SlideShare uma empresa Scribd logo

Comunicacao digital-nas_organizacoes

Apresentação faculdade unisa sobre a comunicação digital nas organizações

1 de 7
Baixar para ler offline
Elizabeth Saad Corrêa
•	Doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes
da Universidade de São Paulo (ECA-USP)
•	Mestre e graduada em Administração de Empresas pela Faculdade de Economia,
Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP)
•	Professora do Departamento de Jornalismo e Editoração e do Programa
de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da ECA-USP
•	Coordenadora do grupo de pesquisa COM+ (www.commais.info) e do Programa
de Pós-Graduação Lato Sensu de Gestão Integrada da Comunicação Digital (Digicorp)
da ECA-USP
•	Palestrante internacional e estrategista web
•	Autora do livro Estratégias “2.0” para a mídia digital. internet, informação
e comunicação e de diversos artigos e capítulos de livro sobre o tema
•	Mantenedora do blog Intermezzo – Reflexões sobre jlr e comunicação digital
(www.imezzo.wordpress.com).
•	bethsaad@usp.br; bethsaad@gmail.com
A Comunicação Digital nas organizações:
tendências e transformações
Digital Communication in the organizations:
trends and transformations
La Comunicación Digital en las organizaciones:
tendencias y transformaciones
162 A Comunicação Digital nas organizações: tendências e transformações • Elizabeth Saad Corrêa
Resumo
A Comunicação Organizacional assume um novo patamar de usos e aplica-
ções no contexto das Tecnologias da Informação e da Comunicação (Tic’s).
Discutem-se neste artigo as duas principais tendências transformadoras desse
campo: os impactos decorrentes das redes sociais; e a proposição de uma for-
mação profissional centrada nas competências e habilidades digitais.
PALAVRAS-CHAVE: COMUNICAÇÃO DIGITAL • MÍDIAS SOCIAIS • WEB 2.0 • FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Abstract
Considering the context of Information and Communication Technologies
(ICTs), all of the Organizational Communication processes involve new appli-
cation forms. This essay discusses two main trends that are transforming this
field: the impacts of social media and the proposal of transforming the profes-
sional background by focusing more on digital competencies and skills.
KEYWORDS: DIGITAL COMMUNICATION • SOCIAL MEDIA • WEB 2.0 • PROFESSIONAL EDUCATION
Resumen
La Comunicación Organizacional pasa a un nuevo nivel de usos y aplicaciones
de las Tecnologías de la Información y la Comunicación (TICs). Se discuten
dos de las principales tendencias transformadoras de este campo: los impactos
de las redes sociales y la proposición de una formación profesional basada en
las competencias y en las habilidades digitales.
PALABRAS CLAVE: COMUNICACIÓN DIGITAL • MEDIOS SOCIALES • WEB 2.0 • FORMACIÓN PROFESIONAL
163ano 6 • edição especial • números 10 / 11 • 2009 • organicom
Adigitalização na sociedade contemporânea é um fato. Difícil pensarmos
nosso cotidiano sem a presença de algum dispositivo que transforma em
bits simples operações como olhar as horas ou assistir à televisão. A digitali-
zação hoje ocorre em rede mundial, conectando computadores, dispositivos
e, especialmente, pessoas. Seja na forma mais imperceptível (quando reali-
zamos uma transação por meio de um cartão magnético, por exemplo), seja
na mais explicita (quando nos conectamos à internet), a sociedade conectada
se faz presente e natural.
Na cena organizacional a realidade digital é inerente ao próprio funcionamen-
to de uma empresa. Não importa o tamanho e seu campo de atuação, o uso
de computadores é indispensável. Sistemas integrados de gestão, páginas e
portais corporativos na web e intranets são hoje meios de operação, conexão
e expressão usuais de uma organização com seus diferentes públicos.
Ultrapassamos a discussão sobre a necessidade e as aplicações da mediação
digitalizada e conectada nos ambientes organizacionais. Hoje as questões
centrais estão na discussão do processo de comunicação em redes e na cons-
trução de relacionamentos da organização com seus públicos por meio de
formatos comunicacionais que propõem uma equalização entre emissores e
receptores. E, mais que tudo isso, a discussão de base está na imposição de
mudanças culturais que a digitalização em rede traz para a rotina comunica-
cional das empresas.
Hoje a relação organização/tecnologias digitais/comunicação tem como um
dos pontos mais sensíveis a adequação de ritmos: a rapidez da inovação digital
e as diferenças em sua absorção e implementação por parte da organização
(delimitada pela estrutura) e dos públicos (motivados pelo protagonismo ad-
quirido). Tal adequação exige das organizações e dos profissionais de comuni-
cação novos posicionamentos e conhecimentos, muita flexibilidade e criativi-
dade no planejamento e na gestão dos processos comunicacionais.
Poderíamos caracterizar o momento como um fenômeno tipicamente de du-
pla mediação (MIÈGE, 2009)1
, na qual a relação comunicação/digitalização
se caracteriza pela transitoriedade, refletida por uma ação em fluxos. O surgi-
mento e uso crescente das chamadas mídias sociais fazem com que qualquer
cidadão capaz de interagir com as ferramentas disponíveis na web possa pro-
duzir, utilizar, comentar e compartilhar informações. E aqui cabe às organiza-
ções buscar novos formatos e estratégias para manter e ampliar a comunica-
ção e o relacionamento com seus públicos.
1	 Bernard Miège entende a dupla mediação como a apropriação gradativa das ferramentas tecnológicas
lançadas no mercado (ou sistema) por parte dos usuários (ou da sociedade) e que sofrem, por meio de-
les, alterações em seus usos originais, incorporando-se às práticas sociais anteriormente consolidadas.
Cabe à Comunicação, nesse cenário, exercer o seu papel de criação de competências para a técnica se
expressar em novos discursos.
164 A Comunicação Digital nas organizações: tendências e transformações • Elizabeth Saad Corrêa
Portanto, dois conjuntos-chave de reflexões sobre processos, tendências e com-
petências na comunicação organizacional da sociedade digital em rede são: a
incorporação do fenômeno das mídias sociais no modo de se comunicar, exi-
gindo um novo posicionamento estratégico da comunicação na organização;
e a incorporação das chamadas competências digitais (digital competencies),
que exigem mudanças nos profissionais, na cultura empresarial e no modo de
produção da informação.
As redes sociais digitais e a comunicação organizacional
Existem múltiplas definições para mídias sociais desde que se configurou a
web 2.02
. Propomos sua compreensão considerando que são quaisquer tecno-
logias ou práticas on-line que permitem o compartilhamento de conteúdo, opi-
niões, ideias, experiências e mídias, possibilitando conversações sobre o que
é relevante. Destaquem-se os termos “compartilhamento” e “conversações”,
transformadores do modo tradicional de comunicação.
O advento das mídias sociais quebra o padrão e a metodologia de produção
da informação. Configura-se uma outra estrutura operacional e, consequente-
mente, possíveis transformações na estrutura de sustentação econômica e de
