SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Baixar para ler offline
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
E-MAIL: trabalhosnota10sp@gmail.com
E-MAIL: consultoriaacessoriaacademica@gmail.com
SITE:www.trabalhosnota10sp.wixsite.com/my-site-1
SITE:www.consultoriaacademica10.com.br
FONE whatsApp (66) 99694-5762.
Enfermagem
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
Curso: Enfermagem Semestre: 7º flex / 8º reg
Disciplinas:  Saúde mental
 Enfermagem em centro-cirúrgico
 Gestão em saúde
Professores  Danieli J. Garbuio Tomedi
 Franciely Midori B. de Freitas
 Dayane A. Scaramal
Competências:  Conhecer e intervir no processo de saúde-doença,
responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado
de enfermagem em seus diferentes níveis de atenção à
saúde, com ações de promoção, prevenção, proteção e
reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da
assistência.
 Conhecer o processo de saúde-doença mental e suas
articulações nos diversos eventos da vida.
 Conhecer e compreender os fundamentos básicos da gestão
dos recursos humanos no contexto da assistência à saúde.
Habilidades: Ao concluir as etapas propostas neste desafio, você terá
desenvolvido as seguintes competências e habilidades:
 Possibilitar o desenvolvimento de trabalhos em grupo,
promovendo a capacidade de adaptação, comunicação e
integração do espírito de equipe.
 Fornecer sólida formação humanística e visão global que
habilite o acadêmico a compreender os meios social, político,
cultural e econômico.
 Promover formação teórico-prática possibilitando a vivência
concreta nas organizações, estimulando uma postura
investigativa e de análise crítico-reflexiva.
 Formar profissionais com visão integral, capacidade de
adaptação e flexibilidade, que atuem de forma
interdisciplinar.
 Capacitar para que os indivíduos possam tomar decisões
complexas com ética e responsabilidade.
 Permitir que os indivíduos consigam ampliar sua visão de
forma competitiva, promovendo melhorias nas
organizações.
Objetivos da
Aprendizagem:
A produção textual é um procedimento metodológico de ensino
aprendizagem que tem por objetivos:
• Favorecer a aprendizagem.
• Estimular a corresponsabilidade do aluno pelo
aprendizado eficiente e eficaz.
requeridas pelo Catálogo Nacional de Cursos Superiores
do Ministério da Educação.
• Promover a aplicação dateoria e conceitos para a solução
de problemas práticos relativos à profissão.
• Direcionar o estudante para a busca do raciocínio crítico
e a emancipação intelectual.
competências
das
desenvolvimento
no
Auxiliar
Promover o estudo dirigido a distância.
Desenvolver os estudos independentes, sistemáticos e o
auto aprendizado.
Oferecer diferentes ambientes de aprendizagem.
•
•
•
•
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
Prezado(a) aluno(a),
Seja bem-vindo(a) a este semestre!
A proposta de Produção Textual Interdisciplinar em Grupo (PTG) terá como temática
“Enfermagem em Centro-Cirúrgico”. Escolhemos esta temática para possibilitar a aprendizagem
interdisciplinar dos conteúdos desenvolvidos nas disciplinas deste semestre.
Neste trabalho vocês desenvolverão um texto argumentativo que deve contemplar as
indagações do roteiro de conteúdos sobre a situação geradora de aprendizagem (SGA) proposta.
Para tanto, a seguir apresentamos as orientações:
ORIENTAÇÕES DA PRODUÇÃO TEXTUAL
1. Formação dos grupos
Todos os integrantes devem pertencer à mesma turma e curso.
2. Leitura e interpretação da SGA
Todos os integrantes do grupo deverão ler atentamente a SGA descrita abaixo. A SGA é uma
situação-problema hipotética criada com base na vivência real do profissional de enfermagem.
Utilizem seus conhecimentos teóricos a partir das disciplinas desse semestre para interpretar a SGA.
Em grupo, destaquem os pontos importantes para, posteriormente, produzir o texto.
Situação Geradora de Aprendizagem (SGA)
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
A Central de Material e Esterilização (CME) é um setor onde a assistência de enfermagem é prestada
indiretamente ao cliente, porém não menos importante que a assistência direta, pois é responsável
pelo preparo, processamento, estoque e distribuição dos artigos médico-cirúrgicos e equipamentos
necessários para a assistência ao paciente. No Hospital São Lucas a CME é agregada ao Centro
Cirúrgico (C.C), sob a responsabilidade de um único enfermeiro, o que gera bastante desgaste e
problemas ao processo gerencial, posto que o trabalho desenvolvido nos ambientes é bastante
distinto um do outro. Jonas, por ser o enfermeiro responsável pelo C.C e CME precisa escolher
adequadamente tanto os recursos materiais quanto os humanos, bem como a seleção e o
treinamento de pessoal levando-se em conta o perfil do setor. Além disso, ele é o responsável por
atividades de coordenação, orientação e supervisão de todas as etapas do reprocessamento dos
produtos e estabelecimento de interfaces com as unidades consumidoras. No entanto, Jonas, por
