SlideShare uma empresa Scribd logo
O Último Dia dos
Dinossauros

Local de visionamento: Sala 22
Data de visionamento: 20-9-2013 e 24-9-2013
Relatório realizado por: Helena Dias nº3 10ºB
Índice
 Objetivos____________________________________pág. 3
 Introdução__________________________________pág. 3
 Desenvolvimento
I. Resumo do filme____________________pág. 4
II. Conceitos importantes______________pág. 6
 Conclusão___________________________________pág. 7
 Ficha técnica_________________________________pág. 8
 Bibliografia__________________________________pág. 9

2
Objetivos
O visionamento deste filme teve como objetivo informar os alunos
acerca das várias teorias sobre a extinção dos dinossauros, da forma como
os estes viviam há milhões de anos e dos seus comportamentos.

Introdução
Os dinossauros dominaram o nosso planeta por volta de 150
milhões de anos, mas há cerca de 65 milhões de anos, houve uma
extinção em massa cuja causa ainda não está completamente provada.
Contudo, muitos cientistas, físicos e químicos dedicaram-se ao longo dos
anos a investigar a razão pela qual os dinossauros se extinguiram, todos
de uma vez. Existem várias teorias, no entanto, só duas parecem mais
prováveis. Estas são o Impacto Meteorítico e o Vulcanismo Ativo Intenso.
O tema principal deste filme é, precisamente, demonstrar o que
poderá ter acontecido nos dias em que os dinossauros se extinguiram.
Para tal, os argumentistas deste filme basearam-se numa mistura das
duas teorias em cima referidas. Muitos cientistas acreditam exatamente
nisto: uma teoria levou à outra: o impacto do meteorito causou uma
época de vulcanismo intenso, que por sua vez levou à extinção dos
dinossauros.

3
Desenvolvimento
Resumo do filme

Há 165 milhões de anos atrás, na Cintura de Asteroides entre Marte
e Júpiter, um asteroide viajava a 35 mil quilómetros por hora, numa
trajetória oposta à dos restantes asteroides. Ao colidir com outro
asteroide, estes fragmentam-se em milhões de pequenos pedaços, um
dos quais, com mais de 10 quilómetros de diâmetro e dois triliões de
toneladas, foi lançado diretamente na direção da Terra, com fim a mudar
completamente a História do planeta.
Cem milhões de anos depois, o asteroide chega a 400 mil
quilómetros da Terra, aproximando-se da Lua. Esta seria a única hipótese
de salvamento da Terra, onde viviam os grandes dinossauros, que não
sabiam o que estava prestes a acontecer.
À medida que se aproxima da Terra, a força gravitacional desta atrai
cada vez mais o asteroide, fazendo com que este acelere, atingindo 64 a
72 mil quilómetros por hora. Quando o asteroide embate na atmosfera
terrestre, a fricção transforma-o numa bola de fogo com 20 mil graus
centígrados dirigida ao México.
Ao voar a um ângulo de 30 graus com a superfície terrestre, todo o
peso destrutivo do asteroide é lançado para norte do local de impacto. A
luz intensa proveniente da bola de fogo cega os Alamossauros que se
tentavam perceber o que se aproximava deles.
Após o impacto com a superfície do Golfo do México, o asteroide
deixa uma enorme cratera (atualmente designada de cratera de
Chicxulub), desintegra-se e faz com que pedaços de rocha voem, o que
causa uma chuva de rochas com tamanho de edifícios. A 800 quilómetros
do local de impacto, a temperatura do ar chega aos 300 graus centígrados.
Perto do local de impacto, já nenhum dinossauro sobrevive, à exceção de
um ovo de Alamossauro que estava enterrado no chão.

