SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Luterana do Brasil

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE BELEZA




                    VISAGISMO




                   Wilson Massalino




                     Goiânia - GO

                         2011
Wilson Massalino




                        VISAGISMO




FERRAMENTA AUXILIAR PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA
  ADEQUADA IMAGEM VISUAL PARA OS CLIENTES DE
              SALÃO DE BELEZA




                                    Trabalho de Conclusão de Curso para obtenção
                                    do    Título   de    Tecnólogo     do  Curso
                                    Superior de Tecnologia em Gestão de Beleza
                                    da Universidade Luterana do Brasil




       Orientadora: Prof. Luciana de Lara Pontes Ferreira


                         Goiânia - GO

                             2011
DEDICATÓRIA

Aos meus pais, por tudo o que me ensinaram e que continuo a aprender com eles.
AGRADECIMENTOS

Agradeço a todos que estiveram presentes em minha vida durante esta jornada, em especial às
  minhas Tutoras Chirlany Medanha e Luciana Lara, pelo estímulo e inspiração. À minha
               esposa Kelen Regina, pelo amor e paciência. Muito obrigado.
Não existe mulher sem beleza, somente belezas
que não foram reveladas.



                                 Fernand Aubry
LISTA DE FIGURAS



FIGURA 1 - Série visagismo: Beleza sangüínea.....................................................................13

FIGURA 2 - Série visagismo: Beleza colérica........................................................................15

FIGURA 3 - Série visagismo: Beleza melancólica..................................................................17

FIGURA 4 - Série visagismo: Beleza fleumática....................................................................19

FIGURA 5 - Série visagismo: Beleza interior.........................................................................27

FIGURA 6 - Quadro formatos e personalidades....................................................................32

FIGURA 7 - As feições e seus significados no visagismo......................................................35

FIGURA 8 - Alguns exemplos dos benefícios gerados pelo visagismo..................................41
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO......................................................................................................................8

2 VISAGISMO - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA..............................................................9

2.1 Rosto e identidade............................................................................................................10

2.2 Os temperamentos.............................................................................................................11

2.2.1 Classificação dos temperamentos.................................................................................12

2.2.1.1 Tipo sanguíneo.............................................................................................................13

2.2.1.2 Tipo colérico................................................................................................................15

2.2.1.3 Tipo melancólico.........................................................................................................17
2.2.1.4 Tipo fleumático............................................................................................................19
2.3 A Análise de corpo............................................................................................................21
2.3.1 O modo de andar............................................................................................................22
2.3.2 O modo de sentar...........................................................................................................23
2.3.3 Os gestos..........................................................................................................................24
2.3.4 O comportamento..........................................................................................................25
2.4 A análise de rosto..............................................................................................................27
2.4.1 Os formatos de rosto......................................................................................................29
2.4.2 O perfil............................................................................................................................33
2.4.3 As feições.........................................................................................................................34
2.4.3.1 A testa...........................................................................................................................36
2.4.3.2 Olhos e as sobrancelhas..............................................................................................37
2.4.3.3 O nariz..........................................................................................................................39
2.4.3.4 A boca...........................................................................................................................40
2.4.3.5 O queixo.......................................................................................................................41
3 METODOLOGIA................................................................................................................42
4 CONCLUSÕES FINAIS......................................................................................................43
REFERÊNCIAS......................................................................................................................44
ANEXOS..................................................................................................................................45
1 INTRODUÇÃO



    Derivada do francês visage (rosto), visagismo é a arte de criar uma imagem pessoal que
valoriza as características físicas e revela as qualidades da personalidade do indivíduo através
do uso de cosméticos, colorações, cortes de cabelo e penteados. Não se trata de uma técnica
em si, mas de um conjunto de conhecimentos que pode auxiliar o profissional da beleza a
encontrar uma harmonia no visual das pessoas que se entregam aos seus cuidados.

    Na atual sociedade, a busca pela perfeição estética têm se tornado cada vez mais uma
verdadeira obsessão para muitas pessoas que, infelizes com seus visuais, buscam adequação
à rígidos padrões ditados pelas mídias e com isso se submetem a soluções estéticas que nem
sempre são as melhores para si e nem se dão conta de como isso pode afetar seus
relacionamentos e seu estado emocional. O visagismo busca justamente a harmonia entre
esses indivíduos e sua imagem pessoal. Aprender a observar a cada pessoa como única, com
seus traços de personalidade que podem ser evidenciados ou amenizados com a composição
de seus visuais de acordo com a imagem que desejam expressar para o mundo. Com o
conhecimento desse conceito, os profissionais da área de beleza e estética terão uma
ferramenta a mais para melhor atenderem aos anseios e necessidades de seus clientes.
Conseguirão explicar o que a imagem está expressando e saberão criar uma imagem pessoal
que manifeste um conceito, uma intenção para esse indivíduo. A utilização do visagismo por
parte do profissional da beleza pode ser um o diferencial perante o mercado e seus
concorrentes, pois é uma ferramenta que auxilia o profissional a personalizar o seu serviço,
alcançando assim um resultado mais íntimo, em perfeita sintonia com seu cliente.

    No presente trabalho visamos apresentar o conceito de visagismo, dando uma
compreensão global de seu significado; explicar suas origens e em quais conceitos se
baseiam; as análises a serem feitas de temperamentos, formatos de corpo e rosto e a aplicação
do conceito. Com isso, pretendemos expor ao leitor e principalmente ao profissional da beleza
uma importante ferramenta para auxiliar a construção de uma imagem pessoal em seus
clientes que reflita a essência do que é esse indivíduo e o que ele deseja expressar para o
mundo.
2 VISAGISMO - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

    Segundo Philip Hallawell, artista plástico brasileiro e estudioso do assunto, visagismo é a
arte de criar uma imagem pessoal que revela as qualidades interiores de uma pessoa, de
acordo com suas características físicas e os princípios da linguagem visual, por meio da
maquilagem, do corte, da coloração e do penteado do cabelo.

    Autor de dois livros sobre o assunto, Visagismo - Harmonia e Estética e Visagismo
Integrado: Identidade, Estilo e Beleza (ambos pela Editora Senac) Philip Hallawell é a
referência no Brasil sobre o assunto. Em seus livros, ele revela as características do rosto
humano, quais são e como reconhecê-las: a estrutura e a anatomia da cabeça, os formatos de
rosto e as proporções do rosto e do corpo.

    Vários aspectos dos livros são inéditos e revolucionários. Pela primeira vez, a linguagem
visual é explicada, de maneira clara e detalhada, cujo conhecimento e domínio permitem que
o profissional de beleza faça um trabalho consciente e dirigido, sem que dependa unicamente
da intuição.

   O que você deseja expressar pela sua imagem?

    Os aspectos discutidos nessas obras giram em torno dessa questão - primordial para o
trabalho do visagista. Os textos mostram como elaborar um estilo, usando algumas
ferramentas como a análise do temperamento da pessoa, análise do comportamento e
características físicas. Discutem também questões como identidade, personalidade, estilo e
beleza e estimula o público geral a se analisar e questionar o que deseja expressar.

   É, portanto, com base nesses textos, que desenvolvemos o trabalho a seguir.
2.1 Rosto e identidade


   O rosto é a identidade da pessoa. Ao se olhar no espelho, você diz que se vê, não que vê
seu rosto. Por isso, o aspecto mais importante na construção da imagem pessoal é a relação
do rosto com o senso que cada pessoa tem da própria identidade.
   Segundo Philip Hallawell, artista plástico brasileiro e estudioso da linguagem visual, nós
atribuímos valores ao rosto das pessoas. Pense em alguém. Surgirá em sua mente a imagem
do rosto dessa pessoa. Essa imagem também trará sensações, positivas ou negativas, de
simpatia ou antipatia, de admiração ou desprezo. Mesmo se você não conhecer pessoalmente
esse alguém, como por exemplo, um ator famoso. Ao falar de identidade, Philip se refere ao
que o rosto expressa do ser das         pessoas, muito mais profundo do que o simples
reconhecimento físico. É esse rosto, essa “constituição visual”, que muitas vezes pode estar
ou não expressando realmente o íntimo da pessoa. Uma pessoa, por exemplo, pode ser
criativa, dinâmica, extrovertida e estar “escondida” sob um visual que a faça parecer
introvertida, quieta, tímida.
   Cortes de cabelos, penteados, formas de ondas e cachos, o formato das sobrancelhas e os
pelos faciais interagem com o formato do rosto e das feições, podendo acentuar ou amenizar
essas características na apresentação visual de cada indivíduo. Por isso, a necessidade de
conhecer a linguagem visual, aprender a “ler” o rosto das pessoas, para, a partir dessa leitura,
ajudá-la a expressar a sua verdadeira identidade através de seu visual.
2.2 Os temperamentos


   Ninguém é igual a ninguém. Nem física ou psicologicamente. Por isso, quando falamos
em avaliar a personalidade de alguém precisamos ter muita cautela.
   No visagismo não é preciso entrar numa avaliação tão profunda da personalidade do
cliente. Esse conceito é baseado no princípio de que beleza existe quando as qualidades
interiores da pessoa são reveladas, com harmonia e estética. É um processo individualizado,
que se inicia avaliando quem é o cliente e do que necessita.


                                   QUEM É O SEU CLIENTE?


   O visagista precisa lançar mão de um método que permita avaliar a personalidade do
cliente em pouco tempo e que não seja muito complexo, mas suficientemente profundo para
que possa reconhecer as características básicas da pessoa a quem irá prestar a consultoria.
   O método proposto por         Hallawell baseia-se numa das primeiras classificações da
personalidade humana, a de Hipócrates (O pai da medicina), e na teoria de que a
personalidade se manifesta fisicamente. A personalidade de uma pessoa se desenvolve ao
longo de muitos anos e é determinada por um conjunto de fatores: sua herança genética, a
cultura do meio em que se vive, sua educação e suas experiências pessoais. O rosto do
indivíduo também se desenvolve ao longo de muito tempo, e atinge sua forma definitiva
somente aos 23 anos de idade, acompanhando e refletindo a evolução da sua personalidade.
   Philip afirma que podemos ler o rosto de uma pessoa minuciosamente se soubermos o
significado das quatro linhas (verticais, horizontais, inclinadas e curvas) e conseguirmos
identificá-las no formato dos rostos e das feições. São essas linhas que ajudarão a identificar o
que trataremos a seguir: os temperamentos. Após conhecê-los, iremos ver como identificá-los
através dessas citadas linhas.
2.2.1 Classificação dos temperamentos


   No sistema de avaliação dos temperamentos das pessoas criado por Hipócrates, há quatro
categorias: Sanguíneo, Colérico, Melancólico e Fleumático. Todas as pessoas apresentam
características das quatro categorias, mas em graus diferentes. Essas características têm
aspectos positivos, chamados de forças, e negativos, chamados de fraquezas. Algumas
pessoas apresentam um temperamento dominante, enquanto outras uma mistura de dois ou até
três temperamentos.
   A seguir apresentaremos os diversos tipos de temperamento:
2.2.1.1 Tipo sanguíneo




             Figura 1 - "Série Visagismo: Beleza Sangüínea" (2005) - pastel seco
                                Philip Hallawell - 32,5x50 cm

   CARACTERÍSTICAS POSITIVAS – Extroversão, comunicabilidade, motivação,
festividade, alegria de viver e energia. É impetuoso, muito curioso e se interessa
principalmente por novidades, o que o faz ser criativo e inovador. É espirituoso e rápido.
Marca presença e sempre acaba sendo o centro das atenções. Trabalha e interage bem com
outras pessoas porque gosta de estar na companhia delas; facilmente cria empatia. Não gosta
de rotina nem de lugares fechados, pois precisa de espaço. Não tem medo de se aventurar em
algo novo, é audacioso e tem muita iniciativa. Tem boa intuição e é espontâneo e
transparente. Gosta de coisas vistosas, coloridas, luminosas e brilhantes.
     CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS - Irregularidade, inconstância, desorganização e
falta de estrutura. Pode perder o foco facilmente e ter dificuldade de se concentrar, além de às
vezes abandonar tarefas sem completá-las. Pode tornar-se superficial e frívolo. Também é
vaidoso, esquecido e genioso, podendo ter acessos de raiva. Pode oscilar entre a euforia e a
depressão.   Sua extroversão pode torná-lo inconveniente, intrometido e barulhento. Sua
visibilidade o faz ser alvo de brincadeiras e piadas, que assimila bem quando não são
maldosas. Sua impetuosidade pode colocá-lo em situações difíceis e seu gosto por aventuras
e riscos o faz às vezes imprudente.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS - Esse tipo é ágil, atlético e musical, tem muita energia.
Isso faz com que tenha a tendência de ser bom dançarino e bom atleta. Gesticula muito, com
movimentos rápidos, expressivos e largos. A fala é clara e articulada. Come rapidamente, com
preferência para pratos leves e jantares informais. Gosta de roupas soltas e ornamentos
vistosos. Seu rosto tem formato angular, geralmente hexagonal com lateral reta ou losangular.
O perfil é triangular, coma a testa inclinada. O cabelo é castanho, castanho claro ou loiro
dourado, mas não muito claro. Geralmente tem o nariz grande, arrebitado ou proeminente,
olhos amendoados ou grandes, boca expressiva e sorriso cativante.
   A cor do sanguíneo é o amarelo, portanto do grupo das cores quentes. Seu elemento é o
ar, leve e transparente.
   As linhas inclinadas, por expressarem dinamismo, energia e impulsão, quando
encontradas nos formatos do rosto, nas feições e nos gestos, são indicadores de características
sanguíneas.
2.2.1.2 Tipo colérico




             Figura 2 - “Série Visagismo: Beleza Colérica" (2005) - pastel seco
                             Mi-Teintes Vermelha - 32,5x50 cm


    CARACTERÍSTICAS POSITIVAS - É determinado, persistente, objetivo e explosivo. É
passional, emotivo, dramático e intenso. Gosta de liderar, resolver problemas e tomar a
iniciativa. É rápido e busca resultados. É motivado pelo desafio. Também é leal, fiel e
generoso, o que faz abominar a traição. Procura o domínio, mas não precisa ser o centro de
atenções. É forte, corajoso e tem grande poder de concentração. Gosta de luxo. Pode ser
extrovertido, mas geralmente é reservado. Direto e franco, não gosta de rodeios e insinuações.
Apesar de não apreciar ser contrariado, aceita opiniões divergentes se forem bem
fundamentadas e servirem a seus propósitos. Embora seja temperamental, não guarda rancor.

    CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS - As fraquezas do tipo colérico são a impaciência,
a intolerância e o autoritarismo. Ele é competitivo e combatente, podendo ser violento,
raivoso e explosivo. Na raiva é imprudente. Não tolera o que entende como fraqueza nos
outros, especialmente quando está em busca de algo, o que o faz parecer insensível. Nessas
ocasiões, pode até se tornar cruel. Procura sempre dominar, mas não controlar, e isso pode
levá-lo a criar atritos e a ser brusco e imperioso. Tem dificuldade de delegar poderes, sendo
centralizador. Sua franqueza pode levá-lo a ser indelicado ou rude. Também lhe falta sutileza.
Sua postura e expressão com freqüência intimidam os outros. É vaidoso, orgulhoso e
dificilmente aceita seus erros publicamente, tendo a tendência de transferir a culpa ou buscar
uma desculpa. Sua intensidade faz com que tenha dificuldade de se divertir e relaxar. De
todos os tipos, é o que mais facilmente se vicia em trabalho, bebida, drogas, jogos ou afins,
porque tem a tendência de ser obsessivo. Também é bagunceiro, mas não desorganizado, e
sua pressa e a busca por resultados podem fazer com que seja desatento a detalhes. Não
suporta ser pressionado ou controlado.

    CARACTERÍSTICAS FÍSICAS - Geralmente tem o pescoço e ossos fortes. Sua postura
é ereta. A constituição física do colérico é atarracada, com facilidade de engordar na região
da barriga, porque gosta de comer, especialmente comidas bem temperadas e doces. Engole
tudo rapidamente. Não gosta de roupas apertadas, especialmente na região do pescoço. Sua
fala é arrastada e cinestésica, ou forte e rápida.

    O rosto do colérico tem formato quadrado, com queixo forte e pronunciado, mas também
pode ser um hexágono com a base horizontal ou o triangular. Seu olhar é penetrante e
intenso, com olhos espaçados. As sobrancelhas são retas e grossas. A boca pode ser carnuda e
sensual e o nariz largo. O perfil é reto, com a testa pronunciada e reta. O cabelo é ruivo,
castanho médio ou marrom avermelhado.

