SlideShare uma empresa Scribd logo
T E M A: O P AP E L D A E N F E R M AG E M N A O R I E N T AÇ Ã O E N O
I N C E N T I V O A A M A M E N T AÇ Ã O


P R O B L E M A: Q U A L A C O N T R I B U I Ç ÃO D AS O R I E N T AÇ Õ E S
D E E N F E R M AG E M N A V I D A E N O D E S E N V O L V I M E N T O D A
M ÃE E D O B E B E E M AM A M E N T AÇ Ã O ? O B J E T I V O S


Objetivo Geral:

Mostrar a importância da atuação do enfermeiro no incentivo a
amamentação exclusiva e na manutenção da saúde do bebe.


Objetivos Específicos:


      Explicar os Benefícios advindos de uma amamentação
      correta


      Ensinar à mãe a forma correta de amamentação


      Esclarecer as dúvidas e mitos das mães em relação ao
      aleitamento materno
I N T R O D U Ç ÃO

A amamentação além de ser biologicamente determinada e
sociocultural mente condicionada, tratando -se, portanto, de
um ato impregnado de ideologias e determinantes que
resultam das condições concretas de vida. A descoberta de
vantagens da amamentação, sob a égide da ciência,
redesenhou ao compatibilizar as peculiaridades fisiológicas do
metabolismo do lactente com as descobertas acerca das
propriedades biológicas ímpares do leite humano , contribuindo
para dar ênfase a essa prática, que mais que conhecida,
devem    ser   reconhecidas   como     fundamental    para   o
desenvolvimento da criança, em todos os aspectos ( CORRÊA,
2002)

O leite humano é um alimento nutricional mente adequado
para o recém-nascido, adaptado ao metabolismo deste,
desempenhando importante papel no desenvolvimento da
criança e proporcionando proteção imunológica contra
doenças infecciosas, particularmente a diarréia; além disso,
estimula a relação afetiva do bebê com a mãe ( MOTTA, 1990)

O   aleitamento     materno   é   tão  importante   para  o
desenvolvimento e crescimento da criança, que com base em
evidências científicas, a Organização mundial de saúde, OMS
recomenda a prática da amamentação exclusiva por seis
meses e a manutenção do aleitamento materno acrescido de
alimentos complementares até os dois anos de vida ou mais
(VENANCIO, 2002)

Tendo em vista o impacto social que o aleitamento pode
proporcionar sua prática dentro de um percurso histórico e em
meio a muitos empecilhos, desde mitos até a propagação do
leite em pó, faz-se necessário uma reflexão crítica sobre tais
aspectos, dando ênfase aos benefícios do leite humano tanto
para a mãe e o filho quanto para sociedade, vale ressaltar
que tais reflexões também incluem o papel do enfermeiro na
prática do aleitamento materno, desde suas ações como
profissional de saúde até mesmo no cuidar no que se diz
respeito às mães que não podem amamentar devido à
hospitalização e a existência do banco de leite humano
(GOUVEIA, 2004)

As questões relacionadas à prática da amamentação têm -se
configurado objeto de interesse para diferentes atores e
grupos sociais ao longo da história. Em todas as épocas, o
ser humano foi levado a construir rotas alternativas para
responder à demanda das mulheres que, por opção o u
imposição, trilharam o caminho do desmame precoce
(ALMEIDA, 2004)
A prática de amamentar é uma experiência que implica no
envolvimento de uma série de fatores maternos e outros
relacionados ao recém -nascido, a qual não está na
dependência exclusiva de um a decisão prévia de amamentar
ou não. Também não depende de seus conhecimentos sobre
técnicas de manejo da amamentação. ( VENANCIO, 2002)

Desde a década de 80, as evidências favoráveis à prática da
amamentação      exclusiva    aumentaram  consideravelmente.
Atualmente sabe-se que a administração de outros líquidos
além do leite materno nos primeiros quatro meses de vida da
criança pode interferir negativamente na absorção de
nutrientes e em sua biodisponibilidade, podendo diminuir a
quantidade de leite materno inger ido e levar a menor ganho
ponderal e a aumento do risco para diarréia, infecções
respiratórias e alergias ( CECCATO, 2001)

O que determina a ação de amamentar, sua qualidade e
duração é o significado que a mulher atribui a essa
experiência. Significado este , determinado pela relação
percebida pela mulher, do ato de amamentar com os símbolos
representados nos elementos de interação vivenciados por ela
em seu contexto. Assim, é o reconhecimento dos benefícios
do aleitamento materno tem levado à busca das causa s de
seu insucesso freqüente e interrupção precoce (SILVA, 2000)

