SlideShare uma empresa Scribd logo
Projeto Gêneros Textuais:
                          "Fanzine, a arte do faça você mesmo"

IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA
NOME: Liceu de Maracanaú, EMEFM
ENDEREÇO: Rua: Novo Oriente S/N – Piratininga
MODALIDADE DE ENSINO: FUNDAMENTAL II
TURNOS: Matutino e Vespertino
QUANTIDADE DE ALUNOS: 776

CURSISTA: FRANCISCO CESAR MARTINS DA SILVA

1.CONTEÚDO: Gêneros textuais

2. SÉRIE: 6° ao 9° ano

3. INTRODUÇÃO
        Produzir um fanzine ou revista independente é uma atividade prazerosa, que
propicia ao editor, ensinar e aprender, ao mesmo tempo. São fanzines as publicações
que trazem textos diversos, histórias em quadrinhos , reprodução de HQ's antigas,
poesias, divulgação de bandas independentes, contos, colagens, experimentações
gráficas, enfim, tudo que o editor julgar interessante. Os fanzines são o resultado da
iniciativa e esforço de pessoas que se propõem a veicular produções artísticas ou
informações sobre elas, que possam ser reproduzidas e enviadas a outras pessoas, fora
das estruturas comerciais de produção cultural.
        Achamos na produção de fanzine uma oportunidade interessante para tyrabalhar
os mais diversos gêneros literários com os alunos, por isto estamos propondo esta
atividade.


Música: Vamos fazer um fanzine
Letra de Rafael de Castro
(Disponivel em: http://rafael-castro.lyrics.com.br/letras/1264411/)
Bicho,
quero fazer um fanzine maneiro
com uns desenhos legais,
distribuir pelos quintais,
por aí, sem parar,
até o sulfite da escola acabar.

Vou por
Fotos e versos de vários artistas:
Árcades à concretistas.

Me dê sua mão.
Tó um exemplar!
Não pague nada, é de coração.

Zine,
preto no branco xerocopiado,
com nosso nome grafado
revolução conceitual
que rasgaram sem ler
Tudo é tão triste...

Se foi,
O sonho utópico, o grão libertário...
Para gaiola do canário.


4. OBJETIVOS:

Motivar o aluno para produz materiais de sua própria autoria;
Trabalhar a produção textual a partir da produção do fanzine;
Trabalhar com recortes, colagens e dobraduras;
Trabalhar com programas de edição de imagem e texto.

5. RECURSOS MATERIAIS:

Cola, tesoura, várias folhas de sulfite e um corretivo ou tinta guache branco.
Computador com editor de texto e de imagem

6. DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE/PROCEDIMENTODIDÁTICO:

1. Diagramação artesanal
      Os textos podem ser escritos à mão ou num programa BrOffice. As imagens ou
figuras podem ser de revistas ou pegue na internet ou desenhada no colorpaint.
      Na parte escrita, distribuir algumas figuras pela partes da página deixando sempre
0,5 centímetros de distância entre o texto e a imagem escolhida.

Montagem das páginas
        1. Pegar figuras de revistas, imagens da internet ou desenhado no ColorPaint
para serem coladas na página que irá ser produzido o fanzine.
      2. Pegar uma folha de papel sulfite, dividir a folha em 8 partes iguais. Dobrar a
folha ao meio e fazer um corte entre os dois retângulos centrais, conforme a figura
abaixo:


            4         3           2       1
                                                         Corte

            5         6      Contra     Capa
                              capa

         Folha de papel sulfite

       3. Dobrar em forma de livrinho, conforme a seqüência: capa, 1, 2, 3, 4, 5, 6 e
contra capa.
       4. Dividir a sala em grupo. Cada grupo deverá produz um fanzine, conforme os
temas: música, poesias, histórias em quadrinho etc, ou tema livre.
5. Cada grupo deverá apresentar sua produção para a classe.

2. Diagramação em Computador
        A    maneira       mais      rápida     e     eficaz    de    diagramação.
Você pode usar programas como o BrOffice e o ColorPaint . Os recursos são infinitos
podendo modificar estilos, filtros, inserir figuras, aplicação de máscaras e sombras de
acordo com o seu conhecimento sobre o programa.
        Ao inserir figuras, não se esqueça de deixar certa distância entre o texto e a
imagem. Cuidado com o exagero de fontes. Algumas são tão “enfeitadas” que se tornam
ilegíveis. Procure usar as mais simples e fáceis de entender.
Atenção também com a impressora. Se ela não tiver uma boa definição de cor preta, a
impressão sairá muito clara e possivelmente prejudicará as cópias.
        Depois de feito a diagramação no computador, seguir os passos da montagem da
página.


