SlideShare uma empresa Scribd logo
A Terra
Um planeta em mudança




   BG 10º ano
    Isabel Lopes
História da vida na Terra



      Se convertermos toda
     a história, desde o seu
      aparecimento, em 24
             horas




Page  2                       IL 2010
História da vida na Terra - Extinções




                                         in: CARRAJOLA, C. et al (2007 b)



Page  3                       IL 2010
O que teria levado à extinção dos dinossauros?

      Que explicações?

      Ao longo dos anos, mais de 60 hipóteses foram formuladas.

           – Actualmente os cientistas supõem que a extinção dos
            dinossauros teria sido provocada por uma catástrofe
            global

            • Erupção vulcanica massiva (lavas do Decão na Índia)

            • Impacto de origem extraterrestre (meteorito ou
              cometa)
Page  4                           IL 2010
Impacto meteorítico?




           Discussão
                                  Polémica




Page  5                IL 2010
Cratera de Chicxulub


                           Neste mapa da península do Yucatão
                           (México), pode ver-se a Norte um subtil,
                           mas inequívoco, relevo que indica a
                           presença da cratera de impacto Chicxulub.
                           Muitos cientistas estão de acordo em que
                           este impacto esteve na origem da extinção
                           do Cretáceo-Terciário, que há 65 milhões
                           de anos levou à extinção dos dinossauros
                           e da maioria da vida na Terra.
            Imagem: NASA




Page  6                   IL 2010
Cratera de Chicxulub


                                          Cratera de
                                      Impacto com 180
                                        km  junto ao
                                       golfo do México


                                    Vestígios:
                                    •rochas vitrificadas
                                    •esférulas
                                    •vestígios de tsunami
                     Imagem: NASA

Page  7               IL 2010
Supervulcão?




                Intensos fenómenos vulcânicos
           Um exemplo são as Lavas de Decão (Índia)
            Projeção de cinzas com impacto no clima

Page  8                    IL 2010
Consequências de ambas as hipóteses …


                    Mudanças climáticas.
                         Obscuridade
                  Limitações à fotossíntese
             Interrupções nas cadeias alimentares

             Explicações catastrofistas!



Page  9                    IL 2010
Mas…

    Paleontólogos: É importante pensar na crise biológica como um
    todo. Existiram grupos de animais e plantas que ultrapassaram este
    período sem serem afectado.

 • A maior parte dos Dinossauros não se extinguiu no fim do mesozóico.
 • Ocorreram e extinguiram-se espécies durante o Jurássico e o Cretácico.
 • Segundo alguns autores o Cretácico superior era já pobre em Dinossauros!
 • Aquando do impacto meteorítico – fim do Cretácico, sobreviveram 64% das
 espécies de vertebrados!
 • Alguns cientistas atribuem a crise biológica do final do Cretácico a um recuo do
 nível do mar (descida de 15 metros) – aumento da área continental – mudanças
 climáticas!
Page  10                               IL 2010
Princípios básicos do raciocínio geológico



            Recolha e Interpretação de dados

            Procura de explicações para a Evolução da Terra

            Duas linhas de Interpretação:

               CATASTROFISMO e UNIFORMITARISMO




Page  11                          IL 2010
Catastrofismo

       Cuvier (pai da paleontologia), foi o principal defensor;

       Aceite até meados do século XVIII;

       Grandes     alterações    provocadas        por   catástrofes   (exemplo:

       inundações). Mudanças pontuais, dirigidas e não cíclicas.

       Na Bíblia, o dilúvio era uma explicação para a extinção de espécies;

       As espécies extintas eram substituídas por outras, oriundas de locais

       não afectados;

       Pontes continentais – explicação para a passagem

       de seres vivos de uns locais para outros
Page  12                                IL 2010
Uniformitarismo

       James Hutton (pai da geologia), foi o principal defensor;

       Aceite a partir de meados do século XVIII;

       Aspectos geológicos podem ser explicados a partir de processos

       que decorrem actualmente.

       Observações: as montanhas não são imutáveis;, o desgaste provocado

       pela erosão; os espessos estratos sedimentares resultado de materiais

       de rochas pré-existentes, .

