SlideShare uma empresa Scribd logo
PROJETO DE CAPTAÇÃO DE PATROCÍNIO

                                    LEI DE INCENTIVO À CULTURA

                              Documentário cinematográfico de média-metragem.

                              Aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura (artigo 18)

                                           Pronac: 121745
                                   Processo: 01400.007962/2012-91
                                      Área Cultural: Audiovisual
                        Segmento: Produção Cinematográfica de média metragem
                                        Mecanismo: Mecenato

                                        Custo do Projeto: R$ 62.200,00

                              Ministério da Cultura – (61) 2024-2272 / 2145 / 2249


1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO

1.1 TÍTULO                          “Vila Flávia: Uma vila e muitas histórias”
1.2 PROPONENTE                      Felipe Alves Santos (Phillip Banks)
1.3 DIRETOR                         Phillip Banks & Eddy Stalinsk
1.4 ROTEIRISTA                      Phillip Banks

2. IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE

2.1 Nome                                                                      2.2 CPF
Felipe Alves Santos                                                                     351.336.448-25
2.3 Endereço                                                    2.4 Complemento
        Avenida Maria Luiza do Val Penteado, 90/91              Cidade São Mateus
2.5 Município                                                   2.6 UF        2.7 CEP
        São Paulo                                               SP            03962-040
2.8 Telefone (DDD + Número)                     2.9 Fax (DDD + Número)      2.10 Endereço Eletrônico (e-mail)
 (011) 6616-1328 / 6075-7930 / 3455-                                        phillip.b@hotmail.com
9363                                                                        phillip.b.production@hotmail.com


3. SINOPSE DO PROJETO



O retrato do dia-a-dia dos moradores da favela Vila Flávia, região de São Mateus, zona leste de São Paulo.



4. OBJETIVOS
Mostra o cotidiano de favelados que convivem com violência dentro e fora de casa. Seus personagens falam
mais do que milhares de reportagens sobre isso, que aparecem na televisão. Eles terão liberdade para dizer o que
pensam, sem a preocupação dos documentários educativos, como programas de governo, que são feitos para
falar bem de algo. Empenhar-me-ei ao filmar em tirar o máximo possível a minha intenção político / social
individual, para deixar os expectadores livres para julgar, porque acredito que quando uma pessoa vai ver um
filme, leva toda uma carga cultural, de preconceitos, de conselhos que carrega em si, e essas coisas vão
influenciar na maneira como assimilará o conteúdo. Espero que vendo esse filme, tenha visões, revelações, de
que eventualmente o que pensa sobre determinada situação não está tão certo.
 Não quero mudar ninguém e sim mostrar o que existe, o imaginário popular, para que possa conhecer e
conhecendo, possa tentar mudar alguma coisa, porque ninguém pode mudar nada, sem conhecer o que já existe.


5. JUSTIFICATIVA DO PROJETO


 As favelas sempre são retratadas pela mídia como pontos negativos em relação ao resto da população, ou busca-
se lá um exemplo de personagem que representa a favela de forma digna. Mas não é isso que buscaremos, e sim
costura o depoimento de vários moradores justamente por acreditar na singularidade, na particularidade de cada
um. No documentário, serão filmadas as alegrias, as dificuldades, os amores, os amigos, a religião e atividades
artísticas que permeiam a comunidade. Percebendo-se fortemente o desejo dos moradores de desmistificar a
relação da pobreza/favela como ponto negativo de uma sociedade. Acreditando-se assim que em mais de um
depoimento, os moradores citarão que apesar de todos os problemas que vivem, não trocariam aquele lugar por
outro, que foi lá que eles constituíram família e amigos, que lá é um lugar bom para se viver.
 O documentário não deixa de contextualizar as condições dos moradores, como a sujeira e o tráfico de drogas.
Entretanto, não é esse o eixo principal do filme, o objetivo principal será focalizar a estratégia dos moradores
para sobreviver em meio a diferentes tipos de violência.


6. DESCRIÇÃO DO PROJETO


Divido essa obra em três partes, todas de extrema importância para a compreensão da mesma.

    1) A primeira delas fala sobre a identidade da favela, o que é, onde fica, quem são seus moradores e como
       eles descrevem o local onde vivem. Nesta parte é possível constatar que se trata de uma comunidade
       localizada na Zona leste da cidade de São Paulo. No entanto, lá vivem pessoas humildes, em sua
       maioria negros e nordestinos em busca de melhores condições de vida. São pessoas que trabalham muito
       para sobreviver de maneira digna e honesta, que sentem orgulho do local onde moram. Mas que sofrem
       muito com a humilhação a que são submetidos ao ter que parar perante um policial, e saber que serão
       revistados de maneira desrespeitosa porque vivem em uma favela.

    2) A segunda parte procura focar os relacionamentos que existem dentro da favela. Sejam eles amorosos,
       de amizade ou religiosos; em sua maioria as relações se dão entre os próprios moradores. E são eles os
       primeiros a reconhecer isto, que a vida e a relação se tornam muito mais fáceis se ela for feita entre si.
    3)
       Por fim, os moradores retratam o pré-conceito que sofrem fora dos limites da favela. Esta última parte
       vai falar sobre questões que sempre fizeram parte da nossa história, tais como o racismo e a
       discriminação por condição social. Por estarem isoladas do restante da sociedade pelo muro do pré-
       conceito. Os jovens já não têm perspectiva de vida, estão conformados com a situação que lhes é
       imposta, não querem nada além daquilo que lhes for dado. Já não possuem mais sonhos.
7. RELEVÂNCIA


 Trata-se uma proposta que visa possibilitar aos moradores o acesso ao conhecimento, e com isso, despertar a
consciência dos direitos que eles têm como cidadãos.
 A ideia de que a comunidade conte e registre em áudio e vídeo o seu cotidiano, a torna autônoma e fortalece o
conceito de coletividade, de um coletivo em busca de mais espaço e reconhecimento.


8. CIDADE OU REGIÃO DE EXECUÇÃO DO PROJETO


Na cidade de São Paulo. No bairro Cidade São Mateus, na região leste. Favela Vila Flávia.


9. A QUE SE DESTINA O PATROCÍNIO


O patrocínio se destina à produção e difusão de documentário em Festivais de cinema e mostra audiovisual.


10. REALIZAÇÃO DO PROJETO


Acesso: Gratuito
Público-alvo: Todas as classes e camadas sociais e formadores de opinião.
Previsão de público: Aproximadamente dois milhões de espectadores em festivais no Brasil, segundo pesquisa
do Fórum dos Festivais Brasileiros.


11. ATRATIVOS PARA O PATROCINADOR


Exposição da logomarca

    1) Nos letreiros iniciais e finais da obra audiovisual.

    2) Nos materiais audiovisuais de divulgação.

    3) Nos materiais impressos e digitais de divulgação.

    4) Nos eventuais subprodutos derivados da obra audiovisual.

Possibilidade de product placement (merchandising) veiculado dentro da própria obra audiovisual.


12. PLANO DE DIVULGAÇÃO, COMUNICAÇÃO E CONTRAPARTIDAS
Divulgação e Comunicação

Criação do site oficial do filme
Divulgações nas redes sociais.

Contrapartidas

Institucionais:

    • Fazer figurar a logomarca dos patrocinadores em todo material promocional e publicitário
      relativo ao projeto e notas de imprensa.

O projeto oferece também as seguintes possibilidades de inserção da logomarca:
   • Créditos de abertura e encerramento do filme com a chancela “Apresenta”;
   • Trailers para internet;
   • Cartazes e banners;
   • Site oficial do filme e link para o site da empresa;
   • Capa do DVD para distribuição nos festivais e mostras audiovisual, acervos e cia (vide
       Estratégia de divulgação).

