SlideShare uma empresa Scribd logo
INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
         CAMPUS PORTO ALEGRE

  CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA




    Relatório de Estágio Curricular Obrigatório




              Vanessa Souza Pereira




                  Porto Alegre
                      2010
INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
         CAMPUS PORTO ALEGRE

  CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA




   Relatório de Estágio Curricular Obrigatório




             Vanessa Souza Pereira




                      Relatório de estágio para conclusão do Curso
                      Técnico em Biblioteconomia
                      Orientador: Profª Ms. Magali Lippert da Silva




                  Porto Alegre
                      2010
AGRADECIMENTOS

       Este estágio foi possível graças ao auxílio e compreensão da minha querida
supervisora (e amiga), a bibliotecária Mara Lúcia Araújo Meireles. Desde antes do
início do curso técnico, a Mara sempre se fez presente, acompanhou as minhas
peripécias pessoais e acadêmicas, apoiou nos momentos de indecisão, deu força para
seguir em frente e também teve muita paciência e acalmou meus planos e minhas
utopias desmedidas. Nos ajudamos mutuamente no nosso trabalho diário no CEDOP,
mesmo quando inicialmente as funções (e as salas) eram diferentes. Aprendi muito
com ela, não só no período de estágio curricular, como também pessoalmente
durante estes dois anos e meio de convivência no CEDOP. A ela, o meu
agradecimento especial, por ser também responsável por esta conquista.

       Agradeço também aos meus colegas da turma de 2008/2, em especial a Vera,
o Mário, a Dionéia, a Jussara, a Alessandra e a Quelen. Grandes amigos que tiveram
bastante paciência com a minha constante falta de tempo, devido a graduação e ao
trabalho, aos quais desejo muito sucesso.

       Aos professores do curso, especialmente à professora Ângela Flach, que me
incentivou e orientou no trabalho apresentado em Brasília, no Fórum Mundial de
Educação Profissional e Tecnológica, em novembro de 2009. Sentimos sua falta neste
último semestre! Agradeço também à professora Lizandra Estabel, que desde que a
conheci realiza um trabalho fantástico junto ao curso (e também teve bastante
paciência com as minhas atribulações acadêmicas). São elas grandes inspirações para
o meu futuro trabalho como professora, após o término da graduação em Ciências
Sociais.

       Também graças a vocês, tudo valeu a pena.
O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem.

João Guimarães Rosa
SUMÁRIO
 1 Introdução........................................................................................................................................... 6

 2 Projetos desenvolvidos ..............................................................................................................8

     2.1 Conversão de fitas VHS..............................................................................................................8
     2.2 Digitalização do acervo de monografias..........................................................................10
     2.3 Blog.................................................................................................................................................. 12

 3 Atividades Desempenhadas.................................................................................................15

     3.1 Gestão............................................................................................................................................. 15
     3.2 Serviços técnicos........................................................................................................................15
     3.2.1 Organização de materiais....................................................................................................16
     3.2.2 Tratamento da informação..................................................................................................16
     3.2.2.1 Seleção.................................................................................................................................... 17
     3.2.2.2 Catalogação/classificação................................................................................................17
     3.2.2.3 Inserção dos dados de aquisição no sistema...........................................................17
     3.2.2.4 Preparo para empréstimo................................................................................................18
     3.2.2.5 Conservação Preventiva e Restauração......................................................................18
     3.3 Serviços ao público....................................................................................................................19
     3.3.1 Processos de disseminação da informação..................................................................19
     3.3.2 Atendimento ao usuário no serviço de referência.....................................................20
   3.3.3 Organização de atividades culturais e de extensão - Simpósio “Saúde
Urbana: cidade, meio ambiente e desigualdades” .....................................................................21

 4 Considerações finais.................................................................................................................23

ANEXOS ................................................................................................................................................. 26
1 INTRODUÇÃO



       O presente relatório tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas
por mim no estágio curricular obrigatório do curso técnico em Biblioteconomia, o
qual foi realizado no Centro de Documentação, Pesquisa e Formação em Saúde e
Trabalho (CEDOP) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

       O CEDOP, criado em 1988, é um dos setores do Departamento de Medicina
Social da Faculdade de Medicina da UFRGS. Como o próprio nome remete, é um
centro que atua nos campos de pesquisa (através de projetos com professores e
alunos de graduação e pós-graduação), formação (cursos de extensão e cursos de
especialização latu sensu) e documentação (biblioteca especializada), focados na área
de Saúde e Trabalho.

       Atualmente, o centro oferece o Curso de Especialização em Medicina do
Trabalho, com duas turmas, das quais advém a maioria dos usuários da biblioteca. Os
alunos a utilizam como complementação dos estudos e especialmente para a
confecção da monografia de conclusão. Neste sentido, a bibliotecária trabalha
bastante com o serviço de referência, auxiliando os alunos na busca pelo seu
referencial teórico.

       A biblioteca do CEDOP possui um acervo composto por livros, folhetos e
periódicos especializados, além de VHS e outros materiais didáticos sobre Saúde e
Trabalho (cartazes, posteres, documentos sindicais) e, especialmente, teses,
dissertações e trabalhos de conclusão dos cursos de especialização vinculados ao
centro. Está localizada no 4º andar do Instituto de Psicologia da UFRGS, onde
também encontram-se as instalações do Departamento de Medicina Social.

       A bibliotecária responsável e supervisora do estágio, Mara Lucia Araújo
Meireles, é graduada pela UFRGS e recentemente concluiu o curso de especialização
em Gestão de Bibliotecas Universitárias, também pela UFRGS. O CEDOP formou sua
biblioteca em 1990, e desde então a bibliotecária exerce suas funções, atendendo os
alunos dos cursos de especialização, alunos de graduação e pós-graduação da
UFRGS e também professores e funcionários da universidade, através das normas de
empréstimo do Sistema de Bibliotecas da UFRGS (SBU) e realizando o processamento
técnico dos materiais incorporados ao acervo.

      A sala onde a biblioteca está instalada é um espaço relativamente pequeno
(aproximadamente 50m²) e falta espaço para o crescimento e desenvolvimento do
acervo. O acervo é composto por cerca de 1500 livros, 270 folhetos, 55 fitas de vídeo,
assinatura de 8 títulos de periódicos e 165 trabalhos de conclusão dos cursos de
especialização oferecidos pelo CEDOP. O catálogo online do acervo da biblioteca do
CEDOP foi disponibilizado para consulta em 1998 através do Sistema de Automação
do Sistema de Bibliotecas (SABi), com o software MicroIsis da UNESCO. A partir de
2000, quando da aquisição do novo software (Aleph), que conta com maiores
recursos, o catálogo passou a ser acessado no endereço: http://sabix.ufrgs.br/ALEPH/.

      Escolhi esta instituição para realizar meu estágio curricular por ser dedicada à
proteção ao trabalhador, ter a importante função social de formar médicos que
atuarão em serviços de segurança no trabalho e proporcionar a toda a comunidade
da UFRGS o acesso a um acervo especializado na área. Outro fator que me motivou
bastante na escolha para estagiar na biblioteca do CEDOP foi que a bibliotecária
manifestou o interesse de desenvolver melhorias e uma revitalização geral na
biblioteca, através de projetos pensados conjuntamente, com os quais colocaria em
prática muitos dos conhecimentos adquiridos ao longo do curso técnico.
8




2 PROJETOS DESENVOLVIDOS




2.1 Conversão de fitas VHS


      A biblioteca do CEDOP possuía 55 fitas VHS disponíveis para empréstimo
domiciliar, mas que não estavam catalogadas no SABi. Entretanto, atualmente o
aparelho videocassete é uma peça rara e os usuários ficavam sem ter como visualizar
a mídia. Por isso, era necessário modificar o suporte da mídia para um formato mais
atual e compatível com os aparelhos em uso no momento. Dessa forma, procuramos
contratar uma empresa que realizasse a conversão de fitas VHS para DVD, sem
prejudicar o conteúdo e preservando a informação.
9




   Figura 1: Acervo de fitas VHS




       O processo iniciou com a pesquisa de empresas que realizavam o serviço
desejado, através da internet. Realizei orçamento com três empresas e, após a
autorização da bibliotecária, encomendamos o serviço da empresa que fornecia o
trabalho do modo que precisávamos e o valor mais em conta.

