SlideShare uma empresa Scribd logo
Alípio Vallim
Criação   Queda   Redenção   Consumação
Na parte espiritual o homem tinha um perfeito
 relacionamento      com     Deus.    Na     parte
 relacional, perfeito relacionamentos entre os
 homens, humanidade, natureza, criação. O
 aspecto físico é entendido que o homem foi
 criado para cuidar do jardim e o jardim criado
 para responder às necessidades do homem. O
 homem participava ativamente da criação. E a
 última parte, sabedoria, revela a perfeita ordem
 das coisas criadas por Deus. Sua Grandeza e
 Soberania.
   O outro conceito basilar da cosmovisão cristã é o conceito
    da queda. Ele nos ensina, com base no que nos diz o
    livro de Gênesis, que Deus criou os seres humanos com
    livre arbítrio, perfeitos, inocentes e puros e que fez com
    eles um pacto. Num determinado momento, os primeiros
    humanos desobedeceram a Deus e quebraram este
    pacto. Houve, então, uma queda daquele estado original
    de perfeição em que foram criados. Como consequência, o
    s            seres            humanos             separaram-
    se de Deus e passaram a experimentar a angústia, medo,
    vazio.               Eles              não                mais
    conseguem ver Deus ao seu redor. Eles passaram a experi
    mentar a morte                            (Augustus Nicodemos).
   Na parte espiritual o homem se separou de Deus. A
    comunhão foi rompida. O homem desviou-se. Na parte
    relacional, entrou a desconfiança e desentendimento
    mútuo. Na parte física o corpo foi afetado, doenças, dores,
    cansaço, distúrbios etc. Na parte sabedoria, o homem
    desobedeceu a ordem de Deus e perdeu o respeito pela
    criação e pela vida. Tornou-se tolo!
   “A queda explica o caos moral, espiritual, que existe neste
    mundo. Ao lado deste conceito, é preciso lembrar o
    amor de Deus. Apesar da desobediência, Deus não abando
    nou o ser humano à sua sorte: continuou
    sustentando a vida, dando coisas boas a todos. É isto que
    ainda torna a vida suportável”Augustus Nicodemos.
   Logo após a terrível queda do homem, Deus, na
    sua misericórdia e grandeza, manifestou a sua
    intenção de perseverar no seu plano em relação
    à criação por meio de um relacionamento
    especial com um povo escolhido. Deus resolveu
    investir nesse povo até que ele estivesse
    preparado para transmitir as suas intenções para
    todas as nações da terra. Nos livros seguintes da
    Bíblia acompanhamos a história do povo de
    Israel e a maneira pela qual Deus redimiu os seus
    propósitos no seu andar com eles.
                         [o reino entre nós, ultimato]
   Deus trabalha todas as suas intenções com o
    povo de Israel. Restaura a comunhão
    espiritual através de ofertas, leis e sacrifícios.
    Os relacionamentos devem se basear na lei
    máxima: Ame o seu próximo como a si
    mesmo. Enquanto a nação permanecesse nos
    caminhos       de     Deus       eles     teriam
    paz, saúde, prosperidade e chuva
    abundantemente. Deus concede ao homem
    mais uma chance. É o início da redenção.
    Maravilhosa Graça!
   Deus através de sua maravilhosa Graça, decide
    caminhar novamente com a humanidade caída.
    Ele escolhe a nação de Israel e ensina suas leis ao
    povo. Mesmo assim, a nação de Israel desviou-se
    das intenções de Deus. Mais uma vez, por sua
    graça ele levanta os profetas para proclamarem
    a mensagem do seu reino de justiça, paz, perdão
    e juízo. As intenções de Deus são manifestadas
    nas mensagens dos profetas.
   Deus é maravilhoso e perfeito. Ama o homem.
    Ama a sua criação. Em seu plano de
    redenção, Ele envia o seu próprio filho para nos
    resgatar, redimir e consumar a sua obra
    redentora. Através da morte e ressurreição de
    Cristo temos paz com Deus. Cristo redimiu todas
    as coisas para Deus. Todas as coisas, toda a
    criação. Como diz o Teólogo Abraham Kuyper:
    "Não Existe nem uma polegada quadrada no
    domínio total da existência humana sobre a qual
    Jesus Cristo, que é soberano sobre todos, não diga:
    Meu!"
   O Evangelho é a reconciliação de todas as
    coisas por meio do sacrifício de Cristo Jesus!
   O Evangelho é a boa notícia dessa redenção completa.
    Inclui a boa notícia de que Deus está nos reconciliando
    com Ele, mas se estende à realidade de que Deus está
    redimindo todas as coisas. Os relacionamentos entre os
    homens estão sendo redimidos. Os relacionamentos do
    homem com a terra, com o seu próprio corpo e com a
    natureza estão sendo redimidos. A sabedoria está sendo
    redimida. Todos os propósitos da criação de Deus serão
    cumpridos graças ao sacrifício de Jesus. Como
    Igreja, devemos proclamar o Evangelho da Redenção para
    o homem em todas as áreas da vida e da criação.
                                [o reino entre nós, ultimato]
   Como discípulos de Jesus, somos pessoas do
    evangelho. O cerne de nossa identidade é a
    nossa paixão pela boa nova bíblica da obra
    salvadora de Deus através de Jesus Cristo.
    Somos unidos por nossa experiência com a
    graça de Deus no evangelho e por nossa
    motivação de fazer o evangelho da graça
    conhecido nos confins da terra através de
    todos os meios possíveis (LAUSANNE III).
   Nós apelamos aos líderes da igreja, pastores e
    evangelistas que preguem e ensinem o evangelho
    bíblico na sua plenitude, como Paulo fez, na
    totalidade do seu escopo e da sua verdade cósmicos.
    Devemos apresentar o evangelho não apenas como
    uma oferta individual de salvação nem como uma
    solução às necessidades que seja melhor do que
    os outros deuses podem oferecer, mas como plano de
    Deus em Cristo para todo o universo. Às vezes, as
    pessoas vêm a Cristo para satisfazer determinada
    necessidade pessoal, mas permanecem com Cristo
    quando encontram nele a verdade. (LAUSANNE III).
JESUS




