SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
TEMA: VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA IDOSATEMA: VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA IDOSA
ACADÊMICAS:
MAYARA GUNDIM DOS SANTOS
MARIETA CRISTINA CAMELO BEZERRA
DISCIPLINA: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM GERONTOLOGIA
PROFESSORA: GRAZIELLY MENDES DE SOUSA
4° PERÍODO
CONCEITO
SABE-SE QUE NOS PRÓXIMOS ANOS A POPULAÇÃO BRASILEIRA
SERÁ UMA POPULAÇÃO IDOSA. EM CONSEQUÊNCIA DESSE
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL, O IDOSO TORNAR-SE ALVO DA
VIOLÊNCIA. A AGRESSÃO A POPULAÇÃO ACIMA DE 60 ANOS VEM
DE DIVERSAS FORMAS, A FALTA DE CARINHO, ATENÇÃO, PRESSÃO
PSICOLÓGICA, DESCASO E A AGRESSÃO FÍSICA PROPRIAMENTE
DITA. O NÚMERO DE IDOSOS QUE SOFREM ALGUM TIPO ABUSO É
TÃO GRANDE QUE ESSE CASO JÁ SE TORNOU UM PROBLEMA DE
SAÚDE PÚBLICA
VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO
EM UM CONTEXTO GERAL
A VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO NÃO OCORRE SÓ NO BRASIL, ELA É UM
FENÔMENO UNIVERSAL E FREQUENTEMENTE É TRATADA COMO FORMA
DE ''AGIR NORMAL'' E FICANDO OCULTA NA MAIORIA DAS VEZES. A
MANEIRA COMO A SOCIEDADE TRATA O IDOSO É MUITO
CONTRADITÓRIA A MAIORIA DAS VEZES PASSA UMA VISÃO NEGATIVA DO
ENVELHECIMENTO DE QUE A PESSOA VALE O QUANTO PRODUZ E O
QUANTO GANHA, UMA VEZ QUE A MAIORIA DOS IDOSOS ESTÁ FORA DO
MERCADO DE TRABALHO E QUASE SEMPRE GANHANDO UMA PEQUENA
APOSENTADORIA, PODEM SER DESCARTADOS, SÃO CONSIDERADOS UM
PESO MORTO.
'' VIOLÊNCIA AO INVÉS DE
COMPREENSÃO ''
• DE ACORDO COM A OMS (ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE
SAÚDE) A VIOLÊNCIA OU NEGLIGENCIA CONTRA O IDOSO
PODE SER UM ATO ÚNICO OU REPETIDO. QUE PODE
OCORRER EM QUALQUER RELACIONAMENTO ONDE HAJA
EXPECTATIVA DE CONFIANÇA OU ONDE A PESSOA ESTÁ
EM POSIÇÃO DE PODER E AUTORIDADE.
O QUE É A VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO?
QUAIS OS TIPO DE VIOLÊNCIA?
ESTRUTURAL INSTITUCIONAL INTERPESSOAL
VIOLÊNCIA
FÍSICA
VIOLÊNCIA
PSICOLÓGICA
ABUSO
FINANCEIRO
OU MATERIAL
ABUSO SEXUAL ABANDONO NEGLIGÊNCIA
QUAIS OS TIPO DE VIOLÊNCIA?
VIOLÊNCIA FÍSICA
A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, QUANDO É MANIFESTADA DE
FORMA FÍSICA, GERALMENTE É UTILIZADA PARA
SUJEITAR OS IDOSOS A REALIZAREM ALGO QUE NÃO
DESEJAM CAUSAR POR DIVERSOS MOTIVOS,
FERIMENTOS E LESÕES QUE PODEM GERAR A MORTE,
DEVIDO À FRAGILIDADE FÍSICA QUE, COMUMENTE,
FAZEM PARTE DE SUAS ESTRUTURAS CORPÓREAS.
EMPURRÕES MORDIDAS PERFURAÇÕES TAPAS.
VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA
AS AÇÕES DE RESTRIÇÃO DA LIBERDADE DE LOCOMOÇÃO, CONVÍVIO
SOCIAL OU SIMPLESMENTE A NEGAÇÃO AOS SEUS HÁBITOS DE LAZER E
DIVERSÃO SÃO CONSIDERADOS COMO UM ATAQUE À SAÚDE MENTAL DA
PESSOA IDOSA E, CONSEQUENTEMENTE, COMO UMA FORMA DE
VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA. MUITAS VEZES, AS PESSOAS AGEM DESTA
FORMA CONTRA OS IDOSOS DEVIDO ÀS “DIFICULDADES” (FALTA DE
TEMPO, DINHEIRO, PACIÊNCIA), EM ACOMPANHÁ-LOS NESTES EVENTOS.
INSULTOS, PALAVRAS GROSSEIRAS; GESTOS INDECOROSOS; PROIBIÇÕES
DE SAIR DE CASA, RECEBER AMIGOS; INTIMIDAÇÃO AFETIVA, CHANTAGEM;
NEGAR ATENÇÃO, AMEAÇAS.
ABUSO FINANCEIRO OU MATERIAL
É UMA DAS AÇÕES MAIS PRATICADAS PELOS
MEMBROS DA FAMÍLIA, DEVIDO AOS PROBLEMAS DE
LOCOMOÇÃO OU DE INCAPACIDADES PSÍQUICAS DE
