SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ 
Faculdade de Medicina Veterinária -FAVET 
Disciplina: Terapêutica Veterinária 
Docente :Prof. Dra Adriana Tomé 
EXAME CLÍNICO 
NEUROLÓGICO-ESPINAL 
JULLIO DA COSTA BATI STA PARENTE 
Agosto de 2014
EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO 
• Objetivos 
- origem neurológica (Ex: espinhal) 
- localizar o ponto afetado 
- avaliar a gravidade 
- determinar o tratamento 
- prognóstico 
2 
(WHEELER, 1999)
Tempo 
Severidade dos sinais 
Curso clínico das enfermidades neurológicas 
Enf deg. (enf,discal) 
Mielomalacia 
Degenerativas 
Neoplasias 
Traumas, 
vasculares 
(Isquemia) 
Infecciosas 
Inflamatorias, 
imunológicas
CATEGORIAS ETIOLÓGICAS 
D 
A 
M 
N 
I 
T 
egenerativas 
nomalía 
etabólica 
eoplasia, nutricional 
nflamatoria, isquemica (vascular), imune 
rauma, tóxica.
INSTRUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SE 
REALIZAR UM EXAME NEUROLÓGICO?
EXAME CLÍNICO 
• Convulsões 
• Alteração do estado mental: - Estupor, coma, depressão 
• Paresia e paralisia 
• Déficits proprioceptivos 
• Ataxia 
• Abalos de cabeça 
• Andar em círculos 
• Tremores 
• Dismetria 
• Nistagmo 
• Hiperestesia 
• Analgesia 
6
SISTEMA NERVOSO 
• NMS 
(Medula ou 
tronco 
cerebral) 
• NMI 
• Nervos periféricos 
espinhais ou cranianos 
ou em seus corpos 
celulares na medula ou 
tronco cerebral
ESTADO MENTAL 
• Alteração do estado mental: Estupor, coma, depressão, eufórico 
• ÁREA: Doença cérebrocortical ou tronco cerebral
POSTURA 
Meneios de cabeça- Síndrome vestibular 
• Tronco: Alteração do tônus muscular com lesão cerebral ou da ME 
- Espinha  Cifose, lordose e escoliose
POSTURA 
Membros: Aumento ou diminuição do tônus muscular extensor 
-Estação de base ampla
POSTURA 
• Causa: Diminuição da propriocepção por lesão: 
• NMS (Medula ou tronco cerebral) ou 
• NMI (nervos periféricos espinhais ou cranianos ou em seus corpos 
celulares na medula ou tronco cerebral)
POSTURA 
• Tônus muscular 
Posição de Schiff- Sherrington 
12 
• Causa: Aumento de tônus 
extensor nos membros torácicos 
e hiperextensão do pescoço 
• Grave lesão da ME: Caudal à 
(WHEELER, 1999) 
C6-T2
AVALIAÇÃO DO ANIMAL EM ESTAÇÃO 
13
EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO-ESPINAL 
• Avaliação inicial: 
• Atitude, postura e locomoção 
• Comportamento frente ao ambiente 
14 
(WHEELER, 1999)
EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO-ESPINAL 
• Determinação do estado locomotor 
- Debilidades e deficiências 
- Força muscular 
- Testes de qualidade locomotora 
(WHEELER, 1999) 
Figura 1. Teste de resistência 
extensora 
Fonte: Luiz Felipe Castro Graeff 
Viana 
15
DETERMINAÇÃO DO ESTADO 
LOCOMOTOR 
• Teste de saltitar 
Figura 2. Saltitamento (FEITOSA, 
2004) 
16 
Objetivo: 
Paresia ou paralisia
DETERMINAÇÃO DO ESTADO 
LOCOMOTOR 
• Teste de hemiestação e hemilocomoção 
Figura 3. Hemiestação Figura 4. Hemilocomoção 
17 
Objetivo: 
Paresia ou paralisia
AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO 