       Factor importante: tempo (longo)


Page  13                              IL 2010
Princípios do Uniformitarismo

    •       As leis Naturais são constantes no espaço e

            no tempo

    •       Deve explicar-se o passado a partir do que se

            observa hoje. Principio das causas actuais

            ou   do    actualismo   –    As     causas   que

            provocaram    determinados    fenómenos      no

            passado, são idênticas às que provocam o

            mesmo tipo de fenómeno no presente.

    •       As mudanças geológicas são cíclicas.
Page  14                                     IL 2010
Princípios do Uniformitarismo

       •    As leis Naturais são constantes no espaço e no tempo

       •    Deve explicar-se o passado a partir do que se observa hoje.

            Principio das causas actuais ou do actualismo – As causas

            que provocaram determinados fenómenos no passado, são

            idênticas às que provocam o mesmo tipo de fenómeno no

            presente.

       •    As mudanças geológicas são cíclicas.




Page  15                                IL 2010
Actualismo




Page  16       IL 2010
Princípios do Neocatastrofismo

       •    Reconhece o Uniformitarismo, como processo base para entender

            os processo geológicos, mas não exclui os fenómenos catastróficos

            como agentes de evolução da Terra

       •    A explicação para o desaparecimento dos dinossauros enquadra-se

            nesta perspectiva.

       •    Sismos, Tsunamis, Vulcões são manifestações violentas e rápidas

            da tectónica terrestre, que se repetem, e se relacionam com

            grandes   acontecimentos   cíclicos   (350   M.a.):   formação   de

            montanhas, abertura e fecho de oceanos…
Page  17                               IL 2010
Krakatau… Que mudanças?

   Krakatau, uma ilha do tamanho de Manhattan localizada a meio
   caminho entre Sumatra e Java, conheceu o seu fim na manhã de
   segunda-feira, 27 de Agosto de 1883.
   Foi desintegrada por uma série de potentes erupções vulcânicas. A
   mais violenta aconteceu às l0 horas e 2 minutos, uma explosão
   semelhante à de uma grande bomba nuclear.
   A onda de impacte assim criada deu uma volta ao mundo à
   velocidade do som, atingindo o extremo oposto da Terra perto de
   Bogotá, na Colômbia, 19 horas depois, donde ressaltou para
   Krakatau, e assim sucessivamente, ao longo de sete passagens
   registadas na superfície terrestre…
                              Adaptado de. http://blacksmoker.wordpress.com/2008/10/11/neocatastrofismo-krakatau/


Page  18                                 IL 2010
Em síntese…

  Existem diversos processos geológicos que procuram interpretar os processos
     geológicos responsáveis pela evolução da Terra:

      Catastrofismo – as grandes modificações ocorridas seriam devidas a grandes
     catástrofes.

     Uniformitarismo – os diferentes aspectos geológicas podem ser explicados à
     luz de processos que ocorrem na actualidade, de modo idêntico àqueles que
     ocorreram no passado

     Neocatastrofismo – aceita os pressupostos do uniformitarismo, mas atribui
     também grande importância aos fenómenos catastróficos como agentes de
     evolução da Terra

                                                       Terra, Universo de Vida – 10º ano (1ª parte, p.49)


Page  19                               IL 2010
Mobilismo Geológico


        “Dada a correspondência morfológica entre os continentes que

            ladeiam o Atlântico Sul, terá existido no passado apenas um único

            continente que, ao fissurar-se, segundo uma direcção N-S, deu

            origem ao oceano Atlântico”
                                                             Antonio Snider Pellegrini (1815)




            No século XIX começaram a surgir ideias        que admitiam
            também    o movimento lateral das massas continentais –
            mobilismo geológico.
Page  20                                 IL 2010
Mobilismo Geológico

      O dinamismo terrestre não tem impacto apenas a nível biológico, mas

            também na actividade do planeta em si, os vulcões e os sismos são

            uma prova evidente, mas outras há mais subtis, imperceptíveis à

            vista humana:

       • a formação de montanhas e o seu desgaste devido à erosão

       • a mudança de posição dos continentes,

       • A abertura e o fecho de oceanos…

            Que dados apoiam a mobilidade dos continentes?
                                                                Página 32-33
Page  21                                IL 2010
Alfred Wegener


                   Alfred Wegner (1915) publicou “A origem dos
                   Continentes e dos Oceanos”.
                   Defendeu que os continentes eram constituídos por
                   materiais menos densos que flutuavam sobre
                   materiais mais densos que constituíam os fundos
                   oceânicos.