    A cor do colérico é o vermelho-alaranjado, também do grupo das cores quentes. Seu
elemento é o fogo, quente e passional. As linhas retas, horizontais e verticais, por expressarem
força, segurança e poder, quando encontradas nos formatos de rosto, feições e gestos, são
indicativas de características coléricas.
2.2.1.3 Tipo melancólico




 Figura 3 - “Série Visagismo: Beleza melancólica" (2005) - pastel seco e lápis pastel – Philip
                                  Hallawell - 32,5x50 cm

   CARACTERÍSTICAS POSITIVAS - Há dois tipos de melancólicos: o artístico e o
científico. Ambos são organizados, disciplinados, detalhistas, pragmáticos e perfeccionistas.
São pacientes, profundos e pensativos. O tipo artístico é sensível, mas não demonstra grande
entusiasmo ou emoção, embora seja romântico e delicado. É confiável e muito competente,
porque sempre busca a perfeição. O tipo científico é mais frio do que o tipo artístico. É
cerebral e lógico, muito organizado, sistemático e detalhista. Ambos os tipos têm grande
poder de concentração, disciplina, paciência e persistência, finalizando tudo o que começam.
Respeitam os outros, são discretos e procuram nunca ser inconvenientes ou intrometidos.
     CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS - Suas fraquezas são a ansiedade, a indecisão e o
perfeccionismo excessivo. É introvertido, tímido, quieto e retirado. Não gosta de ser o centro
das atenções. Tem dificuldade de se impor e de confrontar situações ou pessoas. Pode ser
rancoroso e vingativo. Sua falta de emoção pode constranger os outros e fazê-lo parecer
antipático. Precisa se sentir no controle, o que pode torná-lo um controlador de fato. Não sabe
lidar bem com o inesperado e o novo e tem medo do desconhecido ou do que não conhece
bem. Por isso segue regras e é conservador, o que prejudica sua criatividade. Pode também se
tornar rígido, excessivamente exigente e inflexível, porque quer sempre perfeição e tudo sob
controle. Dessa forma, não é espirituoso. Pode ser arrogante, especialmente acerca de
questões intelectuais. Também pode exigir demais de si próprio, desenvolvendo sentimentos
de incapacidade e problemas de autoestima.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS - O tipo melancólico tende a ser magro, longilíneo e
angular. Seus gestos são precisos e graciosos. Seu porte é ereto. Gosta de roupas finas e
modeladas e ornamentos graciosos, mas não vistosos. Raramente descuida da aparência em
público. Come devagar e pouco, mas aprecia a boa culinária. Fala rápido e não muito
claramente. O formato do rosto do melancólico artístico é geralmente oval, mas também pode
ser triangular invertido; o do científico é um retângulo comprido e fino. O perfil é curvo, no
tipo artístico, e reto no tipo científico. As feições são, geralmente, agrupadas, pequenas,
arredondadas e delicadas. O nariz é longo e fino. A testa é alta. Os olhos são caídos, o que lhe
dá um ar de tristeza. O queixo é, freqüentemente, retraído e os lábios do tipo científico são
geralmente estreitos. Sua cor é o azul, portanto, do grupo de cores frias. Seu elemento é a
terra, rígida e segura. As linhas curvas, por expressarem lirismo, sensibilidade e delicadeza,
quando encontradas nos formatos de rosto, feições e gestos são indicadores de características
melancólicas, do tipo artístico. O tipo científico é composto por linhas retas verticais finas e
rígidas.
2.2.1.4 Tipo fleumático




 Figura 4 - “Série Visagismo: Beleza Fleumática" (2005) - pastel seco e lápis pastel Roxa –
                               Philip Hallawell - 32,5x50 cm

   CARACTERÍSTICAS POSITIVAS               -   É diplomático, pacificador, místico e com
tendência a ser bonachão. É muito amigável, agradável e geralmente alegre e sorridente. É
extremamente calmo e dificilmente se zanga, mas também, raramente demonstra grandes
emoções. Não gosta de confrontos e de desavenças. Procura agradar os outros e fazer com que
todos se sintam bem. Não é competitivo. É bom ouvinte. Não é apegado a coisas materiais,
sendo desprendido e generoso, e se contenta com pouco. Compartilha o que tem e não é
possessivo. É constante, paciente, confiável, fiel e leal. É adaptável, embora não goste de
mudanças, porém se conforma facilmente. É motivado somente pela busca de segurança.
   CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS - É freqüente que esse tipo pareça desinteressado.
Ele pode ser apático, acomodado e alienado. Tem dificuldade de tomar decisões e se puder,
transfere essa responsabilidade aos outros. Tem pouca ambição e iniciativa. Pode ser vago. É
resistente a mudanças, por ser muito acomodado e conservador. Sua busca pela segurança o
faz fugir de situações de risco e assim acaba perdendo muitas oportunidades. É previsível e
pouco criativo. Não gosta de assumir posições de responsabilidade ou de liderança.
   CARACTERÍSTICAS FÍSICAS - É o tipo que menos se importa com sua aparência,
podendo chegar a ser desleixado. Tem tendência a engordar. Gosta de roupas confortáveis e
simples, sem se preocupar com o estilo. Usa poucos ornamentos. Costuma comer devagar e
muito, sem preferências. Sua fala é lenta e arrastada. O rosto do fleumático no geral é
redondo, mas também pode ser triangular, quadrado largo ou até oval. O queixo é,
geralmente, retraído. As feições são regulares e arredondadas. As características mais
evidentes são os olhos cerrados, com pálpebras grandes e pesadas, o que lhe dá um olhar
cansado, e o lábio inferior maior que o superior e protuberante, como se estivesse “fazendo
beiço.” A cor do fleumático é o roxo, também do grupo das cores frias. Seu elemento é a
água, fluída e mutável. As formas amorfas e indefinidas, por expressarem fluidez e mutação, e
as linhas retas horizontais, por expressarem imobilidade, quando encontradas nos formatos de
rosto, feições e gestos, são indicadores de características fleumáticas.




   Para finalizar, Philip Hallawell nos lembra de que nossa personalidade é formada por uma
mistura única de qualidades e fraquezas de todos os temperamentos, mas que nossas
características se concentram em um ou dois tipos. Ou seja, se você se identifica com o tipo
sanguíneo, isso não quer dizer que terá todas as forças e fraquezas desse temperamento.
2.3 A análise de corpo


   A análise de uma pessoa começa observando-a de longe. Se estiver sentada, observe se
cruza as pernas e como é a estrutura de seu corpo. Se estiver em pé, observe seu porte, a
ossatura, as proporções, especialmente a proporção da cabeça em relação ao corpo e os gestos.
A mais importante característica do corpo, como um todo e em termos estéticos, é a proporção
da cabeça em relação ao corpo. Se a cabeça é grande em relação ao corpo, cabelos volumosos
podem acentuar o desequilíbrio. Ao contrário, cabelos curtos em cabeças pequenas fazem
com que elas pareçam ainda menores.
   A seguir, veremos separadamente cada item da análise corporal: o modo de andar, o
modo de sentar, os gestos e o comportamento.
2.3.1 O modo de andar


   Um dos exercícios mais interessantes é observar uma pessoa que esteja andando à sua
frente e tentar decifrar seu temperamento somente pelo andar.
   Comece observando que parte do pé a pessoa coloca primeiro no chão. Depois observe
sua postura enquanto anda, para onde olha e a velocidade com que caminha.
   Se a pessoa pisar na parte da frente do pé, seu andar será leve e com balanço, como se
estivesse andando sobre uma mola. Ela também tenderá a andar de um modo rápido e
descuidado. Esses são indícios de pessoas com características sanguíneas. As pessoas
sanguíneas também andam olhando para os lados e até para trás, o que faz com que tropecem
com freqüência. O corpo se movimenta como um todo.
   Quando a pessoa começa as suas passadas com o calcanhar, o andar se transforma quase
numa marcha, dura, forte, e determinada. A movimentação em geral é rápida, como se a
pessoa tivesse urgência em faze algo, É uma característica de pessoas coléricas. Os coléricos
olham para frente e andam eretos e duros, numa postura que pode intimidar outros pedestres,
que se desviarão de seu caminho.
   O andar que revela um temperamento melancólico é cuidadoso e deliberado. Os passos
são curtos e a pessoa coloca a sola inteira do pé no chão. O ritmo do andar dependerá de seu
estado de espírito. Os melancólicos podem andar eretos como os coléricos, mas não com a
mesma determinação. Muitos ficam olhando para o chão, observando por onde caminham, o
que provoca uma postura arcada.
   O andar arrastado e devagar, em que o corpo balança de um lado para o outro, é
característico de um temperamento fleumático. O andar dele é solto, vago e sem postura, e a
pessoa freqüentemente caminha com as mãos no bolso, olhando para o chão, como se
estivesse passeando sem rumo definido ou sem compromisso.
2.3.2 O modo de sentar
   Note como uma pessoa se senta numa cadeira e também como permanece sentada.
Monitore seus clientes à distância, enquanto estão à vontade e não sabem que estão sendo
observados. Quando uma pessoa caminha até sua bancada de trabalho, o andar e o modo de se
sentar podem se alterar – por timidez, ansiedade ou constrangimento.
   Um forte indício dos tipos sanguíneos é se sentar num único movimento, fazendo a
transição do andar para o sentar sem parar. Os sanguíneos quase se jogam no assento. Eles
também têm dificuldade de permanecer quietos e repousados, mexendo-se constantemente.
Muitos se sentam na parte da frente da cadeira, como se estivessem preparados para se
levantar a qualquer momento, cruzam e descruzam as pernas constantemente e dificilmente
ficam em posição ereta.
   A pessoa que se aproxima da cadeira, faz uma leve pausa e se senta com decisão e de
forma pesada, revela características coléricas. O colérico geralmente senta-se ereto, com as
costas firmes contra o encosto da cadeira, podendo cruzar os braços e as pernas. Os homens
geralmente se sentam com as pernas abertas ou cruzam as pernas formando uma figura de
quatro (algumas mulheres também).
   Os tipos melancólicos sempre se sentam com cuidado. As mulheres podem ajustar suas
saias e os homens suas calças, para não amassarem. Sua posição é geralmente ereta; os
tímidos, entretanto, se sentam na parte da frente da cadeira. Os melancólicos também gostam
de cruzar as pernas, ou enganchar os pés atrás das pernas da cadeira. Algumas mulheres
cruzam uma perna sobre a outra e ainda colocam um pé atrás da perna de apoio, formando
uma figura de oito, como se estivessem amarradas.
   A pessoa que geralmente se solta quando se senta, recostada, mas não ereta, demonstra
ter características fleumáticas. Ele gosta de esticar as pernas e de colocar as mãos atrás da
cabeça, assumindo uma posição relaxada.
2.3.3 Os gestos


   As quatro linhas básicas têm características inerentes, que estabelecem o ritmo em que o
olho as percorre. As linhas retas verticais e horizontais são imóveis, as retas inclinadas são
dinâmicas e as curvas são emocionais.
   Isso é claramente percebido nos gestos. Aliás, os gestos são desenhos feitos com as mãos
e os braços. Quando alguém quer ser enfático e decidido, usa gestos verticais; quando não
quer que haja discussão, usa gestos horizontais. Por outro lado, quando se deseja incentivar
alguém para fazer algo, movimentos diagonais são empregados. Os gestos ondulares, por sua
vez, exprimem calma, lirismo e sensualidade, enquanto gestos enrolados revelam emoções
intranqüilas.
   Os sanguíneos e os melancólicos são os mais expressivos nos gestos, por serem os
temperamentos associados à comunicação (sanguíneo) e às artes (melancólico). Os
sanguíneos usam muito as mãos e os braços enquanto falam, com gestos largos, agitados e
enérgicos, contendo muitos movimentos em diagonal ou inclinados. Os melancólicos
gesticulam de maneira discreta, precisa e contida, mas muito expressiva. São movimentos
graciosos e suaves, com ondulações.
   Os coléricos e fleumáticos, por serem mais fechados e reservados, não gesticulam muito.
A exceção fica por conta do colérico, quando ele se emociona. Nesses momentos, utiliza
gestos fortes, contundentes e intensos, com muitas linhas verticais e horizontais. Os gestos
dos fleumáticos são vagos e indistintos. Tanto os coléricos quantos os fleumáticos seguram
muito suas mãos, cruzando os braços ou colocando as mãos nos bolsos. Alguns fleumáticos
chegam a esconder as mãos nas axilas.
2.3.4 O comportamento


   Nos dias de hoje, os jovens – mas não apenas eles – são muito pressionados para serem
dinâmicos, extrovertidos, alegres, fortes e sensuais. Todas essas características são do tipo
sanguíneo ou colérico. Essa pressão influencia as pessoas a adotar um comportamento que
não é seu natural, sufocando seu temperamento.
   O sanguíneo verdadeiro é o tipo mais fácil de ser identificado pelo comportamento. Ele é
naturalmente extrovertido e comunicativo, sendo motivado por novidades e modismos. No
grupo, vai liderar as brincadeiras, contar as piadas, falar alto e gesticular muito. Será sempre a
pessoa mais em evidência e, por essa razão também será o alvo das brincadeiras. Seu
comportamento não é muito diferente em situações corriqueiras, somente menos exagerado.
   Conversa com todos à sua volta, mesmo com pessoas que não conhece, é curioso e
energético.
   Os coléricos não são tão extrovertidos quanto os sanguíneos. Muitos são reservados. Mas
o colérico se sentirá ameaçado se perceber que não detém o poder. Num grupo, ou quando
estiver acompanhado de um sanguíneo, poderá iniciar uma disputa com essa pessoa e assumir
um comportamento muito mais extrovertido do que o normal. No entanto, num grupo mais
íntimo, de amigos, é o colérico quem realmente lidera. Ele vai decidir o que será feito, embora
o sanguíneo talvez dê as opções. O colérico é quem escolhe a mesa, decide onde cada um
sentará, faz o pedido e pede a conta. Se tiver necessidade de exibir seu poder, insistirá em
pagá-la. Ele é decidido e impaciente. Não gosta de indecisão e de informações muito
detalhadas. Prefere um atendimento direto, rápido e objetivo.
   Os melancólicos são naturalmente introvertidos e quietos. Sentem necessidade de controle
e de reconhecimento e são motivados pela busca de perfeição. Num grupo, os melancólicos
são os mais quietos e tendem a desenvolver conversas paralelas, mais íntimas, com quem
estiver ao lado. As tentativas de aparecer perante o grupo podem ser desastrosas,
particularmente quando tentam ser engraçados. Por isso, podem ser o alvo das brincadeiras
dos sanguíneos, às quais terão dificuldade de encontrar respostas. São cuidadosos, detalhistas
e organizados.
   Os fleumáticos são quietos, mais simpáticos e amigáveis. Não gostam de incomodar os
outros. Como dificilmente tomam a iniciativa, não começam conversas. São motivados pela
busca de segurança e estabilidade, desconfiam de novidades e sentem-se ameaçados por
mudanças radicais. Num grupo, os fleumáticos parecem um pouco alheios, desinteressados e
até entediados, mas são observadores e atenciosos.   Preferem roupas muito confortáveis.
Usam pouca maquiagem e acessórios. Sacrificam a beleza pelo conforto e a comodidade.