BOAS                REDENÇÃO
NOVAS                DE TUDO




        EVANGELHO
   O reino entre nós. ULTIMATO

   Pacto de LAUSANNE.

   http://www.mackenzie.br/22317.html

   http://www.lausanne.org

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
iaymesobrino
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.
RODRIGO FERREIRA
 
Ano Vocacional 2023.pptx
Ano Vocacional 2023.pptxAno Vocacional 2023.pptx
Ano Vocacional 2023.pptx
DELSOCORREIA
 
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito SantoLição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
Erberson Pinheiro
 
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Daniel Junior
 
treinamento-para-evangelismo.ppt
treinamento-para-evangelismo.ppttreinamento-para-evangelismo.ppt
treinamento-para-evangelismo.ppt
IzaelLcioDoAmaral
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Éder Tomé
 
Formação de catequistas
Formação de catequistasFormação de catequistas
Formação de catequistas
sheilajo
 
A Oração na Vida Cristã
A Oração na Vida CristãA Oração na Vida Cristã
Estudo bíblico sobre os apóstlos de cristo
Estudo bíblico sobre os apóstlos de cristoEstudo bíblico sobre os apóstlos de cristo
Estudo bíblico sobre os apóstlos de cristo
Sergio Silva
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
faculdadeteologica
 
COMO ENFRENTAR A OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS
COMO ENFRENTAR A OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUSCOMO ENFRENTAR A OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS
COMO ENFRENTAR A OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
Estudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoEstudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de João
RODRIGO FERREIRA
 
Símbolos do Espírito Santo
Símbolos do Espírito SantoSímbolos do Espírito Santo
Símbolos do Espírito Santo
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
A missa– parte por parte
A missa– parte por parteA missa– parte por parte
A missa– parte por parte
Jean
 
Lectio divina
Lectio divinaLectio divina
Lectio divina
Núccia Ortega
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
Romulo Roosemberg
 
Querigma e catequese
Querigma e catequeseQuerigma e catequese
Querigma e catequese
Francisco Rodrigues
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
Respirando Deus
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Christian Lepelletier
 

Mais procurados (20)

Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.
 
