SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
 A vida em grupo é uma exigência da natureza humana. O 
homem necessita de seus semelhante para sobreviver, 
perpetuar a espécie e também para se realizar plenamente 
como pessoa. 
 A sociabilidade, capacidade natura da espécie humana para 
viver em sociedade, desenvolver-se pelo processo de 
socialização. Pela socialização se integra ao grupo em que 
nasceu assimilando o conjunto de habito e costumes 
características daquele grupo. 
 Participando da vida em sociedade, aprendendo suas 
normas, seus valores e costumes, o individuo esta se 
socializando. Quanto mais adequado à socialização do 
individuo, mais sociável ele poderá se tornar.
É a assimilação de hábitos característicos do seu grupo social, todo 
o processo através do qual um indivíduo se torna membro 
funcional de uma comunidade, assimilando a cultura que lhe é 
própria. É um processo contínuo que nunca se dá por terminado, 
realizando-se através da comunicação, sendo inicialmente pela 
"imitação" para se tornar mais sociável. O processo de socialização 
inicia-se após o nascimento, e através, primeiramente, da família 
ou outros agentes próximos da escola, dos meios de comunicação 
de massas e dos grupos de referência que são compostos pelas 
nossas bandas favoritas, atores, atletas, super-heróis, etc. A 
socialização é o processo através do qual o indivíduo se integra no 
grupo em que nasceu adquirindo os seus hábitos e valores 
característicos. É através da socialização que o indivíduo pode 
desenvolver a sua personalidade e ser admitido na sociedade.
• Contatos sociais primária 
São os contatos pessoais, diretos e que têm uma forte base 
emocional, pois as pessoas envolvidas compartilham suas 
experiências individuais ; 
Processo através do qual a criança estabelece relações com os outros elementos 
da sociedade, tornando-se um membro participante e tendo como principal 
influência o agente social família. 
É um processo fundamental, pois é onde se cria a estrutura para toda a 
socialização do indivíduo. A família é o primeiro agente de socialização e também 
o mais importante, pois é na fase inicial da vida das crianças que estas assimilam 
com mais facilidade os valores que lhes são incutidos, isto porque nessa fase as 
suas relações baseiam-se nos afetos e, como tal, estão mais recetivas.
• Contatos sociais secundária 
Processo posterior à socialização primária, por meio do qual o indivíduo 
aprende novos papéis, contribuindo para a formação complexa da sua 
personalidade. Este processo pode ser superficial no sentido de não 
exigir profundas mudanças, mas, por outro lado, também pode 
comportar grandes alterações na sua personalidade. 
São os contatos impessoais, calculados, formais. Trata-se mais de um 
meio para atingir determinado fim. Ex: o contato passageiro com o 
cobrador do ônibus, apenas para pagar a passagem; o contato do 
cliente com o caixa do banco, para descontar um cheque. São também 
considerados contatos secundários os contatos mantidos através de 
carta, telefone, telegrama, e-mail. Etc.
 CONTATO PRIMÁRIO 
 - onde há: simpatia, afeição, amor, lealdade, consideração: família, grupo de 
brinquedo, pequena vila, etc; 
 - onde as relações são: espontâneas, informais, sentimentais, íntimas, pessoais, 
intensas, completas, relativamente permanentes, um fim em si mesmas; 
– onde os indivíduos: tentam assumir os papéis dos outros; identificar-se 
continuamente uns aos outros; compartilhar quase a totalidade de suas 
respectivas experiências, alegrias, tristezas, esperanças, sucessos e fracassos; 
– onde o controle social é intenso, efetivo, poderoso devido às “expectativas de 
comportamento” e “direitos morais” que os outros vêm a exercer sobre cada 
indivíduo 
. 
CONTATO SECUNDÁRIO 
 - onde há atitudes de indiferentismo, falta de intimidade, de interesse pessoal; 
 - onde há atitudes de indiferentismo, falta de intimidade, de interesse pessoal; 
– onde as relações sociais são: premeditadas, formais, racionais distantes, 
impessoais, frouxas, fragmentadas, transitórias, antes meios para fins do que 
um fim em si mesmas; 
– onde os indivíduos não tentam: assumir os papéis dos outros; identificar-se 
