SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
EB1/JI Casal do Marco




Costumes e tradições




                     Trabalho elaborado por:

                             Ricardo Daniel

                            Raquel Monteiro



          3ºano

         2009/2010
O concelho do Seixal possui um vasto programa de actividades anuais, nas quais se integram

também as   Festas Populares,          sendo as de   S. Pedro    as mais apreciadas pelos
Seixalenses que precisamente nesta data comemoram o feriado municipal.




As   Festas Populares de S. Pedro, têm marcado a história do Seixal destacando-se
a Solene Procissão a S. Pedro reflectindo uma forte religiosidade também ligada ao facto
de muitos arriscarem a vida no mar.


As colectividades locais - Sociedade Filarmónica Democrática Timbre Seixalense e

Sociedade Filarmónica União Seixalense - organizavam com muito bairrismo os arraiais, no

Largo da Igreja e na Praça Luís de Camões, respectivamente, dando concertos diários nos
coretos e animando os bailes populares.


As competições desportivas foram sempre presença marcante nas Festas, bem como as

marchas populares, que já em 1936 incluíam desfiles de marchas de Lisboa, para além da
resistente e “madrugadora” Marcha das Canas.


Na madrugada que antecede o dia 29 de Junho (Dia de S. Pedro) é tradição realizar-se no

Seixal um baile popular que culmina com a Marcha das Canas.


Ao nascer do Sol os resistentes da noite partem de toalha branca ao ombro acompanhados
de uma charanga improvisada com músicos da terra que sempre existiram em grande número
até à Quinta Grande, local onde todos os participantes lavavam a cara e depois voltavam com
uma cana hasteavam a toalha e regressavam cantando de harmonia com a letra e música.


Esta marcha era um ritual de todos os Seixalenses que a ela aderiam e não faltavam à sua
partida pelas 7.00 da manhã do referido dia.


Desde 1970 que já não se vai lavar a cara à Quinta Grande mas sim ao Bairro Manuel André
junto à Colectividade Portugal Cultura e Recreio, no entanto a tradição mantém-se e ainda
permanece a Marcha das Canas que normalmente é composta por um Seixalense.
Algumas festas do Seixal


                                          Aldeia de
12 de Maio Procissão das Velas                         Festa Religiosa
                                          Paio Pires
               Procissão em Honra de Nª   Casal do
24 de Maio                                             Festa Religiosa
               Sra. da Paz                Marco
19 a 29 de     Festas Populares de S.
                                          Seixal       Festa Popular
Junho          Pedro
               Procissão em Honra de S.
29 de Junho                               Seixal       Festa Religiosa
               Pedro
8 a 12 de      Festas Populares da
                                          Arrentela    Festa Popular
Julho          Arrentela
18 a 26 de     Festas Populares de Fernão Fernão
                                                       Festa Popular
Julho          Ferro                      Ferro
               Procissão em Honra de N.   Fernão
26 de Julho                                            Festa Religiosa
               Sra. da Boa Hora           Ferro
29 de
               Festas Populares da Aldeia Aldeia de
Julho a 2 de                                           Festa Popular
               de Paio Pires              Paio Pires
Agosto
               Procissão em Honra de N.   Aldeia de
2 de Agosto                                            Festa Religiosa
               Sra. da Anunciada          Paio Pires
12 a 16 de
               Festas Populares de Amora Amora         Festa Popular
Agosto
15 de          Procissão em Honra de N.
                                          Amora        Festa Religiosa
Agosto         Sra. de Monte Sião
21 a 30 de     Festas Populares de
                                          Corroios     Festa Popular
Agosto         Corroios
1 de           Procissão em Honra de N.
                                          Arrentela    Festa Religiosa
Novembro       Sra. da Soledade




            Festas Populares de S. Pedro
S. Pedro é o Padroeiro do Seixal. As Festas Populares em sua homenagem decorrem
durante a última semana de Junho, altura em que se comemora também o feriado Municipal,
que acontece a 29 de Junho. As comemorações contam com diversos artistas, de variados

géneros musicais. O fado, o folclore, os bailes, os jogos tradicionais e as Bandas

Filarmónicas são algumas das actividades que marcam presença.




Um dos pontos altos destas Festas é as   Marchas Populares, com desfiles pelas ruas.
Participam as Marchas Populares das Escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e Jardins-de-
Infância do concelho, das Associações de Reformados, bem como as Marchas das
Colectividades.




