SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 53
Baixar para ler offline
SÉRIE WEBINARS
Programa de Gerenciamento
de Riscos Ocupacionais - Nova NR 01
Gilmar da Cunha Trivelato
Pesquisador Titular – FUNDACENTRO
Os requisitos da NR 01
permite flexibilizações, que
devem ser consistentes e
fundamentadas
tecnicamente (mescla a NR
09, ISO 31000 e 45001).
Necessidade de harmonização de
termos e conceitos.....
Perigo
Risco
Fator de risco
Exigência da atividade
Fonte de risco
Análise de risco
Avaliação de risco
Probabilidade
Severidade
Consequência
Evento
Exposição
Nível de risco
Classificação de risco
Acidente
RISCO
OCUPACIONAL
DE QUÊ?
LOCAL
ATIVIDADE
POPULAÇÃO
Probabilidade?
Qual a severidade?
Lesão ou agravo à
saúde
Fatores
determinantes
(causas)
ISO 31.000 – Descrição de risco
“O risco é geralmente expresso em termos de
fontes de risco, eventos potenciais, suas
consequências e sua probabilidade.”
Os requisitos da NR 01
permite flexibilizações, que
devem ser consistentes e
fundamentadas
tecnicamente (mescla a NR
09, ISO 31000 e 45001).
Etapas do processo de avaliação de riscos
Identificação de perigos
Avaliação de riscos
(nível de risco)
Classificação de riscos
Identificação de riscos
Análise de riscos
(nível de risco)
Valoração dos riscos
ISO 31.000 NR 01 - GRO
Etapas do processo de avaliação de riscos
Identificação de perigos
Identificação de riscos
ISO 31.000 NR 01 - GRO
• Fontes de riscos
• Causas e eventos
• Consequências
• Perigos / lesões e agravos
• Fontes ou circunstâncias
• Trabalhadores sujeitos aos
riscos
• Medidas de prevenção
implementadas (IRO)
Levantamento preliminar de perigos
NR 01 – Descrição de perigo
• Como descrever os perigos? A descrição deve ser
suficiente para avaliar e controlar.
1.5.4.3.1 A etapa de identificação de perigos deve
incluir:
a) descrição dos perigos e possíveis lesões ou agravos
à saúde;
NR 01 – Conceito de perigo
(fonte de risco, fator de risco) - hazard
• Fonte com o potencial de causar lesões ou agravos
à saúde.
• Elemento que isoladamente ou em combinação
com outros tem o potencial intrínseco de dar
origem a lesões ou agravos à saúde.
Costela quebrada e
pulmão perfurado
no solo
Como descrever o perigo para
essa situação?
NR 01 – Conceito de risco
• Combinação da probabilidade (P) de ocorrer lesão
ou agravo à saúde causados por um evento
perigoso, exposição a agente nocivo ou exigência
da atividade de trabalho e da severidade (S) dessa
lesão ou agravo à saúde.
NR 01 – Conceito de risco ocupacional
Lesão ou
agravo à saúde
Evento
perigoso
Exposição a
agente nocivo
Exigência da
atividade
Estratégia sugerida para identificar perigos
e descrever riscos
Identificar as categorias gerais de perigos (enquanto fontes de
risco)
Descrever os eventos perigosos, as exposições a agentes
nocivos e exigências da atividades
Descrever as lesões e agravos à saúde mais relevantes.
Indicar os fatores determinantes dos eventos, exposições ou
exigências (causas, fontes e circunstâncias).
Indicar os trabalhadores expostos e condições de exposição.
Levantamento preliminar de perigos
Levantamento
preliminar de perigos
Risco
inaceitável
Perigo
relevante e
risco incerto
Risco
irrelevante
Adoção direta de
controles Avaliar o risco
Rever se houver
mudanças
Cuidado!! Não confundir....
Levantamento
preliminar de
perigos
Análise preliminar
de perigo (APP)
PERMISSÃO DE TRABALHO
Etapas do processo de avaliação de riscos
Avaliação de riscos
Análise de riscos
ISO 31.000 NR 01 - GRO
• Probabilidade de eventos e
consequências (P)
• Natureza e magnitude das
consequências ©
• Nível de risco (P x C)
• Probabilidade das lesões ou
agravos (P)
• Severidade das lesões ou
agravos à saúde (S)
• Combinação da probabilidade e
severidade (P x S)
1.5.4.4.2 Para cada risco deve ser indicado o nível de
risco ocupacional, determinado pela combinação da
severidade das possíveis lesões ou agravos à saúde com
a probabilidade ou chance de sua ocorrência.
1.5.4.4.2.1 A organização deve selecionar as ferramentas
e técnicas de avaliação de riscos que sejam adequadas
ao risco ou circunstância em avaliação.
NR 01 – Avaliação de riscos
ISO 31.010 – Risk management – Risk assessment techniques.
Geneva: ISO, 2019.
AMERICAN INDUSTRIAL HYGIENE ASSOCIATION [AIHA]. Exposure
Assessment Strategies Committee. A strategy for assessing and
managing occupational exposures. Falls Church, VA: AIHA, 2015.
Exemplos de ferramentas
Etapas do processo de avaliação de riscos
