Seminário 10: Cabelo e Pelos: um enfoque molecular

100 visualizações

Publicada em

A apresentação faz parte do curso: Estrutura, fisiologia e bioquímica da pele aplicadas à ciência cosmética. Cabelos e pelos são importantes anexos cutâneos do ponto de vista cosmético e de higiene pessoal. A presente apresentação tem como objetivo abordar aspectos inovadores a respeito do fio de cabelo e pelos.

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
100
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário 10: Cabelo e Pelos: um enfoque molecular

  1. 1. Estrutura, fisiologia e bioquímica da pele aplicadas à ciência cosmética. Alexandre Ferreira Cabelo e pelos: um enfoque molecular
  2. 2. Estrutura peloFolículopiloso Célulasmortase queratinizadas CélulasVivas
  3. 3. Matriz do bulbo Piloso O Folículos Piloso Dutoda Glândula Sebácea Músculo Eretordo pelo Bojo do folículo piloso Papila Dermal Unidade Pigmentar Queratinócitos da matriz
  4. 4. Camadas do Folículo Bainha Internada raiz Bainha de Tecido Conectivo Bainha Externa da raiz Camada de Henle Camada de Huxley Cutícula
  5. 5. O Fio de Cabelo Córtex Medula Queratina Microfibrila Macrofibrila Matriz Dímero Tipo I/II Célula Cutícula Epicutícula Camada A Endocutícula Exocutícula Complexo de membrana celular
  6. 6. Composição Componente % (pp) Proteína 65 a 95% Lipídeo 1 a 9% Melanina 2 a 3% Água Até 35%
  7. 7. Fatores Determinantes da Morfologia do pelo
  8. 8. Fatores Determinantes da Morfologia do pelo Tamanho da Papila Dérmica Diâmetro do Fibra Taxa de divisão celular Crescimento Linear Duração do Fase Anágena Tamanho Máximo do Fio
  9. 9. Foliculomorfogênesis INDUÇÃO Epidermal Dermal Comunicação Células tronco Mesodermais Condensado Dermal Células tronco epidermais Placode Dente Folículo Piloso Unha Família Wnt/wingless Família hedgehog TGF-b/BMP FGF TNF Bainha Tecido Conjuntivo Papila Dérmica Folículo piloso Glândula Sebácea Glândula Sudorípara apócrina
  10. 10. Foliculomorfogênesis 5 8 Folículo ciclando Organogênesis Citodiferenciação 3 Permanente Ciclando
  11. 11. Nichos de Células Tronco Bojo Piloso Papila Dérmica - Células tronco melanocíticas - Células tronco epidermais - Células tronco mesodermais
  12. 12. Anágena II IV VI Ciclo Telógena Papila Dermal Bojo Piloso Células de Amplificação Transitória Catágena • 2 – 3 anos • 85% • ~ 3 mese • 10 – 15% • 2 – 3 semanas
  13. 13. Marcadores Tipos celulares fibronectin Sca-1 nexin versican Wnt5a Skin precursors vimentin Neurosferas embrionárias do CNS Dermo-1 SHOX-2 Sox9 Células tronco da crista neural p75NTR snail twist slug Pax3 periferina dopamine beta-hydroxylase tyrosin hydroxilase NCAM bIII-tubulina Neurofilamento M (NFM) CNPase S100B Sox10 froskolin p75NTR glialfibrillary acidic protein (GFAP) Myelin basic protein (MBP) P0 peripheral myelin protein Células de Schwann Nerurônios periféricos queratina-18 queratina-15 queratina-5 Derme embrionária região crâniofacial SMA Células de Merkel Cel. tronco do bojo do folículo piloso Cel. Epiermais Basais Músculo liso trp1 c-kit dct Melanoblasto /Melanócito nestin queratina-15 Keratinócitos
  14. 14. Identificando Diferentes Tipos Celulares
  15. 15. Isolamento de Células Tronco Dimensões Celulares Incorporação de Marcadores • Separação usando Citometria de Fluxo
  16. 16. Isolamento de Células Tronco • Separação por métodos de cultura diferenciais Digestão com tripsina Cultivo em meio apropriado
  17. 17. Foliculoneogênesis Células epiteliais Células dermais Origem Fetal
  18. 18. Avaliação de Danos • Técnica para Avaliar constituição molecular do cabelo • Compreender – Doenças que afetam formação do fio – Mudanças que ocorrem em função de fontes de dano – Alvos moleculares para tratamentos preventivos ou corretivos
  19. 19. Fonte de Danos UV Proteínas LipídeosMelanina Agentes Descolorantes ROS Oxidação Descoloração Peroxilipídeos Triptofano Cisteína Ácido cisteico Quebra pontes disulfeto Foto- Degradação Detergentes Remoção de Grânulos Remoção DANOS
  20. 20. Fonte de Danos ROS Espectroscopia de Aniquilação de Pósitrons (PALS) Alterações estruturais Ressonância Paramagnética Eletrônica (EPR)Melanina Peroxido lipídeos Dosagem Bioquímica de Malondialdeído (MDA) com ácido tiobarbitúrico (TBA) Proteínas Avaliação da Proteína Total Eletroforese 2D Proteômica Espectrofotometria Visível Dosagem Bioquímica (Lowry/Bradford) Espectrometria 275nm Triptofano Fluorimetria (ex. 290 nm / em. 345 nm)
  21. 21. Análise Proteômica Cabelo Eluição das proteínas em água Quantificação de Proteína Total Solúvel Identificação: Espcetrometria de Massa MALDI-TOF Separação Proteínas Eletroforese 2D Separação Cromatográfica Proteínas solúveis Proteínas Remanescentes
  22. 22. Perda de Proteína Total British Association of Dermatologists 2012 166 (Suppl. 2), pp 27–32 • Dano leva a uma maior perda de proteína • Técnica sensível • Detecção do dano em estados iniciais Proteína Total 0,4% 0,1%
  23. 23. Análise da Proteína Solúvel Cabelo Virgem Cabelo Descolorido
  24. 24. Marcadores de Dano Proteína Tipo Origem Queratina 31 Ácida Córtex Queratina 33A Ácida Córtex Queratina 33B Ácida Córtex Queratina 81 Básica Córtex Queratina 83 Básica Córtex Queratina 85 Básica Córtex/Cutícula Queratina 86 Básica Córtex
  25. 25. Análise da Proteína da proteína Remanescente Cabelo Virgem Cabelo Descolorido
  26. 26. Barreira a Absorção Epidermal Transição Tricolemal Padrão de diferenciação Eficaz Barreira cutânea Prejudicada Inexistente Absorção Baixa Crescente Alta Rotadeentregade moléculas
  27. 27. folicular Entrega Folicular DNA RNA Fatores de crescimento (proteínas/peptídeos) Barreira Novas Drogas Interfolicular 2% área superficial Imunização Modulação crescimento Pigmentação Interferência em vias de sinalização
  28. 28. Entrega Folicular Nanopartículas (10 a 0,1 µm) Nanopartículas Biodegradabilidade Estabilidade Entrega controlada Biodisponibilidade Orientação Retenção 3–10 µm 0,75–1,5 µm < 1µm > 10 µm
  29. 29. KnowWhy treinamentos especializados Alexandre HP Ferreira, Ph.D. www.linkedin.com/company/knowwhy alexhpf@yahoo.com.br Campinas - SP www.facebook.com/KnowWhy.br twitter.com/knowwhy_br br.linkedin.com/in/alexandrehpferreira/

×