Ano Vocacional 2023.pptx
Ano Vocacional 2023.pptxAno Vocacional 2023.pptx
Ano Vocacional 2023.pptx
 
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito SantoLição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
 
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
 
treinamento-para-evangelismo.ppt
treinamento-para-evangelismo.ppttreinamento-para-evangelismo.ppt
treinamento-para-evangelismo.ppt
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
 
Formação de catequistas
Formação de catequistasFormação de catequistas
Formação de catequistas
 
A Oração na Vida Cristã
A Oração na Vida CristãA Oração na Vida Cristã
A Oração na Vida Cristã
 
Estudo bíblico sobre os apóstlos de cristo
Estudo bíblico sobre os apóstlos de cristoEstudo bíblico sobre os apóstlos de cristo
Estudo bíblico sobre os apóstlos de cristo
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
 
COMO ENFRENTAR A OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS
COMO ENFRENTAR A OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUSCOMO ENFRENTAR A OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS
COMO ENFRENTAR A OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS
 
Estudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoEstudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de João
 
Símbolos do Espírito Santo
Símbolos do Espírito SantoSímbolos do Espírito Santo
Símbolos do Espírito Santo
 
A missa– parte por parte
A missa– parte por parteA missa– parte por parte
A missa– parte por parte
 
Lectio divina
Lectio divinaLectio divina
Lectio divina
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
Querigma e catequese
Querigma e catequeseQuerigma e catequese
Querigma e catequese
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
 

Semelhante a O evangelho do reino de deus aula 02

Cat04
Cat04Cat04
Juízo Final e Nova Criação
Juízo Final e Nova CriaçãoJuízo Final e Nova Criação
Juízo Final e Nova Criação
Afonso Murad (FAJE)
 
Igreja
IgrejaIgreja
Igreja
JNR
 
Missões no Antigo Testamento
Missões no Antigo TestamentoMissões no Antigo Testamento
Missões no Antigo Testamento
Alberto Simonton
 
Biblia introducao-resumo
Biblia introducao-resumoBiblia introducao-resumo
Biblia introducao-resumo
Ricardo Neves
 
Cristologia07
Cristologia07Cristologia07
Cristologia07
cesar2006
 
6 .NISTO CREMOS crenças adventistas .pptx
6 .NISTO CREMOS crenças adventistas .pptx6 .NISTO CREMOS crenças adventistas .pptx
6 .NISTO CREMOS crenças adventistas .pptx
rafaeloliveiracv10
 
Comentário: Domingo da Trindade - Ano C
Comentário: Domingo da Trindade - Ano CComentário: Domingo da Trindade - Ano C
Comentário: Domingo da Trindade - Ano C
José Lima
 
SSMA. Trindade - Ano C
SSMA. Trindade - Ano CSSMA. Trindade - Ano C
SSMA. Trindade - Ano C
José Lima
 
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
Cristobal Avalos Rojas
 
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
Cristobal Avalos Rojas
 
Preparação para batismo
Preparação para batismoPreparação para batismo
Preparação para batismo
Luciane tonete
 
As fundações do_cristianismo[1]
As fundações do_cristianismo[1]As fundações do_cristianismo[1]
As fundações do_cristianismo[1]
ayrtonslides
 
Preparação para batismo
Preparação para batismoPreparação para batismo
Preparação para batismo
Luciane tonete
 
Reavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultadosReavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultados
iasdvilaveronica
 
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espíritaApresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
grupodepaisceb
 
Curso_Preparação_para_o_batismo
Curso_Preparação_para_o_batismo Curso_Preparação_para_o_batismo
Curso_Preparação_para_o_batismo
Presentepravoce SOS
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Missões A Prioridade de Deus.pdf
Missões A Prioridade de Deus.pdfMissões A Prioridade de Deus.pdf
Missões A Prioridade de Deus.pdf
albertomanancial
 
Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02
torrasko
 

Semelhante a O evangelho do reino de deus aula 02 (20)

Cat04
Cat04Cat04
Cat04
 
Juízo Final e Nova Criação
Juízo Final e Nova CriaçãoJuízo Final e Nova Criação
Juízo Final e Nova Criação
 
Igreja
IgrejaIgreja
Igreja
 
Missões no Antigo Testamento
Missões no Antigo TestamentoMissões no Antigo Testamento
Missões no Antigo Testamento
 
Biblia introducao-resumo
Biblia introducao-resumoBiblia introducao-resumo
Biblia introducao-resumo
 
Cristologia07
Cristologia07Cristologia07
Cristologia07
 
6 .NISTO CREMOS crenças adventistas .pptx
6 .NISTO CREMOS crenças adventistas .pptx6 .NISTO CREMOS crenças adventistas .pptx
6 .NISTO CREMOS crenças adventistas .pptx
 
Comentário: Domingo da Trindade - Ano C
Comentário: Domingo da Trindade - Ano CComentário: Domingo da Trindade - Ano C
Comentário: Domingo da Trindade - Ano C
 
