SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
PREFEITURA MUNICIPAL DE VINHEDO
                          ESTADO DE SÃO PAULO
                        SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

PRÓ-LETRAMENTO : PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE
PROFESSORES DOS ANOS/SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

                        MATEMÁTICA
         PROFESSORA TUTORA:MARIA SILVIA LEITE ZAMPIERI

                                    PORTFÓLIO

              FASE I:CAPACITAÇÃO DE TUTORES
DATA:         13 a 17 de fevereiro de 2012
LOCAL:        CICLO BÁSICO II / UNICAMP / CAMPINAS
PROFESSORAS FORMADORAS: Maria Lúcia Bontorim Queiróz
                              Maria Inês Sparrapan Muniz
                              Miriam Sampieri Santinho
                              Sandra Meneses Carvalho

Relatório :


A capacitação de tutores de Matemática do PROGRAMA PRÓ-LETRAMENTO
transcorreu em clima de cordialidade, com professoras muito capacitadas para
desempenhar a função a que se propuseram e com professores tutores muito
empenhados em desenvolver os estudos e as atividades a eles propostas.
As reuniões tiveram início ,primeiramente ,reunindo os professores tutores e professores
formadores de Matemática e de Alfabetização e Linguagem, conforme reportagem
citada no anexo I e divulgada em:

http://www.unicamp.br/unicamp/divulgacao/2012/02/14/pro-letramento-reune-
professores-do-ensino-fundamental-que-vao-ensinar-matemat




                                                                                      1
A comissão organizadora do evento esforçou-se para sanar as dúvidas dos professores
tutores à medida em que as mesmas iam sendo colocadas.




 Srª Gládys (a primeira de frente
  da esquerda para a direita)                        Profª Sandra Meneses

Voltando às capacitações, segue um resumo das mesmas.

Os professores tutores de Matemática foram divididos em três grupos de acordo com a
ordem alfabética dos nomes das cidades que representavam. Como sou de Vinhedo
fiquei no terceiro grupo.
A capacitação teve o seguinte cronograma para esse grupo:


         Período                      Professora                   Fascículo

13/02/2012                   Mª Lúcia                      3. ESPAÇO E FORMA
14/02/2012                   Mª Inês e Miriam              1.NÚMEROS NATURAIS
15/02/2012    manhã          Mª Inês                       1.NÚMEROS NATURAIS
15/02/2012    tarde          Mª Lúcia                      3.ESPAÇO E FORMA
16/02/2012   manhã           Miriam                        4.FRAÇÕES
16/02/2012   tarde           Mª Inês                       2.OPERAÇÕES COM
                                                           NÚMEROS NATURAIS
17/02/2012 manhã             Miriam                        4.FRAÇÕES


Os principais temas abordados em cada período ,atividades principais realizadas e
conclusões mais evidenciadas estão relatados no anexo II.
No anexo III estão as reportagens do jornal on line da Prefeitura Municipal de Vinhedo
destacando o Programa Pró-Letramento.
No anexo IV destacamos o cronograma de formação para Matemática, seguido das
pautas do primeiro ,segundo e terceiro encontros, respectivamente, nos anexos V ,VI e
VII.




                                                                                         2
ANEXO I


Pró-letramento reúne professores do ensino
fundamental que vão ensinar matemática e
leitura/escrita
Patrícia Lauretti




[13/2/2012] Nesta segunda-feira, 13, foi dia de aula na Unicamp para cerca de 120

professores dos primeiros anos do ensino fundamental de várias cidades do Estado. Eles
participam da primeira semana de atividades do programa Pró-Letramento – Mobilização

pela Qualidade da Educação, realizado pelo Ministério da Educação (MEC), em parceria com
universidades que integram a Rede de Formação Continuada e os sistemas públicos de

ensino. A abertura no Ciclo Básico I teve a presença dos coordenadores do programa na
Unicamp e também do pré-reitor de Graduação Marcelo Knobel.

O Pró-Letramento é um programa de formação continuada de professores, para melhoria da
qualidade de aprendizagem da leitura/escrita e matemática nas séries iniciais do ensino

fundamental. O programa é realizado na Unicamp desde 2005 e já atendeu mais de 700
municípios, formando 926 “tutores”, que são os professores que levam os conteúdos adiante

para seus colegas de escola e cidade. Até hoje foram certificados pela Unicamp quase 34 mil
professores. O programa é feito em duas etapas e tem duração de um ano e meio.

Na primeira semana de atividades os tutores vão principalmente conhecer o material
didático. De acordo com a coordenadora institucional do programa, Ana Lúcia Guedes Pinto,

“os conteúdos na área de linguagem envolvem tanto o conhecimento específico da língua
quanto a abordagem que entende a língua como prática social e da mesma forma ocorre

com a matemática”
O entendimento que a aprendizagem da matemática deve ocorrer de forma diferente é
compartilhado pelo professor Samuel Rocha de Oliveira, do Instituto de Matemática,
Estatística e Computação Científica (Imecc) da Unicamp, que também integra o programa.

“Temos grandes expectativas que esse projeto vai mexer no ponto de partida, que é quando
as crianças começam a aprender os conceitos. Esses anos iniciais são fundamentais para
evitar preconceitos, barreiras que podem surgir na aprendizagem da matemática mais
avançada depois. Com a dedicação dos professores acho que podemos chegar lá”, comenta.



Para o pró-reitor de Graduação, Marcelo Knobel, a Unicamp participa do Pró-Letramento
como mais uma frente de atuação que busca a melhoria do ensino público no país. Ele falou
aos professores participantes sobre o Paais – Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social

e o PROFIS - Programa de Formação Interdisciplinar Superior. “Temos aqui a Faculdade de


                                                                                            3
Educação, o Instituto de Estudos da Linguagem e também o Imecc envolvidos, que são

muito atuantes na formação dos professores. Dessa forma buscamos dar nossa

contribuição”.




http://www.unicamp.br/unicamp/divulgacao/2012/02/14/pro-letramento-reune-
professores-do-ensino-fundamental-que-vao-ensinar-matemat




                                                                                     4
ANEXO II

13/02/2012                 Mª Lúcia                     3. ESPAÇO E FORMA


ATIVIDADES : em grupos de professores

      a) Organização espacial: construção de uma maquete utilizando caixas vazias de
      embalagens, recortes de papel, cola ,tesoura, lápis e régua.
      b) Escalas: redução e ampliação de figuras planas
      c) Sólidos geométricos :planificações




      Professoras Elenice (Macedônia),Rita (Praia Grande),Lucimar (Votuporanga) e
      Luciana (Tambaú) que formaram o primeiro grupo de estudos com a profª Maria
      Silvia (Vinhedo).




       “Vivenciar a Matemática para ensinar Matemática.”          Profª Maria Lúcia




      “ Qual geometria ensinar às crianças? Como distribuir o conteúdo?
      O que fazer e como fazer? ”


                                                                                   5
Essas e outras questões foram estudadas no encontro de tutores com a profª
       Maria Lúcia.




       “Unir-se é um bom começo ,manter a união é um progresso e trabalhar em
       conjunto é uma vitória.”                                   Henry Ford

CONCLUSÕES do encontro:

1.Trabalhar a geometria relecionando - a a outras áreas do conhecimento.
2.Valorizar o conhecimento de mundo que a criança já traz consigo. Trabalhar,
inicialmente, com os símbolos que as crianças já têm ( bolas, cubos...) para depois
introduzir os numerais e o vocabulário da Matemática.
3. Aliar, sempre que possível, a resolução de problemas, de forma abrangente,
envolvendo o raciocínio lógico aos conteúdos da geometria.
4. Destacar a importância de se utilizar materiais manipulativos no ensino e
aprendizagem da geometria.
5.Cabe ao professor conhecer os conteúdos e alíá- los aos seus métodos de ensino. O
que fazer ? Como fazer ? São questões que devem estar presentes sempre que se queira
relacionar conteúdos e métodos de ensino.
5. As atividades a serem propostas às crianças, como as atividades de percepção visual,
somente serão eficazes se forem integradas a um programa consistente e levarem em
consideração o desenvolvimento global das crianças.
6. Para cada atividade realizada, em grupos de alunos, por exemplo, sintetizar os pontos
de destaque, os desafios, as dificuldades, as boas ideias, as sugestões, as propostas de
inovações .Valorizar o trabalho e as contribuições de todos os participantes.
7.Durante o encontro pode-se ouvir e valorizar opiniões diversas que elementos do
grupo tiveram sobre temas abordados no curso.
8.Houve, por parte da professora formadora, uma preocupação em levar os participantes
a colocarem em prática suas ideias para, em seguida, leva-los a uma reflexão sobre essa
mesma prática.


14/02/2012                   Mª Inês                       1.NÚMEROS
                             Miriam                        NATURAIS

ATIVIDADES:

1.Preparação do espaço para as aulas
2.Elaboração do roteiro de trabalho para o primeiro encontro com os professores
cursistas.
3.Reunião dos tutores em grupos de estudos.
4.Designação do relator do grupo, uma vez que para cada encontro deveremos ter um
relatório a ser enviado por e-mail à professora Sandra Meneses (UNICAMP).


                                                                                       6
5.Realização de trabalhos em grupos de participantes para a revisão de conceitos
relativos a:
- conceito de número
- número e numeral
- bases de contagem
- uso do material dourado
- uso do ábaco de haste
- o SND (Sistema de Numeração Decimal)
- a ordenação de números naturais
- resolução de problemas




 Ao formar grupos, respeitar o perfil de cada aluno.




              O Sistema Decimal de Numeração e atividades de contagem




O uso do ábaco de papel e do material dourado na organização dos valores dos
algarismos no Sistema Decimal de Numeração.



                                                                                   7
Os jogos como recursos didáticos na construção do conhecimento.

CONCLUSÕES do encontro :

1.Na preparação dos conteúdos conceituais das aulas, lembrar-se dos conteúdos
procedimentais e dos atitudinais.
2.Ao planejar o curso, respeitar os roteiros sugeridos nos sumários dos fascículos.
3.Ter em mente a formação integral do aluno: saber ser e saber fazer.
4.Analisar as atividades propostas e as realizadas sob três focos:
- O olhar do aluno;
- O olhar do professor e
- O olhar do educador.
5. Lembrar-se que : Conceito é uma competência que requer habilidades para ser
                     construída.
6. Após as atividades em grupos de alunos ,ou mesmo aquelas desenvolvidas
individualmente ,propor a reflexão do assunto trabalhado e o modo como foi abordado
durante a atividade.



15/02/2012 manhã            Mª Inês                      1.NÚMEROS
                                                         NATURAIS

ATIVIDADES :

1.O que vamos fazer? Como vamos fazer?
2.A reta numérica.
3.QVL (Quadro Valor de Lugar) para números naturais com centenas.
4.Forma polinomial de um número natural.
5.Ampliações dos campos numéricos. Relações de inclusão.
6.Relações de reversibilidade.
7. Uso de materiais manipulativos.
8. Jogos.
9. Bases de contagem
10. Resolução de problemas.
11.Referências bibliográficas.




