ICH – Instituto de Ciências Humanas
Curso de Geografia
Disciplina a distância: Tecnologia e Práticas Educativas

TECNÓFILO...
• O atual arranjo espacial da época em que vivemos é
caracterizado pela instantaneidade dos fluxos de informações
pelo pla...
• Milton Santos teoriza a respeito da dinâmica e relações dos fixos e fluxos
que se dão no espaço geográfico. Segundo ele,...
E na educação não seria diferente... Há fluxos de informações e de
pessoas em diversas escalas. Portanto, pensar no comput...
Por outro lado, é perceptível que a atual estrutura
educacional do Brasil apresenta várias fragilidades
pela qual tem muit...
Outros dados importantes para se pensar na situação atual do Brasil e à
informática são as pesquisas que relatam a evoluçã...
Na tabela abaixo o Brasil continua registrando a maior expansão do
acesso à Internet domiciliar na escala temporal dos ano...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
“As máquinas nunca substituirão o professor, desde que ele re-signifique
seu papel e sua identidade a...
“Verdades da Profissão de Professor
Ninguém nega o valor da educação e que um bom professor é
imprescindível. Mas, ainda q...
REFERÊNCIAS
BIBLIOGRÁFICAS
Eduardo O C Chaves. O Computador na Educação. (?)
<http://www.cognum.com.br/?
noticias/54/inter...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Atividade 6: Tecnófilos.

493 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
493
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividade 6: Tecnófilos.