       Eu e a bibliotecária realizamos a seleção das fitas VHS que seriam convertidas
em DVD, tendo como critérios: boas condições físicas, valor informacional de acordo
com os objetivos do CEDOP, atualização do conteúdo e número de consultas. Assim,
o resultado foi que das 55 fitas do acervo, selecionamos 36. Das 36 fitas, 5 delas
possuíam menos de 20 minutos, o que permitia que se juntasse alguns pequenos
vídeos em apenas um DVD. Dessa forma, tivemos o caso de 3 fitas com assuntos
relacionados que se transformaram em um único DVD e mais 2 fitas com as quais se
fez o mesmo. O saldo final foi de 33 DVDs.
10

      Após o serviço realizado pela empresa, a bibliotecária iniciou o procedimento
de rever todos os vídeos para catalogá-los, de forma que facilitasse a busca dos
usuários e a organização do acervo. Enquanto a bibliotecária realizava este trabalho,
fui diagramando, imprimindo, cortando e dobrando as novas capas para os DVDs, já
com o número de chamada e código de barras, prontos para o empréstimo.



2.2 Digitalização do acervo de monografias


      Em 1989 o CEDOP iniciou suas atividades com os Cursos de Especialização em
Saúde e Trabalho e em Medicina do Trabalho. O centro oferecia anualmente no
mínimo uma turma para cada curso, sendo que o curso de Saúde e Trabalho formou
sua última turma no ano de 2005. Os cursos de especialização têm como
determinação do Ministério da Educação (MEC) a conclusão das disciplinas do
currículo do curso e a produção de uma monografia. Após a avaliação da banca e da
coordenação do curso, as monografias aprovadas são incorporadas ao acervo da
biblioteca e disponibilizadas aos usuários.

      Com mais de 20 anos de produção de monografias, o acervo foi crescendo,
enquanto o espaço da biblioteca continuava o mesmo. Além disso, muitas das
monografias estavam em mau estado devido à frágil encadernação (espiral) e ao mau
uso por parte dos usuários, além de há alguns anos já não serem mais consultadas ou
retiradas para empréstimo. Pensando na preservação e conservação e nas novas
formas de suporte da informação, iniciamos o processo de digitalização das
monografias anteriores ao ano de 2000.
11




    Figura 2: Acervo de monografias




       Primeiramente a bibliotecária localizou as obras no sistema e colocou-as no
status encadernação, ou seja, estariam temporariamente indisponíveis para consulta e
empréstimo. Logo após, sistematizei o trabalho de digitalização das monografias por
ano seguindo alguns procedimentos básicos: retirada do espiral/encadernação,
acondicionamento do conteúdo junto com a ficha de identificação da obra,
digitalização do conteúdo com o uso de um scanner e gravação dos arquivos (no
formato PDF1) em CD-ROM. As monografias foram armazenadas no formato PDF por
este ser um formato geralmente bem conhecido e utilizado para documentos
acadêmicos, além de preservar a formatação independentemente do computador e
impedir a modificação das informações contidas no arquivo.

       Os arquivos das monografias foram organizados em CD-ROM por ano de


1 Portable Document Format, formato de arquivo desenvolvido pela Adobe Systems que preserva a
formatação do documento, representado-o exatamente da mesma forma em qualquer computador
que possua a programa Acrobat Reader.
12

conclusão dos cursos e para cada ano foram feitas quatro cópias: duas para
empréstimo e duas para reserva técnica.

      Após a conclusão do trabalho de digitalização das monografias, foi decidido
pela bibliotecária e pela coordenação do CEDOP que as próximas turmas a concluir
os cursos de especialização do Centro encaminharão à biblioteca somente o arquivo
em formato digital do trabalho de conclusão, não sendo necessária a entrega da
monografia impressa. Esta decisão já foi adotada por diversas bibliotecas da
Universidade, incentivando a publicação dos arquivos dos trabalhos no Repositório
Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (LUME) e devido a facilidade de
armazenamento que as mídias em CD-ROM proporcionam à biblioteca, sem
prejudicar o acesso à informação.



2.3 Blog


      O blog foi desenvolvido por mim durante o estágio, pensando em um canal de
informação e contato entre a biblioteca e seus usuários, trazendo notícias de
assuntos relacionados à Saúde do Trabalhador, eventos, cursos, dicas de acesso às
bases de dados, periódicos disponíveis para consulta online, informações e manuais
sobre pesquisa, novidades do acervo e indicações de obras disponíveis na biblioteca.
O blog foi também um trabalho para a disciplina de “Introdução a Desenvolvimento
de Páginas Web”, que realizei concomitantemente ao estágio.

      Para a construção do blog, foram levados em conta alguns parâmetros de boa
interação homem-computador (MORAES, 2002):

         •   minimizar a quantidade de informações em cada tela;

         •   agrupamento de itens similares;

         •   realce de informações prioritárias;
13

          •   padronização das telas;

          •   apresentação do texto;

          •   uso de cores.

      Além destes parâmetros, foram pensadas também questões como: quem é o
usuário? Qual seu nível de conhecimento em informática? Que tipo de informações
esse usuário gostaria de encontrar no blog da biblioteca?

      A coordenação do CEDOP aprovou a ideia e demonstrou entusiasmo pela
nova forma de contato e disseminação de informações especializadas pela web. O
coordenador do curso vem contribuindo constantemente com o envio de conteúdos
e notícias para o blog, enriquecendo este novo meio de comunicação com os alunos,
usuários da biblioteca e interessados no assuntos ligados à Saúde do Trabalhador.

      O blog está disponível no endereço http://bibcedop.blogspot.com/.
14




Figura 3: Recorte da página inicial do blog. Acesso em 20 de junho de 2010.
15




3 ATIVIDADES DESEMPENHADAS



       As atividades desempenhadas ao longo do estágio envolviam, muitas vezes,
tarefas vinculadas aos projetos em desenvolvimento, conforme especificado nos itens
anteriores.



3.1 Gestão


       Nos serviços de gestão, as tarefas em comum entre os projetos incluíam
contato com fornecedores, pesquisa de preços de produtos e serviços, pagamentos,
levantamento dos materiais no almoxarifado, compra e recebimento de materiais,
entre outras.

       O ambiente era controlado diariamente, observando as condições de limpeza
do espaço, além do funcionamento e da manutenção dos equipamentos
(computadores, ar condicionado e sistema de iluminação).

       Entre as atividades técnico-administrativas, as que realizei com mais frequência
foram o contato com fornecedores de materiais de consumo e permanente, o
recolhimento de correspondências na secretaria da Faculdade de Medicina e serviços
reprográficos.



3.2 Serviços técnicos


       Os serviços técnicos incluíam basicamente as atividades de organização
(controle e guarda) de materiais e tratamento da informação, cujas etapas eram
16

divididas em aquisição, seleção, catalogação, classificação, inserção de dados no
sistema informatizado, preparo para empréstimo e medidas de conservação e
preservação dos materiais.



3.2.1 Organização de materiais



           Organizei diariamente a disposição dos livros nas estantes conforme o
número de chamada, enquanto recolocava os livros devolvidos no dia anterior nos
seus respectivos lugares. Muitas vezes o usuário recoloca os livros na estante (mesmo
com a sinalização solicitando que não o faça) com o intuito de “ajudar” o pessoal de
biblioteca. No entanto, na maioria das vezes, o usuário não se lembra exatamente de
onde retirou o livro e o coloca em um lugar diferente do que seria correto, por isso, é
importante que a ordem de colocação dos livros seja observada com atenção pelo
técnico.



3.2.2 Tratamento da informação



       Quanto     ao   tratamento   da   informação,   desempenhei    atividades   que
contemplavam as fases de recebimento de doação, seleção, catalogação, inserção de
dados sobre aquisição no sistema e preparo para empréstimo, descritas a seguir.

       Durante o período de estágio, a biblioteca não adquiriu livros através de
compra, pois o Centro mantém-se com as verbas dos cursos de especialização, o que
geralmente implica em moderação nos gastos. Entretanto, a biblioteca recebeu uma
boa quantidade de doações de monografias produzidas pelos alunos que concluíram
o curso de especialização no final de 2009, além de doações de professores e outras
bibliotecas.
17

3.2.2.1 Seleção



      A biblioteca possuía uma grande quantidade de livros e folhetos doados que
precisavam ser selecionados para incorporação ou não ao acervo. Conjuntamente, eu
e a bibliotecária, avaliamos o que seria de interesse para os usuários observando
alguns critérios pré-estabelecidos como: vinculação do assunto com os temas
específicos da biblioteca e ano de publicação. As obras selecionadas passaram, em
seguida, pelos procedimentos de catalogação, inserção dos dados de aquisição no
sistema ALEPH e preparo para empréstimo, antes de irem para as estantes.