4
Oito minutos após o impacto, uma bola de fogo eleva-se a 150
quilómetros do chão, fazendo com que 70 biliões de toneladas de rocha e
terra pulverizadas encham a atmosfera, formando uma nuvem gigante de
pó e vidro. À medida que se vai espalhando, a nuvem vai aquecendo,
atingindo os 8 mil graus centígrados. O calor intenso proveniente da
nuvem causou imensos incêndios. O solo é agora um campo de fogo,
queimando a mil graus centígrados.
Cinco horas após o impacto, as temperaturas na Mongólia
começam a descer. De repente, uma enorme tempestade de areia
causada pelas bruscas mudanças de temperatura atinge a Mongólia e os
poucos dinossauros que lá permaneciam vivos.
Uma semana após o impacto, a comida é escassa em todo o
planeta. Contudo, a vida dos herbívoros está mais dificultada uma vez que
toda a vegetação foi queimada. Porém, uma ilha permanece viva e
aparentemente salva da destruição que ocupa o continente.
Nas profundidades do oceano, as rochas sedimentares desintegramse devido ao abalo causado pelo asteroide. O desabamento de centenas
de metros de solo no fundo do oceano faz com que o nível do mar se
afunde, formando uma onda gigante. Na costa, o oceano recuou dezenas
de metros e havia agora um caminho livre e claro para a ilha que poderia
vir a salvar as vidas dos restantes dinossauros. Mas a Natureza estava
contra a existência dos dinossauros.
Uma onda gigante, com 100 metros de altura, atinge a costa e leva
consigo tudo o que ocupava o solo. Contudo, nem toda a vida do planeta
estava destruída, alguns dinossauros conseguiram escapar à onda.
Um milhão de megatones de energia foram lançados diretamente
para a crosta pelo asteroide. Esta enorme quantidade de energia causou
grandes falhas nas placas tectónicas, ondas de choque sísmicas e fez
também com que magma subisse por novas falhas, resultando em
violentas erupções vulcânicas. Todos os vulcões do mundo são acordados
pelas ondas sísmicas, fazendo com que mais gases tóxicos e poeiras se
juntassem à nuvem de poeira que residia na atmosfera. Esta nuvem é
agora tão densa que impede qualquer luz Solar de chegar à superfície
terrestre, resultando num forte e mortal inverno nuclear.
Na Mongólia, não há escapatória possível quando sulfeto de
hidrogénio borbulha na água e no ar, invadindo os pulmões e matando os
dinossauros por asfixia.

5
Dias mais tarde, pequenos grupos de dinossauros espalhados pelo
mundo emergem das cinzas e tentam recomeçar as suas vidas. No
entanto, a sua espécie já está morta, pois para sobreviver, qualquer
espécie necessita de manter uma massa crítica de população.
De absolutas ruínas, o planeta começa de novo. Nova vegetação
cresce e principalmente, novas espécies. O planeta Terra prepara-se assim
para receber a sua espécie mais importante e mais perigosa: o Homem.

Conceitos Importantes

Na minha opinião, o facto de ser necessário manter um nível de
massa crítica de uma espécie é um fator muito importante para as
extinções. Se o nível baixar um limiar, essa espécie deixa de existir.
Dito isto, sabemos assim que a espécie dos dinossauros, que sofreu
uma extinção em massa, veio dar lugar a outra espécie que ainda está à
espera da sua extinção em massa: os mamíferos.

6
Conclusão
Após ver o filme, concluo que a extinção dos dinossauros foi
essencial para a existência do Homem e dos mamíferos. Concluo também
que apoio a teoria que diz que a extinção foi causada pelo asteroide, que
por sua vez causou violenta atividade vulcânica.
Acho que o filme estava excelente, com fantásticos efeitos especiais
e sonoros.

7
Ficha Técnica
Título: O Último Dia dos Dinossauros
Género: Documentário e animação
País: Estados Unidos da América
Data de lançamento (EUA): 29 de Agosto de 2010
Idioma: Inglês
Diretor: Richard Dale
Produtor: Michael Robins
Escritores: Graham Booth e Billie Pink
Narrador: Bill Mondy

8
Bibliografia

Imagem na capa:
https://www.google.pt/search?q=last+day+of+the+dinosaurs&oe=utf8&rls=org.mozilla:pt-PT:official&client=firefoxa&gws_rd=cr&um=1&ie=UTF-8&hl=ptPT&tbm=isch&source=og&sa=N&tab=wi&ei=sjNDUs_wIoSV7QbJp4FA#fac
rc=_&imgdii=_&imgrc=H49f6JUJM0_nIM%3A%3BQsCKXUhYkHsRvM%3Bh
ttp%253A%252F%252Fia.mediaimdb.com%252Fimages%252FM%252FMV5BMTk0NjQyODc3Ml5BMl5Ban
BnXkFtZTcwNzc2NzY1OA%2540%2540._V1_.jpg%3Bhttp%253A%252F%25
2Fwww.imdb.com%252Ftitle%252Ftt1780888%252F%3B762%3B1129

