SlideShare uma empresa Scribd logo
O Deus Pródigo1
                                      Lucas 15.11-32


INTRODUÇÃO:


                                                            “Não tenho medo de morrer;
                                                               tenho medo de não viver.
                                                            De deixar os anos passarem
                                                                   e eu passar pela vida
                                                                  sem nada para deixar
                                                              aos que por mim passam.

                                                            Quero viver o presente à luz
                                                                          da eternidade.
                                                                  Como se toda manhã
                                                                     fosse o último dia,
                                                                 e como se o último dia
                                                               fosse a primeira manhã.

                                                         Anseio morrer pelo que acredito
                                                                         em cada pulso;
                                                                          por cada chão
                                                                   em meu riso e choro.
                                                                   Isso me dá a certeza
                                                        de que não vivo para sobreviver;
                                                                 sobrevivo é para viver”.



      Esse foi um dos poemas que escrevi após me debruçar na estória do “filho
pródigo”. Esta parábola levanta o problema de apenas sobreviver, vivendo como se
a própria vida fosse um produto puramente descartável.
      É uma parábola pródiga: intensidade, gasto, investimento, suor e vivacidade
correm e permeiam todo o texto. Um pai apaixonado, dois filhos radicalmente
diferentes,   metáforas    absurdas    e   um   final    inesperado,    improvável,   mas
extraordinário: uma festa. Não é à toa que este conto é considerado o mais
conhecido e amplamente divulgado em toda a história e em todos os lugares do
mundo.Minha     proposta    aquié     compreendera      parábola   de   Jesus   em    dois
movimentos: o problema e a graça (solução).
      Qual é o problema que se trata aqui no texto? Há claramente no cap. 15 de
Lucas um conflito entre publicanos e religiosos (15.1-3). E aqui eles são ilustrados
como dois filhos, o mais novo (publicanos) e o mais velho (religiosos).
O Deus Pródigo2
                                     Lucas 15.11-32

         O problema vitalnesta parábola é que:


PROBLEMA:Os filhos do Pai vivem como se Ele estivesse morto (v.12-15, 29).


         Isso fica claro pelo teor do pedido do filho mais novo pela herança de um pai
vivo. É inconcebível para época pedir herança para um pai ainda vivo. Em outras
palavras ele disse: “Pai, para mim o senhor está morto; para mim você já morreume
dê logoa herança”.Isso configura uma nova definição de pecado. Pecar é muito mais
que quebrar regras ou desobediência, é viver como se Deus estivesse, de fato,
morto.
         E há duas formas de viver assim: do lado de fora e do lado de dentro. A
primeira delas parece óbvia para nós: significa ser pródigo, quebrar todas as regras,
sair de casa, ir para uma terra distante, consumir tudo pelo prazer instantâneo e
descartável. Chegar à humilhação de não poder comer alfarrobas; tornar-se pior do
que o animal mais imundo dos judeus: os porcos. Viver alienado de Deus te torna
pior que o mais podre dos animais; o pecado animaliza o ser humano.
         Mas há também a segunda forma de ser pródigo: sendo um filho obediente,
que trabalha para o Pai, vive na casa do Pai, mas não ama o Pai. Ou seja, viver uma
religião pura e simplesmente mecânica, robótica e teatralizada. Viver uma
experiência com Deus puramente formal e sem alegria é matar Deusda sua vida, e
consequentemente, se matar; morrer antes da própria morte. São duas maneiras de
não viver: quebrar tudo e ser muito mal; obedecer tudo e ser muito bom; para Jesus
Cristo ambos estão totalmente perdidos.
         O absurdo rouba a cena no fim da nossa estória: o filho pródigo das
prostitutas está cantando, dançando, saboreando o churrasco do Pai; o filho pródigo
da religiosidade fria e forçada está irado, rangendo os dentes do lado de fora da
festa. Para Jesus Cristo é melhor ser um vagabundo, podre, animal, desregrado que
se arrepende sinceramente dos seus pecados do que um religioso que serve o Pai,
mas não sente prazer no Pai. É como uma esposa que nunca trai o marido, mas
nunca consegue lhe dizer olhos nos olhos: “Eu te amo”.


APLICAÇÃO:Muitos de nós também vivemos como se Deus estivesse morto.


