SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Classificação do Relevo Brasileiro Prof. Ivanilson Lima
As Estruturas e a Formas “O território brasileiro é formado por estruturas geológicas antigas.” “No território brasileiro, as estruturas e as formações geológicas são antigas, mas as formas do relevo são recentes. Estas foram produzidas pelos desgastes erosivos que sempre ocorreram e continuam ocorrendo, e com isso estão permanentemente sendo reafeiçoadas [mudando de forma].” ROSS, Jurandyr L. S. Os fundamentos da geografia da natureza. In: _________. (Org.) Geografia do Brasil, 4. ed. São Paulo: Edusp, 2001. p. 45. (Didática 3).
Classificação – Aroldo de Azevedo Planaltos – terrenos levemente acidentados, com mais de 200 metros de altitude; Planícies – superfícies planas, com altitudes inferiores a 200 metros.
Classificação – Aroldo de Azevedo
Classificação – AzizNacibAb’Sáber Planalto – área em que os processos de erosão superam os de sedimentação; Planície – área mais ou menos planas em que os processos de sedimentação superar os de erosão, independentemente das cotas altimétricas.
Classificação – AzizNacibAb’Sáber
Classificação – Jurandyr L. S. Ross “Incluiu mais um compartimento a classificação de Ab’Saber, ficando então da forma abaixo:” Planalto – área em que os processos de erosão superam os de sedimentação; Planície– área mais ou menos planas em que os processos de sedimentação superar os de erosão, independentemente das cotas altimétricas; Depressão – relevo aplainado, rebaixado em relação ao seu entorno; nele predominam processos erosivos.
Classificação – Jurandyr L. S. Ross
Relevo Continental – Planalto
Relevo Continental – Planície
Relevo Continental - Depressão
O Relevo Submarino “Assim como a superfície dos continentes, o fundo do mar possui formas variadas, resultantes sobretudo da ação de agentes internos e do intenso intemperismo químico[...]. O modelado do relevo submarino é o movimento das águas que ocorre por causa dos ventos, ação do Sol e da Lua e a temperatura”
O Relevo Submarino Plataforma Continental Região relativamente plana e constitui  a continuação da estrutura geológica do continente abaixo do nível do mar (profundidade média de 200 metros), composta predominantemente por rochas sedimentares.  Recebe luz solar, propiciando o desenvolvimento de vegetação marinha e espécies animais. As ilhas desse local são chamadas de Ilhas Costeiras.
O Relevo Submarino Talude É a borda oceânica da plataforma continental, marcada por desnível abrupto de até 2 mil metros, na base da qual se encontram a crosta continental (sial) e a oceânica (sima). Quando o talude se encontra no encontro de placas convergentes formam-se as Fossas Marinhas.
O Relevo Submarino Região Pelágica, ou Abissal Crosta oceânica propriamente dita, geologicamente distinta da crosta continental. Ocorre nessa região diversas formas de relevo, como depressões (chamadas bacias), dorsais, montanhas tectônicas e fossas marinhas. As ilhas existentes nessa região são chamadas de Ilhas Oceânicas.
O Relevo Submarino
O Relevo Submarino
O Relevo Submarino
O Relevo Submarino – Ilha Costeira
O Relevo Submarino – Ilha Oceânica
O Relevo Submarino - Atol
O Relevo Submarino - Dorsal

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
UFES
 
Classificação do relevo brasileiro geomorfologia
Classificação do relevo brasileiro   geomorfologiaClassificação do relevo brasileiro   geomorfologia
Classificação do relevo brasileiro geomorfologia
Rodrigo Sousa
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
karolpoa
 
Geomorfologia Do Brasil
Geomorfologia Do BrasilGeomorfologia Do Brasil
Geomorfologia Do Brasil
bianca
 
Relevo brasileiro e solos
Relevo brasileiro e solosRelevo brasileiro e solos
Relevo brasileiro e solos
edsonluz
 