Classificação dos riscos
Valoração dos riscos
ISO 31.000 NR 01 - GRO
• Comparar os resultados da análise
de risco com os critérios de risco
estabelecidos e decidir sobre o
que fazer
• Classificar os riscos para fins de
prevenção e tomada de decisão
• Critérios adotados para
avaliação dos riscos e tomada
de decisão (IRO)
identificação do
perigo
Avaliação do
risco
Aceitável Incerto Inaceitável
Controlar
Obter informação
adicional
Reavaliar
Início
Critério de
julgamento
do risco e
tomada de
decisão
Confirmar
Fonte: AHIA (2015, adaptada à NR 01)
Estratégia para identificar
perigos e avaliar riscos
NR 01 Critérios de avaliação dos riscos...
NR 01 Critérios de avaliação dos riscos...
Algumas reflexões
“ Sistemas sociais necessitam definir critérios para permiti-
los priorizar suas ações e desconsiderar aqueles riscos
que parecem ser triviais”
Renn, 1992
Fonte: Renn, Ortwin. “Concepts of Risk: a classification.” In: Social Theories of Risk. Sheldon Krimsky,
Dominic Golding (Eds). Wesport (Connecticut) / London: Praeger, 1992, Cap. 3.
NR 01 Critérios de avaliação dos riscos...
Algumas reflexões
“ Sistemas sociais necessitam definir critérios para permiti-
los priorizar suas ações e desconsiderar aqueles riscos
que parecem ser triviais”
Renn, 1992
Fonte: Renn, Ortwin. “Concepts of Risk: a classification.” In: Social Theories of Risk. Sheldon Krimsky,
Dominic Golding (Eds). Wesport (Connecticut) / London: Praeger, 1992, Cap. 3.
NR 01 Critérios de avaliação dos riscos...
Algumas reflexões
Renn, 1992 – Questões centrais do debate atual sobre
risco
Que critérios são apropriados para lidar com riscos?
Quão seguro é seguro suficiente?
A sociedade deve adotar um conjunto uniforme de critérios para todos
os tipos de risco, independentemente do contexto?
Quem deve estar envolvido na definição desses critérios?
Quem deve ser responsabilizado caso esses critérios se mostrem
inadequados?
Fonte: Renn, Ortwin. “Concepts of Risk: a classification.” In: Social Theories of Risk. Sheldon Krimsky,
Dominic Golding (Eds). Wesport (Connecticut) / London: Praeger, 1992, Cap. 3.
NR 01 Critérios de avaliação dos riscos...
Algumas reflexões
Aceitabilidade de riscos é uma questão política (definida socialmente)
Do ponto de vista técnico é possível hierarquizar os riscos.
Mas...
Nenhum risco pode ser considerado baixo ou irrelevante se não
atende os requisitos legais ou se as consequências são graves e
atingem muitas pessoas.
Decisões a serem tomadas após a avaliação de
riscos ocupacionais
Não fazer mais nada.
Considerar as opções de tratamento dos riscos.
Conduzir análises mais aprofundadas para
compreender melhor os riscos..
Manter os controles existentes.
Intolerável
Tolerável
Aceitável
Nível de Risco
(hierarquia)
Muito alto ou crítico
Alto
Moderado
Baixo
Muito baixo ou trivial
Aceitabilidade
Eliminar
ou
reduzir
Eliminar ou
reduzir ao
nível mais
baixo possível
Manter o nível
de risco
Nenhuma ação
necessária
BS 8800 (1996): Anexo D - Avaliação de Riscos
Tabela D.1 – Um estimador simples do nível de risco
Levemente prejudicial Prejudicial
Extremamente
prejudicial
Altamente improvável RISCO TRIVIAL RISCO TOLERÁVEL RISCO MODERADO
Improvável RISCO TOLERÁVEL RISCO MODERADO RISCO SUBSTANCIAL
Provável RISCO MODERADO RISCO SUBSTANCIAL RISCO INTOLERÁVEL
Fonte:
BS 8800 (1996): Anexo D -
Avaliação de Riscos
NR 01 Alternativas para estimar o risco...
Fórmulas matemáticas que combinam P e S
Matrizes de Risco
Estimativa do nível de risco usando
matriz de risco (exemplo ilustrativo)
1 2 3 4
1
2
3
4
Probabilidade
(dano)
Severidade (dano)
Estimativa do nível de risco semi-
quantitativa (exemplo ilustrativo)
Fonte: AS/NZS 4360
NR 01 Gradação da severidade
NR 01 – Severidade das lesões ou agravos
1.5.4.4.3 A gradação da severidade das lesões ou agravos à saúde
deve levar em conta a magnitude da consequência e o número de
trabalhadores possivelmente afetados.
1.5.4.4.3.1 A magnitude deve levar em conta as consequências de
ocorrência de acidentes ampliados
39
Estimativa do risco: severidade ou gravidade da
consequência (adaptado AIHA, 2015)
Índices de severidade ou gravidade do dano à saúde (genérico)
1. Lesão leves sem necessidade de atenção médica, incômodos ou
mal estar.
2. Lesão ou doença sérias reversíveis.
3. Lesão ou doenças críticas irreversíveis que podem limitar a
capacidade funcional.
4. Lesão ou doença incapacitante ou mortal.
