SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
ZAL de Sines
vai ser realidade
d e z e m b r o 2 0 0 5 39
revista
Entrevista a António MartinsEntrevista a António Martins Porto de Sines faz 28 anosPorto de Sines faz 28 anos
“Hoje vejo em Sines o maior
por to por tuguês”
Recordar o passado de olhos
postos no futuro
Zo n a d e Ac tividades Logísticas
ava nç a a inda este ano
AP S a ssin a contrato
E d i t o r i a l
D e s t a q u e : C o n t r a t o Z A L
E n t r e v i s t a : A n t ó n i o M a r t i n s
A n i v e r s á r i o : 2 8 a n o s d a A P S
P r o j e c t o s : J o r n a d a s d o M a r
C o o r d e n a d a s
R a d a r
Z o n a Ve r d e
Po r t o S e g u r o
S o l t a r A m a r r a s
O Po r t o e a C i d a d e
R e v i s t a d e I m p r e n s a
03.
04.
06.
08.
11.
12.
14.
16.
16.
17.
18.
19.
sumário
Direct ora
Lídia Sequeira
Propriedade
Administração do Porto de Sines
Contribuinte n.º 501 208 950
Depósito Legal: ISSN 1646-2882
Sede: Apartado 16 - 7520-953 Sines
Tel.: 269 860 600 - Fax: 269 860 790
ficha técnica
03
editorial
L ídia Sequeira
Pres ident e
Porto de Sines
Âncora da Região e do País
C o m e s t e n ú m e r o d a Re v i s t a d o Po r t o d e
S i n e s , o p r i m e i r o d a r e s p o n s a b i l i d a d e d o
n o v o C o n s e l h o d e A d m i n i s t r a ç ã o d a A P S ,
S A , i n t r o d u z - s e u m a n o v a l i n h a e d i t o r i a l
para a revista.
As memórias deste grande projecto, pensado no tempo
e n o e s p a ç o p a r a o f u t u r o , e s t ã o p r e s e n t e s e m
p e r s o n a l i d a d e s r e l e v a n t e s d a s o c i e d a d e c i v i l
p o r t u g u e s a q u e m u i t o c o n t r i b u í r a m p a r a a s u a
c o n c r e t i z a ç ã o, d e s d e o t e m p o d o G a b i n e t e d a Á r e a
d e S i n e s , q u e e s t e v e p r e s e n t e n a s u a o r i g e m .
É o c a s o d o S e n h o r E n g º A n t ó n i o M a r t i n s q u e n o s
c o n c e d e o p r i v i l é g i o d a s u a p a r t i c i p a ç ã o n e s t e
número.
I r e m o s t a m b é m s o l i c i t a r o c o n t r i b u t o d o s q u e d i r e c t a
o u i n d i r e c t a m e n t e f i c a r a m a s s o c i a d o s à s u a
g é n e s e d e p o r t o l i g a d o a o s r e c u r s o s e n e r g é t i c o s
p a r a p o r t o p o l i v a l e n t e e d e a f i r m a ç ã o c o m o
P o r t a A t l â n t i c a d a E u r o p a , b e m p a t e n t e n o L i v r o
Branco da Política Marítimo-Portuária Rumo ao Século
XXI.
A o m e s m o t e m p o , a r e v i s t a s e r á v e í c u l o p a r a
t r a n s m i s s ã o d o s p r o j e c t o s e m c u r s o, p a r t i c u l a r m e n t e
os que estão associados ao Plano Estratégico do Porto
d e S i n e s , à c o m u n i d a d e p o r t u á r i a n a c i o n a l , a o s
s e c t o r e s e c o n ó m i c o s a s s o c i a d o s d i r e c t a o u
i n d i r e c t a m e n t e à a c t i v i d a d e d o Po r t o d e S i n e s, à s
C â m a r a s M u n i c i p a i s d a R e g i ã o , à s I n s t i t u i ç õ e s
P ú b l i c a s o u d e f i m P ú b l i c o e a o s m e i o s a c a d é m i c o s,
culturais e científicos d a Regiã o d o Alentejo.
Aos trabalhadores do Porto de Sines, ao seu quotidiano
e, p a r t i c u l a r m e n t e, à s a c t i v i d a d e s q u e t ê m v i n d o a
d e s e n v o l v e r c o l e c t i v a m e n t e n o â m b i t o d o s e u G r u p o
D e s p o r t i v o e C u l t u r a l s e r á d e d i c a d a p a r t i c u l a r
rel ev ânci a em todos os núm eros.
A o c a b o d e s e i s m e s e s d e D i r e c ç ã o, c o n s i d e r a m o s
estar no bom caminho para concretizar neste mandato
a s a c ç õ e s e o s p r o j e c t o s a s s o c i a d o s a o s p r i n c i p a i s
objectivos do Plano Estratégico do Porto de Sines que
o novo Conselho de Administração acolheu e ao qual
deu novo impulso. Ao mesmo tempo, foram introduzidos
novos métodos de gestão que vão permitir à empresa,
n o c u r t o p r a z o , a t i n g i r a d e s e j á v e l s i t u a ç ã o d e
equi l í bri o fi nancei ro.
E m c o l a b o r a ç ã o c o m o s n o s s o s p r i n c i p a i s p a r c e i r o s,
c o m o p r e c i o s o c a p i t a l q u e c o n s t i t u e m o s n o s s o s
r e c u r s o s h u m a n o s, c o m n o v o s m é t o d o s d e t r a b a l h o
q u e p r i v i l e g i a m a e f i c á c i a e a e f i c i ê n c i a , e s t a m o s
c e r t o s q u e a A P S, S A t e m c o n d i ç õ e s p a r a s e r u m a
em presa âncora da Regi ão e do Paí s.
A Presi dente
Lí di a Sequei ra
04
destaque
ZAL de Sines
vai ser realidade
ZAL de Sines
vai ser realidade
A A P S a d j u d i c o u à e m p r e s a L e n a , E n g e n h a r i a e
C o n s t r u ç õ e s , S A a c o n s t r u ç ã o d o Po l o A d a Z o n a d e
A c t i v i d a d e s Lo g í s t i c a s d e S i n e s . A p r i m e i r a f a s e d o
projecto deverá estar concluída nos próximos meses.
É n u m a á r e a d e 1 2 , 3 h e c t a r e s q u e d e v e r á n a s c e r a
n o v a Z o n a d e A c t i v i d a d e s Lo g í s t i c a s ( Z A L ) d e S i n e s e
q u e a A P S e s p e r a c o m e ç a r a v e r c o n c r e t i z a d a j á n o
p r ó x i m o a n o. A v e n c e d o r a d o c o n c u r s o f o i a Le n a ,
E n g e n h a r i a e C o n s t r u ç õ e s , S A . O m o n t a n t e d o
i n v e s t i m e n t o p a r a e s t a o b r a é d e 2 , 3 7 7 m i l h õ e s d e
euros.
Dando seguimento à sua estratégia de dinamização sócio-
económica da região e do concelho, a APS desenhou um
projecto para a criação de um conjunto de infraestruturas de
abastecimento e apoio, bem como de áreas de implantação
de imóveis destinadas a actividades logísticas e armazenagem,
entre outras,num total de 36.000 m2 de área edificável.
Os imóveis deverão obedecer a um módulo padrão
com 10,5 metros de frente e 25 metros de profundidade.
Soluções de ocupação
I n s e r i d a n o p e r í m e t r o p o r t u á r i o d e S i n e s, a n o v a Z A L
estará localizada junto ao Terminal Multipurpose. Será
d e l i m i t a d a a N o r t e p e l a E N 1 2 0 - 1 e a S u l p e l a v i a d e
l i g a ç ã o a o t e r m i n a l . A e s t r u t u r a e d i f i c a d a p r o p o s t a
p e l a A P S d e v e r á p e r m i t i r s o l u ç õ e s d i f e r e n c i a d a s d e
ocupação da ZAL, implantando-se esta zona edificada
e n t r e s i e e m r e l a ç ã o à r e d e v i á r i a , d e f o r m a
p a d r o n i z a d a, s a l v a g u a r d a n d o u m a f r e n t e m í n i m a d e
2 0 m e t r o s, d e s t i n a d a a e s t a c i o n a m e n t o d e v e í c u l o s
p e s a d o s p a r a a c ç õ e s d e c a r g a / d e s c a r g a .
Será naturalmente necessário um afastamento mínimo
de 50 metros entre as frentes edificadas dos edifícios,
podendo esta distância ser mais reduzida no caso dos
corpos desti nados a escri tóri os.
E s t e s d e v e r ã o d i s p o r d e á r e a s d e e s t a c i o n a m e n t o d e
v e í c u l o s l i g e i r o s n a s s u a s i m e d i a ç õ e s, d i m e n s i o n a d a s
e m f u n ç ã o d e p a r â m e t r o s i n t e r n a c i o n a l m e n t e
recom endados.
05
Ca racterísticas da ZAL
A e s t r u t u r a p r o p o s t a p e l a A P S a s s u m e u m a e s t r a t é g i a
d e i m p l e m e n t a ç ã o e n q u a d r a d a n o s g r a n d e s
p r e s s u p o s t o s d e o r d e n a m e n t o e d e s e n v o l v i m e n t o d a
região e do município. As s im teremos …
… U M A Z A L P O L I N U C L E A D A , q u e c o n t e m p l e
nomeadamente a possibilidade da sua sectorialização
f u n c i o n a l, o u s e j a a s u a a f e c t a ç ã o e s p a c i a l s e g u n d o
áreas monofuncionais, individualizadas e espacialmente
identificáveis;
… U M A Z A L F L E X Í V E L , n ã o s u j e i t a a u m m o d e l o u r b a n o
o u a u m m o d e l o r í g i d o d e i m p l a n t a ç ã o d e
infraestruturas básicas ;
…UMA ZAL COM CAPACIDADE DE EXPANSÃO, susceptível
de albergar actividades e funções hoje impossíveis de
prever ou de dimensiona r exa cta mente;
… U M A Z A L P O L I F U N C I O N A L , c o m c a p a c i d a d e p a r a
a l b e r g a r u m l e q u e d i v e r s i f i c a d o d e a c t i v i d a d e s e
f u n ç õ e s e s t r a t é g i c a s , c o m m a i o r o u m e n o r
i n t e r d e p e n d ê n c i a e a r t i c u l a ç ã o f u n c i o n a l, q u e r e n t r e
s i, q u e r c o m a s i n f r a e s t r u t u r a s p o r t u á r i a s e l o g í s t i c a s
existentes.
I N DI C ADO RES URBAN Í ST I C O S
Área total de i nter v enção: 1 2 3 .0 0 0 m 2
Área total de construção: 3 6 .0 0 0 m 2
Área para v i as e passei os: 4 3 .9 7 4 m 2
Parcel a para m árm ores: 8 .7 6 5 m 2
Área para v i a férrea: 5 .6 2 0 m 2
Área de espaços v erdes: 2 7 .5 4 9 m 2
Nº de l ugares de estaci onam ento: 2 2 3 pesados e
2 3 2 l i gei ros
Maquete da Fu tu r a ZAL d e S i n es
Por taria 54,0
A1 1.575,0
A2 2.475,0
A3 4.050,0
A4 1.676,5
A5 9.128,0
A6 9.856,0
A7 4.140,5
A8 490,0
A9 2.110,0
TOTAL 3 5.555,0
Módulo Área de Constr ução (m2)
Implantação da ZAL de Sines Zona A
06
entrevista
António Martins
“Hoje vejo em Sines o maior porto português”
É c o n s i d e r a d o o “ p a i ” d o Po r t o d e S i n e s , t e n d o s i d o re s p o n s á v e l p e l a c o n c e p ç ã o
e d e s e n v o l v i m e n t o d e t o d o o p r o j e c t o . A n t ó n i o M a r t i n s v i v e u o d i a - a - d i a d o
c re s c i m e n t o d o p o r t o a t é 1 9 7 5 e a i n d a h o j e re c o rd a c o m s a u d a d e o s m o m e n t o s
p a s s a d o s . P a r a o f u t u r o d a q u e l a i n f r a e s t r u t u r a , s ó e s p e r a v e r d e s e n v o l v i d a s
ra pid amente as ligações com Espa n h a .
A p a r t i r d a í c o m e ç a r a m a s
transfor mações em Sines.
O presidente do Conselho de Ministros
convidou-me para dirigir o Gabinete
d a Á r e a d e S i n e s e , e m b o r a n ã o
e s t i v e s s e à e s p e r a d e t a l c o n v i t e,
a c a b e i p o r a c e i t a r . D e p o i s f o i
p r e c i s o c o n s e g u i r v e r b a s p a r a
c o m e ç a r a d e s e n v o l v e r o p r o j e c t o.
A d q u i r i m o s u m e d i f í c i o n a R u a d a
A r t i l h a r i a 1 e a p o u c o e p o u c o f u i
e n c h e n d o o e d i f í c i o c o m t é c n i c o s.
J á n a é p o c a, Po r t u g a l e r a u m p a í s
que exportava pouco e não produzia
m u i t o , l o g o u m p o r t o d e á g u a s
profundas só se justificava baseado
Quando fala do Por to de Sines, qual
é a i m a g e m m a i s a n t i g a q u e
recorda associada àq u ele l o ca l?
A m a i s a n t i g a i m a g e m q u e r e c o r d o
é a d e u m a v i s i t a à p r a i a d e S i n e s
no final de 1970, em que fui ver mais
uma vez a baía de Sines e perceber
p o r q u e é q u e s e f a l a v a n a v a g a
h i p ó t e s e d e f a z e r a l i u m p o r t o. N ã o
h a v i a a l i n a d a. E r a u m a p r a i a c o m
u m p e q u e n o p o r t o d e p e s c a d o r e s.
M a s a q u e l a b a í a t i n h a u m a b e l e z a
extraordinária: o sol, o mar… Depois
s a i u u m d e s p a c h o a d e f i n i r a s
condições para a concessão de uma
refinaria para o Sul do país, em que
p u n h a c o m o c o n d i ç ã o a e x i s t ê n c i a
de um porto de águas profundas que
p u d e s s e r e c e b e r b a r c o s n a o r d e m
d a s 3 0 0 . 0 0 0 t o n e l a d a s . I s s o
p r e s s u p u n h a c a l a d o s b a s t a n t e
g r a n d e s , q u e n a a l t u r a n ã o s e
p e n s a v a s e r p o s s í v e l n o s p o r t o s
existentes, em Lisboa e Setúbal, que
dificilmente deixavam passar barcos
com mais de 13 metros.
Uns meses depois fui convidado para
p r e s i d i r a u m G r u p o d e T r a b a l h o ,
c o m o o b j e c t i v o d e d e f i n i r a
l o c a l i z a ç ã o d e u m p o r t o d e á g u a s
p r o f u n d a s . N e s s a a l t u r a e u e r a
p r e s i d e n t e d a C o m i s s ã o d e
P l a n e a m e n t o d a Re g i ã o d e L i s b o a.
R e u n i u m c o n j u n t o d e p e s s o a s d e
v á r i a s e s p e c i a l i d a d e s e e m p o u c o
t e m p o f o i p o s s í v e l c o n c l u i r, p o r
r a z õ e s o b j e c t i v a s, q u e o ú n i c o s í t i o
o n d e s e p o d e r i a c o n s t r u i r u m p o r t o
de águas profundas, que permitisse
r e c e b e r n a v i o s a c i m a d a s 3 0 0 . 0 0 0
t o n e l a d a s, e r a n a c o s t a O e s t e d a
Irlanda ou em Sines. Chegámos então
à conclusão de que Sines constituía
o l o c a l m a i s p r i v i l e g i a d o e c o m
menor impacto para o ambiente, pois
j á n e s s a a l t u r a t í n h a m o s e s s a
preocupação. Para nossa surpresa, o
relatório é aprovado e pediram-me,
e n t ã o , p a r a p r o p o r a l e g i s l a ç ã o
c o r r e s p o n d e n t e , q u e f o i d e p o i s
aprovada em Conselho de Ministros
e d e u o r i g e m a o G a b i n e t e d a Á r e a
de Sines.
07
Em 1 9 7 3, A nt ónio Mar t ins, com Mot a Cam pos, Minis t ro A dj unto do
Presidente do Conselho e Engrácia Car rilho, Presidente da Comissão da
Reg iã o Cent ro, no início dos t rabalhos de cons t r ução do Por to Sines
Em 1 9 7 3, A nt ónio Mar t ins , com Mot a Cam pos , Minist ro A dj unto do
Presidente do Conselho e Engrácia Car rilho, Presidente da Comissão da
Reg iã o Cent ro, no início dos t rabalhos de const r ução do Por to Sines
“O Porto Sines desenvolveu muito a economia local”
no crude. Por isso quisemos que Sines
r e c e b e s s e a c l a s s i f i c a ç ã o d e Á r e a
P r i o r i t á r i a p a r a I n v e s t i m e n t o s e a l i
aplicámos tudo o que havia de mais
a v a n ç a d o n a é p o c a . P a r a o
c o n c u r s o d e c o n s t r u ç ã o d o p o r t o
a p r e s e n t a r a m - s e 1 9 a g r u p a m e n t o s,
n u m t o t a l d e 4 9 e m p r e s a s d e 1 0
n a c i o n a l i d a d e s , o n d e e s t a v a m a s
maiores empresas de construção civil
da Europa.
S i m u l t a n e a m e n t e c o m e ç o u a
primeira fase de construção civil do
p o r t o , q u e f o i e n t r e g u e a u m a
empresa italiana por 2,5 milhões de
c o n t o s . F o i t a m b é m i n i c i a d a a
c o n s t r u ç ã o d a e s t r a d a q u e l i g a v a a
f u t u r a p e d r e i r a a o l o c a l d e
enraizamento do futuro Molhe Oeste,
por detrás da praia. Era fundamental
aproveitar a pedra que estava ali ao
l a d o , a r r a n j a n d o u m m e i o d e a
d e s l o c a r p a r a o l o c a l d e s e j a d o .
Para a vila de Sines, o por to acabou
p o r s e r m u i t o m a i s q u e i s s o ?
S i m, d e s e n v o l v e u a e c o n o m i a l o c a l
e podia ter ido ainda mais longe. Em
1974 estava praticamente acordado
c o m u m a e m p r e s a i t a l i a n a a
c o n s t r u ç ã o d e u m a f á b r i c a d e
automóveis em Sines, da Alfa Romeo.
Porque além das indústrias de capital
i n t e n s i v o , c o m o a r e f i n a r i a e o
complexo petroquímico, era preciso
arranjar algo que precisasse de mão-
d e - o b r a e o f a b r i c o d e a u t o m ó v e i s
tinha essas características. Foi pena
não ter sido possível.
C o m o é q u e a p o p u l a ç ã o d e S i n e s
a c o l h e u o p o r t o n a é p o c a ?
H o u v e u m a m i s t u r a d e s e n t i m e n t o s.
Te n t á m o s m o s t r a r a o s p e s c a d o r e s o
q u e i r i a s e r o p o r t o e a t é
promovemos uma visita ao porto de
L i s b o a , o n d e l h e s f o i m o s t r a d o o
tamanho de um barco com 300.000
t o n e l a d a s. Pa r t e d a p o p u l a ç ã o d e
S i n e s e s t a v a l i g a d a à p e s c a e p o r
isso algumas pessoas tinham receio
e m r e l a ç ã o a o f u t u r o d a s u a
a c t i v i d a d e, d a d a a g r a n d i o s i d a d e
d o p r o j e c t o . O u t r a p a r t e d a
população receava um aumento da
p o l u i ç ã o e q u e i s s o p r e j u d i c a s s e o
a r r e n d a m e n t o d e c a s a s n o Ve r ã o.
O u t r o s a i n d a h o u v e q u e f i c a r a m
z a n g a d o s p o r t e r s i d o a p l i c a d a
à q u e l e p r o j e c t o a l e i q u e p e r m i t i a
expropriar terrenos ao seu justo valor,
s e m i n c o r p o r a r a s m a i s - v a l i a s
i n t r o d u z i d a s p e l o p r o j e c t o. E s s a f o i
a p a r t e d a p o p u l a ç ã o q u e m a i s s e
pronunci ou.
Foi forçado a abandonar o projecto
em 1975. Tev e pena?
Claro que sim. Tudo tinha começado
com umas folhas de papel e quando
s a í o p r o j e c t o t i n h a u m a d i m e n s ã o
i nv ej áv el.
Q u a n d o h o j e o l h a p a r a o Po r t o d e
Sines , o que v ê?
Vejo o maior porto português. A área
