SlideShare uma empresa Scribd logo
Reunião APIMEC-SP | Apresentação dos Resultados 4T11
Aviso Importante




“Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos
negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais e financeiros,
e referências ao potencial de crescimento da Companhia, constituem meras
previsões e foram baseadas nas expectativas da Administração em relação ao
seu desempenho futuro. Estas expectativas são altamente dependentes do
comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e
dos mercados internacionais, portanto estão sujeitas a mudanças.”




                                                                             2
O Grupo Eternit

Maior e mais diversificada indústria de coberturas do País



                        Fabricação de produtos de                          Fabricação de
                   fibrocimento e comercialização de                    telhas de concreto
                       louças e metais sanitários e    Mineração de      e comercialização
Atividade
                       componentes para sistemas         Crisotila           de louças
                               construtivos                                  sanitárias
Fábricas                4                    1               1                  6

                        Líder em fibrocimento           3ª maior do      Líder em telhas
                         Market Share - 32%               mundo            de concreto
Posição de
                                                       Market Share –    Market Share –
Mercado              5ª maior do Brasil em louças          15%                 35%
                              sanitárias
Capacidade                   1 milhão de t               300 mil t      8 milhões de m²
Capacidade
                            Cerca de 85%                   100%           Cerca de 70%
Utilizada (2011)


                                                                                           3
Localização das Fábricas – Fibrocimento / Mineradora




                                             Filiais de vendas
   1) Anápolis/GO; 2) Colombo/PR; 3) Goiânia/GO; 4) Rio de Janeiro/RJ; 5) Simões Filho/BA; e 6) São Paulo/SP.


                                                                                                                4
Showroom




                   Venha nos Visitar
           Av. Rebouças, 2175 – São Paulo / SP

                                                 5
Localização das Fábricas – Telhas de Concreto




                                                6
Cadeia Produtiva do Fibrocimento




                                   7
Diversificação do Portfólio – Telhas de Fibrocimento




                                                       8
Diversificação do Portfólio – Telhas e Engradamentos Metálicos




                                                            9
Diversificação do Portfólio - Placas e Painéis




                                                 10
Diversificação do Portfólio – Caixas d’água e filtros




                                                        11
Diversificação do Portfólio – Louças e Assentos Sanitários




                                                             12
Diversificação do Portfólio – Metais Sanitários




                                                  13
Diversificação do Portfólio – Mármore Sintético




                                                  14
Diversificação do Portfólio – Telhas de Concreto




                                                   15
Diversificação do Portfólio – Acessórios para Telhados




                                                         16
Visão Geral - SAMA
Mercado Mundial – Mineral Crisotila
        Canadá 4%


                                                               Rússia – 50%

                                                          Cazaquistão – 11%
                                                               China – 20%



  Brasil 15%




Consumo Mundial (em MM de T)
 2004     2005      2006       2007   2008   2009   2010        2011

 2,1      2,3       2,3        2,4    2,4    2,1    2,2         2,2
                                                                         18
Vendas do Mineral Crisotila (em mil toneladas)

          5,2%           -3,0%

                  306
      291                    297




    136          163
                           163


                                                 2,8%         -1,5%

                                             78          80      79
    155          143       134              36                  39
                                                        43

                                            42          37      40


   2009     2010         2011             4T09      4T10      4T11

                        Mercado Interno   Mercado Externo

                                                                      19
Visão Geral – Eternit e Tégula
Mercado de Cobertura – Brasil (2011)

            Mercado Residencial                               Mercado Industrial/Comercial
                            Concreto                                                       Outros
Cerâmicas                     4%                                                            11%               Fibrocimento
  45%                                                      Metálicas                                              38%
                                                            40%




                                            Fibrocimento
                                                                                          Cerâmicas
                                                51%
                                                                                            11%


                 Mercado Total                             Evolução do Mercado (milhões de m²)
                        Concreto                                                      10%                8%      5%
            Metálicas              Outros                                      8%
                                                                                                  -2%
                          4%                                        5%
             12%                    2%                                                                                561
                                                                                                              534
                                                                                            505     495
                                                                                    459
                                                              406        425




     Cerâmicas                     Fibrocimento
       35%                             47%
                                                            2005    2006       2007       2008    2009    2010      2011

                                                                                                                            21
Estrutura do Parque Industrial - 2011


                                Mercado
                              Brasileiro de             ETERNIT
                              Fibrocimento
Capacidade Instalada
                           Aproximadamente 2.820.000      1.000.000
(toneladas / ano)

Utilização da Capacidade
                               Em torno de 86%         Em torno de 85%
Instalada

Consumo
                                   2.434.000               859.300
(toneladas / ano)

Empresas                              11               32% Market Share

Fábricas                              19                      5

Pontos de Venda                     39.000                  15.000




                                                                          22
Estrutura do Parque Industrial - 2011


                                 Mercado
                               Brasileiro de
                                                           TÉGULA
                               Cobertura de
                                 Concreto
Capacidade Instalada
                           Aproximadamente 24,0 milhões      8,0 milhões
(m²/ano)

Utilização da Capacidade
                                 Em torno de 70%          Em torno de 70%
Instalada

Consumo
                                   16,9 milhões              5,9 milhões
(m²/ano)

Empresas                                                  35% Market Share
                                       130
Fábricas                                                         6




                                                                             23
Vendas de Fibrocimento (em mil toneladas)


                        3,9%
          13,1%
                           859
                  827
      731




                                        19,0%         -7,5%

                                   195          232        215




   2009      2010       2011     4T09      4T10         4T11


                                                                 24
Telhas de Concreto (em mil m²)


                      13,5%
                               5.961
              5.253




          4.776                                                           9,6%

                                                                  1.435            1.573




           477

        2010*             2011                               4T10             4T11

* A Tégula foi adquirida em 11 de fevereiro de 2010. Os 477 mil m2 não foram consolidados na Eternit.

                                                                                                        25
Desempenho Econômico-Financeiro
Receita Líquida Consolidada (em R$ milhões)

                       8,1%
      30,2%                   820
                 759


      583



                          720                                    4,4%
               648
                                                  34,2%
    453
                                                           211      220
                                              157

                                                          184      187
                                            129
    130        111        100
                                             28           27       33

   2009       2010      2011               4T09      4T10        4T11
                         Mercado Interno     Mercado Externo

                                                                          27
Composição da Receita Líquida Consolidada
                                  2007                                                                    2011



                                                                                                              Fibrocimento
                                          Fibrocimento                                                           55,4%
                                             59,3%
                                                                                              Mineral
                      Mineral
                                                                                              Crisotila
                      Crisotila                                                               26,2%
                       35,0%


                                                                                                           Novos
                                   Novos
                                                                                                          Negócios
                                  Negócios
                                                                                                           18,4%
                                   5,7%




                                                                                                                     Componentes para
                                                                                                            2,6%
                                                                                                                     Sistemas Construtivos
                                   3,2%
                                             Componentes para
                                             Sistemas Construtivos
                                                                                                                     Telhas de Concreto e
                                                                                                           10,9%
                                                                                                                     Acessórios


                                   2,5%      Outros(*)
                                                                                                            3,7%     Louças Sanitárias
                                                                                                            1,2%     Outros(*)



(*) Outros: telhas metálicas, caixas d’água de polietileno, assentos sanitários, filtros para tubulações de água e mármore sintético.
.
                                                                                                                                             28
Composição do Custo de Produção – 4T11
                          Fibrocimento                                                      Mineral Crisotila
                                   Energia
                                                                                                Energia
                                     3%
                                                                                                  8%
                                                                              Outros Custos
                                                                                   9%
                          Outros
                                                                                                            Materiais (*)
                          Custos                                         Depreciação                           27%
                           20%                                               5%
Depreciação                             Matérias-
    4%                                  Primas(*)
                                           62%                                                      Mão-de-Obra
                                                                                                       51%

        Mão-de-Obra
           11%

(*) - Cimento (46%), mineral crisotila (43%) e outros (11%)                            (*) - Combustível, explosivos, embalagens, entre outros


                                                        Telhas de Concreto
 1 Ci      i   l i   il



                                                               Energia
                                                                 5%



                                                      Outros Custos
                                                          21%

                                                                         Matérias-
                                                                         Primas(*)
                                                         Mão-de-Obra        50%
                                        Depreciação         17%
                                            7%
                                                                                         (*) - Cimento (53%), areia (31%) e outros (16%)

