SlideShare uma empresa Scribd logo
Teorias Sociais no século XIX
Definição
 As teorias liberais e positivista podem ser consideradas
teorias favoráveis a organização capitalista da
sociedade. Mesmo, por vezes, reconhecendo problemas
parciais e buscando transformá-las, elas objetivam
manter e melhorar o sistema capitalista.
 As teorias socialistas podem ser definidas por um
conjunto de ideias que criticam o modelo capitalista
industrial. Essas críticas concentram-se,
principalmente, na propriedade privada dos meios de
produção e na desigualdade da distribuição das
riquezas.
 Algumas ideias socialistas tem uma visão reformista
(moderada) sobre a situação e outras críticas socialistas
tem uma visão mais revolucionária (radical).
A questão Social
Aumento da produção de riqueza e
aumento da pobreza: uma
contradição?
 A questão social do século XIX:
Muitos analistas perceberam que ó desenvolvimento do
capitalismo, embora produzisse um aumento nunca
visto na produção de riquezas materiais, não significou
a eliminação da pobreza, muito pelo contrário, a
intensificou. O aumento da riqueza não significou a sua
distribuição pelos diversos setores da sociedade, mas
concentrou-se nas mãos dos mais ricos, ou melhor, dos
donos dos meios de produção (ou burguesia, ou
capitalistas).
 Desta maneira, diversas teorias sociais no século XIX
buscarão formular respostas para este problema.
O Liberalismo
 Principais ideias:
 —  Direitos individuais (ênfase
na liberdade e PROPRIEDADE).
 —  Liberdade de comércio e
produção.
 —  Leis naturais da economia
(oferta e procura, livre
concorrência...).
 —  Liberdade de contrato de
trabalho (salários e jornada).
 —  NÃO INTERVENÇÃO do
Estado na economia.
 —  ADAM SMITH (1723 – 1790) –
“A Riqueza das Nações”.
A liberdade de mercado e a
“mão invisível”
 —  THOMAS MALTHUS (1766 – 1834) –
“Ensaio sobre a população”
 —  Teórico da “miséria inevitável”.
 —  Alimentos crescem em proporção
aritmética e população em proporção
geométrica.
 —  Guerras e epidemias = equilíbrio
entre a população e produção.
 —  Contenção da natalidade.
 —  Limitação de assistencialismo.
 —  Lei dos pobres (1834) – Workhouses
 —  Confinamento de miseráveis.
 —  DAVID RICARDO (1772 – 1823) –
“Princípios da economia política e
tributação”
 —  Lei férrea dos salários: salários =
mínimo para subsistência.
Positivismo e Doutrina Cristã
 DOUTRINA SOCIAL DA
IGREJA
 —  Papa Leão XIII.
 —  Encíclica RERUM
NOVARUM (1891).
 —  Contra a exploração de
operários.
 —  Contra a luta de classes e
o marxismo.
 —  Religião: instrumento de
reforma e justiça social.
 —  Apelo ao “espírito cristão”
dos empregadores para
respeitassem os operários.