5. Mortes ou incapacidades múltiplas (>10).
40
Critérios para estimar a severidade ou gravidade da
consequência (adaptado de AS/NZS 4360)
Índice Descritor Definição
1 Insignificante / leve Incômodo, insatisfação ou dano leve
sem necessidade de tratamento médico.
2 Menor Incapacidade temporária com
necessidade de tratamento médico.
3 Moderada Incapacidade ou deficiência permanente
parcial (<30%) em uma ou mais
pessoas.
4 Maior Morte e/ou incapacidade
permanente total (>30%) em até
10 pessoas.
5 Catastrófica Diversas mortes ou incapacidade
permanente total de mais de 10 pessoas.
41
Fonte:
ROXO, Manuel M. Segurança e Saúde no
Trabalho: avaliação e controlo de riscos.
Coimbra: Edições Almedinas, 2009, p. 196
NR 01 Gradação da probabilidade
Gradação da Probabilidade (ou chance de ocorrer)
NR 01 - GRO
Escala (nominal, ordinal, intervalo, etc.) baseada em
dados
• Quantitativos (cálculos probabilísticos ou medições)
• Semiquantitativos (Observações + estimativas,
modelagem)
• Qualitativos (baseado em observações)
Gradação da Probabilidade (ou chance de ocorrer)
NR 01 - GRO
1.5.4.4.4 A gradação da probabilidade de ocorrência das lesões
ou agravos à saúde deve levar em conta:
a) os requisitos estabelecidos em Normas Regulamentadoras;
b) as medidas de prevenção implementadas;
c) as exigências da atividade de trabalho; e
d) a comparação do perfil de exposição ocupacional com valores
de referência estabelecidos na NR-09.
Gradação da Probabilidade (ou chance de ocorrer)
NR 01 - GRO
Quase certo
....
Provável
...
Improvável
....
Raro
....
Quase impossível
5
4
3
2
1
46
46
Estimativa Qualitativa: controle existente x medidas
preventivas indicadas
Categoria Descrição Índice
Prob.
Controle
excelente
Representa a melhor tecnologia ou
prática de controle disponível.
1
Controle em
conformidade
legal
Controle seguindo as normas legais,
mantido adequadamente
2
Controle com
pequenas
deficiências
Controle adequado com pequenas
deficiências na operação ou
manutenção.
3
Controle
deficiente
Controle incompleto ou com
deficiências relevantes.
4
Controle
inexistente
As medidas de controle são inexistentes
ou totalmente inadequadas.
5
47
47
Estimativa Qualitativa: controle existente para
substâncias químicas
Fonte :
European Comission. Minimising chemical risk to workers’ health and safety through
substitution, 2012. Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-
/publication/c94c5caf-fca6-498e-8dff-f75c6e20147f
48
48
Estimativa Qualitativa: categorias de exposição efetiva
(sem considerar o EPI) – Fonte: AIHA (2015, adaptado)
Categoria Descrição Índice
Prob.
Exposição a níveis
muito baixos
Exposições < 10% LEO 1
Exposição baixa Exposições >10% e < 50% LEO 2
Exposição moderada Exposições > 50% e < 100% LEO 3
Exposição excessiva Exposições > 100% a 500% LEO 4
Exposição muito
excessiva
Exposições superiores a 5 x LEO 5
49
49
Avaliação de riscos relacionados a fatores
psicossociais
Questionário Psicossocial de Copenhague (desenvolvido em
200 por uma equipe de investigação do Instituto Nacional de
Saúde Ocupacional da Dinamarca)
Fonte em Espanhol:
ISTAS. Método COPSOQ ISTAS21. Disponível na Internet:
https://istas.net/copsoq-istas21
NR 01 Combinação da probabilidade e
severidade e classificação dos riscos
51
Exemplo de Matriz de Risco (4x4 ou 5x5)
B
B
B
B
M
M
M A
M
A
A
C
C
C
C
C
B
B
A
C
5
5
4
4
3
3
2
2
1
1
A
A
P
S
Classificação do
RISCO:
B= BAIXO
M= MODERADO
A= ALTO
C= CRÍTICO
PROBABILIDADE
SEVERIDADE
M
B
52
Exemplo de critérios para priorização de ações
RISCO
NECESSIDADES DE CONTROLES E INFORMAÇÕES ADICIONAIS
Incerteza da estimativa
0 Certa 1 Incerta 2 Altamente incerta
CRÍTICO Ação imediata ou interru-
ção da atividade
Controle e informação
adicional necessários
Controle e informação
adicional necessários
ALTO
Controle necessário
Controle e informação
adicional necessários
Controle e informação
adicional necessários
MODERADO
Controle adicional
se for possível e
viável.
Informação adicional
necessária
Informação adicional
necessária
BAIXO
Nenhum controle
adicional é
necessário
Informação adicional
necessária
Informação adicional
necessária
MUITO BAIXO Nenhuma ação é
necessária.
Nenhuma informação
adicional é necessária.
Nenhuma informação
adicional é
necessária.
01
02
03
04
O que a Fundacentro planeja
fazer?
Informar...
Analisar critérios de riscos e
propor diretrizes
Compartilhar experiências
Desenvolver modelo de gerenciamento
de riscos para Pequena empresa

