SlideShare uma empresa Scribd logo
Unidade I
PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE
INFORMAÇÃOINFORMAÇÃO
Prof. Luís Rodolfo
O Computador
Cronologia da evolução dos computadores:
 3500 a.C.: os sumérios criam a
numeração e o ábaco.
 1500 a.C.: egípcios utilizam o Relógio de
sol para contar o tempo.sol para contar o tempo.
 1623: Invenção das calculadoras
 1844: Telégrafo de Morse
 1873: Primeiro motor elétrico
 1874: Primeira máquina de escreverq
O Computador
Cronologia da evolução dos computadores
(cont.):
 1900: Surgimento da memória magnética
 1945: O ENIAC torna-se operacional,
inaugurando a primeira geração deinaugurando a primeira geração de
computadores.
 1960: Surgimento do sistema Unix
baseado no Mutics
 1969: ARPANET dá início à Internet
 1984: Computador IBM 286 AT com
conectores PS/2
O Computador
Cronologia da evolução dos computadores
(cont.):
 1991: Nasceu o Linux
 1993: Intel Pentium
 1996: DVD (Digital Versatile/Video Disk) 1996: DVD (Digital Versatile/Video Disk)
 1999: AMD cria o Athlon
 2000: Polêmica do bug do milénio (Y2K
Bug)
 2010: Apple apresenta o iPadpp p
O Computador
 1ª geração (anos 40): sistemas compostos
por válvulas (tubos elétricos a vácuo) de
alto custo, de difícil implementação, baixa
confiabilidade e alto consumo (ENIAC -
Electronic Numerical Integrator And
Computer);Computer);
Figura 1 – ENIAC
Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/ENIAC
O Computador
Debug: Retirada insetos que se alojavam
entre as válvulas.
Figura 2 – Painel de válvulas do ENIAC
Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/ENIAC
O Computador
Evolução dos sistemas computacionais:
 Integração;
 Miniaturização e;
 Capacidade de processamento.
O Computador
 Evolução tecnológica: revolução dos
semicondutores (transistores)
 Circuitos integrados
 Circuitos integrados de alta capacidade
de integração.
 Sistemas cada vez menores, mais,
rápidos, baixo consumo de energia e
maior capacidade de processamento.
O Computador
Década de 80: Forte processo de
informatização;
 Computador Pessoal (PC) foi lançado
pela IBM com sistema operacional DOSpela IBM com sistema operacional DOS
(Disk Operating System);
 Evolução do software e diminuição do
custo do hardware (commodities);
 Aumento da remuneração dos
profissionais de TI.
O Computador
 Tipos de Computador
 Sistemas móveis: palms, telefones
celulares e smartphones;
 Sistemas de Pequeno Porte
(microcomputadores): computador(microcomputadores): computador
pessoal, computador de rede, estação de
trabalho técnico, assistente digital
pessoal e dispositivo de acesso à
informação;
O Computador
 Tipos de Computador
 Sistemas Móveis e de Pequeno Porte
Figura 3 – Sistemas móveis e de pequeno porte.
O Computador
 Tipos de Computador
 Sistemas de Médio Porte: servidores de
rede, minicomputadores, servidores da
web e sistemas multiusuários;
 Sistemas de Grande Porte (Mainframe):Sistemas de Grande Porte (Mainframe):
sistemas corporativos, supervisores,
processadores de transações e
supercomputadores.
O Computador
 Tipos de Computador
 Sistemas de Médio e Grande Porte
Figura 4 – Sistemas de médio e grande porte.
O Computador
 Processamento de vários tipos de
computadores
Figura 5 – Capacidade de Processamento
Fonte: O’Brien; Marakas (2007)
Interatividade
A evolução dos sistemas computacionais
se deu com a integração, miniaturização
dos componentes eletrônicos e o aumento
da capacidade de processamento. Desta
forma pode-se afirmar:
a) A Lei de Moore estava errada na origem;
b) A miniaturização chegou ao seu limite;
c) A tecnologia dos semicondutores
permitiu e ainda permite esta evolução;
d) A evolução esbarra na falta de
capacitação profissional;
e) Os processadores consomem cada vez
mais energia com a evolução.
O Computador
O Hardware do Computador:
 Dispositivos de Entrada;
 Unidade Central de Processamento;
 Memória Auxiliar;
 Dispositivos de Saída.
O Computador
 Arquitetura do Computador
UCP
ULA Dispositivos de Saída
Dispositivos de Entrada
UC
Memória Principal
Memória Auxiliar
p
Figura 6 – Arquitetura do Computador
O Computador
Dispositivos de Entrada:
 Periféricos de Entrada;
 Interface Usuário – Computador;
 Funções:
 Inserir;
 Coletar;
 Buscar;
 Receber dados para serem
processadosprocessados.
O Computador
Exemplos de Dispositivos de Entrada:
Figura 7 – Dispositivos de Entrada
Fonte: Laudon&Laudon, 2007
O Computador
Dispositivos de Saída:
 Periféricos de Saída;
 Funções:
 Apresentar;
 Imprimir;
 Projetar;
 Ouvir;
 Assistir;
A i f õ d Armazenar informações processadas.
O Computador
Exemplos de Dispositivos de Saída:
Figura 8 – Dispositivos de Saída
Fonte: Laudon&Laudon, 2007
O Computador
 Unidade Central de Processamento
 Coração de um computador;
 Responsável pelo processamento dos
dados;
 Executa um ciclo de processamento: Executa um ciclo de processamento:
 Busca de instrução na memória
principal;
 Executa da instrução;
 Reinicia o ciclo.
O Computador
 Unidade Central de Processamento
Lei de Moore – Potência do processador
dobraria a cada 18 meses:
Figura 9 – Lei de Moore Fonte: Intel
O Computador
 Unidade Central de Processamento
Composição:
 ULA: Unidade Lógica-Aritmética
 UC: Unidade de Controle
 Memória
O Computador
ULA – Unidade Lógica-Aritmética:
Funções:
 Executa cálculos e processamentos
lógicos solicitados pela UCP;
 Executa funções tipo soma subtração e Executa funções tipo soma, subtração e
divisão;
 Verifica se um número é maior que
outro, se é positivo, negativo ou nulo.
O Computador
 Esquemático da ULA:
 "A" e "B" -> Operandos;
Figura 10 – Esquemático da ULA
 "R" -> Saída;
 "F" -> Entrada da UC;
 "D" -> Saída de status
O Computador
UC – Unidade de Controle:
Funções:
 Controle geral da UCP;
 Coordena o processamento acessando
de forma sequencial as instruções dede forma sequencial as instruções de
programas;
 Coordena o fluxo de dados que entram e
saem da ULA, dos registradores, das
memórias principal e secundária dos
diversos dispositivos de saídadiversos dispositivos de saída.
O Computador
Memória:
 A memória é um dispositivo capaz de
armazenar os dados de entrada (antes do
processamento), os dados ainda em
processamento e as informações já
processadas.
Interatividade
A arquitetura do computador é composta
pela UCP, ULA, UC, memória e dispositivos
de entrada e saída. Neste cenário, qual a
atuação da UC sobre a ULA?
a) Executa cálculos e processamentos
lógicos solicitados pela ULA;
b) Coordena o fluxo de dados que entram
e saem da ULA;
c) Executa funções tipo soma e subtração;
d) Responsável pelo processamento dosd) Responsável pelo processamento dos
dados da UC;
e) Receber dados para serem processados
da ULA pela UC.
O Computador
Conceito de Bit e Byte
 BIT: Abreviação da palavra Binary DigiT;
 É a menor unidade computacional e
representa um estado lógico de ativo ou
inativo;inativo;
 Possui apenas 2 estados: 0 ou 1;
Figura 11 – bits
O Computador
Byte:
 8 bits agrupados formam um byte;
 1 byte = 8 bits;
 Também conhecido como Octeto;
 Pode representar um caractere, uma
capacidade de armazenamento de
memória, um endereço, etc.;
 256 representações de números
binários: de 00000000 a 11111111;
 Cada algarismo possui um peso
posicional.
O Computador
Byte:
 256 representações de números
binários: de 00000000 a 11111111;
0 = 00000000
1 = 000000011 = 00000001
2 = 00000010
