38. O Profeta Jonas

4.319 visualizações

Publicada em

Curso Visão Panorâmica da Bíblia, lecionado na Igreja Presbiteriana de Dourados, toda quarta-feira, às 19h30' pelo Rev. Ildemar de Oliveira Berbert.

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.319
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
475
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
526
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

38. O Profeta Jonas

  1. 1. Palavra-chave: “COMPAIXÃO” O PROFETA JONAS
  2. 2. DIVISÃO HISTÓRICA DA BÍBLIA OS PROFÉTICOS 12 MENORES OSÉIAS JOEL AMÓS OBADIAS JONAS MIQUÉIAS NAUM HABACUQUE SOFONIAS AGEU ZACARIAS MALAQUIAS
  3. 3. - Seu nome significa “pomba”. - Filho de Amitai (1.1) -De Gate-Hefer (cidade próxima a Nazaré,na Galiléia). -Proclamador da graça de Deus para o reino do Norte de Israel; - Profetizou durante o reinado de Jeroboão II (790-749 a.C.), dias de grande prosperidade. Autor e data
  4. 4. Divisão do Livro 1. O Primeiro Comissionamento de Jonas – caps. 1 e 2 2. O Segundo Comissionamento de Jonas – caps. 3 e 4
  5. 5. "e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive em que há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?" (4.11). Versículo chave
  6. 6. • O livro de Jonas distingue-se dos demais livros do Velho Testamento por ser o único a concentrar-se exclusivamente em torno de uma nação gentílica! • Jesus afirmou a historicidade deste livro: (Mt 12:39-41), de modo que a mente espiritual jamais poderá questioná-la. (Nota: a palavra "peixe", erroneamente interpretada por alguns como "baleia", significa, na verdade, "grande peixe", ou "monstro marinho". Nos oceanos, há peixes com tamanho suficiente para engolir um ser humano. O Livro de Jonas
  7. 7. Lições 1 - (1.2) - clamar contra Nínive significava, literalmente, colocar o pescoço na guilhotina! Os ninivitas, do ponto de vista humano, jamais aceitariam ser acusados por seus pecados! Muitas vezes, o nosso comissionamento (chamado) implica em risco de vida. Você está disposto a fugir, ou a obedecer?
  8. 8. Lições 2 - (1.3) - podemos forçar uma reinterpretação ou releitura da revelação de Deus para nós. No caso, o fato de Jonas haver achado um navio que fosse para Társis, encontrar lugar para si, e ter condições de pagar a passagem, poderia ser interpretado como uma mudança da vontade de Deus para a vida do profeta... CUIDADO! A vontade de Deus é imutável! 3 - (1.5) - o nosso pecado sempre traz consequências sobre outras pessoas, muitas vezes que "nada têm a ver com o peixe". Quanto prejuízo houve para os marinheiros daquele navio! Tudo por causa de Jonas. CUIDADO: você pode causar muitos prejuízos financeiros, morais, espirituais a muitas pessoas por causa de suas escolhas e atitudes obstinadas!
  9. 9. Lições 4 - Jonas pregou, anunciando o peso da mão do SENHOR sobre Nínive (aliás, era o seu desejo ver tal fato acontecer!). Mas, sua pregação teve outro efeito: a conversão da cidade. Podemos pregar com a intenção errada, mas os planos do SENHOR é que irão concretizar- se! "assim será a palavra que sair da minha boca; não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a designei" (Is 55.11).
  10. 10. Lições 5 - (4.6-11) - este livro faz transbordar a beleza da compaixão do nosso Deus. Ele teve compaixão dos marinheiros, preservando-lhes a vida e revelando- Se a eles (1.16). Teve compaixão de Jonas, preservando sua vida no ventre do peixe (1.17), dando-lhe uma segunda oportunidade (3.1,2), e abençoando sua pregação (3.4,5). Teve compaixão dos ninivitas, levando-os a experimentar grande arrependimento (3.10). E novamente teve compaixão de Jonas - preconceituoso, egoísta e insensato - revelando-lhe a realidade do seu coração, a extensão do Seu amor! De fato, o nosso Deus é compassivo! ALELUIA!!!
  11. 11. A Cristologia do livro • Claramente citada pelo Senhor Jesus, Sua ressurreição ao terceiro dia foi prefigurada na experiência de Jonas, que permaneceu por três dias e três noites no ventre do grande peixe, sendo, posteriormente, devolvido à vida (Mt 12:39-41).

×