c o n c e n t r a d a d e i n d ú s t r i a s q u e
d e v e r i a e s t a r a l i à v o l t a n ã o e x i s t e.
E s p e r o q u e s e d e s e n v o l v a m
rapidamente as ligações ferroviárias
para a Estremadura Espanhola, para
a p r o v e i t a r e s s e m e r c a d o e, q u e m
sabe, chegar a Madri d.
Em 1971, no Ministério das Finanças,
p o r o c a s i ã o d a a s s i n a t u r a d o
financiamento para as obras de
c o n s t r u ç ã o d o Po r t o d e S i n e s
08
aniversárioaniversário
APS hojeAPS hoje
Em altura de mais um aniversário, a APS abre o álbum
d e r e c o r d a ç õ e s e l e m b r a a q u i o s m o m e n t o s m a i s
marcantes de um percurso histórico que transformou
a p a c a t a v i l a d e S i n e s n u m a p o r t a d e e n t r a d a
marítima para todo o mund o.
F o i n o f i n a l d o a n o 1 9 7 0 q u e u m d e s p a c h o
c o n j u n t o d o M i n i s t r o d a s Fi n a n ç a s e E c o n o m i a e d o
S e c r e t á r i o d e E s t a d o d a I n d ú s t r i a p r e s s u p õ e
que a concessão de uma nova refinaria de petróleo
n o S u l d o p a í s i n c l u í s s e a p o s s i b i l i d a d e d e
r e c e b e r c r u d e e m n a v i o s d e p e l o m e n o s 3 0 0 . 0 0 0
t o n e l a d a s . U m a a n á l i s e à c o s t a p o r t u g u e s a , d a
F i g u e i r a d a F o z a V i l a R e a l d e S a n t o A n t ó n i o ,
l e v o u o G r u p o d e T r a b a l h o a v e r i f i c a r q u e a p e n a s
n o C a b o d e S i n e s e x i s t i a m f u n d o s m u i t o p e r t o d e
terra.
O mesmo grupo concluíu também que tanto o estuário
d o Te j o c o m o o d o S a d o e s t a v a m l i m i t a d o s p e l a s
r e s p e c t i v a s b a r r a s, e m b o r a a p r e s e n t a s s e m ó p t i m a s
condições de abrigo. J á na ép oca o Alent ejo sofri a
c o m a d e s e r t i f i c a ç ã o e o d i r e c c i o n a m e n t o d e
investimentos para aquela zona do país soou muito
p o s i t i v a . T a m b é m e m t e r m o s a m b i e n t a i s , S i n e s
r e c o l h i a o p i n i õ e s m a i s f a v o r á v e i s , p o r s e r m e n o s
p o l u í d a, e m b o r a c o n t a s s e, d e v e z e m q u a n d o, c o m
g r o s s a s n u v e n s d e p o l u i ç ã o p r o v e n i e n t e s d a z o n a
i n d u s t r i a l d o B a r r e i r o, s e m p r e q u e o v e n t o a s s i m a s
e m p u r r a v a . M a s S i n e s t i n h a a s m e l h o r e s c o n d i ç õ e s
g e o g r á f i c a s p a r a u m a f á c i l d i l u i ç ã o d a p o l u i ç ã o
a t m o s f é r i c a, f a c t o r p a r a q u e m u i t o c o n t r i b u í a m a s
v a s t a s á r e a s f l o r e s t a i s e x i s t e n t e s a N o r t e d a v i l a .
A j u n t a r a t u d o i s t o e s t a v a u m a z o n a d e e x c e l e n t e
rocha, mesmo junto aos locais propícios à construção
dos molhes de protecção dos futuros cais. Os custos
de transporte de matéria-prima ficariam, assim, mais
r e d u z i d o s . M a s h a v i a m u i t o p o r f a z e r e m S i n e s .
F a l t a v a m a s e s t r a d a s, a r e d e d e s a n e a m e n t o e o
a b a s t e c i m e n t o d e á g u a , a e n e r g i a , o p a r q u e
habi taci onal, …
Vinte e oito anos depois, basta chegar a Sines e olhar
e m r e d o r p a r a v e r o q u a n t o m u d o u … e o q u a n t o
conti nua i gual a si m esm a.
A Escolha de Sines
09
APS hoje
As novas caras da APS
Ta l c o m o n o p a s s a d o, o p r e s e n t e d a A P S é h o j e f e i t o
p o r t o d a s a s p e s s o a s q u e d i a r i a m e n t e s e d e d i c a m a
pôr em marcha o projecto que deu origem ao Porto de
S i n e s. O s r o s t o s a n ó n i m o s s ã o r e c o n h e c i d o s n o s e u
e s f o r ç o q u o t i d i a n o e a e l e s a g r a d e c e m o s o p r o j e c t o
que hoje conhecemos.
A c t u a l m e n t e, a A P S c o n t a t a m b é m c o m u m a n o v a
a d m i n i s t r a ç ã o q u e t o m o u p o s s e e m A b r i l d e s t e a n o.
N e s t a r e v i s t a , o s s e u s e l e m e n t o s s ã o a p r e s e n t a d o s
formalmente. Os rostos que lideram uma extensa equipa
c o m a q u a l c o n t a m p a r a d a r u m f u t u r o r i s o n h o e
p r ó s p e r o a e s t e P o r t o , c o n t r i b u i n d o p a r a o
desenvolvimento da cidade de Sines.
Lídia Sequeira
e Implementação das Redes de Transporte Escolar e em 1984 assume o cargo de coordenadora do Grupo de Trabalho
para a Revisão do Sistema Fiscal no Sector dos Transportes. Foi também Directora do Gabinete de Estudos e Planeamento
da DGTT e Subdirectora-Geral de Transportes Terrestres. Em 1990 foi condecorada pelo Presidente da República como
Oficial da Ordem de Mérito.
V i n t e e o i t o a n o s d e p o i s, a A P S e s t á u m a v e z m a i s d e
Parabéns. Com a convicção de estar no caminho certo,
acredita que é hoje fruto de árduo trabalho e de sonhos
a i n d a p o r r e a l i z a r. A i n f l u ê n c i a d i r e c t a e i n d i r e c t a d o
P o r t o d e S i n e s n a e c o n o m i a r e g i o n a l é i n e g á v e l .
C o n t i n u a a a t r a i r p a r a j u n t o d e s i g r a n d e s e m é d i a s
empresas dos mais variados pólos económicos. O Plano
E s t r a t é g i c o p a r a o Po r t o d e S i n e s e s t á e m c u r s o. E s t á
a d e s e n v o l v e r v á r i o s p r o j e c t o s q u e v ã o c e r t a m e n t e
c o n t r i b u i r p a r a a i n t r o d u ç ã o d e n o v o s n e g ó c i o s .
A p r o f u n d a c a d a v e z m a i s a v e r t e n t e e n e r g é t i c a d a s
suas infraestruturas e aposta fortemente na promoção
d e S i n e s c o m o c e n t r o n e v r á l g i c o d o c r u z a m e n t o d a s
principais rotas europ eia s.
O sonho continua...
É a Presidente do Conselho de Administração. Anteriomente havia sido gestora do Eixo Prioritário
do Programa Operacional Ciência e Inovação 2010. Entre os anos 2000 e 2004 geriu a Intervenção
Operacional de Acessibilidades e Transportes e foi também gestora sectorial dos Transportes para
Fundo de Coesão. Licenciada em Economia, Lídia Sequeira começou uma carreira ligada ao
sector dos transportes em 1972, quando ingressou na Direcção-Geral de Transportes Terrestres,
como Técnica Superior de 2ª Classe. Em 1977 vai coordenar a equipa de Planificação
APS hoje
É membro do Conselho de Administração da APS. É Mestre em Direito Internacional, assessor da
Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS) e foi administrador do Instituto Marítimo-Portuário
(IMP), adjunto do Governador Civil de Setúbal e chefe de gabinete do Secretário de Estado da
Administração Marítimo-Portuária. Foi, igualmente, oficial da Marinha de Guerra até 2001. Em 2000,
concluiu o Curso Pós-Graduação em Gestão do Transporte Marítimo e Gestão Portuária (ISEG). Duarte
Lynce de Faria é docente universitário e mantém uma forte ligação à sua terra natal, Alcácer do Sal,
onde foi vereador, tendo sido eleito Presidente da Assembleia Municipal nas últimas eleições autárquicas.
D u ar te Lynce de Faria
É membro do Conselho de Administração da APS. É advogado e titular do Curso de Defesa
Nacional. Foi Administrador da CTM e da CNN e Director da Associação de Armadores da Marinha
Mercante. Foi, igualmente, Administrador do Metropolitano de Lisboa, Secretário-Geral do Conselho
Económico e Social, Administrador da FERNAVE, da CARRIS, do Instituto Martítimo-Portuário (IMP)
e Presidente do Conselho de Administração da TRANSTEJO e da SOFLUSA.
Jo ão Farinha Franco
10
APS amanhã
Sempre a crescer
O desenvolvimento da actividade no Porto de Sines é
c o m o u m b a r c o d e g r a n d e d i m e n s ã o q u e n a v e g a a
alta velocidade. O horizonte está todo à sua frente e
o barco avança a passos largos. O Terminal XXI é hoje
r e c o n h e c i d o p o r t o d o s c o m o o g r a n d e “ m o t o r d a
a c t i v i d a d e e c o n ó m i c a r e g i o n a l e n a c i o n a l ” , n a s
palavras da presidente do Conselho de Administração,
Lídia Sequeira.
O n o v o p l a n o e s t r a t é g i c o q u e c o m e ç o u j á a s e r
i m p l e m e n t a d o n o Po r t o d e S i n e s p e r m i t e p r e v e r u m
a u m e n t o d e 5 0 % n a m o v i m e n t a ç ã o d e c a r g a s n o s
p r ó x i m o s d e z a n o s. Q u e r i s t o d i z e r q u e a t é 2 0 1 5 o
movimento de cargas deverá duplicar no nosso Porto.
Pa r a q u e t a l s e j a p o s s í v e l , a a d m i n i s t r a ç ã o d a A P S
s a b e q u e s e r á p r e c i s o c o n q u i s t a r n o v o s c l i e n t e s ,
n o m e a d a m e n t e p a r a o t e r m i n a l d e g r a n é i s l í q u i d o s.
Além disso, a equipa liderada por Lídia Sequeira está
t a m b é m c o n s c i e n t e d e q u e é p r e c i s o l u t a r p e l a
a f i r m a ç ã o d o P o r t o d e S i n e s c o m o i n f r a e s t r u t u r a
p o r t u á r i a d e r e f e r ê n c i a e m t e r m o s d e “ t r a n s h i p m e n t ”
d e c o n t e n t o r e s. M a i s u m a v e z, o Te r m i n a l X X I v o l t a
a q u i a s e r e v i d e n c i a d o c o m o p o n t o n e v r á l g i c o d e s t e
crescimento que se amb iciona.
O a n o 2 0 0 6 s e r á c e r t a m e n t e d e v i r a g e m n a h i s t ó r i a
d a A P S. S e r á o a n o d o d e s e n v o l v i m e n t o d a z o n a d e
a c t i v i d a d e s l o g í s t i c a s, s a t i s f a z e n d o a s n e c e s s i d a d e s
h á m u i t o m a n i f e s t a d a s p o r d i v e r s o s a g e n t e s
e c o n ó m i c o s. S e r á t a m b é m a l t u r a d e i n s i s t i r e m m a i s
e melhores acessibilid a d es.
A ligação ferroviária à rede de transportes europeia e
à a l t a v e l o c i d a d e a s s u m e m u m p a p e l d e d e s t a q u e
n e s t a s r e i v i n d i c a ç õ e s, a s s i m c o m o a a d a p t a ç ã o d o
IP8 a uma via com per fil de auto-estrada, com quatro
faixas de rodagem e nós d es nivela d os.
A possibilidade de Sines vir a constituir uma alterantiva
v i á v e l a o s p o r t o s e s p a n h ó i s d e p e n d e d o s u c e s s o d e
todos estes projectos. E esta equipa está pronta para
l u t a r p o r e l e s , p a r a q u e S i n e s c o n t i n u e d e p o r t a s
abertas para o mundo.
APS amanhã
11
projectos
“Hypercluster ” da Economia do
Mar é urgente
Jornadas da Economia
do Mar
A o r g a n i z a ç ã o e m Po r t u g a l d e u m
“ h y p e r c l u s t e r ” d a e c o n o m i a d o m a r
i r i a g e r a r r e n d i m e n t o s a n u a i s q u e
a s c e n d e r i a m s e m p r e a m u i t o s
m i l h a r e s d e m i l h õ e s d e e u r o s .
A g a r a n t i a é d a d a p o r E r n â n i Lo p e s,
p r e s i d e n t e d a A s s e m b l e i a G e r a l d a
A s s o c i a ç ã o d e O f i c i a i s d a R e s e r v a
N a v a l ( A O R N ) , e f o i l a n ç a d a n a s
“Jornadas de Economia do Mar – um
‘ H y p e r c l u s t e r ’ p a r a o F u t u r o ” ,
r e a l i z a d a s a 2 3 d e S e t e m b r o n o
A u d i t ó r i o d a A d m i n i s t r a ç ã o d o Po r t o
de Sines.
O e v e n t o f o i o r g a n i z a d o p e l a A O R N,
p r e c i s a m e n t e c o m o o b j e c t i v o d e
a l e r t a r p a r a a i m p o r t â n c i a d e
Po r t u g a l c o n s t i t u i r u m “ h y p e r c l u s t e r ”
da Economia do Mar.
Te n d o e m c o n t a o ê x i t o a s s i n a l á v e l
d a s e x p e r i ê n c i a s j á r e a l i z a d a s n a
H o l a n d a, Fr a n ç a, I t á l i a, Re i n o U n i d o
e D i n a m a r c a , a A O R N e s t i m a q u e
t a m b é m e m Po r t u g a l r e a l i z a d a s n a
H o l a n d a, Fr a n ç a, I t á l i a, Re i n o U n i d o
e D i n a m a r c a , a A O R N e s t i m a q u e
t a m b é m e m Po r t u g a l s e j a p o s s í v e l
um crescimento do sector acima do
p r ó p r i o í n d i c e d e d e s e n v o l v i m e n t o
económico.
Para já, a AORN pede ao Estado que
p e l o m e n o s s e d e b r u c e s o b r e e s t a
matéria, analisando todo o potencial
q ue es t á em causa.
O “ h y p e r c l u s t e r ” n ã o é m a i s d o q u e
a j u n ç ã o d e t o d a s a s a c t i v i d a d e s
com liga ção ao m ar.
D e s s e m o d o s e r i a p o s s í v e l a r t i c u l a r
á r e a s c o m o a c o n s t r u ç ã o e a
r e p a r a ç ã o n a v a l , o t r a n s p o r t e
m a r í t i m o, a s l i g a ç õ e s m u l t i m o d a i s,
a s p e s c a s, o r e c r e i o, a m a r i n h a d e
guerra e as instituições científicas e
tecnológicas.
E r n â n i Lo p e s n ã o h e s i t a e m a f i r m a r
q u e s e t r a t a d e “ u m m u n d o q u e
c o n s t i t u i u m d o s c i n c o d o m í n i o s
e s t r a t é g i c o s d a e c o n o m i a
p ortuguesa ”.
“ U m ‘ H y p e r c l u s t e r ’ d a E c o n o n o m i a d o m a r é u m
m u n d o q u e c o n s t i t u i u m d o s c i n c o d o m í n i o s
e s t r a t é g i c o s d a e c o n o m i a p o r t u g u e s a ”
E rn âni Lop es
12
coordenadas
Julho foi o mês de maior movimento no Porto de Sines,
c o m 1 1 5 n a v i o s e n t r a d o s , 9 3 d e l e s d e o r i g e m
estrangeira.
D e s d e A b r i l q u e o n ú m e r o d e e m b a r c a ç õ e s a d a r
e n t r a d a n o Po r t o d e S i n e s u l t r a p a s s o u a c e n t e n a, à
excepção do mês de Junho, em que o porto recebeu
96 navios.
Desde o início do ano, e até Setembro, já tinham dado
entrada no Porto de Sines 695 na vios.
Julho bate recorde de navios entrados
N.º de Navios entrad os
O car vão constitui a principal carga de carácter sólido
a s e r t r a n s p o r t a d a n o s n a v i o s q u e e n t r a r a m e s t e a n o
no Porto de Sines. O maior volume de carga de car vão
f o i r e g i s t a d o e m A b r i l, m ê s e m q u e o Po r t o d e S i n e s
r e c e b e u 7 5 4 . 2 2 6 t o n e l a d a s d e s t e t i p o d e c a r g a .
J á o s c e r e a i s e o s m i n é r i o s d e r a m e n t r a d a n o p o r t o
e m m e n o r e s c a l a e e m a p e n a s d o i s m e s e s d o a n o.
D e s d e o i n í c i o d e s t e a n o, e a t é S e t e m b r o, j á t i n h a m
d a d o e n t r a d a n o Po r t o d e S i n e s 4 . 0 1 4 . 5 9 8 t o n e l a d a s
de granéi s sól i dos.
C ar vão lider a nos gr anéis só l i d o s
T ipo de Carga Transpor t ada - Granéis Sólidos
(em t oneladas )
Janeiro 26 71 97
Fevereiro 19 64 83
Março 22 70 92
Abril 24 84 108
Maio 19 88 107
Junho 16 80 96
Julho 22 93 115
Agosto 18 89 107
Setembro 22 83 105
Acumulado 2005 188 722 910
Mês Navios Nacionais Navios Estrangeiros TOTAL
Mês Car vão Cereais Minérios Outros TOTAL
Janeiro 158.621 0 0 82.715 241.336
Fevereiro 442.089 2.763 0 22.173 467.025
Março 462.348 1.500 0 18.128 481.976
Abril 754.226 0 0 34.771 788.997
Maio 370.331 0 0 59.914 430.246
Junho 397.350 0 4.004 22.313 423.667
Julho 619.437 0 0 32.712 652.149
Agosto 308.272 0 3.974 133.356 445.602
Setembro 372.591 0 0 14.963 387.553
Acumulado 2005 3.885.264 4.263 7.978 421.045
13
Granéis líquidos ultrapassam
12 milhões de toneladas
Desde o início do ano, e até Setembro, já tinham dado
e n t r a d a n o Po r t o d e S i n e s 1 2 . 2 2 3 . 2 9 2 t o n e l a d a s d e
granéis líquidos. Foi em Março e em Julho que o Porto
de Sines registou o maior número de toneladas de carga
líquida, ultrapassando nesses dois meses os 1,7 milhões
d e t o n e l a d a s. Ra m a s e Re f i n a d o s c o n s t i t u e m o s t i p o s
d e c a r g a c o m m a i o r p e s o n e s t e s e g m e n t o .
Em Janeiro, Maio e Setembro, o total de granéis líquidos
e s t e v e a c i m a d o s 1 , 5 m i l h õ e s d e t o n e l a d a s, a p e n a s
registando níves inferiores em Fevereiro, Abril, Junho e
Agosto.
Tipo de Carga Transpo r ta d a - G r a n éi s Líq u id o s
( em toneladas)
Navios viajam mais
para países terceiros
S ã o o s p a í s e s d e f o r a d a E u r o p a C o m u n i t á r i a q u e
constituem a maior parte dos destinos das mercadorias
t r a n s p o r t a d a s a b o r d o d o s n a v i o s q u e d e r a m e n t r a d a
no Porto de Sines ao longo d es te a no.
A p r e s e n ç a d e n a v i o s p r o v e n i e n t e s o u c o m d e s t i n o a
portos nacionais ou comunitários é repartida em partes
praticamente iguais, com ligeira supremacia dos navios
nacionais.
Mês Continente e Outros países da UE Países terceiros
Regiões Autónomas
Países de Origem / Dest ino das m ercadorias
(em t oneladas)
Janeiro 318.928 238.987 1.305.155
Fevereiro 260.092 172.554 1.110.256
Março 318.357 184.004 1.796.261
Abril 396.724 134.894 1.743.256
Maio 265.284 230.457 1.578.632
Junho 345.893 183.728 1.356.497
Julho 362.909 251.684 1.865.366
Agosto 391.754 301.384 1.270.692
Setembro 291.047 236.614 1.462.442