[...]
254 = 11111110
255 = 11111111255 = 11111111
 Cada algarismo possui um peso
posicional.
O Computador
Exemplo 1: Número Decimal
 Seja o número decimal 1245 (um mil,
duzentos e quarenta e cinco).
 Cada algarismo é multiplicado pelo seu
peso posicional que representam aspeso posicional que representam as
unidades de milhar, centena, dezena e
unidade. Desta forma:
 1245 = 1x1000 + 2x100 + 4x10 + 5x1
O Computador
Exemplo 2: Número Binário
 Começando da esquerda para a direita,
cada um dos bits tem seu peso
posicional, dado por 2n, onde “n” varia
de 0 a 7, representados por:
O Computador
 Exemplo 2: Número Binário (cont.)
 Desta forma, a seqüência binária
00101011 representa:
 0x128 + 0x64 + 1x32 + 0x16 + 1x8 + 0x4 +
1x2 + 1x1 = 43
O Computador
Exemplo 3:
 E se precisamos representar, em binário,
um número maior que 255?
 Resp: Os bytes podem ser agrupados.
 Se forem utilizados 2 bytes (16 bits) Se forem utilizados 2 bytes (16 bits),
cada bit terá seu valor posicional dado
por 2n, onde “n” varia de 0 a 15, ou seja:
O Computador
Exemplo 3 (cont.):
 Desta forma, a seqüência binária
01010110 10011010 representa:
 0x32768 + 1x16384 + 0x8192 + 1x4096 +
0x2048 + 1x1024 + 1x512 + 0x256 + 1x128
+ 0x64 + 0x32 + 1x16 + 1x8 + 0x4 + 1x2 +
0x1 = 22170
O Computador
Unidades de Medidas
 A medida que agrupamos mais e mais
bytes, lançamos mãos de unidades de
medidas para representar uma grande
quantidade de bytes. As unidades Kilo,
Mega, Giga, etc representarão milhares,
milhões e bilhões de bytes
respectivamente.
O Computador
 Unidades de Medidas
Figura 12 – Unidades de Medidas
O Computador
 Unidades de Medidas
 K, KB – Kilobyte – Mil - 1024 (210 bytes)
 M, MB – Megabyte – Milhão
1.048.576 (220 bytes)
 G, GB – Gigabyte - Bilhão
1.073.741.824 (230 bytes)
 T, TB – Terabyte – Trilhão
1.099.511.627.776 (240 bytes)
O Computador
 Memória
 São dispositivos de computadores com
capacidade de adquirir, armazenar e
recuperar dados e informações.
 Basicamente divididas em 2 tipos:Basicamente divididas em 2 tipos:
 Memória Principal;
 Memória Secundária.
O Computador
 Memória
Figura 13 – Pirâmide das memórias
Interatividade
Sabendo-se que cada bit tem peso
posicional, converta para decimal a
sequencia de bits: 11110101 00011101
a) 29981;
b) 16688b) 16688;
c) 65337;
d) 34576;
e) 62749.
O Computador
 Memória Principal
 Memória principal, interna ou central;
 Reside internamente na UCP;
 Têm a função essencial no auxílio à ULA
no processamento dos dados e nano processamento dos dados e na
armazenagem das informações
processadas.
O Computador
Memória ROM:
 Estas memórias têm como característica
comum a não volatilidade dos dados, ou
seja, os dados armazenados neste tipo
de memória não são perdidos quando a
UCP é desligada. Podem ter capacidade
de armazenamento de dados que variam
de 2KB (2 kilobytes) até 512KB (512
kilobytes).
O Computador
Memória ROM:
 ROM (Read Only Memory) – Memória de
apenas leitura
 Utilizada pela UCP para inicialização dos
sistemas internos e armazenam ossistemas internos e armazenam os
programas padrão escritos pelo
fabricante. Não pode ser acessada pelo
usuário;
 PROM (Programmable Read Only Memory)
– Memória programável de apenas leitura;Memória programável de apenas leitura;
O Computador
Memória ROM (cont):
 EPROM (Erasable Programmable Read
Only Memory) – Memória programável e
apagável de apenas leitura;
 EEPROM (Electrically ErasableEEPROM (Electrically Erasable
Programmable Read Only Memory) –
Memória programável e apagável
eletronicamente de apenas leitura.
O Computador
 Memória RAM
 RAM (Randon Access Memory) –
Memória de Acesso Aleatório
 Memória que permite leitura e escrita de
dados e é, na essência uma memóriadados e é, na essência uma memória
volátil, ou seja, o conteúdo da memória é
perdido quando a UCP é desligada ou
desenergizada.
O Computador
 Memória RAM
 A RAM é a memória de trabalho da UCP.
 Armazena os dados coletados
provenientes dos dispositivos de entrada
e as informações processadas pela UCPe as informações processadas pela UCP
para envio aos dispositivos de saída;
 Armazena os programas em execução
pela UCP.
O Computador
 Memória RAM
 A capacidade de uma memória é medida
em bytes, kilobytes (1KB = 1024 ou 210
Bytes), megabytes (1MB = 1024 KB ou 220
Bytes) ou gigabytes (1GB = 1024 MB ou
230 Bytes).
 O tamanho máximo da memória principal
é limitado pela arquitetura da UCP.
O Computador
 Memória Cache
 Memórias de alta velocidade, armazenam
as instruções e auxiliam no
processamento dos dados pela ULA e
tem capacidade de até 4MB (no caso dos
processadores Core 2 Duo da Intel);
O Computador
 Memória Secundária
 Memórias auxiliares;
 Mais lentas;
 De menor custo;
 Não voláteis e maior capacidade quando
comparadas à memória principal;
 Função de armazenar programas,
arquivos e grandes capacidades de
dados.
O Computador
 Disco Rígido (HD)
 Considerado o principal meio de
armazenamento de dados, programas e
arquivos no computador;
 Não-volátil;Não volátil;
 Armazenagem do tipo direta;
 Os discos rígidos, atualmente, têm
capacidade de centenas de GB (Giga
bytes) a dezenas de TB (Tera bytes).
O Computador
 Fitas Magnéticas
 Dados são armazenados em uma fita
magnética, normalmente montada em um
carretel;
 São dispositivos do tipo acessoSão dispositivos do tipo acesso
seqüencial;
 Dados são armazenados ao longo da fita
magnética. O acesso a informação é
lento;
 São consideradas confiáveis e tem São consideradas confiáveis e tem
capacidade de armazenamento da ordem
de dezenas de GB (Giga bytes).
O Computador
 Discos Óticos
 Permitem a armazenagem de uma grande
quantidade de dados, programas e
arquivos e utilizam a tecnologia laser
para este fim;
 Dados podem ser acessados de forma
direta;
 CD-ROM (disco compacto) com
capacidade de armazenamento da ordem
de 650MB (Mega bytes).de 650MB (Mega bytes).
O Computador
 Discos Óticos (cont.)
Atualmente existem CDs do tipo:
 CD-R – Recordable;
 CD-RW – ReWritable.
 DVDs (Discos de Video Digital) - grande
capacidade de armazenamento de
programas e dados – 4,7GB.
 Concebido para armazenar arquivos de
filme e áudio de alta qualidade.
O Computador
Cartões de Memória:
 PCMCIA (Personal Computer Memory
Card International Association) ±200MB;
 FLASH - Capacidade de armazenamento
de até 64GB;de até 64GB;
 Dimensões muito reduzidas. Grande
apelo na portabilidade simples e rápida
de grandes quantidades de dados;
 Atualmente estão presentes em telefones
celulares câmeras fotográficascelulares, câmeras fotográficas,
tocadores de MP3 e jogos eletrônicos.
O Computador
 Capacidade de memória vs custo
Figura 14 – Capacidade de memória vs custo.
Fonte: O’Brien; Marakas (2007).
Interatividade
Memórias são dispositivos capazes de
armazenar dados e informações. A
característica de volatilidade está ligada a:
a) Capacidade da memória em reter os
dados armazenados mesmo sem
energia;
b) Capacidade de armazenamento de
dados;
c) Função de acesso aleatório;
d) Lentidão no acesso pelo fato de serd) Lentidão no acesso pelo fato de ser
volátil;
e) Capacidade de processar mais dados
por segundo.
ATÉ A PRÓXIMA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos ComputadoresA História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos Computadores
Nascimentoeli
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Wellington Oliveira
 