3.2.2.2 Catalogação/classificação



      A catalogação consistia na entrada de dados referentes à obra no sistema
ALEPH, que é utilizado na biblioteca do CEDOP, bem como nas demais bibliotecas da
UFRGS. A bibliotecária orientou-me sobre a verificação da existência da obra em
outras bibliotecas da Universidade, para seguir o mesmo modelo, os códigos de
catalogação utilizados no sistema e como deveriam ser inseridas as informações na
planilha. A classificação dos itens foi feita pela bibliotecária, sempre orientando-me
como eram realizados os procedimentos.



3.2.2.3 Inserção dos dados de aquisição no sistema



       O procedimento de inserção dos dados de aquisição era feito também no
sistema ALEPH, com os recursos e comandos específicos. Nessa etapa, a obra era,
para o sistema, efetivamente incorporada ao acervo, transformando-se em item que
seguiria a disponibilidade definida pela bibliotecária (consulta local, três dias,
semanal, regular, etc). Também no processo de aquisição, a obra recebia o código de
18

barras, cuja função é identificar a obra no sistema e facilitar especialmente o
empréstimo e a devolução.



3.2.2.4 Preparo para empréstimo



       Após os procedimentos de seleção, catalogação e aquisição, realizei tarefas
básicas para o preparo para empréstimo, como a colocação do carimbo da biblioteca
na folha de rosto, em algumas páginas no interior do livro e nos cortes, colagem da
etiqueta com o número de chamada na lombada e de papel contact sobre a mesma.



3.2.2.5 Conservação Preventiva e Restauração



       O acervo foi inspecionado a fim de retirarmos de circulação os livros que
estavam em condições físicas muito precárias. Selecionamos cerca de 25 obras, sobre
as quais trabalhei aproximadamente 30 horas, refazendo a encadernação
(costuras/colagem), reconstituindo algumas folhas, entre outros procedimentos.

       Durante a inspeção também observamos que alguns livros poderiam ser
preservados com a confecção de uma jaqueta de poliéster para acondicionar e evitar
o desgaste precoce da capa da obra2. Esta medida foi adotada em 15 livros,
especialmente os de maior circulação e consulta local – os quais já possuíam sinais de
danos causados pelo homem.

       Outra ação importante desenvolvida quanto a conservação e preservação dos
livros da biblioteca foi a sinalização das estantes voltada para o manuseio correto dos
materiais, lembrando ao usuário a forma correta para retirar o livro da estante.


2 As jaquetas foram construídas conforme PROJETO CONSERVAÇÃO PREVENTIVA EM BIBLIOTECAS E
ARQUIVOS. Armazenagem e Manuseio. 2. ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001. 49 p.
Disponível em: <http://www.arqsp.org.br/cpba/pdf_cadtec/1_9.pdf>. Acesso em: 15 abr. 2010.
19




                Figura 3: Sinalização referente a forma correta de retirar os livros
                da estante. (SILVA e ARAÚJO, 2003.)




3.3 Serviços ao público


      Os serviços ao público eram constituídos de medidas para a disseminação da
informação, o atendimento ao usuário no serviço de referência e o auxílio a eventos
culturais e de extensão.



3.3.1 Processos de disseminação da informação



      Conforme descrito anteriormente, visando um melhor acesso e a disseminação
da informação, desenvolvi, nesta área, um blog para a biblioteca do CEDOP. No
serviço diário na biblioteca, quando solicitado, realizei o atendimento no serviço de
referência e orientei os usuários quanto ao uso da biblioteca e formas de busca de
obras para a consulta de acordo com o assunto de interesse.
20

      Com o objetivo de facilitar a orientação aos alunos dos cursos de
especialização do CEDOP quanto ao uso do serviço de empréstimo das bibliotecas da
UFRGS, elaborei um pequeno tutorial sobre os procedimentos para o primeiro acesso
ao Sistema de Bibliotecas da UFRGS – SBU/UFRGS.




                Figura 4: Tutorial para primeiro acesso ao SBU.




3.3.2 Atendimento ao usuário no serviço de referência



      Nesta área, orientei os usuários quanto a buscas e pesquisas na web, bases de
dados, periódicos da Capes, Scielo (Scientific Electronic Library Online), Lume/UFRGS
21

(Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Biblioteca Virtual
de Saúde, etc. As orientações foram realizadas tanto presencialmente quanto através
do blog.



3.3.3 Organização de atividades culturais e de extensão - Simpósio “Saúde
Urbana: cidade, meio ambiente e desigualdades”



      O simpósio Saúde Urbana: cidade, meio ambiente e desigualdades faz parte de
uma série de eventos proporcionados a partir de um projeto de extensão do
Departamento de Medicina Social, ao qual a biblioteca do CEDOP está vinculada.
Realizei a divulgação do evento através de lista de e-mails e afixação de cartazes
pelas unidades para as quais o evento poderia ser de interesse.

      No dia do simpósio, atuei conjuntamente com a comissão organizadora
orientando os participantes, auxiliando nas inscrições e coletando e-mails para
divulgação de futuros eventos.

      O evento foi importante (além da minha participação no mesmo também
como ouvinte) para estabelecer contato com pessoas com interesses afins à
especialidade da biblioteca do CEDOP. É essencial que a equipe de uma biblioteca
especializada participe de eventos acadêmicos sobre assuntos ligados a sua área de
atuação, visando o conhecimento atualizado e de qualidade para auxiliar os usuários
em suas buscas.
22




Figura 5: Cartaz de divulgação do evento
23

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS



       Como refere Litton (1975), os cursos para auxiliares de biblioteca, até pouco
tempo atrás, tinham como característica a capacitação de pessoas que já trabalhavam
em bibliotecas para um trabalho mais eficiente. Eram cursos paliativos, de preparação
e transmissão de normas formais para o trabalho em biblioteca. Este panorama é
bem diferente do que se observa no curso técnico em Biblioteconomia do IFRS, o
qual levou-me a realizar este estágio. No nosso curso, grande parte dos alunos não
possui experiência profissional na área.

        Ao longo da minha formação técnica, houve a discussão constante sobre a
necessidade e as consequências do nosso (futuro) trabalho. O currículo abrange
diversas áreas essenciais para a compreensão da atuação do profissional da
informação. É um curso que visa a educação de futuros técnicos, habilitados a
organizar, planejar, gerir, conservar e disseminar a informação, orientar e auxiliar o
usuário, além de manter ativo, observar e aprimorar constantemente o serviço e a
função social da biblioteca.

       Entretanto, o conhecimento teórico não é absorvido e compreendido em sua
totalidade sem a vivência prática. Para Litton (idem), o treinamento é somente parte
do processo de educação. Por isso, o estágio curricular é uma fase indispensável ao
curso, no qual são revistos os conceitos e reflexões a medida em que a experiência
do cotidiano vai trazendo as situações teorizadas e discutidas nas disciplinas do
currículo.

       O profissional que passou por uma educação formal na área conhece melhor o
sentido e a importância dos procedimentos de seu trabalho. Portanto, a preparação
técnica aliada ao conhecimento empírico formam um técnico em Biblioteconomia
mais qualificado e preparado para enfrentar o mundo do trabalho.

       Meu estágio na biblioteca do CEDOP trouxe conhecimentos e experiências que
24

vão além da sala de aula, mas que podem ser exibidos e discutidos também dentro
desta. Finalmente, as expectativas de aprendizado e emprego das técnicas adquiridas
no curso foram amplamente atendidas, trazendo inclusive uma maior motivação e
ainda mais gosto pelo trabalho em bibliotecas. Valeu a pena.
25




                                   REFERÊNCIAS



LITTON, Gaston. Formação de pessoal. São Paulo: McGraw-Hill, 1975.


MORAES, Anamaria (org). Design e avaliação de interface: ergodesign e interação
humano-computador. Rio de Janeiro: iUsEr, 2002.


PROJETO CONSERVAÇÃO PREVENTIVA EM BIBLIOTECAS E ARQUIVOS.
Armazenagem e Manuseio. 2. ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001. 49 p.
Disponível em: <http://www.arqsp.org.br/cpba/pdf_cadtec/1_9.pdf>. Acesso em: 15
abr. 2010.


SILVA, D. A.; ARAÚJO, I. A. Auxiliar de biblioteca: técnicas e práticas para formação
profissional. 5. ed. Brasília, DF: Thesaurus, 2003.


SOUTO, Leonardo Fernandes. O profissional da informação em tempo de
mudanças. Campinas: Alínea, 2005


VALENTIM, Marta Ligia Pomim. O profissional da informação: formação, perfil e
atuação profissional. São Paulo: Polis, 2000.