 Admitiu que à cerca de 245 M.a existia apenas 1 super continente –
 Pangeia, e um super oceano - Pantalassa




Page  22                       IL 2010
Argumentos…




    IL 2010
IL 2010
Astenosfera

                            Resolve…

Que relação pode estabelecer-se entre o movimento das placas
litosféricas e a posição dos continentes?



                                                  Página 52-53

                                  IL 2010
Placas litosféricas…


      Limites                                Limites
   conservativos                           divergentes




    Limites                                  Limites
 convergentes                             convergentes
Page  26                   IL 2010
Placas litosféricas…



                       Limites das placas litosféricas

       Divergentes
                                          Convergentes                            Conservativos
            (Riftes)


                              Placas oceânica/                                      Deslocação de
    Formação                    continental
                                                            Placas continental/
                                                                                  placas em sentidos
                                                               continental
    de litosfera            (Zona de subducção)                                        opostos


                             Destruição                     Formação de
                             da litosfera                     cadeias
                                                            montanhosas


Page  27                                         IL 2010
Conceitos a reter
Teoria da deriva                           Astenosfera                                    Rifte
continental                                Limite conservativo
Actualismo geológico                       Limite divergente
Catastrofismo                              Limite convergente
Uniformitarismo                            Litosfera
Neocatastrofismo                           Correntes de convecção
Extinção                                   Subducção
Placas litosféricas                        Dorsal oceânica


     Bibliografia e Sites que serviram de apoio à elaboração desta apresentação:
     • CARRAJOLA, C; CASTRO, M, J; HILÁRIO, T.- Planeta com vida, Biologia (Vol. 2). Santilhana Constância, 2007.
     • http://www.portaldoastronomo.org/noticia.php?id=194




                                                               IL 2010

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ondas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidadesOndas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidades
Ana Castro
 
Idade Relativa e Idade Radiométrica
Idade Relativa e Idade RadiométricaIdade Relativa e Idade Radiométrica
Idade Relativa e Idade Radiométrica
Gabriela Bruno
 
5 rochas magmáticas
5  rochas magmáticas5  rochas magmáticas
5 rochas magmáticas
margaridabt
 
Geo 13 ambientes sedimentares
Geo 13   ambientes sedimentaresGeo 13   ambientes sedimentares
Geo 13 ambientes sedimentares
Nuno Correia
 
9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta
guestfa5e9
 
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
Hugo Martins
 
Datação relativa
Datação relativaDatação relativa
Datação relativa
catiacsantos
 
Descontinuidades Internas
Descontinuidades InternasDescontinuidades Internas
Descontinuidades Internas
Tânia Reis
 
III - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACASIII - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACAS
sandranascimento
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Vitor Perfeito
 
Resumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º anoResumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º ano
Rita Pereira
 
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos OceânicosPaleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Ana Castro
 
A terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interaçãoA terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interação
Marília Pereira
 
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Vitor Perfeito
 
EXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMESEXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMES
sandranascimento
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
Isabel Lopes
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Geo 10 tempo geológico (datação absoluta)
Geo 10   tempo geológico (datação absoluta)Geo 10   tempo geológico (datação absoluta)
Geo 10 tempo geológico (datação absoluta)
Nuno Correia
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
margaridabt
 
Princípios estratigráficos
Princípios estratigráficosPrincípios estratigráficos
Princípios estratigráficos
Catir
 

Mais procurados (20)

Ondas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidadesOndas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidades
 
Idade Relativa e Idade Radiométrica
Idade Relativa e Idade RadiométricaIdade Relativa e Idade Radiométrica
Idade Relativa e Idade Radiométrica
 