7. AVALIAÇÃO:

       A avaliação será processual e continua. Sendo observando a participação do
aluno individual e coletivamente e a produção final do grupo.


8. CONTEXTUALIZAÇÃO:
                                       Fanzine
Trata-se de um neologismo, com origem nos E.U.A.
O termo nasceu graças à junção da palavra fan (ou fã, no aportuguesamento, com o
sentido positivo de entusiasta, apaixonado), com zine, última sílaba de magazine
(equivalente a publicação ilustrada).
Consequentemente, o significado de fanzine será o de um magazine feito por fãs de um
determinado tema e destinado a fãs desse mesmo tema.
Os primeiros fanzines apareceram nos Estados Unidos da América na década de 1930,
editados por jovens adultos, inicialmente dedicados à ficção científica, mas logo a surgir
o primeiro em 1936 dedicado à Banda Desenhada.
Na europa, em França, os fanzines surgiram nos anos sessenta, dando prioridade aos
textos críticos e de estudo sobre a BD, editados por adultos profundos conhecedores do
tema.
Em Portugal, o primeiro fanzine foi o Árgon, editado por jovens e com bandas
desenhadas também feitas por jovens, datado de Janeiro de 1972.
No Brasil, o primeiro fanzine de que se tem registro é o Ficção, criado por Edson
Rontani, em Piracicaba (SP), em 1965. Nesta época usava-se o termo "boletim" para
designar as publicações amadoras, o termo fanzine só começou a ser usado a partir de
meados da década de 70. A motivação de Edson Rontani foi manter contato com outros
colecionadores de revistas de quadrinhos para venda e troca de revistas. Mas já no
primeiro número, Edson coloca diversos textos informativos e uma importantíssima
relação das revistas de quadrinhos publicadas no Brasil desde 1905.
Os fanzines tratam de variados temas, abarcando ao mesmo tempo, por vezes, alguns
deles. Os preferidos são os seguintes: banda desenhada, cartoon, ilustração, ficção
científica, música (pop, rock, heavy metal,etc.), cinema (gore, em especial), literatura
(prosa e poesia), política (privilegiando o anarquismo), esoterismo, vegetarianismo,
veganismo, jogos de computador, internet…
Os títulos, para além de eventualmente definirem o conteúdo, demonstram com
freqüência grande imaginação, anti-convencionalismo e até alguma agressividade em
relação à sociedade, características que, não raro, também são evidenciadas, e até
reforçadas, pelo respectivo grafismo.
A originalidade destas publicações, maioritariamente alternativas e experimentais,
incide bastante na apresentação visual, e reflete-se ainda no formato e número de
páginas: tanto uma coisa como outra chegam a ser diferentes de um número para outro,
bem como o próprio título. Por vezes, os faneditores (obviamente editores de fanzines),
por distração ou deliberadamente, fazem saltos na numeração.
Várias outras facetas muito próprias caracterizam estes magazines amadores,
nomeadamente as seguintes: não são editados com intuitos lucrativos, os seus
colaboradores não são pagos, têm pequenas tiragens, habitualmente não respeitam
qualquer periodicidade e a distribuição é escassa, apenas feita pelo próprio editor, que
os põe à venda em feiras fanzinísticas, nos festivais de BD e nas livrarias especializadas.
Quando apresentam melhor qualidade gráfica - ao substituírem as fotocópias pela
impressão em offset -, têm ISBN, e são distribuídos a nível nacional, passam a chamar-
se prozines.

9. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS:

FANZINE. Disponível em: http://br.geocities.com/fanzinelandia/Fanzine-origem.htm
                       http://www.geocities.com/Tokyo/Gulf/8060/tuto_zines.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAISOFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
Trazzi
 
Mangá
MangáMangá
Mangá
robertaoliva
 
Manual o-diario-de-anne-frank-em-quadrinhos
Manual o-diario-de-anne-frank-em-quadrinhosManual o-diario-de-anne-frank-em-quadrinhos
Manual o-diario-de-anne-frank-em-quadrinhos
Leeloominai Laminai Leeloo
 