         Eu pergunto a todos: em qual personagem você se encaixa nessa estória?
O Deus Pródigo3
                                   Lucas 15.11-32

      Como viver assim hoje?Primeiro, seja o controlador da sua própria vida;
quebre todas as regras, perca-se, gaste o seu dinheiro com prostitutas, jogos de
azar, bebida forte, noites de ilusão mescladas a relacionamentos sem compromisso.
Em suma: destrua-se, tente reinar na sua própria vida alienado de Deus, seja o seu
próprio Senhor e Salvador, queira a riqueza do Pai e não o Pai, chegue até o final da
sua vida com a seguinte conclusão: joguei a minha vida na lata do lixo.
      A segunda atitude é: viva dentro da casa de Deus, sirva a Deus com
frequência, no entanto, não faça isso com alegria. Seja um cristão formal e
profissional. Adore a Deus de forma robótica gabando-se por sua moralidade
intocável, fique triste pelo fato de Deus aceitar pecadores arrependidos. Viva uma
religião fria, tradicionalista, reclamante, engessada. Mate a sua paixão por Deus.
Nós muitas vezes vivemos como se Deus estivesse morto.
      O que estamos fazendo com a nossa vida?Jogando-a na lata do lixo dos
prazeres imundos ou servindo restos sem alegria a um Deus santo? Você é um
irmão mais novo ou um irmão mais velho?
      Mas embora o texto realce de maneira forte quais são as duas maneiras de
viver alienado de Deus, Lucas é mais dramático ao pintar o quadro deum Pai
apaixonado. Tudo nesta parábola é pródigo, o filho mais novo é pródigo, o mais
velho é pródigo e, extraordinariamente, o próprio Deus é pródigo. Este é o grande
tema desta passagem e deste sermão: Deus é pródigo. No primeiro momento
expus o problema vital da passagem, agora é hora de mostrar a graça:
      O que Deus faz para resolver o problema dos seus filhos?


GRAÇA: O Deus pródigo corre atrás dos seus filhos.


      Conquanto para os filhos o Pai esteja morto, para o Paieles estão vivos. O
verso 20 dramatiza a cena mais improvável para aquela época: um fazendeiro do
Oriente já velho correndo atrás de um filho que desejou a sua própria morte.
Naquela época eles não se levantavam para nada, seus escravos faziam todo o
trabalho. Era humilhante um homem de idade correr. Mas Deus é um Pai
apaixonado que se humilha para correr até o seu filho perdido. O filho não faz nada,
o Pai é que toma a iniciativa quando vê o seu filho de longe.
      Essa é a definição mais bela da graça: “Deus corre atrás de um miserável,
Deus correatrás de um idiota, Deus corre atrás de um rebelde”.
O Deus Pródigo4
                                   Lucas 15.11-32

       Graça significa favor imerecido para o recebedor, mas para Deus é amor
incontido, é paixão que precisa jorrar sobre a vida de um rebelde, mas que é
loucamente amado por Deus. O amor de Deus não cabe em si, por isso precisa pôr-
se de pé e ir ao nosso encontro. Deus é movido por compaixão.O termo grego para
compaixão significa literalmente que as entranhas de Deus se remexeram. Deus não
fica parado, Ele corre, encontra, aceita,, abraça-o, beija o pecador, antes sequer
dele ter a chance de se confessar. O homem precisa da ajuda de Deus até mesmo
para alcançar o verdadeiro arrependimento.


APLICAÇÃO:O Deus pródigo continua correndo atrás de pecadores hoje.


       Nós somos como um brinquedo que se quebrou com o tempo. Mas não foi
uma lasca que se perdeu, um olho que perdeu o seu brilho ou um dedo que está
faltando. Toda a nossa configuração foi arruinada, todas as juntas e articulações do
nosso corpo foram rechaçadas. Diante disso Deus poderia fazer duas coisas: a
primeira – ele seria totalmente justo fazendo isso – seria nos jogar fora. Não dá
mais, vai para o lixo.
       Mas Deus escolheu a segunda opção: Ele quis nos consertar. E na cruz
maldita Jesus Cristo se fez maravilhoso por nós. As suas juntas foram
milimetricamente esmagadas para que eu e você fossemos integralmente
regenerados! Como podemos explicar tanto amor? Deus na sua graça decidiu nos
dar a vida, sem explicação, motivo, de um jeito incontido, indizível, incomensurável,
louco, apaixonado. Essa parábola, na verdade, é a parábola do Deus pródigo, a
parábola do Deus apaixonado.
       Nós deveríamos beijar os seus pés, mas ele nos beija primeiro – “está
perdoado!” Nós deveríamos oferecer ouro e anéis, mas ele nos presenteou primeiro
–“você é meu filho!” Nós deveríamos beijar e calçar os seus pés, mas ele é que nos
devolveu as sandálias – “você é livre e não escravo!”A cruz de Cristo é o símbolo da
nossa perfeita aceitação. Deus nos aceita. Jesus é a encarnação das entranhas de
afeto de Deus por nós pecadores, pois “O Deus pródigo” corre até hoje atrás de seus
filhos. Nós somos pecadores salvos pela graça de Deus.
O Deus Pródigo5
                                   Lucas 15.11-32

