Da queda da Monarquia à Implantação da República

20.336 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado por Beatriz Noronha.

Publicada em: Educação
1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.336
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
357
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
331
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Da queda da Monarquia à Implantação da República

  1. 1. Da queda da Monarquia à Implantação da República<br />
  2. 2. Crise e queda da Monarquia<br />A crise e queda da Monarquia teve origem em diversos factores, estando entre eles:<br />motivos económicos; <br />políticos;<br />e sociais.<br />
  3. 3. Situação económica<br />Indústrias limitadas a Lisboa e Porto, sendo que o resto do país era predominantemente agrícola;<br />
  4. 4. Situação económica<br />A nossa balança comercial era deficitária, quer isto dizer que importávamos mais do que exportávamos levando aos grandes endividamentos para com o estrangeiro;<br />Exportações<br />Importações<br />
  5. 5. Situação económica<br />Face à grave crise (iniciada por volta de 1890-92) os bancos abrem falência e tanto as pequenas como médias empresas estão com sérias dificuldades.<br />
  6. 6. Situação social<br />A burguesia tinha condições de vida favoráveis, enquanto que o povo vivia muito mal:<br />em fracas condições de vida;<br />a pagar elevadíssimos impostos;<br />e com constante risco de desemprego.<br />
  7. 7. Situação política<br />Em 1870 surge o Partido Republicano que tem como base de apoio a pequena e média o burguesia bem como o operariado descontente. <br />
  8. 8. Outros motivos - Ultimato Inglês<br />Na Europa, crescia o interesse pelos territórios em África, pois estes eram fonte de matérias-primas para aindústria. Assim, os portugueses decidiram explorar as áreas compreendidas entre  Angola e Moçambique. <br />
  9. 9. Ultimato Inglês<br />Em 1884-1885, os países mais industrializados da Europa* reuniram-se na Conferência de Berlim e decidiram que os territórios africanos seriam dos países que tivessem melhores meios económicos, políticos e demográficos.<br />* Inglaterra, Alemanha, Bélgica, Portugal e Espanha.<br />
  10. 10. Ultimato Inglês<br />Criado o direito de ocupação efectiva, Portugal perde parte dos seus territórios. Assim apresenta oMapa Cor-de-Rosa, no qual exigia para si os territórios entre Angolae Moçambique.<br />
  11. 11. Ultimato Inglês<br />Em 1890, a Inglaterra (que nunca aceitou o Mapa Cor-de-Rosa) apresenta ao rei D. Carlos I um Ultimato. <br />
  12. 12. Ultimato Inglês<br />Como Portugal se via dependente, foi obrigado a ceder a região compreendida entre Angola e Moçambique, agravando assim a crise que se instalava progressivamente.<br />
  13. 13. Outros motivos - Revolta <br />Como a população se encontrava humilhada face à entrega dos seus territórios tão facilmente, a 31de Janeiro de 1891, no Porto, dá-se uma revolta contra o regime monárquico.<br />
  14. 14. ‘’Consequência’’<br />Devido ao conjunto de todos os motivos anteriormente aprofundados, a oposição (Republicanos) acaba por ganhar mais força.<br />
  15. 15. Regicídio (1 de Fevereiro 1908)<br />É assassinado o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro Luís Filipe.<br />Sobe ao trono D. Manuel II com 19 anos<br /><ul><li> afasta João franco;
  16. 16. restabelece as instituições democráticas.</li></li></ul><li>Implantação da República<br />A revolução republicana começou em Lisboa na madrugada de 4 de Outubro de 1910. <br />Esta triunfou, sobretudo, pela acção de militares de baixa patente e civis de classes médias e devido ao facto do exército monárquico não se conseguir organizar.<br />
  17. 17. Implantação da República<br />Assim, na manhã de 5 de Outubro de 1910, José Relvas, na varanda do edifício da Câmara Municipal de Lisboa, proclamou a Implantação da República em Portugal.<br />
  18. 18. 1ª República<br />Logo após a revolução do 5 de Outubro foi criado um Governo Provisório, presidido por Teófilo Braga. <br />
  19. 19. Realizações da 1º República<br />Política;<br />Economia;<br />Sociedade; <br />Educação/Cultura;<br />Novas leis;<br />Novos símbolos.<br />
  20. 20. Política<br />O Governo Provisório preparou as eleições para a Assembleia Constituinte. <br />e esta elaborou<br /><ul><li>A Constituição de 1911;
  21. 21. Elegeu o primeiro presidente da República, Manuel de Arriaga.</li></li></ul><li>Constituição de 1911<br />Esta nova constituição institucionalizou o sistema de democracia parlamentar, onde há uma preponderância do poder legislativo sobre o poder executivo.<br />Está a cargo da Câmara dos deputados e do Senado<br />Exercido pelo Presidente da República <br /> Escolhe o Governo<br />