HQ
HQHQ
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
jpsales
 
Hq final
Hq finalHq final
Histórias em quadrinhos na sala de aula
Histórias em quadrinhos na sala de aulaHistórias em quadrinhos na sala de aula
A utilização do mangá no âmbito da ilustração na cultura jovem brasileira.
A utilização do mangá no âmbito da ilustração na cultura jovem brasileira.A utilização do mangá no âmbito da ilustração na cultura jovem brasileira.
A utilização do mangá no âmbito da ilustração na cultura jovem brasileira.
Savitri Ramaiana
 
Proj monteiro lobato_46
Proj monteiro lobato_46Proj monteiro lobato_46
Proj monteiro lobato_46
Eliane Pellizzaro
 
Sequência Didática História em Quadrinhos
Sequência Didática História em QuadrinhosSequência Didática História em Quadrinhos
Sequência Didática História em Quadrinhos
Cris Penoni
 
HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: INFORMAÇÃO E DIVERSÃO ATRAVÉS DA LEITURA
HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: INFORMAÇÃO E DIVERSÃO ATRAVÉS DA LEITURAHISTÓRIAS EM QUADRINHOS: INFORMAÇÃO E DIVERSÃO ATRAVÉS DA LEITURA
HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: INFORMAÇÃO E DIVERSÃO ATRAVÉS DA LEITURA
Diana Carla Mendonça
 
Histórias em Quadrinhos e Mangás
Histórias em Quadrinhos e MangásHistórias em Quadrinhos e Mangás
Histórias em Quadrinhos e Mangás
Seed Pr
 
Pres Brasil JapãO Mangá
Pres Brasil JapãO MangáPres Brasil JapãO Mangá
Pres Brasil JapãO Mangá
ivan anzuategui
 
Histórias em quadrinhos
Histórias em quadrinhosHistórias em quadrinhos
Histórias em quadrinhos
CrisBiagio
 
Sequencia didatica viviana_a_rainha_do_pijama
Sequencia didatica viviana_a_rainha_do_pijamaSequencia didatica viviana_a_rainha_do_pijama
Sequencia didatica viviana_a_rainha_do_pijama
Kelly Garcia
 
Arte postal,centenário Saramago
Arte postal,centenário SaramagoArte postal,centenário Saramago
Arte postal,centenário Saramago
Ludomorais
 
Educação para os média
Educação para os médiaEducação para os média
Educação para os média
fabion8filipen10
 
Educação para os média
Educação para os médiaEducação para os média
Educação para os média
bolonas
 

Mais procurados (18)

OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAISOFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
 
Mangá
MangáMangá
Mangá
 
Manual o-diario-de-anne-frank-em-quadrinhos
Manual o-diario-de-anne-frank-em-quadrinhosManual o-diario-de-anne-frank-em-quadrinhos
Manual o-diario-de-anne-frank-em-quadrinhos
 
HQ
HQHQ
HQ
 
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
Histórias em quadrinhos (conteúdo mais completo)
 
Hq final
Hq finalHq final
Hq final
 
Histórias em quadrinhos na sala de aula
Histórias em quadrinhos na sala de aulaHistórias em quadrinhos na sala de aula
Histórias em quadrinhos na sala de aula
 
A utilização do mangá no âmbito da ilustração na cultura jovem brasileira.
A utilização do mangá no âmbito da ilustração na cultura jovem brasileira.A utilização do mangá no âmbito da ilustração na cultura jovem brasileira.
A utilização do mangá no âmbito da ilustração na cultura jovem brasileira.
 
Proj monteiro lobato_46
Proj monteiro lobato_46Proj monteiro lobato_46
Proj monteiro lobato_46
 
Sequência Didática História em Quadrinhos
Sequência Didática História em QuadrinhosSequência Didática História em Quadrinhos
Sequência Didática História em Quadrinhos
 
HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: INFORMAÇÃO E DIVERSÃO ATRAVÉS DA LEITURA
HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: INFORMAÇÃO E DIVERSÃO ATRAVÉS DA LEITURAHISTÓRIAS EM QUADRINHOS: INFORMAÇÃO E DIVERSÃO ATRAVÉS DA LEITURA
HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: INFORMAÇÃO E DIVERSÃO ATRAVÉS DA LEITURA
 
Histórias em Quadrinhos e Mangás
Histórias em Quadrinhos e MangásHistórias em Quadrinhos e Mangás
Histórias em Quadrinhos e Mangás
 
