SlideShare uma empresa Scribd logo
ENCONTRO DE PRESPARAÇÃO PARA
         O BATISMO
Pastoral do Batismo
Neide Marques Moraes
Luciane Aparecida
  Assunção Tonete
Paulo de Oliveira Caíres
Jaime Pascoalão
Preparação para batismo
Plano de Deus
Um dia ...
Começam sempre assim as lindas histórias
 infantis.
     Um dia Deus cansou-se de só contemplar
 a SI mesmo e resolveu ser CRIADOR.
Começou a lidar com o tempo e não teve muita
 pressa!
Há bilhões de anos teria começado com a
 criação do céu e da terra.
Como a terra estava vazia criou em seguida o
 Reino Mineral, as águas (mares e rios) e
 Depois o Reino Vegetal (ervas, árvores
 frutíferas e todas as plantas) e por fim o reino
 Animal ( os animais, as
 aves, peixes, repteis...)
Os rios e mares, as árvores, as flores e os
 animais começaram a enfeitar e perfumar o
 Paraíso, futura casa de um morador muito
 importante para Deus – O HOMEM!
Deus viu que tudo era
 bom, criou todas essas
 coisas com muito amor
 e por fim disse:
 _ Façamos o
 homem a nossa
 imagem e
 semelhança e que
 ele reine sobre a
 Terra...
Criou-o a imagem e
 semelhança de Deus,
 criou o homem e a
 mulher...
Abençoou e falou:
―multplicai-vos,
 enchei a terra e
 submetei-a‖.
Deus Pai, Filho e Espírito Santo é
  essencialmente Amor e Amor que um dia quis
  se comunicar e se comunicou pela Criação.
      Deus criou o homem como filho.
_ O que é ser Filho?
É ter a mesma natureza que os pais.
Deus _ Amor comunicou-se com tal
  intimidade, doou-se de tal maneira, que
  ―plantou‖ no homem a sua natureza
  Divina, tornando-o semelhante a SI.
Deus pôde então realizar seu
  sonho de Pai: amar a imagem
  do seu Filho, o homem com
  mesmo amor que ama seu
  Próprio Filho.
  O homem passa a participar
  da vida de Deus, da natureza
  divina.
Tem a fisionomia de Deus, pois
  Deus vem morar nele através
  da GRAÇA Divina.
É ela verdadeiro elo entre Deus
  e o homem, é a Vida de Deus
  no Homem.
      A Graça, a Vida Divina já
  está presente no Homem: o
  bem, o belo, o verdadeiro, o
  justo e o amável tudo é
  Graça.
Esse homem foi criado por Deus para ser Feliz, foi
  dotado da inteligência para dominar esse
  mundo, da liberdade para direcionar sua vida.
Vivia no Paraíso, na amizade de
  Deus, entretanto, no seu egoísmo ele estragou
  tudo.
      O drama começou quando o homem num ato
  de rebeldia desobedeceu a Deus. O Plano de
  Deus era realizar a felicidade do Homem, como
  filho de Deus, entretanto, o homem quis
  construir o seu próprio plano, não aceitou o
  plano de Deus e disse NÃO! A seu Criador e com
Isso destruiu o Plano de
  sua Felicidade.
     A proposta de Deus
  era:
 A Vida.


     A Resposta do
  Homem doi:
 A Morte.
     A proposta de Deus
  era:
A  Graça.
     A resposta do homem foi:
 Des – Graça!
     A proposta de Deus era:
 Justiça e Santidade.
A resposta do homem foi:
 Pecado.
      A proposta de Deus era:
 Amizade do Pai.
A resposta do homem foi:
 Inimizade!
      Deus entrou com o projeto do Bem;
O homem revida com o Mal!
A queda do estado de Graça para um estado de
  pecado chama-se PECADO ORIGINAL, isto
  é, pecado que dá origem a todos os pecados.
O que aconteceu?
Nossos primeiros pais (Adão e Eva) diz a Bíblia
  que comeram da árvore proibida o seu fruto.
Que fruto comeram?
Maçã mesmo!
Ou o quê?
Não importa saber o que comeram
  ou fizeram, se foi gula ou sexo!
O que importa é o que a Bíblia quer
  transmitir: O homem
  desobedeceu, disse: NÃO a Deus;
  Não ao Plano do criador!
Esse pecado original está
  acontecendo cada dia. O mundo
  cria a toda hora situações de
  pecado com o fruto tentador do
  EGOÍSMO...
 Ganância, das
  injustiças, corrupções, fazendo o
  home ter quedas, e tentar o Plano
  de Deus.
O homem então desde o início não soube
  escolher bem e preferiu o caminho do
  mal, rejeita portanto, a finalidade de sua
  existência.
 Viver a Graça, viver a amizade de Deus.
Mas, Deus não desiste e não deixa de Amar
  esse homem que deliberadamente recusou o
  seu amor.
Ele continua a desenvolver o seu Projeto de
  vida, o seu Plano de Salvação, chamando o
  homem para tirá-lo da vida do pecado.
Deus quer libertar ―seu filho‖ para continuar
  aquela história inicial de amor. Ele foi se
  revelando, foi mostrando o seu carinho e
  amor pelo homem através das Alianças que
  fez ao longo da História.
 Fez Aliança com nossos primeiros pais: ― Eis
  que vos dou toda a erva que dá semente
  sobre a terra e todas as árvores frutíferas...
  Para que vos sirvam de alimento...‖
―Multiplicai-vos e enchei a Terra e submetei-a‖.
 Fez Aliança através de Noé:
―Entra na arca... Tu e toda tua casa, porque o
  reconheci justo diante dos meus olhos, entre
  os de tua geração.
De todos os animais... Tomarás um
  casal, macho e fêmea‖. Saia da arca, com tua
  mulher, teus filhos e as mulheres de teus
  filhos. Faze sair igualmente contigo todos os
  animais... Para que cresçam e se
  multipliquem sobre a Terra. Com Noé é o
  começo de uma nova HUMANIDADE.
Depois de muito tempo Deus faz Aliança com
 Abraão, o senhor disse a ele: ― Deixa tua
 terra, tua família e a casa de teu Pai e vá para
 a terra que eu te mostrar. Farei de Ti uma
 grande Nação‖. Da Descendência de
 Abraão, Deus forma o seu povo, o povo de
 Israel.
Conta a Bíblia que esse povo, entretanto,
  caiu cativo dos Egípcios, mas, através da
  Aliança com Moisés, Deus liberta o seu povo.
―Vou libertar-vos dos jugo dos egípcios e
  livrar-vos da sua servidão...
Tomar-vos-ei para meu povo e serei vosso
 Deus... Introduzir-vos-ei na Terra que jurei
 dar a Abraão, a Isaac e a Jacó‖.
     Salvo dos egípcios (com a passagem pelo
 Mar Vermelho) na sua caminhada pelo
 deserto, rumo a Terra prometida, Deus revela
 aos homens os verdadeiros mandamentos
 divinos.
    Honra teu pai e tua mãe, para que teus dias
    se prolonguem sobre a Terra que te dá o
    Senhor Deus;
   Não Matarás.
   Não Cometerá Adultério.
   Não Furtarás.
   Não levantarás falso testemunho contra o teu
    próximo.
   Não cobiçarás a casa a casa do teu próximo.
   Não cobiçarás a mulher to teu próximo, nem
    seu escravo, nem sua escrava, nem seu
    boi, nem seu jumento, nem nada que lhe
    pertença.
Mesmo sabendo da vontade de Deus, dos
 mandamentos que recebeu, o homem
 continuava no pecado. Não obediente ao
 Plano do Pai, então, Deus se comunica com
 esse homem desobediente através dos
 Profetas que vem recordar ao povo judeu que
 a Aliança com Deus era um compromisso de
 Ambos. Os profetas vieram anunciar a
 necessária fidelidade a Deus e denunciarem a
 infidelidade dos homens.
Foram muitos os profetas: Isaias ( o maior
 deles), Daniel, Jeremias, Ezequiel, Ozéias, Jon
 as, Zacarias, Malaquias, Amós...
 É Ezequiel que traz a mensagem de Deus>
―Derramarei sobre vós águas puras, que vos
 purificarão de todas as imundices... Dar-vos
 - ei um coração novo e em vós porei um
 Espírito novo; tirar-vos-ei do peito um
 coração de pedra... Sereis meu povo e Eu
 serei seu Deus‖.
Mas os profetas não foram ouvidos.
 Entretanto, Deus queria ver o seu
 Plano de Salvação concretizado, para
 que o homem volte a sua condição
 de Filho de Deus, participante da
 natureza e vida divinas.
     Faz uma nova e eterna Aliança.
 Ele vem então se encarnar na
 natureza humana, torna-se
 homem, entra de corpo e alma na
 aventura humana, torna-se um dos
 ―nossos‖.
     Vem falar nossa
 linguagem, comer conosco, em tudo
 semelhante a nós, menos no pecado.
 É revestido da segunda pessoa da
 Santíssima Trindade _ O FILHO, que
Preparação para batismo
Os Sacramentos são sinais sensíveis da Graça do amor
          de Deus. É sinal da grande realidade
     que Deus comunica aos homens, portanto, o
      sacramento é sempre algo Palpável, Visível,
                       Externo.
 Onde se dá um sacramento, ali está a marca de Deus
            que passa, vindo ao encontro do
 homem. Esta marca é a graça que santifica, eleva e
               sobrenaturaliza o homem.
Há três realidades a
  considerar nos
  sacramentos:
 A sua Fonte, que é o
  próprio Cristo, Verbo
  de Deus que se fez
  homem
 A sua Força, que é o
  Espírito santificador
 O seu Canal, que é a
  Igreja
Nunca compreenderemos os sacramentos e sua íntima ligação com
  a Igreja se nos
esquecermos do Espírito Santo, que foi enviado como vida e alma
  da própria Igreja.
Em cada sacramento o Espírito Santo age com uma graça
  específica; purifica o fiel e o
insere na Igreja pelo Batismo; confirma-o na fé e lhe dá seus dons
  e carismas na
Confirmação; perdoa-o e o fortalece na Penitência; une-o ao corpo
  e sangue de Cristo e a
seu Sacrifício na Eucaristia; estreita a união de amor do homem e
  da mulher, à semelhança
de Cristo unido à humanidade, no Matrimônio; conforta o homem à
  função pontifical de
Cristo pela Ordem; alenta os doentes e o une ao Cristo sofredor e
  ressuscitado na Unção
dos Enfermos.
Diz o ritual: "Ó Deus, pelos sinais visíveis dos
 sacramentos realizais maravilhas invisíveis. Ao
 longo da história da salvação vós vos servistes da
 água para fazer-nos conhecer a graça do batismo.
 Já na origem do mundo vosso Espírito pairava
 sobre as águas para que elas concebessem a força
 de santificar. Nas águas do dilúvio prefigurastes o
 nascimento da nova humanidade, de que modo
 que a mesma água sepultasse os vícios e fizesse
 nascer a santidade. Concedestes aos filhos de
 Abraão atravessar o mar Vermelho a pé
 enxuto, para que, livres da escravidão
 prefigurassem o povo, nascido na água do
 batismo. Vosso Filho, ao ser batizado nas águas
 do Jordão, foi ungido pelo Espírito Santo.
 Pendente da cruz, do seu coração aberto pela
 lança fez correr sangue e água" (cf. Ritual do
 Batismo, Benção da Água Batismal)
A palavra Igreja vem do grego, EKLÉSIA, que
  significa REUNIÃO DOS CONVOCADOS, cuja
  missão é EVANGELIZAR, quer dizer
  comunicar a salvação de Deus que veio por
  Jesus Cristo. A Igreja realiza esta
  tarefa, através da pregação e do exemplo
  (gestos fraternos), revelando: o amor de
  Deus; sua proposta de conversão para
  todos; sua preferência pelos mais pobres; e
  sua    proposta   de transformação       da
  sociedade, a caminho do reino definitivo. A
  Igreja    tem   sempre    três  dimensões
  essenciais e que se completam.
   Os sacramentos são gestos e expressões de fé, de
    união, da graça e da benção de Deus, que nos
    levam a nos comprometer cada vez mais com
    nossos irmãos. Ao longo de nossa vida há
    acontecimentos e sinais que representam a nossa
    fé em Deus. Os sacramentos representam o início
    de nossa fé e a maturidade da mesma.
   São sete sinais de fé e vida que selam o nosso
    compromisso com Deus e com a comunidade
    formando assim uma relação trinitária, como é o
    amor da Trindade Eterna.


              Deus + Eu + Comunidade
   BATISMO:
    Matéria – água
    Forma – ―Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e
    do Espírito Santo. Amém.‖
    Graça – Apaga o pecado original – nos torna
    filhos de Deus – é o nascimento espiritual.
    CRISMA:
    Matéria – o óleo sagrado chamado Santo Crisma.
    Forma – ―Eu te marco com o Sinal da Cruz e te
    Confirmo com o Crisma da Salvação, em nome
    do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.‖
    Graça – Nos confirma na Fé, nos torna Soldados
    de Cristo – é o crescimento espiritual.
EUCARISTIA:
  Matéria - O pão e o vinho consagrados na Santa Missa.
  Forma - "Isto é o meu Corpo" - para a consagração do pão;
  "Este é o cálice do meu sangue, do sangue da nova e eterna
  aliança, mistério da Fé, que será derramado para vós e para
  muitos para o perdão dos pecados" -, para a consagração do
  vinho.
  Graça - É a presença do próprio Jesus Cristo na nossa alma,
  com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade - é o alimento
  espiritual.