 5 – POSITIVISMO
 —  AUGUSTE COMTE (1798 –
1857).
 —  Ignorância = fonte dos
problemas.
 —  Ciência = evolução
(caminho para a resolução
dos problemas).
 —  Governo: elite intelectual.
 —  Contra a democracia
(possibilidade dos ignorantes
interferirem politicamente).
 —  Lema: “ORDEM E
PROGRESSO”.
Socialismo Utópico
 Ideologia reformista;
 Alguns pensadores socialistas tinham uma
visão tão romantizada sobre a sociedade, que
suas ideias foram consideradas uma utopia
(sonho);
 Esses pensadores não promoveram análises
“científicas” sobre o processo capitalista e
julgavam que o “bom caráter” da sociedade
em geral, seria suficiente para promover uma
sociedade mais igualitaria. Em outras
palavras, os socialistas utópicos, como
ficaram conhecidos, acreditavam que a
burguesia abdicaria de parte dos seus bens
para a construção de uma sociedade mais
justa.
Socialistas Utópicos
Saint-Simon (1760-1825)
 Crítica ao “tripé de
dominação”: clero, nobreza e
 militares”.
 Não crítica a camada de
proprietários;
 Não aponta para o fim da
propriedade privada;
 Defende um governo de
“sábios” (influência da
 “ República” de Platão).
Socialistas Utópicos
Charles Fourier (1772-1837)
 Criação de fazendas
comunitárias isoladas do
mundo capitalista
(Falanstérios);
 Crítica às divisões em classes
sociais;
 Os Falanstérios agroindustriais
não obtém êxito.
Socialistas Utópicos
Robert Owen (1771-1858)
 IDEAL : comunidade com total
igualdade entre os seus
 membros;
 Criação de uma fábrica com as
seguintes melhorias assistencialistas:
 10 horas de jornada de trabalho;
 Fundo de pensão;
 Creches, centros de recreação;
 Apesar de seus esforços, suas
tentativas de estabelecer núcleos
cooperativos na Inglaterra não foram
bem sucedidas.
Socialismo Científico
(Marxismo)
 Ideologia revolucionária;
 Crítica estrutural ao capitalismo
(procuraram compreender a dinâmica
do capitalismo – origem,
desenvolvimento e contradições – para
dessa forma, superá-lo);
 Análise “científica” dos mecanismos
de funcionamento do capitalismo;
 Para os socialistas científicos, também
conhecidos como marxistas, a única
forma de se atingir uma sociedade
mais igualitária seria através da
revolução proletária.
Socialistas Científicos
Karl Marx
(1818-1883) Friedrich Engels
(1820-1895)
Conceitos Marxistas
 Materialismo Histórico: parte do
pressuposto de que todos os grandes
movimentos políticos, sociais e
intelectuais da história têm sido
determinados pela relações sociais de
produção, historicamente determinadas.
Em outras palavras, o modo de produção
da vida material condiciona o conjunto
dos processos da vida social, política e
cultural, enfim, o sistema de valores, a
ideologia.
Conceitos Marxistas
 Materialismo Dialético: tem como base a ideia de
que o mundo não pode ser considerado um
complexo de fenômenos acabados, mas de
processos em que as relações e os reflexos delas
estão em constante movimento. Isso quer dizer
que cada sistema econômico em particular está
baseado em padrões definidos de produção e de
troca que se expandem até alcançar um ponto de
máxima eficiência. A partir desse momento,
manifestam-se e se desenvolvem contradições
internas que trazem consigo os elementos da sua
destruição e os fundamentos de um sistema novo
que substituirá o antigo, ao mesmo tempo, em
que lhe absorve as características mais valiosas.
Conceitos Marxistas
 Luta de Classes: era o motor da história. Para Marx e
Engels enquanto houvesse diferença social, haveria a
luta de classes, isto é, o enfrentamento entre setores
sociais antagônicos. No caso do capitalismo industrial,
este enfrentamento coloca em oposição a Burguesia e o
Proletariado.
Conceitos Marxistas
 Mais-Valia: para Marx e Engels a divisão social
do trabalho na sociedade capitalista levou
uma pequena parcela de pessoas a se
apropriar dos meios de produção. A um outro
grupo, os proletários, restou apenas a
propriedade do corpo e da força de trabalho.
Os detentores dos meios de produção
compram a força de trabalho dos proletários
e impõem condições de trabalho com o
objetivo de gerar lucros. Marx e Engels
acreditavam que uma das formas de
exploração capitalista mais eficiente é a
mais-valia, que seria a diferença expressa
entre o valor do que o trabalhador produz e o
que ele recebe em forma de salário. Segundo
eles, o trabalhador nunca recebe o valor total
do fruto do seu trabalho.
Acompanhe o exemplo
 Uma fábrica de bolsas contrata um operário
para trabalhar 8 horas por dia. Ele recebe um
salário de R$ 24,00 ao dia, o que equivale a
R$ 3,00 por hora e a R$ 720,00 por mês. Esse
operario fabrica 200 bolsas por mês e o
empresário vende cada uma por R$ 150,00.
Para cada bolsa, vamos admitir que sejam
gastos R$ 100,00 em matéria-prima, energia
elétrica e outros insumos. Ainda sobraria R$
50,00 de lucro por bolsa vendida, ou seja, a
cada 200 bolsas produzidas e vendidas, o
operário ganha R$ 720,00 e o empresário R$
10.000,00. Digamos que esse operário consiga
produzir, em média, 6 bolsas por dia. Ele
recebe R$ 24,00 e o capitalista recebe R$ R$
300,00. Nesse caso a mais-valia
corresponderia a R$ 276,00 por dia.
Conceitos Marxistas
 Revolução Socialista e Comunismo: para
Marx e Engels, a superação do capitalismo
e a construção de uma sociedade sem
classes só seriam possíveis por meio de
uma revolução socialista, conduzida pelos
trabalhadores. O estágio seguinte da
humanidade seria o comunismo, uma
sociedade sem classes, sem propriedade
privada dos meios de produção e sem
Estado, na qual cada pessoa trabalharia
de acordo com suas capacidades e
receberia um salário proporcional às suas
necessidades.
Anarquismo
 A palavra anarquismo, de origem grega, não
significa desordem e sim “sem governo”. Por
essa razão, os teóricos anarquistas discutiram
a possibilidade de consolidar uma sociedade
na qual os seres humanos se afirmariam por
meio de uma ação própria em um contexto
sociopolítico de liberdade, sem a opressão da
Igreja e dos governos. Eles rejeitavam
qualquer autoridade porque viam nela a fonte
básica dos males humanos. Também não
admitiam o Estado e sua organização
burocrática, considerando-os responsáveis
pela consolidação da ordem política,
econômica e social da burguesia.
Anarquismo
 Para o movimento anarquista, o ser
humano deve viver sem Estado, a partir
de uma gestão comunitária, ou seja, por
meio da cooperação. Em livre associação,
os indivíduos seriam capazes de produzir
e distribuir a riqueza produzida de acordo
com suas necessidades.
 O movimento conviveu com um sério
paradoxo: mesmo contrários a qualquer
forma de autoritarismo e ao uso da força,
os anarquistas admitiam esse método para
a derrubada da autoridade e a instauração
da condição ideal, ou seja, a sociedade
anarquista.
Pensadores Anarquistas
Pierre-Joseph Proudhon (1808-1865):
 “ A propriedade é um roubo”;
 Destruição do Estado;
 Autogoverno dos trabalhadores;
Mikhail Bakunin (1814-1876):
 Radicalização da teoria anarquista;
 Anarquismo terroristas;
 Ataque aos chefes de estado e representantes do poder;
 “ O mundo será um lugar melhor quando o último burguês morrer
enforcado nas tripas do último padre e afogado no sangue do último
militar”.
Pensadores mais recentes: Erico Malatesta e Leon Tolstoi.
Anarcossindicalismo
 Foi a tentativa de organizar
coletivamente o movimento anarquista.
Teve importância no movimento operário
mundial, incluindo o Brasil. Essas ideias
chegaram ao Brasil no início do século XX
através dos imigrantes italianos.
 Os seguidores dessa corrente defendiam a
destruição da ordem liberal burguesa e a
construção de uma sociedade de
indivíduos livres. Os anarcossindicalistas
acreditavam que a transformação da
sociedade só seria possível com a ação
direta dos trabalhadores, por meio de
uma greve geral dirigida pelos sindicatos.
Teorias  sociais do século xix