Pres Brasil JapãO Mangá
Pres Brasil JapãO MangáPres Brasil JapãO Mangá
Pres Brasil JapãO Mangá
 
Histórias em quadrinhos
Histórias em quadrinhosHistórias em quadrinhos
Histórias em quadrinhos
 
Sequencia didatica viviana_a_rainha_do_pijama
Sequencia didatica viviana_a_rainha_do_pijamaSequencia didatica viviana_a_rainha_do_pijama
Sequencia didatica viviana_a_rainha_do_pijama
 
Arte postal,centenário Saramago
Arte postal,centenário SaramagoArte postal,centenário Saramago
Arte postal,centenário Saramago
 
Educação para os média
Educação para os médiaEducação para os média
Educação para os média
 
Educação para os média
Educação para os médiaEducação para os média
Educação para os média
 

Semelhante a Produção de fazine

Catálogo Oficial da Mostra Grampo 2021
Catálogo Oficial da Mostra Grampo 2021Catálogo Oficial da Mostra Grampo 2021
Catálogo Oficial da Mostra Grampo 2021
AMEOPOEMA Editora
 
O Fanzine como ferramenta de comunicação dentro do curso de Jornalismo da UFT
O Fanzine como ferramenta de comunicação dentro do curso de Jornalismo da UFTO Fanzine como ferramenta de comunicação dentro do curso de Jornalismo da UFT
O Fanzine como ferramenta de comunicação dentro do curso de Jornalismo da UFT
Fundação Universidade Federal do Tocantins
 
Como fazer um jornalw
Como fazer um jornalwComo fazer um jornalw
Como fazer um jornalw
BispoAlberto
 
75607348 magalhaes-edgard-fanzine
75607348 magalhaes-edgard-fanzine75607348 magalhaes-edgard-fanzine
75607348 magalhaes-edgard-fanzine
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Aula sobre Fanzine - Slides.pdf
Aula sobre Fanzine - Slides.pdfAula sobre Fanzine - Slides.pdf
Aula sobre Fanzine - Slides.pdf
TaiFilosofa
 
Projetos literários andrea campos
Projetos literários   andrea camposProjetos literários   andrea campos
Projetos literários andrea campos
Vitrine Trabalhos
 
Revista piaui
Revista piauiRevista piaui
Revista piaui
Olivia Tornelli
 
Oficina de História em Quadrinhos
Oficina de História em QuadrinhosOficina de História em Quadrinhos
Oficina de História em Quadrinhos
Terc Cre
 
Narrativa+em+capitulos
Narrativa+em+capitulosNarrativa+em+capitulos
Narrativa+em+capitulos
Susana Felix
 
181213historiaemquadrinhos
181213historiaemquadrinhos181213historiaemquadrinhos
181213historiaemquadrinhos
Otavio Ferreira
 
Jornalmicrofonia#07
Jornalmicrofonia#07Jornalmicrofonia#07
Jornalmicrofonia#07
Jornal Microfonia
 
Bastidores de uma agência de propaganda livro
Bastidores de uma agência de propaganda livroBastidores de uma agência de propaganda livro
Bastidores de uma agência de propaganda livro
jambro100
 
Jd edição 64 18 - 18 de Dezembro de 2015
Jd  edição 64 18 - 18 de Dezembro de 2015Jd  edição 64 18 - 18 de Dezembro de 2015
Jd edição 64 18 - 18 de Dezembro de 2015
revistosjd
 
História em quadrinhos
História em quadrinhosHistória em quadrinhos
História em quadrinhos
ntebrusque
 
Zine da Duca
Zine da DucaZine da Duca
Zine da Duca
aghipertexto
 
181213historiaemquadrinhos
181213historiaemquadrinhos181213historiaemquadrinhos
181213historiaemquadrinhos
Lailsa Li
 
Sequência didática piada
Sequência didática piadaSequência didática piada
Sequência didática piada
Professora Cida
 
recusrso didático 1- escrita automática.docx
recusrso didático 1- escrita automática.docxrecusrso didático 1- escrita automática.docx
recusrso didático 1- escrita automática.docx
ssuser9c24aa1
 
Brincadeiras
BrincadeirasBrincadeiras
Brincadeiras
Sylvio Mattos
 
Projeto integrado de aprendizagem
Projeto integrado de aprendizagemProjeto integrado de aprendizagem
Projeto integrado de aprendizagem
Marileizoletrotta
 