Ficha técnica: http://www.imdb.com/title/tt1780888/

9

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Livro novo bem me quer 2 ano competo
Livro novo bem me quer 2 ano competoLivro novo bem me quer 2 ano competo
Livro novo bem me quer 2 ano competo
Eliete Soares E Soares
 
A laranja colorida
A laranja coloridaA laranja colorida
A laranja colorida
Bruno Célio
 
GOULART, Iris. PIAGET experiências básicas para utilização pelo professor
GOULART, Iris. PIAGET experiências básicas para utilização pelo professorGOULART, Iris. PIAGET experiências básicas para utilização pelo professor
GOULART, Iris. PIAGET experiências básicas para utilização pelo professor
Ana Lúcia Hennemann
 
A tesoura e sua história
A tesoura e sua históriaA tesoura e sua história
A tesoura e sua história
SimoneHelenDrumond
 
Lista de exercícios Células
Lista de exercícios CélulasLista de exercícios Células
Lista de exercícios Células
Carlos Priante
 
Separação de misturas - www.quimicaempratica.com
Separação de misturas - www.quimicaempratica.comSeparação de misturas - www.quimicaempratica.com
Separação de misturas - www.quimicaempratica.com
Karoline dos Santos Tarnowski
 
Separação de misturas aula para o ensino fundamental
Separação de misturas aula para o ensino fundamentalSeparação de misturas aula para o ensino fundamental
Separação de misturas aula para o ensino fundamental
Priscila Oliveira Boralho
 
resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
 resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
Ivanylde Santos
 
Questionário sobre indisciplina
Questionário sobre indisciplinaQuestionário sobre indisciplina
Questionário sobre indisciplina
Teresa Moreira
 
MINI LIVRO SANFONA - Lendas do Folclore.pdf
 MINI LIVRO  SANFONA - Lendas do Folclore.pdf MINI LIVRO  SANFONA - Lendas do Folclore.pdf
MINI LIVRO SANFONA - Lendas do Folclore.pdf
Mary Alvarenga
 
O Ciclo Da áGua
O Ciclo Da áGuaO Ciclo Da áGua
O Ciclo Da áGua
TaniaRaquel
 
ÁRVORE DOS AFETOS-1.pdf
ÁRVORE DOS AFETOS-1.pdfÁRVORE DOS AFETOS-1.pdf
ÁRVORE DOS AFETOS-1.pdf
BetniaCoelho1
 
O monstro das cores pdf
O monstro das cores pdfO monstro das cores pdf
O monstro das cores pdf
Katia Soares
 
Reconto escrito da obra joão e o pé de feijão
Reconto escrito da obra    joão e o pé de feijãoReconto escrito da obra    joão e o pé de feijão
Reconto escrito da obra joão e o pé de feijão
Hugo Ferreira
 
Plano de-aula-lpo3-06ats03
Plano de-aula-lpo3-06ats03Plano de-aula-lpo3-06ats03
Plano de-aula-lpo3-06ats03
FrancieleSilva99
 
Vigotsky, a formacao social da mente cap. 6, 7 e 8
Vigotsky, a formacao social da mente  cap. 6, 7 e 8Vigotsky, a formacao social da mente  cap. 6, 7 e 8
Vigotsky, a formacao social da mente cap. 6, 7 e 8
marcaocampos
 
Na hora que o galo chama (Maria Augusta de Medeiros)
Na hora que o galo chama (Maria Augusta de Medeiros)Na hora que o galo chama (Maria Augusta de Medeiros)
Na hora que o galo chama (Maria Augusta de Medeiros)
Claudionor de Abreu
 
Contos de-enganar-a-morte
Contos de-enganar-a-morteContos de-enganar-a-morte
Contos de-enganar-a-morte
Vândria Regina J C
 
Apresentação Conteúdos Procedimentais
Apresentação Conteúdos ProcedimentaisApresentação Conteúdos Procedimentais
Apresentação Conteúdos Procedimentais
louisacarla
 

Mais procurados (20)

Livro novo bem me quer 2 ano competo
Livro novo bem me quer 2 ano competoLivro novo bem me quer 2 ano competo
Livro novo bem me quer 2 ano competo
 
