SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE PAULISTA

INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO – ICSC
  CURSOS DE LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO
                 Português e Inglês

                 Campus Vergueiro




                Relatório de APS


                    Profª Cielo




                              Alessandra Cantero RA: A53ABH-J

                                  Fernando Ribeiro da Silva RA: A43PHJ-7

                                  Maria das Dores Ricardo RA: A613102

                                  Ryo Segawa RA: 609149-0

                                  Rodrigo Rezende RA: 609149-0

                                  Sandra Almeida Severo RA: A63683-8




                       May/2012
A atividade de APS desse semestre, desenvolvida sob a orientação da Profª
Drª Cielo Festino, adotou o modelo do projeto PROLIT, idealizado pela mesma.
Tal projeto, embasado didaticamente na vertente do Letramento Crítico, une o
Ensino da Literatura a um empenho, por parte do formador, para um
aprendizado significativo para o aluno, colhendo da experiência desse,
elementos que colaborem para a construção do conhecimento.
     Além da leitura dos artigos: MATTOS, A. M.; VALÉRIO, K. M. Letramento
Crítico e ensino comunicativo: lacunas e interseções e MENEZES DE SOUZA,
L.   M.   T.   Para   uma    redefinição   de   Letramento   Crítico:   conflito   e
produção de Significação, os alunos usaram também a observação feita em
aula do modus operandi da orientadora e a experiência adquirida outrora como
alunos do mesmo projeto PROLIT, em módulo dado pela aluna formadora
Marília Magalhães (2010).
     A escolha do autor e. e. cummings deu-se pela inovação sintática que este
trouxe à poesia, servindo de inspiração aos criadores da poesia concreta.
Único movimento poético originalmente brasileiro. Fez-se o recorte da obra de
e. e. cummings selecionado por Augusto de Campos, primeiro e maior tradutor
do poeta até o momento.
     Com os dois critérios acima, a saber, aprendizado significativo por parte dos
alunos colhendo elementos de sua experiência e o recorte específico da obra
de cummings que influenciou a poesia concreta, preparou-se a aula. Essa foi
realizada nos dias 2 e 9 de maio de 2012, na sala PM 25 do campus Vergueiro,
destinada aos alunos do curso de Letras. Usou-se micro computador e data
show para a exposição da aula em arquivo Power Point, e exibição de vídeo
poema em ambiente midiático, assim como depoimento do poeta Augusto de
Campos sobre a teoria brasileira da tradução. Esses equipamentos também
serviram para explanar a ordem utilizada na confecção do blog, onde foram
postados subsídios para compreender melhor o tema.
O plano da aula I foi desenvolvido sob o mote “PROLIT – LITERATURA
NORTE AMERICANA E BRASILEIRA / TRADUÇÃO DE POESIA (elementos
semânticos e formais). Leitura / intertextualidade / interpretação / teoria
brasileira da tradução – a partir de Augusto de Campos”. Entregou-se, no
começo da aula, uma poesia concreta de Augusto de Campos feita em
homenagem a e. e. cummings por ocasião do centenário de nascimento desse,
1994.

                             Texto 1: "Pérolas para Cummings"




        Além da versão visual, foram entregues o mesmo texto sem tais
recursos e ainda, uma terceira versão, em estrutura linear para que os alunos
buscassem     inferir   os     significados   e   intertextualidades.   O   texto   de
intertextualidade sugeriu a pouca aceitação social de e. e. cummings por parte
de seus contemporâneos. Seguiu-se a exibição em suporte midiático da versão
vídeo poema do mesmo texto. Após pequena reflexão em conjunto com a sala,
indicou-se, no material que os alunos receberam, uma breve biografia do poeta
e tradutor Augusto de Campos. A aula ofereceu ainda, a oportunidade dos
alunos conhecerem a teoria da tradução iniciada no Brasil a partir de Haroldo
de Campos, Guilherme de Almeida e Augusto de Campos. A qual e. e.
cummings aprecioou e elogiou ainda em vida, conforme verificou-se na aula 2.
Oferece-se aos alunos uma série de links e textos para que aprofundassem
seus conhecimentos no tema da aula. Eles levaram para casa a tarefa de
pesquisar mais sobre e. e. cummings e refletir sobre o poema loneliness do
mesmo poeta.