  CONFISSÃO:
  Matéria - Os pecados confessados diante do Padre.
  Forma - "Eu te absolvo dos teus pecados em nome do Pai, do
  Filho e do Espírito Santo. Amém."
  Graça - O perdão dos pecados - devolve a graça santificante
  - é o remédio espiritual.
EXTREMA UNÇÃO:
  Matéria - O óleo sagrado chamado Óleo dos Enfermos.
  Forma - "Por esta santa unção, que o Senhor te perdoe todos os pecados
  que fizeste pela... (a unção é feita nos olhos, boca, ouvido, nariz, mãos e
  pés)."
  Graça - Prepara nossa alma para ir para o Céu - apaga os pecados
  veniais, as imperfeições e até pecados mortais - reanima o corpo
  doente.
  ORDEM:
  Matéria - A imposição das mãos pelo Bispo.
  Forma - A oração consecratória na ordenação sacerdotal.
  Graça - Dá ao Padre o poder de celebrar a Missa e outros Sacramentos.
  MATRIMÔNIO:
  Matéria - O contrato entre os noivos.
  Forma - A aceitação pública do contrato - o "sim". Graça - Capacidade
  de ter e educar os filhos, viverem juntos em harmonia, e buscando a
  vida eterna.
Leituras:
 2 Reis 5,1.9-10 – pg. 404 Bíblia Pastoral
 Evangelho de São João 3,1-7 pg. 1356 Bíblia
  Pastoral
O santo Batismo é o fundamento de toda a vida cristã, a
  porta da vida no Espírito e a porta que abre o acesso aos
  demais sacramentos. Pelo Batismo somos libertados do
  pecado e regenerados como filhos de Deus, tornamo-nos
  membros de Cristo, somos incorporados à Igreja e feitos
  participantes de sua missão: "Baptismus est sacramentum
  regenerationis per aquam in verbo - O Batismo é o
  sacramento da regeneração pela água na Palavra".
Quando recebemos o Sacramento do
  Batismo, transformamo-nos de criaturas para Filhos
  Amados de Deus. Muitos pensam que os sacramentos em
  geral são obras eclesiásticas, ou seja, os sacramentos são
  "invenções" da Igreja. Isso não é verdade, os sacramentos
  são sem sombra de dúvidas criadas por Jesus Cristo, o
  próprio Deus Encarnado.
Pelo Batismo, todos os pecados são perdoados: o
 pecado original e todos os pecados pessoais, nos
 tornamos templos da Santíssima Trindade.
     Nos livramos do Pecado Original ( que é o
 estado negativo da ignorância)
Quando uma criança nasce, ela nasce em tudo o
 que representa seu meio, para a crença
 coletiva, sujeita ao ambiente mental de seus pais
 conforme Romanos 12,2. ―Não se amoldem pelas
 estruturas deste mundo, mas transformem-se
 pela renovação da mente, a fim de distinguir qual
 é a vontade de Deus: o que é bom, o que é
 agradável a Ele.‖
 O Batismo não somente purifica de todos os
  pecados, como também faz do batizado uma
  nova criatura ( 2 Coríntios 5,17) um Filho adotivo
  de Deus que se tornou participante de sua
  natureza Divina.
            Por isso os pais devem rezar com seus
  filhos e dedicá-los a Deus.
 O batismo nos faz membros do corpo de Cristo:
  ―somos membros uns dos outros‖ conforme
  Efesíos 4,25.
      Devemos demonstrar Deus em nosso Atos.
  Nossas crianças devem aprender bem cedo que é
  filha de Deus, que Deus mora nela, por isso
  batizamos nossos filhos pequenos.
   O Batismo marca o cristão com o sinal
    espiritual (caráter) de sua presença em Cristo.
Aqueles que se aproximam
 do sacramento da Penitência
 obtêm da misericórdia
 divina o perdão da ofensa
 feita a Deus e ao mesmo
 tempo são reconciliados
 com a Igreja que feriram
 pecando, e a qual colabora
 para sua conversão com
 caridade, exemplo e
 orações.
Esse sacramento chama-se:
  1. sacramento da Conversão (caminho de
  volta ao Pai);
  2. da Penitência (esforço de conversão, de
  arrependimento e de satisfação por parte do
  cristão pecador);
  3. da Confissão, porque a declaração, a
  confissão dos pecados diante do sacerdote é
  um elemento essencial desse
  sacramento, além da confissão que se faz da
  santidade de Deus e de sua misericórdia
  para com o homem pecador;
  4. do Perdão, porque, pela absolvição
  sacramental do sacerdote, Deus concede "o
  perdão e a paz";
5. da Reconciliação: porque dá ao pecador o
amor de Deus que reconcilia. Quem vive do
amor misericordioso de Deus está pronto a
responder ao apelo do Senhor: "Vai primeiro
reconciliar-te com teu irmão" (Mt 5,24).
A Confissão é necessária porque Jesus nos
convida à conversão. A primeira e
fundamental conversão é selada com o
Batismo. A segunda conversão é uma tarefa
ininterrupta para toda a Igreja, e Cristo nos
convida pela vida toda a realizá-la. Santo
Ambrósio diz que na Igreja existem a água e
as lágrimas: a água do Batismo e as lágrimas
da Penitência
Na última ceia, na noite em que foi entregue, nosso
 Salvador institui o Sacrifício Eucarístico de seu Corpo e
 Sangue. Por ele, perpetua pelos séculos, até que
 volte, o sacrifício da cruz, confiando destarte à
 Igreja, sua dileta esposa, o memorial de sua morte e
 ressurreição: sacramento da piedade, sinal da
 unidade, vínculo da caridade, banquete pascal em que
 Cristo é recebido como alimento, o espírito é
 cumulado de graça e nos é dado o penhor da glória
 futura. Muitos pensam que os Sacramentos são obras
 eclesiásticas, ou seja, criadas pela Igreja, mas isso não
 é verdade, todos os Sacramentos são sinais da graça
 de Deus que são expressos sem sombra de dúvidas
 na Palavra de Deus. Por exemplo: a presença de Jesus
 no Pão e no Vinho, é bem explicada nas Escrituras que
 relatam a última refeição de Cristo com os Apóstolos:
 A Santa Ceia.
Receber a na Comunhão traz
 como fruto principal a União
 íntima com Jesus Cristo, pois o
 Senhor diz: Quem come minha
 carne e bebe o meu sangue
 permanece em mim e eu nele.
A Comunhão separa-nos do
 Pecado;
Por isso a Eucarístia fortalece a
 Caridade.
Pelo sacramento da Confirmação,
  os fiéis são vinculados
  perfeitamente a Igreja,
  enriquecidos pela força especial
  do Espírito
Santo, e assim mais estritamente
  obrigados a fé que , como
  verdadeiras testemunhas de
  Cristo, devem difundir e
  defender tanto por palavras
  como por obras (Cf. Lg, 11)
             Da celebração ressalta
  que o efeito do sacramento da
  confirmação é a EFUSÃO DO
  ESPÍRITO SANTO, como no dia de
  Pentecostes
Sabedoria:Não a sabedoria do
mundo, mas aquela que nos faz reconhecer e buscar
a verdade, que é o próprio Deus: fonte da sabedoria.
Verdade que encontramos na Bíblia.
Entendimento:É o dom que nos faz aceitar as
verdades reveladas por Deus.
Conselho:É a luz que nos dá o Espírito Santo, para
distinguirmos o certo do errado, o verdadeiro do
falso, e assim orientarmos acerdatamente a nossa
vida, e a de quem pede um conselho.
de ofender ou desagradar a Deus.
Ciência: Não é a ciência do mundo, mas
     a ciência de Deus. A verdade que é vida. por esse dom
o Espírito Santo nos indica o caminho a seguir na
realização da nossa vocação.
Fortaleza: É o dom da coragem para viver fielmente a fé no
dia-a-dia, e até mesmo o martírio, se for preciso.
Piedade: É o dom pelo qual o Espírito Santo nos dá o gosto
de amar e servir a Deus com alegria. Nesse dom nos é
dado o sabor das coisas de Deus.
Temor de Deus:Temor aqui não significa "ter medo de
Deus", mas um amor tão grande, que queima o coração de
Respeito por Deus. Não é um pavor pela justiça
divina, mas o receio
É o sacramento que a Igreja dá
  ao cristão em estado de
  enfermidade grave ou velhice
  para atrair a saúde da
  alma, espírito e corpo.
      A Unção dos enfermos
  antes era conhecida como
  "Extrema Unção", pois só era
  administrada "in articulo
  mortis" (a ponto de morrer).
  Atualmente o sacramento
  pode ser administrado mais de
  uma vez, sempre que for em
  caso de doença grave
A unção une o enfermo à
 Paixão de Cristo para seu
 bem e o de toda a Igreja;
 obtém consolo, paz e
 ânimo; obtém o perdão dos
 pecados (se o enfermo não
 pôde obtê-lo pelo
 sacramento da
 reconciliação), restabelece a
 saúde corporal (se convém à
 saúde espiritual) e prepara
 para a passagem para a vida
 eterna.
Pela graça deste sacramento, o
 enfermo recebe a força e o
 dom de unir-se mais
 intimamente à Paixão de Cristo.
Dá o perdão dos pecados, se o
 doente não puder obtê-lo pelo
 sacramento da Penitência.
Confere o restabelecimento da
 saúde, se isto convier à
 salvação Espiritual e nos
 prepara a passagem à Vida
 Eterna.
A Ordem é o sacramento que
  transforma o leigo em
  diácono, o diácono em
  sacerdote e o sacerdote em
  bispo. É o sacramento
  graças ao qual a missão
  confiada por Cristo a seus
  Apóstolos continua sendo
  exercida na Igreja até o fim
  dos tempos; é o sacramento
  do ministério apostólico.
  Possui três graus: o
  diaconato (para diáconos) o
  presbiterado (para padres) e
  o episcopado (para bispos).
O sacramento da Ordem é concedido uma
 vez por todas, ou seja, não pode ser
 repetido, pois confere um caráter espiritual
 indelével, ou seja, para sempre. Assim, um
 padre que deixe o ministério para casar-
 se, por exemplo, continua sendo padre. Se
 ficar viúvo e quiser voltar a exercer o
 ministério, não precisa ser ordenado
 novamente, bastando seguir as orientações
 da Igreja a esse respeito.
 Constitui os ministros
  sagrados;
 Consagra e delega o
  ministro para Agir, fazendo
  as vezes de Cristo;
 Configura o ministro a
  Cristo Pastor;
 Leva o ministro a
  desempenhar a função de:
ENSIN AR
SANTIFICAR e
GOVERNAR.
A aliança matrimonial, pela
 qual o homem e a mulher
 constituem entre si uma
 comunhão da vida
 toda, ordenada ao bem
 dos cônjuges e à geração e
 educação dos filhos, foi
 elevada, entre os que são
 batizados, à dignidade de
 sacramento, por Cristo
 Senhor
Diz Jesus em Mt 19,6: "De modo que já não são
 dois, mas uma só carne". Isso mostra uma
 unidade profunda de duas vidas, confirmadas
 pelo pacto conjugal, ou seja, o
 consentimento pessoal irrevogável.

 O sacramento do Matrimônio significa a união
 de Cristo com a Igreja.
Diz Jesus em Mt 19,6: "De modo que já não são
 dois, mas uma só carne". Isso mostra uma
 unidade profunda de duas vidas, confirmadas
 pelo pacto conjugal, ou seja, o
 consentimento pessoal irrevogável.