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a trivelato-2020-webinar-3-criterios-e-procedimentos-para-identificar-perigos-e-avaliar-riscos.pdf

ANALISE PRELIMINAR DE RISCOS.ppt
ANALISE PRELIMINAR DE RISCOS.pptANALISE PRELIMINAR DE RISCOS.ppt
ANALISE PRELIMINAR DE RISCOS.pptbrenorocha36
 
docslide.com.br_analise-preliminar-de-riscos-558c833854b40[1].ppt
docslide.com.br_analise-preliminar-de-riscos-558c833854b40[1].pptdocslide.com.br_analise-preliminar-de-riscos-558c833854b40[1].ppt
docslide.com.br_analise-preliminar-de-riscos-558c833854b40[1].pptAmarildoFerreiradeMe
 
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdftrivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdfAloisio Amaral
 
1191447008_avaliacaoderiscos.ppt
1191447008_avaliacaoderiscos.ppt1191447008_avaliacaoderiscos.ppt
1191447008_avaliacaoderiscos.pptclaudio864549
 
gestao_de_riscos_nas_organizacoes.ppt
gestao_de_riscos_nas_organizacoes.pptgestao_de_riscos_nas_organizacoes.ppt
gestao_de_riscos_nas_organizacoes.pptOtacioCandido1
 
Avaliação de Riscos - IPSS
Avaliação de Riscos - IPSSAvaliação de Riscos - IPSS
Avaliação de Riscos - IPSSSusana Santos
 
Aula 7 gestão de riscos
Aula 7   gestão de riscosAula 7   gestão de riscos
Aula 7 gestão de riscosDaniel Moura
 
Analise e Avaliação de Riscos.ppsx
Analise e Avaliação de Riscos.ppsxAnalise e Avaliação de Riscos.ppsx
Analise e Avaliação de Riscos.ppsxManoelAugustoAndrade
 
Curso GRO - Aula 5 - Identificacao de perigos e avaliacao de riscos.pdf
Curso GRO - Aula 5 - Identificacao de perigos e avaliacao de riscos.pdfCurso GRO - Aula 5 - Identificacao de perigos e avaliacao de riscos.pdf
Curso GRO - Aula 5 - Identificacao de perigos e avaliacao de riscos.pdfevanil2
 
Deise capalbo principios para analise de risco ambiental
Deise capalbo principios para analise de risco ambientalDeise capalbo principios para analise de risco ambiental
Deise capalbo principios para analise de risco ambientalSofia Iba
 
4-Analise_preliminar_risco-Gisele.pdf
4-Analise_preliminar_risco-Gisele.pdf4-Analise_preliminar_risco-Gisele.pdf
4-Analise_preliminar_risco-Gisele.pdfJoelSantos832800
 
STOP Quedas: Programa de Gestão e Controlo das Quedas de Doentes em Ambiente ...
STOP Quedas: Programa de Gestão e Controlo das Quedas de Doentes em Ambiente ...STOP Quedas: Programa de Gestão e Controlo das Quedas de Doentes em Ambiente ...
STOP Quedas: Programa de Gestão e Controlo das Quedas de Doentes em Ambiente ...Fernando Barroso
 
Avaliacao qualitativa de_riscos_quimicos
Avaliacao qualitativa de_riscos_quimicosAvaliacao qualitativa de_riscos_quimicos
Avaliacao qualitativa de_riscos_quimicosMarcio Mateus Bento
 
11914478 avaliacaoderiscos
11914478 avaliacaoderiscos11914478 avaliacaoderiscos
11914478 avaliacaoderiscosPelo Siro
 
Gerenciamento de riscos abordando os assuntos tratados no PMBOK®, ISO 31000 e...
Gerenciamento de riscos abordando os assuntos tratados no PMBOK®, ISO 31000 e...Gerenciamento de riscos abordando os assuntos tratados no PMBOK®, ISO 31000 e...
Gerenciamento de riscos abordando os assuntos tratados no PMBOK®, ISO 31000 e...Jefferson Oliveira
 
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptxSlides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptxAliaCristiano
 