A laranja colorida
A laranja coloridaA laranja colorida
A laranja colorida
 
GOULART, Iris. PIAGET experiências básicas para utilização pelo professor
GOULART, Iris. PIAGET experiências básicas para utilização pelo professorGOULART, Iris. PIAGET experiências básicas para utilização pelo professor
GOULART, Iris. PIAGET experiências básicas para utilização pelo professor
 
Felpo Filva
Felpo FilvaFelpo Filva
Felpo Filva
 
A tesoura e sua história
A tesoura e sua históriaA tesoura e sua história
A tesoura e sua história
 
Lista de exercícios Células
Lista de exercícios CélulasLista de exercícios Células
Lista de exercícios Células
 
Separação de misturas - www.quimicaempratica.com
Separação de misturas - www.quimicaempratica.comSeparação de misturas - www.quimicaempratica.com
Separação de misturas - www.quimicaempratica.com
 
Separação de misturas aula para o ensino fundamental
Separação de misturas aula para o ensino fundamentalSeparação de misturas aula para o ensino fundamental
Separação de misturas aula para o ensino fundamental
 
resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
 resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
 
Questionário sobre indisciplina
Questionário sobre indisciplinaQuestionário sobre indisciplina
Questionário sobre indisciplina
 
MINI LIVRO SANFONA - Lendas do Folclore.pdf
 MINI LIVRO  SANFONA - Lendas do Folclore.pdf MINI LIVRO  SANFONA - Lendas do Folclore.pdf
MINI LIVRO SANFONA - Lendas do Folclore.pdf
 
O Ciclo Da áGua
O Ciclo Da áGuaO Ciclo Da áGua
O Ciclo Da áGua
 
ÁRVORE DOS AFETOS-1.pdf
ÁRVORE DOS AFETOS-1.pdfÁRVORE DOS AFETOS-1.pdf
ÁRVORE DOS AFETOS-1.pdf
 
O monstro das cores pdf
O monstro das cores pdfO monstro das cores pdf
O monstro das cores pdf
 
Reconto escrito da obra joão e o pé de feijão
Reconto escrito da obra    joão e o pé de feijãoReconto escrito da obra    joão e o pé de feijão
Reconto escrito da obra joão e o pé de feijão
 
Plano de-aula-lpo3-06ats03
Plano de-aula-lpo3-06ats03Plano de-aula-lpo3-06ats03
Plano de-aula-lpo3-06ats03
 
Vigotsky, a formacao social da mente cap. 6, 7 e 8
Vigotsky, a formacao social da mente  cap. 6, 7 e 8Vigotsky, a formacao social da mente  cap. 6, 7 e 8
Vigotsky, a formacao social da mente cap. 6, 7 e 8
 
Na hora que o galo chama (Maria Augusta de Medeiros)
Na hora que o galo chama (Maria Augusta de Medeiros)Na hora que o galo chama (Maria Augusta de Medeiros)
Na hora que o galo chama (Maria Augusta de Medeiros)
 
Contos de-enganar-a-morte
Contos de-enganar-a-morteContos de-enganar-a-morte
Contos de-enganar-a-morte
 
Apresentação Conteúdos Procedimentais
Apresentação Conteúdos ProcedimentaisApresentação Conteúdos Procedimentais
Apresentação Conteúdos Procedimentais
 

Destaque

O ultimo dia dos dinossauros
O ultimo dia dos dinossaurosO ultimo dia dos dinossauros
O ultimo dia dos dinossauros
marta3334
 
1ª p.d (ciências - 5º ano)
1ª p.d    (ciências - 5º ano)1ª p.d    (ciências - 5º ano)
1ª p.d (ciências - 5º ano)
Cidinha Paulo
 
Simulado 02 (ciências 5º ano)
Simulado 02  (ciências 5º ano)Simulado 02  (ciências 5º ano)
Simulado 02 (ciências 5º ano)
Cidinha Paulo
 
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃOAstronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Nuricel Aguilera
 
30 questões de problemas com as 4 opeções
30 questões de problemas com as 4 opeções30 questões de problemas com as 4 opeções
30 questões de problemas com as 4 opeções
maria edineuma marreira
 