Do programa religioso, destaca-se a   Solene Procissão de S. Pedro, que percorre
as ruas do Seixal, acompanhada por milhares de pessoas. É um momento solene em que se
presta homenagem ao santo padroeiro do concelho.




                       A história das Festas Populares




   O Vereador José Inácio Policarpo Alves Ferreira, propôs à Câmara a realização do feriado
   anual concelhio a 29 de Junho, tendo sido deliberado por unanimidade em 28 de Junho de
   1962. No entanto, só em 1969 este dia começou a ser comemorado.


   Esta proposta surge no seguimento das largas tradições da realização dos festejos a S.
   Pedro – Padroeiro dos Pescadores.




   Desde 1736, um século antes da criação do concelho, que teve lugar no reinado de D.
   Maria II, que se têm realizado todos os anos as Festas de S. Pedro.
Estas Festas são muito apreciadas e continuam a trazer ao concelho muitos visitantes,
especialmente os imigrantes, que vêm especialmente nesta ocasião visitar os familiares e
festejar também aquele que é o seu Padroeiro.




                                  Folclore

            Grupo Folclórico "Estrelinhas do Sul", na Aldeia de Paio Pires
Logótipo             No Cinema S.Vicente          Grupo




                       Rancho Folclórico Alegria da Nossa Terra


O Rancho Folclórico Alegria da Nossa Terra, Casal do Marco - Arrentela - Seixal pertence
ao distrito de Setúbal, Região da Costa Azul.
Fundado em 11 de Janeiro de 2003 por vontade um pequeno grupo de crianças com uma
enorme paixão pelo folclore. O seu elenco oscila nos 45 elementos com idades
compreendidas entre os 2 e os 70 anos de idade.


Na sua curta existência o grupo tem desenvolvido uma intensa actividade, com
variadíssimas participações nos mais consagrados festivais de folclore de Norte a Sul do
País e além fronteiras ao lado de ranchos oriundos da Vizinha Espanha e Hungria.


Tentam caracterizar tudo aquilo que se fazia na nossa região ribeirinha ao Sul do Rio Tejo,
divulgando hábitos costumes e tradições do nosso povo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Calendário de eventos
Calendário de eventosCalendário de eventos
Calendário de eventosCULTURATAPEROA
 
Acontece agora ed366 especial_aniversario
Acontece agora ed366 especial_aniversarioAcontece agora ed366 especial_aniversario
Acontece agora ed366 especial_aniversariococopequeno007
 
Tudo sobre festas junina
Tudo sobre festas juninaTudo sobre festas junina
Tudo sobre festas juninafesta junina
 
Origem da festa junina
Origem da festa juninaOrigem da festa junina
Origem da festa juninaLeo Costa
 
Festas religiosas no Brasil
Festas religiosas no BrasilFestas religiosas no Brasil
Festas religiosas no BrasilLeonaldo Brandao
 
Semana Santa em Minas Gerais
Semana Santa em Minas GeraisSemana Santa em Minas Gerais
Semana Santa em Minas GeraisSylvio Bazote
 
Festa junina origem crachá
Festa junina   origem cracháFesta junina   origem crachá
Festa junina origem cracháMarlete Outeiro
 
Símbolos e rituais da festa junina
Símbolos e rituais da festa juninaSímbolos e rituais da festa junina
Símbolos e rituais da festa juninaSimone Dutra
 
Aula os cristãos protestante podem brincar festa junina
Aula os cristãos protestante podem brincar festa juninaAula os cristãos protestante podem brincar festa junina
Aula os cristãos protestante podem brincar festa juninaMetodista_Barreto
 
João pessoa – paróquia de nossa senhora das dores
João pessoa – paróquia de nossa senhora das doresJoão pessoa – paróquia de nossa senhora das dores
João pessoa – paróquia de nossa senhora das doresAntenor Antenor
 

Mais procurados (19)

Calendário de eventos
Calendário de eventosCalendário de eventos
Calendário de eventos
 
Acontece agora ed366 especial_aniversario
Acontece agora ed366 especial_aniversarioAcontece agora ed366 especial_aniversario
Acontece agora ed366 especial_aniversario
 
Festa junina.
Festa junina.Festa junina.
Festa junina.
 
