SlideShare uma empresa Scribd logo
ALEITAMENTO MATERNO
Regina,Jessica,Rita de
Cassia,Andressa,Moniqui,Margareth,Thaisa,
RESUMO
 Este artigo tem como objetivo discutir sobre a
importância do aleitamento materno e suas
contribuições para a redução do desmame precoce,
desnutrição e do índice de morbimortalidade infantil
melhorando efetivamente a qualidade de vida dos
lactentes e o papel do técnico de enfermagem neste
processo. Procurou-se também apresentar através da
revisão da literatura a relevante atuação do
enfermeiro na orientação às gestantes e puérperas
sobre ao aleitamento materno. A pesquisa bibliográfica
realizada caracteriza-se num estudo, a partir de
material já elaborado, constituído principalmente de
16 livros, 3 artigos de periódicos, 2 guias, 2 revistas
eletrônicas, 1 álbum seriado, 1 dissertação de
mestrado, 4 manuais.
BANCO DE LEITE HUMANO
INTRODUÇÃO
 Este estudo tem como objetivo discutir
sobre o aleitamento materno e suas
contribuições para a redução do desmame
precoce, desnutrição e do índice de
morbimortalidade infantil melhorando a
qualidade de vida dos lactentes e o papel
do técnico de enfermagem neste processo.
Procurou-se também apresentar através
da revisão da literatura a relevante
atuação do enfermeiro na orientação às
gestantes e puérperas sobre ao
aleitamento materno. (TEIXEIRA, 2006).
METODOLOGIA
 Trata-se de um estudo baseado na revisão da
literatura.
 A pesquisa de revisão bibliográfica realizada
caracteriza-se num estudo, a partir de material já
elaborado, constituído principalmente de livros,
artigos de periódicos e atualmente com material
disponibilizado na Internet (GIL, 2002).
 Utilizou-se como fonte, as bases de dados
virtuais, tais como: Banco de Teses e Dissertações
do Ministério da Ciência e Tecnologia, Scientific
Electronic Library Online (SciElo), e outras
literaturas não eletrônicas, por serem as
principais bases de dados utilizadas para
publicação científica na área da saúde e ainda
serem de livre acesso pelos usuários.
O BICO DA MAMA
 Foi elaborada uma matriz de análise onde foram
reunidas as seguintes categorias: pesquisa
científica, base e ano.
 E, a interpretação dos dados foi realizada à luz
da literatura pertinente, devendo-se reafirmar
que os resultados encontrados atendem aos
objetivos propostos neste estudo. A revisão
resultou na discussão presente na pesquisa.
 Diante desta necessidade em reduzir o índice do
desmame precoce que vem aumentando gradualmente,
o Presidente da República sancionou a Lei 11.770 de
09 de setembro de 2008, no Programa Empresa
Cidadão, destinado à prorrogação da licença-
maternidade por mais 60 dias, mediante concessão de
incentivo fiscal, alterando a Lei 8. 212, de 24 de julho
de 1991, de 120 para 180 dias para beneficiar as mães
e bebês no aleitamento materno. (FRANÇA, 2008).
TÉCNICO DE ENFERMAGEM E A
MULHER.
 O técnico de enfermagem é o profissional que,
seja na rede básica, hospitalar ou ambulatorial,
deve estar preparado para lidar e direcionar uma
demanda diversificada, principalmente quando se
tratar de questões de ordem da mulher nutriz,
deve ser capaz de identificar e oportunizar
momentos educativos, facilitando a
amamentação, o diagnóstico e o tratamento
adequados.
 Este mesmo profissional de saúde tem
compromisso de atuar não apenas em função de
seu conhecimento científico ou habilidades
técnicas que possui, mas principalmente pela
arte e sensibilidade que pode desenvolver no
outro os sentimentos, vontades e que induzem ao
aleitamento materno.
A IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO E
SEUS BENEFÍCIOS
 A importância do aleitamento materno tem sido
internacionalmente enfatizada em diversos documentos da
Organização Mundial de Saúde (OMS) que recomendam o
aleitamento materno exclusivo por seis meses de vida. Baseados
nessas evidências científicas dos benefícios do aleitamento
materno exclusivo, muitos países, dentre eles o Brasil, assumiram
oficialmente a recomendação de alimentos complementares após
os seis meses de idade.
 De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), foi
considerado aleitamento materno, o processo pelo qual o lactente
recebe leite materno independentemente de consumir outros
alimentos, e aleitamento materno exclusivo o processo em que o
bebê recebe leite materno de sua mãe ou nutriz ou leite materno
extraído, sem receber nenhum outro líquido ou sólido, exceto
vitaminas, complementos minerais ou medicamentos.
 A interrupção precoce do aleitamento materno foi definida como a
