SlideShare uma empresa Scribd logo
 E também todos os que piamente querem viver em
 Cristo Jesus padecerão perseguições (2Tm 3,12 ARC).

 Ora, todos quantos querem viver piedosamente em
 Cristo Jesus serão perseguidos (2Tm 3,12 ARA).

 Todos os que querem viver a vida cristã unidos com
 Cristo Jesus serão perseguidos (2Tm 3,12 NTLH).

 De fato, todos os que desejam viver piedosamente em
 Cristo Jesus serão perseguidos (2Tm 3,12 NVI).
 A palavra “perseguição” vem do latim, per, “através”, e
  sequi, “seguir”, que dá a ideia de algo que nos segue
  opressivamente, correndo atrás de nós, alguma severa
  ou sistemática opressão, que na maioria das vezes
  causa a morte do perseguido.
 A Igreja sempre foi alvo de perseguições no decorrer de
  sua história. Desde o Antigo Testamento aos dias de
  hoje é incontável o número de cristãos que sofreram o
  martírio. Nessa reflexão, tentaremos brevemente expor
  e relembrar alguns deles, que mesmo em meio as mais
  severas crueldades não negaram a sua fé. São exemplos
  de homens e mulheres que foram fieis até o fim.
 O próprio Cristo disse em Mateus 23.37 sobre as perseguições que
    aconteceram no antigo testamento. Os religiosos de Jerusalém foram os
    responsáveis pelas mortes dos profetas de Israel: Jerusalém, Jerusalém,
    que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados!

    Podemos considerar Abel como o primeiro exemplo dos santos de
    Deus perseguidos no antigo testamento. Ele foi morto pelo próprio
    irmão. Após o assassinato, o Senhor diz a Caim: Que fizeste? A voz do
    sangue do teu irmão está clamando a mim desde a terra (Cf. Gn 4.1-10).

 José também foi perseguido pelos seus irmãos, que estavam sendo
    motivados por inveja, orgulho e cíumes. Mas, pela graça de Deus, esse
    mal se tornou em triunfo para o jovem José (Gn 37-50).

 O povo de Israel foi perseguido pelo Egito e viveu durante anos como
    escravos dessa nação, até que por fim Deus enviou o libertador (Leia o
    livro de Êxodo).
NOME                 TEXTO                LOCAL         RESULTADO DA
                                                             PERSEGUIÇÃO

      DAVI              I SAMUEL            ISRAEL E JUDÁ   FUGA CONSTANTE


     ELIAS          I REIS 17 – II REIS 2      ISRAEL         FUGA, MEDO,
                                                            CRISE, DESESPERO

    MICAÍAS              I REIS 22             ISRAEL            PRISÃO


     ISAÍAS            ISAÍAS E                 JUDÁ        Segundo a tradição
                     HEBREUS 11.37                          ELE FOI SERRADO
                                                                AO MEIO
    JEREMIAS         LAMENTAÇÕES             BABILÔNIA      MUITAS AFLIÇÕES,
                                                            AÇOITES, PRISÃO

    OBADIAS             I REIS 18.4            ISRAEL        ESCONDEU 100
                                                             PROFETAS DE
                                                                JEZABEL
HANANIAS,AZARIAS,        DANIEL              BABILÔNIA      FORNALHA E COVA
 MISAEL, DANIEL                                                DE LEÕES
 Jesus foi duramente perseguido pelos líderes religiosos de Israel e
  pelas autoridades romanas. Ambos participaram ativamente de
  sua execução;

 Os discípulos foram perseguidos pelos judeus e depois pelos
  imperadores romanos. A Igreja enfrentou, o que o historiador
  Latourette chama de “avanço em meio à tempestade”.