uns aos outros; compartilhar de suas respectivas experiências; 
– onde o controle social é fraquíssimo, devido ao fato de cada indivíduo não 
sentir-se na necessidade de corresponder às “expectativas de comportamento”.
A sociabilidade pode ser vista, de forma geral, como a capacidade natural do ser humano 
de viver em sociedade, viver sempre em contato com outras pessoas, o ser humano não tem 
intrínseco à sua natureza a solidão. É através da socialização, que os indivíduos, ao 
nascerem, e integrar um certo grupo, seja ele familiar, ou de amigos, acaba aderindo 
algumas características ao seu modo de viver. 
Por mais egoísta, egocêntrico que o ser humano seja, ele necessita conviver com outros 
seres humanos, seja para expressão cultural, perpetuação da espécie, diversão, ou seja, é 
inevitável o contato e interação entre os homens. É através da sociabilidade, que entra o 
conceito de socialização, quando se compõe um certo grupo, aprende-se certas 
características, características estas, comuns a todos os componentes de um certo grupo. 
Num simples ato de ir à praia, está implícito um conceito de sociabilidade e socialização, 
vamos ver:
Nesta imagem, podemos perceber a necessidade tão falada nos conceitos acima, as 
pessoas sentam-se em grupos, sejam eles familiares, amigos, colegas de trabalho, 
porque eles necessitam desse contato, precisam contar como foi o dia, contar aquela 
história engraçada ocorrida, compartilhando risos, precisam juntar-se para um 
momento de diversão de forma geral. 
Já socialização, é vista, quando por exemplo, uma certa mesa é formada por um grupo 
de pessoas que usufruem de uma certa característica, um traço comum a todos, como 
não ingerir bebidas alcoólicas, ou até mesmo a cultura de encher a cara 
demasiadamente, fazer topless, jogar bola, etc.
• Convívio social 
A história demonstra que “o convívio social foi e continua sendo decisivo para o 
desenvolvimento da humanidade” (OLIVEIRA, 2005, p. 118-19). 
Com advento da globalização e de novas tecnologias aprofundam-se as transformações da 
sociedade. Novas formas de sociabilidade surgem nos grandes centros urbanos. O 
“tribalismo”, em um sentido amplo, que ultrapassa o sentido comum ligado à idéia de 
tribos indígenas, se torna uma das formas de expressão desses novos tipos de 
sociabilidade, como os punks, os surfistas, os skinheds, os funkeiros, as torcidas 
organizadas de futebol e as gangues da periferia urbana. Eles se reúnem em torno de 
afinidades ou interesses. Novas “tribos” também estão surgindo a partir do 
desenvolvimento de novas tecnologias da informação e da internet com as comunidades 
virtuais. 
Nestas e em outras formas de convívio social (socialização), o compartilhamento entre os 
indivíduos se dá pelos contatos sociais, seja ele do tipo primário ou secundário.
O isolamento social é um comportamento no qual o indivíduo 
deixa de participar - voluntariamente ou não - de atividades sociais 
em grupo como trabalho e entretenimento. É um fenômeno 
geralmente observado na população idosa, sem-teto ou grupos com 
pouca mobilidade entretanto não é limitado a estes podendo ser 
observado em outras faixas etárias, grupos sociais e em grandes 
cidades, onde o contato social teoricamente é maior. Fatores como 
doenças físicas, eremitismo e doenças psicológicas podem 
influenciar o surgimento do isolamento social.1 Wilson2 define o 
isolamento social como "a falta de contato interação sustentada 
com indivíduos ou instituições que representam a sociedade 
predominante".3
A comunicação é vital para a espécie humana enquanto ser social 
e para o desenvolvimento da cultura. 
O principal meio de comunicação do homem e através da 
linguagem. Através da linguagem o ser humano atribui significados 
aos sons articulados que emite, isso é possível porque somos dotados 
de inteligências. 
A medida que as sociedades se tornaram mais complexas, os 
meios de comunicação foram se aperfeiçoando.
É uma ciência social aplicada, cujo objeto tradicional de estudo são os meios de 
comunicação de massa1(também chamados mas media ou simplesmente "média" ou 
"mídia"), principalmente o jornalismo ou imprensa e a comunicação 
organizacional (publicidade, propaganda, relações públicas, comunicação 
