SlideShare uma empresa Scribd logo
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL
FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS
CURSO DE HISTÓRIA
HISTÓRIA MODERNA
Revolução Inglesa
Dr. Charles Monteiro
Antônio Vinicius Pereira
Cristiane Silveira Guedes
Revoluçao inglesa
FICHA TÉCNICA DO FILME
DIRETOR: MIKE BARKER
ROTEIRISTA: JENNY MAYHEW
TRILHA SONORA: RICHARD G. MITCHELL
PRODUZIDO NO REINO UNIDO E NA ALEMANHA
ESTÚDIO: "NBO ENTERTAINMENT“
FOI PRODUZIDO NO ANO DE 2003
NOME ORIGINAL: TO KILL A KING
SINOPSE: A Inglaterra está em ruínas. A guerra
civil que dividia o país terminou. Os Puritanos
derrubaram o Rei Carlos I. Surgem dois heróis após a
guerra: Lorde General Thomas Fairfaix e o
General Oliver Cromwell. A missão de ambos é
unir e reformar o país. Fairfaix, membro da aristocracia, quer uma reforma
moderada, enquanto Cromwell exige a execução do rei. O rei deposto acredita
que seu reinado foi roubado por Fairfaix que se encontra cada vez mais dividido
entre a felicidade e a esposa, Lady Anne, preservando sua classe social. A
causa revolucionária defendida por seu companheiro, Cromwell, que age de
forma cada vez mais agressiva e brutal, faz com que Fairfaix perceba que precisa
detê-lo, iniciando assim a batalha onde a traição e a conspiração são as principais
armas dos dois homens mais poderosos do país.
No século XVII, o absolutismo dos reis da dinastia Stuart (Jaime
I, Carlos I, Carlos II e Jaime II) tornou-se tão opressor que
acabou provocando a rebelião das classes sociais contrárias
aos privilégios da aristocracia feudal.
A burguesia e os médios fazendeiros capitalistas eram
representados pelos deputados do Parlamento. Estourou uma
guerra civil entre o exército do rei e o exército do Parlamento.
Por fim, o absolutismo foi destruído. A Inglaterra tornou-se uma
monarquia parlamentar que é um sistema no qual o rei se
submete às decisões do Parlamento.
O CONCEITO DE REVOLUÇÃO INGLESA
Foi no século XVII, na Inglaterra, que se deu a primeira Revolução Burguesa da
Civilização Ocidental.
• Em 1640 teve início a Revolução Puritana,
• Em 1688 teve lugar a Revolução Gloriosa,
Ambas, contudo fazem parte do mesmo processo revolucionário, o que nos leva
a optar pela denominação Revolução Inglesa e não Revoluções Inglesas,
considerando-se que a verdadeira revolução se deu no curso da Revolução
Puritana, entre 1640 e 1649, e que a Revolução Gloriosa de 1688 foi apenas um
complemento natural.
Nesse contexto histórico podemos inserir a Revolução Inglesa na Era das
Revoluções Burguesas, na medida que antecipa a Revolução Americana e a
própria Revolução Francesa em 150 anos.
A ESTRUTURA ECONÔMICA E POLÍTICA
• Desenvolvimento da indústria têxtil,
• Aumento da esquadra naval,( construção naval ),
• Aumento da indústria de extração mineral,
• Ampliação do comércio,
• Cerca mento dos campos e criação de ovelhas ( êxodo rural ),
• Aumento de desempregados nas cidades,
• Fortalecimento da burguesia ( detém o poder econômico porém não o
político ).
A base mercantil
No século XVII, a Inglaterra havia se tornado uma grande potência. O
comércio marítimo com outras nações, as manufaturas de tecidos de lã e as
colônias na América eram exemplos de sua prosperidade.
Mas no século XVII, a situação mudou. A Europa atravessou um longo período
de crise econômica, que afetou diversos países. Para que o Estado continuasse
forte os reis ingleses aumentaram os impostos de forma absurda, com exceção
dos nobres proprietários de grandes feudos e dos comerciantes que recebiam
privilégios do Estado, a maioria dos ingleses estava insatisfeita.
SOCIEDADE INGLESA
Apoiavam o Regime Absolutista:
• Pares: aristocracia tradicional, grandes proprietários;
Eram contra o Regime Absolutista:
• Burguesia: comerciantes, banqueiros e professores liberais;
• Gentry: pequena e media nobreza rural, mentalidade capitalista, agricultores. Tinham
ligação com a burguesia devido ao comércio.
• Yomen: granjeiros, pequenos proprietários, lavradores e arrendatários. Buscavam
mudanças.
• Camponeses: desterrados graças ao
Cercamentos.
• Proletariado: trabalhadores assalariados
• Marginalizados e desempregados
CONFLITOS DO REI COM O PARLAMENTO
Desde o século XIII existia um Parlamento na Inglaterra. No início tratava-se de
uma assembleia de senhores feudais que controlava o rei. No século XVII,
cresceu muito o número de parlamentares representante da burguesia e da
nobreza descontente, que eram as classes sociais que mais enriqueciam o país.
A Revolução tem início em 164, quando o Parlamento mandou prender os
principais ministros. Além disso, os deputados que representavam a burguesia e
os médios fazendeiros que o rei pedisse autorização ao Parlamento para