                                                                                                                                           29
EBITDA (em R$ milhões)



          17,1%         -2,9%

                  144      140
      123




                                        13,0%        17,0%

                                                         40
                                    30          34




   2009      2010       2011     4T09      4T10       4T11


                                                              30
Lucro Líquido (em R$ milhões)

                     -4,7%
       39,3%
               102
                             97



       73



                                                      10,3%
                                         68,6%
                                                          32
                                                 29

                                     17




    2009    2010      2011        4T09      4T10       4T11

                                                               31
Margens




 42%           43%
                                     41%                   41%
                         39%                    38%




 21%
               19%                   19%                   18%
                         17%                    16%


                                                14%        15%
 13%           13%       12%         11%



 2009          2010      2011        4T09       4T10       4T11
          Margem Bruta          Margem EBITDA          Margem Líquida



                                                                        32
Investimentos
Investimentos (em R$ milhões)

                                93


                            14
                                                                         14
                            11


                                                                         34
                            34                 46
                                              5
                                              2
            29
                            6                13
                            1
           8                                  2
                                                                                                13         12
                            27                                                  7
          21                                 24                                                2
                                                                                                         5
                                                                            7                  11        4
                                                                                                         3

      2009             2010              2011                          4T09              4T10        4T11
  Investimentos Correntes        Mármore Sintético                 Aumento de Capacidade – Tégula    Aquisição Tégula
  Moldes e Novos Negócios        Aumento de Capacidade – Eternit   Aquisição Terreno - Ceará         Administrativo


                                                                                                                        34
Unidade de Desenvolvimento de Mármore Sintético




   Silo de Resina    Linha de Produção   Mármore Sintético




                                                             35
Localização da Unidade Multiprodutos – Pecém, Ceará

                                                Cimenteira

                         Linha Gás Natural




                                     35 km
       15 km




Terreno de 400 mil m²
                                                             36
Visão artística e Lay-out da Planta de Louças Sanitárias




                                                           37
Unidade Multiprodutos no Ceará – Fábrica de Louças Sanitárias

Joint-Venture: Companhia Sulamericana de Cerâmica S. A.



           60% de participação                       40% de participação
       Conhecimento do mercado local            Conhecimento de tecnologia de
         Forte rede de distribuição                produção e de produtos
             Logística eficiente                   Baixo custo de produção
              Força da marca                   Experiência em desenvolvimento
                                                      de novos produtos
        Recursos para investimentos            Experiência em desenvolvimento
          Conhecimento do Brasil                      de novos mercados


                            Investimentos: R$ 97 milhões
                         Capacidade: 1.500.000 peças / ano
                    Inicio das obras: Primeiro semestre de 2012
                           Prazo para conclusão: 18 meses
 Estimativa de Faturamento Bruto a plena capacidade: na ordem de R$ 127 milhões
                       Mão de obra direta: 330 colaboradores

                                                                                  38
Mercado de Capitais
Estrutura Acionária – Fev/12
                                                            Destaques              Fev/12

                                                Geração L. Par. F. I. A.          17,52%
  26,02%
                                                Luiz Barsi Filho                  13,46%
                                                Victor Adler + VIC DTVM           8,50%
                                                Diretoria                         1,55%
                                                Demais Conselheiros               0,07%
7,45%                                62,42%     Ações em Tesouraria               0,03%
  4,11%
                                                                                  Membro
                                                    Conselho de Administração
                                                                                  Desde
   Pessoas Físicas                                Sérgio Alexandre Melleiro (*)    1993
   Pessoas Jurídicas                                Lírio Albino Parisotto (*)     2004
   Residentes no Exterior                                 Victor Adler (*)         2005
                                                          Élio A. Martins          2007
   Clubes, Fundos e Fundações
                                                        Luiz Barsi Filho (*)       2008
                                                  Marcelo Munhoz Auricchio (*)     2011
                                                         Luis Terepins (*)         2011
                                              (*) Conselheiro Independente

                                                                                  Membro
   FREE-FLOAT                   76,51%                 Conselho Consultivo
                                                                                  Desde
                                                    Guilherme Affonso Ferreira     2011
                                                           Mário Fleck             2011

                                                                                            40
Estrutura Acionária

                                                    Média Diária – Volume de
         Número de Acionistas
                                                     Negócios (em R$ mil)

                                         7.064
     6.615                    6.633
                  5.910                            1.108                      1.074
                                                              975

                                                                      794




  2009        2010          2011      2012(*)    2009      2010     2011    2012*



(*) Até fevereiro de 2012

                                                                                      41
Política de Remuneração
           Lucro Líquido X Proventos
          Distribuídos (em R$ milhões)                     Dividend Yield

Pay Out    76 %             79 %           74%

                     102,1
                                    97,2
                                                   15,1%
                             80,5
      73,1                                 71,6

             55,3                                            9,3%
                                                                      7,5%




                                                                                2,2%




      2009           2010           2011          2009     2010     2011     2012(*)

     Lucro Líquido     Dividendos e JCP
                                                                       (*) Até março de 2012

                                                                                          42
Desempenho da Ação (Dez/06 - Fev/12)

No período de 28/12/2006 a 29/02/2012, as ações da Eternit registraram valorização de 53,0%
contra uma valorização do índice IBOVESPA de 50,2%.
Neste mesmo período, considerando o pagamento de dividendos e JCP as ações da Eternit
registraram valorização de 148,8%.
220
               ETER3

200            IBOVESPA



180


160
                                                                                     R$ 9,26
140
                                                                                      66.809
120


100


 80


 60


 40




                                                                                              43
Novo Site de RI com mídias sociais

A Companhia finalizou no mês de fevereiro a
implantação do novo site de RI. Com a nova versão,
os acionistas, investidores e analistas acessarão com
mais   facilidade   e    melhor   navegabilidade   as
informações sobre a Companhia.




                        Acesse:
               www.eternit.com.br/ri




                                                        44
Cenário do Setor
Momento Positivo para Construção Civil




                                         46
Indicadores Econômicos
                      Salário Mínimo (R$)                                                                                 Massa Salarial (R$ milhões)
                                 CAGR: 11,0%                                                                                                CAGR: 5,96%
                                                                                                  622                                                                            404.751
                                                                                                                                                         365.331     377.361
                                                                        510
                                                                                     545
                                                                                                                                  321.163     338.501
                                                           465                                                        303.028
                                              415
                                 380
                    350
       300




2005         2006         2007         2008         2009         2010         2011         2012                      2005         2006       2007        2008        2009     UDM 2010*
Fonte: BACEN                                                                                                        Fonte: IBGE                           * UDM 2010 de dez/09 a nov/10

                                   Cesta Básica SP x Salário Mínimo (poder de compra)
         79.1%                           79.4%
                           71.4%                           68.7%          66.2%             61.1%                    56.5%        57.7%
                                                                                                         52.0%                                49.1%       52.0%       50.9%       45.9%




                                                                                                                                                                     545         622
                                                                                                                                             465         510
                                                                                                        350         380         415
                                                       240 165           260               300                                        240          228         265         277         286
        151 120           180 129       200 159                                 172              183          182         215

             2000          2001           2002             2003               2004          2005         2006         2007        2008           2009     2010        2011        Jan-12
Fonte: IBGE e DIEESE                                  Salário Mínimo (R$)                          Cesta Básica em SP (R$)                   %

                                                                                                                                                                                           47
Indicadores Econômicos
           Disponibilidade de Crédito                                                                Taxa de Desemprego – Brasil
   Governo, Indústria, Habitação, Rural, Comércio, Pessoas
               Físicas de Crédito (R$ bilhões)                                                 10,9%
                                                                                                           9,6%
                                                                                                                    8,3%   8,4%
                                                                       1.934 1.984                                                  7,4%
                                                      1.806    1.857                                                                         6,8%   6,8%
                            1.679    1.715   1.754
           1.548   1.614
                                                                                                                                                             5,3%
       1.410                                                                                                                                                          4,7%
   1.227
  936




                                                                                            dez/03 dez/04 dez/05 dez/06 dez/07 dez/08 dez/09 dez/10 dez/11


 Fonte: BACEN                                                                               Fonte: IBGE

                                               Crescimento da Poupança Brasileira
        18,2%
                   17,4%        17,1%         17,3%           16,6%
                                                                         15,7%
                                                                                     14,7%        14,0%           13,9%    13,5%           12,9%
                                                                                                                                                    11,6%
                                                                                                                                                                10,2%




         300        301             303        305             306        307         310          316             319      323            326       328            331


        dez/10     jan/11       fev/11        mar/11          abr/11     mai/11      jun/11       jul/11          ago/11   set/11      out/11       nov/11     dez/11
Fonte: BACEN - SBPE                                              R$ bilhões            (%) Var YoY

                                                                                                                                                                          48
Moradias – Percepção de Demanda
Moradias – Percepção de Demanda
                                                                                                                         Precisam
                                                                                                                    Algum tipo de
                                                                                                                        reforma ou
                                                                                                                         expansão


                                                                                                                               77%
                                                                                                                Lares Permanentes no
                                                                                                                         Brasil
                                                                                                               44,5 milhões de moradias
   Lares Permanentes – 57,8
   milhões

   Déficit Habitacional – 5,5
   milhões

 • Estudo da FGV demonstra que entre 2010 e 2022, o crescimento de domicílios
  no Brasil será, em média, de 1,9 milhão/ano;
Fonte: ANAMACO (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção) / Estudo realizado pela Fundação João Pinheiro, órgão oficial de estatística
de Minas Gerais, é uma instituição pública vinculada à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão / Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito
Imobiliário e Poupança) – 2º. Seminário Abecip – Panorama do Mercado Imobiliário Oportunidades e Desafios.