de marketing)2 de empresas e de organizações governamentais ou não-governamentais. A 
comunicação objeto da comunicação social diferencia-se, portanto, da comunicação que é 
objeto de ciências como a psicologia, a linguística ou a antropologia, sem que se possa negar 
a existência de interseções entre esses domínios.
Os meios de comunicação de massa mais frequentes são o jornal, 
a televisão, o rádio, o cinema e a internet. Didaticamente, poderia-se 
simplificar as atribuições dos diversos profissionais da seguinte forma: 
os jornalistas atuam com as notícias, os publicitários ou propagandistas 
atuam com os anúncios e os relações públicas com a relação entre a sua 
organização e a sociedade. Não obstante, a interdisciplinaridade e a 
convergência têm se ampliado progressivamente nessa área. 
A pesquisa científica em comunicação social mantém diálogos 
frequentes com a antropologia, com a sociologia,3 com a linguística, com a 
psicologia, com a ciência da informação, com a administração de empresas, 
com as artes visuais, com a música e com as artes cênicas. A partir do 
advento da internet, ampliou-se também o diálogo acadêmico entre a 
comunicação social, a ciência da informação e a ciência da computação. 
Os fenômenos tecnológicos relacionados à transmissão e à recepção das 
mensagens pelos meios de comunicação de massa são um domínio de conhecimento 
distinto da comunicação social. Esses fenômenos são objeto de estudo das engenharias, em 
especial dos profissionais de telecomunicações.
Interação social 
Troca de experiências, contatos e conhecimentos entre 
as pessoas, podendo modificar os comportamentos das 
pessoas envolvidas. A interação é o meio através do qual 
ocorre a socialização. 
A interação social ocorre através de um processo de 
reciprocidade e por meio de interatividade.
Processos sociais 
Interação social que gera mudanças e movimentos 
ASSOCIATIVOS 
Cooperação 
Acomodação 
Assimilação 
DISSOCIATIVOS 
Competição 
Conflito 
Tipos de 
processos 
sociais
Processos sociais 
Os processos associativos 
estabelecem formas de cooperação, 
convivência e consenso no grupo. 
Geram, portanto, laços de 
solidariedade. Já os dissociativos 
estão relacionados a formas de 
divergência, oposição e conflito, 
que podem se manifestar de modos 
diferentes.
Processos sociais 
Cooperação  Interação através da qual pessoas, grupos ou 
comunidades atuam conjuntamente para um mesmo fim. 
• Direta  Ações nas quais as pessoas 
trabalham juntas (ex.: mutirão) 
• Indireta  Mesmo atuando em atividades 
diferentes, as pessoas necessitam 
indiretamente umas das outras, pois não 
são autossuficientes (ex. Médico—lavrador: 
O médico necessita de alimentos produzido 
pelo lavrador, que necessita de atendimento 
prestado pelo médico)
Processos sociais 
Competição  “Interação que implica na luta por objetivos 
escassos; essa interação é regulada por normas, pode ser 
direta ou indireta, pessoal ou impessoal e tende a excluir o 
uso da força”. 
Quando a competição viola essas normas, transforma-se 
em conflito. 
• Indivíduos disputando melhores situações; 
• Resultados não podem ser igualmente obtidos; 
• Os lados em disputa objetivam os resultados e não 
buscam integração entre si.
Processos sociais 
Conflito  Quando a competição assume características de 
elevada tensão social, sobrevém o conflito. O conflito 
social é um tipo de interação que se desenrola no tempo e 
provoca mudanças na sociedade. 
Acomodação  Em alguns casos, o derrotado no conflito 
pode aceitar as condições impostas pelo vencedor para 
fugir à ameaça da destruição. A escravização de povos 
vencidos, comum na Antiguidade, é um caso típico de 
acomodação. 
Assimilação  É a solução definitiva e mais ou menos 
pacífica de um conflito social. Trata-se de um processo de 
ajustamento pelo qual os indivíduos ou grupos 
antagônicos tornam-se semelhantes. Um exemplo de 
assimilação é o do imigrante que se integra inteiramente à 
sociedade que o acolhe.
C. E. Senador Clodomir Millet 
Sala 04 1ºB Turno: Matutino 
Professor: Candido Alberto 
Trabalho Elaborado por: 
 J. Helen d. S. M. Nº11 
 Alicia d. S. S. Nº1 
 J. Lucas d. S. G. Nº13 
 Leonardo A. F. Nº 15 
 P. Rodrigues d. S. Nº 22