   Aqui encerramos a análise corporal. Passemos agora à análise do rosto, item muito
importante no estudo do visagismo.
2.4 A análise do rosto




                     Figura 5 - "Série Visagismo: Beleza Interior" (2005)
                          aquarela - Arches Torchon - 38,6x56,5 cm

   A análise do rosto fornece as informações mais reveladoras sobre o temperamento de uma
pessoa e também é essencial para a criação de uma imagem esteticamente harmoniosa. O
método criado por Philip Hallawell é baseado no conhecimento da linguagem visual, porque é
preciso saber como medir as proporções, observar os espaços ao redor do rosto e como
utilizar eixos para determinar o formato deste e a posição exata de uma feição em relação à
outra. Além disso, o método simplifica o processo – sabendo o que as linhas e as formas
expressam, não é necessário memorizar centenas de detalhes.
   Em termos gerais, a análise identifica as linhas inclinadas, verticais, horizontais e curvas,
além de seu direcionamento no formato do rosto e nas feições; verifica o grau de regularidade
nas proporções do rosto como um todo e de cada feição em particular e em relação às outras
feições. A leitura correta dessas linhas é que indicará os traços de personalidade do indivíduo.
   Basicamente, as linhas inclinadas para cima expressam vigor, energia e dinamismo,
características sanguíneas. São indícios, portanto, de aspectos sanguíneos na personalidade
da pessoa. Quanto mais linhas sanguíneas no rosto e nos formatos, mais provável é que a
pessoa seja predominantemente sanguínea.
   Linhas inclinadas, que se direcionam para baixo nas feições, no entanto, são indícios de
características melancólicas.
As linhas verticais são de estrutura e controle, enquanto as horizontais são de estabilidade.
O rosto pode conter essas linhas isoladamente ou em conjunto. Quando há tanto as verticais
quanto as horizontais teremos formatos quadrados ou retangulares largos, sugerindo aspectos
coléricos, pois essas formas manifestam força, poder e segurança. A predominância de linhas
verticais, que expressam controle, indica características melancólicas, do tipo científico,
enquanto a presença de muitas linhas horizontais sugere que a pessoa seja principalmente
fleumática.
   Linhas curvas revelam diversos tipos de emoções – sensibilidade, delicadeza, lirismo,
alegria, sensualidade ou conturbação – dependendo do seu tipo de curva e comprimento. Em
geral, são sinais de personalidades melancólicas (sensibilidade) ou coléricas (paixão). Os
formatos redondos, porém, indicam que há propriedades fleumáticas.
2.4.1 Os formatos de rosto


   Há nove formatos básicos de rosto:
1. Oval
2. Redondo
3. Retangular
4. Quadrado
5. Hexagonal com base reta
6. Hexagonal com lateral reta
7. Triangular
8. Triangular invertido/coração
9. Losangular


   Há pessoas cujo formato de rosto cabe perfeitamente dentro de uma dessas formas
geométricas, o que torna fácil analisá-las. No entanto, muitos rostos são mais complexos,
contendo uma variedade de formatos. Nesses casos, é preciso analisar as feições e cada área
do rosto. Também é preciso examinar o formato do perfil, que pode ser reto, curvo ou
angular.
   Na análise do rosto, observa-se, primeiro, a linha lateral do rosto, da maçã até a curva da
mandíbula.
   Imagine uma linha vertical sobreposta à lateral do rosto.
   Dessa maneira você poderá perceber se o rosto forma uma linha vertical, inclinada ou
curva nessa parte.
   Se a linha for curva, o rosto é oval ou redondo. No rosto redondo, a altura do rosto é
somente um pouco maior do que sua largura, enquanto no rosto oval a largura corresponde a
aproximadamente dois terços da altura.
   Se a linha for reta, o rosto é retangular, quadrado ou hexagonal com lateral reta. Nos
rostos retangulares e quadrados, a ponta da mandíbula fica abaixo da linha dos lábios. Se a
ponta estiver na linha dos lábios, ou acima, consideramos o rosto hexagonal com lateral reta,
mesmo que a testa seja arredondada ou retangular. O rosto retangular tem a mesma proporção
do oval (2/3), enquanto o quadrado tem a proporção do redondo (quase 1/1).
   Se a linha for inclinada, o rosto é triangular, triangular invertido, losangular ou hexagonal
com base reta.
No rosto triangular, a linha lateral é inclinada da mandíbula em direção à testa. Esta linha
tem uma inclinação muito pequena, sendo difícil identificá-la. Mas percebe-se claramente
que a testa é mais estreita que o queixo. Esse formato também é chamado de “pêra”, porque a
base do rosto é mais larga do que o topo da cabeça, que pode ser pontudo. Não é um formato
comum, especialmente nas mulheres. Note que, mesmo que a base não seja reta, o rosto é
considerado triangular quando se afina na testa.
   Quando o rosto é triangular invertido, a inclinação da linha lateral do rosto é inversa.
Forma-se uma ponta no queixo e a testa é mais larga do que os maxilares. Uma variação é o
formato de coração, quando as linhas são levemente curvas e há um bico no meio da linha do
cabelo, na testa. Se há uma inclinação da maçã do rosto em direção à testa e o queixo é fino e
pontudo, o rosto é losangular.
   O formato hexagonal com base reta é semelhante ao formato losangular. A diferença está
na largura do queixo, que faz com que o ângulo da lateral do rosto seja menor. Esse formato
também pode ser confundido com o rosto quadrado, se as angulações não forem muito
acentuadas.
   As linhas inclinadas, dinâmicas e instáveis, indicam características sanguíneas Essas são
encontradas nos rostos hexagonais, triangulares invertidos e losangulares. A linha inclinada
do rosto triangular é muito suave para ser considerada sanguínea.
   As linhas verticais finas indicam estrutura e controle e são melancólicas. As verticais
largas expressam força e determinação e são coléricas. Ambas são encontradas nas laterais
dos rostos retangulares, quadrados e hexagonais com lateral reta. Em relação ao formato do
rosto, como não podemos determinar a largura da linha, consideramos a largura do rosto. Daí,
rostos finos são melancólicos e rostos largos são coléricos.
   As linhas horizontais longas expressam imobilidade e revelam características associadas
aos fleumáticos, enquanto as curtas expressam força e estabilidade e são, portanto, coléricas.
São encontradas nos formatos retangulares, quadrados, triangulares e hexagonais com base
reta. Portanto, os rostos triangulares e quadrados têm tendência a serem fleumáticos.
   As linhas curvas são encontradas nos rostos ovais e de formato de coração e, nos formatos
de rosto, revelam características melancólicas. Rostos redondos são fleumáticos.
   Usando nossa observação e o conhecimento do que as linhas e os formatos expressam,
podemos identificar os diversos tipos de personalidade nos formatos do rosto.
   Há dois tipos de melancólicos, o artístico e o científico. O formato mais característico do
melancólico artístico é o oval. O formato de coração também é relacionado ao melancólico
artístico, porém indica maior fragilidade. O formato retangular fino é associado ao
melancólico científico.
   Características fleumáticas são reveladas nos formatos circular, quadrado e triangular. O
circular é o mais indicativo.
   O colérico pode ser identificado pelas linhas retas. O formato mais característico é o
retângulo largo, por ser um formato extremamente firme, que expressa estabilidade e força.
Quando o rosto é quadrado, mas o queixo é retraído, a pessoa manifesta fortes indícios
fleumáticos. O formato hexagonal, com base reta, também é predominantemente colérico,
mas contém aspectos sanguíneos.
   O sanguíneo pode ser visto nos formatos hexagonais, triangular invertido e losangular. O
losango, por ser formado somente por linhas inclinadas, é o que mais caracteriza o sanguíneo.
O hexagonal com lateral reta é predominantemente sanguíneo, mas tem as linhas verticais do
colérico. O triângulo invertido, por apontar para o interior da pessoa, revela introversão, uma
característica melancólica. Pessoas com esse tipo de rosto são geralmente agitadas e instáveis,
como os sanguíneos, e introvertidos, como os melancólicos.
   Vejamos a seguir um detalhamento dos formatos de rosto em quadro:
FORMATO                                   TEMPERAMENTOS

OVAL                                      MELANCÓLICO ARTÍSTICO

REDONDO                                   FLEUMÁTICO/MELANCÓLICO

RETANGULAR                                COLÉRICO (se for largo)

                                          MELANCÓLICO CIENTÍFICO (se for fino)

QUADRADO                                  FLEUMÁTICO ou COLÉRICO

TRIANGULAR                                COLÉRICO ou FLEUMÁTICO

HEXAGONAL BASE RETA                       COLÉRICO com SANGUÍNEO

HEXAGONAL LATERAL RETA                    SANGUÍNEO com COLÉRICO

LOSANGULAR                                SANGUÍNEO

TRIANGULAR INVERTIDO                      SANGUÍNEO ou MELANCÓLICO

CORAÇÃO                                   MELANCÓLICO



                           Figura 6 – Quadro formatos e temperamentos




   O formato do rosto é o que mais reflete a personalidade de uma pessoa, mas, mesmo
assim, não é determinante, portanto precisamos continuar analisando o perfil e as feições.
2.4.2 O perfil


       O perfil reto indica uma personalidade colérica ou melancólica, do tipo científico.
Repare se o rosto é largo ou estreito. Quanto mais largo, mais colérica é a pessoa; quanto mais
estreito, mais melancólica.
       O perfil curvo é indicativo de pessoas melancólicas ou fleumáticas. Quanto mais
retraído o queixo, mais introvertida é a pessoa. Este tipo de perfil é associado a rostos ovais
ou redondos. Se o rosto é oval, quase certamente a pessoa será do tipo melancólico artístico.
Se for redondo ou quadrado, provavelmente é fleumática.
       O perfil angular é criado pela testa inclinada e pelo nariz proeminente, uma das mais
fortes características sanguíneas. Portanto, essa pessoa é quase sempre muito sanguínea. No
entanto, se a linha for inclinada da testa até o queixo, formando um queixo proeminente, a
pessoa terá muitas características coléricas. Se o queixo for retraído, também terá
características melancólicas.
2.4.3 As Feições


   Analisaremos agora cada feição e seus significados. Além do formato das feições, é
preciso observar a proporção de uma feição em relação à outra e a proporção do rosto como
um todo. Isso revela o grau de regularidade e se as feições são espaçadas, direcionadas para
fora do rosto, ou aglomeradas na parte central, direcionadas para dentro do rosto. Quanto mais
espaçadas, mais aberta e extrovertida é a pessoa, do tipo sanguíneo ou colérico. Ao contrário,
pessoas cujas feições estejam aglomeradas expressam uma personalidade centrada, fechada e
introvertida, do tipo melancólico ou fleumático.
   Irregularidade nas proporções é um indício de características sanguíneas.
   A testa e as sobrancelhas são relacionadas com o intelecto. Porém, as sobrancelhas
também fazem parte da área emocional do rosto, junto com os olhos e o nariz. Os olhos
correspondem ao coração, enquanto o nariz corresponde ao pulmão. O formato e as
proporções dos olhos indicam como a pessoa lida com sua emoção. As características do nariz
indicam como age e como é o seu ritmo de vida. A boca é associada à intuição e à expressão,
e o queixo à vontade. Isso é importante porque cada feição revelará como a pessoa lida com
seu intelecto, emoções, vontade, expressão e intuição. Por exemplo, olhos grandes e abertos
mostram que a      pessoa é emotiva, uma característica colérica, mas se os olhos forem
pequenos, abertos e redondos, a pessoa demonstra sensibilidade, um atributo melancólico.
   A figura a seguir ilustra isso:
Figura 7 - As feições e seus significados no visagismo
2.4.3.1 A testa



    Cobrir a testa, com uma franja, por exemplo – é cobrir, simbolicamente, o intelecto.
Pessoas que gostam de cobrir suas testas demonstram que não confiam no seu intelecto.
Isso não quer dizer que não sejam inteligentes, mas que preferem apoiar-se nas emoções
ou na intuição quando se relacionam com a realidade.

    Testas retangulares e largas demonstram força mental, uma característica colérica.
Testas altas, estreitas e arredondadas revelam organização mental, imaginação e
capacidade lógica ou verbal, propriedades melancólicas. A testa proeminente é um sinal
de que a pessoa impõe seu pensamento, algo típico do colérico e do melancólico. A testa
inclinada aponta para uma pessoa impulsiva, sanguínea, porque seu pensamento se
direciona para o nariz, a região da ação. Testas curvas, de frente e de perfil, são indícios
de que a pessoa é sensível e que seu pensamento é voltado para dentro de si. Ou seja,
indica que a pessoa tem grande capacidade reflexiva, mas – por essa razão - pode ser
ansiosa e perfeccionista. A testa estreita também é uma característica do tipo melancólico
artístico. Se for larga, é um atributo fleumático.
2.4.3.2 Os olhos e as sobrancelhas

    Os olhos são extremamente expressivos. Eles revelam a rica variedade das emoções
das pessoas por meio da abertura do olho, do seu brilho e de pequenos movimentos nas
pálpebras e nas sobrancelhas, particularmente nas extremidades internas e externas. Mas
essas emoções passageiras, momentâneas, não devem ser confundidas com o que o
formato e as proporções dos olhos exprimem.

    Os olhos são sempre assimétricos. Um é maior e mais alto do que o outro. Essa
diferença pode ser grande ou sutil e pouco evidente. O olho dominante é geralmente mais
alto, seu olhar mais intenso e mais brilhante. Revela, mais intensamente, as verdadeiras
emoções da pessoa. O outro lado do rosto é a ”máscara”. Estabelecer essa diferenciação é
importante, especialmente quando se pretende cortar uma franja. Se a franja for
direcionada ao olho dominante, um interlocutor terá a tendência de seguir a linha da franja
e olhar para esse lado do rosto. Isso fará a pessoa sentir-se desprotegida e vulnerável, mas
pode ser indicado quando o objetivo for fazer os outros perceberem o que ela realmente
sente e pensa.

    Observe, primeiro, se os olhos são afastados ou próximos um do outro. Quanto mais
afastados ou espaçados, maior o grau de extroversão. Olhos próximos revelam uma
personalidade introvertida, centrada em si e que resguarda suas emoções.

   Em seguida, observe se os olhos são retos, inclinados para cima ou para baixo. Os
olhos inclinados para cima, amendoados, são característicos de sanguíneos. Inclinação
para baixo indica atributos melancólicos ou fleumáticos. Olhos retos são neutros.

    O próximo passo é verificar o tamanho dos olhos. Pessoas emotivas, uma
característica de certo tipo de colérico, têm olhos grandes. Quem controla suas emoções,
como pessoas melancólicas do tipo científico, geralmente tem olhos pequenos.

    Finalmente, note a abertura dos olhos. Olhos abertos e arredondados demonstram
sensibilidade – o que é típico dos melancólicos artísticos – e interesse e curiosidade –
características dos sanguíneos. Olhos estreitos e cerrados, com pouca abertura, revelam
uma personalidade mais fria e fechada, e são comuns em alguns coléricos e melancólicos
intelectuais. Um olho que não é pequeno nem estreito, mas de olhar cerrado, revelando
grande parte da pálpebra, é uma sinal de que a pessoa esconde as emoções. Esse olhar
pode ser sedutor, mas também pode expressar desinteresse e apatia, revelando
características fleumáticas.

    Os olhos humanos são os únicos entre os olhos dos primatas em que a parte branca, a
esclerótica, é visível. Na avaliação de Philip Hallawell, as pessoas que têm olhos abertos e
grandes, mostrando muito do “branco do olho”, são expansivas, gregárias e cooperativas,
ao contrário das pessoas com olhos cerrados e pequenos.

    As sobrancelhas também têm grande importância, pois formam a moldura dos olhos.
O design de sobrancelhas é um dos mais importantes itens do visagismo, podendo
transformar radicalmente a expressão de uma pessoa. As sobrancelhas modeladas ou
modificadas, porém, não indicam nenhuma característica de personalidade.

    Primeiro, observe o formato da sobrancelha: pode ser reto, curvo ou arqueado.
Esteticamente, esse último é o mais harmonioso, mas nem sempre é o formato ideal para a
pessoa. O formato reto revela características coléricas. Se os olhos também forem retos e,
além disso, profundos, isso significa que a pessoa é muito intensa, emocional e
mentalmente, ou até obsessiva. A sobrancelha curva é associada a pessoas melancólicas e
fleumáticas, e o formato arqueado é uma característica sanguínea.

    Sobrancelhas grossas indicam que a pessoa é colérica ou fleumática. Uma linha sem
interrupção entre uma sobrancelha e outra é um forte indício colérico. Sobrancelhas finas
são um indício de temperamento melancólico. Sobrancelhas caídas nas extremidades
entristecem o olhar e são uma característica da personalidade melancólica.
2.4.3.3 O nariz



        Muitas pessoas não pensam no nariz como uma feição expressiva, e isso faz com que
ele seja notado apenas esteticamente. Em geral são apreciados narizes pequenos, retos,
estreitos e proporcionais. Outras desenvolvem traumas psicológicos por causa do tamanho ou
formato do nariz, ignorando suas qualidades e sua beleza não convencional. É por isso que a
cirurgia plástica do nariz pode descaracterizar uma pessoa e afetá-la psicologicamente de
maneira negativa, deixando-a mais bonita, num sentido superficial, mas sem “graça”.

        O nariz proeminente e grande é associado à curiosidade, à impetuosidade e à coragem
de se envolver com novidades, e de abraçar a vida. São características muito marcantes das
pessoas sanguíneas e qualidades muito apreciadas na atualidade, por serem associadas à
criatividade. O nariz arrebitado também indica uma característica sanguínea, mas mais
delicada e menos impulsiva. O nariz aquilino longo, estreito e levemente caído expressa
nobreza, discrição e controle das emoções, qualidades das pessoas com temperamento
melancólico científico. Narizes pequenos, proporcionais e delicados indicam características
melancólicas artísticas, pois expressam sensibilidade. O nariz grande, largo e com o formato
arredondado e narinas abertas é sinal de uma pessoa emotiva e aberta, com características
coléricas. Essas pessoas não se abalam facilmente e são persistentes. O nariz achatado,
proporcional, indica um temperamento fleumático.
2.4.3.4 A boca



        Depois dos olhos, a boca é a parte mais expressiva do rosto. A boca é associada à
comunicação, à intuição e à sensualidade. Observe o tamanho da boca, sua proporção e a
grossura de cada lábio. Na boca “padrão”, o tamanho da altura total cabe duas vezes e meia na
largura total; essa também é a proporção do “olho padrão”.