       CONCLUSÃO


       Em todos os evangelhos Jesus sempre chama Deus de Pai, em apenas uma
ocasião em todos os evangelhos Jesus chama o Pai de maneira diferente. Quando
Jesus está pregado na cruz. Naquele momento Jesus chama Deus de Deus, porque
a partir daquele dia, nós chamaríamos Deus de Pai. Nós temos um verdadeiro irmão
mais velho que nos ama se se sacrificou por nós.
       Mas de maneira impressionante a parábola do Deus pródigo termina com um
final em aberto: o filho mais velho fica em silêncio. É nosso deverhoje completar o
sentido da estória. Quem é que nós somos e quem nós seremos diante de Deus?
Qual é a razão vital da nossa existência?
       A resposta bíblica para essa pergunta é que Ele quer ser dono de cada
centímetro da nossa vida.Deus espera o nosso amor como resposta ao Seu louco
amor.Vamos entregar tudo a Ele, morramos para Ele, vivamos intensamente para
Ele. A Ele toda a glória!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Billy graham a segunda vinda de cristo
Billy graham   a segunda vinda de cristoBilly graham   a segunda vinda de cristo
Billy graham a segunda vinda de cristo
Aristoteles Rocha
 
Marialis cultus
Marialis cultusMarialis cultus
Marialis cultus
Afonso Murad (FAJE)
 
Religiões seitas & heresias pdf-pronta
Religiões seitas & heresias   pdf-prontaReligiões seitas & heresias   pdf-pronta
Religiões seitas & heresias pdf-pronta
Abdias Barreto
 
Batismo por aspersao_e_de_criancas_swift
Batismo por aspersao_e_de_criancas_swiftBatismo por aspersao_e_de_criancas_swift
Batismo por aspersao_e_de_criancas_swift
Paulo Dias Nogueira
 
TOME CUIDADO COM AS HERESIAS DA SEITA TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - (Nível Iniciante)
TOME CUIDADO COM AS HERESIAS DA SEITA TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - (Nível Iniciante)TOME CUIDADO COM AS HERESIAS DA SEITA TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - (Nível Iniciante)
TOME CUIDADO COM AS HERESIAS DA SEITA TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - (Nível Iniciante)
Fernando Galli
 
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominicalA FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
yosseph2013
 
Dissertação sobre capelania autor Pastor Mauricio Lima
Dissertação sobre capelania autor Pastor Mauricio LimaDissertação sobre capelania autor Pastor Mauricio Lima
Dissertação sobre capelania autor Pastor Mauricio Lima
Mauricio Lima
 
Cultos Afro - Seitas e Heresias
Cultos Afro - Seitas e HeresiasCultos Afro - Seitas e Heresias
Cultos Afro - Seitas e Heresias
Luan Almeida
 
A trindade e a divindade de jesus
A trindade e a divindade de jesusA trindade e a divindade de jesus
A trindade e a divindade de jesus
Reginaldo Oliveira
 
Enganos satânicos nos últimos dias
Enganos satânicos nos últimos diasEnganos satânicos nos últimos dias
Enganos satânicos nos últimos dias
Diego Fortunatto
 
Who Prepared the Passover
Who Prepared the PassoverWho Prepared the Passover
Who Prepared the Passover
Rev. Karen Fitz La Barge
 
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os DemôniosLição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Éder Tomé
 
O inferno sob ataque
O inferno sob ataqueO inferno sob ataque
O inferno sob ataque
dimas campos
 
Alderi souza de matos panorama da história da igreja
Alderi souza de matos   panorama da história da igrejaAlderi souza de matos   panorama da história da igreja
Alderi souza de matos panorama da história da igreja
Robério Pereira Lima
 
Tradições religiosas islamismo
Tradições religiosas islamismoTradições religiosas islamismo
Tradições religiosas islamismo
iraciva
 
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoasLição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Daniel Felipe Kroth
 
Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)
Jose Moraes
 
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen WhiteQual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
ASD Remanescentes
 
Palestras da capelania escolar
Palestras da capelania escolarPalestras da capelania escolar
Palestras da capelania escolar
ElianXamar
 
Religiões Comparadas
Religiões ComparadasReligiões Comparadas

Mais procurados (20)

Billy graham a segunda vinda de cristo
Billy graham   a segunda vinda de cristoBilly graham   a segunda vinda de cristo
Billy graham a segunda vinda de cristo
 
Marialis cultus
Marialis cultusMarialis cultus
Marialis cultus
 
Religiões seitas & heresias pdf-pronta
Religiões seitas & heresias   pdf-prontaReligiões seitas & heresias   pdf-pronta
Religiões seitas & heresias pdf-pronta
 
Batismo por aspersao_e_de_criancas_swift
Batismo por aspersao_e_de_criancas_swiftBatismo por aspersao_e_de_criancas_swift
Batismo por aspersao_e_de_criancas_swift
 