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
eiprofessor
 
Independência das 13 colônias
Independência das 13 colôniasIndependência das 13 colônias
Independência das 13 colônias
José Gomes
 
Revolução Puritana
Revolução PuritanaRevolução Puritana
Revolução Puritana
Leonardo Caputo
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
Isaquel Silva
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
Daniel Alves Bronstrup
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
Daniel Alves Bronstrup
 
Slide educação da ditadura militar
Slide educação da ditadura militarSlide educação da ditadura militar
Slide educação da ditadura militar
estudosacademicospedag
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
Edenilson Morais
 
Descolonizaçao da África e da Ásia
Descolonizaçao da  África e da ÁsiaDescolonizaçao da  África e da Ásia
Descolonizaçao da África e da Ásia
Rodrigo Luiz
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
Daniel Alves Bronstrup
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Poder, política e estado
Poder, política e estadoPoder, política e estado
Poder, política e estado
Marcela Marangon Ribeiro
 
Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo  Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo
Gustavo de Melo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Professor Marcelo
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
Daniel Alves Bronstrup
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
Claudenilson da Silva
 
Roma: Monarquia/ República/ Império
Roma: Monarquia/ República/ ImpérioRoma: Monarquia/ República/ Império
Roma: Monarquia/ República/ Império
Professora Natália de Oliveira
 
Doutrinas sociais do séc xix
Doutrinas  sociais do séc xix Doutrinas  sociais do séc xix
Doutrinas sociais do séc xix
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na AméricaIndependência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
eiprofessor
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
joana71
 

Mais procurados (20)

Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
 
Independência das 13 colônias
Independência das 13 colôniasIndependência das 13 colônias
Independência das 13 colônias
 