aumentar os impostos e convocar o exército.
Encurralado, o rei Carlos I respondeu com brutalidade, em 1642 formou um
poderoso exército comandado pelos grandes senhores feudais. O Parlamento
reagiu e convocou seu próprio exército, assim estourou uma Guerra Civil.
Rei Carlos I Parlamento
A GUERRA CIVIL
 O rei Carlos I era apoiado pelos tradicionais senhores feudais e pelos grandes
comerciantes, que mantinham monopólios mercantilistas.
 O parlamento, por sua vez, tinha apoio das classes revolucionárias: a burguesia, os
artesãos, os camponeses, a pequena nobreza rural - chamada pelos ingleses
de gentry - e os pequenos e médios proprietários, chamados de yeomen.
 Além de política, a guerra civil inglesa foi também um conflito religioso. A Igreja
Anglicana estava ligada ao Estado absolutista, ou seja, estava ligada a maioria dos
senhores feudais.
 A população em geral, porém, era em grande parte calvinista. Na Inglaterra e na
Escócia, os calvinistas eram chamados de puritanos ou presbiterianos.
 O rei tentou impor o anglicanismo em todo o país e esperava que o povo aceitasse
o absolutismo como um direito divino.
 Depois de batalhas sangrentas, o exército do Parlamento derrotou o exército real e o
rei Carlos I foi preso e condenado à morte.
Revoluçao inglesa
Revoluçao inglesa
A DITADURA DE CROMWELL
• Com a morte do rei Carlos I, a Inglaterra deixava de ser uma
monarquia e tornava-se uma república.
• A maior autoridade agora era o general Oliver Cromwell,
comandante do exército vitorioso.
• Cromwell usou de seu poder para implantar um regime
ditatorial, isto é, um governo que tinha de ser obedecido por
todos sem contestação. Quem discordasse seria preso.
• As camadas sociais que ajudaram na luta contra o rei não
gostaram nenhum pouco dessa atitude.
• Alguns soldados e artesãos organizaram um grupo politico
chamado “ niveladores”. Que exigiam que os pobres
também tivessem direito a eleger representantes para o
Parlamento.
• Outro grupo o dos escavadores desejavam que as terras da Igreja Anglicana e da
aristocracia feudal fossem divididas entre os camponeses.
• Muitos rebeldes foram presos e executados.
• Em 1651 decretou os atos de navegação, que determinava que o comércio com a
Inglaterra só poderia ser feito por navios ingleses.
• Em 1658 Cromwell, morre e assume seu filho Ricardo, porém esse era fraco e
vacilante era conhecido como Ricardinho treme treme.
A RESTAURAÇÃO DA MONARQUIA
A pós a morte de Cromwell (1658), as classes
abastadas – a nobreza feudal e a burguesia –
concordaram em restaurar a monarquia. Carlos II,
da dinastia Stuart, filho do rei decapitado, foi novo
monarca não tinha os mesmos poderes
absolutistas do passado e precisava conviver com
o Parlamento.
Depois de sua morte, subiu ao trono seu irmão,
Jaime II (1685). Secretamente o rei tentou
organizar a volta do velho absolutismo. Contava
com o apoio do rei francês Luís XIV, o Rei Sol.
Diante desse perigo político, o Parlamento
convocou tropas para derrubar o rei. Jaime II,
temendo perder a cabeça como o pai fugiu da
Inglaterra. Vitorioso o Parlamento coroou o
príncipe holandês Guilherme de Orange como o
novo rei da Inglaterra.
Carlos II
A REVOLUÇÃO GLORIOSA
O movimento que derrubou o rei Jaime II foi
chamado de Revolução Gloriosa. Esse nome veio do
fato de não ter havido derramamento de sangue. A
Revolução Gloriosa (1688) completou a revolução
burguesa iniciada em 1640.
O novo rei jurou obedecer à Bill of Rights (declaração
dos direitos), que até hoje funciona como uma espécie
de constituição da Inglaterra.
Pela declaração dos Direitos (1689) o rei precisava
da aprovação da maioria dos parlamentares para tomar
as decisões mais importantes, como convocar o
exército, criar impostos ou suspender leis.
A Inglaterra deixava de ser uma monarquia
absolutista e tornava-se uma monarquia
parlamentar. Os ingleses deixaram de ser apenas
súditos adquirindo os direitos e deveres de cidadãos. Jaime II
A REPERCUSSÃO MUNDIAL
A revolução inglesa, além disso, favoreceu o desenvolvimento do capitalismo.
A partir de então, foram tomadas várias medidas favoráveis ao crescimento das
manufaturas, das empresas rurais e da indústria naval. Tudo isso contribuiu
para a liderança econômica e política da burguesia inglesa nos séculos
seguintes. Essa revolução influenciou também o movimento de independência
das Treze Colônias da América (1776) e da Revolução Francesa, em 1789. No
Brasil, aconteceram tentativas de obter a independência com a Inconfidência
Mineira (1789) e a Conjuração baiana (1798).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Resumo revoluçoes inglesas
Resumo   revoluçoes inglesasResumo   revoluçoes inglesas
Resumo revoluçoes inglesas
Claudenilson da Silva
 