configuração de mercado para esse cenário.
Sabemos que no mundo da Comunicação Organizacional, mesmo com todo
o determinismo recorrente das Tic’s, existem diferentes níveis ou graus de
posicionamento de uma organização na prática de sua estratégia de presença
digital. Falamos aqui de cenários da comunicação digital (CORRÊA, 2009).
No cenário 1.0 as expressões comunicacionais ocorrem com baixa intervenção
do receptor ou do usuário no conteúdo da comunicação, baixa capacidade
de personalização do conteúdo, predomínio do emissor sobre o controle do
conteúdo e de suas relações com o usuário, e em geral transmitem um simu-
lacro de bidirecionalidade pela oferta de instrumentos de interatividade que
não refletem totalmente seu conceito. Nesse campo predominam os websites,
as intranets, os portais corporativos, os boletins digitais e a comunicação por
correio eletrônico.
O cenário 2.0 procura evoluir o posicionamento descrito no cenário anterior,
incorporando todo um conjunto de tendências de participação e geração de
conteúdo pelo usuário, inspiradas pelo termo web 2.0, representando um des-
locamento do polo emissor de mensagens no processo comunicacional. No
2	 O termo web 2.0 foi cunhado em 2004 por Tim O’Reilly, consultor norte-americano, em uma conferência
para discutir como a web estava produzindo sistemas, aplicativos e ferramentas que cada vez mais
municiavam o usuário para ações de comunicação e relacionamento autônomas, sem a intervenção dos
conhecidos veículos de mídia para a formação da opinião da sociedade.
165ano 6 • edição especial • números 10 / 11 • 2009 • organicom
mundo 2.0 as tecnologias e práticas se concretizam por meios de plataformas
e ferramentas que proliferam pela rede em ritmo exponencial. As mais utiliza-
das e, por assim dizer, mais consagradas são: blogs, microblogs, RSS, widgets, re-
des sociais, alertas, mashups, salas de bate-papo, sistemas de compartilhamento
de fotos e vídeos, podcasts, sistemas de notícias sociais, wikis, entre outros3
.
Tais posicionamentos não significam que uma organização tenha que obriga-
toriamente definir-se como 1.0 ou 2.0, pois são cenários concomitantes e in-
terdependentes. Mas, diante da força transformadora que surge na sociedade,
toda empresa deveria buscar responder a algumas perguntas-chave que podem
ajudar na definição e na avaliação de impacto:
•	 O mundo das redes sociais é determinante para o negócio?
•	 Como usar as plataformas e ferramentas de mídias sociais?
•	 Como gerenciar essa inovação?
•	 Como agregar valor à comunicação da organização a partir da integração
das redes sociais à estratégia?
As respostas a esses questionamentos promovem no ambiente organizacional
uma sucessão de mudanças na estrutura, nos meios, nas pessoas, na cultura
e na imagem. A Comunicação Organizacional passa a trafegar por ações e
reações muito mais comportamentais e perceptivas, planos passam a incluir a
resiliência como item fundamental para sua execução e os retornos, embora
extremamente perceptíveis e concretos, passam a incluir parâmetros menos
quantitativos, valorizando as leituras qualitativas e semânticas.
Ao incorporar mídias sociais no processo da Comunicação Digital Corporati-
va o padrão de retorno de investimento (ROI – return on investment) muda para
return on insight, ou seja, o retorno perceptivo a partir das ações, opiniões e
avaliações geradas pelos múltiplos coletivos comunicacionais da web 2.0.
Para David Armano (2009), “a verdade inconveniente para muitas organiza-
ções é que o argumento tradicional do ROI pode matar iniciativas antes que
elas possam ver a luz do dia”. Ele preconiza a adoção de estratégias de comu-
nicação não-convencionais, já que o ambiente digital 2.0 possibilita ações cada
vez mais focadas, segmentadas e dirigidas a nichos muito pontuais, em oposi-
ção ao cenário da comunicação mais massiva, cujos modelos já estão testados
e podem ser mensurados quantitativamente.
Hoje, a grande tendência da Comunicação Corporativa que se expressa no
mundo das redes digitais é criar presença em novos territórios de relacionamen-
to com os públicos em redes sociais, em dispositivos móveis, em experiências
de cloud computing, entre as muitas possibilidades. Com isso os parâmetros de
3	 Utilizamos aqui as denominações usuais em inglês para os sistemas e as ferramentas. Não vamos carac-
terizar cada uma delas por fugir dos propósitos do texto.
166 A Comunicação Digital nas organizações: tendências e transformações • Elizabeth Saad Corrêa
mensuração do retorno adentram por itens como qualificação do tráfego, gera-
ção de boca-a-boca digital (viral), reputação e imagem digitais, por exemplo.
São tendências que exigem a criação de novas competências não apenas para a
organização, mas principalmente para os profissionais envolvidos nos proces-
sos de comunicação digital e, também, para as instituições que os formam.
As competências digitais
Evidentemente, o tema está bem além da questão do uso dos sistemas de in-
formação, do uso da internet e de suas ferramentas. Falamos, sim, de compe-
tências para a gestão do processo comunicacional em rede.
Iniciamos a discussão pelo conceito de competência digital, partindo do acom-
panhamento das atividades do grupo ICTlogy4
, que apresenta interessantes
propostas sobre o tema. Ali, em recente evento, Boris Mir definiu a construção
da competência digital como um processo metodológico no desenvolvimento
de pessoas. Para ele, “a competência digital resulta da combinação entre co-
nhecimentos e habilidades, associados a valores e atitudes, visando à consecu-
ção de objetivos nos contextos digitais, com eficiência e eficácia, utilizando-se
ferramentas digitais” (MIR, 2009). Mir alerta para o fato de que a aquisição
de habilidades é objeto de um processo de ensino e aprendizagem (ou treina-
mento e desenvolvimento no caso dos ambientes organizacionais), enquanto
a aquisição de conhecimentos está na esfera individual dos treinandos. Com
isso, não basta a exigência, nos ambientes corporativos, de experiência no uso
de redes e sistemas computacionais para que todos atuem adequadamente no
mundo da comunicação digital. É preciso buscar um dado nível de uso estra-
tégico de diferentes habilidades em diferentes esferas de ação da comunicação
digital. Mais do que usar e aplicar, trata-se de ter a competência de entender e
explorar os recursos digitais.
Emergem, com isso, necessidades de intervenção, transformação e reapropria-
ção de/em conteúdos que tocam as esferas do próprio aprendizado; da gestão
da informação com os processos de recuperação e avaliação; da gestão dos
processos comunicacionais; da cultura e da cidadania digitais, focando temas
como comportamentos, participação e segurança; e da esfera tecnológica com
os aspectos de uso e gestão dos diferentes sistemas, aplicativos e suportes.
Tais emergências envolvem tanto o campo formador dos profissionais de co-
municação (as instituições de ensino) quanto o campo de aplicação organiza-
cional. É uma tarefa coordenada.
4	 Grupo de pesquisa liderado pelo professor espanhol Ismael Peña-Lopez da Universidade Aberta da Cata-
lunha. Informações disponíveis em http://ictlogy.net/.