Revolução Puritana
Revolução PuritanaRevolução Puritana
Revolução Puritana
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
 
Slide educação da ditadura militar
Slide educação da ditadura militarSlide educação da ditadura militar
Slide educação da ditadura militar
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
 
Descolonizaçao da África e da Ásia
Descolonizaçao da  África e da ÁsiaDescolonizaçao da  África e da Ásia
Descolonizaçao da África e da Ásia
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
 
Poder, política e estado
Poder, política e estadoPoder, política e estado
Poder, política e estado
 
Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo  Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
 
Roma: Monarquia/ República/ Império
Roma: Monarquia/ República/ ImpérioRoma: Monarquia/ República/ Império
Roma: Monarquia/ República/ Império
 
Doutrinas sociais do séc xix
Doutrinas  sociais do séc xix Doutrinas  sociais do séc xix
Doutrinas sociais do séc xix
 
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na AméricaIndependência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
 

Semelhante a Teorias sociais do século xix

Apresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Apresentação_Economia Solidária_Criticas CapitalismoApresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Apresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Fabricio_brito
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
ProfessoresColeguium
 
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Dismael Sagás
 
Capitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismoCapitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismo
Uneb - Universidade do Estado da Bahia
 
Doutrinas sociais
Doutrinas sociaisDoutrinas sociais
Doutrinas sociais
ProfessoresColeguium
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
ProfessoresColeguium
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
ProfessoresColeguium
 
Movimentos do século xix
Movimentos do século xixMovimentos do século xix
Movimentos do século xix
Max22Rodrigues
 
Karl max e as teorias socialistas
Karl max e as teorias socialistasKarl max e as teorias socialistas
Karl max e as teorias socialistas
espacoaberto
 
( Espiritismo) # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
( Espiritismo)   # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo( Espiritismo)   # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
( Espiritismo) # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
( Espiritismo)   # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo( Espiritismo)   # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
( Espiritismo) # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Política marxista
Política marxistaPolítica marxista
Política marxista
Victor Said
 
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Bolivar Motta
 
Socialismo Em Angola
Socialismo Em AngolaSocialismo Em Angola
Socialismo Em Angola
Vanda30
 
Aula-semana 06/03. Artesanato- Manufatura- Indústria. Socialismo
Aula-semana 06/03.Artesanato- Manufatura- Indústria.SocialismoAula-semana 06/03.Artesanato- Manufatura- Indústria.Socialismo
Aula-semana 06/03. Artesanato- Manufatura- Indústria. Socialismo
joao paulo
 
Doutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIXDoutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIX
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Socialismo 9º Ano
Socialismo 9º AnoSocialismo 9º Ano
Socialismo 9º Ano
Lucas Weiby
 
Aula 8
Aula 8Aula 8
Aula 8
Erica Frau
 
Sociologia 28 set 2012
Sociologia   28 set 2012Sociologia   28 set 2012
Sociologia 28 set 2012
gabriela_eiras
 
Sociologia 28 set
Sociologia 28 setSociologia 28 set
Sociologia 28 set
gabriela_eiras
 

Semelhante a Teorias sociais do século xix (20)

Apresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Apresentação_Economia Solidária_Criticas CapitalismoApresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
Apresentação_Economia Solidária_Criticas Capitalismo
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
 
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
Conceitos liberalismo, anarquismo socialismo
 
Capitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismoCapitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismo
 
Doutrinas sociais
Doutrinas sociaisDoutrinas sociais
Doutrinas sociais
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
 
Movimentos do século xix
Movimentos do século xixMovimentos do século xix
Movimentos do século xix
 
Karl max e as teorias socialistas
Karl max e as teorias socialistasKarl max e as teorias socialistas
Karl max e as teorias socialistas
 
( Espiritismo) # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
( Espiritismo)   # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo( Espiritismo)   # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
( Espiritismo) # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
 
( Espiritismo) # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
( Espiritismo)   # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo( Espiritismo)   # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
( Espiritismo) # - ademar a c reis - neoliberalismo x espiritismo
 
Política marxista
Política marxistaPolítica marxista
Política marxista
 
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
Economia e Mercado - Socialismo Científico ou Marxista
 
Socialismo Em Angola
Socialismo Em AngolaSocialismo Em Angola
Socialismo Em Angola
 
