SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
Baixar para ler offline
Orientações Gerais para a Construção do Plano de Ação Planos de Ação para Cidades Históricas 1ª Oficina de Capacitação Brasília, 10 a 14 de agosto de 2009
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Orientações Gerais
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Belém|PA São Luiz|MA Recife/Olinda|PE
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Atores e Competências Equipe de Formulação dos Planos de Ação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Coordenador e Técnicos  Prefeituras ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Superintendente, Técnicos Superintendências Estaduais ,[object Object],[object Object],[object Object],Coordenador e Técnicos Estados Atribuição Composição
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Brasília|DF Rio de Janeiro|RJ Ouro Preto|MG
As Orientações Gerais apresentadas visam facilitar a elaboração dos Planos de Ação, entretanto,  não devem ser consideradas como etapas fixas ou estanques .  Algumas  etapas poderão ocorrer concomitantemente , dependendo da capacidade institucional dos atores envolvidos e da disponibilidade de informações em cada localidade.  Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Início de um processo de  integração e fortalecimento  das políticas públicas voltadas à preservação e promoção do patrimônio cultural
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Mobilização dos Atores ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Olinda|PE Teresina|PI Cachoeira|BA
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Capacitação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Será criado no  site  do Iphan um espaço dos Planos de Ação.  Todo o material ficará disponível on line  e poderá ser replicado nos  sites  dos Municípios e Estados
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Informações de Referência
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Etapas de elaboração 16/nov Novembro Consolidação dos acordos de preservação do patrimônio 4ª PACTUAÇÃO Hierarquização (ou priorização) das ações 02/nov Outubro Proposição das ações 3ª AÇÕES Delimitação da área de atuação do plano Definição dos objetivos específicos 05/out Setembro Definição de objetivo geral 2ª OBJETIVOS 08/set agosto Levantamento de dados e consolidação de diagnóstico preliminar 1ª DIAGNÓSTICO PRELIMINAR Entrega Período Atividades Etapas
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Etapas de elaboração Considerar os levantamentos existentes. Plano Diretor, Planos de Preservação, Inventários, Estudos, PLHIS... Visão integrada!
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Etapas de elaboração Identificar agentes sociais relevantes para as questões relativas ao patrimônio cultural no município.
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Ficha Consulta
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Ficha Consulta
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Ficha Consulta
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Cadastro da rede de organizações
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar ... ... 3.1.4. 3.1.3. 3.1.2. 3.1.1. 3.4. Estado de Preservação - Descrever 3.3. Número aproximado de bens abrangidos 3.2. Relação com a área de interesse patrimonial (D-direta; I-indireta) - Descrever 3.1. Patrimônio Cultural existente no município e nome do bairro / região. (Anotar os monumentos significativos, conjuntos urbanos, conjuntos e coleções, ocorrência de festas e celebrações, feiras e mercados tradicionais, sítios arqueológicos, etc...) A esquerda anotar tipo de proteção (T-tombamento; E-entorno; R-registro; I-inventário)  (repetir quantas linhas forem necessárias) 3. DEFINIÇÃO DA ÁREA DE ESTUDO 2.5. Código Postal 2.4.Endereço (sede da prefeitura) 2.3.Localidade 2.2.Município 2.1.UF 2. LOCALIZAÇÃO  (Objeto de preenchimento da ficha) Gestão de áreas urbanas 1.2. Recortes Temáticos (Identificação do estudo) 1.1. Recorte Territorial (Identificação da região estudada) 1. IDENTIFICAÇÃO
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 3.9. Principais problemas e potencialidades em relação à proteção/ reconhecimento do patrimônio cultural 3.4.9. Outros 3.4.8. Sítios Arqueológicos 3.4.7. Inventários ou classificações de bens de interesse cultural 3.4.6. Bens imateriais registrados em nível municipal 3.4.5. Bens imateriais registrados em nível estadual 3.4.4. Bens imateriais registrados em nível federal 3.4.3. Bens tombados em nível municipal 3.4.2. Bens tombados em nível estadual 3.4.1. Bens tombados em nível federal 3.8. Localização e disponibilidade das informações (arquivo, biblioteca, meio digital, impresso), e outras informações 3.7. Motivação da proteção/ reconhecimento (valores associados) 3.6. Número de bens abrangidos 3.5. Data da proteção/ reconhecimento 3.4. Tipo de proteção associada à área de estudos: Existe (S-sim; N-não);
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 5.3. Observações acerca do panorama sócio-econômico da população residente na área 5.1.3. Outras atividades econômicas que tenham ligação com a área de interesse e sua relação com os habitantes do local 5.1.2. Principais atividades econômicas realizadas na área de interesse e sua relação com os habitantes do local 5.1.1. Principais ocupações dos habitantes e sua relação com a área de interesse 5.2. Analisar as relações entre a as atividades econômicas e a população residente na área 5.1. Aspectos sócio-econômicos 5. PERFIL SÓCIO-ECONÔMICO DA ÁREA E DA POPULAÇÃO RESIDENTE 4.6 Principais problemas e potencialidades em relação à disponibilidade de informações documentais acerca da área de estudos 4.1.10. Outras bases cartográficas atualizadas (regionais) 4.1.9. Ortofoto atualizada 4.1.8. Planta cadastral geo-referenciada 4.1.7. Planta cadastral atualizada  4.1.6. Outros inventários sobre referências culturais associadas à área 4.1.5. Outros estudos e inventários sobre o sítio urbano 4.1.4. Inventário Nacional de Referências Culturais - INRC 4.1.3. Inventário de Bens Arquitetônicos - IBA 4.1.2. Inventário de Configuração de Espaços Urbanos - INCEU 4.1.1. Inventário Nacional de Bens Imóveis e Sítios Urbanos – INBI-SU 4.5. Localização e disponibilidade das informações (arquivo, biblioteca, meio digital, impresso), e outras informações 4.4. Porcentagem em relação à área do sítio histórico 4.3. Número de bens documentado 4.2. Data de coleta das informações 4.1. Inventários e Estudos associados ao sítio histórico: Existe (S-sim; N-não);  4. IDENTIFICAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DAS INFORMAÇÕES DISPONÍVEIS SOBRE A ÁREA
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 6.7. Observações acerca da gestão territorial e instrumentos associados ... 6.5.5.  6.5.4.  6.5.3.  6.5.2.  6.5.1.  6.9. Analisar os impactos sobre a área de interesse 6.8. Valor investido 6.7. Estágio de implementação (planejamento / projeto / execução / em conclusão) 6.6. Proponente (Federal / Estadual / Municipal / Privado) 6.5. Descrição dos projetos incidentes sobre a área de interesse (Infra-estrutura, sociais, desenvolvimento econômico, turísticos, outros) (repetir quantas linhas forem necessárias) 6.3.5. Identificação de problemas de regularização fundiária 6.3.4. Identificação de tendências de adensamento 6.3.3. Identificação de tendências de esvaziamento 6.3.2. Identificação de tendências de mudanças de uso 6.3.1. Identificação de tendências de expansão urbana 6.4. Analisar as tendências identificadas e os impactos sobre a área de interesse 6.3. Diagnóstico de elementos de pressão sobre a área de interesse 6.1.5. Análise de outras leis que incidam sobre o patrimônio cultural 6.1.4. Análise de leis de transferência de potencial construtivo aplicadas à área 6.1.3. Análise de leis de incentivo voltadas à preservação do patrimônio cultural 6.1.2. Análise de outras Leis que incidam sobre a área de interesse (ambientais, etc) 6.1.1. Como o Plano Diretor Municipal aborda a área de interesse 6.2. Analisar a aplicação das leis e os efeitos obtidos 6.1. Análise da legislação incidente sobre a área 6. GESTÃO E PLANEJAMENTO URBANO E TERRITORIAL
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 7.4.13. Outros (especificar) 7.4.12. Acessibilidade a portadores de necessidade especiais 7.4.11. Mobiliário urbano 7.4.10. Vagas de estacionamento 7.4.9. Transporte Público 7.4.8. Rede elétrica subterrânea 7.4.7. Iluminação pública 7.4.6. Gás canalizado 7.4.5. Rede de lógica (Tv a cabo, internet) 7.4.4. Coleta de lixo 7.4.3. Esgotamento sanitário 7.4.2. Rede de água pluvial 7.4.1. Abastecimento de água 7.5. Descrever o aspecto justificando a classificação 7.4. Infra-estrutura urbana (S-suficiente; D-deficiente; I-inexistente) 7.1.7. Outros (especificar) 7.1.6. Educacional 7.1.5. Institucional 7.1.4. Prestação de serviços 7.1.3. Comercial 7.1.2. Residencial 7.3. Potencialidades 7.2. Problemas 7.2. % Estimada do Uso 7.1. Funções da área (P-prioritário; C-complementar; NE-não existe) 7. DIAGNÓSTICO DE USOS, SERVIÇOS E INFRA-ESTRUTURA URBANA DISPONÍVEL
