3 artigos e matérias jornais

541 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
541
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3 artigos e matérias jornais

  1. 1. http://portal.correio.com.br/leitor-noticias.php?tp=0&id=/124094&ano=/2012&mes=/08&dia=/01Falta de licença trava extensão doanel viárioConstrução da primeira etapa deveria ter começado em abril, masagora ficou para dezembro01/08/2012 - 23h23 . Atualizada em 02/08/2012 - 06h00Luciana FélixA obra de prolongamento do Anel Viário Magalhães Teixeira (SP-083) entre as rodoviasAnhanguera (SP-330) e Bandeirantes (SP-348) e a via de acesso ao Aeroporto Internacionalde Viracopos, Rodovia Miguel Melhado Campos (SP-324), em Campinas, anunciada no final doano passado pelo Estado, está atrasada. A previsão definida em cronograma pela AgênciaReguladora de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp) era de que o início seria em abril,com a construção da primeira etapa que ligaria o atual trecho à Bandeirantes.A ampliação, segundo o órgão estadual, ainda aguarda liberação das licenças ambientaisnecessárias à execução da obra e manifestação da Agência Ambiental do Estado de SãoPaulo (Cetesb). A previsão é de que as obras comecem apenas em dezembro.O prolongamento terá quase 10 quilômetros e é estimado em R$ 210 milhões. Na primeirafase, de acordo com o projeto do governo estadual, será construída uma extensão de 6 kmentre as rodovias Anhanguera e Bandeirantes, com investimento de R$ 149 milhões. Nasequência, mais R$ 61 milhões serão investidos no prolongamento de 4 km do trecho entre aRodovia dos Bandeirantes e a Miguel Melhado Campos, principal via de acesso ao terminalaéreo. A construção vai cortar bairros como o Jardim Mariza e o São Domingos.A extensão é parte do contrato de concessão da Rota das Bandeiras, que definiu para até 2015a chegada do anel viário em Viracopos. A segunda etapa deve começar até o segundosemestre de 2013.O anel será uma alternativa para o fluxo de veículos da Rodovia D. Pedro I até Viracopos.Hoje, o motorista é obrigado a usar a Rodovia Santos Dumont (SP-75) para ter acesso àregião. Além disso, a obra de prolongamento irá beneficiar cerca de 100 mil pessoas doentorno, auxiliando no trânsito de cargas e tráfego de veículos.Segundo a Secretaria de Estado dos Transportes, o volume de caminhões na região deCampinas é muito grande e o anel irá facilitar a retirada de veículos pesados de vias da cidade.As estradas das regiões de Campinas, Vale do Paraíba e Baixada Santista movimentam 50%das cargas que trafegam pelo Estado.Apesar da demora, a concessionária responsável pelo novo trecho não vê atraso no início daobra e afirma que houve a necessidade de uma readequação de datas, que foi feita juntamentecom a Artesp, e que a primeira etapa do prolongamento começa até dezembro.
  2. 2. “Houve precipitação ao dizer que no cronograma a obra começaria no mês de abril. Ainda maisque depende de licenças ambientais, que devem ser analisadas e revisadas com muitaatenção e cuidado. É imprevisível e gera uma expectativa”, afirmou o especialista emTransportes e professor da faculdade de Engenharia da Universidade Estadual de Campinas(Unicamp), Cássio Eduardo de Lima Paiva. Segundo ele, o prolongamento do anel será muitoimportante para a região.No final do ano passado, a Prefeitura tentou articular junto à Artesp a criação de um novotraçado para o anel a partir da Rodovia dos Bandeirantes. Na proposta, o anel interceptaria arodovia no Km 85, e contornaria toda região Sul de Campinas, passando atrás de bairros comoo Jardim Mariza e São Domingos e não cortando os mesmos. Porém, segundo a assessoria daArtesp, o governo continua com o primeiro traçado.----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- -------------------------------------------------------------------------------------------------------- --------------http://correio.rac.com.br/_conteudo/2012/11/capa/campinas_e_rmc/9310-anel-viario-extensao-espera-licenca.htmlAnel Viário: extensão espera licençaEstudo de impacto foi entregue na semana passada e obra prevista para dezembro deveatrasar09/11/2012 - 09h22 | Maria Teresa Costateresa@rac.com.brFoto: Elcio Alves/AAN.
  3. 3. Trecho final do anel viário, na confluência com Anhanguera: início de obra extensão atéViracopos depende de análise de relatório ambientalTexto E-mail Imprimir ComenteO início das obras de extensão do Anel Viário José Roberto Magalhães Teixeira (SP-083)deverá ser mais uma vez adiado por causa do moroso processo de licenciamentoambiental. Inicialmente previstas para abril, as obras foram adiadas para dezembro, masdificilmente a concessionária Rota das Bandeiras conseguirá começar a construção nopróximo mês. O Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima) só foi entregue pela concessionária à Companhia Ambiental do Estado de SãoPaulo (Cetesb) há uma semana.Segundo a concessionária, a construção do trecho entre as rodovias Anhanguera eBandeirantes terá início imediato assim que receber o aval da agência ambiental. Aconcessionária não fala em adiamento, mas fontes da Cetesb informaram que será muitodifícil emitir o licenciamento até o final do ano. Oficialmente, a Cetesb apenas confirmouque o Eia-Rima foi protocolado na quinta-feira da semana passada.Os atrasos no cronograma estabelecido pela concessionária estão ocorrendo por conta dadocumentação que está sendo exigida para o licenciamento. Em janeiro, a Cetesb