Aula-semana 06/03. Artesanato- Manufatura- Indústria. Socialismo
Aula-semana 06/03.Artesanato- Manufatura- Indústria.SocialismoAula-semana 06/03.Artesanato- Manufatura- Indústria.Socialismo
Aula-semana 06/03. Artesanato- Manufatura- Indústria. Socialismo
 
Doutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIXDoutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIX
 
Socialismo 9º Ano
Socialismo 9º AnoSocialismo 9º Ano
Socialismo 9º Ano
 
Aula 8
Aula 8Aula 8
Aula 8
 
Sociologia 28 set 2012
Sociologia   28 set 2012Sociologia   28 set 2012
Sociologia 28 set 2012
 
Sociologia 28 set
Sociologia 28 setSociologia 28 set
Sociologia 28 set
 

Mais de Educador Lamarão

Questionario. teorias sociais
Questionario. teorias sociaisQuestionario. teorias sociais
Questionario. teorias sociais
Educador Lamarão
 
Jango e ditadura
Jango e ditaduraJango e ditadura
Jango e ditadura
Educador Lamarão
 
O início do segundo reinado
O início do segundo reinadoO início do segundo reinado
O início do segundo reinado
Educador Lamarão
 
Slide - Aula descoberta do ouro
Slide - Aula descoberta do ouroSlide - Aula descoberta do ouro
Slide - Aula descoberta do ouro
Educador Lamarão
 
Crise 1
Crise 1Crise 1
Crise 2
Crise 2Crise 2
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a faseSlide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Educador Lamarão
 

Mais de Educador Lamarão (7)

Questionario. teorias sociais
Questionario. teorias sociaisQuestionario. teorias sociais
Questionario. teorias sociais
 
Jango e ditadura
Jango e ditaduraJango e ditadura
Jango e ditadura
 
O início do segundo reinado
O início do segundo reinadoO início do segundo reinado
O início do segundo reinado
 
Slide - Aula descoberta do ouro
Slide - Aula descoberta do ouroSlide - Aula descoberta do ouro
Slide - Aula descoberta do ouro
 
Crise 1
Crise 1Crise 1
Crise 1
 
Crise 2
Crise 2Crise 2
Crise 2
 
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a faseSlide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a fase
 