        Bocas grandes, com lábios carnudos, são muito sensuais. Essa sensualidade é realçada
com a aplicação de um batom vermelho. Essas são características coléricas, o temperamento
mais emotivo e passional. Bocas largas e expressivas indicam extroversão, comunicabilidade
e alegria, qualidades das pessoas sanguíneas. Ao contrário, bocas pequenas denotam um
temperamento introvertido e fechado, típico das pessoas melancólicas que têm dificuldade de
se expressar e que não têm boa intuição. A boca do tipo cupido expressa sensibilidade,
qualidade dos melancólicos artísticos, que também geralmente têm bocas proporcionais. A
boca com lábios estreitos, especialmente o lábio superior, indica um temperamento frio,
pouco emotivo, e podem expressar severidade e controle, aspectos de melancólicos
científicos. Fleumáticos geralmente têm bocas de formato e tamanho padrão, bastante
regulares, mas podem cair nas extremidades. Também podem ter o costume de projetar a boca
toda ou somente o lábio inferior, num beiço.
2.4.3.5 O queixo



    O formato do queixo está muito ligado ao do rosto como um todo, mas há variações
importantes. Algumas delas podem ser vistas olhando-se para o rosto, de frente, mas outras
são reveladas apenas pelo perfil. O queixo revela o grau de força, estabilidade e determinação
de uma pessoa. Também indica se ela é do tipo que impõe sua vontade ou se submete à
vontade dos outros.

    Comece observando o queixo, de frente, para ver se é reto, curvo ou triangular. Depois
veja se é projetado, neutro ou retraído, observando-o de perfil.

    O temperamento colérico se revela no queixo, de formato quadrado, que indica força e
poder, e no seu pronunciamento. Quanto mais pronunciado, mais a pessoa impõe sua vontade,
é determinada e enfrenta situações difíceis. É um das mais fortes características coléricas. O
queixo retraído, ao contrário, indica uma personalidade mais suave, maleável e até submissa –
características dos melancólicos e fleumáticos. Estes últimos geralmente têm queixos
arredondados. O melancólico científico, porém, costuma ter o queixo quadrado, mas não
pronunciado. A personalidade sanguínea se revela nas linhas inclinadas: o queixo tem a forma
pontuda e triangular. Quando o queixo é pontudo e retraído, indica instabilidade e indecisão.

     Com isso, apresentamos os conceitos mais básicos do visagismo. Com o estudo
aprofundado das informações aqui detalhadas, o profissional da beleza já terá condições de
utilizar o conceito como uma ferramenta auxiliar no seu trabalho de embelezar as pessoas.




             Figura 8 – Alguns exemplos dos benefícios gerados pelo visagismo
3 METODOLOGIA



    Para a elaboração desse trabalho, foi feita uma pesquisa bibliográfica a partir do estudo
de literaturas referentes ao tema visagismo, visando fundamentar o processo de pesquisa.

    O texto base foi do autor Philip Hallawell, maior referência do assunto no Brasil de onde
extraímos esse aprofundamento teórico-metodológico buscando delimitar o marco teórico
da pesquisa. Foi feito ainda consulta a demais livros co-relacionados ao tema, assim como
em sites relacionadas ao assunto aqui abordado.

    Com isso, tivemos a pretensão de extrair as informações mais básicas e importantes para
a conclusão deste trabalho, que fossem o suficiente para introduzir um leigo ao assunto
apresentado, visto que é um tema muito amplo em seus diversos conceitos.
4 CONCLUSÕES FINAIS

       Ao findarmos esse trabalho, chegamos à seguinte conclusão: o visagismo é uma
ferramenta que pode auxiliar e muito o profissional da área da beleza na construção de uma
adequada imagem visual para seus clientes.

       A customização, de um modo geral, e em diversas áreas, é uma tendência que visa
personalizar, seja um produto ou serviço, ao gosto/necessidade dos clientes. O profissional
que exerça o visagismo, não trabalhará com padrões de beleza, ou com soluções
padronizadas, derivadas das tendências de moda. Ele buscará soluções que revelarão o que é
único nos seus clientes, adaptando as tendências de moda ao estilo de cada um. Será a
“customização” da imagem do seu cliente.

        Importante também é que o profissional não só poderá oferecer sugestões de
transformações aos seus clientes, mas terá embasamento para explicar porque determinados
visuais podem ou não favorecer seus formatos de rostos e intenções que desejam passar
através de sua imagem pessoal. Por muito tempo, profissionais contavam unicamente com sua
intuição para isso. Agora têm também um método para realizar seus serviços. Conforme o
depoimento de uma profissional da área (ver Anexo A), trabalhar apenas por intuição pode ou
não dar certo. Com o método aplicado do visagismo, as chances de acerto serão sempre
maiores, pois você estará buscando uma intenção para a sua imagem.

        Conhecendo agora os significados das linhas e formas, o profissional saberá não só
analisar o seu cliente para identificar seu temperamento, mas também terá condições de
sugerir mudanças no visual que venham explorar melhor os pontos fortes de cada cliente, ou
mesmo amenizar seus pontos fracos, de acordo com a necessidade e o desejo de cada um.

       Sugerimos ainda, para um maior aprofundamento do assunto, o estudo das cores e
tons de pele, parte muito importante do visagismo, mas que por questão de tempo e espaço,
não foram abordados nesse trabalho, mas que tornarão o estudioso do assunto mais apto a
exercer um perfeito visagismo.

        E como não poderia deixar de ser também, a leitura dos livros Visagismo - Harmonia
e Estética e Visagismo Integrado: Identidade, Estilo e Beleza (ambos pela Editora Senac),
escritos por Philip Hallawell, que tornarão o profissional da beleza um profundo conhecedor
do conceito aqui apresentado.

        Enfim, parafraseando Philip Hallawell: “Criar um estilo é dizer ao mundo quem você
é, o que você pensa, qual o seu estilo de vida, quais os seus princípios, sua filosofia de vida e
traduzir isso numa imagem”. Isso é visagismo.
REFERÊNCIAS



GLASS, Norbert. Os temperamentos. São Paulo: Antroposófica, 1990
HALLAWELL, P. Visagismo. Harmonia e Estética. 3. Ed.. São Paulo: SENAC, 2007
HALLAWELL, P. Visagismo Integrado: Identidade, Estilo e Beleza. São Paulo: SENAC,
2009
JUNG, Carl G. O homem e seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996


Documento eletrônico online:
AMADO, Dani. Mudanças... [S.I.]: Blog Estillo, 2011. Disponível em:
http://www.estilloconsultoria.com.br/blog/?tag=visagismo. Acesso em: 15 mar. 2011,
17:13:23.
HALLAWELL, P. Benefícios... [S.I.] Belezain, 2011. Disponível em:
http://www.belezain.com.br/cabelo/beneficios_visagismo.asp. Acesso em 07 mar. 2011,
20:34:22
http:/www.visagismo.com.br. Acesso em: 07 fev. 2011, 17:35:23.
MATEUS, André. Visagismo. [S.I.]: Cabelaria, 2001. Disponível em:
http://cabelaria.com.br/index.php/2010/08/10/andre-mateus-fala-ao-portal-m-de-mulher-
sobre-o-visagismo/. Acesso em: 07 mar. 2011, 22:22:45
ANEXOS
ANEXO A



Mudanças…

       Esta semana passei por uma situação que no primeiro momento parecia
desesperadora… Mas esta mesma situação me fez ver e entender mais um pouco sobre a
importância da nossa imagem, de como ela fala ao nosso respeito, como ela reflete o nosso
estado emocional e na forma que agimos conosco e com as pessoas que estão ao nosso redor.
Todos erram, não é gente? Não tem consultora de imagem, de moda, de nada que não cometa
um deslize com a própria imagem um dia. Vivemos uma vida REAL!

       Aconteceu o seguinte: Estava loira 10.1 e precisava fazer algumas mechas invertidas
para escurecer um pouco os fios. O cabelo estava tão despigmentado que não tinha tinta
nesse mundo que pegasse!

        Pra resumir, joguei uma tinta 4.0 e o cabelo ficou super escuro, todo escuro, nada de
mechas invertidas. Você que é loira sabe como isso é traumatizante… Nos primeiros dias
sofri, chorei, xinguei, estava super irritada com as pessoas ao meu redor e sei que isso não era
só porque tinha deixado de estar loira. Eu nasci morena, então não tem nada de errado em
voltar as minhas origens. Concordam? Na verdade era uma reação emocional que envolvia o
formato do meu rosto, a cor escura que me deixa mais forte e ressalta o meu temperamento
“colérico”, e a falta do cabelo claro que suaviza as minhas reações e o meu rosto hexagonal. E
tem mais um monte de coisas… Entenderam? Isso é puro visagismo gente! Por isso tenho
falado tanto sobre visagismo, workshop e cursos. Tenho falado sobre a importância, sobre a
necessidade, sobre os princípios que podem ser aplicados na nossa vida pessoal e na nossa
profissão. Aliás, pode ser aplicado em todas as profissões, pois somos seres totalmente
visuais, trabalhamos com imagens o tempo todo, não é só quem trabalha com moda e beleza
que pode perceber os benefícios. TODOS podem e devem!

        Foi muito bom isso ter acontecido comigo! Já acostumei com a cor do cabelo (a
mesma cor que tive por 25 anos) e tenho visto os benefícios que o cabelo escuro tem me
trazido. Meu rosto ficou mais fino, meu olhos estão mais brilhantes, está mais fácil usar as
cores vivas da minha estação que é Primavera Intensa, estou mais jovem, porém mais séria, e
isso tudo foi crucial para que eu conseguisse fechar um trabalho em uma empresa enorme
aqui de BH. Exagero? Não, se você entende de imagem e visagismo, sabe que não estou
exagerando.

      Agora está tudo tranqüilo, talvez volte a “estar” loira um dia (deixe-me tratar um
pouco meu cabelo). Vai depender do momento, vai depender do que quero comunicar, vai
depender do que quero transmitir e como quero que as pessoas reajam comigo, vai depender
de mim. Isso é visagismo, isso é autoconhecimento!

       Como diz a minha amiga e visagista Lígia Lima: “Nosso rosto é o centro da nossa
identidade”, roupa tem como trocar, sapato também, maquiagem se tira… Mas mexer no
cabelo é muita responsabilidade! Se você só mexe no seu cabelo ou se tem várias cabecinhas
importantes em suas mãos, pense muito nisso, na responsabilidade! Alteramos uma vida toda
quando alteramos a imagem de uma pessoa, e isso pode ser para o bem e para o mal.
“NADA PIOR DO QUE SE OLHAR NO ESPELHO E NÃO SE ENCONTRAR”

Beijos,

Dani Amado



Texto na integra, preservando o estilo de linguagem da autora:
http://www.estilloconsultoria.com.br/blog/?tag=visagismo.
Acesso em: 15 mar. 2011, 17:13:23.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do EsteticistaAtribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Docente Ilen Marzocca
 
Corpo beleza e cosméticos (recortes da história do corpo 2)
Corpo beleza e cosméticos (recortes da história do corpo 2)Corpo beleza e cosméticos (recortes da história do corpo 2)
Corpo beleza e cosméticos (recortes da história do corpo 2)
Viegas Fernandes da Costa
 
História da maquiagem parte 1
História da maquiagem parte 1História da maquiagem parte 1
História da maquiagem parte 1
menudemaquiagem
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
Bosco Magalhaex
 
Slide curso estetica facial exercicio facial
Slide curso estetica facial   exercicio facialSlide curso estetica facial   exercicio facial
Slide curso estetica facial exercicio facial
Unichristus Centro Universitário
 
A estrutura do cabelo apostila colorimetria
A estrutura do cabelo apostila colorimetriaA estrutura do cabelo apostila colorimetria
A estrutura do cabelo apostila colorimetria
Joaquim Wilmar
 
Escova
EscovaEscova
Escova
Sumara Gil
 
Visagismo
VisagismoVisagismo
Visagismo
Debora Ferreira
 
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Herbert Cristian de Souza
 
Cosmetologia
CosmetologiaCosmetologia
Cosmetologia
Marciomimoto
 
Estética aula 1
Estética aula 1Estética aula 1
Estética aula 1
Ana Laura Sanches
 
Peeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto KeynesPeeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto Keynes
Instituto Keynes
 
Receitas cosméticos
Receitas cosméticosReceitas cosméticos
Receitas cosméticos
balanceado ox
 
DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
Manual de Orientação e Tratamento para Hipercromia
Manual de Orientação e Tratamento para Hipercromia Manual de Orientação e Tratamento para Hipercromia
Manual de Orientação e Tratamento para Hipercromia
Dagoberto Azevedo
 
Princípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a zPrincípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a z
Fernanda Esteves
 
Cabelo
CabeloCabelo
Cabelo
ronaldinho23
 
Tratamento capilar couro cabeludo
Tratamento capilar  couro cabeludoTratamento capilar  couro cabeludo
Tratamento capilar couro cabeludo
oligomax2009
 
Anaminese
AnamineseAnaminese
Anaminese
Ana Cunha
 
Despigmentante ou Peeling
Despigmentante ou PeelingDespigmentante ou Peeling
Despigmentante ou Peeling
Marisa Rodrigues de Santana
 

Mais procurados (20)

Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do EsteticistaAtribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
 
Corpo beleza e cosméticos (recortes da história do corpo 2)
Corpo beleza e cosméticos (recortes da história do corpo 2)Corpo beleza e cosméticos (recortes da história do corpo 2)
Corpo beleza e cosméticos (recortes da história do corpo 2)
 
História da maquiagem parte 1
História da maquiagem parte 1História da maquiagem parte 1
História da maquiagem parte 1
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
 
Slide curso estetica facial exercicio facial
Slide curso estetica facial   exercicio facialSlide curso estetica facial   exercicio facial
Slide curso estetica facial exercicio facial
 
A estrutura do cabelo apostila colorimetria
A estrutura do cabelo apostila colorimetriaA estrutura do cabelo apostila colorimetria
A estrutura do cabelo apostila colorimetria
 
Escova
EscovaEscova
Escova
 
Visagismo
VisagismoVisagismo
Visagismo
 
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
 
Cosmetologia
CosmetologiaCosmetologia
Cosmetologia
 
Estética aula 1
Estética aula 1Estética aula 1
Estética aula 1
 
Peeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto KeynesPeeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto Keynes
 
Receitas cosméticos
Receitas cosméticosReceitas cosméticos
Receitas cosméticos
 
DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA DESIGNER DE SOBRANCELHA
DESIGNER DE SOBRANCELHA
 
Manual de Orientação e Tratamento para Hipercromia
Manual de Orientação e Tratamento para Hipercromia Manual de Orientação e Tratamento para Hipercromia
Manual de Orientação e Tratamento para Hipercromia
 
Princípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a zPrincípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a z
 
Cabelo
CabeloCabelo
Cabelo
 
Tratamento capilar couro cabeludo
Tratamento capilar  couro cabeludoTratamento capilar  couro cabeludo
Tratamento capilar couro cabeludo
 
Anaminese
AnamineseAnaminese
Anaminese
 
Despigmentante ou Peeling
Despigmentante ou PeelingDespigmentante ou Peeling
Despigmentante ou Peeling
 

Semelhante a TCC VISAGISMO

Postura e Imagem Profissional (apostila).pdf
Postura e Imagem Profissional (apostila).pdfPostura e Imagem Profissional (apostila).pdf
Postura e Imagem Profissional (apostila).pdf
Professor Cristiano Barreto
 
Postura e imagem profissional (apostila)
Postura e imagem profissional (apostila)Postura e imagem profissional (apostila)
Postura e imagem profissional (apostila)
Professor Cristiano Barreto
 
A etiqueta corporativa: o requisito básico para o profissional de secretariado
A etiqueta corporativa:   o requisito básico para o profissional de secretariadoA etiqueta corporativa:   o requisito básico para o profissional de secretariado
A etiqueta corporativa: o requisito básico para o profissional de secretariado
Starfish :)
 
AÇÕES DE PROMOÇÃO DE VENDAS
AÇÕES DE PROMOÇÃO DE VENDASAÇÕES DE PROMOÇÃO DE VENDAS
AÇÕES DE PROMOÇÃO DE VENDAS
André Heller
 
Maricelio ribeiro
Maricelio ribeiroMaricelio ribeiro
Maricelio ribeiro
SimoneHelenDrumond
 