O projeto ainda oferece à empresa o direito de uso de imagens e trechos do filme para ações de
comunicação e marketing bem como; uma cota de 50 dvds para que a empresa tenha a oportunidade de
distribuí-los a públicos de seu interesse..

Compensatórias:

    •   Garantir o acesso gratuito ou a preços populares para o público, portadores de necessidades especiais,
        portadores de doenças crônicas graves, idosos, estudantes de escolas públicas.
    •   Exibições grátuitas do documentário em escolas públicas, CEUs, Sesc e demais intituições publicas e
        privadas.
    •   Disponibilizar na integralmente o projeto na internet, em um prazo estipulado. Respeitando a
        exclusividade dos festivais e mostras audiovisuais.


13. ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO


A primeira etapa será a participação do filme nos principais festivais de cinema nacionais (Festival de
Brasília, CINE-PE e Gramado) e internacionais (Festival de Cinema de Cannes e Berlim).

Após a exibição nos festivais brasileiros, o filme estará disponível para exibição em redes de televisão
aberta e fechada, dedicadas a exibição de documentários, como Canal Brasil, TV Cultura e TV Brasil.

Pretendemos, também, a exibição do filme na Internet, em sites dedicados aos documentários e no site
oficial do filme, como “Instituto Querô”.

Paralelamente, haverá a distribuição gratuita de 100 cópias do DVD, sendo 50 para acervos de
instituições de serviços sociais, associações de moradores, movimentos de moradias e defesa da
Favela, e 50 para instituições culturais e escolas públicas do governo federal.
14. PREVISÃO DE DURAÇÃO DO PROJETO

Previsão para o início do projeto: 01 de Julho de 2012

Previsão para o fim do projeto: 22 de Setembro de 2012


Etapas de produção:

ETAPA 1 – PRÉ-PRODUÇÃO

1 de Julho a 28 de Julho

- Buscar parcerias e captação de recursos

- Contratação dos profissionais (equipe técnica, assessoria contábil, assessoria Jurídica).

- Pesquisa, abordagem de moradores e instituições sociais e de moradia.

ETAPA 2 – GRAVAÇÕES

29 de Julho a 25 de Agosto

- Teste dos equipamentos de áudio e vídeo e teste de filmagens.

- Filmagens - Gravações das entrevistas.

ETAPA 3 – PÓS-PRODUÇÃO / DIVULGAÇÃO

26 de Agosto a 22 de Setembro

- Divulgação do projeto

- Criação do site oficial do filme.

- Divulgações nas paginas de relacionamento. (facebook, youtube, twitter).

- Edição e distribuição dos DVDs com o registro do projeto para os festivais e mostras audiovisual.

- Firmar parceria com a instituição de ensino e centros unificados de ensino para a cessão do espaço para
exibições públicas do projeto para a comunidade local, e de entrada franca.



15. O PROJETO CONTA COM O BENEFÍCIO DE ALGUMA LEI?


Este projeto cultural foi aprovado para o Programa Nacional de Apoio à Cultura, enquadrado no artigo 18 da Lei
Federal n° 8313/91 - Lei Rouanet -, o que permite à empresa patrocinadora deduzir integralmente o valor
investido do Imposto de Renda a pagar.


16. CURRÍCULO DO(S) DIRETOR(ES) E PRODUTOR(ES)
Phillip Banks

Diretor, Produtor e Roteirista

O Visionário Phillip Banks, registrado Felipe Alves Santos, é um jovem mineiro da cidade de Medina, Medina
situa-se na ragião do Vale do Rio Jequitinhonha, no estado de Minas Gerais.

Roteirista, Diretor e Produtor, autodidata dedicado, reside desde 1999 na Avenida Maria Luiza do Val Penteado,
90/91, CEP 03962-040, no Bairro Cidade São Mateus na cidade de São Paulo, na grande capital.

Faz cinema por paixão e esse sentimento é a mola propulsora de seus filmes. Com recursos escassos, sem
patrocínio ou apoio governamental ou institucional, mas com garra e uma ideia por vez tirada de uma cabeça
totalmente focada em cinema, ele consegue com uma câmera na mão materializar seu sonho.

Phillip Banks trabalhou no sitcom “Uma família nada diferente”, em parceria com Eddy Stalinsk e produção de
Luciana Castilho.

E o curta-metragem “Café amargo” em parceria com David Melo.

PRINCIPAIS ROTEIROS AUDIOVISUAIS

Título: "Visão Periférica"
Autor: Phillip Banks
Gênero: Drama, Policial
Formato: Roteiro cinematográfico de longa-metragem
Páginas: 76 (págs.)

Título: O executor
Autor: Phillip Banks
Gênero: Ação, Policial
Formato: Roteiro cinematográfico de longa-metragem
Páginas: 73 (págs.)

Título: A sogra
Autor: Phillip Banks
Gênero: Comédia
Formato: Roteiro cinematográfico de curta-metragem
Páginas: 13 (págs.)

Título: A mensagem da Morte
Autor: Phillip Banks
Gênero: Drama, Suspense, Romance
Formato: Roteiro cinematográfico de Média-metragem
Páginas: 35 (págs.)

Título: "Noite Maldita: O despertar dos Mortos"
Autor: Phillip Banks
Gênero: Ficção, Trilher, Terror, Policial, Ação.
Formato: Roteiro cinematográfico de longa-metragem
Páginas: 96 (págs.)
Idioma: Português
País de origem: Brasil
Eddy Stalinsk

Diretor e Produtor

Formado em Rádio e TV - 2008 pela Universidade Cruzeiro do Sul.

Participou e idealizou muitos filmes, entre eles:
Curta Metragem: Meus Passos
15”00’ – Drama – Cor
Roteiro – Produção
Ano de produção 2007
Vídeo Institucional: Academia Gaviões
5”00’ – Institucional – Cor
Edição
Ano de produção 2007
Curta Metragem: Um dia de Mãe
1”31’ – Comédia – Cor
Direção – Roteiro
Ano de produção 2007
Piloto: Viola Sertaneja
30”00’ – Programa de videoclipe – Cor
Direção – Produção
Ano de produção2008
Piloto: Uma Família Nada Diferente
30”00’ – Comédia/Sitcom – Cor
Direção – Roteiro
Ano de produção 2008
Curta Metragem: Taxímetro
25”00’ – Comédia – Cor
Roteiro
Ano 2010 – Em produção / Captação
Longa Metragem: Mente Criminosa
95”00 – Policial – Cor
Roteiro – Direção
Ano – 2011 – Em produção / Captação
Adalberto Santana Silva

Produtor

Com formação Superior em SERVIÇO SOCIAL.

Atividades extracurriculares
    • Curso de Teatro, Artes e artesanato – CESEP – PUC-SP.
    • Curso de Teatro Musical – Oficina dos Menestréis
    • Curso de contação de histórias e cantigas – CDH – Centro de Desenvolvimento Humano
    Resumo de qualificações Arte educador no projeto “São Paulo é uma escola” na rede municipal com aluno
    da rede e também com necessidades especiais, do primeiro ao sexto Chamamento (2005 a 2009), com
    oficinas diversificadas, bem como de Teatro, Artes, Artesanato, Dança, Recreação, Jogos e Brincadeiras e
    Xadrez, para crianças e comunidade local.
    • Criação, organização e execução de eventos, festivais e feiras culturais, esportivas e recreativas
        juntamente com equipe de educadores em CEUS, espaços privados e comunidades religiosas.

