SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
Nome do candidato
TÍTULO DO PROJETO
Projeto de Pesquisa apresentado ao Programa de Pós-
Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa
Maria como requisito parcial para a seleção de ingresso ao
Curso de Mestrado.
Linha de Pesquisa:
Santa Maria, RS
1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO
1.1 Instituição
Universidade Federal de Santa Maria
Centro de Ciências Sociais e Humanas
Programa de Pós-Graduação em Comunicação
UFSM - Prédio 21 – Campus Universitário José Mariano da Rocha Filho
Santa Maria – RS – Brasil - CEP: 97.105.900
Telefone/fax: (55) 3220-8579
www.ufsm.br/poscom
1.2 Título do Projeto
1.3. Linha de Pesquisa:
1.4. Candidato (a)
Nome
Endereço
Telefone
e-mail
1.5. Resumo
(problema, objetivos e metodologia em 5 linhas).
1.6. Palavras-chave
Ligadas ao tema e que permitam indexar o trabalho em grupos de pesquisa da
instituição, nacionais e internacionais – ver Diretório de grupos de pesquisa na
Plataforma Lattes do CNPq (www.cnpq.br), e artigos científicos apresentados na
COMPÓS (www.cmpos.org/biblioteca) e INTERCOM
(http://www.portalintercom.org.br/.).
2.TEMA
A escolha do tema deverá ser feita com a observância de critérios objetivos e
precisos, considerando como fatores mais importantes a originalidade do assunto,
sua inserção no campo de estudos da comunicação midiática e na linha de
pesquisa em que o candidato pretende ingressar.
3.DELIMITAÇÃO DO TEMA
Significa reduzir a extensão da pesquisa, tornar o assunto o mais viável
possível, colocando-se limites, situando-o dentro do tempo e espaço. Temas
extensos não possibilitam análise mais profunda ou demandam muito tempo. O
candidato deve considerar o tempo máximo para a conclusão do mestrado (dois
anos ou 24 meses).
4. PROBLEMA DE PESQUISA
Formular o problema consiste em dizer, de maneira clara e compreensível,
qual a dificuldade que o projeto pretende enfrentar, delimitando o seu campo de
abrangência e apresentando suas características.
O problema é o foco central da pesquisa a ser realizada. Pode ser redigido
em forma de uma pergunta ou perguntas, que envolvam as dificuldades teóricas
e/ou práticas para as quais o pesquisador deve propor respostas provisórias
(hipóteses). Antes de formulá-lo ou descrevê-lo é necessário fazer uma revisão
bibliográfica sobre o tema escolhido. Ele é construído a partir da problematização de
proposição de autores ou de dados de pesquisas já realizadas. Essa
problematização dá sustentação às questões que norteiam a pesquisa, que
funcionam como um eixo que sustenta a investigação.
A cientificidade da construção do projeto está na articulação das questões
norteadoras da pesquisa com um problema teórico, ou seja, no estabelecimento de
um diálogo com os autores que podem nos ajudar na caminhada. Aqui está o que
Maria Immacolata Vassalo de Lopes (2001) chama de ruptura epistemológica, quer
dizer, a capacidade do autor da pesquisa em recortar e refletir sobre um novo
ângulo o tema escolhido, o que inclui desde o aspecto teórico sobre um
determinado assunto até as etapas de uma metodologia.
5 – JUSTIFICATIVA
A construção de uma justificativa vai além de uma atitude retórica de
convencimento sobre a pesquisa. Deve explicitar especialmente a importância da
pesquisa para o campo da comunicação, para a área de concentração do Programa
(Comunicação Midiática) e para a linha de pesquisa escolhida pelo proponente do
projeto (Mídia e Estratégias Comunicacionais ou Mídia e Identidades
Contemporâneas).
A justificativa é de caráter pessoal devendo o aluno destacar a importância e
os motivos da escolha do tema e a relevância social e científica da pesquisa e
deverá ser feita em linguagem simples e clara, sem a utilização de citações.
Nesta etapa são justificadas a escolha do tema, a importância da pesquisa e
as possíveis contribuições para o campo de pesquisa em estudo. O pesquisador
pode ainda, demonstrar que tem condições físicas, materiais e intelectuais para a
realização do projeto dentro do tempo previsto.
6 - OBJETIVOS
Os objetivos são as metas que o pesquisador pretende constatar, verificar,
analisar para esclarecer o problema de pesquisa Os objetivos pretendem sempre
examinar o objeto dentro de determinados parâmetros.
Os objetivos podem ser de duas ordens: geral e específicos.
Objetivo geral: busca definir uma meta para todo o trabalho. Está ligado à
formulação do problema e à proposição das hipóteses. Traduz o que a pesquisa
procura alcançar.
Objetivos específicos: explicitam as operações processuais que, articuladas,
permitem alcançar o objetivo geral. Estão ligados diretamente à estrutura, ao
atendimento de questões mais particulares da pesquisa. Os objetivos específicos
podem ser estabelecidos a partir de cada capítulo do “sumário provisório”.
Desenvolver, verificar, analisar, investigar, descrever, comparar, identificar,