 O Novo Testamento não só apresenta a Igreja como sofredora
  como também desenvolve uma Teologia da perseguição. Jesus e
  os apóstolos afirmaram que teremos perseguições, seremos
  atribulados, e talvez, teremos de provar nossa fé através da
  morte! O Evangelho que Jesus nos ensinou é o evangelho da cruz!
 Bem – aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino
  dos Céus. Bem – aventurados serão vocês quando, por minha causa os
  insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês.
  Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus,
  pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês
  (Mt 5.10-12);
 Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os
  perseguem (Mt 5.44);
 Lembrem-se das palavras que eu lhes disse: nenhum escravo é maior do que
  o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram
  à     minha      palavra,    também    obedecerão     à     de     vocês.
  (João 15:20);
 Vocês serão expulsos das sinagogas; de fato, virá o tempo quando quem os
  matar      pensará     que     está    prestando     culto     a    Deus.
  (João 16:2);
 Todavia, visto que não tem raiz em si mesmas, permanecem por pouco
  tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da
  palavra, logo a abandonam (Marcos 4.17);
 Assim vocês dão testemunho de que aprovam o que os seus
  antepassados fizeram. Eles mataram os profetas, e vocês lhes edificam
  os túmulos (Lucas 11:48);
 Mas antes de tudo isso, prenderão e perseguirão vocês. Então os
  entregarão às sinagogas e prisões, e vocês serão levados à presença de
  reis e governadores, tudo por causa do meu nome. Será para vocês uma
  oportunidade de dar testemunho (Lucas 21.12,13);
 Não tenha medo do que você está prestes a sofrer. Saibam que o diabo
  lançará alguns de vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão
  perseguição durante dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa
  da vida (Apocalipse 2:10).
 Imediatamente após o Pentecostes (Atos 2), a Igreja
  passou por um teste de fogo. Sofrendo perseguições
  dos líderes religiosos e em seguida dos romanos.
 Os Apóstolos de Cristo, demonstraram coragem, fé,
  perseverança e alegria em meio às provações sofridas.
  As lições ensinadas por Jesus foram cumpridas à risca e
  nenhum apóstolo abandonou a fé ou fraquejou.
 Segundo Marshall, a palavra ‘perseguição’ em atos
  significa: oprimir alguém a fim de persuadí-lo a rejeitar
  a sua religião, ou simplesmente atacar alguém por
  motivos religiosos.
NOME            FUNÇÃO         LOCAL E DATA             MORTE

   ESTEVÃO, O       DIÁCONO        ISRAEL, 35 d.C.      APEDREJADO (ATOS
PRIMEIRO MÁRTIR                                              7.54-60)



TIAGO, IRMÃO DE     APÓSTOLO        ISRAEL, 44 d.c.      DECAPITADO
     JOÃO                                                 (ATOS 12.2)


    FILIPE          APÓSTOLO        HELIÓPOLIS,         CRUCIFICADO
                                    FRÍGIA. 54 d.c.

   MATEUS           APÓSTOLO       ETIÓPIA, 60 d.C.      ASSASSINADO

TIAGO, IRMÃO DE      AUTOR DA     JERUSÁLEM, ANTES       FOI ESPANCADO,
                                                       APEDREJADO E TEVE O
     JESUS         EPÍSTOLA QUE       DE 70 d.C.        CRÂNIO QUEBRADO
                  LEVA SEU NOME

    MATIAS          APÓSTOLO         JERUSÁLEM           APEDREJADO

ANDRÉ, IRMÃO DE     APÓSTOLO        EDESA, ÁSIA        PRESO E CRUCIFICADO
    PEDRO

   MARCOS          EVANGELISTA    ALEXANDRIA, 62 d.C     ARRASTADO
NOME            FUNÇÃO             LOCAL E DATA                MORTE

   PEDRO          APÓSTOLO           ROMA, SOB NERO            CRUCIFICADO

   PAULO          APÓSTOLO           ROMA, SOB NERO            DECAPITADO


JUDAS (TADEU)   AUTOR DA EPÍSTOLA   EDESA, ÁSIA EM 72 d.C.     CRUCIFICADO
                QUE LEVA SEU NOME



BARTOLOMEU        APÓSTOLO                 ÍNDIA                  ACOITADO,
                                                                 CRUCIFICADO



   TOMÉ           APÓSTOLO                 ÍNDIA             ATRAVESSADO POR UMA
                                                                    LANÇA



   LUCAS         EVANGELISTA              GRÉCIA              PENDURADO EM UMA
                                                                  OLIVEIRA



SIMÃO, ZELOTE     APÓSTOLO          GRÃ-BRETANHA, 74 d.C.      CRUCIFICADO

    JOÃO          APÓSTOLO                 ROMA              MORTE NATURAL
 O fato de maior destaque na história da Igreja nos
 séculos II e III foi, sem dúvida, a perseguição ao
 Cristianismo pelos imperadores romanos. Apesar de a
 perseguição não ter sido contínua, repetia-se, por
 vezes, durante anos seguidos. Mesmo quando havia
 paz, a perseguição podia recomeçar a qualquer
 momento, cada vez mais violenta. A perseguição no
 século IV durou até o ano 313, quando o Edito de
 Constantino, o primeiro imperador cristão, fez cessar
 todos os propósitos de destruir a Igreja.
                  Jesse Lyman, Instituto Bíblico de Newark
1. Perseguição sob Nero (64-68 d.C.);
2.    Perseguição sob Domiciano (81 d.C.);
3.    Perseguição sob Trajano (108 d.C.);
4.    Perseguição sob Marco Aurélio (162 d.C.);
5.    Perseguição sob Severo (192 d.C.);
6.    Perseguição sob Maximino (235 d.C.);
7.    Perseguição sob Décio (249 d.C.);
8.    Perseguição sob Valeriano (257 d.C.);
9.    Perseguição sob Aureliano (274 d.C.);
10.   Perseguição sob Diocleciano(303 d.C.);
 “Cobertos  com peles de bestas os
 cristãos eram rasgados por cães e
 pereciam. Ou eram pregados a cruzes
 ou consumidos por chamas para
 servirem como iluminação noturna nos
 jardins de Nero”