* Projeto “VAI” da Prefeitura de São Paulo – 2006.
* Ator s companhias teatrais, com experiência de 3 anos em teatro.
* Últimos trabalhos no teatro: Grupo Boca: tolerância Cruzada

Experiência profissional
    ESCOLA CARITAS
CARGO: Professor Artes Cênicas / Plásticas
2009 até o presente
    APAE-SP – Associação de pais e amigos dos excepcionais
CARGO: Arte Educador
“São Paulo é uma escola” – 5° e 6° Chamamento – 2008-2009
    INSTITUTO PATRÍCIA MEDRADO
CARGO: Arte Educador
“São Paulo é uma escola” – 4° Chamamento - 2008
    CEMAIS - Centro de estudos do Meio Ambiente e saúde
CARGO: Oficineiro Cultural / Apoio pedagógico
“São Paulo é uma Escola” – 3° Chamamento – 2007
    CDH – Centro de desenvolvimento humano
CARGO: Oficineiro Cultural / Coordenador de Oficineiros
“São Paulo é uma Escola” – 1° e 2° Chamamento –2005 / 2006.


17. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO


17.1 GÊNERO

                FICÇÃO
      X         DOCUMENTÁRIO
                ANIMAÇÃO
                TÉCNICA MISTA
                OUTROS (especificar)
17.2 FORMATO                                                17.3 DURAÇÃO

                CURTA (até 15 min)                                  Minutos em cada seriado
       X        MÉDIA (acima de 15 min e até 70 min)                Capítulos
                LONGA (acima de 70 min)                             Duração de cada capítulo (min)
                TELEFILME                                    X      Duração total (min) 70 min
                SERIADO
                PROGRAMA DE TV DE CARÁTER
                EDUCATIVO E CULTURAL

17.4 SUPORTE DE CAPTAÇÃO                                    17.5 SUPORTE DE CÓPIA FINAL

           35 mm                     DVCAM                        35 mm                          DVCAM
           16 mm                     Mini – DV                    16 mm                          Mini – DV
           Super – 16 mm             H8                           Super – 16mm                   H8
           BETA SP                   Outros (especificar)         BETA SP                        DVD

           BETA DIGITAL                                           BETA DIGITAL                   Outros
                                                                                                 (especificar)
   X       HD                                                X    HD

18. INVESTIMENTOS NECESSÁRIOS PARA O PROJETO


            TOTAL GERAL DO ORÇAMENTO                             R$ 62.200,02


19. INVESTIMENTO PROPOSTO / COTAS DE INVESTIMENTOS


Cotas de patrocínio            Tipo de Cota
62.200,00                      Patrocinador Master
31.100,00                      Co-Patrocinador 1
15.550,00                      Co-Patrocinador 2
07.775,00                      Apoio 1
03.887,50                      Apoio 2




       PATROCÍNIO PELA LEI DE INCENTIVO À CULTURA

       VILA FLÁVIA: UMA VILA E MUITAS HISTÓRIAS foi aprovado pelo Ministério da
       Cultura a captar recursos no valor de R$ 62.200,01 com o mecanismo da Lei de
       Incentivo à Cultura (Lei 8.313/91), também chamada de Lei Rouanet. O Patrocinador
       pode optar por este mecanismo.

       Poderão patrocinar este projeto:
       - Pessoa Jurídica pode destinar 04% do imposto de renda vigente.
- Pessoa Física pode destinar 06% do imposto de renda vigente.

Com a publicação da Lei 9.874/99 e a Medida Provisória nº 2228-1/2001, a pessoa
física ou a empresa que apoiar este projeto poderá deduzir até 100% do valor
patrocinado, dentro dos limites da legislação do imposto de renda vigente.

Observações

- Empresas que optam por trabalhar com o lucro presumido não podem participar deste
mecanismo;
- Empresas que optam pelo Simples Nacional não podem participar deste mecanismo.

CONTRAPARTIDAS

Caso opte pelo mecanismo da Lei Rouanet, os Patrocinadores terão dedução no imposto
de renda no valor equivalente a 100% do valor patrocinado (dentro do limite de 4% do
I.R.).

PATROCINADOR MASTER – Patrocínio a partir de 100% do orçamento do projeto.
- Inclusão de logomarca nos créditos iniciais e finais do filme;
- Inclusão de logomarca em todo material de divulgação (impressos e virtuais) do filme;
- Inclusão de logomarca nos eventuais subprodutos derivados da obra audiovisual;
- Possibilidade de product placement (merchandising) veiculado dentro da própria obra
audiovisual;
- Link para o site da empresa no blog e no site oficial do filme;
- Receberão 200 copias do DVD

CO-PATROCINADOR 1 – Patrocínio acima de 50% do orçamento do projeto.
- Inclusão de logomarca nos créditos iniciais e finais do filme;
- Inclusão de logomarca em todo material de divulgação (impressos e virtuais) do filme;
- Link para o site da empresa no blog e no site oficial do filme;
- Receberão 100 cópias do DVD do filme

CO-PATROCINADOR 2 – Patrocínio até 25% do orçamento do projeto.
- Inclusão de logomarca nos créditos iniciais e finais do filme;
- Inclusão de logomarca em todo material de divulgação (impressos e virtuais) do filme;
- Link para o site da empresa no blog e no site oficial do filme;
- Receberão 50 cópias do DVD do filme.

APOIO 1 – Patrocínio até 12,5% do orçamento do projeto.
- Inclusão de logomarca nos créditos finais do filme;
- Link para o site da empresa no blog e no site oficial do filme;
- Receberão 12 cópias do DVD do filme.

APOIO 2 – Patrocínio até 6,25% do orçamento do projeto.
- Inclusão de logomarca nos créditos finais do filme;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelo de plano de aula
Modelo de plano de aulaModelo de plano de aula
Modelo de plano de aula
Denise
 
Como elaborar um projeto social
Como elaborar um projeto socialComo elaborar um projeto social
Como elaborar um projeto social
cursosredemgcidadania
 
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro SetorIncentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Michel Freller
 
Cinema na comunidade ok
Cinema na comunidade okCinema na comunidade ok
Cinema na comunidade ok
Adriana Bruno
 
Microsoft word diretrizes técnicas para o processo de trabalho nos cras u…
Microsoft word   diretrizes técnicas para o processo de trabalho nos cras u…Microsoft word   diretrizes técnicas para o processo de trabalho nos cras u…
Microsoft word diretrizes técnicas para o processo de trabalho nos cras u…
NandaTome
 
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel FrellerIncentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Michel Freller
 
Plano de aula.
Plano de aula.Plano de aula.
Plano de aula.
Carol Costa
 
Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
Silvio Medeiros
 
Manual projetos
Manual projetosManual projetos
Manual projetos
Eduardo Macedo
 
UMF | Ultra Music Festival Brazil
UMF | Ultra Music Festival BrazilUMF | Ultra Music Festival Brazil
UMF | Ultra Music Festival Brazil
jorgeclerc
 
Elaboração de projetos sociais objetivos
Elaboração de projetos sociais objetivosElaboração de projetos sociais objetivos
Elaboração de projetos sociais objetivos
José Adriano M C Marinho
 
Curso Como Elaborar um Projeto - PETROBRAS
Curso Como Elaborar um Projeto - PETROBRASCurso Como Elaborar um Projeto - PETROBRAS
Curso Como Elaborar um Projeto - PETROBRAS
estrategiabrasileirinhos
 
GESTÃO DE Projeto formatura 2015
GESTÃO DE Projeto formatura 2015GESTÃO DE Projeto formatura 2015
GESTÃO DE Projeto formatura 2015
gelcine Angela
 
PLANO DE CURSO DO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 2012
PLANO DE CURSO DO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 2012PLANO DE CURSO DO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 2012
PLANO DE CURSO DO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 2012
Elias J. Santos
 