História e evolução do computadores
História e evolução do computadoresHistória e evolução do computadores
História e evolução do computadores
UEG
 
Comunicação de dados!
Comunicação de dados!Comunicação de dados!
Comunicação de dados!
Armando Rivarola
 
Cloud computing
Cloud computingCloud computing
Cloud computing
Elaine Cecília Gatto
 
Evolução do Computadores
Evolução do ComputadoresEvolução do Computadores
Evolução do Computadores
Sandra120593
 
Aula 06 - Sistema Binário
Aula 06 - Sistema BinárioAula 06 - Sistema Binário
Aula 06 - Sistema Binário
Suzana Viana Mota
 
Sistemas de Numeracao
Sistemas de NumeracaoSistemas de Numeracao
Sistemas de Numeracao
Mauro Pereira
 
Fundamentos em Tecnologia da Informação - Prof.ª Cristiane Fidelix
Fundamentos em Tecnologia da Informação - Prof.ª Cristiane FidelixFundamentos em Tecnologia da Informação - Prof.ª Cristiane Fidelix
Fundamentos em Tecnologia da Informação - Prof.ª Cristiane Fidelix
Cris Fidelix
 
Palestra de Conceitos de Fundamentos de Tecnologia da Informação
Palestra de Conceitos de Fundamentos de Tecnologia da InformaçãoPalestra de Conceitos de Fundamentos de Tecnologia da Informação
Palestra de Conceitos de Fundamentos de Tecnologia da Informação
Daniel Fernando Pigatto
 
Páginas dinâmicas
Páginas dinâmicasPáginas dinâmicas
Páginas dinâmicas
Luciano Crecente
 
Conceito e estruturas de redes...
Conceito e estruturas de redes...Conceito e estruturas de redes...
Conceito e estruturas de redes...
Alison Rodrigues
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
Jakson Silva
 