TOME CUIDADO COM AS HERESIAS DA SEITA TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - (Nível Iniciante)
TOME CUIDADO COM AS HERESIAS DA SEITA TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - (Nível Iniciante)TOME CUIDADO COM AS HERESIAS DA SEITA TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - (Nível Iniciante)
TOME CUIDADO COM AS HERESIAS DA SEITA TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - (Nível Iniciante)
 
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominicalA FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
A FAMÍLIA E A IGREJA - LIÇÃO 12 – para escola dominical
 
Dissertação sobre capelania autor Pastor Mauricio Lima
Dissertação sobre capelania autor Pastor Mauricio LimaDissertação sobre capelania autor Pastor Mauricio Lima
Dissertação sobre capelania autor Pastor Mauricio Lima
 
Cultos Afro - Seitas e Heresias
Cultos Afro - Seitas e HeresiasCultos Afro - Seitas e Heresias
Cultos Afro - Seitas e Heresias
 
A trindade e a divindade de jesus
A trindade e a divindade de jesusA trindade e a divindade de jesus
A trindade e a divindade de jesus
 
Enganos satânicos nos últimos dias
Enganos satânicos nos últimos diasEnganos satânicos nos últimos dias
Enganos satânicos nos últimos dias
 
Who Prepared the Passover
Who Prepared the PassoverWho Prepared the Passover
Who Prepared the Passover
 
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os DemôniosLição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
 
O inferno sob ataque
O inferno sob ataqueO inferno sob ataque
O inferno sob ataque
 
Alderi souza de matos panorama da história da igreja
Alderi souza de matos   panorama da história da igrejaAlderi souza de matos   panorama da história da igreja
Alderi souza de matos panorama da história da igreja
 
Tradições religiosas islamismo
Tradições religiosas islamismoTradições religiosas islamismo
Tradições religiosas islamismo
 
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoasLição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
 
Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)
 
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen WhiteQual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
 
Palestras da capelania escolar
Palestras da capelania escolarPalestras da capelania escolar
Palestras da capelania escolar
 
Religiões Comparadas
Religiões ComparadasReligiões Comparadas
Religiões Comparadas
 

Semelhante a O Deus Pródigo

18 13
18 1318 13
livro rudimentos - download gratuito
livro rudimentos - download gratuitolivro rudimentos - download gratuito
livro rudimentos - download gratuito
Publiki
 
Jormi - Jornal Missionário n° 55
Jormi - Jornal Missionário n° 55Jormi - Jornal Missionário n° 55
Jormi - Jornal Missionário n° 55
trabalho como autonomo
 
Amor Divinal
Amor DivinalAmor Divinal
Amor Divinal
lucena
 
Lição 09-Nova vida
Lição 09-Nova vidaLição 09-Nova vida
Lição 09-Nova vida
Márcio Pereira
 
Contato: Tradições da Páscoa
Contato: Tradições da PáscoaContato: Tradições da Páscoa
Contato: Tradições da Páscoa
Spiritualibrary
 
Vida Cristã, consciencia, verdade...pptx
Vida Cristã, consciencia, verdade...pptxVida Cristã, consciencia, verdade...pptx
Vida Cristã, consciencia, verdade...pptx
maria gabi
 
Vivendo na contramão da vida
Vivendo na contramão da vidaVivendo na contramão da vida
Vivendo na contramão da vida
Jean Francesco
 
Andy robb fator nerd
Andy robb   fator nerdAndy robb   fator nerd
Andy robb fator nerd
Josykanind
 
Revista prodigo
Revista prodigoRevista prodigo
Revista prodigo
♥Marcinhatinelli♥
 
Lucas Capitulo 4:31-41 - Jesus e os Demônios
Lucas Capitulo 4:31-41 - Jesus e os DemôniosLucas Capitulo 4:31-41 - Jesus e os Demônios
Lucas Capitulo 4:31-41 - Jesus e os Demônios
AdolesBetel
 
Boletim 298 - Aos Limpos de Coração
Boletim 298  - Aos Limpos de CoraçãoBoletim 298  - Aos Limpos de Coração
Boletim 298 - Aos Limpos de Coração
pastorgervario
 
O Filho Pródigo e a Missão de Deus
O Filho Pródigo e a Missão de DeusO Filho Pródigo e a Missão de Deus
O Filho Pródigo e a Missão de Deus
Weinne Santos
 
5 aprender a sair de nós mesmos
5 aprender a sair de nós mesmos5 aprender a sair de nós mesmos
5 aprender a sair de nós mesmos
adrianojose1983
 
2=1 desenvolver talentos
2=1 desenvolver talentos2=1 desenvolver talentos
2=1 desenvolver talentos
JooAlbertoSoaresdaSi
 
Família - Uma Visão Espiritual
Família - Uma Visão EspiritualFamília - Uma Visão Espiritual
Família - Uma Visão Espiritual
Ricardo Azevedo
 
Tenha um melhor natal
Tenha um melhor natalTenha um melhor natal
Tenha um melhor natal
alexgaleano
 