liderar os dois setores, precisa continuar mantendo excelentes resultados na assistência e por isso
vem aumentando constantemente as exigências de toda a equipe. Todo mês é a mesma reclamação:
a escala muda, os funcionários são realocados e não são avisados sobre tal. Muitos afirmam que o
sentimento frente a isso é de descaso com a equipe, ou seja, que Jonas não se importa com a opinião
ou vontade da equipe. Além do exposto, o trabalho da CME segue um ritmo acelerado, com
exigências físicas e mentais, exposição a riscos químicos, físicos e biológicos, espaço físico muita das
vezes desfavorável. Todos esses fatores geram desgaste, ansiedade e medo, comprometendo não só
a saúde dos colaboradores como a qualidade do serviço. O fato é que no último plantão os dois
setores tiveram intercorrências, na CME uma colaboradora se perfurou ao manipular um material
perfuro cortante acondicionado de maneira inadequada, configurando acidente de trabalho e no CC:
na sala de recuperação anestésica, um paciente da equipe de neurocirurgia caiu do leito enquanto a
técnica de enfermagem que estava ao lado mexia no celular no exato momento, além de duas
cirurgias canceladas por falta de materiais, causando irritação por parte das equipes médicas
envolvidas. O médico responsável pelo paciente que apresentou queda do leito, ao saber do ocorrido
procurou Jonas e usou palavras duras a respeito de seu trabalho e de sua equipe, desqualificando-os
de maneira bastante desrespeitosa e na frente de todos, inclusive de alguns pacientes. Momentos
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
depois, Jonas começou a queixar-se de falta de ar, palpitações, sudorese, tremores e fortes dores no
peito, segundo ele a sensação de morte. Vendo a situação, a alguns colegas da equipe de Jonas
encaminharam-no ao Pronto-Socorro, onde realizaram o atendimento compreendido pela
solicitação de diversos exames, e a hipótese inicial de Acidente Vascular Encefálico (AVE) foi
descartada.
ROTEIRO DE CONTEÚDOS
Após a leitura da situação-problema o desafio está lançado.
Respondam os desafios propostos articulando-os em um relatório final.
Para isso, busque soluções para os problemas apresentados, mas, lembre-se de que TODOS os
desafios propostos devem ser respondidos fazendo articulações com a SGA. Logo, é fundamental
apresentar poder argumentativo e boa fundamentação das justificativas.
DESAFIO 1: O ataque de pânico, decorrente do transtorno do pânico, é considerado uma das
principais causas de emergência psiquiátricas em unidades de pronto atendimento. Seus sintomas
muitas vezes se confundem com as manifestações de doenças orgânicas, como as doenças
pulmonares e cardiovasculares, por exemplo. Além disso, a maioria dos casos demoram a ser
diagnosticados corretamente, levando a um desenvolvimento crônico e incapacitante da doença.
Dessa forma, o conhecimento a respeito desse quadro permite uma correta avaliação, bem como o
encaminhamento precoce a serviços especializados na atenção primária a saúde. Nesse sentido,
descreva como deve ser realizada a avaliação inicial de Jonas no pronto socorro, e qual a rede de
apoio na atenção primária para seu acompanhamento.
DESAFIO 2: Percebemos na nossa SGA que o motivo do conflito entre os membros da equipe foi a
falta de materiais que deveriam ser utilizados durante o ato cirúrgico. A falta de materiais e
equipamentos no centro cirúrgico acontece rotineiramente no cotidiano, variando desde os mais
simples até os mais complexos, como próteses e órteses. O gerenciamento de materiais tem como
finalidade suprir os recursos materiais necessários para a organização de saúde, com qualidade, em
quantidades adequadas, no tempo certo e, sobretudo, ao menor custo. Nesse sentido, atualmente,
esse gerenciamento compõe uma das atribuições do enfermeiro nas Unidades Hospitalares. Agora é
sua vez! Descreva as atribuições do enfermeiro responsável pelo gerenciamento de recursos
materiais nas unidades de Centro Cirúrgico e como ele poderá realizar essa gestão de forma eficiente.
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
DESAFIO 3: O centro cirúrgico é considerado um setor complexo devido sua especificidade, além de
ser um setor restrito que impõe à equipe de saúde momentos estressantes ao lidar com aspectos
referentes à habilidade técnica, recursos materiais e relacionamento interpessoal. Sobre as relações
interpessoais, estas podem ser consideradas ‘instrumentos de trabalho’ e quando há conflito podem
acarretar distanciamento entre as pessoas, podendo afetar diretamente o cuidado. A SGA apresenta
diversos elementos estressores, capazes de promover conflitos, além de um estilo de liderança
aparentemente arbitrário. Diante do exposto, responda:
- De acordo com a SGA, descreva e caracterize o estilo de liderança do enfermeiro Jonas (Laissez-
faire, Autoritário, Democrático ou Situacional).
- Diante do ocorrido, um assunto que merece destaque é a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT).