                                                                                      8
Uso de materiais manipulativos na resolução de problemas : barras cousinaire.




         Dominó para trabalhar os fatos básicos da adição e
        Material Dourado para desenvolver conceitos de adição e subtração .



CONCLUSÕES do encontro:

1.Na preparação dos conteúdos conceituais das aulas, lembrar-se dos conteúdos
procedimentais e dos atitudinais.
2.Ao planejar o curso, respeitar os roteiros sugeridos nos sumários dos fascículos.
3.Ter em mente a formação integral do aluno: saber ser e saber fazer.
4.Analisar as atividades propostas e as realizadas sob três focos:
- O olhar do aluno;
- O olhar do professor e
- O olhar do educador.
5. Lembrar-se que : Conceito é uma competência que requer habilidades.
6. Após as atividades em grupos de alunos ,ou mesmo aquelas desenvolvidas
individualmente ,propor a reflexão do assunto trabalhado e o modo como foi abordado
durante a atividade.




                                                                                      9
15/02/2012 tarde             Mª Lúcia                 3.ESPAÇO E FORMA


ATIVIDADES :

1.O que vamos fazer? Como vamos fazer?
2.Sólidos de revolução
3. Poliedros
4.Sólidos geométricos
5.A matemática como forma de expressão
6.Roteiro de trabalho individual
7.Representação de sólidos por meio de vistas
8.Trabalhando com figuras geométricas
9.Translação , rotação ,reflexão
10.Direção e sentido
11.Simetria
12.Paralelismo
13. Tangran
14.Referências bibliográficas.




  Os poliedros de Platão                          Prismas




       Direção e sentido                    TANGRAN e dobraduras


 CONCLUSÕES do encontro:




                                                                         10
1.Na preparação das atividades a propor aos alunos em geometria lembrar que eles irão:
manipular objetos ,construir e montar representações de sólidos geométricos ,planificas
figuras espaciais ,classificar as figuras construídas e medí-las , entre outras ações.
2.A Geometria é usada pelo homem também como uma forma de expressão artística e
social.
3.As atividades de geometria devem ser vinculadas a atividades diárias dos educandos.


16/02/2012 manhã             Miriam                        4.FRAÇÕES

ATIVIDADES :

1.O que vamos fazer? Como vamos fazer?
2.O estudo das frações
3.Frações unitárias
4.Ideias básicas sobre frações: unidade, ordem equivalência
5. Um pouco de história ; de onde surgiram as frações?
6. Um enfoque do cotidiano às frações
7.Representações de frações: representações contínuas e representações discretas
8.Classificação de frações
9.Fração como unidade de medida
10.A importância da unidade de referência de medida
11.Modelos de partes fracionárias
12.Nomenclatura
13.Resolução de problemas com dados fracionários
14. Comparação de frações
15.Frações como ideia de medida e frações como ideia de divisão em partes iguais
16. Frações equivalentes
17.Referências bibliográficas.




              Figura 1                              Figura 2
Fig 1 : o inteiro representado por dois hexágonos amarelos
Fig 2 : o inteiro representado por um hexágono amarelo




                                       A atuação muitíssimo bem preparada
                                       da professora Miriam sobre frações foi
                                       destaque .




                                                                                     11
CONCLUSÕES do encontro:

1.O uso de frações como dupla contagem (Terezinha Nunes, 1996)
2.As ideias básicas de frações: unidade, ordem e equivalência
3.O uso diário das frações, o conhecimento comum, o senso comum e o uso espontâneo
das frações
4. As concepções referentes ao estudo de frações que o professor trás de suas
experiências com o assunto
5.Três ideias básicas sobre frações : unidade, ordem (comparação ) e equivalência
6.Diferentes interpretações sobre frações : parte-todo, quociente, razão.
7.As representações diferenciadas sobre frações : discretas ou contínuas
8. A resolução de problemas com dados fracionários e a consideração da unidade de
medida a que ele se refere.
9.A importância do uso do vocabulário adequado ao tratarmos de frações.
10.Frações como relações entre parte e todo.
11. Desenhos como instrumentos para comparar e concluir.


16/02/2012 tarde             Mª Inês                       2.OPERAÇÕES COM
                                                           NÚMEROS NATURAIS


ATIVIDADES:

1.O que é um algoritmo ?
2.O algoritmo da subtração
3. O uso de material dourado para adicionar e subtrair quantidades
4. A resolução de problemas envolvendo adição e subtração
5. As propriedades das operações com números naturais




O uso do ábaco de papel e do ábaco de hastes na contagem e na adição de números
naturais




                                                                                12
A resolução de problemas com números naturais através de figuras ilustrativas foi
uma das propostas da professora Maria Inês.

CONCLUSÕES do encontro:

1.Ao planejar propor atividades ,o professor tutor deverá se colocar nas três situações : a
do aluno, a do professor e a do educador.
2.Em relação às Tis (Tarefas Individuais) : se possível, aplicá-las diretamente aos
alunos, se não for o momento ,colocar-se frente à situação e, como professor realizar as
tarefas.
3.O algoritmo da subtração só deverá ser apresentado aos alunos quando estes já
dominarem com segurança os conceitos associados à subtração, o Sistema Decimal de
Numeração, os fatos básicos da adição e o próprio algoritmo da adição.
4.Além dos conceitos , deve-se destacar ,através de atividades, as propriedades das
operações com números naturais.


17/02/2012 manhã              Miriam                         4.FRAÇÕES


ATIVIDADES:
1.Valores aproximados de somas de frações
2. O uso de frações no cálculo de áreas de figuras planas
3.A representação de frações na reta numérica
4.A equivalência entre frações e números decimais
5.Diferentes interpretações de frações : parte todo, quociente ,operador multiplicativo,
significado de número, medida
6. O uso dos discos de frações
7. O uso do material Cousinaire para comparar frações
8. A soma de frações com denominadores diferentes.




      Professores atentos às explicações da professora Miriam.

                                                                                        13
O uso do material Cousinaire para representação e comparação de frações




A resolução de problemas com dados fracionários e o uso do material Cousinaire

CONCLUSÕES do encontro :

1.O uso de materiais concretos manipulativos auxilia os educandos na compreensão dos
conceitos de fração e nas relações entre parte e todo.
2.Durante o encontro ,houve uma discussão sobre o melhor método a ser aplicado na
soma de frações de denominadores diferentes ,havendo uma forte tendência a se usar o
conceito de frações equivalentes.



CONCLUSÕES FINAIS:

1.As atividades de percepção espacial bem como as demais atividades somente serão
eficazes se forem integradas a uma programação consistente e levarem em consideração
o desenvolvimento global do educando.
2.Durante as atividades, oportunizar condições ,através da escolha de conteúdos e
métodos, para que o educando construa o seu conhecimento.
3.Se possível, trabalhar com temas geradores e preparar muito bem as aulas a serem
dadas.
4.Utilizar a estrutura dos fascículos como roteiro para a organização das aulas e dos
seus registros.
5. Para cada atividade , lançar os desafios aos educando, acompanhá-los em suas
realizações, validando ou não suas produções e incentivando-os a registrá-las de forma
clara e precisa.
6. Incentivá- los também a exporem suas opiniões sobre as atividades propostas, numa
avaliação crítica de todas elas.


                                                                                   14
7. Incluir formas de auto - avaliações aos educandos, incentivando-os também na
realização desse tipo de atividade.


Vinhedo, 12 de março de 2012




                          __________________________________________
                          MARIA SILVIA LEITE ZAMPIERI
                          Professora Tutora de Matemática




                                                                            15
ANEXO III
             VINHEDO E O PRÓ-LETRAMENTO

PROFESSORES INICIAM CAPACITAÇÕES EM MATEMÁTICA (1º/3/12)E
ALFABETIZAÇÃO E LINGUAGEM (28/02/12) ATENDENDO AO PROGRAMA
DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DOS ANOS/SÉRIES
INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL .
22 de Fevereiro de 2012

Professores da Rede Municipal de Ensino de Vinhedo participam de
programa de Pró-Letramento na Unicamp
Docentes participaram das primeiras atividades da qualificação, que enfoca as disciplinas de matemática e
língua portuguesa; professores disseminarão o conteúdo junto aos profissionais que lecionam no ensino
fundamental I




O vice-prefeito e secretário municipal de Educação, Jaime Cruz, faz abertura da capacitação junto aos diretores e
coordenadores das escolas municipais dos ensinos fundamental I e II, no dia 14


Duas professoras da Rede Municipal de Ensino, da Prefeitura de Vinhedo, participaram de 13 a 17 de
fevereiro da primeira semana de atividades do programa de Pró-Letramento – Mobilização pela Qualidade
da Educação, realizado pelo Ministério da Educação (MEC) em parceria com universidades que integram
a Rede de Formação Continuada. Os encontros da última semana aconteceram na Universidade Estadual
de Campinas (Unicamp).

O programa contempla a formação continuada de professores dos anos iniciais do ensino fundamental e
é voltado à melhoria contínua da qualidade de aprendizagem na disciplina de matemática e nos aspectos
de leitura e escrita, englobando os conteúdos na área de linguagem relacionados tanto ao conhecimento
específico da língua quanto à abordagem que entende a língua como prática social. “É mais uma
oportunidade de capacitação que provemos aos nossos profissionais para aperfeiçoar continuadamente e
gradualmente seus conhecimentos, a fim de melhorarmos sempre a educação que oferecemos em
nossas escolas municipais. Aqui em Vinhedo prezamos muito pela atualização dos professores e do
conteúdo que é lecionado em sala de aula aos mais de dez mil estudantes matriculados na Rede
Municipal de Ensino”, disse o prefeito de Vinhedo, Milton Serafim.

De acordo com o vice-prefeito e secretário municipal de Educação, Jaime Cruz, a Rede Municipal de
Ensino só tem a ganhar com mais este treinamento focado ao desenvolvimento das habilidades dos
professores nas duas áreas de conhecimento. “Este programa, por exemplo, contribuirá ao processo de
ensino-aprendizagem dos anos iniciais do fundamental, quando os alunos começam a aprender conceitos
importantes de língua portuguesa e matemática, ou seja, a base para seu desenvolvimento durante toda a
sua formação escolar”, explicou.

Com a participação no programa, as duas docentes que lecionam no ensino fundamental I serão agora as
tutoras e responsáveis por multiplicar os novos conhecimentos adquiridos durante a iniciativa aos demais
profissionais atuantes na Rede Municipal de Ensino.