5 rochas magmáticas
5  rochas magmáticas5  rochas magmáticas
5 rochas magmáticas
 
Geo 13 ambientes sedimentares
Geo 13   ambientes sedimentaresGeo 13   ambientes sedimentares
Geo 13 ambientes sedimentares
 
9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta
 
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
 
Datação relativa
Datação relativaDatação relativa
Datação relativa
 
Descontinuidades Internas
Descontinuidades InternasDescontinuidades Internas
Descontinuidades Internas
 
III - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACASIII - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACAS
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
 
Resumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º anoResumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º ano
 
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos OceânicosPaleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
Paleomagnetismo e Expansão dos Fundos Oceânicos
 
A terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interaçãoA terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interação
 
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
 
EXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMESEXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMES
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
Geo 10 tempo geológico (datação absoluta)
Geo 10   tempo geológico (datação absoluta)Geo 10   tempo geológico (datação absoluta)
Geo 10 tempo geológico (datação absoluta)
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Princípios estratigráficos
Princípios estratigráficosPrincípios estratigráficos
Princípios estratigráficos
 

Semelhante a Terra um planeta em mudança

1 princípios básicos do raciocínio geológico
1   princípios básicos do raciocínio geológico1   princípios básicos do raciocínio geológico
1 princípios básicos do raciocínio geológico
margaridabt
 
A Terra, um planeta em mudança
A Terra, um planeta em mudançaA Terra, um planeta em mudança
A Terra, um planeta em mudança
Marta Espada
 
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossaurosFicha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
Maria Matias
 
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividadesSagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
Jose Luiz de Oliveira
 
A Terra
A Terra A Terra
A história da terra
A história da terraA história da terra
A história da terra
Laura Domingos
 
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
Faga1939
 
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
Faga1939
 
5º geo 6 ano formação da terra e litosfera - interior da terra e crosta te...
5º geo 6 ano   formação da terra e litosfera -  interior da terra e crosta te...5º geo 6 ano   formação da terra e litosfera -  interior da terra e crosta te...
5º geo 6 ano formação da terra e litosfera - interior da terra e crosta te...
Ste Escola Bernardino
 
Geografia física
Geografia físicaGeografia física
Geografia física
Jessica Lainne
 
7º 2.2.
7º 2.2.7º 2.2.
7º 2.2.
Nuno Coelho
 
Ppt 7 A Terra, Um Planeta Em MudançA
Ppt 7   A Terra, Um Planeta Em MudançAPpt 7   A Terra, Um Planeta Em MudançA
Ppt 7 A Terra, Um Planeta Em MudançA
Nuno Correia
 
Ppt 7 A Terra, Um Planeta Em MudançA
Ppt 7   A Terra, Um Planeta Em MudançAPpt 7   A Terra, Um Planeta Em MudançA
Ppt 7 A Terra, Um Planeta Em MudançA
Nuno Correia
 
Geografia estrutura geologica
Geografia   estrutura geologicaGeografia   estrutura geologica
Geografia estrutura geologica
Gustavo Soares
 
Um olhar sob uma nova perspectiva [mirtzi jpa-pb]
Um olhar sob uma nova perspectiva [mirtzi   jpa-pb]Um olhar sob uma nova perspectiva [mirtzi   jpa-pb]
Um olhar sob uma nova perspectiva [mirtzi jpa-pb]
Céu de Kuan Yin
 
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestreIECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
profrodrigoribeiro
 
Introd Período Pre Wegener
Introd Período Pre WegenerIntrod Período Pre Wegener
Introd Período Pre Wegener
ana mendes
 
Formação dos continentes
Formação dos continentesFormação dos continentes
Formação dos continentes
Naira Delazari
 
Cienciasnaturais7
Cienciasnaturais7Cienciasnaturais7
Cienciasnaturais7
Pedro Tonyzinho
 
"A Gênese", cap. 7.
 "A Gênese",  cap. 7. "A Gênese",  cap. 7.
"A Gênese", cap. 7.
Rodrigo Curado
 

Semelhante a Terra um planeta em mudança (20)

1 princípios básicos do raciocínio geológico
1   princípios básicos do raciocínio geológico1   princípios básicos do raciocínio geológico
1 princípios básicos do raciocínio geológico
 
A Terra, um planeta em mudança
A Terra, um planeta em mudançaA Terra, um planeta em mudança
A Terra, um planeta em mudança
 
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossaurosFicha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
 
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividadesSagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
 
A Terra
A Terra A Terra
A Terra
 
A história da terra
A história da terraA história da terra
A história da terra
 
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
COMO EVITAR A EXTINÇÃO DA HUMANIDADE DE AMEAÇAS PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA...
 