Recomendados

Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...
Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...
Comunicação digital: Do Fascínio das Novas Tecnologias a Combinação Específic...Carla Azevedo
 
Relações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter Corporativo
Relações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter CorporativoRelações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter Corporativo
Relações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter CorporativoCamila Curaçá
 
A INSERÇÃO E EFICÁCIA DA WEB 2.0 E SUAS FERRAMENTAS NA COMUNICAÇÃO INTERNA
A INSERÇÃO E EFICÁCIA DA WEB 2.0 E SUAS FERRAMENTAS NA COMUNICAÇÃO INTERNAA INSERÇÃO E EFICÁCIA DA WEB 2.0 E SUAS FERRAMENTAS NA COMUNICAÇÃO INTERNA
A INSERÇÃO E EFICÁCIA DA WEB 2.0 E SUAS FERRAMENTAS NA COMUNICAÇÃO INTERNAÁguida Pedrosa
 
As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...
As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...
As Redes Sociais E A ComunicaçãO Organizacional A UtilizaçãO De MíDias Digita...Léo Vitor
 
Reinvenção do Trabalho na Era da Comunicação em Rede
Reinvenção do Trabalho na Era da Comunicação em RedeReinvenção do Trabalho na Era da Comunicação em Rede
Reinvenção do Trabalho na Era da Comunicação em RedeUSP e Plexus
 
A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...
A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...
A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...Paola Muller
 
Redes Sociais Na Web E ComunicaçãO Corporativa Novos Caminhos Para A Interaçã...
Redes Sociais Na Web E ComunicaçãO Corporativa Novos Caminhos Para A Interaçã...Redes Sociais Na Web E ComunicaçãO Corporativa Novos Caminhos Para A Interaçã...
Redes Sociais Na Web E ComunicaçãO Corporativa Novos Caminhos Para A Interaçã...Rute Faria
 
Pôster do I Congresso de IC e Pós- Graduação - Sul Brasil
Pôster do I Congresso de IC e Pós- Graduação - Sul BrasilPôster do I Congresso de IC e Pós- Graduação - Sul Brasil
Pôster do I Congresso de IC e Pós- Graduação - Sul BrasilCinara Moura
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Diretrizes para a criação de política de conduta em mídias sociais
Diretrizes para a criação de política de conduta em mídias sociais Diretrizes para a criação de política de conduta em mídias sociais
Diretrizes para a criação de política de conduta em mídias sociais Laís Maciel
 
O Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
O Uso da Inteligência Coletiva nas EmpresasO Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
O Uso da Inteligência Coletiva nas EmpresasElvis Fusco
 
Projeto escrito por Raysa Townsend: Do relações públicas ao rp2.0
Projeto escrito por Raysa Townsend: Do relações públicas ao rp2.0Projeto escrito por Raysa Townsend: Do relações públicas ao rp2.0
Projeto escrito por Raysa Townsend: Do relações públicas ao rp2.0Raysa Townsend
 
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresasMidias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresasFelipe Castro
 
Sites de redes sociais no contexto de marketing rodrigo santos - artigo
Sites de redes sociais no contexto de marketing   rodrigo santos - artigoSites de redes sociais no contexto de marketing   rodrigo santos - artigo
Sites de redes sociais no contexto de marketing rodrigo santos - artigoRodrigo Santos
 
Como posso usar as Redes Sociais ao meu favor
Como posso usar as Redes Sociais ao meu favorComo posso usar as Redes Sociais ao meu favor
Como posso usar as Redes Sociais ao meu favorCarolina Almeida
 
Um Estudo sobre o Contexto e Motivação do Uso das Redes Sociais por Empresas ...
Um Estudo sobre o Contexto e Motivação do Uso das Redes Sociais por Empresas ...Um Estudo sobre o Contexto e Motivação do Uso das Redes Sociais por Empresas ...
Um Estudo sobre o Contexto e Motivação do Uso das Redes Sociais por Empresas ...janierson
 
Artigo abrapcorp
Artigo abrapcorpArtigo abrapcorp
Artigo abrapcorpLaís Bueno
 
Mídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercado
Mídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercadoMídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercado
Mídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercadoFelipe Ferreira
 
Pesquisa Mídias sociais nas empresas - O relacionamento online com o mercado
Pesquisa Mídias sociais nas empresas - O relacionamento online com o mercadoPesquisa Mídias sociais nas empresas - O relacionamento online com o mercado
Pesquisa Mídias sociais nas empresas - O relacionamento online com o mercadoFabio Cipriani
 
A relevância do uso do twitter por empresários
A relevância do uso do twitter por empresáriosA relevância do uso do twitter por empresários
A relevância do uso do twitter por empresáriosDiego Santos
 
Relações Públicas e as Redes Sociais On-line: um estudo do caso Twitter"
Relações Públicas e as Redes Sociais On-line: um estudo do caso Twitter"Relações Públicas e as Redes Sociais On-line: um estudo do caso Twitter"
Relações Públicas e as Redes Sociais On-line: um estudo do caso Twitter"Laís Bueno
 

Mais procurados (15)

Diretrizes para a criação de política de conduta em mídias sociais
Diretrizes para a criação de política de conduta em mídias sociais Diretrizes para a criação de política de conduta em mídias sociais
Diretrizes para a criação de política de conduta em mídias sociais
 