A ciência da enfermagem está baseada em ampla estrutura
teórica e o processo de enfermagem é o método através do
qual essa é aplicada à prática. O seu propósito é de oferecer
estrutura na qual as necessidades individuais do cliente, seja
ele indivíduo, família ou comunidade, possam ser satisfeitas.
E no que diz respeito à amamentação, é iminente atentar às
necessidades individuais de cada mulher, de forma a
personalizar o atendimento (PASSOS, 2000)

Amamentação, não é apenas um evento ou resposta a
determinantes biológicos e sociais, antes, é um complexo
processo de interação da mulher com os abjetos significantes
contidos em seu meio. Todos os elementos com os Quais ela
interage são percebidos, interpretados e revestido de
significados, os quais determinam as Ações que definem o
tipo e duração da amamentação (SILVA, 1997).

O aleitamento materno é sinônimo de sobrevivência para o
recém-nascido, portanto um direito inato. É uma das man eiras
mais   eficientes de   atender   os   aspectos   nutricionais,
imunológicos e psicológicos da criança em seu primeiro ano
de vida (ICHISATO & SHIMO, 2001).
Como o enfermeiro é o profissional que mais estreitamente se
relaciona com a mulher durante o
Ciclo gravídico-puerperal e tem importante papel nos
programas de educação em saúde, durante o pré -natal, ele
deve preparar a gestante para o aleitamento, para que no
pós-parto o processo de adaptação da puérpera ao
aleitamento seja facilitado e tranqüilo, evitando assim,
dúvidas, dificuldades e possíveis complicações (BRASIL,
2002).




O enfermeiro deverá estar próximo durante e após o parto,
auxiliando as mães. É necessária uma comunicação simples e
objetiva durante a orientação, o incentivo e o apoio ao
aleitamento   materno,  demonstrando   diversas  posições,
promovendo relaxamento e posicionamento
Confortável, explicando a fonte dos reflexos da criança e
mostrando como isso pode ser usado para ajudar na sucção
do recém-nascido (ALMEIDA & DO VALE, 2003).

O aleitamento materno sob livre demanda deve ser encorajado
a fim de diminuir a perda de peso inicial do recém -nascido e
promover o estímulo precoce da apojadura. Ele garante a
manutenção do vínculo mãe e filho que se inicia na gestação,
cresce e se fortifica, devendo, portanto ser incentivado a sua
continuidade para garantir bem -estar, segurança e saúde da
criança (BRASIL, 2001).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Continuação
ContinuaçãoContinuação
Continuação
Anna Karla Maia
 
Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP
Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP
Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Leite Humano: Dinâmica da Composição e implicações clínicas
Leite Humano: Dinâmica da Composição e implicações clínicas Leite Humano: Dinâmica da Composição e implicações clínicas
Leite Humano: Dinâmica da Composição e implicações clínicas
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Curso sobre aleitamento materno
Curso sobre aleitamento maternoCurso sobre aleitamento materno
Curso sobre aleitamento materno
Juninho Spina
 
Marcus renato homem e o aleitamento s u s
Marcus renato homem e o aleitamento s u sMarcus renato homem e o aleitamento s u s
Marcus renato homem e o aleitamento s u s
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Iniciativa Consultório Amigo da Amamentação: você conhece?
Iniciativa Consultório Amigo da Amamentação: você conhece? Iniciativa Consultório Amigo da Amamentação: você conhece?
Iniciativa Consultório Amigo da Amamentação: você conhece?
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Especialização em Aleitamento Materno 2019/20
Especialização em Aleitamento Materno 2019/20Especialização em Aleitamento Materno 2019/20
Especialização em Aleitamento Materno 2019/20
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Manual método canguru ms
Manual método canguru msManual método canguru ms
Manual método canguru ms
Nathália Caldas
 
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Memória do III Congresso Virtual de Aleitamento - #conviam3
Memória do III Congresso Virtual de Aleitamento - #conviam3 Memória do III Congresso Virtual de Aleitamento - #conviam3
Memória do III Congresso Virtual de Aleitamento - #conviam3
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Monografia Rizia Enfermagem 2012
Monografia Rizia Enfermagem 2012Monografia Rizia Enfermagem 2012
Monografia Rizia Enfermagem 2012
Biblioteca Campus VII
 