1000 Esbocos para Sermoes
1000 Esbocos para Sermoes1000 Esbocos para Sermoes
1000 Esbocos para Sermoes
Arlei Lima
 
Amor divinal
Amor divinalAmor divinal
Amor divinal
Pastor Robson Colaço
 
Jormi - Jornal Missionário n° 59
Jormi - Jornal Missionário n° 59Jormi - Jornal Missionário n° 59
Jormi - Jornal Missionário n° 59
trabalho como autonomo
 

Semelhante a O Deus Pródigo (20)

18 13
18 1318 13
18 13
 
livro rudimentos - download gratuito
livro rudimentos - download gratuitolivro rudimentos - download gratuito
livro rudimentos - download gratuito
 
Jormi - Jornal Missionário n° 55
Jormi - Jornal Missionário n° 55Jormi - Jornal Missionário n° 55
Jormi - Jornal Missionário n° 55
 
Amor Divinal
Amor DivinalAmor Divinal
Amor Divinal
 
Lição 09-Nova vida
Lição 09-Nova vidaLição 09-Nova vida
Lição 09-Nova vida
 
Contato: Tradições da Páscoa
Contato: Tradições da PáscoaContato: Tradições da Páscoa
Contato: Tradições da Páscoa
 
Vida Cristã, consciencia, verdade...pptx
Vida Cristã, consciencia, verdade...pptxVida Cristã, consciencia, verdade...pptx
Vida Cristã, consciencia, verdade...pptx
 
Vivendo na contramão da vida
Vivendo na contramão da vidaVivendo na contramão da vida
Vivendo na contramão da vida
 
Andy robb fator nerd
Andy robb   fator nerdAndy robb   fator nerd
Andy robb fator nerd
 
Revista prodigo
Revista prodigoRevista prodigo
Revista prodigo
 
Lucas Capitulo 4:31-41 - Jesus e os Demônios
Lucas Capitulo 4:31-41 - Jesus e os DemôniosLucas Capitulo 4:31-41 - Jesus e os Demônios
Lucas Capitulo 4:31-41 - Jesus e os Demônios
 
Boletim 298 - Aos Limpos de Coração
Boletim 298  - Aos Limpos de CoraçãoBoletim 298  - Aos Limpos de Coração
Boletim 298 - Aos Limpos de Coração
 
O Filho Pródigo e a Missão de Deus
O Filho Pródigo e a Missão de DeusO Filho Pródigo e a Missão de Deus
O Filho Pródigo e a Missão de Deus
 
5 aprender a sair de nós mesmos
5 aprender a sair de nós mesmos5 aprender a sair de nós mesmos
5 aprender a sair de nós mesmos
 
2=1 desenvolver talentos
2=1 desenvolver talentos2=1 desenvolver talentos
2=1 desenvolver talentos
 
Família - Uma Visão Espiritual
Família - Uma Visão EspiritualFamília - Uma Visão Espiritual
Família - Uma Visão Espiritual
 
Tenha um melhor natal
Tenha um melhor natalTenha um melhor natal
Tenha um melhor natal
 
1000 Esbocos para Sermoes
1000 Esbocos para Sermoes1000 Esbocos para Sermoes
1000 Esbocos para Sermoes
 
Amor divinal
Amor divinalAmor divinal
Amor divinal
 
Jormi - Jornal Missionário n° 59
Jormi - Jornal Missionário n° 59Jormi - Jornal Missionário n° 59
Jormi - Jornal Missionário n° 59
 

Mais de Jean Francesco

Só YHWH é digno de adoração
Só YHWH é digno de adoraçãoSó YHWH é digno de adoração
Só YHWH é digno de adoração
Jean Francesco
 
Mente iluminada, coração em chamas
Mente iluminada, coração em chamasMente iluminada, coração em chamas
Mente iluminada, coração em chamas
Jean Francesco
 
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Jean Francesco
 
A visão transformadora walsh e middleton
A visão transformadora walsh e middletonA visão transformadora walsh e middleton
A visão transformadora walsh e middleton
Jean Francesco
 
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vidaA empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
Jean Francesco
 
Deus restaura todas as coisas
Deus restaura todas as coisasDeus restaura todas as coisas
Deus restaura todas as coisas
Jean Francesco
 
Uma vida que transforma o mundo
Uma vida que transforma o mundoUma vida que transforma o mundo
Uma vida que transforma o mundo
Jean Francesco
 
A liberdade humana em questão
A liberdade humana em questãoA liberdade humana em questão
A liberdade humana em questão
Jean Francesco
 
Resumo do cap. 2 de "O mistério católico"
Resumo do cap. 2 de "O mistério católico"Resumo do cap. 2 de "O mistério católico"
Resumo do cap. 2 de "O mistério católico"
Jean Francesco
 