Outras capacitações

                                                                                                                    16
Na última semana, no dia 14, diretores e coordenadores das escolas municipais de ensino fundamental I
e II participaram de um treinamento no Espaço do Saber, que fica ao lado do Centro de Educação Infantil
(CEI) Sítio do Pica-pau Amarelo, no Jardim Alba. Na oportunidade, foram abordadas temáticas
relacionadas ao desenvolvimento de competências, habilidades e sobre o aproveitamento da Prova
Brasil, exame aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
(INEP) e direcionado a todas as escolas públicas com pelo menos 20 estudantes dos 5º e 9º anos dos
ensinos fundamental I e II.

Já no dia 16, professores de educação física da educação infantil, ensinos fundamental I e II e da
Educação de Jovens e Adultos (EJA) estiveram no mesmo local para organizarem as diferentes
atividades que serão promovidas no decorrer deste ano letivo, dentro desta disciplina.

http://vinhedo.sp.gov.br/noticia.php?id=4241
05 de Março de 2012

Professores da Rede Municipal de Ensino iniciam encontros de pró-
letramento em Vinhedo
Atividade será desenvolvida até o fim de agosto dentro do Programa de Formação Continuada de Professores
dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, da Prefeitura de Vinhedo




Encontro promovido nesta terça-feira, dia 6.,tratou de alfabetização e linguagem com a professora tutora ARATUZA
GRIPP SANTOS.


Teve início na terça-feira, 28 de fevereiro, a série de encontros do programa de Pró-Letramento –
Mobilização pela Qualidade da Educação, adotado pela Prefeitura de Vinhedo neste ano e realizado pelo
Ministério da Educação (MEC). O programa – que será desenvolvido até o fim de agosto junto aos
professores dos anos iniciais do ensino fundamental I da Rede Municipal de Ensino – é voltado à melhoria
contínua da qualidade de aprendizagem na disciplina de matemática e nos aspectos de leitura e escrita,
englobando diferentes abordagens na área de linguagem.

Segundo o vice-prefeito e secretário municipal de Educação, Jaime Cruz, o conteúdo do programa é
ministrado aos professores com a contribuição de duas professoras formadoras da Rede Municipal de
Ensino. Elas atualmente participam de um curso na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e
serão responsáveis por multiplicar o conhecimento adquirido aos demais profissionais que integram o
quadro de professores da Secretaria Municipal de Educação. “É importante que nossos profissionais
participem de constantes qualificações, para que possam incrementar e atualizar seu conhecimento
acadêmico e, consequentemente, contribuir à melhora gradual do ensino e das práticas didáticas que são
ministradas em nossas escolas municipais. Sem dúvida, é mais uma forma de oferecer mais qualidade à
educação dos estudantes matriculados na Rede Municipal de Ensino”, disse.

Nesta terça-feira, dia 6, a capacitação foi promovida no Espaço do Saber – que fica bem ao lado do
Centro de Educação Infantil (CEI) Sítio do Pica-pau Amarelo – e envolveu cerca de 20 docentes. Nesta
oportunidade, os presentes abordaram a sistematização das capacidades mais relevantes a serem
atingidas pelas crianças e jovens ao longo de seus três primeiros anos no ensino fundamental I. No
encontro, os professores também trabalharam novas formas para contribuir ao processo de alfabetização,
compreendendo os processos envolvidos na aquisição da escrita alfabética e de outras características
necessárias aos alunos, para que os estudantes possam dominar cada vez mais os campos da leitura, da
produção de textos escritos e a compreensão e a elaboração de textos orais, com base em situações que
são corriqueiras em seu cotidiano.

                                                                                                                   17
Ainda nesta data, os docentes também fizeram leituras compartilhadas e aprofundaram o seu estudo no
entendimento e na valorização da cultura escrita e no desenvolvimento da oralidade de seus estudantes.
“O desenvolvimento das capacidades linguísticas de ler e escrever, falar e ouvir com compreensão, em
situações diferentes das familiares, não acontece espontaneamente e precisam ser ensinadas, sobretudo
nos primeiros anos do ensino fundamental”, destacou uma das professoras responsáveis por multiplicar o
conteúdo do programa na área de língua portuguesa, Aratuza Gripp Santos.

Outras capacitações

Nesta quarta-feira, dia 7, também serão retomadas as capacitações do programa “Ler e Escrever”, que
visa ampliar a leitura e escrita dos estudantes para a formação de leitores e escritores competentes. O
programa ainda prevê a realização de diversas atividades didáticas junto aos alunos nas disciplinas de
língua portuguesa e matemática e é ofertado nas escolas municipais por meio de uma parceria firmada
em 2010 entre a Prefeitura de Vinhedo e o governo estadual. Os encontros de capacitação também
prosseguirão periodicamente durante todo o ano letivo, junto aos coordenadores pedagógicos das
escolas e docentes do ensino fundamental I.

http://vinhedo.sp.gov.br/noticia.php?id=4315




                                                                                                          18
ANEXO IV
                     1º DE MARÇO DE 2012
INÍCIO DAS CAPACITAÇÕES DE MATEMÁTICA COM A PROFESSORA
TUTORA MARIA SILVIA LEITE ZAMPIERI

                  CRONOGRAMA DE FORMAÇÃO

  I) LOCAL: Espaço do Saber
               Avenida Independência, nº ,Jardim Santa Rosa ,Vinhedo ,SP.

  II) HORÁRIO: Dia da semana: 5ª feira (19 encontros) e 2ª feira (2 encontros).
                  Turma da manhã : das 7h30 às 11h30
                  Turma da noite : das 18h às 22h

  III) NÚMERO DE PARTICIPANTES: manhã : 13 professores
                                  noite : 24 professores

  IV) ATIVIDADES DO PROGRAMA E CARGA HORÁRIA PARA A
         FORMAÇÃO DE CURSISTAS:

           CARGA HORÁRIA                                 FASE
                84h                Curso presencial com 21 encontros de 4 horas
                                   cada
                    66h            Atividades à distância a serem realizadas ao longo
                                   dos curso:
                                   leituras/estudos/pesquisas
                                   TI s (Tarefas Individuais)

                    30h            Trabalhos em portfólio ( digital ou físico) ao
                                   longo do curso por parte de cada fascículo
                 Total 180h

  V) CRONOGRAMA DO CURSO:
       MÊS                                      DIAS
       Março                                    1º,8,15,22 e 29    (5ª feira)
       Abril                                    5, 19,26            (5ªfeira)
                                                9                   (2ªfeira)
         Maio                                   3,10,17,24,31       (5ª feira)
         Junho                                  4                   (2ª feira)
                                                21,28               (5ª feira)
         Julho                                  5                   (5ª feira)
         Agosto                                 2,16,23             (5ª feira)
         Encontro (caso haja necessidade de     31/agosto          (5ª feira)
         reposição de algum encontro)




                                                                                    19
VI) CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES PREVISTAS DE ACORDO COM O
         GUIA DO CURSO :


 Fascículo                Atividades                 Duração Encontro    Data


              Guia do curso                            2h       1º      1º/3/12

1.            Apresentação do fascículo                2h       1º      1º/3/12
Números
Naturais
1. Números    Página 7 a 11                            4h       2º      8/3/12
Naturais      Conclusões
              Relatório de memória do grupo de
              trabalho
1. Números    Página 12 a 26                           4h       3º      15/3/12
Naturais      Roteiro do trabalho individual
              Parte 1: SND
              Parte 2: preparando para a adição e
              subtração

2.Operações   Apresentação do fascículo,pag 6         1/2h      4º      22/3/12
com           Pensando juntos                         1/2h
Números       Roteiro de trabalho ,pag 7 a 9           2h
Naturais      Relatório de memória do grupo de         1h
              trabalho,pag 9
2.Operações   Roteiro do trabalho individual           2h       5ª      29/3/12
com           Parte 1:O algoritmo da subtração,        2h
Números       pag 10 a 13
Naturais
2.Operações   Parte 2: a multiplicação e a divisão     4h       6º      05/4/12
com
Números
Naturais
OBS1:         PREENCHER RELATÓRIO                                        1º/3 a
              DAS ATIVIDADES DE 1º/3 A                                  06/4/12
              06/4/12
3.Espaço e    Apresentação do fascículo,pag 6 a        3h       7º      09/4/12
Forma         11                                       1h
              Relatório de memória do grupo de
              trabalho
OBS 2:        2º ENCONTRO DE FORMAÇÃO                                    10 a
              DE PROFESSORES TUTORES                                    13/4/12
              10 a 13/4/2012
3.Espaço e    Roteiro do trabalho individual           1h       8º      19/4/12
Forma         Partes 1,2 e 3                           3h

4.Frações                                              4h       9º       26/4
                                                       4h       10º      03/5
                                                       4h       11º      10/5


                                                                                20
5.Grandezas                              4h     12º         17/5
e Medidas                                4h     13º         24/5
                                         4h     14º         31/5

6.Tratamento                             4h     15º         04/6
da
Informação

OBS 3:         3º ENCONTRO DE FORMAÇÃO
               DE PROFESSORES TUTORES
               12 a 15/6/2012

6.Tratamento                             4h     16º         21/6
da
Informação
7.Resolver                               4h     17º         28/6
problemas :o                             4h     18º         05/7
lado lúdico
da
Matemática
8. Avaliação                             4h     19º         02/8
Da a
prendizagem
em
Matemática
nos anos
iniciais

OBS 4          4º ENCONTRO DE FORMAÇÃO                       08 a
               DE PROFESSORES TUTORES                     10/8/2012
               08 a 10/8/2012

8. Avaliação                             4h     20º         16/8
da                                       4h     21º         23/8
aprendizagem
em
Matemática
nos anos
iniciais

Encontro                                       Possível    30/8/12
(caso haja                                    reposição
necessidade
de reposição
de algum
encontro)




                                                                   21
ANEXO V
                                 PAUTA DO 1º ENCONTRO
                                1º ENCONTRO (1º/03/2012)
1ª Parte
        Apresentação do(a) tutor(a).
        Apresentação dos professores cursistas.
        Apresentação do Programa Pró-Letramento:
        - guia do curso (livro do cursista)
        - sumário do livro do cursista (página 5)
        - explicações sobre o Programa Pró-Letramento (páginas 7 a 15):
            • O que é Pró-Letramento?
            • O que se pretende?
            • Por que formação continuada?
            • O Pró-Letramento em Matemática
            • O material didático
            • A dinâmica dos fascículos
            • Registrando seus estudos
        Carga horária do curso.
        Destaque sobre a importância da leitura antecipada dos conteúdos dos fascículos.
        A importância dos registros durante os encontros para compor os relatórios e os
        portfólios.
        O preenchimento de uma ficha individual do cursista.

2ª Parte :

Leitura e comentários do texto “ Uma definição de felicidade”(páginas 16 e 17).