                        Historiador Tácito
 Policarpo,  nascido por
 volta de 69, foi bispo da
 cidade de Esmirna. Aos 86
 anos foi preso e obrigado a
 negar sua fé. Ao que ele
 respondeu: Durante 86 anos
 eu tenho servido Cristo, e ele
 nunca me fez nada de
 mal.Como       posso     então
 blasfemar contra meu Rei, que
 me salvou? Eu sou um crente!
 Perpétua tinha 22 anos, casada.
  Felicidade era sua escrava,
  também casada e estava grávida.
  Ela deu à luz na prisão. Foram
  Martirizadas em Março de 205 d.C.
  Foram despidas, lançadas a um
  touro bravo e depois decapitadas
  pelo carrasco.
 Quando     o    governador
 Licínio, grande inimigo dos
 cristãos, apresentou uma
 lei dizendo que todos os que
 não oferecessem sacrifícios
 aos deuses seriam punidos
 com a morte. Uma legião
 inteira de soldados se
 apresentou diante dele.
 Foram lançados em um
 enorme tanque frio e
 morreram congelados.
Acácio, Aécio, Alexandre,
   Angias, Atanásio, Caio,
 Cândido, Chúdio, Cláudio,
 Cirilo, Domiciano, Domno,
 Edélcion, Euvico, Eutichio,
  Flávio, Gorgônio, Heliano,
 Helias, Heráclio, Hesichio,
   João, Bibiano, Leôncio,
 Lisimacho, Militão, Nicolau,
 Filoctimão, Prisco, Quirião,
Sacerdão, Severiano, Sisínio,
Smaragdo, Teódulo, Teófilo,
 Valente, Valério, Vibiano e
           Xanteas.
 Os cristãos que abraçavam o martírio não o faziam por
 impulsos, desejos ou convicções humanas, mas pela
 vontade e permissão divina que concede ao fiel a força
 e a coragem necessária para suportar as mais terríveis
 provações em defesa da fé por Jesus Cristo.

 As perseguições produziram uma Igreja pura, pois
 conservava afastados todos aqueles que não eram
 sinceros em sua opção de fé. Ninguém se associava a
 Igreja para obter lucros, popularidade, fama, riquezas e
 prosperidade. Mas somente aqueles que amavam Jesus
 e estavam dispostos a serem fiéis até o fim. Até a
 morte. E se tornavam então, publicamente, seguidores
 de Cristo.
 Sempre nos lembramos das perseguições enfrentadas
 por nossos irmãos nos primeiros séculos da Igreja.
 Entretanto, os dados afirmam que atualmente as
 perseguições sofridas pelos cristãos ultrapassam em
 muito as que ocorreram no passado.

 De acordo com a organização Portas Abertas: mais
 cristãos foram torturados e mortos nesse século do que
 em toda a história .
 Mais de 2 milhões de cristãos sofrem intensa
    perseguição nesse momento;
   Cerca de 250 milhões de cristãos sofrem algum tipo de
    perseguição nesse momento;
   45 milhões de cristãos foram mortos somente no
    século XX e nos últimos 10 anos;
   1 cristão é assassinado a cada 5 minutos;
   De 10 perseguidos em países islâmicos 7 são cristãos;
   Desde 1945 10 milhões de cristãos emigraram por conta
    das perseguições;
   1 em cada 3 cristão sofre perseguição;
 Cesaréia, Eusébio.História Eclesiástica. CPAD.
 O livro dos mártires. CPAD.
 Os mártires do coliseu. CPAD.
 Cristãos Secretos. Mundo Cristão.
 O Cristianismo através dos Séculos. Vida Nova.
 DVD – Espelho dos mártires
 DVD – Quo Vadis?
 DVD – Impérios de Pedra – Coliseu
 DVD – Bambus no Inverno
 DVD – As listras da Zebra
 www.portasabertas.org.br
 www.avozdosmartires.com.br
Fiéis até o fim

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Eade i-ii-8-o-cristianismo-os-discípulos-de-jesus
Eade i-ii-8-o-cristianismo-os-discípulos-de-jesusEade i-ii-8-o-cristianismo-os-discípulos-de-jesus
Eade i-ii-8-o-cristianismo-os-discípulos-de-jesus
JoyAlbanez
 
T200 os doze discípulos 23.05.13
T200 os doze discípulos 23.05.13T200 os doze discípulos 23.05.13
T200 os doze discípulos 23.05.13
GersonPrates
 