VERGUEIRO, Waldomiro de Castro Santos. Desenvolvimento de coleções. São Paulo:
Polis, 1989.
26




ANEXOS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Carta de intenção
Carta de intençãoCarta de intenção
Carta de intenção
maxtematica
 
Projeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação EspecialProjeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação Especial
Fábio Ribeiro Silva
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
José Antonio Ferreira da Silva
 
Ata de reunião ordinária da comissão de alunos e amigos da escola municipal c...
Ata de reunião ordinária da comissão de alunos e amigos da escola municipal c...Ata de reunião ordinária da comissão de alunos e amigos da escola municipal c...
Ata de reunião ordinária da comissão de alunos e amigos da escola municipal c...
baibicalho
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
Zélia Cordeiro
 
Aula 9. modelo de plano de aula
Aula 9. modelo de plano de aulaAula 9. modelo de plano de aula
Aula 9. modelo de plano de aula
Karlla Costa
 
DISCURSO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO - Prof. Noe Assunção
DISCURSO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO - Prof. Noe AssunçãoDISCURSO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO - Prof. Noe Assunção
DISCURSO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Relatorio pronto
Relatorio prontoRelatorio pronto
Relatorio pronto
Diego Moura
 
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacsonRelatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
Raquel Becker
 
Estagio regencia de sala
Estagio regencia de salaEstagio regencia de sala
Estagio regencia de sala
Alessandra Alves
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
denisecgomes
 
Projeto estágio séries iniciais set-2014
Projeto estágio séries iniciais  set-2014Projeto estágio séries iniciais  set-2014
Projeto estágio séries iniciais set-2014
Solange Coutinho
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
Felipe Pereira
 
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADARELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
Jairo Felipe
 
Biografia do professor
Biografia do professorBiografia do professor
Biografia do professor
Jeca Tatu
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
Rosangela Moreira
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
Maryanne Monteiro
 
Estagio de observação
Estagio de observaçãoEstagio de observação
Estagio de observação
Bárbara Marcelly
 
Modelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestradoModelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestrado
pery-ap
 
Estrutura do plano de trabalho docente
Estrutura do plano de trabalho docenteEstrutura do plano de trabalho docente
Estrutura do plano de trabalho docente
fabiobento1984
 

Mais procurados (20)

Carta de intenção
Carta de intençãoCarta de intenção
Carta de intenção
 
Projeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação EspecialProjeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação Especial
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
 
Ata de reunião ordinária da comissão de alunos e amigos da escola municipal c...
Ata de reunião ordinária da comissão de alunos e amigos da escola municipal c...Ata de reunião ordinária da comissão de alunos e amigos da escola municipal c...
Ata de reunião ordinária da comissão de alunos e amigos da escola municipal c...
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
 
Aula 9. modelo de plano de aula
Aula 9. modelo de plano de aulaAula 9. modelo de plano de aula
Aula 9. modelo de plano de aula
 
DISCURSO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO - Prof. Noe Assunção
DISCURSO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO - Prof. Noe AssunçãoDISCURSO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO - Prof. Noe Assunção
DISCURSO DE CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO - Prof. Noe Assunção
 
Relatorio pronto
Relatorio prontoRelatorio pronto
Relatorio pronto
 
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacsonRelatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
 
Estagio regencia de sala
Estagio regencia de salaEstagio regencia de sala
Estagio regencia de sala
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
 
Projeto estágio séries iniciais set-2014
Projeto estágio séries iniciais  set-2014Projeto estágio séries iniciais  set-2014
Projeto estágio séries iniciais set-2014
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
 
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADARELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
 
Biografia do professor
Biografia do professorBiografia do professor
Biografia do professor
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
 
Estagio de observação
Estagio de observaçãoEstagio de observação
Estagio de observação
 
Modelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestradoModelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestrado
 
Estrutura do plano de trabalho docente
Estrutura do plano de trabalho docenteEstrutura do plano de trabalho docente
Estrutura do plano de trabalho docente
 

Semelhante a Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia

UMA SOLUÇÃO BASEADA EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA ARMAZENAMENTO/RECUPERAC...
UMA SOLUÇÃO BASEADA EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA ARMAZENAMENTO/RECUPERAC...UMA SOLUÇÃO BASEADA EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA ARMAZENAMENTO/RECUPERAC...
UMA SOLUÇÃO BASEADA EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA ARMAZENAMENTO/RECUPERAC...
Antonio Lazaro Carvalho Borges
 
Boletim Biblioteca EEFE-USP
Boletim Biblioteca EEFE-USPBoletim Biblioteca EEFE-USP
Boletim Biblioteca EEFE-USP
Universidade de São Paulo
 
Bibliotecas digitais e virtuais no contexto da EaD: produtos e serviços on-li...
Bibliotecas digitais e virtuais no contexto da EaD: produtos e serviços on-li...Bibliotecas digitais e virtuais no contexto da EaD: produtos e serviços on-li...
Bibliotecas digitais e virtuais no contexto da EaD: produtos e serviços on-li...
Fabiana Andrade Pereira
 
Guia do professor
Guia do professorGuia do professor
Guia do professor
marcosarm21
 
Avaliação da classe 5 da coleção da BE da ESB
Avaliação da classe 5 da coleção da BE da ESBAvaliação da classe 5 da coleção da BE da ESB
Avaliação da classe 5 da coleção da BE da ESB
Biblioteca Esbocage
 
O bibliotecário e a editoração de periódicos científicos: fazeres e competênc...
O bibliotecário e a editoração de periódicos científicos: fazeres e competênc...O bibliotecário e a editoração de periódicos científicos: fazeres e competênc...
O bibliotecário e a editoração de periódicos científicos: fazeres e competênc...
Solange Santana
 
Dissertação estudo comparativo sobre o perfil do professor bibliotecário
Dissertação   estudo comparativo sobre o perfil do professor bibliotecárioDissertação   estudo comparativo sobre o perfil do professor bibliotecário
Dissertação estudo comparativo sobre o perfil do professor bibliotecário
afonsocabeceiras
 
Relatório de estágio i
Relatório de estágio iRelatório de estágio i
Relatório de estágio i
Marcio Cunha
 
Tutoria e orientação de estudos
Tutoria e orientação de estudosTutoria e orientação de estudos
Tutoria e orientação de estudos
ELZA PIRES
 
Informe da Biblioteca da EEFE-USP 2016
Informe da Biblioteca da EEFE-USP 2016Informe da Biblioteca da EEFE-USP 2016
Informe da Biblioteca da EEFE-USP 2016
Universidade de São Paulo
 
Projecto final
Projecto finalProjecto final
Projecto final
IsabelPereira2010
 
Regimento be
Regimento beRegimento be
Regimento be
abiliopires
 
Monografia Marina pedagogia 2010
Monografia Marina pedagogia 2010Monografia Marina pedagogia 2010
Monografia Marina pedagogia 2010
Biblioteca Campus VII
 
Apost metod cient-1 2006
Apost metod cient-1 2006Apost metod cient-1 2006
Apost metod cient-1 2006
Juliana Morais
 
Apost metod cient-1
Apost metod cient-1Apost metod cient-1
Apost metod cient-1
Fabio Ramos
 
Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas...
Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas...Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas...
Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas...
João Paulo Proença
 
Johnson 2012 12 points checklist pt
Johnson 2012 12 points checklist ptJohnson 2012 12 points checklist pt
Johnson 2012 12 points checklist pt
Maria Jose Vitorino
 
Sistematização e alfabetização
Sistematização e alfabetizaçãoSistematização e alfabetização
Sistematização e alfabetização
Clecio Bunzen
 
A importancia do professor na construcao de uma escola inclusiva
A importancia do professor na construcao de uma escola inclusivaA importancia do professor na construcao de uma escola inclusiva
A importancia do professor na construcao de uma escola inclusiva
Salete Sala De Recurso
 
A importancia do_professor_na_construcao_de_uma_escola_inclusiva
A importancia do_professor_na_construcao_de_uma_escola_inclusivaA importancia do_professor_na_construcao_de_uma_escola_inclusiva
A importancia do_professor_na_construcao_de_uma_escola_inclusiva
Maria Salete Leme Antunes
 

Semelhante a Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia (20)

UMA SOLUÇÃO BASEADA EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA ARMAZENAMENTO/RECUPERAC...
UMA SOLUÇÃO BASEADA EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA ARMAZENAMENTO/RECUPERAC...UMA SOLUÇÃO BASEADA EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA ARMAZENAMENTO/RECUPERAC...
UMA SOLUÇÃO BASEADA EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA ARMAZENAMENTO/RECUPERAC...
 