Perspectivas escatológicas no Antigo Testamento
Perspectivas escatológicas no Antigo TestamentoPerspectivas escatológicas no Antigo Testamento
Perspectivas escatológicas no Antigo Testamento
Jean Francesco
 
A vida presente: inauguração da vida futura
A vida presente: inauguração da vida futuraA vida presente: inauguração da vida futura
A vida presente: inauguração da vida futura
Jean Francesco
 
Beijar, transar e largar
Beijar, transar e largarBeijar, transar e largar
Beijar, transar e largar
Jean Francesco
 
A resposta cristã para a dor
A resposta cristã para a dorA resposta cristã para a dor
A resposta cristã para a dor
Jean Francesco
 
Minhas férias para a glória de deus
Minhas férias para a glória de deusMinhas férias para a glória de deus
Minhas férias para a glória de deus
Jean Francesco
 
Desmond tutu vida pensamento e influência
Desmond tutu   vida pensamento e influênciaDesmond tutu   vida pensamento e influência
Desmond tutu vida pensamento e influência
Jean Francesco
 
Mar a mar
Mar a marMar a mar
Mar a mar
Jean Francesco
 
Artigo sobre o volume 2 das institutas
Artigo sobre o volume 2 das institutasArtigo sobre o volume 2 das institutas
Artigo sobre o volume 2 das institutas
Jean Francesco
 
Artigo sobre o tomo 1 das institutas
Artigo sobre o tomo 1 das institutasArtigo sobre o tomo 1 das institutas
Artigo sobre o tomo 1 das institutas
Jean Francesco
 
A espiritualidade do advento
A espiritualidade do adventoA espiritualidade do advento
A espiritualidade do advento
Jean Francesco
 
Mensagem em Jó 19
Mensagem em Jó 19Mensagem em Jó 19
Mensagem em Jó 19
Jean Francesco
 

Mais de Jean Francesco (20)

Só YHWH é digno de adoração
Só YHWH é digno de adoraçãoSó YHWH é digno de adoração
Só YHWH é digno de adoração
 
Mente iluminada, coração em chamas
Mente iluminada, coração em chamasMente iluminada, coração em chamas
Mente iluminada, coração em chamas
 
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
Dualismo ocidental e seus desafios (Nancy Pearcey)
 
A visão transformadora walsh e middleton
A visão transformadora walsh e middletonA visão transformadora walsh e middleton
A visão transformadora walsh e middleton
 
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vidaA empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
 
Deus restaura todas as coisas
Deus restaura todas as coisasDeus restaura todas as coisas
Deus restaura todas as coisas
 
Uma vida que transforma o mundo
Uma vida que transforma o mundoUma vida que transforma o mundo
Uma vida que transforma o mundo
 
A liberdade humana em questão
A liberdade humana em questãoA liberdade humana em questão
A liberdade humana em questão
 
Resumo do cap. 2 de "O mistério católico"
Resumo do cap. 2 de "O mistério católico"Resumo do cap. 2 de "O mistério católico"
Resumo do cap. 2 de "O mistério católico"
 
Perspectivas escatológicas no Antigo Testamento
Perspectivas escatológicas no Antigo TestamentoPerspectivas escatológicas no Antigo Testamento
Perspectivas escatológicas no Antigo Testamento
 
A vida presente: inauguração da vida futura
A vida presente: inauguração da vida futuraA vida presente: inauguração da vida futura
A vida presente: inauguração da vida futura
 
Beijar, transar e largar
Beijar, transar e largarBeijar, transar e largar
Beijar, transar e largar
 
A resposta cristã para a dor
A resposta cristã para a dorA resposta cristã para a dor
A resposta cristã para a dor
 
Minhas férias para a glória de deus
Minhas férias para a glória de deusMinhas férias para a glória de deus
Minhas férias para a glória de deus
 
Desmond tutu vida pensamento e influência
Desmond tutu   vida pensamento e influênciaDesmond tutu   vida pensamento e influência
Desmond tutu vida pensamento e influência
 
Mar a mar
Mar a marMar a mar
Mar a mar
 
Artigo sobre o volume 2 das institutas
Artigo sobre o volume 2 das institutasArtigo sobre o volume 2 das institutas
Artigo sobre o volume 2 das institutas
 
Artigo sobre o tomo 1 das institutas
Artigo sobre o tomo 1 das institutasArtigo sobre o tomo 1 das institutas
Artigo sobre o tomo 1 das institutas
 
A espiritualidade do advento
A espiritualidade do adventoA espiritualidade do advento
A espiritualidade do advento
 