Semelhante a Produção de fazine (20)

Catálogo Oficial da Mostra Grampo 2021
Catálogo Oficial da Mostra Grampo 2021Catálogo Oficial da Mostra Grampo 2021
Catálogo Oficial da Mostra Grampo 2021
 
O Fanzine como ferramenta de comunicação dentro do curso de Jornalismo da UFT
O Fanzine como ferramenta de comunicação dentro do curso de Jornalismo da UFTO Fanzine como ferramenta de comunicação dentro do curso de Jornalismo da UFT
O Fanzine como ferramenta de comunicação dentro do curso de Jornalismo da UFT
 
Como fazer um jornalw
Como fazer um jornalwComo fazer um jornalw
Como fazer um jornalw
 
75607348 magalhaes-edgard-fanzine
75607348 magalhaes-edgard-fanzine75607348 magalhaes-edgard-fanzine
75607348 magalhaes-edgard-fanzine
 
Aula sobre Fanzine - Slides.pdf
Aula sobre Fanzine - Slides.pdfAula sobre Fanzine - Slides.pdf
Aula sobre Fanzine - Slides.pdf
 
Projetos literários andrea campos
Projetos literários   andrea camposProjetos literários   andrea campos
Projetos literários andrea campos
 
Revista piaui
Revista piauiRevista piaui
Revista piaui
 
Oficina de História em Quadrinhos
Oficina de História em QuadrinhosOficina de História em Quadrinhos
Oficina de História em Quadrinhos
 
Narrativa+em+capitulos
Narrativa+em+capitulosNarrativa+em+capitulos
Narrativa+em+capitulos
 
181213historiaemquadrinhos
181213historiaemquadrinhos181213historiaemquadrinhos
181213historiaemquadrinhos
 
Jornalmicrofonia#07
Jornalmicrofonia#07Jornalmicrofonia#07
Jornalmicrofonia#07
 
Bastidores de uma agência de propaganda livro
Bastidores de uma agência de propaganda livroBastidores de uma agência de propaganda livro
Bastidores de uma agência de propaganda livro
 
Jd edição 64 18 - 18 de Dezembro de 2015
Jd  edição 64 18 - 18 de Dezembro de 2015Jd  edição 64 18 - 18 de Dezembro de 2015
Jd edição 64 18 - 18 de Dezembro de 2015
 
História em quadrinhos
História em quadrinhosHistória em quadrinhos
História em quadrinhos
 
Zine da Duca
Zine da DucaZine da Duca
Zine da Duca
 
181213historiaemquadrinhos
181213historiaemquadrinhos181213historiaemquadrinhos
181213historiaemquadrinhos
 
Sequência didática piada
Sequência didática piadaSequência didática piada
Sequência didática piada
 
recusrso didático 1- escrita automática.docx
recusrso didático 1- escrita automática.docxrecusrso didático 1- escrita automática.docx
recusrso didático 1- escrita automática.docx
 
Brincadeiras
BrincadeirasBrincadeiras
Brincadeiras
 
Projeto integrado de aprendizagem
Projeto integrado de aprendizagemProjeto integrado de aprendizagem
Projeto integrado de aprendizagem
 

Mais de Cesar Martins

Formacaoprofessoresinformaticaeducativa
FormacaoprofessoresinformaticaeducativaFormacaoprofessoresinformaticaeducativa
Formacaoprofessoresinformaticaeducativa
Cesar Martins
 
MARACANAÚ
MARACANAÚMARACANAÚ
MARACANAÚ
Cesar Martins
 
Apresentação 1º ESLE/XXI SBIE
Apresentação 1º ESLE/XXI SBIEApresentação 1º ESLE/XXI SBIE
Apresentação 1º ESLE/XXI SBIE
Cesar Martins
 
Projetor Integrado Proinfo
Projetor Integrado ProinfoProjetor Integrado Proinfo
Projetor Integrado Proinfo
Cesar Martins
 
Produzindo video na escola
Produzindo video na escolaProduzindo video na escola
Produzindo video na escola
Cesar Martins
 
EDUCAÇÃO DIGITAL
EDUCAÇÃO DIGITALEDUCAÇÃO DIGITAL
EDUCAÇÃO DIGITAL
Cesar Martins
 

Mais de Cesar Martins (6)

Formacaoprofessoresinformaticaeducativa
FormacaoprofessoresinformaticaeducativaFormacaoprofessoresinformaticaeducativa
Formacaoprofessoresinformaticaeducativa
 