Boletim Biblioteca EEFE-USP
Boletim Biblioteca EEFE-USPBoletim Biblioteca EEFE-USP
Boletim Biblioteca EEFE-USP
 
Bibliotecas digitais e virtuais no contexto da EaD: produtos e serviços on-li...
Bibliotecas digitais e virtuais no contexto da EaD: produtos e serviços on-li...Bibliotecas digitais e virtuais no contexto da EaD: produtos e serviços on-li...
Bibliotecas digitais e virtuais no contexto da EaD: produtos e serviços on-li...
 
Guia do professor
Guia do professorGuia do professor
Guia do professor
 
Avaliação da classe 5 da coleção da BE da ESB
Avaliação da classe 5 da coleção da BE da ESBAvaliação da classe 5 da coleção da BE da ESB
Avaliação da classe 5 da coleção da BE da ESB
 
O bibliotecário e a editoração de periódicos científicos: fazeres e competênc...
O bibliotecário e a editoração de periódicos científicos: fazeres e competênc...O bibliotecário e a editoração de periódicos científicos: fazeres e competênc...
O bibliotecário e a editoração de periódicos científicos: fazeres e competênc...
 
Dissertação estudo comparativo sobre o perfil do professor bibliotecário
Dissertação   estudo comparativo sobre o perfil do professor bibliotecárioDissertação   estudo comparativo sobre o perfil do professor bibliotecário
Dissertação estudo comparativo sobre o perfil do professor bibliotecário
 
Relatório de estágio i
Relatório de estágio iRelatório de estágio i
Relatório de estágio i
 
Tutoria e orientação de estudos
Tutoria e orientação de estudosTutoria e orientação de estudos
Tutoria e orientação de estudos
 
Informe da Biblioteca da EEFE-USP 2016
Informe da Biblioteca da EEFE-USP 2016Informe da Biblioteca da EEFE-USP 2016
Informe da Biblioteca da EEFE-USP 2016
 
Projecto final
Projecto finalProjecto final
Projecto final
 
Regimento be
Regimento beRegimento be
Regimento be
 
Monografia Marina pedagogia 2010
Monografia Marina pedagogia 2010Monografia Marina pedagogia 2010
Monografia Marina pedagogia 2010
 
Apost metod cient-1 2006
Apost metod cient-1 2006Apost metod cient-1 2006
Apost metod cient-1 2006
 
Apost metod cient-1
Apost metod cient-1Apost metod cient-1
Apost metod cient-1
 
Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas...
Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas...Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas...
Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas...
 
Johnson 2012 12 points checklist pt
Johnson 2012 12 points checklist ptJohnson 2012 12 points checklist pt
Johnson 2012 12 points checklist pt
 
Sistematização e alfabetização
Sistematização e alfabetizaçãoSistematização e alfabetização
Sistematização e alfabetização
 
A importancia do professor na construcao de uma escola inclusiva
A importancia do professor na construcao de uma escola inclusivaA importancia do professor na construcao de uma escola inclusiva
A importancia do professor na construcao de uma escola inclusiva
 
A importancia do_professor_na_construcao_de_uma_escola_inclusiva
A importancia do_professor_na_construcao_de_uma_escola_inclusivaA importancia do_professor_na_construcao_de_uma_escola_inclusiva
A importancia do_professor_na_construcao_de_uma_escola_inclusiva
 

Mais de Vanessa Souza Pereira

Linha do tempo - Sociólogos clássicos
Linha do tempo - Sociólogos clássicosLinha do tempo - Sociólogos clássicos
Linha do tempo - Sociólogos clássicos
Vanessa Souza Pereira
 
A gestão escolar democrática na formação inicial do professor: os conheciment...
A gestão escolar democrática na formação inicial do professor: os conheciment...A gestão escolar democrática na formação inicial do professor: os conheciment...
A gestão escolar democrática na formação inicial do professor: os conheciment...
Vanessa Souza Pereira
 
FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento.
FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento.FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento.
FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento.
Vanessa Souza Pereira
 
A formação para a participação docente na gestão escolar e o currículo das li...
A formação para a participação docente na gestão escolar e o currículo das li...A formação para a participação docente na gestão escolar e o currículo das li...
A formação para a participação docente na gestão escolar e o currículo das li...
Vanessa Souza Pereira
 
A Sociologia no Pré-Vestibular: o caso da ONGEP
A Sociologia no Pré-Vestibular: o caso da ONGEPA Sociologia no Pré-Vestibular: o caso da ONGEP
A Sociologia no Pré-Vestibular: o caso da ONGEP
Vanessa Souza Pereira
 
Planilha de produtividade
Planilha de produtividadePlanilha de produtividade
Planilha de produtividade
Vanessa Souza Pereira
 
TCC Vanessa Souza Pereira
TCC Vanessa Souza PereiraTCC Vanessa Souza Pereira
TCC Vanessa Souza Pereira
Vanessa Souza Pereira
 
Sociology of development
Sociology of developmentSociology of development
Sociology of development
Vanessa Souza Pereira
 
Development as a buzzword
Development as a buzzwordDevelopment as a buzzword
Development as a buzzword
Vanessa Souza Pereira
 
Latin America - A community of destiny?
Latin America - A community of destiny?Latin America - A community of destiny?
Latin America - A community of destiny?
Vanessa Souza Pereira
 
Metodologias de Pesquisa para Espaços Virtuais de Interação
Metodologias de Pesquisa para Espaços Virtuais de InteraçãoMetodologias de Pesquisa para Espaços Virtuais de Interação
Metodologias de Pesquisa para Espaços Virtuais de Interação
Vanessa Souza Pereira
 
Catálogo Festival
Catálogo FestivalCatálogo Festival
Catálogo Festival
Vanessa Souza Pereira
 
Avaliação de periódicos e a base Qualis: produtividade ou produtivismo?
Avaliação de periódicos e a base Qualis: produtividade ou produtivismo?Avaliação de periódicos e a base Qualis: produtividade ou produtivismo?
Avaliação de periódicos e a base Qualis: produtividade ou produtivismo?
Vanessa Souza Pereira
 
Apresentação final relatório curso técnico em Biblioteconomia
Apresentação final relatório curso técnico em BiblioteconomiaApresentação final relatório curso técnico em Biblioteconomia
Apresentação final relatório curso técnico em Biblioteconomia
Vanessa Souza Pereira
 
Comunicação de massa e indústria cultural
Comunicação de massa e indústria culturalComunicação de massa e indústria cultural
Comunicação de massa e indústria cultural
Vanessa Souza Pereira
 

Mais de Vanessa Souza Pereira (15)

Linha do tempo - Sociólogos clássicos
Linha do tempo - Sociólogos clássicosLinha do tempo - Sociólogos clássicos
Linha do tempo - Sociólogos clássicos
 
A gestão escolar democrática na formação inicial do professor: os conheciment...
A gestão escolar democrática na formação inicial do professor: os conheciment...A gestão escolar democrática na formação inicial do professor: os conheciment...
A gestão escolar democrática na formação inicial do professor: os conheciment...
 
FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento.
FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento.FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento.
FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento.
 
A formação para a participação docente na gestão escolar e o currículo das li...
A formação para a participação docente na gestão escolar e o currículo das li...A formação para a participação docente na gestão escolar e o currículo das li...
A formação para a participação docente na gestão escolar e o currículo das li...
 
A Sociologia no Pré-Vestibular: o caso da ONGEP
A Sociologia no Pré-Vestibular: o caso da ONGEPA Sociologia no Pré-Vestibular: o caso da ONGEP
A Sociologia no Pré-Vestibular: o caso da ONGEP
 
Planilha de produtividade
Planilha de produtividadePlanilha de produtividade
Planilha de produtividade
 
TCC Vanessa Souza Pereira
TCC Vanessa Souza PereiraTCC Vanessa Souza Pereira
TCC Vanessa Souza Pereira
 
Sociology of development
Sociology of developmentSociology of development
Sociology of development
 
Development as a buzzword
Development as a buzzwordDevelopment as a buzzword
Development as a buzzword
 
Latin America - A community of destiny?
Latin America - A community of destiny?Latin America - A community of destiny?
Latin America - A community of destiny?
 