Fascículo 1 – Números Naturais

        Apresentação do fascículo1 e da dinâmica dos trabalhos envolvendo cada fascículo do
        Programa Pró-Letramento (página 12 do guia).
        Escolha de um(a) redator(a) por encontro para o “caderno de bordo”.
        Com o apoio de todos, este(a) professor (a) ficará encarregado(a) de fazer anotações
        que contribuirão para a construção da memória do encontro.
        Instruções para o(a) redator(a)
        Avaliação crítica do encontro
        Auto - avaliação feita pelo grupo de trabalho.
3ª Parte :

FASCÍCULO 1

        Pensando juntos (página 7):
        - escolher um (a) relator (a).
        - sugestões : que os professores troquem experiências envolvendo:
            • As tarefas individuais do fascículo.
            • Os aspectos relacionados com suas aulas e com o uso das ideias do módulo.
            • Os aspectos da formação continuada: dúvidas metodológicas, operacionais ou
                conceituais.

        Trabalhando em grupo:
        - Texto para leitura (página 8).
        - O olhar dos alunos (página 9).
        - Ajudando seu aluno a conceituar números naturais (páginas 10 e 11).

        Roteiro do trabalho individual : preparação para o próximo encontro.

        Nossas conclusões
        - Incentivar o registro das discussões ocorridas em cada atividade sintetizando os
        pontos de destaque:
                 - os desafios             - as propostas de inovações
                 - as dificuldades         - as sugestões
                 - as boas ideias          - entre outras
        - Realizar uma avaliação crítica do encontro

                                                                                             22
ANEXO VI

PAUTA DO 2º ENCONTRO

                                 2º Encontro   (08/03/2012)

                                         “A educação é um processo social, é
                                         desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é
                                         a própria vida.”

                                                               John Dewey


1ª PARTE: Leitura do relato do encontro anterior pela professora designada no encontro
            anterior.
          Comentários e complementações das professoras cursistas.
2ª PARTE: FASCÍCULO 1 =ROTEIRO DE TRABALHO DO DIA=
Continuação da 2ª etapa
    • PÁG 8 – T2 : Correção e indicações para o registro/ relatório
    • PÁG 10 e 11 – leitura item 3 = AJUDANDO O SEU ALUNO A CONCEITUAR
                                          NÚMEROS NATURAIS
                                       - 3A
                                       - 3B
                                       - 3C : JOGO “ O MAIOR LEVA”
    • PÁG 11 – T6

   3ª etapa :ROTEIRO DO TRABALHO INDIVIDUAL

   Parte 1 da 3ª etapa :SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL
   • PÁG 12 a 14 –Leitura da seção 1-O sistema de numeração decimal e a importância do
       zero.
   • TI 1 ( para casa)
   • TI 2 ( em grupos de cursistas em aula)
   • PÁG 16-Leitura da seção 3 – a ordenação dos números naturais
   • Vídeos : sistemas de numeração : coleção 1 e coleção 2.
   • TI 3
   • PÁG 17- Leitura da seção 4 – a reta numérica
   • TI 4
   • PÁG 17 e 18- Leitura da seção 5- As centenas
   • TI 5
   • PÁG 17 e 18- Leitura da seção 6 – Outros recursos :MATERIAL DOURADO
                                                        Q.V.L (Quadro Valor de Lugar)
   • TI 6, TI 7, TI 8
   Parte 2 da 3ª etapa :PREPARANDO PARA A ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
       • RESUMO
       • SEÇÃO 1 – Os conceitos de adição e subtração
       • Vídeo : Um amor de confusão
       • Atividades relativas ao vídeo

Obs: TI 9 a TI 17 ( RESOLVER EM CASA)

       •   PÁG 20 – TI9
       •   SEÇÃO 2 - AÇÕES ASSOCIADAS ÀS OPERAÇÕES ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
       •   PÁG 20 a 23


       ADIÇÃO : JUNTAR      TI 10
                 ACRESCENTAR TI 11

       SUBTRAÇÃO : RETIRAR   TI 12
                    COMPARAR TI 13
                    COMPLETAR TI 14 e TI 15

                                                                                         23
•   SEÇÃO 3 –OS FATOS BÁSICOS E SEU APRENDIZADO
         •   PÁG 24 e 25 – TI 16 e TI 17
         •   TAREFA

3ª PARTE: NÃO ESQUECER:

     Roteiro do trabalho individual : preparação para o próximo encontro.

     Nossas conclusões :
     - Incentivar o registro das discussões ocorridas em cada atividade sintetizando os
     pontos de destaque:
              - os desafios
              - as dificuldades
              - as boas ideias
              - as sugestões
              - as propostas de inovações
              - entre outras...
     - Realizar uma avaliação crítica do encontro




                                                                                          24
ANEXO VII

                        PAUTA DO 3º ENCONTRO

                                 3º Encontro     (15/03/2012)

                                           “A alegria não chega apenas no encontro do achado,
                                           mas faz parte do processo da busca. E ensinar e
                                           aprender não pode dar-se fora da procura, fora da
                                           boniteza e da alegria”.
                                           Paulo Freire

1ª PARTE: Leitura do relato do encontro anterior pela professora designada pelas professoras
              cursistas.
            Comentários e complementações das professoras cursistas.
2ª PARTE: FASCÍCULO 1 =ROTEIRO DE TRABALHO DO DIA=
    Parte 2 da 3ª etapa :PREPARANDO PARA A ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
        • RESUMO
        • SEÇÃO 1 – Os conceitos de adição e subtração
        • Vídeo : Um amor de confusão
        • Atividades relativas ao vídeo
        • Recebimento das Tis 5 a 8
        • PÁG 20 – TI9
        • SEÇÃO 2 - AÇÕES ASSOCIADAS ÀS OPERAÇÕES ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
        • PÁG 20 a 23

ADIÇÃO : JUNTAR       TI 10
          ACRESCENTAR TI 11

SUBTRAÇÃO : RETIRAR     TI 12
             COMPARAR TI 13
             COMPLETAR TI 14
                              • TI 15
        • SEÇÃO 3 –OS FATOS BÁSICOS E SEU APRENDIZADO
        • PÁG 24 e 25 – TI 16 e TI 17

3ª PARTE: NÃO ESQUECER:

       Roteiro do trabalho individual : preparação para o próximo encontro.

       Nossas conclusões :
       - Incentivar o registro das discussões ocorridas em cada atividade sintetizando os
       pontos de destaque:
                - os desafios
                - as dificuldades
                - as boas ideias
                - as sugestões
                - as propostas de inovações , entre outras

       - Realizar uma avaliação crítica do encontro .




                                                                                            25

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano anual de actividades agrupamento 2010 2011
Plano anual de actividades agrupamento 2010 2011Plano anual de actividades agrupamento 2010 2011
Plano anual de actividades agrupamento 2010 2011BELidiaJorge
 
Projeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolarProjeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolaralvinarocha
 
Relatório oficial do lei março
Relatório oficial do lei   marçoRelatório oficial do lei   março
Relatório oficial do lei marçoguest3ea9d895
 
Plano anual de actividades 2011 2012 bib esc
Plano anual de actividades 2011 2012 bib escPlano anual de actividades 2011 2012 bib esc
Plano anual de actividades 2011 2012 bib escBELidiaJorge
 
Monografia Vademário Matemática 2011
Monografia Vademário Matemática 2011Monografia Vademário Matemática 2011
Monografia Vademário Matemática 2011Biblioteca Campus VII
 
Relatório aula inaugural-Posse
Relatório aula inaugural-PosseRelatório aula inaugural-Posse
Relatório aula inaugural-Possenairvieira
 
Portifólio infoempoto2010
Portifólio infoempoto2010Portifólio infoempoto2010
Portifólio infoempoto2010Ana Paula Pires
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IFábio Ribeiro Silva
 
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADARELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADAJairo Felipe
 
Relatorio 2 semestre 2012
Relatorio 2  semestre 2012Relatorio 2  semestre 2012
Relatorio 2 semestre 2012Ronaldoii
 

Mais procurados (20)

Portfólio fase 7
Portfólio fase 7Portfólio fase 7
Portfólio fase 7
 
Plano anual de actividades agrupamento 2010 2011
Plano anual de actividades agrupamento 2010 2011Plano anual de actividades agrupamento 2010 2011
Plano anual de actividades agrupamento 2010 2011
 
Monografia Roseane Matemática 2011
Monografia Roseane Matemática 2011Monografia Roseane Matemática 2011
Monografia Roseane Matemática 2011
 
1º encontro de tutores no revezamento
1º encontro de tutores no revezamento1º encontro de tutores no revezamento
1º encontro de tutores no revezamento
 
Projeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolarProjeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolar
 
Monografia Juciane Matemática 2011
Monografia Juciane Matemática 2011Monografia Juciane Matemática 2011
Monografia Juciane Matemática 2011
 
9º mat agosto
9º mat agosto9º mat agosto
9º mat agosto
 
Relatório do projeto
Relatório do projetoRelatório do projeto
Relatório do projeto
 
Relatório oficial do lei março
Relatório oficial do lei   marçoRelatório oficial do lei   março
Relatório oficial do lei março
 
Monografia Manoel Matemática 2011
Monografia Manoel Matemática 2011Monografia Manoel Matemática 2011
Monografia Manoel Matemática 2011
 
Plano anual de actividades 2011 2012 bib esc
Plano anual de actividades 2011 2012 bib escPlano anual de actividades 2011 2012 bib esc
Plano anual de actividades 2011 2012 bib esc
 
Monografia Vademário Matemática 2011
Monografia Vademário Matemática 2011Monografia Vademário Matemática 2011
Monografia Vademário Matemática 2011
 
Relatório aula inaugural-Posse
Relatório aula inaugural-PosseRelatório aula inaugural-Posse
Relatório aula inaugural-Posse
 
Portifólio infoempoto2010
Portifólio infoempoto2010Portifólio infoempoto2010
Portifólio infoempoto2010
 
Relatório do projeto
Relatório do projetoRelatório do projeto
Relatório do projeto
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
 
9º mat setembro
9º mat setembro9º mat setembro
9º mat setembro
 
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADARELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
 
Relatorio 2 semestre 2012
Relatorio 2  semestre 2012Relatorio 2  semestre 2012
Relatorio 2 semestre 2012
 
Relatório de acompanhamento
Relatório de acompanhamentoRelatório de acompanhamento
Relatório de acompanhamento
 

Semelhante a Primeira Capacitação de Tutores de Matemática

A sala deaulaemfocomoduloi
A sala deaulaemfocomoduloiA sala deaulaemfocomoduloi
A sala deaulaemfocomoduloidaliarafaela
 