CONSCIENTE 
• Sentido de conhecimento de onde as partes do corpo estão. 
• Uma das primeiras áreas a ser afetada: Compressão espinhal. (Ex: 
Prolapso disco intervertebral) 
Figura 5. Avaliação da propriocepção consciente 
18
EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO-ESPINAL 
• Avaliação da propriocepção consciente 
- Teste de posição da pata 
- Reflexo do passo 
- Teste do carrinho de mão 
- Empurrão extensor 
- Teste de colocação 
19
AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO 
CONSCIENTE 
• Teste de posição da pata 
Figura 5. Avaliação da propriocepção consciente 
(FEITOSA, 
2004) 
20
AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO 
CONSCIENTE 
• Teste de posição da pata 
Figura 6. Possíveis respostas propriocepção consciente 
21
AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO 
CONSCIENTE 
• Reflexo do passo 
Figura 7. Avaliação da propriocepção consciente 
(FEITOSA, 
2004) 
22
AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO 
CONSCIENTE 
• Teste do carrinho de mão 
Figura 8. Teste do “carrinho de mão” 
23 
Objetivo: 
- Paresia 
- Paralisia 
- Ataxia 
(NMS OU NMI)
AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO 
CONSCIENTE 
• Empurrão extensor 
Figura 9. Propulsão extensora 
(FEITOSA, 
2004) 
24 
Objetivo: 
Paresia ou paralisia
AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO 
CONSCIENTE 
• Teste de colocação 
Figura 10. Colocação visual Figura 11. Colocação táctil 
25 
(FEITOSA, 2004; VIANNA,2008)
EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO-ESPINAL 
• Objetivo 
- Normal 
- NMI 
- MMS 
(WHEELER, 1999) 
- Função motora 
- Atrofia 
- Tônus 
- Reflexos locais 
26
AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO MOTORA 
• Massa muscular 
Inspeção 
+ 
Palpação 
Tônus muscular : 
Flexão e extensão delicadas 
das articulações 
27 
Figura 12. Atrofia muscular em cão 
(WHEELER, 1999) 
• Reflexos: patelar e flexor
AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO MOTORA 
MEMBROS PÉLVICOS 
• Reflexo Patelar: Fácil realização 
28 
Figura 14. Teste do reflexo patelar 
1. Hiporreflexia unilateral: 
Doença de nervo periférico 
(Femural) 
2. Hiporreflexia bilateral: 
Lesão medula espinhal 
Entre L4-L6 
1. Hiperreflexia 
com clonias 
Lesão medula 
espinhal 
Cranial à L4-L6
SENSIBILIDADE 
Ausência de sensibilidade dolorosa superficial 
29 
• Sensação de dor superficial 
Estímulo a gerar uma resposta comportamental 
(sensibilidade consciente à dor) 
Sensação de dor profunda
SENSIBILIDADE 
• Sensação de dor profunda 
(FEITOSA, 2004) 
Aumentar 
o estímulo 
Dor 
30
CONCLUSÃO
CONCLUSÃO 
• Achados 
Lesão 
localizada 
Lista de 
diagnósticos • Tentar excluir as 
• Raça, idade, 
história clínica, 
sinais clínicos, 
achados físicos 
menos prováveis 
e focar nas mais 
prováveis 
Eliminar 
32 
(WHEELER, 1999)
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dermatofitose x dermatofilose
Dermatofitose x dermatofilose Dermatofitose x dermatofilose
Dermatofitose x dermatofilose iaavila
 
Sistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterináriaSistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterináriaMarília Gomes
 
Sistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterináriaSistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterináriaMarília Gomes
 
Aula de Patologia do Sist. Digestório - Parte 1
Aula de Patologia do Sist. Digestório - Parte 1Aula de Patologia do Sist. Digestório - Parte 1
Aula de Patologia do Sist. Digestório - Parte 1Raimundo Tostes
 
Aula Digestivo 5 2010 1
Aula Digestivo 5 2010 1Aula Digestivo 5 2010 1
Aula Digestivo 5 2010 1UFPEL
 
Aula de digestivo parte 2
Aula de digestivo parte 2Aula de digestivo parte 2
Aula de digestivo parte 2Raimundo Tostes
 
Sistema reprodutor feminino Animal
Sistema reprodutor feminino AnimalSistema reprodutor feminino Animal
Sistema reprodutor feminino AnimalLuísa Santana
 
Tegumento comum - Anatomia animal
Tegumento comum - Anatomia animalTegumento comum - Anatomia animal
Tegumento comum - Anatomia animalMarília Gomes
 
Musculos do cão
Musculos do cãoMusculos do cão
Musculos do cãoLisi Camana
 
Anatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesAnatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesMarília Gomes
 
Sistema endócrino veterinária
Sistema endócrino veterináriaSistema endócrino veterinária
Sistema endócrino veterináriaMarília Gomes
 
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)Vicente Fernandes
 
Aula de Patologia do Sistema Endócrino
Aula de Patologia do Sistema EndócrinoAula de Patologia do Sistema Endócrino
Aula de Patologia do Sistema EndócrinoRaimundo Tostes
 
Ultrassonografia diagnóstica do sistema locomotor de equinos
Ultrassonografia diagnóstica do sistema locomotor de equinosUltrassonografia diagnóstica do sistema locomotor de equinos
Ultrassonografia diagnóstica do sistema locomotor de equinosPedro Augusto
 
Necropsia e material diagnóstico - suínos
Necropsia e material diagnóstico - suínosNecropsia e material diagnóstico - suínos
Necropsia e material diagnóstico - suínosMarília Gomes
 
Aula 3 Anatomia - Pele e Anexos
Aula 3 Anatomia - Pele e Anexos Aula 3 Anatomia - Pele e Anexos
Aula 3 Anatomia - Pele e Anexos Julia Berardo
 
Sistema nervoso - Anatomia animal
Sistema nervoso - Anatomia animalSistema nervoso - Anatomia animal
Sistema nervoso - Anatomia animalMarília Gomes
 
Anatomia dos animais de produção ii
Anatomia dos animais de produção iiAnatomia dos animais de produção ii
Anatomia dos animais de produção iiFrancismara Carreira
 

Mais procurados (20)

Dermatofitose x dermatofilose
Dermatofitose x dermatofilose Dermatofitose x dermatofilose
Dermatofitose x dermatofilose
 
Sistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterináriaSistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterinária
 
Sistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterináriaSistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterinária
 
Caso clínico
Caso clínicoCaso clínico
Caso clínico
 
Aula de Patologia do Sist. Digestório - Parte 1
Aula de Patologia do Sist. Digestório - Parte 1Aula de Patologia do Sist. Digestório - Parte 1
Aula de Patologia do Sist. Digestório - Parte 1
 
Aula Digestivo 5 2010 1
Aula Digestivo 5 2010 1Aula Digestivo 5 2010 1
Aula Digestivo 5 2010 1
 
Aula de digestivo parte 2
Aula de digestivo parte 2Aula de digestivo parte 2
Aula de digestivo parte 2
 
Sistema reprodutor feminino Animal
Sistema reprodutor feminino AnimalSistema reprodutor feminino Animal
Sistema reprodutor feminino Animal
 
Tegumento comum - Anatomia animal
Tegumento comum - Anatomia animalTegumento comum - Anatomia animal
Tegumento comum - Anatomia animal
 
Musculos do cão
Musculos do cãoMusculos do cão
Musculos do cão
 
Anatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesAnatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das aves
 
Sistema endócrino veterinária
Sistema endócrino veterináriaSistema endócrino veterinária
Sistema endócrino veterinária
 
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
 
Aula de Patologia do Sistema Endócrino
Aula de Patologia do Sistema EndócrinoAula de Patologia do Sistema Endócrino
Aula de Patologia do Sistema Endócrino
 
Ultrassonografia diagnóstica do sistema locomotor de equinos
Ultrassonografia diagnóstica do sistema locomotor de equinosUltrassonografia diagnóstica do sistema locomotor de equinos
Ultrassonografia diagnóstica do sistema locomotor de equinos
 
Caso clínico
Caso clínicoCaso clínico
Caso clínico
 
Necropsia e material diagnóstico - suínos
Necropsia e material diagnóstico - suínosNecropsia e material diagnóstico - suínos
Necropsia e material diagnóstico - suínos
 