Regimes totalitarios
Regimes totalitariosRegimes totalitarios
Regimes totalitarios
Creusa Lima
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
Douglas Barraqui
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Janayna Lira
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Daniel Alves Bronstrup
 
Imperialismo – ásia
Imperialismo – ásiaImperialismo – ásia
Imperialismo – ásia
Carlos Glufke
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
dmflores21
 
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismoSéc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Douglas Barraqui
 
A independência dos EUA ppt
A independência dos EUA pptA independência dos EUA ppt
A independência dos EUA ppt
josepinho
 
Independência do Brasil
 Independência do Brasil Independência do Brasil
Independência do Brasil
Lyzaa Martha
 
Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)
Edenilson Morais
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Edenilson Morais
 
Revolucao Inglesa
Revolucao InglesaRevolucao Inglesa
Revolucao Inglesa
LianaSuzuki
 
O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
Felipe de Souza
 
Unificação italia e alemanha
Unificação italia e alemanhaUnificação italia e alemanha
Unificação italia e alemanha
Isabel Aguiar
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
Isabel Aguiar
 
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o BrasilA transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
Edenilson Morais
 
Independência das treze colônias inglesas
Independência das treze colônias inglesasIndependência das treze colônias inglesas
Independência das treze colônias inglesas
Leonardo Caputo
 
Independência das 13 colônias
Independência das 13 colôniasIndependência das 13 colônias
Independência das 13 colônias
José Gomes
 

Mais procurados (20)

Resumo revoluçoes inglesas
Resumo   revoluçoes inglesasResumo   revoluçoes inglesas
Resumo revoluçoes inglesas
 
Regimes totalitarios
Regimes totalitariosRegimes totalitarios
Regimes totalitarios
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
 
Imperialismo – ásia
Imperialismo – ásiaImperialismo – ásia
Imperialismo – ásia
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
 
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismoSéc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
 
A independência dos EUA ppt
A independência dos EUA pptA independência dos EUA ppt
A independência dos EUA ppt
 
Independência do Brasil
 Independência do Brasil Independência do Brasil
Independência do Brasil
 
Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Revolucao Inglesa
Revolucao InglesaRevolucao Inglesa
Revolucao Inglesa
 
O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
 
Unificação italia e alemanha
Unificação italia e alemanhaUnificação italia e alemanha
Unificação italia e alemanha
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o BrasilA transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
 
Independência das treze colônias inglesas
Independência das treze colônias inglesasIndependência das treze colônias inglesas
Independência das treze colônias inglesas
 
Independência das 13 colônias
Independência das 13 colôniasIndependência das 13 colônias
Independência das 13 colônias
 

Semelhante a Revoluçao inglesa

1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa11 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
flaviaLION
 
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVIIA REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
Isabella Silva
 
A revolucao inglesa
A revolucao inglesaA revolucao inglesa
A revolucao inglesa
Lucas pk'
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Luiz Antonio Souza
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Pedro Kangombe
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Valkuiria Andrade
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
Nelia Salles Nantes
 
Revoluções s inglesas
Revoluções s inglesasRevoluções s inglesas
Revoluções s inglesas
Loredana Ruffo
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
Nelia Salles Nantes
 
Revolucao inglesa
Revolucao inglesaRevolucao inglesa
Revolucao inglesa
MargarethFranklim
 
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
PollyanaRibeiroFerra
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
Nelia Salles Nantes
 
Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa
Thiago Bro
 
As revoluções inglesas
As revoluções inglesasAs revoluções inglesas
As revoluções inglesas
Nila Michele Bastos Santos
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
Nelia Salles Nantes
 
revolucao-inglesa.pdf
revolucao-inglesa.pdfrevolucao-inglesa.pdf
revolucao-inglesa.pdf
caroDorino
 
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii   rev. puritanaAs revoluções inglesas do século xvii   rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
Nelia Salles Nantes
 
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii   rev. puritanaAs revoluções inglesas do século xvii   rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
historiando
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
Nelia Salles Nantes
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
historiando
 

Semelhante a Revoluçao inglesa (20)

1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa11 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
 
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVIIA REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
 
A revolucao inglesa
A revolucao inglesaA revolucao inglesa
A revolucao inglesa
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
Revoluções s inglesas
Revoluções s inglesasRevoluções s inglesas
Revoluções s inglesas
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
Revolucao inglesa
Revolucao inglesaRevolucao inglesa
Revolucao inglesa
 
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa
 
As revoluções inglesas
As revoluções inglesasAs revoluções inglesas
As revoluções inglesas
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
revolucao-inglesa.pdf
revolucao-inglesa.pdfrevolucao-inglesa.pdf
revolucao-inglesa.pdf
 
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii   rev. puritanaAs revoluções inglesas do século xvii   rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
 
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii   rev. puritanaAs revoluções inglesas do século xvii   rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 