Acumulado 2005 2.950.957 1.934.306 13.488.558
Mês Ramas Refinados LPG GNL Olefinas Outros TOTAL
Janeiro 933.328 479.714 38.367 56.574 26.562 46.663 1.581.208
Fevereiro 391.556 412.929 31.879 137.945 34.098 32.746 1.041.153
Março 1.136.401 420.243 26.188 122.542 26.989 33.402 1.765.765
Abril 807.182 448.064 25.649 113.841 22.788 20.085 1.437.609
Maio 927.450 415.064 34.573 121.272 40.118 41.176 1.579.653
Junho 723.863 487.068 32.329 122.473 23.117 24.705 1.413.556
Julho 965.402 592.610 32.868 116.943 33.928 34.425 1.776.176
Agosto 638.531 598.983 29.278 118.107 32.758 32.081 1.449.738
Setembro 902.196 511.092 31.591 0 39.371 42.132 1.526.383
Acumulado 2005 7.425.910 4.365.766 282.723 909.699 279.729 307.414 13.571.241
APS sempre presente
Mantendo a sua postura de presença assídua nos mais
variados certames, a APS assegurou uma participação
regular ao longo do ano 2005, tendo estado presente
com stand institucional nos seguintes eventos:
- OVIBEJA, Beja: de 30 de Abril a 11 de Maio
- SIL 2005 (Salão Internacional de Logística), Barcelona: de
17 a 20 de Maio
- FILDA, Vendas Novas: de 20 a 22 de Maio
- SANTIAGRO, Santiago do Cacém: de 26 a 29 de Maio
- EXPO SÃO MATEUS, Elvas: de 16 a 25 de Setembro
- EXPO TRANS, Carvoeiro: evento realizado no âmbito do 8º
Congresso da ANTRAM – de 21 a 23 de Outubro
Se c retária de Estado de Transpor t es
visita Por to de Sines
A Secretária de Estado dos Transportes esteve de visita ao
Porto de Sines. Ana Paula Vitorino esteve pela primeira vez
nas instalações da APS,SA a 13 de Junho. Tendo repetido
a visita ao porto já depois do Verão, a 19 de Outubro.
MSC Tokyo visita Sines duas vezes
E m m e n o s d e u m m ê s, o Te r m i n a l X X I d o Po r t o d e
S i n e s r e c e b e u d u a s v i s i t a s d o M S C To k y o, o m a i o r
n a v i o d e c o n t e n t o r e s q u e a t é h o j e d e u e n t r a d a e m
portos portugueses. Proveniente de Antuérpia, o MSC
To k y o p a s s o u p e l a p r i m e i r a v e z e m S i n e s a 1 6 d e
A g o s t o, q u a n d o r u m a v a à G r é c i a e T u r q u i a , e a l i
movimentou 456 TEU ’s, destinados sobretudo a portos
espanhóis. A segunda visita ocorreu a 11 de Setembro,
q u a n d o o n a v i o s e d e s l o c a v a p a r a P i r e u s , t e n d o
m o v i m e n t a d o e m S i n e s 3 5 2 T E U ’ s , d e s t i n a d o s
e s s e n c i a l m e n t e a p o r t o s d o M e d i t e r r â n e o o r i e n t a l .
O M S C To k y o f o i c o n s t r u í d o e m J u n h o d e 2 0 0 5 , t e m
2 7 5 m e t r o s d e c o m p r i m e n t o e 4 0 m e t r o s d e b o c a,
tendo capacidade para 5.919 TEU ’s e um calado de
14 metros.
Pa r a L í d i a S e q u e i r a , P r e s i d e n t e d o Po r t o d e S i n e s,
“esta segunda escala do MSC Tokyo no Porto de Sines
traduz uma perspectiva de regularidade e de fixação
de tráfegos de uma nova linha com potencialidades
interessantes ”.
14
radar
Secretária de Estado dos Transportes
visita Porto Sines
N a O v i b e j a , L í d i a S e q u e i r a
c o m o Pr e s i d e n t e d a Re p ú b l i c a ,
J o r g e S a m p a i o
MSC Tok yo no Por t o de Sines
15
Foram aprovados a 15 d e Setemb ro os ob ject ivos da
APS em matéria de ges t ã o d a q ua lid a d e. A ob t enção
de Certificação NP EN ISO 9001:2000 integra essa lista
de objectivos, onde s e inclui ta mb ém a ob t enção de
um índice de satisfação do cliente navio na ordem dos
95% e de um índice de satisfação dos restantes clientes
acima dos 75%.
N o q u e d i z r e s p e i t o à s r e c l a m a ç õ e s d e c l i e n t e s, é
i n t e n ç ã o d a A P S q u e o i n d i c a d o r d e r e s p o s t a s e j a
superior a 75%, tendo que pelo menos 50% acontecer
dentro do prazo. O Comité de Qualidade, presidido por
João Franco, propôs também que pelo menos 33% dos
trabalhadores da APS recebesse um mínimo de 20 horas
de formação.
A s a u d i t o r i a s d e c e r t i f i c a ç ã o e s t ã o a s e r e l a b o r a d a s
pela Lloyd ’s Register e a APS já recebeu indicações de
q u e t o d o s o s c o l a b o r a d o r e s d a e m p r e s a e s t ã o
empenhados no cumprimento dos objectivos propostos.
Prioridade à certificação de qualidade e
formação profissional
APS pat r ocina 18ª I PTC
A APS patrocinou o tema central da 18ª International
Port Training Conference, intitulado “The Implications
o f C u r r e n t D e v e l o p m e n t s i n Po r t s f o r Po r t Tr a i n i n g ” .
Nesta sessão foram apresentados diversos sub-temas,
tais como “Port Training in Portugal ” ou “Developments
o n t h e I n t e r n a t i o n a l S c e n e ” , e n t r e o u t r o s. O e v e n t o
decorreu entre 8 e 11 de Maio, em Setúbal, e incluiu
u m a v i s i t a t é c n i c a a o Po r t o d e S i n e s a 1 0 d e M a i o.
N a c o n f e r ê n c i a e s t i v e r a m p r e s e n t e s p r o f i s s i o n a i s e
especialistas nas áreas académica e operacional de
todo o m undo.
O grande objectivo da iniciativa foi a promoção do
d i á l o g o e n t r e p e s s o a s o u e n t i d a d e s r e p r e s e n t a t i v a s
d e i n s t i t u i ç õ e s l i g a d a s a o d e s e n v o l v i m e n t o d o s
r e c u r s o s h u m a n o s d a i n d ú s t r i a p o r t u á r i a e, m a i s
recentemente, do conjunto da indústria transportadora.
A I P TC r e a l i z o u - s e p e l a p r i m e i r a v e z e m 1 9 7 0 , e m
Roterdão.
Prémio Agostinho Roseta distingue APS
O Acordo Social vigente nos anos 2000/2003 valeu à
APS a distinção com o Prémio Agostinho Roseta em
N o v e m b r o d e 2 0 0 4 . E s t e g a l a r d ã o, a t r i b u í d o p e l o
Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP),
r e c o n h e c e a e l e v a d a q u a l i d a d e d a i n s t i t u i ç ã o n o
domínio da concertação social. A APS foi distinguida
na Categoria de Boas Práticas, referente à melhoria e
dignificação do trabalho.
Recursos ocêanicos e costeiros em debate
“ T r a n s p o r t e M a r í t i m o e E x p l o r a ç ã o d o s R e c u r s o s
Oceânicos e Costeiros” foi o tema do 12º Congresso
d a I n t e r n a t i o n a l M a r i t i m e A s s o c i a t i o n o f t h e
Mediterranean (IMAM), que contou com o patrocínio da
APS. O evento teve lugar no Centro de Congressos do
Instituto Superior Técnico, em Lisboa, de 26 a 30 de
Setembro e incluiu ainda uma visita técnica ao Porto
de Sines no último dia. Em cima da mesa estiveram
diversos assuntos relacionados com portos e transporte
marítimo, nomeadamente a exploração de recursos
o c e â n i c o s e c o s t e i r o s, u m a á r e a q u e t e m v i n d o a
assumir um papel cada vez mais determinante, mas
também temas relacionados com a estrutura e design
d e n a v i o s, o s s i s t e m a s d e p r o p u l s ã o, o t r a n s p o r t e
m a r í t i m o e a s o p e r a ç õ e s p o r t u á r i a s, e n t r e o u t r o s.
Teresa Almeida, G over n a d or a C ivi l d e S etú bal,
visitou o Por to d e S in es a 8 d e Ju n h o
16
zona verde
porto seguro
Cinco ter minais respeitam
Código ISPS
Simulacr o pr omove
t r eino de s ocor r o no ma r
A t r a i n e i r a “Av ô T i b ú r c i o ” f o i o p a l c o d o s i m u l a c r o
realizado no Porto de Sines na tarde de 1 de Outubro.
A i n i c i a t i v a v i s o u o t r e i n o e a c o o r d e n a ç ã o e n t r e
d i v e r s a s e n t i d a d e s e m c a s o d e s i n i s t r o o c o r r i d o n o
m a r. N e s t e c a s o, o s i m u l a c r o i n c l u i u u m i n c ê n d i o a
b o r d o d a t r a i n e i r a q u e s a i u d a s u a r o t a e e m b a t e u
n a c a b e ç a n o r t e d o M o l h e Le s t e, p r o v o c a n d o u m a
fissura num tanque de combustível e o consequente
d e r r a m e d e g a s ó l e o n o m a r. A b o r d o e s t a v a m d o i s
f e r i d o s , u m c o m q u e i m a d u r a s e o u t r o c o m u m a
f r a c t u r a d e u m m e m b r o i n f e r i o r. O s p r o c e d i m e n t o s
d e s o c o r r o à s v í t i m a s , o c o m b a t e à s c h a m a s , a
c i r c u n s c r i ç ã o d o c r u d e n o m a r e o t r a n s p o r t e d a
e m b a r c a ç ã o p a r a o p o r t o d e p e s c a f o r a m
r a p i d a m e n t e c o n c r e t i z a d o s , p a r a s a t i s f a ç ã o d a s
entidades participantes. Esta iniciativa foi promovida
conjuntamente pelos Bombeiros Voluntários de Sines,
p e l a A P S, p e l a C a p i t a n i a d o Po r t o d e S i n e s, G u a r d a
Naciona Republicana, Brigada Fiscal, Polícia Marítima,
A u t o r i d a d e d e S a ú d e e S e r v i ç o M u n i c i p a l d e
P r o t e c ç ã o C i v i l . O s i m u l a c r o s e r v i u t a m b é m p a r a
s e n s i b i l i z a r o s p e s c a d o r e s p a r a a s q u e s t õ e s d a
segurança a bordo - equipamentos, procedimentos, etc.
Seminário sobre riscos profissionais no
audit ór io da APS
E s t e s i m u l a c r o i n t e g r o u - s e n o s e m i n á r i o “ E m t e r r a e
no mar: prevenção de riscos profissionais – segurança
e m p r i m e i r o l u g a r ” , o r g a n i z a d o p e l o S i n d e p e s c a s
( S i n d i c a t o D e m o c r á t i c o d a s Pe s c a s ) . O a u d i t ó r i o d a
A P S s e r v i u d e p a l c o a e s t e e n c o n t r o q u e d e c o r r e u
n o s d i a s 1 e 2 d e O u t u b r o , e m p r o l d o c o n t i n u o
melhoramento das condições de segurança da área
de Si nes.
A APS continua a assegurar a
limpeza da Praia Vasco da
Gama durante todo o ano e
com especial intensidade no
decurso da época balnear.
A l é m d a l i m p e z a , a A P S
assegura ainda o controlo da
q u a l i d a d e d a á g u a e d a
areia da praia.
Este ano, os últimos estudos
revelaram que os níveis de
q u a l i d a d e d a á g u a e d a
Não foi preciso uma grande
mudança no quotidiano dos
t e r m i n a i s p e t r o l e i r o ,
petroquímico, multipurpose,
g á s n a t u r a l e a i n d a d o
Terminal XXI para assegurar
o cumprimento das novas
n o r m a s d e s e g u r a n ç a
p r e v i s t a s n o C ó d i g o I S P S.
O Regulamento Comunitário
entrou em vigou em Junho
de 2004 em toda a União
a r e i a e s t ã o a c i m a d o
recomendado, à semelhança
do que já acontecera no ano
passado.
P a r a a s s e g u r a r a
continuidade destes bons
resultados, é intenção da APS
evitar que as embarcações
lancem resíduos no mar e
manter o cumprimento de
regras rígidas de asseio por
parte dos concessionários da
praia.
Europeia e introduziu novas
r e g r a s d e s e g u r a n ç a n o s
n a v i o s e r e s p e c t i v a s
i n s t a l a ç õ e s d o s p o r t o s
c o m u n i t á r i o s ,
nomeadamente no que diz
respeito a vedações e ao
c o n t r o l o d e a c e s s o s . A
entrada em vigor do novo
Re g u l a m e n t o C o m u n i t á r i o
obrigou ainda à formação
dos oficiais responsáveis por
cada terminal.
Limpeza garantida
na Praia Vasco da Gama
17
soltar amarras
Gr upo Despor t iv o da APS
Fundação 31 de Out ubro de 1984
Sede: Apartado 1 6 - 7 520 Sines
Cont act o: 2 6 9 8 6 0 6 0 0 (Rui Simões)
Modalidades : Futebol salão, triatlo,
atl eti sm o, karti ng, m ergulho,
ci cl oturi sm o, pai ntball
N . º associados 250
N . º at let as 7 0
Grupo Desportivo e Cultural
quer mais dinamismo em 2006
A t l e t i s m o , B T T e k a r t i n g s ã o a s
m o d a l i d a d e s d e s p o r t i v a s q u e m a i s
participantes têm vindo a cativar ao
l o n g o d o s 2 4 a n o s d e e x i s t ê n c i a d o
G r u p o D e s p o r t i v o e C u l t u r a l d a
A d m i n i s t r a ç ã o d o P o r t o d e S i n e s
( G D C A P S ) . S ã o v á r i a s a s p r o v a s j á
d i s p u t a d a s p e l o s p a r t i c i p a n t e s d a s
v á r i a s m o d a l i d a d e s , c o m o o
G r â n d o l a 1 0 0 K m s e m B T T o u o
Passeio dos Chaparros, em Santiago
d o C a c é m , t a m b é m n a m e s m a
modalidade.
De acordo com Virgílio Lamy Correia,
p r e s i d e n t e d o G D C A P S , o B T T s ó
d e k a r t i n g , e s t a n d o j á i n s t i t u í d o o
Troféu APS.
Além destas modalidades, há ainda
o u t r a s a c t i v i d a d e s d e s p o r t i v a s q u e
s ã o p r a t i c a d a s p o r e l e m e n t o s d o
G D C A P S , e m b o r a c o m m e n o r
r e g u l a r i d a d e . S ã o o s c a s o s d o
m ergul ho e da canoagem.
M a s c o m o n e m s ó d e d e s p o r t o v i v e
o G D C A P S , t a m b é m a v e r t e n t e
c u l t u r a l é e x p l o r a d a p e l o s m e m b r o s
d o g r u p o . J á f o r a m p r o m o v i d o s
v á r i o s p a s s e i o s, c o m o u m a i d a a o
t e a t r o, à ó p e r a o u a t é u m a v i a g e m
a Londres.
Virgílio Lamy Correia assegura que o
g r u p o e s t á e m p e n h a d o n a
preparação do plano de actividades
para o próximo ano. O presidente do
G D C A P S q u e r r e f o r ç a r a a d e s ã o à s
várias modalidades praticadas e, em
s a b e , i n t r o d u z i r n o v a s p r á t i c a s
d e s p o r t i v a s e c u l t u r a i s e n t r e o s
m em bros da col ecti v i dade.
c o m e ç o u a s e r p r a t i c a d o e m
2 0 0 4 , m a s j á c o n t a c o m m a i s d e
d u a s d e z e n a s d e a d e p t o s e n t r e o s
c o l a b o r a d o r e s d a A P S. M a i s a n t i g a
é a p r á t i c a d o a t l e t i s m o n o s e i o d o
grupo desportivo. Desde o ano 2000
q u e v á r i o s c o l a b o r a d o r e s d a
A d m i n i s t r a ç ã o d o Po r t o d e S i n e s e
a l g u n s p r a t i c a n t e s e x t e r n o s , d e
i d a d e s m u i t o v a r i a d a s, c o r r e m c o m
a ca mis ola da APS.
J á o s a d e p t o s d a v e l o c i d a d e a
q u a t r o r o d a s a p r o v e i t a m a
proximidade do Kartódromo de Santo
A n d r é p a r a d a r v i d a à m o d a l i d a d e
Equipa de kar ting d o G D C AP SEquipa de kar ting d o G D C AP S
18
o porto e a cidade
Praia Vasco da Gama
acolhe 3ª Prova de Mar
A Praia Vasco da Gama, em Sines, foi a 14 de Agosto o
palco da terceira edição da Prova de Mar Porto de Sines,
organizada pelo Clube de Natação do Litoral Alentejano
(CNLA). A prova teve a duração de uma hora e o percurso
d e a p r o x i m a d a m e n t e 1 2 0 0 m e t r o s, c o m p a r t i d a e
chegada na Praia Vasco da Gama. Esta competição
insere-se no Circuito de Travessias do Vale do Tejo, sob a
égide da Associação de Natação do distrito de Santarém,
e n e l a p o d e m p a r t i c i p a r a t l e t a s f e d e r a d o s e n ã o
federados, bem como equipas de todas as categorias.
A A P S m a n t é m d e s d e o Ve r ã o d e 2 0 0 2 u m p r o t o c o l o
d e c o l a b o r a ç ã o c o m o C N L A , q u e v i s a o
d e s e n v o l v i m e n t o d a p r á t i c a d e n a t a ç ã o. A o a b r i g o
d e s t e p r o t o c o l o , a A P S t e m c o m o c o n t r a p a r t i d a a
i n s e r ç ã o d o s e u l o g ó t i p o n a v i a t u r a d e t r a n s p o r t e d o
equipamento e dos atletas e ainda em todo o material
p r o m o c i o n a l d o C N L A. A l é m d i s s o, o s a s s o c i a d o s d o
Grupo Desportivo e Cultural da Administração do Porto
d e S i n e s ( G D C A P S ) b e n e f i c i a m d e u m d e s c o n t o n a s
aulas de natação.
Bibliot eca / C ent r o de Ar tes
j á f oi inaugur ado
A A P S a s s o c i o u - s e à g r a n d e f e s t a d e i n a u g u r a ç ã o d o
complexo que acolhe a Biblioteca e o Centro de Artes
de Sines. Foi a 20 de Agosto que perto de 2.000 pessoas
f e s t e j a r a m a i n a u g u r a ç ã o d o e d i f í c i o c o n c e b i d o p e l o
atel i er Ai res Mateus & Associ ados.
Trata-se de um investimento superior a 8,2 milhões de
euros, que se traduz agora num imponente edifício de
p e d r a , c o m u m c e n t r o d e e x p o s i ç õ e s, u m a u d i t ó r i o
para espectáculos musicais, teatrais, cinematográficos,
c o n f e r ê n c i a s e a p r e s e n t a ç õ e s , u m a b i b l i o t e c a
c o m 1 5 m i l l i v r o s , u m a s a l a p o l i v a l e n t e , u m a s a l a
m u l t i m é d i a e u m a c a f e t a r i a , a l é m d o n o v o a r q u i v o
m uni ci pal.
O n o v o c o m p l e x o c u l t u r a l d e v e r á f u n c i o n a r e m
p e r f e i t a a r t i c u l a ç ã o c o m a s e s c o l a s, i n s t i t u i ç õ e s e
a s s o c i a ç õ e s l o c a i s . S i n e s t e m h o j e u m a c i d a d e
dentro da ci dade.
19
Logística Hoje,
1 de Setembro
Diário do Sul,
7 de Outubro
Diário Económico,
15 de Junho
Na veg a r,
1 d e O u tu b ro
Notí ci a s d e Sines,
2 7 d e Ag osto
Hoy,
13 de N ov em bro
Cargo,
1 de Set em bro
Jor nal de N egócios,
27 de Set em bro
Diário de Notícias,
26 de Setembro
revista de imprensa
Revista APS N.º 39 – Dezembro 2005