Modelo de pedido de patrocínio
Modelo de pedido de patrocínioModelo de pedido de patrocínio
Modelo de pedido de patrocínio
Monitoria Contabil S/C
 
Pei slides programa de acao
Pei slides programa de acaoPei slides programa de acao
Pei slides programa de acao
E.E. Mario Martins Pereira
 
Plano de aula com video
Plano de aula com videoPlano de aula com video
Plano de aula com video
Maria Conceição Melo
 
Projeto Social - Modelo
Projeto Social - ModeloProjeto Social - Modelo
Projeto Social - Modelo
Daniel Santos
 
1 AEE CADERNO DE ATIVIDADES 4B2022.pdf
1 AEE CADERNO DE ATIVIDADES 4B2022.pdf1 AEE CADERNO DE ATIVIDADES 4B2022.pdf
1 AEE CADERNO DE ATIVIDADES 4B2022.pdf
SimoneHelenDrumond
 
Elaboração de projetos sociais metodologia atividades
Elaboração de projetos sociais metodologia atividadesElaboração de projetos sociais metodologia atividades
Elaboração de projetos sociais metodologia atividades
José Adriano M C Marinho
 

Mais procurados (20)

Modelo de plano de aula
Modelo de plano de aulaModelo de plano de aula
Modelo de plano de aula
 
Como elaborar um projeto social
Como elaborar um projeto socialComo elaborar um projeto social
Como elaborar um projeto social
 
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro SetorIncentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
 
Cinema na comunidade ok
Cinema na comunidade okCinema na comunidade ok
Cinema na comunidade ok
 
Microsoft word diretrizes técnicas para o processo de trabalho nos cras u…
Microsoft word   diretrizes técnicas para o processo de trabalho nos cras u…Microsoft word   diretrizes técnicas para o processo de trabalho nos cras u…
Microsoft word diretrizes técnicas para o processo de trabalho nos cras u…
 
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel FrellerIncentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
 
Plano de aula.
Plano de aula.Plano de aula.
Plano de aula.
 
Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
 
Manual projetos
Manual projetosManual projetos
Manual projetos
 
UMF | Ultra Music Festival Brazil
UMF | Ultra Music Festival BrazilUMF | Ultra Music Festival Brazil
UMF | Ultra Music Festival Brazil
 
Elaboração de projetos sociais objetivos
Elaboração de projetos sociais objetivosElaboração de projetos sociais objetivos
Elaboração de projetos sociais objetivos
 
Curso Como Elaborar um Projeto - PETROBRAS
Curso Como Elaborar um Projeto - PETROBRASCurso Como Elaborar um Projeto - PETROBRAS
Curso Como Elaborar um Projeto - PETROBRAS
 
GESTÃO DE Projeto formatura 2015
GESTÃO DE Projeto formatura 2015GESTÃO DE Projeto formatura 2015
GESTÃO DE Projeto formatura 2015
 
PLANO DE CURSO DO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 2012
PLANO DE CURSO DO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 2012PLANO DE CURSO DO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 2012
PLANO DE CURSO DO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 2012
 
Modelo de pedido de patrocínio
Modelo de pedido de patrocínioModelo de pedido de patrocínio
Modelo de pedido de patrocínio
 
Pei slides programa de acao
Pei slides programa de acaoPei slides programa de acao
Pei slides programa de acao
 
Plano de aula com video
Plano de aula com videoPlano de aula com video
Plano de aula com video
 
Projeto Social - Modelo
Projeto Social - ModeloProjeto Social - Modelo
Projeto Social - Modelo
 
1 AEE CADERNO DE ATIVIDADES 4B2022.pdf
1 AEE CADERNO DE ATIVIDADES 4B2022.pdf1 AEE CADERNO DE ATIVIDADES 4B2022.pdf
1 AEE CADERNO DE ATIVIDADES 4B2022.pdf
 
Elaboração de projetos sociais metodologia atividades
Elaboração de projetos sociais metodologia atividadesElaboração de projetos sociais metodologia atividades
Elaboração de projetos sociais metodologia atividades
 

Destaque

Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 ediçãoGerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Rodrigo Lopes - Eng. - MBA - PMP - SCRUM - ITIL - COBIT
 
Controladoria prestcontas 052011
Controladoria prestcontas 052011Controladoria prestcontas 052011
Controladoria prestcontas 052011
Michel Freller
 
Livro Captação De Recursos
Livro Captação De RecursosLivro Captação De Recursos
Livro Captação De Recursos
Leonardo Leitao
 
E mail marketing
E mail marketing E mail marketing
E mail marketing
Professor Sérgio Duarte
 
CAPTAÇÃO DE RECURSOS
CAPTAÇÃO DE RECURSOSCAPTAÇÃO DE RECURSOS
CAPTAÇÃO DE RECURSOS
Dialogus Consultoria
 
Mobilização de Recursos - Geração de Renda Própria
Mobilização de Recursos - Geração de Renda PrópriaMobilização de Recursos - Geração de Renda Própria
Mobilização de Recursos - Geração de Renda Própria
Michel Freller
 
Apostila refrigeracao domestica
Apostila refrigeracao domesticaApostila refrigeracao domestica
Apostila refrigeracao domestica
roaugustus2010
 
Fundamentos e Práticas na EaD
Fundamentos e Práticas na EaDFundamentos e Práticas na EaD
Fundamentos e Práticas na EaD
Rafael Delmonego
 
Analise de swot rodrigo lopes
Analise de swot   rodrigo lopesAnalise de swot   rodrigo lopes
Plano de captação de recursos
Plano de captação de recursosPlano de captação de recursos
Plano de captação de recursos
Rodrigo Alvarez
 
Palestra - Economia Digital - Itaú 2011-05-20 SP
Palestra - Economia Digital - Itaú   2011-05-20 SPPalestra - Economia Digital - Itaú   2011-05-20 SP
Palestra - Economia Digital - Itaú 2011-05-20 SP
Conrado Adolpho
 
Plano de Captação de Recursos
Plano de Captação de RecursosPlano de Captação de Recursos
Plano de Captação de Recursos
ABCR
 
Incentivos Fiscais para Captação de Recursos
Incentivos Fiscais para Captação de RecursosIncentivos Fiscais para Captação de Recursos
Incentivos Fiscais para Captação de Recursos
Michel Freller
 
Como obter financiamentos milionarios a fundo perdido
Como obter financiamentos milionarios a fundo perdidoComo obter financiamentos milionarios a fundo perdido
Como obter financiamentos milionarios a fundo perdido
SEA Tecnologia
 
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
Andréia Soares de Sousa
 
Elaboração de projetos de bndes e bnb
Elaboração de projetos de bndes e bnbElaboração de projetos de bndes e bnb
Elaboração de projetos de bndes e bnb
B&R Consultoria Empresarial
 
Marketing Digital: Treinamento Prático Marketing Digital
Marketing Digital: Treinamento Prático Marketing DigitalMarketing Digital: Treinamento Prático Marketing Digital
Marketing Digital: Treinamento Prático Marketing Digital
NWMídia Marketing
 
Hackeando o Facebook com Python
Hackeando o Facebook com PythonHackeando o Facebook com Python
Hackeando o Facebook com Python
FATEC São José dos Campos
 
apostila-refrigeracao-frof-fabio-ferraz
apostila-refrigeracao-frof-fabio-ferrazapostila-refrigeracao-frof-fabio-ferraz
apostila-refrigeracao-frof-fabio-ferraz
ROBINSON CARLOS CRISTOVAM SILVA
 
