SlideShare uma empresa Scribd logo
1ºTeste_CN7 Página 1
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOAQUIM INÁCIO DA CRUZ SOBRAL
PROVA DE AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS - 2018/2019
CIÊNCIAS NATURAIS – 7ºANO
Lê e analisa com ATENÇÃO o conteúdo das 4 páginas do enunciado. Responde na folha de Respostas
Grupo I
1. A sequência de imagens (Fig.1 A,B,C) representa a transformação típica de uma rocha inserida numa
determinada Paisagem Geológica, na zona da Serra da Estrela. Observa-a e responde às questões.
Fig.1 A- Aspeto da amostra de rocha
1.1. Identifica o tipo de paisagem representado na figura 1C. (4p)
1.2. Da lista de termos que se seguem, escolhe apenas um para legendar a figura 1A, a figura 1B e a figura
1C. (3p)
Termos: Caos de Blocos; Disjunção Prismática; Rede de Diáclases; Lapiaz; Granito; Basalto
1.3. Como se denominam os 3 principais processos geológicos que levaram a rocha a ficar com o aspeto da
figura 1C? (6p)
2. Classifica cada uma das afirmações como verdadeira (V) ou falsa (F). (4p)
A. As paisagens magmáticas variam consoante o tipo de rocha existente.
B. As rochas graníticas dão origem a caos de blocos.
C. A paisagem de caos de blocos forma-se por acumulação de sedimentos transportados pelo vento.
D. Em Portugal não há evidências de paisagens basálticas.
E. A “pedra boroa” é uma paisagem vulcânica.
F. A disjunção prismática do basalto ocorre por erosão.
G. As dunas são uma paisagem geológica frequente em Portugal.
H. As paisagens geológicas são imutáveis.
3. Completa o texto que se segue, preenchendo os espaços com os termos adequados. (6p)
“Observações levadas a cabo pelos cientistas que estudam as rochas, os ___a)___, conduziram-nos a uma
classificação em três grandes grupos: rochas magmáticas, como por exemplo rochas ___b)___ e as rochas __c)____;
as rochas metamórficas como por exemplo, o xisto e as rochas __d)___ como por exemplo a areia e o calcário.
Os Granitos são rochas _e)__enquanto os Basaltos são rochas __f)___”.
A B C
1ºTeste_CN7 Página 2
4. Na coluna I estão referidos dois tipos de paisagens e na coluna II alguns aspetos característicos das
mesmas. (12p)
Faz a correspondência entre as letras que assinalam os termos da coluna I e as afirmações da coluna II:
Grupo II
Paisagens do Vale do Minho
O Vale do Minho constitui uma das marcas de atração do Alto Minho, quer pela riqueza que apresenta em
termos de Património Natural quer pelos traços históricos, culturais e sociais que lhe estão associados. O Vale do Minho
é uma região com características muito próprias que vale a pena conhecer.
Esta extensa e rica região prima pela beleza das suas paisagens, beleza esta conferida pela interação entre os
processos de dinâmica interna e os processos de dinâmica externa. Os primeiros são responsáveis por muitas das
rochas que afloram à superfície e pela tectónica. Os processos da dinâmica externa são devidos à atuação de agentes
como a água e os seres vivos, cuja ação se observa, por exemplo, na meteorização das rochas, no transporte de
sedimentos nos rios e na modelação dos relevos através da erosão. Os processos referidos são responsáveis pela
notável Geodiversidade, expressa na variabilidade de paisagens, relevo, rochas, minerais, solos e com um importante
papel na distribuição da população e nos aspetos socioculturais que são característicos desta região.
Em síntese, esta região assenta num substrato com rochas predominantemente graníticas, excetuando-se os
gnaisses da Gandra, os quais correspondem às rochas mais antigas da região. As rochas sedimentares são aquelas
que têm menor expressão cartográfica no Vale do Minho. Correspondem aos materiais mais recentes, representados
essencialmente por depósitos de terraço fluvial, depósitos estuarinos, lacustres, marinhos litorais e cordões dunares.
Estuarinos- ambiente aquático final do rio e ligação com o mar; Lacustres- lagos
Marta Susana Rodrigues. Património geológico do Vale do Minho e sua valorização geoturística, novembro de 2009 (adaptado)
COLUNA I COLUNA II
A-Paisagem granítica
B-Paisagem basáltica
1- Disjunção prismática
2- Alinhamento de cones vulcânicos
3- Aparecimento de mantos de lava
4-Formação de caldeiras
5- Aparecimento de blocos com quartzo
6- Grandes quantidades de rocha intrusiva atingem a superfície