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 7.10. Observações acerca da infra-estrutura da área 7.8.5. Sinalização de monumentos 7.8.4. Sinalização turística 7.8.3. Vagas em hotéis 7.8.2. Espaço para eventos 7.8.1. Receptivo turístico (postos de atendimento) 7.9. Analisar o aspecto a oferta e a demanda e relacionando-o às características do sítio 7.8. Serviços e equipamentos turísticos (S-suficiente; D-deficiente; I-inexistente) 7.6.7. Outros (especificar) 7.6.6. Serviços (Cartórios, Bancos, Correios, ...) 7.6.5. Serviços tradicionais (Feiras, Mercados Públicos, Antiguidade,...) 7.6.4. Cultura (cinema, teatro, museu, biblioteca, centros comunitários, pontos de cultura) 7.6.3. Esporte e lazer (quadras, parques, praças) 7.6.2. Saúde (postos de saúde, hospitais...) 7.6.1. Educação (creches, escolas...) 7.7. Analisar o aspecto considerando a disponibilidade e a demanda e relacionando-o às características do sítio 7.6. Equipamentos urbanos e serviços públicos (S-suficiente; D-deficiente; I-inexistente)
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 8.4. Observações acerca da qualidade ambiental e do patrimônio arquitetônico da área de estudos 8.1.5. Outros (especificar) 8.1.4. Sinalização urbana 8.1.3. Poluição sonora 8.1.3. Poluição visual 8.1.2. Áreas Verdes 8.1.1. Sistema viário (largura de vias, pavimentação, etc) 8.3. Potencialidades (identificar possíveis soluções para os problemas) 8.2. Problemas (identificar agentes e processos causadores es danos e seus efeitos sobre o ambiente urbano) 8.1. Caracterização dos aspectos ambientais 8. DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE AMBIENTAL
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 11.3. Data 11. PREENCHIMENTO 10.5. Observações acerca do tipo de pressão sofrida pelas diferentes áreas 10.3.6. Outros (especificar) 10.3.5. Detecção de áreas de risco social (favelas, cortiços, etc) 10.3.4. Detecção de áreas sujeitas à pressão por mudanças no perfil sócio-econômico da população residente 10.3.3. Detecção de áreas sujeitas à pressão por especulação imobiliária 10.3.2. Detecção de áreas sujeitas à pressão por adensamento 10.3.1. Detecção de áreas sujeitas à pressão por mudanças de uso 10.3.1. Identificação dos principais eixos visuais para a apreensão do sítio 10.4. Determinar preliminarmente a área relacionando o problema e o risco ao acervo cultural 10.3. Áreas que se diferenciem por aspectos específicos 9.1.5. Outros (especificar) 9.1.4. Identificação de áreas para direcionamento das pressões exercidas sobre o Centro Histórico 9.1.3. Identificação de áreas relacionadas diretamente às manifestações culturais que aconteçam na área 9.1.2. Identificação de áreas com alta predominância de bens culturais de destaque 9.1.1. Identificação dos principais eixos visuais para a apreensão do sítio 9.2. Descrição da característica e delimitação prévia da área de abrangência 9.1. Identificação dos espaços referenciais 9. IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS QUE DEMANDEM ATENÇÃO DIFERENCIADA
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Pactuar  visão de futuro para a cidade  visando a preservação do Patrimônio Cultural Visualizar  estratégias necessárias  para alcançar  realidade desejada Etapas de elaboração
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Matriz de Objetivos
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Etapas de elaboração Visualizar  ações necessárias  para alcançar  realidade desejada
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Etapas de elaboração Discussão pública  é fundamental –  base de apoio  para a proposta de ações e prioridades
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Matriz de Ações
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Etapas de elaboração
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Etapas de elaboração e Calendário Genérico 08.setembro 05.outubro 02.novembro 03-06 – Nov | 10a reunião – Consolidação dos modelos de gestão 09-13 – Nov | 11a reunião – Redação final dos APPC Diagnóstico Local Objetivo Geral Oficna Participativa Objetivos Específicos Oficina Participativa Delimitação da área  de atuação do Plano Proposição das Ações Priorização das Ações Oficina Participativa Consolidação dos Acordos de Preservação do Patrimonio  Cultural 17-21 – Ago | 1a reunião – Levantamento e Preenchimento Ficha Consulta 24-28 – Ago | 2a reunião – Análise e Pactuação Problemas e Potencialidades 31-04 – Set | 3a reunião – Relatório de Diagnóstico Local e 1a Oficina 16.novembro 14-18 – Set | 4a reunião – Pactuação dos Objetivos Gerais (detalhamento dos objetivos relacionando-os aos problemas, potencialida- des e área de atuação) 21-25 – Set | 5a reunião – Pactuação dos Objetivos Específicos e proposição das áreas | Preparação de Relatório e 2a Oficina (discussão das ações  pretendidas frente aos objetivos) 28-02 – Out | 6a reunião – Definição das áreas de atuação do Plano  05-09 – Out | 7a reunião – Proposição das Ações (Ação/Estágio/Área/Agentes/Res-ponsabilidades/Investimento/Fonte/Me-ta/Indicador) 13-16 – Out | 3a Oficina – Pactuação 19-30 – Out | 8a e 9a reunião – Priorização e proposição dos modelos de gestão
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Linhas de Ações Elegíveis ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Linhas de Ações Elegíveis
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Linha 2 – Dinamização e valorização dos sítios históricos Recuperação e uso do patrimônio cultural •  Restauro e conservação dos bens (atendendo NBR 9050) •  Recuperação dos edifícios e dos espaços públicos condicionada à garantia de uso que promova atividades econômicas, sociais e culturais Requalificação urbanística •  Recuperação de espaços públicos •  Instalação de mobiliário urbano e sinalização •  Embutimento de fiação aérea •  Iluminação de destaque •  Instalação de internet sem fio gratuita •  Melhoria de segurança no território delimitado •  Adequação de plano viário •  Qualificação/ implantação de parques e áreas verdes Linhas de Ações Elegíveis
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Linha 2 – Dinamização e valorização dos sítios históricos Infraestrutura urbana e social •  Habitação, inclusive de Interesse Social  •  Saneamento Ambiental •  Regularização fundiária  •  Transporte e Mobilidade Urbana Fomento às atividades produtivas locais •  Apoio à estruturação de atividades produtivas nas cidades históricas, com ênfase para as atividades tradicionais •  Qualificação dos espaços destinados à produção e venda do artesanato no país, na realização de oficinas de capacitação, entre outras ações que estimulem a geração de emprego e renda •  Linhas de crédito para a produção tradicional •  Implantação de projetos de Economia solidária •  Qualificação profissional da população residente na cidade voltada para a preservação •  Programas de geração de renda para atividades tradicionais Linhas de Ações Elegíveis
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Linha 2 – Dinamização e valorização dos sítios históricos Financiamento para a recuperação e promoção de usos de imóveis privados •  Financiamento para a recuperação de imóveis privados •  Financiamento com critérios específicos para atendimento do Serviço Social de Moradia Difusão e Promoção do patrimônio cultural •  Produção de conteúdo sobre o patrimônio cultural para os sítios de internet da Prefeitura, Estado e União •  Produção de filmes e programas de TV voltados à divulgação do patrimônio cultural •  Parcerias com secretarias de educação para produção de conteúdo didático para escolas. •  Divulgação dos circuitos históricos •  Capacitação de agentes locais para o turismo cultural •  Sinalização e identificação dos bens tombados •  Produção de material de divulgação dos monumentos históricos •  Produção de guia e material de referência das cidades históricas Linhas de Ações Elegíveis
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Linha 3 – Planejamento e gestão Fortalecimento Institucional •  Legislação e Regulação (necessidades) •  Normatização da publicidade (uso de placas, letreiros etc.) •  Produção de material de referência local (Cadernos técnicos, cartilhas para mão de obra, etc...) Formação de técnicos •  Formação de técnicos nas áreas de preservação •  Formação de gestores de projetos de preservação •  Capacitação de técnicos municipais, estaduais e federais em temáticas específicas Desenvolvimento de instrumentos de Gestão integrada •  Fundos Municipais / Estaduais •  Criação de linhas de financiamento para a preservação •  Escritórios Técnicos de Licenciamento e Fiscalização •  Desenvolvimento de marcos municipais ou regionais (Planos de Mobilidade, Habitação, dentre outros) •  Criação de consórcios intermunicipais para a preservação do Patrimônio Cultural Linhas de Ações Elegíveis
Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Orientações Gerais
ESTAÇÕES: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ensino religioso 2º ano ensino médio
Ensino religioso  2º ano ensino médioEnsino religioso  2º ano ensino médio
Ensino religioso 2º ano ensino médioRafael Noronha
 