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Interação Social e Vida Cotidiana - Sociologia
Interação Social e Vida Cotidiana - SociologiaInteração Social e Vida Cotidiana - Sociologia
Interação Social e Vida Cotidiana - Sociologia
Kiki Tavares
 
Processo de socialização
Processo de socializaçãoProcesso de socialização
Processo de socialização
homago
 
2014 conceitos básicos sociologia
2014 conceitos básicos sociologia2014 conceitos básicos sociologia
2014 conceitos básicos sociologia
Felipe Hiago
 
Sociologia - Sociabilidade e socialização
Sociologia - Sociabilidade e socializaçãoSociologia - Sociabilidade e socialização
Sociologia - Sociabilidade e socialização
Paulo Alexandre
 
Interação social – o grupo social (1)
Interação social – o grupo social (1)Interação social – o grupo social (1)
Interação social – o grupo social (1)
turma12c
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologia
Colegio GGE
 

Mais procurados (18)

Ficha 3 processos sociais 2011
Ficha 3   processos sociais 2011Ficha 3   processos sociais 2011
Ficha 3 processos sociais 2011
 
Interação social
Interação socialInteração social
Interação social
 
Conceitos básicos da sociologia
Conceitos básicos da sociologiaConceitos básicos da sociologia
Conceitos básicos da sociologia
 
A sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidianoA sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidiano
 
Mediação em serviço social modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...
Mediação em serviço social   modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...Mediação em serviço social   modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...
Mediação em serviço social modelo analitico e trajetos de pesquisa- iscte-i...
 
Interação Social e Vida Cotidiana - Sociologia
Interação Social e Vida Cotidiana - SociologiaInteração Social e Vida Cotidiana - Sociologia
Interação Social e Vida Cotidiana - Sociologia
 
Processo de socialização
Processo de socializaçãoProcesso de socialização
Processo de socialização
 
2014 conceitos básicos sociologia
2014 conceitos básicos sociologia2014 conceitos básicos sociologia
2014 conceitos básicos sociologia
 
Sociologia - Sociabilidade e socialização
Sociologia - Sociabilidade e socializaçãoSociologia - Sociabilidade e socialização
Sociologia - Sociabilidade e socialização
 
Juventude: Socialização e Sociabilidade
Juventude: Socialização e SociabilidadeJuventude: Socialização e Sociabilidade
Juventude: Socialização e Sociabilidade
 
Conceitos Básicos de Sociologia
Conceitos Básicos de SociologiaConceitos Básicos de Sociologia
Conceitos Básicos de Sociologia
 
Socialização e cultura
Socialização e culturaSocialização e cultura
Socialização e cultura
 
Interação social
Interação social Interação social
Interação social
 
Trabalho interações sociais
Trabalho interações sociaisTrabalho interações sociais
Trabalho interações sociais
 
Interação social – o grupo social (1)
Interação social – o grupo social (1)Interação social – o grupo social (1)
Interação social – o grupo social (1)
 
Interação Social
Interação SocialInteração Social
Interação Social
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologia
 
Interação social
Interação  socialInteração  social
Interação social
 

Destaque

Isolamento Social
Isolamento SocialIsolamento Social
Isolamento Social
guest3bc9a9
 
Sociologia geral e jurídica - Interação Social 2014
Sociologia geral e jurídica -  Interação Social 2014Sociologia geral e jurídica -  Interação Social 2014
Sociologia geral e jurídica - Interação Social 2014
Douglas Barreto
 
Sobre viver em sociedade
Sobre viver em sociedadeSobre viver em sociedade
Sobre viver em sociedade
Mara Salvucci
 
Estrutura e Estratificação Social
Estrutura e Estratificação SocialEstrutura e Estratificação Social
Estrutura e Estratificação Social
Carlos Benjoino Bidu
 
Processo De InteraçãO Social
Processo De InteraçãO SocialProcesso De InteraçãO Social
Processo De InteraçãO Social
rluz
 
Mobilidade social
Mobilidade socialMobilidade social
Mobilidade social
Gabriel D
 
Interação social e linguagem
Interação social e linguagemInteração social e linguagem
Interação social e linguagem
Soráia Oliveira
 

Destaque (20)

Solidão e Isolamento Social - Bate-Papo LIPSAM 2014
Solidão e Isolamento Social - Bate-Papo LIPSAM 2014Solidão e Isolamento Social - Bate-Papo LIPSAM 2014
Solidão e Isolamento Social - Bate-Papo LIPSAM 2014
 