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
AS AMEAÇAS DE EXTINÇÃO DA HUMANIDADE PROVOCADAS PELO PLANETA TERRA, COMO LIDA...
 
5º geo 6 ano formação da terra e litosfera - interior da terra e crosta te...
5º geo 6 ano   formação da terra e litosfera -  interior da terra e crosta te...5º geo 6 ano   formação da terra e litosfera -  interior da terra e crosta te...
5º geo 6 ano formação da terra e litosfera - interior da terra e crosta te...
 
Geografia física
Geografia físicaGeografia física
Geografia física
 
7º 2.2.
7º 2.2.7º 2.2.
7º 2.2.
 
Ppt 7 A Terra, Um Planeta Em MudançA
Ppt 7   A Terra, Um Planeta Em MudançAPpt 7   A Terra, Um Planeta Em MudançA
Ppt 7 A Terra, Um Planeta Em MudançA
 
Ppt 7 A Terra, Um Planeta Em MudançA
Ppt 7   A Terra, Um Planeta Em MudançAPpt 7   A Terra, Um Planeta Em MudançA
Ppt 7 A Terra, Um Planeta Em MudançA
 
Geografia estrutura geologica
Geografia   estrutura geologicaGeografia   estrutura geologica
Geografia estrutura geologica
 
Um olhar sob uma nova perspectiva [mirtzi jpa-pb]
Um olhar sob uma nova perspectiva [mirtzi   jpa-pb]Um olhar sob uma nova perspectiva [mirtzi   jpa-pb]
Um olhar sob uma nova perspectiva [mirtzi jpa-pb]
 
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestreIECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
IECJ - Cap. 7 – Interior da terra e crosta terrestre
 
Introd Período Pre Wegener
Introd Período Pre WegenerIntrod Período Pre Wegener
Introd Período Pre Wegener
 
Formação dos continentes
Formação dos continentesFormação dos continentes
Formação dos continentes
 
Cienciasnaturais7
Cienciasnaturais7Cienciasnaturais7
Cienciasnaturais7
 
"A Gênese", cap. 7.
 "A Gênese",  cap. 7. "A Gênese",  cap. 7.
"A Gênese", cap. 7.
 

Mais de Isabel Lopes

Relatório posto 9 passarela
Relatório posto 9 passarelaRelatório posto 9 passarela
Relatório posto 9 passarela
Isabel Lopes
 
Relatório posto 8 contra relógio
Relatório posto 8 contra relógioRelatório posto 8 contra relógio
Relatório posto 8 contra relógio
Isabel Lopes
 
Relatório posto 7 desespero em casa
Relatório posto 7 desespero em casaRelatório posto 7 desespero em casa
Relatório posto 7 desespero em casa
Isabel Lopes
 
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dadRelatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
Isabel Lopes
 
Relatório posto 5 tudo a limpo
Relatório posto 5 tudo a limpoRelatório posto 5 tudo a limpo
Relatório posto 5 tudo a limpo
Isabel Lopes
 
Relatório posto 4 roleplay
Relatório posto 4 roleplayRelatório posto 4 roleplay
Relatório posto 4 roleplay
Isabel Lopes
 
Relatório posto 3 party & co
Relatório posto 3 party & coRelatório posto 3 party & co
Relatório posto 3 party & co
Isabel Lopes
 
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguaisRelatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
Isabel Lopes
 
Relatorio posto 1 johnson's baby
Relatorio posto 1 johnson's babyRelatorio posto 1 johnson's baby
Relatorio posto 1 johnson's baby
Isabel Lopes
 
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de géneroMapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
Isabel Lopes
 