Atividade de Interpretação de Texto - Mc Carol / Quinhentismo
Atividade de Interpretação de Texto - Mc Carol / Quinhentismo Atividade de Interpretação de Texto - Mc Carol / Quinhentismo
Atividade de Interpretação de Texto - Mc Carol / Quinhentismo Paula Meyer Piagentini
 
Plano de curso produção textual - 6ºano
Plano de curso   produção textual - 6ºanoPlano de curso   produção textual - 6ºano
Plano de curso produção textual - 6ºanonandatinoco
 
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...LOCIMAR MASSALAI
 
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Mary Alvarenga
 
Arte - Lei Maria da Penha.pdf
Arte - Lei Maria da Penha.pdfArte - Lei Maria da Penha.pdf
Arte - Lei Maria da Penha.pdfMary Alvarenga
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade culturalPaula Tomaz
 
As praticas sociais e as atividades de linguagem
As praticas sociais e as atividades de linguagemAs praticas sociais e as atividades de linguagem
As praticas sociais e as atividades de linguagemfabio coutinho silva
 
Plano de aula dia 18 de maio
Plano de aula   dia 18 de maioPlano de aula   dia 18 de maio
Plano de aula dia 18 de maioAna Santos
 
Projeto de iniciação científica modelo
Projeto de iniciação científica   modeloProjeto de iniciação científica   modelo
Projeto de iniciação científica modeloCarlos Elson Cunha
 
Bullying- relatório das atividades
Bullying-  relatório das atividadesBullying-  relatório das atividades
Bullying- relatório das atividadesPolivalente Linhares
 

Mais procurados (20)

DC GO AMPLIADO_EF.pdf
DC GO AMPLIADO_EF.pdfDC GO AMPLIADO_EF.pdf
DC GO AMPLIADO_EF.pdf
 
Generos textuais - Notícia
Generos textuais - NotíciaGeneros textuais - Notícia
Generos textuais - Notícia
 
Ensino religioso 2º ano ensino médio
Ensino religioso  2º ano ensino médioEnsino religioso  2º ano ensino médio
Ensino religioso 2º ano ensino médio
 
Atividade de Interpretação de Texto - Mc Carol / Quinhentismo
Atividade de Interpretação de Texto - Mc Carol / Quinhentismo Atividade de Interpretação de Texto - Mc Carol / Quinhentismo
Atividade de Interpretação de Texto - Mc Carol / Quinhentismo
 
Ciências anual 4º ano
Ciências anual 4º anoCiências anual 4º ano
Ciências anual 4º ano
 
Plano de curso produção textual - 6ºano
Plano de curso   produção textual - 6ºanoPlano de curso   produção textual - 6ºano
Plano de curso produção textual - 6ºano
 
História em quadrinho
História em quadrinhoHistória em quadrinho
História em quadrinho
 
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
 
Folclore 9º ano
Folclore 9º anoFolclore 9º ano
Folclore 9º ano
 
Mensagem persistencia e tudo
Mensagem persistencia e tudoMensagem persistencia e tudo
Mensagem persistencia e tudo
 
Projeto copa-do-mundo-2010-eja
Projeto copa-do-mundo-2010-ejaProjeto copa-do-mundo-2010-eja
Projeto copa-do-mundo-2010-eja
 
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
 
Arte - Lei Maria da Penha.pdf
Arte - Lei Maria da Penha.pdfArte - Lei Maria da Penha.pdf
Arte - Lei Maria da Penha.pdf
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
 
As praticas sociais e as atividades de linguagem
As praticas sociais e as atividades de linguagemAs praticas sociais e as atividades de linguagem
As praticas sociais e as atividades de linguagem
 
Plano de aula dia 18 de maio
Plano de aula   dia 18 de maioPlano de aula   dia 18 de maio
Plano de aula dia 18 de maio
 
Projeto de iniciação científica modelo
Projeto de iniciação científica   modeloProjeto de iniciação científica   modelo
Projeto de iniciação científica modelo
 
Bullying- relatório das atividades
Bullying-  relatório das atividadesBullying-  relatório das atividades
Bullying- relatório das atividades
 