são verbos utilizados na elaboração dos objetivos.
7. EMBASAMENTO TEÓRICO
O embasamento teórico é constituído por três etapas: consulta bibliográfica
preliminar (revisão bibliográfica), marco teórico (teoria de base) e definição de
conceitos. Deve formar um texto logicamente coerente dentro do qual o trabalho do
pesquisador se fundamenta.
A consulta bibliográfica preliminar serve para dar ao pesquisador a certeza da
existência de material disponível e acessível que permitirão atingir os objetivos
específicos estabelecidos. Possibilita uma visão geral e atual da temática a ser
trabalhada, selecionando os itens que constituirão a estrutura provisória dos
capítulos da monografia.
Situar o trabalho de pesquisa em um marco teórico é fundamental para a
manutenção do raciocínio lógico e coerente ao longo de todo o trabalho de
pesquisa. Além disso, permite a localização dos pesquisadores e grupos que
trabalham com o tema e a situação da pesquisa no campo teórico dos estudos em
comunicação.
A construção de um conjunto articulado de conceitos e de proposições, que
possam dar sustentação à compreensão do problema de pesquisa, é a essência do
embasamento teórico. É formado pelo estudo, apropriação e/ou confronto dos
referenciais teóricos utilizados, os quais são articulados de forma a dar sustentação
ao problema de pesquisa.
È o momento de ultrapassar o nível de resenha ou fichamento dos autores e
de fazer uma reflexão sobre os conceitos mobilizados pela pesquisa. Torna-se
necessário esclarecer qual a compreensão que podemos ter sobre o problema de
pesquisa utilizando esses conceito, através de que ângulos ou aspectos.
8 .METODOLOGIA
Mencionar as opções metodológicas, referentes aos métodos e técnicas, que
serão utilizados na construção do raciocínio lógico que acompanhará o
desenvolvimento da estrutura provisória do projeto de pesquisa. O método é o
caminho para se chegar a um fim.
Descrever como será formado o corpus de pesquisa e como será analisado
Explicar as razões das escolhas e sua fundamentação.
As opções metodológicas referentes ao corpus da pesquisa ou amostra
devem ser construídas e justificadas com base no problema de pesquisa. Deve-se
esclarecer como será feita a construção de categorias de descrição/análise e as
técnicas que permitirão capturar os dados a serem estudados. Pode-se avançar na
construção de roteiros, pautas ou instrumentos.
9 – CRONOGRAMA
Todas as atividades incluindo a defesa da dissertação de mestrado devem
ser cumpridas no prazo máximo de 24 meses.
ATIVIDADES 2013 2014 2015
Março
Cumprimento de créditos por meio de
disciplinas e atividades complementares
X X
Revisão do Projeto de Pesquisa X
Qualificação do Projeto X
Publicação em periódicos científicos X X
Redação Final X
Abertura do processo de defesa (60 dias
antes da data de defesa)
X
Finalização da dissertação e entrega para
avaliação da banca (30 dias de
antecedência)
X
Defesa da dissertação a partir de março de
2014 (prazo mínimo -12 meses) até março de
2015 (prazo máximo - 24 meses)
X X (prazo máximo)
Primeira semana de março
de 2015 é o último prazo
para defender a
dissertação de mestrado
(24 meses).
10. BIBLIOGRAFIA
Deve ser registrado todo o material que possibilitou um conhecimento prévio
sobre o tema e sua delimitação. Relação de todas as obras consultadas em ordem
alfabética conforme determina ABNT. (autor, obra, edição, local, editora, ano de
publicação)
BRAGA, J. L. LOPES, M. I. V. de; MARTINO, L.C. (Org.) Pesquisa empírica em
Comunicação. São Paulo: Paulus, 2010.
BAUER, Martin W. e GASKEL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem
e som. Um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.
ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1988.
FRAGOSO, S.; RECUERO, R.; AMARAL, A. Métodos de pesquisa para internet.
Porto Alegre: Sulina, 2011.
JOHNSON, Telma. Pesquisa social mediada por computador: questões,
metodologias e técnicas qualitativas. Rio de Janeiro: E-papers, 2010.
LAGO, Cláudia e BENETTI, Márcia. Metodologia de pesquisa em Jornalismo
LOPES, Maria Immacolata Vassalo. Pesquisa em comunicação. Formulação de
um modelo metodológico. São Paulo: Loyola, 2001.
LOPES, Maria Immacolata Vassalo. (Org.) Epistemologia da Comunicação. São
Paulo: Loyola, 2007.
MALDONADO, Alberto Efendy et al. Metodologias de Pesquisa em
Comunicação: olhares, trilhas e processos. Porto Alegre: Sulina, 2006.
SANTAELLA, Lucia. Comunicação e pesquisa. Projetos para mestrado e
doutorado. São Paulo: Hacker, 2001.
11. SUMÁRIO PROVISÓRIO DA DISSERTAÇÃO
Indicar aqui os capítulos e suas subdivisões
INTRODUÇÃO
CAPÍTULO I
1.1
1.2
1.3
CAPÍTULO II
2.1
2.2
2.3
CAPÍTULO III
2.1
2.2
2.3
CONSIDERAÇÕES FINAIS
BIBLIOGRAFIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Como problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisaComo problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisa
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
 