Web 2.0: Rupturas e Continuidades
Web 2.0: Rupturas e ContinuidadesWeb 2.0: Rupturas e Continuidades
Web 2.0: Rupturas e Continuidades
 
O Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
O Uso da Inteligência Coletiva nas EmpresasO Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
O Uso da Inteligência Coletiva nas Empresas
 
Projeto escrito por Raysa Townsend: Do relações públicas ao rp2.0
Projeto escrito por Raysa Townsend: Do relações públicas ao rp2.0Projeto escrito por Raysa Townsend: Do relações públicas ao rp2.0
Projeto escrito por Raysa Townsend: Do relações públicas ao rp2.0
 
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresasMidias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
 
Sites de redes sociais no contexto de marketing rodrigo santos - artigo
Sites de redes sociais no contexto de marketing   rodrigo santos - artigoSites de redes sociais no contexto de marketing   rodrigo santos - artigo
Sites de redes sociais no contexto de marketing rodrigo santos - artigo
 
Como posso usar as Redes Sociais ao meu favor
Como posso usar as Redes Sociais ao meu favorComo posso usar as Redes Sociais ao meu favor
Como posso usar as Redes Sociais ao meu favor
 
Um Estudo sobre o Contexto e Motivação do Uso das Redes Sociais por Empresas ...
Um Estudo sobre o Contexto e Motivação do Uso das Redes Sociais por Empresas ...Um Estudo sobre o Contexto e Motivação do Uso das Redes Sociais por Empresas ...
Um Estudo sobre o Contexto e Motivação do Uso das Redes Sociais por Empresas ...
 
Artigo abrapcorp
Artigo abrapcorpArtigo abrapcorp
Artigo abrapcorp
 
Redessociais
RedessociaisRedessociais
Redessociais
 
Mídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercado
Mídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercadoMídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercado
Mídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercado
 
Pesquisa Mídias sociais nas empresas - O relacionamento online com o mercado
Pesquisa Mídias sociais nas empresas - O relacionamento online com o mercadoPesquisa Mídias sociais nas empresas - O relacionamento online com o mercado
Pesquisa Mídias sociais nas empresas - O relacionamento online com o mercado
 
A relevância do uso do twitter por empresários
A relevância do uso do twitter por empresáriosA relevância do uso do twitter por empresários
A relevância do uso do twitter por empresários
 
Polícia 2 0
Polícia 2 0Polícia 2 0
Polícia 2 0
 
Relações Públicas e as Redes Sociais On-line: um estudo do caso Twitter"
Relações Públicas e as Redes Sociais On-line: um estudo do caso Twitter"Relações Públicas e as Redes Sociais On-line: um estudo do caso Twitter"
Relações Públicas e as Redes Sociais On-line: um estudo do caso Twitter"
 

Semelhante a Comunicacao digital-nas_organizacoes

Comunicação, Marketing e Web 2.0
Comunicação, Marketing e Web 2.0Comunicação, Marketing e Web 2.0
Comunicação, Marketing e Web 2.0Poliana Lopes
 
E-Book Internet Corporativa: Melhores Análises, Melhores Insights
E-Book Internet Corporativa: Melhores Análises, Melhores InsightsE-Book Internet Corporativa: Melhores Análises, Melhores Insights
E-Book Internet Corporativa: Melhores Análises, Melhores InsightsInstituto Desenvolve T.I
 
E-Book Internet Corporativa E-Consulting Corp. 2010
 E-Book Internet Corporativa E-Consulting Corp. 2010 E-Book Internet Corporativa E-Consulting Corp. 2010
E-Book Internet Corporativa E-Consulting Corp. 2010E-Consulting Corp.
 
E-Book Internet Corporativa DOM Strategy Partners 2010
 E-Book  Internet Corporativa DOM Strategy Partners 2010 E-Book  Internet Corporativa DOM Strategy Partners 2010
E-Book Internet Corporativa DOM Strategy Partners 2010DOM Strategy Partners
 
Relações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter Corporativo
Relações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter CorporativoRelações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter Corporativo
Relações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter Corporativocamilacuraca
 
Documento sobre o curso técnico superior profissional de Comunicação Digital
Documento sobre o curso técnico superior profissional de Comunicação DigitalDocumento sobre o curso técnico superior profissional de Comunicação Digital
Documento sobre o curso técnico superior profissional de Comunicação DigitalArlindo Santos
 
Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)
Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)
Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)Helder Milheiro
 
Social Media: a operação
Social Media: a operaçãoSocial Media: a operação
Social Media: a operaçãoCinara Moura
 
Digital - cartilha para fundos de pensão
Digital - cartilha para fundos de pensãoDigital - cartilha para fundos de pensão
Digital - cartilha para fundos de pensãoiinterativa
 
Comunicacao digital para empresas
Comunicacao digital para empresasComunicacao digital para empresas
Comunicacao digital para empresasMayara Peixoto
 
Comunicação Integrada na Era da Informação Compartilhada
Comunicação Integrada na Era da Informação CompartilhadaComunicação Integrada na Era da Informação Compartilhada
Comunicação Integrada na Era da Informação CompartilhadaMonica Chaves
 
Engajamento com a marca nas Mídias Sociais
Engajamento com a marca nas Mídias SociaisEngajamento com a marca nas Mídias Sociais
Engajamento com a marca nas Mídias Sociaisecmetrics
 
Qual o papel do ux na transformação digital?
Qual o papel do ux na transformação digital?Qual o papel do ux na transformação digital?
Qual o papel do ux na transformação digital?Rafael Burity
 
Os Benefícios do Agile Marketing nas Agências de Publicidade
Os Benefícios do Agile Marketing nas Agências de PublicidadeOs Benefícios do Agile Marketing nas Agências de Publicidade
Os Benefícios do Agile Marketing nas Agências de PublicidadeCinthia Mendonça
 

Semelhante a Comunicacao digital-nas_organizacoes (20)

Comunicação digital uma questão de estratégia e de relacionamento com públicos
Comunicação digital uma questão de estratégia e de relacionamento com públicosComunicação digital uma questão de estratégia e de relacionamento com públicos
Comunicação digital uma questão de estratégia e de relacionamento com públicos
 
Comunicação, Marketing e Web 2.0
Comunicação, Marketing e Web 2.0Comunicação, Marketing e Web 2.0
Comunicação, Marketing e Web 2.0
 
E-Book Internet Corporativa: Melhores Análises, Melhores Insights
E-Book Internet Corporativa: Melhores Análises, Melhores InsightsE-Book Internet Corporativa: Melhores Análises, Melhores Insights
E-Book Internet Corporativa: Melhores Análises, Melhores Insights
 