Revoluçao inglesa

  • 1. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE HISTÓRIA HISTÓRIA MODERNA Revolução Inglesa Dr. Charles Monteiro Antônio Vinicius Pereira Cristiane Silveira Guedes
  • 3. FICHA TÉCNICA DO FILME DIRETOR: MIKE BARKER ROTEIRISTA: JENNY MAYHEW TRILHA SONORA: RICHARD G. MITCHELL PRODUZIDO NO REINO UNIDO E NA ALEMANHA ESTÚDIO: "NBO ENTERTAINMENT“ FOI PRODUZIDO NO ANO DE 2003 NOME ORIGINAL: TO KILL A KING SINOPSE: A Inglaterra está em ruínas. A guerra civil que dividia o país terminou. Os Puritanos derrubaram o Rei Carlos I. Surgem dois heróis após a guerra: Lorde General Thomas Fairfaix e o General Oliver Cromwell. A missão de ambos é unir e reformar o país. Fairfaix, membro da aristocracia, quer uma reforma moderada, enquanto Cromwell exige a execução do rei. O rei deposto acredita que seu reinado foi roubado por Fairfaix que se encontra cada vez mais dividido entre a felicidade e a esposa, Lady Anne, preservando sua classe social. A causa revolucionária defendida por seu companheiro, Cromwell, que age de forma cada vez mais agressiva e brutal, faz com que Fairfaix perceba que precisa detê-lo, iniciando assim a batalha onde a traição e a conspiração são as principais armas dos dois homens mais poderosos do país.
  • 4. No século XVII, o absolutismo dos reis da dinastia Stuart (Jaime I, Carlos I, Carlos II e Jaime II) tornou-se tão opressor que acabou provocando a rebelião das classes sociais contrárias aos privilégios da aristocracia feudal. A burguesia e os médios fazendeiros capitalistas eram representados pelos deputados do Parlamento. Estourou uma guerra civil entre o exército do rei e o exército do Parlamento. Por fim, o absolutismo foi destruído. A Inglaterra tornou-se uma monarquia parlamentar que é um sistema no qual o rei se submete às decisões do Parlamento.
  • 5. O CONCEITO DE REVOLUÇÃO INGLESA Foi no século XVII, na Inglaterra, que se deu a primeira Revolução Burguesa da Civilização Ocidental. • Em 1640 teve início a Revolução Puritana, • Em 1688 teve lugar a Revolução Gloriosa, Ambas, contudo fazem parte do mesmo processo revolucionário, o que nos leva a optar pela denominação Revolução Inglesa e não Revoluções Inglesas, considerando-se que a verdadeira revolução se deu no curso da Revolução Puritana, entre 1640 e 1649, e que a Revolução Gloriosa de 1688 foi apenas um complemento natural. Nesse contexto histórico podemos inserir a Revolução Inglesa na Era das Revoluções Burguesas, na medida que antecipa a Revolução Americana e a própria Revolução Francesa em 150 anos.
  • 6. A ESTRUTURA ECONÔMICA E POLÍTICA • Desenvolvimento da indústria têxtil, • Aumento da esquadra naval,( construção naval ), • Aumento da indústria de extração mineral, • Ampliação do comércio, • Cerca mento dos campos e criação de ovelhas ( êxodo rural ), • Aumento de desempregados nas cidades, • Fortalecimento da burguesia ( detém o poder econômico porém não o político ). A base mercantil No século XVII, a Inglaterra havia se tornado uma grande potência. O comércio marítimo com outras nações, as manufaturas de tecidos de lã e as colônias na América eram exemplos de sua prosperidade. Mas no século XVII, a situação mudou. A Europa atravessou um longo período de crise econômica, que afetou diversos países. Para que o Estado continuasse forte os reis ingleses aumentaram os impostos de forma absurda, com exceção dos nobres proprietários de grandes feudos e dos comerciantes que recebiam privilégios do Estado, a maioria dos ingleses estava insatisfeita.
  • 7. SOCIEDADE INGLESA Apoiavam o Regime Absolutista: • Pares: aristocracia tradicional, grandes proprietários; Eram contra o Regime Absolutista: • Burguesia: comerciantes, banqueiros e professores liberais; • Gentry: pequena e media nobreza rural, mentalidade capitalista, agricultores. Tinham ligação com a burguesia devido ao comércio. • Yomen: granjeiros, pequenos proprietários, lavradores e arrendatários. Buscavam mudanças. • Camponeses: desterrados graças ao Cercamentos. • Proletariado: trabalhadores assalariados • Marginalizados e desempregados
  • 8. CONFLITOS DO REI COM O PARLAMENTO Desde o século XIII existia um Parlamento na Inglaterra. No início tratava-se de uma assembleia de senhores feudais que controlava o rei. No século XVII, cresceu muito o número de parlamentares representante da burguesia e da nobreza descontente, que eram as classes sociais que mais enriqueciam o país. A Revolução tem início em 164, quando o Parlamento mandou prender os principais ministros. Além disso, os deputados que representavam a burguesia e os médios fazendeiros que o rei pedisse autorização ao Parlamento para aumentar os impostos e convocar o exército. Encurralado, o rei Carlos I respondeu com brutalidade, em 1642 formou um poderoso exército comandado pelos grandes senhores feudais. O Parlamento reagiu e convocou seu próprio exército, assim estourou uma Guerra Civil. Rei Carlos I Parlamento