Metodologias de Pesquisa para Espaços Virtuais de Interação
Metodologias de Pesquisa para Espaços Virtuais de InteraçãoMetodologias de Pesquisa para Espaços Virtuais de Interação
Metodologias de Pesquisa para Espaços Virtuais de Interação
 
Catálogo Festival
Catálogo FestivalCatálogo Festival
Catálogo Festival
 
Avaliação de periódicos e a base Qualis: produtividade ou produtivismo?
Avaliação de periódicos e a base Qualis: produtividade ou produtivismo?Avaliação de periódicos e a base Qualis: produtividade ou produtivismo?
Avaliação de periódicos e a base Qualis: produtividade ou produtivismo?
 
Apresentação final relatório curso técnico em Biblioteconomia
Apresentação final relatório curso técnico em BiblioteconomiaApresentação final relatório curso técnico em Biblioteconomia
Apresentação final relatório curso técnico em Biblioteconomia
 
Comunicação de massa e indústria cultural
Comunicação de massa e indústria culturalComunicação de massa e indústria cultural
Comunicação de massa e indústria cultural
 

Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia

  • 1. INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS PORTO ALEGRE CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA Relatório de Estágio Curricular Obrigatório Vanessa Souza Pereira Porto Alegre 2010
  • 2. INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS PORTO ALEGRE CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA Relatório de Estágio Curricular Obrigatório Vanessa Souza Pereira Relatório de estágio para conclusão do Curso Técnico em Biblioteconomia Orientador: Profª Ms. Magali Lippert da Silva Porto Alegre 2010
  • 3. AGRADECIMENTOS Este estágio foi possível graças ao auxílio e compreensão da minha querida supervisora (e amiga), a bibliotecária Mara Lúcia Araújo Meireles. Desde antes do início do curso técnico, a Mara sempre se fez presente, acompanhou as minhas peripécias pessoais e acadêmicas, apoiou nos momentos de indecisão, deu força para seguir em frente e também teve muita paciência e acalmou meus planos e minhas utopias desmedidas. Nos ajudamos mutuamente no nosso trabalho diário no CEDOP, mesmo quando inicialmente as funções (e as salas) eram diferentes. Aprendi muito com ela, não só no período de estágio curricular, como também pessoalmente durante estes dois anos e meio de convivência no CEDOP. A ela, o meu agradecimento especial, por ser também responsável por esta conquista. Agradeço também aos meus colegas da turma de 2008/2, em especial a Vera, o Mário, a Dionéia, a Jussara, a Alessandra e a Quelen. Grandes amigos que tiveram bastante paciência com a minha constante falta de tempo, devido a graduação e ao trabalho, aos quais desejo muito sucesso. Aos professores do curso, especialmente à professora Ângela Flach, que me incentivou e orientou no trabalho apresentado em Brasília, no Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, em novembro de 2009. Sentimos sua falta neste último semestre! Agradeço também à professora Lizandra Estabel, que desde que a conheci realiza um trabalho fantástico junto ao curso (e também teve bastante paciência com as minhas atribulações acadêmicas). São elas grandes inspirações para o meu futuro trabalho como professora, após o término da graduação em Ciências Sociais. Também graças a vocês, tudo valeu a pena.
  • 4. O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem. João Guimarães Rosa
  • 5. SUMÁRIO 1 Introdução........................................................................................................................................... 6 2 Projetos desenvolvidos ..............................................................................................................8 2.1 Conversão de fitas VHS..............................................................................................................8 2.2 Digitalização do acervo de monografias..........................................................................10 2.3 Blog.................................................................................................................................................. 12 3 Atividades Desempenhadas.................................................................................................15 3.1 Gestão............................................................................................................................................. 15 3.2 Serviços técnicos........................................................................................................................15 3.2.1 Organização de materiais....................................................................................................16 3.2.2 Tratamento da informação..................................................................................................16 3.2.2.1 Seleção.................................................................................................................................... 17 3.2.2.2 Catalogação/classificação................................................................................................17 3.2.2.3 Inserção dos dados de aquisição no sistema...........................................................17 3.2.2.4 Preparo para empréstimo................................................................................................18 3.2.2.5 Conservação Preventiva e Restauração......................................................................18 3.3 Serviços ao público....................................................................................................................19 3.3.1 Processos de disseminação da informação..................................................................19 3.3.2 Atendimento ao usuário no serviço de referência.....................................................20 3.3.3 Organização de atividades culturais e de extensão - Simpósio “Saúde Urbana: cidade, meio ambiente e desigualdades” .....................................................................21 4 Considerações finais.................................................................................................................23 ANEXOS ................................................................................................................................................. 26
  • 6. 1 INTRODUÇÃO O presente relatório tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas por mim no estágio curricular obrigatório do curso técnico em Biblioteconomia, o qual foi realizado no Centro de Documentação, Pesquisa e Formação em Saúde e Trabalho (CEDOP) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O CEDOP, criado em 1988, é um dos setores do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina da UFRGS. Como o próprio nome remete, é um centro que atua nos campos de pesquisa (através de projetos com professores e alunos de graduação e pós-graduação), formação (cursos de extensão e cursos de especialização latu sensu) e documentação (biblioteca especializada), focados na área de Saúde e Trabalho. Atualmente, o centro oferece o Curso de Especialização em Medicina do Trabalho, com duas turmas, das quais advém a maioria dos usuários da biblioteca. Os alunos a utilizam como complementação dos estudos e especialmente para a confecção da monografia de conclusão. Neste sentido, a bibliotecária trabalha bastante com o serviço de referência, auxiliando os alunos na busca pelo seu referencial teórico. A biblioteca do CEDOP possui um acervo composto por livros, folhetos e periódicos especializados, além de VHS e outros materiais didáticos sobre Saúde e Trabalho (cartazes, posteres, documentos sindicais) e, especialmente, teses, dissertações e trabalhos de conclusão dos cursos de especialização vinculados ao centro. Está localizada no 4º andar do Instituto de Psicologia da UFRGS, onde também encontram-se as instalações do Departamento de Medicina Social. A bibliotecária responsável e supervisora do estágio, Mara Lucia Araújo Meireles, é graduada pela UFRGS e recentemente concluiu o curso de especialização
  • 7. em Gestão de Bibliotecas Universitárias, também pela UFRGS. O CEDOP formou sua biblioteca em 1990, e desde então a bibliotecária exerce suas funções, atendendo os alunos dos cursos de especialização, alunos de graduação e pós-graduação da UFRGS e também professores e funcionários da universidade, através das normas de empréstimo do Sistema de Bibliotecas da UFRGS (SBU) e realizando o processamento técnico dos materiais incorporados ao acervo. A sala onde a biblioteca está instalada é um espaço relativamente pequeno (aproximadamente 50m²) e falta espaço para o crescimento e desenvolvimento do acervo. O acervo é composto por cerca de 1500 livros, 270 folhetos, 55 fitas de vídeo, assinatura de 8 títulos de periódicos e 165 trabalhos de conclusão dos cursos de especialização oferecidos pelo CEDOP. O catálogo online do acervo da biblioteca do CEDOP foi disponibilizado para consulta em 1998 através do Sistema de Automação do Sistema de Bibliotecas (SABi), com o software MicroIsis da UNESCO. A partir de 2000, quando da aquisição do novo software (Aleph), que conta com maiores recursos, o catálogo passou a ser acessado no endereço: http://sabix.ufrgs.br/ALEPH/. Escolhi esta instituição para realizar meu estágio curricular por ser dedicada à proteção ao trabalhador, ter a importante função social de formar médicos que atuarão em serviços de segurança no trabalho e proporcionar a toda a comunidade da UFRGS o acesso a um acervo especializado na área. Outro fator que me motivou bastante na escolha para estagiar na biblioteca do CEDOP foi que a bibliotecária manifestou o interesse de desenvolver melhorias e uma revitalização geral na biblioteca, através de projetos pensados conjuntamente, com os quais colocaria em prática muitos dos conhecimentos adquiridos ao longo do curso técnico.