 O sacramento do Matrimônio significa a união
 de Cristo com a Igreja.
Concede aos esposos a graça de se amarem com o
 mesmo amor com que Cristo amou a sua Igreja.
 A graça do sacramento leva à perfeição o amor
 humano dos esposos, consolida sua unidade
 indissolúvel e os santifica no caminho da vida
 eterna. Se os cônjuges separam-se, divorciam-
 se, separam algo que Deus uniu. O novo
 casamento dos divorciados ainda em vida do
 legítimo cônjuge contraria o desígnio e a lei de
 Deus, que Cristo nos ensinou. Eles não estão
 separados da Igreja, mas não têm acesso à
 comunhão eucarística. Levarão vida cristã
 principalmente educando seus filhos na fé.
O lar cristão é o lugar
 onde os filhos recebem
 o primeiro anúncio da
 fé. Por isso, o lar é
 chamado, com toda
 razão, de "Igreja
 doméstica", comunidade
 de graça e de
 oração, escola das
 virtudes humanas e da
 caridade cristã.
   A Educação pela fé: A conseqüência, para os
    pais que pedem o batismo para seus filhos, é
    o compromisso, já assumido na celebração
    do casamento, de educá-los na fé, dentro da
    comunidade eclesial. Pelo Batismo as crianças
    se tornam parte da Igreja. E naquele dia seus
    pais disseram que iam ajudá-las a crescer na
    fé, observando os Mandamentos e vivendo na
    comunidade dos seguidores de Jesus
   A colaboração dos padrinhos: No cumprimento
    deste compromisso de educar seus filhos na
    fé, os pais são ajudados pelos padrinhos. Depois
    dos pais, padrinho e madrinha representam a
    Igreja, nossa Mãe, "que, pela pregação e pelo
    batismo, gera, para uma vida nova e imortal, os
    filhos concebidos do
    Espírito Santo e nascidos de Deus" (LG 64).
    Representam a Comunidade que, ao enriquecer-
    se com a entrada de um novo membro, vê sua
    responsabilidade também acrescida.
   Os padrinhos, assim
    como os pais, são
    responsáveis pela
    formação religiosa de
    seus afilhados. Devem
    acompanhá-los em sua
    caminhada na Igreja e
    garantir-lhes uma vida
    cristã, dando-lhes o
    exemplo e o
    testemunho de fé.
   Os padrinhos, assim como
    os pais, são responsáveis
    pela formação religiosa de
    seus afilhados. Devem
    acompanhá-los em sua
    caminhada na Igreja e
    garantir-lhes uma vida
    cristã, dando-lhes o
    exemplo e o testemunho de
    fé.
 Lidar com as crianças exige
  calma, observação e
  pedagogia, sobretudo, muito amor. Porque
  na base do castigo e da repreensão, ninguém
  conseguirá educá-la;
 Os Padrinhos, que foram escolhidos com
  tanto amor, devem procurar dar o bom
  exemplo e quando necessário, devem dar
  bons conselhos ao afilhado.
 Os filhos são imitadores e copiam tudo os
  que os pais e familiares fazem.
 Vem daí a importância de se ter um ambiente
  que favoreça a descoberta de Deus e do seu
  amor por nós.
Temos o dever de educar para:
 A importância da formação do caráter;
 Diálogo;
 Aconselhamento
1. Para alguém ser padrinho ou madrinha é necessário:
a) Ser designado pelo próprio batizado, se adulto, por
   seus pais, ou por quem lhes faz as vezes, na falta
   deles, pelo próprio pároco ou ministro, e ter aptidão
   e intenção de cumprir as obrigações desse encargo;
b) Ter completado dezesseis anos de idade.
c) Ser católico, confirmado, já tenha recebido o
   santíssimo sacramento da Eucaristia e leve uma vida
   de acordo com a Fé e o encargo que vai assumir.
d) Não tenha sido atingido por nenhuma pena canônica
   legitimamente declarada;
e) Não ser pai ou mãe do batizando. (cf. Cân. 874, § 1);
f) Participar de preparação feita em data antecedente à
   do Batismo.
 Padrinho,  madrinha (paizinho, mãezinha);
 Os padrinhos devem ajudar os pais para que os
  afilhados cresçam na fé e ame sempre a Deus;
 Na falta ou incapacidade dos pais, eles assumem
  a responsabilidade de ajudar o afilhado a viver a
  sua fé, e se for necessário, até na educação
  humana e social.
 Devem ter boa formação cristã, ser pessoa de
  comunhão com Cristo, de oração e piedade.
 Os padrinhos devem zelar para que os afilhados
  sejam evangelizados, vivam a religião, participe
  da Igreja e torne-se um Evangelizador.
O Símbolo Batismal mais importante é a ―Água‖.
   No início do mundo o Espírito de Deus pairava sobre as águas, das quais
   emergem a terra e todos os seres vivos. À semelhança do que aconteceu
   na criação, das águas do Batismo santificadas pelo Espírito Santo emerge
  uma nova criatura. A Mãe Igreja, pelas águas do Batismo, fecundadas pelo
   Espírito Santo, dá à luz novos filhos. Jesus fala deste novo nascimento no
                      diálogo com Nicodemos. (Jo 3, 1-13)
A imagem do dilúvio e do Mar Vermelho confere outro significado à água do
   Batismo: a água destrói, mata, mas ao mesmo tempo é meio de salvação.
    Como as águas do dilúvio submergiram um mundo pecador, e como as
    águas do Mar Vermelho afogaram a cavalaria do Faraó que perseguia o
  povo que fugia da escravidão, assim também as águas batismais destroem
           o pecado, afogam o inimigo, exterminam e cancela o mal.
A destruição por sua vez é via para a libertação. No dilúvio foram poupados
   os justos; e das águas do Mar Vermelho saiu um povo livre e em festa. Da
      mesma forma, das águas do Batismo sai uma pessoa purificada das
  culpas, libertada da escravidão do pecado e do demônio (terá as tentações
    do maligno como todas as criaturas, mas não será escravo de satanás).
Assim, a ―Água‖ é apenas um Símbolo, ela não tem a força e nem o poder de
        purificar o pecado. É o Espírito Santo que nela atua em todos os
     acontecimentos e no momento do Batismo, Ele, com a força e o poder
   Divino destrói todo o mal que existe e proporciona a alegria de uma nova
                                       vida.
―Sinal da Cruz‖.
Após o diálogo introdutório em que os Pais pedem o
  Batismo para a criança, o sacerdote convida-lhes a
  traçarem o ―Sinal da Cruz‖ na fronte da criança. Este gesto
  tem grande significação. Ele quer exprimir o primeiro
  encontro da criança com a fé em Jesus Cristo e na Salvação
  pela morte redentora do Senhor na Cruz. Porque foi pela
  morte Dele que nos reconciliamos com o Pai Eterno e
  fomos inseridos na amizade da Santíssima Trindade. O
  Sinal da Cruz relembra esta verdade histórica.
Assim, convidando os Pais a realizarem aquele gesto, o
  sacerdote está dizendo que a salvação de Deus vem à
  criança através da fé dos pais, pois eles, pelo Sacramento
  do Matrimônio, são constituídos mediadores entre Deus e
  o filho, exercendo a função sacerdotal. Os Pais receberam
  de Deus pela própria missão criadora e pela graça do
  Sacramento do Matrimônio, o poder de abençoar os filhos.
  Por isso, eles são convidados por Deus a adquirirem o
  costume de abençoarem os seus filhos enquanto
Anúncio da Palavra de Deus‖:
Ela ilumina com a verdade
  revelada os candidatos e a
  assembléia, suscitando
  uma resposta de fé. Como
  o Batismo significa
  libertação do pecado e do
  demônio, durante a
  celebração o celebrante
  pronuncia um ou vários
  exorcismos sobre o
  candidato.
   Há dois ritos de Unção no Batismo. A primeira
    ―Unção‖ é feita antes da ―infusão da
    água‖, durante as preces após a Liturgia da
    Palavra. É a Unção com óleo chamado dos
    Catecúmenos. O sacerdote unge o peito da
    criança, dizendo: ―O Cristo Salvador te dê sua
    força. Que ela penetre em tua vida como este
    óleo em teu peito‖.
    Este rito pode ser substituído por uma imposição
    das mãos do celebrante, sobre a cabeça da
    criança, dizendo as palavras: ―O Cristo Salvador
    te dê Sua força‖. É uma invocação ao Espírito
    Santo para que o batizando renuncie ao mal e
    faça uma boa profissão de fé.
   Na parte final do Batizado é feita a segunda
    ―Unção com Óleo da Crisma‖. No Antigo
    Testamento era comum ungir os sacerdotes, reis
    e profetas. Também Cristo foi ungido pelo
    Espírito Santo de um modo muito especial. Então
    esta Unção quer significar que pelo Batismo nos
    tornamos participantes do poder messiânico de
    Jesus. E também, conforme a primeira epístola de
    São Pedro (1 Pedro 2, 9-10) nos tornamos raça
    eleita com Cristo, reis (rainhas), sacerdotes
    (sacerdotisas) e profetas (profetisas).
Rito do Éfeta”.
                                 É um rito
    facultativo, realizado logo após a entrega da vela
    acesa. É uma palavra aramaica que significa ―abre-
    te‖. O Celebrante toca os ouvidos e a boca da
    criança, dizendo: ―O Senhor Jesus que fez os
    surdos ouvir e os mudos falar, te conceda que
    possas logo ouvir a sua palavra e professar a
    fé, para louvor e glória de Deus Pai‖.
   Pelo Batismo, o Senhor através do Espírito
    Santo, abre os ouvidos do batizando para que ouça
    e entenda a Palavra de Deus, solta a sua língua e
    lhe abre a boca para poder professar a sua fé. Os
    Pais são os instrumentos desta mensagem, que
    por sua mediação deverão fazê-la chegar às
    crianças. Na continuidade, os filhos atingindo o
    uso da razão poderão dizer: agora eu
    creio, porque eu mesmo conheço o Senhor Jesus
    Cristo.
Na vida das famílias o Sal tem duas grandes finalidades: ―dar
  sabor‖ e ―conservar‖ os alimentos. Como Símbolo religioso o Sal
     significa: ―ser o tempero, ser o exemplo‖ que estimulará os
   irmãos a caminhar na estrada do direito, da justiça e do amor
    fraterno; ―dando sabor‖ ao apetite humano, para ter fome da
                            Palavra de Deus.
Todavia, o novo Rito do Batismo de Crianças aboliu o Rito do Sal. A
                razão principal foi por motivo higiênico.
  Como derradeira notícia, no Catecismo da Igreja Católica está
  escrito: ―Jesus mesmo afirma que o Batismo é necessário para a
   salvação‖. Tanto é verdade que Ele ordenou a seus Discípulos
    que anunciassem o Evangelho e batizassem todas as nações
   conforme está escrito no Novo Testamento (Mt 28, 18-20)(Mc
                       16, 15-16) (Lc 24, 46-47).
  A Igreja não conhece outro meio senão o Batismo para garantir
      êxito aos que querem entrar na bem-aventurança eterna.
   Quando há garantias de que a pessoa foi
    batizada segundo o rito prescrito por essas
    Igrejas, não se pode rebatizar, nem sob
    condição. Essas Igrejas são:
    a) Igrejas presbiterianas;
    b) Igrejas batistas;
    c) Igrejas congregacionais;
    d) Igrejas adventistas;
    e) a maioria das Igrejas pentecostais;
    f) Exército de Salvação. Este grupo não costuma
    batizar, mas, quando o faz, realiza-o de modo
    válido quanto ao rito.
   Há Igrejas de cujo batismo se pode prudentemente
    duvidar e, por essa razão, requer-se, como norma geral, a
    administração de um novo batismo, sob condição. Essas
    Igrejas são:
    a) Igrejas pentecostais que utilizam a fórmula ‗eu te batizo
    em nome do Senhor Jesus‘, como a Igreja Pentecostal
    Unida do Brasil, ou a Congregação Cristã no Brasil (que a
    permite como alternativa à tradicional fórmula trinitária);
    b) ‗Igrejas Brasileiras‘, ou seja o conjunto de grupos (pelo
    menos, trinta diferentes) [...]. Embora não se possa
    levantar nenhuma objeção quanto à matéria ou à forma
    empregadas por esses grupos, contudo, pode-se e deve-
    se duvidar da intenção de seus ministros.
   Com certeza, batizam invalidamente:
    a) Mórmons: negam a divindade de Cristo, e introduzem um
    conjunto de crenças que conflitam por inteiro com a fé cristã;
    b) Testemunhas de Jeová, que, mais do que um grupo
    cristão, deveriam ser consideradas como um grupo neo-judaico;
    c) Ciência Cristã: o rito que pratica, sob o nome de
    batismo, possui matéria e forma certamente inválidas.
    d) Certos grupos não propriamente cristãos, como a
    Umbanda, que praticam ritos denominados de ‗batismo‘, mas
    que se afastam substancialmente da prática católica.‖
    (Guia Ecumênico, 2003, 3ª edição revista, ampliada e adaptada
    ao Código de Direito Canônico de 1983 e ao Diretório Ecumênico
    de 1993).*
 Ritos Iniciais:
 A Acolhida:
O ministro que preside a
  celebração do
  Batismo, saúda os pais e
  manifesta a alegria da com
  unidade em receber seus
  filhos para serem batizados.
      Os pais bendizem a
  Deus pelo dom da
  fecundidade e pela graça da
  fé que Deus concede a eles
  e a seus filhos.
O Nome da Criança
Deus nos conhece e nos
 chama pelo nome e para ele
 cada pessoa é importante e
 única, com o seu próprio
 modo de ser.
O nome vem significar a
 Missão que se recebe na
 História da Salvação.
O Sinal da Cruz na testa da Criança.
O Ministro traça uma cruz na testa da criança
 como polegar.
Essa cruz simboliza a pertença ao povo da
 nova aliança. Quem é marcado
Com a cruz, pertence a Cristo e a
Sua Igreja.
Não pode ser escravo de
Outros senhores nem adorar
Outros deuses.
 As leituras e a Homilia
Nos recordam que Deus interveio realmente
 em nossa história, e a homilia testemunha,
 aqui e agora. A intervenção de Deus Vivo em
 Jesus Cristo e no Dom do Espírito Santo.
      A palavra de Deus é proclamada e
 acolhida na fé. E a realidade do Batismo só é
 conhecida e acolhida através da Fé.
A liturgia da Palavra nos prepara para a
 Profissão de é. Pois a Fé nasce e se alimenta
 da palavra de Deus.
   Neste instante a liturgia batismal, a Igreja
    Peregrina na Terra, se une à Igreja Triunfante no
    céu para pedir a graça de Deus para aqueles que
    ainda se encontram na Igreja terrena. É a isso
    que chamamos de Comunhão dos Santos.