Relatorio pronto
Relatorio prontoRelatorio pronto
Relatorio pronto
 
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de PesquisaEstrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de Pesquisa
 
Artigo cientifico (como fazer)
Artigo cientifico (como fazer)Artigo cientifico (como fazer)
Artigo cientifico (como fazer)
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
 
Resenha acadêmica
Resenha acadêmicaResenha acadêmica
Resenha acadêmica
 
Modelo de artigo cientifico
Modelo de artigo cientificoModelo de artigo cientifico
Modelo de artigo cientifico
 
Aula 04 metodologia de um tcc
Aula 04   metodologia de um tccAula 04   metodologia de um tcc
Aula 04 metodologia de um tcc
 
Modelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestradoModelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestrado
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
 
Slide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientificoSlide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientifico
 
Aula como elaborar um artigo científico
Aula   como elaborar um artigo científicoAula   como elaborar um artigo científico
Aula como elaborar um artigo científico
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
 
Fazendo TCC - 1ª aula
Fazendo TCC - 1ª aulaFazendo TCC - 1ª aula
Fazendo TCC - 1ª aula
 
Aula 9. modelo de plano de aula
Aula 9. modelo de plano de aulaAula 9. modelo de plano de aula
Aula 9. modelo de plano de aula
 
Resumo indicativo
Resumo indicativoResumo indicativo
Resumo indicativo
 
061 relatorio modelo
061 relatorio modelo061 relatorio modelo
061 relatorio modelo
 
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
 

Destaque

Planeacion 4-segunda-semana
Planeacion 4-segunda-semanaPlaneacion 4-segunda-semana
Planeacion 4-segunda-semanaCecy Torres
 