Sistema urinario anato
Sistema urinario anatoSistema urinario anato
Sistema urinario anato
cesarromero13
 
Socket
SocketSocket
Socket
Baguiasri
 
Segunda geração de computadores (1955 1964)
Segunda geração de computadores (1955 1964)Segunda geração de computadores (1955 1964)
Segunda geração de computadores (1955 1964)
Thaís Santos
 
Estrutura de Dados - Conceitos fundamentais
Estrutura de Dados - Conceitos fundamentaisEstrutura de Dados - Conceitos fundamentais
Estrutura de Dados - Conceitos fundamentais
Fabrício Lopes Sanchez
 
Evolução da Informática - Resumo
Evolução da Informática - ResumoEvolução da Informática - Resumo
Evolução da Informática - Resumo
prapina
 
MC - Aula 01 - Plano de Ensino e Histórico da Computação
MC - Aula 01 - Plano de Ensino e Histórico da ComputaçãoMC - Aula 01 - Plano de Ensino e Histórico da Computação
MC - Aula 01 - Plano de Ensino e Histórico da Computação
Felipe J. R. Vieira
 
Redes de computadores 2 - Aula 6 - DNS, DHCP
Redes de computadores 2 - Aula 6 - DNS, DHCPRedes de computadores 2 - Aula 6 - DNS, DHCP
Redes de computadores 2 - Aula 6 - DNS, DHCP
Cleber Fonseca
 

Mais procurados (20)

A História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos ComputadoresA História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos Computadores
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
 
História e evolução do computadores
História e evolução do computadoresHistória e evolução do computadores
História e evolução do computadores
 
Comunicação de dados!
Comunicação de dados!Comunicação de dados!
Comunicação de dados!
 
Cloud computing
Cloud computingCloud computing
Cloud computing
 
Evolução do Computadores
Evolução do ComputadoresEvolução do Computadores
Evolução do Computadores
 
Aula 06 - Sistema Binário
Aula 06 - Sistema BinárioAula 06 - Sistema Binário
Aula 06 - Sistema Binário
 
Sistemas de Numeracao
Sistemas de NumeracaoSistemas de Numeracao
Sistemas de Numeracao
 
Fundamentos em Tecnologia da Informação - Prof.ª Cristiane Fidelix
Fundamentos em Tecnologia da Informação - Prof.ª Cristiane FidelixFundamentos em Tecnologia da Informação - Prof.ª Cristiane Fidelix
Fundamentos em Tecnologia da Informação - Prof.ª Cristiane Fidelix
 
Palestra de Conceitos de Fundamentos de Tecnologia da Informação
Palestra de Conceitos de Fundamentos de Tecnologia da InformaçãoPalestra de Conceitos de Fundamentos de Tecnologia da Informação
Palestra de Conceitos de Fundamentos de Tecnologia da Informação
 
Páginas dinâmicas
Páginas dinâmicasPáginas dinâmicas
Páginas dinâmicas
 
Conceito e estruturas de redes...
Conceito e estruturas de redes...Conceito e estruturas de redes...
Conceito e estruturas de redes...
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
 
Sistema urinario anato
Sistema urinario anatoSistema urinario anato
Sistema urinario anato
 
Socket
SocketSocket
Socket
 
Segunda geração de computadores (1955 1964)
Segunda geração de computadores (1955 1964)Segunda geração de computadores (1955 1964)
Segunda geração de computadores (1955 1964)
 
Estrutura de Dados - Conceitos fundamentais
Estrutura de Dados - Conceitos fundamentaisEstrutura de Dados - Conceitos fundamentais
Estrutura de Dados - Conceitos fundamentais
 
Evolução da Informática - Resumo
Evolução da Informática - ResumoEvolução da Informática - Resumo
Evolução da Informática - Resumo
 
MC - Aula 01 - Plano de Ensino e Histórico da Computação
MC - Aula 01 - Plano de Ensino e Histórico da ComputaçãoMC - Aula 01 - Plano de Ensino e Histórico da Computação
MC - Aula 01 - Plano de Ensino e Histórico da Computação
 
Redes de computadores 2 - Aula 6 - DNS, DHCP
Redes de computadores 2 - Aula 6 - DNS, DHCPRedes de computadores 2 - Aula 6 - DNS, DHCP
Redes de computadores 2 - Aula 6 - DNS, DHCP
 

Destaque

Princípios de Sistemas de Informação Unidade III Unip
 Princípios de Sistemas de Informação Unidade III Unip  Princípios de Sistemas de Informação Unidade III Unip
Princípios de Sistemas de Informação Unidade III Unip
Heber Gutenberg
 
Arquitetura 8
Arquitetura 8Arquitetura 8
Arquitetura 8
Paulo Fonseca
 
TCO no Brasil
TCO no BrasilTCO no Brasil
TCO no Brasil
Santiago Brito
 
Exercício 04 alunos
Exercício 04 alunosExercício 04 alunos
Exercício 04 alunos
Heber Gutenberg
 
37 consultando tabelas_com_sql_no_sql_server
37 consultando tabelas_com_sql_no_sql_server37 consultando tabelas_com_sql_no_sql_server
37 consultando tabelas_com_sql_no_sql_server
Art IT
 
15 gerenciamento de projetos
15 gerenciamento de projetos15 gerenciamento de projetos
15 gerenciamento de projetos
Art IT
 
Sistema de computacao e informacao u1
Sistema de computacao e informacao u1Sistema de computacao e informacao u1
Sistema de computacao e informacao u1
Art IT
 
Princípios de Sistemas de Informação Unidade IV Unip
Princípios de Sistemas de Informação Unidade IV UnipPrincípios de Sistemas de Informação Unidade IV Unip
Princípios de Sistemas de Informação Unidade IV Unip
Heber Gutenberg
 
ApresentaçãO Tipos De Memorias
ApresentaçãO  Tipos De MemoriasApresentaçãO  Tipos De Memorias
ApresentaçãO Tipos De Memorias
ecompo
 
Apresentação Aula Memoria
Apresentação Aula MemoriaApresentação Aula Memoria
Apresentação Aula Memoria
CENTEC
 