   A unção com óleo dos catecúmenos significa
    força, coragem, resistência e a proteção que
    o novo cristão batizado vai precisar para
    permanecer fiel a Cristo e a sua Fé!
  A liturgia sacramental compreende a oração sobre a água, as
   promessas do batismo, o batismo, a unção com o crisma, a veste
   branca, a entrega da vela acesa e o "efeta".
a) Oração sobre a água
• Junto à fonte batismal, o celebrante bendiz a Deus, recordando o
   admirável plano segundo o qual Deus quis santificar o
   homem, pela água e pelo Espírito.
• Diante de nossos olhos passam as principais figuras do batismo
   presentes na história da salvação: a criação (Gn 1,2.6-10; 1,21-
   22), o dilúvio (Gn 7,9), a travessia do Mar Vermelho (Ex
   14,15-22), o batismo de Jesus nas águas do Jordão (Mt
   3,13-17), a água que correu do lado aberto de Cristo na Cruz (Jo
   19,34).
•   O simbolismo da água é de fundamental importância para se
   compreender a significação do batismo.
• Mergulhar e sair da água significa morrer e ressurgir
b) As promessas do Batismo
• Antes do batismo, os pais e padrinhos, em nome dos
  batizados, proferem as promessas batismais, renunciando ao
  pecado e proclamando a fé em Jesus Cristo.
• Na fé da Igreja, as crianças são batizadas; no compromisso de
  viverem autenticamente como filhos de Deus, como
  irmãos, como seguidores de Cristo, pais e padrinhos se propõem
  a educar a fé de seus filhos e afilhados, pelo testemunho de
  vida, pela palavra, pela vivência comunitária e pela participação
  da liturgia
•   Renúncia
   Renuncia-se ao pecado e às suas manifestações, ou então, ao
    demônio, autor e princípio do pecado, às suas obras e seduções.
•   Profissão de fé
    A contrapartida da renúncia é a profissão de fé. Imediatamente
    antes do rito da água, os que participam da celebração do
    batismo professam a fé.
Logo depois do batismo com água, a criança é ungida com o santo crisma.
A missão que Cristo confia aos batizados é, portanto, tríplice: sacerdotal,
profética e real-pastoral.
Missão sacerdotal

         127. O povo cristão, por força do batismo, oferece sua vida a Deus e aos
  irmãos no serviço de cada dia (cf. Rm 12,1; 1Jo 3,16) e, como fonte e cume desta
  doação, participa "conscia, plena e ativamente das celebrações litúrgicas" (SC 14).
  "Os fiéis são consagrados para formar um povo de sacerdotes e reis (cf. 1Pd
  2,4-10), de sorte que... por toda parte dêem testemunho de Cristo" (AA 3).

Missão profética

         128. Onde quer que vivam, pelo exemplo da vida e pelo testemunho da
  palavra, devem todos os cristãos manifestar o novo homem que pelo batismo
  vestiram" (AA, 11). "Os fiéis são obrigados a professar diante dos homens a fé que
  receberam de Deus pela Igreja" (LG 11).

Missão real-pastoral

        129. Cristo é o Rei e o Senhor do mundo inteiro. Os batizados têm a missão
  de se esforçar para que todos os homens aceitem e amem a Cristo Senhor (cf. AG
  36). Os cristãos, vivendo seu compromisso, são como o fermento que vai
  transformando o mundo, segundo o plano de Deus (cf. AG 15).
 Veste Branca
A veste branca que o batizando recebe é o sinal exterior da vida
  nova gerada pelo batismo. Pelo batismo, a criança revestiu-se de
  Cristo, vestiu o "homem novo" (cf. Gl 3,27; Ef 4,24).

   A cor branca manifesta que o cristão já participa da ressurreição
  de Jesus (cf. Mc 9,13; Ap 4,4; 7,9). Ele começa uma vida
  nova, deixa para trás o "homem velho" (Rm 6,6), o homem
  entregue ao pecado.
 Vela Acesa
Recebam a Luz de Cristo
 O próprio Cristo diz de si mesmo: "Eu sou a luz do mundo" (Jo
  8,12) e dos discípulos: "Vós sois a luz do mundo... Assim brilhe a
  vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas
  obras" (Mt 5,14-16). O Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos
  sob a forma de fogo (cf. At 2,3).
Eis que Cristo nos chama das trevas para Sua Luz.
a)   Oração do Senhor _ Pai Nosso
 A oração do pai-nosso é o desfecho lógico de toda a liturgia do batismo.
  A criança, que se tornou filha de Deus pelo batismo, chama a Deus de
  Pai pela voz de seus pais e padrinhos, com as mesmas palavras de
  Jesus, o Filho eterno de Deus que se fez homem. Pela primeira
  vez, unido a Cristo, o Filho de Deus, e aos seus irmãos, filhos de Deus
  em Cristo, o batizando dirige-se como filho Aquele que, por Cristo e no
  Espírito Santo, o gerou sobrenaturalmente, tornando-o seu filho. Como
  membro da família dos filhos de Deus, ele reza a oração com a qual a
  família saúda o próprio Pai.
 b) Bênção
Pelas bênçãos, agradece-se a Deus pelos bens que ele nos dá e pede-se
  que não venha a faltar o conjunto de bens necessários à vida do novo
  cristão em tudo dependente de sua família — de modo especial da mãe
  e do pai — e da comunidade maior. A vida humana acha-se envolvida
  pela vida divina que a cria, sustenta, enriquece e plenifica. O Deus que
  nos quer bem, em sua bondade, não nos pode deixar sem os bens
  necessários à nossa bem-aventurança.
Oração do Compromisso

                      Senhor Deus,
 Que pela graça do Batismo, saibamos dar aos nossos
  filhos e afilhados a condução necessária no caminho
                           da fé,
Dá-nos sabedoria e discernimento para levá-los na fé
 até que possam assumir livre e pessoalmente a graça
                    da fé e do batismo.
 Que o Batismo lhes traga uma vida nova, nascida da
                 água e do Espírito Santo.
Que ao receber esta ―Vida nova‖, sejam lavadas de todo
                          pecado.
            Que nossas crianças sejam, real e
   verdadeiramente, enxertadas em Cristo e na Igreja.
Que o óleo da bênção os revista da couraça de Cristo contra
                     todo mal do mundo,
 Que a fé que lhes é infundida seja colocada a serviço do
    Reino de Deus, tornando-as templo do Espírito e co-
                  herdeiras da vida eterna.
Que saibamos, por força do batismo, oferecer nossa vida a
 Deus e a educação de nossos filhos e afilhados, no serviço
                         de cada dia,
 Que saibamos, como profetas, professar diante deles a fé
     que recebemos pela Igreja, com exemplo de vida e
                   testemunho da palavra,
 Assim como fomos consagrados para formar um povo de
 sacerdotes e reis, que nossos filhos, batizados e herdeiros
   desse Reino aceitem e amem a Cristo Senhor, sobre a
              nossa proteção e nosso exemplo.

                          Amém.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
Jean
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
Catequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumoCatequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumo
Catequista Josivaldo
 
Missa parte por parte
Missa parte por parteMissa parte por parte
Missa parte por parte
Nahor Lopes de Souza Junior
 
Planejamento Semanal da Catequese
Planejamento Semanal da CatequesePlanejamento Semanal da Catequese
Planejamento Semanal da Catequese
Catequista Josivaldo
 
O querigma para pais e padrinhos
O querigma para pais e padrinhosO querigma para pais e padrinhos
O querigma para pais e padrinhos
Catequista Josivaldo
 
Os sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vidaOs sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vida
Juliana Cristina M. Muniz
 
Sacramentos slides
Sacramentos   slidesSacramentos   slides
Sacramentos slides
Alexandre Alves
 
1º encontro Familia e Oração
1º encontro Familia e Oração1º encontro Familia e Oração
1º encontro Familia e Oração
Catequese Anjos dos Céus
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismo
torrasko
 
Os sacramento do batismo
Os sacramento do batismoOs sacramento do batismo
Os sacramento do batismo
torrasko
 
Perfil do catequista
Perfil do catequistaPerfil do catequista
Perfil do catequista
Severino Júnior
 
Apresentação do Guia de Preparação para a Vida Matrimonial - Encontros para N...
Apresentação do Guia de Preparação para a Vida Matrimonial - Encontros para N...Apresentação do Guia de Preparação para a Vida Matrimonial - Encontros para N...
Apresentação do Guia de Preparação para a Vida Matrimonial - Encontros para N...
André Kawahala
 
Formação com Catequistas
Formação com CatequistasFormação com Catequistas
Formação com Catequistas
José Vieira Dos Santos
 
1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA
Catequista Josivaldo
 
Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02
torrasko
 
Encontro com os pais - Catequese
Encontro com os pais - CatequeseEncontro com os pais - Catequese
Encontro com os pais - Catequese
João Carlos da Fonseca
 
Retiro com Crismandos
Retiro com CrismandosRetiro com Crismandos
Retiro com Crismandos
José Vieira Dos Santos
 
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
Catequese Anjos dos Céus
 
Estudo sobre a FÉ - Parte 01
Estudo sobre a FÉ - Parte 01Estudo sobre a FÉ - Parte 01
Estudo sobre a FÉ - Parte 01
Anderson Favaro
 

Mais procurados (20)

Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
Catequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumoCatequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumo
 
Missa parte por parte
Missa parte por parteMissa parte por parte
Missa parte por parte
 
Planejamento Semanal da Catequese
Planejamento Semanal da CatequesePlanejamento Semanal da Catequese
Planejamento Semanal da Catequese
 
O querigma para pais e padrinhos
O querigma para pais e padrinhosO querigma para pais e padrinhos
O querigma para pais e padrinhos
 
Os sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vidaOs sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vida
 
Sacramentos slides
Sacramentos   slidesSacramentos   slides
Sacramentos slides
 
1º encontro Familia e Oração
1º encontro Familia e Oração1º encontro Familia e Oração
1º encontro Familia e Oração
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismo
 
Os sacramento do batismo
Os sacramento do batismoOs sacramento do batismo
Os sacramento do batismo
 
Perfil do catequista
Perfil do catequistaPerfil do catequista
Perfil do catequista
 
Apresentação do Guia de Preparação para a Vida Matrimonial - Encontros para N...
Apresentação do Guia de Preparação para a Vida Matrimonial - Encontros para N...Apresentação do Guia de Preparação para a Vida Matrimonial - Encontros para N...
Apresentação do Guia de Preparação para a Vida Matrimonial - Encontros para N...
 
Formação com Catequistas
Formação com CatequistasFormação com Catequistas
Formação com Catequistas
 
1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA
 
Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02
 
Encontro com os pais - Catequese
Encontro com os pais - CatequeseEncontro com os pais - Catequese
Encontro com os pais - Catequese
 
Retiro com Crismandos
Retiro com CrismandosRetiro com Crismandos
Retiro com Crismandos
 
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
 
Estudo sobre a FÉ - Parte 01
Estudo sobre a FÉ - Parte 01Estudo sobre a FÉ - Parte 01
Estudo sobre a FÉ - Parte 01
 

Semelhante a Preparação para batismo

Curso_Preparação_para_o_batismo
Curso_Preparação_para_o_batismo Curso_Preparação_para_o_batismo
Curso_Preparação_para_o_batismo
Presentepravoce SOS
 
A natureza missionária de Deus_132015
A natureza missionária de Deus_132015A natureza missionária de Deus_132015
A natureza missionária de Deus_132015
Gerson G. Ramos
 
Principios elementares
Principios elementaresPrincipios elementares
Principios elementares
Walber Michellon
 
O Problema do Sofrimento - Perspectiva Bíblica
O Problema do Sofrimento - Perspectiva BíblicaO Problema do Sofrimento - Perspectiva Bíblica
O Problema do Sofrimento - Perspectiva Bíblica
Thiago Lopes
 
Catecismo em214slides
Catecismo em214slidesCatecismo em214slides
Catecismo em214slides
César Henrique
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Gerson G. Ramos
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
Magaly Costa
 
Ebook jesus o nosso modelo
Ebook jesus o nosso modeloEbook jesus o nosso modelo
Ebook jesus o nosso modelo
fabiteodoro
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
Autonoma
 
05. corpo
05. corpo05. corpo
05. corpo
pohlos
 
Clases catecismo
Clases catecismoClases catecismo
Clases catecismo
clasesteologia
 
Refletindo a cristo (rc) mm
Refletindo a cristo (rc)   mmRefletindo a cristo (rc)   mm
Refletindo a cristo (rc) mm
Gérson Fagundes da Cunha
 
Estudo adicional_Salvação_432014
Estudo adicional_Salvação_432014Estudo adicional_Salvação_432014
Estudo adicional_Salvação_432014
Gerson G. Ramos
 
Encontro com Deus
Encontro com DeusEncontro com Deus
Encontro com Deus
Pastor Robson Colaço
 
3º domingo da quaresma cópia
3º domingo da quaresma   cópia3º domingo da quaresma   cópia
3º domingo da quaresma cópia
Rosiane Paes
 