  4. 4. requereu da concessionária um Relatório Ambiental Preliminar (RAP), que foi entregue.Esse relatório é um estudo técnico que oferece elementos para a análise da viabilidadeambiental de empreendimentos ou atividades consideradas potencial ou efetivamentecausadoras de degradação do meio ambiente.A Cetesb, no entanto, considerou o RAP insuficiente para liberar a licença e em julho deuum prazo de 180 dias para que a Rota das Bandeiras entregasse um EIA-Rima. A entregafoi feita em 1º de novembro, dois meses antes do prazo dado pela agência. A AgênciaReguladora de Transportes (Artesp) informou que com a entrega da documentação, aCetesb terá 45 dias para análise, podendo, inclusive, pedir novos documentosAs obras para o prolongamento do Anel Viário entre as rodovias Anhanguera eBandeirantes têm custo estimado de R$ 120 milhões. Essa ligação irá ampliar o anel emcerca de 15 quilômetros. A obra é parte do contrato de concessão da Rota das Bandeiras,que definiu para até 2015 a chegada do anel viário em Viracopos. A extensão o chegará,na segunda etapa, das rodovias Bandeirantes até a Miguel Melhado Campinas (SP-324),até o aeroporto. O custo desse trecho está estimado em R$ 80 milhões.A extensão irá auxiliar no trânsito de cargas e no tráfego de veículos na região. Segundo aSecretaria de Estado do Transportes, o volume de caminhões na região de Campinas émuito grande e o anel irá facilitar a retirada de veículos pesados de dentro da cidade. Asestradas das regiões de Campinas, Vale do Paraíba e Baixada Santista movimentam 50%das cargas que trafegam pelo Estado. O anel será uma alternativa para o fluxo de veículosda Rodovia D. Pedro I até a região de Viracopos.Ligação até Americana em estudoO contrato de concessão das rodovias paulistas obriga as concessionárias a monitorar asrodovias sob suas responsabilidade para acompanhar o nível de serviços e apresentaruma solução toda vez que detectar aumento de tráfego ou outro problema. Dentro desseconceito, a Rota das Bandeiras apresentou à Agência Reguladora de Transportes (Artesp)a proposta de implantação de uma nova estrada ligando a Rodovia Anhanguera, emAmericana, à D. Pedro I, no trevo de Sousas, em Campinas.O projeto está em análise na Artesp. A implantação da nova estrada levará a formação deum rodoanel regional, que terá início em Americana e final no Aeroporto Internacional deViracopos. A ligação da nova estrada ao aeroporto será feito pelo Anel Viário MagalhãesTeixeira, que faz a ligação das rodovias D. Pedro I e Anhanguera e que no futurointerligará a Anhanguera à Bandeirantes e à SP- 324 (Rodovia Miguel Melhado Campos —a duplicação dessa rodovia que liga a Vinhedo é uma das reivindicações dessa cidade).http://www.viaeptv.com/epnoticia/campinas/noticias/NOT,1,1,378363,geraldo+Alckmin+anuncia+prolongamento+do+anel+viario+e+novo+teatro.aspxAlckmin anuncia prolongamento doanel viário, nova Seccional e teatro
  5. 5. Nova sala de cultura terá investimentosestaduais11/11/2011 - 12:35EPTVAlterar o tamanho da letra A+A-Em entrevista exclusiva à EPTV, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB),confirmou que em março de 2012 terá início o prolongamento do Anel Viário José RobertoMagalhães Teixeira, em Campinas.De acordo com o governador, será uma ligação entre as rodovias Anhanguera e Bandeirantes,que possibilitará também um novo acesso para o Aeroporto Internacional de Viracopos.A obra está orçada em R$ 76 milhões e será de investimentos da concessionária queadministra o trecho. Alckmin informou que as obras começam no fim de março do ano que veme ficam prontas em 24 meses.O governador também confirmou que Campinas terá a segunda Delegacia Seccional, que seráinstalada na região Oeste, nas proximidades do Aeroporto Internacional de Viracopos. Teatro O governador Geraldo Alckmin também confirmou a construção de um teatro na cidade, que se chamará Carlos Gomes, o mesmo nome do teatro construído em 1930 e demolido em 1965. “Será um novo teatro para grandes peças e musicais, como Campinas já teve no passado para fortalecer polos regionais de cultura”, disse o governador.O local não foi definido, masexiste a possibilidade de ele ser erguido no Parque Monsenhor Emílio José Salim (ParqueEcológico). Os recursos para este teatro serão estaduais.

×