                                                                                                                                                                50
Déficit Habitacional por Renda Familiar em Salários Mínimos
(em milhares de unidades)
                                                                                                                                               Déficit
                                                     Até              Três a               Cinco a                 Acima de
Região Geográfica                                                                                                                        Habitacional
                                                    Três               Cinco                  Dez                      Dez
                                                                                                                                            Regional


Norte                                                  492                    43                    17                            3                       555

Nordeste                                            1.861                     55                    23                            8                    1.947

Sudeste                                             1.791                   178                     65                          12                     2.046

Sul                                                    484                    66                    26                            4                       581

Centro-Oeste                                           375                    22                    14                            6                       417

Déficit Habitacional
                                                  5.003                   364                    146                           33                     5.546
Total Aproximado


Em 2008, o déficit habitacional estimado era de 5,5 milhões de unidades habitacionais, sendo que a
maioria se concentrava nas classes C e D.
Fonte: estudo realizado pela Fundação João Pinheiro, órgão oficial de estatística de Minas Gerais, é uma instituição pública vinculada à Secretaria de Estado
de Planejamento e Gestão.

                                                                                                                                                                51
Indicadores
PIB Brasileiro x PIB Construção Civil x Receita
          Bruta Consolidada Eternit                                                         % Crédito Imobiliário sobre o PIB
                                                                                   106
                     37,1



                                                                                            78

                                                 18,3
                                   16,8                      15,7
                                                                                                    48
                                          11,6
       8,6      8,2                           7,5                                                            34
 5,05,4            5,1                                                 4,8
                                                                                                                     30
                                                        3,62,7            3,5
                                                                                                                              18
                                                                                                                                       13      11
                               -0,2                                                                                                                    4,7

                            -6,3                                                  Holanda   EUA   AlemanhaAfrica do Malasia   Chile   Mexico   China   Brasil
                                                                                                             Sul
   2007           2008        2009           2010          2011        2012(E)

          PIB Construção Civil            PIB Brasileiro     Eternit
 (E) Estimado
 Fonte: BACEN. O crescimento da receita bruta consolidada da Eternit foi         Fonte: ABECIP, BACEN , e FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos).
 deflacionado pelo IGP-M.


• No Brasil, o crédito imobiliário atingiu 4,7% do PIB em 2011 e deverá atingir 11% em 2014.

  Fonte: Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) – 2º. Seminário Abecip – Panorama do Mercado Imobiliário
  Oportunidades e Desafios.

                                                                                                                                                                52
Moradias – Modelo de Gestão
          Edificações Residenciais Novas                                  Expansão e Reforma de Unidades Residenciais

                           (mil unidades)                                                               (mil unidades)

             70            110           260          670                                 900        2.600         3.100         2.100




         74%
                       88%                                                            93%
                                     95%           96%                                              96%           99%           99%




         26%
                       12%
                                      5%            4%                                7%             4%            1%            1%

         A             B             C            D/E                                 A             B             C           D/E

     Construção via Construtora          Construção Auto-Gerida                   Construção via Construtora          Construção Auto-Gerida

Fonte: ANAMACO (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção) – Pesquisa por Amostragem realizada pela ANAMACO - Dados do setor 2010

                                                                                                                                                  53
Perfil do Consumidor
         Onde realizam suas compras?                                             Na reforma – quem decide a compra?


       0,3%                    0,2%                    0,4%
                                                                                                                    Auto gestão
                                                                                                                       34%
                                                                                             Pedreiro/Mestre
      42,5%
                                                                                                de obras/
                              56,4%                   61,0%                                    Engenheiro
                                                                                                  65%
                                                                                                                                  Construtora/
                                                                                                                                  Empreiteira
                                                                                                                                      1%


       52,7%
                              41,4%                                           Na construção – quem decide a compra?
                                                      37,1%



        4,5%                   2,0%                    1,5%                                                         Auto gestão
                                                                                                                       27%
      AB                         C                 DE
   Home Center                        Loja Especializada                                          Pedreiro/Mestre
                                                                                                     de obras/
                                                                                                                                        Construtora/
   Loja de Bairro                     Hiper/Supermercados                                           Engenheiro
                                                                                                                                        Empreiteira
                                                                                                       71%
                                                                                                                                            2%




Fonte: ANAMACO (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção) - Pesquisa por amostragem realizada pela ANAMACO/Latin Panel sobre a
Condições dos Lares - 2007

                                                                                                                                                   54
Perfil do Consumidor

                                  Responsável pela Escolha da Marca




                                                                                           34%
                                                          34%                                                    Profissional (pedreiro
                                                                                                                 ou engenheiro)




                         32%
                                                                                            40%                  Vendedor da Loja
                                                           36%




                          24%
                                                                                                                 Conta própria ou
                                                                                                                 algum membro da
                                                                                            39%                  família
                                                           38%
                          23%



                           AB                                C                               DE

Fonte: ANAMACO (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção)- Pesquisa por amostragem realizada pela ANAMACO/Latin Panel sobre a
Condições dos Lares - 2007

                                                                                                                                                  55
Crisotila – O amianto do Brasil
Crisotila – O amianto do Brasil

 O uso do mineral crisotila no Brasil é
regulamentado pela Lei Federal 9.055/95,
Decreto 2.350/97 e normas regulamentadoras
do Ministério do Trabalho. Também está
previsto na Convenção 162 da Organização
Internacional do Trabalho (OIT).

                   Amianto branco
        Fibras curvas, sedosas e sem ponta
 Alta concentração de magnésio: 3MgOSiO2H2O
              Biopersistência*: 2,5 dias

 *Biopersistência: Tempo que uma partícula inalada
 permanece no pulmão antes de ser eliminada pelos
 mecanismos de defesa do organismo. Para provocar dano
 pulmonar, a fibra precisa ter capacidade de penetração e
 de durabilidade nos alvéolos.                              Rocha de serpentinito com fibras de minério crisotila




                                                                                                                57
Brasil conclui pesquisa inédita sobre os riscos do amianto

                       Projeto Asbesto Ambiental
 “Exposição Ambiental ao Asbesto: Avaliação do Risco e Efeitos na Saúde”
                   Processo CNPq n. 420001/2006-9


O resultado da pesquisa, realizada por renomados médicos ligados a
importantes universidades federais brasileiras, divulgado 25 de novembro
de 2010 em Brasília, comprova que:

Em relação às avaliações da amostra dos moradores estudados, não foram
encontradas alterações clínicas, funcionais respiratórias e tomográficas de
alta resolução, passíveis de atribuição à inalação ambiental à fibras de
asbesto.

Na avaliação ocupacional, não se identificou novas alterações nem
progressão do comprometimento pleural ou intersticial nos indivíduos do
Grupo exposto após 1980, que fizeram Tomografia Computadorizada de
Alta Resolução - TCAR nos dois estudos.

