Tarefa 2 tabela relatorio_avaliacao_a1

231 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
231
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tarefa 2 tabela relatorio_avaliacao_a1

  1. 1. TAREFA 2 São fornecidos os dados tratados de duas escolas, que escolheram avaliar o mesmo domínio - a Escola A e a Escola B. Escolha uma das escolas e redija uma página de relatório com base nos dados: 1) resuma as evidências apuradas 2) reflicta sobre os resultados apurados - aponte explicação possível para os mesmos 3) proponha acções de melhoria relacionados com o domínio avaliado e tendo em conta os dados recolhidos e organizados Prazo de realização: 17 de Janeiro a 28 de Janeiro de 2011 Escolha da Escola – Exemplo 1 A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A.1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes Indicadores Evidências Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos IdentificadosA.1.1 Cooperação da BE com as estruturas de A BE colabora com os departamentos A colaboração e a articulação curricular da BEcoordenação educativa e supervisão pedagógica da Curriculares/Grupos Disciplinares, realizando-se com as estruturas de coordenação ainda nãoescola/ agrupamento. de forma ocasional o planeamento de actividades atingem os níveis desejados, pois efectua-se e a articulação entre a Biblioteca e os docentes de forma ocasional.A.1.2 Parceria da BE com os docentes responsáveis no contexto da área disciplinar, na Área Projectopelas áreas curriculares não disciplinares (ACND) e no âmbito de certos projectos educativos.da escola/ agrupamentoA.1.3 Articulação da BE com os docentes O tratamento do questionário aos docentes não A falta de evidências quanto a este indicadorresponsáveis pelos serviços de apoios permite retirar ilações sobre este indicador. significa que a biblioteca escolar deveráespecializados e educativos (SAE) da escola/ investir no mesmo.agrupamentoA.1.4 Ligação da BE ao Plano Tecnológico da 71,4 % dos docentes inquiridos assinalam que Quase todos os docentes inquiridos A colaboração entre os docentes e a BEEducação (PTE) e a outros programas e projectos articulam ou planeiam actividades com a BE no assinalaram este indicador. mantém-se ainda de uma forma ocasional.curriculares de acção, inovação pedagógica e âmbito de determinados projectos/projectos.formação existentes na escola/ agrupamento.A.1.5 Integração da BE no plano de ocupação dos Segundo as respostas dadas pelos alunos 21,3 % Cerca de 37% dos alunos integram Os docentes não assinalam este indicador otempos escolares (OTE) da escola/ agrupamento assinalam que usam a BE quando o professor a BE como espaço de ocupação que traduz a escassa integração da BE neste falta, em actividades de substituição e 15,7 % plena dos tempos escolares. plano. sozinho ou com colegas para realizar trabalhos.A.1.6 Colaboração da BE com os docentes na Só 4,5% dos docentes assinalam nunca articular e Existência de experiências deconcretização das actividades curriculares planear actividades com a BE e 27,3% dos cooperação e colaboração entre osdesenvolvidas no espaço da BE ou tendo por base docentes que nunca solicitou colaboração da BE. docentes e a BE avaliados de forma 1os seus recursos. extremamente positiva ou muito positiva. A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular Acção de Formação: Coordenação e Dinamização das Bibliotecas Escolares | Trabalho realizado por Ana Paula Rodrigues
  2. 2. A. 2. Promoção das Literacias da Informação, tecnológica e digital Indicadores Evidências Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos IdentificadosA.2.1 Organização de actividades de formação de Mais de metade dos docentes inquiridos afirmam Os docentes reconhecem que estas As actividades de formação de utilizadoresutilizadores na escola/ agrupamento. ter participado em actividades de formação de actividades de formação de não se realizam de forma contínua, utilizadores para o uso da BE e promovida pelo utilizadores são muito importantes assumindo-se como uma rotina, e que Professor Bibliotecário ou equipa, porém os sobretudo para os alunos. envolva todos os alunos. alunos (59,8%) dizem nunca ter participado em actividades para aprender a usar a BE: localização dos livros, fazer pesquisa, etc. Alunos e docentes desenvolvem competências para o uso da BE revelando um maior nível de autonomia na sua utilização após as sessões de formação de utilizadores.A.2.2 Promoção do ensino em contexto de O tratamento do questionário permite concluir Colaboração dos docentes com a O modelo é ainda pouco utilizado quer porcompetências de informação da escola/ que a BE propõe um modelo/guião de pesquisa BE na selecção ou produção de alunos, quer por docentes que preferem daragrupamento. de informação a ser usado por toda