      Desenvolvida a partir da análise do poema loneliness, a aula 2 iniciou
pontualmente às 18h10 do dia 9 de maio de 2012. Logo após a apresentação
do professor, perguntou-se aos presentes sobre a pesquisa pedida na aula
anterior. Os dois professores verificaram os comentários deixados pelos
alunos, apenas 2. E prosseguiu-se a aula apresentando a biografia de e. e.
cummings. Uma vez apresentada e as perguntas respondidas, deu-se início à
segunda etapa da aula, cujo objetivo era analisar o texto de cummings,
chamado por Augusto de Campos de haicai da folha que cai. Solicitou-se aos
alunos que observassem os textos (de Augusto e cummings) e verificassem as
semelhanças. Após esta etapa, pediu-se aos presentes que analisassem os
dois textos e respondessem se era possível perceber a presença e.e.cummings
no texto do Augusto. Após o momento de reflexão conjunta deu-se início à
análise de loneliness. Uma vez realizada, foi apresentado aos alunos uma
apresentação em datashow, mostrando cartas entre cummings e o poeta
Augusto de Campos. A aula encerrou com o convite para que todos
participassem do blog criado para esta aula.
       O blog foi desenvolvido tendo em conta o estudo sobre a gramática da
sintaxe visual de Kress e van Leeuwen (1996), semioticistas sociais.
Respeitando a estrutura mais apropriada para construção de sentido, de
acordo com o gênero e assunto a ser tratado e atentando para os efeitos de
modalização visual. Usou-se como plano de fundo a tela Mountain range in
horizon de e. e. cummings. Atenuada com o efeito de marca d´água
(Photoshop) para reduzir o impacto das cores fortes que não favorecem a
tranquilidade necessária à reflexão e ao estudo. Procurou-se usar cores suaves
para contribuir à reflexão dos alunos. Os assuntos foram separados e divididos
em 5 abas, a saber: e. e. cummings (biografia, e textos realcionados), A. de
Campos / Tradutor (biografia, teoria da tradução, vídeos, um artigo e poemas),
aulas I e II (postagem das aulas), anexos (pinturas de cummings e curiosidades
sobre o tema) e a aba relatório (em que consta este texto). Colocando-se a
informação nova e principal no centro direito, o dado conhecido ao lado
esquerdo. O título, informação ideal, na parte superior, e um depoimento do
poeta Augusto de Campos na parte inferior, coincidindo com o dado real. Os
arquivos foram incorporados ao blog respeitando os formatos originais e
permitindo download sem alterar a formatação, para isso criou-se uma conta
exterior de armazenamento online.
       Embora o blog proporcione diversos recursos e a interação digital a que
a maioria dos alunos estão imersos, neste caso ainda não chegou a ser
utilizado em toda a sua potencialidade devido, talvez, à falta de prática dos
alunos em usarem este recurso para interação e construção interacional de
conhecimentos. Pode-se dizer que falta criar uma cultura de inter-relação por
meio gênero digital blog. Os alunos se ajudam muito mais usando o grupo de
emails da sala. A participação dos alunos em sala foi satisfatória, considerando
que não estavam habituados a essa abordagem e assunto. Organizar as aulas,
levando em consideração, um aprendizado significativo para o aluno, contribui
também para uma assimilação mais profunda e elaborada por parte do aluno
formador. Uma experiência a se ter em conta e ampliar na futura prática
didática.
Bibliografia

MATTOS, A. M.; VALÉRIO, K. M. Letramento Crítico e ensino comunicativo:
lacunas e interseções

MENEZES DE SOUZA, L. M. T. Para uma redefinição de Letramento Crítico:
conflito e produção de Significação

KRESS, G.; van LEEUWEN, T. Reading images: the grammar of visual design.
London; New York: Routledge, 1996

ORMUNDO, J. Reconfiguração da Linguagem na Globalização. Tese
(Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística,
Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Universidade de
Brasília, Brasília, 2007

ORMUNDO, J. Análise social, Linguagem e Globalização: uma abordagem
trandisciplinar da Análise de Discurso Crítica. In: VIEIRA, Josenia; BENTO,
André e ORMUNDO, Joana. Discurso nas Práticas Sociais: Perspectivas em
Multimodalidade e em gramática Sistêmico-Funcional. São Paulo: Annablume,
2010.