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
elisabuzzo
 
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
ENAM-ENACS online: programa oficial / Encontro Nacional de Aleitamento
ENAM-ENACS online: programa oficial / Encontro Nacional de Aleitamento ENAM-ENACS online: programa oficial / Encontro Nacional de Aleitamento
ENAM-ENACS online: programa oficial / Encontro Nacional de Aleitamento
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
XV ENAM - 3rd WBC - V ENACS - 1st WCFC: um resumo das principais atrações
XV ENAM - 3rd WBC - V ENACS - 1st WCFC: um resumo das principais atrações XV ENAM - 3rd WBC - V ENACS - 1st WCFC: um resumo das principais atrações
XV ENAM - 3rd WBC - V ENACS - 1st WCFC: um resumo das principais atrações
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
UFRJ: GT propõe um Guia de Apoio à Parentalidade e às Cuidadora(o)s
UFRJ: GT propõe um Guia de Apoio à Parentalidade e às Cuidadora(o)s UFRJ: GT propõe um Guia de Apoio à Parentalidade e às Cuidadora(o)s
UFRJ: GT propõe um Guia de Apoio à Parentalidade e às Cuidadora(o)s
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Alimento de Primeira - Capítulo do Caderno 17 - Primeira Infância
Alimento de Primeira - Capítulo do Caderno 17 - Primeira Infância Alimento de Primeira - Capítulo do Caderno 17 - Primeira Infância
Alimento de Primeira - Capítulo do Caderno 17 - Primeira Infância
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Mais procurados (20)

Continuação
ContinuaçãoContinuação
Continuação
 
Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP
Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP
Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP
 
Leite Humano: Dinâmica da Composição e implicações clínicas
Leite Humano: Dinâmica da Composição e implicações clínicas Leite Humano: Dinâmica da Composição e implicações clínicas
Leite Humano: Dinâmica da Composição e implicações clínicas
 
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
 
Curso sobre aleitamento materno
Curso sobre aleitamento maternoCurso sobre aleitamento materno
Curso sobre aleitamento materno
 
Marcus renato homem e o aleitamento s u s
Marcus renato homem e o aleitamento s u sMarcus renato homem e o aleitamento s u s
Marcus renato homem e o aleitamento s u s
 
Iniciativa Consultório Amigo da Amamentação: você conhece?
Iniciativa Consultório Amigo da Amamentação: você conhece? Iniciativa Consultório Amigo da Amamentação: você conhece?
Iniciativa Consultório Amigo da Amamentação: você conhece?
 
Especialização em Aleitamento Materno 2019/20
Especialização em Aleitamento Materno 2019/20Especialização em Aleitamento Materno 2019/20
Especialização em Aleitamento Materno 2019/20
 
Manual método canguru ms
Manual método canguru msManual método canguru ms
Manual método canguru ms
 
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
 
Memória do III Congresso Virtual de Aleitamento - #conviam3
Memória do III Congresso Virtual de Aleitamento - #conviam3 Memória do III Congresso Virtual de Aleitamento - #conviam3
Memória do III Congresso Virtual de Aleitamento - #conviam3
 
Monografia Rizia Enfermagem 2012
Monografia Rizia Enfermagem 2012Monografia Rizia Enfermagem 2012
Monografia Rizia Enfermagem 2012
 
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
 
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
 
ENAM-ENACS online: programa oficial / Encontro Nacional de Aleitamento
ENAM-ENACS online: programa oficial / Encontro Nacional de Aleitamento ENAM-ENACS online: programa oficial / Encontro Nacional de Aleitamento
ENAM-ENACS online: programa oficial / Encontro Nacional de Aleitamento
 
XV ENAM - 3rd WBC - V ENACS - 1st WCFC: um resumo das principais atrações
XV ENAM - 3rd WBC - V ENACS - 1st WCFC: um resumo das principais atrações XV ENAM - 3rd WBC - V ENACS - 1st WCFC: um resumo das principais atrações
XV ENAM - 3rd WBC - V ENACS - 1st WCFC: um resumo das principais atrações
 
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
 
UFRJ: GT propõe um Guia de Apoio à Parentalidade e às Cuidadora(o)s
UFRJ: GT propõe um Guia de Apoio à Parentalidade e às Cuidadora(o)s UFRJ: GT propõe um Guia de Apoio à Parentalidade e às Cuidadora(o)s
UFRJ: GT propõe um Guia de Apoio à Parentalidade e às Cuidadora(o)s
 