a escola. materiais de apoio necessários à orientações oralmente que recomendar a condução de actividades na BE ou consulta do modelo/guião. Os alunos 54,5% dos docentes assinalam proceder à na sala de aula. também referem sentir necessidade de saber integração de competências de informação na mais sobre como organizar um trabalho e planificação e tratamento das diferentes como procurar a informação que necessitam unidades de ensino. em livros.A.2.3 Promoção do ensino em contexto de A BE produz materiais informativos e de apoio à Os alunos referem sentir necessidade decompetências tecnológicas e digitais na escola/ adequada utilização da internet: guiões de desenvolver as suas competênciasagrupamento. pesquisa, grelhas de avaliação de sítios, lista de tecnológicas e digitais, salientando a apontadores, produção de webquest. necessidade de saber mais como apresentar um trabalho com recurso às novas tecnologias digitais. Fraca utilização por parte dos docentes dos recursos disponibilizados pela BE. 1 Indicadores Evidências Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos IdentificadosA.2.4 Impacto da BE nas competências Os docentes classificam o impacto da BE no Os alunos apresentam Acção de Formação: Coordenação e Dinamização das Bibliotecas Escolares | Trabalho realizado por Ana Paula Rodrigues
  3. 3. tecnológicas, digitais e de informação dos alunos desenvolvimento destas competências por parte competências e desejam que a BEna escola/ agrupamento. dos alunos como boas; os alunos também as reforce pois assinalam que consideram que têm boas competências gostariam de saber mais sobre: tecnológicas, digitais e de informação, e através - como organizar um trabalho; da análise das grelhas de observação constata-se que o nível é positivo, embora se revele algumas - como encontrar a informação que dificuldades em avaliar a relevância, a fiabilidade precisa num livro, e a validade da informação nos diferentes -como apresentar um trabalho com recursos e em extrair a informação necessária recurso ao uso das TICs. através da consulta/leitura diagonal dos documentos.A.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento de Através da grelha de observação 1 conclui-se que O reconhecimento pelos docentesvalores e atitudes indispensáveis à formação da os alunos enquadram-se na sua maioria no nível do valor da BE para a promoçãocidadania e à aprendizagem ao longo da vida. 3. 54,5% dos docentes considera que a BE deste indicador. contribui muito para o desenvolvimento deste indicador e 45,5% dos docentes consideram que o contributo da BE é mediano. A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A.1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes: acções de melhoria Indicadores Acções de Melhoria A.1.1 Cooperação da BE com as estruturas de - Reforçar a colaboração e o apoio da BE com os departamentos Curriculares/Grupos Disciplinares através da participação periódica do coordenação educativa e supervisão Coordenador da BE e/ou Professores bibliotecários nas reuniões de planificação dos diferentes órgãos pedagógicos, de forma a pedagógica da escola/ agrupamento. promover o trabalho articulado com os docentes. - Apresentar às estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica o Modelo de Autoavaliação das Bibliotecas Escolares, através da organização de uma acção de formação, realizada pelo Coordenador da BE e/ou outro professor bibliotecário, de carácter informal. A.1.2 Parceria da BE com os docentes - Apresentar aos docentes das ACND sugestões de trabalho conjunto em torno do tratamento das diferentes unidades de ensino ou responsáveis pelas áreas curriculares não temas assegurando a inclusão da biblioteca e dos seus recursos nas actividades desenvolvidas no Estudo Acompanhado, na Área disciplinares (ACND) da escola/ agrupamento. Projecto, na Formação Cívica e nas Actividades de Enriquecimento Curricular. 1 Indicadores Acções de Melhoria Acção de Formação: Coordenação e Dinamização das Bibliotecas Escolares | Trabalho realizado por Ana Paula Rodrigues
  4. 4. A.1.3 Articulação da BE com os docentes - Promover reuniões regulares com os docentes responsáveis pelo SAE.responsáveis pelos serviços de apoios - Organizar acções informais de formação junto dos docentes.especializados e educativos (SAE) da escola/agrupamento - Apresentar aos docentes responsáveis pelo SAE sugestões de trabalho conjunto em torno do tratamento das diferentes unidades de ensino ou temas assegurando a inclusão da biblioteca e dos seus recursos nas actividades desenvolvidas por estes docentes. - Incluir docentes responsáveis pelo SAE na equipa da biblioteca.A.1.4 Ligação da BE ao Plano Tecnológico da - Desenvolver de forma regular e consistente a articulação e o planeamento de actividades em conjunto com os