Semelhante a trivelato-2020-webinar-3-criterios-e-procedimentos-para-identificar-perigos-e-avaliar-riscos.pdf (20)

ANALISE PRELIMINAR DE RISCOS.ppt
ANALISE PRELIMINAR DE RISCOS.pptANALISE PRELIMINAR DE RISCOS.ppt
ANALISE PRELIMINAR DE RISCOS.ppt
 
docslide.com.br_analise-preliminar-de-riscos-558c833854b40[1].ppt
docslide.com.br_analise-preliminar-de-riscos-558c833854b40[1].pptdocslide.com.br_analise-preliminar-de-riscos-558c833854b40[1].ppt
docslide.com.br_analise-preliminar-de-riscos-558c833854b40[1].ppt
 
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdftrivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
trivelato-2020-webinar-4-como-construir-um-inventario-de-riscos-ocupacionais.pdf
 
1191447008_avaliacaoderiscos.ppt
1191447008_avaliacaoderiscos.ppt1191447008_avaliacaoderiscos.ppt
1191447008_avaliacaoderiscos.ppt
 
gestao_de_riscos_nas_organizacoes.ppt
gestao_de_riscos_nas_organizacoes.pptgestao_de_riscos_nas_organizacoes.ppt
gestao_de_riscos_nas_organizacoes.ppt
 
NR 01.pptx
NR 01.pptxNR 01.pptx
NR 01.pptx
 
Avaliação de Riscos - IPSS
Avaliação de Riscos - IPSSAvaliação de Riscos - IPSS
Avaliação de Riscos - IPSS
 
1987
19871987
1987
 
Gerenciamento de risco no trabalho
Gerenciamento de risco no trabalhoGerenciamento de risco no trabalho
Gerenciamento de risco no trabalho
 
Aula 7 gestão de riscos
Aula 7   gestão de riscosAula 7   gestão de riscos
Aula 7 gestão de riscos
 
Analise e Avaliação de Riscos.ppsx
Analise e Avaliação de Riscos.ppsxAnalise e Avaliação de Riscos.ppsx
Analise e Avaliação de Riscos.ppsx
 
Curso GRO - Aula 5 - Identificacao de perigos e avaliacao de riscos.pdf
Curso GRO - Aula 5 - Identificacao de perigos e avaliacao de riscos.pdfCurso GRO - Aula 5 - Identificacao de perigos e avaliacao de riscos.pdf
Curso GRO - Aula 5 - Identificacao de perigos e avaliacao de riscos.pdf
 
Deise capalbo principios para analise de risco ambiental
Deise capalbo principios para analise de risco ambientalDeise capalbo principios para analise de risco ambiental
Deise capalbo principios para analise de risco ambiental
 
4-Analise_preliminar_risco-Gisele.pdf
4-Analise_preliminar_risco-Gisele.pdf4-Analise_preliminar_risco-Gisele.pdf
4-Analise_preliminar_risco-Gisele.pdf
 
STOP Quedas: Programa de Gestão e Controlo das Quedas de Doentes em Ambiente ...
STOP Quedas: Programa de Gestão e Controlo das Quedas de Doentes em Ambiente ...STOP Quedas: Programa de Gestão e Controlo das Quedas de Doentes em Ambiente ...
STOP Quedas: Programa de Gestão e Controlo das Quedas de Doentes em Ambiente ...
 
Avaliacao qualitativa de_riscos_quimicos
Avaliacao qualitativa de_riscos_quimicosAvaliacao qualitativa de_riscos_quimicos
Avaliacao qualitativa de_riscos_quimicos
 
Aula03
Aula03Aula03
Aula03
 
11914478 avaliacaoderiscos
11914478 avaliacaoderiscos11914478 avaliacaoderiscos
11914478 avaliacaoderiscos
 
Gerenciamento de riscos abordando os assuntos tratados no PMBOK®, ISO 31000 e...
Gerenciamento de riscos abordando os assuntos tratados no PMBOK®, ISO 31000 e...Gerenciamento de riscos abordando os assuntos tratados no PMBOK®, ISO 31000 e...
Gerenciamento de riscos abordando os assuntos tratados no PMBOK®, ISO 31000 e...
 