Princípios de sistemas de informação ralph m. stair e george w. reynolds (1)
Princípios de sistemas de informação ralph m. stair e george w. reynolds (1)Princípios de sistemas de informação ralph m. stair e george w. reynolds (1)
Princípios de sistemas de informação ralph m. stair e george w. reynolds (1)
tontotsilva
 
Redes e Servidores Linux - Guia Prático - Carlos E. Morimoto
Redes e Servidores Linux - Guia Prático - Carlos E. MorimotoRedes e Servidores Linux - Guia Prático - Carlos E. Morimoto
Redes e Servidores Linux - Guia Prático - Carlos E. Morimoto
Heber Gutenberg
 
Memoria
MemoriaMemoria
Memoria
aritovi
 

Destaque (13)

Princípios de Sistemas de Informação Unidade III Unip
 Princípios de Sistemas de Informação Unidade III Unip  Princípios de Sistemas de Informação Unidade III Unip
Princípios de Sistemas de Informação Unidade III Unip
 
Arquitetura 8
Arquitetura 8Arquitetura 8
Arquitetura 8
 
TCO no Brasil
TCO no BrasilTCO no Brasil
TCO no Brasil
 
Exercício 04 alunos
Exercício 04 alunosExercício 04 alunos
Exercício 04 alunos
 
37 consultando tabelas_com_sql_no_sql_server
37 consultando tabelas_com_sql_no_sql_server37 consultando tabelas_com_sql_no_sql_server
37 consultando tabelas_com_sql_no_sql_server
 
15 gerenciamento de projetos
15 gerenciamento de projetos15 gerenciamento de projetos
15 gerenciamento de projetos
 
Sistema de computacao e informacao u1
Sistema de computacao e informacao u1Sistema de computacao e informacao u1
Sistema de computacao e informacao u1
 
Princípios de Sistemas de Informação Unidade IV Unip
Princípios de Sistemas de Informação Unidade IV UnipPrincípios de Sistemas de Informação Unidade IV Unip
Princípios de Sistemas de Informação Unidade IV Unip
 
ApresentaçãO Tipos De Memorias
ApresentaçãO  Tipos De MemoriasApresentaçãO  Tipos De Memorias
ApresentaçãO Tipos De Memorias
 
Apresentação Aula Memoria
Apresentação Aula MemoriaApresentação Aula Memoria
Apresentação Aula Memoria
 
Princípios de sistemas de informação ralph m. stair e george w. reynolds (1)
Princípios de sistemas de informação ralph m. stair e george w. reynolds (1)Princípios de sistemas de informação ralph m. stair e george w. reynolds (1)
Princípios de sistemas de informação ralph m. stair e george w. reynolds (1)
 
Redes e Servidores Linux - Guia Prático - Carlos E. Morimoto
Redes e Servidores Linux - Guia Prático - Carlos E. MorimotoRedes e Servidores Linux - Guia Prático - Carlos E. Morimoto
Redes e Servidores Linux - Guia Prático - Carlos E. Morimoto
 
Memoria
MemoriaMemoria
Memoria
 

Semelhante a Princípios de Sistemas da Informação Unidade 1 Unip

O computador
O computadorO computador
O computador
Tiago
 
Apresentação final de IPD
Apresentação final de IPDApresentação final de IPD
Apresentação final de IPD
Barbara Oliveira Lima
 
Apresentação final de IPD
Apresentação final de IPDApresentação final de IPD
Apresentação final de IPD
Barbara Oliveira Lima
 
Apostila info1
Apostila info1Apostila info1
Apostila info1
Fernanda Firmino
 
Apostila info1
Apostila info1Apostila info1
Apostila info1
Anielli Lemes
 
119178832 141.computador
119178832 141.computador119178832 141.computador
119178832 141.computador
Pelo Siro
 
Informática para concursos públicos completa
Informática para concursos públicos completaInformática para concursos públicos completa
Informática para concursos públicos completa
CDIM Daniel
 
538 062012 tj_al_informatica_apostila
538 062012 tj_al_informatica_apostila538 062012 tj_al_informatica_apostila
538 062012 tj_al_informatica_apostila
Alan Linhares
 
659 062012 tj_al_informatica_apostila
659 062012 tj_al_informatica_apostila659 062012 tj_al_informatica_apostila
659 062012 tj_al_informatica_apostila
Alan Linhares
 
História dos computadores + Conceitos base
História dos computadores + Conceitos baseHistória dos computadores + Conceitos base
História dos computadores + Conceitos base
henriquecorreiosapo
 
01 introducao vaston
01 introducao vaston01 introducao vaston
01 introducao vaston
silfisica
 
Básico 1
Básico 1Básico 1
Básico 1
Básico 1Básico 1
Conceitos introdutórios carlamonteiro
Conceitos introdutórios carlamonteiroConceitos introdutórios carlamonteiro
Conceitos introdutórios carlamonteiro
crbmonteiro
 
Princípios de sistema de informação parte 1
Princípios de sistema de informação parte 1Princípios de sistema de informação parte 1
Princípios de sistema de informação parte 1
giovani1
 
Informatica conteúdos básicos - TutorialMEGA
Informatica conteúdos básicos - TutorialMEGAInformatica conteúdos básicos - TutorialMEGA
Informatica conteúdos básicos - TutorialMEGA
karenstuartm
 
Resumos para Concursos - v.34 - Informática (2014)
Resumos para Concursos - v.34 - Informática (2014)Resumos para Concursos - v.34 - Informática (2014)
Resumos para Concursos - v.34 - Informática (2014)
Editora Juspodivm
 
119178832 141.computador
119178832 141.computador119178832 141.computador
119178832 141.computador
Pedro Ferreira
 
História do computador
História do computadorHistória do computador
História dos computadores
História dos computadoresHistória dos computadores
História dos computadores
jvgarlito
 

Semelhante a Princípios de Sistemas da Informação Unidade 1 Unip (20)

O computador
O computadorO computador
O computador
 
Apresentação final de IPD
Apresentação final de IPDApresentação final de IPD
Apresentação final de IPD
 