E-Book Internet Corporativa E-Consulting Corp. 2010
 E-Book Internet Corporativa E-Consulting Corp. 2010 E-Book Internet Corporativa E-Consulting Corp. 2010
E-Book Internet Corporativa E-Consulting Corp. 2010
 
E-Book Internet Corporativa DOM Strategy Partners 2010
 E-Book  Internet Corporativa DOM Strategy Partners 2010 E-Book  Internet Corporativa DOM Strategy Partners 2010
E-Book Internet Corporativa DOM Strategy Partners 2010
 
Relações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter Corporativo
Relações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter CorporativoRelações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter Corporativo
Relações Públicas 2.0: Um olhar sobre o Twitter Corporativo
 
Documento sobre o curso técnico superior profissional de Comunicação Digital
Documento sobre o curso técnico superior profissional de Comunicação DigitalDocumento sobre o curso técnico superior profissional de Comunicação Digital
Documento sobre o curso técnico superior profissional de Comunicação Digital
 
Artigo redes sociais
Artigo redes sociaisArtigo redes sociais
Artigo redes sociais
 
Marketing Digital
Marketing DigitalMarketing Digital
Marketing Digital
 
Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)
Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)
Social Business (Organizações em Rede + Novas Plataformas Colaborativas)
 
Agencia Hub
Agencia HubAgencia Hub
Agencia Hub
 
Social Media: a operação
Social Media: a operaçãoSocial Media: a operação
Social Media: a operação
 
O_uso_das_tecnologias_na_comunicacao_com_empregados
O_uso_das_tecnologias_na_comunicacao_com_empregadosO_uso_das_tecnologias_na_comunicacao_com_empregados
O_uso_das_tecnologias_na_comunicacao_com_empregados
 
Digital - cartilha para fundos de pensão
Digital - cartilha para fundos de pensãoDigital - cartilha para fundos de pensão
Digital - cartilha para fundos de pensão
 
Comunicacao digital para empresas
Comunicacao digital para empresasComunicacao digital para empresas
Comunicacao digital para empresas
 
Comunicação Integrada na Era da Informação Compartilhada
Comunicação Integrada na Era da Informação CompartilhadaComunicação Integrada na Era da Informação Compartilhada
Comunicação Integrada na Era da Informação Compartilhada
 
Comunicação de Marketing na Era Digital
Comunicação de Marketing na Era DigitalComunicação de Marketing na Era Digital
Comunicação de Marketing na Era Digital
 
Engajamento com a marca nas Mídias Sociais
Engajamento com a marca nas Mídias SociaisEngajamento com a marca nas Mídias Sociais
Engajamento com a marca nas Mídias Sociais
 
Qual o papel do ux na transformação digital?
Qual o papel do ux na transformação digital?Qual o papel do ux na transformação digital?
Qual o papel do ux na transformação digital?
 
Os Benefícios do Agile Marketing nas Agências de Publicidade
Os Benefícios do Agile Marketing nas Agências de PublicidadeOs Benefícios do Agile Marketing nas Agências de Publicidade
Os Benefícios do Agile Marketing nas Agências de Publicidade
 

Mais de suelen matta

Inteligencia artificial em Recursos Humanos
Inteligencia artificial em Recursos Humanos Inteligencia artificial em Recursos Humanos
Inteligencia artificial em Recursos Humanos suelen matta
 
Dicionario das start ups
Dicionario das start upsDicionario das start ups
Dicionario das start upssuelen matta
 
Desafios da leitura na era digital
Desafios da leitura na era digitalDesafios da leitura na era digital
Desafios da leitura na era digitalsuelen matta
 
Desigualdade de genero na area de tecnologia revelo
Desigualdade de genero na area de tecnologia  reveloDesigualdade de genero na area de tecnologia  revelo
Desigualdade de genero na area de tecnologia revelosuelen matta
 
A bolha dos ultrajovens
A bolha dos ultrajovensA bolha dos ultrajovens
A bolha dos ultrajovenssuelen matta
 
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental suelen matta
 
Tendências Globais de Talentos 2019
Tendências Globais de Talentos 2019Tendências Globais de Talentos 2019
Tendências Globais de Talentos 2019suelen matta
 
Gestão de pessoas os desafios dos lideres setor de varejo
Gestão de pessoas os desafios dos lideres setor de varejo Gestão de pessoas os desafios dos lideres setor de varejo
Gestão de pessoas os desafios dos lideres setor de varejo suelen matta
 
Dinamicas para melhorar comunicação interna
Dinamicas para melhorar comunicação interna Dinamicas para melhorar comunicação interna
Dinamicas para melhorar comunicação interna suelen matta
 
People analytics e hrbp
People analytics e hrbpPeople analytics e hrbp
People analytics e hrbpsuelen matta
 
20 competências para transformar sua performance
20 competências para transformar sua performance20 competências para transformar sua performance
20 competências para transformar sua performancesuelen matta
 
Artigo referente comunicação digital nas organizações.
Artigo referente comunicação digital nas organizações. Artigo referente comunicação digital nas organizações.
Artigo referente comunicação digital nas organizações. suelen matta
 
Índice de confiança mercado de trabalho 2019
Índice de confiança mercado de trabalho 2019Índice de confiança mercado de trabalho 2019
Índice de confiança mercado de trabalho 2019suelen matta
 
Guia do recrutador moderno linkedin
Guia do recrutador moderno linkedinGuia do recrutador moderno linkedin
Guia do recrutador moderno linkedinsuelen matta
 
Inteligencia artificial em Recursos Humanos
Inteligencia artificial em Recursos Humanos Inteligencia artificial em Recursos Humanos
Inteligencia artificial em Recursos Humanos suelen matta
 
Organizações privadas sem fins lucrativos
Organizações privadas sem fins lucrativos Organizações privadas sem fins lucrativos
Organizações privadas sem fins lucrativos suelen matta
 
Tendências de RH 2019
Tendências de RH 2019Tendências de RH 2019
Tendências de RH 2019suelen matta
 
Estudo de caso rede
Estudo de caso redeEstudo de caso rede
Estudo de caso redesuelen matta
 
Ebook gestao conhecimento
Ebook gestao conhecimentoEbook gestao conhecimento
Ebook gestao conhecimentosuelen matta
 

Mais de suelen matta (20)

Inteligencia artificial em Recursos Humanos
Inteligencia artificial em Recursos Humanos Inteligencia artificial em Recursos Humanos
Inteligencia artificial em Recursos Humanos
 