DIAGNÓSTICO ESCOLAR – SEQUÊNCIA DIDÁTICA (MATEMÁTICA)
 DIAGNÓSTICO ESCOLAR – SEQUÊNCIA DIDÁTICA (MATEMÁTICA) DIAGNÓSTICO ESCOLAR – SEQUÊNCIA DIDÁTICA (MATEMÁTICA)
DIAGNÓSTICO ESCOLAR – SEQUÊNCIA DIDÁTICA (MATEMÁTICA)Daniella Bezerra
 
Ana paula hanke da silveira gualdi
Ana paula hanke da silveira gualdiAna paula hanke da silveira gualdi
Ana paula hanke da silveira gualdiSimoneHelenDrumond
 
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdiAna paula-hanke-da-silveira-gualdi
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdiSimoneHelenDrumond
 
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi-1
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi-1Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi-1
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi-1SimoneHelenDrumond
 
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdiAna paula-hanke-da-silveira-gualdi
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdiSimoneHelenDrumond
 
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de Divisão
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de  DivisãoCaminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de  Divisão
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de DivisãoEveraldo Gomes
 
Projeto estágio séries iniciais set-2014
Projeto estágio séries iniciais  set-2014Projeto estágio séries iniciais  set-2014
Projeto estágio séries iniciais set-2014Solange Coutinho
 
Guia planejamento orient_did_terceira_volume_unico
Guia planejamento orient_did_terceira_volume_unicoGuia planejamento orient_did_terceira_volume_unico
Guia planejamento orient_did_terceira_volume_unicoEdson Virginio
 

Semelhante a Primeira Capacitação de Tutores de Matemática (20)

Portfólio 2 Revezamento
Portfólio 2 RevezamentoPortfólio 2 Revezamento
Portfólio 2 Revezamento
 
Relatório da tutora
Relatório da tutoraRelatório da tutora
Relatório da tutora
 
298 604-1-sm
298 604-1-sm298 604-1-sm
298 604-1-sm
 
298 604-1-sm
298 604-1-sm298 604-1-sm
298 604-1-sm
 
Portfólio fase 9
Portfólio fase 9Portfólio fase 9
Portfólio fase 9
 
Plano de turma
Plano de turmaPlano de turma
Plano de turma
 
2. resumo e agradecimento
2. resumo e agradecimento2. resumo e agradecimento
2. resumo e agradecimento
 
A sala deaulaemfocomoduloi
A sala deaulaemfocomoduloiA sala deaulaemfocomoduloi
A sala deaulaemfocomoduloi
 
Sala aula foco
Sala aula focoSala aula foco
Sala aula foco
 
Portfólio fase 4
Portfólio fase 4Portfólio fase 4
Portfólio fase 4
 
DIAGNÓSTICO ESCOLAR – SEQUÊNCIA DIDÁTICA (MATEMÁTICA)
 DIAGNÓSTICO ESCOLAR – SEQUÊNCIA DIDÁTICA (MATEMÁTICA) DIAGNÓSTICO ESCOLAR – SEQUÊNCIA DIDÁTICA (MATEMÁTICA)
DIAGNÓSTICO ESCOLAR – SEQUÊNCIA DIDÁTICA (MATEMÁTICA)
 
Ana paula hanke da silveira gualdi
Ana paula hanke da silveira gualdiAna paula hanke da silveira gualdi
Ana paula hanke da silveira gualdi
 
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdiAna paula-hanke-da-silveira-gualdi
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi
 
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi-1
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi-1Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi-1
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi-1
 
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdiAna paula-hanke-da-silveira-gualdi
Ana paula-hanke-da-silveira-gualdi
 
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de Divisão
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de  DivisãoCaminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de  Divisão
Caminhos e Descaminhos no Ensino e Aprendizagem do Conceito de Divisão
 
Monografia Emilio Matemática 2012
Monografia Emilio Matemática 2012Monografia Emilio Matemática 2012
Monografia Emilio Matemática 2012
 
Publicarte One
Publicarte OnePublicarte One
Publicarte One
 
Projeto estágio séries iniciais set-2014
Projeto estágio séries iniciais  set-2014Projeto estágio séries iniciais  set-2014
Projeto estágio séries iniciais set-2014
 
Guia planejamento orient_did_terceira_volume_unico
Guia planejamento orient_did_terceira_volume_unicoGuia planejamento orient_did_terceira_volume_unico
Guia planejamento orient_did_terceira_volume_unico
 

Mais de Maria Silvia Leite Zampieri

Portfólio Revezamento - Fase 12: Compras no Mercadinho
Portfólio Revezamento - Fase 12:  Compras no MercadinhoPortfólio Revezamento - Fase 12:  Compras no Mercadinho
Portfólio Revezamento - Fase 12: Compras no MercadinhoMaria Silvia Leite Zampieri
 

Mais de Maria Silvia Leite Zampieri (19)

Portfólio Revezamento - Fase 12: Compras no Mercadinho
Portfólio Revezamento - Fase 12:  Compras no MercadinhoPortfólio Revezamento - Fase 12:  Compras no Mercadinho
Portfólio Revezamento - Fase 12: Compras no Mercadinho
 
Portfólio fase 11 revezamento
Portfólio  fase 11 revezamentoPortfólio  fase 11 revezamento
Portfólio fase 11 revezamento
 
Portfólio 10 - As botas de muitas léguas
Portfólio 10 - As botas de muitas léguasPortfólio 10 - As botas de muitas léguas
Portfólio 10 - As botas de muitas léguas
 
Portfólio fase 9 final docx
Portfólio  fase 9 final docxPortfólio  fase 9 final docx
Portfólio fase 9 final docx
 
Portfólio fase 8
Portfólio fase 8Portfólio fase 8
Portfólio fase 8
 
Portfólio fase 5 revezamento
Portfólio fase 5 revezamentoPortfólio fase 5 revezamento
Portfólio fase 5 revezamento
 
Portfólio 4 revezamento
Portfólio 4  revezamentoPortfólio 4  revezamento
Portfólio 4 revezamento
 
Portfólio 3 revezamento
Portfólio 3 revezamentoPortfólio 3 revezamento
Portfólio 3 revezamento
 
Entrega dos Certificados
Entrega dos CertificadosEntrega dos Certificados
Entrega dos Certificados
 
Portfólio Fase 12
Portfólio Fase 12Portfólio Fase 12
Portfólio Fase 12
 
Portfólio fase 10
Portfólio   fase 10Portfólio   fase 10
Portfólio fase 10
 
Portfólio Atividades fase 7
Portfólio Atividades fase 7Portfólio Atividades fase 7
Portfólio Atividades fase 7
 
Portfólio fase 7
Portfólio  fase 7Portfólio  fase 7
Portfólio fase 7
 
Portfólio fase 6
Portfólio fase 6Portfólio fase 6
Portfólio fase 6
 
Portfólio fase 5
Portfólio   fase 5Portfólio   fase 5
Portfólio fase 5
 
Portfólio - fase 5
Portfólio - fase 5Portfólio - fase 5
Portfólio - fase 5
 
Atividades do Fascículo 3: Espaço e Forma
Atividades do Fascículo 3: Espaço e FormaAtividades do Fascículo 3: Espaço e Forma
Atividades do Fascículo 3: Espaço e Forma
 
Atividades do Fascículo 2
Atividades  do Fascículo 2Atividades  do Fascículo 2
Atividades do Fascículo 2
 