Presentatie GLN incasso
Presentatie GLN incassoPresentatie GLN incasso
Presentatie GLN incassoGLNincasso
 
ACE-Review_Winter 2016_DIGITAL
ACE-Review_Winter 2016_DIGITALACE-Review_Winter 2016_DIGITAL
ACE-Review_Winter 2016_DIGITALTanya Kyte
 
Mi cuenta creada para delicious y fli...
Mi cuenta creada para delicious y fli...Mi cuenta creada para delicious y fli...
Mi cuenta creada para delicious y fli...Jessy234
 
Modelo de-projeto-de-dissertacao
Modelo de-projeto-de-dissertacaoModelo de-projeto-de-dissertacao
Modelo de-projeto-de-dissertacaowaltermoreira
 
Llvm Talk 社内LT大会資料
Llvm Talk 社内LT大会資料Llvm Talk 社内LT大会資料
Llvm Talk 社内LT大会資料Ken'ichi Sakiyama
 
Rancangan pelajaran tahunan sejarah
Rancangan pelajaran tahunan sejarahRancangan pelajaran tahunan sejarah
Rancangan pelajaran tahunan sejarahSMKKLIA
 
Floodgate vc fundraising primer ppt
Floodgate vc fundraising primer pptFloodgate vc fundraising primer ppt
Floodgate vc fundraising primer pptMike Maples, Jr
 
Empathy and Problem Satement
Empathy and Problem SatementEmpathy and Problem Satement
Empathy and Problem SatementKrzysztof Gabruk
 
Acute pancreatitis ‫‬
Acute pancreatitis  ‫‬Acute pancreatitis  ‫‬
Acute pancreatitis ‫‬MEEQAT HOSPITAL
 
تحميل رواية عائلة كاردينال
تحميل رواية عائلة كاردينال تحميل رواية عائلة كاردينال
تحميل رواية عائلة كاردينال maktbahCom
 

Destaque (18)

VIKAS_RESUME
VIKAS_RESUMEVIKAS_RESUME
VIKAS_RESUME
 
Planeacion 4-segunda-semana
Planeacion 4-segunda-semanaPlaneacion 4-segunda-semana
Planeacion 4-segunda-semana
 
vishvjeet qa cv
vishvjeet qa cvvishvjeet qa cv
vishvjeet qa cv
 
CPCL report
CPCL reportCPCL report
CPCL report
 
Presentatie GLN incasso
Presentatie GLN incassoPresentatie GLN incasso
Presentatie GLN incasso
 
ACE-Review_Winter 2016_DIGITAL
ACE-Review_Winter 2016_DIGITALACE-Review_Winter 2016_DIGITAL
ACE-Review_Winter 2016_DIGITAL
 
Mi cuenta creada para delicious y fli...
Mi cuenta creada para delicious y fli...Mi cuenta creada para delicious y fli...
Mi cuenta creada para delicious y fli...
 
Nathan FaulknorEE
Nathan FaulknorEENathan FaulknorEE
Nathan FaulknorEE
 
Plantilla fase1
Plantilla fase1Plantilla fase1
Plantilla fase1
 
Modelo de-projeto-de-dissertacao
Modelo de-projeto-de-dissertacaoModelo de-projeto-de-dissertacao
Modelo de-projeto-de-dissertacao
 
Llvm Talk 社内LT大会資料
Llvm Talk 社内LT大会資料Llvm Talk 社内LT大会資料
Llvm Talk 社内LT大会資料
 
Rancangan pelajaran tahunan sejarah
Rancangan pelajaran tahunan sejarahRancangan pelajaran tahunan sejarah
Rancangan pelajaran tahunan sejarah
 
Floodgate vc fundraising primer ppt
Floodgate vc fundraising primer pptFloodgate vc fundraising primer ppt
Floodgate vc fundraising primer ppt
 
The Re-making revolution
The Re-making revolutionThe Re-making revolution
The Re-making revolution
 
Empathy and Problem Satement
Empathy and Problem SatementEmpathy and Problem Satement
Empathy and Problem Satement
 