Prova 7 ano carla 3 bimestre
Prova 7 ano carla 3 bimestreProva 7 ano carla 3 bimestre
Prova 7 ano carla 3 bimestre
 
Bingo dos Substantivos
Bingo dos SubstantivosBingo dos Substantivos
Bingo dos Substantivos
 

Destaque

Inventário de projetos Caetano Casaretto: Patrimônio arquitetônico urbano em ...
Inventário de projetos Caetano Casaretto: Patrimônio arquitetônico urbano em ...Inventário de projetos Caetano Casaretto: Patrimônio arquitetônico urbano em ...
Inventário de projetos Caetano Casaretto: Patrimônio arquitetônico urbano em ...Guilherme Daltoé
 
Cidades históricas de Minas Gerais
Cidades históricas de Minas GeraisCidades históricas de Minas Gerais
Cidades históricas de Minas GeraisSylvio Bazote
 
Logística Aula 8
Logística Aula 8Logística Aula 8
Logística Aula 8robsonnasc
 
Apostila De Acuracidade De Estoques V6
Apostila De Acuracidade De Estoques   V6Apostila De Acuracidade De Estoques   V6
Apostila De Acuracidade De Estoques V6guest3d59
 
Dicionário IPHAN de Patrimônio Cultural
Dicionário IPHAN de Patrimônio CulturalDicionário IPHAN de Patrimônio Cultural
Dicionário IPHAN de Patrimônio Culturalcultcultura
 

Destaque (9)

Inventário de projetos Caetano Casaretto: Patrimônio arquitetônico urbano em ...
Inventário de projetos Caetano Casaretto: Patrimônio arquitetônico urbano em ...Inventário de projetos Caetano Casaretto: Patrimônio arquitetônico urbano em ...
Inventário de projetos Caetano Casaretto: Patrimônio arquitetônico urbano em ...
 
Rio2
Rio2Rio2
Rio2
 
Projeto green belt andre carvalho versão final
Projeto green belt andre carvalho   versão finalProjeto green belt andre carvalho   versão final
Projeto green belt andre carvalho versão final
 
Cidades históricas de Minas Gerais
Cidades históricas de Minas GeraisCidades históricas de Minas Gerais
Cidades históricas de Minas Gerais
 
Gestão de estoque
Gestão de estoqueGestão de estoque
Gestão de estoque
 
Logística Aula 8
Logística Aula 8Logística Aula 8
Logística Aula 8
 
Apostila De Acuracidade De Estoques V6
Apostila De Acuracidade De Estoques   V6Apostila De Acuracidade De Estoques   V6
Apostila De Acuracidade De Estoques V6
 
Dicionário iphan
Dicionário iphanDicionário iphan
Dicionário iphan
 
Dicionário IPHAN de Patrimônio Cultural
Dicionário IPHAN de Patrimônio CulturalDicionário IPHAN de Patrimônio Cultural
Dicionário IPHAN de Patrimônio Cultural
 

Semelhante a Planos de Ação para Cidades Históricas

Cartilha planos de ação para cidades históricas
Cartilha   planos de ação para cidades históricasCartilha   planos de ação para cidades históricas
Cartilha planos de ação para cidades históricasNoemiEVasconcelos
 
Estratégias Metodológicas para um processo participativo Estratégias Metodoló...
Estratégias Metodológicas para um processo participativo Estratégias Metodoló...Estratégias Metodológicas para um processo participativo Estratégias Metodoló...
Estratégias Metodológicas para um processo participativo Estratégias Metodoló...planosdecultura
 
BH cidade piloto slide síntese (agosto14) (atualizado).pptx
BH cidade piloto slide síntese (agosto14) (atualizado).pptxBH cidade piloto slide síntese (agosto14) (atualizado).pptx
BH cidade piloto slide síntese (agosto14) (atualizado).pptxJosOliveira231241
 
Seminario Permanente em Petropolis 07/07
Seminario Permanente em Petropolis 07/07Seminario Permanente em Petropolis 07/07
Seminario Permanente em Petropolis 07/07Fórum De Cultura
 
Como fazer um plano de cultura
Como fazer um plano de culturaComo fazer um plano de cultura
Como fazer um plano de culturaMais Por Arte
 
4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES
4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES
4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADESIlha de Itaparica
 
Capacitação para elaboração de Planos Diretores - MCidades.ppt
Capacitação para elaboração de Planos Diretores - MCidades.pptCapacitação para elaboração de Planos Diretores - MCidades.ppt
Capacitação para elaboração de Planos Diretores - MCidades.pptRaquelTernus
 
Apresentação Metodologia PMC - 29/06/2012
Apresentação Metodologia PMC - 29/06/2012Apresentação Metodologia PMC - 29/06/2012
Apresentação Metodologia PMC - 29/06/2012Prefeitura de Olinda
 
Apresentação Metodologia PMC - 05/07/2012
Apresentação Metodologia PMC - 05/07/2012Apresentação Metodologia PMC - 05/07/2012
Apresentação Metodologia PMC - 05/07/2012Prefeitura de Olinda
 
Plano de Estructura Urbano Moçambique
Plano de Estructura Urbano MoçambiquePlano de Estructura Urbano Moçambique
Plano de Estructura Urbano Moçambiquemargaritaschetter
 
Painel Mapas Culturais: Uma Experiência de Análise de Dados
Painel Mapas Culturais: Uma Experiência de Análise de DadosPainel Mapas Culturais: Uma Experiência de Análise de Dados
Painel Mapas Culturais: Uma Experiência de Análise de DadosThaís Rigolon
 
Comunidade diretrizes 2009 - relatorio-rebatimento-mapa-plano-diretor-plani...
Comunidade   diretrizes 2009 - relatorio-rebatimento-mapa-plano-diretor-plani...Comunidade   diretrizes 2009 - relatorio-rebatimento-mapa-plano-diretor-plani...
Comunidade diretrizes 2009 - relatorio-rebatimento-mapa-plano-diretor-plani...Comunidade Campeche
 
Relatório 2013-2016
Relatório 2013-2016Relatório 2013-2016
Relatório 2013-2016Alvaro Santi
 
Apresentação Conselho Preservação Histórica
Apresentação Conselho Preservação HistóricaApresentação Conselho Preservação Histórica
Apresentação Conselho Preservação HistóricaAndreia Becker
 
SMC em Dados - Relatório do Observatório da Cultura 2010-2016
SMC em Dados - Relatório do Observatório da Cultura 2010-2016SMC em Dados - Relatório do Observatório da Cultura 2010-2016
SMC em Dados - Relatório do Observatório da Cultura 2010-2016Alvaro Santi
 
Plano diretor das cidades de São Paulo e Juazeiro do Norte CE
Plano diretor das cidades de São Paulo e Juazeiro do Norte CEPlano diretor das cidades de São Paulo e Juazeiro do Norte CE
Plano diretor das cidades de São Paulo e Juazeiro do Norte CELucas Santos
 
Apresentação Metodologia PMC (com matriz de priorização)
Apresentação Metodologia PMC (com matriz de priorização)Apresentação Metodologia PMC (com matriz de priorização)
Apresentação Metodologia PMC (com matriz de priorização)Prefeitura de Olinda
 

Semelhante a Planos de Ação para Cidades Históricas (20)

Cartilha planos de ação para cidades históricas
Cartilha   planos de ação para cidades históricasCartilha   planos de ação para cidades históricas
Cartilha planos de ação para cidades históricas
 
Estratégias Metodológicas para um processo participativo Estratégias Metodoló...
Estratégias Metodológicas para um processo participativo Estratégias Metodoló...Estratégias Metodológicas para um processo participativo Estratégias Metodoló...
Estratégias Metodológicas para um processo participativo Estratégias Metodoló...
 