A íntegra desta pesquisa está disponível em www.sectec.go.gov.br.
                                                                              58
Fato Relevante publicado nas principais revistas e jornais do
País no período de 17 a 25/02/12
                                        Esclarecimentos do Grupo Eternit do Brasil
O Grupo Eternit Brasileiro, diante das recentes notícias sobre o julgamento realizado pelo tribunal de justiça de Turim na Itália, em que
dois ex-diretores da Eternit Italiana foram responsabilizados por mortes atribuídas ao uso de amianto em suas fábricas, vem a público
esclarecer:
• A Eternit S.A., é uma empresa nacional de capital aberto, listada no Novo Mercado, nível máximo de Governança Corporativa da
BM&FBOVESPA, e não tem nenhuma relação com a Eternit de outros países, inclusive da Itália. A propriedade e uso da marca se dão de
forma distinta por diferentes empresas em diversos países.
• No Brasil, a Eternit utiliza o amianto crisotila como fibra de reforço para produção de telhas de fibrocimento fazendo uso de modernas
técnicas de produção. A Itália utilizou vários tipos de amianto, principalmente o anfibólio, para diversas aplicações e sem proteção dos
trabalhadores.
• A atividade no Brasil é regulamentada pela Lei Federal nº 9.055/95, Decreto nº 2.350/97 e Normas Regulamentadoras do Ministério do
Trabalho e Emprego, que disciplina a extração, industrialização, utilização, comercialização e transporte do amianto crisotila e dos
produtos que o contenham, proporcionando à população brasileira produtos duráveis e de excelente qualidade e custo benefício;
contribuindo de forma significativa para redução do déficit habitacional brasileiro.
• A disputa de mercado no segmento de fibrocimento, entre a Eternit S.A., e um grupo francês que também atua no Brasil fabricando e
utilizando fibras sintéticas, levou alguns estados brasileiros, principalmente onde estão localizadas suas fábricas, a aprovarem leis contra
o amianto. Cabe ressaltar que a validade destas leis aguarda julgamento de mérito por parte do Supremo Tribunal Federal.
• A extração e beneficiamento do amianto crisotila por sua controlada SAMA, bem como a utilização do mineral nas fábricas da Eternit,
seguem rígidos padrões de segurança que superam as exigências legais. Com o aprimoramento das técnicas de produção e
aperfeiçoamento dos mecanismos de proteção ao trabalhador, nenhum caso de doença relacionada ao uso do amianto crisotila foi
registrado entre os colaboradores admitidos no Grupo a partir dos anos 80. Acordo tripartite, assinado, desde 1989, entre as empresas
da cadeia produtiva, trabalhadores, entidades de representação de classe e depositado no Ministério do Trabalho e Emprego, foi decisivo
para consolidar esta conquista.
• O uso de produtos de fibrocimento, caixa d’água e telhas, com amianto crisotila não oferecem riscos à saúde da população. Não há
registro no Brasil de nenhum caso de morador que tenha desenvolvido doença em razão de residir nas mais de 25 milhões de habitações
cobertas com telhas de fibrocimento contendo amianto. O fato é comprovado por pesquisa nacional, realizada por renomada equipe
médica ligada às principais universidades brasileiras, cujos projeto e relatório final foram aprovados pelo CNPq, e está disponível no site
www.sectec.go.gov.br.
O Grupo Eternit atua com total transparência e mantém o “Programa Portas Abertas”, que já recebeu mais de 50 mil visitantes em suas
unidades, permitindo o acesso a toda população que desejar conhecer a segurança nos processos de mineração e fabricação de produtos
com amianto crisotila.



                                                                                                                                               59
Gestão Corporativa e Socioambiental
Gestão Corporativa
                                  Programa Portas Abertas




    Criação ..................       Novembro de 2004
                                     Contribuir para o melhor entendimento da
                                     sociedade a respeito da extração e
    Objetivo .................       beneficiamento do mineral crisotila e da
                                     fabricação de produtos de fibrocimento de
                                     forma controlada e responsável.
                                     Cinco unidades produtivas do Grupo Eternit e a
    Abrangência ..........
                                     mina da SAMA
    Visitantes ...............       50.309 até fevereiro de 2012

    Público ...................      Sociedade em Geral

                                                                                      61
Gestão com Foco Ambiental

  Rejeito Zero      Monitoramento da        Reutilização da        Reflorestamento de
                     Qualidade do Ar             Água                   Bancadas




                           Projeto Quelônios - Área de Preservação Animal
 Viveiro de Mudas   Único criadouro de Tartarugas da Amazônia no Brasil e Reintegração
                        de Animais Silvestres a Natureza em parceria com o IBAMA




                                                                                         62
Gestão com Foco Social




                         63
Eternit – Opção de Investimento

                                                               ETNTY

                              Governança
                                                             ADR - Level I




                                                   Case de
         Diversificação
                                                   Sucesso




                Crescimento                Dividendos




                                                                             64
Maiores Informações


Élio A. Martins                      Paula Dell Agnolo Barhum
elio.martins@eternit.com.br          paula.barhum@eternit.com.br

Rodrigo Lopes da Luz                 Frederico Gomes Amaral
rodrigo.luz@eternit.com.br           frederico.amaral@eternit.com.br


Telefones: (55-11) 3038-3818         www.eternit.com.br/ri
            (55-11) 3194-3881        www.blogdaeternit.com.br
            (55-11) 3194-3872               @Eternit_RI

Rua Dr. Fernandes Coelho, 85 - 8⁰ Andar                 Este material foi produzido com
                                                        papeis certificados FSC (Forest
                                                        Stewardship Council), que é uma

Bairro: Pinheiros – São Paulo / SP                      garantia de que a matéria-prima
                                                        advém de uma floresta manejada de
                                                        forma    ecologicamente   correta,

Cep: 05423-040
                                                        socialmente    e  economicamente
                                                        viável.




                                                                                             65
Eternit Inicia Novo Ciclo




                  Bem Vindos
                 aos próximos
                    70 anos



                                66
ETERNIT S.A.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apimecsp 2 t08
Apimecsp 2 t08Apimecsp 2 t08
Apimecsp 2 t08
Eternit S.A.
 
Apimec rio1t10
Apimec rio1t10Apimec rio1t10
Apimec rio1t10
Eternit S.A.
 
Apimecsul 3 t08
Apimecsul 3 t08Apimecsul 3 t08
Apimecsul 3 t08
Eternit S.A.
 
Apimec 4 t08
Apimec 4 t08Apimec 4 t08
Apimec 4 t08
Eternit S.A.
 
Apimec 4 t08
Apimec 4 t08Apimec 4 t08
Apimec 4 t08
Eternit S.A.
 
Apimec rio - 1 t11
Apimec rio - 1 t11Apimec rio - 1 t11
Apimec rio - 1 t11
Eternit S.A.
 
Apimec mg - 2 t11
Apimec mg - 2 t11Apimec mg - 2 t11
Apimec mg - 2 t11
Eternit S.A.
 
Teleconferência 3 t10
Teleconferência 3 t10Teleconferência 3 t10
Teleconferência 3 t10
Eternit S.A.
 
Apimecdf 2 t09
Apimecdf 2 t09Apimecdf 2 t09
Apimecdf 2 t09
Eternit S.A.
 

Mais procurados (9)

Apimecsp 2 t08
Apimecsp 2 t08Apimecsp 2 t08
Apimecsp 2 t08
 
Apimec rio1t10
Apimec rio1t10Apimec rio1t10
Apimec rio1t10
 
Apimecsul 3 t08
Apimecsul 3 t08Apimecsul 3 t08
Apimecsul 3 t08
 
Apimec 4 t08
Apimec 4 t08Apimec 4 t08
Apimec 4 t08
 
Apimec 4 t08
Apimec 4 t08Apimec 4 t08
Apimec 4 t08
 
Apimec rio - 1 t11
Apimec rio - 1 t11Apimec rio - 1 t11
Apimec rio - 1 t11
 
Apimec mg - 2 t11
Apimec mg - 2 t11Apimec mg - 2 t11
Apimec mg - 2 t11
 
Teleconferência 3 t10
Teleconferência 3 t10Teleconferência 3 t10
Teleconferência 3 t10
 
Apimecdf 2 t09
Apimecdf 2 t09Apimecdf 2 t09
Apimecdf 2 t09
 

Destaque

Pangan rentan kudekap
Pangan rentan kudekapPangan rentan kudekap
Pangan rentan kudekap
Biotani & Bahari Indonesia
 
Url prezi
Url preziUrl prezi
Url prezi
nancynoriegap
 
ENCUENTRO Actual en gram mayo 09
ENCUENTRO Actual en gram mayo 09ENCUENTRO Actual en gram mayo 09
ENCUENTRO Actual en gram mayo 09
Fiorela Santos
 
UFF Vestibular 2012
UFF Vestibular 2012UFF Vestibular 2012
UFF Vestibular 2012
Cursos Gratuitos
 

Destaque (7)

1
11
1
 
Tarefa proposta
Tarefa propostaTarefa proposta
Tarefa proposta
 
Pangan rentan kudekap
Pangan rentan kudekapPangan rentan kudekap
Pangan rentan kudekap
 
Test
TestTest
Test
 
Url prezi
Url preziUrl prezi
Url prezi
 
ENCUENTRO Actual en gram mayo 09
ENCUENTRO Actual en gram mayo 09ENCUENTRO Actual en gram mayo 09
ENCUENTRO Actual en gram mayo 09
 
UFF Vestibular 2012
UFF Vestibular 2012UFF Vestibular 2012
UFF Vestibular 2012
 

Semelhante a Reunião apimec sp 4 t11

Eternit pdf 2 t12
Eternit   pdf 2 t12Eternit   pdf 2 t12
Eternit pdf 2 t12
Eternit S.A.
 