Acute pancreatitis ‫‬
Acute pancreatitis  ‫‬Acute pancreatitis  ‫‬
Acute pancreatitis ‫‬
 
تحميل رواية عائلة كاردينال
تحميل رواية عائلة كاردينال تحميل رواية عائلة كاردينال
تحميل رواية عائلة كاردينال
 
LT 手作りGit
LT 手作りGitLT 手作りGit
LT 手作りGit
 

Semelhante a Modelo de Projeto de dissertação

Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoMara Salvucci
 
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02Tarcísio Pedro Chokombonge
 
Metodologia cientifica - projeto de pesquisa
Metodologia cientifica - projeto de pesquisaMetodologia cientifica - projeto de pesquisa
Metodologia cientifica - projeto de pesquisaAlfeu Barreto
 
Como elaborar um projeto de monografia
Como elaborar um projeto de monografiaComo elaborar um projeto de monografia
Como elaborar um projeto de monografiaHotoniones da Silva
 
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.pptPALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.pptPauloHenriqueMartins51
 
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científicaComo elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científicaroupanova
 
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisa
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisaPrograma institucional iniciacao -projeto de pesquisa
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisaCidinha Santos
 
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_iiDiretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_iiSoeli Marques
 
Oficina de redação de textos científicos VII Jornada Cientifica 2015
Oficina de redação de textos científicos VII Jornada Cientifica 2015Oficina de redação de textos científicos VII Jornada Cientifica 2015
Oficina de redação de textos científicos VII Jornada Cientifica 2015Beta Campos
 
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativaSugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativaLucinea Lima Lacerda
 
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth FantauzziComo elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth FantauzziElizabeth Fantauzzi
 
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpertManual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpertFabio Frossard
 
Como fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatórioComo fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatórioLucila Pesce
 

Semelhante a Modelo de Projeto de dissertação (20)

Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
 
Projeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-PesquisaProjeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-Pesquisa
 
Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013
 
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
 
Metodologia cientifica - projeto de pesquisa
Metodologia cientifica - projeto de pesquisaMetodologia cientifica - projeto de pesquisa
Metodologia cientifica - projeto de pesquisa
 
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrnProjeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
 
Como elaborar um projeto de monografia
Como elaborar um projeto de monografiaComo elaborar um projeto de monografia
Como elaborar um projeto de monografia
 
Manual de projetos científicos
Manual de projetos científicosManual de projetos científicos
Manual de projetos científicos
 
Como elaborar um projeto
Como elaborar um projetoComo elaborar um projeto
Como elaborar um projeto
 
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.pptPALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
 
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científicaComo elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
 
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisa
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisaPrograma institucional iniciacao -projeto de pesquisa
Programa institucional iniciacao -projeto de pesquisa
 
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_iiDiretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
 
Classificacao das pesquisas
Classificacao das pesquisasClassificacao das pesquisas
Classificacao das pesquisas
 
Oficina de redação de textos científicos VII Jornada Cientifica 2015
Oficina de redação de textos científicos VII Jornada Cientifica 2015Oficina de redação de textos científicos VII Jornada Cientifica 2015
Oficina de redação de textos científicos VII Jornada Cientifica 2015
 
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativaSugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa  Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth FantauzziComo elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
 
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpertManual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
 
Como fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatórioComo fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatório
 

Mais de Carlos Alberto Monteiro

Diversidade de Scolitynae (Coleoptera, Curculionidae) em Fragmentos de Flores...
Diversidade de Scolitynae (Coleoptera, Curculionidae) em Fragmentos de Flores...Diversidade de Scolitynae (Coleoptera, Curculionidae) em Fragmentos de Flores...
Diversidade de Scolitynae (Coleoptera, Curculionidae) em Fragmentos de Flores...Carlos Alberto Monteiro
 
Roteiro para elaboração de aplano RPPN
Roteiro para elaboração de aplano RPPNRoteiro para elaboração de aplano RPPN
Roteiro para elaboração de aplano RPPNCarlos Alberto Monteiro
 