Mensagem em Jó 19
Mensagem em Jó 19Mensagem em Jó 19
Mensagem em Jó 19
 

O Deus Pródigo

  • 1. O Deus Pródigo1 Lucas 15.11-32 INTRODUÇÃO: “Não tenho medo de morrer; tenho medo de não viver. De deixar os anos passarem e eu passar pela vida sem nada para deixar aos que por mim passam. Quero viver o presente à luz da eternidade. Como se toda manhã fosse o último dia, e como se o último dia fosse a primeira manhã. Anseio morrer pelo que acredito em cada pulso; por cada chão em meu riso e choro. Isso me dá a certeza de que não vivo para sobreviver; sobrevivo é para viver”. Esse foi um dos poemas que escrevi após me debruçar na estória do “filho pródigo”. Esta parábola levanta o problema de apenas sobreviver, vivendo como se a própria vida fosse um produto puramente descartável. É uma parábola pródiga: intensidade, gasto, investimento, suor e vivacidade correm e permeiam todo o texto. Um pai apaixonado, dois filhos radicalmente diferentes, metáforas absurdas e um final inesperado, improvável, mas extraordinário: uma festa. Não é à toa que este conto é considerado o mais conhecido e amplamente divulgado em toda a história e em todos os lugares do mundo.Minha proposta aquié compreendera parábola de Jesus em dois movimentos: o problema e a graça (solução). Qual é o problema que se trata aqui no texto? Há claramente no cap. 15 de Lucas um conflito entre publicanos e religiosos (15.1-3). E aqui eles são ilustrados como dois filhos, o mais novo (publicanos) e o mais velho (religiosos).
  • 2. O Deus Pródigo2 Lucas 15.11-32 O problema vitalnesta parábola é que: PROBLEMA:Os filhos do Pai vivem como se Ele estivesse morto (v.12-15, 29). Isso fica claro pelo teor do pedido do filho mais novo pela herança de um pai vivo. É inconcebível para época pedir herança para um pai ainda vivo. Em outras palavras ele disse: “Pai, para mim o senhor está morto; para mim você já morreume dê logoa herança”.Isso configura uma nova definição de pecado. Pecar é muito mais que quebrar regras ou desobediência, é viver como se Deus estivesse, de fato, morto. E há duas formas de viver assim: do lado de fora e do lado de dentro. A primeira delas parece óbvia para nós: significa ser pródigo, quebrar todas as regras, sair de casa, ir para uma terra distante, consumir tudo pelo prazer instantâneo e descartável. Chegar à humilhação de não poder comer alfarrobas; tornar-se pior do que o animal mais imundo dos judeus: os porcos. Viver alienado de Deus te torna pior que o mais podre dos animais; o pecado animaliza o ser humano. Mas há também a segunda forma de ser pródigo: sendo um filho obediente, que trabalha para o Pai, vive na casa do Pai, mas não ama o Pai. Ou seja, viver uma religião pura e simplesmente mecânica, robótica e teatralizada. Viver uma experiência com Deus puramente formal e sem alegria é matar Deusda sua vida, e consequentemente, se matar; morrer antes da própria morte. São duas maneiras de não viver: quebrar tudo e ser muito mal; obedecer tudo e ser muito bom; para Jesus Cristo ambos estão totalmente perdidos. O absurdo rouba a cena no fim da nossa estória: o filho pródigo das prostitutas está cantando, dançando, saboreando o churrasco do Pai; o filho pródigo da religiosidade fria e forçada está irado, rangendo os dentes do lado de fora da festa. Para Jesus Cristo é melhor ser um vagabundo, podre, animal, desregrado que se arrepende sinceramente dos seus pecados do que um religioso que serve o Pai, mas não sente prazer no Pai. É como uma esposa que nunca trai o marido, mas nunca consegue lhe dizer olhos nos olhos: “Eu te amo”. APLICAÇÃO:Muitos de nós também vivemos como se Deus estivesse morto. Eu pergunto a todos: em qual personagem você se encaixa nessa estória?
  • 3. O Deus Pródigo3 Lucas 15.11-32 Como viver assim hoje?Primeiro, seja o controlador da sua própria vida; quebre todas as regras, perca-se, gaste o seu dinheiro com prostitutas, jogos de azar, bebida forte, noites de ilusão mescladas a relacionamentos sem compromisso. Em suma: destrua-se, tente reinar na sua própria vida alienado de Deus, seja o seu próprio Senhor e Salvador, queira a riqueza do Pai e não o Pai, chegue até o final da sua vida com a seguinte conclusão: joguei a minha vida na lata do lixo. A segunda atitude é: viva dentro da casa de Deus, sirva a Deus com frequência, no entanto, não faça isso com alegria. Seja um cristão formal e profissional. Adore a Deus de forma robótica gabando-se por sua moralidade intocável, fique triste pelo fato de Deus aceitar pecadores arrependidos. Viva uma religião