docentes no âmbito doEducação (PTE) e a outros programas e PTE e de diferentes programas e projectos curriculares.projectos curriculares de acção, inovaçãopedagógica e formação existentes na escola/agrupamento.A.1.5 Integração da BE no plano de ocupação - Rentabilizar a utilização da BE promovendo actividades de estudo, leitura e pesquisa orientada, clubes, uso das TICs ou outrasdos tempos escolares (OTE) da escola/ actividades de substituição relacionadas com o plano de ocupação dos tempos escolares.agrupamento - Reforçar a participação e apoio da BE nas actividades de substituição, através da produção, em articulação com os departamentos curriculares, guiões de actividades destinados aos alunos da escola/Agrupamento.A.1.6 Colaboração da BE com os docentes na - Reforçar as experiências de cooperação e colaboração entre os docentes e a BE, avaliada positivamente, alargando-as a outrosconcretização das actividades curriculares docentes com quem se estabelecerá o diálogo.desenvolvidas no espaço da BE ou tendo por - Produzir materiais didácticos em colaboração/articulação com os docentes e divulgar, de forma regular e consistente através debase os seus recursos. blogs, sites web, plataformas de e-learning e de outros instrumentos de difusão. - Integrar na equipa da BE elementos provenientes de áreas disciplinares variadas e com formações diferenciadas de forma a contribuir para o enriquecimento e diversificação dos materiais produzidos e que sejam veiculados dentro dos seus departamentos curriculares.A. Apoio ao Desenvolvimento CurricularA. 2. Promoção das Literacias da Informação, tecnológica e digital: acções de melhoria 1 Indicadores Acções de Melhoria Acção de Formação: Coordenação e Dinamização das Bibliotecas Escolares | Trabalho realizado por Ana Paula Rodrigues
  5. 5. A.2.1 Organização de actividades de - Incluir no plano de actividades da BE acções de formação de utilizadores com turmas/grupos/alunos e com docentes de uma formaformação de utilizadores na escola/ contínua e progressivamente mais aprofundada, no sentido de promover o valor da BE, motivar a sua utilização, esclarecer sobre asagrupamento. formas como está organizada, ensinar a utilizar os diferentes serviços, consolidando a autonomia dos utilizadores.A.2.2 Promoção do ensino em contexto de - Proceder, em ligação com as estruturas de coordenação educativa e de supervisão pedagógica, ao levantamento nos currículos dascompetências de informação da escola/ competências de informação inerentes a cada área disciplinar/área de conteúdo com vista à definição de um currículo de competênciasagrupamento. transversais adequado a cada nível/ano de escolaridade. - Incentivar a divulgação do modelo de pesquisa de informação, de forma que o mesmo seja usado por toda a escola. - Reforçar a cooperação com os docentes produzindo e/ou explorando o guião de pesquisa, o modelo de organização do trabalho, a pesquisa de informação em diferentes suportes, que deve ser posto em prática através da realização de trabalhos de âmbito disciplinar, avaliados em conjunto pelo professor bibliotecário e pelo professor da área disciplinar.A.2.3 Promoção do ensino em contexto de - Conferir maior visibilidade aos recursos produzidos neste âmbito através da realização de actividades de formação para docentes ecompetências tecnológicas e digitais na alunos no domínio da literacia tecnológica e digital.escola/ agrupamento. - Enquadrar os projectos escolares de iniciativa da BE, que incluem actividades de consulta, de produção e tratamento de informação e sua apresentação no contexto de apoio ao desenvolvimento curricular e de trabalho colaborativo com o professor de sala de aula.A.2.4 Impacto da BE nas competências - Introduzir uma política na Escola/agrupamento orientada para o ensino sistemático e em contexto curricular de competênciastecnológicas, digitais e de informação dos tecnológicas e de informação.alunos na escola/ agrupamento. - Reforçar a participação e apoio da BE nas actividades que implicam o desenvolvimento das competências tecnológicas, digitais e de informação, para que os alunos revelem progressos na capacidade de avaliar a relevância, a fiabilidade e a validade da informação nos diferentes recursos.A.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento - Envolver os alunos na vida da BE, através da criação de um grupo de monitores ou “amigos” da biblioteca.de valores e atitudes indispensáveis à - Valorizar o papel dos procedimentos e atitudes nos processos de aprendizagem.formação da cidadania e à aprendizagemao longo da vida. - Mobilizar a escola para a criação de um código de conduta, coerente e de aplicação generalizada. 1 Acção de Formação: Coordenação e Dinamização das Bibliotecas Escolares | Trabalho realizado por Ana Paula Rodrigues

×