Último

UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

Teorias sociais do século xix

  • 1. Teorias Sociais no século XIX
  • 2. Definição  As teorias liberais e positivista podem ser consideradas teorias favoráveis a organização capitalista da sociedade. Mesmo, por vezes, reconhecendo problemas parciais e buscando transformá-las, elas objetivam manter e melhorar o sistema capitalista.  As teorias socialistas podem ser definidas por um conjunto de ideias que criticam o modelo capitalista industrial. Essas críticas concentram-se, principalmente, na propriedade privada dos meios de produção e na desigualdade da distribuição das riquezas.  Algumas ideias socialistas tem uma visão reformista (moderada) sobre a situação e outras críticas socialistas tem uma visão mais revolucionária (radical).
  • 4. Aumento da produção de riqueza e aumento da pobreza: uma contradição?  A questão social do século XIX: Muitos analistas perceberam que ó desenvolvimento do capitalismo, embora produzisse um aumento nunca visto na produção de riquezas materiais, não significou a eliminação da pobreza, muito pelo contrário, a intensificou. O aumento da riqueza não significou a sua distribuição pelos diversos setores da sociedade, mas concentrou-se nas mãos dos mais ricos, ou melhor, dos donos dos meios de produção (ou burguesia, ou capitalistas).  Desta maneira, diversas teorias sociais no século XIX buscarão formular respostas para este problema.
  • 5.
  • 6. O Liberalismo  Principais ideias:  —  Direitos individuais (ênfase na liberdade e PROPRIEDADE).  —  Liberdade de comércio e produção.  —  Leis naturais da economia (oferta e procura, livre concorrência...).  —  Liberdade de contrato de trabalho (salários e jornada).  —  NÃO INTERVENÇÃO do Estado na economia.  —  ADAM SMITH (1723 – 1790) – “A Riqueza das Nações”. A liberdade de mercado e a “mão invisível”  —  THOMAS MALTHUS (1766 – 1834) – “Ensaio sobre a população”  —  Teórico da “miséria inevitável”.  —  Alimentos crescem em proporção aritmética e população em proporção geométrica.  —  Guerras e epidemias = equilíbrio entre a população e produção.  —  Contenção da natalidade.  —  Limitação de assistencialismo.  —  Lei dos pobres (1834) – Workhouses  —  Confinamento de miseráveis.  —  DAVID RICARDO (1772 – 1823) – “Princípios da economia política e tributação”  —  Lei férrea dos salários: salários = mínimo para subsistência.
  • 7.
  • 8. Positivismo e Doutrina Cristã  DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA  —  Papa Leão XIII.  —  Encíclica RERUM NOVARUM (1891).  —  Contra a exploração de operários.  —  Contra a luta de classes e o marxismo.  —  Religião: instrumento de reforma e justiça social.  —  Apelo ao “espírito cristão” dos empregadores para respeitassem os operários.   5 – POSITIVISMO  —  AUGUSTE COMTE (1798 – 1857).  —  Ignorância = fonte dos problemas.  —  Ciência = evolução (caminho para a resolução dos problemas).  —  Governo: elite intelectual.  —  Contra a democracia (possibilidade dos ignorantes interferirem politicamente).  —  Lema: “ORDEM E PROGRESSO”.
  • 9.
  • 10. Socialismo Utópico  Ideologia reformista;  Alguns pensadores socialistas tinham uma visão tão romantizada sobre a sociedade, que suas ideias foram consideradas uma utopia (sonho);  Esses pensadores não promoveram análises “científicas” sobre o processo capitalista e julgavam que o “bom caráter” da sociedade em geral, seria suficiente para promover uma sociedade mais igualitaria. Em outras palavras, os socialistas utópicos, como ficaram conhecidos, acreditavam que a burguesia abdicaria de parte dos seus bens para a construção de uma sociedade mais justa.
  • 11. Socialistas Utópicos Saint-Simon (1760-1825)  Crítica ao “tripé de dominação”: clero, nobreza e  militares”.  Não crítica a camada de proprietários;  Não aponta para o fim da propriedade privada;  Defende um governo de “sábios” (influência da  “ República” de Platão).
  • 12. Socialistas Utópicos Charles Fourier (1772-1837)  Criação de fazendas comunitárias isoladas do mundo capitalista (Falanstérios);  Crítica às divisões em classes sociais;  Os Falanstérios agroindustriais não obtém êxito.
  • 13. Socialistas Utópicos Robert Owen (1771-1858)  IDEAL : comunidade com total igualdade entre os seus  membros;  Criação de uma fábrica com as seguintes melhorias assistencialistas:  10 horas de jornada de trabalho;  Fundo de pensão;  Creches, centros de recreação;  Apesar de seus esforços, suas tentativas de estabelecer núcleos cooperativos na Inglaterra não foram bem sucedidas.
  • 14. Socialismo Científico (Marxismo)  Ideologia revolucionária;  Crítica estrutural ao capitalismo (procuraram compreender a dinâmica do capitalismo – origem, desenvolvimento e contradições – para dessa forma, superá-lo);  Análise “científica” dos mecanismos de funcionamento do capitalismo;  Para os socialistas científicos, também conhecidos como marxistas, a única forma de se atingir uma sociedade mais igualitária seria através da revolução proletária.
  • 15. Socialistas Científicos Karl Marx (1818-1883) Friedrich Engels (1820-1895)
  • 16.
  • 17. Conceitos Marxistas  Materialismo Histórico: parte do pressuposto de que todos os grandes movimentos políticos, sociais e intelectuais da história têm sido determinados pela relações sociais de produção, historicamente determinadas. Em outras palavras, o modo de produção da vida material condiciona o conjunto dos processos da vida social, política e cultural, enfim, o sistema de valores, a ideologia.