Ifes aula 7-brasil-relevo_e_estrutura_geológica
Ifes aula 7-brasil-relevo_e_estrutura_geológicaIfes aula 7-brasil-relevo_e_estrutura_geológica
Ifes aula 7-brasil-relevo_e_estrutura_geológica
Kéliton Ferreira
 
Aula 1b a formação relevo do brasileiro
Aula 1b a formação relevo do brasileiroAula 1b a formação relevo do brasileiro
Aula 1b a formação relevo do brasileiro
geopedrote
 
Classificações do relevo brasileiro
Classificações do relevo brasileiroClassificações do relevo brasileiro
Classificações do relevo brasileiro
flaviocosac
 
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jefersonClassifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Carolina Corrêa
 

Mais procurados (20)

Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Relevo brasileiro segundo Jurandir Ross.
Relevo brasileiro segundo Jurandir Ross.Relevo brasileiro segundo Jurandir Ross.
Relevo brasileiro segundo Jurandir Ross.
 
Classificação do relevo brasileiro geomorfologia
Classificação do relevo brasileiro   geomorfologiaClassificação do relevo brasileiro   geomorfologia
Classificação do relevo brasileiro geomorfologia
 
Relevo Brasileiro
 Relevo Brasileiro Relevo Brasileiro
Relevo Brasileiro
 
Relevo Brasileiro
Relevo BrasileiroRelevo Brasileiro
Relevo Brasileiro
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Geomorfologia Do Brasil
Geomorfologia Do BrasilGeomorfologia Do Brasil
Geomorfologia Do Brasil
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Trabalho De Geografia
Trabalho De GeografiaTrabalho De Geografia
Trabalho De Geografia
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Relevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologicaRelevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologica
 
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacaoRelevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
 
Os grandes compartimentos do relevo brasileiro
Os grandes compartimentos do relevo brasileiroOs grandes compartimentos do relevo brasileiro
Os grandes compartimentos do relevo brasileiro
 
Relevo brasileiro e solos
Relevo brasileiro e solosRelevo brasileiro e solos
Relevo brasileiro e solos
 
Ifes aula 7-brasil-relevo_e_estrutura_geológica
Ifes aula 7-brasil-relevo_e_estrutura_geológicaIfes aula 7-brasil-relevo_e_estrutura_geológica
Ifes aula 7-brasil-relevo_e_estrutura_geológica
 
Aula 1b a formação relevo do brasileiro
Aula 1b a formação relevo do brasileiroAula 1b a formação relevo do brasileiro
Aula 1b a formação relevo do brasileiro
 
Classificações do relevo brasileiro
Classificações do relevo brasileiroClassificações do relevo brasileiro
Classificações do relevo brasileiro
 
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jefersonClassifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jeferson
 
Aula - Relevo Brasil
Aula - Relevo BrasilAula - Relevo Brasil
Aula - Relevo Brasil
 
Relevo Brasileiro- Geografia
Relevo Brasileiro- GeografiaRelevo Brasileiro- Geografia
Relevo Brasileiro- Geografia
 

Semelhante a Relevo brasileiro

Relevo continental e submarino
Relevo continental e submarinoRelevo continental e submarino
Relevo continental e submarino
profleofonseca
 
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasilGeologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Prof.Paulo/geografia
 
Relevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologicaRelevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologica
estelakolinski
 
Pdf geografia
Pdf geografiaPdf geografia
Pdf geografia
EMSNEWS
 

Semelhante a Relevo brasileiro (20)

Relevo continental e submarino
Relevo continental e submarinoRelevo continental e submarino
Relevo continental e submarino
 
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasilGeologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
 
Relevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologicaRelevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologica
 
RELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTALRELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTAL
 
Pdf geografia
Pdf geografiaPdf geografia
Pdf geografia
 
Apostila Geografia
Apostila GeografiaApostila Geografia
Apostila Geografia
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Relevo2
Relevo2Relevo2
Relevo2
 