Sites

http://www.gvsu.edu/english/cummings/perolas.htm Acesso em: 21 Abril 2012.
http://eecummingsbioflashes.blogspot.com.br/ Acesso em: 20 Maio 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
Marco Silva
 
Cap.16: Sociologia da Comunicação
Cap.16: Sociologia da ComunicaçãoCap.16: Sociologia da Comunicação
Cap.16: Sociologia da Comunicação
roberto mosca junior
 
Resolução da prova cancelada do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
Resolução da prova cancelada  do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...Resolução da prova cancelada  do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
Resolução da prova cancelada do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
mariainesmachado
 
Relatório do filme: Ossos
Relatório do filme: OssosRelatório do filme: Ossos
Relatório do filme: Ossos
Helena Marques
 
Aula pronome e coesão textual
Aula  pronome e coesão textualAula  pronome e coesão textual
Aula pronome e coesão textual
Marcia Oliveira
 
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundoLajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
marcaocampos
 

Mais procurados (20)

Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
 
Figuras de Linguagem - Ironia
Figuras de Linguagem - IroniaFiguras de Linguagem - Ironia
Figuras de Linguagem - Ironia
 
5 dicas para você montar sua introdução
5 dicas para você montar sua introdução5 dicas para você montar sua introdução
5 dicas para você montar sua introdução
 
Cap.16: Sociologia da Comunicação
Cap.16: Sociologia da ComunicaçãoCap.16: Sociologia da Comunicação
Cap.16: Sociologia da Comunicação
 
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OKAULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
 
Resolução da prova cancelada do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
Resolução da prova cancelada  do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...Resolução da prova cancelada  do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
Resolução da prova cancelada do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
 
Resenha
ResenhaResenha
Resenha
 
Relatório do filme: Ossos
Relatório do filme: OssosRelatório do filme: Ossos
Relatório do filme: Ossos
 
LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 35 | 3ª SÉRIE | A TESE NOS GÊNEROS TEXTUAIS OPINA...
LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 35 | 3ª SÉRIE |  A TESE NOS GÊNEROS TEXTUAIS OPINA...LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 35 | 3ª SÉRIE |  A TESE NOS GÊNEROS TEXTUAIS OPINA...
LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 35 | 3ª SÉRIE | A TESE NOS GÊNEROS TEXTUAIS OPINA...
 
História das revistas no Brasil e no Mundo
História das revistas no Brasil e no MundoHistória das revistas no Brasil e no Mundo
História das revistas no Brasil e no Mundo
 
Tipos de argumentação
Tipos de argumentaçãoTipos de argumentação
Tipos de argumentação
 
Semântica sinonímia e paráfrase
Semântica   sinonímia e paráfraseSemântica   sinonímia e paráfrase
Semântica sinonímia e paráfrase
 
Aula pronome e coesão textual
Aula  pronome e coesão textualAula  pronome e coesão textual
Aula pronome e coesão textual
 
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundoLajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
 
Conjunções coordenadas
Conjunções coordenadasConjunções coordenadas
Conjunções coordenadas
 
Aula 3 PAUTA
Aula 3   PAUTAAula 3   PAUTA
Aula 3 PAUTA
 
O texto literário
O texto literárioO texto literário
O texto literário
 
Projeto de Indexação do livro: A menina que roubava livros
Projeto de Indexação  do livro: A menina que roubava livrosProjeto de Indexação  do livro: A menina que roubava livros
Projeto de Indexação do livro: A menina que roubava livros
 
Aula13 figuras de linguagem
Aula13  figuras de linguagemAula13  figuras de linguagem
Aula13 figuras de linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 