constituindo afloramentos
1ºTeste_CN7 Página 3
Fig. 1. Litologia do Vale do Minho
(in Atlas das paisagens do Vale do Minho).
Nas questões 1 a 9, seleciona a letra da opção
correta. (7 x 5p =35pontos)
1. No Vale do Minho, a paisagem predominante é de rochas:
A. plutónicas. C. metamórficas
B. vulcânicas. D. sedimentares
2. Outros exemplos de paisagens de rochas magmáticas em território português são:
A. as praias do Algarve.
B. as ilhas Berlengas.
C. as praias do Alentejo.
D. as ilhas dos Açores.
3. No Vale do Minho podem ser observadas paisagens de rochas metamórficas:
A. a norte de Monção.
B. em Vila Nova de Cerveira.
C. a norte de Melgaço.
D. a sul de Monção.
4. No Vale do Minho podem ser observadas paisagens de rochas sedimentares:
A. entre Valença e Paredes de Coura.
B. em redor da cidade de Monção.
C. na fronteira com a Galiza.
D. em redor da cidade de Melgaço.
5. No Vale do Minho podem ser observadas paisagens de rochas vulcânicas no município de:
1ºTeste_CN7 Página 4
A. Paredes de Coura. C. Monção
B. Valença. D. Vila Nova de Cerveira
6. As principais características da paisagem predominante no Vale do Minho são:
A. Estratos C. dunas.
B. caos de blocos. D. caldeiras.
7. Os minerais mais comuns nas rochas predominantes do Vale do Minho são:
A. estaurolite, calcite, olivina e biotite.
B. biotite, feldspato, moscovite e quartzo.
C. calcite, moscovite, olivina e feldspato.
D. olivina, biotite, estaurolite e quartzo.
Grupo III
A pirite é um mineral que apresenta cor amarela, risca preta, brilho metálico e dureza
de grau 6,5 da escala de Mohs.
Na resposta a cada um dos itens de 1 a 6, transcreva para a folha de respostas a única opção que
permite obter uma afirmação correta.
1. O que determina as características de um mineral é... (5p)
A) a sua composição química.
B) a forma como os seus constituintes se organizam.
C) a sua clivagem e cor.
D) a sua composição química e a sua estrutura cristalina.
2. Qual das seguintes é a definição mais correta de mineral: (5p)
A) Substância natural, sólida, inorgânica e de composição química fixa ou ligeiramente variável.
B) Substância natural ou artificial, sólida, inorgânica e de composição química fixa.
C) Substância natural, sólida ou líquida, de composição química fixa ou ligeiramente variável.
D) Substância artificial, sólida, orgânica e de composição química fixa ou ligeiramente variável.
3. A dureza da pirite é... (5p)
(A) superior à do quartzo e inferior à da calcite. (C) superior à da calcite e inferior à do quartzo.
(B) superior à do quartzo. (D) superior à do gesso e inferior à da calcite.
4. O brilho da pirite é... (5p)
(A) não metálico como o quartzo. (C) metálico como o da calcite.
(B) metálico como o da blenda. (D) vulgar como o do diamante.
5. A clivagem é uma propriedade... (5p)
(A) ótica, exibida por minerais como o talco.
(B) ótica, exibida por minerais como a calcite.
(C) mecânica/física, exibida por minerais como o quartzo.
(D) mecânica/física, exibida por minerais como as micas (branca e preta).
6. Quando se utiliza a escala de Mohs pretende-se determinar… (5p)
(A) a dureza (C) A cor
(B) O traço (D) o tipo de clivagem
1ºTeste_CN7 Página 5
FIM
CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE CORREÇÃO (1º Teste de CN7 – 2018)
Critérios por item Cotações
Grupo I
1.1. Paisagem Magmática Plutónica/Intrusiva.
1.2. A- granito
B- rede de diáclases
C- Caos de blocos
1.3. Erosão, Meteorização Química e Física.
2. A- V; B- V ; C- F; D- F ; E- F; F-F; G-V; H-F
3-Observações levadas a cabo pelos cientistas que estudam as rochas, os __GEÓLOGOS__,
conduziram-nos a uma classificação em três grandes grupos: rochas magmáticas, como por
exemplo INTRUSIVAS/EXTRUSIVAS__ e as _ INTRUSIVAS/EXTRUSIVAS __; e rochas
SEDIMENTARES- como por exemplo a areia e o calcário e a areia. Os Granitos são
rochas_MAGMÁTICAS PLUTÓNICAS/INTRUSIVAS__. Enquanto os Basaltos são rochas
_MAGMÁTICAS EXTRUSIVAS/VULCÂNICAS_.
4.
1:B 2:B 3:B 4: B 5:A 6: A
______________________________________________________________________
Grupo II
1. A
2. D
3. B
4. C
5. D
6. B
7. B
_____________________________________________________________________
Grupo III
1.D
2.A
3.C
4.B
5.D
6.A
4
3
6
4 (8x0,5p)
6
12
5p x7
5p x 6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cn5 rochas
Cn5 rochasCn5 rochas
Cn5 rochas
Rachfonseca
 