Eternit teleconferência 2 t12
Eternit   teleconferência 2 t12Eternit   teleconferência 2 t12
Eternit teleconferência 2 t12
Eternit S.A.
 
Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12
Eternit S.A.
 
Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12
Eternit S.A.
 
Teleconferência 3 t12
Teleconferência 3 t12Teleconferência 3 t12
Teleconferência 3 t12
Eternit S.A.
 
Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12
Eternit S.A.
 
Teleconferência 3 t12
Teleconferência 3 t12Teleconferência 3 t12
Teleconferência 3 t12
Eternit S.A.
 
Teleconferência 4 t12 versão final
Teleconferência 4 t12 versão finalTeleconferência 4 t12 versão final
Teleconferência 4 t12 versão final
Eternit S.A.
 
Apimec mg - 2 q11
Apimec mg - 2 q11Apimec mg - 2 q11
Apimec mg - 2 q11
Eternit S.A.
 
Apresentação 3 t11
Apresentação 3 t11Apresentação 3 t11
Apresentação 3 t11
Eternit S.A.
 
3 t11
3 t113 t11
Apimec rio1t10
Apimec rio1t10Apimec rio1t10
Apimec rio1t10
Eternit S.A.
 
Apresentacao 2 t08
Apresentacao 2 t08Apresentacao 2 t08
Apresentacao 2 t08
Eternit S.A.
 
Apimec 4 t08
Apimec 4 t08Apimec 4 t08
Apimec 4 t08
Eternit S.A.
 
Apimec 4 t08
Apimec 4 t08Apimec 4 t08
Apimec 4 t08
Eternit S.A.
 
Apresentacao 4 t08
Apresentacao 4 t08Apresentacao 4 t08
Apresentacao 4 t08
Eternit S.A.
 
Apresentacao 3 t08
Apresentacao 3 t08Apresentacao 3 t08
Apresentacao 3 t08
Eternit S.A.
 

Semelhante a Reunião apimec sp 4 t11 (17)

Eternit pdf 2 t12
Eternit   pdf 2 t12Eternit   pdf 2 t12
Eternit pdf 2 t12
 
Eternit teleconferência 2 t12
Eternit   teleconferência 2 t12Eternit   teleconferência 2 t12
Eternit teleconferência 2 t12
 
Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12
 
Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12
 
Teleconferência 3 t12
Teleconferência 3 t12Teleconferência 3 t12
Teleconferência 3 t12
 
Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12Teleconferência 2 t12
Teleconferência 2 t12
 
Teleconferência 3 t12
Teleconferência 3 t12Teleconferência 3 t12
Teleconferência 3 t12
 
Teleconferência 4 t12 versão final
Teleconferência 4 t12 versão finalTeleconferência 4 t12 versão final
Teleconferência 4 t12 versão final
 
Apimec mg - 2 q11
Apimec mg - 2 q11Apimec mg - 2 q11
Apimec mg - 2 q11
 
Apresentação 3 t11
Apresentação 3 t11Apresentação 3 t11
Apresentação 3 t11
 
3 t11
3 t113 t11
3 t11
 
Apimec rio1t10
Apimec rio1t10Apimec rio1t10
Apimec rio1t10
 
Apresentacao 2 t08
Apresentacao 2 t08Apresentacao 2 t08
Apresentacao 2 t08
 
Apimec 4 t08
Apimec 4 t08Apimec 4 t08
Apimec 4 t08
 
Apimec 4 t08
Apimec 4 t08Apimec 4 t08
Apimec 4 t08
 
Apresentacao 4 t08
Apresentacao 4 t08Apresentacao 4 t08
Apresentacao 4 t08
 
Apresentacao 3 t08
Apresentacao 3 t08Apresentacao 3 t08
Apresentacao 3 t08
 

Mais de Eternit S.A.

Teleconferência 1T17
Teleconferência 1T17Teleconferência 1T17
Teleconferência 1T17
Eternit S.A.
 
1Q17 Conference Call
1Q17 Conference Call1Q17 Conference Call
1Q17 Conference Call
Eternit S.A.
 
Teleconferência 4T16
Teleconferência 4T16Teleconferência 4T16
Teleconferência 4T16
Eternit S.A.
 
Conference call 4Q16
Conference call 4Q16Conference call 4Q16
Conference call 4Q16
Eternit S.A.
 
Apresentação 3T16 APIMEC-MG
Apresentação 3T16 APIMEC-MGApresentação 3T16 APIMEC-MG
Apresentação 3T16 APIMEC-MG
Eternit S.A.
 
Teleconferência 3T16
Teleconferência 3T16Teleconferência 3T16
Teleconferência 3T16
Eternit S.A.
 
Conference call 3Q16
Conference call 3Q16Conference call 3Q16
Conference call 3Q16
Eternit S.A.
 
Conference call 2Q16
Conference call 2Q16Conference call 2Q16
Conference call 2Q16
Eternit S.A.
 
Teleconferência 2T16
Teleconferência 2T16Teleconferência 2T16
Teleconferência 2T16
Eternit S.A.
 
Teleconferência 1T16
Teleconferência 1T16Teleconferência 1T16
Teleconferência 1T16
Eternit S.A.
 
Conference call 1Q16
Conference call 1Q16Conference call 1Q16
Conference call 1Q16
Eternit S.A.
 
Teleconferência 4T15
Teleconferência 4T15Teleconferência 4T15
Teleconferência 4T15
Eternit S.A.
 
Conference Call 4Q15
Conference Call 4Q15Conference Call 4Q15
Conference Call 4Q15
Eternit S.A.
 
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-RIO
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-RIOApresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-RIO
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-RIO
Eternit S.A.
 
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-SUL
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-SULApresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-SUL
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-SUL
Eternit S.A.
 
Teleconferência 3T15
Teleconferência 3T15Teleconferência 3T15
Teleconferência 3T15
Eternit S.A.
 
Conference Call 3Q15
Conference Call 3Q15Conference Call 3Q15
Conference Call 3Q15
Eternit S.A.
 
2015-10-01 Meeting - APIMEC-MG
2015-10-01 Meeting - APIMEC-MG2015-10-01 Meeting - APIMEC-MG
2015-10-01 Meeting - APIMEC-MG
Eternit S.A.
 
Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15
Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15
Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15
Eternit S.A.
 
Conference call 2Q15
Conference call 2Q15Conference call 2Q15
Conference call 2Q15
Eternit S.A.
 