Algumas atividades de fixacao de matematica[1]
Algumas atividades de fixacao de matematica[1]Algumas atividades de fixacao de matematica[1]
Algumas atividades de fixacao de matematica[1]
Liz de Oliveira Mendes Francisco
 
Situações-problema de matemática envolvendo a adição e subtração
Situações-problema de matemática envolvendo a adição e subtraçãoSituações-problema de matemática envolvendo a adição e subtração
Situações-problema de matemática envolvendo a adição e subtração
Paulo Alves de Araujo
 
Atividade Avaliativa de Ciências
Atividade Avaliativa de CiênciasAtividade Avaliativa de Ciências
Atividade Avaliativa de Ciências
Paulo Alves de Araujo
 

Destaque (8)

O ultimo dia dos dinossauros
O ultimo dia dos dinossaurosO ultimo dia dos dinossauros
O ultimo dia dos dinossauros
 
1ª p.d (ciências - 5º ano)
1ª p.d    (ciências - 5º ano)1ª p.d    (ciências - 5º ano)
1ª p.d (ciências - 5º ano)
 
Simulado 02 (ciências 5º ano)
Simulado 02  (ciências 5º ano)Simulado 02  (ciências 5º ano)
Simulado 02 (ciências 5º ano)
 
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃOAstronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
 
30 questões de problemas com as 4 opeções
30 questões de problemas com as 4 opeções30 questões de problemas com as 4 opeções
30 questões de problemas com as 4 opeções
 
Algumas atividades de fixacao de matematica[1]
Algumas atividades de fixacao de matematica[1]Algumas atividades de fixacao de matematica[1]
Algumas atividades de fixacao de matematica[1]
 
Situações-problema de matemática envolvendo a adição e subtração
Situações-problema de matemática envolvendo a adição e subtraçãoSituações-problema de matemática envolvendo a adição e subtração
Situações-problema de matemática envolvendo a adição e subtração
 
Atividade Avaliativa de Ciências
Atividade Avaliativa de CiênciasAtividade Avaliativa de Ciências
Atividade Avaliativa de Ciências
 

Semelhante a Ultimo dia dinossauros

Impacto Profundo
Impacto ProfundoImpacto Profundo
Impacto Profundo
André Luiz Marques
 
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
Faga1939
 
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
Faga1939
 
A extinção dos Dinossauros 7 A
A extinção dos Dinossauros   7 AA extinção dos Dinossauros   7 A
A extinção dos Dinossauros 7 A
ReginaFSilva
 
Placas tectônicas e desastres tectônicos
Placas tectônicas e desastres tectônicosPlacas tectônicas e desastres tectônicos
Placas tectônicas e desastres tectônicos
André Raqjr
 
Asteroides
AsteroidesAsteroides
Asteroides
Chris x-MS
 
Cie1g31
Cie1g31Cie1g31
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossaurosFicha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ana Castro
 
Terra Universo. Carina
Terra Universo. CarinaTerra Universo. Carina
Terra Universo. Carina
guest5a034e
 
Terra Universo. Carina
Terra Universo. CarinaTerra Universo. Carina
Terra Universo. Carina
guest5a034e
 
Terra Universo. Carina
Terra Universo. CarinaTerra Universo. Carina
Terra Universo. Carina
guest5a034e
 
Terra Universo. Carina
Terra Universo. CarinaTerra Universo. Carina
Terra Universo. Carina
guest5a034e
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
Fernando Alcoforado
 
Sismos e vulcões
Sismos e vulcõesSismos e vulcões
Sismos e vulcões
Filipe Leal
 
Sol aula1
Sol aula1Sol aula1
COMO SALVAR A HUMANIDADE DE CATÁSTROFES NATURAIS PROVOCADAS POR TERREMOTOS, T...
COMO SALVAR A HUMANIDADE DE CATÁSTROFES NATURAIS PROVOCADAS POR TERREMOTOS, T...COMO SALVAR A HUMANIDADE DE CATÁSTROFES NATURAIS PROVOCADAS POR TERREMOTOS, T...
COMO SALVAR A HUMANIDADE DE CATÁSTROFES NATURAIS PROVOCADAS POR TERREMOTOS, T...
Fernando Alcoforado
 