  1. 1. ICH – Instituto de Ciências Humanas Curso de Geografia Disciplina a distância: Tecnologia e Práticas Educativas TECNÓFILOS : a favor do uso mais intensivo das tecnologias de informação e comunicação na escola Aluna: Midiane Scarabeli Alves Coelho da Silva Professor: Simão Pedro P. Marinho Belo Horizonte Fevereiro / 2014
  2. 2. • O atual arranjo espacial da época em que vivemos é caracterizado pela instantaneidade dos fluxos de informações pelo planeta. Para Marshall McLuhan (1911-1980), as novas relações estabelecidas a partir da utilização da mídia eletrônica molda o mundo na forma de uma “aldeia global”. • Ou seja, a globalização corresponde a fase mais avançada do capitalismo que vem intensificando as relações e integrações cada vez mais efetiva do espaço geográfico mundial. Fonte: redesdecriacao.wordpress.com
  3. 3. • Milton Santos teoriza a respeito da dinâmica e relações dos fixos e fluxos que se dão no espaço geográfico. Segundo ele, os fixos permitem ações que modificam o próprio lugar, fluxos novos ou renovados que recriam as condições ambientais e as condições sociais, e redefinem cada lugar. (SANTOS, 1996, p. 61). • E os fluxos, são um resultado direto ou indireto das ações que atravessam ou se instalam nos fixos, modificando a sua significação e o seu valor, ao mesmo tempo em que, também, se modificam. (SANTOS, 1996, pp. 61-62). “De Connecticut acessar O chefe da Macmilícia de Milão Um hacker mafioso acaba de soltar Um vírus pra atacar programas no Japão Eu quero entrar na rede pra contactar Os lares do Nepal, os bares do Gabão [...]” Fonte: sociedadedoabsurdo.blogspot.com GIL, Gilberto. Quanta. [CD]. Rio de Janeiro: Warner Music Brasil, 1997, faixa 11.
  4. 4. E na educação não seria diferente... Há fluxos de informações e de pessoas em diversas escalas. Portanto, pensar no computador como uma tecnologia de informação e comunicação na escola: “Urge usá-lo como tecnologia a favor de uma educação mais dinâmica, como auxiliadora de professores e alunos, para uma aprendizagem mais consistente, não perdendo de vista que o computador deve ter um uso adequado e significativo, pois Informática Educativa nada tem a ver com aulas de computação.” (ROCHA, 2008, p. 1). Neste sentido, “preparar nossos alunos adequadamente para viver e atuar profissionalmente no século XXI (...) Apresentar o computador à criança, desmistificá-lo, mostrar à criança o seu potencial e as suas limitações, ensinar a criança a utilizá-lo e a dominá-lo, são funções a que nenhuma escola pode-se furtar hoje. Amanhã já será muito tarde.” (Eduardo O C Chaves, ?). Fonte: criadorpositivo.blogspot.com
  5. 5. Por outro lado, é perceptível que a atual estrutura educacional do Brasil apresenta várias fragilidades pela qual tem muito se questionado e criticado. Assim sendo, torna-se evidente que, “(...) Há uma série de prioridades básicas na educação que precisam primeiro ser atendidas - infra-estrutura adequada para as escolas, condições mínimas de saúde, alimentação, habitação, saneamento etc., para os alunos, melhores salários para os professores.” (Eduardo O C Chaves, ?). Em contrapartida, é manifesto também a necessidade de luta por parte dos professores e a batalha pelas principais solicitações da categoria, “(...) temos que reivindicar recursos que permitam que a educação que estamos oferecendo seja relevante para as condições em que nossos alunos irão viver e trabalhar. Tudo isso _ prioritário. Não podemos abrir mão de nenhuma dessas reivindicações.” (Eduardo O C Chaves, ?).
  6. 6. Outros dados importantes para se pensar na situação atual do Brasil e à informática são as pesquisas que relatam a evolução temporal da população brasileira em relação ao acesso à internet. O gráfico abaixo indica forte incremento de pessoas com acesso à internet na escala temporal dos anos de 2009 a 2012. Evolução do número de pessoas com acesso, em milhões - trabalhos e domicílios Brasil - Agosto de 2009 à Agosto de 2012 Fonte: IBOPE Nielsen Online
  7. 7. Na tabela abaixo o Brasil continua registrando a maior expansão do acesso à Internet domiciliar na escala temporal dos anos de 2009 a 2012. Comparação com os outros países acompanhados pela pesquisa da Nielsen Online Fonte: IBOPE Nielsen Online
  8. 8. CONSIDERAÇÕES FINAIS “As máquinas nunca substituirão o professor, desde que ele re-signifique seu papel e sua identidade a partir da utilização das novas abordagens pedagógicas que as tecnologias facilitam. (...) A presença do professor que vai dinamizar todo este novo processo de ensino-aprendizagem por intermédio dessa ferramenta, explorando-a ao máximo com criatividade, conseguindo o intuito maior da Informática Educativa: mudança, dinamização, envolvimento, por parte do aluno na aprendizagem” (ROCHA, 2008, p. 4).
  9. 9. “Verdades da Profissão de Professor Ninguém nega o valor da educação e que um bom professor é imprescindível. Mas, ainda que desejem bons professores para seus filhos, poucos pais desejam que seus filhos sejam professores. Isso nos mostra o reconhecimento que o trabalho de educar é duro, difícil e necessário, mas que permitimos que esses profissionais continuem sendo desvalorizados. Apesar de mal remunerados, com baixo prestígio social e responsabilizados pelo fracasso da educação, grande parte resiste e continua apaixonada pelo seu trabalho. A data é um convite para que todos, pais, alunos, sociedade, repensemos nossos papéis e nossas atitudes, pois com elas demonstramos o compromisso com a educação que queremos. Aos professores, fica o convite para que não descuidem de sua missão de educar, nem desanimem diante dos desafios, nem deixem de educar as pessoas para serem “águias” e não apenas “galinhas”. Pois, se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda”. Paulo Freire.
  10. 10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Eduardo O C Chaves. O Computador na Educação. (?) <http://www.cognum.com.br/? noticias/54/internautas_ja_sao_mais_de_70_milhoes_no_brasil/15/>. fevereiro de 2014. Acesso em 24 de <http://www.criadorpositivo.blogspot.com> Acesso em 24 de fevereiro de 2014. <http://www.sociedadedoabsurdo.blogspot.com> Acesso em 24 de fevereiro de 2014. ROCHA, S. S. D. O uso do computador na educação: a Informática Educativa. Revista Espaço Acadêmico. Fortaleza. Nº 85 2008. Disponível em www.espacoacademico.com.br/085/85rocha.pdf. Acesso em 24 de fevereiro de 2014. redesdecriacao.wordpress.com. Acesso em 24 de fevereiro de 2014.

×