Mais de Eternit S.A. (20)

Teleconferência 1T17
Teleconferência 1T17Teleconferência 1T17
Teleconferência 1T17
 
1Q17 Conference Call
1Q17 Conference Call1Q17 Conference Call
1Q17 Conference Call
 
Teleconferência 4T16
Teleconferência 4T16Teleconferência 4T16
Teleconferência 4T16
 
Conference call 4Q16
Conference call 4Q16Conference call 4Q16
Conference call 4Q16
 
Apresentação 3T16 APIMEC-MG
Apresentação 3T16 APIMEC-MGApresentação 3T16 APIMEC-MG
Apresentação 3T16 APIMEC-MG
 
Teleconferência 3T16
Teleconferência 3T16Teleconferência 3T16
Teleconferência 3T16
 
Conference call 3Q16
Conference call 3Q16Conference call 3Q16
Conference call 3Q16
 
Conference call 2Q16
Conference call 2Q16Conference call 2Q16
Conference call 2Q16
 
Teleconferência 2T16
Teleconferência 2T16Teleconferência 2T16
Teleconferência 2T16
 
Teleconferência 1T16
Teleconferência 1T16Teleconferência 1T16
Teleconferência 1T16
 
Conference call 1Q16
Conference call 1Q16Conference call 1Q16
Conference call 1Q16
 
Teleconferência 4T15
Teleconferência 4T15Teleconferência 4T15
Teleconferência 4T15
 
Conference Call 4Q15
Conference Call 4Q15Conference Call 4Q15
Conference Call 4Q15
 
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-RIO
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-RIOApresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-RIO
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-RIO
 
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-SUL
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-SULApresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-SUL
Apresentação dos resultados 3T15 - APIMEC-SUL
 
Teleconferência 3T15
Teleconferência 3T15Teleconferência 3T15
Teleconferência 3T15
 
Conference Call 3Q15
Conference Call 3Q15Conference Call 3Q15
Conference Call 3Q15
 
2015-10-01 Meeting - APIMEC-MG
2015-10-01 Meeting - APIMEC-MG2015-10-01 Meeting - APIMEC-MG
2015-10-01 Meeting - APIMEC-MG
 
Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15
Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15
Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15
 
Conference call 2Q15
Conference call 2Q15Conference call 2Q15
Conference call 2Q15
 

