Procedimento de uma unidade de Bombeio

5.811 visualizações

Publicada em

O método de elevação artificial por unidade bombeio mecânico (UBM) é a transformação de movimento rotativo em alternativo, com o objetivo de extrair petróleo de poços onshore.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.811
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
166
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Procedimento de uma unidade de Bombeio

  1. 1. PROCEDIMENTO DE UMA UNIDADE DE BOMBEIO Uma Abordagem Geral Jason Levy Reis de Souza Salvador – BA 2013
  2. 2. COMPONENTES DO GRUPO• Jason Levy Reis de Souza• Paloma França de Santana Zacarias• Tamires Gregório Meneses• Victor Said dos Santos Sousa Orientadores: Andrea Bitencourt Justino Medeiros 2
  3. 3. SUMÁRIO1. Introdução2. Unidade de Bombeio3. Segurança4 . Estrutura da Unidade de Bombeamento5. Instalação da Unidade de Bombeamento.6. Referências Bibliográficas 3
  4. 4. 1. INTRODUÇÃOO método de elevação artificial por unidade bombeiomecânico (UBM) é a transformação de movimentorotativo em alternativo, com o objetivo de extrairpetróleo de poços onshore. 4
  5. 5. 1.1. OBJETIVOO trabalho apresentado tem como objetivo apresentarde forma introdutória o funcionamento e instalação dasunidades de bombeio mecânico. 5
  6. 6. 2. UNIDADE DE BOMBEIO MECÂNICO Segundo SOUZA (2005, pag. 16):“A unidade de bombeio é responsável pelaconversão do movimento de rotação do motor emmovimento alternado transmitido às hastes.” 6
  7. 7. 2.1. TIPOS DE UNIDADES DE BOMBEIOFigura 1 – Sistema por Elevação Artificial de Unidade de Bombeamento (UB) Fonte: CÂNDIDO(2011, pag.4) 7
  8. 8. 2.2. VANTAGENS X DESVANTAGENS Tabela 1 – Vantagens e desvantagens da UB Vantagens Desvantagens Problemas de fricção em Projeto de simples instalação poços tortuosos. Fácil realização de reposição Problemas causados por alta de componentes. pressão de sólidos. pode usar gás ou eletricidade Sua capacidade é limitada por como fonte de energia. profundidade. Pesado e volumoso para Fácil operação utilização no mar. Pode elevar óleos de alta Há obstruções em locais temperatura e viscosidade. urbanos. Pode ser instalados em poços de pequenos diâmetro. Fonte: Adaptado de Corrêa (2003, p. 57) 8
  9. 9. 2.3. PRINCIPAIS COMPONENTESFigura 2 – Sistema por Elevação Artificial de uma UB (Cavalo de Pau) Fonte: THOMAS, 2004. 9
  10. 10. 3.0 SEGURANÇASegundo Cândido (2011, pag. 4), para umfuncionamento de uma UB deve-se levar emconsideração os seguintes parâmetros:• Carga máxima permitida na haste polida• O torque máximo no redutor• Efeito de Contrabalanceio 10
  11. 11. 3.1. MÉTODOS DE SEGURANÇA• Prender as manivelas de • Protetor das correias; forma correta;• Instalação da trava de freio; • Proteções para o motor;• Acorrentamento do tambor • Vestimentas e Ferramentas de freio; adequadas (EPI’s);• Proteção das manivelas; • Treinamento adequado.• Proteção da cabeça da UB; Fonte: CÂNDIDO (2011, pag. 7) 11
  12. 12. 4.0 ESTRUTURA DA UB Figura 3 - Unidade de Bombeamento •Base •Tripé •Viga transversal ouBalancim •Cabeça da UB •Biela ou manivela Fonte: METALVALLEY, 2013 12
  13. 13. 4.1. CONTRAPESOS Figura 4 - Unidade de bombeio Fonte: WEICU, 2013 13
  14. 14. 4.2. CAIXA DE REDUÇÃO Figura 5 - Caixa de Redução da UB Fonte: PORTUGUESE, 2013 14
  15. 15. 4.3. MOTORESFigura 6 – Tipos de motores: Combustão Interna (à esquerda); Elétricos (à direita). Fonte: PHEBE (2013); SIEMENS, 2013 . 15
  16. 16. 5.0 INSTALAÇÃO DA UBO procedimento de instalação de uma UB éprecedido do planejamento e análise voltado àscondições climáticas, de segurança, assim como deoutros fatores as quais esta estará submetida. 16
  17. 17. 5.1 FUNDAÇÃO E BASE Figura 10 - Unidade de bombeio Fonte: PORTUGUESE, 2013 17
  18. 18. 5.2. REDUTORFigura 9 - Unidade de bombeio Fonte: PORTUGUESE, 2013 18
  19. 19. 5.3. CONTRAPESOS Figura 10 - Unidade de bombeio Fonte: PORTUGUESE, 2013 19
  20. 20. 5.4. TRIPÉ NA BASE Figura 11 - Unidade de bombeio Fonte: PORTUGUESE, 2013 20
  21. 21. 5.5 MONTAGEM DA ESCADA Figura 12 - Unidade de bombeio Fonte: PORTUGUESE, 2013 21
  22. 22. 5.6 EQUALIZADOR E MANCAL DA VIGA CENTRAL Figura 13 - Unidade de bombeio Fonte: PORTUGUESE, 2013 22
  23. 23. 5.7. VIGA PRINCIPAL Figura 14 - Unidade de bombeio Fonte: PORTUGUESE, 2013 23
  24. 24. 5.8. WIRILINE, CABEÇA DE CAVALO E CABRESTO Figura 15 - Unidade de bombeio Fonte: PORTUGUESE, 2013 24
  25. 25. 5.9 MOTOR E CORREIA Figura 16 - Unidade de bombeio Fonte: PORTUGUESE, 2013 25
  26. 26. 5.10 INSTALAÇÃO COMPLETA Figura 17 - Unidade de bombeio Fonte: METANO VERDE, 2013 26
  27. 27. 6.0 REFERÊNCIAS• BARROS, Debora S.; SOUZA, Wingles R. Bombeio Mecânico por hastes: A compreensão da sua utilização. Nova Venécia, Faculdade de Capixaba de Nova Venécia/ Curso Superior em Tecnologia e Produção em Petróleo e Gás, 2011.• CANDIDO, Francisco A.A. Procedimento Operacional de uma UB. Mossoró/ RN, Universidade de Potiguar/ CST- Petróleo e Gás, 2011.• JUNIOR, E. Métodos de Elevação de Petróleo. 2012. Disponível em: <www.simonsen.br>. Acesso em: 10 de mar de 2013. 27

×