CONTROLAREM OS SEUS RENDIMENTOS E
PATRIMÔNIO. OS IDOSOS PASSAM A TER AS SUAS
ECONOMIAS E BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS
APROPRIADOS POR OUTROS, CONSTITUINDO EM
UMA EXPLORAÇÃO ILEGAL E INDEVIDA.
ABUSO SEXUAL
A VIOLÊNCIA SEXUAL, PRATICADA CONTRA OS IDOSOS PODE SER DE CARÁTER
HÉTERO (SEXO OPOSTO) OU HOMO (MESMO SEXO) E INCLUEM A RELAÇÃO
SEXUAL OU PRÁTICAS ERÓTICAS POR MEIO DE ALICIAMENTO, VIOLÊNCIA
FÍSICA OU AMEAÇAS SEM O CONSENTIMENTO DO IDOSO. MANTER
INTIMIDADES COM O IDOSO; FAZER ATOS LIBIDINOSOS; ESTUPRO; CARÍCIAS
NÃO CONSENTIDAS; CONSTRANGIMENTOS.
ABANDONO
ESTE TIPO DE VIOLÊNCIA ESTÁ SE TORNANDO
MUITO COMUM NOS DIAS DE HOJE, O ACÚMULO
DE FUNÇÕES E ATRIBUIÇÕES DA VIDA SOCIAL E
PROFISSIONAL QUE OS FAMILIARES DO IDOSO,
EM SUA VIDA ATIVA E PRODUTIVA SE
ENCONTRAM É A PRINCIPAL “DESCULPA” PARA
QUE AS PESSOAS SE AUSENTEM DOS IDOSOS. OS
AGRESSORES TAMBÉM TRATAM OS IDOSOS DE
FORMA HOSTIL POR NÃO ENTENDEREM OU NÃO
TEREM PACIÊNCIA EM OUVIR O QUE OS IDOSOS
QUEREM DIZER, MUITAS VEZES OS IDOSOS
CONTAM HISTÓRIAS REPETIDAS OU “INVENTAM”
ALGO, O QUE É PRODUZIDO POR SUA MENTE
CONFUSA.
NEGLIGÊNCIA
É A OMISSÃO OU A NEGAÇÃO EM FORNECER ASSISTÊNCIA BÁSICA QUE
OS IDOSOS NECESSITAM EM SUA VIDA, POR PARTE DOS SEUS
RESPONSÁVEIS (FAMÍLIA OU INSTITUIÇÃO). ESTE ATO É MAIS
COMUMENTE PRATICADO AO IDOSO QUE SE ENCONTRA EM SITUAÇÃO
DE DEPENDÊNCIA DO OUTRO, POSSUI LIMITAÇÕES OU INCAPACIDADES
FÍSICAS, PSÍQUICAS OU EMOCIONAIS.
QUEM SÃO OS AGRESSORES?
O ABUSO CONTRA O IDOSO, MUITAS VEZES OCORRE NA FAMÍLIA,
PARTINDO MAIS DE FILHOS OU NETOS. PORÉM OS AGRESSORES
TAMBÉM PODEM INCLUIR AMIGOS, VIZINHOS, PROPRIETÁRIOS,
CUIDADORES PAGOS OU QUALQUER INDIVIDUA EM POSIÇÃO DE
PODER, CONFIANÇA E AUTORIDADE.
SINAIS DA VIOLÊNCIA
MOSTRAR SINAIS DE DEPRESSÃO
OU DE ANSIEDADE
DEMOSTRAREM MEDO DIANTE DE
CERTAS PESSOAS
RECLUÍREM-SE SOCIALMENTE
(TENDO MENOS CONTATO COM
AS PESSOAS COM QUE SE
RELACIONAVAM INTIMAMENTE
NO PASSADO)
TORNAREM PASSIVOS OU
SUBMISSOS
TEREM FERIMENTOS FÍSICOS
INEXPLICÁVEIS
MOSTRAREM MUDANÇAS EM SUA
HIGIENE E NUTRIÇÃO
O ABUSO E A NEGLIGÊNCIA SÃO A FONTE PRINCIPAL DE ESTRESSE E PODE TER EFEITOS DE
LONGO PRAZO SOBRE A SAÚDE E BEM ESTÁ DOS IDOSOS. O ESTRESSE DEVIDO AO ABUSO PODE
DESENCADEAR DOR NO PEITO OU ANGINA, E PODE SER UM FATOR DE PROBLEMAS CARDÍACOS
SÉRIOS, ALÉM DE VÁRIOS OUTROS FATORES QUE TAMBÉM CONTRIBUI.
EFEITOS SOBRE A SAÚDE
VOCÊ SABIA?
- QUE ENTRE 44% E 62% DOS IDOSOS QUE
SOFREM ABUSO EXPERIMENTAM ALGUM
NÍVEL DE DEPRESSÃO. ATÉ 6% DELES SE
TORNAM GRAVEMENTE DEPRESSIVOS.
- QUE O IDOSO QUE SOFRE ABUSO OU
NEGLIGENCIA TEM 200% DE MAIS RICOS DE
MORTE PREMATURA.
PORQUE ELES
GUARDAM SILÊNCIO?
O IDOSO AGREDIDO RARAMENTE DENUNCIA A VIOLÊNCIA À QUAL ESTÁ SUJEITO.
ESTA AUSÊNCIA DE DENUNCIAÇÃO VEM DO MEDO DE REPRESÁLIAS E DO FATOR
EMOCIONAL, AFETIVO, OU POR SOFRER AMEAÇAS.
“MUITAS VEZES O IDOSO TEM MEDO DE PERDER O POUCO APOIO QUE AINDA
TEM, SENTE VERGONHA E HUMILHAÇÃO” AFIRMA MARIA ELENA GUARIENTO,
DOCENTE DA FCM (FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS).
A POLÍTICA E A LEGISLAÇÃO DE
PROTEÇÃO AO IDOSO
O ESTADO BRASILEIRO, AO LONGO DOS ÚLTIMOS VINTE ANOS, CONSTRUIU ALGUNS DISPOSITIVOS
LEGAIS DE AMPARO À PESSOA IDOSA, ENTRE ELES OS QUE ESTÃO INSCRITOS NA CONSTITUIÇÃO
FEDERAL, ALÉM TAMBÉM DO ESTATUTO DO IDOSO. TODAVIA, DIANTE DA REALIDADE DE VIOLÊNCIA