ANÁLISE DA VIABILIDADE DA ABERTURA DE UMA EMPRESA PARA COMERCIALIZAÇÃO DE PRO...
ANÁLISE DA VIABILIDADE DA ABERTURA DE UMA EMPRESA PARA COMERCIALIZAÇÃO DE PRO...ANÁLISE DA VIABILIDADE DA ABERTURA DE UMA EMPRESA PARA COMERCIALIZAÇÃO DE PRO...
ANÁLISE DA VIABILIDADE DA ABERTURA DE UMA EMPRESA PARA COMERCIALIZAÇÃO DE PRO...
Kamila Lohn
 
Transição de Carreira: De Publicitária a Massoterapeuta
Transição de Carreira: De Publicitária a MassoterapeutaTransição de Carreira: De Publicitária a Massoterapeuta
Transição de Carreira: De Publicitária a Massoterapeuta
Adriana Sayuri Tomiyoshi
 
A percepção infantil frente à imagem de marca
A percepção infantil frente à imagem de marcaA percepção infantil frente à imagem de marca
A percepção infantil frente à imagem de marca
Amanda Zettermann
 
CENÁRIOS EMPRESARIAIS -GESTÃO DE PESSOAS EMPRESA YAZIGI ALPHAVILLE
CENÁRIOS EMPRESARIAIS  -GESTÃO DE PESSOAS EMPRESA YAZIGI ALPHAVILLECENÁRIOS EMPRESARIAIS  -GESTÃO DE PESSOAS EMPRESA YAZIGI ALPHAVILLE
CENÁRIOS EMPRESARIAIS -GESTÃO DE PESSOAS EMPRESA YAZIGI ALPHAVILLE
Rossilene Thomas
 
Anamnese uso para saloes
Anamnese uso para saloesAnamnese uso para saloes
Anamnese uso para saloes
Leticia Chaves
 
Anamnese uso para saloes
Anamnese uso para saloesAnamnese uso para saloes
Anamnese uso para saloes
Leticia Chaves
 
QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?
QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?
QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?
Rocha Lima
 
Monografia Eli
Monografia EliMonografia Eli
Monografia Eli
Vagner Magarão Araújo
 
TCC Agência Experimental MOKA - UNISO / Cliente: BioSegredo
TCC Agência Experimental MOKA - UNISO / Cliente: BioSegredoTCC Agência Experimental MOKA - UNISO / Cliente: BioSegredo
TCC Agência Experimental MOKA - UNISO / Cliente: BioSegredo
Camila Schincariol
 
Andrea souza mello_meirelles(_trab._pronto)[1]
Andrea souza mello_meirelles(_trab._pronto)[1]Andrea souza mello_meirelles(_trab._pronto)[1]
Andrea souza mello_meirelles(_trab._pronto)[1]
RAMINIROSA
 
Marketing de guerrilha
Marketing de guerrilhaMarketing de guerrilha
Marketing de guerrilha
Vera Silva
 
Marketing de guerrilha
Marketing de guerrilhaMarketing de guerrilha
Marketing de guerrilha
Vera Silva
 
tccjosiana
tccjosianatccjosiana
tccjosiana
jfazani
 
Trabalho PDI Profissional_joabe
Trabalho PDI Profissional_joabeTrabalho PDI Profissional_joabe
Trabalho PDI Profissional_joabe
Joabe Oliveira
 
Análise da gestão de pessoas por competências juliana nascimento
Análise da gestão de pessoas por competências   juliana nascimentoAnálise da gestão de pessoas por competências   juliana nascimento
Análise da gestão de pessoas por competências juliana nascimento
Jorge Rufino
 

Semelhante a TCC VISAGISMO (20)

Postura e Imagem Profissional (apostila).pdf
Postura e Imagem Profissional (apostila).pdfPostura e Imagem Profissional (apostila).pdf
Postura e Imagem Profissional (apostila).pdf
 
Postura e imagem profissional (apostila)
Postura e imagem profissional (apostila)Postura e imagem profissional (apostila)
Postura e imagem profissional (apostila)
 
A etiqueta corporativa: o requisito básico para o profissional de secretariado
A etiqueta corporativa:   o requisito básico para o profissional de secretariadoA etiqueta corporativa:   o requisito básico para o profissional de secretariado
A etiqueta corporativa: o requisito básico para o profissional de secretariado
 
AÇÕES DE PROMOÇÃO DE VENDAS
AÇÕES DE PROMOÇÃO DE VENDASAÇÕES DE PROMOÇÃO DE VENDAS
AÇÕES DE PROMOÇÃO DE VENDAS
 
Maricelio ribeiro
Maricelio ribeiroMaricelio ribeiro
Maricelio ribeiro
 
ANÁLISE DA VIABILIDADE DA ABERTURA DE UMA EMPRESA PARA COMERCIALIZAÇÃO DE PRO...
ANÁLISE DA VIABILIDADE DA ABERTURA DE UMA EMPRESA PARA COMERCIALIZAÇÃO DE PRO...ANÁLISE DA VIABILIDADE DA ABERTURA DE UMA EMPRESA PARA COMERCIALIZAÇÃO DE PRO...
ANÁLISE DA VIABILIDADE DA ABERTURA DE UMA EMPRESA PARA COMERCIALIZAÇÃO DE PRO...
 
Transição de Carreira: De Publicitária a Massoterapeuta
Transição de Carreira: De Publicitária a MassoterapeutaTransição de Carreira: De Publicitária a Massoterapeuta
Transição de Carreira: De Publicitária a Massoterapeuta
 
A percepção infantil frente à imagem de marca
A percepção infantil frente à imagem de marcaA percepção infantil frente à imagem de marca
A percepção infantil frente à imagem de marca
 
CENÁRIOS EMPRESARIAIS -GESTÃO DE PESSOAS EMPRESA YAZIGI ALPHAVILLE
CENÁRIOS EMPRESARIAIS  -GESTÃO DE PESSOAS EMPRESA YAZIGI ALPHAVILLECENÁRIOS EMPRESARIAIS  -GESTÃO DE PESSOAS EMPRESA YAZIGI ALPHAVILLE
CENÁRIOS EMPRESARIAIS -GESTÃO DE PESSOAS EMPRESA YAZIGI ALPHAVILLE
 
Anamnese uso para saloes
Anamnese uso para saloesAnamnese uso para saloes
Anamnese uso para saloes
 
Anamnese uso para saloes
Anamnese uso para saloesAnamnese uso para saloes
Anamnese uso para saloes
 
QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?
QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?
QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?
 
Monografia Eli
Monografia EliMonografia Eli
Monografia Eli
 
TCC Agência Experimental MOKA - UNISO / Cliente: BioSegredo
TCC Agência Experimental MOKA - UNISO / Cliente: BioSegredoTCC Agência Experimental MOKA - UNISO / Cliente: BioSegredo
TCC Agência Experimental MOKA - UNISO / Cliente: BioSegredo
 
Andrea souza mello_meirelles(_trab._pronto)[1]
Andrea souza mello_meirelles(_trab._pronto)[1]Andrea souza mello_meirelles(_trab._pronto)[1]
Andrea souza mello_meirelles(_trab._pronto)[1]
 
Marketing de guerrilha
Marketing de guerrilhaMarketing de guerrilha
Marketing de guerrilha
 
Marketing de guerrilha
Marketing de guerrilhaMarketing de guerrilha
Marketing de guerrilha
 
tccjosiana
tccjosianatccjosiana
tccjosiana
 
Trabalho PDI Profissional_joabe
Trabalho PDI Profissional_joabeTrabalho PDI Profissional_joabe
Trabalho PDI Profissional_joabe
 
Análise da gestão de pessoas por competências juliana nascimento
Análise da gestão de pessoas por competências   juliana nascimentoAnálise da gestão de pessoas por competências   juliana nascimento
Análise da gestão de pessoas por competências juliana nascimento
 

Último

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 

Último (20)