interrupção da amamentação antes dos quatro meses de vida do
lactente.
PARA A UNICEF, 2004
 Para a UNICEF, 2004,
 “A duração do aleitamento materno pode ser
favorecida ou restringida por fatores biológicos,
culturais, relativos à assistência à saúde e sócio-
econômicos. Os profissionais de saúde por meio
de suas atitudes e práticas podem influenciar
positiva ou negativamente o início da
amamentação e sua duração. Em particular, a
equipe de saúde pode incentivar a amamentação
e apoiar as mães, ajudando-as a iniciá-la
precocemente e a adquirir autoconfiança em sua
capacidade de amamentar. [...] Todos devem ter
acesso às informações sobre os benefícios do
aleitamento materno.”
O LEITE DO BANCO SENDO
ÚTIL PARA O BEBE
 É de fundamental relevância estar desenvolvendo
para essas mulheres, um programa que incentiva
e esclarece sobre o aleitamento materno, pois uma
mãe e familiares bem orientados são certeza de
uma criança saudável e com o seu
desenvolvimento adequado para a sua idade.
 Ao introduzir outra alimentação complementar
que não seja o leite materno pode-se caracterizar
um elevado risco de alimentos contaminados pela
administração inadequada, favorecendo assim a
ocorrência de doenças diarréicas e desnutrição. A
atuação do técnico de enfermagem nesse período
de orientação a mãe, é de fundamental
importância.
 O leite materno é importante para prevenir os agravos
nutricionais ao crescimento e desenvolvimento da
criança, resultantes da administração de alimentos
complementares demasiadamente diluídos ou
concentrados. É importante como uma fonte de
economia para a família, e quando exclusivo, também
previne a desnutrição e o desmame precoce.
A ATUAÇÃO DO TÉCNICODE ENFERMAGEM NA
ORIENTAÇÃO SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO
 Durante o pré-natal a gestante deverá ser
orientada pelo enfermeiro quanto aos benefícios
do aleitamento materno, visto que desde
antigamente já se conhecia a importância desse
alimento rico em cálcio, ferro, e sais minerais
para a sobrevivência das crianças. O leite
materno vai direito do peito da mãe para a boca
do bebê, evitando a contaminação por micróbios e
bactérias e está sempre pronto na temperatura
ideal, e com grande vantagem para a mulher:
reduz o sangramento após o parto, o
desenvolvimento de anemia, protegendo ainda
contra uma nova gestação e depressão pós-parto,
etc. (CADERNO DE ATENÇÃO BÁSICA, 2009).
O ROSTO ALEGRE DA MÃE
QUE RECEBE O LEITE DO
BANCO
 Orientar a gestante a fazer uma “janelinha” no bojo
do sutiã, na altura do mamilo, costurando-se em
volta para impedir que o tecido desfie. As mamas
continuarão recebendo apoio e o mamilo ficará
exposto. O atrito constante do mamilo contra a roupa
fortalecerá a pele. Essa técnica poderá ser explorada
tão logo a gravidez seja confirmada.
 O sutiã deverá ser de preferência, confeccionado em
material que não impeça a transpiração. Deve ser
firme, para que as mamas possam ser bem
sustentadas e protegidas. Durante a gravidez, o
volume aumentado e a ação hormonal intensa levam
ao relaxamento das estruturas do tecido conjuntivo.
A ação da força da gravidade, por sua vez, concorre
para a distensão do tecido e conseqüentemente
queda mamária.
SEGUNDO O BRASIL (2003)
 Segundo o BRASIL (2003),
 No puerpério, isto é, logo após o parto, a mãe estando internada, o
enfermeiro, deverá realizar a prática do alojamento conjunto
durante todo o tempo em que a puérpera estiver internada e
apoiá-la durante todos os cuidados com o bebê, ensinando as
técnicas adequadas para amamentar, promover encontros de
palestras com as mães sobre o aleitamento materno e os cuidados
que o bebê precisa não oferecer nenhum outro tipo de alimento ou
bebida além do leite materno, ensinar a ordenha manual, avaliar
a forma de mamar de todo bebê. Podem também estar
estimulando o treinamento de profissionais para realizar as
visitas domiciliares, acompanhando o processo da amamentação,
o crescimento e desenvolvimento da criança, estimulando a
participação das mães em grupos comunitários de apoio à
amamentação.
DISCUSSÃO E RESULTADOS
 Foram pesquisados na literatura científica seis trabalhos
indexados em periódicos nacionais que tratam de
orientações ao incentivo do aleitamento materno durante o
pré-natal e também no período puerperal. (BOCCOLINI, C.
S; 2011).
 Em relação aos 16 livros, 3 artigos de periódicos, 2 guias, 2
revistas eletrônicas, 1 álbum seriado, 1 dissertação de
mestrado e 4 manuais pesquisados, realizou-se no período
de junho a dezembro de 2008, revisão de literatura,