A História de Adão e Eva - Chan Thonas (traduzido).pdf
A História de Adão e Eva - Chan Thonas (traduzido).pdfA História de Adão e Eva - Chan Thonas (traduzido).pdf
A História de Adão e Eva - Chan Thonas (traduzido).pdf
ELIAS OMEGA
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
luis costa
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
luis costa
 
Erupã§ãµes vulcã¢nicas
Erupã§ãµes vulcã¢nicasErupã§ãµes vulcã¢nicas
Erupã§ãµes vulcã¢nicas
Xavier Santos
 

Semelhante a Ultimo dia dinossauros (20)

Impacto Profundo
Impacto ProfundoImpacto Profundo
Impacto Profundo
 
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
 
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
 
A extinção dos Dinossauros 7 A
A extinção dos Dinossauros   7 AA extinção dos Dinossauros   7 A
A extinção dos Dinossauros 7 A
 
Placas tectônicas e desastres tectônicos
Placas tectônicas e desastres tectônicosPlacas tectônicas e desastres tectônicos
Placas tectônicas e desastres tectônicos
 
Asteroides
AsteroidesAsteroides
Asteroides
 
Cie1g31
Cie1g31Cie1g31
Cie1g31
 
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossaurosFicha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
Ficha informativa nº 1 - Extinção dos dinossauros
 
Terra Universo. Carina
Terra Universo. CarinaTerra Universo. Carina
Terra Universo. Carina
 
Terra Universo. Carina
Terra Universo. CarinaTerra Universo. Carina
Terra Universo. Carina
 
Terra Universo. Carina
Terra Universo. CarinaTerra Universo. Carina
Terra Universo. Carina
 
Terra Universo. Carina
Terra Universo. CarinaTerra Universo. Carina
Terra Universo. Carina
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
 
Sismos e vulcões
Sismos e vulcõesSismos e vulcões
Sismos e vulcões
 
Sol aula1
Sol aula1Sol aula1
Sol aula1
 
COMO SALVAR A HUMANIDADE DE CATÁSTROFES NATURAIS PROVOCADAS POR TERREMOTOS, T...
COMO SALVAR A HUMANIDADE DE CATÁSTROFES NATURAIS PROVOCADAS POR TERREMOTOS, T...COMO SALVAR A HUMANIDADE DE CATÁSTROFES NATURAIS PROVOCADAS POR TERREMOTOS, T...
COMO SALVAR A HUMANIDADE DE CATÁSTROFES NATURAIS PROVOCADAS POR TERREMOTOS, T...
 
A História de Adão e Eva - Chan Thonas (traduzido).pdf
A História de Adão e Eva - Chan Thonas (traduzido).pdfA História de Adão e Eva - Chan Thonas (traduzido).pdf
A História de Adão e Eva - Chan Thonas (traduzido).pdf
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Erupã§ãµes vulcã¢nicas
Erupã§ãµes vulcã¢nicasErupã§ãµes vulcã¢nicas
Erupã§ãµes vulcã¢nicas
 

Mais de helenasvdias

Recursos subterrâneos helena_silvia(2)
Recursos subterrâneos helena_silvia(2)Recursos subterrâneos helena_silvia(2)
Recursos subterrâneos helena_silvia(2)
helenasvdias
 
Relatório dna helena_dias
Relatório dna helena_diasRelatório dna helena_dias
Relatório dna helena_dias
helenasvdias
 
Regulação nervosa e hormonal nos animais
Regulação nervosa e hormonal nos animaisRegulação nervosa e hormonal nos animais
Regulação nervosa e hormonal nos animais
helenasvdias
 
Poster helena marta_diogo
Poster helena marta_diogoPoster helena marta_diogo
Poster helena marta_diogo
helenasvdias
 
Poster ecossistema helena
Poster ecossistema helenaPoster ecossistema helena
Poster ecossistema helena
helenasvdias
 
Trabalho pesquisa biologia_helena
Trabalho pesquisa biologia_helenaTrabalho pesquisa biologia_helena
Trabalho pesquisa biologia_helena
helenasvdias
 
Patrimonio geologico helena_ganna
Patrimonio geologico helena_gannaPatrimonio geologico helena_ganna
Patrimonio geologico helena_ganna
helenasvdias
 

Mais de helenasvdias (7)

Recursos subterrâneos helena_silvia(2)
Recursos subterrâneos helena_silvia(2)Recursos subterrâneos helena_silvia(2)
Recursos subterrâneos helena_silvia(2)
 