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
Isabel Lopes
 
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
Isabel Lopes
 
Peddy paper students evaluation
Peddy paper students evaluationPeddy paper students evaluation
Peddy paper students evaluation
Isabel Lopes
 
Final product stories on children's rights
Final product   stories on children's rightsFinal product   stories on children's rights
Final product stories on children's rights
Isabel Lopes
 
sistema hormonal
sistema hormonalsistema hormonal
sistema hormonal
Isabel Lopes
 
Sistema neuro hormonal - Nervoso
Sistema neuro hormonal - NervosoSistema neuro hormonal - Nervoso
Sistema neuro hormonal - Nervoso
Isabel Lopes
 
métodos contracetivos
 métodos contracetivos métodos contracetivos
métodos contracetivos
Isabel Lopes
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
Isabel Lopes
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
Isabel Lopes
 
Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)
Isabel Lopes
 

Mais de Isabel Lopes (20)

Relatório posto 9 passarela
Relatório posto 9 passarelaRelatório posto 9 passarela
Relatório posto 9 passarela
 
Relatório posto 8 contra relógio
Relatório posto 8 contra relógioRelatório posto 8 contra relógio
Relatório posto 8 contra relógio
 
Relatório posto 7 desespero em casa
Relatório posto 7 desespero em casaRelatório posto 7 desespero em casa
Relatório posto 7 desespero em casa
 
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dadRelatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
Relatório posto 6 entre pais e filhos playing with mom and dad
 
Relatório posto 5 tudo a limpo
Relatório posto 5 tudo a limpoRelatório posto 5 tudo a limpo
Relatório posto 5 tudo a limpo
 
Relatório posto 4 roleplay
Relatório posto 4 roleplayRelatório posto 4 roleplay
Relatório posto 4 roleplay
 
Relatório posto 3 party & co
Relatório posto 3 party & coRelatório posto 3 party & co
Relatório posto 3 party & co
 
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguaisRelatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
Relatório posto 2 todos diferentes, todos iguais
 
Relatorio posto 1 johnson's baby
Relatorio posto 1 johnson's babyRelatorio posto 1 johnson's baby
Relatorio posto 1 johnson's baby
 
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de géneroMapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
Mapa peddy paper 2013 des-igualdade de género
 
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
Inquérito por questionário para avaliação final peddy paper (alunos participa...
 
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
Avaliação pelos alunos (Peddy paper 2013)
 
Peddy paper students evaluation
Peddy paper students evaluationPeddy paper students evaluation
Peddy paper students evaluation
 
Final product stories on children's rights
Final product   stories on children's rightsFinal product   stories on children's rights
Final product stories on children's rights
 
sistema hormonal
sistema hormonalsistema hormonal
sistema hormonal
 
Sistema neuro hormonal - Nervoso
Sistema neuro hormonal - NervosoSistema neuro hormonal - Nervoso
Sistema neuro hormonal - Nervoso
 
métodos contracetivos
 métodos contracetivos métodos contracetivos
métodos contracetivos
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)
 

Último

Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 

Último (20)

Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 

Terra um planeta em mudança

  • 1. A Terra Um planeta em mudança BG 10º ano Isabel Lopes
  • 2. História da vida na Terra Se convertermos toda a história, desde o seu aparecimento, em 24 horas Page  2 IL 2010
  • 3. História da vida na Terra - Extinções in: CARRAJOLA, C. et al (2007 b) Page  3 IL 2010
  • 4. O que teria levado à extinção dos dinossauros? Que explicações? Ao longo dos anos, mais de 60 hipóteses foram formuladas. – Actualmente os cientistas supõem que a extinção dos dinossauros teria sido provocada por uma catástrofe global • Erupção vulcanica massiva (lavas do Decão na Índia) • Impacto de origem extraterrestre (meteorito ou cometa) Page  4 IL 2010
  • 5. Impacto meteorítico? Discussão Polémica Page  5 IL 2010
  • 6. Cratera de Chicxulub Neste mapa da península do Yucatão (México), pode ver-se a Norte um subtil, mas inequívoco, relevo que indica a presença da cratera de impacto Chicxulub. Muitos cientistas estão de acordo em que este impacto esteve na origem da extinção do Cretáceo-Terciário, que há 65 milhões de anos levou à extinção dos dinossauros e da maioria da vida na Terra. Imagem: NASA Page  6 IL 2010
  • 7. Cratera de Chicxulub Cratera de Impacto com 180 km  junto ao golfo do México Vestígios: •rochas vitrificadas •esférulas •vestígios de tsunami Imagem: NASA Page  7 IL 2010
  • 8. Supervulcão? Intensos fenómenos vulcânicos Um exemplo são as Lavas de Decão (Índia) Projeção de cinzas com impacto no clima Page  8 IL 2010
  • 9. Consequências de ambas as hipóteses … Mudanças climáticas. Obscuridade Limitações à fotossíntese Interrupções nas cadeias alimentares Explicações catastrofistas! Page  9 IL 2010
  • 10. Mas… Paleontólogos: É importante pensar na crise biológica como um todo. Existiram grupos de animais e plantas que ultrapassaram este período sem serem afectado. • A maior parte dos Dinossauros não se extinguiu no fim do mesozóico. • Ocorreram e extinguiram-se espécies durante o Jurássico e o Cretácico. • Segundo alguns autores o Cretácico superior era já pobre em Dinossauros! • Aquando do impacto meteorítico – fim do Cretácico, sobreviveram 64% das espécies de vertebrados! • Alguns cientistas atribuem a crise biológica do final do Cretácico a um recuo do nível do mar (descida de 15 metros) – aumento da área continental – mudanças climáticas! Page  10 IL 2010
  • 11. Princípios básicos do raciocínio geológico Recolha e Interpretação de dados Procura de explicações para a Evolução da Terra Duas linhas de Interpretação: CATASTROFISMO e UNIFORMITARISMO Page  11 IL 2010
  • 12. Catastrofismo Cuvier (pai da paleontologia), foi o principal defensor; Aceite até meados do século XVIII; Grandes alterações provocadas por catástrofes (exemplo: inundações). Mudanças pontuais, dirigidas e não cíclicas. Na Bíblia, o dilúvio era uma explicação para a extinção de espécies; As espécies extintas eram substituídas por outras, oriundas de locais não afectados; Pontes continentais – explicação para a passagem de seres vivos de uns locais para outros Page  12 IL 2010
  • 13. Uniformitarismo James Hutton (pai da geologia), foi o principal defensor; Aceite a partir de meados do século XVIII; Aspectos geológicos podem ser explicados a partir de processos que decorrem actualmente. Observações: as montanhas não são imutáveis;, o desgaste provocado pela erosão; os espessos estratos sedimentares resultado de materiais de rochas pré-existentes, . Factor importante: tempo (longo) Page  13 IL 2010
  • 14. Princípios do Uniformitarismo • As leis Naturais são constantes no espaço e no tempo • Deve explicar-se o passado a partir do que se observa hoje. Principio das causas actuais ou do actualismo – As causas que provocaram determinados fenómenos no passado, são idênticas às que provocam o mesmo tipo de fenómeno no presente. • As mudanças geológicas são cíclicas. Page  14 IL 2010
  • 15. Princípios do Uniformitarismo • As leis Naturais são constantes no espaço e no tempo • Deve explicar-se o passado a partir do que se observa hoje. Principio das causas actuais ou do actualismo – As causas que provocaram determinados fenómenos no passado, são idênticas às que provocam o mesmo tipo de fenómeno no presente. • As mudanças geológicas são cíclicas. Page  15 IL 2010