3º domingo da quaresma cópia
3º domingo da quaresma   cópia3º domingo da quaresma   cópia
3º domingo da quaresma cópia
Rosiane Paes
 
3º domingo da quaresma cópia
3º domingo da quaresma   cópia3º domingo da quaresma   cópia
3º domingo da quaresma cópia
rosipaes
 
O evangelho do reino de deus aula 02
O evangelho do reino de deus   aula 02O evangelho do reino de deus   aula 02
O evangelho do reino de deus aula 02
Alípio Vallim
 
No Controle da Sua Vida
No Controle da Sua VidaNo Controle da Sua Vida
No Controle da Sua Vida
Pastor Robson Colaço
 
Encontro Com Deus
Encontro Com DeusEncontro Com Deus
Encontro Com Deus
lucena
 

Semelhante a Preparação para batismo (20)

Curso_Preparação_para_o_batismo
Curso_Preparação_para_o_batismo Curso_Preparação_para_o_batismo
Curso_Preparação_para_o_batismo
 
A natureza missionária de Deus_132015
A natureza missionária de Deus_132015A natureza missionária de Deus_132015
A natureza missionária de Deus_132015
 
Principios elementares
Principios elementaresPrincipios elementares
Principios elementares
 
O Problema do Sofrimento - Perspectiva Bíblica
O Problema do Sofrimento - Perspectiva BíblicaO Problema do Sofrimento - Perspectiva Bíblica
O Problema do Sofrimento - Perspectiva Bíblica
 
Catecismo em214slides
Catecismo em214slidesCatecismo em214slides
Catecismo em214slides
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01-110704094641-phpapp01
 
Ebook jesus o nosso modelo
Ebook jesus o nosso modeloEbook jesus o nosso modelo
Ebook jesus o nosso modelo
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
 
05. corpo
05. corpo05. corpo
05. corpo
 
Clases catecismo
Clases catecismoClases catecismo
Clases catecismo
 
Refletindo a cristo (rc) mm
Refletindo a cristo (rc)   mmRefletindo a cristo (rc)   mm
Refletindo a cristo (rc) mm
 
Estudo adicional_Salvação_432014
Estudo adicional_Salvação_432014Estudo adicional_Salvação_432014
Estudo adicional_Salvação_432014
 
Encontro com Deus
Encontro com DeusEncontro com Deus
Encontro com Deus
 
3º domingo da quaresma cópia
3º domingo da quaresma   cópia3º domingo da quaresma   cópia
3º domingo da quaresma cópia
 
3º domingo da quaresma cópia
3º domingo da quaresma   cópia3º domingo da quaresma   cópia
3º domingo da quaresma cópia
 
3º domingo da quaresma cópia
3º domingo da quaresma   cópia3º domingo da quaresma   cópia
3º domingo da quaresma cópia
 
O evangelho do reino de deus aula 02
O evangelho do reino de deus   aula 02O evangelho do reino de deus   aula 02
O evangelho do reino de deus aula 02
 
No Controle da Sua Vida
No Controle da Sua VidaNo Controle da Sua Vida
No Controle da Sua Vida
 
Encontro Com Deus
Encontro Com DeusEncontro Com Deus
Encontro Com Deus
 

Mais de Luciane tonete

Ho'oponopono sabedoria havaina para uma vida melhor
Ho'oponopono   sabedoria havaina para uma vida melhorHo'oponopono   sabedoria havaina para uma vida melhor
Ho'oponopono sabedoria havaina para uma vida melhor
Luciane tonete
 
INVOCAÇÃO PARA O PERÍODO DA FESTA DE HALLOWEEN
INVOCAÇÃO PARA O PERÍODO DA FESTA DE HALLOWEENINVOCAÇÃO PARA O PERÍODO DA FESTA DE HALLOWEEN
INVOCAÇÃO PARA O PERÍODO DA FESTA DE HALLOWEEN
Luciane tonete
 
Os sete sacramentos correspondem aos sete raios divinos
Os sete sacramentos correspondem aos sete raios divinosOs sete sacramentos correspondem aos sete raios divinos
Os sete sacramentos correspondem aos sete raios divinos
Luciane tonete
 
Decretos
DecretosDecretos
Decretos
Luciane tonete
 
Portifólio 2015
Portifólio 2015Portifólio 2015
Portifólio 2015
Luciane tonete
 
Minicontos
MinicontosMinicontos
Minicontos
Luciane tonete
 
Um dia na escola de meu filho
Um dia na escola de meu filhoUm dia na escola de meu filho
Um dia na escola de meu filho
Luciane tonete
 
Praticas de sala de Leitura Professor Antonio Rocco
Praticas de sala de Leitura Professor Antonio RoccoPraticas de sala de Leitura Professor Antonio Rocco
Praticas de sala de Leitura Professor Antonio Rocco
Luciane tonete
 
Homenagem ao dia da Mulher
Homenagem ao dia da MulherHomenagem ao dia da Mulher
Homenagem ao dia da Mulher
Luciane tonete
 
Culto cívico
Culto cívicoCulto cívico
Culto cívico
Luciane tonete
 
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leituraPlanejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
Luciane tonete
 
Portifólio da Sala de Leitura Professor Antônio Rocco - 1º semestre 2014
Portifólio da Sala de Leitura Professor Antônio Rocco - 1º semestre 2014Portifólio da Sala de Leitura Professor Antônio Rocco - 1º semestre 2014
Portifólio da Sala de Leitura Professor Antônio Rocco - 1º semestre 2014
Luciane tonete
 
Sala de leitura professor antônio rocco
Sala de leitura professor antônio roccoSala de leitura professor antônio rocco
Sala de leitura professor antônio rocco
Luciane tonete
 
Religiões
ReligiõesReligiões
Religiões
Luciane tonete
 
Proj cartograficas (2)
Proj cartograficas (2)Proj cartograficas (2)
Proj cartograficas (2)
Luciane tonete
 
Produto final informática
Produto final informáticaProduto final informática
Produto final informática
Luciane tonete
 
Progress e meio ambiente
Progress e meio ambienteProgress e meio ambiente
Progress e meio ambiente
Luciane tonete
 
Trabalho de geografia 4º Bimestre
Trabalho de geografia 4º BimestreTrabalho de geografia 4º Bimestre
Trabalho de geografia 4º Bimestre
Luciane tonete
 
Historia do meu município_Macaubal
Historia do meu município_MacaubalHistoria do meu município_Macaubal
Historia do meu município_Macaubal
Luciane tonete
 
Poesias fernando pessoa
Poesias fernando pessoaPoesias fernando pessoa
Poesias fernando pessoa
Luciane tonete
 

Mais de Luciane tonete (20)

Ho'oponopono sabedoria havaina para uma vida melhor
Ho'oponopono   sabedoria havaina para uma vida melhorHo'oponopono   sabedoria havaina para uma vida melhor
Ho'oponopono sabedoria havaina para uma vida melhor
 
INVOCAÇÃO PARA O PERÍODO DA FESTA DE HALLOWEEN
INVOCAÇÃO PARA O PERÍODO DA FESTA DE HALLOWEENINVOCAÇÃO PARA O PERÍODO DA FESTA DE HALLOWEEN
INVOCAÇÃO PARA O PERÍODO DA FESTA DE HALLOWEEN
 
Os sete sacramentos correspondem aos sete raios divinos
Os sete sacramentos correspondem aos sete raios divinosOs sete sacramentos correspondem aos sete raios divinos
Os sete sacramentos correspondem aos sete raios divinos
 
Decretos
DecretosDecretos
Decretos
 
Portifólio 2015
Portifólio 2015Portifólio 2015
Portifólio 2015
 
Minicontos
MinicontosMinicontos
Minicontos
 
Um dia na escola de meu filho
Um dia na escola de meu filhoUm dia na escola de meu filho
Um dia na escola de meu filho
 
Praticas de sala de Leitura Professor Antonio Rocco
Praticas de sala de Leitura Professor Antonio RoccoPraticas de sala de Leitura Professor Antonio Rocco
Praticas de sala de Leitura Professor Antonio Rocco
 
Homenagem ao dia da Mulher
Homenagem ao dia da MulherHomenagem ao dia da Mulher
Homenagem ao dia da Mulher
 
Culto cívico
Culto cívicoCulto cívico
Culto cívico
 
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leituraPlanejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
 
Portifólio da Sala de Leitura Professor Antônio Rocco - 1º semestre 2014
Portifólio da Sala de Leitura Professor Antônio Rocco - 1º semestre 2014Portifólio da Sala de Leitura Professor Antônio Rocco - 1º semestre 2014
Portifólio da Sala de Leitura Professor Antônio Rocco - 1º semestre 2014
 
Sala de leitura professor antônio rocco
Sala de leitura professor antônio roccoSala de leitura professor antônio rocco
Sala de leitura professor antônio rocco
 
Religiões
ReligiõesReligiões
Religiões
 
Proj cartograficas (2)
Proj cartograficas (2)Proj cartograficas (2)
Proj cartograficas (2)
 
Produto final informática
Produto final informáticaProduto final informática
Produto final informática
 
Progress e meio ambiente
Progress e meio ambienteProgress e meio ambiente
Progress e meio ambiente
 
Trabalho de geografia 4º Bimestre
Trabalho de geografia 4º BimestreTrabalho de geografia 4º Bimestre
Trabalho de geografia 4º Bimestre
 
Historia do meu município_Macaubal
Historia do meu município_MacaubalHistoria do meu município_Macaubal
Historia do meu município_Macaubal
 
Poesias fernando pessoa
Poesias fernando pessoaPoesias fernando pessoa
Poesias fernando pessoa
 