Relatório dna helena_dias
Relatório dna helena_diasRelatório dna helena_dias
Relatório dna helena_dias
 
Regulação nervosa e hormonal nos animais
Regulação nervosa e hormonal nos animaisRegulação nervosa e hormonal nos animais
Regulação nervosa e hormonal nos animais
 
Poster helena marta_diogo
Poster helena marta_diogoPoster helena marta_diogo
Poster helena marta_diogo
 
Poster ecossistema helena
Poster ecossistema helenaPoster ecossistema helena
Poster ecossistema helena
 
Trabalho pesquisa biologia_helena
Trabalho pesquisa biologia_helenaTrabalho pesquisa biologia_helena
Trabalho pesquisa biologia_helena
 
Patrimonio geologico helena_ganna
Patrimonio geologico helena_gannaPatrimonio geologico helena_ganna
Patrimonio geologico helena_ganna
 

Ultimo dia dinossauros

  • 1. O Último Dia dos Dinossauros Local de visionamento: Sala 22 Data de visionamento: 20-9-2013 e 24-9-2013 Relatório realizado por: Helena Dias nº3 10ºB
  • 2. Índice  Objetivos____________________________________pág. 3  Introdução__________________________________pág. 3  Desenvolvimento I. Resumo do filme____________________pág. 4 II. Conceitos importantes______________pág. 6  Conclusão___________________________________pág. 7  Ficha técnica_________________________________pág. 8  Bibliografia__________________________________pág. 9 2
  • 3. Objetivos O visionamento deste filme teve como objetivo informar os alunos acerca das várias teorias sobre a extinção dos dinossauros, da forma como os estes viviam há milhões de anos e dos seus comportamentos. Introdução Os dinossauros dominaram o nosso planeta por volta de 150 milhões de anos, mas há cerca de 65 milhões de anos, houve uma extinção em massa cuja causa ainda não está completamente provada. Contudo, muitos cientistas, físicos e químicos dedicaram-se ao longo dos anos a investigar a razão pela qual os dinossauros se extinguiram, todos de uma vez. Existem várias teorias, no entanto, só duas parecem mais prováveis. Estas são o Impacto Meteorítico e o Vulcanismo Ativo Intenso. O tema principal deste filme é, precisamente, demonstrar o que poderá ter acontecido nos dias em que os dinossauros se extinguiram. Para tal, os argumentistas deste filme basearam-se numa mistura das duas teorias em cima referidas. Muitos cientistas acreditam exatamente nisto: uma teoria levou à outra: o impacto do meteorito causou uma época de vulcanismo intenso, que por sua vez levou à extinção dos dinossauros. 3
  • 4. Desenvolvimento Resumo do filme Há 165 milhões de anos atrás, na Cintura de Asteroides entre Marte e Júpiter, um asteroide viajava a 35 mil quilómetros por hora, numa trajetória oposta à dos restantes asteroides. Ao colidir com outro asteroide, estes fragmentam-se em milhões de pequenos pedaços, um dos quais, com mais de 10 quilómetros de diâmetro e dois triliões de toneladas, foi lançado diretamente na direção da Terra, com fim a mudar completamente a História do planeta. Cem milhões de anos depois, o asteroide chega a 400 mil quilómetros da Terra, aproximando-se da Lua. Esta seria a única hipótese de salvamento da Terra, onde viviam os grandes dinossauros, que não sabiam o que estava prestes a acontecer. À medida que se aproxima da Terra, a força gravitacional desta atrai cada vez mais o asteroide, fazendo com que este acelere, atingindo 64 a 72 mil quilómetros por hora. Quando o asteroide embate na atmosfera terrestre, a fricção transforma-o numa bola de fogo com 20 mil graus centígrados dirigida ao México. Ao voar a um ângulo de 30 graus com a superfície terrestre, todo o peso destrutivo do asteroide é lançado para norte do local de impacto. A luz intensa proveniente da bola de fogo cega os Alamossauros que se tentavam perceber o que se aproximava deles. Após o impacto com a superfície do Golfo do México, o asteroide deixa uma enorme cratera (atualmente designada de cratera de Chicxulub), desintegra-se e faz com que pedaços de rocha voem, o que causa uma chuva de rochas com tamanho de edifícios. A 800 quilómetros do local de impacto, a temperatura do ar chega aos 300 graus centígrados. Perto do local de impacto, já nenhum dinossauro sobrevive, à exceção de um ovo de Alamossauro que estava enterrado no chão. 4