Fascículo 1
Fascículo 1Fascículo 1
Fascículo 1
 

Primeira Capacitação de Tutores de Matemática

  • 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE VINHEDO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PRÓ-LETRAMENTO : PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DOS ANOS/SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL MATEMÁTICA PROFESSORA TUTORA:MARIA SILVIA LEITE ZAMPIERI PORTFÓLIO FASE I:CAPACITAÇÃO DE TUTORES DATA: 13 a 17 de fevereiro de 2012 LOCAL: CICLO BÁSICO II / UNICAMP / CAMPINAS PROFESSORAS FORMADORAS: Maria Lúcia Bontorim Queiróz Maria Inês Sparrapan Muniz Miriam Sampieri Santinho Sandra Meneses Carvalho Relatório : A capacitação de tutores de Matemática do PROGRAMA PRÓ-LETRAMENTO transcorreu em clima de cordialidade, com professoras muito capacitadas para desempenhar a função a que se propuseram e com professores tutores muito empenhados em desenvolver os estudos e as atividades a eles propostas. As reuniões tiveram início ,primeiramente ,reunindo os professores tutores e professores formadores de Matemática e de Alfabetização e Linguagem, conforme reportagem citada no anexo I e divulgada em: http://www.unicamp.br/unicamp/divulgacao/2012/02/14/pro-letramento-reune- professores-do-ensino-fundamental-que-vao-ensinar-matemat 1
  • 2. A comissão organizadora do evento esforçou-se para sanar as dúvidas dos professores tutores à medida em que as mesmas iam sendo colocadas. Srª Gládys (a primeira de frente da esquerda para a direita) Profª Sandra Meneses Voltando às capacitações, segue um resumo das mesmas. Os professores tutores de Matemática foram divididos em três grupos de acordo com a ordem alfabética dos nomes das cidades que representavam. Como sou de Vinhedo fiquei no terceiro grupo. A capacitação teve o seguinte cronograma para esse grupo: Período Professora Fascículo 13/02/2012 Mª Lúcia 3. ESPAÇO E FORMA 14/02/2012 Mª Inês e Miriam 1.NÚMEROS NATURAIS 15/02/2012 manhã Mª Inês 1.NÚMEROS NATURAIS 15/02/2012 tarde Mª Lúcia 3.ESPAÇO E FORMA 16/02/2012 manhã Miriam 4.FRAÇÕES 16/02/2012 tarde Mª Inês 2.OPERAÇÕES COM NÚMEROS NATURAIS 17/02/2012 manhã Miriam 4.FRAÇÕES Os principais temas abordados em cada período ,atividades principais realizadas e conclusões mais evidenciadas estão relatados no anexo II. No anexo III estão as reportagens do jornal on line da Prefeitura Municipal de Vinhedo destacando o Programa Pró-Letramento. No anexo IV destacamos o cronograma de formação para Matemática, seguido das pautas do primeiro ,segundo e terceiro encontros, respectivamente, nos anexos V ,VI e VII. 2
  • 3. ANEXO I Pró-letramento reúne professores do ensino fundamental que vão ensinar matemática e leitura/escrita Patrícia Lauretti [13/2/2012] Nesta segunda-feira, 13, foi dia de aula na Unicamp para cerca de 120 professores dos primeiros anos do ensino fundamental de várias cidades do Estado. Eles participam da primeira semana de atividades do programa Pró-Letramento – Mobilização pela Qualidade da Educação, realizado pelo Ministério da Educação (MEC), em parceria com universidades que integram a Rede de Formação Continuada e os sistemas públicos de ensino. A abertura no Ciclo Básico I teve a presença dos coordenadores do programa na Unicamp e também do pré-reitor de Graduação Marcelo Knobel. O Pró-Letramento é um programa de formação continuada de professores, para melhoria da qualidade de aprendizagem da leitura/escrita e matemática nas séries iniciais do ensino fundamental. O programa é realizado na Unicamp desde 2005 e já atendeu mais de 700 municípios, formando 926 “tutores”, que são os professores que levam os conteúdos adiante para seus colegas de escola e cidade. Até hoje foram certificados pela Unicamp quase 34 mil professores. O programa é feito em duas etapas e tem duração de um ano e meio. Na primeira semana de atividades os tutores vão principalmente conhecer o material didático. De acordo com a coordenadora institucional do programa, Ana Lúcia Guedes Pinto, “os conteúdos na área de linguagem envolvem tanto o conhecimento específico da língua quanto a abordagem que entende a língua como prática social e da mesma forma ocorre com a matemática” O entendimento que a aprendizagem da matemática deve ocorrer de forma diferente é compartilhado pelo professor Samuel Rocha de Oliveira, do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (Imecc) da Unicamp, que também integra o programa. “Temos grandes expectativas que esse projeto vai mexer no ponto de partida, que é quando as crianças começam a aprender os conceitos. Esses anos iniciais são fundamentais para evitar preconceitos, barreiras que podem surgir na aprendizagem da matemática mais avançada depois. Com a dedicação dos professores acho que podemos chegar lá”, comenta. Para o pró-reitor de Graduação, Marcelo Knobel, a Unicamp participa do Pró-Letramento como mais uma frente de atuação que busca a melhoria do ensino público no país. Ele falou aos professores participantes sobre o Paais – Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social e o PROFIS - Programa de Formação Interdisciplinar Superior. “Temos aqui a Faculdade de 3
  • 4. Educação, o Instituto de Estudos da Linguagem e também o Imecc envolvidos, que são muito atuantes na formação dos professores. Dessa forma buscamos dar nossa contribuição”. http://www.unicamp.br/unicamp/divulgacao/2012/02/14/pro-letramento-reune- professores-do-ensino-fundamental-que-vao-ensinar-matemat 4
  • 5. ANEXO II 13/02/2012 Mª Lúcia 3. ESPAÇO E FORMA ATIVIDADES : em grupos de professores a) Organização espacial: construção de uma maquete utilizando caixas vazias de embalagens, recortes de papel, cola ,tesoura, lápis e régua. b) Escalas: redução e ampliação de figuras planas c) Sólidos geométricos :planificações Professoras Elenice (Macedônia),Rita (Praia Grande),Lucimar (Votuporanga) e Luciana (Tambaú) que formaram o primeiro grupo de estudos com a profª Maria Silvia (Vinhedo). “Vivenciar a Matemática para ensinar Matemática.” Profª Maria Lúcia “ Qual geometria ensinar às crianças? Como distribuir o conteúdo? O que fazer e como fazer? ” 5
  • 6. Essas e outras questões foram estudadas no encontro de tutores com a profª Maria Lúcia. “Unir-se é um bom começo ,manter a união é um progresso e trabalhar em conjunto é uma vitória.” Henry Ford CONCLUSÕES do encontro: 1.Trabalhar a geometria relecionando - a a outras áreas do conhecimento. 2.Valorizar o conhecimento de mundo que a criança já traz consigo. Trabalhar, inicialmente, com os símbolos que as crianças já têm ( bolas, cubos...) para depois introduzir os numerais e o vocabulário da Matemática. 3. Aliar, sempre que possível, a resolução de problemas, de forma abrangente, envolvendo o raciocínio lógico aos conteúdos da geometria. 4. Destacar a importância de se utilizar materiais manipulativos no ensino e aprendizagem da geometria. 5.Cabe ao professor conhecer os conteúdos e alíá- los aos seus métodos de ensino. O que fazer ? Como fazer ? São questões que devem estar presentes sempre que se queira relacionar conteúdos e métodos de ensino. 5. As atividades a serem propostas às crianças, como as atividades de percepção visual, somente serão eficazes se forem integradas a um programa consistente e levarem em consideração o desenvolvimento global das crianças. 6. Para cada atividade realizada, em grupos de alunos, por exemplo, sintetizar os pontos de destaque, os desafios, as dificuldades, as boas ideias, as sugestões, as propostas de inovações .Valorizar o trabalho e as contribuições de todos os participantes. 7.Durante o encontro pode-se ouvir e valorizar opiniões diversas que elementos do grupo tiveram sobre temas abordados no curso. 8.Houve, por parte da professora formadora, uma preocupação em levar os participantes a colocarem em prática suas ideias para, em seguida, leva-los a uma reflexão sobre essa mesma prática. 14/02/2012 Mª Inês 1.NÚMEROS Miriam NATURAIS ATIVIDADES: 1.Preparação do espaço para as aulas 2.Elaboração do roteiro de trabalho para o primeiro encontro com os professores cursistas. 3.Reunião dos tutores em grupos de estudos. 4.Designação do relator do grupo, uma vez que para cada encontro deveremos ter um relatório a ser enviado por e-mail à professora Sandra Meneses (UNICAMP). 6
  • 7. 5.Realização de trabalhos em grupos de participantes para a revisão de conceitos relativos a: - conceito de número - número e numeral - bases de contagem - uso do material dourado - uso do ábaco de haste - o SND (Sistema de Numeração Decimal) - a ordenação de números naturais - resolução de problemas Ao formar grupos, respeitar o perfil de cada aluno. O Sistema Decimal de Numeração e atividades de contagem O uso do ábaco de papel e do material dourado na organização dos valores dos algarismos no Sistema Decimal de Numeração. 7
  • 8. Os jogos como recursos didáticos na construção do conhecimento. CONCLUSÕES do encontro : 1.Na preparação dos conteúdos conceituais das aulas, lembrar-se dos conteúdos procedimentais e dos atitudinais. 2.Ao planejar o curso, respeitar os roteiros sugeridos nos sumários dos fascículos. 3.Ter em mente a formação integral do aluno: saber ser e saber fazer. 4.Analisar as atividades propostas e as realizadas sob três focos: - O olhar do aluno; - O olhar do professor e - O olhar do educador. 5. Lembrar-se que : Conceito é uma competência que requer habilidades para ser construída. 6. Após as atividades em grupos de alunos ,ou mesmo aquelas desenvolvidas individualmente ,propor a reflexão do assunto trabalhado e o modo como foi abordado durante a atividade. 15/02/2012 manhã Mª Inês 1.NÚMEROS NATURAIS ATIVIDADES : 1.O que vamos fazer? Como vamos fazer? 2.A reta numérica. 3.QVL (Quadro Valor de Lugar) para números naturais com centenas. 4.Forma polinomial de um número natural. 5.Ampliações dos campos numéricos. Relações de inclusão. 6.Relações de reversibilidade. 7. Uso de materiais manipulativos. 8. Jogos. 9. Bases de contagem 10. Resolução de problemas. 11.Referências bibliográficas. 8
  • 9. Uso de materiais manipulativos na resolução de problemas : barras cousinaire. Dominó para trabalhar os fatos básicos da adição e Material Dourado para desenvolver conceitos de adição e subtração . CONCLUSÕES do encontro: 1.Na preparação dos conteúdos conceituais das aulas, lembrar-se dos conteúdos procedimentais e dos atitudinais. 2.Ao planejar o curso, respeitar os roteiros sugeridos nos sumários dos fascículos. 3.Ter em mente a formação integral do aluno: saber ser e saber fazer. 4.Analisar as atividades propostas e as realizadas sob três focos: - O olhar do aluno; - O olhar do professor e - O olhar do educador. 5. Lembrar-se que : Conceito é uma competência que requer habilidades. 6. Após as atividades em grupos de alunos ,ou mesmo aquelas desenvolvidas individualmente ,propor a reflexão do assunto trabalhado e o modo como foi abordado durante a atividade. 9
  • 10. 15/02/2012 tarde Mª Lúcia 3.ESPAÇO E FORMA ATIVIDADES : 1.O que vamos fazer? Como vamos fazer? 2.Sólidos de revolução 3. Poliedros 4.Sólidos geométricos 5.A matemática como forma de expressão 6.Roteiro de trabalho individual 7.Representação de sólidos por meio de vistas 8.Trabalhando com figuras geométricas 9.Translação , rotação ,reflexão 10.Direção e sentido 11.Simetria 12.Paralelismo 13. Tangran 14.Referências bibliográficas. Os poliedros de Platão Prismas Direção e sentido TANGRAN e dobraduras CONCLUSÕES do encontro: 10