Apresentação final de IPD
Apresentação final de IPDApresentação final de IPD
Apresentação final de IPD
 
Apostila info1
Apostila info1Apostila info1
Apostila info1
 
Apostila info1
Apostila info1Apostila info1
Apostila info1
 
119178832 141.computador
119178832 141.computador119178832 141.computador
119178832 141.computador
 
Informática para concursos públicos completa
Informática para concursos públicos completaInformática para concursos públicos completa
Informática para concursos públicos completa
 
538 062012 tj_al_informatica_apostila
538 062012 tj_al_informatica_apostila538 062012 tj_al_informatica_apostila
538 062012 tj_al_informatica_apostila
 
659 062012 tj_al_informatica_apostila
659 062012 tj_al_informatica_apostila659 062012 tj_al_informatica_apostila
659 062012 tj_al_informatica_apostila
 
História dos computadores + Conceitos base
História dos computadores + Conceitos baseHistória dos computadores + Conceitos base
História dos computadores + Conceitos base
 
01 introducao vaston
01 introducao vaston01 introducao vaston
01 introducao vaston
 
Básico 1
Básico 1Básico 1
Básico 1
 
Básico 1
Básico 1Básico 1
Básico 1
 
Conceitos introdutórios carlamonteiro
Conceitos introdutórios carlamonteiroConceitos introdutórios carlamonteiro
Conceitos introdutórios carlamonteiro
 
Princípios de sistema de informação parte 1
Princípios de sistema de informação parte 1Princípios de sistema de informação parte 1
Princípios de sistema de informação parte 1
 
Informatica conteúdos básicos - TutorialMEGA
Informatica conteúdos básicos - TutorialMEGAInformatica conteúdos básicos - TutorialMEGA
Informatica conteúdos básicos - TutorialMEGA
 
Resumos para Concursos - v.34 - Informática (2014)
Resumos para Concursos - v.34 - Informática (2014)Resumos para Concursos - v.34 - Informática (2014)
Resumos para Concursos - v.34 - Informática (2014)
 
119178832 141.computador
119178832 141.computador119178832 141.computador
119178832 141.computador
 
História do computador
História do computadorHistória do computador
História do computador
 
História dos computadores
História dos computadoresHistória dos computadores
História dos computadores
 