Com base nisso, Marziale e Dantas (2011) correlacionam a QVT à compreensão do trabalho em três
diferentes níveis: a) Primeiro nível: relaciona-se ao contexto externo do trabalho; b) Segundo nível:
compreende o contexto organizacional do trabalho e c) Terceiro nível: consiste no contexto do
trabalho propriamente dito. Faça uma reflexão a partir do que foi descrito na situação-problema e
explique quais níveis estão deficitários e podem ter contribuído com o ataque de pânico apresentado
por Jonas.
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
REFERÊNCIAS
BOGO, P. C. et al. O enfermeiro no gerenciamento de materiais em hospitais de ensino. Rev. Esc.
Enferm. USP. v. 4, n. 49, p. 632-639, 2015. Disponível em: https://bit.ly/3hpKFVB. Acesso em: 22
jul. 2020.
CARVALHO, R. Enfermagem em centro cirúrgico e recuperação anestésica. Barueri, SP: Manole,
2015. [Minha Biblioteca]
DE OLIVEIRA, L. G. M.; SGUAREZI, J. G. D.; PAULIN, L. F. R. S. Crise de pânico: abordagem no pronto
socorro. Ensaios USF. Bragança Paulista, v. 1, n. 1, p. 25-33, 2017. Disponível em:
https://bit.ly/2WIdWCR. Acesso em: 21 jul. 2020.
DOS SANTOS, K. C. B. et al. Comunicação e relacionamento interpessoal no centro cirúrgico:
aplicação da metodologia da problematização. Rev. Eletro. Acervo Saúde, v. 24, 2018. Disponível
em: https://doi.org/10.25248/reas.e698.2019. Acesso em: 22 jul. 2020.
FERREIRA, F. H.; SAMPAIO, M.O.; THOMAS, M.C.A. Gestão em Saúde. Londrina: Editora e
Distribuidora Educacional S.A., 2017. [Minha Biblioteca]
LIMA, A. F. C. et al. Gerenciamento em enfermagem. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
2019. [Minha Biblioteca]. Disponível em:
https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788527730198/cfi/6/2!/4/2@0.00:0. Acesso
em: 22 jul. 2020.
MARCITELLI, C.R.A. Qualidade de Vida no Trabalho dos Profissionais de Saúde. UNICIÊNCIAS, v. 19,
n. 2, p. 169-173. Disponível em: https://bit.ly/3ujuSR6. Acesso em: 02 jul. 2022.
SALIMENA, A. M. O. et al. Relações interpessoais no centro cirúrgico: equipe de enfermagem e
equipe médica. Rev. Enf. do Centro Oeste Mineiro, 2019. Disponível em:
http://seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/3328. Acesso em: 22 jul. 2020.
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
NORMAS PARA ELABORAÇÃO E ENTREGA DA PRODUÇÃO TEXTUAL
1. O trabalho será realizado em grupos, de 02 a 07 alunos, no máximo.
2. A formação dos grupos é de responsabilidade dos alunos; no entanto, solicitamos que sigam as
orientações do Tutor Presencial, responsável por cadastrar os grupos no sistema.
3. Importante: somente o líder do grupo conseguirá cadastrar o trabalho finalizado no sistema, o
que deverá ser feito na pasta específica (“atividades interdisciplinares”), obedecendo ao prazo limite
de postagem, conforme disposto no cronograma do curso. Não existe prorrogação para a postagem
da atividade.
4. O trabalho final que será postado no ambiente virtual de aprendizagem deve conter de 06 até, no
máximo, 8 laudas (considerando-se apenas a produção textual em si, com introdução,
desenvolvimento e conclusão, excetuando-se os elementos pré e pós-textuais).
5. O trabalho final deve conter, depois de pronto, capa e folha de rosto padrão da Universidade,
sendo organizado no que tange à sua apresentação visual (tipos e tamanhos de fontes, alinhamento
do texto, espaçamentos, adentramento de parágrafos, apresentação correta de citações e
referências, entre outros elementos importantes), conforme modelo disponível no AVA.
6. A produção textual é um trabalho original e, portanto, não poderá haver trabalhos idênticos aos
de outros alunos ou com reprodução de materiais extraídos da internet. Os trabalhos plagiados serão
invalidados, sendo os alunos reprovados na atividade. Lembre-se de que a prática do plágio constitui
crime, com pena prevista em lei (Lei n.º 9.610), e deve ser evitada no âmbito acadêmico.
6. Importante: O trabalho deve ser enviado em formato Word. Não serão aceitos, sob nenhuma
hipótese, trabalhos enviados em PDF.
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO – PTG
CRITÉRIOS AVALIATIVOS
Apresentamos os critérios avaliativos que nortearão a devolutiva escrita e o conceito a ser dado pelo
tutor a distância.
Critério Significado Valor/peso
Coerência,
clareza e coesão
O texto apresenta uma linguagem de fácil
compreensão, apresentando os argumentos de modo
claro e coeso.
20%
Aplicação dos
conteúdos
interdisciplinares
no texto
argumentativo
No texto escrito (com as justificativas e argumentações)
as ideias apresentam relação direta com a situação
descrita e explicitam conteúdos exigidos.
30%
Riqueza de
argumentação
O texto tem relação direta com o tema, traduzem uma
reflexão crítica e contempla os pontos estabelecidos no
roteiro.
30%
Conclusão As considerações finais refletem, de fato, a resolução da
problemática pelo grupo sobre a SGA sem repetições ou
redundâncias.
10%
Normalização Respeito às normas da ABNT, respeito a escrita
ortográfica e estrutura solicitada.
10%
Um ótimo trabalho!
Equipe de professores