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 

TCC VISAGISMO

  • 1. Universidade Luterana do Brasil CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE BELEZA VISAGISMO Wilson Massalino Goiânia - GO 2011
  • 2. Wilson Massalino VISAGISMO FERRAMENTA AUXILIAR PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA ADEQUADA IMAGEM VISUAL PARA OS CLIENTES DE SALÃO DE BELEZA Trabalho de Conclusão de Curso para obtenção do Título de Tecnólogo do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Beleza da Universidade Luterana do Brasil Orientadora: Prof. Luciana de Lara Pontes Ferreira Goiânia - GO 2011
  • 3. DEDICATÓRIA Aos meus pais, por tudo o que me ensinaram e que continuo a aprender com eles.
  • 4. AGRADECIMENTOS Agradeço a todos que estiveram presentes em minha vida durante esta jornada, em especial às minhas Tutoras Chirlany Medanha e Luciana Lara, pelo estímulo e inspiração. À minha esposa Kelen Regina, pelo amor e paciência. Muito obrigado.
  • 5. Não existe mulher sem beleza, somente belezas que não foram reveladas. Fernand Aubry
  • 6. LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 - Série visagismo: Beleza sangüínea.....................................................................13 FIGURA 2 - Série visagismo: Beleza colérica........................................................................15 FIGURA 3 - Série visagismo: Beleza melancólica..................................................................17 FIGURA 4 - Série visagismo: Beleza fleumática....................................................................19 FIGURA 5 - Série visagismo: Beleza interior.........................................................................27 FIGURA 6 - Quadro formatos e personalidades....................................................................32 FIGURA 7 - As feições e seus significados no visagismo......................................................35 FIGURA 8 - Alguns exemplos dos benefícios gerados pelo visagismo..................................41
  • 7. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO......................................................................................................................8 2 VISAGISMO - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA..............................................................9 2.1 Rosto e identidade............................................................................................................10 2.2 Os temperamentos.............................................................................................................11 2.2.1 Classificação dos temperamentos.................................................................................12 2.2.1.1 Tipo sanguíneo.............................................................................................................13 2.2.1.2 Tipo colérico................................................................................................................15 2.2.1.3 Tipo melancólico.........................................................................................................17 2.2.1.4 Tipo fleumático............................................................................................................19 2.3 A Análise de corpo............................................................................................................21 2.3.1 O modo de andar............................................................................................................22 2.3.2 O modo de sentar...........................................................................................................23 2.3.3 Os gestos..........................................................................................................................24 2.3.4 O comportamento..........................................................................................................25 2.4 A análise de rosto..............................................................................................................27 2.4.1 Os formatos de rosto......................................................................................................29 2.4.2 O perfil............................................................................................................................33 2.4.3 As feições.........................................................................................................................34 2.4.3.1 A testa...........................................................................................................................36 2.4.3.2 Olhos e as sobrancelhas..............................................................................................37 2.4.3.3 O nariz..........................................................................................................................39 2.4.3.4 A boca...........................................................................................................................40 2.4.3.5 O queixo.......................................................................................................................41 3 METODOLOGIA................................................................................................................42 4 CONCLUSÕES FINAIS......................................................................................................43 REFERÊNCIAS......................................................................................................................44 ANEXOS..................................................................................................................................45
  • 8. 1 INTRODUÇÃO Derivada do francês visage (rosto), visagismo é a arte de criar uma imagem pessoal que valoriza as características físicas e revela as qualidades da personalidade do indivíduo através do uso de cosméticos, colorações, cortes de cabelo e penteados. Não se trata de uma técnica em si, mas de um conjunto de conhecimentos que pode auxiliar o profissional da beleza a encontrar uma harmonia no visual das pessoas que se entregam aos seus cuidados. Na atual sociedade, a busca pela perfeição estética têm se tornado cada vez mais uma verdadeira obsessão para muitas pessoas que, infelizes com seus visuais, buscam adequação à rígidos padrões ditados pelas mídias e com isso se submetem a soluções estéticas que nem sempre são as melhores para si e nem se dão conta de como isso pode afetar seus relacionamentos e seu estado emocional. O visagismo busca justamente a harmonia entre esses indivíduos e sua imagem pessoal. Aprender a observar a cada pessoa como única, com seus traços de personalidade que podem ser evidenciados ou amenizados com a composição de seus visuais de acordo com a imagem que desejam expressar para o mundo. Com o conhecimento desse conceito, os profissionais da área de beleza e estética terão uma ferramenta a mais para melhor atenderem aos anseios e necessidades de seus clientes. Conseguirão explicar o que a imagem está expressando e saberão criar uma imagem pessoal que manifeste um conceito, uma intenção para esse indivíduo. A utilização do visagismo por parte do profissional da beleza pode ser um o diferencial perante o mercado e seus concorrentes, pois é uma ferramenta que auxilia o profissional a personalizar o seu serviço, alcançando assim um resultado mais íntimo, em perfeita sintonia com seu cliente. No presente trabalho visamos apresentar o conceito de visagismo, dando uma compreensão global de seu significado; explicar suas origens e em quais conceitos se baseiam; as análises a serem feitas de temperamentos, formatos de corpo e rosto e a aplicação do conceito. Com isso, pretendemos expor ao leitor e principalmente ao profissional da beleza uma importante ferramenta para auxiliar a construção de uma imagem pessoal em seus clientes que reflita a essência do que é esse indivíduo e o que ele deseja expressar para o mundo.
  • 9. 2 VISAGISMO - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Segundo Philip Hallawell, artista plástico brasileiro e estudioso do assunto, visagismo é a arte de criar uma imagem pessoal que revela as qualidades interiores de uma pessoa, de acordo com suas características físicas e os princípios da linguagem visual, por meio da maquilagem, do corte, da coloração e do penteado do cabelo. Autor de dois livros sobre o assunto, Visagismo - Harmonia e Estética e Visagismo Integrado: Identidade, Estilo e Beleza (ambos pela Editora Senac) Philip Hallawell é a referência no Brasil sobre o assunto. Em seus livros, ele revela as características do rosto humano, quais são e como reconhecê-las: a estrutura e a anatomia da cabeça, os formatos de rosto e as proporções do rosto e do corpo. Vários aspectos dos livros são inéditos e revolucionários. Pela primeira vez, a linguagem visual é explicada, de maneira clara e detalhada, cujo conhecimento e domínio permitem que o profissional de beleza faça um trabalho consciente e dirigido, sem que dependa unicamente da intuição. O que você deseja expressar pela sua imagem? Os aspectos discutidos nessas obras giram em torno dessa questão - primordial para o trabalho do visagista. Os textos mostram como elaborar um estilo, usando algumas ferramentas como a análise do temperamento da pessoa, análise do comportamento e características físicas. Discutem também questões como identidade, personalidade, estilo e beleza e estimula o público geral a se analisar e questionar o que deseja expressar. É, portanto, com base nesses textos, que desenvolvemos o trabalho a seguir.
  • 10. 2.1 Rosto e identidade O rosto é a identidade da pessoa. Ao se olhar no espelho, você diz que se vê, não que vê seu rosto. Por isso, o aspecto mais importante na construção da imagem pessoal é a relação do rosto com o senso que cada pessoa tem da própria identidade. Segundo Philip Hallawell, artista plástico brasileiro e estudioso da linguagem visual, nós atribuímos valores ao rosto das pessoas. Pense em alguém. Surgirá em sua mente a imagem do rosto dessa pessoa. Essa imagem também trará sensações, positivas ou negativas, de simpatia ou antipatia, de admiração ou desprezo. Mesmo se você não conhecer pessoalmente esse alguém, como por exemplo, um ator famoso. Ao falar de identidade, Philip se refere ao que o rosto expressa do ser das pessoas, muito mais profundo do que o simples reconhecimento físico. É esse rosto, essa “constituição visual”, que muitas vezes pode estar ou não expressando realmente o íntimo da pessoa. Uma pessoa, por exemplo, pode ser criativa, dinâmica, extrovertida e estar “escondida” sob um visual que a faça parecer introvertida, quieta, tímida. Cortes de cabelos, penteados, formas de ondas e cachos, o formato das sobrancelhas e os pelos faciais interagem com o formato do rosto e das feições, podendo acentuar ou amenizar essas características na apresentação visual de cada indivíduo. Por isso, a necessidade de conhecer a linguagem visual, aprender a “ler” o rosto das pessoas, para, a partir dessa leitura, ajudá-la a expressar a sua verdadeira identidade através de seu visual.
  • 11. 2.2 Os temperamentos Ninguém é igual a ninguém. Nem física ou psicologicamente. Por isso, quando falamos em avaliar a personalidade de alguém precisamos ter muita cautela. No visagismo não é preciso entrar numa avaliação tão profunda da personalidade do cliente. Esse conceito é baseado no princípio de que beleza existe quando as qualidades interiores da pessoa são reveladas, com harmonia e estética. É um processo individualizado, que se inicia avaliando quem é o cliente e do que necessita. QUEM É O SEU CLIENTE? O visagista precisa lançar mão de um método que permita avaliar a personalidade do cliente em pouco tempo e que não seja muito complexo, mas suficientemente profundo para que possa reconhecer as características básicas da pessoa a quem irá prestar a consultoria. O método proposto por Hallawell baseia-se numa das primeiras classificações da personalidade humana, a de Hipócrates (O pai da medicina), e na teoria de que a personalidade se manifesta fisicamente. A personalidade de uma pessoa se desenvolve ao longo de muitos anos e é determinada por um conjunto de fatores: sua herança genética, a cultura do meio em que se vive, sua educação e suas experiências pessoais. O rosto do indivíduo também se desenvolve ao longo de muito tempo, e atinge sua forma definitiva somente aos 23 anos de idade, acompanhando e refletindo a evolução da sua personalidade. Philip afirma que podemos ler o rosto de uma pessoa minuciosamente se soubermos o significado das quatro linhas (verticais, horizontais, inclinadas e curvas) e conseguirmos identificá-las no formato dos rostos e das feições. São essas linhas que ajudarão a identificar o que trataremos a seguir: os temperamentos. Após conhecê-los, iremos ver como identificá-los através dessas citadas linhas.
  • 12. 2.2.1 Classificação dos temperamentos No sistema de avaliação dos temperamentos das pessoas criado por Hipócrates, há quatro categorias: Sanguíneo, Colérico, Melancólico e Fleumático. Todas as pessoas apresentam características das quatro categorias, mas em graus diferentes. Essas características têm aspectos positivos, chamados de forças, e negativos, chamados de fraquezas. Algumas pessoas apresentam um temperamento dominante, enquanto outras uma mistura de dois ou até três temperamentos. A seguir apresentaremos os diversos tipos de temperamento:
  • 13. 2.2.1.1 Tipo sanguíneo Figura 1 - "Série Visagismo: Beleza Sangüínea" (2005) - pastel seco Philip Hallawell - 32,5x50 cm CARACTERÍSTICAS POSITIVAS – Extroversão, comunicabilidade, motivação, festividade, alegria de viver e energia. É impetuoso, muito curioso e se interessa principalmente por novidades, o que o faz ser criativo e inovador. É espirituoso e rápido. Marca presença e sempre acaba sendo o centro das atenções. Trabalha e interage bem com outras pessoas porque gosta de estar na companhia delas; facilmente cria empatia. Não gosta de rotina nem de lugares fechados, pois precisa de espaço. Não tem medo de se aventurar em algo novo, é audacioso e tem muita iniciativa. Tem boa intuição e é espontâneo e transparente. Gosta de coisas vistosas, coloridas, luminosas e brilhantes. CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS - Irregularidade, inconstância, desorganização e falta de estrutura. Pode perder o foco facilmente e ter dificuldade de se concentrar, além de às vezes abandonar tarefas sem completá-las. Pode tornar-se superficial e frívolo. Também é vaidoso, esquecido e genioso, podendo ter acessos de raiva. Pode oscilar entre a euforia e a depressão. Sua extroversão pode torná-lo inconveniente, intrometido e barulhento. Sua visibilidade o faz ser alvo de brincadeiras e piadas, que assimila bem quando não são maldosas. Sua impetuosidade pode colocá-lo em situações difíceis e seu gosto por aventuras e riscos o faz às vezes imprudente.
  • 14. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS - Esse tipo é ágil, atlético e musical, tem muita energia. Isso faz com que tenha a tendência de ser bom dançarino e bom atleta. Gesticula muito, com movimentos rápidos, expressivos e largos. A fala é clara e articulada. Come rapidamente, com preferência para pratos leves e jantares informais. Gosta de roupas soltas e ornamentos vistosos. Seu rosto tem formato angular, geralmente hexagonal com lateral reta ou losangular. O perfil é triangular, coma a testa inclinada. O cabelo é castanho, castanho claro ou loiro dourado, mas não muito claro. Geralmente tem o nariz grande, arrebitado ou proeminente, olhos amendoados ou grandes, boca expressiva e sorriso cativante. A cor do sanguíneo é o amarelo, portanto do grupo das cores quentes. Seu elemento é o ar, leve e transparente. As linhas inclinadas, por expressarem dinamismo, energia e impulsão, quando encontradas nos formatos do rosto, nas feições e nos gestos, são indicadores de características sanguíneas.
  • 15. 2.2.1.2 Tipo colérico Figura 2 - “Série Visagismo: Beleza Colérica" (2005) - pastel seco Mi-Teintes Vermelha - 32,5x50 cm CARACTERÍSTICAS POSITIVAS - É determinado, persistente, objetivo e explosivo. É passional, emotivo, dramático e intenso. Gosta de liderar, resolver problemas e tomar a iniciativa. É rápido e busca resultados. É motivado pelo desafio. Também é leal, fiel e generoso, o que faz abominar a traição. Procura o domínio, mas não precisa ser o centro de atenções. É forte, corajoso e tem grande poder de concentração. Gosta de luxo. Pode ser extrovertido, mas geralmente é reservado. Direto e franco, não gosta de rodeios e insinuações. Apesar de não apreciar ser contrariado, aceita opiniões divergentes se forem bem fundamentadas e servirem a seus propósitos. Embora seja temperamental, não guarda rancor. CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS - As fraquezas do tipo colérico são a impaciência, a intolerância e o autoritarismo. Ele é competitivo e combatente, podendo ser violento, raivoso e explosivo. Na raiva é imprudente. Não tolera o que entende como fraqueza nos outros, especialmente quando está em busca de algo, o que o faz parecer insensível. Nessas ocasiões, pode até se tornar cruel. Procura sempre dominar, mas não controlar, e isso pode levá-lo a criar atritos e a ser brusco e imperioso. Tem dificuldade de delegar poderes, sendo centralizador. Sua franqueza pode levá-lo a ser indelicado ou rude. Também lhe falta sutileza. Sua postura e expressão com freqüência intimidam os outros. É vaidoso, orgulhoso e dificilmente aceita seus erros publicamente, tendo a tendência de transferir a culpa ou buscar uma desculpa. Sua intensidade faz com que tenha dificuldade de se divertir e relaxar. De todos os tipos, é o que mais facilmente se vicia em trabalho, bebida, drogas, jogos ou afins, porque tem a tendência de ser obsessivo. Também é bagunceiro, mas não desorganizado, e
  • 16. sua pressa e a busca por resultados podem fazer com que seja desatento a detalhes. Não suporta ser pressionado ou controlado. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS - Geralmente tem o pescoço e ossos fortes. Sua postura é ereta. A constituição física do colérico é atarracada, com facilidade de engordar na região da barriga, porque gosta de comer, especialmente comidas bem temperadas e doces. Engole tudo rapidamente. Não gosta de roupas apertadas, especialmente na região do pescoço. Sua fala é arrastada e cinestésica, ou forte e rápida. O rosto do colérico tem formato quadrado, com queixo forte e pronunciado, mas também pode ser um hexágono com a base horizontal ou o triangular. Seu olhar é penetrante e intenso, com olhos espaçados. As sobrancelhas são retas e grossas. A boca pode ser carnuda e sensual e o nariz largo. O perfil é reto, com a testa pronunciada e reta. O cabelo é ruivo, castanho médio ou marrom avermelhado. A cor do colérico é o vermelho-alaranjado, também do grupo das cores quentes. Seu elemento é o fogo, quente e passional. As linhas retas, horizontais e verticais, por expressarem força, segurança e poder, quando encontradas nos formatos de rosto, feições e gestos, são indicativas de características coléricas.
  • 17. 2.2.1.3 Tipo melancólico Figura 3 - “Série Visagismo: Beleza melancólica" (2005) - pastel seco e lápis pastel – Philip Hallawell - 32,5x50 cm CARACTERÍSTICAS POSITIVAS - Há dois tipos de melancólicos: o artístico e o científico. Ambos são organizados, disciplinados, detalhistas, pragmáticos e perfeccionistas. São pacientes, profundos e pensativos. O tipo artístico é sensível, mas não demonstra grande entusiasmo ou emoção, embora seja romântico e delicado. É confiável e muito competente, porque sempre busca a perfeição. O tipo científico é mais frio do que o tipo artístico. É cerebral e lógico, muito organizado, sistemático e detalhista. Ambos os tipos têm grande poder de concentração, disciplina, paciência e persistência, finalizando tudo o que começam. Respeitam os outros, são discretos e procuram nunca ser inconvenientes ou intrometidos. CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS - Suas fraquezas são a ansiedade, a indecisão e o perfeccionismo excessivo. É introvertido, tímido, quieto e retirado. Não gosta de ser o centro das atenções. Tem dificuldade de se impor e de confrontar situações ou pessoas. Pode ser rancoroso e vingativo. Sua falta de emoção pode constranger os outros e fazê-lo parecer antipático. Precisa se sentir no controle, o que pode torná-lo um controlador de fato. Não sabe lidar bem com o inesperado e o novo e tem medo do desconhecido ou do que não conhece bem. Por isso segue regras e é conservador, o que prejudica sua criatividade. Pode também se tornar rígido, excessivamente exigente e inflexível, porque quer sempre perfeição e tudo sob controle. Dessa forma, não é espirituoso. Pode ser arrogante, especialmente acerca de questões intelectuais. Também pode exigir demais de si próprio, desenvolvendo sentimentos de incapacidade e problemas de autoestima.