246014340 tf-tests (para o 8º ano)
246014340 tf-tests (para o 8º ano)246014340 tf-tests (para o 8º ano)
246014340 tf-tests (para o 8º ano)
SandraPedra71
 
Ficha de trabalho 2 estações do ano 7º10
Ficha de trabalho 2   estações do ano  7º10Ficha de trabalho 2   estações do ano  7º10
Ficha de trabalho 2 estações do ano 7º10dinartegaspar
 
Teste de Avaliação Sociedades Recoletoras produtoras
Teste de Avaliação Sociedades Recoletoras produtorasTeste de Avaliação Sociedades Recoletoras produtoras
Teste de Avaliação Sociedades Recoletoras produtorasPatrícia Morais
 
Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
Carla Carneiro
 
3 rochas e minerais 1
3   rochas e minerais 13   rochas e minerais 1
3 rochas e minerais 1
Teresa Santos
 
Teste 6 descobrimentos
Teste 6 descobrimentosTeste 6 descobrimentos
Teste 6 descobrimentosAna Pereira
 
8ºano ciencias naturais-teste 1-
8ºano ciencias naturais-teste 1-8ºano ciencias naturais-teste 1-
8ºano ciencias naturais-teste 1-silvia_lfr
 
Ficha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notíciaFicha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notíciaCarlos Lima
 
1ª Ficha avaliação CN- 5º ano - 2021-22.docx
1ª Ficha avaliação CN- 5º ano - 2021-22.docx1ª Ficha avaliação CN- 5º ano - 2021-22.docx
1ª Ficha avaliação CN- 5º ano - 2021-22.docx
CarlaLaurencio
 
HGP 5º ano
HGP 5º anoHGP 5º ano
HGP 5º ano
Jorge Martinho
 
FT6 - Rochas e Minerais
FT6 - Rochas e MineraisFT6 - Rochas e Minerais
FT6 - Rochas e MineraisGabriela Bruno
 
A.4 teste diagnóstico – portugal na 2ª metade do século xix (1)
A.4 teste diagnóstico – portugal na 2ª metade do século xix (1)A.4 teste diagnóstico – portugal na 2ª metade do século xix (1)
A.4 teste diagnóstico – portugal na 2ª metade do século xix (1)
CarlosCarvalho728961
 
Ficha de revisões sist respiratório
Ficha de revisões sist  respiratórioFicha de revisões sist  respiratório
Ficha de revisões sist respiratórioCristina Jesus
 
Book downloadable pdf testes fichas ciencia e vida 8(1)
Book downloadable pdf testes fichas ciencia e vida 8(1)Book downloadable pdf testes fichas ciencia e vida 8(1)
Book downloadable pdf testes fichas ciencia e vida 8(1)
ssuserc463f3
 
Água - revisões - 5.º ano
Água - revisões - 5.º anoÁgua - revisões - 5.º ano
Água - revisões - 5.º ano
Profcris 81
 
Físico-Química 8º ano - Lei de Lavoisier e Acerto de equações
Físico-Química 8º ano - Lei de Lavoisier e Acerto de equaçõesFísico-Química 8º ano - Lei de Lavoisier e Acerto de equações
Físico-Química 8º ano - Lei de Lavoisier e Acerto de equações
Espaço Crescer Centro de Estudos
 

Mais procurados (20)

Cn5 rochas
Cn5 rochasCn5 rochas
Cn5 rochas
 
246014340 tf-tests (para o 8º ano)
246014340 tf-tests (para o 8º ano)246014340 tf-tests (para o 8º ano)
246014340 tf-tests (para o 8º ano)
 
Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
 
Ficha de trabalho 2 estações do ano 7º10
Ficha de trabalho 2   estações do ano  7º10Ficha de trabalho 2   estações do ano  7º10
Ficha de trabalho 2 estações do ano 7º10
 
Teste de Avaliação Sociedades Recoletoras produtoras
Teste de Avaliação Sociedades Recoletoras produtorasTeste de Avaliação Sociedades Recoletoras produtoras
Teste de Avaliação Sociedades Recoletoras produtoras
 
Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
 
3 rochas e minerais 1
3   rochas e minerais 13   rochas e minerais 1
3 rochas e minerais 1
 