fria, tradicionalista, reclamante, engessada. Mate a sua paixão por Deus. Nós muitas vezes vivemos como se Deus estivesse morto. O que estamos fazendo com a nossa vida?Jogando-a na lata do lixo dos prazeres imundos ou servindo restos sem alegria a um Deus santo? Você é um irmão mais novo ou um irmão mais velho? Mas embora o texto realce de maneira forte quais são as duas maneiras de viver alienado de Deus, Lucas é mais dramático ao pintar o quadro deum Pai apaixonado. Tudo nesta parábola é pródigo, o filho mais novo é pródigo, o mais velho é pródigo e, extraordinariamente, o próprio Deus é pródigo. Este é o grande tema desta passagem e deste sermão: Deus é pródigo. No primeiro momento expus o problema vital da passagem, agora é hora de mostrar a graça: O que Deus faz para resolver o problema dos seus filhos? GRAÇA: O Deus pródigo corre atrás dos seus filhos. Conquanto para os filhos o Pai esteja morto, para o Paieles estão vivos. O verso 20 dramatiza a cena mais improvável para aquela época: um fazendeiro do Oriente já velho correndo atrás de um filho que desejou a sua própria morte. Naquela época eles não se levantavam para nada, seus escravos faziam todo o trabalho. Era humilhante um homem de idade correr. Mas Deus é um Pai apaixonado que se humilha para correr até o seu filho perdido. O filho não faz nada, o Pai é que toma a iniciativa quando vê o seu filho de longe. Essa é a definição mais bela da graça: “Deus corre atrás de um miserável, Deus correatrás de um idiota, Deus corre atrás de um rebelde”.
  • 4. O Deus Pródigo4 Lucas 15.11-32 Graça significa favor imerecido para o recebedor, mas para Deus é amor incontido, é paixão que precisa jorrar sobre a vida de um rebelde, mas que é loucamente amado por Deus. O amor de Deus não cabe em si, por isso precisa pôr- se de pé e ir ao nosso encontro. Deus é movido por compaixão.O termo grego para compaixão significa literalmente que as entranhas de Deus se remexeram. Deus não fica parado, Ele corre, encontra, aceita,, abraça-o, beija o pecador, antes sequer dele ter a chance de se confessar. O homem precisa da ajuda de Deus até mesmo para alcançar o verdadeiro arrependimento. APLICAÇÃO:O Deus pródigo continua correndo atrás de pecadores hoje. Nós somos como um brinquedo que se quebrou com o tempo. Mas não foi uma lasca que se perdeu, um olho que perdeu o seu brilho ou um dedo que está faltando. Toda a nossa configuração foi arruinada, todas as juntas e articulações do nosso corpo foram rechaçadas. Diante disso Deus poderia fazer duas coisas: a primeira – ele seria totalmente justo fazendo isso – seria nos jogar fora. Não dá mais, vai para o lixo. Mas Deus escolheu a segunda opção: Ele quis nos consertar. E na cruz maldita Jesus Cristo se fez maravilhoso por nós. As suas juntas foram milimetricamente esmagadas para que eu e você fossemos integralmente regenerados! Como podemos explicar tanto amor? Deus na sua graça decidiu nos dar a vida, sem explicação, motivo, de um jeito incontido, indizível, incomensurável, louco, apaixonado. Essa parábola, na verdade, é a parábola do Deus pródigo, a parábola do Deus apaixonado. Nós deveríamos beijar os seus pés, mas ele nos beija primeiro – “está perdoado!” Nós deveríamos oferecer ouro e anéis, mas ele nos presenteou primeiro –“você é meu filho!” Nós deveríamos beijar e calçar os seus pés, mas ele é que nos devolveu as sandálias – “você é livre e não escravo!”A cruz de Cristo é o símbolo da nossa perfeita aceitação. Deus nos aceita. Jesus é a encarnação das entranhas de afeto de Deus por nós pecadores, pois “O Deus pródigo” corre até hoje atrás de seus filhos. Nós somos pecadores salvos pela graça de Deus.
  • 5. O Deus Pródigo5 Lucas 15.11-32 CONCLUSÃO Em todos os evangelhos Jesus sempre chama Deus de Pai, em apenas uma ocasião em todos os evangelhos Jesus chama o Pai de maneira diferente. Quando Jesus está pregado na cruz. Naquele momento Jesus chama Deus de Deus, porque a partir daquele dia, nós chamaríamos Deus de Pai. Nós temos um verdadeiro irmão mais velho que nos ama se se sacrificou por nós. Mas de maneira impressionante a parábola do Deus pródigo termina com um final em aberto: o filho mais velho fica em silêncio. É nosso deverhoje completar o sentido da estória. Quem é que nós somos e quem nós seremos diante de Deus? Qual é a razão vital da nossa existência? A resposta bíblica para essa pergunta é que Ele quer ser dono de cada centímetro da nossa vida.Deus espera o nosso amor como resposta ao Seu louco amor.Vamos entregar tudo a Ele, morramos para Ele, vivamos intensamente para Ele. A Ele toda a glória!