Preparação para batismo

  • 1. ENCONTRO DE PRESPARAÇÃO PARA O BATISMO
  • 2. Pastoral do Batismo Neide Marques Moraes Luciane Aparecida Assunção Tonete Paulo de Oliveira Caíres Jaime Pascoalão
  • 4. Plano de Deus Um dia ... Começam sempre assim as lindas histórias infantis. Um dia Deus cansou-se de só contemplar a SI mesmo e resolveu ser CRIADOR.
  • 5. Começou a lidar com o tempo e não teve muita pressa! Há bilhões de anos teria começado com a criação do céu e da terra.
  • 6. Como a terra estava vazia criou em seguida o Reino Mineral, as águas (mares e rios) e Depois o Reino Vegetal (ervas, árvores frutíferas e todas as plantas) e por fim o reino Animal ( os animais, as aves, peixes, repteis...) Os rios e mares, as árvores, as flores e os animais começaram a enfeitar e perfumar o Paraíso, futura casa de um morador muito importante para Deus – O HOMEM!
  • 7. Deus viu que tudo era bom, criou todas essas coisas com muito amor e por fim disse: _ Façamos o homem a nossa imagem e semelhança e que ele reine sobre a Terra... Criou-o a imagem e semelhança de Deus, criou o homem e a mulher... Abençoou e falou: ―multplicai-vos, enchei a terra e submetei-a‖.
  • 8. Deus Pai, Filho e Espírito Santo é essencialmente Amor e Amor que um dia quis se comunicar e se comunicou pela Criação. Deus criou o homem como filho. _ O que é ser Filho? É ter a mesma natureza que os pais. Deus _ Amor comunicou-se com tal intimidade, doou-se de tal maneira, que ―plantou‖ no homem a sua natureza Divina, tornando-o semelhante a SI.
  • 9. Deus pôde então realizar seu sonho de Pai: amar a imagem do seu Filho, o homem com mesmo amor que ama seu Próprio Filho. O homem passa a participar da vida de Deus, da natureza divina. Tem a fisionomia de Deus, pois Deus vem morar nele através da GRAÇA Divina. É ela verdadeiro elo entre Deus e o homem, é a Vida de Deus no Homem. A Graça, a Vida Divina já está presente no Homem: o bem, o belo, o verdadeiro, o justo e o amável tudo é Graça.
  • 10. Esse homem foi criado por Deus para ser Feliz, foi dotado da inteligência para dominar esse mundo, da liberdade para direcionar sua vida. Vivia no Paraíso, na amizade de Deus, entretanto, no seu egoísmo ele estragou tudo. O drama começou quando o homem num ato de rebeldia desobedeceu a Deus. O Plano de Deus era realizar a felicidade do Homem, como filho de Deus, entretanto, o homem quis construir o seu próprio plano, não aceitou o plano de Deus e disse NÃO! A seu Criador e com
  • 11. Isso destruiu o Plano de sua Felicidade. A proposta de Deus era:  A Vida. A Resposta do Homem doi:  A Morte. A proposta de Deus era:
  • 12. A Graça. A resposta do homem foi:  Des – Graça! A proposta de Deus era:  Justiça e Santidade.
  • 13. A resposta do homem foi:  Pecado. A proposta de Deus era:  Amizade do Pai.
  • 14. A resposta do homem foi:  Inimizade! Deus entrou com o projeto do Bem; O homem revida com o Mal! A queda do estado de Graça para um estado de pecado chama-se PECADO ORIGINAL, isto é, pecado que dá origem a todos os pecados. O que aconteceu? Nossos primeiros pais (Adão e Eva) diz a Bíblia que comeram da árvore proibida o seu fruto.
  • 15. Que fruto comeram? Maçã mesmo! Ou o quê?
  • 16. Não importa saber o que comeram ou fizeram, se foi gula ou sexo! O que importa é o que a Bíblia quer transmitir: O homem desobedeceu, disse: NÃO a Deus; Não ao Plano do criador! Esse pecado original está acontecendo cada dia. O mundo cria a toda hora situações de pecado com o fruto tentador do EGOÍSMO... Ganância, das injustiças, corrupções, fazendo o home ter quedas, e tentar o Plano de Deus.
  • 17. O homem então desde o início não soube escolher bem e preferiu o caminho do mal, rejeita portanto, a finalidade de sua existência.  Viver a Graça, viver a amizade de Deus. Mas, Deus não desiste e não deixa de Amar esse homem que deliberadamente recusou o seu amor. Ele continua a desenvolver o seu Projeto de vida, o seu Plano de Salvação, chamando o homem para tirá-lo da vida do pecado.
  • 18. Deus quer libertar ―seu filho‖ para continuar aquela história inicial de amor. Ele foi se revelando, foi mostrando o seu carinho e amor pelo homem através das Alianças que fez ao longo da História.  Fez Aliança com nossos primeiros pais: ― Eis que vos dou toda a erva que dá semente sobre a terra e todas as árvores frutíferas... Para que vos sirvam de alimento...‖ ―Multiplicai-vos e enchei a Terra e submetei-a‖.
  • 19.  Fez Aliança através de Noé: ―Entra na arca... Tu e toda tua casa, porque o reconheci justo diante dos meus olhos, entre os de tua geração. De todos os animais... Tomarás um casal, macho e fêmea‖. Saia da arca, com tua mulher, teus filhos e as mulheres de teus filhos. Faze sair igualmente contigo todos os animais... Para que cresçam e se multipliquem sobre a Terra. Com Noé é o começo de uma nova HUMANIDADE.
  • 20. Depois de muito tempo Deus faz Aliança com Abraão, o senhor disse a ele: ― Deixa tua terra, tua família e a casa de teu Pai e vá para a terra que eu te mostrar. Farei de Ti uma grande Nação‖. Da Descendência de Abraão, Deus forma o seu povo, o povo de Israel.
  • 21. Conta a Bíblia que esse povo, entretanto, caiu cativo dos Egípcios, mas, através da Aliança com Moisés, Deus liberta o seu povo. ―Vou libertar-vos dos jugo dos egípcios e livrar-vos da sua servidão...
  • 22. Tomar-vos-ei para meu povo e serei vosso Deus... Introduzir-vos-ei na Terra que jurei dar a Abraão, a Isaac e a Jacó‖. Salvo dos egípcios (com a passagem pelo Mar Vermelho) na sua caminhada pelo deserto, rumo a Terra prometida, Deus revela aos homens os verdadeiros mandamentos divinos.
  • 23. Honra teu pai e tua mãe, para que teus dias se prolonguem sobre a Terra que te dá o Senhor Deus;  Não Matarás.  Não Cometerá Adultério.
  • 24. Não Furtarás.  Não levantarás falso testemunho contra o teu próximo.  Não cobiçarás a casa a casa do teu próximo.  Não cobiçarás a mulher to teu próximo, nem seu escravo, nem sua escrava, nem seu boi, nem seu jumento, nem nada que lhe pertença.
  • 25. Mesmo sabendo da vontade de Deus, dos mandamentos que recebeu, o homem continuava no pecado. Não obediente ao Plano do Pai, então, Deus se comunica com esse homem desobediente através dos Profetas que vem recordar ao povo judeu que a Aliança com Deus era um compromisso de Ambos. Os profetas vieram anunciar a necessária fidelidade a Deus e denunciarem a infidelidade dos homens.
  • 26. Foram muitos os profetas: Isaias ( o maior deles), Daniel, Jeremias, Ezequiel, Ozéias, Jon as, Zacarias, Malaquias, Amós... É Ezequiel que traz a mensagem de Deus> ―Derramarei sobre vós águas puras, que vos purificarão de todas as imundices... Dar-vos - ei um coração novo e em vós porei um Espírito novo; tirar-vos-ei do peito um coração de pedra... Sereis meu povo e Eu serei seu Deus‖.
  • 27. Mas os profetas não foram ouvidos. Entretanto, Deus queria ver o seu Plano de Salvação concretizado, para que o homem volte a sua condição de Filho de Deus, participante da natureza e vida divinas. Faz uma nova e eterna Aliança. Ele vem então se encarnar na natureza humana, torna-se homem, entra de corpo e alma na aventura humana, torna-se um dos ―nossos‖. Vem falar nossa linguagem, comer conosco, em tudo semelhante a nós, menos no pecado. É revestido da segunda pessoa da Santíssima Trindade _ O FILHO, que
  • 29. Os Sacramentos são sinais sensíveis da Graça do amor de Deus. É sinal da grande realidade que Deus comunica aos homens, portanto, o sacramento é sempre algo Palpável, Visível, Externo. Onde se dá um sacramento, ali está a marca de Deus que passa, vindo ao encontro do homem. Esta marca é a graça que santifica, eleva e sobrenaturaliza o homem.
  • 30. Há três realidades a considerar nos sacramentos:  A sua Fonte, que é o próprio Cristo, Verbo de Deus que se fez homem  A sua Força, que é o Espírito santificador  O seu Canal, que é a Igreja
  • 31. Nunca compreenderemos os sacramentos e sua íntima ligação com a Igreja se nos esquecermos do Espírito Santo, que foi enviado como vida e alma da própria Igreja. Em cada sacramento o Espírito Santo age com uma graça específica; purifica o fiel e o insere na Igreja pelo Batismo; confirma-o na fé e lhe dá seus dons e carismas na Confirmação; perdoa-o e o fortalece na Penitência; une-o ao corpo e sangue de Cristo e a seu Sacrifício na Eucaristia; estreita a união de amor do homem e da mulher, à semelhança de Cristo unido à humanidade, no Matrimônio; conforta o homem à função pontifical de Cristo pela Ordem; alenta os doentes e o une ao Cristo sofredor e ressuscitado na Unção dos Enfermos.
  • 32. Diz o ritual: "Ó Deus, pelos sinais visíveis dos sacramentos realizais maravilhas invisíveis. Ao longo da história da salvação vós vos servistes da água para fazer-nos conhecer a graça do batismo. Já na origem do mundo vosso Espírito pairava sobre as águas para que elas concebessem a força de santificar. Nas águas do dilúvio prefigurastes o nascimento da nova humanidade, de que modo que a mesma água sepultasse os vícios e fizesse nascer a santidade. Concedestes aos filhos de Abraão atravessar o mar Vermelho a pé enxuto, para que, livres da escravidão prefigurassem o povo, nascido na água do batismo. Vosso Filho, ao ser batizado nas águas do Jordão, foi ungido pelo Espírito Santo. Pendente da cruz, do seu coração aberto pela lança fez correr sangue e água" (cf. Ritual do Batismo, Benção da Água Batismal)
  • 33. A palavra Igreja vem do grego, EKLÉSIA, que significa REUNIÃO DOS CONVOCADOS, cuja missão é EVANGELIZAR, quer dizer comunicar a salvação de Deus que veio por Jesus Cristo. A Igreja realiza esta tarefa, através da pregação e do exemplo (gestos fraternos), revelando: o amor de Deus; sua proposta de conversão para todos; sua preferência pelos mais pobres; e sua proposta de transformação da sociedade, a caminho do reino definitivo. A Igreja tem sempre três dimensões essenciais e que se completam.
  • 34. Os sacramentos são gestos e expressões de fé, de união, da graça e da benção de Deus, que nos levam a nos comprometer cada vez mais com nossos irmãos. Ao longo de nossa vida há acontecimentos e sinais que representam a nossa fé em Deus. Os sacramentos representam o início de nossa fé e a maturidade da mesma.  São sete sinais de fé e vida que selam o nosso compromisso com Deus e com a comunidade formando assim uma relação trinitária, como é o amor da Trindade Eterna. Deus + Eu + Comunidade
  • 35. BATISMO: Matéria – água Forma – ―Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.‖ Graça – Apaga o pecado original – nos torna filhos de Deus – é o nascimento espiritual. CRISMA: Matéria – o óleo sagrado chamado Santo Crisma. Forma – ―Eu te marco com o Sinal da Cruz e te Confirmo com o Crisma da Salvação, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.‖ Graça – Nos confirma na Fé, nos torna Soldados de Cristo – é o crescimento espiritual.
  • 36. EUCARISTIA: Matéria - O pão e o vinho consagrados na Santa Missa. Forma - "Isto é o meu Corpo" - para a consagração do pão; "Este é o cálice do meu sangue, do sangue da nova e eterna aliança, mistério da Fé, que será derramado para vós e para muitos para o perdão dos pecados" -, para a consagração do vinho. Graça - É a presença do próprio Jesus Cristo na nossa alma, com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade - é o alimento espiritual. CONFISSÃO: Matéria - Os pecados confessados diante do Padre. Forma - "Eu te absolvo dos teus pecados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém." Graça - O perdão dos pecados - devolve a graça santificante - é o remédio espiritual.
  • 37. EXTREMA UNÇÃO: Matéria - O óleo sagrado chamado Óleo dos Enfermos. Forma - "Por esta santa unção, que o Senhor te perdoe todos os pecados que fizeste pela... (a unção é feita nos olhos, boca, ouvido, nariz, mãos e pés)." Graça - Prepara nossa alma para ir para o Céu - apaga os pecados veniais, as imperfeições e até pecados mortais - reanima o corpo doente. ORDEM: Matéria - A imposição das mãos pelo Bispo. Forma - A oração consecratória na ordenação sacerdotal. Graça - Dá ao Padre o poder de celebrar a Missa e outros Sacramentos. MATRIMÔNIO: Matéria - O contrato entre os noivos. Forma - A aceitação pública do contrato - o "sim". Graça - Capacidade de ter e educar os filhos, viverem juntos em harmonia, e buscando a vida eterna.
  • 38. Leituras:  2 Reis 5,1.9-10 – pg. 404 Bíblia Pastoral  Evangelho de São João 3,1-7 pg. 1356 Bíblia Pastoral
  • 39. O santo Batismo é o fundamento de toda a vida cristã, a porta da vida no Espírito e a porta que abre o acesso aos demais sacramentos. Pelo Batismo somos libertados do pecado e regenerados como filhos de Deus, tornamo-nos membros de Cristo, somos incorporados à Igreja e feitos participantes de sua missão: "Baptismus est sacramentum regenerationis per aquam in verbo - O Batismo é o sacramento da regeneração pela água na Palavra". Quando recebemos o Sacramento do Batismo, transformamo-nos de criaturas para Filhos Amados de Deus. Muitos pensam que os sacramentos em geral são obras eclesiásticas, ou seja, os sacramentos são "invenções" da Igreja. Isso não é verdade, os sacramentos são sem sombra de dúvidas criadas por Jesus Cristo, o próprio Deus Encarnado.