Aprenda a Captar Recursos com Empresas
Aprenda a Captar Recursos com EmpresasAprenda a Captar Recursos com Empresas
Aprenda a Captar Recursos com Empresas
Michel Freller
 

Destaque (20)

Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 ediçãoGerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
 
Controladoria prestcontas 052011
Controladoria prestcontas 052011Controladoria prestcontas 052011
Controladoria prestcontas 052011
 
Livro Captação De Recursos
Livro Captação De RecursosLivro Captação De Recursos
Livro Captação De Recursos
 
E mail marketing
E mail marketing E mail marketing
E mail marketing
 
CAPTAÇÃO DE RECURSOS
CAPTAÇÃO DE RECURSOSCAPTAÇÃO DE RECURSOS
CAPTAÇÃO DE RECURSOS
 
Mobilização de Recursos - Geração de Renda Própria
Mobilização de Recursos - Geração de Renda PrópriaMobilização de Recursos - Geração de Renda Própria
Mobilização de Recursos - Geração de Renda Própria
 
Apostila refrigeracao domestica
Apostila refrigeracao domesticaApostila refrigeracao domestica
Apostila refrigeracao domestica
 
Fundamentos e Práticas na EaD
Fundamentos e Práticas na EaDFundamentos e Práticas na EaD
Fundamentos e Práticas na EaD
 
Analise de swot rodrigo lopes
Analise de swot   rodrigo lopesAnalise de swot   rodrigo lopes
Analise de swot rodrigo lopes
 
Plano de captação de recursos
Plano de captação de recursosPlano de captação de recursos
Plano de captação de recursos
 
Palestra - Economia Digital - Itaú 2011-05-20 SP
Palestra - Economia Digital - Itaú   2011-05-20 SPPalestra - Economia Digital - Itaú   2011-05-20 SP
Palestra - Economia Digital - Itaú 2011-05-20 SP
 
Plano de Captação de Recursos
Plano de Captação de RecursosPlano de Captação de Recursos
Plano de Captação de Recursos
 
Incentivos Fiscais para Captação de Recursos
Incentivos Fiscais para Captação de RecursosIncentivos Fiscais para Captação de Recursos
Incentivos Fiscais para Captação de Recursos
 
Como obter financiamentos milionarios a fundo perdido
Como obter financiamentos milionarios a fundo perdidoComo obter financiamentos milionarios a fundo perdido
Como obter financiamentos milionarios a fundo perdido
 
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
 
Elaboração de projetos de bndes e bnb
Elaboração de projetos de bndes e bnbElaboração de projetos de bndes e bnb
Elaboração de projetos de bndes e bnb
 
Marketing Digital: Treinamento Prático Marketing Digital
Marketing Digital: Treinamento Prático Marketing DigitalMarketing Digital: Treinamento Prático Marketing Digital
Marketing Digital: Treinamento Prático Marketing Digital
 
Hackeando o Facebook com Python
Hackeando o Facebook com PythonHackeando o Facebook com Python
Hackeando o Facebook com Python
 
apostila-refrigeracao-frof-fabio-ferraz
apostila-refrigeracao-frof-fabio-ferrazapostila-refrigeracao-frof-fabio-ferraz
apostila-refrigeracao-frof-fabio-ferraz
 
Aprenda a Captar Recursos com Empresas
Aprenda a Captar Recursos com EmpresasAprenda a Captar Recursos com Empresas
Aprenda a Captar Recursos com Empresas
 

Semelhante a Projeto de captação de recurso

Projeto de captação de recurso 2013
Projeto de captação de recurso 2013Projeto de captação de recurso 2013
Projeto de captação de recurso 2013
phillipbanks
 
Solicitaçãoo de análise de patrocínio aguardando aprovação
Solicitaçãoo de análise de patrocínio   aguardando aprovaçãoSolicitaçãoo de análise de patrocínio   aguardando aprovação
Solicitaçãoo de análise de patrocínio aguardando aprovação
phillipbanks
 
Apresentação Fernanda Santos
Apresentação Fernanda SantosApresentação Fernanda Santos
Apresentação Fernanda Santos
enecult
 
04 activia cine 2008
04 activia cine 200804 activia cine 2008
04 activia cine 2008
Petersen Andrade
 
Apresentação Cassio Sader
Apresentação Cassio SaderApresentação Cassio Sader
Apresentação Cassio Sader
Cassio Sader
 
Trabalho Gestao Cultural UERJ 20131
Trabalho Gestao Cultural UERJ 20131Trabalho Gestao Cultural UERJ 20131
Trabalho Gestao Cultural UERJ 20131
gestaoprojculturais20131
 
Projeto Cinema Social
Projeto Cinema SocialProjeto Cinema Social
Projeto Cinema Social
Patricia Urtiga
 
Mapeamento dos cinemas em Maceió e o contexto social, cultural e econômico
Mapeamento dos cinemas em Maceió e o contexto social, cultural e econômicoMapeamento dos cinemas em Maceió e o contexto social, cultural e econômico
Mapeamento dos cinemas em Maceió e o contexto social, cultural e econômico
Soraya D. Fonseca
 
Projeto Patrocínio MOSTRA: Brazilian Film Series em São Paulo
Projeto Patrocínio MOSTRA: Brazilian Film Series em São PauloProjeto Patrocínio MOSTRA: Brazilian Film Series em São Paulo
Projeto Patrocínio MOSTRA: Brazilian Film Series em São Paulo
mostrachicago
 
Arte digital clc.judite
Arte digital clc.juditeArte digital clc.judite
Arte digital clc.judite
jsalgueiro1
 
Projeto cinema no bairro para lauro de freitas
Projeto cinema no bairro para lauro de freitasProjeto cinema no bairro para lauro de freitas
Projeto cinema no bairro para lauro de freitas
reinaldosantosI
 
CCM - Sonho acordado 2
CCM - Sonho acordado 2CCM - Sonho acordado 2
CCM - Sonho acordado 2
UNIP. Universidade Paulista
 
Coroa santa
Coroa santaCoroa santa
Coroa santa
Rede Catitu
 
Coroa santa
Coroa santaCoroa santa
Coroa santa
Rede Catitu
 
Apr mochilao 01_2012
Apr mochilao 01_2012Apr mochilao 01_2012
Apr mochilao 01_2012
joyizauri
 
1º Forum Transmídia
1º Forum Transmídia1º Forum Transmídia
1º Forum Transmídia
MonkeyBusiness
 
Scalinatta - cinema Vivo
Scalinatta - cinema VivoScalinatta - cinema Vivo
Scalinatta - cinema Vivo
Scalinatta
 
Proposta de contabilização de público em espaços cineclubistas
Proposta de contabilização de público em espaços cineclubistasProposta de contabilização de público em espaços cineclubistas
Proposta de contabilização de público em espaços cineclubistas
Memória FEPEC
 
Festival 2019 - Audiovisual e o Terceiro Setor
Festival 2019 - Audiovisual e o Terceiro SetorFestival 2019 - Audiovisual e o Terceiro Setor
Festival 2019 - Audiovisual e o Terceiro Setor
ABCR
 
Políticas culturais em conceição do coité video documentário
Políticas culturais em conceição do coité video documentárioPolíticas culturais em conceição do coité video documentário
Políticas culturais em conceição do coité video documentário
UNEB
 

Semelhante a Projeto de captação de recurso (20)

Projeto de captação de recurso 2013
Projeto de captação de recurso 2013Projeto de captação de recurso 2013
Projeto de captação de recurso 2013
 
Solicitaçãoo de análise de patrocínio aguardando aprovação
Solicitaçãoo de análise de patrocínio   aguardando aprovaçãoSolicitaçãoo de análise de patrocínio   aguardando aprovação
Solicitaçãoo de análise de patrocínio aguardando aprovação
 