Teste 1 hist 2.º periodo
Teste 1 hist 2.º periodoTeste 1 hist 2.º periodo
Teste 1 hist 2.º periodo
 
Teste 6 descobrimentos
Teste 6 descobrimentosTeste 6 descobrimentos
Teste 6 descobrimentos
 
8ºano ciencias naturais-teste 1-
8ºano ciencias naturais-teste 1-8ºano ciencias naturais-teste 1-
8ºano ciencias naturais-teste 1-
 
Ficha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notíciaFicha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notícia
 
1ª Ficha avaliação CN- 5º ano - 2021-22.docx
1ª Ficha avaliação CN- 5º ano - 2021-22.docx1ª Ficha avaliação CN- 5º ano - 2021-22.docx
1ª Ficha avaliação CN- 5º ano - 2021-22.docx
 
Teste de frances 7º ano
Teste de frances 7º anoTeste de frances 7º ano
Teste de frances 7º ano
 
HGP 5º ano
HGP 5º anoHGP 5º ano
HGP 5º ano
 
FT6 - Rochas e Minerais
FT6 - Rochas e MineraisFT6 - Rochas e Minerais
FT6 - Rochas e Minerais
 
A.4 teste diagnóstico – portugal na 2ª metade do século xix (1)
A.4 teste diagnóstico – portugal na 2ª metade do século xix (1)A.4 teste diagnóstico – portugal na 2ª metade do século xix (1)
A.4 teste diagnóstico – portugal na 2ª metade do século xix (1)
 
Ficha de revisões sist respiratório
Ficha de revisões sist  respiratórioFicha de revisões sist  respiratório
Ficha de revisões sist respiratório
 
Book downloadable pdf testes fichas ciencia e vida 8(1)
Book downloadable pdf testes fichas ciencia e vida 8(1)Book downloadable pdf testes fichas ciencia e vida 8(1)
Book downloadable pdf testes fichas ciencia e vida 8(1)
 
Água - revisões - 5.º ano
Água - revisões - 5.º anoÁgua - revisões - 5.º ano
Água - revisões - 5.º ano
 
Físico-Química 8º ano - Lei de Lavoisier e Acerto de equações
Físico-Química 8º ano - Lei de Lavoisier e Acerto de equaçõesFísico-Química 8º ano - Lei de Lavoisier e Acerto de equações
Físico-Química 8º ano - Lei de Lavoisier e Acerto de equações
 

Semelhante a Teste 1 cn7 2018-2019_final

Ctic7 20 21_teste1
Ctic7 20 21_teste1Ctic7 20 21_teste1
Ctic7 20 21_teste1
Manuel Fernando Ribeiro
 
ficha 7º ano CN
ficha 7º ano CNficha 7º ano CN
ficha 7º ano CN
Teresa Cardoso
 
Apresentação final Geologia UFPR 2010
Apresentação final Geologia UFPR 2010Apresentação final Geologia UFPR 2010
Apresentação final Geologia UFPR 2010
Roberto Cambruzzi
 
Estrutura geologica relevo2
Estrutura geologica relevo2Estrutura geologica relevo2
Estrutura geologica relevo2Laudo Santos
 
Ficha de revisões
Ficha de revisõesFicha de revisões
Ficha de revisões
Ana Batanete
 
Suíte Granítica Rio Pien: Um arco magmático do Proterozóico Superior na Micro...
Suíte Granítica Rio Pien: Um arco magmático do Proterozóico Superior na Micro...Suíte Granítica Rio Pien: Um arco magmático do Proterozóico Superior na Micro...
Suíte Granítica Rio Pien: Um arco magmático do Proterozóico Superior na Micro...
Roberto Cambruzzi
 
Preparação teste intermédio
Preparação teste intermédioPreparação teste intermédio
Preparação teste intermédioalexandrasotnas
 
Geo 12 preparação para o teste de avaliação
Geo 12   preparação para o teste de avaliaçãoGeo 12   preparação para o teste de avaliação
Geo 12 preparação para o teste de avaliaçãoNuno Correia
 
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Alesson Guirra
 
Teste 11 c de 15 maio versão 1
Teste 11 c de 15 maio versão 1Teste 11 c de 15 maio versão 1
Teste 11 c de 15 maio versão 1
Estela Costa
 
FT3 - rochas e_minerais
FT3 -  rochas e_mineraisFT3 -  rochas e_minerais
FT3 - rochas e_mineraisGabriela Bruno
 
7º ano minerais
7º ano  minerais7º ano  minerais
7º ano minerais
Andreia Margarido
 
Apostila minerais e rochas
Apostila minerais e rochasApostila minerais e rochas
Apostila minerais e rochasGleice Pereira
 