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Habilidades Directivas Palma de Mallorca
Habilidades Directivas Palma de MallorcaHabilidades Directivas Palma de Mallorca
Habilidades Directivas Palma de Mallorca
Victor Peña
 

Mais procurados (18)

2016 02-cortes-soto
2016 02-cortes-soto2016 02-cortes-soto
2016 02-cortes-soto
 
Programa superior talenthia barcelona, Formación de Habilidades en Barcelona ...
Programa superior talenthia barcelona, Formación de Habilidades en Barcelona ...Programa superior talenthia barcelona, Formación de Habilidades en Barcelona ...
Programa superior talenthia barcelona, Formación de Habilidades en Barcelona ...
 
Interacciones cómplices que dan paso al recrearr
Interacciones cómplices que dan paso al recrearrInteracciones cómplices que dan paso al recrearr
Interacciones cómplices que dan paso al recrearr
 
INR: Relatório não discriminação - 2012
INR: Relatório não discriminação - 2012INR: Relatório não discriminação - 2012
INR: Relatório não discriminação - 2012
 
Maria gabriela garcia paginas web
Maria gabriela garcia paginas webMaria gabriela garcia paginas web
Maria gabriela garcia paginas web
 
Torres GéMeas
Torres GéMeasTorres GéMeas
Torres GéMeas
 
Servicos Web Marketing
Servicos Web MarketingServicos Web Marketing
Servicos Web Marketing
 
Sesión 13 16 [órganos colegiados] (1)
Sesión 13 16 [órganos colegiados] (1)Sesión 13 16 [órganos colegiados] (1)
Sesión 13 16 [órganos colegiados] (1)
 
Habilidades Directivas Palma de Mallorca
Habilidades Directivas Palma de MallorcaHabilidades Directivas Palma de Mallorca
Habilidades Directivas Palma de Mallorca
 
Jornal digital 4931_sex_03062016
Jornal digital 4931_sex_03062016Jornal digital 4931_sex_03062016
Jornal digital 4931_sex_03062016
 
Afibad
AfibadAfibad
Afibad
 
Jornal digital 4936_sex_10062016
Jornal digital 4936_sex_10062016Jornal digital 4936_sex_10062016
Jornal digital 4936_sex_10062016
 
Proposta Patrocinio Atleta Rafael Rocha - Tênis de Mesa - Bahia
Proposta Patrocinio Atleta Rafael Rocha - Tênis de Mesa - BahiaProposta Patrocinio Atleta Rafael Rocha - Tênis de Mesa - Bahia
Proposta Patrocinio Atleta Rafael Rocha - Tênis de Mesa - Bahia
 
Resolucion 006
Resolucion 006Resolucion 006
Resolucion 006
 
Nombramientos y asignaciones sueldos ayuntamiento cijuela
Nombramientos y asignaciones sueldos ayuntamiento cijuelaNombramientos y asignaciones sueldos ayuntamiento cijuela
Nombramientos y asignaciones sueldos ayuntamiento cijuela
 
Actividad delictiva en metapán con una alza del 20% en los últimos dos años
Actividad delictiva en metapán con una alza del 20% en los últimos dos añosActividad delictiva en metapán con una alza del 20% en los últimos dos años
Actividad delictiva en metapán con una alza del 20% en los últimos dos años
 
ACABAR COM A INCERTEZA - 2013
ACABAR COM A INCERTEZA - 2013ACABAR COM A INCERTEZA - 2013
ACABAR COM A INCERTEZA - 2013
 
Desenvolvimento de robô social
Desenvolvimento de robô socialDesenvolvimento de robô social
Desenvolvimento de robô social
 

Destaque

Força dos Oxidos - Campo e Negocios Jan 15
Força dos Oxidos - Campo e Negocios Jan 15Força dos Oxidos - Campo e Negocios Jan 15
Força dos Oxidos - Campo e Negocios Jan 15
Marc de Menibus
 
Corriculo r4. Actualizado new
Corriculo r4. Actualizado newCorriculo r4. Actualizado new
Corriculo r4. Actualizado new
Rendição Obed
 

Destaque (18)

Anuário da Comunicação Corporativa 2016
Anuário da Comunicação Corporativa 2016Anuário da Comunicação Corporativa 2016
Anuário da Comunicação Corporativa 2016
 
12315-39631-1-PB
12315-39631-1-PB12315-39631-1-PB
12315-39631-1-PB
 
Força dos Oxidos - Campo e Negocios Jan 15
Força dos Oxidos - Campo e Negocios Jan 15Força dos Oxidos - Campo e Negocios Jan 15
Força dos Oxidos - Campo e Negocios Jan 15
 
Medialogue no Social Analytics Summit 2014
Medialogue no Social Analytics Summit 2014Medialogue no Social Analytics Summit 2014
Medialogue no Social Analytics Summit 2014
 
RFO
RFORFO
RFO
 
Manual de serviço nx200 xr rodadian
Manual de serviço nx200 xr rodadianManual de serviço nx200 xr rodadian
Manual de serviço nx200 xr rodadian
 
Ilu4 pet ton_ystromberg-jorge_caminha
Ilu4 pet ton_ystromberg-jorge_caminhaIlu4 pet ton_ystromberg-jorge_caminha
Ilu4 pet ton_ystromberg-jorge_caminha
 
Catecismo Maior de Westminster
Catecismo Maior de WestminsterCatecismo Maior de Westminster
Catecismo Maior de Westminster
 
Lamagiade..
Lamagiade..Lamagiade..
Lamagiade..
 
Coneixements links we
Coneixements links weConeixements links we
Coneixements links we
 
monografia
monografiamonografia
monografia
 
Bambú
BambúBambú
Bambú
 
Artigo Unisanta
Artigo  UnisantaArtigo  Unisanta
Artigo Unisanta
 
Conheça Nossos Serviços
Conheça Nossos ServiçosConheça Nossos Serviços
Conheça Nossos Serviços
 
Data Analytics no Governo
Data Analytics no GovernoData Analytics no Governo
Data Analytics no Governo
 
Corriculo r4. Actualizado new
Corriculo r4. Actualizado newCorriculo r4. Actualizado new
Corriculo r4. Actualizado new
 
Doutorado - Adaptação de Dificuldade em Jogos de Reabilitação Auxiliados por ...
Doutorado - Adaptação de Dificuldade em Jogos de Reabilitação Auxiliados por ...Doutorado - Adaptação de Dificuldade em Jogos de Reabilitação Auxiliados por ...
Doutorado - Adaptação de Dificuldade em Jogos de Reabilitação Auxiliados por ...
 