27 marcos
27 marcos27 marcos
27 marcos
PIB Penha
 
28 lucas
28 lucas28 lucas
28 lucas
PIB Penha
 
26 mateus
26  mateus26  mateus
26 mateus
PIB Penha
 
29 joão
29 joão29 joão
29 joão
PIB Penha
 
Paulo vida e_obra
Paulo vida e_obraPaulo vida e_obra
Paulo vida e_obra
ricardosantista
 
44 1, 2 e 3 joão
44  1, 2 e 3 joão44  1, 2 e 3 joão
44 1, 2 e 3 joão
PIB Penha
 
37 1 e 2 tessalonicenses
37  1 e 2 tessalonicenses37  1 e 2 tessalonicenses
37 1 e 2 tessalonicenses
PIB Penha
 
40 hebreus
40 hebreus40 hebreus
40 hebreus
PIB Penha
 
42 1 pedro
42 1 pedro42 1 pedro
42 1 pedro
PIB Penha
 
A Conversão de Paulo
A Conversão de PauloA Conversão de Paulo
45 apocalipse
45 apocalipse45 apocalipse
45 apocalipse
PIB Penha
 
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
PIB Penha
 
36 colossenses
36 colossenses36 colossenses
36 colossenses
PIB Penha
 
João batista, um profeta corajoso
João batista, um profeta corajosoJoão batista, um profeta corajoso
João batista, um profeta corajoso
Tiago Silveira
 
Eade i-ii-7-o-cristianismo-fenômenos-psíquicos-no-evangelho (1)
Eade i-ii-7-o-cristianismo-fenômenos-psíquicos-no-evangelho (1)Eade i-ii-7-o-cristianismo-fenômenos-psíquicos-no-evangelho (1)
Eade i-ii-7-o-cristianismo-fenômenos-psíquicos-no-evangelho (1)
JoyAlbanez
 
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismoEade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
JoyAlbanez
 
Paulo De Tarso
Paulo De TarsoPaulo De Tarso
Paulo De Tarso
Francisco Lacerda
 
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADEEstêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 

Mais procurados (20)

Eade i-ii-8-o-cristianismo-os-discípulos-de-jesus
Eade i-ii-8-o-cristianismo-os-discípulos-de-jesusEade i-ii-8-o-cristianismo-os-discípulos-de-jesus
Eade i-ii-8-o-cristianismo-os-discípulos-de-jesus
 
T200 os doze discípulos 23.05.13
T200 os doze discípulos 23.05.13T200 os doze discípulos 23.05.13
T200 os doze discípulos 23.05.13
 
27 marcos
27 marcos27 marcos
27 marcos
 
28 lucas
28 lucas28 lucas
28 lucas
 
26 mateus
26  mateus26  mateus
26 mateus
 
29 joão
29 joão29 joão
29 joão
 
Paulo vida e_obra
Paulo vida e_obraPaulo vida e_obra
Paulo vida e_obra
 
44 1, 2 e 3 joão
44  1, 2 e 3 joão44  1, 2 e 3 joão
44 1, 2 e 3 joão
 
37 1 e 2 tessalonicenses
37  1 e 2 tessalonicenses37  1 e 2 tessalonicenses
37 1 e 2 tessalonicenses
 
40 hebreus
40 hebreus40 hebreus
40 hebreus
 
42 1 pedro
42 1 pedro42 1 pedro
42 1 pedro
 
A Conversão de Paulo
A Conversão de PauloA Conversão de Paulo
A Conversão de Paulo
 
45 apocalipse
45 apocalipse45 apocalipse
45 apocalipse
 
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
 
36 colossenses
36 colossenses36 colossenses
36 colossenses
 
João batista, um profeta corajoso
João batista, um profeta corajosoJoão batista, um profeta corajoso
João batista, um profeta corajoso
 
Eade i-ii-7-o-cristianismo-fenômenos-psíquicos-no-evangelho (1)
Eade i-ii-7-o-cristianismo-fenômenos-psíquicos-no-evangelho (1)Eade i-ii-7-o-cristianismo-fenômenos-psíquicos-no-evangelho (1)
Eade i-ii-7-o-cristianismo-fenômenos-psíquicos-no-evangelho (1)
 
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismoEade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
 
Paulo De Tarso
Paulo De TarsoPaulo De Tarso
Paulo De Tarso
 
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADEEstêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
 

Semelhante a Fiéis até o fim

A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
Filipe
 
BIBLIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
BIBLIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)BIBLIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
BIBLIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Confiabilidade Bíblica
Confiabilidade BíblicaConfiabilidade Bíblica
Confiabilidade Bíblica
guest665361
 