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptxSlides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
 

Último

bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalErikOliveira40
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 

trivelato-2020-webinar-3-criterios-e-procedimentos-para-identificar-perigos-e-avaliar-riscos.pdf

  • 1. SÉRIE WEBINARS Programa de Gerenciamento de Riscos Ocupacionais - Nova NR 01
  • 2. Gilmar da Cunha Trivelato Pesquisador Titular – FUNDACENTRO
  • 3. Os requisitos da NR 01 permite flexibilizações, que devem ser consistentes e fundamentadas tecnicamente (mescla a NR 09, ISO 31000 e 45001).
  • 4. Necessidade de harmonização de termos e conceitos.....
  • 5. Perigo Risco Fator de risco Exigência da atividade Fonte de risco Análise de risco Avaliação de risco Probabilidade Severidade Consequência Evento Exposição Nível de risco Classificação de risco Acidente
  • 6. RISCO OCUPACIONAL DE QUÊ? LOCAL ATIVIDADE POPULAÇÃO Probabilidade? Qual a severidade? Lesão ou agravo à saúde Fatores determinantes (causas)
  • 7. ISO 31.000 – Descrição de risco “O risco é geralmente expresso em termos de fontes de risco, eventos potenciais, suas consequências e sua probabilidade.”
  • 8.
  • 9. Os requisitos da NR 01 permite flexibilizações, que devem ser consistentes e fundamentadas tecnicamente (mescla a NR 09, ISO 31000 e 45001).
  • 10. Etapas do processo de avaliação de riscos Identificação de perigos Avaliação de riscos (nível de risco) Classificação de riscos Identificação de riscos Análise de riscos (nível de risco) Valoração dos riscos ISO 31.000 NR 01 - GRO
  • 11. Etapas do processo de avaliação de riscos Identificação de perigos Identificação de riscos ISO 31.000 NR 01 - GRO • Fontes de riscos • Causas e eventos • Consequências • Perigos / lesões e agravos • Fontes ou circunstâncias • Trabalhadores sujeitos aos riscos • Medidas de prevenção implementadas (IRO) Levantamento preliminar de perigos
  • 12. NR 01 – Descrição de perigo • Como descrever os perigos? A descrição deve ser suficiente para avaliar e controlar. 1.5.4.3.1 A etapa de identificação de perigos deve incluir: a) descrição dos perigos e possíveis lesões ou agravos à saúde;
  • 13. NR 01 – Conceito de perigo (fonte de risco, fator de risco) - hazard • Fonte com o potencial de causar lesões ou agravos à saúde. • Elemento que isoladamente ou em combinação com outros tem o potencial intrínseco de dar origem a lesões ou agravos à saúde.
  • 14. Costela quebrada e pulmão perfurado no solo Como descrever o perigo para essa situação?
  • 15. NR 01 – Conceito de risco • Combinação da probabilidade (P) de ocorrer lesão ou agravo à saúde causados por um evento perigoso, exposição a agente nocivo ou exigência da atividade de trabalho e da severidade (S) dessa lesão ou agravo à saúde.
  • 16. NR 01 – Conceito de risco ocupacional Lesão ou agravo à saúde Evento perigoso Exposição a agente nocivo Exigência da atividade
  • 17. Estratégia sugerida para identificar perigos e descrever riscos Identificar as categorias gerais de perigos (enquanto fontes de risco) Descrever os eventos perigosos, as exposições a agentes nocivos e exigências da atividades Descrever as lesões e agravos à saúde mais relevantes. Indicar os fatores determinantes dos eventos, exposições ou exigências (causas, fontes e circunstâncias). Indicar os trabalhadores expostos e condições de exposição.
  • 18. Levantamento preliminar de perigos Levantamento preliminar de perigos Risco inaceitável Perigo relevante e risco incerto Risco irrelevante Adoção direta de controles Avaliar o risco Rever se houver mudanças
  • 19. Cuidado!! Não confundir.... Levantamento preliminar de perigos Análise preliminar de perigo (APP) PERMISSÃO DE TRABALHO
  • 20. Etapas do processo de avaliação de riscos Avaliação de riscos Análise de riscos ISO 31.000 NR 01 - GRO • Probabilidade de eventos e consequências (P) • Natureza e magnitude das consequências © • Nível de risco (P x C) • Probabilidade das lesões ou agravos (P) • Severidade das lesões ou agravos à saúde (S) • Combinação da probabilidade e severidade (P x S)
  • 21. 1.5.4.4.2 Para cada risco deve ser indicado o nível de risco ocupacional, determinado pela combinação da severidade das possíveis lesões ou agravos à saúde com a probabilidade ou chance de sua ocorrência. 1.5.4.4.2.1 A organização deve selecionar as ferramentas e técnicas de avaliação de riscos que sejam adequadas ao risco ou circunstância em avaliação. NR 01 – Avaliação de riscos