PARECE QUE APENAS A EXISTÊNCIA DE DISPOSITIVOS NÃO É SUFICIENTE PARA O ENFRENTAMENTO
DO PROBLEMA. CONFORME A CONSTITUIÇÃO FEDERAL, O IDOSO É UM SUJEITO DE DIREITOS; ESTÁ
IMPEDIDA QUALQUER FORMA DE DISCRIMINAÇÃO POR IDADE; E COMPETE À FAMÍLIA, À SOCIEDADE E
AO ESTADO “[...] O DEVER DE AMPARAR O IDOSO, ASSEGURAR SUA PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE,
DEFENDER SUA DIGNIDADE E BEM-ESTAR, E GARANTIR SEU DIREITO À VIDA”.
COMO PODEMOS PREVENIR A VIOLÊNCIA
CONTRA O IDOSO?
O PRIMEIRO PASSO É O MAIS IMPORTANTE PARA PREVENIR A VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO É
RECONHECER QUE NINGUÉM, QUALQUER QUE SEJA A IDADE, DEVE SOFRER VIOLÊNCIA,
COMPORTAMENTO ABUSIVO OU NEGLIGÊNCIA E INSTRUIR AS PESSOAS A TER CUIDADOS
RESPEITOSOS COM AS PESSOAS MAIS VELHAS.
15 JUNHO DIA MUNDIAL DE COMBATE A VIOLÊNCIA
A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS INSTITUIU 15 DE JUNHO COMO O DIA MUNDIAL DE
CONSCIENTIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA IDOSA. A DATA FOI DEFINIDA PARA ALERTAR A
SOCIEDADE SOBRE O NÚMERO CRESCENTE DE MAUS TRATOS COMETIDOS À POPULAÇÃO DA
TERCEIRA IDADE, NA ESPERANÇA DE UMA VIDA MELHOR E DIGNA PARA OS IDOSOS.
CONDUTA DE ENFERMAGEM NO
ATENDIMENTO AO IDOSO VÍTIMA DE
VIOLÊNCIA
OFERECER ATENDIMENTO HUMANIZADO, QUE DEVE SER
REALIZADO POR TODA A EQUIPE DE ENFERMAGEM,
DISPONIBILIZANDO TEMPO PARA UMA CONVERSA
TRANQUILA, PROPORCIONANDO PRIVACIDADE E SIGILO NAS
INFORMAÇÕES FORNECIDAS.
TER UMA CONDUTA PROFISSIONAL, EVITANDO FAZER JUÍZO
DE VALOR E PERGUNTAS INDISCRETAS OU TRATA-LO DE
FORMA INFANTIL.
AFASTAR AS CULPAS E CORRESPONDENDO ÁS SUAS
EXPECTATIVAS E NECESSIDADES. NOTIFICAR O CASO.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A IMAGEM DESTORCIDA DE QUE O IDOSO É UM VELHO CHATO,
DOENTE, PASSIVO E INCAPACITADO FAZ COM QUE AUMENTE CADA
VEZ MAIS AGRESSÃO CONTRA ELES DANDO ORIGEM A
COMPORTAMENTOS AGRESSIVOS PRINCIPALMENTE PELOS MAIS
JOVENS. POR ISSO É IMPORTANTE UM ENVELHECIMENTO ATIVO E
PARTICIPATIVO EM QUE TODA FAMÍLIA ESTEJA ENVOLVIDA NAS
ATIVIDADES DIÁRIAS. VIVER MUITO COM DIGNIDADE É UM DIREITO
DE TODO SER HUMANO JÁ QUE SIGNIFICA A PRÓPRIA GARANTIA
DO DIREITO DA VIDA.
“O MÉTODO DA NÃO
VIOLÊNCIA PODE
PARECER DEMORADO,
MUITO DEMORADO,
MAS EU ESTOU
CONVENCIDO DE QUE
É O MAIS RÁPIDO.”
MAHATMA GANDHI
REFERÊNCIAS
• 1. NETTO MP, YUASO DR, KITADAI FT.LONGEVIDADE: DESAFIO NO TERCEIRO MILÊNIO. REV.O
MUNDO DA SAÚDE 2005 OUT-DEZ; 29:594-606.
• 2. MINAYO MCS. VIOLÊNCIA CONTRA IDOSOS: OAVESSO DO RESPEITO À EXPERIÊNCIA E À
SABEDORIA.SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS,2004.
• 3. CARVALHO JAM, GARCIA RA. O ENVELHECIMENTODA POPULAÇÃO BRASILEIRA: UM
ENFOQUEDEMOGRÁFICO. CADERNOS DE SAÚDE PÚBLICA 2003JUN; 19:725-733.
• 4. MINAYO MCS. VIOLÊNCIA CONTRA IDOSOS:RELEVÂNCIA PARA UM VELHO PROBLEMA.
CADERNOSDE SAÚDE PÚBLICA 2003 JUN; 19:783-791.
• SANTOS, S. M. A. IDOSOS, FAMÍLIA E CULTURA: UM ESTUDO SOBRE A CONSTRUÇÃO DO
PAPELDO CUIDADOR. ALÍNEA: CAMPINAS, SP, 2003. 228 P.
• SILVA, C. A.; MENEZES, M. R.; SANTOS, A. C. P. O.; CARVALHO, L. S.;
• BARREIROS, E. X. RELACIONAMENTO DE AMIZADE NA INSTITUIÇÃO ASILAR. REVISTA
GAÚCHA DE ENFERMAGEM. VOL.1, N.1, PORTO ALEGRE: UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO
GRANDE DO SUL, 1976. P274-283..