Semelhante a Relatorio aps

Construção de Historias por Alunos Surdos
Construção de Historias por Alunos SurdosConstrução de Historias por Alunos Surdos
Construção de Historias por Alunos Surdos
asustecnologia
 
Orientações e resoluções das atividades de aplicação ensino médio - novo en...
Orientações e resoluções das atividades de aplicação   ensino médio - novo en...Orientações e resoluções das atividades de aplicação   ensino médio - novo en...
Orientações e resoluções das atividades de aplicação ensino médio - novo en...
Alex GM
 
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
ADRIANA BECKER
 
Sequência didática meu primeiro beijo
Sequência didática   meu primeiro beijoSequência didática   meu primeiro beijo
Sequência didática meu primeiro beijo
silvaniaconte
 
Projeto cidadania clarice rondon
Projeto cidadania clarice rondonProjeto cidadania clarice rondon
Projeto cidadania clarice rondon
JaneteNTE2013
 
Projeto CIDADANIA E.E.Profª Clarice Rondon
Projeto  CIDADANIA   E.E.Profª  Clarice RondonProjeto  CIDADANIA   E.E.Profª  Clarice Rondon
Projeto CIDADANIA E.E.Profª Clarice Rondon
steclaricevania
 
RELATO DE TATIANA PEREIRA
RELATO DE TATIANA PEREIRARELATO DE TATIANA PEREIRA
RELATO DE TATIANA PEREIRA
Marisa Seara
 
Modelo relatoriofinalmoduloinfoeducacao
Modelo relatoriofinalmoduloinfoeducacaoModelo relatoriofinalmoduloinfoeducacao
Modelo relatoriofinalmoduloinfoeducacao
conceicao2120
 

Semelhante a Relatorio aps (20)

Atividade2 8 Ananerysantos
Atividade2 8 AnanerysantosAtividade2 8 Ananerysantos
Atividade2 8 Ananerysantos
 
Construção de Historias por Alunos Surdos
Construção de Historias por Alunos SurdosConstrução de Historias por Alunos Surdos
Construção de Historias por Alunos Surdos
 
E - Pibid - apresentação aquecimento global
E - Pibid - apresentação aquecimento globalE - Pibid - apresentação aquecimento global
E - Pibid - apresentação aquecimento global
 
6 anol portuguesaprofessor3cadernonovo
6 anol portuguesaprofessor3cadernonovo6 anol portuguesaprofessor3cadernonovo
6 anol portuguesaprofessor3cadernonovo
 
A importância da literatura no ensino de língua estrangeira
A importância da literatura no ensino de língua estrangeiraA importância da literatura no ensino de língua estrangeira
A importância da literatura no ensino de língua estrangeira
 
Fundamentos de algebra, ufmg, livro algebra A
Fundamentos de algebra, ufmg, livro algebra AFundamentos de algebra, ufmg, livro algebra A
Fundamentos de algebra, ufmg, livro algebra A
 
Orientações e resoluções das atividades de aplicação ensino médio - novo en...
Orientações e resoluções das atividades de aplicação   ensino médio - novo en...Orientações e resoluções das atividades de aplicação   ensino médio - novo en...
Orientações e resoluções das atividades de aplicação ensino médio - novo en...
 
ResenhaIrandeAntunes.pdf
ResenhaIrandeAntunes.pdfResenhaIrandeAntunes.pdf
ResenhaIrandeAntunes.pdf
 
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
Caderno atps literaturas_de_língua_inglesa_v2 (2)
 
Sequência didática meu primeiro beijo
Sequência didática   meu primeiro beijoSequência didática   meu primeiro beijo
Sequência didática meu primeiro beijo
 
Plano de aula - THE PHYSICIAN'S TALES (FROM CANTERBURY TALES)
Plano de aula - THE PHYSICIAN'S TALES (FROM CANTERBURY TALES)Plano de aula - THE PHYSICIAN'S TALES (FROM CANTERBURY TALES)
Plano de aula - THE PHYSICIAN'S TALES (FROM CANTERBURY TALES)
 