Dissertação sobre chuva de sementes na recuperação de áreas
Dissertação sobre chuva de sementes na recuperação de áreasDissertação sobre chuva de sementes na recuperação de áreas
Dissertação sobre chuva de sementes na recuperação de áreasCarlos Alberto Monteiro
 
Flavio Monteiro Santos dissertação restauração
Flavio Monteiro Santos dissertação restauraçãoFlavio Monteiro Santos dissertação restauração
Flavio Monteiro Santos dissertação restauraçãoCarlos Alberto Monteiro
 
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016Carlos Alberto Monteiro
 
Fragmentos Florestais - Ecossistemologia
Fragmentos Florestais - EcossistemologiaFragmentos Florestais - Ecossistemologia
Fragmentos Florestais - EcossistemologiaCarlos Alberto Monteiro
 
Terry Eagleton - Marx e a critica literária
Terry Eagleton -  Marx e a critica literáriaTerry Eagleton -  Marx e a critica literária
Terry Eagleton - Marx e a critica literáriaCarlos Alberto Monteiro
 

Mais de Carlos Alberto Monteiro (20)

Diversidade de Scolitynae (Coleoptera, Curculionidae) em Fragmentos de Flores...
Diversidade de Scolitynae (Coleoptera, Curculionidae) em Fragmentos de Flores...Diversidade de Scolitynae (Coleoptera, Curculionidae) em Fragmentos de Flores...
Diversidade de Scolitynae (Coleoptera, Curculionidae) em Fragmentos de Flores...
 
Revisão ARTIGO APP
Revisão ARTIGO APPRevisão ARTIGO APP
Revisão ARTIGO APP
 
Roteiro para elaboração de aplano RPPN
Roteiro para elaboração de aplano RPPNRoteiro para elaboração de aplano RPPN
Roteiro para elaboração de aplano RPPN
 
Pacto2009 restauração florestal
Pacto2009 restauração florestalPacto2009 restauração florestal
Pacto2009 restauração florestal
 
Dissertação sobre chuva de sementes na recuperação de áreas
Dissertação sobre chuva de sementes na recuperação de áreasDissertação sobre chuva de sementes na recuperação de áreas
Dissertação sobre chuva de sementes na recuperação de áreas
 
Flavio Monteiro Santos dissertação restauração
Flavio Monteiro Santos dissertação restauraçãoFlavio Monteiro Santos dissertação restauração
Flavio Monteiro Santos dissertação restauração
 
Resenha Crítica - Aula
Resenha Crítica - AulaResenha Crítica - Aula
Resenha Crítica - Aula
 
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
 
Ecossistemologia Biodiversidade 2016
Ecossistemologia Biodiversidade 2016Ecossistemologia Biodiversidade 2016
Ecossistemologia Biodiversidade 2016
 
Fragmentos Florestais - Ecossistemologia
Fragmentos Florestais - EcossistemologiaFragmentos Florestais - Ecossistemologia
Fragmentos Florestais - Ecossistemologia
 
Caos em uma comunidade
Caos em uma comunidadeCaos em uma comunidade
Caos em uma comunidade
 
O justo e a justica politica
O justo e a justica politicaO justo e a justica politica
O justo e a justica politica
 
O acaso na biologia evolutiva
O acaso na biologia evolutivaO acaso na biologia evolutiva
O acaso na biologia evolutiva
 
General ecology
General ecologyGeneral ecology
General ecology
 
Design Fernanda de Souza Quintao
Design Fernanda de Souza QuintaoDesign Fernanda de Souza Quintao
Design Fernanda de Souza Quintao
 
Causalidade e acaso
Causalidade e acasoCausalidade e acaso
Causalidade e acaso
 
Terry Eagleton - Marx e a critica literária
Terry Eagleton -  Marx e a critica literáriaTerry Eagleton -  Marx e a critica literária
Terry Eagleton - Marx e a critica literária
 
Dialogos - Estudos de Revisão
Dialogos - Estudos de RevisãoDialogos - Estudos de Revisão
Dialogos - Estudos de Revisão
 