CURRICULUM VITAE 2016
CURRICULUM VITAE 2016CURRICULUM VITAE 2016
CURRICULUM VITAE 2016
 

Semelhante a Revista APS N.º 39 – Dezembro 2005

Expo Matacaxtli, PROYECTO PARA CONOCER LA CULTURA
Expo Matacaxtli, PROYECTO PARA CONOCER LA CULTURAExpo Matacaxtli, PROYECTO PARA CONOCER LA CULTURA
Expo Matacaxtli, PROYECTO PARA CONOCER LA CULTURA
VernicaReyes26
 
Tecnologia da educação
Tecnologia da educaçãoTecnologia da educação
Tecnologia da educação
silvana_araujo
 
Construccion columnas
Construccion columnasConstruccion columnas
Construccion columnas
Maria Boss
 

Semelhante a Revista APS N.º 39 – Dezembro 2005 (20)

Caderno Técnico Conecta
Caderno Técnico ConectaCaderno Técnico Conecta
Caderno Técnico Conecta
 
Rio Stay Residence - 2 quartos - Jacarepaguá
 Rio Stay Residence - 2 quartos - Jacarepaguá Rio Stay Residence - 2 quartos - Jacarepaguá
Rio Stay Residence - 2 quartos - Jacarepaguá
 
Rio Stay Residence - 2 quartos - Jacarepaguá
 Rio Stay Residence - 2 quartos - Jacarepaguá Rio Stay Residence - 2 quartos - Jacarepaguá
Rio Stay Residence - 2 quartos - Jacarepaguá
 
Hauz Definitive Home - Book - 2019
Hauz Definitive Home - Book - 2019Hauz Definitive Home - Book - 2019
Hauz Definitive Home - Book - 2019
 
Prinsenhoek
PrinsenhoekPrinsenhoek
Prinsenhoek
 
Expo Matacaxtli, PROYECTO PARA CONOCER LA CULTURA
Expo Matacaxtli, PROYECTO PARA CONOCER LA CULTURAExpo Matacaxtli, PROYECTO PARA CONOCER LA CULTURA
Expo Matacaxtli, PROYECTO PARA CONOCER LA CULTURA
 
Guia de Carreira em UX Design - O guia completo para começar na área.
Guia de Carreira em UX Design - O guia completo para começar na área.Guia de Carreira em UX Design - O guia completo para começar na área.
Guia de Carreira em UX Design - O guia completo para começar na área.
 
Trabajo final
Trabajo finalTrabajo final
Trabajo final
 
Les progiciels d'assurance en France, aujourd'hui et demain - Une partition s...
Les progiciels d'assurance en France, aujourd'hui et demain - Une partition s...Les progiciels d'assurance en France, aujourd'hui et demain - Une partition s...
Les progiciels d'assurance en France, aujourd'hui et demain - Une partition s...
 
Base de dados LILACS
Base de dados LILACSBase de dados LILACS
Base de dados LILACS
 
Les progiciels d'assurance en France
Les progiciels d'assurance en FranceLes progiciels d'assurance en France
Les progiciels d'assurance en France
 
metodos de propulsion de un buque.pdf
metodos de propulsion de un buque.pdfmetodos de propulsion de un buque.pdf
metodos de propulsion de un buque.pdf
 
Gestion et dématérialisation des archives
Gestion et dématérialisation des archivesGestion et dématérialisation des archives
Gestion et dématérialisation des archives
 
Resolucion 006
Resolucion 006Resolucion 006
Resolucion 006
 
Laminas taller presentación 2015
Laminas taller presentación 2015 Laminas taller presentación 2015
Laminas taller presentación 2015
 
El diario motor (3)
El diario motor (3)El diario motor (3)
El diario motor (3)
 
Debriefs de Darwiin SITL 2019
Debriefs de Darwiin SITL 2019Debriefs de Darwiin SITL 2019
Debriefs de Darwiin SITL 2019
 
Tecnologia da educação
Tecnologia da educaçãoTecnologia da educação
Tecnologia da educação
 
Construccion columnas
Construccion columnasConstruccion columnas
Construccion columnas
 
Actos administrativos m
Actos administrativos mActos administrativos m
Actos administrativos m
 

Mais de APS - Administração dos Portos de Sines e do Algarve, S.A.

Revista APS N.º 78 – Setembro 2019
Revista APS N.º 78 – Setembro 2019Revista APS N.º 78 – Setembro 2019
Revista APS N.º 77 – Maio 2019
Revista APS N.º 77 – Maio 2019Revista APS N.º 77 – Maio 2019

Mais de APS - Administração dos Portos de Sines e do Algarve, S.A. (20)

Porto de Sines em destaque na imprensa espanhola
Porto de Sines em destaque na imprensa espanholaPorto de Sines em destaque na imprensa espanhola
Porto de Sines em destaque na imprensa espanhola
 
Revista APS N.º 80 – Dezembro 2020
Revista APS N.º 80 – Dezembro 2020Revista APS N.º 80 – Dezembro 2020
Revista APS N.º 80 – Dezembro 2020
 
Revista APS N.º 78 – Setembro 2019
Revista APS N.º 78 – Setembro 2019Revista APS N.º 78 – Setembro 2019
Revista APS N.º 78 – Setembro 2019
 
Revista APS N.º 77 – Maio 2019
Revista APS N.º 77 – Maio 2019Revista APS N.º 77 – Maio 2019
Revista APS N.º 77 – Maio 2019
 
Revista APS N.º 75 – Setembro 2018
Revista APS N.º 75 – Setembro 2018Revista APS N.º 75 – Setembro 2018
Revista APS N.º 75 – Setembro 2018
 
Revista APS N.º 74 - Abril 2018
Revista APS N.º 74 - Abril 2018Revista APS N.º 74 - Abril 2018
Revista APS N.º 74 - Abril 2018
 
Revista APS N.º 35 – Dezembro 2003
Revista APS N.º 35 – Dezembro 2003Revista APS N.º 35 – Dezembro 2003
Revista APS N.º 35 – Dezembro 2003
 
Revista APS N.º 34 – Outubro 2003
Revista APS N.º 34 – Outubro 2003Revista APS N.º 34 – Outubro 2003
Revista APS N.º 34 – Outubro 2003
 
Revista APS N.º 33 – Julho 2003
Revista APS N.º 33 – Julho 2003Revista APS N.º 33 – Julho 2003
Revista APS N.º 33 – Julho 2003
 
Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017
Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017
Revista APS N.º 73 – Dezembro 2017
 
Revista APS N.º 71 – Maio 2017
Revista APS N.º 71 – Maio 2017Revista APS N.º 71 – Maio 2017
Revista APS N.º 71 – Maio 2017
 
Porto de Sines, Porta Atlântica da Europa
Porto de Sines, Porta Atlântica da EuropaPorto de Sines, Porta Atlântica da Europa
Porto de Sines, Porta Atlântica da Europa
 
Breve Notícia de Sines, Pátria de Vasco da Gama
Breve Notícia de Sines, Pátria de Vasco da GamaBreve Notícia de Sines, Pátria de Vasco da Gama
Breve Notícia de Sines, Pátria de Vasco da Gama
 
Sines em "Os portos maritimos de Portugal e ilhas adjacentes", de Adolpho Lou...
Sines em "Os portos maritimos de Portugal e ilhas adjacentes", de Adolpho Lou...Sines em "Os portos maritimos de Portugal e ilhas adjacentes", de Adolpho Lou...
Sines em "Os portos maritimos de Portugal e ilhas adjacentes", de Adolpho Lou...
 
Revista APS N.º 70 – Dezembro 2016
Revista APS N.º 70 – Dezembro 2016Revista APS N.º 70 – Dezembro 2016
Revista APS N.º 70 – Dezembro 2016
 
Tabela de Marés para 2017 – Porto de Portimão
Tabela de Marés para 2017 – Porto de Portimão Tabela de Marés para 2017 – Porto de Portimão
Tabela de Marés para 2017 – Porto de Portimão
 
Tabela de Marés para 2017 – Porto de Faro
Tabela de Marés para 2017 – Porto de Faro Tabela de Marés para 2017 – Porto de Faro
Tabela de Marés para 2017 – Porto de Faro
 
Tabela de Marés para 2017 – Porto de Sines
Tabela de Marés para 2017 – Porto de Sines Tabela de Marés para 2017 – Porto de Sines
Tabela de Marés para 2017 – Porto de Sines
 
Diário de Lisboa – 14 de Dezembro de 1977
Diário de Lisboa – 14 de Dezembro de 1977Diário de Lisboa – 14 de Dezembro de 1977
Diário de Lisboa – 14 de Dezembro de 1977
 
Diário de Lisboa – 19 de Junho de 1971
Diário de Lisboa – 19 de Junho de 1971Diário de Lisboa – 19 de Junho de 1971
Diário de Lisboa – 19 de Junho de 1971
 

Último (6)

Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos AcontecerPesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
 
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfb2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
 
Objeções - Jeb Blount livro negociios de
Objeções - Jeb Blount livro negociios deObjeções - Jeb Blount livro negociios de
Objeções - Jeb Blount livro negociios de
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptxDROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
 