O desenvolvimento de estratégias de leitura em língua inglesa com foco no ENEM
O desenvolvimento de estratégias de leitura em língua inglesa com foco no ENEMO desenvolvimento de estratégias de leitura em língua inglesa com foco no ENEM
O desenvolvimento de estratégias de leitura em língua inglesa com foco no ENEM
 
Projeto cidadania clarice rondon
Projeto cidadania clarice rondonProjeto cidadania clarice rondon
Projeto cidadania clarice rondon
 
Projeto CIDADANIA E.E.Profª Clarice Rondon
Projeto  CIDADANIA   E.E.Profª  Clarice RondonProjeto  CIDADANIA   E.E.Profª  Clarice Rondon
Projeto CIDADANIA E.E.Profª Clarice Rondon
 
Abordagem ao genero textual crônica
Abordagem ao genero textual crônicaAbordagem ao genero textual crônica
Abordagem ao genero textual crônica
 
como trabalhar narrativas.pdf
como trabalhar narrativas.pdfcomo trabalhar narrativas.pdf
como trabalhar narrativas.pdf
 
RELATO DE TATIANA PEREIRA
RELATO DE TATIANA PEREIRARELATO DE TATIANA PEREIRA
RELATO DE TATIANA PEREIRA
 
Modelo relatoriofinalmoduloinfoeducacao
Modelo relatoriofinalmoduloinfoeducacaoModelo relatoriofinalmoduloinfoeducacao
Modelo relatoriofinalmoduloinfoeducacao
 
Plano de Aula Sobre Pontos Turísticos
Plano de Aula Sobre Pontos TurísticosPlano de Aula Sobre Pontos Turísticos
Plano de Aula Sobre Pontos Turísticos
 
Resumo fapa 2013
Resumo fapa 2013Resumo fapa 2013
Resumo fapa 2013
 

Mais de Ale Cantero

Plano de aula professor
Plano de aula   professorPlano de aula   professor
Plano de aula professor
Ale Cantero
 
Plano de aula aluno
Plano de aula   alunoPlano de aula   aluno
Plano de aula aluno
Ale Cantero
 
Manifesto concretista
Manifesto concretistaManifesto concretista
Manifesto concretista
Ale Cantero
 
O olho de cummings
O olho de cummingsO olho de cummings
O olho de cummings
Ale Cantero
 
A gesticulação semiótica de e.e. cummings na tradução de augusto de campos
A gesticulação semiótica de e.e. cummings na tradução de augusto de camposA gesticulação semiótica de e.e. cummings na tradução de augusto de campos
A gesticulação semiótica de e.e. cummings na tradução de augusto de campos
Ale Cantero
 
Transfusao comofoi encontro
Transfusao comofoi encontroTransfusao comofoi encontro
Transfusao comofoi encontro
Ale Cantero
 

Mais de Ale Cantero (11)

2nd class
2nd class2nd class
2nd class
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Plano de aula professor
Plano de aula   professorPlano de aula   professor
Plano de aula professor
 
Aps 2011
Aps 2011Aps 2011
Aps 2011
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Plano de aula aluno
Plano de aula   alunoPlano de aula   aluno
Plano de aula aluno
 
Manifesto concretista
Manifesto concretistaManifesto concretista
Manifesto concretista
 
O olho de cummings
O olho de cummingsO olho de cummings
O olho de cummings
 
A gesticulação semiótica de e.e. cummings na tradução de augusto de campos
A gesticulação semiótica de e.e. cummings na tradução de augusto de camposA gesticulação semiótica de e.e. cummings na tradução de augusto de campos
A gesticulação semiótica de e.e. cummings na tradução de augusto de campos
 
Transfusao comofoi encontro
Transfusao comofoi encontroTransfusao comofoi encontro
Transfusao comofoi encontro
 