Dicionario das start ups
Dicionario das start upsDicionario das start ups
Dicionario das start ups
 
Desafios da leitura na era digital
Desafios da leitura na era digitalDesafios da leitura na era digital
Desafios da leitura na era digital
 
Desigualdade de genero na area de tecnologia revelo
Desigualdade de genero na area de tecnologia  reveloDesigualdade de genero na area de tecnologia  revelo
Desigualdade de genero na area de tecnologia revelo
 
A bolha dos ultrajovens
A bolha dos ultrajovensA bolha dos ultrajovens
A bolha dos ultrajovens
 
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
 
Tendências Globais de Talentos 2019
Tendências Globais de Talentos 2019Tendências Globais de Talentos 2019
Tendências Globais de Talentos 2019
 
Gestão de pessoas os desafios dos lideres setor de varejo
Gestão de pessoas os desafios dos lideres setor de varejo Gestão de pessoas os desafios dos lideres setor de varejo
Gestão de pessoas os desafios dos lideres setor de varejo
 
Dinamicas para melhorar comunicação interna
Dinamicas para melhorar comunicação interna Dinamicas para melhorar comunicação interna
Dinamicas para melhorar comunicação interna
 
People analytics e hrbp
People analytics e hrbpPeople analytics e hrbp
People analytics e hrbp
 
20 competências para transformar sua performance
20 competências para transformar sua performance20 competências para transformar sua performance
20 competências para transformar sua performance
 
Artigo referente comunicação digital nas organizações.
Artigo referente comunicação digital nas organizações. Artigo referente comunicação digital nas organizações.
Artigo referente comunicação digital nas organizações.
 
Índice de confiança mercado de trabalho 2019
Índice de confiança mercado de trabalho 2019Índice de confiança mercado de trabalho 2019
Índice de confiança mercado de trabalho 2019
 
Guia do recrutador moderno linkedin
Guia do recrutador moderno linkedinGuia do recrutador moderno linkedin
Guia do recrutador moderno linkedin
 
Inteligencia artificial em Recursos Humanos
Inteligencia artificial em Recursos Humanos Inteligencia artificial em Recursos Humanos
Inteligencia artificial em Recursos Humanos
 
Organizações privadas sem fins lucrativos
Organizações privadas sem fins lucrativos Organizações privadas sem fins lucrativos
Organizações privadas sem fins lucrativos
 
Tendências de RH 2019
Tendências de RH 2019Tendências de RH 2019
Tendências de RH 2019
 
Estudo de caso rede
Estudo de caso redeEstudo de caso rede
Estudo de caso rede
 
Ebook gestao conhecimento
Ebook gestao conhecimentoEbook gestao conhecimento
Ebook gestao conhecimento
 
Empregabilidade
Empregabilidade Empregabilidade
Empregabilidade
 

Último

Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...AaAssessoriadll
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024dlp391622
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024taynaradl79
 
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...Unicesumar
 
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024assedlsam
 
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024AcademiaDL
 
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdfPortal NE10
 
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdfPortal NE10
 
os diferentes estilos de liderança e compreenderem como a liderança pode impa...
os diferentes estilos de liderança e compreenderem como a liderança pode impa...os diferentes estilos de liderança e compreenderem como a liderança pode impa...
os diferentes estilos de liderança e compreenderem como a liderança pode impa...Unicesumar
 
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...mariaclarinhaa2723
 
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...jeffrj2001
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...AaAssessoriadll
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...Unicesumar
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...sdl192405
 
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...AaAssessoriadll
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024taynaradl79
 
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...sdl192405
 
PRIMEIRA ETAPA: leitura do texto de apoio A administração de recursos humanos...
PRIMEIRA ETAPA: leitura do texto de apoio A administração de recursos humanos...PRIMEIRA ETAPA: leitura do texto de apoio A administração de recursos humanos...
PRIMEIRA ETAPA: leitura do texto de apoio A administração de recursos humanos...mariaclarinhaa2723
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024dlp391622
 

Último (20)

Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
 
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
 
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
 
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
 
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível médio - DOU.pdf
 
os diferentes estilos de liderança e compreenderem como a liderança pode impa...
os diferentes estilos de liderança e compreenderem como a liderança pode impa...os diferentes estilos de liderança e compreenderem como a liderança pode impa...
os diferentes estilos de liderança e compreenderem como a liderança pode impa...
 
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
 
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
 
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
 
PRIMEIRA ETAPA: leitura do texto de apoio A administração de recursos humanos...
PRIMEIRA ETAPA: leitura do texto de apoio A administração de recursos humanos...PRIMEIRA ETAPA: leitura do texto de apoio A administração de recursos humanos...
PRIMEIRA ETAPA: leitura do texto de apoio A administração de recursos humanos...
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 