  • 22. ISO 31.010 – Risk management – Risk assessment techniques. Geneva: ISO, 2019. AMERICAN INDUSTRIAL HYGIENE ASSOCIATION [AIHA]. Exposure Assessment Strategies Committee. A strategy for assessing and managing occupational exposures. Falls Church, VA: AIHA, 2015. Exemplos de ferramentas
  • 23. Etapas do processo de avaliação de riscos Classificação dos riscos Valoração dos riscos ISO 31.000 NR 01 - GRO • Comparar os resultados da análise de risco com os critérios de risco estabelecidos e decidir sobre o que fazer • Classificar os riscos para fins de prevenção e tomada de decisão • Critérios adotados para avaliação dos riscos e tomada de decisão (IRO)
  • 24. identificação do perigo Avaliação do risco Aceitável Incerto Inaceitável Controlar Obter informação adicional Reavaliar Início Critério de julgamento do risco e tomada de decisão Confirmar Fonte: AHIA (2015, adaptada à NR 01) Estratégia para identificar perigos e avaliar riscos
  • 25. NR 01 Critérios de avaliação dos riscos...
  • 26. NR 01 Critérios de avaliação dos riscos... Algumas reflexões “ Sistemas sociais necessitam definir critérios para permiti- los priorizar suas ações e desconsiderar aqueles riscos que parecem ser triviais” Renn, 1992 Fonte: Renn, Ortwin. “Concepts of Risk: a classification.” In: Social Theories of Risk. Sheldon Krimsky, Dominic Golding (Eds). Wesport (Connecticut) / London: Praeger, 1992, Cap. 3.
  • 27. NR 01 Critérios de avaliação dos riscos... Algumas reflexões “ Sistemas sociais necessitam definir critérios para permiti- los priorizar suas ações e desconsiderar aqueles riscos que parecem ser triviais” Renn, 1992 Fonte: Renn, Ortwin. “Concepts of Risk: a classification.” In: Social Theories of Risk. Sheldon Krimsky, Dominic Golding (Eds). Wesport (Connecticut) / London: Praeger, 1992, Cap. 3.
  • 28. NR 01 Critérios de avaliação dos riscos... Algumas reflexões Renn, 1992 – Questões centrais do debate atual sobre risco Que critérios são apropriados para lidar com riscos? Quão seguro é seguro suficiente? A sociedade deve adotar um conjunto uniforme de critérios para todos os tipos de risco, independentemente do contexto? Quem deve estar envolvido na definição desses critérios? Quem deve ser responsabilizado caso esses critérios se mostrem inadequados? Fonte: Renn, Ortwin. “Concepts of Risk: a classification.” In: Social Theories of Risk. Sheldon Krimsky, Dominic Golding (Eds). Wesport (Connecticut) / London: Praeger, 1992, Cap. 3.
  • 29. NR 01 Critérios de avaliação dos riscos... Algumas reflexões Aceitabilidade de riscos é uma questão política (definida socialmente) Do ponto de vista técnico é possível hierarquizar os riscos. Mas... Nenhum risco pode ser considerado baixo ou irrelevante se não atende os requisitos legais ou se as consequências são graves e atingem muitas pessoas.
  • 30. Decisões a serem tomadas após a avaliação de riscos ocupacionais Não fazer mais nada. Considerar as opções de tratamento dos riscos. Conduzir análises mais aprofundadas para compreender melhor os riscos.. Manter os controles existentes.
  • 31. Intolerável Tolerável Aceitável Nível de Risco (hierarquia) Muito alto ou crítico Alto Moderado Baixo Muito baixo ou trivial Aceitabilidade Eliminar ou reduzir Eliminar ou reduzir ao nível mais baixo possível Manter o nível de risco Nenhuma ação necessária
  • 32. BS 8800 (1996): Anexo D - Avaliação de Riscos Tabela D.1 – Um estimador simples do nível de risco Levemente prejudicial Prejudicial Extremamente prejudicial Altamente improvável RISCO TRIVIAL RISCO TOLERÁVEL RISCO MODERADO Improvável RISCO TOLERÁVEL RISCO MODERADO RISCO SUBSTANCIAL Provável RISCO MODERADO RISCO SUBSTANCIAL RISCO INTOLERÁVEL
  • 33. Fonte: BS 8800 (1996): Anexo D - Avaliação de Riscos
  • 34. NR 01 Alternativas para estimar o risco... Fórmulas matemáticas que combinam P e S Matrizes de Risco
  • 35. Estimativa do nível de risco usando matriz de risco (exemplo ilustrativo) 1 2 3 4 1 2 3 4 Probabilidade (dano) Severidade (dano)
  • 36. Estimativa do nível de risco semi- quantitativa (exemplo ilustrativo) Fonte: AS/NZS 4360
  • 37. NR 01 Gradação da severidade
  • 38. NR 01 – Severidade das lesões ou agravos 1.5.4.4.3 A gradação da severidade das lesões ou agravos à saúde deve levar em conta a magnitude da consequência e o número de trabalhadores possivelmente afetados. 1.5.4.4.3.1 A magnitude deve levar em conta as consequências de ocorrência de acidentes ampliados
  • 39. 39 Estimativa do risco: severidade ou gravidade da consequência (adaptado AIHA, 2015) Índices de severidade ou gravidade do dano à saúde (genérico) 1. Lesão leves sem necessidade de atenção médica, incômodos ou mal estar. 2. Lesão ou doença sérias reversíveis. 3. Lesão ou doenças críticas irreversíveis que podem limitar a capacidade funcional. 4. Lesão ou doença incapacitante ou mortal. 5. Mortes ou incapacidades múltiplas (>10).