AssimilaçãO
AssimilaçãOAssimilaçãO
AssimilaçãO
 
Isolamento Social
Isolamento SocialIsolamento Social
Isolamento Social
 
Instituicoes Sociais
Instituicoes SociaisInstituicoes Sociais
Instituicoes Sociais
 
Sociologia geral e jurídica - Interação Social 2014
Sociologia geral e jurídica -  Interação Social 2014Sociologia geral e jurídica -  Interação Social 2014
Sociologia geral e jurídica - Interação Social 2014
 
Sobre viver em sociedade
Sobre viver em sociedadeSobre viver em sociedade
Sobre viver em sociedade
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Assimilação
AssimilaçãoAssimilação
Assimilação
 
Estrutura e Estratificação Social
Estrutura e Estratificação SocialEstrutura e Estratificação Social
Estrutura e Estratificação Social
 
Interação Social
Interação SocialInteração Social
Interação Social
 
Processo De InteraçãO Social
Processo De InteraçãO SocialProcesso De InteraçãO Social
Processo De InteraçãO Social
 
Mobilidade social
Mobilidade socialMobilidade social
Mobilidade social
 
Classes e formas de estratificação social
Classes e formas de estratificação socialClasses e formas de estratificação social
Classes e formas de estratificação social
 
Mobilidade social
Mobilidade socialMobilidade social
Mobilidade social
 
Interações Sociais -Grupos Sociais
Interações Sociais-Grupos SociaisInterações Sociais-Grupos Sociais
Interações Sociais -Grupos Sociais
 
Estratificação social 3 ii
Estratificação social 3 iiEstratificação social 3 ii
Estratificação social 3 ii
 
Interação social e linguagem
Interação social e linguagemInteração social e linguagem
Interação social e linguagem
 
Grupos Sociais
Grupos SociaisGrupos Sociais
Grupos Sociais
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Grupos sociais
Grupos sociaisGrupos sociais
Grupos sociais
 

Semelhante a Trabalho de sociologia completo caminho para sociedade

Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptxAula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
ssuser132405
 
socialização entre comunidade e sociedade 3 ano.pptx
socialização entre comunidade e sociedade 3 ano.pptxsocialização entre comunidade e sociedade 3 ano.pptx
socialização entre comunidade e sociedade 3 ano.pptx
CarladeOliveira25
 
CULTURA E SOCIALIZAÇÃO
CULTURA E SOCIALIZAÇÃOCULTURA E SOCIALIZAÇÃO
CULTURA E SOCIALIZAÇÃO
catynes
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedade
carlosbidu
 

Semelhante a Trabalho de sociologia completo caminho para sociedade (20)

Contato social blog
Contato social   blog Contato social   blog
Contato social blog
 
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptxAula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
 
socialização entre comunidade e sociedade 3 ano.pptx
socialização entre comunidade e sociedade 3 ano.pptxsocialização entre comunidade e sociedade 3 ano.pptx
socialização entre comunidade e sociedade 3 ano.pptx
 
AULA 01 - slide socialização DISCIPLINA DE SOCIEDADE
AULA 01 - slide socialização DISCIPLINA DE SOCIEDADEAULA 01 - slide socialização DISCIPLINA DE SOCIEDADE
AULA 01 - slide socialização DISCIPLINA DE SOCIEDADE
 
CULTURA E SOCIALIZAÇÃO
CULTURA E SOCIALIZAÇÃOCULTURA E SOCIALIZAÇÃO
CULTURA E SOCIALIZAÇÃO
 
A socialização e os seus agentes e mecanismos
A socialização e os seus agentes e mecanismosA socialização e os seus agentes e mecanismos
A socialização e os seus agentes e mecanismos
 
Sociologiaa
SociologiaaSociologiaa
Sociologiaa
 
Sociologia iii
Sociologia iiiSociologia iii
Sociologia iii
 
Sociologia generico
Sociologia genericoSociologia generico
Sociologia generico
 
Agentes de socialização
Agentes de socializaçãoAgentes de socialização
Agentes de socialização
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02
Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02
Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02
 
Socialização e seus agentes
Socialização e seus agentesSocialização e seus agentes
Socialização e seus agentes
 
Agrupamento de escolas de são joão da talha
Agrupamento de escolas de são joão da talhaAgrupamento de escolas de são joão da talha
Agrupamento de escolas de são joão da talha
 