  • 5. Oito minutos após o impacto, uma bola de fogo eleva-se a 150 quilómetros do chão, fazendo com que 70 biliões de toneladas de rocha e terra pulverizadas encham a atmosfera, formando uma nuvem gigante de pó e vidro. À medida que se vai espalhando, a nuvem vai aquecendo, atingindo os 8 mil graus centígrados. O calor intenso proveniente da nuvem causou imensos incêndios. O solo é agora um campo de fogo, queimando a mil graus centígrados. Cinco horas após o impacto, as temperaturas na Mongólia começam a descer. De repente, uma enorme tempestade de areia causada pelas bruscas mudanças de temperatura atinge a Mongólia e os poucos dinossauros que lá permaneciam vivos. Uma semana após o impacto, a comida é escassa em todo o planeta. Contudo, a vida dos herbívoros está mais dificultada uma vez que toda a vegetação foi queimada. Porém, uma ilha permanece viva e aparentemente salva da destruição que ocupa o continente. Nas profundidades do oceano, as rochas sedimentares desintegramse devido ao abalo causado pelo asteroide. O desabamento de centenas de metros de solo no fundo do oceano faz com que o nível do mar se afunde, formando uma onda gigante. Na costa, o oceano recuou dezenas de metros e havia agora um caminho livre e claro para a ilha que poderia vir a salvar as vidas dos restantes dinossauros. Mas a Natureza estava contra a existência dos dinossauros. Uma onda gigante, com 100 metros de altura, atinge a costa e leva consigo tudo o que ocupava o solo. Contudo, nem toda a vida do planeta estava destruída, alguns dinossauros conseguiram escapar à onda. Um milhão de megatones de energia foram lançados diretamente para a crosta pelo asteroide. Esta enorme quantidade de energia causou grandes falhas nas placas tectónicas, ondas de choque sísmicas e fez também com que magma subisse por novas falhas, resultando em violentas erupções vulcânicas. Todos os vulcões do mundo são acordados pelas ondas sísmicas, fazendo com que mais gases tóxicos e poeiras se juntassem à nuvem de poeira que residia na atmosfera. Esta nuvem é agora tão densa que impede qualquer luz Solar de chegar à superfície terrestre, resultando num forte e mortal inverno nuclear. Na Mongólia, não há escapatória possível quando sulfeto de hidrogénio borbulha na água e no ar, invadindo os pulmões e matando os dinossauros por asfixia. 5
  • 6. Dias mais tarde, pequenos grupos de dinossauros espalhados pelo mundo emergem das cinzas e tentam recomeçar as suas vidas. No entanto, a sua espécie já está morta, pois para sobreviver, qualquer espécie necessita de manter uma massa crítica de população. De absolutas ruínas, o planeta começa de novo. Nova vegetação cresce e principalmente, novas espécies. O planeta Terra prepara-se assim para receber a sua espécie mais importante e mais perigosa: o Homem. Conceitos Importantes Na minha opinião, o facto de ser necessário manter um nível de massa crítica de uma espécie é um fator muito importante para as extinções. Se o nível baixar um limiar, essa espécie deixa de existir. Dito isto, sabemos assim que a espécie dos dinossauros, que sofreu uma extinção em massa, veio dar lugar a outra espécie que ainda está à espera da sua extinção em massa: os mamíferos. 6
  • 7. Conclusão Após ver o filme, concluo que a extinção dos dinossauros foi essencial para a existência do Homem e dos mamíferos. Concluo também que apoio a teoria que diz que a extinção foi causada pelo asteroide, que por sua vez causou violenta atividade vulcânica. Acho que o filme estava excelente, com fantásticos efeitos especiais e sonoros. 7
  • 8. Ficha Técnica Título: O Último Dia dos Dinossauros Género: Documentário e animação País: Estados Unidos da América Data de lançamento (EUA): 29 de Agosto de 2010 Idioma: Inglês Diretor: Richard Dale Produtor: Michael Robins Escritores: Graham Booth e Billie Pink Narrador: Bill Mondy 8