conforme descrita anteriormente e os resultados foram
obtidos a partir da inserção das palavras cuja terminologia
é idêntica ao descritor e que constam da referência
bibliográfica deste artigo e que são demonstrados a partir
do quadro.
 Quantitativo de artigos obtidos relacionando as bases de
dados o ano o enfoque e as ações.
TÉCNICAS DE
ARMAZENAMENTO DO LEITE
HUMANO
CONSIDERAÇÕES FINAIS
 Este estudo permitiu conhecer a importância do
profissional enfermeiro dentro do PSF atuando e
orientando as gestantes quanto à prática do aleitamento
materno que é de total relevância para os lactentes.
 A partir do diálogo com a literatura, pode-se dizer que falar
sobre amamentação requer mais de um encontro, são
muitos pontos a serem abordados, o que requer tempo e
também espaço, para as mulheres se colocarem e relatarem
suas experiências, por isso é preciso reconhecer que a
amamentação adquiriu um perfil social próprio, refletido
na criação de mitos e tabus que ainda persistem
principalmente nas populações mais carentes e que para
uma mudança de hábitos sociais tornam-se necessários
tempo e persistência. (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2008).
 Enfim, ressalta-se que o técnico de
enfermagem, como responsável técnico pela
equipe de enfermagem, deve distinguir-se pela
liderança, pelo saber técnico, específico e
científico de sua área de atuação. A
implantação de ações de incentivo ao
aleitamento materno no PSF, atuando como
uma equipe prestadora de serviços domiciliares
possibilita maiores oportunidades de divulgar
e promover o aleitamento materno, apoiando
as mães que amamentam seus filhos,
melhorando significativa a qualidade de vida
de ambos dando uma resposta a um dos
maiores problemas brasileiro que é a
preocupante situação do desmame precoce em
nossa sociedade. (ALMEIDA, 1999).
REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS
 ALMEIDA, J. A. G. Amamentação um híbrido natureza-cultura. Rio
de Janeiro, Fiocruz, 1999.
 AMORIM, M. M; ANDRADE, E. R. Atuação do enfermeiro no PSF
sobre o aleitamento materno. Perspectivas Online, Volume 3, número
9, 2009. Disponível em: www.perspectivasonline.com.br
 BADINTER, E. Um amor conquistado: o mito do amor materno. 5ª
Ed. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1985, 370 p.
 BOCCOLINI, C. S; CARVALHO, M. L; OLIVEIRA, M. I C;
VASCONCELOS, A. G. G. Fatores associados á amamentação na
primeira hora de vida. Revista de Saúde Pública, 2011; 45(1): 69-78
 BRASIL. M.S. e Secretaria de Atenção à Saúde. Álbum Seriado:
Promovendo o Aleitamento Materno. 2º Edição, Brasília: Positiva,
2003. p. 1-16
 CADERNO DE ATENÇÃO BÁSICA. Brasil, Ministério da Saúde.
Secretaria de Atenção á Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde
da criança: nutrição infantil: aleitamento materno e alimentação
complementar/ Ministério da Saúde. Brasília, Editora: Do Ministério
da Saúde, 2009.
 FRANÇA, M. C. T; GIUGLIANI, E. R. J; OLIVEIRA, L. D; WEIGERT, E.
M. L; SANTO, L. C.E; KOHLER, C. V; BONILHA, A. L. L. Uso de
mamadeira no primeiro mês de vida: determinantes e influência
na técnica de amamentação. Revista de Saúde Pública 2008; 42(4):
607-14.
 JUNGES, C.F; RESSEL, L. B; BUDÓ, M. L. D; PADOIN, S. M. M;
HOFFMANN, I. C; SEHNEM, G. D. Percepções de puérperas
quanto aos fatores que influenciam o aleitamento materno.
Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre (RS) 2010 jun. 31(2) :
343-50.
 MARCONDES, E. Pediatria Básica. 9 Edição, São Paulo: Sarvier,
2002 p. 112 – 125.
 MINISTÉRIO DA SAÚDE. AIDIPI Atenção Integrada ás
Doenças Prevalentes na Infância: curso de capacitação:
aconselhar a mãe ou acompanhante : módulo 5/ Ministério da
Saúde. 2º Edição. Revista- Brasília: Ministério da Saúde, 2002.
 PALMER, B. Influence of breastfeeding on the development of
the oral cavity. J Hum Lact. 1998; 14(2):93-8. doi:
10.1177/089033449801400203
 TEIXEIRA, M. A; NITSCHKE, R. G. Modelo de cuidar em
enfermagem junto ás mulheres-avós e sua família no
cotidiano do processo de amamentação. Revista Texto Contexto
de Enfermagem, Florianópolis, 2008 Jan-Mar; 17(1): 183-91.
 TEIXEIRA, M. A; NITSCHKE, R. G; GASPERI, P; SIEDLER, M. J.
Significados de avós sobre a prática do aleitamento materno
no cotidi familiar: a cultura do querer-poder amamentar.
Revista Texto Contexto de Enfermagem, Florianópolis, 2006; 15(1):
98-106.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento ConjuntoPromoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
Ministério da Saúde
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
Juliana Maciel
 