Tudo sobre festas junina
Tudo sobre festas juninaTudo sobre festas junina
Tudo sobre festas junina
 
Festa junina
Festa juninaFesta junina
Festa junina
 
Origem da festa junina
Origem da festa juninaOrigem da festa junina
Origem da festa junina
 
Festas religiosas no Brasil
Festas religiosas no BrasilFestas religiosas no Brasil
Festas religiosas no Brasil
 
Festas juninas
Festas juninasFestas juninas
Festas juninas
 
Semana Santa em Minas Gerais
Semana Santa em Minas GeraisSemana Santa em Minas Gerais
Semana Santa em Minas Gerais
 
Festa junina origem crachá
Festa junina   origem cracháFesta junina   origem crachá
Festa junina origem crachá
 
Festa junina
Festa juninaFesta junina
Festa junina
 
Festas juninas
Festas juninasFestas juninas
Festas juninas
 
As festas de vfc
As festas de vfcAs festas de vfc
As festas de vfc
 
Rhyan 2
Rhyan 2Rhyan 2
Rhyan 2
 
Símbolos e rituais da festa junina
Símbolos e rituais da festa juninaSímbolos e rituais da festa junina
Símbolos e rituais da festa junina
 
Festa Junina 2015
Festa Junina 2015Festa Junina 2015
Festa Junina 2015
 
Aula os cristãos protestante podem brincar festa junina
Aula os cristãos protestante podem brincar festa juninaAula os cristãos protestante podem brincar festa junina
Aula os cristãos protestante podem brincar festa junina
 
Atividade 1
Atividade 1Atividade 1
Atividade 1
 
João pessoa – paróquia de nossa senhora das dores
João pessoa – paróquia de nossa senhora das doresJoão pessoa – paróquia de nossa senhora das dores
João pessoa – paróquia de nossa senhora das dores
 

Destaque

20 27setembro2012
20 27setembro201220 27setembro2012
20 27setembro2012pauloedsonc
 
2.16 planeta terra eventos
2.16 planeta terra eventos2.16 planeta terra eventos
2.16 planeta terra eventosalynecunha10
 
Inserção histórica dos eventos
Inserção histórica dos eventosInserção histórica dos eventos
Inserção histórica dos eventosPaulo Marquêz
 
_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução FrancesaLela Leite
 
Da Revolução Francesa Ao ImpéRio De NapoleãO
Da Revolução Francesa Ao ImpéRio De NapoleãODa Revolução Francesa Ao ImpéRio De NapoleãO
Da Revolução Francesa Ao ImpéRio De NapoleãOjdlimaaear
 
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. GiraldiRita de Cássia GIRALDI
 

Destaque (11)

Costumes e Tradições
Costumes e TradiçõesCostumes e Tradições
Costumes e Tradições
 
20 27setembro2012
20 27setembro201220 27setembro2012
20 27setembro2012
 
2.16 planeta terra eventos
2.16 planeta terra eventos2.16 planeta terra eventos
2.16 planeta terra eventos
 
Inserção histórica dos eventos
Inserção histórica dos eventosInserção histórica dos eventos
Inserção histórica dos eventos
 
_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa
 
Realismo na França
Realismo na FrançaRealismo na França
Realismo na França
 
Camille Claudel
Camille ClaudelCamille Claudel
Camille Claudel
 
A França Imperial
A França ImperialA França Imperial
A França Imperial
 
Era napoleónica
Era napoleónicaEra napoleónica
Era napoleónica
 
Da Revolução Francesa Ao ImpéRio De NapoleãO
Da Revolução Francesa Ao ImpéRio De NapoleãODa Revolução Francesa Ao ImpéRio De NapoleãO
Da Revolução Francesa Ao ImpéRio De NapoleãO
 
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
 

Semelhante a Costumes Tradições

Tradiçoes Madeirenses João Tomás 4ºA
Tradiçoes Madeirenses João Tomás 4ºATradiçoes Madeirenses João Tomás 4ºA
Tradiçoes Madeirenses João Tomás 4ºAMarileneCunha1
 
Roteiro interdisciplinar 13-17_julho
Roteiro interdisciplinar 13-17_julhoRoteiro interdisciplinar 13-17_julho
Roteiro interdisciplinar 13-17_julhoescolacaiosergio
 