  • 11. 1.Na preparação das atividades a propor aos alunos em geometria lembrar que eles irão: manipular objetos ,construir e montar representações de sólidos geométricos ,planificas figuras espaciais ,classificar as figuras construídas e medí-las , entre outras ações. 2.A Geometria é usada pelo homem também como uma forma de expressão artística e social. 3.As atividades de geometria devem ser vinculadas a atividades diárias dos educandos. 16/02/2012 manhã Miriam 4.FRAÇÕES ATIVIDADES : 1.O que vamos fazer? Como vamos fazer? 2.O estudo das frações 3.Frações unitárias 4.Ideias básicas sobre frações: unidade, ordem equivalência 5. Um pouco de história ; de onde surgiram as frações? 6. Um enfoque do cotidiano às frações 7.Representações de frações: representações contínuas e representações discretas 8.Classificação de frações 9.Fração como unidade de medida 10.A importância da unidade de referência de medida 11.Modelos de partes fracionárias 12.Nomenclatura 13.Resolução de problemas com dados fracionários 14. Comparação de frações 15.Frações como ideia de medida e frações como ideia de divisão em partes iguais 16. Frações equivalentes 17.Referências bibliográficas. Figura 1 Figura 2 Fig 1 : o inteiro representado por dois hexágonos amarelos Fig 2 : o inteiro representado por um hexágono amarelo A atuação muitíssimo bem preparada da professora Miriam sobre frações foi destaque . 11
  • 12. CONCLUSÕES do encontro: 1.O uso de frações como dupla contagem (Terezinha Nunes, 1996) 2.As ideias básicas de frações: unidade, ordem e equivalência 3.O uso diário das frações, o conhecimento comum, o senso comum e o uso espontâneo das frações 4. As concepções referentes ao estudo de frações que o professor trás de suas experiências com o assunto 5.Três ideias básicas sobre frações : unidade, ordem (comparação ) e equivalência 6.Diferentes interpretações sobre frações : parte-todo, quociente, razão. 7.As representações diferenciadas sobre frações : discretas ou contínuas 8. A resolução de problemas com dados fracionários e a consideração da unidade de medida a que ele se refere. 9.A importância do uso do vocabulário adequado ao tratarmos de frações. 10.Frações como relações entre parte e todo. 11. Desenhos como instrumentos para comparar e concluir. 16/02/2012 tarde Mª Inês 2.OPERAÇÕES COM NÚMEROS NATURAIS ATIVIDADES: 1.O que é um algoritmo ? 2.O algoritmo da subtração 3. O uso de material dourado para adicionar e subtrair quantidades 4. A resolução de problemas envolvendo adição e subtração 5. As propriedades das operações com números naturais O uso do ábaco de papel e do ábaco de hastes na contagem e na adição de números naturais 12
  • 13. A resolução de problemas com números naturais através de figuras ilustrativas foi uma das propostas da professora Maria Inês. CONCLUSÕES do encontro: 1.Ao planejar propor atividades ,o professor tutor deverá se colocar nas três situações : a do aluno, a do professor e a do educador. 2.Em relação às Tis (Tarefas Individuais) : se possível, aplicá-las diretamente aos alunos, se não for o momento ,colocar-se frente à situação e, como professor realizar as tarefas. 3.O algoritmo da subtração só deverá ser apresentado aos alunos quando estes já dominarem com segurança os conceitos associados à subtração, o Sistema Decimal de Numeração, os fatos básicos da adição e o próprio algoritmo da adição. 4.Além dos conceitos , deve-se destacar ,através de atividades, as propriedades das operações com números naturais. 17/02/2012 manhã Miriam 4.FRAÇÕES ATIVIDADES: 1.Valores aproximados de somas de frações 2. O uso de frações no cálculo de áreas de figuras planas 3.A representação de frações na reta numérica 4.A equivalência entre frações e números decimais 5.Diferentes interpretações de frações : parte todo, quociente ,operador multiplicativo, significado de número, medida 6. O uso dos discos de frações 7. O uso do material Cousinaire para comparar frações 8. A soma de frações com denominadores diferentes. Professores atentos às explicações da professora Miriam. 13
  • 14. O uso do material Cousinaire para representação e comparação de frações A resolução de problemas com dados fracionários e o uso do material Cousinaire CONCLUSÕES do encontro : 1.O uso de materiais concretos manipulativos auxilia os educandos na compreensão dos conceitos de fração e nas relações entre parte e todo. 2.Durante o encontro ,houve uma discussão sobre o melhor método a ser aplicado na soma de frações de denominadores diferentes ,havendo uma forte tendência a se usar o conceito de frações equivalentes. CONCLUSÕES FINAIS: 1.As atividades de percepção espacial bem como as demais atividades somente serão eficazes se forem integradas a uma programação consistente e levarem em consideração o desenvolvimento global do educando. 2.Durante as atividades, oportunizar condições ,através da escolha de conteúdos e métodos, para que o educando construa o seu conhecimento. 3.Se possível, trabalhar com temas geradores e preparar muito bem as aulas a serem dadas. 4.Utilizar a estrutura dos fascículos como roteiro para a organização das aulas e dos seus registros. 5. Para cada atividade , lançar os desafios aos educando, acompanhá-los em suas realizações, validando ou não suas produções e incentivando-os a registrá-las de forma clara e precisa. 6. Incentivá- los também a exporem suas opiniões sobre as atividades propostas, numa avaliação crítica de todas elas. 14
  • 15. 7. Incluir formas de auto - avaliações aos educandos, incentivando-os também na realização desse tipo de atividade. Vinhedo, 12 de março de 2012 __________________________________________ MARIA SILVIA LEITE ZAMPIERI Professora Tutora de Matemática 15
  • 16. ANEXO III VINHEDO E O PRÓ-LETRAMENTO PROFESSORES INICIAM CAPACITAÇÕES EM MATEMÁTICA (1º/3/12)E ALFABETIZAÇÃO E LINGUAGEM (28/02/12) ATENDENDO AO PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DOS ANOS/SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL . 22 de Fevereiro de 2012 Professores da Rede Municipal de Ensino de Vinhedo participam de programa de Pró-Letramento na Unicamp Docentes participaram das primeiras atividades da qualificação, que enfoca as disciplinas de matemática e língua portuguesa; professores disseminarão o conteúdo junto aos profissionais que lecionam no ensino fundamental I O vice-prefeito e secretário municipal de Educação, Jaime Cruz, faz abertura da capacitação junto aos diretores e coordenadores das escolas municipais dos ensinos fundamental I e II, no dia 14 Duas professoras da Rede Municipal de Ensino, da Prefeitura de Vinhedo, participaram de 13 a 17 de fevereiro da primeira semana de atividades do programa de Pró-Letramento – Mobilização pela Qualidade da Educação, realizado pelo Ministério da Educação (MEC) em parceria com universidades que integram a Rede de Formação Continuada. Os encontros da última semana aconteceram na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O programa contempla a formação continuada de professores dos anos iniciais do ensino fundamental e é voltado à melhoria contínua da qualidade de aprendizagem na disciplina de matemática e nos aspectos de leitura e escrita, englobando os conteúdos na área de linguagem relacionados tanto ao conhecimento específico da língua quanto à abordagem que entende a língua como prática social. “É mais uma oportunidade de capacitação que provemos aos nossos profissionais para aperfeiçoar continuadamente e gradualmente seus conhecimentos, a fim de melhorarmos sempre a educação que oferecemos em nossas escolas municipais. Aqui em Vinhedo prezamos muito pela atualização dos professores e do conteúdo que é lecionado em sala de aula aos mais de dez mil estudantes matriculados na Rede Municipal de Ensino”, disse o prefeito de Vinhedo, Milton Serafim. De acordo com o vice-prefeito e secretário municipal de Educação, Jaime Cruz, a Rede Municipal de Ensino só tem a ganhar com mais este treinamento focado ao desenvolvimento das habilidades dos professores nas duas áreas de conhecimento. “Este programa, por exemplo, contribuirá ao processo de ensino-aprendizagem dos anos iniciais do fundamental, quando os alunos começam a aprender conceitos importantes de língua portuguesa e matemática, ou seja, a base para seu desenvolvimento durante toda a sua formação escolar”, explicou. Com a participação no programa, as duas docentes que lecionam no ensino fundamental I serão agora as tutoras e responsáveis por multiplicar os novos conhecimentos adquiridos durante a iniciativa aos demais profissionais atuantes na Rede Municipal de Ensino. Outras capacitações 16
  • 17. Na última semana, no dia 14, diretores e coordenadores das escolas municipais de ensino fundamental I e II participaram de um treinamento no Espaço do Saber, que fica ao lado do Centro de Educação Infantil (CEI) Sítio do Pica-pau Amarelo, no Jardim Alba. Na oportunidade, foram abordadas temáticas relacionadas ao desenvolvimento de competências, habilidades e sobre o aproveitamento da Prova Brasil, exame aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e direcionado a todas as escolas públicas com pelo menos 20 estudantes dos 5º e 9º anos dos ensinos fundamental I e II. Já no dia 16, professores de educação física da educação infantil, ensinos fundamental I e II e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) estiveram no mesmo local para organizarem as diferentes atividades que serão promovidas no decorrer deste ano letivo, dentro desta disciplina. http://vinhedo.sp.gov.br/noticia.php?id=4241 05 de Março de 2012 Professores da Rede Municipal de Ensino iniciam encontros de pró- letramento em Vinhedo Atividade será desenvolvida até o fim de agosto dentro do Programa de Formação Continuada de Professores dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, da Prefeitura de Vinhedo Encontro promovido nesta terça-feira, dia 6.,tratou de alfabetização e linguagem com a professora tutora ARATUZA GRIPP SANTOS. Teve início na terça-feira, 28 de fevereiro, a série de encontros do programa de Pró-Letramento – Mobilização pela Qualidade da Educação, adotado pela Prefeitura de Vinhedo neste ano e realizado pelo Ministério da Educação (MEC). O programa – que será desenvolvido até o fim de agosto junto aos professores dos anos iniciais do ensino fundamental I da Rede Municipal de Ensino – é voltado à melhoria contínua da qualidade de aprendizagem na disciplina de matemática e nos aspectos de leitura e escrita, englobando diferentes abordagens na área de linguagem. Segundo o vice-prefeito e secretário municipal de Educação, Jaime Cruz, o conteúdo do programa é ministrado aos professores com a contribuição de duas professoras formadoras da Rede Municipal de Ensino. Elas atualmente participam de um curso na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e serão responsáveis por multiplicar o conhecimento adquirido aos demais profissionais que integram o quadro de professores da Secretaria Municipal de Educação. “É importante que nossos profissionais participem de constantes qualificações, para que possam incrementar e atualizar seu conhecimento acadêmico e, consequentemente, contribuir à melhora gradual do ensino e das práticas didáticas que são ministradas em nossas escolas municipais. Sem dúvida, é mais uma forma de oferecer mais qualidade à educação dos estudantes matriculados na Rede Municipal de Ensino”, disse. Nesta terça-feira, dia 6, a capacitação foi promovida no Espaço do Saber – que fica bem ao lado do Centro de Educação Infantil (CEI) Sítio do Pica-pau Amarelo – e envolveu cerca de 20 docentes. Nesta oportunidade, os presentes abordaram a sistematização das capacidades mais relevantes a serem atingidas pelas crianças e jovens ao longo de seus três primeiros anos no ensino fundamental I. No encontro, os professores também trabalharam novas formas para contribuir ao processo de alfabetização, compreendendo os processos envolvidos na aquisição da escrita alfabética e de outras características necessárias aos alunos, para que os estudantes possam dominar cada vez mais os campos da leitura, da produção de textos escritos e a compreensão e a elaboração de textos orais, com base em situações que são corriqueiras em seu cotidiano. 17