Reunião apimec sp 4 t11

  • 1. Reunião APIMEC-SP | Apresentação dos Resultados 4T11
  • 2. Aviso Importante “Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais e financeiros, e referências ao potencial de crescimento da Companhia, constituem meras previsões e foram baseadas nas expectativas da Administração em relação ao seu desempenho futuro. Estas expectativas são altamente dependentes do comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais, portanto estão sujeitas a mudanças.” 2
  • 3. O Grupo Eternit Maior e mais diversificada indústria de coberturas do País Fabricação de produtos de Fabricação de fibrocimento e comercialização de telhas de concreto louças e metais sanitários e Mineração de e comercialização Atividade componentes para sistemas Crisotila de louças construtivos sanitárias Fábricas 4 1 1 6 Líder em fibrocimento 3ª maior do Líder em telhas Market Share - 32% mundo de concreto Posição de Market Share – Market Share – Mercado 5ª maior do Brasil em louças 15% 35% sanitárias Capacidade 1 milhão de t 300 mil t 8 milhões de m² Capacidade Cerca de 85% 100% Cerca de 70% Utilizada (2011) 3
  • 4. Localização das Fábricas – Fibrocimento / Mineradora Filiais de vendas 1) Anápolis/GO; 2) Colombo/PR; 3) Goiânia/GO; 4) Rio de Janeiro/RJ; 5) Simões Filho/BA; e 6) São Paulo/SP. 4
  • 5. Showroom Venha nos Visitar Av. Rebouças, 2175 – São Paulo / SP 5
  • 6. Localização das Fábricas – Telhas de Concreto 6
  • 7. Cadeia Produtiva do Fibrocimento 7
  • 8. Diversificação do Portfólio – Telhas de Fibrocimento 8
  • 9. Diversificação do Portfólio – Telhas e Engradamentos Metálicos 9
  • 10. Diversificação do Portfólio - Placas e Painéis 10
  • 11. Diversificação do Portfólio – Caixas d’água e filtros 11
  • 12. Diversificação do Portfólio – Louças e Assentos Sanitários 12
  • 13. Diversificação do Portfólio – Metais Sanitários 13
  • 14. Diversificação do Portfólio – Mármore Sintético 14
  • 15. Diversificação do Portfólio – Telhas de Concreto 15
  • 16. Diversificação do Portfólio – Acessórios para Telhados 16
  • 18. Mercado Mundial – Mineral Crisotila Canadá 4% Rússia – 50% Cazaquistão – 11% China – 20% Brasil 15% Consumo Mundial (em MM de T) 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2,1 2,3 2,3 2,4 2,4 2,1 2,2 2,2 18
  • 19. Vendas do Mineral Crisotila (em mil toneladas) 5,2% -3,0% 306 291 297 136 163 163 2,8% -1,5% 78 80 79 155 143 134 36 39 43 42 37 40 2009 2010 2011 4T09 4T10 4T11 Mercado Interno Mercado Externo 19
  • 20. Visão Geral – Eternit e Tégula
  • 21. Mercado de Cobertura – Brasil (2011) Mercado Residencial Mercado Industrial/Comercial Concreto Outros Cerâmicas 4% 11% Fibrocimento 45% Metálicas 38% 40% Fibrocimento Cerâmicas 51% 11% Mercado Total Evolução do Mercado (milhões de m²) Concreto 10% 8% 5% Metálicas Outros 8% -2% 4% 5% 12% 2% 561 534 505 495 459 406 425 Cerâmicas Fibrocimento 35% 47% 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 21
  • 22. Estrutura do Parque Industrial - 2011 Mercado Brasileiro de ETERNIT Fibrocimento Capacidade Instalada Aproximadamente 2.820.000 1.000.000 (toneladas / ano) Utilização da Capacidade Em torno de 86% Em torno de 85% Instalada Consumo 2.434.000 859.300 (toneladas / ano) Empresas 11 32% Market Share Fábricas 19 5 Pontos de Venda 39.000 15.000 22
  • 23. Estrutura do Parque Industrial - 2011 Mercado Brasileiro de TÉGULA Cobertura de Concreto Capacidade Instalada Aproximadamente 24,0 milhões 8,0 milhões (m²/ano) Utilização da Capacidade Em torno de 70% Em torno de 70% Instalada Consumo 16,9 milhões 5,9 milhões (m²/ano) Empresas 35% Market Share 130 Fábricas 6 23
  • 24. Vendas de Fibrocimento (em mil toneladas) 3,9% 13,1% 859 827 731 19,0% -7,5% 195 232 215 2009 2010 2011 4T09 4T10 4T11 24
  • 25. Telhas de Concreto (em mil m²) 13,5% 5.961 5.253 4.776 9,6% 1.435 1.573 477 2010* 2011 4T10 4T11 * A Tégula foi adquirida em 11 de fevereiro de 2010. Os 477 mil m2 não foram consolidados na Eternit. 25
  • 27. Receita Líquida Consolidada (em R$ milhões) 8,1% 30,2% 820 759 583 720 4,4% 648 34,2% 453 211 220 157 184 187 129 130 111 100 28 27 33 2009 2010 2011 4T09 4T10 4T11 Mercado Interno Mercado Externo 27
  • 28. Composição da Receita Líquida Consolidada 2007 2011 Fibrocimento Fibrocimento 55,4% 59,3% Mineral Mineral Crisotila Crisotila 26,2% 35,0% Novos Novos Negócios Negócios 18,4% 5,7% Componentes para 2,6% Sistemas Construtivos 3,2% Componentes para Sistemas Construtivos Telhas de Concreto e 10,9% Acessórios 2,5% Outros(*) 3,7% Louças Sanitárias 1,2% Outros(*) (*) Outros: telhas metálicas, caixas d’água de polietileno, assentos sanitários, filtros para tubulações de água e mármore sintético. . 28
  • 29. Composição do Custo de Produção – 4T11 Fibrocimento Mineral Crisotila Energia Energia 3% 8% Outros Custos 9% Outros Materiais (*) Custos Depreciação 27% 20% 5% Depreciação Matérias- 4% Primas(*) 62% Mão-de-Obra 51% Mão-de-Obra 11% (*) - Cimento (46%), mineral crisotila (43%) e outros (11%) (*) - Combustível, explosivos, embalagens, entre outros Telhas de Concreto 1 Ci i l i il Energia 5% Outros Custos 21% Matérias- Primas(*) Mão-de-Obra 50% Depreciação 17% 7% (*) - Cimento (53%), areia (31%) e outros (16%) 29
  • 30. EBITDA (em R$ milhões) 17,1% -2,9% 144 140 123 13,0% 17,0% 40 30 34 2009 2010 2011 4T09 4T10 4T11 30
  • 31. Lucro Líquido (em R$ milhões) -4,7% 39,3% 102 97 73 10,3% 68,6% 32 29 17 2009 2010 2011 4T09 4T10 4T11 31
  • 32. Margens 42% 43% 41% 41% 39% 38% 21% 19% 19% 18% 17% 16% 14% 15% 13% 13% 12% 11% 2009 2010 2011 4T09 4T10 4T11 Margem Bruta Margem EBITDA Margem Líquida 32
  • 34. Investimentos (em R$ milhões) 93 14 14 11 34 34 46 5 2 29 6 13 1 8 2 13 12 27 7 21 24 2 5 7 11 4 3 2009 2010 2011 4T09 4T10 4T11 Investimentos Correntes Mármore Sintético Aumento de Capacidade – Tégula Aquisição Tégula Moldes e Novos Negócios Aumento de Capacidade – Eternit Aquisição Terreno - Ceará Administrativo 34
  • 35. Unidade de Desenvolvimento de Mármore Sintético Silo de Resina Linha de Produção Mármore Sintético 35
  • 36. Localização da Unidade Multiprodutos – Pecém, Ceará Cimenteira Linha Gás Natural 35 km 15 km Terreno de 400 mil m² 36
  • 37. Visão artística e Lay-out da Planta de Louças Sanitárias 37
  • 38. Unidade Multiprodutos no Ceará – Fábrica de Louças Sanitárias Joint-Venture: Companhia Sulamericana de Cerâmica S. A. 60% de participação 40% de participação Conhecimento do mercado local Conhecimento de tecnologia de Forte rede de distribuição produção e de produtos Logística eficiente Baixo custo de produção Força da marca Experiência em desenvolvimento de novos produtos Recursos para investimentos Experiência em desenvolvimento Conhecimento do Brasil de novos mercados Investimentos: R$ 97 milhões Capacidade: 1.500.000 peças / ano Inicio das obras: Primeiro semestre de 2012 Prazo para conclusão: 18 meses Estimativa de Faturamento Bruto a plena capacidade: na ordem de R$ 127 milhões Mão de obra direta: 330 colaboradores 38
  • 40. Estrutura Acionária – Fev/12 Destaques Fev/12 Geração L. Par. F. I. A. 17,52% 26,02% Luiz Barsi Filho 13,46% Victor Adler + VIC DTVM 8,50% Diretoria 1,55% Demais Conselheiros 0,07% 7,45% 62,42% Ações em Tesouraria 0,03% 4,11% Membro Conselho de Administração Desde Pessoas Físicas Sérgio Alexandre Melleiro (*) 1993 Pessoas Jurídicas Lírio Albino Parisotto (*) 2004 Residentes no Exterior Victor Adler (*) 2005 Élio A. Martins 2007 Clubes, Fundos e Fundações Luiz Barsi Filho (*) 2008 Marcelo Munhoz Auricchio (*) 2011 Luis Terepins (*) 2011 (*) Conselheiro Independente Membro FREE-FLOAT 76,51% Conselho Consultivo Desde Guilherme Affonso Ferreira 2011 Mário Fleck 2011 40
  • 41. Estrutura Acionária Média Diária – Volume de Número de Acionistas Negócios (em R$ mil) 7.064 6.615 6.633 5.910 1.108 1.074 975 794 2009 2010 2011 2012(*) 2009 2010 2011 2012* (*) Até fevereiro de 2012 41
  • 42. Política de Remuneração Lucro Líquido X Proventos Distribuídos (em R$ milhões) Dividend Yield Pay Out 76 % 79 % 74% 102,1 97,2 15,1% 80,5 73,1 71,6 55,3 9,3% 7,5% 2,2% 2009 2010 2011 2009 2010 2011 2012(*) Lucro Líquido Dividendos e JCP (*) Até março de 2012 42
  • 43. Desempenho da Ação (Dez/06 - Fev/12) No período de 28/12/2006 a 29/02/2012, as ações da Eternit registraram valorização de 53,0% contra uma valorização do índice IBOVESPA de 50,2%. Neste mesmo período, considerando o pagamento de dividendos e JCP as ações da Eternit registraram valorização de 148,8%. 220 ETER3 200 IBOVESPA 180 160 R$ 9,26 140 66.809 120 100 80 60 40 43
  • 44. Novo Site de RI com mídias sociais A Companhia finalizou no mês de fevereiro a implantação do novo site de RI. Com a nova versão, os acionistas, investidores e analistas acessarão com mais facilidade e melhor navegabilidade as informações sobre a Companhia. Acesse: www.eternit.com.br/ri 44
  • 46. Momento Positivo para Construção Civil 46
  • 47. Indicadores Econômicos Salário Mínimo (R$) Massa Salarial (R$ milhões) CAGR: 11,0% CAGR: 5,96% 622 404.751 365.331 377.361 510 545 321.163 338.501 465 303.028 415 380 350 300 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2005 2006 2007 2008 2009 UDM 2010* Fonte: BACEN Fonte: IBGE * UDM 2010 de dez/09 a nov/10 Cesta Básica SP x Salário Mínimo (poder de compra) 79.1% 79.4% 71.4% 68.7% 66.2% 61.1% 56.5% 57.7% 52.0% 49.1% 52.0% 50.9% 45.9% 545 622 465 510 350 380 415 240 165 260 300 240 228 265 277 286 151 120 180 129 200 159 172 183 182 215 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Jan-12 Fonte: IBGE e DIEESE Salário Mínimo (R$) Cesta Básica em SP (R$) % 47
  • 48. Indicadores Econômicos Disponibilidade de Crédito Taxa de Desemprego – Brasil Governo, Indústria, Habitação, Rural, Comércio, Pessoas Físicas de Crédito (R$ bilhões) 10,9% 9,6% 8,3% 8,4% 1.934 1.984 7,4% 1.806 1.857 6,8% 6,8% 1.679 1.715 1.754 1.548 1.614 5,3% 1.410 4,7% 1.227 936 dez/03 dez/04 dez/05 dez/06 dez/07 dez/08 dez/09 dez/10 dez/11 Fonte: BACEN Fonte: IBGE Crescimento da Poupança Brasileira 18,2% 17,4% 17,1% 17,3% 16,6% 15,7% 14,7% 14,0% 13,9% 13,5% 12,9% 11,6% 10,2% 300 301 303 305 306 307 310 316 319 323 326 328 331 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 Fonte: BACEN - SBPE R$ bilhões (%) Var YoY 48