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
 
Alimento de Primeira - Capítulo do Caderno 17 - Primeira Infância
Alimento de Primeira - Capítulo do Caderno 17 - Primeira Infância Alimento de Primeira - Capítulo do Caderno 17 - Primeira Infância
Alimento de Primeira - Capítulo do Caderno 17 - Primeira Infância
 

Destaque

Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
Juliana Maciel
 
ALEITAMENTO MATERNO
ALEITAMENTO MATERNOALEITAMENTO MATERNO
ALEITAMENTO MATERNO
Lara Martins
 
Projeto competencias ENFERMAGEM - GESTÃO
Projeto competencias ENFERMAGEM - GESTÃOProjeto competencias ENFERMAGEM - GESTÃO
Projeto competencias ENFERMAGEM - GESTÃO
Roberta Oliveira
 
Tcc projeto - texto final
Tcc   projeto - texto finalTcc   projeto - texto final
Tcc projeto - texto final
Jose Diniz
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
blogped1
 
Aleitamento
AleitamentoAleitamento
Aleitamento
Solange Broggine
 
TCC - Idosos
TCC - IdososTCC - Idosos

Destaque (7)

Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
 
ALEITAMENTO MATERNO
ALEITAMENTO MATERNOALEITAMENTO MATERNO
ALEITAMENTO MATERNO
 
Projeto competencias ENFERMAGEM - GESTÃO
Projeto competencias ENFERMAGEM - GESTÃOProjeto competencias ENFERMAGEM - GESTÃO
Projeto competencias ENFERMAGEM - GESTÃO
 
Tcc projeto - texto final
Tcc   projeto - texto finalTcc   projeto - texto final
Tcc projeto - texto final
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
 
Aleitamento
AleitamentoAleitamento
Aleitamento
 
TCC - Idosos
TCC - IdososTCC - Idosos
TCC - Idosos
 

Semelhante a Projeto monografia 1 parte

Aleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio DeAleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio De
Biblioteca Virtual
 
258 1954-1-pb
258 1954-1-pb258 1954-1-pb
258 1954-1-pb
Eveline Franco
 
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDeAmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
Biblioteca Virtual
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
bancodeleite
 
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De MedidaMotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
Biblioteca Virtual
 
Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1
Mabi Almeida
 
Projeto puericultura
Projeto  puericulturaProjeto  puericultura
Projeto puericultura
Ingrid Faria
 
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva? Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Os Profissionais De SaúDe E O Aleitamento Materno
Os Profissionais De SaúDe E O Aleitamento MaternoOs Profissionais De SaúDe E O Aleitamento Materno
Os Profissionais De SaúDe E O Aleitamento Materno
Biblioteca Virtual
 
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento MaternoMotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
Biblioteca Virtual
 
Tcc ii escrito 1 dani e heilane[1]
Tcc ii escrito 1 dani e heilane[1]Tcc ii escrito 1 dani e heilane[1]
Tcc ii escrito 1 dani e heilane[1]
Tatiane Silva
 
Artigo adriana sam2010
Artigo adriana sam2010Artigo adriana sam2010
Artigo adriana sam2010
Proama Projeto Amamentar
 
Alegações maternas para o desmame:estudo qualitativo
Alegações maternas para o desmame:estudo qualitativoAlegações maternas para o desmame:estudo qualitativo
Alegações maternas para o desmame:estudo qualitativo
bancodeleite
 
Apostila gestante 2010[1]
Apostila gestante 2010[1]Apostila gestante 2010[1]
Apostila gestante 2010[1]
Paula Sandes
 
Iniciativa hospital amigo da criança
Iniciativa hospital amigo da criançaIniciativa hospital amigo da criança
Iniciativa hospital amigo da criança
Camila Ferreira
 
Margareth miranda ayres
Margareth miranda ayresMargareth miranda ayres
Margareth miranda ayres
Tamyslast
 
1965-L - Aleitamento materno e orientação alimentar para o desmame
1965-L - Aleitamento materno e orientação alimentar para o desmame1965-L - Aleitamento materno e orientação alimentar para o desmame
1965-L - Aleitamento materno e orientação alimentar para o desmame
bibliotecasaude
 
Manual aleitamento
Manual aleitamentoManual aleitamento
Manual aleitamento
Gercienny Oliveira
 
Rgo 2007-134
Rgo 2007-134Rgo 2007-134
Rgo 2007-134
Adilson Xavier
 
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Semelhante a Projeto monografia 1 parte (20)

Aleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio DeAleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio De
 
258 1954-1-pb
258 1954-1-pb258 1954-1-pb
258 1954-1-pb
 
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDeAmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
 
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De MedidaMotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
 
Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1
 
Projeto puericultura
Projeto  puericulturaProjeto  puericultura
Projeto puericultura
 
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva? Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
 
Os Profissionais De SaúDe E O Aleitamento Materno
Os Profissionais De SaúDe E O Aleitamento MaternoOs Profissionais De SaúDe E O Aleitamento Materno
Os Profissionais De SaúDe E O Aleitamento Materno
 
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento MaternoMotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
 
Tcc ii escrito 1 dani e heilane[1]
Tcc ii escrito 1 dani e heilane[1]Tcc ii escrito 1 dani e heilane[1]
Tcc ii escrito 1 dani e heilane[1]
 
Artigo adriana sam2010
Artigo adriana sam2010Artigo adriana sam2010
Artigo adriana sam2010
 
Alegações maternas para o desmame:estudo qualitativo
Alegações maternas para o desmame:estudo qualitativoAlegações maternas para o desmame:estudo qualitativo
Alegações maternas para o desmame:estudo qualitativo
 
Apostila gestante 2010[1]
Apostila gestante 2010[1]Apostila gestante 2010[1]
Apostila gestante 2010[1]
 
Iniciativa hospital amigo da criança
Iniciativa hospital amigo da criançaIniciativa hospital amigo da criança
Iniciativa hospital amigo da criança
 
Margareth miranda ayres
Margareth miranda ayresMargareth miranda ayres
Margareth miranda ayres
 
1965-L - Aleitamento materno e orientação alimentar para o desmame
1965-L - Aleitamento materno e orientação alimentar para o desmame1965-L - Aleitamento materno e orientação alimentar para o desmame
1965-L - Aleitamento materno e orientação alimentar para o desmame
 