Socialização e os agentes de socialização.
Socialização e os agentes de socialização.Socialização e os agentes de socialização.
Socialização e os agentes de socialização.
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedade
 
A Socialização e os Agentes de Socialização
A Socialização e os Agentes de SocializaçãoA Socialização e os Agentes de Socialização
A Socialização e os Agentes de Socialização
 
A importância da etiqueta social nas relações de trabalho do
A importância da etiqueta social nas relações de trabalho doA importância da etiqueta social nas relações de trabalho do
A importância da etiqueta social nas relações de trabalho do
 
Interação e grupos sociais
Interação e grupos sociaisInteração e grupos sociais
Interação e grupos sociais
 
Socialização e os agentes da socialização -Sara Magalhães 12ºC
Socialização e os agentes da socialização -Sara Magalhães 12ºCSocialização e os agentes da socialização -Sara Magalhães 12ºC
Socialização e os agentes da socialização -Sara Magalhães 12ºC
 

Último

Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 

Trabalho de sociologia completo caminho para sociedade

  • 1.
  • 2.  A vida em grupo é uma exigência da natureza humana. O homem necessita de seus semelhante para sobreviver, perpetuar a espécie e também para se realizar plenamente como pessoa.  A sociabilidade, capacidade natura da espécie humana para viver em sociedade, desenvolver-se pelo processo de socialização. Pela socialização se integra ao grupo em que nasceu assimilando o conjunto de habito e costumes características daquele grupo.  Participando da vida em sociedade, aprendendo suas normas, seus valores e costumes, o individuo esta se socializando. Quanto mais adequado à socialização do individuo, mais sociável ele poderá se tornar.
  • 3. É a assimilação de hábitos característicos do seu grupo social, todo o processo através do qual um indivíduo se torna membro funcional de uma comunidade, assimilando a cultura que lhe é própria. É um processo contínuo que nunca se dá por terminado, realizando-se através da comunicação, sendo inicialmente pela "imitação" para se tornar mais sociável. O processo de socialização inicia-se após o nascimento, e através, primeiramente, da família ou outros agentes próximos da escola, dos meios de comunicação de massas e dos grupos de referência que são compostos pelas nossas bandas favoritas, atores, atletas, super-heróis, etc. A socialização é o processo através do qual o indivíduo se integra no grupo em que nasceu adquirindo os seus hábitos e valores característicos. É através da socialização que o indivíduo pode desenvolver a sua personalidade e ser admitido na sociedade.
  • 4.
  • 5. • Contatos sociais primária São os contatos pessoais, diretos e que têm uma forte base emocional, pois as pessoas envolvidas compartilham suas experiências individuais ; Processo através do qual a criança estabelece relações com os outros elementos da sociedade, tornando-se um membro participante e tendo como principal influência o agente social família. É um processo fundamental, pois é onde se cria a estrutura para toda a socialização do indivíduo. A família é o primeiro agente de socialização e também o mais importante, pois é na fase inicial da vida das crianças que estas assimilam com mais facilidade os valores que lhes são incutidos, isto porque nessa fase as suas relações baseiam-se nos afetos e, como tal, estão mais recetivas.
  • 6. • Contatos sociais secundária Processo posterior à socialização primária, por meio do qual o indivíduo aprende novos papéis, contribuindo para a formação complexa da sua personalidade. Este processo pode ser superficial no sentido de não exigir profundas mudanças, mas, por outro lado, também pode comportar grandes alterações na sua personalidade. São os contatos impessoais, calculados, formais. Trata-se mais de um meio para atingir determinado fim. Ex: o contato passageiro com o cobrador do ônibus, apenas para pagar a passagem; o contato do cliente com o caixa do banco, para descontar um cheque. São também considerados contatos secundários os contatos mantidos através de carta, telefone, telegrama, e-mail. Etc.