Seminário sobre a história da igreja. parte 2 os mártires da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 2   os mártires da igrejaSeminário sobre a história da igreja. parte 2   os mártires da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 2 os mártires da igreja
Robson Rocha
 
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Helio Cruz
 
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Helio Cruz
 
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Adriano Pascoa
 
Farisaismo
FarisaismoFarisaismo
Farisaismo
Marquinhos Souza
 
2 isaias
2    isaias2    isaias
2 isaias
PIB Penha
 
AUTORIDADE DAS TREVAS, CONHECENDO O INIMIGO
AUTORIDADE DAS TREVAS, CONHECENDO O INIMIGOAUTORIDADE DAS TREVAS, CONHECENDO O INIMIGO
AUTORIDADE DAS TREVAS, CONHECENDO O INIMIGO
WilliamSSAlencar
 
Mais cedo -O anti-cristo _Mais Cedo_ DR PEDROSA
 Mais cedo -O anti-cristo _Mais Cedo_ DR PEDROSA Mais cedo -O anti-cristo _Mais Cedo_ DR PEDROSA
Mais cedo -O anti-cristo _Mais Cedo_ DR PEDROSA
ELIAS OMEGA
 
Escatologia
Escatologia  Escatologia
Escatologia
Jose Ventura
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
PIB Penha
 
Esmirna a igreja coroada
Esmirna a igreja coroadaEsmirna a igreja coroada
Esmirna a igreja coroada
AD Jardim Corisco
 
A Bíblia
A BíbliaA Bíblia
IBADEP BÁSICO - HERESIOLOGIA - CAPITULO 4.pptx
IBADEP BÁSICO - HERESIOLOGIA - CAPITULO 4.pptxIBADEP BÁSICO - HERESIOLOGIA - CAPITULO 4.pptx
IBADEP BÁSICO - HERESIOLOGIA - CAPITULO 4.pptx
Rubens Sohn
 
Porque Cristo Morreu?
Porque Cristo Morreu?Porque Cristo Morreu?
Porque Cristo Morreu?
Ricardo Gondim
 
História Eclesiástica
História EclesiásticaHistória Eclesiástica
História Eclesiástica
Marco Sousa
 
Provas extra bíblicas da existência de Jesus Cristo
Provas extra bíblicas da existência de Jesus CristoProvas extra bíblicas da existência de Jesus Cristo
Provas extra bíblicas da existência de Jesus Cristo
Eder L. Souza
 

Semelhante a Fiéis até o fim (20)

A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
 
BIBLIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
BIBLIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)BIBLIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
BIBLIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
 
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
 
Confiabilidade Bíblica
Confiabilidade BíblicaConfiabilidade Bíblica
Confiabilidade Bíblica
 
Seminário sobre a história da igreja. parte 2 os mártires da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 2   os mártires da igrejaSeminário sobre a história da igreja. parte 2   os mártires da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 2 os mártires da igreja
 
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
 
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
Livro curso de aprendizes do evangelho (1)
 
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
 
Farisaismo
FarisaismoFarisaismo
Farisaismo
 
2 isaias
2    isaias2    isaias
2 isaias
 
AUTORIDADE DAS TREVAS, CONHECENDO O INIMIGO
AUTORIDADE DAS TREVAS, CONHECENDO O INIMIGOAUTORIDADE DAS TREVAS, CONHECENDO O INIMIGO
AUTORIDADE DAS TREVAS, CONHECENDO O INIMIGO
 
Mais cedo -O anti-cristo _Mais Cedo_ DR PEDROSA
 Mais cedo -O anti-cristo _Mais Cedo_ DR PEDROSA Mais cedo -O anti-cristo _Mais Cedo_ DR PEDROSA
Mais cedo -O anti-cristo _Mais Cedo_ DR PEDROSA
 
Escatologia
Escatologia  Escatologia
Escatologia
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
 
Esmirna a igreja coroada
Esmirna a igreja coroadaEsmirna a igreja coroada
Esmirna a igreja coroada
 
A Bíblia
A BíbliaA Bíblia
A Bíblia
 
IBADEP BÁSICO - HERESIOLOGIA - CAPITULO 4.pptx
IBADEP BÁSICO - HERESIOLOGIA - CAPITULO 4.pptxIBADEP BÁSICO - HERESIOLOGIA - CAPITULO 4.pptx
IBADEP BÁSICO - HERESIOLOGIA - CAPITULO 4.pptx
 
Porque Cristo Morreu?
Porque Cristo Morreu?Porque Cristo Morreu?
Porque Cristo Morreu?
 