Manual aleitamento
Manual aleitamentoManual aleitamento
Manual aleitamento
 
Rgo 2007-134
Rgo 2007-134Rgo 2007-134
Rgo 2007-134
 
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
 

Projeto monografia 1 parte

  • 1. T E M A: O P AP E L D A E N F E R M AG E M N A O R I E N T AÇ Ã O E N O I N C E N T I V O A A M A M E N T AÇ Ã O P R O B L E M A: Q U A L A C O N T R I B U I Ç ÃO D AS O R I E N T AÇ Õ E S D E E N F E R M AG E M N A V I D A E N O D E S E N V O L V I M E N T O D A M ÃE E D O B E B E E M AM A M E N T AÇ Ã O ? O B J E T I V O S Objetivo Geral: Mostrar a importância da atuação do enfermeiro no incentivo a amamentação exclusiva e na manutenção da saúde do bebe. Objetivos Específicos: Explicar os Benefícios advindos de uma amamentação correta Ensinar à mãe a forma correta de amamentação Esclarecer as dúvidas e mitos das mães em relação ao aleitamento materno
  • 2. I N T R O D U Ç ÃO A amamentação além de ser biologicamente determinada e sociocultural mente condicionada, tratando -se, portanto, de um ato impregnado de ideologias e determinantes que resultam das condições concretas de vida. A descoberta de vantagens da amamentação, sob a égide da ciência, redesenhou ao compatibilizar as peculiaridades fisiológicas do metabolismo do lactente com as descobertas acerca das propriedades biológicas ímpares do leite humano , contribuindo para dar ênfase a essa prática, que mais que conhecida, devem ser reconhecidas como fundamental para o desenvolvimento da criança, em todos os aspectos ( CORRÊA, 2002) O leite humano é um alimento nutricional mente adequado para o recém-nascido, adaptado ao metabolismo deste, desempenhando importante papel no desenvolvimento da criança e proporcionando proteção imunológica contra doenças infecciosas, particularmente a diarréia; além disso, estimula a relação afetiva do bebê com a mãe ( MOTTA, 1990) O aleitamento materno é tão importante para o desenvolvimento e crescimento da criança, que com base em evidências científicas, a Organização mundial de saúde, OMS recomenda a prática da amamentação exclusiva por seis meses e a manutenção do aleitamento materno acrescido de alimentos complementares até os dois anos de vida ou mais (VENANCIO, 2002) Tendo em vista o impacto social que o aleitamento pode proporcionar sua prática dentro de um percurso histórico e em meio a muitos empecilhos, desde mitos até a propagação do leite em pó, faz-se necessário uma reflexão crítica sobre tais aspectos, dando ênfase aos benefícios do leite humano tanto para a mãe e o filho quanto para sociedade, vale ressaltar que tais reflexões também incluem o papel do enfermeiro na prática do aleitamento materno, desde suas ações como profissional de saúde até mesmo no cuidar no que se diz respeito às mães que não podem amamentar devido à hospitalização e a existência do banco de leite humano (GOUVEIA, 2004) As questões relacionadas à prática da amamentação têm -se configurado objeto de interesse para diferentes atores e grupos sociais ao longo da história. Em todas as épocas, o ser humano foi levado a construir rotas alternativas para responder à demanda das mulheres que, por opção o u imposição, trilharam o caminho do desmame precoce (ALMEIDA, 2004)
  • 3. A prática de amamentar é uma experiência que implica no envolvimento de uma série de fatores maternos e outros relacionados ao recém -nascido, a qual não está na dependência exclusiva de um a decisão prévia de amamentar ou não. Também não depende de seus conhecimentos sobre técnicas de manejo da amamentação. ( VENANCIO, 2002) Desde a década de 80, as evidências favoráveis à prática da amamentação exclusiva aumentaram consideravelmente. Atualmente sabe-se que a administração de outros líquidos além do leite materno nos primeiros quatro meses de vida da criança pode interferir negativamente na absorção de nutrientes e em sua biodisponibilidade, podendo diminuir a quantidade de leite materno inger ido e levar a menor ganho ponderal e a aumento do risco para diarréia, infecções respiratórias e alergias ( CECCATO, 2001) O que determina a ação de amamentar, sua qualidade e duração é o significado que a mulher atribui a essa experiência. Significado este , determinado pela relação percebida pela mulher, do ato de amamentar com os símbolos representados nos elementos de interação vivenciados por ela em seu contexto. Assim, é o reconhecimento dos benefícios do aleitamento materno tem levado à busca das causa s de seu insucesso freqüente e interrupção precoce (SILVA, 2000) A ciência da enfermagem está baseada em ampla estrutura teórica e o processo de enfermagem é o método através do qual essa é aplicada à prática. O seu propósito é de oferecer estrutura na qual as necessidades individuais do cliente, seja ele indivíduo, família ou comunidade, possam ser satisfeitas. E no que diz respeito à amamentação, é iminente atentar às necessidades individuais de cada mulher, de forma a personalizar o atendimento (PASSOS, 2000) Amamentação, não é apenas um evento ou resposta a determinantes biológicos e sociais, antes, é um complexo processo de interação da mulher com os abjetos significantes contidos em seu meio. Todos os elementos com os Quais ela interage são percebidos, interpretados e revestido de significados, os quais determinam as Ações que definem o tipo e duração da amamentação (SILVA, 1997). O aleitamento materno é sinônimo de sobrevivência para o recém-nascido, portanto um direito inato. É uma das man eiras mais eficientes de atender os aspectos nutricionais, imunológicos e psicológicos da criança em seu primeiro ano de vida (ICHISATO & SHIMO, 2001).
  • 4. Como o enfermeiro é o profissional que mais estreitamente se relaciona com a mulher durante o Ciclo gravídico-puerperal e tem importante papel nos programas de educação em saúde, durante o pré -natal, ele deve preparar a gestante para o aleitamento, para que no pós-parto o processo de adaptação da puérpera ao aleitamento seja facilitado e tranqüilo, evitando assim, dúvidas, dificuldades e possíveis complicações (BRASIL, 2002). O enfermeiro deverá estar próximo durante e após o parto, auxiliando as mães. É necessária uma comunicação simples e objetiva durante a orientação, o incentivo e o apoio ao aleitamento materno, demonstrando diversas posições, promovendo relaxamento e posicionamento Confortável, explicando a fonte dos reflexos da criança e mostrando como isso pode ser usado para ajudar na sucção do recém-nascido (ALMEIDA & DO VALE, 2003). O aleitamento materno sob livre demanda deve ser encorajado a fim de diminuir a perda de peso inicial do recém -nascido e promover o estímulo precoce da apojadura. Ele garante a manutenção do vínculo mãe e filho que se inicia na gestação, cresce e se fortifica, devendo, portanto ser incentivado a sua continuidade para garantir bem -estar, segurança e saúde da criança (BRASIL, 2001).