  • 7.  CONTATO PRIMÁRIO  - onde há: simpatia, afeição, amor, lealdade, consideração: família, grupo de brinquedo, pequena vila, etc;  - onde as relações são: espontâneas, informais, sentimentais, íntimas, pessoais, intensas, completas, relativamente permanentes, um fim em si mesmas; – onde os indivíduos: tentam assumir os papéis dos outros; identificar-se continuamente uns aos outros; compartilhar quase a totalidade de suas respectivas experiências, alegrias, tristezas, esperanças, sucessos e fracassos; – onde o controle social é intenso, efetivo, poderoso devido às “expectativas de comportamento” e “direitos morais” que os outros vêm a exercer sobre cada indivíduo . CONTATO SECUNDÁRIO  - onde há atitudes de indiferentismo, falta de intimidade, de interesse pessoal;  - onde há atitudes de indiferentismo, falta de intimidade, de interesse pessoal; – onde as relações sociais são: premeditadas, formais, racionais distantes, impessoais, frouxas, fragmentadas, transitórias, antes meios para fins do que um fim em si mesmas; – onde os indivíduos não tentam: assumir os papéis dos outros; identificar-se uns aos outros; compartilhar de suas respectivas experiências; – onde o controle social é fraquíssimo, devido ao fato de cada indivíduo não sentir-se na necessidade de corresponder às “expectativas de comportamento”.
  • 8. A sociabilidade pode ser vista, de forma geral, como a capacidade natural do ser humano de viver em sociedade, viver sempre em contato com outras pessoas, o ser humano não tem intrínseco à sua natureza a solidão. É através da socialização, que os indivíduos, ao nascerem, e integrar um certo grupo, seja ele familiar, ou de amigos, acaba aderindo algumas características ao seu modo de viver. Por mais egoísta, egocêntrico que o ser humano seja, ele necessita conviver com outros seres humanos, seja para expressão cultural, perpetuação da espécie, diversão, ou seja, é inevitável o contato e interação entre os homens. É através da sociabilidade, que entra o conceito de socialização, quando se compõe um certo grupo, aprende-se certas características, características estas, comuns a todos os componentes de um certo grupo. Num simples ato de ir à praia, está implícito um conceito de sociabilidade e socialização, vamos ver:
  • 9. Nesta imagem, podemos perceber a necessidade tão falada nos conceitos acima, as pessoas sentam-se em grupos, sejam eles familiares, amigos, colegas de trabalho, porque eles necessitam desse contato, precisam contar como foi o dia, contar aquela história engraçada ocorrida, compartilhando risos, precisam juntar-se para um momento de diversão de forma geral. Já socialização, é vista, quando por exemplo, uma certa mesa é formada por um grupo de pessoas que usufruem de uma certa característica, um traço comum a todos, como não ingerir bebidas alcoólicas, ou até mesmo a cultura de encher a cara demasiadamente, fazer topless, jogar bola, etc.
  • 10. • Convívio social A história demonstra que “o convívio social foi e continua sendo decisivo para o desenvolvimento da humanidade” (OLIVEIRA, 2005, p. 118-19). Com advento da globalização e de novas tecnologias aprofundam-se as transformações da sociedade. Novas formas de sociabilidade surgem nos grandes centros urbanos. O “tribalismo”, em um sentido amplo, que ultrapassa o sentido comum ligado à idéia de tribos indígenas, se torna uma das formas de expressão desses novos tipos de sociabilidade, como os punks, os surfistas, os skinheds, os funkeiros, as torcidas organizadas de futebol e as gangues da periferia urbana. Eles se reúnem em torno de afinidades ou interesses. Novas “tribos” também estão surgindo a partir do desenvolvimento de novas tecnologias da informação e da internet com as comunidades virtuais. Nestas e em outras formas de convívio social (socialização), o compartilhamento entre os indivíduos se dá pelos contatos sociais, seja ele do tipo primário ou secundário.
  • 11. O isolamento social é um comportamento no qual o indivíduo deixa de participar - voluntariamente ou não - de atividades sociais em grupo como trabalho e entretenimento. É um fenômeno geralmente observado na população idosa, sem-teto ou grupos com pouca mobilidade entretanto não é limitado a estes podendo ser observado em outras faixas etárias, grupos sociais e em grandes cidades, onde o contato social teoricamente é maior. Fatores como doenças físicas, eremitismo e doenças psicológicas podem influenciar o surgimento do isolamento social.1 Wilson2 define o isolamento social como "a falta de contato interação sustentada com indivíduos ou instituições que representam a sociedade predominante".3
  • 12. A comunicação é vital para a espécie humana enquanto ser social e para o desenvolvimento da cultura. O principal meio de comunicação do homem e através da linguagem. Através da linguagem o ser humano atribui significados aos sons articulados que emite, isso é possível porque somos dotados de inteligências. A medida que as sociedades se tornaram mais complexas, os meios de comunicação foram se aperfeiçoando.