MARACANAÚ
MARACANAÚMARACANAÚ
MARACANAÚ
 
Apresentação 1º ESLE/XXI SBIE
Apresentação 1º ESLE/XXI SBIEApresentação 1º ESLE/XXI SBIE
Apresentação 1º ESLE/XXI SBIE
 
Projetor Integrado Proinfo
Projetor Integrado ProinfoProjetor Integrado Proinfo
Projetor Integrado Proinfo
 
Produzindo video na escola
Produzindo video na escolaProduzindo video na escola
Produzindo video na escola
 
EDUCAÇÃO DIGITAL
EDUCAÇÃO DIGITALEDUCAÇÃO DIGITAL
EDUCAÇÃO DIGITAL
 

Último

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 

Último (20)

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 

Produção de fazine

  • 1. Projeto Gêneros Textuais: "Fanzine, a arte do faça você mesmo" IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA NOME: Liceu de Maracanaú, EMEFM ENDEREÇO: Rua: Novo Oriente S/N – Piratininga MODALIDADE DE ENSINO: FUNDAMENTAL II TURNOS: Matutino e Vespertino QUANTIDADE DE ALUNOS: 776 CURSISTA: FRANCISCO CESAR MARTINS DA SILVA 1.CONTEÚDO: Gêneros textuais 2. SÉRIE: 6° ao 9° ano 3. INTRODUÇÃO Produzir um fanzine ou revista independente é uma atividade prazerosa, que propicia ao editor, ensinar e aprender, ao mesmo tempo. São fanzines as publicações que trazem textos diversos, histórias em quadrinhos , reprodução de HQ's antigas, poesias, divulgação de bandas independentes, contos, colagens, experimentações gráficas, enfim, tudo que o editor julgar interessante. Os fanzines são o resultado da iniciativa e esforço de pessoas que se propõem a veicular produções artísticas ou informações sobre elas, que possam ser reproduzidas e enviadas a outras pessoas, fora das estruturas comerciais de produção cultural. Achamos na produção de fanzine uma oportunidade interessante para tyrabalhar os mais diversos gêneros literários com os alunos, por isto estamos propondo esta atividade. Música: Vamos fazer um fanzine Letra de Rafael de Castro (Disponivel em: http://rafael-castro.lyrics.com.br/letras/1264411/) Bicho, quero fazer um fanzine maneiro com uns desenhos legais, distribuir pelos quintais, por aí, sem parar, até o sulfite da escola acabar. Vou por Fotos e versos de vários artistas: Árcades à concretistas. Me dê sua mão. Tó um exemplar! Não pague nada, é de coração. Zine, preto no branco xerocopiado,
  • 2. com nosso nome grafado revolução conceitual que rasgaram sem ler Tudo é tão triste... Se foi, O sonho utópico, o grão libertário... Para gaiola do canário. 4. OBJETIVOS: Motivar o aluno para produz materiais de sua própria autoria; Trabalhar a produção textual a partir da produção do fanzine; Trabalhar com recortes, colagens e dobraduras; Trabalhar com programas de edição de imagem e texto. 5. RECURSOS MATERIAIS: Cola, tesoura, várias folhas de sulfite e um corretivo ou tinta guache branco. Computador com editor de texto e de imagem 6. DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE/PROCEDIMENTODIDÁTICO: 1. Diagramação artesanal Os textos podem ser escritos à mão ou num programa BrOffice. As imagens ou figuras podem ser de revistas ou pegue na internet ou desenhada no colorpaint. Na parte escrita, distribuir algumas figuras pela partes da página deixando sempre 0,5 centímetros de distância entre o texto e a imagem escolhida. Montagem das páginas 1. Pegar figuras de revistas, imagens da internet ou desenhado no ColorPaint para serem coladas na página que irá ser produzido o fanzine. 2. Pegar uma folha de papel sulfite, dividir a folha em 8 partes iguais. Dobrar a folha ao meio e fazer um corte entre os dois retângulos centrais, conforme a figura abaixo: 4 3 2 1 Corte 5 6 Contra Capa capa Folha de papel sulfite 3. Dobrar em forma de livrinho, conforme a seqüência: capa, 1, 2, 3, 4, 5, 6 e contra capa. 4. Dividir a sala em grupo. Cada grupo deverá produz um fanzine, conforme os temas: música, poesias, histórias em quadrinho etc, ou tema livre.