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Enfermagem em Centro-Cirúrgico.pdf

Conflitos amb.trab
Conflitos amb.trabConflitos amb.trab
Conflitos amb.trab
Pedro Eliel
 
Qualidade de vida de estudantes de enfermagem de uma faculdade privada
Qualidade de vida de estudantes de enfermagem de uma faculdade privadaQualidade de vida de estudantes de enfermagem de uma faculdade privada
Qualidade de vida de estudantes de enfermagem de uma faculdade privada
Universidade Estadual de Maringá
 

Semelhante a Enfermagem em Centro-Cirúrgico.pdf (20)

Cristina sexo feminino 47 anos de idade não possui comorbidades e nem faz us...
Cristina sexo feminino  47 anos de idade não possui comorbidades e nem faz us...Cristina sexo feminino  47 anos de idade não possui comorbidades e nem faz us...
Cristina sexo feminino 47 anos de idade não possui comorbidades e nem faz us...
 
Lesão por esforço repetitivo em atleta de elite.pdf
Lesão por esforço repetitivo em atleta de elite.pdfLesão por esforço repetitivo em atleta de elite.pdf
Lesão por esforço repetitivo em atleta de elite.pdf
 
Bio medicina 2 e 3
Bio medicina 2 e 3Bio medicina 2 e 3
Bio medicina 2 e 3
 
Conflitos amb.trab
Conflitos amb.trabConflitos amb.trab
Conflitos amb.trab
 
Qualidade de vida de estudantes de enfermagem de uma faculdade privada
Qualidade de vida de estudantes de enfermagem de uma faculdade privadaQualidade de vida de estudantes de enfermagem de uma faculdade privada
Qualidade de vida de estudantes de enfermagem de uma faculdade privada
 
Apostila_Classificação de Risco_Telessaude SC UFSC.pdf
Apostila_Classificação de Risco_Telessaude SC UFSC.pdfApostila_Classificação de Risco_Telessaude SC UFSC.pdf
Apostila_Classificação de Risco_Telessaude SC UFSC.pdf
 
Art5 perfil
Art5 perfilArt5 perfil
Art5 perfil
 
Doenças transmitidas por alimentos e suas consequências para os diferentes si...
Doenças transmitidas por alimentos e suas consequências para os diferentes si...Doenças transmitidas por alimentos e suas consequências para os diferentes si...
Doenças transmitidas por alimentos e suas consequências para os diferentes si...
 
ENFERMAGEM 7.pdf
ENFERMAGEM 7.pdfENFERMAGEM 7.pdf
ENFERMAGEM 7.pdf
 
Enfermeira Sandra.pdf
Enfermeira Sandra.pdfEnfermeira Sandra.pdf
Enfermeira Sandra.pdf
 
REVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUAL
REVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUALREVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUAL
REVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUAL
 
Enfermagem 4 e 5
Enfermagem 4 e 5Enfermagem 4 e 5
Enfermagem 4 e 5
 
Nir
NirNir
Nir
 
Farmácia - Desenvolvimento de um novo medicamento para tratamento da tubercul...
Farmácia - Desenvolvimento de um novo medicamento para tratamento da tubercul...Farmácia - Desenvolvimento de um novo medicamento para tratamento da tubercul...
Farmácia - Desenvolvimento de um novo medicamento para tratamento da tubercul...
 
Alterações sistêmicas e sequelas no paciente acometido pelo covid 19 e sua re...
Alterações sistêmicas e sequelas no paciente acometido pelo covid 19 e sua re...Alterações sistêmicas e sequelas no paciente acometido pelo covid 19 e sua re...
Alterações sistêmicas e sequelas no paciente acometido pelo covid 19 e sua re...
 
Nutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdf
Nutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdfNutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdf
Nutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdf
 
A enfermeira Sandra admitiu na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal um neona...
A enfermeira Sandra admitiu na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal um neona...A enfermeira Sandra admitiu na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal um neona...
A enfermeira Sandra admitiu na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal um neona...
 
Enfermagem 6 e 7 (1)
Enfermagem 6 e 7 (1)Enfermagem 6 e 7 (1)
Enfermagem 6 e 7 (1)
 
UTI.pdf
UTI.pdfUTI.pdf
UTI.pdf
 
O papel das lideranças na melhoria do desempenho das equipes, avaliação, educ...
O papel das lideranças na melhoria do desempenho das equipes, avaliação, educ...O papel das lideranças na melhoria do desempenho das equipes, avaliação, educ...
O papel das lideranças na melhoria do desempenho das equipes, avaliação, educ...
 

Mais de trabalhosnota10sp

Mais de trabalhosnota10sp (20)

Estagio Licenciatura
Estagio Licenciatura Estagio Licenciatura
Estagio Licenciatura
 
Relatorio de Estagio Pedagogia
Relatorio de Estagio PedagogiaRelatorio de Estagio Pedagogia
Relatorio de Estagio Pedagogia
 
Engenharia Civil TCC 1 e 2
Engenharia Civil TCC 1 e 2Engenharia Civil TCC 1 e 2
Engenharia Civil TCC 1 e 2
 
Aula Protica - Fisica Geral
Aula Protica - Fisica Geral Aula Protica - Fisica Geral
Aula Protica - Fisica Geral
 
FISICA GERAL Roteiros de aula Prática.
FISICA GERAL Roteiros de aula Prática. FISICA GERAL Roteiros de aula Prática.
FISICA GERAL Roteiros de aula Prática.
 
Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Nervoso e Cardiorrespiratório
Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Nervoso e CardiorrespiratórioCiências Morfofuncionais dos Sistemas Nervoso e Cardiorrespiratório
Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Nervoso e Cardiorrespiratório
 
Anatomia das Imagens em Radiologia
Anatomia das Imagens em RadiologiaAnatomia das Imagens em Radiologia
Anatomia das Imagens em Radiologia
 
Indústria Rocket Wings Co.pdf
Indústria Rocket Wings Co.pdfIndústria Rocket Wings Co.pdf
Indústria Rocket Wings Co.pdf
 
Fabricação de cachaça artesanal.pdf
Fabricação de cachaça artesanal.pdfFabricação de cachaça artesanal.pdf
Fabricação de cachaça artesanal.pdf
 
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
 
Enfermagem em Centro-Cirúrgico.pdf
Enfermagem em Centro-Cirúrgico.pdfEnfermagem em Centro-Cirúrgico.pdf
Enfermagem em Centro-Cirúrgico.pdf
 
Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil.pdf
Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil.pdfManejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil.pdf
Manejo para produção de Uvas de clima temperado no Brasil.pdf
 
Grupo Econômico SOLUNAR.pdf
Grupo Econômico SOLUNAR.pdfGrupo Econômico SOLUNAR.pdf
Grupo Econômico SOLUNAR.pdf
 
Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...
Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...
Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...
 
Indústria Rocket Wings Co.pdf
Indústria Rocket Wings Co.pdfIndústria Rocket Wings Co.pdf
Indústria Rocket Wings Co.pdf
 
Fabricação de cachaça artesanal.pdf
Fabricação de cachaça artesanal.pdfFabricação de cachaça artesanal.pdf
Fabricação de cachaça artesanal.pdf
 
Grupo Econômico SOLUNAR.pdf
Grupo Econômico SOLUNAR.pdfGrupo Econômico SOLUNAR.pdf
Grupo Econômico SOLUNAR.pdf
 
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
 
Ampliação do complexo TI&CO.pdf
Ampliação do complexo TI&CO.pdfAmpliação do complexo TI&CO.pdf
Ampliação do complexo TI&CO.pdf
 
Pinta preta dos Citros.pdf
Pinta preta dos Citros.pdfPinta preta dos Citros.pdf
Pinta preta dos Citros.pdf
 

Último

Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
DanieldaSade
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
DanieldaSade
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 

Último (10)

Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 

Enfermagem em Centro-Cirúrgico.pdf

  • 1.
  • 2. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG E-MAIL: trabalhosnota10sp@gmail.com E-MAIL: consultoriaacessoriaacademica@gmail.com SITE:www.trabalhosnota10sp.wixsite.com/my-site-1 SITE:www.consultoriaacademica10.com.br FONE whatsApp (66) 99694-5762. Enfermagem
  • 3. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG Curso: Enfermagem Semestre: 7º flex / 8º reg Disciplinas:  Saúde mental  Enfermagem em centro-cirúrgico  Gestão em saúde Professores  Danieli J. Garbuio Tomedi  Franciely Midori B. de Freitas  Dayane A. Scaramal Competências:  Conhecer e intervir no processo de saúde-doença, responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado de enfermagem em seus diferentes níveis de atenção à saúde, com ações de promoção, prevenção, proteção e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência.  Conhecer o processo de saúde-doença mental e suas articulações nos diversos eventos da vida.  Conhecer e compreender os fundamentos básicos da gestão dos recursos humanos no contexto da assistência à saúde. Habilidades: Ao concluir as etapas propostas neste desafio, você terá desenvolvido as seguintes competências e habilidades:  Possibilitar o desenvolvimento de trabalhos em grupo, promovendo a capacidade de adaptação, comunicação e integração do espírito de equipe.  Fornecer sólida formação humanística e visão global que habilite o acadêmico a compreender os meios social, político, cultural e econômico.  Promover formação teórico-prática possibilitando a vivência concreta nas organizações, estimulando uma postura investigativa e de análise crítico-reflexiva.  Formar profissionais com visão integral, capacidade de adaptação e flexibilidade, que atuem de forma interdisciplinar.  Capacitar para que os indivíduos possam tomar decisões complexas com ética e responsabilidade.  Permitir que os indivíduos consigam ampliar sua visão de forma competitiva, promovendo melhorias nas organizações. Objetivos da Aprendizagem: A produção textual é um procedimento metodológico de ensino aprendizagem que tem por objetivos: • Favorecer a aprendizagem. • Estimular a corresponsabilidade do aluno pelo aprendizado eficiente e eficaz.
  • 4. requeridas pelo Catálogo Nacional de Cursos Superiores do Ministério da Educação. • Promover a aplicação dateoria e conceitos para a solução de problemas práticos relativos à profissão. • Direcionar o estudante para a busca do raciocínio crítico e a emancipação intelectual. competências das desenvolvimento no Auxiliar Promover o estudo dirigido a distância. Desenvolver os estudos independentes, sistemáticos e o auto aprendizado. Oferecer diferentes ambientes de aprendizagem. • • • • PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG Prezado(a) aluno(a), Seja bem-vindo(a) a este semestre! A proposta de Produção Textual Interdisciplinar em Grupo (PTG) terá como temática “Enfermagem em Centro-Cirúrgico”. Escolhemos esta temática para possibilitar a aprendizagem interdisciplinar dos conteúdos desenvolvidos nas disciplinas deste semestre. Neste trabalho vocês desenvolverão um texto argumentativo que deve contemplar as indagações do roteiro de conteúdos sobre a situação geradora de aprendizagem (SGA) proposta. Para tanto, a seguir apresentamos as orientações: ORIENTAÇÕES DA PRODUÇÃO TEXTUAL 1. Formação dos grupos Todos os integrantes devem pertencer à mesma turma e curso. 2. Leitura e interpretação da SGA Todos os integrantes do grupo deverão ler atentamente a SGA descrita abaixo. A SGA é uma situação-problema hipotética criada com base na vivência real do profissional de enfermagem. Utilizem seus conhecimentos teóricos a partir das disciplinas desse semestre para interpretar a SGA. Em grupo, destaquem os pontos importantes para, posteriormente, produzir o texto.
  • 5. Situação Geradora de Aprendizagem (SGA) PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG A Central de Material e Esterilização (CME) é um setor onde a assistência de enfermagem é prestada indiretamente ao cliente, porém não menos importante que a assistência direta, pois é responsável pelo preparo, processamento, estoque e distribuição dos artigos médico-cirúrgicos e equipamentos necessários para a assistência ao paciente. No Hospital São Lucas a CME é agregada ao Centro Cirúrgico (C.C), sob a responsabilidade de um único enfermeiro, o que gera bastante desgaste e problemas ao processo gerencial, posto que o trabalho desenvolvido nos ambientes é bastante distinto um do outro. Jonas, por ser o enfermeiro responsável pelo C.C e CME precisa escolher adequadamente tanto os recursos materiais quanto os humanos, bem como a seleção e o treinamento de pessoal levando-se em conta o perfil do setor. Além disso, ele é o responsável por atividades de coordenação, orientação e supervisão de todas as etapas do reprocessamento dos produtos e estabelecimento de interfaces com as unidades consumidoras. No entanto, Jonas, por liderar os