BH cidade piloto slide síntese (agosto14) (atualizado).pptx
BH cidade piloto slide síntese (agosto14) (atualizado).pptxBH cidade piloto slide síntese (agosto14) (atualizado).pptx
BH cidade piloto slide síntese (agosto14) (atualizado).pptx
 
Seminario Permanente em Petropolis 07/07
Seminario Permanente em Petropolis 07/07Seminario Permanente em Petropolis 07/07
Seminario Permanente em Petropolis 07/07
 
Como fazer um plano de cultura
Como fazer um plano de culturaComo fazer um plano de cultura
Como fazer um plano de cultura
 
4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES
4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES
4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES
 
Capacitação para elaboração de Planos Diretores - MCidades.ppt
Capacitação para elaboração de Planos Diretores - MCidades.pptCapacitação para elaboração de Planos Diretores - MCidades.ppt
Capacitação para elaboração de Planos Diretores - MCidades.ppt
 
Apresentação Metodologia PMC - 29/06/2012
Apresentação Metodologia PMC - 29/06/2012Apresentação Metodologia PMC - 29/06/2012
Apresentação Metodologia PMC - 29/06/2012
 
Apresentação Metodologia PMC - 05/07/2012
Apresentação Metodologia PMC - 05/07/2012Apresentação Metodologia PMC - 05/07/2012
Apresentação Metodologia PMC - 05/07/2012
 
Plano de Estructura Urbano Moçambique
Plano de Estructura Urbano MoçambiquePlano de Estructura Urbano Moçambique
Plano de Estructura Urbano Moçambique
 
Painel Mapas Culturais: Uma Experiência de Análise de Dados
Painel Mapas Culturais: Uma Experiência de Análise de DadosPainel Mapas Culturais: Uma Experiência de Análise de Dados
Painel Mapas Culturais: Uma Experiência de Análise de Dados
 
Comunidade diretrizes 2009 - relatorio-rebatimento-mapa-plano-diretor-plani...
Comunidade   diretrizes 2009 - relatorio-rebatimento-mapa-plano-diretor-plani...Comunidade   diretrizes 2009 - relatorio-rebatimento-mapa-plano-diretor-plani...
Comunidade diretrizes 2009 - relatorio-rebatimento-mapa-plano-diretor-plani...
 
2.0 o plhis e sua metodologia - lúcio
2.0 o plhis e sua metodologia - lúcio2.0 o plhis e sua metodologia - lúcio
2.0 o plhis e sua metodologia - lúcio
 
Relatório 2013-2016
Relatório 2013-2016Relatório 2013-2016
Relatório 2013-2016
 
Apresentação Conselho Preservação Histórica
Apresentação Conselho Preservação HistóricaApresentação Conselho Preservação Histórica
Apresentação Conselho Preservação Histórica
 
SMC em Dados - Relatório do Observatório da Cultura 2010-2016
SMC em Dados - Relatório do Observatório da Cultura 2010-2016SMC em Dados - Relatório do Observatório da Cultura 2010-2016
SMC em Dados - Relatório do Observatório da Cultura 2010-2016
 
Seminário 3 prauc
Seminário 3   praucSeminário 3   prauc
Seminário 3 prauc
 
Plano diretor das cidades de São Paulo e Juazeiro do Norte CE
Plano diretor das cidades de São Paulo e Juazeiro do Norte CEPlano diretor das cidades de São Paulo e Juazeiro do Norte CE
Plano diretor das cidades de São Paulo e Juazeiro do Norte CE
 
Apresentaã‡ao
Apresentaã‡aoApresentaã‡ao
Apresentaã‡ao
 
Apresentação Metodologia PMC (com matriz de priorização)
Apresentação Metodologia PMC (com matriz de priorização)Apresentação Metodologia PMC (com matriz de priorização)
Apresentação Metodologia PMC (com matriz de priorização)
 

Mais de Scott Rains

Numérisé sur une imprimante multifonctions
Numérisé sur une imprimante multifonctionsNumérisé sur une imprimante multifonctions
Numérisé sur une imprimante multifonctionsScott Rains
 
Graveur Coatantiec
Graveur CoatantiecGraveur Coatantiec
Graveur CoatantiecScott Rains
 
Guernsey Philatelic News Nov 1981 vol. 3
Guernsey Philatelic News Nov 1981 vol. 3Guernsey Philatelic News Nov 1981 vol. 3
Guernsey Philatelic News Nov 1981 vol. 3Scott Rains
 
Turkey: International Year of Disabled Persons (IYDP)
Turkey: International Year of Disabled Persons (IYDP)Turkey: International Year of Disabled Persons (IYDP)
Turkey: International Year of Disabled Persons (IYDP)Scott Rains
 
Belgium IYDP Data Sheet
Belgium IYDP Data SheetBelgium IYDP Data Sheet
Belgium IYDP Data SheetScott Rains
 
Belgium's IYDP Stamps
Belgium's IYDP  StampsBelgium's IYDP  Stamps
Belgium's IYDP StampsScott Rains
 
Tracing Disability Representation After the1981UN International Year of Disab...
Tracing Disability Representation After the1981UN International Year of Disab...Tracing Disability Representation After the1981UN International Year of Disab...
Tracing Disability Representation After the1981UN International Year of Disab...Scott Rains
 
Catalyst spring summer-2015
Catalyst spring summer-2015Catalyst spring summer-2015
Catalyst spring summer-2015Scott Rains
 
The Purpose of a Conference on Inclusive Tourism
 The Purpose of a Conference on Inclusive Tourism The Purpose of a Conference on Inclusive Tourism
The Purpose of a Conference on Inclusive TourismScott Rains
 
San Marino Declaration on Inclusive Tourism - 2014
San Marino Declaration on Inclusive Tourism - 2014San Marino Declaration on Inclusive Tourism - 2014
San Marino Declaration on Inclusive Tourism - 2014Scott Rains
 
Veterans with Disabilities Toolkit
Veterans with Disabilities ToolkitVeterans with Disabilities Toolkit
Veterans with Disabilities ToolkitScott Rains
 
On Disability and Tourism in Nepal: Article by Scott Rains and Interview with...
On Disability and Tourism in Nepal: Article by Scott Rains and Interview with...On Disability and Tourism in Nepal: Article by Scott Rains and Interview with...
On Disability and Tourism in Nepal: Article by Scott Rains and Interview with...Scott Rains
 
Disability Rights in Nepal: NAPD Magazine
Disability Rights in Nepal: NAPD MagazineDisability Rights in Nepal: NAPD Magazine
Disability Rights in Nepal: NAPD MagazineScott Rains
 
Travel South Africa in a Wheelchair - Forward Magzine, Feb 2010
Travel South Africa in a Wheelchair - Forward Magzine, Feb 2010Travel South Africa in a Wheelchair - Forward Magzine, Feb 2010
Travel South Africa in a Wheelchair - Forward Magzine, Feb 2010Scott Rains
 