História Eclesiástica
História EclesiásticaHistória Eclesiástica
História Eclesiástica
 
Provas extra bíblicas da existência de Jesus Cristo
Provas extra bíblicas da existência de Jesus CristoProvas extra bíblicas da existência de Jesus Cristo
Provas extra bíblicas da existência de Jesus Cristo
 

Mais de Alípio Vallim

Quem é seu pastor
Quem é seu pastorQuem é seu pastor
Quem é seu pastor
Alípio Vallim
 
Evangelismo aula 03
Evangelismo   aula 03Evangelismo   aula 03
Evangelismo aula 03
Alípio Vallim
 
O evangelho do reino de deus aula 02
O evangelho do reino de deus   aula 02O evangelho do reino de deus   aula 02
O evangelho do reino de deus aula 02
Alípio Vallim
 
O evangelho prostituído aula 01
O evangelho prostituído   aula 01O evangelho prostituído   aula 01
O evangelho prostituído aula 01
Alípio Vallim
 
Por que o brasil não decola em missões
Por que o brasil não decola em missõesPor que o brasil não decola em missões
Por que o brasil não decola em missões
Alípio Vallim
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
Alípio Vallim
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
Alípio Vallim
 
A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral
Alípio Vallim
 
Pare o tráfico humano
Pare o tráfico humanoPare o tráfico humano
Pare o tráfico humano
Alípio Vallim
 

Mais de Alípio Vallim (9)

Quem é seu pastor
Quem é seu pastorQuem é seu pastor
Quem é seu pastor
 
Evangelismo aula 03
Evangelismo   aula 03Evangelismo   aula 03
Evangelismo aula 03
 
O evangelho do reino de deus aula 02
O evangelho do reino de deus   aula 02O evangelho do reino de deus   aula 02
O evangelho do reino de deus aula 02
 
O evangelho prostituído aula 01
O evangelho prostituído   aula 01O evangelho prostituído   aula 01
O evangelho prostituído aula 01
 
Por que o brasil não decola em missões
Por que o brasil não decola em missõesPor que o brasil não decola em missões
Por que o brasil não decola em missões
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
 
A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral
 
Pare o tráfico humano
Pare o tráfico humanoPare o tráfico humano
Pare o tráfico humano
 

Último

Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 

Último (20)

Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 

Fiéis até o fim

  • 1.  E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições (2Tm 3,12 ARC).  Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos (2Tm 3,12 ARA).  Todos os que querem viver a vida cristã unidos com Cristo Jesus serão perseguidos (2Tm 3,12 NTLH).  De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos (2Tm 3,12 NVI).
  • 2.  A palavra “perseguição” vem do latim, per, “através”, e sequi, “seguir”, que dá a ideia de algo que nos segue opressivamente, correndo atrás de nós, alguma severa ou sistemática opressão, que na maioria das vezes causa a morte do perseguido.  A Igreja sempre foi alvo de perseguições no decorrer de sua história. Desde o Antigo Testamento aos dias de hoje é incontável o número de cristãos que sofreram o martírio. Nessa reflexão, tentaremos brevemente expor e relembrar alguns deles, que mesmo em meio as mais severas crueldades não negaram a sua fé. São exemplos de homens e mulheres que foram fieis até o fim.
  • 3.
  • 4.  O próprio Cristo disse em Mateus 23.37 sobre as perseguições que aconteceram no antigo testamento. Os religiosos de Jerusalém foram os responsáveis pelas mortes dos profetas de Israel: Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados!  Podemos considerar Abel como o primeiro exemplo dos santos de Deus perseguidos no antigo testamento. Ele foi morto pelo próprio irmão. Após o assassinato, o Senhor diz a Caim: Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão está clamando a mim desde a terra (Cf. Gn 4.1-10).  José também foi perseguido pelos seus irmãos, que estavam sendo motivados por inveja, orgulho e cíumes. Mas, pela graça de Deus, esse mal se tornou em triunfo para o jovem José (Gn 37-50).  O povo de Israel foi perseguido pelo Egito e viveu durante anos como escravos dessa nação, até que por fim Deus enviou o libertador (Leia o livro de Êxodo).
  • 5. NOME TEXTO LOCAL RESULTADO DA PERSEGUIÇÃO DAVI I SAMUEL ISRAEL E JUDÁ FUGA CONSTANTE ELIAS I REIS 17 – II REIS 2 ISRAEL FUGA, MEDO, CRISE, DESESPERO MICAÍAS I REIS 22 ISRAEL PRISÃO ISAÍAS ISAÍAS E JUDÁ Segundo a tradição HEBREUS 11.37 ELE FOI SERRADO AO MEIO JEREMIAS LAMENTAÇÕES BABILÔNIA MUITAS AFLIÇÕES, AÇOITES, PRISÃO OBADIAS I REIS 18.4 ISRAEL ESCONDEU 100 PROFETAS DE JEZABEL HANANIAS,AZARIAS, DANIEL BABILÔNIA FORNALHA E COVA MISAEL, DANIEL DE LEÕES
  • 6.  Jesus foi duramente perseguido pelos líderes religiosos de Israel e pelas autoridades romanas. Ambos participaram ativamente de sua execução;  Os discípulos foram perseguidos pelos judeus e depois pelos imperadores romanos. A Igreja enfrentou, o que o historiador Latourette chama de “avanço em meio à tempestade”.  O Novo Testamento não só apresenta a Igreja como sofredora como também desenvolve uma Teologia da perseguição. Jesus e os apóstolos afirmaram que teremos perseguições, seremos atribulados, e talvez, teremos de provar nossa fé através da morte! O Evangelho que Jesus nos ensinou é o evangelho da cruz!
  • 7.  Bem – aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos Céus. Bem – aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês (Mt 5.10-12);  Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem (Mt 5.44);  Lembrem-se das palavras que eu lhes disse: nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês. (João 15:20);  Vocês serão expulsos das sinagogas; de fato, virá o tempo quando quem os matar pensará que está prestando culto a Deus. (João 16:2);
  • 8.  Todavia, visto que não tem raiz em si mesmas, permanecem por pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandonam (Marcos 4.17);  Assim vocês dão testemunho de que aprovam o que os seus antepassados fizeram. Eles mataram os profetas, e vocês lhes edificam os túmulos (Lucas 11:48);  Mas antes de tudo isso, prenderão e perseguirão vocês. Então os entregarão às sinagogas e prisões, e vocês serão levados à presença de reis e governadores, tudo por causa do meu nome. Será para vocês uma oportunidade de dar testemunho (Lucas 21.12,13);  Não tenha medo do que você está prestes a sofrer. Saibam que o diabo lançará alguns de vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão perseguição durante dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida (Apocalipse 2:10).
  • 9.  Imediatamente após o Pentecostes (Atos 2), a Igreja passou por um teste de fogo. Sofrendo perseguições dos líderes religiosos e em seguida dos romanos.  Os Apóstolos de Cristo, demonstraram coragem, fé, perseverança e alegria em meio às provações sofridas. As lições ensinadas por Jesus foram cumpridas à risca e nenhum apóstolo abandonou a fé ou fraquejou.  Segundo Marshall, a palavra ‘perseguição’ em atos significa: oprimir alguém a fim de persuadí-lo a rejeitar a sua religião, ou simplesmente atacar alguém por motivos religiosos.