  • 18. Ainda nesta data, os docentes também fizeram leituras compartilhadas e aprofundaram o seu estudo no entendimento e na valorização da cultura escrita e no desenvolvimento da oralidade de seus estudantes. “O desenvolvimento das capacidades linguísticas de ler e escrever, falar e ouvir com compreensão, em situações diferentes das familiares, não acontece espontaneamente e precisam ser ensinadas, sobretudo nos primeiros anos do ensino fundamental”, destacou uma das professoras responsáveis por multiplicar o conteúdo do programa na área de língua portuguesa, Aratuza Gripp Santos. Outras capacitações Nesta quarta-feira, dia 7, também serão retomadas as capacitações do programa “Ler e Escrever”, que visa ampliar a leitura e escrita dos estudantes para a formação de leitores e escritores competentes. O programa ainda prevê a realização de diversas atividades didáticas junto aos alunos nas disciplinas de língua portuguesa e matemática e é ofertado nas escolas municipais por meio de uma parceria firmada em 2010 entre a Prefeitura de Vinhedo e o governo estadual. Os encontros de capacitação também prosseguirão periodicamente durante todo o ano letivo, junto aos coordenadores pedagógicos das escolas e docentes do ensino fundamental I. http://vinhedo.sp.gov.br/noticia.php?id=4315 18
  • 19. ANEXO IV 1º DE MARÇO DE 2012 INÍCIO DAS CAPACITAÇÕES DE MATEMÁTICA COM A PROFESSORA TUTORA MARIA SILVIA LEITE ZAMPIERI CRONOGRAMA DE FORMAÇÃO I) LOCAL: Espaço do Saber Avenida Independência, nº ,Jardim Santa Rosa ,Vinhedo ,SP. II) HORÁRIO: Dia da semana: 5ª feira (19 encontros) e 2ª feira (2 encontros). Turma da manhã : das 7h30 às 11h30 Turma da noite : das 18h às 22h III) NÚMERO DE PARTICIPANTES: manhã : 13 professores noite : 24 professores IV) ATIVIDADES DO PROGRAMA E CARGA HORÁRIA PARA A FORMAÇÃO DE CURSISTAS: CARGA HORÁRIA FASE 84h Curso presencial com 21 encontros de 4 horas cada 66h Atividades à distância a serem realizadas ao longo dos curso: leituras/estudos/pesquisas TI s (Tarefas Individuais) 30h Trabalhos em portfólio ( digital ou físico) ao longo do curso por parte de cada fascículo Total 180h V) CRONOGRAMA DO CURSO: MÊS DIAS Março 1º,8,15,22 e 29 (5ª feira) Abril 5, 19,26 (5ªfeira) 9 (2ªfeira) Maio 3,10,17,24,31 (5ª feira) Junho 4 (2ª feira) 21,28 (5ª feira) Julho 5 (5ª feira) Agosto 2,16,23 (5ª feira) Encontro (caso haja necessidade de 31/agosto (5ª feira) reposição de algum encontro) 19
  • 20. VI) CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES PREVISTAS DE ACORDO COM O GUIA DO CURSO : Fascículo Atividades Duração Encontro Data Guia do curso 2h 1º 1º/3/12 1. Apresentação do fascículo 2h 1º 1º/3/12 Números Naturais 1. Números Página 7 a 11 4h 2º 8/3/12 Naturais Conclusões Relatório de memória do grupo de trabalho 1. Números Página 12 a 26 4h 3º 15/3/12 Naturais Roteiro do trabalho individual Parte 1: SND Parte 2: preparando para a adição e subtração 2.Operações Apresentação do fascículo,pag 6 1/2h 4º 22/3/12 com Pensando juntos 1/2h Números Roteiro de trabalho ,pag 7 a 9 2h Naturais Relatório de memória do grupo de 1h trabalho,pag 9 2.Operações Roteiro do trabalho individual 2h 5ª 29/3/12 com Parte 1:O algoritmo da subtração, 2h Números pag 10 a 13 Naturais 2.Operações Parte 2: a multiplicação e a divisão 4h 6º 05/4/12 com Números Naturais OBS1: PREENCHER RELATÓRIO 1º/3 a DAS ATIVIDADES DE 1º/3 A 06/4/12 06/4/12 3.Espaço e Apresentação do fascículo,pag 6 a 3h 7º 09/4/12 Forma 11 1h Relatório de memória do grupo de trabalho OBS 2: 2º ENCONTRO DE FORMAÇÃO 10 a DE PROFESSORES TUTORES 13/4/12 10 a 13/4/2012 3.Espaço e Roteiro do trabalho individual 1h 8º 19/4/12 Forma Partes 1,2 e 3 3h 4.Frações 4h 9º 26/4 4h 10º 03/5 4h 11º 10/5 20
  • 21. 5.Grandezas 4h 12º 17/5 e Medidas 4h 13º 24/5 4h 14º 31/5 6.Tratamento 4h 15º 04/6 da Informação OBS 3: 3º ENCONTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES TUTORES 12 a 15/6/2012 6.Tratamento 4h 16º 21/6 da Informação 7.Resolver 4h 17º 28/6 problemas :o 4h 18º 05/7 lado lúdico da Matemática 8. Avaliação 4h 19º 02/8 Da a prendizagem em Matemática nos anos iniciais OBS 4 4º ENCONTRO DE FORMAÇÃO 08 a DE PROFESSORES TUTORES 10/8/2012 08 a 10/8/2012 8. Avaliação 4h 20º 16/8 da 4h 21º 23/8 aprendizagem em Matemática nos anos iniciais Encontro Possível 30/8/12 (caso haja reposição necessidade de reposição de algum encontro) 21
  • 22. ANEXO V PAUTA DO 1º ENCONTRO 1º ENCONTRO (1º/03/2012) 1ª Parte Apresentação do(a) tutor(a). Apresentação dos professores cursistas. Apresentação do Programa Pró-Letramento: - guia do curso (livro do cursista) - sumário do livro do cursista (página 5) - explicações sobre o Programa Pró-Letramento (páginas 7 a 15): • O que é Pró-Letramento? • O que se pretende? • Por que formação continuada? • O Pró-Letramento em Matemática • O material didático • A dinâmica dos fascículos • Registrando seus estudos Carga horária do curso. Destaque sobre a importância da leitura antecipada dos conteúdos dos fascículos. A importância dos registros durante os encontros para compor os relatórios e os portfólios. O preenchimento de uma ficha individual do cursista. 2ª Parte : Leitura e comentários do texto “ Uma definição de felicidade”(páginas 16 e 17). Fascículo 1 – Números Naturais Apresentação do fascículo1 e da dinâmica dos trabalhos envolvendo cada fascículo do Programa Pró-Letramento (página 12 do guia). Escolha de um(a) redator(a) por encontro para o “caderno de bordo”. Com o apoio de todos, este(a) professor (a) ficará encarregado(a) de fazer anotações que contribuirão para a construção da memória do encontro. Instruções para o(a) redator(a) Avaliação crítica do encontro Auto - avaliação feita pelo grupo de trabalho. 3ª Parte : FASCÍCULO 1 Pensando juntos (página 7): - escolher um (a) relator (a). - sugestões : que os professores troquem experiências envolvendo: • As tarefas individuais do fascículo. • Os aspectos relacionados com suas aulas e com o uso das ideias do módulo. • Os aspectos da formação continuada: dúvidas metodológicas, operacionais ou conceituais. Trabalhando em grupo: - Texto para leitura (página 8). - O olhar dos alunos (página 9). - Ajudando seu aluno a conceituar números naturais (páginas 10 e 11). Roteiro do trabalho individual : preparação para o próximo encontro. Nossas conclusões - Incentivar o registro das discussões ocorridas em cada atividade sintetizando os pontos de destaque: - os desafios - as propostas de inovações - as dificuldades - as sugestões - as boas ideias - entre outras - Realizar uma avaliação crítica do encontro 22
  • 23. ANEXO VI PAUTA DO 2º ENCONTRO 2º Encontro (08/03/2012) “A educação é um processo social, é desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é a própria vida.” John Dewey 1ª PARTE: Leitura do relato do encontro anterior pela professora designada no encontro anterior. Comentários e complementações das professoras cursistas. 2ª PARTE: FASCÍCULO 1 =ROTEIRO DE TRABALHO DO DIA= Continuação da 2ª etapa • PÁG 8 – T2 : Correção e indicações para o registro/ relatório • PÁG 10 e 11 – leitura item 3 = AJUDANDO O SEU ALUNO A CONCEITUAR NÚMEROS NATURAIS - 3A - 3B - 3C : JOGO “ O MAIOR LEVA” • PÁG 11 – T6 3ª etapa :ROTEIRO DO TRABALHO INDIVIDUAL Parte 1 da 3ª etapa :SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL • PÁG 12 a 14 –Leitura da seção 1-O sistema de numeração decimal e a importância do zero. • TI 1 ( para casa) • TI 2 ( em grupos de cursistas em aula) • PÁG 16-Leitura da seção 3 – a ordenação dos números naturais • Vídeos : sistemas de numeração : coleção 1 e coleção 2. • TI 3 • PÁG 17- Leitura da seção 4 – a reta numérica • TI 4 • PÁG 17 e 18- Leitura da seção 5- As centenas • TI 5 • PÁG 17 e 18- Leitura da seção 6 – Outros recursos :MATERIAL DOURADO Q.V.L (Quadro Valor de Lugar) • TI 6, TI 7, TI 8 Parte 2 da 3ª etapa :PREPARANDO PARA A ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO • RESUMO • SEÇÃO 1 – Os conceitos de adição e subtração • Vídeo : Um amor de confusão • Atividades relativas ao vídeo Obs: TI 9 a TI 17 ( RESOLVER EM CASA) • PÁG 20 – TI9 • SEÇÃO 2 - AÇÕES ASSOCIADAS ÀS OPERAÇÕES ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO • PÁG 20 a 23 ADIÇÃO : JUNTAR TI 10 ACRESCENTAR TI 11 SUBTRAÇÃO : RETIRAR TI 12 COMPARAR TI 13 COMPLETAR TI 14 e TI 15 23
  • 24. SEÇÃO 3 –OS FATOS BÁSICOS E SEU APRENDIZADO • PÁG 24 e 25 – TI 16 e TI 17 • TAREFA 3ª PARTE: NÃO ESQUECER: Roteiro do trabalho individual : preparação para o próximo encontro. Nossas conclusões : - Incentivar o registro das discussões ocorridas em cada atividade sintetizando os pontos de destaque: - os desafios - as dificuldades - as boas ideias - as sugestões - as propostas de inovações - entre outras... - Realizar uma avaliação crítica do encontro 24
  • 25. ANEXO VII PAUTA DO 3º ENCONTRO 3º Encontro (15/03/2012) “A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria”. Paulo Freire 1ª PARTE: Leitura do relato do encontro anterior pela professora designada pelas professoras cursistas. Comentários e complementações das professoras cursistas. 2ª PARTE: FASCÍCULO 1 =ROTEIRO DE TRABALHO DO DIA= Parte 2 da 3ª etapa :PREPARANDO PARA A ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO • RESUMO • SEÇÃO 1 – Os conceitos de adição e subtração • Vídeo : Um amor de confusão • Atividades relativas ao vídeo • Recebimento das Tis 5 a 8 • PÁG 20 – TI9 • SEÇÃO 2 - AÇÕES ASSOCIADAS ÀS OPERAÇÕES ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO • PÁG 20 a 23 ADIÇÃO : JUNTAR TI 10 ACRESCENTAR TI 11 SUBTRAÇÃO : RETIRAR TI 12 COMPARAR TI 13 COMPLETAR TI 14 • TI 15 • SEÇÃO 3 –OS FATOS BÁSICOS E SEU APRENDIZADO • PÁG 24 e 25 – TI 16 e TI 17 3ª PARTE: NÃO ESQUECER: Roteiro do trabalho individual : preparação para o próximo encontro. Nossas conclusões : - Incentivar o registro das discussões ocorridas em cada atividade sintetizando os pontos de destaque: - os desafios - as dificuldades - as boas ideias - as sugestões - as propostas de inovações , entre outras - Realizar uma avaliação crítica do encontro . 25