Relatorio aps

  • 1. UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO – ICSC CURSOS DE LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO Português e Inglês Campus Vergueiro Relatório de APS Profª Cielo Alessandra Cantero RA: A53ABH-J Fernando Ribeiro da Silva RA: A43PHJ-7 Maria das Dores Ricardo RA: A613102 Ryo Segawa RA: 609149-0 Rodrigo Rezende RA: 609149-0 Sandra Almeida Severo RA: A63683-8 May/2012
  • 2. A atividade de APS desse semestre, desenvolvida sob a orientação da Profª Drª Cielo Festino, adotou o modelo do projeto PROLIT, idealizado pela mesma. Tal projeto, embasado didaticamente na vertente do Letramento Crítico, une o Ensino da Literatura a um empenho, por parte do formador, para um aprendizado significativo para o aluno, colhendo da experiência desse, elementos que colaborem para a construção do conhecimento. Além da leitura dos artigos: MATTOS, A. M.; VALÉRIO, K. M. Letramento Crítico e ensino comunicativo: lacunas e interseções e MENEZES DE SOUZA, L. M. T. Para uma redefinição de Letramento Crítico: conflito e produção de Significação, os alunos usaram também a observação feita em aula do modus operandi da orientadora e a experiência adquirida outrora como alunos do mesmo projeto PROLIT, em módulo dado pela aluna formadora Marília Magalhães (2010). A escolha do autor e. e. cummings deu-se pela inovação sintática que este trouxe à poesia, servindo de inspiração aos criadores da poesia concreta. Único movimento poético originalmente brasileiro. Fez-se o recorte da obra de e. e. cummings selecionado por Augusto de Campos, primeiro e maior tradutor do poeta até o momento. Com os dois critérios acima, a saber, aprendizado significativo por parte dos alunos colhendo elementos de sua experiência e o recorte específico da obra de cummings que influenciou a poesia concreta, preparou-se a aula. Essa foi realizada nos dias 2 e 9 de maio de 2012, na sala PM 25 do campus Vergueiro, destinada aos alunos do curso de Letras. Usou-se micro computador e data show para a exposição da aula em arquivo Power Point, e exibição de vídeo poema em ambiente midiático, assim como depoimento do poeta Augusto de Campos sobre a teoria brasileira da tradução. Esses equipamentos também serviram para explanar a ordem utilizada na confecção do blog, onde foram postados subsídios para compreender melhor o tema.
  • 3. O plano da aula I foi desenvolvido sob o mote “PROLIT – LITERATURA NORTE AMERICANA E BRASILEIRA / TRADUÇÃO DE POESIA (elementos semânticos e formais). Leitura / intertextualidade / interpretação / teoria brasileira da tradução – a partir de Augusto de Campos”. Entregou-se, no começo da aula, uma poesia concreta de Augusto de Campos feita em homenagem a e. e. cummings por ocasião do centenário de nascimento desse, 1994. Texto 1: "Pérolas para Cummings" Além da versão visual, foram entregues o mesmo texto sem tais recursos e ainda, uma terceira versão, em estrutura linear para que os alunos buscassem inferir os significados e intertextualidades. O texto de intertextualidade sugeriu a pouca aceitação social de e. e. cummings por parte de seus contemporâneos. Seguiu-se a exibição em suporte midiático da versão vídeo poema do mesmo texto. Após pequena reflexão em conjunto com a sala, indicou-se, no material que os alunos receberam, uma breve biografia do poeta e tradutor Augusto de Campos. A aula ofereceu ainda, a oportunidade dos alunos conhecerem a teoria da tradução iniciada no Brasil a partir de Haroldo de Campos, Guilherme de Almeida e Augusto de Campos. A qual e. e. cummings aprecioou e elogiou ainda em vida, conforme verificou-se na aula 2. Oferece-se aos alunos uma série de links e textos para que aprofundassem