  • 8. 8 2 PROJETOS DESENVOLVIDOS 2.1 Conversão de fitas VHS A biblioteca do CEDOP possuía 55 fitas VHS disponíveis para empréstimo domiciliar, mas que não estavam catalogadas no SABi. Entretanto, atualmente o aparelho videocassete é uma peça rara e os usuários ficavam sem ter como visualizar a mídia. Por isso, era necessário modificar o suporte da mídia para um formato mais atual e compatível com os aparelhos em uso no momento. Dessa forma, procuramos contratar uma empresa que realizasse a conversão de fitas VHS para DVD, sem prejudicar o conteúdo e preservando a informação.
  • 9. 9 Figura 1: Acervo de fitas VHS O processo iniciou com a pesquisa de empresas que realizavam o serviço desejado, através da internet. Realizei orçamento com três empresas e, após a autorização da bibliotecária, encomendamos o serviço da empresa que fornecia o trabalho do modo que precisávamos e o valor mais em conta. Eu e a bibliotecária realizamos a seleção das fitas VHS que seriam convertidas em DVD, tendo como critérios: boas condições físicas, valor informacional de acordo com os objetivos do CEDOP, atualização do conteúdo e número de consultas. Assim, o resultado foi que das 55 fitas do acervo, selecionamos 36. Das 36 fitas, 5 delas possuíam menos de 20 minutos, o que permitia que se juntasse alguns pequenos vídeos em apenas um DVD. Dessa forma, tivemos o caso de 3 fitas com assuntos relacionados que se transformaram em um único DVD e mais 2 fitas com as quais se fez o mesmo. O saldo final foi de 33 DVDs.
  • 10. 10 Após o serviço realizado pela empresa, a bibliotecária iniciou o procedimento de rever todos os vídeos para catalogá-los, de forma que facilitasse a busca dos usuários e a organização do acervo. Enquanto a bibliotecária realizava este trabalho, fui diagramando, imprimindo, cortando e dobrando as novas capas para os DVDs, já com o número de chamada e código de barras, prontos para o empréstimo. 2.2 Digitalização do acervo de monografias Em 1989 o CEDOP iniciou suas atividades com os Cursos de Especialização em Saúde e Trabalho e em Medicina do Trabalho. O centro oferecia anualmente no mínimo uma turma para cada curso, sendo que o curso de Saúde e Trabalho formou sua última turma no ano de 2005. Os cursos de especialização têm como determinação do Ministério da Educação (MEC) a conclusão das disciplinas do currículo do curso e a produção de uma monografia. Após a avaliação da banca e da coordenação do curso, as monografias aprovadas são incorporadas ao acervo da biblioteca e disponibilizadas aos usuários. Com mais de 20 anos de produção de monografias, o acervo foi crescendo, enquanto o espaço da biblioteca continuava o mesmo. Além disso, muitas das monografias estavam em mau estado devido à frágil encadernação (espiral) e ao mau uso por parte dos usuários, além de há alguns anos já não serem mais consultadas ou retiradas para empréstimo. Pensando na preservação e conservação e nas novas formas de suporte da informação, iniciamos o processo de digitalização das monografias anteriores ao ano de 2000.
  • 11. 11 Figura 2: Acervo de monografias Primeiramente a bibliotecária localizou as obras no sistema e colocou-as no status encadernação, ou seja, estariam temporariamente indisponíveis para consulta e empréstimo. Logo após, sistematizei o trabalho de digitalização das monografias por ano seguindo alguns procedimentos básicos: retirada do espiral/encadernação, acondicionamento do conteúdo junto com a ficha de identificação da obra, digitalização do conteúdo com o uso de um scanner e gravação dos arquivos (no formato PDF1) em CD-ROM. As monografias foram armazenadas no formato PDF por este ser um formato geralmente bem conhecido e utilizado para documentos acadêmicos, além de preservar a formatação independentemente do computador e impedir a modificação das informações contidas no arquivo. Os arquivos das monografias foram organizados em CD-ROM por ano de 1 Portable Document Format, formato de arquivo desenvolvido pela Adobe Systems que preserva a formatação do documento, representado-o exatamente da mesma forma em qualquer computador que possua a programa Acrobat Reader.
  • 12. 12 conclusão dos cursos e para cada ano foram feitas quatro cópias: duas para empréstimo e duas para reserva técnica. Após a conclusão do trabalho de digitalização das monografias, foi decidido pela bibliotecária e pela coordenação do CEDOP que as próximas turmas a concluir os cursos de especialização do Centro encaminharão à biblioteca somente o arquivo em formato digital do trabalho de conclusão, não sendo necessária a entrega da monografia impressa. Esta decisão já foi adotada por diversas bibliotecas da Universidade, incentivando a publicação dos arquivos dos trabalhos no Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (LUME) e devido a facilidade de armazenamento que as mídias em CD-ROM proporcionam à biblioteca, sem prejudicar o acesso à informação. 2.3 Blog O blog foi desenvolvido por mim durante o estágio, pensando em um canal de informação e contato entre a biblioteca e seus usuários, trazendo notícias de assuntos relacionados à Saúde do Trabalhador, eventos, cursos, dicas de acesso às bases de dados, periódicos disponíveis para consulta online, informações e manuais sobre pesquisa, novidades do acervo e indicações de obras disponíveis na biblioteca. O blog foi também um trabalho para a disciplina de “Introdução a Desenvolvimento de Páginas Web”, que realizei concomitantemente ao estágio. Para a construção do blog, foram levados em conta alguns parâmetros de boa interação homem-computador (MORAES, 2002): • minimizar a quantidade de informações em cada tela; • agrupamento de itens similares; • realce de informações prioritárias;
  • 13. 13 • padronização das telas; • apresentação do texto; • uso de cores. Além destes parâmetros, foram pensadas também questões como: quem é o usuário? Qual seu nível de conhecimento em informática? Que tipo de informações esse usuário gostaria de encontrar no blog da biblioteca? A coordenação do CEDOP aprovou a ideia e demonstrou entusiasmo pela nova forma de contato e disseminação de informações especializadas pela web. O coordenador do curso vem contribuindo constantemente com o envio de conteúdos e notícias para o blog, enriquecendo este novo meio de comunicação com os alunos, usuários da biblioteca e interessados no assuntos ligados à Saúde do Trabalhador. O blog está disponível no endereço http://bibcedop.blogspot.com/.
  • 14. 14 Figura 3: Recorte da página inicial do blog. Acesso em 20 de junho de 2010.
  • 15. 15 3 ATIVIDADES DESEMPENHADAS As atividades desempenhadas ao longo do estágio envolviam, muitas vezes, tarefas vinculadas aos projetos em desenvolvimento, conforme especificado nos itens anteriores. 3.1 Gestão Nos serviços de gestão, as tarefas em comum entre os projetos incluíam contato com fornecedores, pesquisa de preços de produtos e serviços, pagamentos, levantamento dos materiais no almoxarifado, compra e recebimento de materiais, entre outras. O ambiente era controlado diariamente, observando as condições de limpeza do espaço, além do funcionamento e da manutenção dos equipamentos (computadores, ar condicionado e sistema de iluminação). Entre as atividades técnico-administrativas, as que realizei com mais frequência foram o contato com fornecedores de materiais de consumo e permanente, o recolhimento de correspondências na secretaria da Faculdade de Medicina e serviços reprográficos. 3.2 Serviços técnicos Os serviços técnicos incluíam basicamente as atividades de organização (controle e guarda) de materiais e tratamento da informação, cujas etapas eram
  • 16. 16 divididas em aquisição, seleção, catalogação, classificação, inserção de dados no sistema informatizado, preparo para empréstimo e medidas de conservação e preservação dos materiais. 3.2.1 Organização de materiais Organizei diariamente a disposição dos livros nas estantes conforme o número de chamada, enquanto recolocava os livros devolvidos no dia anterior nos seus respectivos lugares. Muitas vezes o usuário recoloca os livros na estante (mesmo com a sinalização solicitando que não o faça) com o intuito de “ajudar” o pessoal de biblioteca. No entanto, na maioria das vezes, o usuário não se lembra exatamente de onde retirou o livro e o coloca em um lugar diferente do que seria correto, por isso, é importante que a ordem de colocação dos livros seja observada com atenção pelo técnico. 3.2.2 Tratamento da informação Quanto ao tratamento da informação, desempenhei atividades que contemplavam as fases de recebimento de doação, seleção, catalogação, inserção de dados sobre aquisição no sistema e preparo para empréstimo, descritas a seguir. Durante o período de estágio, a biblioteca não adquiriu livros através de compra, pois o Centro mantém-se com as verbas dos cursos de especialização, o que geralmente implica em moderação nos gastos. Entretanto, a biblioteca recebeu uma boa quantidade de doações de monografias produzidas pelos alunos que concluíram o curso de especialização no final de 2009, além de doações de professores e outras bibliotecas.