Teste4 jan
Teste4 janTeste4 jan
Teste4 janmanjosp
 
RECONHECIMENTO GEOLÓGICO DE CAMPO: BACIA DO PARNAÍBA (TOCANTIS) E BACIA SAN F...
RECONHECIMENTO GEOLÓGICO DE CAMPO: BACIA DO PARNAÍBA (TOCANTIS) E BACIA SAN F...RECONHECIMENTO GEOLÓGICO DE CAMPO: BACIA DO PARNAÍBA (TOCANTIS) E BACIA SAN F...
RECONHECIMENTO GEOLÓGICO DE CAMPO: BACIA DO PARNAÍBA (TOCANTIS) E BACIA SAN F...
Diego Timoteo
 
Correção teste4 jan
Correção teste4 janCorreção teste4 jan
Correção teste4 janmanjosp
 
7º ano minerais
7º ano  minerais7º ano  minerais
7º ano minerais
Paula Silvestre
 
Questões teste2 cn5
Questões teste2 cn5Questões teste2 cn5
Questões teste2 cn5
Elisabete Ribeiro
 

Semelhante a Teste 1 cn7 2018-2019_final (20)

Ctic7 20 21_teste1
Ctic7 20 21_teste1Ctic7 20 21_teste1
Ctic7 20 21_teste1
 
Ficha de estudo
Ficha de estudoFicha de estudo
Ficha de estudo
 
Geo – geomorfologia do brasil 01 – 2013
Geo – geomorfologia do brasil 01 – 2013Geo – geomorfologia do brasil 01 – 2013
Geo – geomorfologia do brasil 01 – 2013
 
ficha 7º ano CN
ficha 7º ano CNficha 7º ano CN
ficha 7º ano CN
 
Apresentação final Geologia UFPR 2010
Apresentação final Geologia UFPR 2010Apresentação final Geologia UFPR 2010
Apresentação final Geologia UFPR 2010
 
Estrutura geologica relevo2
Estrutura geologica relevo2Estrutura geologica relevo2
Estrutura geologica relevo2
 
Ficha de revisões
Ficha de revisõesFicha de revisões
Ficha de revisões
 
Suíte Granítica Rio Pien: Um arco magmático do Proterozóico Superior na Micro...
Suíte Granítica Rio Pien: Um arco magmático do Proterozóico Superior na Micro...Suíte Granítica Rio Pien: Um arco magmático do Proterozóico Superior na Micro...
Suíte Granítica Rio Pien: Um arco magmático do Proterozóico Superior na Micro...
 
Preparação teste intermédio
Preparação teste intermédioPreparação teste intermédio
Preparação teste intermédio
 
Geo 12 preparação para o teste de avaliação
Geo 12   preparação para o teste de avaliaçãoGeo 12   preparação para o teste de avaliação
Geo 12 preparação para o teste de avaliação
 
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
 
Teste 11 c de 15 maio versão 1
Teste 11 c de 15 maio versão 1Teste 11 c de 15 maio versão 1
Teste 11 c de 15 maio versão 1
 
FT3 - rochas e_minerais
FT3 -  rochas e_mineraisFT3 -  rochas e_minerais
FT3 - rochas e_minerais
 
7º ano minerais
7º ano  minerais7º ano  minerais
7º ano minerais
 
Apostila minerais e rochas
Apostila minerais e rochasApostila minerais e rochas
Apostila minerais e rochas
 
Teste4 jan
Teste4 janTeste4 jan
Teste4 jan
 
RECONHECIMENTO GEOLÓGICO DE CAMPO: BACIA DO PARNAÍBA (TOCANTIS) E BACIA SAN F...
RECONHECIMENTO GEOLÓGICO DE CAMPO: BACIA DO PARNAÍBA (TOCANTIS) E BACIA SAN F...RECONHECIMENTO GEOLÓGICO DE CAMPO: BACIA DO PARNAÍBA (TOCANTIS) E BACIA SAN F...
RECONHECIMENTO GEOLÓGICO DE CAMPO: BACIA DO PARNAÍBA (TOCANTIS) E BACIA SAN F...
 