The Matera Manifesto on Cultural Inclusion (In Italian and English)
The Matera Manifesto on Cultural Inclusion (In Italian and English)The Matera Manifesto on Cultural Inclusion (In Italian and English)
The Matera Manifesto on Cultural Inclusion (In Italian and English)Scott Rains
 
Declaration Montreal sur Tourisme pour Tous
Declaration Montreal sur Tourisme pour TousDeclaration Montreal sur Tourisme pour Tous
Declaration Montreal sur Tourisme pour TousScott Rains
 
Going to Wild Places I Could Only Dream About - Slideshow
Going to Wild Places I Could Only Dream About - SlideshowGoing to Wild Places I Could Only Dream About - Slideshow
Going to Wild Places I Could Only Dream About - SlideshowScott Rains
 
Destinations for All: How Far Have We Come?
Destinations for All: How Far Have We Come?Destinations for All: How Far Have We Come?
Destinations for All: How Far Have We Come?Scott Rains
 
Montreal Declaration on Inclusive Tourism in Destinations
Montreal Declaration on Inclusive Tourism in DestinationsMontreal Declaration on Inclusive Tourism in Destinations
Montreal Declaration on Inclusive Tourism in DestinationsScott Rains
 

Mais de Scott Rains (20)

Numérisé sur une imprimante multifonctions
Numérisé sur une imprimante multifonctionsNumérisé sur une imprimante multifonctions
Numérisé sur une imprimante multifonctions
 
Graveur Coatantiec
Graveur CoatantiecGraveur Coatantiec
Graveur Coatantiec
 
Guernsey Philatelic News Nov 1981 vol. 3
Guernsey Philatelic News Nov 1981 vol. 3Guernsey Philatelic News Nov 1981 vol. 3
Guernsey Philatelic News Nov 1981 vol. 3
 
Turkey: International Year of Disabled Persons (IYDP)
Turkey: International Year of Disabled Persons (IYDP)Turkey: International Year of Disabled Persons (IYDP)
Turkey: International Year of Disabled Persons (IYDP)
 
Belgium IYDP Data Sheet
Belgium IYDP Data SheetBelgium IYDP Data Sheet
Belgium IYDP Data Sheet
 
Belgium's IYDP Stamps
Belgium's IYDP  StampsBelgium's IYDP  Stamps
Belgium's IYDP Stamps
 
Tracing Disability Representation After the1981UN International Year of Disab...
Tracing Disability Representation After the1981UN International Year of Disab...Tracing Disability Representation After the1981UN International Year of Disab...
Tracing Disability Representation After the1981UN International Year of Disab...
 
Catalyst spring summer-2015
Catalyst spring summer-2015Catalyst spring summer-2015
Catalyst spring summer-2015
 
The Purpose of a Conference on Inclusive Tourism
 The Purpose of a Conference on Inclusive Tourism The Purpose of a Conference on Inclusive Tourism
The Purpose of a Conference on Inclusive Tourism
 
San Marino Declaration on Inclusive Tourism - 2014
San Marino Declaration on Inclusive Tourism - 2014San Marino Declaration on Inclusive Tourism - 2014
San Marino Declaration on Inclusive Tourism - 2014
 
Veterans with Disabilities Toolkit
Veterans with Disabilities ToolkitVeterans with Disabilities Toolkit
Veterans with Disabilities Toolkit
 
On Disability and Tourism in Nepal: Article by Scott Rains and Interview with...
On Disability and Tourism in Nepal: Article by Scott Rains and Interview with...On Disability and Tourism in Nepal: Article by Scott Rains and Interview with...
On Disability and Tourism in Nepal: Article by Scott Rains and Interview with...
 
Disability Rights in Nepal: NAPD Magazine
Disability Rights in Nepal: NAPD MagazineDisability Rights in Nepal: NAPD Magazine
Disability Rights in Nepal: NAPD Magazine
 
Travel South Africa in a Wheelchair - Forward Magzine, Feb 2010
Travel South Africa in a Wheelchair - Forward Magzine, Feb 2010Travel South Africa in a Wheelchair - Forward Magzine, Feb 2010
Travel South Africa in a Wheelchair - Forward Magzine, Feb 2010
 
The Matera Manifesto on Cultural Inclusion (In Italian and English)
The Matera Manifesto on Cultural Inclusion (In Italian and English)The Matera Manifesto on Cultural Inclusion (In Italian and English)
The Matera Manifesto on Cultural Inclusion (In Italian and English)
 
Declaration Montreal sur Tourisme pour Tous
Declaration Montreal sur Tourisme pour TousDeclaration Montreal sur Tourisme pour Tous
Declaration Montreal sur Tourisme pour Tous
 
Going to Wild Places I Could Only Dream About - Slideshow
Going to Wild Places I Could Only Dream About - SlideshowGoing to Wild Places I Could Only Dream About - Slideshow
Going to Wild Places I Could Only Dream About - Slideshow
 
Destinations for All: How Far Have We Come?
Destinations for All: How Far Have We Come?Destinations for All: How Far Have We Come?
Destinations for All: How Far Have We Come?
 
Montreal Declaration on Inclusive Tourism in Destinations
Montreal Declaration on Inclusive Tourism in DestinationsMontreal Declaration on Inclusive Tourism in Destinations
Montreal Declaration on Inclusive Tourism in Destinations
 