Apresentação Fernanda Santos
Apresentação Fernanda SantosApresentação Fernanda Santos
Apresentação Fernanda Santos
 
04 activia cine 2008
04 activia cine 200804 activia cine 2008
04 activia cine 2008
 
Apresentação Cassio Sader
Apresentação Cassio SaderApresentação Cassio Sader
Apresentação Cassio Sader
 
Trabalho Gestao Cultural UERJ 20131
Trabalho Gestao Cultural UERJ 20131Trabalho Gestao Cultural UERJ 20131
Trabalho Gestao Cultural UERJ 20131
 
Projeto Cinema Social
Projeto Cinema SocialProjeto Cinema Social
Projeto Cinema Social
 
Mapeamento dos cinemas em Maceió e o contexto social, cultural e econômico
Mapeamento dos cinemas em Maceió e o contexto social, cultural e econômicoMapeamento dos cinemas em Maceió e o contexto social, cultural e econômico
Mapeamento dos cinemas em Maceió e o contexto social, cultural e econômico
 
Projeto Patrocínio MOSTRA: Brazilian Film Series em São Paulo
Projeto Patrocínio MOSTRA: Brazilian Film Series em São PauloProjeto Patrocínio MOSTRA: Brazilian Film Series em São Paulo
Projeto Patrocínio MOSTRA: Brazilian Film Series em São Paulo
 
Arte digital clc.judite
Arte digital clc.juditeArte digital clc.judite
Arte digital clc.judite
 
Projeto cinema no bairro para lauro de freitas
Projeto cinema no bairro para lauro de freitasProjeto cinema no bairro para lauro de freitas
Projeto cinema no bairro para lauro de freitas
 
CCM - Sonho acordado 2
CCM - Sonho acordado 2CCM - Sonho acordado 2
CCM - Sonho acordado 2
 
Coroa santa
Coroa santaCoroa santa
Coroa santa
 
Coroa santa
Coroa santaCoroa santa
Coroa santa
 
Apr mochilao 01_2012
Apr mochilao 01_2012Apr mochilao 01_2012
Apr mochilao 01_2012
 
1º Forum Transmídia
1º Forum Transmídia1º Forum Transmídia
1º Forum Transmídia
 
Scalinatta - cinema Vivo
Scalinatta - cinema VivoScalinatta - cinema Vivo
Scalinatta - cinema Vivo
 
Proposta de contabilização de público em espaços cineclubistas
Proposta de contabilização de público em espaços cineclubistasProposta de contabilização de público em espaços cineclubistas
Proposta de contabilização de público em espaços cineclubistas
 
Festival 2019 - Audiovisual e o Terceiro Setor
Festival 2019 - Audiovisual e o Terceiro SetorFestival 2019 - Audiovisual e o Terceiro Setor
Festival 2019 - Audiovisual e o Terceiro Setor
 
Políticas culturais em conceição do coité video documentário
Políticas culturais em conceição do coité video documentárioPolíticas culturais em conceição do coité video documentário
Políticas culturais em conceição do coité video documentário
 