Último

Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 

Princípios de Sistemas da Informação Unidade 1 Unip

  • 1. Unidade I PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃOINFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo
  • 2. O Computador Cronologia da evolução dos computadores:  3500 a.C.: os sumérios criam a numeração e o ábaco.  1500 a.C.: egípcios utilizam o Relógio de sol para contar o tempo.sol para contar o tempo.  1623: Invenção das calculadoras  1844: Telégrafo de Morse  1873: Primeiro motor elétrico  1874: Primeira máquina de escreverq
  • 3. O Computador Cronologia da evolução dos computadores (cont.):  1900: Surgimento da memória magnética  1945: O ENIAC torna-se operacional, inaugurando a primeira geração deinaugurando a primeira geração de computadores.  1960: Surgimento do sistema Unix baseado no Mutics  1969: ARPANET dá início à Internet  1984: Computador IBM 286 AT com conectores PS/2
  • 4. O Computador Cronologia da evolução dos computadores (cont.):  1991: Nasceu o Linux  1993: Intel Pentium  1996: DVD (Digital Versatile/Video Disk) 1996: DVD (Digital Versatile/Video Disk)  1999: AMD cria o Athlon  2000: Polêmica do bug do milénio (Y2K Bug)  2010: Apple apresenta o iPadpp p
  • 5. O Computador  1ª geração (anos 40): sistemas compostos por válvulas (tubos elétricos a vácuo) de alto custo, de difícil implementação, baixa confiabilidade e alto consumo (ENIAC - Electronic Numerical Integrator And Computer);Computer); Figura 1 – ENIAC Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/ENIAC
  • 6. O Computador Debug: Retirada insetos que se alojavam entre as válvulas. Figura 2 – Painel de válvulas do ENIAC Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/ENIAC
  • 7. O Computador Evolução dos sistemas computacionais:  Integração;  Miniaturização e;  Capacidade de processamento.
  • 8. O Computador  Evolução tecnológica: revolução dos semicondutores (transistores)  Circuitos integrados  Circuitos integrados de alta capacidade de integração.  Sistemas cada vez menores, mais, rápidos, baixo consumo de energia e maior capacidade de processamento.
  • 9. O Computador Década de 80: Forte processo de informatização;  Computador Pessoal (PC) foi lançado pela IBM com sistema operacional DOSpela IBM com sistema operacional DOS (Disk Operating System);  Evolução do software e diminuição do custo do hardware (commodities);  Aumento da remuneração dos profissionais de TI.
  • 10. O Computador  Tipos de Computador  Sistemas móveis: palms, telefones celulares e smartphones;  Sistemas de Pequeno Porte (microcomputadores): computador(microcomputadores): computador pessoal, computador de rede, estação de trabalho técnico, assistente digital pessoal e dispositivo de acesso à informação;
  • 11. O Computador  Tipos de Computador  Sistemas Móveis e de Pequeno Porte Figura 3 – Sistemas móveis e de pequeno porte.
  • 12. O Computador  Tipos de Computador  Sistemas de Médio Porte: servidores de rede, minicomputadores, servidores da web e sistemas multiusuários;  Sistemas de Grande Porte (Mainframe):Sistemas de Grande Porte (Mainframe): sistemas corporativos, supervisores, processadores de transações e supercomputadores.
  • 13. O Computador  Tipos de Computador  Sistemas de Médio e Grande Porte Figura 4 – Sistemas de médio e grande porte.
  • 14. O Computador  Processamento de vários tipos de computadores Figura 5 – Capacidade de Processamento Fonte: O’Brien; Marakas (2007)
  • 15. Interatividade A evolução dos sistemas computacionais se deu com a integração, miniaturização dos componentes eletrônicos e o aumento da capacidade de processamento. Desta forma pode-se afirmar: a) A Lei de Moore estava errada na origem; b) A miniaturização chegou ao seu limite; c) A tecnologia dos semicondutores permitiu e ainda permite esta evolução; d) A evolução esbarra na falta de capacitação profissional; e) Os processadores consomem cada vez mais energia com a evolução.
  • 16. O Computador O Hardware do Computador:  Dispositivos de Entrada;  Unidade Central de Processamento;  Memória Auxiliar;  Dispositivos de Saída.
  • 17. O Computador  Arquitetura do Computador UCP ULA Dispositivos de Saída Dispositivos de Entrada UC Memória Principal Memória Auxiliar p Figura 6 – Arquitetura do Computador
  • 18. O Computador Dispositivos de Entrada:  Periféricos de Entrada;  Interface Usuário – Computador;  Funções:  Inserir;  Coletar;  Buscar;  Receber dados para serem processadosprocessados.
  • 19. O Computador Exemplos de Dispositivos de Entrada: Figura 7 – Dispositivos de Entrada Fonte: Laudon&Laudon, 2007
  • 20. O Computador Dispositivos de Saída:  Periféricos de Saída;  Funções:  Apresentar;  Imprimir;  Projetar;  Ouvir;  Assistir; A i f õ d Armazenar informações processadas.
  • 21. O Computador Exemplos de Dispositivos de Saída: Figura 8 – Dispositivos de Saída Fonte: Laudon&Laudon, 2007
  • 22. O Computador  Unidade Central de Processamento  Coração de um computador;  Responsável pelo processamento dos dados;  Executa um ciclo de processamento: Executa um ciclo de processamento:  Busca de instrução na memória principal;  Executa da instrução;  Reinicia o ciclo.
  • 23. O Computador  Unidade Central de Processamento Lei de Moore – Potência do processador dobraria a cada 18 meses: Figura 9 – Lei de Moore Fonte: Intel
  • 24. O Computador  Unidade Central de Processamento Composição:  ULA: Unidade Lógica-Aritmética  UC: Unidade de Controle  Memória
  • 25. O Computador ULA – Unidade Lógica-Aritmética: Funções:  Executa cálculos e processamentos lógicos solicitados pela UCP;  Executa funções tipo soma subtração e Executa funções tipo soma, subtração e divisão;  Verifica se um número é maior que outro, se é positivo, negativo ou nulo.
  • 26. O Computador  Esquemático da ULA:  "A" e "B" -> Operandos; Figura 10 – Esquemático da ULA  "R" -> Saída;  "F" -> Entrada da UC;  "D" -> Saída de status
  • 27. O Computador UC – Unidade de Controle: Funções:  Controle geral da UCP;  Coordena o processamento acessando de forma sequencial as instruções dede forma sequencial as instruções de programas;  Coordena o fluxo de dados que entram e saem da ULA, dos registradores, das memórias principal e secundária dos diversos dispositivos de saídadiversos dispositivos de saída.
  • 28. O Computador Memória:  A memória é um dispositivo capaz de armazenar os dados de entrada (antes do processamento), os dados ainda em processamento e as informações já processadas.
  • 29. Interatividade A arquitetura do computador é composta pela UCP, ULA, UC, memória e dispositivos de entrada e saída. Neste cenário, qual a atuação da UC sobre a ULA? a) Executa cálculos e processamentos lógicos solicitados pela ULA; b) Coordena o fluxo de dados que entram e saem da ULA; c) Executa funções tipo soma e subtração; d) Responsável pelo processamento dosd) Responsável pelo processamento dos dados da UC; e) Receber dados para serem processados da ULA pela UC.
  • 30. O Computador Conceito de Bit e Byte  BIT: Abreviação da palavra Binary DigiT;  É a menor unidade computacional e representa um estado lógico de ativo ou inativo;inativo;  Possui apenas 2 estados: 0 ou 1; Figura 11 – bits
  • 31. O Computador Byte:  8 bits agrupados formam um byte;  1 byte = 8 bits;  Também conhecido como Octeto;  Pode representar um caractere, uma capacidade de armazenamento de memória, um endereço, etc.;  256 representações de números binários: de 00000000 a 11111111;  Cada algarismo possui um peso posicional.