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnicoANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PECartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
Alinebrauna Brauna
 
Gravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimentoGravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimento
Letícia Spina Tapia
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Orientações a gestantes
Orientações a gestantesOrientações a gestantes
Orientações a gestantes
Mishela Kelly Almeida
 
Assistência materno infantil
Assistência materno infantilAssistência materno infantil
Assistência materno infantil
Andrea Pereira
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
NadjadBarros
 
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodos
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodosCuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodos
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodos
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Atenção à Saúde da Puérpera Profa. Ana Paula
Atenção à Saúde da Puérpera Profa. Ana PaulaAtenção à Saúde da Puérpera Profa. Ana Paula
Atenção à Saúde da Puérpera Profa. Ana Paula
Prof Ana Paula Gonçalves
 
Mecanismo do-parto
Mecanismo do-partoMecanismo do-parto
Mecanismo do-parto
Jamilly Onofre
 
preparação parto
preparação partopreparação parto
preparação parto
isa Comparada Serrão
 
Dicas sobre amamentar
Dicas sobre amamentarDicas sobre amamentar
Dicas sobre amamentar
Wesley Lemos
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar

Mais procurados (20)

Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento ConjuntoPromoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
 
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
FEBRASGO lança nova edição do Manual de Amamentação 2018
 
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnicoANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
ANQUILOGLOSSIA e ALEITAMENTO - parecer técnico
 
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PECartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
Gravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimentoGravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimento
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
 
Orientações a gestantes
Orientações a gestantesOrientações a gestantes
Orientações a gestantes
 
Assistência materno infantil
Assistência materno infantilAssistência materno infantil
Assistência materno infantil
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
 
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodos
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodosCuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodos
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodos
 
Atenção à Saúde da Puérpera Profa. Ana Paula
Atenção à Saúde da Puérpera Profa. Ana PaulaAtenção à Saúde da Puérpera Profa. Ana Paula
Atenção à Saúde da Puérpera Profa. Ana Paula
 
Mecanismo do-parto
Mecanismo do-partoMecanismo do-parto
Mecanismo do-parto
 
preparação parto
preparação partopreparação parto
preparação parto
 
Dicas sobre amamentar
Dicas sobre amamentarDicas sobre amamentar
Dicas sobre amamentar
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução Alimentar
 

Destaque

Ciencias naturais 3
Ciencias naturais 3Ciencias naturais 3
Ciencias naturais 3
António Teixeira
 
06
0606
Pedagogy
PedagogyPedagogy
Pedagogy
Sayan Das
 
Guia ciclo menstrual
Guia ciclo menstrualGuia ciclo menstrual
Guia ciclo menstrual
orientacionisidroparga
 
Proyecto final liceo francisco g. billini(1)
Proyecto final  liceo francisco  g. billini(1)Proyecto final  liceo francisco  g. billini(1)
Proyecto final liceo francisco g. billini(1)
José Manuel Sánchez
 
metal textures
metal texturesmetal textures
metal textures
hdwallpapersaz
 
Diario de doble entrada
Diario de doble entradaDiario de doble entrada
Diario de doble entrada
José Manuel Sánchez
 
Maldivas
MaldivasMaldivas
"Prakritik Urja ka Manviya Vikas mein Yogdaan" ( Role of natural energy in Hu...
"Prakritik Urja ka Manviya Vikas mein Yogdaan" ( Role of natural energy in Hu..."Prakritik Urja ka Manviya Vikas mein Yogdaan" ( Role of natural energy in Hu...
"Prakritik Urja ka Manviya Vikas mein Yogdaan" ( Role of natural energy in Hu...
Anindya Ranjan
 
Тема №12 Електробезпека 2016 дистанц навчання-сайт-слайди
Тема №12 Електробезпека 2016 дистанц навчання-сайт-слайдиТема №12 Електробезпека 2016 дистанц навчання-сайт-слайди
Тема №12 Електробезпека 2016 дистанц навчання-сайт-слайди
Ivan Steliga
 
C# 6.0
C# 6.0C# 6.0
C# 6.0
Can BAKIR
 
Fume Extraction Systems by Team ABS Air Tech
Fume Extraction Systems by Team ABS Air TechFume Extraction Systems by Team ABS Air Tech
Fume Extraction Systems by Team ABS Air Tech
ABS Air Tech Pvt Ltd Gurgaon
 
Jorge yimi ospina actividad 1.2 mapa conceptual
Jorge yimi ospina actividad 1.2 mapa conceptualJorge yimi ospina actividad 1.2 mapa conceptual
Jorge yimi ospina actividad 1.2 mapa conceptual
Jorge Yimi Ospina Martinez
 

Destaque (13)

Ciencias naturais 3
Ciencias naturais 3Ciencias naturais 3
Ciencias naturais 3
 
06
0606
06
 
Pedagogy
PedagogyPedagogy
Pedagogy
 
Guia ciclo menstrual
Guia ciclo menstrualGuia ciclo menstrual
Guia ciclo menstrual
 
Proyecto final liceo francisco g. billini(1)
Proyecto final  liceo francisco  g. billini(1)Proyecto final  liceo francisco  g. billini(1)
Proyecto final liceo francisco g. billini(1)
 
metal textures
metal texturesmetal textures
metal textures
 
Diario de doble entrada
Diario de doble entradaDiario de doble entrada
Diario de doble entrada
 
Maldivas
MaldivasMaldivas
Maldivas
 
"Prakritik Urja ka Manviya Vikas mein Yogdaan" ( Role of natural energy in Hu...
"Prakritik Urja ka Manviya Vikas mein Yogdaan" ( Role of natural energy in Hu..."Prakritik Urja ka Manviya Vikas mein Yogdaan" ( Role of natural energy in Hu...
"Prakritik Urja ka Manviya Vikas mein Yogdaan" ( Role of natural energy in Hu...
 