  • 40. 40 Critérios para estimar a severidade ou gravidade da consequência (adaptado de AS/NZS 4360) Índice Descritor Definição 1 Insignificante / leve Incômodo, insatisfação ou dano leve sem necessidade de tratamento médico. 2 Menor Incapacidade temporária com necessidade de tratamento médico. 3 Moderada Incapacidade ou deficiência permanente parcial (<30%) em uma ou mais pessoas. 4 Maior Morte e/ou incapacidade permanente total (>30%) em até 10 pessoas. 5 Catastrófica Diversas mortes ou incapacidade permanente total de mais de 10 pessoas.
  • 41. 41 Fonte: ROXO, Manuel M. Segurança e Saúde no Trabalho: avaliação e controlo de riscos. Coimbra: Edições Almedinas, 2009, p. 196
  • 42. NR 01 Gradação da probabilidade
  • 43. Gradação da Probabilidade (ou chance de ocorrer) NR 01 - GRO Escala (nominal, ordinal, intervalo, etc.) baseada em dados • Quantitativos (cálculos probabilísticos ou medições) • Semiquantitativos (Observações + estimativas, modelagem) • Qualitativos (baseado em observações)
  • 44. Gradação da Probabilidade (ou chance de ocorrer) NR 01 - GRO 1.5.4.4.4 A gradação da probabilidade de ocorrência das lesões ou agravos à saúde deve levar em conta: a) os requisitos estabelecidos em Normas Regulamentadoras; b) as medidas de prevenção implementadas; c) as exigências da atividade de trabalho; e d) a comparação do perfil de exposição ocupacional com valores de referência estabelecidos na NR-09.
  • 45. Gradação da Probabilidade (ou chance de ocorrer) NR 01 - GRO Quase certo .... Provável ... Improvável .... Raro .... Quase impossível 5 4 3 2 1
  • 46. 46 46 Estimativa Qualitativa: controle existente x medidas preventivas indicadas Categoria Descrição Índice Prob. Controle excelente Representa a melhor tecnologia ou prática de controle disponível. 1 Controle em conformidade legal Controle seguindo as normas legais, mantido adequadamente 2 Controle com pequenas deficiências Controle adequado com pequenas deficiências na operação ou manutenção. 3 Controle deficiente Controle incompleto ou com deficiências relevantes. 4 Controle inexistente As medidas de controle são inexistentes ou totalmente inadequadas. 5
  • 47. 47 47 Estimativa Qualitativa: controle existente para substâncias químicas Fonte : European Comission. Minimising chemical risk to workers’ health and safety through substitution, 2012. Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/- /publication/c94c5caf-fca6-498e-8dff-f75c6e20147f
  • 48. 48 48 Estimativa Qualitativa: categorias de exposição efetiva (sem considerar o EPI) – Fonte: AIHA (2015, adaptado) Categoria Descrição Índice Prob. Exposição a níveis muito baixos Exposições < 10% LEO 1 Exposição baixa Exposições >10% e < 50% LEO 2 Exposição moderada Exposições > 50% e < 100% LEO 3 Exposição excessiva Exposições > 100% a 500% LEO 4 Exposição muito excessiva Exposições superiores a 5 x LEO 5
  • 49. 49 49 Avaliação de riscos relacionados a fatores psicossociais Questionário Psicossocial de Copenhague (desenvolvido em 200 por uma equipe de investigação do Instituto Nacional de Saúde Ocupacional da Dinamarca) Fonte em Espanhol: ISTAS. Método COPSOQ ISTAS21. Disponível na Internet: https://istas.net/copsoq-istas21
  • 50. NR 01 Combinação da probabilidade e severidade e classificação dos riscos
  • 51. 51 Exemplo de Matriz de Risco (4x4 ou 5x5) B B B B M M M A M A A C C C C C B B A C 5 5 4 4 3 3 2 2 1 1 A A P S Classificação do RISCO: B= BAIXO M= MODERADO A= ALTO C= CRÍTICO PROBABILIDADE SEVERIDADE M B
  • 52. 52 Exemplo de critérios para priorização de ações RISCO NECESSIDADES DE CONTROLES E INFORMAÇÕES ADICIONAIS Incerteza da estimativa 0 Certa 1 Incerta 2 Altamente incerta CRÍTICO Ação imediata ou interru- ção da atividade Controle e informação adicional necessários Controle e informação adicional necessários ALTO Controle necessário Controle e informação adicional necessários Controle e informação adicional necessários MODERADO Controle adicional se for possível e viável. Informação adicional necessária Informação adicional necessária BAIXO Nenhum controle adicional é necessário Informação adicional necessária Informação adicional necessária MUITO BAIXO Nenhuma ação é necessária. Nenhuma informação adicional é necessária. Nenhuma informação adicional é necessária.
  • 53. 01 02 03 04 O que a Fundacentro planeja fazer? Informar... Analisar critérios de riscos e propor diretrizes Compartilhar experiências Desenvolver modelo de gerenciamento de riscos para Pequena empresa