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Saúde do Adolescente
Saúde do AdolescenteSaúde do Adolescente
Saúde do Adolescenteyolandasergia
 
Apresentação politica nacional do idoso
Apresentação politica nacional do idosoApresentação politica nacional do idoso
Apresentação politica nacional do idosoAlinebrauna Brauna
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosJessica Monteiro
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.luzienne moraes
 
Curso Cuidador de Idoso (slides)
Curso Cuidador de Idoso (slides)Curso Cuidador de Idoso (slides)
Curso Cuidador de Idoso (slides)Ana Hollanders
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularIsmael Costa
 
Prevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com IdososPrevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com IdososCarlos Lima
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCentro Universitário Ages
 
Apresentação do caps
Apresentação do capsApresentação do caps
Apresentação do capsAdriana Emidio
 
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptxSAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptxWellingtonTeixeira24
 
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimentoAtençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimentoCentro Universitário Ages
 
Slides semana do idoso
Slides semana do idosoSlides semana do idoso
Slides semana do idosoVânia Sampaio
 

Mais procurados (20)

Direito do idosos
Direito do idososDireito do idosos
Direito do idosos
 
Saúde do Idoso
Saúde do IdosoSaúde do Idoso
Saúde do Idoso
 
Saúde do Adolescente
Saúde do AdolescenteSaúde do Adolescente
Saúde do Adolescente
 
Apresentação politica nacional do idoso
Apresentação politica nacional do idosoApresentação politica nacional do idoso
Apresentação politica nacional do idoso
 
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
 
Estatuto do Idoso
Estatuto do IdosoEstatuto do Idoso
Estatuto do Idoso
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
Curso Cuidador de Idoso (slides)
Curso Cuidador de Idoso (slides)Curso Cuidador de Idoso (slides)
Curso Cuidador de Idoso (slides)
 
Violencia contra Idosos
Violencia contra IdososViolencia contra Idosos
Violencia contra Idosos
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
 
Prevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com IdososPrevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com Idosos
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Apresentação do caps
Apresentação do capsApresentação do caps
Apresentação do caps
 
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptxSAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
 
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimentoAtençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
 
Saude mental aula 3
Saude mental aula 3Saude mental aula 3
Saude mental aula 3
 
Saúde do Adolescente
Saúde do AdolescenteSaúde do Adolescente
Saúde do Adolescente
 
Slides semana do idoso
Slides semana do idosoSlides semana do idoso
Slides semana do idoso
 

Destaque

Maus tratos violência e negligência contra os idosos
Maus tratos violência e negligência contra os idososMaus tratos violência e negligência contra os idosos
Maus tratos violência e negligência contra os idososDaniela Monteiro
 
Trabalho Violência Contra Idosos
Trabalho Violência Contra IdososTrabalho Violência Contra Idosos
Trabalho Violência Contra IdososRicardo da Palma
 
Saber e fazer 8º ano aluno
Saber e fazer 8º ano   alunoSaber e fazer 8º ano   aluno
Saber e fazer 8º ano alunoCaroline Barbosa
 
Cartilha de Direito do Idoso
Cartilha de Direito do IdosoCartilha de Direito do Idoso
Cartilha de Direito do IdosoHudson Augusto
 
Saber e fazer 7º ano aluno
Saber e fazer 7º ano   alunoSaber e fazer 7º ano   aluno
Saber e fazer 7º ano alunoCaroline Barbosa
 
Saber e fazer 6º ano aluno
Saber e fazer 6º ano   alunoSaber e fazer 6º ano   aluno
Saber e fazer 6º ano alunoCaroline Barbosa
 

Destaque (6)

Maus tratos violência e negligência contra os idosos
Maus tratos violência e negligência contra os idososMaus tratos violência e negligência contra os idosos
Maus tratos violência e negligência contra os idosos
 
Trabalho Violência Contra Idosos
Trabalho Violência Contra IdososTrabalho Violência Contra Idosos
Trabalho Violência Contra Idosos
 
Saber e fazer 8º ano aluno
Saber e fazer 8º ano   alunoSaber e fazer 8º ano   aluno
Saber e fazer 8º ano aluno
 
Cartilha de Direito do Idoso
Cartilha de Direito do IdosoCartilha de Direito do Idoso
Cartilha de Direito do Idoso
 
Saber e fazer 7º ano aluno
Saber e fazer 7º ano   alunoSaber e fazer 7º ano   aluno
Saber e fazer 7º ano aluno
 
Saber e fazer 6º ano aluno
Saber e fazer 6º ano   alunoSaber e fazer 6º ano   aluno
Saber e fazer 6º ano aluno
 

Semelhante a Violencia contra o idoso

Bullying na escola_diretores
Bullying na escola_diretoresBullying na escola_diretores
Bullying na escola_diretoresNairpietski
 
LUIZ GRANDE DST AIDS
LUIZ GRANDE DST AIDSLUIZ GRANDE DST AIDS
LUIZ GRANDE DST AIDSLuiz Grande
 
Módulo 2 - Aula 2
Módulo 2 - Aula 2Módulo 2 - Aula 2
Módulo 2 - Aula 2agemais
 
Depressão e Suicídio - Apresentação com Quiz
Depressão e Suicídio - Apresentação com QuizDepressão e Suicídio - Apresentação com Quiz
Depressão e Suicídio - Apresentação com Quizdanielaraube1
 
ASPECTOS-DO-ENVELHECIMENTO.ppt
ASPECTOS-DO-ENVELHECIMENTO.pptASPECTOS-DO-ENVELHECIMENTO.ppt
ASPECTOS-DO-ENVELHECIMENTO.pptMikaellyMore
 
Violencia contra o idosoatualizado
Violencia contra o idosoatualizadoViolencia contra o idosoatualizado
Violencia contra o idosoatualizadoMayara Oliveira
 
A violência na sociedade brasileira
A violência na sociedade brasileiraA violência na sociedade brasileira
A violência na sociedade brasileiraMayara_Sampaio2
 
Apresentação1 bullying
Apresentação1 bullyingApresentação1 bullying
Apresentação1 bullyingmemosisa
 
Instituto Espírita de Educação - Depressão e alegria de viver
Instituto Espírita de Educação - Depressão e alegria de viverInstituto Espírita de Educação - Depressão e alegria de viver
Instituto Espírita de Educação - Depressão e alegria de viverInstituto Espírita de Educação
 
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL: MITOS E PRECONCEITOS
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL: MITOS E PRECONCEITOSENVELHECIMENTO POPULACIONAL: MITOS E PRECONCEITOS
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL: MITOS E PRECONCEITOSclaudio alfonso
 
Mitos associados à doença mental
Mitos associados à doença mentalMitos associados à doença mental
Mitos associados à doença mentalDaniela
 
Mitos associados à doença mental
Mitos associados à doença mentalMitos associados à doença mental
Mitos associados à doença mentalDaniela
 

Semelhante a Violencia contra o idoso (20)

Instituto Espírita de Educação - Violência no lar
Instituto Espírita de Educação - Violência no larInstituto Espírita de Educação - Violência no lar
Instituto Espírita de Educação - Violência no lar
 