S10 p1
S10 p1S10 p1
S10 p1
 

Planos de Ação para Cidades Históricas

  • 1. Orientações Gerais para a Construção do Plano de Ação Planos de Ação para Cidades Históricas 1ª Oficina de Capacitação Brasília, 10 a 14 de agosto de 2009
  • 2. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Orientações Gerais
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6. As Orientações Gerais apresentadas visam facilitar a elaboração dos Planos de Ação, entretanto, não devem ser consideradas como etapas fixas ou estanques . Algumas etapas poderão ocorrer concomitantemente , dependendo da capacidade institucional dos atores envolvidos e da disponibilidade de informações em cada localidade. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Informações de Referência
  • 11. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Etapas de elaboração 16/nov Novembro Consolidação dos acordos de preservação do patrimônio 4ª PACTUAÇÃO Hierarquização (ou priorização) das ações 02/nov Outubro Proposição das ações 3ª AÇÕES Delimitação da área de atuação do plano Definição dos objetivos específicos 05/out Setembro Definição de objetivo geral 2ª OBJETIVOS 08/set agosto Levantamento de dados e consolidação de diagnóstico preliminar 1ª DIAGNÓSTICO PRELIMINAR Entrega Período Atividades Etapas
  • 12.
  • 13.
  • 14. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Ficha Consulta
  • 15. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Ficha Consulta
  • 16. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Ficha Consulta
  • 17. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Cadastro da rede de organizações
  • 18. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar ... ... 3.1.4. 3.1.3. 3.1.2. 3.1.1. 3.4. Estado de Preservação - Descrever 3.3. Número aproximado de bens abrangidos 3.2. Relação com a área de interesse patrimonial (D-direta; I-indireta) - Descrever 3.1. Patrimônio Cultural existente no município e nome do bairro / região. (Anotar os monumentos significativos, conjuntos urbanos, conjuntos e coleções, ocorrência de festas e celebrações, feiras e mercados tradicionais, sítios arqueológicos, etc...) A esquerda anotar tipo de proteção (T-tombamento; E-entorno; R-registro; I-inventário) (repetir quantas linhas forem necessárias) 3. DEFINIÇÃO DA ÁREA DE ESTUDO 2.5. Código Postal 2.4.Endereço (sede da prefeitura) 2.3.Localidade 2.2.Município 2.1.UF 2. LOCALIZAÇÃO (Objeto de preenchimento da ficha) Gestão de áreas urbanas 1.2. Recortes Temáticos (Identificação do estudo) 1.1. Recorte Territorial (Identificação da região estudada) 1. IDENTIFICAÇÃO
  • 19. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 3.9. Principais problemas e potencialidades em relação à proteção/ reconhecimento do patrimônio cultural 3.4.9. Outros 3.4.8. Sítios Arqueológicos 3.4.7. Inventários ou classificações de bens de interesse cultural 3.4.6. Bens imateriais registrados em nível municipal 3.4.5. Bens imateriais registrados em nível estadual 3.4.4. Bens imateriais registrados em nível federal 3.4.3. Bens tombados em nível municipal 3.4.2. Bens tombados em nível estadual 3.4.1. Bens tombados em nível federal 3.8. Localização e disponibilidade das informações (arquivo, biblioteca, meio digital, impresso), e outras informações 3.7. Motivação da proteção/ reconhecimento (valores associados) 3.6. Número de bens abrangidos 3.5. Data da proteção/ reconhecimento 3.4. Tipo de proteção associada à área de estudos: Existe (S-sim; N-não);
  • 20. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 5.3. Observações acerca do panorama sócio-econômico da população residente na área 5.1.3. Outras atividades econômicas que tenham ligação com a área de interesse e sua relação com os habitantes do local 5.1.2. Principais atividades econômicas realizadas na área de interesse e sua relação com os habitantes do local 5.1.1. Principais ocupações dos habitantes e sua relação com a área de interesse 5.2. Analisar as relações entre a as atividades econômicas e a população residente na área 5.1. Aspectos sócio-econômicos 5. PERFIL SÓCIO-ECONÔMICO DA ÁREA E DA POPULAÇÃO RESIDENTE 4.6 Principais problemas e potencialidades em relação à disponibilidade de informações documentais acerca da área de estudos 4.1.10. Outras bases cartográficas atualizadas (regionais) 4.1.9. Ortofoto atualizada 4.1.8. Planta cadastral geo-referenciada 4.1.7. Planta cadastral atualizada 4.1.6. Outros inventários sobre referências culturais associadas à área 4.1.5. Outros estudos e inventários sobre o sítio urbano 4.1.4. Inventário Nacional de Referências Culturais - INRC 4.1.3. Inventário de Bens Arquitetônicos - IBA 4.1.2. Inventário de Configuração de Espaços Urbanos - INCEU 4.1.1. Inventário Nacional de Bens Imóveis e Sítios Urbanos – INBI-SU 4.5. Localização e disponibilidade das informações (arquivo, biblioteca, meio digital, impresso), e outras informações 4.4. Porcentagem em relação à área do sítio histórico 4.3. Número de bens documentado 4.2. Data de coleta das informações 4.1. Inventários e Estudos associados ao sítio histórico: Existe (S-sim; N-não); 4. IDENTIFICAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DAS INFORMAÇÕES DISPONÍVEIS SOBRE A ÁREA
  • 21. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 6.7. Observações acerca da gestão territorial e instrumentos associados ... 6.5.5. 6.5.4. 6.5.3. 6.5.2. 6.5.1. 6.9. Analisar os impactos sobre a área de interesse 6.8. Valor investido 6.7. Estágio de implementação (planejamento / projeto / execução / em conclusão) 6.6. Proponente (Federal / Estadual / Municipal / Privado) 6.5. Descrição dos projetos incidentes sobre a área de interesse (Infra-estrutura, sociais, desenvolvimento econômico, turísticos, outros) (repetir quantas linhas forem necessárias) 6.3.5. Identificação de problemas de regularização fundiária 6.3.4. Identificação de tendências de adensamento 6.3.3. Identificação de tendências de esvaziamento 6.3.2. Identificação de tendências de mudanças de uso 6.3.1. Identificação de tendências de expansão urbana 6.4. Analisar as tendências identificadas e os impactos sobre a área de interesse 6.3. Diagnóstico de elementos de pressão sobre a área de interesse 6.1.5. Análise de outras leis que incidam sobre o patrimônio cultural 6.1.4. Análise de leis de transferência de potencial construtivo aplicadas à área 6.1.3. Análise de leis de incentivo voltadas à preservação do patrimônio cultural 6.1.2. Análise de outras Leis que incidam sobre a área de interesse (ambientais, etc) 6.1.1. Como o Plano Diretor Municipal aborda a área de interesse 6.2. Analisar a aplicação das leis e os efeitos obtidos 6.1. Análise da legislação incidente sobre a área 6. GESTÃO E PLANEJAMENTO URBANO E TERRITORIAL
  • 22. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 7.4.13. Outros (especificar) 7.4.12. Acessibilidade a portadores de necessidade especiais 7.4.11. Mobiliário urbano 7.4.10. Vagas de estacionamento 7.4.9. Transporte Público 7.4.8. Rede elétrica subterrânea 7.4.7. Iluminação pública 7.4.6. Gás canalizado 7.4.5. Rede de lógica (Tv a cabo, internet) 7.4.4. Coleta de lixo 7.4.3. Esgotamento sanitário 7.4.2. Rede de água pluvial 7.4.1. Abastecimento de água 7.5. Descrever o aspecto justificando a classificação 7.4. Infra-estrutura urbana (S-suficiente; D-deficiente; I-inexistente) 7.1.7. Outros (especificar) 7.1.6. Educacional 7.1.5. Institucional 7.1.4. Prestação de serviços 7.1.3. Comercial 7.1.2. Residencial 7.3. Potencialidades 7.2. Problemas 7.2. % Estimada do Uso 7.1. Funções da área (P-prioritário; C-complementar; NE-não existe) 7. DIAGNÓSTICO DE USOS, SERVIÇOS E INFRA-ESTRUTURA URBANA DISPONÍVEL