  • 17. 17 3.2.2.1 Seleção A biblioteca possuía uma grande quantidade de livros e folhetos doados que precisavam ser selecionados para incorporação ou não ao acervo. Conjuntamente, eu e a bibliotecária, avaliamos o que seria de interesse para os usuários observando alguns critérios pré-estabelecidos como: vinculação do assunto com os temas específicos da biblioteca e ano de publicação. As obras selecionadas passaram, em seguida, pelos procedimentos de catalogação, inserção dos dados de aquisição no sistema ALEPH e preparo para empréstimo, antes de irem para as estantes. 3.2.2.2 Catalogação/classificação A catalogação consistia na entrada de dados referentes à obra no sistema ALEPH, que é utilizado na biblioteca do CEDOP, bem como nas demais bibliotecas da UFRGS. A bibliotecária orientou-me sobre a verificação da existência da obra em outras bibliotecas da Universidade, para seguir o mesmo modelo, os códigos de catalogação utilizados no sistema e como deveriam ser inseridas as informações na planilha. A classificação dos itens foi feita pela bibliotecária, sempre orientando-me como eram realizados os procedimentos. 3.2.2.3 Inserção dos dados de aquisição no sistema O procedimento de inserção dos dados de aquisição era feito também no sistema ALEPH, com os recursos e comandos específicos. Nessa etapa, a obra era, para o sistema, efetivamente incorporada ao acervo, transformando-se em item que seguiria a disponibilidade definida pela bibliotecária (consulta local, três dias, semanal, regular, etc). Também no processo de aquisição, a obra recebia o código de
  • 18. 18 barras, cuja função é identificar a obra no sistema e facilitar especialmente o empréstimo e a devolução. 3.2.2.4 Preparo para empréstimo Após os procedimentos de seleção, catalogação e aquisição, realizei tarefas básicas para o preparo para empréstimo, como a colocação do carimbo da biblioteca na folha de rosto, em algumas páginas no interior do livro e nos cortes, colagem da etiqueta com o número de chamada na lombada e de papel contact sobre a mesma. 3.2.2.5 Conservação Preventiva e Restauração O acervo foi inspecionado a fim de retirarmos de circulação os livros que estavam em condições físicas muito precárias. Selecionamos cerca de 25 obras, sobre as quais trabalhei aproximadamente 30 horas, refazendo a encadernação (costuras/colagem), reconstituindo algumas folhas, entre outros procedimentos. Durante a inspeção também observamos que alguns livros poderiam ser preservados com a confecção de uma jaqueta de poliéster para acondicionar e evitar o desgaste precoce da capa da obra2. Esta medida foi adotada em 15 livros, especialmente os de maior circulação e consulta local – os quais já possuíam sinais de danos causados pelo homem. Outra ação importante desenvolvida quanto a conservação e preservação dos livros da biblioteca foi a sinalização das estantes voltada para o manuseio correto dos materiais, lembrando ao usuário a forma correta para retirar o livro da estante. 2 As jaquetas foram construídas conforme PROJETO CONSERVAÇÃO PREVENTIVA EM BIBLIOTECAS E ARQUIVOS. Armazenagem e Manuseio. 2. ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001. 49 p. Disponível em: <http://www.arqsp.org.br/cpba/pdf_cadtec/1_9.pdf>. Acesso em: 15 abr. 2010.
  • 19. 19 Figura 3: Sinalização referente a forma correta de retirar os livros da estante. (SILVA e ARAÚJO, 2003.) 3.3 Serviços ao público Os serviços ao público eram constituídos de medidas para a disseminação da informação, o atendimento ao usuário no serviço de referência e o auxílio a eventos culturais e de extensão. 3.3.1 Processos de disseminação da informação Conforme descrito anteriormente, visando um melhor acesso e a disseminação da informação, desenvolvi, nesta área, um blog para a biblioteca do CEDOP. No serviço diário na biblioteca, quando solicitado, realizei o atendimento no serviço de referência e orientei os usuários quanto ao uso da biblioteca e formas de busca de obras para a consulta de acordo com o assunto de interesse.
  • 20. 20 Com o objetivo de facilitar a orientação aos alunos dos cursos de especialização do CEDOP quanto ao uso do serviço de empréstimo das bibliotecas da UFRGS, elaborei um pequeno tutorial sobre os procedimentos para o primeiro acesso ao Sistema de Bibliotecas da UFRGS – SBU/UFRGS. Figura 4: Tutorial para primeiro acesso ao SBU. 3.3.2 Atendimento ao usuário no serviço de referência Nesta área, orientei os usuários quanto a buscas e pesquisas na web, bases de dados, periódicos da Capes, Scielo (Scientific Electronic Library Online), Lume/UFRGS
  • 21. 21 (Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Biblioteca Virtual de Saúde, etc. As orientações foram realizadas tanto presencialmente quanto através do blog. 3.3.3 Organização de atividades culturais e de extensão - Simpósio “Saúde Urbana: cidade, meio ambiente e desigualdades” O simpósio Saúde Urbana: cidade, meio ambiente e desigualdades faz parte de uma série de eventos proporcionados a partir de um projeto de extensão do Departamento de Medicina Social, ao qual a biblioteca do CEDOP está vinculada. Realizei a divulgação do evento através de lista de e-mails e afixação de cartazes pelas unidades para as quais o evento poderia ser de interesse. No dia do simpósio, atuei conjuntamente com a comissão organizadora orientando os participantes, auxiliando nas inscrições e coletando e-mails para divulgação de futuros eventos. O evento foi importante (além da minha participação no mesmo também como ouvinte) para estabelecer contato com pessoas com interesses afins à especialidade da biblioteca do CEDOP. É essencial que a equipe de uma biblioteca especializada participe de eventos acadêmicos sobre assuntos ligados a sua área de atuação, visando o conhecimento atualizado e de qualidade para auxiliar os usuários em suas buscas.
  • 22. 22 Figura 5: Cartaz de divulgação do evento
  • 23. 23 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS Como refere Litton (1975), os cursos para auxiliares de biblioteca, até pouco tempo atrás, tinham como característica a capacitação de pessoas que já trabalhavam em bibliotecas para um trabalho mais eficiente. Eram cursos paliativos, de preparação e transmissão de normas formais para o trabalho em biblioteca. Este panorama é bem diferente do que se observa no curso técnico em Biblioteconomia do IFRS, o qual levou-me a realizar este estágio. No nosso curso, grande parte dos alunos não possui experiência profissional na área. Ao longo da minha formação técnica, houve a discussão constante sobre a necessidade e as consequências do nosso (futuro) trabalho. O currículo abrange diversas áreas essenciais para a compreensão da atuação do profissional da informação. É um curso que visa a educação de futuros técnicos, habilitados a organizar, planejar, gerir, conservar e disseminar a informação, orientar e auxiliar o usuário, além de manter ativo, observar e aprimorar constantemente o serviço e a função social da biblioteca. Entretanto, o conhecimento teórico não é absorvido e compreendido em sua totalidade sem a vivência prática. Para Litton (idem), o treinamento é somente parte do processo de educação. Por isso, o estágio curricular é uma fase indispensável ao curso, no qual são revistos os conceitos e reflexões a medida em que a experiência do cotidiano vai trazendo as situações teorizadas e discutidas nas disciplinas do currículo. O profissional que passou por uma educação formal na área conhece melhor o sentido e a importância dos procedimentos de seu trabalho. Portanto, a preparação técnica aliada ao conhecimento empírico formam um técnico em Biblioteconomia mais qualificado e preparado para enfrentar o mundo do trabalho. Meu estágio na biblioteca do CEDOP trouxe conhecimentos e experiências que
  • 24. 24 vão além da sala de aula, mas que podem ser exibidos e discutidos também dentro desta. Finalmente, as expectativas de aprendizado e emprego das técnicas adquiridas no curso foram amplamente atendidas, trazendo inclusive uma maior motivação e ainda mais gosto pelo trabalho em bibliotecas. Valeu a pena.
  • 25. 25 REFERÊNCIAS LITTON, Gaston. Formação de pessoal. São Paulo: McGraw-Hill, 1975. MORAES, Anamaria (org). Design e avaliação de interface: ergodesign e interação humano-computador. Rio de Janeiro: iUsEr, 2002. PROJETO CONSERVAÇÃO PREVENTIVA EM BIBLIOTECAS E ARQUIVOS. Armazenagem e Manuseio. 2. ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001. 49 p. Disponível em: <http://www.arqsp.org.br/cpba/pdf_cadtec/1_9.pdf>. Acesso em: 15 abr. 2010. SILVA, D. A.; ARAÚJO, I. A. Auxiliar de biblioteca: técnicas e práticas para formação profissional. 5. ed. Brasília, DF: Thesaurus, 2003. SOUTO, Leonardo Fernandes. O profissional da informação em tempo de mudanças. Campinas: Alínea, 2005 VALENTIM, Marta Ligia Pomim. O profissional da informação: formação, perfil e atuação profissional. São Paulo: Polis, 2000. VERGUEIRO, Waldomiro de Castro Santos. Desenvolvimento de coleções. São Paulo: Polis, 1989.