Embriologia início

293 visualizações

Publicada em

Começo de embriologia para o ensino médio principalmente

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
293
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Embriologia início

  1. 1. 02/07/2015 1 EMBRIOLOGIA
  2. 2. 02/07/2015 2 1º dia do ciclo → endométrio bem desenvolvido, espesso e vascularizado começa a descamar → menstruação ↓ Hipófise aumenta a produção de FSH, que atinge a concentração máxima por volta do 7º dia do ciclo. ↓ Amadurecimento dos folículos ovarianos ↓ Secreção e estrógeno pelo folículo em desenvolvimento ↓ Concentração alta de estrógeno inibe secreção de FSH e estimula a secreção de LH pela hipófise / concentração alta de estrógeno estimula o crescimento do endométrio. ↓
  3. 3. 02/07/2015 3 Concentração alta de LH estimula a ovulação (por volta do 14º dia de um ciclo de 28 dias) ↓ Alta taxa de LH estimula a formação do corpo lúteo ou amarelo no folículo ovariano ↓ Corpo lúteo inicia a produção de progesterona ↓ Estimula as glândulas do endométrio a secretarem seus produtos ↓ Aumento da progesterona inibe produção de LH e FSH ↓ Corpo lúteo regride e reduz concentração de progesterona ↓ Menstruação O aumento da concentração de estrogênio na circulação causa vários efeitos: • O estrogênio exerce uma retroalimentação negativa na secreção de FSH, assim impedindo a maturação de folículos adicionais no mesmo ciclo. • O estrogênio estimula a produção de mais estrogênio pelas células da granulosa. • O estrogênio leva as glândulas mucosas do colo do útero a produzir um muco claro e aquoso. Na fase lútea a ação da progesterona • As glândulas endometriais enroladas e vasos sangüíneos adicionais crescem na camada de tecido conjuntivo • As células endometriais depositam lipídios e glicogênio no seu citoplasma; • A ação da progesterona torna o muco cervical mais espesso. Esse muco cria uma capa que bloqueia a abertura cervical, impedindo tanto infecção bacteriana quanto a entrada de espermatozóides no útero. • A progesterona tem uma capacidade termogênica.
  4. 4. 02/07/2015 4 O ciclo menstrual os 28 dias do ciclo estão divididos em fases com base nos eventos que ocorrem no útero e no ovário. Durante a fase lútea a temperatura basal da mulher,medida imediatamente na hora de acordar e antes de sair da cama, aumenta para 36,4° a 36,7° e se mantém elevada até a menstruação.
  5. 5. 02/07/2015 5 Terminologia Embriológica Ovócito: Célula germinativa feminina, produzida no Ovário, podendo ser: Primário ou secundário. Terminologia Embriológica Espermatozóide (SPTZ): Célula germinativa masculina, produzida no testículo, 60 µm – 0,06 mm
  6. 6. 02/07/2015 6 Terminologia Embriológica Zigoto: Célula formada pela união de um Ovócito com um Espermatozóide, é o início de um novo organismo. Fertilização: Ovócito secundário que foi penetrado por um Espermatozóide. 150µm - 0.15 mm Terminologia Embriológica Clivagem: Divisão mitótica das células, ou a clivagem do Zigoto formando as células embrionárias, denominadas Blastomeros. Mitose: é um processo de divisão celular, que a partir de uma célula formada, originam-se duas células com a mesma composição genética Terminologia Embriológica Mórula: Após a formação de dois ou mais Blastômeros. 3 a 4 dias após a fecundação.
  7. 7. 02/07/2015 7 Terminologia Embriológica Blastocisto: Após o deslocamento da Mórula da tuba uterina para o Útero, forma-se uma cavidade cheia de fluido denominada ''Cavidade blastocística’' e uma massa celular interna (Embrioblasto) que originará o embrião. Terminologia Embriológica Embrião: Período embrionário vai até a oitava semana de desenvolvimento. Momento em que todas as principais estruturas estão começando a desenvolver. Somente o coração e a circulação estão funcionando. O tamanho do embrião é dado pelo comprimento cefalocaudal (CRL), medido do vértice do crânio até as nádegas. Terminologia Embriológica Concepto: Refere-se ao embrião e todas as estruturas que se formam, sendo, embrionárias como extra- embrionárias. Embrião Âminio Saco coriônico Saco Vitelino Terminologia Embriológica Feto: Após o período embrionário ( 8 semanas), Ocorre a diferenciação e o crescimento dos tecidos e órgãos, tornado possível o funcionamento destes.
  8. 8. 02/07/2015 8 Fases da embriologia Gametogênese Fertilização Clivagem Gastrulação Organogênese Parte da embriologia que se ocupa do desenvolvimento anormal é conhecida como teratologia IMPORTÂNCIA DA MEIOSE A meiose é importante de várias maneiras: • Ela mantém constante o número de cromossomos de geração para geração, de diplóide para haplóide, produzindo, desta maneira gametas haplóides. • Permite a seleção ao acaso dos cromossomos maternos e paternos entre os gametas. • Por meio do crossing-over de segmentos de cromossomos, ela realoca segmentos de cromossomos maternos e paternos, o que embaralha os genes e produz uma recombinação do material genético.