Aula 3 Anatomia - Pele e Anexos
Aula 3 Anatomia - Pele e Anexos Aula 3 Anatomia - Pele e Anexos
Aula 3 Anatomia - Pele e Anexos
 
Sistema nervoso - Anatomia animal
Sistema nervoso - Anatomia animalSistema nervoso - Anatomia animal
Sistema nervoso - Anatomia animal
 
Anatomia dos animais de produção ii
Anatomia dos animais de produção iiAnatomia dos animais de produção ii
Anatomia dos animais de produção ii
 

Semelhante a Neurologia VETERINÁRIA

Assuntos dos módulos 1 26
Assuntos dos módulos 1 26Assuntos dos módulos 1 26
Assuntos dos módulos 1 26SemioOrto
 
Avaliação Fisioterapêutica Vestibular Instrumentalizada
Avaliação Fisioterapêutica Vestibular InstrumentalizadaAvaliação Fisioterapêutica Vestibular Instrumentalizada
Avaliação Fisioterapêutica Vestibular InstrumentalizadaLzaroTeixeira1
 
Articulação de quadril
Articulação de quadrilArticulação de quadril
Articulação de quadrilAdriane Cunha
 
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de CasoSemiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de CasoEnfº Ícaro Araújo
 
Condromalácia patelar seminario pdf
Condromalácia patelar  seminario pdfCondromalácia patelar  seminario pdf
Condromalácia patelar seminario pdfAutómono
 
Condromalácia patelar seminario pdf
Condromalácia patelar  seminario pdfCondromalácia patelar  seminario pdf
Condromalácia patelar seminario pdfAutómono
 
Avaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombarAvaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombarJunio Alves
 
Teórico prático l 2013
Teórico prático l 2013Teórico prático l 2013
Teórico prático l 2013pauloalambert
 
aula coluna lombar e cervical 2015 (1).pptx
aula coluna lombar e cervical 2015 (1).pptxaula coluna lombar e cervical 2015 (1).pptx
aula coluna lombar e cervical 2015 (1).pptxMiltonRicardodeMedei
 
Propedeutica osteoarticular
Propedeutica osteoarticularPropedeutica osteoarticular
Propedeutica osteoarticularGermano Silva
 
Avalia+º+úo col vertebral
Avalia+º+úo col vertebralAvalia+º+úo col vertebral
Avalia+º+úo col vertebraljuuliacarolina
 
Avaliação Vestibular clinica e instrumentalizada
Avaliação Vestibular clinica e instrumentalizadaAvaliação Vestibular clinica e instrumentalizada
Avaliação Vestibular clinica e instrumentalizadaLzaroTeixeira1
 

Semelhante a Neurologia VETERINÁRIA (20)

Assuntos dos módulos 1 26
Assuntos dos módulos 1 26Assuntos dos módulos 1 26
Assuntos dos módulos 1 26
 
Coluna cervical
Coluna cervicalColuna cervical
Coluna cervical
 
Avaliação Fisioterapêutica Vestibular Instrumentalizada
Avaliação Fisioterapêutica Vestibular InstrumentalizadaAvaliação Fisioterapêutica Vestibular Instrumentalizada
Avaliação Fisioterapêutica Vestibular Instrumentalizada
 
Articulação de quadril
Articulação de quadrilArticulação de quadril
Articulação de quadril
 
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de CasoSemiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
 
Condromalácia patelar seminario pdf
Condromalácia patelar  seminario pdfCondromalácia patelar  seminario pdf
Condromalácia patelar seminario pdf
 
Condromalácia patelar seminario pdf
Condromalácia patelar  seminario pdfCondromalácia patelar  seminario pdf
Condromalácia patelar seminario pdf
 
Modulo 10
Modulo 10Modulo 10
Modulo 10
 
Coluna lombar
Coluna lombarColuna lombar
Coluna lombar
 
Avaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombarAvaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombar
 
Teórico prático l 2013
Teórico prático l 2013Teórico prático l 2013
Teórico prático l 2013
 
Modulo 09
Modulo 09Modulo 09
Modulo 09
 
aula coluna lombar e cervical 2015 (1).pptx
aula coluna lombar e cervical 2015 (1).pptxaula coluna lombar e cervical 2015 (1).pptx
aula coluna lombar e cervical 2015 (1).pptx
 