Тема №12 Електробезпека 2016 дистанц навчання-сайт-слайди
Тема №12 Електробезпека 2016 дистанц навчання-сайт-слайдиТема №12 Електробезпека 2016 дистанц навчання-сайт-слайди
Тема №12 Електробезпека 2016 дистанц навчання-сайт-слайди
 
C# 6.0
C# 6.0C# 6.0
C# 6.0
 
Fume Extraction Systems by Team ABS Air Tech
Fume Extraction Systems by Team ABS Air TechFume Extraction Systems by Team ABS Air Tech
Fume Extraction Systems by Team ABS Air Tech
 
Jorge yimi ospina actividad 1.2 mapa conceptual
Jorge yimi ospina actividad 1.2 mapa conceptualJorge yimi ospina actividad 1.2 mapa conceptual
Jorge yimi ospina actividad 1.2 mapa conceptual
 

Semelhante a Aleitamento materno2 (2) (1)

Continuação
ContinuaçãoContinuação
Continuação
Anna Karla Maia
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
bancodeleite
 
Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1
Mabi Almeida
 
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva? Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Margareth miranda ayres
Margareth miranda ayresMargareth miranda ayres
Margareth miranda ayres
Tamyslast
 
Projeto monografia 1 parte
Projeto monografia 1 parteProjeto monografia 1 parte
Projeto monografia 1 parte
Cal Fernandes
 
PromoçãO, ProtecçãO E Apoio Ao Aleitamento Materno Na Comunidade
PromoçãO, ProtecçãO E Apoio Ao Aleitamento Materno Na ComunidadePromoçãO, ProtecçãO E Apoio Ao Aleitamento Materno Na Comunidade
PromoçãO, ProtecçãO E Apoio Ao Aleitamento Materno Na Comunidade
Biblioteca Virtual
 
Aleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio DeAleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio De
Biblioteca Virtual
 
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Biblioteca Virtual
 
A importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específicoA importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específico
bancodeleite
 
Dificuldades Para O Estabelecimento Da AmamentaçãO O Papel Das PráTicas Assis...
Dificuldades Para O Estabelecimento Da AmamentaçãO O Papel Das PráTicas Assis...Dificuldades Para O Estabelecimento Da AmamentaçãO O Papel Das PráTicas Assis...
Dificuldades Para O Estabelecimento Da AmamentaçãO O Papel Das PráTicas Assis...
Biblioteca Virtual
 
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Biblioteca Virtual
 
Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...
Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...
Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...
Claudia Xavier
 
Fatores Associados à DuraçãO Do Aleitamento Materno Em CriançAs De FamíLias D...
Fatores Associados à DuraçãO Do Aleitamento Materno Em CriançAs De FamíLias D...Fatores Associados à DuraçãO Do Aleitamento Materno Em CriançAs De FamíLias D...
Fatores Associados à DuraçãO Do Aleitamento Materno Em CriançAs De FamíLias D...
Biblioteca Virtual
 
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De MedidaMotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
Biblioteca Virtual
 
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
Biblioteca Virtual
 
Manual aleitamento
Manual aleitamentoManual aleitamento
Manual aleitamento
Gercienny Oliveira
 
Manual nutrologia alimentacao
Manual nutrologia alimentacaoManual nutrologia alimentacao
Manual nutrologia alimentacao
Lorena Mendes
 

Semelhante a Aleitamento materno2 (2) (1) (20)

Continuação
ContinuaçãoContinuação
Continuação
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
 
Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1
 
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva? Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
 
Margareth miranda ayres
Margareth miranda ayresMargareth miranda ayres
Margareth miranda ayres
 
Projeto monografia 1 parte
Projeto monografia 1 parteProjeto monografia 1 parte
Projeto monografia 1 parte
 
PromoçãO, ProtecçãO E Apoio Ao Aleitamento Materno Na Comunidade
PromoçãO, ProtecçãO E Apoio Ao Aleitamento Materno Na ComunidadePromoçãO, ProtecçãO E Apoio Ao Aleitamento Materno Na Comunidade
PromoçãO, ProtecçãO E Apoio Ao Aleitamento Materno Na Comunidade
 
Aleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio DeAleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio De
 
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
 
A importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específicoA importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específico
 
Dificuldades Para O Estabelecimento Da AmamentaçãO O Papel Das PráTicas Assis...
Dificuldades Para O Estabelecimento Da AmamentaçãO O Papel Das PráTicas Assis...Dificuldades Para O Estabelecimento Da AmamentaçãO O Papel Das PráTicas Assis...
Dificuldades Para O Estabelecimento Da AmamentaçãO O Papel Das PráTicas Assis...
 