  • 40. Pelo Batismo, todos os pecados são perdoados: o pecado original e todos os pecados pessoais, nos tornamos templos da Santíssima Trindade. Nos livramos do Pecado Original ( que é o estado negativo da ignorância) Quando uma criança nasce, ela nasce em tudo o que representa seu meio, para a crença coletiva, sujeita ao ambiente mental de seus pais conforme Romanos 12,2. ―Não se amoldem pelas estruturas deste mundo, mas transformem-se pela renovação da mente, a fim de distinguir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que é agradável a Ele.‖
  • 41.  O Batismo não somente purifica de todos os pecados, como também faz do batizado uma nova criatura ( 2 Coríntios 5,17) um Filho adotivo de Deus que se tornou participante de sua natureza Divina. Por isso os pais devem rezar com seus filhos e dedicá-los a Deus.  O batismo nos faz membros do corpo de Cristo: ―somos membros uns dos outros‖ conforme Efesíos 4,25. Devemos demonstrar Deus em nosso Atos. Nossas crianças devem aprender bem cedo que é filha de Deus, que Deus mora nela, por isso batizamos nossos filhos pequenos.
  • 42. O Batismo marca o cristão com o sinal espiritual (caráter) de sua presença em Cristo.
  • 43. Aqueles que se aproximam do sacramento da Penitência obtêm da misericórdia divina o perdão da ofensa feita a Deus e ao mesmo tempo são reconciliados com a Igreja que feriram pecando, e a qual colabora para sua conversão com caridade, exemplo e orações.
  • 44. Esse sacramento chama-se: 1. sacramento da Conversão (caminho de volta ao Pai); 2. da Penitência (esforço de conversão, de arrependimento e de satisfação por parte do cristão pecador); 3. da Confissão, porque a declaração, a confissão dos pecados diante do sacerdote é um elemento essencial desse sacramento, além da confissão que se faz da santidade de Deus e de sua misericórdia para com o homem pecador; 4. do Perdão, porque, pela absolvição sacramental do sacerdote, Deus concede "o perdão e a paz";
  • 45. 5. da Reconciliação: porque dá ao pecador o amor de Deus que reconcilia. Quem vive do amor misericordioso de Deus está pronto a responder ao apelo do Senhor: "Vai primeiro reconciliar-te com teu irmão" (Mt 5,24). A Confissão é necessária porque Jesus nos convida à conversão. A primeira e fundamental conversão é selada com o Batismo. A segunda conversão é uma tarefa ininterrupta para toda a Igreja, e Cristo nos convida pela vida toda a realizá-la. Santo Ambrósio diz que na Igreja existem a água e as lágrimas: a água do Batismo e as lágrimas da Penitência
  • 46. Na última ceia, na noite em que foi entregue, nosso Salvador institui o Sacrifício Eucarístico de seu Corpo e Sangue. Por ele, perpetua pelos séculos, até que volte, o sacrifício da cruz, confiando destarte à Igreja, sua dileta esposa, o memorial de sua morte e ressurreição: sacramento da piedade, sinal da unidade, vínculo da caridade, banquete pascal em que Cristo é recebido como alimento, o espírito é cumulado de graça e nos é dado o penhor da glória futura. Muitos pensam que os Sacramentos são obras eclesiásticas, ou seja, criadas pela Igreja, mas isso não é verdade, todos os Sacramentos são sinais da graça de Deus que são expressos sem sombra de dúvidas na Palavra de Deus. Por exemplo: a presença de Jesus no Pão e no Vinho, é bem explicada nas Escrituras que relatam a última refeição de Cristo com os Apóstolos: A Santa Ceia.
  • 47. Receber a na Comunhão traz como fruto principal a União íntima com Jesus Cristo, pois o Senhor diz: Quem come minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. A Comunhão separa-nos do Pecado; Por isso a Eucarístia fortalece a Caridade.
  • 48. Pelo sacramento da Confirmação, os fiéis são vinculados perfeitamente a Igreja, enriquecidos pela força especial do Espírito Santo, e assim mais estritamente obrigados a fé que , como verdadeiras testemunhas de Cristo, devem difundir e defender tanto por palavras como por obras (Cf. Lg, 11) Da celebração ressalta que o efeito do sacramento da confirmação é a EFUSÃO DO ESPÍRITO SANTO, como no dia de Pentecostes
  • 49. Sabedoria:Não a sabedoria do mundo, mas aquela que nos faz reconhecer e buscar a verdade, que é o próprio Deus: fonte da sabedoria. Verdade que encontramos na Bíblia. Entendimento:É o dom que nos faz aceitar as verdades reveladas por Deus. Conselho:É a luz que nos dá o Espírito Santo, para distinguirmos o certo do errado, o verdadeiro do falso, e assim orientarmos acerdatamente a nossa vida, e a de quem pede um conselho. de ofender ou desagradar a Deus.
  • 50. Ciência: Não é a ciência do mundo, mas a ciência de Deus. A verdade que é vida. por esse dom o Espírito Santo nos indica o caminho a seguir na realização da nossa vocação. Fortaleza: É o dom da coragem para viver fielmente a fé no dia-a-dia, e até mesmo o martírio, se for preciso. Piedade: É o dom pelo qual o Espírito Santo nos dá o gosto de amar e servir a Deus com alegria. Nesse dom nos é dado o sabor das coisas de Deus. Temor de Deus:Temor aqui não significa "ter medo de Deus", mas um amor tão grande, que queima o coração de Respeito por Deus. Não é um pavor pela justiça divina, mas o receio
  • 51. É o sacramento que a Igreja dá ao cristão em estado de enfermidade grave ou velhice para atrair a saúde da alma, espírito e corpo. A Unção dos enfermos antes era conhecida como "Extrema Unção", pois só era administrada "in articulo mortis" (a ponto de morrer). Atualmente o sacramento pode ser administrado mais de uma vez, sempre que for em caso de doença grave
  • 52. A unção une o enfermo à Paixão de Cristo para seu bem e o de toda a Igreja; obtém consolo, paz e ânimo; obtém o perdão dos pecados (se o enfermo não pôde obtê-lo pelo sacramento da reconciliação), restabelece a saúde corporal (se convém à saúde espiritual) e prepara para a passagem para a vida eterna.
  • 53. Pela graça deste sacramento, o enfermo recebe a força e o dom de unir-se mais intimamente à Paixão de Cristo. Dá o perdão dos pecados, se o doente não puder obtê-lo pelo sacramento da Penitência. Confere o restabelecimento da saúde, se isto convier à salvação Espiritual e nos prepara a passagem à Vida Eterna.
  • 54. A Ordem é o sacramento que transforma o leigo em diácono, o diácono em sacerdote e o sacerdote em bispo. É o sacramento graças ao qual a missão confiada por Cristo a seus Apóstolos continua sendo exercida na Igreja até o fim dos tempos; é o sacramento do ministério apostólico. Possui três graus: o diaconato (para diáconos) o presbiterado (para padres) e o episcopado (para bispos).
  • 55. O sacramento da Ordem é concedido uma vez por todas, ou seja, não pode ser repetido, pois confere um caráter espiritual indelével, ou seja, para sempre. Assim, um padre que deixe o ministério para casar- se, por exemplo, continua sendo padre. Se ficar viúvo e quiser voltar a exercer o ministério, não precisa ser ordenado novamente, bastando seguir as orientações da Igreja a esse respeito.
  • 56.  Constitui os ministros sagrados;  Consagra e delega o ministro para Agir, fazendo as vezes de Cristo;  Configura o ministro a Cristo Pastor;  Leva o ministro a desempenhar a função de: ENSIN AR SANTIFICAR e GOVERNAR.
  • 57. A aliança matrimonial, pela qual o homem e a mulher constituem entre si uma comunhão da vida toda, ordenada ao bem dos cônjuges e à geração e educação dos filhos, foi elevada, entre os que são batizados, à dignidade de sacramento, por Cristo Senhor
  • 58. Diz Jesus em Mt 19,6: "De modo que já não são dois, mas uma só carne". Isso mostra uma unidade profunda de duas vidas, confirmadas pelo pacto conjugal, ou seja, o consentimento pessoal irrevogável. O sacramento do Matrimônio significa a união de Cristo com a Igreja.
  • 59. Diz Jesus em Mt 19,6: "De modo que já não são dois, mas uma só carne". Isso mostra uma unidade profunda de duas vidas, confirmadas pelo pacto conjugal, ou seja, o consentimento pessoal irrevogável. O sacramento do Matrimônio significa a união de Cristo com a Igreja.
  • 60. Concede aos esposos a graça de se amarem com o mesmo amor com que Cristo amou a sua Igreja. A graça do sacramento leva à perfeição o amor humano dos esposos, consolida sua unidade indissolúvel e os santifica no caminho da vida eterna. Se os cônjuges separam-se, divorciam- se, separam algo que Deus uniu. O novo casamento dos divorciados ainda em vida do legítimo cônjuge contraria o desígnio e a lei de Deus, que Cristo nos ensinou. Eles não estão separados da Igreja, mas não têm acesso à comunhão eucarística. Levarão vida cristã principalmente educando seus filhos na fé.
  • 61. O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. Por isso, o lar é chamado, com toda razão, de "Igreja doméstica", comunidade de graça e de oração, escola das virtudes humanas e da caridade cristã.
  • 62. A Educação pela fé: A conseqüência, para os pais que pedem o batismo para seus filhos, é o compromisso, já assumido na celebração do casamento, de educá-los na fé, dentro da comunidade eclesial. Pelo Batismo as crianças se tornam parte da Igreja. E naquele dia seus pais disseram que iam ajudá-las a crescer na fé, observando os Mandamentos e vivendo na comunidade dos seguidores de Jesus
  • 63. A colaboração dos padrinhos: No cumprimento deste compromisso de educar seus filhos na fé, os pais são ajudados pelos padrinhos. Depois dos pais, padrinho e madrinha representam a Igreja, nossa Mãe, "que, pela pregação e pelo batismo, gera, para uma vida nova e imortal, os filhos concebidos do Espírito Santo e nascidos de Deus" (LG 64). Representam a Comunidade que, ao enriquecer- se com a entrada de um novo membro, vê sua responsabilidade também acrescida.
  • 64. Os padrinhos, assim como os pais, são responsáveis pela formação religiosa de seus afilhados. Devem acompanhá-los em sua caminhada na Igreja e garantir-lhes uma vida cristã, dando-lhes o exemplo e o testemunho de fé.
  • 65. Os padrinhos, assim como os pais, são responsáveis pela formação religiosa de seus afilhados. Devem acompanhá-los em sua caminhada na Igreja e garantir-lhes uma vida cristã, dando-lhes o exemplo e o testemunho de fé.
  • 66.  Lidar com as crianças exige calma, observação e pedagogia, sobretudo, muito amor. Porque na base do castigo e da repreensão, ninguém conseguirá educá-la;  Os Padrinhos, que foram escolhidos com tanto amor, devem procurar dar o bom exemplo e quando necessário, devem dar bons conselhos ao afilhado.
  • 67.  Os filhos são imitadores e copiam tudo os que os pais e familiares fazem.  Vem daí a importância de se ter um ambiente que favoreça a descoberta de Deus e do seu amor por nós. Temos o dever de educar para:  A importância da formação do caráter;  Diálogo;  Aconselhamento
  • 68. 1. Para alguém ser padrinho ou madrinha é necessário: a) Ser designado pelo próprio batizado, se adulto, por seus pais, ou por quem lhes faz as vezes, na falta deles, pelo próprio pároco ou ministro, e ter aptidão e intenção de cumprir as obrigações desse encargo; b) Ter completado dezesseis anos de idade. c) Ser católico, confirmado, já tenha recebido o santíssimo sacramento da Eucaristia e leve uma vida de acordo com a Fé e o encargo que vai assumir. d) Não tenha sido atingido por nenhuma pena canônica legitimamente declarada; e) Não ser pai ou mãe do batizando. (cf. Cân. 874, § 1); f) Participar de preparação feita em data antecedente à do Batismo.
  • 69.  Padrinho, madrinha (paizinho, mãezinha);  Os padrinhos devem ajudar os pais para que os afilhados cresçam na fé e ame sempre a Deus;  Na falta ou incapacidade dos pais, eles assumem a responsabilidade de ajudar o afilhado a viver a sua fé, e se for necessário, até na educação humana e social.  Devem ter boa formação cristã, ser pessoa de comunhão com Cristo, de oração e piedade.  Os padrinhos devem zelar para que os afilhados sejam evangelizados, vivam a religião, participe da Igreja e torne-se um Evangelizador.
  • 70. O Símbolo Batismal mais importante é a ―Água‖. No início do mundo o Espírito de Deus pairava sobre as águas, das quais emergem a terra e todos os seres vivos. À semelhança do que aconteceu na criação, das águas do Batismo santificadas pelo Espírito Santo emerge uma nova criatura. A Mãe Igreja, pelas águas do Batismo, fecundadas pelo Espírito Santo, dá à luz novos filhos. Jesus fala deste novo nascimento no diálogo com Nicodemos. (Jo 3, 1-13) A imagem do dilúvio e do Mar Vermelho confere outro significado à água do Batismo: a água destrói, mata, mas ao mesmo tempo é meio de salvação. Como as águas do dilúvio submergiram um mundo pecador, e como as águas do Mar Vermelho afogaram a cavalaria do Faraó que perseguia o povo que fugia da escravidão, assim também as águas batismais destroem o pecado, afogam o inimigo, exterminam e cancela o mal. A destruição por sua vez é via para a libertação. No dilúvio foram poupados os justos; e das águas do Mar Vermelho saiu um povo livre e em festa. Da mesma forma, das águas do Batismo sai uma pessoa purificada das culpas, libertada da escravidão do pecado e do demônio (terá as tentações do maligno como todas as criaturas, mas não será escravo de satanás). Assim, a ―Água‖ é apenas um Símbolo, ela não tem a força e nem o poder de purificar o pecado. É o Espírito Santo que nela atua em todos os acontecimentos e no momento do Batismo, Ele, com a força e o poder Divino destrói todo o mal que existe e proporciona a alegria de uma nova vida.