1° ano.pptx
1° ano.pptx1° ano.pptx
1° ano.pptx
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
RELEVO OCEÂNICO
RELEVO OCEÂNICORELEVO OCEÂNICO
RELEVO OCEÂNICO
 
modeladores do relevo 6 ano 27.06.2023.pptx
modeladores do relevo 6 ano 27.06.2023.pptxmodeladores do relevo 6 ano 27.06.2023.pptx
modeladores do relevo 6 ano 27.06.2023.pptx
 
modeladores do relevo 6 ano 27.06.2023.pptx
modeladores do relevo 6 ano 27.06.2023.pptxmodeladores do relevo 6 ano 27.06.2023.pptx
modeladores do relevo 6 ano 27.06.2023.pptx
 
Morfologia dos continentes e dos fundos oceânicos
Morfologia dos continentes e dos fundos oceânicosMorfologia dos continentes e dos fundos oceânicos
Morfologia dos continentes e dos fundos oceânicos
 
agentes do relevo.pdf
agentes do relevo.pdfagentes do relevo.pdf
agentes do relevo.pdf
 
Cap9,10,11
Cap9,10,11Cap9,10,11
Cap9,10,11
 
Modulo 04 O planeta Terra - Relevo
Modulo 04   O planeta Terra - RelevoModulo 04   O planeta Terra - Relevo
Modulo 04 O planeta Terra - Relevo
 
Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.
Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.
Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.
 
CLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdf
CLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdfCLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdf
CLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdf
 

Mais de Ivanilson Lima

Mais de Ivanilson Lima (20)

Introdução a Ciência Geográfica
Introdução a Ciência GeográficaIntrodução a Ciência Geográfica
Introdução a Ciência Geográfica
 
Formação Territorial do Brasil
Formação Territorial do BrasilFormação Territorial do Brasil
Formação Territorial do Brasil
 
Capitalismo: Geopolítica, Globalização e Cidades Capitalistas
Capitalismo:  Geopolítica, Globalização e Cidades CapitalistasCapitalismo:  Geopolítica, Globalização e Cidades Capitalistas
Capitalismo: Geopolítica, Globalização e Cidades Capitalistas
 
A Nova Ordem Mundial e o Multilateralismo
A Nova Ordem Mundial e o MultilateralismoA Nova Ordem Mundial e o Multilateralismo
A Nova Ordem Mundial e o Multilateralismo
 
A Guerra Fria e o Fim da URSS
A Guerra Fria e o Fim da URSSA Guerra Fria e o Fim da URSS
A Guerra Fria e o Fim da URSS
 
Comércio Internacional e Blocos Econômicos
Comércio Internacional e Blocos EconômicosComércio Internacional e Blocos Econômicos
Comércio Internacional e Blocos Econômicos
 
Exercícios Cartografia 01
Exercícios Cartografia 01Exercícios Cartografia 01
Exercícios Cartografia 01
 
Sistematização e Correntes Geográficas
Sistematização e Correntes GeográficasSistematização e Correntes Geográficas
Sistematização e Correntes Geográficas
 
Capitalismo Informacional
Capitalismo InformacionalCapitalismo Informacional
Capitalismo Informacional
 
Aula 01 - Progressão Parcial 2016 (1ª série EMI)
Aula 01 - Progressão Parcial 2016 (1ª série EMI)Aula 01 - Progressão Parcial 2016 (1ª série EMI)
Aula 01 - Progressão Parcial 2016 (1ª série EMI)
 
Capitalismo Financeiro
Capitalismo FinanceiroCapitalismo Financeiro
Capitalismo Financeiro
 
Capitalismo Industrial
Capitalismo IndustrialCapitalismo Industrial
Capitalismo Industrial
 
Capitalismo Comercial
Capitalismo ComercialCapitalismo Comercial
Capitalismo Comercial
 
Introdução à Ciência Geográfica
Introdução à Ciência GeográficaIntrodução à Ciência Geográfica
Introdução à Ciência Geográfica
 
Relatorio dragao da-paz
Relatorio dragao da-pazRelatorio dragao da-paz
Relatorio dragao da-paz
 