Joelho
JoelhoJoelho
Joelho
 
Quadril
QuadrilQuadril
Quadril
 
Propedeutica osteoarticular
Propedeutica osteoarticularPropedeutica osteoarticular
Propedeutica osteoarticular
 
Avalia+º+úo col vertebral
Avalia+º+úo col vertebralAvalia+º+úo col vertebral
Avalia+º+úo col vertebral
 
Fisioterapia Em Traumatofuncional
Fisioterapia Em TraumatofuncionalFisioterapia Em Traumatofuncional
Fisioterapia Em Traumatofuncional
 
Equoterapia
Equoterapia Equoterapia
Equoterapia
 
Avaliação Vestibular clinica e instrumentalizada
Avaliação Vestibular clinica e instrumentalizadaAvaliação Vestibular clinica e instrumentalizada
Avaliação Vestibular clinica e instrumentalizada
 

Último

O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 

Neurologia VETERINÁRIA

  • 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ Faculdade de Medicina Veterinária -FAVET Disciplina: Terapêutica Veterinária Docente :Prof. Dra Adriana Tomé EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO-ESPINAL JULLIO DA COSTA BATI STA PARENTE Agosto de 2014
  • 2. EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO • Objetivos - origem neurológica (Ex: espinhal) - localizar o ponto afetado - avaliar a gravidade - determinar o tratamento - prognóstico 2 (WHEELER, 1999)
  • 3. Tempo Severidade dos sinais Curso clínico das enfermidades neurológicas Enf deg. (enf,discal) Mielomalacia Degenerativas Neoplasias Traumas, vasculares (Isquemia) Infecciosas Inflamatorias, imunológicas
  • 4. CATEGORIAS ETIOLÓGICAS D A M N I T egenerativas nomalía etabólica eoplasia, nutricional nflamatoria, isquemica (vascular), imune rauma, tóxica.
  • 5. INSTRUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SE REALIZAR UM EXAME NEUROLÓGICO?
  • 6. EXAME CLÍNICO • Convulsões • Alteração do estado mental: - Estupor, coma, depressão • Paresia e paralisia • Déficits proprioceptivos • Ataxia • Abalos de cabeça • Andar em círculos • Tremores • Dismetria • Nistagmo • Hiperestesia • Analgesia 6
  • 7. SISTEMA NERVOSO • NMS (Medula ou tronco cerebral) • NMI • Nervos periféricos espinhais ou cranianos ou em seus corpos celulares na medula ou tronco cerebral
  • 8. ESTADO MENTAL • Alteração do estado mental: Estupor, coma, depressão, eufórico • ÁREA: Doença cérebrocortical ou tronco cerebral
  • 9. POSTURA Meneios de cabeça- Síndrome vestibular • Tronco: Alteração do tônus muscular com lesão cerebral ou da ME - Espinha  Cifose, lordose e escoliose
  • 10. POSTURA Membros: Aumento ou diminuição do tônus muscular extensor -Estação de base ampla
  • 11. POSTURA • Causa: Diminuição da propriocepção por lesão: • NMS (Medula ou tronco cerebral) ou • NMI (nervos periféricos espinhais ou cranianos ou em seus corpos celulares na medula ou tronco cerebral)
  • 12. POSTURA • Tônus muscular Posição de Schiff- Sherrington 12 • Causa: Aumento de tônus extensor nos membros torácicos e hiperextensão do pescoço • Grave lesão da ME: Caudal à (WHEELER, 1999) C6-T2
  • 13. AVALIAÇÃO DO ANIMAL EM ESTAÇÃO 13
  • 14. EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO-ESPINAL • Avaliação inicial: • Atitude, postura e locomoção • Comportamento frente ao ambiente 14 (WHEELER, 1999)