  • 3. 5. Cada grupo deverá apresentar sua produção para a classe. 2. Diagramação em Computador A maneira mais rápida e eficaz de diagramação. Você pode usar programas como o BrOffice e o ColorPaint . Os recursos são infinitos podendo modificar estilos, filtros, inserir figuras, aplicação de máscaras e sombras de acordo com o seu conhecimento sobre o programa. Ao inserir figuras, não se esqueça de deixar certa distância entre o texto e a imagem. Cuidado com o exagero de fontes. Algumas são tão “enfeitadas” que se tornam ilegíveis. Procure usar as mais simples e fáceis de entender. Atenção também com a impressora. Se ela não tiver uma boa definição de cor preta, a impressão sairá muito clara e possivelmente prejudicará as cópias. Depois de feito a diagramação no computador, seguir os passos da montagem da página. 7. AVALIAÇÃO: A avaliação será processual e continua. Sendo observando a participação do aluno individual e coletivamente e a produção final do grupo. 8. CONTEXTUALIZAÇÃO: Fanzine Trata-se de um neologismo, com origem nos E.U.A. O termo nasceu graças à junção da palavra fan (ou fã, no aportuguesamento, com o sentido positivo de entusiasta, apaixonado), com zine, última sílaba de magazine (equivalente a publicação ilustrada). Consequentemente, o significado de fanzine será o de um magazine feito por fãs de um determinado tema e destinado a fãs desse mesmo tema. Os primeiros fanzines apareceram nos Estados Unidos da América na década de 1930, editados por jovens adultos, inicialmente dedicados à ficção científica, mas logo a surgir o primeiro em 1936 dedicado à Banda Desenhada. Na europa, em França, os fanzines surgiram nos anos sessenta, dando prioridade aos textos críticos e de estudo sobre a BD, editados por adultos profundos conhecedores do tema. Em Portugal, o primeiro fanzine foi o Árgon, editado por jovens e com bandas desenhadas também feitas por jovens, datado de Janeiro de 1972. No Brasil, o primeiro fanzine de que se tem registro é o Ficção, criado por Edson Rontani, em Piracicaba (SP), em 1965. Nesta época usava-se o termo "boletim" para designar as publicações amadoras, o termo fanzine só começou a ser usado a partir de meados da década de 70. A motivação de Edson Rontani foi manter contato com outros colecionadores de revistas de quadrinhos para venda e troca de revistas. Mas já no primeiro número, Edson coloca diversos textos informativos e uma importantíssima relação das revistas de quadrinhos publicadas no Brasil desde 1905. Os fanzines tratam de variados temas, abarcando ao mesmo tempo, por vezes, alguns deles. Os preferidos são os seguintes: banda desenhada, cartoon, ilustração, ficção científica, música (pop, rock, heavy metal,etc.), cinema (gore, em especial), literatura
  • 4. (prosa e poesia), política (privilegiando o anarquismo), esoterismo, vegetarianismo, veganismo, jogos de computador, internet… Os títulos, para além de eventualmente definirem o conteúdo, demonstram com freqüência grande imaginação, anti-convencionalismo e até alguma agressividade em relação à sociedade, características que, não raro, também são evidenciadas, e até reforçadas, pelo respectivo grafismo. A originalidade destas publicações, maioritariamente alternativas e experimentais, incide bastante na apresentação visual, e reflete-se ainda no formato e número de páginas: tanto uma coisa como outra chegam a ser diferentes de um número para outro, bem como o próprio título. Por vezes, os faneditores (obviamente editores de fanzines), por distração ou deliberadamente, fazem saltos na numeração. Várias outras facetas muito próprias caracterizam estes magazines amadores, nomeadamente as seguintes: não são editados com intuitos lucrativos, os seus colaboradores não são pagos, têm pequenas tiragens, habitualmente não respeitam qualquer periodicidade e a distribuição é escassa, apenas feita pelo próprio editor, que os põe à venda em feiras fanzinísticas, nos festivais de BD e nas livrarias especializadas. Quando apresentam melhor qualidade gráfica - ao substituírem as fotocópias pela impressão em offset -, têm ISBN, e são distribuídos a nível nacional, passam a chamar- se prozines. 9. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS: FANZINE. Disponível em: http://br.geocities.com/fanzinelandia/Fanzine-origem.htm http://www.geocities.com/Tokyo/Gulf/8060/tuto_zines.html