dois setores, precisa continuar mantendo excelentes resultados na assistência e por isso vem aumentando constantemente as exigências de toda a equipe. Todo mês é a mesma reclamação: a escala muda, os funcionários são realocados e não são avisados sobre tal. Muitos afirmam que o sentimento frente a isso é de descaso com a equipe, ou seja, que Jonas não se importa com a opinião ou vontade da equipe. Além do exposto, o trabalho da CME segue um ritmo acelerado, com exigências físicas e mentais, exposição a riscos químicos, físicos e biológicos, espaço físico muita das vezes desfavorável. Todos esses fatores geram desgaste, ansiedade e medo, comprometendo não só a saúde dos colaboradores como a qualidade do serviço. O fato é que no último plantão os dois setores tiveram intercorrências, na CME uma colaboradora se perfurou ao manipular um material perfuro cortante acondicionado de maneira inadequada, configurando acidente de trabalho e no CC: na sala de recuperação anestésica, um paciente da equipe de neurocirurgia caiu do leito enquanto a técnica de enfermagem que estava ao lado mexia no celular no exato momento, além de duas cirurgias canceladas por falta de materiais, causando irritação por parte das equipes médicas envolvidas. O médico responsável pelo paciente que apresentou queda do leito, ao saber do ocorrido procurou Jonas e usou palavras duras a respeito de seu trabalho e de sua equipe, desqualificando-os de maneira bastante desrespeitosa e na frente de todos, inclusive de alguns pacientes. Momentos
  • 6. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG depois, Jonas começou a queixar-se de falta de ar, palpitações, sudorese, tremores e fortes dores no peito, segundo ele a sensação de morte. Vendo a situação, a alguns colegas da equipe de Jonas encaminharam-no ao Pronto-Socorro, onde realizaram o atendimento compreendido pela solicitação de diversos exames, e a hipótese inicial de Acidente Vascular Encefálico (AVE) foi descartada. ROTEIRO DE CONTEÚDOS Após a leitura da situação-problema o desafio está lançado. Respondam os desafios propostos articulando-os em um relatório final. Para isso, busque soluções para os problemas apresentados, mas, lembre-se de que TODOS os desafios propostos devem ser respondidos fazendo articulações com a SGA. Logo, é fundamental apresentar poder argumentativo e boa fundamentação das justificativas. DESAFIO 1: O ataque de pânico, decorrente do transtorno do pânico, é considerado uma das principais causas de emergência psiquiátricas em unidades de pronto atendimento. Seus sintomas muitas vezes se confundem com as manifestações de doenças orgânicas, como as doenças pulmonares e cardiovasculares, por exemplo. Além disso, a maioria dos casos demoram a ser diagnosticados corretamente, levando a um desenvolvimento crônico e incapacitante da doença. Dessa forma, o conhecimento a respeito desse quadro permite uma correta avaliação, bem como o encaminhamento precoce a serviços especializados na atenção primária a saúde. Nesse sentido, descreva como deve ser realizada a avaliação inicial de Jonas no pronto socorro, e qual a rede de apoio na atenção primária para seu acompanhamento. DESAFIO 2: Percebemos na nossa SGA que o motivo do conflito entre os membros da equipe foi a falta de materiais que deveriam ser utilizados durante o ato cirúrgico. A falta de materiais e equipamentos no centro cirúrgico acontece rotineiramente no cotidiano, variando desde os mais simples até os mais complexos, como próteses e órteses. O gerenciamento de materiais tem como finalidade suprir os recursos materiais necessários para a organização de saúde, com qualidade, em quantidades adequadas, no tempo certo e, sobretudo, ao menor custo. Nesse sentido, atualmente, esse gerenciamento compõe uma das atribuições do enfermeiro nas Unidades Hospitalares. Agora é sua vez! Descreva as atribuições do enfermeiro responsável pelo gerenciamento de recursos materiais nas unidades de Centro Cirúrgico e como ele poderá realizar essa gestão de forma eficiente.
  • 7. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG DESAFIO 3: O centro cirúrgico é considerado um setor complexo devido sua especificidade, além de ser um setor restrito que impõe à equipe de saúde momentos estressantes ao lidar com aspectos referentes à habilidade técnica, recursos materiais e relacionamento interpessoal. Sobre as relações interpessoais, estas podem ser consideradas ‘instrumentos de trabalho’ e quando há conflito podem acarretar distanciamento entre as pessoas, podendo afetar diretamente o cuidado. A SGA apresenta diversos elementos estressores, capazes de promover conflitos, além de um estilo de liderança aparentemente arbitrário. Diante do exposto, responda: - De acordo com a SGA, descreva e caracterize o estilo de liderança do enfermeiro Jonas (Laissez- faire, Autoritário, Democrático ou Situacional). - Diante do ocorrido, um assunto que merece destaque é a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT). Com base nisso, Marziale e Dantas (2011) correlacionam a QVT à compreensão do trabalho em três diferentes níveis: a) Primeiro nível: relaciona-se ao contexto externo do trabalho; b) Segundo nível: compreende o contexto organizacional do trabalho e c) Terceiro nível: consiste no contexto do trabalho propriamente dito. Faça uma reflexão a partir do que foi descrito na situação-problema e explique quais níveis estão deficitários e podem ter contribuído com o ataque de pânico apresentado por Jonas.