SSMA. Trindade - Ano C
SSMA. Trindade - Ano CSSMA. Trindade - Ano C
SSMA. Trindade - Ano C
 
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
 
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
 
Preparação para batismo
Preparação para batismoPreparação para batismo
Preparação para batismo
 
As fundações do_cristianismo[1]
As fundações do_cristianismo[1]As fundações do_cristianismo[1]
As fundações do_cristianismo[1]
 
Preparação para batismo
Preparação para batismoPreparação para batismo
Preparação para batismo
 
Reavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultadosReavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultados
 
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espíritaApresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
 
Curso_Preparação_para_o_batismo
Curso_Preparação_para_o_batismo Curso_Preparação_para_o_batismo
Curso_Preparação_para_o_batismo
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 
Missões A Prioridade de Deus.pdf
Missões A Prioridade de Deus.pdfMissões A Prioridade de Deus.pdf
Missões A Prioridade de Deus.pdf
 
Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02
 

Mais de Alípio Vallim

Quem é seu pastor
Quem é seu pastorQuem é seu pastor
Quem é seu pastor
Alípio Vallim
 
Evangelismo aula 03
Evangelismo   aula 03Evangelismo   aula 03
Evangelismo aula 03
Alípio Vallim
 
O evangelho prostituído aula 01
O evangelho prostituído   aula 01O evangelho prostituído   aula 01
O evangelho prostituído aula 01
Alípio Vallim
 
Por que o brasil não decola em missões
Por que o brasil não decola em missõesPor que o brasil não decola em missões
Por que o brasil não decola em missões
Alípio Vallim
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
Alípio Vallim
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
Alípio Vallim
 
Fiéis até o fim
Fiéis até o fimFiéis até o fim
Fiéis até o fim
Alípio Vallim
 
A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral
Alípio Vallim
 
Pare o tráfico humano
Pare o tráfico humanoPare o tráfico humano
Pare o tráfico humano
Alípio Vallim
 

Mais de Alípio Vallim (9)

Quem é seu pastor
Quem é seu pastorQuem é seu pastor
Quem é seu pastor
 
Evangelismo aula 03
Evangelismo   aula 03Evangelismo   aula 03
Evangelismo aula 03
 
O evangelho prostituído aula 01
O evangelho prostituído   aula 01O evangelho prostituído   aula 01
O evangelho prostituído aula 01
 
Por que o brasil não decola em missões
Por que o brasil não decola em missõesPor que o brasil não decola em missões
Por que o brasil não decola em missões
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
 
Fiéis até o fim
Fiéis até o fimFiéis até o fim
Fiéis até o fim
 
A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral
 
Pare o tráfico humano
Pare o tráfico humanoPare o tráfico humano
Pare o tráfico humano
 