  • 10. NOME FUNÇÃO LOCAL E DATA MORTE ESTEVÃO, O DIÁCONO ISRAEL, 35 d.C. APEDREJADO (ATOS PRIMEIRO MÁRTIR 7.54-60) TIAGO, IRMÃO DE APÓSTOLO ISRAEL, 44 d.c. DECAPITADO JOÃO (ATOS 12.2) FILIPE APÓSTOLO HELIÓPOLIS, CRUCIFICADO FRÍGIA. 54 d.c. MATEUS APÓSTOLO ETIÓPIA, 60 d.C. ASSASSINADO TIAGO, IRMÃO DE AUTOR DA JERUSÁLEM, ANTES FOI ESPANCADO, APEDREJADO E TEVE O JESUS EPÍSTOLA QUE DE 70 d.C. CRÂNIO QUEBRADO LEVA SEU NOME MATIAS APÓSTOLO JERUSÁLEM APEDREJADO ANDRÉ, IRMÃO DE APÓSTOLO EDESA, ÁSIA PRESO E CRUCIFICADO PEDRO MARCOS EVANGELISTA ALEXANDRIA, 62 d.C ARRASTADO
  • 11. NOME FUNÇÃO LOCAL E DATA MORTE PEDRO APÓSTOLO ROMA, SOB NERO CRUCIFICADO PAULO APÓSTOLO ROMA, SOB NERO DECAPITADO JUDAS (TADEU) AUTOR DA EPÍSTOLA EDESA, ÁSIA EM 72 d.C. CRUCIFICADO QUE LEVA SEU NOME BARTOLOMEU APÓSTOLO ÍNDIA ACOITADO, CRUCIFICADO TOMÉ APÓSTOLO ÍNDIA ATRAVESSADO POR UMA LANÇA LUCAS EVANGELISTA GRÉCIA PENDURADO EM UMA OLIVEIRA SIMÃO, ZELOTE APÓSTOLO GRÃ-BRETANHA, 74 d.C. CRUCIFICADO JOÃO APÓSTOLO ROMA MORTE NATURAL
  • 12.  O fato de maior destaque na história da Igreja nos séculos II e III foi, sem dúvida, a perseguição ao Cristianismo pelos imperadores romanos. Apesar de a perseguição não ter sido contínua, repetia-se, por vezes, durante anos seguidos. Mesmo quando havia paz, a perseguição podia recomeçar a qualquer momento, cada vez mais violenta. A perseguição no século IV durou até o ano 313, quando o Edito de Constantino, o primeiro imperador cristão, fez cessar todos os propósitos de destruir a Igreja. Jesse Lyman, Instituto Bíblico de Newark
  • 13. 1. Perseguição sob Nero (64-68 d.C.); 2. Perseguição sob Domiciano (81 d.C.); 3. Perseguição sob Trajano (108 d.C.); 4. Perseguição sob Marco Aurélio (162 d.C.); 5. Perseguição sob Severo (192 d.C.); 6. Perseguição sob Maximino (235 d.C.); 7. Perseguição sob Décio (249 d.C.); 8. Perseguição sob Valeriano (257 d.C.); 9. Perseguição sob Aureliano (274 d.C.); 10. Perseguição sob Diocleciano(303 d.C.);
  • 14.  “Cobertos com peles de bestas os cristãos eram rasgados por cães e pereciam. Ou eram pregados a cruzes ou consumidos por chamas para servirem como iluminação noturna nos jardins de Nero” Historiador Tácito
  • 15.
  • 16.
  • 17.  Policarpo, nascido por volta de 69, foi bispo da cidade de Esmirna. Aos 86 anos foi preso e obrigado a negar sua fé. Ao que ele respondeu: Durante 86 anos eu tenho servido Cristo, e ele nunca me fez nada de mal.Como posso então blasfemar contra meu Rei, que me salvou? Eu sou um crente!
  • 18.  Perpétua tinha 22 anos, casada. Felicidade era sua escrava, também casada e estava grávida. Ela deu à luz na prisão. Foram Martirizadas em Março de 205 d.C. Foram despidas, lançadas a um touro bravo e depois decapitadas pelo carrasco.
  • 19.  Quando o governador Licínio, grande inimigo dos cristãos, apresentou uma lei dizendo que todos os que não oferecessem sacrifícios aos deuses seriam punidos com a morte. Uma legião inteira de soldados se apresentou diante dele. Foram lançados em um enorme tanque frio e morreram congelados.
  • 20. Acácio, Aécio, Alexandre, Angias, Atanásio, Caio, Cândido, Chúdio, Cláudio, Cirilo, Domiciano, Domno, Edélcion, Euvico, Eutichio, Flávio, Gorgônio, Heliano, Helias, Heráclio, Hesichio, João, Bibiano, Leôncio, Lisimacho, Militão, Nicolau, Filoctimão, Prisco, Quirião, Sacerdão, Severiano, Sisínio, Smaragdo, Teódulo, Teófilo, Valente, Valério, Vibiano e Xanteas.
  • 21.
  • 22.  Os cristãos que abraçavam o martírio não o faziam por impulsos, desejos ou convicções humanas, mas pela vontade e permissão divina que concede ao fiel a força e a coragem necessária para suportar as mais terríveis provações em defesa da fé por Jesus Cristo.  As perseguições produziram uma Igreja pura, pois conservava afastados todos aqueles que não eram sinceros em sua opção de fé. Ninguém se associava a Igreja para obter lucros, popularidade, fama, riquezas e prosperidade. Mas somente aqueles que amavam Jesus e estavam dispostos a serem fiéis até o fim. Até a morte. E se tornavam então, publicamente, seguidores de Cristo.
  • 23.  Sempre nos lembramos das perseguições enfrentadas por nossos irmãos nos primeiros séculos da Igreja. Entretanto, os dados afirmam que atualmente as perseguições sofridas pelos cristãos ultrapassam em muito as que ocorreram no passado.  De acordo com a organização Portas Abertas: mais cristãos foram torturados e mortos nesse século do que em toda a história .
  • 24.  Mais de 2 milhões de cristãos sofrem intensa perseguição nesse momento;  Cerca de 250 milhões de cristãos sofrem algum tipo de perseguição nesse momento;  45 milhões de cristãos foram mortos somente no século XX e nos últimos 10 anos;  1 cristão é assassinado a cada 5 minutos;  De 10 perseguidos em países islâmicos 7 são cristãos;  Desde 1945 10 milhões de cristãos emigraram por conta das perseguições;  1 em cada 3 cristão sofre perseguição;
  • 25.
  • 26.  Cesaréia, Eusébio.História Eclesiástica. CPAD.
  • 27.  O livro dos mártires. CPAD.  Os mártires do coliseu. CPAD.  Cristãos Secretos. Mundo Cristão.  O Cristianismo através dos Séculos. Vida Nova.  DVD – Espelho dos mártires  DVD – Quo Vadis?  DVD – Impérios de Pedra – Coliseu  DVD – Bambus no Inverno  DVD – As listras da Zebra  www.portasabertas.org.br  www.avozdosmartires.com.br