Genero 08
Genero 08Genero 08
Genero 08
 
Bullying na escola_diretores
Bullying na escola_diretoresBullying na escola_diretores
Bullying na escola_diretores
 
LUIZ GRANDE DST AIDS
LUIZ GRANDE DST AIDSLUIZ GRANDE DST AIDS
LUIZ GRANDE DST AIDS
 
Módulo 2 - Aula 2
Módulo 2 - Aula 2Módulo 2 - Aula 2
Módulo 2 - Aula 2
 
Depressão e Suicídio - Apresentação com Quiz
Depressão e Suicídio - Apresentação com QuizDepressão e Suicídio - Apresentação com Quiz
Depressão e Suicídio - Apresentação com Quiz
 
ASPECTOS-DO-ENVELHECIMENTO.ppt
ASPECTOS-DO-ENVELHECIMENTO.pptASPECTOS-DO-ENVELHECIMENTO.ppt
ASPECTOS-DO-ENVELHECIMENTO.ppt
 
Violencia contra o idosoatualizado
Violencia contra o idosoatualizadoViolencia contra o idosoatualizado
Violencia contra o idosoatualizado
 
A violência na sociedade brasileira
A violência na sociedade brasileiraA violência na sociedade brasileira
A violência na sociedade brasileira
 
Cartilha violencia contra os idosos
Cartilha violencia contra os idososCartilha violencia contra os idosos
Cartilha violencia contra os idosos
 
Apresentação1 bullying
Apresentação1 bullyingApresentação1 bullying
Apresentação1 bullying
 
Projeto laranja
Projeto laranja Projeto laranja
Projeto laranja
 
Instituto Espírita de Educação - Depressão e alegria de viver
Instituto Espírita de Educação - Depressão e alegria de viverInstituto Espírita de Educação - Depressão e alegria de viver
Instituto Espírita de Educação - Depressão e alegria de viver
 
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL: MITOS E PRECONCEITOS
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL: MITOS E PRECONCEITOSENVELHECIMENTO POPULACIONAL: MITOS E PRECONCEITOS
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL: MITOS E PRECONCEITOS
 
Freud2
Freud2Freud2
Freud2
 
Altruismo
AltruismoAltruismo
Altruismo
 
Genero 07
Genero 07Genero 07
Genero 07
 
Mitos associados à doença mental
Mitos associados à doença mentalMitos associados à doença mental
Mitos associados à doença mental
 
Mitos associados à doença mental
Mitos associados à doença mentalMitos associados à doença mental
Mitos associados à doença mental
 
Psicopatia
PsicopatiaPsicopatia
Psicopatia
 

Mais de JP ABNT

Criança pré escolar
Criança pré escolarCriança pré escolar
Criança pré escolarJP ABNT
 
Bruxismo
BruxismoBruxismo
BruxismoJP ABNT
 
artrite psoríaca
artrite psoríacaartrite psoríaca
artrite psoríacaJP ABNT
 
Sindrome de turner
Sindrome de turnerSindrome de turner
Sindrome de turnerJP ABNT
 
Arritmias Cardiacas
Arritmias CardiacasArritmias Cardiacas
Arritmias CardiacasJP ABNT
 
Como deve ser feita a profilaxia
Como deve ser feita a profilaxiaComo deve ser feita a profilaxia
Como deve ser feita a profilaxiaJP ABNT
 
ASMA - ALERGIAS
ASMA - ALERGIASASMA - ALERGIAS
ASMA - ALERGIASJP ABNT
 
REIMPLANTE DENTÁRIO
REIMPLANTE DENTÁRIO REIMPLANTE DENTÁRIO
REIMPLANTE DENTÁRIO JP ABNT
 
COMO FAZER UM TCC
COMO FAZER UM TCCCOMO FAZER UM TCC
COMO FAZER UM TCCJP ABNT
 
Estudo e obtenção de um material compósito de
Estudo e obtenção de um material compósito deEstudo e obtenção de um material compósito de
Estudo e obtenção de um material compósito deJP ABNT
 
Apresentação amanda odonto_estomatologia
Apresentação amanda odonto_estomatologiaApresentação amanda odonto_estomatologia
Apresentação amanda odonto_estomatologiaJP ABNT
 
Vacinas contra a cárie
Vacinas contra a cárieVacinas contra a cárie
Vacinas contra a cárieJP ABNT
 
Fissuras labiais estudo bibliográfico_resumo_expandido_25_02_2015_odonto_ruth
Fissuras labiais estudo bibliográfico_resumo_expandido_25_02_2015_odonto_ruthFissuras labiais estudo bibliográfico_resumo_expandido_25_02_2015_odonto_ruth
Fissuras labiais estudo bibliográfico_resumo_expandido_25_02_2015_odonto_ruthJP ABNT
 

Mais de JP ABNT (13)

Criança pré escolar
Criança pré escolarCriança pré escolar
Criança pré escolar
 
Bruxismo
BruxismoBruxismo
Bruxismo
 
artrite psoríaca
artrite psoríacaartrite psoríaca
artrite psoríaca
 
Sindrome de turner
Sindrome de turnerSindrome de turner
Sindrome de turner
 
Arritmias Cardiacas
Arritmias CardiacasArritmias Cardiacas
Arritmias Cardiacas
 
Como deve ser feita a profilaxia
Como deve ser feita a profilaxiaComo deve ser feita a profilaxia
Como deve ser feita a profilaxia
 
ASMA - ALERGIAS
ASMA - ALERGIASASMA - ALERGIAS
ASMA - ALERGIAS
 
REIMPLANTE DENTÁRIO
REIMPLANTE DENTÁRIO REIMPLANTE DENTÁRIO
REIMPLANTE DENTÁRIO
 
COMO FAZER UM TCC
COMO FAZER UM TCCCOMO FAZER UM TCC
COMO FAZER UM TCC
 
Estudo e obtenção de um material compósito de
Estudo e obtenção de um material compósito deEstudo e obtenção de um material compósito de
Estudo e obtenção de um material compósito de
 