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
 

Revista APS N.º 39 – Dezembro 2005

  • 1. ZAL de Sines vai ser realidade d e z e m b r o 2 0 0 5 39 revista Entrevista a António MartinsEntrevista a António Martins Porto de Sines faz 28 anosPorto de Sines faz 28 anos “Hoje vejo em Sines o maior por to por tuguês” Recordar o passado de olhos postos no futuro Zo n a d e Ac tividades Logísticas ava nç a a inda este ano AP S a ssin a contrato
  • 2. E d i t o r i a l D e s t a q u e : C o n t r a t o Z A L E n t r e v i s t a : A n t ó n i o M a r t i n s A n i v e r s á r i o : 2 8 a n o s d a A P S P r o j e c t o s : J o r n a d a s d o M a r C o o r d e n a d a s R a d a r Z o n a Ve r d e Po r t o S e g u r o S o l t a r A m a r r a s O Po r t o e a C i d a d e R e v i s t a d e I m p r e n s a 03. 04. 06. 08. 11. 12. 14. 16. 16. 17. 18. 19. sumário Direct ora Lídia Sequeira Propriedade Administração do Porto de Sines Contribuinte n.º 501 208 950 Depósito Legal: ISSN 1646-2882 Sede: Apartado 16 - 7520-953 Sines Tel.: 269 860 600 - Fax: 269 860 790 ficha técnica
  • 3. 03 editorial L ídia Sequeira Pres ident e Porto de Sines Âncora da Região e do País C o m e s t e n ú m e r o d a Re v i s t a d o Po r t o d e S i n e s , o p r i m e i r o d a r e s p o n s a b i l i d a d e d o n o v o C o n s e l h o d e A d m i n i s t r a ç ã o d a A P S , S A , i n t r o d u z - s e u m a n o v a l i n h a e d i t o r i a l para a revista. As memórias deste grande projecto, pensado no tempo e n o e s p a ç o p a r a o f u t u r o , e s t ã o p r e s e n t e s e m p e r s o n a l i d a d e s r e l e v a n t e s d a s o c i e d a d e c i v i l p o r t u g u e s a q u e m u i t o c o n t r i b u í r a m p a r a a s u a c o n c r e t i z a ç ã o, d e s d e o t e m p o d o G a b i n e t e d a Á r e a d e S i n e s , q u e e s t e v e p r e s e n t e n a s u a o r i g e m . É o c a s o d o S e n h o r E n g º A n t ó n i o M a r t i n s q u e n o s c o n c e d e o p r i v i l é g i o d a s u a p a r t i c i p a ç ã o n e s t e número. I r e m o s t a m b é m s o l i c i t a r o c o n t r i b u t o d o s q u e d i r e c t a o u i n d i r e c t a m e n t e f i c a r a m a s s o c i a d o s à s u a g é n e s e d e p o r t o l i g a d o a o s r e c u r s o s e n e r g é t i c o s p a r a p o r t o p o l i v a l e n t e e d e a f i r m a ç ã o c o m o P o r t a A t l â n t i c a d a E u r o p a , b e m p a t e n t e n o L i v r o Branco da Política Marítimo-Portuária Rumo ao Século XXI. A o m e s m o t e m p o , a r e v i s t a s e r á v e í c u l o p a r a t r a n s m i s s ã o d o s p r o j e c t o s e m c u r s o, p a r t i c u l a r m e n t e os que estão associados ao Plano Estratégico do Porto d e S i n e s , à c o m u n i d a d e p o r t u á r i a n a c i o n a l , a o s s e c t o r e s e c o n ó m i c o s a s s o c i a d o s d i r e c t a o u i n d i r e c t a m e n t e à a c t i v i d a d e d o Po r t o d e S i n e s, à s C â m a r a s M u n i c i p a i s d a R e g i ã o , à s I n s t i t u i ç õ e s P ú b l i c a s o u d e f i m P ú b l i c o e a o s m e i o s a c a d é m i c o s, culturais e científicos d a Regiã o d o Alentejo. Aos trabalhadores do Porto de Sines, ao seu quotidiano e, p a r t i c u l a r m e n t e, à s a c t i v i d a d e s q u e t ê m v i n d o a d e s e n v o l v e r c o l e c t i v a m e n t e n o â m b i t o d o s e u G r u p o D e s p o r t i v o e C u l t u r a l s e r á d e d i c a d a p a r t i c u l a r rel ev ânci a em todos os núm eros. A o c a b o d e s e i s m e s e s d e D i r e c ç ã o, c o n s i d e r a m o s estar no bom caminho para concretizar neste mandato a s a c ç õ e s e o s p r o j e c t o s a s s o c i a d o s a o s p r i n c i p a i s objectivos do Plano Estratégico do Porto de Sines que o novo Conselho de Administração acolheu e ao qual deu novo impulso. Ao mesmo tempo, foram introduzidos novos métodos de gestão que vão permitir à empresa, n o c u r t o p r a z o , a t i n g i r a d e s e j á v e l s i t u a ç ã o d e equi l í bri o fi nancei ro. E m c o l a b o r a ç ã o c o m o s n o s s o s p r i n c i p a i s p a r c e i r o s, c o m o p r e c i o s o c a p i t a l q u e c o n s t i t u e m o s n o s s o s r e c u r s o s h u m a n o s, c o m n o v o s m é t o d o s d e t r a b a l h o q u e p r i v i l e g i a m a e f i c á c i a e a e f i c i ê n c i a , e s t a m o s c e r t o s q u e a A P S, S A t e m c o n d i ç õ e s p a r a s e r u m a em presa âncora da Regi ão e do Paí s. A Presi dente Lí di a Sequei ra
  • 4. 04 destaque ZAL de Sines vai ser realidade ZAL de Sines vai ser realidade A A P S a d j u d i c o u à e m p r e s a L e n a , E n g e n h a r i a e C o n s t r u ç õ e s , S A a c o n s t r u ç ã o d o Po l o A d a Z o n a d e A c t i v i d a d e s Lo g í s t i c a s d e S i n e s . A p r i m e i r a f a s e d o projecto deverá estar concluída nos próximos meses. É n u m a á r e a d e 1 2 , 3 h e c t a r e s q u e d e v e r á n a s c e r a n o v a Z o n a d e A c t i v i d a d e s Lo g í s t i c a s ( Z A L ) d e S i n e s e q u e a A P S e s p e r a c o m e ç a r a v e r c o n c r e t i z a d a j á n o p r ó x i m o a n o. A v e n c e d o r a d o c o n c u r s o f o i a Le n a , E n g e n h a r i a e C o n s t r u ç õ e s , S A . O m o n t a n t e d o i n v e s t i m e n t o p a r a e s t a o b r a é d e 2 , 3 7 7 m i l h õ e s d e euros. Dando seguimento à sua estratégia de dinamização sócio- económica da região e do concelho, a APS desenhou um projecto para a criação de um conjunto de infraestruturas de abastecimento e apoio, bem como de áreas de implantação de imóveis destinadas a actividades logísticas e armazenagem, entre outras,num total de 36.000 m2 de área edificável. Os imóveis deverão obedecer a um módulo padrão com 10,5 metros de frente e 25 metros de profundidade. Soluções de ocupação I n s e r i d a n o p e r í m e t r o p o r t u á r i o d e S i n e s, a n o v a Z A L estará localizada junto ao Terminal Multipurpose. Será d e l i m i t a d a a N o r t e p e l a E N 1 2 0 - 1 e a S u l p e l a v i a d e l i g a ç ã o a o t e r m i n a l . A e s t r u t u r a e d i f i c a d a p r o p o s t a p e l a A P S d e v e r á p e r m i t i r s o l u ç õ e s d i f e r e n c i a d a s d e ocupação da ZAL, implantando-se esta zona edificada e n t r e s i e e m r e l a ç ã o à r e d e v i á r i a , d e f o r m a p a d r o n i z a d a, s a l v a g u a r d a n d o u m a f r e n t e m í n i m a d e 2 0 m e t r o s, d e s t i n a d a a e s t a c i o n a m e n t o d e v e í c u l o s p e s a d o s p a r a a c ç õ e s d e c a r g a / d e s c a r g a . Será naturalmente necessário um afastamento mínimo de 50 metros entre as frentes edificadas dos edifícios, podendo esta distância ser mais reduzida no caso dos corpos desti nados a escri tóri os. E s t e s d e v e r ã o d i s p o r d e á r e a s d e e s t a c i o n a m e n t o d e v e í c u l o s l i g e i r o s n a s s u a s i m e d i a ç õ e s, d i m e n s i o n a d a s e m f u n ç ã o d e p a r â m e t r o s i n t e r n a c i o n a l m e n t e recom endados.
  • 5. 05 Ca racterísticas da ZAL A e s t r u t u r a p r o p o s t a p e l a A P S a s s u m e u m a e s t r a t é g i a d e i m p l e m e n t a ç ã o e n q u a d r a d a n o s g r a n d e s p r e s s u p o s t o s d e o r d e n a m e n t o e d e s e n v o l v i m e n t o d a região e do município. As s im teremos … … U M A Z A L P O L I N U C L E A D A , q u e c o n t e m p l e nomeadamente a possibilidade da sua sectorialização f u n c i o n a l, o u s e j a a s u a a f e c t a ç ã o e s p a c i a l s e g u n d o áreas monofuncionais, individualizadas e espacialmente identificáveis; … U M A Z A L F L E X Í V E L , n ã o s u j e i t a a u m m o d e l o u r b a n o o u a u m m o d e l o r í g i d o d e i m p l a n t a ç ã o d e infraestruturas básicas ; …UMA ZAL COM CAPACIDADE DE EXPANSÃO, susceptível de albergar actividades e funções hoje impossíveis de prever ou de dimensiona r exa cta mente; … U M A Z A L P O L I F U N C I O N A L , c o m c a p a c i d a d e p a r a a l b e r g a r u m l e q u e d i v e r s i f i c a d o d e a c t i v i d a d e s e f u n ç õ e s e s t r a t é g i c a s , c o m m a i o r o u m e n o r i n t e r d e p e n d ê n c i a e a r t i c u l a ç ã o f u n c i o n a l, q u e r e n t r e s i, q u e r c o m a s i n f r a e s t r u t u r a s p o r t u á r i a s e l o g í s t i c a s existentes. I N DI C ADO RES URBAN Í ST I C O S Área total de i nter v enção: 1 2 3 .0 0 0 m 2 Área total de construção: 3 6 .0 0 0 m 2 Área para v i as e passei os: 4 3 .9 7 4 m 2 Parcel a para m árm ores: 8 .7 6 5 m 2 Área para v i a férrea: 5 .6 2 0 m 2 Área de espaços v erdes: 2 7 .5 4 9 m 2 Nº de l ugares de estaci onam ento: 2 2 3 pesados e 2 3 2 l i gei ros Maquete da Fu tu r a ZAL d e S i n es Por taria 54,0 A1 1.575,0 A2 2.475,0 A3 4.050,0 A4 1.676,5 A5 9.128,0 A6 9.856,0 A7 4.140,5 A8 490,0 A9 2.110,0 TOTAL 3 5.555,0 Módulo Área de Constr ução (m2) Implantação da ZAL de Sines Zona A
  • 6. 06 entrevista António Martins “Hoje vejo em Sines o maior porto português” É c o n s i d e r a d o o “ p a i ” d o Po r t o d e S i n e s , t e n d o s i d o re s p o n s á v e l p e l a c o n c e p ç ã o e d e s e n v o l v i m e n t o d e t o d o o p r o j e c t o . A n t ó n i o M a r t i n s v i v e u o d i a - a - d i a d o c re s c i m e n t o d o p o r t o a t é 1 9 7 5 e a i n d a h o j e re c o rd a c o m s a u d a d e o s m o m e n t o s p a s s a d o s . P a r a o f u t u r o d a q u e l a i n f r a e s t r u t u r a , s ó e s p e r a v e r d e s e n v o l v i d a s ra pid amente as ligações com Espa n h a . A p a r t i r d a í c o m e ç a r a m a s transfor mações em Sines. O presidente do Conselho de Ministros convidou-me para dirigir o Gabinete d a Á r e a d e S i n e s e , e m b o r a n ã o e s t i v e s s e à e s p e r a d e t a l c o n v i t e, a c a b e i p o r a c e i t a r . D e p o i s f o i p r e c i s o c o n s e g u i r v e r b a s p a r a c o m e ç a r a d e s e n v o l v e r o p r o j e c t o. A d q u i r i m o s u m e d i f í c i o n a R u a d a A r t i l h a r i a 1 e a p o u c o e p o u c o f u i e n c h e n d o o e d i f í c i o c o m t é c n i c o s. J á n a é p o c a, Po r t u g a l e r a u m p a í s que exportava pouco e não produzia m u i t o , l o g o u m p o r t o d e á g u a s profundas só se justificava baseado Quando fala do Por to de Sines, qual é a i m a g e m m a i s a n t i g a q u e recorda associada àq u ele l o ca l? A m a i s a n t i g a i m a g e m q u e r e c o r d o é a d e u m a v i s i t a à p r a i a d e S i n e s no final de 1970, em que fui ver mais uma vez a baía de Sines e perceber p o r q u e é q u e s e f a l a v a n a v a g a h i p ó t e s e d e f a z e r a l i u m p o r t o. N ã o h a v i a a l i n a d a. E r a u m a p r a i a c o m u m p e q u e n o p o r t o d e p e s c a d o r e s. M a s a q u e l a b a í a t i n h a u m a b e l e z a extraordinária: o sol, o mar… Depois s a i u u m d e s p a c h o a d e f i n i r a s condições para a concessão de uma refinaria para o Sul do país, em que p u n h a c o m o c o n d i ç ã o a e x i s t ê n c i a de um porto de águas profundas que p u d e s s e r e c e b e r b a r c o s n a o r d e m d a s 3 0 0 . 0 0 0 t o n e l a d a s . I s s o p r e s s u p u n h a c a l a d o s b a s t a n t e g r a n d e s , q u e n a a l t u r a n ã o s e p e n s a v a s e r p o s s í v e l n o s p o r t o s existentes, em Lisboa e Setúbal, que dificilmente deixavam passar barcos com mais de 13 metros. Uns meses depois fui convidado para p r e s i d i r a u m G r u p o d e T r a b a l h o , c o m o o b j e c t i v o d e d e f i n i r a l o c a l i z a ç ã o d e u m p o r t o d e á g u a s p r o f u n d a s . N e s s a a l t u r a e u e r a p r e s i d e n t e d a C o m i s s ã o d e P l a n e a m e n t o d a Re g i ã o d e L i s b o a. R e u n i u m c o n j u n t o d e p e s s o a s d e v á r i a s e s p e c i a l i d a d e s e e m p o u c o t e m p o f o i p o s s í v e l c o n c l u i r, p o r r a z õ e s o b j e c t i v a s, q u e o ú n i c o s í t i o o n d e s e p o d e r i a c o n s t r u i r u m p o r t o de águas profundas, que permitisse r e c e b e r n a v i o s a c i m a d a s 3 0 0 . 0 0 0 t o n e l a d a s, e r a n a c o s t a O e s t e d a Irlanda ou em Sines. Chegámos então à conclusão de que Sines constituía o l o c a l m a i s p r i v i l e g i a d o e c o m menor impacto para o ambiente, pois j á n e s s a a l t u r a t í n h a m o s e s s a preocupação. Para nossa surpresa, o relatório é aprovado e pediram-me, e n t ã o , p a r a p r o p o r a l e g i s l a ç ã o c o r r e s p o n d e n t e , q u e f o i d e p o i s aprovada em Conselho de Ministros e d e u o r i g e m a o G a b i n e t e d a Á r e a de Sines.
  • 7. 07 Em 1 9 7 3, A nt ónio Mar t ins, com Mot a Cam pos, Minis t ro A dj unto do Presidente do Conselho e Engrácia Car rilho, Presidente da Comissão da Reg iã o Cent ro, no início dos t rabalhos de cons t r ução do Por to Sines Em 1 9 7 3, A nt ónio Mar t ins , com Mot a Cam pos , Minist ro A dj unto do Presidente do Conselho e Engrácia Car rilho, Presidente da Comissão da Reg iã o Cent ro, no início dos t rabalhos de const r ução do Por to Sines “O Porto Sines desenvolveu muito a economia local” no crude. Por isso quisemos que Sines r e c e b e s s e a c l a s s i f i c a ç ã o d e Á r e a P r i o r i t á r i a p a r a I n v e s t i m e n t o s e a l i aplicámos tudo o que havia de mais a v a n ç a d o n a é p o c a . P a r a o c o n c u r s o d e c o n s t r u ç ã o d o p o r t o a p r e s e n t a r a m - s e 1 9 a g r u p a m e n t o s, n u m t o t a l d e 4 9 e m p r e s a s d e 1 0 n a c i o n a l i d a d e s , o n d e e s t a v a m a s maiores empresas de construção civil da Europa. S i m u l t a n e a m e n t e c o m e ç o u a primeira fase de construção civil do p o r t o , q u e f o i e n t r e g u e a u m a empresa italiana por 2,5 milhões de c o n t o s . F o i t a m b é m i n i c i a d a a c o n s t r u ç ã o d a e s t r a d a q u e l i g a v a a f u t u r a p e d r e i r a a o l o c a l d e enraizamento do futuro Molhe Oeste, por detrás da praia. Era fundamental aproveitar a pedra que estava ali ao l a d o , a r r a n j a n d o u m m e i o d e a d e s l o c a r p a r a o l o c a l d e s e j a d o . Para a vila de Sines, o por to acabou p o r s e r m u i t o m a i s q u e i s s o ? S i m, d e s e n v o l v e u a e c o n o m i a l o c a l e podia ter ido ainda mais longe. Em 1974 estava praticamente acordado c o m u m a e m p r e s a i t a l i a n a a c o n s t r u ç ã o d e u m a f á b r i c a d e automóveis em Sines, da Alfa Romeo. Porque além das indústrias de capital i n t e n s i v o , c o m o a r e f i n a r i a e o complexo petroquímico, era preciso arranjar algo que precisasse de mão- d e - o b r a e o f a b r i c o d e a u t o m ó v e i s tinha essas características. Foi pena não ter sido possível. C o m o é q u e a p o p u l a ç ã o d e S i n e s a c o l h e u o p o r t o n a é p o c a ? H o u v e u m a m i s t u r a d e s e n t i m e n t o s. Te n t á m o s m o s t r a r a o s p e s c a d o r e s o q u e i r i a s e r o p o r t o e a t é promovemos uma visita ao porto de L i s b o a , o n d e l h e s f o i m o s t r a d o o tamanho de um barco com 300.000 t o n e l a d a s. Pa r t e d a p o p u l a ç ã o d e S i n e s e s t a v a l i g a d a à p e s c a e p o r isso algumas pessoas tinham receio e m r e l a ç ã o a o f u t u r o d a s u a a c t i v i d a d e, d a d a a g r a n d i o s i d a d e d o p r o j e c t o . O u t r a p a r t e d a população receava um aumento da p o l u i ç ã o e q u e i s s o p r e j u d i c a s s e o a r r e n d a m e n t o d e c a s a s n o Ve r ã o. O u t r o s a i n d a h o u v e q u e f i c a r a m z a n g a d o s p o r t e r s i d o a p l i c a d a à q u e l e p r o j e c t o a l e i q u e p e r m i t i a expropriar terrenos ao seu justo valor, s e m i n c o r p o r a r a s m a i s - v a l i a s i n t r o d u z i d a s p e l o p r o j e c t o. E s s a f o i a p a r t e d a p o p u l a ç ã o q u e m a i s s e pronunci ou. Foi forçado a abandonar o projecto em 1975. Tev e pena? Claro que sim. Tudo tinha começado com umas folhas de papel e quando s a í o p r o j e c t o t i n h a u m a d i m e n s ã o i nv ej áv el. Q u a n d o h o j e o l h a p a r a o Po r t o d e Sines , o que v ê? Vejo o maior porto português. A área c o n c e n t r a d a d e i n d ú s t r i a s q u e d e v e r i a e s t a r a l i à v o l t a n ã o e x i s t e. E s p e r o q u e s e d e s e n v o l v a m rapidamente as ligações ferroviárias para a Estremadura Espanhola, para a p r o v e i t a r e s s e m e r c a d o e, q u e m sabe, chegar a Madri d. Em 1971, no Ministério das Finanças, p o r o c a s i ã o d a a s s i n a t u r a d o financiamento para as obras de c o n s t r u ç ã o d o Po r t o d e S i n e s