  • 23. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 7.10. Observações acerca da infra-estrutura da área 7.8.5. Sinalização de monumentos 7.8.4. Sinalização turística 7.8.3. Vagas em hotéis 7.8.2. Espaço para eventos 7.8.1. Receptivo turístico (postos de atendimento) 7.9. Analisar o aspecto a oferta e a demanda e relacionando-o às características do sítio 7.8. Serviços e equipamentos turísticos (S-suficiente; D-deficiente; I-inexistente) 7.6.7. Outros (especificar) 7.6.6. Serviços (Cartórios, Bancos, Correios, ...) 7.6.5. Serviços tradicionais (Feiras, Mercados Públicos, Antiguidade,...) 7.6.4. Cultura (cinema, teatro, museu, biblioteca, centros comunitários, pontos de cultura) 7.6.3. Esporte e lazer (quadras, parques, praças) 7.6.2. Saúde (postos de saúde, hospitais...) 7.6.1. Educação (creches, escolas...) 7.7. Analisar o aspecto considerando a disponibilidade e a demanda e relacionando-o às características do sítio 7.6. Equipamentos urbanos e serviços públicos (S-suficiente; D-deficiente; I-inexistente)
  • 24. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 8.4. Observações acerca da qualidade ambiental e do patrimônio arquitetônico da área de estudos 8.1.5. Outros (especificar) 8.1.4. Sinalização urbana 8.1.3. Poluição sonora 8.1.3. Poluição visual 8.1.2. Áreas Verdes 8.1.1. Sistema viário (largura de vias, pavimentação, etc) 8.3. Potencialidades (identificar possíveis soluções para os problemas) 8.2. Problemas (identificar agentes e processos causadores es danos e seus efeitos sobre o ambiente urbano) 8.1. Caracterização dos aspectos ambientais 8. DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE AMBIENTAL
  • 25. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Roteiro para Diagnóstico Preliminar 11.3. Data 11. PREENCHIMENTO 10.5. Observações acerca do tipo de pressão sofrida pelas diferentes áreas 10.3.6. Outros (especificar) 10.3.5. Detecção de áreas de risco social (favelas, cortiços, etc) 10.3.4. Detecção de áreas sujeitas à pressão por mudanças no perfil sócio-econômico da população residente 10.3.3. Detecção de áreas sujeitas à pressão por especulação imobiliária 10.3.2. Detecção de áreas sujeitas à pressão por adensamento 10.3.1. Detecção de áreas sujeitas à pressão por mudanças de uso 10.3.1. Identificação dos principais eixos visuais para a apreensão do sítio 10.4. Determinar preliminarmente a área relacionando o problema e o risco ao acervo cultural 10.3. Áreas que se diferenciem por aspectos específicos 9.1.5. Outros (especificar) 9.1.4. Identificação de áreas para direcionamento das pressões exercidas sobre o Centro Histórico 9.1.3. Identificação de áreas relacionadas diretamente às manifestações culturais que aconteçam na área 9.1.2. Identificação de áreas com alta predominância de bens culturais de destaque 9.1.1. Identificação dos principais eixos visuais para a apreensão do sítio 9.2. Descrição da característica e delimitação prévia da área de abrangência 9.1. Identificação dos espaços referenciais 9. IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS QUE DEMANDEM ATENÇÃO DIFERENCIADA
  • 26.
  • 27. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Matriz de Objetivos
  • 28.
  • 29.
  • 30. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Matriz de Ações
  • 31.
  • 32. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Etapas de elaboração e Calendário Genérico 08.setembro 05.outubro 02.novembro 03-06 – Nov | 10a reunião – Consolidação dos modelos de gestão 09-13 – Nov | 11a reunião – Redação final dos APPC Diagnóstico Local Objetivo Geral Oficna Participativa Objetivos Específicos Oficina Participativa Delimitação da área de atuação do Plano Proposição das Ações Priorização das Ações Oficina Participativa Consolidação dos Acordos de Preservação do Patrimonio Cultural 17-21 – Ago | 1a reunião – Levantamento e Preenchimento Ficha Consulta 24-28 – Ago | 2a reunião – Análise e Pactuação Problemas e Potencialidades 31-04 – Set | 3a reunião – Relatório de Diagnóstico Local e 1a Oficina 16.novembro 14-18 – Set | 4a reunião – Pactuação dos Objetivos Gerais (detalhamento dos objetivos relacionando-os aos problemas, potencialida- des e área de atuação) 21-25 – Set | 5a reunião – Pactuação dos Objetivos Específicos e proposição das áreas | Preparação de Relatório e 2a Oficina (discussão das ações pretendidas frente aos objetivos) 28-02 – Out | 6a reunião – Definição das áreas de atuação do Plano 05-09 – Out | 7a reunião – Proposição das Ações (Ação/Estágio/Área/Agentes/Res-ponsabilidades/Investimento/Fonte/Me-ta/Indicador) 13-16 – Out | 3a Oficina – Pactuação 19-30 – Out | 8a e 9a reunião – Priorização e proposição dos modelos de gestão
  • 33.
  • 34.
  • 35. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Linha 2 – Dinamização e valorização dos sítios históricos Recuperação e uso do patrimônio cultural • Restauro e conservação dos bens (atendendo NBR 9050) • Recuperação dos edifícios e dos espaços públicos condicionada à garantia de uso que promova atividades econômicas, sociais e culturais Requalificação urbanística • Recuperação de espaços públicos • Instalação de mobiliário urbano e sinalização • Embutimento de fiação aérea • Iluminação de destaque • Instalação de internet sem fio gratuita • Melhoria de segurança no território delimitado • Adequação de plano viário • Qualificação/ implantação de parques e áreas verdes Linhas de Ações Elegíveis
  • 36. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Linha 2 – Dinamização e valorização dos sítios históricos Infraestrutura urbana e social • Habitação, inclusive de Interesse Social • Saneamento Ambiental • Regularização fundiária • Transporte e Mobilidade Urbana Fomento às atividades produtivas locais • Apoio à estruturação de atividades produtivas nas cidades históricas, com ênfase para as atividades tradicionais • Qualificação dos espaços destinados à produção e venda do artesanato no país, na realização de oficinas de capacitação, entre outras ações que estimulem a geração de emprego e renda • Linhas de crédito para a produção tradicional • Implantação de projetos de Economia solidária • Qualificação profissional da população residente na cidade voltada para a preservação • Programas de geração de renda para atividades tradicionais Linhas de Ações Elegíveis
  • 37. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Linha 2 – Dinamização e valorização dos sítios históricos Financiamento para a recuperação e promoção de usos de imóveis privados • Financiamento para a recuperação de imóveis privados • Financiamento com critérios específicos para atendimento do Serviço Social de Moradia Difusão e Promoção do patrimônio cultural • Produção de conteúdo sobre o patrimônio cultural para os sítios de internet da Prefeitura, Estado e União • Produção de filmes e programas de TV voltados à divulgação do patrimônio cultural • Parcerias com secretarias de educação para produção de conteúdo didático para escolas. • Divulgação dos circuitos históricos • Capacitação de agentes locais para o turismo cultural • Sinalização e identificação dos bens tombados • Produção de material de divulgação dos monumentos históricos • Produção de guia e material de referência das cidades históricas Linhas de Ações Elegíveis
  • 38. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Linha 3 – Planejamento e gestão Fortalecimento Institucional • Legislação e Regulação (necessidades) • Normatização da publicidade (uso de placas, letreiros etc.) • Produção de material de referência local (Cadernos técnicos, cartilhas para mão de obra, etc...) Formação de técnicos • Formação de técnicos nas áreas de preservação • Formação de gestores de projetos de preservação • Capacitação de técnicos municipais, estaduais e federais em temáticas específicas Desenvolvimento de instrumentos de Gestão integrada • Fundos Municipais / Estaduais • Criação de linhas de financiamento para a preservação • Escritórios Técnicos de Licenciamento e Fiscalização • Desenvolvimento de marcos municipais ou regionais (Planos de Mobilidade, Habitação, dentre outros) • Criação de consórcios intermunicipais para a preservação do Patrimônio Cultural Linhas de Ações Elegíveis
  • 39. Planos de Ação para Cidades Históricas Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social Orientações Gerais
  • 40.