  • 15. EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO-ESPINAL • Determinação do estado locomotor - Debilidades e deficiências - Força muscular - Testes de qualidade locomotora (WHEELER, 1999) Figura 1. Teste de resistência extensora Fonte: Luiz Felipe Castro Graeff Viana 15
  • 16. DETERMINAÇÃO DO ESTADO LOCOMOTOR • Teste de saltitar Figura 2. Saltitamento (FEITOSA, 2004) 16 Objetivo: Paresia ou paralisia
  • 17. DETERMINAÇÃO DO ESTADO LOCOMOTOR • Teste de hemiestação e hemilocomoção Figura 3. Hemiestação Figura 4. Hemilocomoção 17 Objetivo: Paresia ou paralisia
  • 18. AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE • Sentido de conhecimento de onde as partes do corpo estão. • Uma das primeiras áreas a ser afetada: Compressão espinhal. (Ex: Prolapso disco intervertebral) Figura 5. Avaliação da propriocepção consciente 18
  • 19. EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO-ESPINAL • Avaliação da propriocepção consciente - Teste de posição da pata - Reflexo do passo - Teste do carrinho de mão - Empurrão extensor - Teste de colocação 19
  • 20. AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE • Teste de posição da pata Figura 5. Avaliação da propriocepção consciente (FEITOSA, 2004) 20
  • 21. AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE • Teste de posição da pata Figura 6. Possíveis respostas propriocepção consciente 21
  • 22. AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE • Reflexo do passo Figura 7. Avaliação da propriocepção consciente (FEITOSA, 2004) 22
  • 23. AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE • Teste do carrinho de mão Figura 8. Teste do “carrinho de mão” 23 Objetivo: - Paresia - Paralisia - Ataxia (NMS OU NMI)
  • 24. AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE • Empurrão extensor Figura 9. Propulsão extensora (FEITOSA, 2004) 24 Objetivo: Paresia ou paralisia
  • 25. AVALIAÇÃO DA PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE • Teste de colocação Figura 10. Colocação visual Figura 11. Colocação táctil 25 (FEITOSA, 2004; VIANNA,2008)
  • 26. EXAME CLÍNICO NEUROLÓGICO-ESPINAL • Objetivo - Normal - NMI - MMS (WHEELER, 1999) - Função motora - Atrofia - Tônus - Reflexos locais 26
  • 27. AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO MOTORA • Massa muscular Inspeção + Palpação Tônus muscular : Flexão e extensão delicadas das articulações 27 Figura 12. Atrofia muscular em cão (WHEELER, 1999) • Reflexos: patelar e flexor
  • 28. AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO MOTORA MEMBROS PÉLVICOS • Reflexo Patelar: Fácil realização 28 Figura 14. Teste do reflexo patelar 1. Hiporreflexia unilateral: Doença de nervo periférico (Femural) 2. Hiporreflexia bilateral: Lesão medula espinhal Entre L4-L6 1. Hiperreflexia com clonias Lesão medula espinhal Cranial à L4-L6
  • 29. SENSIBILIDADE Ausência de sensibilidade dolorosa superficial 29 • Sensação de dor superficial Estímulo a gerar uma resposta comportamental (sensibilidade consciente à dor) Sensação de dor profunda
  • 30. SENSIBILIDADE • Sensação de dor profunda (FEITOSA, 2004) Aumentar o estímulo Dor 30
  • 32. CONCLUSÃO • Achados Lesão localizada Lista de diagnósticos • Tentar excluir as • Raça, idade, história clínica, sinais clínicos, achados físicos menos prováveis e focar nas mais prováveis Eliminar 32 (WHEELER, 1999)
  • 33. FIM