  • 17. Princípios do Neocatastrofismo • Reconhece o Uniformitarismo, como processo base para entender os processo geológicos, mas não exclui os fenómenos catastróficos como agentes de evolução da Terra • A explicação para o desaparecimento dos dinossauros enquadra-se nesta perspectiva. • Sismos, Tsunamis, Vulcões são manifestações violentas e rápidas da tectónica terrestre, que se repetem, e se relacionam com grandes acontecimentos cíclicos (350 M.a.): formação de montanhas, abertura e fecho de oceanos… Page  17 IL 2010
  • 18. Krakatau… Que mudanças? Krakatau, uma ilha do tamanho de Manhattan localizada a meio caminho entre Sumatra e Java, conheceu o seu fim na manhã de segunda-feira, 27 de Agosto de 1883. Foi desintegrada por uma série de potentes erupções vulcânicas. A mais violenta aconteceu às l0 horas e 2 minutos, uma explosão semelhante à de uma grande bomba nuclear. A onda de impacte assim criada deu uma volta ao mundo à velocidade do som, atingindo o extremo oposto da Terra perto de Bogotá, na Colômbia, 19 horas depois, donde ressaltou para Krakatau, e assim sucessivamente, ao longo de sete passagens registadas na superfície terrestre… Adaptado de. http://blacksmoker.wordpress.com/2008/10/11/neocatastrofismo-krakatau/ Page  18 IL 2010
  • 19. Em síntese… Existem diversos processos geológicos que procuram interpretar os processos geológicos responsáveis pela evolução da Terra: Catastrofismo – as grandes modificações ocorridas seriam devidas a grandes catástrofes. Uniformitarismo – os diferentes aspectos geológicas podem ser explicados à luz de processos que ocorrem na actualidade, de modo idêntico àqueles que ocorreram no passado Neocatastrofismo – aceita os pressupostos do uniformitarismo, mas atribui também grande importância aos fenómenos catastróficos como agentes de evolução da Terra Terra, Universo de Vida – 10º ano (1ª parte, p.49) Page  19 IL 2010
  • 20. Mobilismo Geológico “Dada a correspondência morfológica entre os continentes que ladeiam o Atlântico Sul, terá existido no passado apenas um único continente que, ao fissurar-se, segundo uma direcção N-S, deu origem ao oceano Atlântico” Antonio Snider Pellegrini (1815) No século XIX começaram a surgir ideias que admitiam também o movimento lateral das massas continentais – mobilismo geológico. Page  20 IL 2010
  • 21. Mobilismo Geológico O dinamismo terrestre não tem impacto apenas a nível biológico, mas também na actividade do planeta em si, os vulcões e os sismos são uma prova evidente, mas outras há mais subtis, imperceptíveis à vista humana: • a formação de montanhas e o seu desgaste devido à erosão • a mudança de posição dos continentes, • A abertura e o fecho de oceanos… Que dados apoiam a mobilidade dos continentes? Página 32-33 Page  21 IL 2010
  • 22. Alfred Wegener Alfred Wegner (1915) publicou “A origem dos Continentes e dos Oceanos”. Defendeu que os continentes eram constituídos por materiais menos densos que flutuavam sobre materiais mais densos que constituíam os fundos oceânicos. Admitiu que à cerca de 245 M.a existia apenas 1 super continente – Pangeia, e um super oceano - Pantalassa Page  22 IL 2010
  • 23. Argumentos… IL 2010
  • 25. Astenosfera Resolve… Que relação pode estabelecer-se entre o movimento das placas litosféricas e a posição dos continentes? Página 52-53 IL 2010
  • 26. Placas litosféricas… Limites Limites conservativos divergentes Limites Limites convergentes convergentes Page  26 IL 2010
  • 27. Placas litosféricas… Limites das placas litosféricas Divergentes Convergentes Conservativos (Riftes) Placas oceânica/ Deslocação de Formação continental Placas continental/ placas em sentidos continental de litosfera (Zona de subducção) opostos Destruição Formação de da litosfera cadeias montanhosas Page  27 IL 2010
  • 28. Conceitos a reter Teoria da deriva Astenosfera Rifte continental Limite conservativo Actualismo geológico Limite divergente Catastrofismo Limite convergente Uniformitarismo Litosfera Neocatastrofismo Correntes de convecção Extinção Subducção Placas litosféricas Dorsal oceânica Bibliografia e Sites que serviram de apoio à elaboração desta apresentação: • CARRAJOLA, C; CASTRO, M, J; HILÁRIO, T.- Planeta com vida, Biologia (Vol. 2). Santilhana Constância, 2007. • http://www.portaldoastronomo.org/noticia.php?id=194 IL 2010