Correção teste4 jan
Correção teste4 janCorreção teste4 jan
Correção teste4 jan
 
7º ano minerais
7º ano  minerais7º ano  minerais
7º ano minerais
 
Questões teste2 cn5
Questões teste2 cn5Questões teste2 cn5
Questões teste2 cn5
 

Mais de Ordem dos Biólogos

Ciclo das rochas ou ciclo litológicos - Geologia 10
Ciclo das rochas ou ciclo litológicos - Geologia 10Ciclo das rochas ou ciclo litológicos - Geologia 10
Ciclo das rochas ou ciclo litológicos - Geologia 10
Ordem dos Biólogos
 
ctic7_f5_Vulcanismo Secundário.pptx
ctic7_f5_Vulcanismo Secundário.pptxctic7_f5_Vulcanismo Secundário.pptx
ctic7_f5_Vulcanismo Secundário.pptx
Ordem dos Biólogos
 
ctic7_f4_Magmas e atividade vulcânica.pptx
ctic7_f4_Magmas e atividade vulcânica.pptxctic7_f4_Magmas e atividade vulcânica.pptx
ctic7_f4_Magmas e atividade vulcânica.pptx
Ordem dos Biólogos
 
ctic7_d1_Teoria Deriva dos Continentes.pptx
ctic7_d1_Teoria Deriva dos Continentes.pptxctic7_d1_Teoria Deriva dos Continentes.pptx
ctic7_d1_Teoria Deriva dos Continentes.pptx
Ordem dos Biólogos
 
Recurso_Desafios das abordagens da aprendizagem ativa e formas de os ultrapas...
Recurso_Desafios das abordagens da aprendizagem ativa e formas de os ultrapas...Recurso_Desafios das abordagens da aprendizagem ativa e formas de os ultrapas...
Recurso_Desafios das abordagens da aprendizagem ativa e formas de os ultrapas...
Ordem dos Biólogos
 
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptxSessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Ordem dos Biólogos
 
Recurso_1_Aprendizagem ativa, o que é_ Porquê_ (2021_2022).pptx
Recurso_1_Aprendizagem ativa, o que é_ Porquê_ (2021_2022).pptxRecurso_1_Aprendizagem ativa, o que é_ Porquê_ (2021_2022).pptx
Recurso_1_Aprendizagem ativa, o que é_ Porquê_ (2021_2022).pptx
Ordem dos Biólogos
 
Recurso_2_Estratégias_de_aprendizagem_ativa (2021_2022).pptx
Recurso_2_Estratégias_de_aprendizagem_ativa (2021_2022).pptxRecurso_2_Estratégias_de_aprendizagem_ativa (2021_2022).pptx
Recurso_2_Estratégias_de_aprendizagem_ativa (2021_2022).pptx
Ordem dos Biólogos
 

Mais de Ordem dos Biólogos (8)

Ciclo das rochas ou ciclo litológicos - Geologia 10
Ciclo das rochas ou ciclo litológicos - Geologia 10Ciclo das rochas ou ciclo litológicos - Geologia 10
Ciclo das rochas ou ciclo litológicos - Geologia 10
 
ctic7_f5_Vulcanismo Secundário.pptx
ctic7_f5_Vulcanismo Secundário.pptxctic7_f5_Vulcanismo Secundário.pptx
ctic7_f5_Vulcanismo Secundário.pptx
 
ctic7_f4_Magmas e atividade vulcânica.pptx
ctic7_f4_Magmas e atividade vulcânica.pptxctic7_f4_Magmas e atividade vulcânica.pptx
ctic7_f4_Magmas e atividade vulcânica.pptx
 
ctic7_d1_Teoria Deriva dos Continentes.pptx
ctic7_d1_Teoria Deriva dos Continentes.pptxctic7_d1_Teoria Deriva dos Continentes.pptx
ctic7_d1_Teoria Deriva dos Continentes.pptx
 
Recurso_Desafios das abordagens da aprendizagem ativa e formas de os ultrapas...
Recurso_Desafios das abordagens da aprendizagem ativa e formas de os ultrapas...Recurso_Desafios das abordagens da aprendizagem ativa e formas de os ultrapas...
Recurso_Desafios das abordagens da aprendizagem ativa e formas de os ultrapas...
 
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptxSessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
Sessao_3_Apresentacao_Turma_28.pptx
 
Recurso_1_Aprendizagem ativa, o que é_ Porquê_ (2021_2022).pptx
Recurso_1_Aprendizagem ativa, o que é_ Porquê_ (2021_2022).pptxRecurso_1_Aprendizagem ativa, o que é_ Porquê_ (2021_2022).pptx
Recurso_1_Aprendizagem ativa, o que é_ Porquê_ (2021_2022).pptx
 
Recurso_2_Estratégias_de_aprendizagem_ativa (2021_2022).pptx
Recurso_2_Estratégias_de_aprendizagem_ativa (2021_2022).pptxRecurso_2_Estratégias_de_aprendizagem_ativa (2021_2022).pptx
Recurso_2_Estratégias_de_aprendizagem_ativa (2021_2022).pptx
 

Último

LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 

Último (20)

LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 

Teste 1 cn7 2018-2019_final

  • 1. 1ºTeste_CN7 Página 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOAQUIM INÁCIO DA CRUZ SOBRAL PROVA DE AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS - 2018/2019 CIÊNCIAS NATURAIS – 7ºANO Lê e analisa com ATENÇÃO o conteúdo das 4 páginas do enunciado. Responde na folha de Respostas Grupo I 1. A sequência de imagens (Fig.1 A,B,C) representa a transformação típica de uma rocha inserida numa determinada Paisagem Geológica, na zona da Serra da Estrela. Observa-a e responde às questões. Fig.1 A- Aspeto da amostra de rocha 1.1. Identifica o tipo de paisagem representado na figura 1C. (4p) 1.2. Da lista de termos que se seguem, escolhe apenas um para legendar a figura 1A, a figura 1B e a figura 1C. (3p) Termos: Caos de Blocos; Disjunção Prismática; Rede de Diáclases; Lapiaz; Granito; Basalto 1.3. Como se denominam os 3 principais processos geológicos que levaram a rocha a ficar com o aspeto da figura 1C? (6p) 2. Classifica cada uma das afirmações como verdadeira (V) ou falsa (F). (4p) A. As paisagens magmáticas variam consoante o tipo de rocha existente. B. As rochas graníticas dão origem a caos de blocos. C. A paisagem de caos de blocos forma-se por acumulação de sedimentos transportados pelo vento. D. Em Portugal não há evidências de paisagens basálticas. E. A “pedra boroa” é uma paisagem vulcânica. F. A disjunção prismática do basalto ocorre por erosão. G. As dunas são uma paisagem geológica frequente em Portugal. H. As paisagens geológicas são imutáveis. 3. Completa o texto que se segue, preenchendo os espaços com os termos adequados. (6p) “Observações levadas a cabo pelos cientistas que estudam as rochas, os ___a)___, conduziram-nos a uma classificação em três grandes grupos: rochas magmáticas, como por exemplo rochas ___b)___ e as rochas __c)____; as rochas metamórficas como por exemplo, o xisto e as rochas __d)___ como por exemplo a areia e o calcário. Os Granitos são rochas _e)__enquanto os Basaltos são rochas __f)___”. A B C
  • 2. 1ºTeste_CN7 Página 2 4. Na coluna I estão referidos dois tipos de paisagens e na coluna II alguns aspetos característicos das mesmas. (12p) Faz a correspondência entre as letras que assinalam os termos da coluna I e as afirmações da coluna II: Grupo II Paisagens do Vale do Minho O Vale do Minho constitui uma das marcas de atração do Alto Minho, quer pela riqueza que apresenta em termos de Património Natural quer pelos traços históricos, culturais e sociais que lhe estão associados. O Vale do Minho é uma região com características muito próprias que vale a pena conhecer. Esta extensa e rica região prima pela beleza das suas paisagens, beleza esta conferida pela interação entre os processos de dinâmica interna e os processos de dinâmica externa. Os primeiros são responsáveis por muitas das rochas que afloram à superfície e pela tectónica. Os processos da dinâmica externa são devidos à atuação de agentes como a água e os seres vivos, cuja ação se observa, por exemplo, na meteorização das rochas, no transporte de sedimentos nos rios e na modelação dos relevos através da erosão. Os processos referidos são responsáveis pela notável Geodiversidade, expressa na variabilidade de paisagens, relevo, rochas, minerais, solos e com um importante papel na distribuição da população e nos aspetos socioculturais que são característicos desta região. Em síntese, esta região assenta num substrato com rochas predominantemente graníticas, excetuando-se os gnaisses da Gandra, os quais correspondem às rochas mais antigas da região. As rochas sedimentares são aquelas que têm menor expressão cartográfica no Vale do Minho. Correspondem aos materiais mais recentes, representados essencialmente por depósitos de terraço fluvial, depósitos estuarinos, lacustres, marinhos litorais e cordões dunares. Estuarinos- ambiente aquático final do rio e ligação com o mar; Lacustres- lagos Marta Susana Rodrigues. Património geológico do Vale do Minho e sua valorização geoturística, novembro de 2009 (adaptado) COLUNA I COLUNA II A-Paisagem granítica B-Paisagem basáltica 1- Disjunção prismática 2- Alinhamento de cones vulcânicos 3- Aparecimento de mantos de lava 4-Formação de caldeiras 5- Aparecimento de blocos com quartzo 6- Grandes quantidades de rocha intrusiva atingem a superfície constituindo afloramentos