Notas do Editor

  1.  Assim como nas demais afecções o exame clinico é indispensavel para o diagnostico
  2. Nessa etapa do exame deve-se avaliar o comportamento do animal frente ao ambiente, deixando-o relaxar e movimentar-se livremente para melhor avalia-lo. Deve-se avaliar a marcha do animal atentando para qualquer assimetria e também pode-se se escutar o animal andar uma vez que problemas proprioceptivos podem resultar no atrito das unhas com o solo. A postura normal do animal reflete de uma interação entre neurônios motores, cordão espinhal, sistema visual, propriocepção e músculos, portanto uma falha em qualquer um desses sistemas pode levar a uma alteração postural. As alterações de espinha geralmente se manifestam em posturas inadequadas como sifose, lordose e escoliose.
  3.  Deve-se atentar para debilidades unilaterais e deficiências sensitivas que podem ser reveladas pelos testes de saltitar, hemiestação e hemimarcha. Além disso pode-se determinar a força muscular, se o animal é capaz de se sustentar em pé, empurrando os ombros e as articulações coxofemorais para baixo. Após a realização desses testes a qualidade locomotora desses animais pode ser definida.
  4. Suspende-se 3 membros do animal forçando-o a mover-se ou saltitar sobre o quarto membro. Deve ser feito tanto para membros pélvicos quanto torácicos O animal não será capaz de saltitar normalmente se ele tem disfunção proprioceptiva ou função motora debilitada
  5. Neste teste, os membros de um lado do corpo são erguidos do chão e o paciente é forçado a se manter parado sobre dois membros (hemiestação) e, em seguida, andar sobre os mesmos (hemilocomoção) Um animal normal não tem dificuldade para se manter em pé nesta posição nem para andar. Anda lateralmente e mantem seus membros corretamente posicionados abaixo do corpo.
  6. É o teste básico. A extremidade do membro é fletida de modo que sua superfície dorsal toque a mesa ou o chão  O animal normal posiciona corretamente o membro dentre de 1-3 segundos
  7. Propriocepção também denominada como cinestesia, é o termo utilizado para nomear a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo, sua posição e orientação, a força exercida pelos músculos e a posição de cada parte do corpo em relação às demais, sem utilizar a visão. Animais com problemas proprioceptivos que podem andar geralmente descansam o dorso das unhas de maneira anormal A propriocepção pode ser avaliada pelo teste de posição da pata, teste do carrinho de mão, empurrão extensor e teste de localização
  8.  coloca-se uma folha de papel ou cartolina abaixo da pata, com o animal em estação  O papel ou cartolina é então lentamente movimentado lateralmente, de modo que o membro também se desloque lateralmente. Quando o animal perceber a posição anormal do membro, deve colocá-lo novamente na posição normal
  9.  Levantam-se do chão os membros posteriores dos pequenos animais, e avalia-se o animal enquanto este estiver andando apenas sobre os membros anteriores. Utiliza-se esse teste para se detectarem deficiências sutis nos membros anteriores. Os animais normais não devem tropeçar ou apoiar-se sobre os nós dos dedos à medida que andam.  A elevação da cabeça nesse teste pode revelar algumas vezes hipermetria
  10.  O animal é sustentado e então erguido e baixado sobre uma superfície, animais normais irão apresentar extensão dos membros pélvicos, podendo também dar alguns passos para trás.
  11. O paciente é colocado em decúbito lateral e cada membro é avaliado com o objetivo de enquadra-lo em uma das seguintes categorias Os efeitos das lesões no NMI e NMS podem ser considerados em termos de função motora, atrofia muscular, tono muscular e reflexos locais
  12. A massa muscular vai ser avaliada por inspeção mais palpação È util avaliar os musculos que tem borda osséa definida
  13.  O reflexo patelar é o reflexo mais facilmente testado  Em lesões do NMS causa um hiperreflexia com presença de clono (repetidas flexões e extensões das articulações em resposta a um único estímulo)
  14. Ao avaliar o reflexo de retirada deve-se avaliar também a resposta comportamental do paciente  pode-se aumentar gradativamente a força do estimulo, observando-se repostas como gritos ou movimentos da cabeça do animal  caso essa reposta não apareça o estimulo pode ser aumentado usando-se um objeto maior. A manutenção do reflexo intacto mais com perda da dor profunda indica uma lesão dos tratos ascendentes da medula espinhal. Já que esses tratos (ascendentes da medula) são múltiplos e bilaterais, a dor profunda só estara presente em lesões severas, sendo o prognóstico nessses casos reservado.
  15. NUNCA FAZER O DIAGNÓSTICO BASEADO EM UM ÚNICO ACHADO Na determinação do diagnóstico deve se levar em consideração a area em que a lesão se localiza atentando para os achados desse região associando isso ao histórico clínico e aos achados físicos, fomulando hipoteses, e focando nos diagnósticos mais provaveis