  • 18. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS - O tipo melancólico tende a ser magro, longilíneo e angular. Seus gestos são precisos e graciosos. Seu porte é ereto. Gosta de roupas finas e modeladas e ornamentos graciosos, mas não vistosos. Raramente descuida da aparência em público. Come devagar e pouco, mas aprecia a boa culinária. Fala rápido e não muito claramente. O formato do rosto do melancólico artístico é geralmente oval, mas também pode ser triangular invertido; o do científico é um retângulo comprido e fino. O perfil é curvo, no tipo artístico, e reto no tipo científico. As feições são, geralmente, agrupadas, pequenas, arredondadas e delicadas. O nariz é longo e fino. A testa é alta. Os olhos são caídos, o que lhe dá um ar de tristeza. O queixo é, freqüentemente, retraído e os lábios do tipo científico são geralmente estreitos. Sua cor é o azul, portanto, do grupo de cores frias. Seu elemento é a terra, rígida e segura. As linhas curvas, por expressarem lirismo, sensibilidade e delicadeza, quando encontradas nos formatos de rosto, feições e gestos são indicadores de características melancólicas, do tipo artístico. O tipo científico é composto por linhas retas verticais finas e rígidas.
  • 19. 2.2.1.4 Tipo fleumático Figura 4 - “Série Visagismo: Beleza Fleumática" (2005) - pastel seco e lápis pastel Roxa – Philip Hallawell - 32,5x50 cm CARACTERÍSTICAS POSITIVAS - É diplomático, pacificador, místico e com tendência a ser bonachão. É muito amigável, agradável e geralmente alegre e sorridente. É extremamente calmo e dificilmente se zanga, mas também, raramente demonstra grandes emoções. Não gosta de confrontos e de desavenças. Procura agradar os outros e fazer com que todos se sintam bem. Não é competitivo. É bom ouvinte. Não é apegado a coisas materiais, sendo desprendido e generoso, e se contenta com pouco. Compartilha o que tem e não é possessivo. É constante, paciente, confiável, fiel e leal. É adaptável, embora não goste de mudanças, porém se conforma facilmente. É motivado somente pela busca de segurança. CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS - É freqüente que esse tipo pareça desinteressado. Ele pode ser apático, acomodado e alienado. Tem dificuldade de tomar decisões e se puder, transfere essa responsabilidade aos outros. Tem pouca ambição e iniciativa. Pode ser vago. É resistente a mudanças, por ser muito acomodado e conservador. Sua busca pela segurança o faz fugir de situações de risco e assim acaba perdendo muitas oportunidades. É previsível e pouco criativo. Não gosta de assumir posições de responsabilidade ou de liderança. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS - É o tipo que menos se importa com sua aparência, podendo chegar a ser desleixado. Tem tendência a engordar. Gosta de roupas confortáveis e
  • 20. simples, sem se preocupar com o estilo. Usa poucos ornamentos. Costuma comer devagar e muito, sem preferências. Sua fala é lenta e arrastada. O rosto do fleumático no geral é redondo, mas também pode ser triangular, quadrado largo ou até oval. O queixo é, geralmente, retraído. As feições são regulares e arredondadas. As características mais evidentes são os olhos cerrados, com pálpebras grandes e pesadas, o que lhe dá um olhar cansado, e o lábio inferior maior que o superior e protuberante, como se estivesse “fazendo beiço.” A cor do fleumático é o roxo, também do grupo das cores frias. Seu elemento é a água, fluída e mutável. As formas amorfas e indefinidas, por expressarem fluidez e mutação, e as linhas retas horizontais, por expressarem imobilidade, quando encontradas nos formatos de rosto, feições e gestos, são indicadores de características fleumáticas. Para finalizar, Philip Hallawell nos lembra de que nossa personalidade é formada por uma mistura única de qualidades e fraquezas de todos os temperamentos, mas que nossas características se concentram em um ou dois tipos. Ou seja, se você se identifica com o tipo sanguíneo, isso não quer dizer que terá todas as forças e fraquezas desse temperamento.
  • 21. 2.3 A análise de corpo A análise de uma pessoa começa observando-a de longe. Se estiver sentada, observe se cruza as pernas e como é a estrutura de seu corpo. Se estiver em pé, observe seu porte, a ossatura, as proporções, especialmente a proporção da cabeça em relação ao corpo e os gestos. A mais importante característica do corpo, como um todo e em termos estéticos, é a proporção da cabeça em relação ao corpo. Se a cabeça é grande em relação ao corpo, cabelos volumosos podem acentuar o desequilíbrio. Ao contrário, cabelos curtos em cabeças pequenas fazem com que elas pareçam ainda menores. A seguir, veremos separadamente cada item da análise corporal: o modo de andar, o modo de sentar, os gestos e o comportamento.
  • 22. 2.3.1 O modo de andar Um dos exercícios mais interessantes é observar uma pessoa que esteja andando à sua frente e tentar decifrar seu temperamento somente pelo andar. Comece observando que parte do pé a pessoa coloca primeiro no chão. Depois observe sua postura enquanto anda, para onde olha e a velocidade com que caminha. Se a pessoa pisar na parte da frente do pé, seu andar será leve e com balanço, como se estivesse andando sobre uma mola. Ela também tenderá a andar de um modo rápido e descuidado. Esses são indícios de pessoas com características sanguíneas. As pessoas sanguíneas também andam olhando para os lados e até para trás, o que faz com que tropecem com freqüência. O corpo se movimenta como um todo. Quando a pessoa começa as suas passadas com o calcanhar, o andar se transforma quase numa marcha, dura, forte, e determinada. A movimentação em geral é rápida, como se a pessoa tivesse urgência em faze algo, É uma característica de pessoas coléricas. Os coléricos olham para frente e andam eretos e duros, numa postura que pode intimidar outros pedestres, que se desviarão de seu caminho. O andar que revela um temperamento melancólico é cuidadoso e deliberado. Os passos são curtos e a pessoa coloca a sola inteira do pé no chão. O ritmo do andar dependerá de seu estado de espírito. Os melancólicos podem andar eretos como os coléricos, mas não com a mesma determinação. Muitos ficam olhando para o chão, observando por onde caminham, o que provoca uma postura arcada. O andar arrastado e devagar, em que o corpo balança de um lado para o outro, é característico de um temperamento fleumático. O andar dele é solto, vago e sem postura, e a pessoa freqüentemente caminha com as mãos no bolso, olhando para o chão, como se estivesse passeando sem rumo definido ou sem compromisso.
  • 23. 2.3.2 O modo de sentar Note como uma pessoa se senta numa cadeira e também como permanece sentada. Monitore seus clientes à distância, enquanto estão à vontade e não sabem que estão sendo observados. Quando uma pessoa caminha até sua bancada de trabalho, o andar e o modo de se sentar podem se alterar – por timidez, ansiedade ou constrangimento. Um forte indício dos tipos sanguíneos é se sentar num único movimento, fazendo a transição do andar para o sentar sem parar. Os sanguíneos quase se jogam no assento. Eles também têm dificuldade de permanecer quietos e repousados, mexendo-se constantemente. Muitos se sentam na parte da frente da cadeira, como se estivessem preparados para se levantar a qualquer momento, cruzam e descruzam as pernas constantemente e dificilmente ficam em posição ereta. A pessoa que se aproxima da cadeira, faz uma leve pausa e se senta com decisão e de forma pesada, revela características coléricas. O colérico geralmente senta-se ereto, com as costas firmes contra o encosto da cadeira, podendo cruzar os braços e as pernas. Os homens geralmente se sentam com as pernas abertas ou cruzam as pernas formando uma figura de quatro (algumas mulheres também). Os tipos melancólicos sempre se sentam com cuidado. As mulheres podem ajustar suas saias e os homens suas calças, para não amassarem. Sua posição é geralmente ereta; os tímidos, entretanto, se sentam na parte da frente da cadeira. Os melancólicos também gostam de cruzar as pernas, ou enganchar os pés atrás das pernas da cadeira. Algumas mulheres cruzam uma perna sobre a outra e ainda colocam um pé atrás da perna de apoio, formando uma figura de oito, como se estivessem amarradas. A pessoa que geralmente se solta quando se senta, recostada, mas não ereta, demonstra ter características fleumáticas. Ele gosta de esticar as pernas e de colocar as mãos atrás da cabeça, assumindo uma posição relaxada.
  • 24. 2.3.3 Os gestos As quatro linhas básicas têm características inerentes, que estabelecem o ritmo em que o olho as percorre. As linhas retas verticais e horizontais são imóveis, as retas inclinadas são dinâmicas e as curvas são emocionais. Isso é claramente percebido nos gestos. Aliás, os gestos são desenhos feitos com as mãos e os braços. Quando alguém quer ser enfático e decidido, usa gestos verticais; quando não quer que haja discussão, usa gestos horizontais. Por outro lado, quando se deseja incentivar alguém para fazer algo, movimentos diagonais são empregados. Os gestos ondulares, por sua vez, exprimem calma, lirismo e sensualidade, enquanto gestos enrolados revelam emoções intranqüilas. Os sanguíneos e os melancólicos são os mais expressivos nos gestos, por serem os temperamentos associados à comunicação (sanguíneo) e às artes (melancólico). Os sanguíneos usam muito as mãos e os braços enquanto falam, com gestos largos, agitados e enérgicos, contendo muitos movimentos em diagonal ou inclinados. Os melancólicos gesticulam de maneira discreta, precisa e contida, mas muito expressiva. São movimentos graciosos e suaves, com ondulações. Os coléricos e fleumáticos, por serem mais fechados e reservados, não gesticulam muito. A exceção fica por conta do colérico, quando ele se emociona. Nesses momentos, utiliza gestos fortes, contundentes e intensos, com muitas linhas verticais e horizontais. Os gestos dos fleumáticos são vagos e indistintos. Tanto os coléricos quantos os fleumáticos seguram muito suas mãos, cruzando os braços ou colocando as mãos nos bolsos. Alguns fleumáticos chegam a esconder as mãos nas axilas.
  • 25. 2.3.4 O comportamento Nos dias de hoje, os jovens – mas não apenas eles – são muito pressionados para serem dinâmicos, extrovertidos, alegres, fortes e sensuais. Todas essas características são do tipo sanguíneo ou colérico. Essa pressão influencia as pessoas a adotar um comportamento que não é seu natural, sufocando seu temperamento. O sanguíneo verdadeiro é o tipo mais fácil de ser identificado pelo comportamento. Ele é naturalmente extrovertido e comunicativo, sendo motivado por novidades e modismos. No grupo, vai liderar as brincadeiras, contar as piadas, falar alto e gesticular muito. Será sempre a pessoa mais em evidência e, por essa razão também será o alvo das brincadeiras. Seu comportamento não é muito diferente em situações corriqueiras, somente menos exagerado. Conversa com todos à sua volta, mesmo com pessoas que não conhece, é curioso e energético. Os coléricos não são tão extrovertidos quanto os sanguíneos. Muitos são reservados. Mas o colérico se sentirá ameaçado se perceber que não detém o poder. Num grupo, ou quando estiver acompanhado de um sanguíneo, poderá iniciar uma disputa com essa pessoa e assumir um comportamento muito mais extrovertido do que o normal. No entanto, num grupo mais íntimo, de amigos, é o colérico quem realmente lidera. Ele vai decidir o que será feito, embora o sanguíneo talvez dê as opções. O colérico é quem escolhe a mesa, decide onde cada um sentará, faz o pedido e pede a conta. Se tiver necessidade de exibir seu poder, insistirá em pagá-la. Ele é decidido e impaciente. Não gosta de indecisão e de informações muito detalhadas. Prefere um atendimento direto, rápido e objetivo. Os melancólicos são naturalmente introvertidos e quietos. Sentem necessidade de controle e de reconhecimento e são motivados pela busca de perfeição. Num grupo, os melancólicos são os mais quietos e tendem a desenvolver conversas paralelas, mais íntimas, com quem estiver ao lado. As tentativas de aparecer perante o grupo podem ser desastrosas, particularmente quando tentam ser engraçados. Por isso, podem ser o alvo das brincadeiras dos sanguíneos, às quais terão dificuldade de encontrar respostas. São cuidadosos, detalhistas e organizados. Os fleumáticos são quietos, mais simpáticos e amigáveis. Não gostam de incomodar os outros. Como dificilmente tomam a iniciativa, não começam conversas. São motivados pela busca de segurança e estabilidade, desconfiam de novidades e sentem-se ameaçados por mudanças radicais. Num grupo, os fleumáticos parecem um pouco alheios, desinteressados e
  • 26. até entediados, mas são observadores e atenciosos. Preferem roupas muito confortáveis. Usam pouca maquiagem e acessórios. Sacrificam a beleza pelo conforto e a comodidade. Aqui encerramos a análise corporal. Passemos agora à análise do rosto, item muito importante no estudo do visagismo.
  • 27. 2.4 A análise do rosto Figura 5 - "Série Visagismo: Beleza Interior" (2005) aquarela - Arches Torchon - 38,6x56,5 cm A análise do rosto fornece as informações mais reveladoras sobre o temperamento de uma pessoa e também é essencial para a criação de uma imagem esteticamente harmoniosa. O método criado por Philip Hallawell é baseado no conhecimento da linguagem visual, porque é preciso saber como medir as proporções, observar os espaços ao redor do rosto e como utilizar eixos para determinar o formato deste e a posição exata de uma feição em relação à outra. Além disso, o método simplifica o processo – sabendo o que as linhas e as formas expressam, não é necessário memorizar centenas de detalhes. Em termos gerais, a análise identifica as linhas inclinadas, verticais, horizontais e curvas, além de seu direcionamento no formato do rosto e nas feições; verifica o grau de regularidade nas proporções do rosto como um todo e de cada feição em particular e em relação às outras feições. A leitura correta dessas linhas é que indicará os traços de personalidade do indivíduo. Basicamente, as linhas inclinadas para cima expressam vigor, energia e dinamismo, características sanguíneas. São indícios, portanto, de aspectos sanguíneos na personalidade da pessoa. Quanto mais linhas sanguíneas no rosto e nos formatos, mais provável é que a pessoa seja predominantemente sanguínea. Linhas inclinadas, que se direcionam para baixo nas feições, no entanto, são indícios de características melancólicas.
  • 28. As linhas verticais são de estrutura e controle, enquanto as horizontais são de estabilidade. O rosto pode conter essas linhas isoladamente ou em conjunto. Quando há tanto as verticais quanto as horizontais teremos formatos quadrados ou retangulares largos, sugerindo aspectos coléricos, pois essas formas manifestam força, poder e segurança. A predominância de linhas verticais, que expressam controle, indica características melancólicas, do tipo científico, enquanto a presença de muitas linhas horizontais sugere que a pessoa seja principalmente fleumática. Linhas curvas revelam diversos tipos de emoções – sensibilidade, delicadeza, lirismo, alegria, sensualidade ou conturbação – dependendo do seu tipo de curva e comprimento. Em geral, são sinais de personalidades melancólicas (sensibilidade) ou coléricas (paixão). Os formatos redondos, porém, indicam que há propriedades fleumáticas.
  • 29. 2.4.1 Os formatos de rosto Há nove formatos básicos de rosto: 1. Oval 2. Redondo 3. Retangular 4. Quadrado 5. Hexagonal com base reta 6. Hexagonal com lateral reta 7. Triangular 8. Triangular invertido/coração 9. Losangular Há pessoas cujo formato de rosto cabe perfeitamente dentro de uma dessas formas geométricas, o que torna fácil analisá-las. No entanto, muitos rostos são mais complexos, contendo uma variedade de formatos. Nesses casos, é preciso analisar as feições e cada área do rosto. Também é preciso examinar o formato do perfil, que pode ser reto, curvo ou angular. Na análise do rosto, observa-se, primeiro, a linha lateral do rosto, da maçã até a curva da mandíbula. Imagine uma linha vertical sobreposta à lateral do rosto. Dessa maneira você poderá perceber se o rosto forma uma linha vertical, inclinada ou curva nessa parte. Se a linha for curva, o rosto é oval ou redondo. No rosto redondo, a altura do rosto é somente um pouco maior do que sua largura, enquanto no rosto oval a largura corresponde a aproximadamente dois terços da altura. Se a linha for reta, o rosto é retangular, quadrado ou hexagonal com lateral reta. Nos rostos retangulares e quadrados, a ponta da mandíbula fica abaixo da linha dos lábios. Se a ponta estiver na linha dos lábios, ou acima, consideramos o rosto hexagonal com lateral reta, mesmo que a testa seja arredondada ou retangular. O rosto retangular tem a mesma proporção do oval (2/3), enquanto o quadrado tem a proporção do redondo (quase 1/1). Se a linha for inclinada, o rosto é triangular, triangular invertido, losangular ou hexagonal com base reta.
  • 30. No rosto triangular, a linha lateral é inclinada da mandíbula em direção à testa. Esta linha tem uma inclinação muito pequena, sendo difícil identificá-la. Mas percebe-se claramente que a testa é mais estreita que o queixo. Esse formato também é chamado de “pêra”, porque a base do rosto é mais larga do que o topo da cabeça, que pode ser pontudo. Não é um formato comum, especialmente nas mulheres. Note que, mesmo que a base não seja reta, o rosto é considerado triangular quando se afina na testa. Quando o rosto é triangular invertido, a inclinação da linha lateral do rosto é inversa. Forma-se uma ponta no queixo e a testa é mais larga do que os maxilares. Uma variação é o formato de coração, quando as linhas são levemente curvas e há um bico no meio da linha do cabelo, na testa. Se há uma inclinação da maçã do rosto em direção à testa e o queixo é fino e pontudo, o rosto é losangular. O formato hexagonal com base reta é semelhante ao formato losangular. A diferença está na largura do queixo, que faz com que o ângulo da lateral do rosto seja menor. Esse formato também pode ser confundido com o rosto quadrado, se as angulações não forem muito acentuadas. As linhas inclinadas, dinâmicas e instáveis, indicam características sanguíneas Essas são encontradas nos rostos hexagonais, triangulares invertidos e losangulares. A linha inclinada do rosto triangular é muito suave para ser considerada sanguínea. As linhas verticais finas indicam estrutura e controle e são melancólicas. As verticais largas expressam força e determinação e são coléricas. Ambas são encontradas nas laterais dos rostos retangulares, quadrados e hexagonais com lateral reta. Em relação ao formato do rosto, como não podemos determinar a largura da linha, consideramos a largura do rosto. Daí, rostos finos são melancólicos e rostos largos são coléricos. As linhas horizontais longas expressam imobilidade e revelam características associadas aos fleumáticos, enquanto as curtas expressam força e estabilidade e são, portanto, coléricas. São encontradas nos formatos retangulares, quadrados, triangulares e hexagonais com base reta. Portanto, os rostos triangulares e quadrados têm tendência a serem fleumáticos. As linhas curvas são encontradas nos rostos ovais e de formato de coração e, nos formatos de rosto, revelam características melancólicas. Rostos redondos são fleumáticos. Usando nossa observação e o conhecimento do que as linhas e os formatos expressam, podemos identificar os diversos tipos de personalidade nos formatos do rosto. Há dois tipos de melancólicos, o artístico e o científico. O formato mais característico do melancólico artístico é o oval. O formato de coração também é relacionado ao melancólico
  • 31. artístico, porém indica maior fragilidade. O formato retangular fino é associado ao melancólico científico. Características fleumáticas são reveladas nos formatos circular, quadrado e triangular. O circular é o mais indicativo. O colérico pode ser identificado pelas linhas retas. O formato mais característico é o retângulo largo, por ser um formato extremamente firme, que expressa estabilidade e força. Quando o rosto é quadrado, mas o queixo é retraído, a pessoa manifesta fortes indícios fleumáticos. O formato hexagonal, com base reta, também é predominantemente colérico, mas contém aspectos sanguíneos. O sanguíneo pode ser visto nos formatos hexagonais, triangular invertido e losangular. O losango, por ser formado somente por linhas inclinadas, é o que mais caracteriza o sanguíneo. O hexagonal com lateral reta é predominantemente sanguíneo, mas tem as linhas verticais do colérico. O triângulo invertido, por apontar para o interior da pessoa, revela introversão, uma característica melancólica. Pessoas com esse tipo de rosto são geralmente agitadas e instáveis, como os sanguíneos, e introvertidos, como os melancólicos. Vejamos a seguir um detalhamento dos formatos de rosto em quadro:
  • 32. FORMATO TEMPERAMENTOS OVAL MELANCÓLICO ARTÍSTICO REDONDO FLEUMÁTICO/MELANCÓLICO RETANGULAR COLÉRICO (se for largo) MELANCÓLICO CIENTÍFICO (se for fino) QUADRADO FLEUMÁTICO ou COLÉRICO TRIANGULAR COLÉRICO ou FLEUMÁTICO HEXAGONAL BASE RETA COLÉRICO com SANGUÍNEO HEXAGONAL LATERAL RETA SANGUÍNEO com COLÉRICO LOSANGULAR SANGUÍNEO TRIANGULAR INVERTIDO SANGUÍNEO ou MELANCÓLICO CORAÇÃO MELANCÓLICO Figura 6 – Quadro formatos e temperamentos O formato do rosto é o que mais reflete a personalidade de uma pessoa, mas, mesmo assim, não é determinante, portanto precisamos continuar analisando o perfil e as feições.
  • 33. 2.4.2 O perfil O perfil reto indica uma personalidade colérica ou melancólica, do tipo científico. Repare se o rosto é largo ou estreito. Quanto mais largo, mais colérica é a pessoa; quanto mais estreito, mais melancólica. O perfil curvo é indicativo de pessoas melancólicas ou fleumáticas. Quanto mais retraído o queixo, mais introvertida é a pessoa. Este tipo de perfil é associado a rostos ovais ou redondos. Se o rosto é oval, quase certamente a pessoa será do tipo melancólico artístico. Se for redondo ou quadrado, provavelmente é fleumática. O perfil angular é criado pela testa inclinada e pelo nariz proeminente, uma das mais fortes características sanguíneas. Portanto, essa pessoa é quase sempre muito sanguínea. No entanto, se a linha for inclinada da testa até o queixo, formando um queixo proeminente, a pessoa terá muitas características coléricas. Se o queixo for retraído, também terá características melancólicas.
  • 34. 2.4.3 As Feições Analisaremos agora cada feição e seus significados. Além do formato das feições, é preciso observar a proporção de uma feição em relação à outra e a proporção do rosto como um todo. Isso revela o grau de regularidade e se as feições são espaçadas, direcionadas para fora do rosto, ou aglomeradas na parte central, direcionadas para dentro do rosto. Quanto mais espaçadas, mais aberta e extrovertida é a pessoa, do tipo sanguíneo ou colérico. Ao contrário, pessoas cujas feições estejam aglomeradas expressam uma personalidade centrada, fechada e introvertida, do tipo melancólico ou fleumático. Irregularidade nas proporções é um indício de características sanguíneas. A testa e as sobrancelhas são relacionadas com o intelecto. Porém, as sobrancelhas também fazem parte da área emocional do rosto, junto com os olhos e o nariz. Os olhos correspondem ao coração, enquanto o nariz corresponde ao pulmão. O formato e as proporções dos olhos indicam como a pessoa lida com sua emoção. As características do nariz indicam como age e como é o seu ritmo de vida. A boca é associada à intuição e à expressão, e o queixo à vontade. Isso é importante porque cada feição revelará como a pessoa lida com seu intelecto, emoções, vontade, expressão e intuição. Por exemplo, olhos grandes e abertos mostram que a pessoa é emotiva, uma característica colérica, mas se os olhos forem pequenos, abertos e redondos, a pessoa demonstra sensibilidade, um atributo melancólico. A figura a seguir ilustra isso:
  • 35. Figura 7 - As feições e seus significados no visagismo
  • 36. 2.4.3.1 A testa Cobrir a testa, com uma franja, por exemplo – é cobrir, simbolicamente, o intelecto. Pessoas que gostam de cobrir suas testas demonstram que não confiam no seu intelecto. Isso não quer dizer que não sejam inteligentes, mas que preferem apoiar-se nas emoções ou na intuição quando se relacionam com a realidade. Testas retangulares e largas demonstram força mental, uma característica colérica. Testas altas, estreitas e arredondadas revelam organização mental, imaginação e capacidade lógica ou verbal, propriedades melancólicas. A testa proeminente é um sinal de que a pessoa impõe seu pensamento, algo típico do colérico e do melancólico. A testa inclinada aponta para uma pessoa impulsiva, sanguínea, porque seu pensamento se direciona para o nariz, a região da ação. Testas curvas, de frente e de perfil, são indícios de que a pessoa é sensível e que seu pensamento é voltado para dentro de si. Ou seja, indica que a pessoa tem grande capacidade reflexiva, mas – por essa razão - pode ser ansiosa e perfeccionista. A testa estreita também é uma característica do tipo melancólico artístico. Se for larga, é um atributo fleumático.
  • 37. 2.4.3.2 Os olhos e as sobrancelhas Os olhos são extremamente expressivos. Eles revelam a rica variedade das emoções das pessoas por meio da abertura do olho, do seu brilho e de pequenos movimentos nas pálpebras e nas sobrancelhas, particularmente nas extremidades internas e externas. Mas essas emoções passageiras, momentâneas, não devem ser confundidas com o que o formato e as proporções dos olhos exprimem. Os olhos são sempre assimétricos. Um é maior e mais alto do que o outro. Essa diferença pode ser grande ou sutil e pouco evidente. O olho dominante é geralmente mais alto, seu olhar mais intenso e mais brilhante. Revela, mais intensamente, as verdadeiras emoções da pessoa. O outro lado do rosto é a ”máscara”. Estabelecer essa diferenciação é importante, especialmente quando se pretende cortar uma franja. Se a franja for direcionada ao olho dominante, um interlocutor terá a tendência de seguir a linha da franja e olhar para esse lado do rosto. Isso fará a pessoa sentir-se desprotegida e vulnerável, mas pode ser indicado quando o objetivo for fazer os outros perceberem o que ela realmente sente e pensa. Observe, primeiro, se os olhos são afastados ou próximos um do outro. Quanto mais afastados ou espaçados, maior o grau de extroversão. Olhos próximos revelam uma personalidade introvertida, centrada em si e que resguarda suas emoções. Em seguida, observe se os olhos são retos, inclinados para cima ou para baixo. Os olhos inclinados para cima, amendoados, são característicos de sanguíneos. Inclinação para baixo indica atributos melancólicos ou fleumáticos. Olhos retos são neutros. O próximo passo é verificar o tamanho dos olhos. Pessoas emotivas, uma característica de certo tipo de colérico, têm olhos grandes. Quem controla suas emoções, como pessoas melancólicas do tipo científico, geralmente tem olhos pequenos. Finalmente, note a abertura dos olhos. Olhos abertos e arredondados demonstram sensibilidade – o que é típico dos melancólicos artísticos – e interesse e curiosidade – características dos sanguíneos. Olhos estreitos e cerrados, com pouca abertura, revelam uma personalidade mais fria e fechada, e são comuns em alguns coléricos e melancólicos intelectuais. Um olho que não é pequeno nem estreito, mas de olhar cerrado, revelando grande parte da pálpebra, é uma sinal de que a pessoa esconde as emoções. Esse olhar pode ser sedutor, mas também pode expressar desinteresse e apatia, revelando características fleumáticas. Os olhos humanos são os únicos entre os olhos dos primatas em que a parte branca, a esclerótica, é visível. Na avaliação de Philip Hallawell, as pessoas que têm olhos abertos e grandes, mostrando muito do “branco do olho”, são expansivas, gregárias e cooperativas, ao contrário das pessoas com olhos cerrados e pequenos. As sobrancelhas também têm grande importância, pois formam a moldura dos olhos. O design de sobrancelhas é um dos mais importantes itens do visagismo, podendo
  • 38. transformar radicalmente a expressão de uma pessoa. As sobrancelhas modeladas ou modificadas, porém, não indicam nenhuma característica de personalidade. Primeiro, observe o formato da sobrancelha: pode ser reto, curvo ou arqueado. Esteticamente, esse último é o mais harmonioso, mas nem sempre é o formato ideal para a pessoa. O formato reto revela características coléricas. Se os olhos também forem retos e, além disso, profundos, isso significa que a pessoa é muito intensa, emocional e mentalmente, ou até obsessiva. A sobrancelha curva é associada a pessoas melancólicas e fleumáticas, e o formato arqueado é uma característica sanguínea. Sobrancelhas grossas indicam que a pessoa é colérica ou fleumática. Uma linha sem interrupção entre uma sobrancelha e outra é um forte indício colérico. Sobrancelhas finas são um indício de temperamento melancólico. Sobrancelhas caídas nas extremidades entristecem o olhar e são uma característica da personalidade melancólica.
  • 39. 2.4.3.3 O nariz Muitas pessoas não pensam no nariz como uma feição expressiva, e isso faz com que ele seja notado apenas esteticamente. Em geral são apreciados narizes pequenos, retos, estreitos e proporcionais. Outras desenvolvem traumas psicológicos por causa do tamanho ou formato do nariz, ignorando suas qualidades e sua beleza não convencional. É por isso que a cirurgia plástica do nariz pode descaracterizar uma pessoa e afetá-la psicologicamente de maneira negativa, deixando-a mais bonita, num sentido superficial, mas sem “graça”. O nariz proeminente e grande é associado à curiosidade, à impetuosidade e à coragem de se envolver com novidades, e de abraçar a vida. São características muito marcantes das pessoas sanguíneas e qualidades muito apreciadas na atualidade, por serem associadas à criatividade. O nariz arrebitado também indica uma característica sanguínea, mas mais delicada e menos impulsiva. O nariz aquilino longo, estreito e levemente caído expressa nobreza, discrição e controle das emoções, qualidades das pessoas com temperamento melancólico científico. Narizes pequenos, proporcionais e delicados indicam características melancólicas artísticas, pois expressam sensibilidade. O nariz grande, largo e com o formato arredondado e narinas abertas é sinal de uma pessoa emotiva e aberta, com características coléricas. Essas pessoas não se abalam facilmente e são persistentes. O nariz achatado, proporcional, indica um temperamento fleumático.
  • 40. 2.4.3.4 A boca Depois dos olhos, a boca é a parte mais expressiva do rosto. A boca é associada à comunicação, à intuição e à sensualidade. Observe o tamanho da boca, sua proporção e a grossura de cada lábio. Na boca “padrão”, o tamanho da altura total cabe duas vezes e meia na largura total; essa também é a proporção do “olho padrão”. Bocas grandes, com lábios carnudos, são muito sensuais. Essa sensualidade é realçada com a aplicação de um batom vermelho. Essas são características coléricas, o temperamento mais emotivo e passional. Bocas largas e expressivas indicam extroversão, comunicabilidade e alegria, qualidades das pessoas sanguíneas. Ao contrário, bocas pequenas denotam um temperamento introvertido e fechado, típico das pessoas melancólicas que têm dificuldade de se expressar e que não têm boa intuição. A boca do tipo cupido expressa sensibilidade, qualidade dos melancólicos artísticos, que também geralmente têm bocas proporcionais. A boca com lábios estreitos, especialmente o lábio superior, indica um temperamento frio, pouco emotivo, e podem expressar severidade e controle, aspectos de melancólicos científicos. Fleumáticos geralmente têm bocas de formato e tamanho padrão, bastante regulares, mas podem cair nas extremidades. Também podem ter o costume de projetar a boca toda ou somente o lábio inferior, num beiço.
  • 41. 2.4.3.5 O queixo O formato do queixo está muito ligado ao do rosto como um todo, mas há variações importantes. Algumas delas podem ser vistas olhando-se para o rosto, de frente, mas outras são reveladas apenas pelo perfil. O queixo revela o grau de força, estabilidade e determinação de uma pessoa. Também indica se ela é do tipo que impõe sua vontade ou se submete à vontade dos outros. Comece observando o queixo, de frente, para ver se é reto, curvo ou triangular. Depois veja se é projetado, neutro ou retraído, observando-o de perfil. O temperamento colérico se revela no queixo, de formato quadrado, que indica força e poder, e no seu pronunciamento. Quanto mais pronunciado, mais a pessoa impõe sua vontade, é determinada e enfrenta situações difíceis. É um das mais fortes características coléricas. O queixo retraído, ao contrário, indica uma personalidade mais suave, maleável e até submissa – características dos melancólicos e fleumáticos. Estes últimos geralmente têm queixos arredondados. O melancólico científico, porém, costuma ter o queixo quadrado, mas não pronunciado. A personalidade sanguínea se revela nas linhas inclinadas: o queixo tem a forma pontuda e triangular. Quando o queixo é pontudo e retraído, indica instabilidade e indecisão. Com isso, apresentamos os conceitos mais básicos do visagismo. Com o estudo aprofundado das informações aqui detalhadas, o profissional da beleza já terá condições de utilizar o conceito como uma ferramenta auxiliar no seu trabalho de embelezar as pessoas. Figura 8 – Alguns exemplos dos benefícios gerados pelo visagismo
  • 42. 3 METODOLOGIA Para a elaboração desse trabalho, foi feita uma pesquisa bibliográfica a partir do estudo de literaturas referentes ao tema visagismo, visando fundamentar o processo de pesquisa. O texto base foi do autor Philip Hallawell, maior referência do assunto no Brasil de onde extraímos esse aprofundamento teórico-metodológico buscando delimitar o marco teórico da pesquisa. Foi feito ainda consulta a demais livros co-relacionados ao tema, assim como em sites relacionadas ao assunto aqui abordado. Com isso, tivemos a pretensão de extrair as informações mais básicas e importantes para a conclusão deste trabalho, que fossem o suficiente para introduzir um leigo ao assunto apresentado, visto que é um tema muito amplo em seus diversos conceitos.
  • 43. 4 CONCLUSÕES FINAIS Ao findarmos esse trabalho, chegamos à seguinte conclusão: o visagismo é uma ferramenta que pode auxiliar e muito o profissional da área da beleza na construção de uma adequada imagem visual para seus clientes. A customização, de um modo geral, e em diversas áreas, é uma tendência que visa personalizar, seja um produto ou serviço, ao gosto/necessidade dos clientes. O profissional que exerça o visagismo, não trabalhará com padrões de beleza, ou com soluções padronizadas, derivadas das tendências de moda. Ele buscará soluções que revelarão o que é único nos seus clientes, adaptando as tendências de moda ao estilo de cada um. Será a “customização” da imagem do seu cliente. Importante também é que o profissional não só poderá oferecer sugestões de transformações aos seus clientes, mas terá embasamento para explicar porque determinados visuais podem ou não favorecer seus formatos de rostos e intenções que desejam passar através de sua imagem pessoal. Por muito tempo, profissionais contavam unicamente com sua intuição para isso. Agora têm também um método para realizar seus serviços. Conforme o depoimento de uma profissional da área (ver Anexo A), trabalhar apenas por intuição pode ou não dar certo. Com o método aplicado do visagismo, as chances de acerto serão sempre maiores, pois você estará buscando uma intenção para a sua imagem. Conhecendo agora os significados das linhas e formas, o profissional saberá não só analisar o seu cliente para identificar seu temperamento, mas também terá condições de sugerir mudanças no visual que venham explorar melhor os pontos fortes de cada cliente, ou mesmo amenizar seus pontos fracos, de acordo com a necessidade e o desejo de cada um. Sugerimos ainda, para um maior aprofundamento do assunto, o estudo das cores e tons de pele, parte muito importante do visagismo, mas que por questão de tempo e espaço, não foram abordados nesse trabalho, mas que tornarão o estudioso do assunto mais apto a exercer um perfeito visagismo. E como não poderia deixar de ser também, a leitura dos livros Visagismo - Harmonia e Estética e Visagismo Integrado: Identidade, Estilo e Beleza (ambos pela Editora Senac), escritos por Philip Hallawell, que tornarão o profissional da beleza um profundo conhecedor do conceito aqui apresentado. Enfim, parafraseando Philip Hallawell: “Criar um estilo é dizer ao mundo quem você é, o que você pensa, qual o seu estilo de vida, quais os seus princípios, sua filosofia de vida e traduzir isso numa imagem”. Isso é visagismo.
  • 44. REFERÊNCIAS GLASS, Norbert. Os temperamentos. São Paulo: Antroposófica, 1990 HALLAWELL, P. Visagismo. Harmonia e Estética. 3. Ed.. São Paulo: SENAC, 2007 HALLAWELL, P. Visagismo Integrado: Identidade, Estilo e Beleza. São Paulo: SENAC, 2009 JUNG, Carl G. O homem e seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996 Documento eletrônico online: AMADO, Dani. Mudanças... [S.I.]: Blog Estillo, 2011. Disponível em: http://www.estilloconsultoria.com.br/blog/?tag=visagismo. Acesso em: 15 mar. 2011, 17:13:23. HALLAWELL, P. Benefícios... [S.I.] Belezain, 2011. Disponível em: http://www.belezain.com.br/cabelo/beneficios_visagismo.asp. Acesso em 07 mar. 2011, 20:34:22 http:/www.visagismo.com.br. Acesso em: 07 fev. 2011, 17:35:23. MATEUS, André. Visagismo. [S.I.]: Cabelaria, 2001. Disponível em: http://cabelaria.com.br/index.php/2010/08/10/andre-mateus-fala-ao-portal-m-de-mulher- sobre-o-visagismo/. Acesso em: 07 mar. 2011, 22:22:45
  • 46. ANEXO A Mudanças… Esta semana passei por uma situação que no primeiro momento parecia desesperadora… Mas esta mesma situação me fez ver e entender mais um pouco sobre a importância da nossa imagem, de como ela fala ao nosso respeito, como ela reflete o nosso estado emocional e na forma que agimos conosco e com as pessoas que estão ao nosso redor. Todos erram, não é gente? Não tem consultora de imagem, de moda, de nada que não cometa um deslize com a própria imagem um dia. Vivemos uma vida REAL! Aconteceu o seguinte: Estava loira 10.1 e precisava fazer algumas mechas invertidas para escurecer um pouco os fios. O cabelo estava tão despigmentado que não tinha tinta nesse mundo que pegasse! Pra resumir, joguei uma tinta 4.0 e o cabelo ficou super escuro, todo escuro, nada de mechas invertidas. Você que é loira sabe como isso é traumatizante… Nos primeiros dias sofri, chorei, xinguei, estava super irritada com as pessoas ao meu redor e sei que isso não era só porque tinha deixado de estar loira. Eu nasci morena, então não tem nada de errado em voltar as minhas origens. Concordam? Na verdade era uma reação emocional que envolvia o formato do meu rosto, a cor escura que me deixa mais forte e ressalta o meu temperamento “colérico”, e a falta do cabelo claro que suaviza as minhas reações e o meu rosto hexagonal. E tem mais um monte de coisas… Entenderam? Isso é puro visagismo gente! Por isso tenho falado tanto sobre visagismo, workshop e cursos. Tenho falado sobre a importância, sobre a necessidade, sobre os princípios que podem ser aplicados na nossa vida pessoal e na nossa profissão. Aliás, pode ser aplicado em todas as profissões, pois somos seres totalmente visuais, trabalhamos com imagens o tempo todo, não é só quem trabalha com moda e beleza que pode perceber os benefícios. TODOS podem e devem! Foi muito bom isso ter acontecido comigo! Já acostumei com a cor do cabelo (a mesma cor que tive por 25 anos) e tenho visto os benefícios que o cabelo escuro tem me trazido. Meu rosto ficou mais fino, meu olhos estão mais brilhantes, está mais fácil usar as cores vivas da minha estação que é Primavera Intensa, estou mais jovem, porém mais séria, e isso tudo foi crucial para que eu conseguisse fechar um trabalho em uma empresa enorme aqui de BH. Exagero? Não, se você entende de imagem e visagismo, sabe que não estou exagerando. Agora está tudo tranqüilo, talvez volte a “estar” loira um dia (deixe-me tratar um pouco meu cabelo). Vai depender do momento, vai depender do que quero comunicar, vai depender do que quero transmitir e como quero que as pessoas reajam comigo, vai depender de mim. Isso é visagismo, isso é autoconhecimento! Como diz a minha amiga e visagista Lígia Lima: “Nosso rosto é o centro da nossa identidade”, roupa tem como trocar, sapato também, maquiagem se tira… Mas mexer no cabelo é muita responsabilidade! Se você só mexe no seu cabelo ou se tem várias cabecinhas importantes em suas mãos, pense muito nisso, na responsabilidade! Alteramos uma vida toda quando alteramos a imagem de uma pessoa, e isso pode ser para o bem e para o mal.
  • 47. “NADA PIOR DO QUE SE OLHAR NO ESPELHO E NÃO SE ENCONTRAR” Beijos, Dani Amado Texto na integra, preservando o estilo de linguagem da autora: http://www.estilloconsultoria.com.br/blog/?tag=visagismo. Acesso em: 15 mar. 2011, 17:13:23.