Último

Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 

O evangelho do reino de deus aula 02

  • 2. Criação Queda Redenção Consumação
  • 3.
  • 4. Na parte espiritual o homem tinha um perfeito relacionamento com Deus. Na parte relacional, perfeito relacionamentos entre os homens, humanidade, natureza, criação. O aspecto físico é entendido que o homem foi criado para cuidar do jardim e o jardim criado para responder às necessidades do homem. O homem participava ativamente da criação. E a última parte, sabedoria, revela a perfeita ordem das coisas criadas por Deus. Sua Grandeza e Soberania.
  • 5. O outro conceito basilar da cosmovisão cristã é o conceito da queda. Ele nos ensina, com base no que nos diz o livro de Gênesis, que Deus criou os seres humanos com livre arbítrio, perfeitos, inocentes e puros e que fez com eles um pacto. Num determinado momento, os primeiros humanos desobedeceram a Deus e quebraram este pacto. Houve, então, uma queda daquele estado original de perfeição em que foram criados. Como consequência, o s seres humanos separaram- se de Deus e passaram a experimentar a angústia, medo, vazio. Eles não mais conseguem ver Deus ao seu redor. Eles passaram a experi mentar a morte (Augustus Nicodemos).
  • 6.
  • 7. Na parte espiritual o homem se separou de Deus. A comunhão foi rompida. O homem desviou-se. Na parte relacional, entrou a desconfiança e desentendimento mútuo. Na parte física o corpo foi afetado, doenças, dores, cansaço, distúrbios etc. Na parte sabedoria, o homem desobedeceu a ordem de Deus e perdeu o respeito pela criação e pela vida. Tornou-se tolo!  “A queda explica o caos moral, espiritual, que existe neste mundo. Ao lado deste conceito, é preciso lembrar o amor de Deus. Apesar da desobediência, Deus não abando nou o ser humano à sua sorte: continuou sustentando a vida, dando coisas boas a todos. É isto que ainda torna a vida suportável”Augustus Nicodemos.
  • 8. Logo após a terrível queda do homem, Deus, na sua misericórdia e grandeza, manifestou a sua intenção de perseverar no seu plano em relação à criação por meio de um relacionamento especial com um povo escolhido. Deus resolveu investir nesse povo até que ele estivesse preparado para transmitir as suas intenções para todas as nações da terra. Nos livros seguintes da Bíblia acompanhamos a história do povo de Israel e a maneira pela qual Deus redimiu os seus propósitos no seu andar com eles. [o reino entre nós, ultimato]
  • 9.
  • 10. Deus trabalha todas as suas intenções com o povo de Israel. Restaura a comunhão espiritual através de ofertas, leis e sacrifícios. Os relacionamentos devem se basear na lei máxima: Ame o seu próximo como a si mesmo. Enquanto a nação permanecesse nos caminhos de Deus eles teriam paz, saúde, prosperidade e chuva abundantemente. Deus concede ao homem mais uma chance. É o início da redenção. Maravilhosa Graça!
  • 11.
  • 12. Deus através de sua maravilhosa Graça, decide caminhar novamente com a humanidade caída. Ele escolhe a nação de Israel e ensina suas leis ao povo. Mesmo assim, a nação de Israel desviou-se das intenções de Deus. Mais uma vez, por sua graça ele levanta os profetas para proclamarem a mensagem do seu reino de justiça, paz, perdão e juízo. As intenções de Deus são manifestadas nas mensagens dos profetas.
  • 13.
  • 14. Deus é maravilhoso e perfeito. Ama o homem. Ama a sua criação. Em seu plano de redenção, Ele envia o seu próprio filho para nos resgatar, redimir e consumar a sua obra redentora. Através da morte e ressurreição de Cristo temos paz com Deus. Cristo redimiu todas as coisas para Deus. Todas as coisas, toda a criação. Como diz o Teólogo Abraham Kuyper: "Não Existe nem uma polegada quadrada no domínio total da existência humana sobre a qual Jesus Cristo, que é soberano sobre todos, não diga: Meu!"
  • 15.
  • 16.
  • 17. O Evangelho é a reconciliação de todas as coisas por meio do sacrifício de Cristo Jesus!
  • 18. O Evangelho é a boa notícia dessa redenção completa. Inclui a boa notícia de que Deus está nos reconciliando com Ele, mas se estende à realidade de que Deus está redimindo todas as coisas. Os relacionamentos entre os homens estão sendo redimidos. Os relacionamentos do homem com a terra, com o seu próprio corpo e com a natureza estão sendo redimidos. A sabedoria está sendo redimida. Todos os propósitos da criação de Deus serão cumpridos graças ao sacrifício de Jesus. Como Igreja, devemos proclamar o Evangelho da Redenção para o homem em todas as áreas da vida e da criação. [o reino entre nós, ultimato]
  • 19. Como discípulos de Jesus, somos pessoas do evangelho. O cerne de nossa identidade é a nossa paixão pela boa nova bíblica da obra salvadora de Deus através de Jesus Cristo. Somos unidos por nossa experiência com a graça de Deus no evangelho e por nossa motivação de fazer o evangelho da graça conhecido nos confins da terra através de todos os meios possíveis (LAUSANNE III).
  • 20. Nós apelamos aos líderes da igreja, pastores e evangelistas que preguem e ensinem o evangelho bíblico na sua plenitude, como Paulo fez, na totalidade do seu escopo e da sua verdade cósmicos. Devemos apresentar o evangelho não apenas como uma oferta individual de salvação nem como uma solução às necessidades que seja melhor do que os outros deuses podem oferecer, mas como plano de Deus em Cristo para todo o universo. Às vezes, as pessoas vêm a Cristo para satisfazer determinada necessidade pessoal, mas permanecem com Cristo quando encontram nele a verdade. (LAUSANNE III).
  • 21. JESUS BOAS REDENÇÃO NOVAS DE TUDO EVANGELHO
  • 22. O reino entre nós. ULTIMATO  Pacto de LAUSANNE.  http://www.mackenzie.br/22317.html  http://www.lausanne.org