Projeto de captação de recurso

  • 1. PROJETO DE CAPTAÇÃO DE PATROCÍNIO LEI DE INCENTIVO À CULTURA Documentário cinematográfico de média-metragem. Aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura (artigo 18) Pronac: 121745 Processo: 01400.007962/2012-91 Área Cultural: Audiovisual Segmento: Produção Cinematográfica de média metragem Mecanismo: Mecenato Custo do Projeto: R$ 62.200,00 Ministério da Cultura – (61) 2024-2272 / 2145 / 2249 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 TÍTULO “Vila Flávia: Uma vila e muitas histórias” 1.2 PROPONENTE Felipe Alves Santos (Phillip Banks) 1.3 DIRETOR Phillip Banks & Eddy Stalinsk 1.4 ROTEIRISTA Phillip Banks 2. IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE 2.1 Nome 2.2 CPF Felipe Alves Santos 351.336.448-25 2.3 Endereço 2.4 Complemento Avenida Maria Luiza do Val Penteado, 90/91 Cidade São Mateus 2.5 Município 2.6 UF 2.7 CEP São Paulo SP 03962-040 2.8 Telefone (DDD + Número) 2.9 Fax (DDD + Número) 2.10 Endereço Eletrônico (e-mail) (011) 6616-1328 / 6075-7930 / 3455- phillip.b@hotmail.com 9363 phillip.b.production@hotmail.com 3. SINOPSE DO PROJETO O retrato do dia-a-dia dos moradores da favela Vila Flávia, região de São Mateus, zona leste de São Paulo. 4. OBJETIVOS
  • 2. Mostra o cotidiano de favelados que convivem com violência dentro e fora de casa. Seus personagens falam mais do que milhares de reportagens sobre isso, que aparecem na televisão. Eles terão liberdade para dizer o que pensam, sem a preocupação dos documentários educativos, como programas de governo, que são feitos para falar bem de algo. Empenhar-me-ei ao filmar em tirar o máximo possível a minha intenção político / social individual, para deixar os expectadores livres para julgar, porque acredito que quando uma pessoa vai ver um filme, leva toda uma carga cultural, de preconceitos, de conselhos que carrega em si, e essas coisas vão influenciar na maneira como assimilará o conteúdo. Espero que vendo esse filme, tenha visões, revelações, de que eventualmente o que pensa sobre determinada situação não está tão certo. Não quero mudar ninguém e sim mostrar o que existe, o imaginário popular, para que possa conhecer e conhecendo, possa tentar mudar alguma coisa, porque ninguém pode mudar nada, sem conhecer o que já existe. 5. JUSTIFICATIVA DO PROJETO As favelas sempre são retratadas pela mídia como pontos negativos em relação ao resto da população, ou busca- se lá um exemplo de personagem que representa a favela de forma digna. Mas não é isso que buscaremos, e sim costura o depoimento de vários moradores justamente por acreditar na singularidade, na particularidade de cada um. No documentário, serão filmadas as alegrias, as dificuldades, os amores, os amigos, a religião e atividades artísticas que permeiam a comunidade. Percebendo-se fortemente o desejo dos moradores de desmistificar a relação da pobreza/favela como ponto negativo de uma sociedade. Acreditando-se assim que em mais de um depoimento, os moradores citarão que apesar de todos os problemas que vivem, não trocariam aquele lugar por outro, que foi lá que eles constituíram família e amigos, que lá é um lugar bom para se viver. O documentário não deixa de contextualizar as condições dos moradores, como a sujeira e o tráfico de drogas. Entretanto, não é esse o eixo principal do filme, o objetivo principal será focalizar a estratégia dos moradores para sobreviver em meio a diferentes tipos de violência. 6. DESCRIÇÃO DO PROJETO Divido essa obra em três partes, todas de extrema importância para a compreensão da mesma. 1) A primeira delas fala sobre a identidade da favela, o que é, onde fica, quem são seus moradores e como eles descrevem o local onde vivem. Nesta parte é possível constatar que se trata de uma comunidade localizada na Zona leste da cidade de São Paulo. No entanto, lá vivem pessoas humildes, em sua maioria negros e nordestinos em busca de melhores condições de vida. São pessoas que trabalham muito para sobreviver de maneira digna e honesta, que sentem orgulho do local onde moram. Mas que sofrem muito com a humilhação a que são submetidos ao ter que parar perante um policial, e saber que serão revistados de maneira desrespeitosa porque vivem em uma favela. 2) A segunda parte procura focar os relacionamentos que existem dentro da favela. Sejam eles amorosos, de amizade ou religiosos; em sua maioria as relações se dão entre os próprios moradores. E são eles os primeiros a reconhecer isto, que a vida e a relação se tornam muito mais fáceis se ela for feita entre si. 3) Por fim, os moradores retratam o pré-conceito que sofrem fora dos limites da favela. Esta última parte vai falar sobre questões que sempre fizeram parte da nossa história, tais como o racismo e a discriminação por condição social. Por estarem isoladas do restante da sociedade pelo muro do pré- conceito. Os jovens já não têm perspectiva de vida, estão conformados com a situação que lhes é imposta, não querem nada além daquilo que lhes for dado. Já não possuem mais sonhos.
  • 3. 7. RELEVÂNCIA Trata-se uma proposta que visa possibilitar aos moradores o acesso ao conhecimento, e com isso, despertar a consciência dos direitos que eles têm como cidadãos. A ideia de que a comunidade conte e registre em áudio e vídeo o seu cotidiano, a torna autônoma e fortalece o conceito de coletividade, de um coletivo em busca de mais espaço e reconhecimento. 8. CIDADE OU REGIÃO DE EXECUÇÃO DO PROJETO Na cidade de São Paulo. No bairro Cidade São Mateus, na região leste. Favela Vila Flávia. 9. A QUE SE DESTINA O PATROCÍNIO O patrocínio se destina à produção e difusão de documentário em Festivais de cinema e mostra audiovisual. 10. REALIZAÇÃO DO PROJETO Acesso: Gratuito Público-alvo: Todas as classes e camadas sociais e formadores de opinião. Previsão de público: Aproximadamente dois milhões de espectadores em festivais no Brasil, segundo pesquisa do Fórum dos Festivais Brasileiros. 11. ATRATIVOS PARA O PATROCINADOR Exposição da logomarca 1) Nos letreiros iniciais e finais da obra audiovisual. 2) Nos materiais audiovisuais de divulgação. 3) Nos materiais impressos e digitais de divulgação. 4) Nos eventuais subprodutos derivados da obra audiovisual. Possibilidade de product placement (merchandising) veiculado dentro da própria obra audiovisual. 12. PLANO DE DIVULGAÇÃO, COMUNICAÇÃO E CONTRAPARTIDAS
  • 4. Divulgação e Comunicação Criação do site oficial do filme Divulgações nas redes sociais. Contrapartidas Institucionais: • Fazer figurar a logomarca dos patrocinadores em todo material promocional e publicitário relativo ao projeto e notas de imprensa. O projeto oferece também as seguintes possibilidades de inserção da logomarca: • Créditos de abertura e encerramento do filme com a chancela “Apresenta”; • Trailers para internet; • Cartazes e banners; • Site oficial do filme e link para o site da empresa; • Capa do DVD para distribuição nos festivais e mostras audiovisual, acervos e cia (vide Estratégia de divulgação). O projeto ainda oferece à empresa o direito de uso de imagens e trechos do filme para ações de comunicação e marketing bem como; uma cota de 50 dvds para que a empresa tenha a oportunidade de distribuí-los a públicos de seu interesse.. Compensatórias: • Garantir o acesso gratuito ou a preços populares para o público, portadores de necessidades especiais, portadores de doenças crônicas graves, idosos, estudantes de escolas públicas. • Exibições grátuitas do documentário em escolas públicas, CEUs, Sesc e demais intituições publicas e privadas. • Disponibilizar na integralmente o projeto na internet, em um prazo estipulado. Respeitando a exclusividade dos festivais e mostras audiovisuais. 13. ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO A primeira etapa será a participação do filme nos principais festivais de cinema nacionais (Festival de Brasília, CINE-PE e Gramado) e internacionais (Festival de Cinema de Cannes e Berlim). Após a exibição nos festivais brasileiros, o filme estará disponível para exibição em redes de televisão aberta e fechada, dedicadas a exibição de documentários, como Canal Brasil, TV Cultura e TV Brasil. Pretendemos, também, a exibição do filme na Internet, em sites dedicados aos documentários e no site oficial do filme, como “Instituto Querô”. Paralelamente, haverá a distribuição gratuita de 100 cópias do DVD, sendo 50 para acervos de instituições de serviços sociais, associações de moradores, movimentos de moradias e defesa da Favela, e 50 para instituições culturais e escolas públicas do governo federal.