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
 
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
 
Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...
Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...
Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...
 
Fatores Associados à DuraçãO Do Aleitamento Materno Em CriançAs De FamíLias D...
Fatores Associados à DuraçãO Do Aleitamento Materno Em CriançAs De FamíLias D...Fatores Associados à DuraçãO Do Aleitamento Materno Em CriançAs De FamíLias D...
Fatores Associados à DuraçãO Do Aleitamento Materno Em CriançAs De FamíLias D...
 
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De MedidaMotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
MotivaçãO Para A AmamentaçãO ConstruçãO De Um Instrumento De Medida
 
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
Aleitamento Materno - um guia para toda a família ("e-book")
 
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
PromoçãO, ProteçãO E Apoio à AmamentaçãO Na AtençãO PrimáRia à SaúDe No Estad...
 
Manual aleitamento
Manual aleitamentoManual aleitamento
Manual aleitamento
 
Manual nutrologia alimentacao
Manual nutrologia alimentacaoManual nutrologia alimentacao
Manual nutrologia alimentacao
 

Último

Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 

Último (20)

RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 

Aleitamento materno2 (2) (1)

  • 2. RESUMO  Este artigo tem como objetivo discutir sobre a importância do aleitamento materno e suas contribuições para a redução do desmame precoce, desnutrição e do índice de morbimortalidade infantil melhorando efetivamente a qualidade de vida dos lactentes e o papel do técnico de enfermagem neste processo. Procurou-se também apresentar através da revisão da literatura a relevante atuação do enfermeiro na orientação às gestantes e puérperas sobre ao aleitamento materno. A pesquisa bibliográfica realizada caracteriza-se num estudo, a partir de material já elaborado, constituído principalmente de 16 livros, 3 artigos de periódicos, 2 guias, 2 revistas eletrônicas, 1 álbum seriado, 1 dissertação de mestrado, 4 manuais.
  • 3. BANCO DE LEITE HUMANO
  • 4. INTRODUÇÃO  Este estudo tem como objetivo discutir sobre o aleitamento materno e suas contribuições para a redução do desmame precoce, desnutrição e do índice de morbimortalidade infantil melhorando a qualidade de vida dos lactentes e o papel do técnico de enfermagem neste processo. Procurou-se também apresentar através da revisão da literatura a relevante atuação do enfermeiro na orientação às gestantes e puérperas sobre ao aleitamento materno. (TEIXEIRA, 2006).
  • 5. METODOLOGIA  Trata-se de um estudo baseado na revisão da literatura.  A pesquisa de revisão bibliográfica realizada caracteriza-se num estudo, a partir de material já elaborado, constituído principalmente de livros, artigos de periódicos e atualmente com material disponibilizado na Internet (GIL, 2002).  Utilizou-se como fonte, as bases de dados virtuais, tais como: Banco de Teses e Dissertações do Ministério da Ciência e Tecnologia, Scientific Electronic Library Online (SciElo), e outras literaturas não eletrônicas, por serem as principais bases de dados utilizadas para publicação científica na área da saúde e ainda serem de livre acesso pelos usuários.
  • 6. O BICO DA MAMA
  • 7.  Foi elaborada uma matriz de análise onde foram reunidas as seguintes categorias: pesquisa científica, base e ano.  E, a interpretação dos dados foi realizada à luz da literatura pertinente, devendo-se reafirmar que os resultados encontrados atendem aos objetivos propostos neste estudo. A revisão resultou na discussão presente na pesquisa.
  • 8.  Diante desta necessidade em reduzir o índice do desmame precoce que vem aumentando gradualmente, o Presidente da República sancionou a Lei 11.770 de 09 de setembro de 2008, no Programa Empresa Cidadão, destinado à prorrogação da licença- maternidade por mais 60 dias, mediante concessão de incentivo fiscal, alterando a Lei 8. 212, de 24 de julho de 1991, de 120 para 180 dias para beneficiar as mães e bebês no aleitamento materno. (FRANÇA, 2008).
  • 9. TÉCNICO DE ENFERMAGEM E A MULHER.  O técnico de enfermagem é o profissional que, seja na rede básica, hospitalar ou ambulatorial, deve estar preparado para lidar e direcionar uma demanda diversificada, principalmente quando se tratar de questões de ordem da mulher nutriz, deve ser capaz de identificar e oportunizar momentos educativos, facilitando a amamentação, o diagnóstico e o tratamento adequados.  Este mesmo profissional de saúde tem compromisso de atuar não apenas em função de seu conhecimento científico ou habilidades técnicas que possui, mas principalmente pela arte e sensibilidade que pode desenvolver no outro os sentimentos, vontades e que induzem ao aleitamento materno.