Tradições da Madeira Maria e Bruna 4ºC
Tradições da Madeira Maria e Bruna 4ºCTradições da Madeira Maria e Bruna 4ºC
Tradições da Madeira Maria e Bruna 4ºCMarileneCunha1
 
Ibituruna-Minas Gerais
Ibituruna-Minas GeraisIbituruna-Minas Gerais
Ibituruna-Minas GeraisVitor Araujo
 
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012rfvlis
 
FOLGUEDOS DO MASTRO CAPELA.pptx
FOLGUEDOS DO MASTRO CAPELA.pptxFOLGUEDOS DO MASTRO CAPELA.pptx
FOLGUEDOS DO MASTRO CAPELA.pptxAlex Macedo
 
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julho
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julhoRoteiro de estudos_autoral_13_17_julho
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julhoescolacaiosergio
 
Dossier de imprensa fccrs'14 final
Dossier de imprensa fccrs'14   finalDossier de imprensa fccrs'14   final
Dossier de imprensa fccrs'14 finalFernando Moura
 
Deus_Salve_Casa_Santa_Morada_de_Folioes.pdf
Deus_Salve_Casa_Santa_Morada_de_Folioes.pdfDeus_Salve_Casa_Santa_Morada_de_Folioes.pdf
Deus_Salve_Casa_Santa_Morada_de_Folioes.pdfMacedoOscamacedo
 
Origem das festas juninas
Origem das festas juninasOrigem das festas juninas
Origem das festas juninasEduk On
 
São João nas Ruas: caminhão-palco estaciona em quatro bairros
São João nas Ruas: caminhão-palco estaciona em quatro bairrosSão João nas Ruas: caminhão-palco estaciona em quatro bairros
São João nas Ruas: caminhão-palco estaciona em quatro bairrossaojoaocaruaru2017
 
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdfHISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdfReginaBenayon2
 
História do Peso
História do PesoHistória do Peso
História do Pesojpeso
 

Semelhante a Costumes Tradições (20)

Cavalhada
CavalhadaCavalhada
Cavalhada
 
Tradiçoes Madeirenses João Tomás 4ºA
Tradiçoes Madeirenses João Tomás 4ºATradiçoes Madeirenses João Tomás 4ºA
Tradiçoes Madeirenses João Tomás 4ºA
 
Roteiro interdisciplinar 13-17_julho
Roteiro interdisciplinar 13-17_julhoRoteiro interdisciplinar 13-17_julho
Roteiro interdisciplinar 13-17_julho
 
Tradições da Madeira Maria e Bruna 4ºC
Tradições da Madeira Maria e Bruna 4ºCTradições da Madeira Maria e Bruna 4ºC
Tradições da Madeira Maria e Bruna 4ºC
 
Ibituruna-Minas Gerais
Ibituruna-Minas GeraisIbituruna-Minas Gerais
Ibituruna-Minas Gerais
 
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
 
FOLGUEDOS DO MASTRO CAPELA.pptx
FOLGUEDOS DO MASTRO CAPELA.pptxFOLGUEDOS DO MASTRO CAPELA.pptx
FOLGUEDOS DO MASTRO CAPELA.pptx
 
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julho
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julhoRoteiro de estudos_autoral_13_17_julho
Roteiro de estudos_autoral_13_17_julho
 
historia da festa junina (1).pptx
historia da festa junina (1).pptxhistoria da festa junina (1).pptx
historia da festa junina (1).pptx
 
Dossier de imprensa fccrs'14 final
Dossier de imprensa fccrs'14   finalDossier de imprensa fccrs'14   final
Dossier de imprensa fccrs'14 final
 
Jornal solaris 4
Jornal solaris 4Jornal solaris 4
Jornal solaris 4
 
portugues
portuguesportugues
portugues
 
Deus_Salve_Casa_Santa_Morada_de_Folioes.pdf
Deus_Salve_Casa_Santa_Morada_de_Folioes.pdfDeus_Salve_Casa_Santa_Morada_de_Folioes.pdf
Deus_Salve_Casa_Santa_Morada_de_Folioes.pdf
 
Origem das festas juninas
Origem das festas juninasOrigem das festas juninas
Origem das festas juninas
 