  • 71. ―Sinal da Cruz‖. Após o diálogo introdutório em que os Pais pedem o Batismo para a criança, o sacerdote convida-lhes a traçarem o ―Sinal da Cruz‖ na fronte da criança. Este gesto tem grande significação. Ele quer exprimir o primeiro encontro da criança com a fé em Jesus Cristo e na Salvação pela morte redentora do Senhor na Cruz. Porque foi pela morte Dele que nos reconciliamos com o Pai Eterno e fomos inseridos na amizade da Santíssima Trindade. O Sinal da Cruz relembra esta verdade histórica. Assim, convidando os Pais a realizarem aquele gesto, o sacerdote está dizendo que a salvação de Deus vem à criança através da fé dos pais, pois eles, pelo Sacramento do Matrimônio, são constituídos mediadores entre Deus e o filho, exercendo a função sacerdotal. Os Pais receberam de Deus pela própria missão criadora e pela graça do Sacramento do Matrimônio, o poder de abençoar os filhos. Por isso, eles são convidados por Deus a adquirirem o costume de abençoarem os seus filhos enquanto
  • 72. Anúncio da Palavra de Deus‖: Ela ilumina com a verdade revelada os candidatos e a assembléia, suscitando uma resposta de fé. Como o Batismo significa libertação do pecado e do demônio, durante a celebração o celebrante pronuncia um ou vários exorcismos sobre o candidato.
  • 73. Há dois ritos de Unção no Batismo. A primeira ―Unção‖ é feita antes da ―infusão da água‖, durante as preces após a Liturgia da Palavra. É a Unção com óleo chamado dos Catecúmenos. O sacerdote unge o peito da criança, dizendo: ―O Cristo Salvador te dê sua força. Que ela penetre em tua vida como este óleo em teu peito‖. Este rito pode ser substituído por uma imposição das mãos do celebrante, sobre a cabeça da criança, dizendo as palavras: ―O Cristo Salvador te dê Sua força‖. É uma invocação ao Espírito Santo para que o batizando renuncie ao mal e faça uma boa profissão de fé.
  • 74. Na parte final do Batizado é feita a segunda ―Unção com Óleo da Crisma‖. No Antigo Testamento era comum ungir os sacerdotes, reis e profetas. Também Cristo foi ungido pelo Espírito Santo de um modo muito especial. Então esta Unção quer significar que pelo Batismo nos tornamos participantes do poder messiânico de Jesus. E também, conforme a primeira epístola de São Pedro (1 Pedro 2, 9-10) nos tornamos raça eleita com Cristo, reis (rainhas), sacerdotes (sacerdotisas) e profetas (profetisas).
  • 75. Rito do Éfeta”.  É um rito facultativo, realizado logo após a entrega da vela acesa. É uma palavra aramaica que significa ―abre- te‖. O Celebrante toca os ouvidos e a boca da criança, dizendo: ―O Senhor Jesus que fez os surdos ouvir e os mudos falar, te conceda que possas logo ouvir a sua palavra e professar a fé, para louvor e glória de Deus Pai‖.  Pelo Batismo, o Senhor através do Espírito Santo, abre os ouvidos do batizando para que ouça e entenda a Palavra de Deus, solta a sua língua e lhe abre a boca para poder professar a sua fé. Os Pais são os instrumentos desta mensagem, que por sua mediação deverão fazê-la chegar às crianças. Na continuidade, os filhos atingindo o uso da razão poderão dizer: agora eu creio, porque eu mesmo conheço o Senhor Jesus Cristo.
  • 76. Na vida das famílias o Sal tem duas grandes finalidades: ―dar sabor‖ e ―conservar‖ os alimentos. Como Símbolo religioso o Sal significa: ―ser o tempero, ser o exemplo‖ que estimulará os irmãos a caminhar na estrada do direito, da justiça e do amor fraterno; ―dando sabor‖ ao apetite humano, para ter fome da Palavra de Deus. Todavia, o novo Rito do Batismo de Crianças aboliu o Rito do Sal. A razão principal foi por motivo higiênico. Como derradeira notícia, no Catecismo da Igreja Católica está escrito: ―Jesus mesmo afirma que o Batismo é necessário para a salvação‖. Tanto é verdade que Ele ordenou a seus Discípulos que anunciassem o Evangelho e batizassem todas as nações conforme está escrito no Novo Testamento (Mt 28, 18-20)(Mc 16, 15-16) (Lc 24, 46-47). A Igreja não conhece outro meio senão o Batismo para garantir êxito aos que querem entrar na bem-aventurança eterna.
  • 77. Quando há garantias de que a pessoa foi batizada segundo o rito prescrito por essas Igrejas, não se pode rebatizar, nem sob condição. Essas Igrejas são: a) Igrejas presbiterianas; b) Igrejas batistas; c) Igrejas congregacionais; d) Igrejas adventistas; e) a maioria das Igrejas pentecostais; f) Exército de Salvação. Este grupo não costuma batizar, mas, quando o faz, realiza-o de modo válido quanto ao rito.
  • 78. Há Igrejas de cujo batismo se pode prudentemente duvidar e, por essa razão, requer-se, como norma geral, a administração de um novo batismo, sob condição. Essas Igrejas são: a) Igrejas pentecostais que utilizam a fórmula ‗eu te batizo em nome do Senhor Jesus‘, como a Igreja Pentecostal Unida do Brasil, ou a Congregação Cristã no Brasil (que a permite como alternativa à tradicional fórmula trinitária); b) ‗Igrejas Brasileiras‘, ou seja o conjunto de grupos (pelo menos, trinta diferentes) [...]. Embora não se possa levantar nenhuma objeção quanto à matéria ou à forma empregadas por esses grupos, contudo, pode-se e deve- se duvidar da intenção de seus ministros.
  • 79. Com certeza, batizam invalidamente: a) Mórmons: negam a divindade de Cristo, e introduzem um conjunto de crenças que conflitam por inteiro com a fé cristã; b) Testemunhas de Jeová, que, mais do que um grupo cristão, deveriam ser consideradas como um grupo neo-judaico; c) Ciência Cristã: o rito que pratica, sob o nome de batismo, possui matéria e forma certamente inválidas. d) Certos grupos não propriamente cristãos, como a Umbanda, que praticam ritos denominados de ‗batismo‘, mas que se afastam substancialmente da prática católica.‖ (Guia Ecumênico, 2003, 3ª edição revista, ampliada e adaptada ao Código de Direito Canônico de 1983 e ao Diretório Ecumênico de 1993).*
  • 80.  Ritos Iniciais:  A Acolhida: O ministro que preside a celebração do Batismo, saúda os pais e manifesta a alegria da com unidade em receber seus filhos para serem batizados. Os pais bendizem a Deus pelo dom da fecundidade e pela graça da fé que Deus concede a eles e a seus filhos.
  • 81. O Nome da Criança Deus nos conhece e nos chama pelo nome e para ele cada pessoa é importante e única, com o seu próprio modo de ser. O nome vem significar a Missão que se recebe na História da Salvação.
  • 82. O Sinal da Cruz na testa da Criança. O Ministro traça uma cruz na testa da criança como polegar. Essa cruz simboliza a pertença ao povo da nova aliança. Quem é marcado Com a cruz, pertence a Cristo e a Sua Igreja. Não pode ser escravo de Outros senhores nem adorar Outros deuses.
  • 83.  As leituras e a Homilia Nos recordam que Deus interveio realmente em nossa história, e a homilia testemunha, aqui e agora. A intervenção de Deus Vivo em Jesus Cristo e no Dom do Espírito Santo. A palavra de Deus é proclamada e acolhida na fé. E a realidade do Batismo só é conhecida e acolhida através da Fé. A liturgia da Palavra nos prepara para a Profissão de é. Pois a Fé nasce e se alimenta da palavra de Deus.
  • 84. Neste instante a liturgia batismal, a Igreja Peregrina na Terra, se une à Igreja Triunfante no céu para pedir a graça de Deus para aqueles que ainda se encontram na Igreja terrena. É a isso que chamamos de Comunhão dos Santos.  A unção com óleo dos catecúmenos significa força, coragem, resistência e a proteção que o novo cristão batizado vai precisar para permanecer fiel a Cristo e a sua Fé!
  • 85.  A liturgia sacramental compreende a oração sobre a água, as promessas do batismo, o batismo, a unção com o crisma, a veste branca, a entrega da vela acesa e o "efeta". a) Oração sobre a água • Junto à fonte batismal, o celebrante bendiz a Deus, recordando o admirável plano segundo o qual Deus quis santificar o homem, pela água e pelo Espírito. • Diante de nossos olhos passam as principais figuras do batismo presentes na história da salvação: a criação (Gn 1,2.6-10; 1,21- 22), o dilúvio (Gn 7,9), a travessia do Mar Vermelho (Ex 14,15-22), o batismo de Jesus nas águas do Jordão (Mt 3,13-17), a água que correu do lado aberto de Cristo na Cruz (Jo 19,34). • O simbolismo da água é de fundamental importância para se compreender a significação do batismo. • Mergulhar e sair da água significa morrer e ressurgir
  • 86. b) As promessas do Batismo • Antes do batismo, os pais e padrinhos, em nome dos batizados, proferem as promessas batismais, renunciando ao pecado e proclamando a fé em Jesus Cristo. • Na fé da Igreja, as crianças são batizadas; no compromisso de viverem autenticamente como filhos de Deus, como irmãos, como seguidores de Cristo, pais e padrinhos se propõem a educar a fé de seus filhos e afilhados, pelo testemunho de vida, pela palavra, pela vivência comunitária e pela participação da liturgia • Renúncia  Renuncia-se ao pecado e às suas manifestações, ou então, ao demônio, autor e princípio do pecado, às suas obras e seduções. • Profissão de fé  A contrapartida da renúncia é a profissão de fé. Imediatamente antes do rito da água, os que participam da celebração do batismo professam a fé.
  • 87. Logo depois do batismo com água, a criança é ungida com o santo crisma. A missão que Cristo confia aos batizados é, portanto, tríplice: sacerdotal, profética e real-pastoral.
  • 88. Missão sacerdotal 127. O povo cristão, por força do batismo, oferece sua vida a Deus e aos irmãos no serviço de cada dia (cf. Rm 12,1; 1Jo 3,16) e, como fonte e cume desta doação, participa "conscia, plena e ativamente das celebrações litúrgicas" (SC 14). "Os fiéis são consagrados para formar um povo de sacerdotes e reis (cf. 1Pd 2,4-10), de sorte que... por toda parte dêem testemunho de Cristo" (AA 3). Missão profética 128. Onde quer que vivam, pelo exemplo da vida e pelo testemunho da palavra, devem todos os cristãos manifestar o novo homem que pelo batismo vestiram" (AA, 11). "Os fiéis são obrigados a professar diante dos homens a fé que receberam de Deus pela Igreja" (LG 11). Missão real-pastoral 129. Cristo é o Rei e o Senhor do mundo inteiro. Os batizados têm a missão de se esforçar para que todos os homens aceitem e amem a Cristo Senhor (cf. AG 36). Os cristãos, vivendo seu compromisso, são como o fermento que vai transformando o mundo, segundo o plano de Deus (cf. AG 15).
  • 89.  Veste Branca A veste branca que o batizando recebe é o sinal exterior da vida nova gerada pelo batismo. Pelo batismo, a criança revestiu-se de Cristo, vestiu o "homem novo" (cf. Gl 3,27; Ef 4,24). A cor branca manifesta que o cristão já participa da ressurreição de Jesus (cf. Mc 9,13; Ap 4,4; 7,9). Ele começa uma vida nova, deixa para trás o "homem velho" (Rm 6,6), o homem entregue ao pecado.  Vela Acesa Recebam a Luz de Cristo O próprio Cristo diz de si mesmo: "Eu sou a luz do mundo" (Jo 8,12) e dos discípulos: "Vós sois a luz do mundo... Assim brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras" (Mt 5,14-16). O Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos sob a forma de fogo (cf. At 2,3). Eis que Cristo nos chama das trevas para Sua Luz.
  • 90. a) Oração do Senhor _ Pai Nosso  A oração do pai-nosso é o desfecho lógico de toda a liturgia do batismo. A criança, que se tornou filha de Deus pelo batismo, chama a Deus de Pai pela voz de seus pais e padrinhos, com as mesmas palavras de Jesus, o Filho eterno de Deus que se fez homem. Pela primeira vez, unido a Cristo, o Filho de Deus, e aos seus irmãos, filhos de Deus em Cristo, o batizando dirige-se como filho Aquele que, por Cristo e no Espírito Santo, o gerou sobrenaturalmente, tornando-o seu filho. Como membro da família dos filhos de Deus, ele reza a oração com a qual a família saúda o próprio Pai. b) Bênção Pelas bênçãos, agradece-se a Deus pelos bens que ele nos dá e pede-se que não venha a faltar o conjunto de bens necessários à vida do novo cristão em tudo dependente de sua família — de modo especial da mãe e do pai — e da comunidade maior. A vida humana acha-se envolvida pela vida divina que a cria, sustenta, enriquece e plenifica. O Deus que nos quer bem, em sua bondade, não nos pode deixar sem os bens necessários à nossa bem-aventurança.
  • 91. Oração do Compromisso Senhor Deus, Que pela graça do Batismo, saibamos dar aos nossos filhos e afilhados a condução necessária no caminho da fé, Dá-nos sabedoria e discernimento para levá-los na fé até que possam assumir livre e pessoalmente a graça da fé e do batismo. Que o Batismo lhes traga uma vida nova, nascida da água e do Espírito Santo. Que ao receber esta ―Vida nova‖, sejam lavadas de todo pecado. Que nossas crianças sejam, real e verdadeiramente, enxertadas em Cristo e na Igreja.
  • 92. Que o óleo da bênção os revista da couraça de Cristo contra todo mal do mundo, Que a fé que lhes é infundida seja colocada a serviço do Reino de Deus, tornando-as templo do Espírito e co- herdeiras da vida eterna. Que saibamos, por força do batismo, oferecer nossa vida a Deus e a educação de nossos filhos e afilhados, no serviço de cada dia, Que saibamos, como profetas, professar diante deles a fé que recebemos pela Igreja, com exemplo de vida e testemunho da palavra, Assim como fomos consagrados para formar um povo de sacerdotes e reis, que nossos filhos, batizados e herdeiros desse Reino aceitem e amem a Cristo Senhor, sobre a nossa proteção e nosso exemplo. Amém.