  • 32. O Computador Byte:  256 representações de números binários: de 00000000 a 11111111; 0 = 00000000 1 = 000000011 = 00000001 2 = 00000010 [...] 254 = 11111110 255 = 11111111255 = 11111111  Cada algarismo possui um peso posicional.
  • 33. O Computador Exemplo 1: Número Decimal  Seja o número decimal 1245 (um mil, duzentos e quarenta e cinco).  Cada algarismo é multiplicado pelo seu peso posicional que representam aspeso posicional que representam as unidades de milhar, centena, dezena e unidade. Desta forma:  1245 = 1x1000 + 2x100 + 4x10 + 5x1
  • 34. O Computador Exemplo 2: Número Binário  Começando da esquerda para a direita, cada um dos bits tem seu peso posicional, dado por 2n, onde “n” varia de 0 a 7, representados por:
  • 35. O Computador  Exemplo 2: Número Binário (cont.)  Desta forma, a seqüência binária 00101011 representa:  0x128 + 0x64 + 1x32 + 0x16 + 1x8 + 0x4 + 1x2 + 1x1 = 43
  • 36. O Computador Exemplo 3:  E se precisamos representar, em binário, um número maior que 255?  Resp: Os bytes podem ser agrupados.  Se forem utilizados 2 bytes (16 bits) Se forem utilizados 2 bytes (16 bits), cada bit terá seu valor posicional dado por 2n, onde “n” varia de 0 a 15, ou seja:
  • 37. O Computador Exemplo 3 (cont.):  Desta forma, a seqüência binária 01010110 10011010 representa:  0x32768 + 1x16384 + 0x8192 + 1x4096 + 0x2048 + 1x1024 + 1x512 + 0x256 + 1x128 + 0x64 + 0x32 + 1x16 + 1x8 + 0x4 + 1x2 + 0x1 = 22170
  • 38. O Computador Unidades de Medidas  A medida que agrupamos mais e mais bytes, lançamos mãos de unidades de medidas para representar uma grande quantidade de bytes. As unidades Kilo, Mega, Giga, etc representarão milhares, milhões e bilhões de bytes respectivamente.
  • 39. O Computador  Unidades de Medidas Figura 12 – Unidades de Medidas
  • 40. O Computador  Unidades de Medidas  K, KB – Kilobyte – Mil - 1024 (210 bytes)  M, MB – Megabyte – Milhão 1.048.576 (220 bytes)  G, GB – Gigabyte - Bilhão 1.073.741.824 (230 bytes)  T, TB – Terabyte – Trilhão 1.099.511.627.776 (240 bytes)
  • 41. O Computador  Memória  São dispositivos de computadores com capacidade de adquirir, armazenar e recuperar dados e informações.  Basicamente divididas em 2 tipos:Basicamente divididas em 2 tipos:  Memória Principal;  Memória Secundária.
  • 42. O Computador  Memória Figura 13 – Pirâmide das memórias
  • 43. Interatividade Sabendo-se que cada bit tem peso posicional, converta para decimal a sequencia de bits: 11110101 00011101 a) 29981; b) 16688b) 16688; c) 65337; d) 34576; e) 62749.
  • 44. O Computador  Memória Principal  Memória principal, interna ou central;  Reside internamente na UCP;  Têm a função essencial no auxílio à ULA no processamento dos dados e nano processamento dos dados e na armazenagem das informações processadas.
  • 45. O Computador Memória ROM:  Estas memórias têm como característica comum a não volatilidade dos dados, ou seja, os dados armazenados neste tipo de memória não são perdidos quando a UCP é desligada. Podem ter capacidade de armazenamento de dados que variam de 2KB (2 kilobytes) até 512KB (512 kilobytes).
  • 46. O Computador Memória ROM:  ROM (Read Only Memory) – Memória de apenas leitura  Utilizada pela UCP para inicialização dos sistemas internos e armazenam ossistemas internos e armazenam os programas padrão escritos pelo fabricante. Não pode ser acessada pelo usuário;  PROM (Programmable Read Only Memory) – Memória programável de apenas leitura;Memória programável de apenas leitura;
  • 47. O Computador Memória ROM (cont):  EPROM (Erasable Programmable Read Only Memory) – Memória programável e apagável de apenas leitura;  EEPROM (Electrically ErasableEEPROM (Electrically Erasable Programmable Read Only Memory) – Memória programável e apagável eletronicamente de apenas leitura.
  • 48. O Computador  Memória RAM  RAM (Randon Access Memory) – Memória de Acesso Aleatório  Memória que permite leitura e escrita de dados e é, na essência uma memóriadados e é, na essência uma memória volátil, ou seja, o conteúdo da memória é perdido quando a UCP é desligada ou desenergizada.
  • 49. O Computador  Memória RAM  A RAM é a memória de trabalho da UCP.  Armazena os dados coletados provenientes dos dispositivos de entrada e as informações processadas pela UCPe as informações processadas pela UCP para envio aos dispositivos de saída;  Armazena os programas em execução pela UCP.
  • 50. O Computador  Memória RAM  A capacidade de uma memória é medida em bytes, kilobytes (1KB = 1024 ou 210 Bytes), megabytes (1MB = 1024 KB ou 220 Bytes) ou gigabytes (1GB = 1024 MB ou 230 Bytes).  O tamanho máximo da memória principal é limitado pela arquitetura da UCP.
  • 51. O Computador  Memória Cache  Memórias de alta velocidade, armazenam as instruções e auxiliam no processamento dos dados pela ULA e tem capacidade de até 4MB (no caso dos processadores Core 2 Duo da Intel);
  • 52. O Computador  Memória Secundária  Memórias auxiliares;  Mais lentas;  De menor custo;  Não voláteis e maior capacidade quando comparadas à memória principal;  Função de armazenar programas, arquivos e grandes capacidades de dados.
  • 53. O Computador  Disco Rígido (HD)  Considerado o principal meio de armazenamento de dados, programas e arquivos no computador;  Não-volátil;Não volátil;  Armazenagem do tipo direta;  Os discos rígidos, atualmente, têm capacidade de centenas de GB (Giga bytes) a dezenas de TB (Tera bytes).
  • 54. O Computador  Fitas Magnéticas  Dados são armazenados em uma fita magnética, normalmente montada em um carretel;  São dispositivos do tipo acessoSão dispositivos do tipo acesso seqüencial;  Dados são armazenados ao longo da fita magnética. O acesso a informação é lento;  São consideradas confiáveis e tem São consideradas confiáveis e tem capacidade de armazenamento da ordem de dezenas de GB (Giga bytes).
  • 55. O Computador  Discos Óticos  Permitem a armazenagem de uma grande quantidade de dados, programas e arquivos e utilizam a tecnologia laser para este fim;  Dados podem ser acessados de forma direta;  CD-ROM (disco compacto) com capacidade de armazenamento da ordem de 650MB (Mega bytes).de 650MB (Mega bytes).
  • 56. O Computador  Discos Óticos (cont.) Atualmente existem CDs do tipo:  CD-R – Recordable;  CD-RW – ReWritable.  DVDs (Discos de Video Digital) - grande capacidade de armazenamento de programas e dados – 4,7GB.  Concebido para armazenar arquivos de filme e áudio de alta qualidade.
  • 57. O Computador Cartões de Memória:  PCMCIA (Personal Computer Memory Card International Association) ±200MB;  FLASH - Capacidade de armazenamento de até 64GB;de até 64GB;  Dimensões muito reduzidas. Grande apelo na portabilidade simples e rápida de grandes quantidades de dados;  Atualmente estão presentes em telefones celulares câmeras fotográficascelulares, câmeras fotográficas, tocadores de MP3 e jogos eletrônicos.
  • 58. O Computador  Capacidade de memória vs custo Figura 14 – Capacidade de memória vs custo. Fonte: O’Brien; Marakas (2007).
  • 59. Interatividade Memórias são dispositivos capazes de armazenar dados e informações. A característica de volatilidade está ligada a: a) Capacidade da memória em reter os dados armazenados mesmo sem energia; b) Capacidade de armazenamento de dados; c) Função de acesso aleatório; d) Lentidão no acesso pelo fato de serd) Lentidão no acesso pelo fato de ser volátil; e) Capacidade de processar mais dados por segundo.