  9. 9. 02/07/2015 9 GAMETOGÊNESE NORMAL GAMETOGÊNESE ANORMAL
  10. 10. 02/07/2015 10 Quanto ao local do desenvolvimento do embrião, podemos dividir os animais em: Ovulíparos: animais que apresentam fecundação externa e desenvolvimento no interior de um ovo aquático. Invertebrados aquáticos, maioria dos peixes e anfíbios. Ovíparos: animais que apresentam fecundação interna e desenvolvimento no interior de um ovo aquático ou terrestre. Répteis em geral, alguns peixes, aves e vários invertebrados. Ovovivíparos: animais que apresentam fecundação interna e que se desenvolvem dentro de ovos que ficam retidos no organismo materno. Alguns peixes e determinados répteis. Vivíparos: animais com fecundação interna e desenvolvimento no interior do organismo materno. Maioria dos mamíferos. ovulíparo ovulíparo ovíparo
  11. 11. 02/07/2015 11 ovovivíparo vivíparo Bloqueio à polispermia Reação do oócito à entrada do espermatozóide, impedindo a entrada de outros espermatozóides. Inicialmente há a despolarização da membrana do oócito devido a um influxo de cálcio e de sódio: o potencial de repouso muda de -70mV para +10mV. Com a membrana plasmática positiva, outro espermatozóide não consegue inserir a proteína fusogênica, também de carga positiva. Este bloqueio tem curta duração: cerca de 1min, mas é o tempo suficiente para um bloqueio definitivo ser desencadeado: a reação cortical (ou reação de zona). O aumento dos níveis citoplasmáticos de cálcio provoca a exocitose dos grânulos corticais. Dos grânulos são liberados enzimas e glicosaminoglicanos.
  12. 12. 02/07/2015 12 FECUNDAÇÃO FECUNDAÇÃO FECUNDAÇÃO Tipos de óvulos • Classificados conforme a quantidade e distribuição do vitelo ou lécito (reserva de lipídio e proteína ) em: – Oligolécito – Heterolécito – Telolécito – Centrolécito
  13. 13. 02/07/2015 13 Óvulo oligolécito, alécito ou isolécito • Pequena quantidade de vitelo, distribuído de maneira mais ou menos uniforme no citoplasma. • Encontrados em mamíferos, equinodermos e anfioxo. Grânulos de lécito Membrana vitelínica (plasmática) bioplasma núcleo nucléolo Corona radiata Zona pelúcida Óvulo Heterolécito ou Telolécito Incompleto • Quantidade média de vitelo, distribuído de maneira desigual nos dois pólos da célula. • Encontrados em anfíbios e alguns peixes. Óvulo Telolécito Completo ou Megalécito. • Grande quantidade de vitelo distribuído pelo pólo vegetativo. • Encontrados em aves e répteis.
  14. 14. 02/07/2015 14 Óvulo Centrolécito • Os óvulos centrolécitos concentram uma parte do seu vitelo no centro do citoplasma, ao redor do núcleo e a outra parte na periferia citoplasmática. • Encontrado em artrópodes. Fases da Embriogênese • Segmentação ou clivagem • Gastrulação • Neurulação • Organogênese Evolução do ovo Zigoto Mórula Blástula Gástrula órgãos Nêurula tecidos 1ª divisão 3ª divisão2ª divisão Mórula Segmentação
  15. 15. 02/07/2015 15 1 - Mórula 2 - início da blastulação 3 - Blástula 4 – início da gastrulação 5 - Gástrula a) ectoderme b) mesentoderme (endoderme) c) arquêntero d) blastóporo Segmentação ou Clivagem • Conforme a quantidade e distribuição de vitelo ou lécito. Segmentação ou Clivagem Total ou Holoblástica Igual Óvulos Oligolécitos Desigual Óvulos Heterolécitos Parcial ou meroblática Discoidal Óvulos Telolécitos Superficial Óvulos Centrolécitos O vitelo • Plasma nutritivo com função de nutrir o embrião em desenvolvimento • A quantidade de vitelo é variável nos diferentes óvulos; varia também a localização de vitelo em relação ao citoplasma e ao núcleo. Esses dois caracteres permitem classificar os óvulos em diversos tipos, como podemos observar a seguir Segmentação total Igual
  16. 16. 02/07/2015 16 A - óvulo C – início da 1ª clivagem B – óvulo fecundado D – 2 células E e F – 4 células G – 8 células H – mórula I - blástula Segmentação Total Desigual Segmentação Parcial Discoidal
  17. 17. 02/07/2015 17 Segmentação Parcial Superficial - Pólo animal, que contém o núcleo, organelas, grânulos de pigmento e grânulos de vitelo pequenos e pouco numerosos. Deste pólo são liberados os corpúsculos polares; - Pólo vegetal, com grânulos de vitelo maiores e mais concentrados. O vitelo consiste de carboidratos, lipídios e proteínas, podendo incluir lipoproteína e fosfoproteína, pode ser produzido dentro do oócito (autossíntese) ou fora (heterossíntese). FORMAÇÃO DO BLASTOCISTO Normalmente a formação do blastocisto se dá no útero. O embrião em desenvolvimento só aumenta de tamanho após a degeneração da zona pelúcida. cerca de 6 dias após fertilização, o blastocisto se prende ao endométrio.
  18. 18. 02/07/2015 18 Implantação após 1 semana. Corpo estranho? Rejeição? Processo de implantação do blastocisto no endométrio Estratégias de implantação em diferentes espécies Trofoblasto se ligue firmemente ao endométrio ABORTOS ESPONTÂNEOS PRINCIPAIS CAUSAS: Anormalidades cromossômicas Cerca de 50% de todos os abortos espontâneos

×