  • 5. 14. PREVISÃO DE DURAÇÃO DO PROJETO Previsão para o início do projeto: 01 de Julho de 2012 Previsão para o fim do projeto: 22 de Setembro de 2012 Etapas de produção: ETAPA 1 – PRÉ-PRODUÇÃO 1 de Julho a 28 de Julho - Buscar parcerias e captação de recursos - Contratação dos profissionais (equipe técnica, assessoria contábil, assessoria Jurídica). - Pesquisa, abordagem de moradores e instituições sociais e de moradia. ETAPA 2 – GRAVAÇÕES 29 de Julho a 25 de Agosto - Teste dos equipamentos de áudio e vídeo e teste de filmagens. - Filmagens - Gravações das entrevistas. ETAPA 3 – PÓS-PRODUÇÃO / DIVULGAÇÃO 26 de Agosto a 22 de Setembro - Divulgação do projeto - Criação do site oficial do filme. - Divulgações nas paginas de relacionamento. (facebook, youtube, twitter). - Edição e distribuição dos DVDs com o registro do projeto para os festivais e mostras audiovisual. - Firmar parceria com a instituição de ensino e centros unificados de ensino para a cessão do espaço para exibições públicas do projeto para a comunidade local, e de entrada franca. 15. O PROJETO CONTA COM O BENEFÍCIO DE ALGUMA LEI? Este projeto cultural foi aprovado para o Programa Nacional de Apoio à Cultura, enquadrado no artigo 18 da Lei Federal n° 8313/91 - Lei Rouanet -, o que permite à empresa patrocinadora deduzir integralmente o valor investido do Imposto de Renda a pagar. 16. CURRÍCULO DO(S) DIRETOR(ES) E PRODUTOR(ES)
  • 6. Phillip Banks Diretor, Produtor e Roteirista O Visionário Phillip Banks, registrado Felipe Alves Santos, é um jovem mineiro da cidade de Medina, Medina situa-se na ragião do Vale do Rio Jequitinhonha, no estado de Minas Gerais. Roteirista, Diretor e Produtor, autodidata dedicado, reside desde 1999 na Avenida Maria Luiza do Val Penteado, 90/91, CEP 03962-040, no Bairro Cidade São Mateus na cidade de São Paulo, na grande capital. Faz cinema por paixão e esse sentimento é a mola propulsora de seus filmes. Com recursos escassos, sem patrocínio ou apoio governamental ou institucional, mas com garra e uma ideia por vez tirada de uma cabeça totalmente focada em cinema, ele consegue com uma câmera na mão materializar seu sonho. Phillip Banks trabalhou no sitcom “Uma família nada diferente”, em parceria com Eddy Stalinsk e produção de Luciana Castilho. E o curta-metragem “Café amargo” em parceria com David Melo. PRINCIPAIS ROTEIROS AUDIOVISUAIS Título: "Visão Periférica" Autor: Phillip Banks Gênero: Drama, Policial Formato: Roteiro cinematográfico de longa-metragem Páginas: 76 (págs.) Título: O executor Autor: Phillip Banks Gênero: Ação, Policial Formato: Roteiro cinematográfico de longa-metragem Páginas: 73 (págs.) Título: A sogra Autor: Phillip Banks Gênero: Comédia Formato: Roteiro cinematográfico de curta-metragem Páginas: 13 (págs.) Título: A mensagem da Morte Autor: Phillip Banks Gênero: Drama, Suspense, Romance Formato: Roteiro cinematográfico de Média-metragem Páginas: 35 (págs.) Título: "Noite Maldita: O despertar dos Mortos" Autor: Phillip Banks Gênero: Ficção, Trilher, Terror, Policial, Ação. Formato: Roteiro cinematográfico de longa-metragem Páginas: 96 (págs.) Idioma: Português País de origem: Brasil
  • 7. Eddy Stalinsk Diretor e Produtor Formado em Rádio e TV - 2008 pela Universidade Cruzeiro do Sul. Participou e idealizou muitos filmes, entre eles: Curta Metragem: Meus Passos 15”00’ – Drama – Cor Roteiro – Produção Ano de produção 2007 Vídeo Institucional: Academia Gaviões 5”00’ – Institucional – Cor Edição Ano de produção 2007 Curta Metragem: Um dia de Mãe 1”31’ – Comédia – Cor Direção – Roteiro Ano de produção 2007 Piloto: Viola Sertaneja 30”00’ – Programa de videoclipe – Cor Direção – Produção Ano de produção2008 Piloto: Uma Família Nada Diferente 30”00’ – Comédia/Sitcom – Cor Direção – Roteiro Ano de produção 2008 Curta Metragem: Taxímetro 25”00’ – Comédia – Cor Roteiro Ano 2010 – Em produção / Captação Longa Metragem: Mente Criminosa 95”00 – Policial – Cor Roteiro – Direção Ano – 2011 – Em produção / Captação
  • 8. Adalberto Santana Silva Produtor Com formação Superior em SERVIÇO SOCIAL. Atividades extracurriculares • Curso de Teatro, Artes e artesanato – CESEP – PUC-SP. • Curso de Teatro Musical – Oficina dos Menestréis • Curso de contação de histórias e cantigas – CDH – Centro de Desenvolvimento Humano Resumo de qualificações Arte educador no projeto “São Paulo é uma escola” na rede municipal com aluno da rede e também com necessidades especiais, do primeiro ao sexto Chamamento (2005 a 2009), com oficinas diversificadas, bem como de Teatro, Artes, Artesanato, Dança, Recreação, Jogos e Brincadeiras e Xadrez, para crianças e comunidade local. • Criação, organização e execução de eventos, festivais e feiras culturais, esportivas e recreativas juntamente com equipe de educadores em CEUS, espaços privados e comunidades religiosas. * Projeto “VAI” da Prefeitura de São Paulo – 2006. * Ator s companhias teatrais, com experiência de 3 anos em teatro. * Últimos trabalhos no teatro: Grupo Boca: tolerância Cruzada Experiência profissional  ESCOLA CARITAS CARGO: Professor Artes Cênicas / Plásticas 2009 até o presente  APAE-SP – Associação de pais e amigos dos excepcionais CARGO: Arte Educador “São Paulo é uma escola” – 5° e 6° Chamamento – 2008-2009  INSTITUTO PATRÍCIA MEDRADO CARGO: Arte Educador “São Paulo é uma escola” – 4° Chamamento - 2008  CEMAIS - Centro de estudos do Meio Ambiente e saúde CARGO: Oficineiro Cultural / Apoio pedagógico “São Paulo é uma Escola” – 3° Chamamento – 2007  CDH – Centro de desenvolvimento humano CARGO: Oficineiro Cultural / Coordenador de Oficineiros “São Paulo é uma Escola” – 1° e 2° Chamamento –2005 / 2006. 17. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO 17.1 GÊNERO FICÇÃO X DOCUMENTÁRIO ANIMAÇÃO TÉCNICA MISTA OUTROS (especificar)
  • 9. 17.2 FORMATO 17.3 DURAÇÃO CURTA (até 15 min) Minutos em cada seriado X MÉDIA (acima de 15 min e até 70 min) Capítulos LONGA (acima de 70 min) Duração de cada capítulo (min) TELEFILME X Duração total (min) 70 min SERIADO PROGRAMA DE TV DE CARÁTER EDUCATIVO E CULTURAL 17.4 SUPORTE DE CAPTAÇÃO 17.5 SUPORTE DE CÓPIA FINAL 35 mm DVCAM 35 mm DVCAM 16 mm Mini – DV 16 mm Mini – DV Super – 16 mm H8 Super – 16mm H8 BETA SP Outros (especificar) BETA SP DVD BETA DIGITAL BETA DIGITAL Outros (especificar) X HD X HD 18. INVESTIMENTOS NECESSÁRIOS PARA O PROJETO TOTAL GERAL DO ORÇAMENTO R$ 62.200,02 19. INVESTIMENTO PROPOSTO / COTAS DE INVESTIMENTOS Cotas de patrocínio Tipo de Cota 62.200,00 Patrocinador Master 31.100,00 Co-Patrocinador 1 15.550,00 Co-Patrocinador 2 07.775,00 Apoio 1 03.887,50 Apoio 2 PATROCÍNIO PELA LEI DE INCENTIVO À CULTURA VILA FLÁVIA: UMA VILA E MUITAS HISTÓRIAS foi aprovado pelo Ministério da Cultura a captar recursos no valor de R$ 62.200,01 com o mecanismo da Lei de Incentivo à Cultura (Lei 8.313/91), também chamada de Lei Rouanet. O Patrocinador pode optar por este mecanismo. Poderão patrocinar este projeto: - Pessoa Jurídica pode destinar 04% do imposto de renda vigente.
  • 10. - Pessoa Física pode destinar 06% do imposto de renda vigente. Com a publicação da Lei 9.874/99 e a Medida Provisória nº 2228-1/2001, a pessoa física ou a empresa que apoiar este projeto poderá deduzir até 100% do valor patrocinado, dentro dos limites da legislação do imposto de renda vigente. Observações - Empresas que optam por trabalhar com o lucro presumido não podem participar deste mecanismo; - Empresas que optam pelo Simples Nacional não podem participar deste mecanismo. CONTRAPARTIDAS Caso opte pelo mecanismo da Lei Rouanet, os Patrocinadores terão dedução no imposto de renda no valor equivalente a 100% do valor patrocinado (dentro do limite de 4% do I.R.). PATROCINADOR MASTER – Patrocínio a partir de 100% do orçamento do projeto. - Inclusão de logomarca nos créditos iniciais e finais do filme; - Inclusão de logomarca em todo material de divulgação (impressos e virtuais) do filme; - Inclusão de logomarca nos eventuais subprodutos derivados da obra audiovisual; - Possibilidade de product placement (merchandising) veiculado dentro da própria obra audiovisual; - Link para o site da empresa no blog e no site oficial do filme; - Receberão 200 copias do DVD CO-PATROCINADOR 1 – Patrocínio acima de 50% do orçamento do projeto. - Inclusão de logomarca nos créditos iniciais e finais do filme; - Inclusão de logomarca em todo material de divulgação (impressos e virtuais) do filme; - Link para o site da empresa no blog e no site oficial do filme; - Receberão 100 cópias do DVD do filme CO-PATROCINADOR 2 – Patrocínio até 25% do orçamento do projeto. - Inclusão de logomarca nos créditos iniciais e finais do filme; - Inclusão de logomarca em todo material de divulgação (impressos e virtuais) do filme; - Link para o site da empresa no blog e no site oficial do filme; - Receberão 50 cópias do DVD do filme. APOIO 1 – Patrocínio até 12,5% do orçamento do projeto. - Inclusão de logomarca nos créditos finais do filme; - Link para o site da empresa no blog e no site oficial do filme; - Receberão 12 cópias do DVD do filme. APOIO 2 – Patrocínio até 6,25% do orçamento do projeto. - Inclusão de logomarca nos créditos finais do filme;