São João nas Ruas: caminhão-palco estaciona em quatro bairros
São João nas Ruas: caminhão-palco estaciona em quatro bairrosSão João nas Ruas: caminhão-palco estaciona em quatro bairros
São João nas Ruas: caminhão-palco estaciona em quatro bairros
 
Os Santos Populares
Os Santos PopularesOs Santos Populares
Os Santos Populares
 
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdfHISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
HISTÓRIA_DA_FESTA_JUNINA_SÍMBOLOS_E_TRADIÇÕES_GRUPO_MATERIAIS_PEDAGÓGICOS.pdf
 
Projeto festa junina
Projeto festa juninaProjeto festa junina
Projeto festa junina
 
Projeto festa junina
Projeto festa juninaProjeto festa junina
Projeto festa junina
 
História do Peso
História do PesoHistória do Peso
História do Peso
 

Mais de teresacorreiasilva (18)

O H Perdeu Uma Perna
O H Perdeu Uma PernaO H Perdeu Uma Perna
O H Perdeu Uma Perna
 
Poemas de Alunos
Poemas de AlunosPoemas de Alunos
Poemas de Alunos
 
Vestígios do Passado
Vestígios do PassadoVestígios do Passado
Vestígios do Passado
 
Quinta do Rouxinol
Quinta do RouxinolQuinta do Rouxinol
Quinta do Rouxinol
 
Igrejas
IgrejasIgrejas
Igrejas
 
História do Seixal
História do SeixalHistória do Seixal
História do Seixal
 
Estatuas e Castelos
Estatuas e CastelosEstatuas e Castelos
Estatuas e Castelos
 
Algumas Batalhas
Algumas BatalhasAlgumas Batalhas
Algumas Batalhas
 
Estados da água
Estados da águaEstados da água
Estados da água
 
Estados Da água
Estados Da águaEstados Da água
Estados Da água
 
Dia E Noite
Dia E NoiteDia E Noite
Dia E Noite
 
Ciclo da água
Ciclo da águaCiclo da água
Ciclo da água
 
Ciclo da água
Ciclo da águaCiclo da água
Ciclo da água
 
Agua
AguaAgua
Agua
 
Familia Pontuacao
Familia PontuacaoFamilia Pontuacao
Familia Pontuacao
 
A Família
A FamíliaA Família
A Família
 
Plano De Acção
Plano De AcçãoPlano De Acção
Plano De Acção
 
Plano De Acção
Plano De AcçãoPlano De Acção
Plano De Acção
 

Último

QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 

Último (20)

QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 

Costumes Tradições

  • 1. EB1/JI Casal do Marco Costumes e tradições Trabalho elaborado por: Ricardo Daniel Raquel Monteiro 3ºano 2009/2010
  • 2. O concelho do Seixal possui um vasto programa de actividades anuais, nas quais se integram também as Festas Populares, sendo as de S. Pedro as mais apreciadas pelos Seixalenses que precisamente nesta data comemoram o feriado municipal. As Festas Populares de S. Pedro, têm marcado a história do Seixal destacando-se a Solene Procissão a S. Pedro reflectindo uma forte religiosidade também ligada ao facto de muitos arriscarem a vida no mar. As colectividades locais - Sociedade Filarmónica Democrática Timbre Seixalense e Sociedade Filarmónica União Seixalense - organizavam com muito bairrismo os arraiais, no Largo da Igreja e na Praça Luís de Camões, respectivamente, dando concertos diários nos coretos e animando os bailes populares. As competições desportivas foram sempre presença marcante nas Festas, bem como as marchas populares, que já em 1936 incluíam desfiles de marchas de Lisboa, para além da resistente e “madrugadora” Marcha das Canas. Na madrugada que antecede o dia 29 de Junho (Dia de S. Pedro) é tradição realizar-se no Seixal um baile popular que culmina com a Marcha das Canas. Ao nascer do Sol os resistentes da noite partem de toalha branca ao ombro acompanhados de uma charanga improvisada com músicos da terra que sempre existiram em grande número até à Quinta Grande, local onde todos os participantes lavavam a cara e depois voltavam com uma cana hasteavam a toalha e regressavam cantando de harmonia com a letra e música. Esta marcha era um ritual de todos os Seixalenses que a ela aderiam e não faltavam à sua partida pelas 7.00 da manhã do referido dia. Desde 1970 que já não se vai lavar a cara à Quinta Grande mas sim ao Bairro Manuel André junto à Colectividade Portugal Cultura e Recreio, no entanto a tradição mantém-se e ainda permanece a Marcha das Canas que normalmente é composta por um Seixalense.
  • 3. Algumas festas do Seixal Aldeia de 12 de Maio Procissão das Velas Festa Religiosa Paio Pires Procissão em Honra de Nª Casal do 24 de Maio Festa Religiosa Sra. da Paz Marco 19 a 29 de Festas Populares de S. Seixal Festa Popular Junho Pedro Procissão em Honra de S. 29 de Junho Seixal Festa Religiosa Pedro 8 a 12 de Festas Populares da Arrentela Festa Popular Julho Arrentela 18 a 26 de Festas Populares de Fernão Fernão Festa Popular Julho Ferro Ferro Procissão em Honra de N. Fernão 26 de Julho Festa Religiosa Sra. da Boa Hora Ferro 29 de Festas Populares da Aldeia Aldeia de Julho a 2 de Festa Popular de Paio Pires Paio Pires Agosto Procissão em Honra de N. Aldeia de 2 de Agosto Festa Religiosa Sra. da Anunciada Paio Pires 12 a 16 de Festas Populares de Amora Amora Festa Popular Agosto 15 de Procissão em Honra de N. Amora Festa Religiosa Agosto Sra. de Monte Sião 21 a 30 de Festas Populares de Corroios Festa Popular Agosto Corroios 1 de Procissão em Honra de N. Arrentela Festa Religiosa Novembro Sra. da Soledade Festas Populares de S. Pedro
  • 4. S. Pedro é o Padroeiro do Seixal. As Festas Populares em sua homenagem decorrem durante a última semana de Junho, altura em que se comemora também o feriado Municipal, que acontece a 29 de Junho. As comemorações contam com diversos artistas, de variados géneros musicais. O fado, o folclore, os bailes, os jogos tradicionais e as Bandas Filarmónicas são algumas das actividades que marcam presença. Um dos pontos altos destas Festas é as Marchas Populares, com desfiles pelas ruas. Participam as Marchas Populares das Escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e Jardins-de- Infância do concelho, das Associações de Reformados, bem como as Marchas das Colectividades. Do programa religioso, destaca-se a Solene Procissão de S. Pedro, que percorre as ruas do Seixal, acompanhada por milhares de pessoas. É um momento solene em que se presta homenagem ao santo padroeiro do concelho. A história das Festas Populares O Vereador José Inácio Policarpo Alves Ferreira, propôs à Câmara a realização do feriado anual concelhio a 29 de Junho, tendo sido deliberado por unanimidade em 28 de Junho de 1962. No entanto, só em 1969 este dia começou a ser comemorado. Esta proposta surge no seguimento das largas tradições da realização dos festejos a S. Pedro – Padroeiro dos Pescadores. Desde 1736, um século antes da criação do concelho, que teve lugar no reinado de D. Maria II, que se têm realizado todos os anos as Festas de S. Pedro.
  • 5. Estas Festas são muito apreciadas e continuam a trazer ao concelho muitos visitantes, especialmente os imigrantes, que vêm especialmente nesta ocasião visitar os familiares e festejar também aquele que é o seu Padroeiro. Folclore Grupo Folclórico "Estrelinhas do Sul", na Aldeia de Paio Pires
  • 6. Logótipo No Cinema S.Vicente Grupo Rancho Folclórico Alegria da Nossa Terra O Rancho Folclórico Alegria da Nossa Terra, Casal do Marco - Arrentela - Seixal pertence ao distrito de Setúbal, Região da Costa Azul. Fundado em 11 de Janeiro de 2003 por vontade um pequeno grupo de crianças com uma enorme paixão pelo folclore. O seu elenco oscila nos 45 elementos com idades compreendidas entre os 2 e os 70 anos de idade. Na sua curta existência o grupo tem desenvolvido uma intensa actividade, com variadíssimas participações nos mais consagrados festivais de folclore de Norte a Sul do País e além fronteiras ao lado de ranchos oriundos da Vizinha Espanha e Hungria. Tentam caracterizar tudo aquilo que se fazia na nossa região ribeirinha ao Sul do Rio Tejo, divulgando hábitos costumes e tradições do nosso povo.