  • 18. Conceitos Marxistas  Materialismo Dialético: tem como base a ideia de que o mundo não pode ser considerado um complexo de fenômenos acabados, mas de processos em que as relações e os reflexos delas estão em constante movimento. Isso quer dizer que cada sistema econômico em particular está baseado em padrões definidos de produção e de troca que se expandem até alcançar um ponto de máxima eficiência. A partir desse momento, manifestam-se e se desenvolvem contradições internas que trazem consigo os elementos da sua destruição e os fundamentos de um sistema novo que substituirá o antigo, ao mesmo tempo, em que lhe absorve as características mais valiosas.
  • 19. Conceitos Marxistas  Luta de Classes: era o motor da história. Para Marx e Engels enquanto houvesse diferença social, haveria a luta de classes, isto é, o enfrentamento entre setores sociais antagônicos. No caso do capitalismo industrial, este enfrentamento coloca em oposição a Burguesia e o Proletariado.
  • 20. Conceitos Marxistas  Mais-Valia: para Marx e Engels a divisão social do trabalho na sociedade capitalista levou uma pequena parcela de pessoas a se apropriar dos meios de produção. A um outro grupo, os proletários, restou apenas a propriedade do corpo e da força de trabalho. Os detentores dos meios de produção compram a força de trabalho dos proletários e impõem condições de trabalho com o objetivo de gerar lucros. Marx e Engels acreditavam que uma das formas de exploração capitalista mais eficiente é a mais-valia, que seria a diferença expressa entre o valor do que o trabalhador produz e o que ele recebe em forma de salário. Segundo eles, o trabalhador nunca recebe o valor total do fruto do seu trabalho.
  • 21. Acompanhe o exemplo  Uma fábrica de bolsas contrata um operário para trabalhar 8 horas por dia. Ele recebe um salário de R$ 24,00 ao dia, o que equivale a R$ 3,00 por hora e a R$ 720,00 por mês. Esse operario fabrica 200 bolsas por mês e o empresário vende cada uma por R$ 150,00. Para cada bolsa, vamos admitir que sejam gastos R$ 100,00 em matéria-prima, energia elétrica e outros insumos. Ainda sobraria R$ 50,00 de lucro por bolsa vendida, ou seja, a cada 200 bolsas produzidas e vendidas, o operário ganha R$ 720,00 e o empresário R$ 10.000,00. Digamos que esse operário consiga produzir, em média, 6 bolsas por dia. Ele recebe R$ 24,00 e o capitalista recebe R$ R$ 300,00. Nesse caso a mais-valia corresponderia a R$ 276,00 por dia.
  • 22. Conceitos Marxistas  Revolução Socialista e Comunismo: para Marx e Engels, a superação do capitalismo e a construção de uma sociedade sem classes só seriam possíveis por meio de uma revolução socialista, conduzida pelos trabalhadores. O estágio seguinte da humanidade seria o comunismo, uma sociedade sem classes, sem propriedade privada dos meios de produção e sem Estado, na qual cada pessoa trabalharia de acordo com suas capacidades e receberia um salário proporcional às suas necessidades.
  • 23. Anarquismo  A palavra anarquismo, de origem grega, não significa desordem e sim “sem governo”. Por essa razão, os teóricos anarquistas discutiram a possibilidade de consolidar uma sociedade na qual os seres humanos se afirmariam por meio de uma ação própria em um contexto sociopolítico de liberdade, sem a opressão da Igreja e dos governos. Eles rejeitavam qualquer autoridade porque viam nela a fonte básica dos males humanos. Também não admitiam o Estado e sua organização burocrática, considerando-os responsáveis pela consolidação da ordem política, econômica e social da burguesia.
  • 24. Anarquismo  Para o movimento anarquista, o ser humano deve viver sem Estado, a partir de uma gestão comunitária, ou seja, por meio da cooperação. Em livre associação, os indivíduos seriam capazes de produzir e distribuir a riqueza produzida de acordo com suas necessidades.  O movimento conviveu com um sério paradoxo: mesmo contrários a qualquer forma de autoritarismo e ao uso da força, os anarquistas admitiam esse método para a derrubada da autoridade e a instauração da condição ideal, ou seja, a sociedade anarquista.
  • 25. Pensadores Anarquistas Pierre-Joseph Proudhon (1808-1865):  “ A propriedade é um roubo”;  Destruição do Estado;  Autogoverno dos trabalhadores; Mikhail Bakunin (1814-1876):  Radicalização da teoria anarquista;  Anarquismo terroristas;  Ataque aos chefes de estado e representantes do poder;  “ O mundo será um lugar melhor quando o último burguês morrer enforcado nas tripas do último padre e afogado no sangue do último militar”. Pensadores mais recentes: Erico Malatesta e Leon Tolstoi.
  • 26. Anarcossindicalismo  Foi a tentativa de organizar coletivamente o movimento anarquista. Teve importância no movimento operário mundial, incluindo o Brasil. Essas ideias chegaram ao Brasil no início do século XX através dos imigrantes italianos.  Os seguidores dessa corrente defendiam a destruição da ordem liberal burguesa e a construção de uma sociedade de indivíduos livres. Os anarcossindicalistas acreditavam que a transformação da sociedade só seria possível com a ação direta dos trabalhadores, por meio de uma greve geral dirigida pelos sindicatos.