Comunicacao digital-nas_organizacoes

  • 1. Elizabeth Saad Corrêa • Doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) • Mestre e graduada em Administração de Empresas pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP) • Professora do Departamento de Jornalismo e Editoração e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da ECA-USP • Coordenadora do grupo de pesquisa COM+ (www.commais.info) e do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu de Gestão Integrada da Comunicação Digital (Digicorp) da ECA-USP • Palestrante internacional e estrategista web • Autora do livro Estratégias “2.0” para a mídia digital. internet, informação e comunicação e de diversos artigos e capítulos de livro sobre o tema • Mantenedora do blog Intermezzo – Reflexões sobre jlr e comunicação digital (www.imezzo.wordpress.com). • bethsaad@usp.br; bethsaad@gmail.com A Comunicação Digital nas organizações: tendências e transformações Digital Communication in the organizations: trends and transformations La Comunicación Digital en las organizaciones: tendencias y transformaciones
  • 2. 162 A Comunicação Digital nas organizações: tendências e transformações • Elizabeth Saad Corrêa Resumo A Comunicação Organizacional assume um novo patamar de usos e aplica- ções no contexto das Tecnologias da Informação e da Comunicação (Tic’s). Discutem-se neste artigo as duas principais tendências transformadoras desse campo: os impactos decorrentes das redes sociais; e a proposição de uma for- mação profissional centrada nas competências e habilidades digitais. PALAVRAS-CHAVE: COMUNICAÇÃO DIGITAL • MÍDIAS SOCIAIS • WEB 2.0 • FORMAÇÃO PROFISSIONAL Abstract Considering the context of Information and Communication Technologies (ICTs), all of the Organizational Communication processes involve new appli- cation forms. This essay discusses two main trends that are transforming this field: the impacts of social media and the proposal of transforming the profes- sional background by focusing more on digital competencies and skills. KEYWORDS: DIGITAL COMMUNICATION • SOCIAL MEDIA • WEB 2.0 • PROFESSIONAL EDUCATION Resumen La Comunicación Organizacional pasa a un nuevo nivel de usos y aplicaciones de las Tecnologías de la Información y la Comunicación (TICs). Se discuten dos de las principales tendencias transformadoras de este campo: los impactos de las redes sociales y la proposición de una formación profesional basada en las competencias y en las habilidades digitales. PALABRAS CLAVE: COMUNICACIÓN DIGITAL • MEDIOS SOCIALES • WEB 2.0 • FORMACIÓN PROFESIONAL
  • 3. 163ano 6 • edição especial • números 10 / 11 • 2009 • organicom Adigitalização na sociedade contemporânea é um fato. Difícil pensarmos nosso cotidiano sem a presença de algum dispositivo que transforma em bits simples operações como olhar as horas ou assistir à televisão. A digitali- zação hoje ocorre em rede mundial, conectando computadores, dispositivos e, especialmente, pessoas. Seja na forma mais imperceptível (quando reali- zamos uma transação por meio de um cartão magnético, por exemplo), seja na mais explicita (quando nos conectamos à internet), a sociedade conectada se faz presente e natural. Na cena organizacional a realidade digital é inerente ao próprio funcionamen- to de uma empresa. Não importa o tamanho e seu campo de atuação, o uso de computadores é indispensável. Sistemas integrados de gestão, páginas e portais corporativos na web e intranets são hoje meios de operação, conexão e expressão usuais de uma organização com seus diferentes públicos. Ultrapassamos a discussão sobre a necessidade e as aplicações da mediação digitalizada e conectada nos ambientes organizacionais. Hoje as questões centrais estão na discussão do processo de comunicação em redes e na cons- trução de relacionamentos da organização com seus públicos por meio de formatos comunicacionais que propõem uma equalização entre emissores e receptores. E, mais que tudo isso, a discussão de base está na imposição de mudanças culturais que a digitalização em rede traz para a rotina comunica- cional das empresas. Hoje a relação organização/tecnologias digitais/comunicação tem como um dos pontos mais sensíveis a adequação de ritmos: a rapidez da inovação digital e as diferenças em sua absorção e implementação por parte da organização (delimitada pela estrutura) e dos públicos (motivados pelo protagonismo ad- quirido). Tal adequação exige das organizações e dos profissionais de comuni- cação novos posicionamentos e conhecimentos, muita flexibilidade e criativi- dade no planejamento e na gestão dos processos comunicacionais. Poderíamos caracterizar o momento como um fenômeno tipicamente de du- pla mediação (MIÈGE, 2009)1 , na qual a relação comunicação/digitalização se caracteriza pela transitoriedade, refletida por uma ação em fluxos. O surgi- mento e uso crescente das chamadas mídias sociais fazem com que qualquer cidadão capaz de interagir com as ferramentas disponíveis na web possa pro- duzir, utilizar, comentar e compartilhar informações. E aqui cabe às organiza- ções buscar novos formatos e estratégias para manter e ampliar a comunica- ção e o relacionamento com seus públicos. 1 Bernard Miège entende a dupla mediação como a apropriação gradativa das ferramentas tecnológicas lançadas no mercado (ou sistema) por parte dos usuários (ou da sociedade) e que sofrem, por meio de- les, alterações em seus usos originais, incorporando-se às práticas sociais anteriormente consolidadas. Cabe à Comunicação, nesse cenário, exercer o seu papel de criação de competências para a técnica se expressar em novos discursos.
  • 4. 164 A Comunicação Digital nas organizações: tendências e transformações • Elizabeth Saad Corrêa Portanto, dois conjuntos-chave de reflexões sobre processos, tendências e com- petências na comunicação organizacional da sociedade digital em rede são: a incorporação do fenômeno das mídias sociais no modo de se comunicar, exi- gindo um novo posicionamento estratégico da comunicação na organização; e a incorporação das chamadas competências digitais (digital competencies), que exigem mudanças nos profissionais, na cultura empresarial e no modo de produção da informação. As redes sociais digitais e a comunicação organizacional Existem múltiplas definições para mídias sociais desde que se configurou a web 2.02 . Propomos sua compreensão considerando que são quaisquer tecno- logias ou práticas on-line que permitem o compartilhamento de conteúdo, opi- niões, ideias, experiências e mídias, possibilitando conversações sobre o que é relevante. Destaquem-se os termos “compartilhamento” e “conversações”, transformadores do modo tradicional de comunicação. O advento das mídias sociais quebra o padrão e a metodologia de produção da informação. Configura-se uma outra estrutura operacional e, consequente- mente, possíveis transformações na estrutura de sustentação econômica e de configuração de mercado para esse cenário. Sabemos que no mundo da Comunicação Organizacional, mesmo com todo o determinismo recorrente das Tic’s, existem diferentes níveis ou graus de posicionamento de uma organização na prática de sua estratégia de presença digital. Falamos aqui de cenários da comunicação digital (CORRÊA, 2009). No cenário 1.0 as expressões comunicacionais ocorrem com baixa intervenção do receptor ou do usuário no conteúdo da comunicação, baixa capacidade de personalização do conteúdo, predomínio do emissor sobre o controle do conteúdo e de suas relações com o usuário, e em geral transmitem um simu- lacro de bidirecionalidade pela oferta de instrumentos de interatividade que não refletem totalmente seu conceito. Nesse campo predominam os websites, as intranets, os portais corporativos, os boletins digitais e a comunicação por correio eletrônico. O cenário 2.0 procura evoluir o posicionamento descrito no cenário anterior, incorporando todo um conjunto de tendências de participação e geração de conteúdo pelo usuário, inspiradas pelo termo web 2.0, representando um des- locamento do polo emissor de mensagens no processo comunicacional. No 2 O termo web 2.0 foi cunhado em 2004 por Tim O’Reilly, consultor norte-americano, em uma conferência para discutir como a web estava produzindo sistemas, aplicativos e ferramentas que cada vez mais municiavam o usuário para ações de comunicação e relacionamento autônomas, sem a intervenção dos conhecidos veículos de mídia para a formação da opinião da sociedade.