  • 4. seus conhecimentos no tema da aula. Eles levaram para casa a tarefa de pesquisar mais sobre e. e. cummings e refletir sobre o poema loneliness do mesmo poeta. Desenvolvida a partir da análise do poema loneliness, a aula 2 iniciou pontualmente às 18h10 do dia 9 de maio de 2012. Logo após a apresentação do professor, perguntou-se aos presentes sobre a pesquisa pedida na aula anterior. Os dois professores verificaram os comentários deixados pelos alunos, apenas 2. E prosseguiu-se a aula apresentando a biografia de e. e. cummings. Uma vez apresentada e as perguntas respondidas, deu-se início à segunda etapa da aula, cujo objetivo era analisar o texto de cummings, chamado por Augusto de Campos de haicai da folha que cai. Solicitou-se aos alunos que observassem os textos (de Augusto e cummings) e verificassem as semelhanças. Após esta etapa, pediu-se aos presentes que analisassem os dois textos e respondessem se era possível perceber a presença e.e.cummings no texto do Augusto. Após o momento de reflexão conjunta deu-se início à análise de loneliness. Uma vez realizada, foi apresentado aos alunos uma apresentação em datashow, mostrando cartas entre cummings e o poeta
  • 5. Augusto de Campos. A aula encerrou com o convite para que todos participassem do blog criado para esta aula. O blog foi desenvolvido tendo em conta o estudo sobre a gramática da sintaxe visual de Kress e van Leeuwen (1996), semioticistas sociais. Respeitando a estrutura mais apropriada para construção de sentido, de acordo com o gênero e assunto a ser tratado e atentando para os efeitos de modalização visual. Usou-se como plano de fundo a tela Mountain range in horizon de e. e. cummings. Atenuada com o efeito de marca d´água (Photoshop) para reduzir o impacto das cores fortes que não favorecem a tranquilidade necessária à reflexão e ao estudo. Procurou-se usar cores suaves para contribuir à reflexão dos alunos. Os assuntos foram separados e divididos em 5 abas, a saber: e. e. cummings (biografia, e textos realcionados), A. de Campos / Tradutor (biografia, teoria da tradução, vídeos, um artigo e poemas), aulas I e II (postagem das aulas), anexos (pinturas de cummings e curiosidades sobre o tema) e a aba relatório (em que consta este texto). Colocando-se a informação nova e principal no centro direito, o dado conhecido ao lado esquerdo. O título, informação ideal, na parte superior, e um depoimento do poeta Augusto de Campos na parte inferior, coincidindo com o dado real. Os arquivos foram incorporados ao blog respeitando os formatos originais e permitindo download sem alterar a formatação, para isso criou-se uma conta exterior de armazenamento online. Embora o blog proporcione diversos recursos e a interação digital a que a maioria dos alunos estão imersos, neste caso ainda não chegou a ser utilizado em toda a sua potencialidade devido, talvez, à falta de prática dos alunos em usarem este recurso para interação e construção interacional de conhecimentos. Pode-se dizer que falta criar uma cultura de inter-relação por meio gênero digital blog. Os alunos se ajudam muito mais usando o grupo de emails da sala. A participação dos alunos em sala foi satisfatória, considerando que não estavam habituados a essa abordagem e assunto. Organizar as aulas, levando em consideração, um aprendizado significativo para o aluno, contribui também para uma assimilação mais profunda e elaborada por parte do aluno formador. Uma experiência a se ter em conta e ampliar na futura prática didática.
  • 6. Bibliografia MATTOS, A. M.; VALÉRIO, K. M. Letramento Crítico e ensino comunicativo: lacunas e interseções MENEZES DE SOUZA, L. M. T. Para uma redefinição de Letramento Crítico: conflito e produção de Significação KRESS, G.; van LEEUWEN, T. Reading images: the grammar of visual design. London; New York: Routledge, 1996 ORMUNDO, J. Reconfiguração da Linguagem na Globalização. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Universidade de Brasília, Brasília, 2007 ORMUNDO, J. Análise social, Linguagem e Globalização: uma abordagem trandisciplinar da Análise de Discurso Crítica. In: VIEIRA, Josenia; BENTO, André e ORMUNDO, Joana. Discurso nas Práticas Sociais: Perspectivas em Multimodalidade e em gramática Sistêmico-Funcional. São Paulo: Annablume, 2010. Sites http://www.gvsu.edu/english/cummings/perolas.htm Acesso em: 21 Abril 2012. http://eecummingsbioflashes.blogspot.com.br/ Acesso em: 20 Maio 2012