  • 10. A IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO E SEUS BENEFÍCIOS  A importância do aleitamento materno tem sido internacionalmente enfatizada em diversos documentos da Organização Mundial de Saúde (OMS) que recomendam o aleitamento materno exclusivo por seis meses de vida. Baseados nessas evidências científicas dos benefícios do aleitamento materno exclusivo, muitos países, dentre eles o Brasil, assumiram oficialmente a recomendação de alimentos complementares após os seis meses de idade.  De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), foi considerado aleitamento materno, o processo pelo qual o lactente recebe leite materno independentemente de consumir outros alimentos, e aleitamento materno exclusivo o processo em que o bebê recebe leite materno de sua mãe ou nutriz ou leite materno extraído, sem receber nenhum outro líquido ou sólido, exceto vitaminas, complementos minerais ou medicamentos.  A interrupção precoce do aleitamento materno foi definida como a interrupção da amamentação antes dos quatro meses de vida do lactente.
  • 11. PARA A UNICEF, 2004  Para a UNICEF, 2004,  “A duração do aleitamento materno pode ser favorecida ou restringida por fatores biológicos, culturais, relativos à assistência à saúde e sócio- econômicos. Os profissionais de saúde por meio de suas atitudes e práticas podem influenciar positiva ou negativamente o início da amamentação e sua duração. Em particular, a equipe de saúde pode incentivar a amamentação e apoiar as mães, ajudando-as a iniciá-la precocemente e a adquirir autoconfiança em sua capacidade de amamentar. [...] Todos devem ter acesso às informações sobre os benefícios do aleitamento materno.”
  • 12. O LEITE DO BANCO SENDO ÚTIL PARA O BEBE
  • 13.  É de fundamental relevância estar desenvolvendo para essas mulheres, um programa que incentiva e esclarece sobre o aleitamento materno, pois uma mãe e familiares bem orientados são certeza de uma criança saudável e com o seu desenvolvimento adequado para a sua idade.  Ao introduzir outra alimentação complementar que não seja o leite materno pode-se caracterizar um elevado risco de alimentos contaminados pela administração inadequada, favorecendo assim a ocorrência de doenças diarréicas e desnutrição. A atuação do técnico de enfermagem nesse período de orientação a mãe, é de fundamental importância.
  • 14.  O leite materno é importante para prevenir os agravos nutricionais ao crescimento e desenvolvimento da criança, resultantes da administração de alimentos complementares demasiadamente diluídos ou concentrados. É importante como uma fonte de economia para a família, e quando exclusivo, também previne a desnutrição e o desmame precoce.
  • 15. A ATUAÇÃO DO TÉCNICODE ENFERMAGEM NA ORIENTAÇÃO SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO  Durante o pré-natal a gestante deverá ser orientada pelo enfermeiro quanto aos benefícios do aleitamento materno, visto que desde antigamente já se conhecia a importância desse alimento rico em cálcio, ferro, e sais minerais para a sobrevivência das crianças. O leite materno vai direito do peito da mãe para a boca do bebê, evitando a contaminação por micróbios e bactérias e está sempre pronto na temperatura ideal, e com grande vantagem para a mulher: reduz o sangramento após o parto, o desenvolvimento de anemia, protegendo ainda contra uma nova gestação e depressão pós-parto, etc. (CADERNO DE ATENÇÃO BÁSICA, 2009).
  • 16. O ROSTO ALEGRE DA MÃE QUE RECEBE O LEITE DO BANCO
  • 17.  Orientar a gestante a fazer uma “janelinha” no bojo do sutiã, na altura do mamilo, costurando-se em volta para impedir que o tecido desfie. As mamas continuarão recebendo apoio e o mamilo ficará exposto. O atrito constante do mamilo contra a roupa fortalecerá a pele. Essa técnica poderá ser explorada tão logo a gravidez seja confirmada.  O sutiã deverá ser de preferência, confeccionado em material que não impeça a transpiração. Deve ser firme, para que as mamas possam ser bem sustentadas e protegidas. Durante a gravidez, o volume aumentado e a ação hormonal intensa levam ao relaxamento das estruturas do tecido conjuntivo. A ação da força da gravidade, por sua vez, concorre para a distensão do tecido e conseqüentemente queda mamária.
  • 18. SEGUNDO O BRASIL (2003)  Segundo o BRASIL (2003),  No puerpério, isto é, logo após o parto, a mãe estando internada, o enfermeiro, deverá realizar a prática do alojamento conjunto durante todo o tempo em que a puérpera estiver internada e apoiá-la durante todos os cuidados com o bebê, ensinando as técnicas adequadas para amamentar, promover encontros de palestras com as mães sobre o aleitamento materno e os cuidados que o bebê precisa não oferecer nenhum outro tipo de alimento ou bebida além do leite materno, ensinar a ordenha manual, avaliar a forma de mamar de todo bebê. Podem também estar estimulando o treinamento de profissionais para realizar as visitas domiciliares, acompanhando o processo da amamentação, o crescimento e desenvolvimento da criança, estimulando a participação das mães em grupos comunitários de apoio à amamentação.