  • 50. Moradias – Percepção de Demanda Precisam Algum tipo de reforma ou expansão 77% Lares Permanentes no Brasil 44,5 milhões de moradias Lares Permanentes – 57,8 milhões Déficit Habitacional – 5,5 milhões • Estudo da FGV demonstra que entre 2010 e 2022, o crescimento de domicílios no Brasil será, em média, de 1,9 milhão/ano; Fonte: ANAMACO (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção) / Estudo realizado pela Fundação João Pinheiro, órgão oficial de estatística de Minas Gerais, é uma instituição pública vinculada à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão / Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) – 2º. Seminário Abecip – Panorama do Mercado Imobiliário Oportunidades e Desafios. 50
  • 51. Déficit Habitacional por Renda Familiar em Salários Mínimos (em milhares de unidades) Déficit Até Três a Cinco a Acima de Região Geográfica Habitacional Três Cinco Dez Dez Regional Norte 492 43 17 3 555 Nordeste 1.861 55 23 8 1.947 Sudeste 1.791 178 65 12 2.046 Sul 484 66 26 4 581 Centro-Oeste 375 22 14 6 417 Déficit Habitacional 5.003 364 146 33 5.546 Total Aproximado Em 2008, o déficit habitacional estimado era de 5,5 milhões de unidades habitacionais, sendo que a maioria se concentrava nas classes C e D. Fonte: estudo realizado pela Fundação João Pinheiro, órgão oficial de estatística de Minas Gerais, é uma instituição pública vinculada à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão. 51
  • 52. Indicadores PIB Brasileiro x PIB Construção Civil x Receita Bruta Consolidada Eternit % Crédito Imobiliário sobre o PIB 106 37,1 78 18,3 16,8 15,7 48 11,6 8,6 8,2 7,5 34 5,05,4 5,1 4,8 30 3,62,7 3,5 18 13 11 -0,2 4,7 -6,3 Holanda EUA AlemanhaAfrica do Malasia Chile Mexico China Brasil Sul 2007 2008 2009 2010 2011 2012(E) PIB Construção Civil PIB Brasileiro Eternit (E) Estimado Fonte: BACEN. O crescimento da receita bruta consolidada da Eternit foi Fonte: ABECIP, BACEN , e FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos). deflacionado pelo IGP-M. • No Brasil, o crédito imobiliário atingiu 4,7% do PIB em 2011 e deverá atingir 11% em 2014. Fonte: Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) – 2º. Seminário Abecip – Panorama do Mercado Imobiliário Oportunidades e Desafios. 52
  • 53. Moradias – Modelo de Gestão Edificações Residenciais Novas Expansão e Reforma de Unidades Residenciais (mil unidades) (mil unidades) 70 110 260 670 900 2.600 3.100 2.100 74% 88% 93% 95% 96% 96% 99% 99% 26% 12% 5% 4% 7% 4% 1% 1% A B C D/E A B C D/E Construção via Construtora Construção Auto-Gerida Construção via Construtora Construção Auto-Gerida Fonte: ANAMACO (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção) – Pesquisa por Amostragem realizada pela ANAMACO - Dados do setor 2010 53
  • 54. Perfil do Consumidor Onde realizam suas compras? Na reforma – quem decide a compra? 0,3% 0,2% 0,4% Auto gestão 34% Pedreiro/Mestre 42,5% de obras/ 56,4% 61,0% Engenheiro 65% Construtora/ Empreiteira 1% 52,7% 41,4% Na construção – quem decide a compra? 37,1% 4,5% 2,0% 1,5% Auto gestão 27% AB C DE Home Center Loja Especializada Pedreiro/Mestre de obras/ Construtora/ Loja de Bairro Hiper/Supermercados Engenheiro Empreiteira 71% 2% Fonte: ANAMACO (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção) - Pesquisa por amostragem realizada pela ANAMACO/Latin Panel sobre a Condições dos Lares - 2007 54
  • 55. Perfil do Consumidor Responsável pela Escolha da Marca 34% 34% Profissional (pedreiro ou engenheiro) 32% 40% Vendedor da Loja 36% 24% Conta própria ou algum membro da 39% família 38% 23% AB C DE Fonte: ANAMACO (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção)- Pesquisa por amostragem realizada pela ANAMACO/Latin Panel sobre a Condições dos Lares - 2007 55
  • 56. Crisotila – O amianto do Brasil
  • 57. Crisotila – O amianto do Brasil O uso do mineral crisotila no Brasil é regulamentado pela Lei Federal 9.055/95, Decreto 2.350/97 e normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho. Também está previsto na Convenção 162 da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Amianto branco Fibras curvas, sedosas e sem ponta Alta concentração de magnésio: 3MgOSiO2H2O Biopersistência*: 2,5 dias *Biopersistência: Tempo que uma partícula inalada permanece no pulmão antes de ser eliminada pelos mecanismos de defesa do organismo. Para provocar dano pulmonar, a fibra precisa ter capacidade de penetração e de durabilidade nos alvéolos. Rocha de serpentinito com fibras de minério crisotila 57
  • 58. Brasil conclui pesquisa inédita sobre os riscos do amianto Projeto Asbesto Ambiental “Exposição Ambiental ao Asbesto: Avaliação do Risco e Efeitos na Saúde” Processo CNPq n. 420001/2006-9 O resultado da pesquisa, realizada por renomados médicos ligados a importantes universidades federais brasileiras, divulgado 25 de novembro de 2010 em Brasília, comprova que: Em relação às avaliações da amostra dos moradores estudados, não foram encontradas alterações clínicas, funcionais respiratórias e tomográficas de alta resolução, passíveis de atribuição à inalação ambiental à fibras de asbesto. Na avaliação ocupacional, não se identificou novas alterações nem progressão do comprometimento pleural ou intersticial nos indivíduos do Grupo exposto após 1980, que fizeram Tomografia Computadorizada de Alta Resolução - TCAR nos dois estudos. A íntegra desta pesquisa está disponível em www.sectec.go.gov.br. 58
  • 59. Fato Relevante publicado nas principais revistas e jornais do País no período de 17 a 25/02/12 Esclarecimentos do Grupo Eternit do Brasil O Grupo Eternit Brasileiro, diante das recentes notícias sobre o julgamento realizado pelo tribunal de justiça de Turim na Itália, em que dois ex-diretores da Eternit Italiana foram responsabilizados por mortes atribuídas ao uso de amianto em suas fábricas, vem a público esclarecer: • A Eternit S.A., é uma empresa nacional de capital aberto, listada no Novo Mercado, nível máximo de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA, e não tem nenhuma relação com a Eternit de outros países, inclusive da Itália. A propriedade e uso da marca se dão de forma distinta por diferentes empresas em diversos países. • No Brasil, a Eternit utiliza o amianto crisotila como fibra de reforço para produção de telhas de fibrocimento fazendo uso de modernas técnicas de produção. A Itália utilizou vários tipos de amianto, principalmente o anfibólio, para diversas aplicações e sem proteção dos trabalhadores. • A atividade no Brasil é regulamentada pela Lei Federal nº 9.055/95, Decreto nº 2.350/97 e Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego, que disciplina a extração, industrialização, utilização, comercialização e transporte do amianto crisotila e dos produtos que o contenham, proporcionando à população brasileira produtos duráveis e de excelente qualidade e custo benefício; contribuindo de forma significativa para redução do déficit habitacional brasileiro. • A disputa de mercado no segmento de fibrocimento, entre a Eternit S.A., e um grupo francês que também atua no Brasil fabricando e utilizando fibras sintéticas, levou alguns estados brasileiros, principalmente onde estão localizadas suas fábricas, a aprovarem leis contra o amianto. Cabe ressaltar que a validade destas leis aguarda julgamento de mérito por parte do Supremo Tribunal Federal. • A extração e beneficiamento do amianto crisotila por sua controlada SAMA, bem como a utilização do mineral nas fábricas da Eternit, seguem rígidos padrões de segurança que superam as exigências legais. Com o aprimoramento das técnicas de produção e aperfeiçoamento dos mecanismos de proteção ao trabalhador, nenhum caso de doença relacionada ao uso do amianto crisotila foi registrado entre os colaboradores admitidos no Grupo a partir dos anos 80. Acordo tripartite, assinado, desde 1989, entre as empresas da cadeia produtiva, trabalhadores, entidades de representação de classe e depositado no Ministério do Trabalho e Emprego, foi decisivo para consolidar esta conquista. • O uso de produtos de fibrocimento, caixa d’água e telhas, com amianto crisotila não oferecem riscos à saúde da população. Não há registro no Brasil de nenhum caso de morador que tenha desenvolvido doença em razão de residir nas mais de 25 milhões de habitações cobertas com telhas de fibrocimento contendo amianto. O fato é comprovado por pesquisa nacional, realizada por renomada equipe médica ligada às principais universidades brasileiras, cujos projeto e relatório final foram aprovados pelo CNPq, e está disponível no site www.sectec.go.gov.br. O Grupo Eternit atua com total transparência e mantém o “Programa Portas Abertas”, que já recebeu mais de 50 mil visitantes em suas unidades, permitindo o acesso a toda população que desejar conhecer a segurança nos processos de mineração e fabricação de produtos com amianto crisotila. 59
  • 60. Gestão Corporativa e Socioambiental
  • 61. Gestão Corporativa Programa Portas Abertas Criação .................. Novembro de 2004 Contribuir para o melhor entendimento da sociedade a respeito da extração e Objetivo ................. beneficiamento do mineral crisotila e da fabricação de produtos de fibrocimento de forma controlada e responsável. Cinco unidades produtivas do Grupo Eternit e a Abrangência .......... mina da SAMA Visitantes ............... 50.309 até fevereiro de 2012 Público ................... Sociedade em Geral 61
  • 62. Gestão com Foco Ambiental Rejeito Zero Monitoramento da Reutilização da Reflorestamento de Qualidade do Ar Água Bancadas Projeto Quelônios - Área de Preservação Animal Viveiro de Mudas Único criadouro de Tartarugas da Amazônia no Brasil e Reintegração de Animais Silvestres a Natureza em parceria com o IBAMA 62
  • 63. Gestão com Foco Social 63
  • 64. Eternit – Opção de Investimento ETNTY Governança ADR - Level I Case de Diversificação Sucesso Crescimento Dividendos 64
  • 65. Maiores Informações Élio A. Martins Paula Dell Agnolo Barhum elio.martins@eternit.com.br paula.barhum@eternit.com.br Rodrigo Lopes da Luz Frederico Gomes Amaral rodrigo.luz@eternit.com.br frederico.amaral@eternit.com.br Telefones: (55-11) 3038-3818 www.eternit.com.br/ri (55-11) 3194-3881 www.blogdaeternit.com.br (55-11) 3194-3872 @Eternit_RI Rua Dr. Fernandes Coelho, 85 - 8⁰ Andar Este material foi produzido com papeis certificados FSC (Forest Stewardship Council), que é uma Bairro: Pinheiros – São Paulo / SP garantia de que a matéria-prima advém de uma floresta manejada de forma ecologicamente correta, Cep: 05423-040 socialmente e economicamente viável. 65
  • 66. Eternit Inicia Novo Ciclo Bem Vindos aos próximos 70 anos 66