  • 13. É uma ciência social aplicada, cujo objeto tradicional de estudo são os meios de comunicação de massa1(também chamados mas media ou simplesmente "média" ou "mídia"), principalmente o jornalismo ou imprensa e a comunicação organizacional (publicidade, propaganda, relações públicas, comunicação de marketing)2 de empresas e de organizações governamentais ou não-governamentais. A comunicação objeto da comunicação social diferencia-se, portanto, da comunicação que é objeto de ciências como a psicologia, a linguística ou a antropologia, sem que se possa negar a existência de interseções entre esses domínios.
  • 14. Os meios de comunicação de massa mais frequentes são o jornal, a televisão, o rádio, o cinema e a internet. Didaticamente, poderia-se simplificar as atribuições dos diversos profissionais da seguinte forma: os jornalistas atuam com as notícias, os publicitários ou propagandistas atuam com os anúncios e os relações públicas com a relação entre a sua organização e a sociedade. Não obstante, a interdisciplinaridade e a convergência têm se ampliado progressivamente nessa área. A pesquisa científica em comunicação social mantém diálogos frequentes com a antropologia, com a sociologia,3 com a linguística, com a psicologia, com a ciência da informação, com a administração de empresas, com as artes visuais, com a música e com as artes cênicas. A partir do advento da internet, ampliou-se também o diálogo acadêmico entre a comunicação social, a ciência da informação e a ciência da computação. Os fenômenos tecnológicos relacionados à transmissão e à recepção das mensagens pelos meios de comunicação de massa são um domínio de conhecimento distinto da comunicação social. Esses fenômenos são objeto de estudo das engenharias, em especial dos profissionais de telecomunicações.
  • 15. Interação social Troca de experiências, contatos e conhecimentos entre as pessoas, podendo modificar os comportamentos das pessoas envolvidas. A interação é o meio através do qual ocorre a socialização. A interação social ocorre através de um processo de reciprocidade e por meio de interatividade.
  • 16. Processos sociais Interação social que gera mudanças e movimentos ASSOCIATIVOS Cooperação Acomodação Assimilação DISSOCIATIVOS Competição Conflito Tipos de processos sociais
  • 17. Processos sociais Os processos associativos estabelecem formas de cooperação, convivência e consenso no grupo. Geram, portanto, laços de solidariedade. Já os dissociativos estão relacionados a formas de divergência, oposição e conflito, que podem se manifestar de modos diferentes.
  • 18. Processos sociais Cooperação  Interação através da qual pessoas, grupos ou comunidades atuam conjuntamente para um mesmo fim. • Direta  Ações nas quais as pessoas trabalham juntas (ex.: mutirão) • Indireta  Mesmo atuando em atividades diferentes, as pessoas necessitam indiretamente umas das outras, pois não são autossuficientes (ex. Médico—lavrador: O médico necessita de alimentos produzido pelo lavrador, que necessita de atendimento prestado pelo médico)
  • 19. Processos sociais Competição  “Interação que implica na luta por objetivos escassos; essa interação é regulada por normas, pode ser direta ou indireta, pessoal ou impessoal e tende a excluir o uso da força”. Quando a competição viola essas normas, transforma-se em conflito. • Indivíduos disputando melhores situações; • Resultados não podem ser igualmente obtidos; • Os lados em disputa objetivam os resultados e não buscam integração entre si.
  • 20. Processos sociais Conflito  Quando a competição assume características de elevada tensão social, sobrevém o conflito. O conflito social é um tipo de interação que se desenrola no tempo e provoca mudanças na sociedade. Acomodação  Em alguns casos, o derrotado no conflito pode aceitar as condições impostas pelo vencedor para fugir à ameaça da destruição. A escravização de povos vencidos, comum na Antiguidade, é um caso típico de acomodação. Assimilação  É a solução definitiva e mais ou menos pacífica de um conflito social. Trata-se de um processo de ajustamento pelo qual os indivíduos ou grupos antagônicos tornam-se semelhantes. Um exemplo de assimilação é o do imigrante que se integra inteiramente à sociedade que o acolhe.
  • 21. C. E. Senador Clodomir Millet Sala 04 1ºB Turno: Matutino Professor: Candido Alberto Trabalho Elaborado por:  J. Helen d. S. M. Nº11  Alicia d. S. S. Nº1  J. Lucas d. S. G. Nº13  Leonardo A. F. Nº 15  P. Rodrigues d. S. Nº 22