  • 19. DISCUSSÃO E RESULTADOS  Foram pesquisados na literatura científica seis trabalhos indexados em periódicos nacionais que tratam de orientações ao incentivo do aleitamento materno durante o pré-natal e também no período puerperal. (BOCCOLINI, C. S; 2011).  Em relação aos 16 livros, 3 artigos de periódicos, 2 guias, 2 revistas eletrônicas, 1 álbum seriado, 1 dissertação de mestrado e 4 manuais pesquisados, realizou-se no período de junho a dezembro de 2008, revisão de literatura, conforme descrita anteriormente e os resultados foram obtidos a partir da inserção das palavras cuja terminologia é idêntica ao descritor e que constam da referência bibliográfica deste artigo e que são demonstrados a partir do quadro.  Quantitativo de artigos obtidos relacionando as bases de dados o ano o enfoque e as ações.
  • 21. CONSIDERAÇÕES FINAIS  Este estudo permitiu conhecer a importância do profissional enfermeiro dentro do PSF atuando e orientando as gestantes quanto à prática do aleitamento materno que é de total relevância para os lactentes.  A partir do diálogo com a literatura, pode-se dizer que falar sobre amamentação requer mais de um encontro, são muitos pontos a serem abordados, o que requer tempo e também espaço, para as mulheres se colocarem e relatarem suas experiências, por isso é preciso reconhecer que a amamentação adquiriu um perfil social próprio, refletido na criação de mitos e tabus que ainda persistem principalmente nas populações mais carentes e que para uma mudança de hábitos sociais tornam-se necessários tempo e persistência. (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2008).
  • 22.  Enfim, ressalta-se que o técnico de enfermagem, como responsável técnico pela equipe de enfermagem, deve distinguir-se pela liderança, pelo saber técnico, específico e científico de sua área de atuação. A implantação de ações de incentivo ao aleitamento materno no PSF, atuando como uma equipe prestadora de serviços domiciliares possibilita maiores oportunidades de divulgar e promover o aleitamento materno, apoiando as mães que amamentam seus filhos, melhorando significativa a qualidade de vida de ambos dando uma resposta a um dos maiores problemas brasileiro que é a preocupante situação do desmame precoce em nossa sociedade. (ALMEIDA, 1999).
  • 23. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS  ALMEIDA, J. A. G. Amamentação um híbrido natureza-cultura. Rio de Janeiro, Fiocruz, 1999.  AMORIM, M. M; ANDRADE, E. R. Atuação do enfermeiro no PSF sobre o aleitamento materno. Perspectivas Online, Volume 3, número 9, 2009. Disponível em: www.perspectivasonline.com.br  BADINTER, E. Um amor conquistado: o mito do amor materno. 5ª Ed. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1985, 370 p.  BOCCOLINI, C. S; CARVALHO, M. L; OLIVEIRA, M. I C; VASCONCELOS, A. G. G. Fatores associados á amamentação na primeira hora de vida. Revista de Saúde Pública, 2011; 45(1): 69-78  BRASIL. M.S. e Secretaria de Atenção à Saúde. Álbum Seriado: Promovendo o Aleitamento Materno. 2º Edição, Brasília: Positiva, 2003. p. 1-16  CADERNO DE ATENÇÃO BÁSICA. Brasil, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção á Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: nutrição infantil: aleitamento materno e alimentação complementar/ Ministério da Saúde. Brasília, Editora: Do Ministério da Saúde, 2009.  FRANÇA, M. C. T; GIUGLIANI, E. R. J; OLIVEIRA, L. D; WEIGERT, E. M. L; SANTO, L. C.E; KOHLER, C. V; BONILHA, A. L. L. Uso de mamadeira no primeiro mês de vida: determinantes e influência na técnica de amamentação. Revista de Saúde Pública 2008; 42(4): 607-14.
  • 24.  JUNGES, C.F; RESSEL, L. B; BUDÓ, M. L. D; PADOIN, S. M. M; HOFFMANN, I. C; SEHNEM, G. D. Percepções de puérperas quanto aos fatores que influenciam o aleitamento materno. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre (RS) 2010 jun. 31(2) : 343-50.  MARCONDES, E. Pediatria Básica. 9 Edição, São Paulo: Sarvier, 2002 p. 112 – 125.  MINISTÉRIO DA SAÚDE. AIDIPI Atenção Integrada ás Doenças Prevalentes na Infância: curso de capacitação: aconselhar a mãe ou acompanhante : módulo 5/ Ministério da Saúde. 2º Edição. Revista- Brasília: Ministério da Saúde, 2002.  PALMER, B. Influence of breastfeeding on the development of the oral cavity. J Hum Lact. 1998; 14(2):93-8. doi: 10.1177/089033449801400203  TEIXEIRA, M. A; NITSCHKE, R. G. Modelo de cuidar em enfermagem junto ás mulheres-avós e sua família no cotidiano do processo de amamentação. Revista Texto Contexto de Enfermagem, Florianópolis, 2008 Jan-Mar; 17(1): 183-91.  TEIXEIRA, M. A; NITSCHKE, R. G; GASPERI, P; SIEDLER, M. J. Significados de avós sobre a prática do aleitamento materno no cotidi familiar: a cultura do querer-poder amamentar. Revista Texto Contexto de Enfermagem, Florianópolis, 2006; 15(1): 98-106.