  • 9. A GUERRA CIVIL  O rei Carlos I era apoiado pelos tradicionais senhores feudais e pelos grandes comerciantes, que mantinham monopólios mercantilistas.  O parlamento, por sua vez, tinha apoio das classes revolucionárias: a burguesia, os artesãos, os camponeses, a pequena nobreza rural - chamada pelos ingleses de gentry - e os pequenos e médios proprietários, chamados de yeomen.  Além de política, a guerra civil inglesa foi também um conflito religioso. A Igreja Anglicana estava ligada ao Estado absolutista, ou seja, estava ligada a maioria dos senhores feudais.  A população em geral, porém, era em grande parte calvinista. Na Inglaterra e na Escócia, os calvinistas eram chamados de puritanos ou presbiterianos.  O rei tentou impor o anglicanismo em todo o país e esperava que o povo aceitasse o absolutismo como um direito divino.  Depois de batalhas sangrentas, o exército do Parlamento derrotou o exército real e o rei Carlos I foi preso e condenado à morte.
  • 12. A DITADURA DE CROMWELL • Com a morte do rei Carlos I, a Inglaterra deixava de ser uma monarquia e tornava-se uma república. • A maior autoridade agora era o general Oliver Cromwell, comandante do exército vitorioso. • Cromwell usou de seu poder para implantar um regime ditatorial, isto é, um governo que tinha de ser obedecido por todos sem contestação. Quem discordasse seria preso. • As camadas sociais que ajudaram na luta contra o rei não gostaram nenhum pouco dessa atitude. • Alguns soldados e artesãos organizaram um grupo politico chamado “ niveladores”. Que exigiam que os pobres também tivessem direito a eleger representantes para o Parlamento. • Outro grupo o dos escavadores desejavam que as terras da Igreja Anglicana e da aristocracia feudal fossem divididas entre os camponeses. • Muitos rebeldes foram presos e executados. • Em 1651 decretou os atos de navegação, que determinava que o comércio com a Inglaterra só poderia ser feito por navios ingleses. • Em 1658 Cromwell, morre e assume seu filho Ricardo, porém esse era fraco e vacilante era conhecido como Ricardinho treme treme.
  • 13. A RESTAURAÇÃO DA MONARQUIA A pós a morte de Cromwell (1658), as classes abastadas – a nobreza feudal e a burguesia – concordaram em restaurar a monarquia. Carlos II, da dinastia Stuart, filho do rei decapitado, foi novo monarca não tinha os mesmos poderes absolutistas do passado e precisava conviver com o Parlamento. Depois de sua morte, subiu ao trono seu irmão, Jaime II (1685). Secretamente o rei tentou organizar a volta do velho absolutismo. Contava com o apoio do rei francês Luís XIV, o Rei Sol. Diante desse perigo político, o Parlamento convocou tropas para derrubar o rei. Jaime II, temendo perder a cabeça como o pai fugiu da Inglaterra. Vitorioso o Parlamento coroou o príncipe holandês Guilherme de Orange como o novo rei da Inglaterra. Carlos II
  • 14. A REVOLUÇÃO GLORIOSA O movimento que derrubou o rei Jaime II foi chamado de Revolução Gloriosa. Esse nome veio do fato de não ter havido derramamento de sangue. A Revolução Gloriosa (1688) completou a revolução burguesa iniciada em 1640. O novo rei jurou obedecer à Bill of Rights (declaração dos direitos), que até hoje funciona como uma espécie de constituição da Inglaterra. Pela declaração dos Direitos (1689) o rei precisava da aprovação da maioria dos parlamentares para tomar as decisões mais importantes, como convocar o exército, criar impostos ou suspender leis. A Inglaterra deixava de ser uma monarquia absolutista e tornava-se uma monarquia parlamentar. Os ingleses deixaram de ser apenas súditos adquirindo os direitos e deveres de cidadãos. Jaime II
  • 15. A REPERCUSSÃO MUNDIAL A revolução inglesa, além disso, favoreceu o desenvolvimento do capitalismo. A partir de então, foram tomadas várias medidas favoráveis ao crescimento das manufaturas, das empresas rurais e da indústria naval. Tudo isso contribuiu para a liderança econômica e política da burguesia inglesa nos séculos seguintes. Essa revolução influenciou também o movimento de independência das Treze Colônias da América (1776) e da Revolução Francesa, em 1789. No Brasil, aconteceram tentativas de obter a independência com a Inconfidência Mineira (1789) e a Conjuração baiana (1798).