  • 5. 165ano 6 • edição especial • números 10 / 11 • 2009 • organicom mundo 2.0 as tecnologias e práticas se concretizam por meios de plataformas e ferramentas que proliferam pela rede em ritmo exponencial. As mais utiliza- das e, por assim dizer, mais consagradas são: blogs, microblogs, RSS, widgets, re- des sociais, alertas, mashups, salas de bate-papo, sistemas de compartilhamento de fotos e vídeos, podcasts, sistemas de notícias sociais, wikis, entre outros3 . Tais posicionamentos não significam que uma organização tenha que obriga- toriamente definir-se como 1.0 ou 2.0, pois são cenários concomitantes e in- terdependentes. Mas, diante da força transformadora que surge na sociedade, toda empresa deveria buscar responder a algumas perguntas-chave que podem ajudar na definição e na avaliação de impacto: • O mundo das redes sociais é determinante para o negócio? • Como usar as plataformas e ferramentas de mídias sociais? • Como gerenciar essa inovação? • Como agregar valor à comunicação da organização a partir da integração das redes sociais à estratégia? As respostas a esses questionamentos promovem no ambiente organizacional uma sucessão de mudanças na estrutura, nos meios, nas pessoas, na cultura e na imagem. A Comunicação Organizacional passa a trafegar por ações e reações muito mais comportamentais e perceptivas, planos passam a incluir a resiliência como item fundamental para sua execução e os retornos, embora extremamente perceptíveis e concretos, passam a incluir parâmetros menos quantitativos, valorizando as leituras qualitativas e semânticas. Ao incorporar mídias sociais no processo da Comunicação Digital Corporati- va o padrão de retorno de investimento (ROI – return on investment) muda para return on insight, ou seja, o retorno perceptivo a partir das ações, opiniões e avaliações geradas pelos múltiplos coletivos comunicacionais da web 2.0. Para David Armano (2009), “a verdade inconveniente para muitas organiza- ções é que o argumento tradicional do ROI pode matar iniciativas antes que elas possam ver a luz do dia”. Ele preconiza a adoção de estratégias de comu- nicação não-convencionais, já que o ambiente digital 2.0 possibilita ações cada vez mais focadas, segmentadas e dirigidas a nichos muito pontuais, em oposi- ção ao cenário da comunicação mais massiva, cujos modelos já estão testados e podem ser mensurados quantitativamente. Hoje, a grande tendência da Comunicação Corporativa que se expressa no mundo das redes digitais é criar presença em novos territórios de relacionamen- to com os públicos em redes sociais, em dispositivos móveis, em experiências de cloud computing, entre as muitas possibilidades. Com isso os parâmetros de 3 Utilizamos aqui as denominações usuais em inglês para os sistemas e as ferramentas. Não vamos carac- terizar cada uma delas por fugir dos propósitos do texto.
  • 6. 166 A Comunicação Digital nas organizações: tendências e transformações • Elizabeth Saad Corrêa mensuração do retorno adentram por itens como qualificação do tráfego, gera- ção de boca-a-boca digital (viral), reputação e imagem digitais, por exemplo. São tendências que exigem a criação de novas competências não apenas para a organização, mas principalmente para os profissionais envolvidos nos proces- sos de comunicação digital e, também, para as instituições que os formam. As competências digitais Evidentemente, o tema está bem além da questão do uso dos sistemas de in- formação, do uso da internet e de suas ferramentas. Falamos, sim, de compe- tências para a gestão do processo comunicacional em rede. Iniciamos a discussão pelo conceito de competência digital, partindo do acom- panhamento das atividades do grupo ICTlogy4 , que apresenta interessantes propostas sobre o tema. Ali, em recente evento, Boris Mir definiu a construção da competência digital como um processo metodológico no desenvolvimento de pessoas. Para ele, “a competência digital resulta da combinação entre co- nhecimentos e habilidades, associados a valores e atitudes, visando à consecu- ção de objetivos nos contextos digitais, com eficiência e eficácia, utilizando-se ferramentas digitais” (MIR, 2009). Mir alerta para o fato de que a aquisição de habilidades é objeto de um processo de ensino e aprendizagem (ou treina- mento e desenvolvimento no caso dos ambientes organizacionais), enquanto a aquisição de conhecimentos está na esfera individual dos treinandos. Com isso, não basta a exigência, nos ambientes corporativos, de experiência no uso de redes e sistemas computacionais para que todos atuem adequadamente no mundo da comunicação digital. É preciso buscar um dado nível de uso estra- tégico de diferentes habilidades em diferentes esferas de ação da comunicação digital. Mais do que usar e aplicar, trata-se de ter a competência de entender e explorar os recursos digitais. Emergem, com isso, necessidades de intervenção, transformação e reapropria- ção de/em conteúdos que tocam as esferas do próprio aprendizado; da gestão da informação com os processos de recuperação e avaliação; da gestão dos processos comunicacionais; da cultura e da cidadania digitais, focando temas como comportamentos, participação e segurança; e da esfera tecnológica com os aspectos de uso e gestão dos diferentes sistemas, aplicativos e suportes. Tais emergências envolvem tanto o campo formador dos profissionais de co- municação (as instituições de ensino) quanto o campo de aplicação organiza- cional. É uma tarefa coordenada. 4 Grupo de pesquisa liderado pelo professor espanhol Ismael Peña-Lopez da Universidade Aberta da Cata- lunha. Informações disponíveis em http://ictlogy.net/.
  • 7. 167ano 6 • edição especial • números 10 / 11 • 2009 • organicom É necessário e emergente uma reconfiguração dos processos educacionais for- mais e daqueles de educação continuada para uma eficaz resposta das estraté- gias de Comunicação Organizacional. Referências ARMANO, David. The collective is the focus group: revolutionizing ROI through “Return on insight”. Logic+Emotion. Disponível em: <http://darmano.typepad.com/logic_emotion/2009/01/weve-been-thinking-about-the-current-economic-climate-and-the- pressure-not-to-mention-scrutiny-digital-if-not-all-initi.html>. Acesso em: 16 jul. 2009. MIÈGE, Bernard. Cours “Les Tic’s (ou ICT’s) entre innovation technique et encrage social”. São Paulo: ECA-USP, 2009. [Texto de uso restrito]. MIR, Boris. The digital competence as methodological competence. Disponivel em:<http://ictlogy.net/tag/competencias_digi- tales_cuimpb_2009/>.Acesso em: 16 jul. 2009. SAAD CORRÊA, Elizabeth. Comunicação digital e novas mídias institucionais. In: KUNSCH, Margarida M. Krohling (Org.). Comu- nicação organizacional. Vol. 1. Histórico, fundamentos e processos. São Paulo: Saraiva, 2009. p. 317-335.