Apresentação amanda odonto_estomatologia
Apresentação amanda odonto_estomatologiaApresentação amanda odonto_estomatologia
Apresentação amanda odonto_estomatologia
 
Vacinas contra a cárie
Vacinas contra a cárieVacinas contra a cárie
Vacinas contra a cárie
 
Fissuras labiais estudo bibliográfico_resumo_expandido_25_02_2015_odonto_ruth
Fissuras labiais estudo bibliográfico_resumo_expandido_25_02_2015_odonto_ruthFissuras labiais estudo bibliográfico_resumo_expandido_25_02_2015_odonto_ruth
Fissuras labiais estudo bibliográfico_resumo_expandido_25_02_2015_odonto_ruth
 

Violencia contra o idoso

  • 1. TEMA: VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA IDOSATEMA: VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA IDOSA ACADÊMICAS: MAYARA GUNDIM DOS SANTOS MARIETA CRISTINA CAMELO BEZERRA DISCIPLINA: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM GERONTOLOGIA PROFESSORA: GRAZIELLY MENDES DE SOUSA 4° PERÍODO
  • 2. CONCEITO SABE-SE QUE NOS PRÓXIMOS ANOS A POPULAÇÃO BRASILEIRA SERÁ UMA POPULAÇÃO IDOSA. EM CONSEQUÊNCIA DESSE ENVELHECIMENTO POPULACIONAL, O IDOSO TORNAR-SE ALVO DA VIOLÊNCIA. A AGRESSÃO A POPULAÇÃO ACIMA DE 60 ANOS VEM DE DIVERSAS FORMAS, A FALTA DE CARINHO, ATENÇÃO, PRESSÃO PSICOLÓGICA, DESCASO E A AGRESSÃO FÍSICA PROPRIAMENTE DITA. O NÚMERO DE IDOSOS QUE SOFREM ALGUM TIPO ABUSO É TÃO GRANDE QUE ESSE CASO JÁ SE TORNOU UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA
  • 3. VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO EM UM CONTEXTO GERAL A VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO NÃO OCORRE SÓ NO BRASIL, ELA É UM FENÔMENO UNIVERSAL E FREQUENTEMENTE É TRATADA COMO FORMA DE ''AGIR NORMAL'' E FICANDO OCULTA NA MAIORIA DAS VEZES. A MANEIRA COMO A SOCIEDADE TRATA O IDOSO É MUITO CONTRADITÓRIA A MAIORIA DAS VEZES PASSA UMA VISÃO NEGATIVA DO ENVELHECIMENTO DE QUE A PESSOA VALE O QUANTO PRODUZ E O QUANTO GANHA, UMA VEZ QUE A MAIORIA DOS IDOSOS ESTÁ FORA DO MERCADO DE TRABALHO E QUASE SEMPRE GANHANDO UMA PEQUENA APOSENTADORIA, PODEM SER DESCARTADOS, SÃO CONSIDERADOS UM PESO MORTO.
  • 4. '' VIOLÊNCIA AO INVÉS DE COMPREENSÃO '' • DE ACORDO COM A OMS (ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE) A VIOLÊNCIA OU NEGLIGENCIA CONTRA O IDOSO PODE SER UM ATO ÚNICO OU REPETIDO. QUE PODE OCORRER EM QUALQUER RELACIONAMENTO ONDE HAJA EXPECTATIVA DE CONFIANÇA OU ONDE A PESSOA ESTÁ EM POSIÇÃO DE PODER E AUTORIDADE. O QUE É A VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO?
  • 5. QUAIS OS TIPO DE VIOLÊNCIA? ESTRUTURAL INSTITUCIONAL INTERPESSOAL VIOLÊNCIA FÍSICA
  • 6. VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA ABUSO FINANCEIRO OU MATERIAL ABUSO SEXUAL ABANDONO NEGLIGÊNCIA QUAIS OS TIPO DE VIOLÊNCIA?
  • 7. VIOLÊNCIA FÍSICA A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, QUANDO É MANIFESTADA DE FORMA FÍSICA, GERALMENTE É UTILIZADA PARA SUJEITAR OS IDOSOS A REALIZAREM ALGO QUE NÃO DESEJAM CAUSAR POR DIVERSOS MOTIVOS, FERIMENTOS E LESÕES QUE PODEM GERAR A MORTE, DEVIDO À FRAGILIDADE FÍSICA QUE, COMUMENTE, FAZEM PARTE DE SUAS ESTRUTURAS CORPÓREAS. EMPURRÕES MORDIDAS PERFURAÇÕES TAPAS.
  • 8. VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA AS AÇÕES DE RESTRIÇÃO DA LIBERDADE DE LOCOMOÇÃO, CONVÍVIO SOCIAL OU SIMPLESMENTE A NEGAÇÃO AOS SEUS HÁBITOS DE LAZER E DIVERSÃO SÃO CONSIDERADOS COMO UM ATAQUE À SAÚDE MENTAL DA PESSOA IDOSA E, CONSEQUENTEMENTE, COMO UMA FORMA DE VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA. MUITAS VEZES, AS PESSOAS AGEM DESTA FORMA CONTRA OS IDOSOS DEVIDO ÀS “DIFICULDADES” (FALTA DE TEMPO, DINHEIRO, PACIÊNCIA), EM ACOMPANHÁ-LOS NESTES EVENTOS. INSULTOS, PALAVRAS GROSSEIRAS; GESTOS INDECOROSOS; PROIBIÇÕES DE SAIR DE CASA, RECEBER AMIGOS; INTIMIDAÇÃO AFETIVA, CHANTAGEM; NEGAR ATENÇÃO, AMEAÇAS.