  • 3. 1ºTeste_CN7 Página 3 Fig. 1. Litologia do Vale do Minho (in Atlas das paisagens do Vale do Minho). Nas questões 1 a 9, seleciona a letra da opção correta. (7 x 5p =35pontos) 1. No Vale do Minho, a paisagem predominante é de rochas: A. plutónicas. C. metamórficas B. vulcânicas. D. sedimentares 2. Outros exemplos de paisagens de rochas magmáticas em território português são: A. as praias do Algarve. B. as ilhas Berlengas. C. as praias do Alentejo. D. as ilhas dos Açores. 3. No Vale do Minho podem ser observadas paisagens de rochas metamórficas: A. a norte de Monção. B. em Vila Nova de Cerveira. C. a norte de Melgaço. D. a sul de Monção. 4. No Vale do Minho podem ser observadas paisagens de rochas sedimentares: A. entre Valença e Paredes de Coura. B. em redor da cidade de Monção. C. na fronteira com a Galiza. D. em redor da cidade de Melgaço. 5. No Vale do Minho podem ser observadas paisagens de rochas vulcânicas no município de:
  • 4. 1ºTeste_CN7 Página 4 A. Paredes de Coura. C. Monção B. Valença. D. Vila Nova de Cerveira 6. As principais características da paisagem predominante no Vale do Minho são: A. Estratos C. dunas. B. caos de blocos. D. caldeiras. 7. Os minerais mais comuns nas rochas predominantes do Vale do Minho são: A. estaurolite, calcite, olivina e biotite. B. biotite, feldspato, moscovite e quartzo. C. calcite, moscovite, olivina e feldspato. D. olivina, biotite, estaurolite e quartzo. Grupo III A pirite é um mineral que apresenta cor amarela, risca preta, brilho metálico e dureza de grau 6,5 da escala de Mohs. Na resposta a cada um dos itens de 1 a 6, transcreva para a folha de respostas a única opção que permite obter uma afirmação correta. 1. O que determina as características de um mineral é... (5p) A) a sua composição química. B) a forma como os seus constituintes se organizam. C) a sua clivagem e cor. D) a sua composição química e a sua estrutura cristalina. 2. Qual das seguintes é a definição mais correta de mineral: (5p) A) Substância natural, sólida, inorgânica e de composição química fixa ou ligeiramente variável. B) Substância natural ou artificial, sólida, inorgânica e de composição química fixa. C) Substância natural, sólida ou líquida, de composição química fixa ou ligeiramente variável. D) Substância artificial, sólida, orgânica e de composição química fixa ou ligeiramente variável. 3. A dureza da pirite é... (5p) (A) superior à do quartzo e inferior à da calcite. (C) superior à da calcite e inferior à do quartzo. (B) superior à do quartzo. (D) superior à do gesso e inferior à da calcite. 4. O brilho da pirite é... (5p) (A) não metálico como o quartzo. (C) metálico como o da calcite. (B) metálico como o da blenda. (D) vulgar como o do diamante. 5. A clivagem é uma propriedade... (5p) (A) ótica, exibida por minerais como o talco. (B) ótica, exibida por minerais como a calcite. (C) mecânica/física, exibida por minerais como o quartzo. (D) mecânica/física, exibida por minerais como as micas (branca e preta). 6. Quando se utiliza a escala de Mohs pretende-se determinar… (5p) (A) a dureza (C) A cor (B) O traço (D) o tipo de clivagem
  • 5. 1ºTeste_CN7 Página 5 FIM CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE CORREÇÃO (1º Teste de CN7 – 2018) Critérios por item Cotações Grupo I 1.1. Paisagem Magmática Plutónica/Intrusiva. 1.2. A- granito B- rede de diáclases C- Caos de blocos 1.3. Erosão, Meteorização Química e Física. 2. A- V; B- V ; C- F; D- F ; E- F; F-F; G-V; H-F 3-Observações levadas a cabo pelos cientistas que estudam as rochas, os __GEÓLOGOS__, conduziram-nos a uma classificação em três grandes grupos: rochas magmáticas, como por exemplo INTRUSIVAS/EXTRUSIVAS__ e as _ INTRUSIVAS/EXTRUSIVAS __; e rochas SEDIMENTARES- como por exemplo a areia e o calcário e a areia. Os Granitos são rochas_MAGMÁTICAS PLUTÓNICAS/INTRUSIVAS__. Enquanto os Basaltos são rochas _MAGMÁTICAS EXTRUSIVAS/VULCÂNICAS_. 4. 1:B 2:B 3:B 4: B 5:A 6: A ______________________________________________________________________ Grupo II 1. A 2. D 3. B 4. C 5. D 6. B 7. B _____________________________________________________________________ Grupo III 1.D 2.A 3.C 4.B 5.D 6.A 4 3 6 4 (8x0,5p) 6 12 5p x7 5p x 6