  • 8. 08 aniversárioaniversário APS hojeAPS hoje Em altura de mais um aniversário, a APS abre o álbum d e r e c o r d a ç õ e s e l e m b r a a q u i o s m o m e n t o s m a i s marcantes de um percurso histórico que transformou a p a c a t a v i l a d e S i n e s n u m a p o r t a d e e n t r a d a marítima para todo o mund o. F o i n o f i n a l d o a n o 1 9 7 0 q u e u m d e s p a c h o c o n j u n t o d o M i n i s t r o d a s Fi n a n ç a s e E c o n o m i a e d o S e c r e t á r i o d e E s t a d o d a I n d ú s t r i a p r e s s u p õ e que a concessão de uma nova refinaria de petróleo n o S u l d o p a í s i n c l u í s s e a p o s s i b i l i d a d e d e r e c e b e r c r u d e e m n a v i o s d e p e l o m e n o s 3 0 0 . 0 0 0 t o n e l a d a s . U m a a n á l i s e à c o s t a p o r t u g u e s a , d a F i g u e i r a d a F o z a V i l a R e a l d e S a n t o A n t ó n i o , l e v o u o G r u p o d e T r a b a l h o a v e r i f i c a r q u e a p e n a s n o C a b o d e S i n e s e x i s t i a m f u n d o s m u i t o p e r t o d e terra. O mesmo grupo concluíu também que tanto o estuário d o Te j o c o m o o d o S a d o e s t a v a m l i m i t a d o s p e l a s r e s p e c t i v a s b a r r a s, e m b o r a a p r e s e n t a s s e m ó p t i m a s condições de abrigo. J á na ép oca o Alent ejo sofri a c o m a d e s e r t i f i c a ç ã o e o d i r e c c i o n a m e n t o d e investimentos para aquela zona do país soou muito p o s i t i v a . T a m b é m e m t e r m o s a m b i e n t a i s , S i n e s r e c o l h i a o p i n i õ e s m a i s f a v o r á v e i s , p o r s e r m e n o s p o l u í d a, e m b o r a c o n t a s s e, d e v e z e m q u a n d o, c o m g r o s s a s n u v e n s d e p o l u i ç ã o p r o v e n i e n t e s d a z o n a i n d u s t r i a l d o B a r r e i r o, s e m p r e q u e o v e n t o a s s i m a s e m p u r r a v a . M a s S i n e s t i n h a a s m e l h o r e s c o n d i ç õ e s g e o g r á f i c a s p a r a u m a f á c i l d i l u i ç ã o d a p o l u i ç ã o a t m o s f é r i c a, f a c t o r p a r a q u e m u i t o c o n t r i b u í a m a s v a s t a s á r e a s f l o r e s t a i s e x i s t e n t e s a N o r t e d a v i l a . A j u n t a r a t u d o i s t o e s t a v a u m a z o n a d e e x c e l e n t e rocha, mesmo junto aos locais propícios à construção dos molhes de protecção dos futuros cais. Os custos de transporte de matéria-prima ficariam, assim, mais r e d u z i d o s . M a s h a v i a m u i t o p o r f a z e r e m S i n e s . F a l t a v a m a s e s t r a d a s, a r e d e d e s a n e a m e n t o e o a b a s t e c i m e n t o d e á g u a , a e n e r g i a , o p a r q u e habi taci onal, … Vinte e oito anos depois, basta chegar a Sines e olhar e m r e d o r p a r a v e r o q u a n t o m u d o u … e o q u a n t o conti nua i gual a si m esm a. A Escolha de Sines
  • 9. 09 APS hoje As novas caras da APS Ta l c o m o n o p a s s a d o, o p r e s e n t e d a A P S é h o j e f e i t o p o r t o d a s a s p e s s o a s q u e d i a r i a m e n t e s e d e d i c a m a pôr em marcha o projecto que deu origem ao Porto de S i n e s. O s r o s t o s a n ó n i m o s s ã o r e c o n h e c i d o s n o s e u e s f o r ç o q u o t i d i a n o e a e l e s a g r a d e c e m o s o p r o j e c t o que hoje conhecemos. A c t u a l m e n t e, a A P S c o n t a t a m b é m c o m u m a n o v a a d m i n i s t r a ç ã o q u e t o m o u p o s s e e m A b r i l d e s t e a n o. N e s t a r e v i s t a , o s s e u s e l e m e n t o s s ã o a p r e s e n t a d o s formalmente. Os rostos que lideram uma extensa equipa c o m a q u a l c o n t a m p a r a d a r u m f u t u r o r i s o n h o e p r ó s p e r o a e s t e P o r t o , c o n t r i b u i n d o p a r a o desenvolvimento da cidade de Sines. Lídia Sequeira e Implementação das Redes de Transporte Escolar e em 1984 assume o cargo de coordenadora do Grupo de Trabalho para a Revisão do Sistema Fiscal no Sector dos Transportes. Foi também Directora do Gabinete de Estudos e Planeamento da DGTT e Subdirectora-Geral de Transportes Terrestres. Em 1990 foi condecorada pelo Presidente da República como Oficial da Ordem de Mérito. V i n t e e o i t o a n o s d e p o i s, a A P S e s t á u m a v e z m a i s d e Parabéns. Com a convicção de estar no caminho certo, acredita que é hoje fruto de árduo trabalho e de sonhos a i n d a p o r r e a l i z a r. A i n f l u ê n c i a d i r e c t a e i n d i r e c t a d o P o r t o d e S i n e s n a e c o n o m i a r e g i o n a l é i n e g á v e l . C o n t i n u a a a t r a i r p a r a j u n t o d e s i g r a n d e s e m é d i a s empresas dos mais variados pólos económicos. O Plano E s t r a t é g i c o p a r a o Po r t o d e S i n e s e s t á e m c u r s o. E s t á a d e s e n v o l v e r v á r i o s p r o j e c t o s q u e v ã o c e r t a m e n t e c o n t r i b u i r p a r a a i n t r o d u ç ã o d e n o v o s n e g ó c i o s . A p r o f u n d a c a d a v e z m a i s a v e r t e n t e e n e r g é t i c a d a s suas infraestruturas e aposta fortemente na promoção d e S i n e s c o m o c e n t r o n e v r á l g i c o d o c r u z a m e n t o d a s principais rotas europ eia s. O sonho continua... É a Presidente do Conselho de Administração. Anteriomente havia sido gestora do Eixo Prioritário do Programa Operacional Ciência e Inovação 2010. Entre os anos 2000 e 2004 geriu a Intervenção Operacional de Acessibilidades e Transportes e foi também gestora sectorial dos Transportes para Fundo de Coesão. Licenciada em Economia, Lídia Sequeira começou uma carreira ligada ao sector dos transportes em 1972, quando ingressou na Direcção-Geral de Transportes Terrestres, como Técnica Superior de 2ª Classe. Em 1977 vai coordenar a equipa de Planificação APS hoje É membro do Conselho de Administração da APS. É Mestre em Direito Internacional, assessor da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS) e foi administrador do Instituto Marítimo-Portuário (IMP), adjunto do Governador Civil de Setúbal e chefe de gabinete do Secretário de Estado da Administração Marítimo-Portuária. Foi, igualmente, oficial da Marinha de Guerra até 2001. Em 2000, concluiu o Curso Pós-Graduação em Gestão do Transporte Marítimo e Gestão Portuária (ISEG). Duarte Lynce de Faria é docente universitário e mantém uma forte ligação à sua terra natal, Alcácer do Sal, onde foi vereador, tendo sido eleito Presidente da Assembleia Municipal nas últimas eleições autárquicas. D u ar te Lynce de Faria É membro do Conselho de Administração da APS. É advogado e titular do Curso de Defesa Nacional. Foi Administrador da CTM e da CNN e Director da Associação de Armadores da Marinha Mercante. Foi, igualmente, Administrador do Metropolitano de Lisboa, Secretário-Geral do Conselho Económico e Social, Administrador da FERNAVE, da CARRIS, do Instituto Martítimo-Portuário (IMP) e Presidente do Conselho de Administração da TRANSTEJO e da SOFLUSA. Jo ão Farinha Franco
  • 10. 10 APS amanhã Sempre a crescer O desenvolvimento da actividade no Porto de Sines é c o m o u m b a r c o d e g r a n d e d i m e n s ã o q u e n a v e g a a alta velocidade. O horizonte está todo à sua frente e o barco avança a passos largos. O Terminal XXI é hoje r e c o n h e c i d o p o r t o d o s c o m o o g r a n d e “ m o t o r d a a c t i v i d a d e e c o n ó m i c a r e g i o n a l e n a c i o n a l ” , n a s palavras da presidente do Conselho de Administração, Lídia Sequeira. O n o v o p l a n o e s t r a t é g i c o q u e c o m e ç o u j á a s e r i m p l e m e n t a d o n o Po r t o d e S i n e s p e r m i t e p r e v e r u m a u m e n t o d e 5 0 % n a m o v i m e n t a ç ã o d e c a r g a s n o s p r ó x i m o s d e z a n o s. Q u e r i s t o d i z e r q u e a t é 2 0 1 5 o movimento de cargas deverá duplicar no nosso Porto. Pa r a q u e t a l s e j a p o s s í v e l , a a d m i n i s t r a ç ã o d a A P S s a b e q u e s e r á p r e c i s o c o n q u i s t a r n o v o s c l i e n t e s , n o m e a d a m e n t e p a r a o t e r m i n a l d e g r a n é i s l í q u i d o s. Além disso, a equipa liderada por Lídia Sequeira está t a m b é m c o n s c i e n t e d e q u e é p r e c i s o l u t a r p e l a a f i r m a ç ã o d o P o r t o d e S i n e s c o m o i n f r a e s t r u t u r a p o r t u á r i a d e r e f e r ê n c i a e m t e r m o s d e “ t r a n s h i p m e n t ” d e c o n t e n t o r e s. M a i s u m a v e z, o Te r m i n a l X X I v o l t a a q u i a s e r e v i d e n c i a d o c o m o p o n t o n e v r á l g i c o d e s t e crescimento que se amb iciona. O a n o 2 0 0 6 s e r á c e r t a m e n t e d e v i r a g e m n a h i s t ó r i a d a A P S. S e r á o a n o d o d e s e n v o l v i m e n t o d a z o n a d e a c t i v i d a d e s l o g í s t i c a s, s a t i s f a z e n d o a s n e c e s s i d a d e s h á m u i t o m a n i f e s t a d a s p o r d i v e r s o s a g e n t e s e c o n ó m i c o s. S e r á t a m b é m a l t u r a d e i n s i s t i r e m m a i s e melhores acessibilid a d es. A ligação ferroviária à rede de transportes europeia e à a l t a v e l o c i d a d e a s s u m e m u m p a p e l d e d e s t a q u e n e s t a s r e i v i n d i c a ç õ e s, a s s i m c o m o a a d a p t a ç ã o d o IP8 a uma via com per fil de auto-estrada, com quatro faixas de rodagem e nós d es nivela d os. A possibilidade de Sines vir a constituir uma alterantiva v i á v e l a o s p o r t o s e s p a n h ó i s d e p e n d e d o s u c e s s o d e todos estes projectos. E esta equipa está pronta para l u t a r p o r e l e s , p a r a q u e S i n e s c o n t i n u e d e p o r t a s abertas para o mundo. APS amanhã
  • 11. 11 projectos “Hypercluster ” da Economia do Mar é urgente Jornadas da Economia do Mar A o r g a n i z a ç ã o e m Po r t u g a l d e u m “ h y p e r c l u s t e r ” d a e c o n o m i a d o m a r i r i a g e r a r r e n d i m e n t o s a n u a i s q u e a s c e n d e r i a m s e m p r e a m u i t o s m i l h a r e s d e m i l h õ e s d e e u r o s . A g a r a n t i a é d a d a p o r E r n â n i Lo p e s, p r e s i d e n t e d a A s s e m b l e i a G e r a l d a A s s o c i a ç ã o d e O f i c i a i s d a R e s e r v a N a v a l ( A O R N ) , e f o i l a n ç a d a n a s “Jornadas de Economia do Mar – um ‘ H y p e r c l u s t e r ’ p a r a o F u t u r o ” , r e a l i z a d a s a 2 3 d e S e t e m b r o n o A u d i t ó r i o d a A d m i n i s t r a ç ã o d o Po r t o de Sines. O e v e n t o f o i o r g a n i z a d o p e l a A O R N, p r e c i s a m e n t e c o m o o b j e c t i v o d e a l e r t a r p a r a a i m p o r t â n c i a d e Po r t u g a l c o n s t i t u i r u m “ h y p e r c l u s t e r ” da Economia do Mar. Te n d o e m c o n t a o ê x i t o a s s i n a l á v e l d a s e x p e r i ê n c i a s j á r e a l i z a d a s n a H o l a n d a, Fr a n ç a, I t á l i a, Re i n o U n i d o e D i n a m a r c a , a A O R N e s t i m a q u e t a m b é m e m Po r t u g a l r e a l i z a d a s n a H o l a n d a, Fr a n ç a, I t á l i a, Re i n o U n i d o e D i n a m a r c a , a A O R N e s t i m a q u e t a m b é m e m Po r t u g a l s e j a p o s s í v e l um crescimento do sector acima do p r ó p r i o í n d i c e d e d e s e n v o l v i m e n t o económico. Para já, a AORN pede ao Estado que p e l o m e n o s s e d e b r u c e s o b r e e s t a matéria, analisando todo o potencial q ue es t á em causa. O “ h y p e r c l u s t e r ” n ã o é m a i s d o q u e a j u n ç ã o d e t o d a s a s a c t i v i d a d e s com liga ção ao m ar. D e s s e m o d o s e r i a p o s s í v e l a r t i c u l a r á r e a s c o m o a c o n s t r u ç ã o e a r e p a r a ç ã o n a v a l , o t r a n s p o r t e m a r í t i m o, a s l i g a ç õ e s m u l t i m o d a i s, a s p e s c a s, o r e c r e i o, a m a r i n h a d e guerra e as instituições científicas e tecnológicas. E r n â n i Lo p e s n ã o h e s i t a e m a f i r m a r q u e s e t r a t a d e “ u m m u n d o q u e c o n s t i t u i u m d o s c i n c o d o m í n i o s e s t r a t é g i c o s d a e c o n o m i a p ortuguesa ”. “ U m ‘ H y p e r c l u s t e r ’ d a E c o n o n o m i a d o m a r é u m m u n d o q u e c o n s t i t u i u m d o s c i n c o d o m í n i o s e s t r a t é g i c o s d a e c o n o m i a p o r t u g u e s a ” E rn âni Lop es
  • 12. 12 coordenadas Julho foi o mês de maior movimento no Porto de Sines, c o m 1 1 5 n a v i o s e n t r a d o s , 9 3 d e l e s d e o r i g e m estrangeira. D e s d e A b r i l q u e o n ú m e r o d e e m b a r c a ç õ e s a d a r e n t r a d a n o Po r t o d e S i n e s u l t r a p a s s o u a c e n t e n a, à excepção do mês de Junho, em que o porto recebeu 96 navios. Desde o início do ano, e até Setembro, já tinham dado entrada no Porto de Sines 695 na vios. Julho bate recorde de navios entrados N.º de Navios entrad os O car vão constitui a principal carga de carácter sólido a s e r t r a n s p o r t a d a n o s n a v i o s q u e e n t r a r a m e s t e a n o no Porto de Sines. O maior volume de carga de car vão f o i r e g i s t a d o e m A b r i l, m ê s e m q u e o Po r t o d e S i n e s r e c e b e u 7 5 4 . 2 2 6 t o n e l a d a s d e s t e t i p o d e c a r g a . J á o s c e r e a i s e o s m i n é r i o s d e r a m e n t r a d a n o p o r t o e m m e n o r e s c a l a e e m a p e n a s d o i s m e s e s d o a n o. D e s d e o i n í c i o d e s t e a n o, e a t é S e t e m b r o, j á t i n h a m d a d o e n t r a d a n o Po r t o d e S i n e s 4 . 0 1 4 . 5 9 8 t o n e l a d a s de granéi s sól i dos. C ar vão lider a nos gr anéis só l i d o s T ipo de Carga Transpor t ada - Granéis Sólidos (em t oneladas ) Janeiro 26 71 97 Fevereiro 19 64 83 Março 22 70 92 Abril 24 84 108 Maio 19 88 107 Junho 16 80 96 Julho 22 93 115 Agosto 18 89 107 Setembro 22 83 105 Acumulado 2005 188 722 910 Mês Navios Nacionais Navios Estrangeiros TOTAL Mês Car vão Cereais Minérios Outros TOTAL Janeiro 158.621 0 0 82.715 241.336 Fevereiro 442.089 2.763 0 22.173 467.025 Março 462.348 1.500 0 18.128 481.976 Abril 754.226 0 0 34.771 788.997 Maio 370.331 0 0 59.914 430.246 Junho 397.350 0 4.004 22.313 423.667 Julho 619.437 0 0 32.712 652.149 Agosto 308.272 0 3.974 133.356 445.602 Setembro 372.591 0 0 14.963 387.553 Acumulado 2005 3.885.264 4.263 7.978 421.045
  • 13. 13 Granéis líquidos ultrapassam 12 milhões de toneladas Desde o início do ano, e até Setembro, já tinham dado e n t r a d a n o Po r t o d e S i n e s 1 2 . 2 2 3 . 2 9 2 t o n e l a d a s d e granéis líquidos. Foi em Março e em Julho que o Porto de Sines registou o maior número de toneladas de carga líquida, ultrapassando nesses dois meses os 1,7 milhões d e t o n e l a d a s. Ra m a s e Re f i n a d o s c o n s t i t u e m o s t i p o s d e c a r g a c o m m a i o r p e s o n e s t e s e g m e n t o . Em Janeiro, Maio e Setembro, o total de granéis líquidos e s t e v e a c i m a d o s 1 , 5 m i l h õ e s d e t o n e l a d a s, a p e n a s registando níves inferiores em Fevereiro, Abril, Junho e Agosto. Tipo de Carga Transpo r ta d a - G r a n éi s Líq u id o s ( em toneladas) Navios viajam mais para países terceiros S ã o o s p a í s e s d e f o r a d a E u r o p a C o m u n i t á r i a q u e constituem a maior parte dos destinos das mercadorias t r a n s p o r t a d a s a b o r d o d o s n a v i o s q u e d e r a m e n t r a d a no Porto de Sines ao longo d es te a no. A p r e s e n ç a d e n a v i o s p r o v e n i e n t e s o u c o m d e s t i n o a portos nacionais ou comunitários é repartida em partes praticamente iguais, com ligeira supremacia dos navios nacionais. Mês Continente e Outros países da UE Países terceiros Regiões Autónomas Países de Origem / Dest ino das m ercadorias (em t oneladas) Janeiro 318.928 238.987 1.305.155 Fevereiro 260.092 172.554 1.110.256 Março 318.357 184.004 1.796.261 Abril 396.724 134.894 1.743.256 Maio 265.284 230.457 1.578.632 Junho 345.893 183.728 1.356.497 Julho 362.909 251.684 1.865.366 Agosto 391.754 301.384 1.270.692 Setembro 291.047 236.614 1.462.442 Acumulado 2005 2.950.957 1.934.306 13.488.558 Mês Ramas Refinados LPG GNL Olefinas Outros TOTAL Janeiro 933.328 479.714 38.367 56.574 26.562 46.663 1.581.208 Fevereiro 391.556 412.929 31.879 137.945 34.098 32.746 1.041.153 Março 1.136.401 420.243 26.188 122.542 26.989 33.402 1.765.765 Abril 807.182 448.064 25.649 113.841 22.788 20.085 1.437.609 Maio 927.450 415.064 34.573 121.272 40.118 41.176 1.579.653 Junho 723.863 487.068 32.329 122.473 23.117 24.705 1.413.556 Julho 965.402 592.610 32.868 116.943 33.928 34.425 1.776.176 Agosto 638.531 598.983 29.278 118.107 32.758 32.081 1.449.738 Setembro 902.196 511.092 31.591 0 39.371 42.132 1.526.383 Acumulado 2005 7.425.910 4.365.766 282.723 909.699 279.729 307.414 13.571.241