  • 9. ABUSO FINANCEIRO OU MATERIAL É UMA DAS AÇÕES MAIS PRATICADAS PELOS MEMBROS DA FAMÍLIA, DEVIDO AOS PROBLEMAS DE LOCOMOÇÃO OU DE INCAPACIDADES PSÍQUICAS DE CONTROLAREM OS SEUS RENDIMENTOS E PATRIMÔNIO. OS IDOSOS PASSAM A TER AS SUAS ECONOMIAS E BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS APROPRIADOS POR OUTROS, CONSTITUINDO EM UMA EXPLORAÇÃO ILEGAL E INDEVIDA.
  • 10. ABUSO SEXUAL A VIOLÊNCIA SEXUAL, PRATICADA CONTRA OS IDOSOS PODE SER DE CARÁTER HÉTERO (SEXO OPOSTO) OU HOMO (MESMO SEXO) E INCLUEM A RELAÇÃO SEXUAL OU PRÁTICAS ERÓTICAS POR MEIO DE ALICIAMENTO, VIOLÊNCIA FÍSICA OU AMEAÇAS SEM O CONSENTIMENTO DO IDOSO. MANTER INTIMIDADES COM O IDOSO; FAZER ATOS LIBIDINOSOS; ESTUPRO; CARÍCIAS NÃO CONSENTIDAS; CONSTRANGIMENTOS.
  • 11. ABANDONO ESTE TIPO DE VIOLÊNCIA ESTÁ SE TORNANDO MUITO COMUM NOS DIAS DE HOJE, O ACÚMULO DE FUNÇÕES E ATRIBUIÇÕES DA VIDA SOCIAL E PROFISSIONAL QUE OS FAMILIARES DO IDOSO, EM SUA VIDA ATIVA E PRODUTIVA SE ENCONTRAM É A PRINCIPAL “DESCULPA” PARA QUE AS PESSOAS SE AUSENTEM DOS IDOSOS. OS AGRESSORES TAMBÉM TRATAM OS IDOSOS DE FORMA HOSTIL POR NÃO ENTENDEREM OU NÃO TEREM PACIÊNCIA EM OUVIR O QUE OS IDOSOS QUEREM DIZER, MUITAS VEZES OS IDOSOS CONTAM HISTÓRIAS REPETIDAS OU “INVENTAM” ALGO, O QUE É PRODUZIDO POR SUA MENTE CONFUSA.
  • 12. NEGLIGÊNCIA É A OMISSÃO OU A NEGAÇÃO EM FORNECER ASSISTÊNCIA BÁSICA QUE OS IDOSOS NECESSITAM EM SUA VIDA, POR PARTE DOS SEUS RESPONSÁVEIS (FAMÍLIA OU INSTITUIÇÃO). ESTE ATO É MAIS COMUMENTE PRATICADO AO IDOSO QUE SE ENCONTRA EM SITUAÇÃO DE DEPENDÊNCIA DO OUTRO, POSSUI LIMITAÇÕES OU INCAPACIDADES FÍSICAS, PSÍQUICAS OU EMOCIONAIS.
  • 13. QUEM SÃO OS AGRESSORES? O ABUSO CONTRA O IDOSO, MUITAS VEZES OCORRE NA FAMÍLIA, PARTINDO MAIS DE FILHOS OU NETOS. PORÉM OS AGRESSORES TAMBÉM PODEM INCLUIR AMIGOS, VIZINHOS, PROPRIETÁRIOS, CUIDADORES PAGOS OU QUALQUER INDIVIDUA EM POSIÇÃO DE PODER, CONFIANÇA E AUTORIDADE.
  • 14. SINAIS DA VIOLÊNCIA MOSTRAR SINAIS DE DEPRESSÃO OU DE ANSIEDADE DEMOSTRAREM MEDO DIANTE DE CERTAS PESSOAS RECLUÍREM-SE SOCIALMENTE (TENDO MENOS CONTATO COM AS PESSOAS COM QUE SE RELACIONAVAM INTIMAMENTE NO PASSADO) TORNAREM PASSIVOS OU SUBMISSOS TEREM FERIMENTOS FÍSICOS INEXPLICÁVEIS MOSTRAREM MUDANÇAS EM SUA HIGIENE E NUTRIÇÃO
  • 15. O ABUSO E A NEGLIGÊNCIA SÃO A FONTE PRINCIPAL DE ESTRESSE E PODE TER EFEITOS DE LONGO PRAZO SOBRE A SAÚDE E BEM ESTÁ DOS IDOSOS. O ESTRESSE DEVIDO AO ABUSO PODE DESENCADEAR DOR NO PEITO OU ANGINA, E PODE SER UM FATOR DE PROBLEMAS CARDÍACOS SÉRIOS, ALÉM DE VÁRIOS OUTROS FATORES QUE TAMBÉM CONTRIBUI. EFEITOS SOBRE A SAÚDE
  • 16. VOCÊ SABIA? - QUE ENTRE 44% E 62% DOS IDOSOS QUE SOFREM ABUSO EXPERIMENTAM ALGUM NÍVEL DE DEPRESSÃO. ATÉ 6% DELES SE TORNAM GRAVEMENTE DEPRESSIVOS. - QUE O IDOSO QUE SOFRE ABUSO OU NEGLIGENCIA TEM 200% DE MAIS RICOS DE MORTE PREMATURA.
  • 17. PORQUE ELES GUARDAM SILÊNCIO? O IDOSO AGREDIDO RARAMENTE DENUNCIA A VIOLÊNCIA À QUAL ESTÁ SUJEITO. ESTA AUSÊNCIA DE DENUNCIAÇÃO VEM DO MEDO DE REPRESÁLIAS E DO FATOR EMOCIONAL, AFETIVO, OU POR SOFRER AMEAÇAS. “MUITAS VEZES O IDOSO TEM MEDO DE PERDER O POUCO APOIO QUE AINDA TEM, SENTE VERGONHA E HUMILHAÇÃO” AFIRMA MARIA ELENA GUARIENTO, DOCENTE DA FCM (FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS).
  • 18. A POLÍTICA E A LEGISLAÇÃO DE PROTEÇÃO AO IDOSO O ESTADO BRASILEIRO, AO LONGO DOS ÚLTIMOS VINTE ANOS, CONSTRUIU ALGUNS DISPOSITIVOS LEGAIS DE AMPARO À PESSOA IDOSA, ENTRE ELES OS QUE ESTÃO INSCRITOS NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, ALÉM TAMBÉM DO ESTATUTO DO IDOSO. TODAVIA, DIANTE DA REALIDADE DE VIOLÊNCIA PARECE QUE APENAS A EXISTÊNCIA DE DISPOSITIVOS NÃO É SUFICIENTE PARA O ENFRENTAMENTO DO PROBLEMA. CONFORME A CONSTITUIÇÃO FEDERAL, O IDOSO É UM SUJEITO DE DIREITOS; ESTÁ IMPEDIDA QUALQUER FORMA DE DISCRIMINAÇÃO POR IDADE; E COMPETE À FAMÍLIA, À SOCIEDADE E AO ESTADO “[...] O DEVER DE AMPARAR O IDOSO, ASSEGURAR SUA PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE, DEFENDER SUA DIGNIDADE E BEM-ESTAR, E GARANTIR SEU DIREITO À VIDA”.