Dragão da Paz - Guia do Facilitador
Dragão da Paz - Guia do FacilitadorDragão da Paz - Guia do Facilitador
Dragão da Paz - Guia do Facilitador
 
Roteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de VidaRoteiro para Projeto de Vida
Roteiro para Projeto de Vida
 
Jogo Dragão da Paz - Fases Iniciais
Jogo Dragão da Paz - Fases IniciaisJogo Dragão da Paz - Fases Iniciais
Jogo Dragão da Paz - Fases Iniciais
 
Apresentação Jogo Dragão da Paz
Apresentação Jogo Dragão da Paz Apresentação Jogo Dragão da Paz
Apresentação Jogo Dragão da Paz
 
Planejamento e Práxis Pedagógica
Planejamento e Práxis PedagógicaPlanejamento e Práxis Pedagógica
Planejamento e Práxis Pedagógica
 

Último

Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 

Relevo brasileiro

  • 1. Classificação do Relevo Brasileiro Prof. Ivanilson Lima
  • 2. As Estruturas e a Formas “O território brasileiro é formado por estruturas geológicas antigas.” “No território brasileiro, as estruturas e as formações geológicas são antigas, mas as formas do relevo são recentes. Estas foram produzidas pelos desgastes erosivos que sempre ocorreram e continuam ocorrendo, e com isso estão permanentemente sendo reafeiçoadas [mudando de forma].” ROSS, Jurandyr L. S. Os fundamentos da geografia da natureza. In: _________. (Org.) Geografia do Brasil, 4. ed. São Paulo: Edusp, 2001. p. 45. (Didática 3).
  • 3. Classificação – Aroldo de Azevedo Planaltos – terrenos levemente acidentados, com mais de 200 metros de altitude; Planícies – superfícies planas, com altitudes inferiores a 200 metros.
  • 5. Classificação – AzizNacibAb’Sáber Planalto – área em que os processos de erosão superam os de sedimentação; Planície – área mais ou menos planas em que os processos de sedimentação superar os de erosão, independentemente das cotas altimétricas.
  • 7. Classificação – Jurandyr L. S. Ross “Incluiu mais um compartimento a classificação de Ab’Saber, ficando então da forma abaixo:” Planalto – área em que os processos de erosão superam os de sedimentação; Planície– área mais ou menos planas em que os processos de sedimentação superar os de erosão, independentemente das cotas altimétricas; Depressão – relevo aplainado, rebaixado em relação ao seu entorno; nele predominam processos erosivos.
  • 11. Relevo Continental - Depressão
  • 12. O Relevo Submarino “Assim como a superfície dos continentes, o fundo do mar possui formas variadas, resultantes sobretudo da ação de agentes internos e do intenso intemperismo químico[...]. O modelado do relevo submarino é o movimento das águas que ocorre por causa dos ventos, ação do Sol e da Lua e a temperatura”
  • 13. O Relevo Submarino Plataforma Continental Região relativamente plana e constitui a continuação da estrutura geológica do continente abaixo do nível do mar (profundidade média de 200 metros), composta predominantemente por rochas sedimentares. Recebe luz solar, propiciando o desenvolvimento de vegetação marinha e espécies animais. As ilhas desse local são chamadas de Ilhas Costeiras.
  • 14. O Relevo Submarino Talude É a borda oceânica da plataforma continental, marcada por desnível abrupto de até 2 mil metros, na base da qual se encontram a crosta continental (sial) e a oceânica (sima). Quando o talude se encontra no encontro de placas convergentes formam-se as Fossas Marinhas.
  • 15. O Relevo Submarino Região Pelágica, ou Abissal Crosta oceânica propriamente dita, geologicamente distinta da crosta continental. Ocorre nessa região diversas formas de relevo, como depressões (chamadas bacias), dorsais, montanhas tectônicas e fossas marinhas. As ilhas existentes nessa região são chamadas de Ilhas Oceânicas.
  • 19. O Relevo Submarino – Ilha Costeira
  • 20. O Relevo Submarino – Ilha Oceânica
  • 22. O Relevo Submarino - Dorsal