um só ponto. o
  32. 32.  Brumadhi Dristi : significa literalmente olhar, sã té cnicas para o desenvolver os respirató rios e a meditaç ão.
  33. 33. Estimula os músculos e nervos oculares e o sistema nervosocentral, com isso estabiliza a mente, elimina a ansiedade,melhora a memó ria e a concentraç ã o.
  34. 34. Sri Yantra
  35. 35. samskára modelo padrã de comportamento. o o cheiro de um flor num pano, obstá culos à meditaç ã pois a vida subconsciente é repleta de o, impressõ es, para atingir a meditaç ã é necessá aniquilar estas tendê o, rio ncias atravé s da contemplaç ã (dhyana) o.
  36. 36.  Com a prá tica de ásanas e bandhas por exemplo, atuamos nas glândulas, que vã atuar na o sublimaç ã dos samská o ras, atuando no consciente, mente, emoç õ e atividades do subconsciente. es
  37. 37. Ásanas de equilíbrio
  38. 38. • Obstáculos a Concentraç ão: 1- Doenç as ou perturbaç õ do equilíbrio fisioló gico es 2- Falta de disposiç ã para o trabalho o 3- Indecisã - noç ã que se debate entre as duas partes de um problema o o 4- Insensibilidade- falta de iniciativa, 5- Moleza- iné rcia, lentidão 6- Sensualidade, quando o desejo é maior. 7- Falso conhecimento- 8- Incapacidade de ver a realidade, de ver as coisas como realmente são; 9- Instabilidade- Impossibilidade de conservar uma continuidade de pensamento por a pessoa nã focar num ú o nico ponto surgem: a dor, o desespero, para evitá-los dedicar-se a verdade, cultivando a amizade sincera e o contentamento.
  39. 39. Teste de Concentraç ão
  40. 40. Dhyá (meditaç ã na o)Sukhá sana samaná sana siddhá sana padmá sana
  41. 41.  O dhá rana é como uma sucessã de gotas de á o gua caindo uma a uma sobre o mesmo ponto.  O dhyana é como um fio de mel, contínuo e uniforme."Hámetafísica bastante em nã pensar em nada. Que tenho eu meditado sobre Deus oe a alma e sobre a criaç ã do Mundo? Nã sei. Para mim, pensar nisso é fechar os o oolhos e nã pensar.” Fernando Pessoa o
  42. 42.  Resumindo meditar e deter o fluxo de pensamento na contemplaç ã de objeto até saturar com ele a consciê o ncia, manifestando-se assim algo que estáacima, o superconsciente, nos emancipando dos condicionamentos e desenvolvendo nosso ser profundo, identificando com sua lucidez no qual a consciência assume a índole do alvo da contemplaç ã o.
  43. 43. 1º grau- yantra dhyá na objetos concretos para visualizar
  44. 44. 2º grau- mantra dhyá na Sons de preferê ncia contínuo, o melhor é o japa, Ô M
  45. 45. Mensagem da Meditaç ão O Templo da Paz estádentro de ti. De nada adianta buscá láfora. Em teu -locoraç ã jaz o recanto somente acessível a ti pró prio e ao qual ningué m poderá openetrar. O nome desse Templo é Aná hata e ele constitui o teu refúgioindestrutível. A ele deves recolher tua mente pela manhã e à noite, a fim demanter o caminho aberto e livre de erva daninha. Nele deves penetrar embusca de ti pró prio duas vezes por dia para cuidar do asseio de teu TemploInterior. Imagina que tã logo cerres os olhos, teu coraç ã se torna luminoso como o oum Sol e nele penetra a tua consciê ncia, como se fora o recinto de um Templomaterial. Visualiza um aposento acolhedor e suave, banhado numa luz azulceleste agradá e numa temperatura amena. A Harmonia das Esferas se faz velouvir na forma de melodia tranqü e celestial. Coloca ao Oriente uma chama ilavotiva na qual há de incinerar teus momentos de amargura em holocausto de stolerâ ncia à Chispa Divina que habita em ti.
  46. 46. 3º grau, tantra dhyánaIniciá tico
  47. 47. Resumo dos três graus de meditaç ão:Primeiro grau: yantra dhyá na símbolos ☼?Segundo grau: mantra dhyá na sons Ô MTerceiro grau: tantra dhyá na reservadoTé cnica simples.Como funciona a mente.Por que gostamos tanto de novidades?
  48. 48. HIPERCONSCIÊNCIA (SAMÁDHI)“Yô ga é qualquer metodologia estritamente prá tica que conduza ao samá dhi”. Mestre DeRosePenso 99 vezes e nada descubro. Deixo de pensar, mergulho no silêncio, e a verdade me é revelada. Einstein.
  49. 49. Curso de Meditaç ão 2013

×