  • 14. APS sempre presente Mantendo a sua postura de presença assídua nos mais variados certames, a APS assegurou uma participação regular ao longo do ano 2005, tendo estado presente com stand institucional nos seguintes eventos: - OVIBEJA, Beja: de 30 de Abril a 11 de Maio - SIL 2005 (Salão Internacional de Logística), Barcelona: de 17 a 20 de Maio - FILDA, Vendas Novas: de 20 a 22 de Maio - SANTIAGRO, Santiago do Cacém: de 26 a 29 de Maio - EXPO SÃO MATEUS, Elvas: de 16 a 25 de Setembro - EXPO TRANS, Carvoeiro: evento realizado no âmbito do 8º Congresso da ANTRAM – de 21 a 23 de Outubro Se c retária de Estado de Transpor t es visita Por to de Sines A Secretária de Estado dos Transportes esteve de visita ao Porto de Sines. Ana Paula Vitorino esteve pela primeira vez nas instalações da APS,SA a 13 de Junho. Tendo repetido a visita ao porto já depois do Verão, a 19 de Outubro. MSC Tokyo visita Sines duas vezes E m m e n o s d e u m m ê s, o Te r m i n a l X X I d o Po r t o d e S i n e s r e c e b e u d u a s v i s i t a s d o M S C To k y o, o m a i o r n a v i o d e c o n t e n t o r e s q u e a t é h o j e d e u e n t r a d a e m portos portugueses. Proveniente de Antuérpia, o MSC To k y o p a s s o u p e l a p r i m e i r a v e z e m S i n e s a 1 6 d e A g o s t o, q u a n d o r u m a v a à G r é c i a e T u r q u i a , e a l i movimentou 456 TEU ’s, destinados sobretudo a portos espanhóis. A segunda visita ocorreu a 11 de Setembro, q u a n d o o n a v i o s e d e s l o c a v a p a r a P i r e u s , t e n d o m o v i m e n t a d o e m S i n e s 3 5 2 T E U ’ s , d e s t i n a d o s e s s e n c i a l m e n t e a p o r t o s d o M e d i t e r r â n e o o r i e n t a l . O M S C To k y o f o i c o n s t r u í d o e m J u n h o d e 2 0 0 5 , t e m 2 7 5 m e t r o s d e c o m p r i m e n t o e 4 0 m e t r o s d e b o c a, tendo capacidade para 5.919 TEU ’s e um calado de 14 metros. Pa r a L í d i a S e q u e i r a , P r e s i d e n t e d o Po r t o d e S i n e s, “esta segunda escala do MSC Tokyo no Porto de Sines traduz uma perspectiva de regularidade e de fixação de tráfegos de uma nova linha com potencialidades interessantes ”. 14 radar Secretária de Estado dos Transportes visita Porto Sines N a O v i b e j a , L í d i a S e q u e i r a c o m o Pr e s i d e n t e d a Re p ú b l i c a , J o r g e S a m p a i o MSC Tok yo no Por t o de Sines
  • 15. 15 Foram aprovados a 15 d e Setemb ro os ob ject ivos da APS em matéria de ges t ã o d a q ua lid a d e. A ob t enção de Certificação NP EN ISO 9001:2000 integra essa lista de objectivos, onde s e inclui ta mb ém a ob t enção de um índice de satisfação do cliente navio na ordem dos 95% e de um índice de satisfação dos restantes clientes acima dos 75%. N o q u e d i z r e s p e i t o à s r e c l a m a ç õ e s d e c l i e n t e s, é i n t e n ç ã o d a A P S q u e o i n d i c a d o r d e r e s p o s t a s e j a superior a 75%, tendo que pelo menos 50% acontecer dentro do prazo. O Comité de Qualidade, presidido por João Franco, propôs também que pelo menos 33% dos trabalhadores da APS recebesse um mínimo de 20 horas de formação. A s a u d i t o r i a s d e c e r t i f i c a ç ã o e s t ã o a s e r e l a b o r a d a s pela Lloyd ’s Register e a APS já recebeu indicações de q u e t o d o s o s c o l a b o r a d o r e s d a e m p r e s a e s t ã o empenhados no cumprimento dos objectivos propostos. Prioridade à certificação de qualidade e formação profissional APS pat r ocina 18ª I PTC A APS patrocinou o tema central da 18ª International Port Training Conference, intitulado “The Implications o f C u r r e n t D e v e l o p m e n t s i n Po r t s f o r Po r t Tr a i n i n g ” . Nesta sessão foram apresentados diversos sub-temas, tais como “Port Training in Portugal ” ou “Developments o n t h e I n t e r n a t i o n a l S c e n e ” , e n t r e o u t r o s. O e v e n t o decorreu entre 8 e 11 de Maio, em Setúbal, e incluiu u m a v i s i t a t é c n i c a a o Po r t o d e S i n e s a 1 0 d e M a i o. N a c o n f e r ê n c i a e s t i v e r a m p r e s e n t e s p r o f i s s i o n a i s e especialistas nas áreas académica e operacional de todo o m undo. O grande objectivo da iniciativa foi a promoção do d i á l o g o e n t r e p e s s o a s o u e n t i d a d e s r e p r e s e n t a t i v a s d e i n s t i t u i ç õ e s l i g a d a s a o d e s e n v o l v i m e n t o d o s r e c u r s o s h u m a n o s d a i n d ú s t r i a p o r t u á r i a e, m a i s recentemente, do conjunto da indústria transportadora. A I P TC r e a l i z o u - s e p e l a p r i m e i r a v e z e m 1 9 7 0 , e m Roterdão. Prémio Agostinho Roseta distingue APS O Acordo Social vigente nos anos 2000/2003 valeu à APS a distinção com o Prémio Agostinho Roseta em N o v e m b r o d e 2 0 0 4 . E s t e g a l a r d ã o, a t r i b u í d o p e l o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), r e c o n h e c e a e l e v a d a q u a l i d a d e d a i n s t i t u i ç ã o n o domínio da concertação social. A APS foi distinguida na Categoria de Boas Práticas, referente à melhoria e dignificação do trabalho. Recursos ocêanicos e costeiros em debate “ T r a n s p o r t e M a r í t i m o e E x p l o r a ç ã o d o s R e c u r s o s Oceânicos e Costeiros” foi o tema do 12º Congresso d a I n t e r n a t i o n a l M a r i t i m e A s s o c i a t i o n o f t h e Mediterranean (IMAM), que contou com o patrocínio da APS. O evento teve lugar no Centro de Congressos do Instituto Superior Técnico, em Lisboa, de 26 a 30 de Setembro e incluiu ainda uma visita técnica ao Porto de Sines no último dia. Em cima da mesa estiveram diversos assuntos relacionados com portos e transporte marítimo, nomeadamente a exploração de recursos o c e â n i c o s e c o s t e i r o s, u m a á r e a q u e t e m v i n d o a assumir um papel cada vez mais determinante, mas também temas relacionados com a estrutura e design d e n a v i o s, o s s i s t e m a s d e p r o p u l s ã o, o t r a n s p o r t e m a r í t i m o e a s o p e r a ç õ e s p o r t u á r i a s, e n t r e o u t r o s. Teresa Almeida, G over n a d or a C ivi l d e S etú bal, visitou o Por to d e S in es a 8 d e Ju n h o
  • 16. 16 zona verde porto seguro Cinco ter minais respeitam Código ISPS Simulacr o pr omove t r eino de s ocor r o no ma r A t r a i n e i r a “Av ô T i b ú r c i o ” f o i o p a l c o d o s i m u l a c r o realizado no Porto de Sines na tarde de 1 de Outubro. A i n i c i a t i v a v i s o u o t r e i n o e a c o o r d e n a ç ã o e n t r e d i v e r s a s e n t i d a d e s e m c a s o d e s i n i s t r o o c o r r i d o n o m a r. N e s t e c a s o, o s i m u l a c r o i n c l u i u u m i n c ê n d i o a b o r d o d a t r a i n e i r a q u e s a i u d a s u a r o t a e e m b a t e u n a c a b e ç a n o r t e d o M o l h e Le s t e, p r o v o c a n d o u m a fissura num tanque de combustível e o consequente d e r r a m e d e g a s ó l e o n o m a r. A b o r d o e s t a v a m d o i s f e r i d o s , u m c o m q u e i m a d u r a s e o u t r o c o m u m a f r a c t u r a d e u m m e m b r o i n f e r i o r. O s p r o c e d i m e n t o s d e s o c o r r o à s v í t i m a s , o c o m b a t e à s c h a m a s , a c i r c u n s c r i ç ã o d o c r u d e n o m a r e o t r a n s p o r t e d a e m b a r c a ç ã o p a r a o p o r t o d e p e s c a f o r a m r a p i d a m e n t e c o n c r e t i z a d o s , p a r a s a t i s f a ç ã o d a s entidades participantes. Esta iniciativa foi promovida conjuntamente pelos Bombeiros Voluntários de Sines, p e l a A P S, p e l a C a p i t a n i a d o Po r t o d e S i n e s, G u a r d a Naciona Republicana, Brigada Fiscal, Polícia Marítima, A u t o r i d a d e d e S a ú d e e S e r v i ç o M u n i c i p a l d e P r o t e c ç ã o C i v i l . O s i m u l a c r o s e r v i u t a m b é m p a r a s e n s i b i l i z a r o s p e s c a d o r e s p a r a a s q u e s t õ e s d a segurança a bordo - equipamentos, procedimentos, etc. Seminário sobre riscos profissionais no audit ór io da APS E s t e s i m u l a c r o i n t e g r o u - s e n o s e m i n á r i o “ E m t e r r a e no mar: prevenção de riscos profissionais – segurança e m p r i m e i r o l u g a r ” , o r g a n i z a d o p e l o S i n d e p e s c a s ( S i n d i c a t o D e m o c r á t i c o d a s Pe s c a s ) . O a u d i t ó r i o d a A P S s e r v i u d e p a l c o a e s t e e n c o n t r o q u e d e c o r r e u n o s d i a s 1 e 2 d e O u t u b r o , e m p r o l d o c o n t i n u o melhoramento das condições de segurança da área de Si nes. A APS continua a assegurar a limpeza da Praia Vasco da Gama durante todo o ano e com especial intensidade no decurso da época balnear. A l é m d a l i m p e z a , a A P S assegura ainda o controlo da q u a l i d a d e d a á g u a e d a areia da praia. Este ano, os últimos estudos revelaram que os níveis de q u a l i d a d e d a á g u a e d a Não foi preciso uma grande mudança no quotidiano dos t e r m i n a i s p e t r o l e i r o , petroquímico, multipurpose, g á s n a t u r a l e a i n d a d o Terminal XXI para assegurar o cumprimento das novas n o r m a s d e s e g u r a n ç a p r e v i s t a s n o C ó d i g o I S P S. O Regulamento Comunitário entrou em vigou em Junho de 2004 em toda a União a r e i a e s t ã o a c i m a d o recomendado, à semelhança do que já acontecera no ano passado. P a r a a s s e g u r a r a continuidade destes bons resultados, é intenção da APS evitar que as embarcações lancem resíduos no mar e manter o cumprimento de regras rígidas de asseio por parte dos concessionários da praia. Europeia e introduziu novas r e g r a s d e s e g u r a n ç a n o s n a v i o s e r e s p e c t i v a s i n s t a l a ç õ e s d o s p o r t o s c o m u n i t á r i o s , nomeadamente no que diz respeito a vedações e ao c o n t r o l o d e a c e s s o s . A entrada em vigor do novo Re g u l a m e n t o C o m u n i t á r i o obrigou ainda à formação dos oficiais responsáveis por cada terminal. Limpeza garantida na Praia Vasco da Gama
  • 17. 17 soltar amarras Gr upo Despor t iv o da APS Fundação 31 de Out ubro de 1984 Sede: Apartado 1 6 - 7 520 Sines Cont act o: 2 6 9 8 6 0 6 0 0 (Rui Simões) Modalidades : Futebol salão, triatlo, atl eti sm o, karti ng, m ergulho, ci cl oturi sm o, pai ntball N . º associados 250 N . º at let as 7 0 Grupo Desportivo e Cultural quer mais dinamismo em 2006 A t l e t i s m o , B T T e k a r t i n g s ã o a s m o d a l i d a d e s d e s p o r t i v a s q u e m a i s participantes têm vindo a cativar ao l o n g o d o s 2 4 a n o s d e e x i s t ê n c i a d o G r u p o D e s p o r t i v o e C u l t u r a l d a A d m i n i s t r a ç ã o d o P o r t o d e S i n e s ( G D C A P S ) . S ã o v á r i a s a s p r o v a s j á d i s p u t a d a s p e l o s p a r t i c i p a n t e s d a s v á r i a s m o d a l i d a d e s , c o m o o G r â n d o l a 1 0 0 K m s e m B T T o u o Passeio dos Chaparros, em Santiago d o C a c é m , t a m b é m n a m e s m a modalidade. De acordo com Virgílio Lamy Correia, p r e s i d e n t e d o G D C A P S , o B T T s ó d e k a r t i n g , e s t a n d o j á i n s t i t u í d o o Troféu APS. Além destas modalidades, há ainda o u t r a s a c t i v i d a d e s d e s p o r t i v a s q u e s ã o p r a t i c a d a s p o r e l e m e n t o s d o G D C A P S , e m b o r a c o m m e n o r r e g u l a r i d a d e . S ã o o s c a s o s d o m ergul ho e da canoagem. M a s c o m o n e m s ó d e d e s p o r t o v i v e o G D C A P S , t a m b é m a v e r t e n t e c u l t u r a l é e x p l o r a d a p e l o s m e m b r o s d o g r u p o . J á f o r a m p r o m o v i d o s v á r i o s p a s s e i o s, c o m o u m a i d a a o t e a t r o, à ó p e r a o u a t é u m a v i a g e m a Londres. Virgílio Lamy Correia assegura que o g r u p o e s t á e m p e n h a d o n a preparação do plano de actividades para o próximo ano. O presidente do G D C A P S q u e r r e f o r ç a r a a d e s ã o à s várias modalidades praticadas e, em s a b e , i n t r o d u z i r n o v a s p r á t i c a s d e s p o r t i v a s e c u l t u r a i s e n t r e o s m em bros da col ecti v i dade. c o m e ç o u a s e r p r a t i c a d o e m 2 0 0 4 , m a s j á c o n t a c o m m a i s d e d u a s d e z e n a s d e a d e p t o s e n t r e o s c o l a b o r a d o r e s d a A P S. M a i s a n t i g a é a p r á t i c a d o a t l e t i s m o n o s e i o d o grupo desportivo. Desde o ano 2000 q u e v á r i o s c o l a b o r a d o r e s d a A d m i n i s t r a ç ã o d o Po r t o d e S i n e s e a l g u n s p r a t i c a n t e s e x t e r n o s , d e i d a d e s m u i t o v a r i a d a s, c o r r e m c o m a ca mis ola da APS. J á o s a d e p t o s d a v e l o c i d a d e a q u a t r o r o d a s a p r o v e i t a m a proximidade do Kartódromo de Santo A n d r é p a r a d a r v i d a à m o d a l i d a d e Equipa de kar ting d o G D C AP SEquipa de kar ting d o G D C AP S
  • 18. 18 o porto e a cidade Praia Vasco da Gama acolhe 3ª Prova de Mar A Praia Vasco da Gama, em Sines, foi a 14 de Agosto o palco da terceira edição da Prova de Mar Porto de Sines, organizada pelo Clube de Natação do Litoral Alentejano (CNLA). A prova teve a duração de uma hora e o percurso d e a p r o x i m a d a m e n t e 1 2 0 0 m e t r o s, c o m p a r t i d a e chegada na Praia Vasco da Gama. Esta competição insere-se no Circuito de Travessias do Vale do Tejo, sob a égide da Associação de Natação do distrito de Santarém, e n e l a p o d e m p a r t i c i p a r a t l e t a s f e d e r a d o s e n ã o federados, bem como equipas de todas as categorias. A A P S m a n t é m d e s d e o Ve r ã o d e 2 0 0 2 u m p r o t o c o l o d e c o l a b o r a ç ã o c o m o C N L A , q u e v i s a o d e s e n v o l v i m e n t o d a p r á t i c a d e n a t a ç ã o. A o a b r i g o d e s t e p r o t o c o l o , a A P S t e m c o m o c o n t r a p a r t i d a a i n s e r ç ã o d o s e u l o g ó t i p o n a v i a t u r a d e t r a n s p o r t e d o equipamento e dos atletas e ainda em todo o material p r o m o c i o n a l d o C N L A. A l é m d i s s o, o s a s s o c i a d o s d o Grupo Desportivo e Cultural da Administração do Porto d e S i n e s ( G D C A P S ) b e n e f i c i a m d e u m d e s c o n t o n a s aulas de natação. Bibliot eca / C ent r o de Ar tes j á f oi inaugur ado A A P S a s s o c i o u - s e à g r a n d e f e s t a d e i n a u g u r a ç ã o d o complexo que acolhe a Biblioteca e o Centro de Artes de Sines. Foi a 20 de Agosto que perto de 2.000 pessoas f e s t e j a r a m a i n a u g u r a ç ã o d o e d i f í c i o c o n c e b i d o p e l o atel i er Ai res Mateus & Associ ados. Trata-se de um investimento superior a 8,2 milhões de euros, que se traduz agora num imponente edifício de p e d r a , c o m u m c e n t r o d e e x p o s i ç õ e s, u m a u d i t ó r i o para espectáculos musicais, teatrais, cinematográficos, c o n f e r ê n c i a s e a p r e s e n t a ç õ e s , u m a b i b l i o t e c a c o m 1 5 m i l l i v r o s , u m a s a l a p o l i v a l e n t e , u m a s a l a m u l t i m é d i a e u m a c a f e t a r i a , a l é m d o n o v o a r q u i v o m uni ci pal. O n o v o c o m p l e x o c u l t u r a l d e v e r á f u n c i o n a r e m p e r f e i t a a r t i c u l a ç ã o c o m a s e s c o l a s, i n s t i t u i ç õ e s e a s s o c i a ç õ e s l o c a i s . S i n e s t e m h o j e u m a c i d a d e dentro da ci dade.
  • 19. 19 Logística Hoje, 1 de Setembro Diário do Sul, 7 de Outubro Diário Económico, 15 de Junho Na veg a r, 1 d e O u tu b ro Notí ci a s d e Sines, 2 7 d e Ag osto Hoy, 13 de N ov em bro Cargo, 1 de Set em bro Jor nal de N egócios, 27 de Set em bro Diário de Notícias, 26 de Setembro revista de imprensa