  • 8. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG REFERÊNCIAS BOGO, P. C. et al. O enfermeiro no gerenciamento de materiais em hospitais de ensino. Rev. Esc. Enferm. USP. v. 4, n. 49, p. 632-639, 2015. Disponível em: https://bit.ly/3hpKFVB. Acesso em: 22 jul. 2020. CARVALHO, R. Enfermagem em centro cirúrgico e recuperação anestésica. Barueri, SP: Manole, 2015. [Minha Biblioteca] DE OLIVEIRA, L. G. M.; SGUAREZI, J. G. D.; PAULIN, L. F. R. S. Crise de pânico: abordagem no pronto socorro. Ensaios USF. Bragança Paulista, v. 1, n. 1, p. 25-33, 2017. Disponível em: https://bit.ly/2WIdWCR. Acesso em: 21 jul. 2020. DOS SANTOS, K. C. B. et al. Comunicação e relacionamento interpessoal no centro cirúrgico: aplicação da metodologia da problematização. Rev. Eletro. Acervo Saúde, v. 24, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.25248/reas.e698.2019. Acesso em: 22 jul. 2020. FERREIRA, F. H.; SAMPAIO, M.O.; THOMAS, M.C.A. Gestão em Saúde. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional S.A., 2017. [Minha Biblioteca] LIMA, A. F. C. et al. Gerenciamento em enfermagem. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2019. [Minha Biblioteca]. Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788527730198/cfi/6/2!/4/2@0.00:0. Acesso em: 22 jul. 2020. MARCITELLI, C.R.A. Qualidade de Vida no Trabalho dos Profissionais de Saúde. UNICIÊNCIAS, v. 19, n. 2, p. 169-173. Disponível em: https://bit.ly/3ujuSR6. Acesso em: 02 jul. 2022. SALIMENA, A. M. O. et al. Relações interpessoais no centro cirúrgico: equipe de enfermagem e equipe médica. Rev. Enf. do Centro Oeste Mineiro, 2019. Disponível em: http://seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/3328. Acesso em: 22 jul. 2020.
  • 9. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG NORMAS PARA ELABORAÇÃO E ENTREGA DA PRODUÇÃO TEXTUAL 1. O trabalho será realizado em grupos, de 02 a 07 alunos, no máximo. 2. A formação dos grupos é de responsabilidade dos alunos; no entanto, solicitamos que sigam as orientações do Tutor Presencial, responsável por cadastrar os grupos no sistema. 3. Importante: somente o líder do grupo conseguirá cadastrar o trabalho finalizado no sistema, o que deverá ser feito na pasta específica (“atividades interdisciplinares”), obedecendo ao prazo limite de postagem, conforme disposto no cronograma do curso. Não existe prorrogação para a postagem da atividade. 4. O trabalho final que será postado no ambiente virtual de aprendizagem deve conter de 06 até, no máximo, 8 laudas (considerando-se apenas a produção textual em si, com introdução, desenvolvimento e conclusão, excetuando-se os elementos pré e pós-textuais). 5. O trabalho final deve conter, depois de pronto, capa e folha de rosto padrão da Universidade, sendo organizado no que tange à sua apresentação visual (tipos e tamanhos de fontes, alinhamento do texto, espaçamentos, adentramento de parágrafos, apresentação correta de citações e referências, entre outros elementos importantes), conforme modelo disponível no AVA. 6. A produção textual é um trabalho original e, portanto, não poderá haver trabalhos idênticos aos de outros alunos ou com reprodução de materiais extraídos da internet. Os trabalhos plagiados serão invalidados, sendo os alunos reprovados na atividade. Lembre-se de que a prática do plágio constitui crime, com pena prevista em lei (Lei n.º 9.610), e deve ser evitada no âmbito acadêmico. 6. Importante: O trabalho deve ser enviado em formato Word. Não serão aceitos, sob nenhuma hipótese, trabalhos enviados em PDF.
  • 10. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO – PTG CRITÉRIOS AVALIATIVOS Apresentamos os critérios avaliativos que nortearão a devolutiva escrita e o conceito a ser dado pelo tutor a distância. Critério Significado Valor/peso Coerência, clareza e coesão O texto apresenta uma linguagem de fácil compreensão, apresentando os argumentos de modo claro e coeso. 20% Aplicação dos conteúdos interdisciplinares no texto argumentativo No texto escrito (com as justificativas e argumentações) as ideias apresentam relação direta com a situação descrita e explicitam conteúdos exigidos. 30% Riqueza de argumentação O texto tem relação direta com o tema, traduzem uma reflexão crítica e contempla os pontos estabelecidos no roteiro. 30% Conclusão As considerações finais refletem, de fato, a resolução da problemática pelo grupo sobre a SGA sem repetições ou redundâncias. 10% Normalização Respeito às normas da ABNT, respeito a escrita ortográfica e estrutura solicitada. 10% Um ótimo trabalho! Equipe de professores