  22. 22. Constituição de 1911<br />Como o Governo e o Presidente da República eram responsáveis perante o parlamento, o regime republicano passa, portanto a ter uma legitimidade constitucional e democrática.<br />O poder judicial está entregue aos tribunais.<br />
  23. 23. Economia<br />A economia não obteve praticamente nenhumas inovações, sendo que o país:<br /><ul><li>tinha fraca indústria;
  24. 24. predomínio da agricultura;
  25. 25. a sua balança comercial era deficitária;
  26. 26. desvalorizou-se a moeda;
  27. 27. e possuíamos uma grande inflação.</li></li></ul><li>Sociedade<br />A legislação social beneficiou particularmente o operariado;<br />Mas, por outro lado as classes médias foram muito afectadas com a inflação*;<br />* Subida generalizada dos preços numa determinada região.<br />
  28. 28. Sociedade<br />Houve também a extinção dos títulos nobiliárquicos;<br />E por fim, o espírito anticlerical.<br />
  29. 29. Sociedade - Legislação social <br />Estabelecimento de um seguro social;<br />Autorização e regulamentação à greve;<br />Descanso semanal obrigatório;<br />Limitação dos horários de trabalho.<br />
  30. 30. Sociedade - Educação<br />Com o objectivo de diminuir o número de analfabetos em Portugal (70%), os republicanos levaram a cabo inúmeras medidas. <br />
  31. 31. Sociedade - Educação<br />Obrigatoriedade do ensino primário;<br />Criação de escolas primárias;<br />Fundação das Universidades de Lisboa e Porto;<br />
  32. 32. Sociedade - Educação<br />Criação de jardins escola (‘’Jardins Escola João Dinis’’);<br />Reforma de alguns liceus;<br />Criação de escolas técnicas e bibliotecas itinerantes;<br />
  33. 33. Sociedade - Educação/Cultura<br />Criou-se o Ministério da Instrução Pública;<br />Investiu-se na formação de professores;<br />Realizou-se a 1ª travessia aérea do Atlântico Sul;<br />
  34. 34. Sociedade - Cultura<br />Gago Coutinho e Sacadura Cabral realizaram a 1ª travessia aérea do Atlântico Sul;<br />Egas Moniz realizou a 1ª angiografia cerebral;<br />Gomes Teixeira triunfou na matemática;<br />E Campos Rodrigues destacou-se na astronomia.<br />
  35. 35. Sociedade - Religião<br />A nível da religião também se criaram medidas, já estas com o objectivo da decadência da ordem religiosa.<br />Lei da separação do Estado da Igreja;<br />
  36. 36. Sociedade - Religião<br />Expulsão das ordens religiosas;<br />Proibição do ensino religioso nas escolas;<br />Registo civil obrigatório;<br />E, por fim a legalização do divórcio.<br />
  37. 37. Novas leis<br />Leis da família, que tornavam mais igualitários os direitos dos homens e mulheres;<br />Lei da Greve que impunha o direito à greve;<br />
  38. 38. Novas leis<br />Como a República impunha medidas como as Leis da Família e a Lei da Separação do Estado da Igreja para diminuir a influência da Igreja na sociedade portuguesa, passam a ter um carácter laico.<br />Republicanos são LAICOS !<br />
  39. 39. Novos símbolos - Bandeira<br />No dia 19 de Junho de 1911, a Bandeira Nacional substituiu a Bandeira da Monarquia Liberal.<br />
  40. 40. Novos símbolos - Hino<br />Antes do hino “A Portuguesa” existiam vários hinos em Portugal como o “Hino da Carta” e o “Hino Patriótico&quot;.<br />
  41. 41. Novos símbolos - Hino<br />“A Portuguesa” foi escrito por Alfredo Keil e a letra foi escrita por Henrique Lopes de Mendonça.<br />
  42. 42. Novos símbolos - Escudo<br />Depois de 1914, por virtude da crise provocada pela 1ª Guerra Mundial, o escudo em papel (nota) observou uma descida rápida de valor.<br />
  43. 43. O Escudo português, cujo símbolo é o cifrão ($) foi a última moeda de Portugal antes do Euro.<br />Novos Símbolos - Escudo<br />
  44. 44. Dificuldades da acção governativa<br />Toda a população criou expectativas quanto à evolução do país com a 1ª República, porém esta não conseguiu alcançar a esperada estabilidade e progresso. <br />
  45. 45. Instabilidade Política<br />Portugal detinha uma grande instabilidade política pois:<br />Durante 16 anos passou por 45 governos e 8 presidentes; <br />
  46. 46. Instabilidade Política<br />As sessões do Parlamento eram muito agitadas;<br />E criaram-se diversas divergências no Partido Republicano.<br />
  47. 47. Situação económico-financeira<br />Infelizmente, presenciou-se um agravamento da situação económico-financeira em Portugal, devido:<br /><ul><li>Ao aumento da inflação e impostos;
  48. 48. E à diminuição do poder de compra.</li></li></ul><li>Participação na 1ª Guerra Mundial<br />Este contexto é também um dos muitos motivos que levou, posteriormente, a um golpe militar a 28 de Maio de 1926.<br />Golpe este que se traduz numa Ditadura Militar.<br />
  49. 49. Agitação Social<br />Face ao inúmero desemprego e com o direito à greve, a população acabou por ‘’usar e abusar’’ desta bem recebida nova lei.<br />
  50. 50. FIM <br />Trabalho realizado por:<br />Beatriz Noronha - nº22<br />Escola Secundária Almeida Garrett<br />9ºA<br />10/01/2010<br />

×