  • 19. COMO PODEMOS PREVENIR A VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO? O PRIMEIRO PASSO É O MAIS IMPORTANTE PARA PREVENIR A VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO É RECONHECER QUE NINGUÉM, QUALQUER QUE SEJA A IDADE, DEVE SOFRER VIOLÊNCIA, COMPORTAMENTO ABUSIVO OU NEGLIGÊNCIA E INSTRUIR AS PESSOAS A TER CUIDADOS RESPEITOSOS COM AS PESSOAS MAIS VELHAS. 15 JUNHO DIA MUNDIAL DE COMBATE A VIOLÊNCIA A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS INSTITUIU 15 DE JUNHO COMO O DIA MUNDIAL DE CONSCIENTIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA IDOSA. A DATA FOI DEFINIDA PARA ALERTAR A SOCIEDADE SOBRE O NÚMERO CRESCENTE DE MAUS TRATOS COMETIDOS À POPULAÇÃO DA TERCEIRA IDADE, NA ESPERANÇA DE UMA VIDA MELHOR E DIGNA PARA OS IDOSOS.
  • 20. CONDUTA DE ENFERMAGEM NO ATENDIMENTO AO IDOSO VÍTIMA DE VIOLÊNCIA OFERECER ATENDIMENTO HUMANIZADO, QUE DEVE SER REALIZADO POR TODA A EQUIPE DE ENFERMAGEM, DISPONIBILIZANDO TEMPO PARA UMA CONVERSA TRANQUILA, PROPORCIONANDO PRIVACIDADE E SIGILO NAS INFORMAÇÕES FORNECIDAS. TER UMA CONDUTA PROFISSIONAL, EVITANDO FAZER JUÍZO DE VALOR E PERGUNTAS INDISCRETAS OU TRATA-LO DE FORMA INFANTIL. AFASTAR AS CULPAS E CORRESPONDENDO ÁS SUAS EXPECTATIVAS E NECESSIDADES. NOTIFICAR O CASO.
  • 21. CONSIDERAÇÕES FINAIS A IMAGEM DESTORCIDA DE QUE O IDOSO É UM VELHO CHATO, DOENTE, PASSIVO E INCAPACITADO FAZ COM QUE AUMENTE CADA VEZ MAIS AGRESSÃO CONTRA ELES DANDO ORIGEM A COMPORTAMENTOS AGRESSIVOS PRINCIPALMENTE PELOS MAIS JOVENS. POR ISSO É IMPORTANTE UM ENVELHECIMENTO ATIVO E PARTICIPATIVO EM QUE TODA FAMÍLIA ESTEJA ENVOLVIDA NAS ATIVIDADES DIÁRIAS. VIVER MUITO COM DIGNIDADE É UM DIREITO DE TODO SER HUMANO JÁ QUE SIGNIFICA A PRÓPRIA GARANTIA DO DIREITO DA VIDA.
  • 22. “O MÉTODO DA NÃO VIOLÊNCIA PODE PARECER DEMORADO, MUITO DEMORADO, MAS EU ESTOU CONVENCIDO DE QUE É O MAIS RÁPIDO.” MAHATMA GANDHI
  • 23. REFERÊNCIAS • 1. NETTO MP, YUASO DR, KITADAI FT.LONGEVIDADE: DESAFIO NO TERCEIRO MILÊNIO. REV.O MUNDO DA SAÚDE 2005 OUT-DEZ; 29:594-606. • 2. MINAYO MCS. VIOLÊNCIA CONTRA IDOSOS: OAVESSO DO RESPEITO À EXPERIÊNCIA E À SABEDORIA.SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS,2004. • 3. CARVALHO JAM, GARCIA RA. O ENVELHECIMENTODA POPULAÇÃO BRASILEIRA: UM ENFOQUEDEMOGRÁFICO. CADERNOS DE SAÚDE PÚBLICA 2003JUN; 19:725-733. • 4. MINAYO MCS. VIOLÊNCIA CONTRA IDOSOS:RELEVÂNCIA PARA UM VELHO PROBLEMA. CADERNOSDE SAÚDE PÚBLICA 2003 JUN; 19:783-791. • SANTOS, S. M. A. IDOSOS, FAMÍLIA E CULTURA: UM ESTUDO SOBRE A CONSTRUÇÃO DO PAPELDO CUIDADOR. ALÍNEA: CAMPINAS, SP, 2003. 228 P. • SILVA, C. A.; MENEZES, M. R.; SANTOS, A. C. P. O.; CARVALHO, L. S.; • BARREIROS, E. X. RELACIONAMENTO DE AMIZADE NA INSTITUIÇÃO ASILAR. REVISTA GAÚCHA DE ENFERMAGEM. VOL.1, N.1, PORTO ALEGRE: UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, 1976. P274-283..

Notas do Editor

  1. Estrutural – desigualdade social provocada pela pobreza e a discriminação expressada de múltiplas formas. Institucional – é aquela levada a efeito pelas instituições assistenciais de longa permanência (Em vários asilos e clínicas os idosos são maltratados, despersonalizados, destituídos de qualquer poder e vontade, faltando-lhes alimentação, higiene e cuidados médicos adequados). Também se refere a serviços de saúde, assistência e previdência social. Interpessoal – ou familiar, refere-se às interações e relações do cotidiano. Violência Física Violência Psicológica Abuso Financeiro ou Ma