A sexualidade na adolescência

2.178 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.178
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A sexualidade na adolescência

  1. 1. 655955314325<br />Trabalho realizado por: Igor Silva.<br /> <br />Índice<br />Introdução Página 3O desenvolvimento dos sexos (F/M)Página 4Quando é estamos preparados para ter relações sexuais?Página 5Em que idade se namora pela primeira vez? Página 6Como detectar a gravidez, o que fazer e não fazer? Página 7Conclusão Página 8<br />Introdução<br />Este trabalho surgiu no âmbito da disciplina Ária do Projecto. <br />Tem como objectivo esclarecer e informar os adolescentes, sobre as dúvidas que surgem sobre comportamentos sexuais. Pois maioria das vezes os jovens pensam que sabem tudo sobre este assunto, mas a realidade não é essa. <br />É normal com a adolescência surja mais dúvidas que as habituais, por vergonha, ou por não sentirem-se à vontade de dialogar com uns mais próximos, guardam as dúvidas para eles mesmos.<br />Por esse motivo, resolvemos elaborar este trabalho “A sexualidade na adolescência”.<br />O desenvolvimento do sexo feminino e masculino<br /> As alterações corporais são vivenciadas de forma diferente, de jovem para jovem. Podem aparecer sentimentos de vergonha, timidez, pudor e até ansiedade, nomeadamente em casa, junto dos pais e dos irmãos, e na escola, junto dos colegas,<br /> Por outro lado as hormonas que são responsáveis por estas modificações, produzem um acentuado aumento do desejo sexual e das sensações eróticas. É a partir desta fase que se vai desenvolver a resposta sexual adulta.<br /> As relações entre os dois sexos também vão sofrer alterações importantes. É frequentes professores e pais relatarem situações de afastamento e mesmo hostilidade entre rapazes e raparigas na escola, em casa ou em grupos de amigos.<br /> Outra manifestação é a constituição de grupos e de espaços ferozmente mono-sexuais (proibição absoluta dos rapazes entrarem nos grupos das raparigas e vice-versa). É como se houvesse um período em que se torna interiormente muito importante mostrar claramente, a si mesmo e aos outros, que se pertence a um sexo bem definido, com características muito específicas e opostas ao outro sexo.   <br /> Existe um misto de hostilidade e de jogo de provocação e sedução. Há um não querer e querer, um não precisar e precisar, um não gostar e gostar.<br /> Outro comportamento importante em alguns dos rapazes e raparigas pré-adolescentes é a masturbação que funciona como uma descoberta do corpo e de novas sensações. Pode ser vivida com um misto de prazer e de curiosidade, mas também com muitas dúvidas ou culpabilidades, dados os comentários negativos ou o silêncio dos adultos sobre este assunto.<br /> Esporadicamente, alguns adolescentes podem envolver-se em relações sexuais. Este não é, no entanto, um comportamento muito frequente nesta fase de desenvolvimento.<br /> No entanto, estes comportamentos não são generalizados, o que quer dizer que as fantasias ou preocupações ligadas à sexualidade não sejam uma característica comum. <br />Quando é que estamos preparados para ter relações sexuais?<br /> Não existe uma altura certa, para se estar preparado a começar a vida sexual activa. Todos sabemos que somos diferentes uns dos outros, alguns somos mais altos, outros mais baixos, alguns um pouco gordos, outros demasiado magros, alguns crescemos rapidamente outros levamos muito tempo a nos desenvolver. É assim, também em relação à sexualidade. <br /> Em termos físicos podemos dizer que a idade a partir da qual não é perigoso iniciar a vida sexual, é aproximadamente os 14 anos de idade. Mas existem muitas fases ou estádios pelas quais passamos. Ou seja, uma pessoa não passa de criança a adulto, de um momento para o outro, todos sabemos que há mudanças assim como não se passa a estar preparado de repente.<br />    É importante perceber que ao mesmo tempo que as mudanças do nosso corpo vão acontecendo, a sexualidade que está a aparecer permite-nos aprender novas formas de dar e receber carinho, amor, protecção e cuidados. Esta aprendizagem leva tempo e como podes imaginar, só no final da adolescência e princípio da idade adulta é que começamos a estar preparados totalmente, tanto física como psicologicamente, para assumir uma relação de confiança/compromisso, intimidade/ proximidade e paixão/atracção física. <br />    Só numa relação de amor construída deste modo podemos tanto viver plenamente o prazer e os aspectos positivos da relação, como enfrentar os riscos de saúde que o início da actividade<br />Em que idade se namora pela primeira vez?<br />Tal e como não existe uma altura certa para estar preparado a iniciar a vida sexual activa, também não existe uma data para namorar pela primeira vez. Existem várias razões pelas quais um jovem se pode sentir atraído a ter relações sexuais pela primeira vez: <br />Como forma de conseguir maior proximidade; <br />Um modo de ter novas experiências; <br />Para provar a maturidade que se alcançou; <br />Para ser como os outros amigos e conhecidos; <br />Como um meio de encontrar alívio de certas pressões; <br />Para investigar os mistérios do amor; <br />Por desejos e atracções sexuais; <br />Por amor. <br /> Embora existam muitos motivos que levam os adolescentes a ter relações sexuais pela primeira vez e continuar a actividade sexual, estes não são todos igualmente válidos, uns são francamente melhores que outros. <br />169100529845<br />Como detectar a gravidez, o que fazer e não fazer?<br />Três dos vários sinais que indiciam uma gravidez:<br />Falta de um ou mais períodos menstruais;<br />Alterações do tamanho e da consistência das glândulas mamárias;<br />Enjoos ou vómitos.<br /> No caso de se confirmar a gravidez, a primeira atitude a tomar é a de planear a sua evolução. Deverá assim escolher um médico para acompanhar esta situação. <br />Hoje em dia, na maioria dos centros de saúde do país, os médicos de família estão devidamente habilitados e articulados com as maternidades de modo a poderem fazer uma vigilância adequada da mãe e da futura criança. Entretanto, se preferir, pode socorrer-se de imediato do apoio do obstetra da sua escolha. <br />O mais importante é que seja feita uma vigilância continuada e regular até ao fim da gravidez, e mesmo até algum tempo depois do parto ter ocorrido.<br /> O tempo médio de gestação é de 40 semanas a contar do 1º dia da última menstruação. No entanto, considera-se normal que o parto ocorra entre as 38 e as 42 semanas a contar da mesma data<br />1529715292100<br />Conclusão<br />Ao elaborar este trabalho concluímos que existem deferências no desenvolvimento feminino e masculino. Com o passar do tempo vão perceber como funciona e a descoberta que o seu corpo traz.<br />Tomamos conhecimento que não existe altura certa para namorar ou iniciar a vida sexual, pois vai acabar por surgir mais tarde ou mais cedo. <br /> Por fim, alguns dos sintomas detectáveis na gravidez, caso seja confirmado procurar um médico de família, pois é importante é que seja feita uma vigilância contínua e regular.<br /> <br />

×