Terry eagleton cultura
Terry eagleton   culturaTerry eagleton   cultura
Terry eagleton cultura
 
Reforma ortografica
Reforma ortograficaReforma ortografica
Reforma ortografica
 

Último

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptxLuana240603
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 

Último (20)

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 

Modelo de Projeto de dissertação

  • 1. Nome do candidato TÍTULO DO PROJETO Projeto de Pesquisa apresentado ao Programa de Pós- Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria como requisito parcial para a seleção de ingresso ao Curso de Mestrado. Linha de Pesquisa: Santa Maria, RS
  • 2. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 Instituição Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Programa de Pós-Graduação em Comunicação UFSM - Prédio 21 – Campus Universitário José Mariano da Rocha Filho Santa Maria – RS – Brasil - CEP: 97.105.900 Telefone/fax: (55) 3220-8579 www.ufsm.br/poscom 1.2 Título do Projeto 1.3. Linha de Pesquisa: 1.4. Candidato (a) Nome Endereço Telefone e-mail 1.5. Resumo (problema, objetivos e metodologia em 5 linhas). 1.6. Palavras-chave Ligadas ao tema e que permitam indexar o trabalho em grupos de pesquisa da instituição, nacionais e internacionais – ver Diretório de grupos de pesquisa na Plataforma Lattes do CNPq (www.cnpq.br), e artigos científicos apresentados na COMPÓS (www.cmpos.org/biblioteca) e INTERCOM (http://www.portalintercom.org.br/.).
  • 3. 2.TEMA A escolha do tema deverá ser feita com a observância de critérios objetivos e precisos, considerando como fatores mais importantes a originalidade do assunto, sua inserção no campo de estudos da comunicação midiática e na linha de pesquisa em que o candidato pretende ingressar. 3.DELIMITAÇÃO DO TEMA Significa reduzir a extensão da pesquisa, tornar o assunto o mais viável possível, colocando-se limites, situando-o dentro do tempo e espaço. Temas extensos não possibilitam análise mais profunda ou demandam muito tempo. O candidato deve considerar o tempo máximo para a conclusão do mestrado (dois anos ou 24 meses). 4. PROBLEMA DE PESQUISA Formular o problema consiste em dizer, de maneira clara e compreensível, qual a dificuldade que o projeto pretende enfrentar, delimitando o seu campo de abrangência e apresentando suas características. O problema é o foco central da pesquisa a ser realizada. Pode ser redigido em forma de uma pergunta ou perguntas, que envolvam as dificuldades teóricas e/ou práticas para as quais o pesquisador deve propor respostas provisórias (hipóteses). Antes de formulá-lo ou descrevê-lo é necessário fazer uma revisão
  • 4. bibliográfica sobre o tema escolhido. Ele é construído a partir da problematização de proposição de autores ou de dados de pesquisas já realizadas. Essa problematização dá sustentação às questões que norteiam a pesquisa, que funcionam como um eixo que sustenta a investigação. A cientificidade da construção do projeto está na articulação das questões norteadoras da pesquisa com um problema teórico, ou seja, no estabelecimento de um diálogo com os autores que podem nos ajudar na caminhada. Aqui está o que Maria Immacolata Vassalo de Lopes (2001) chama de ruptura epistemológica, quer dizer, a capacidade do autor da pesquisa em recortar e refletir sobre um novo ângulo o tema escolhido, o que inclui desde o aspecto teórico sobre um determinado assunto até as etapas de uma metodologia.
  • 5. 5 – JUSTIFICATIVA A construção de uma justificativa vai além de uma atitude retórica de convencimento sobre a pesquisa. Deve explicitar especialmente a importância da pesquisa para o campo da comunicação, para a área de concentração do Programa (Comunicação Midiática) e para a linha de pesquisa escolhida pelo proponente do projeto (Mídia e Estratégias Comunicacionais ou Mídia e Identidades Contemporâneas). A justificativa é de caráter pessoal devendo o aluno destacar a importância e os motivos da escolha do tema e a relevância social e científica da pesquisa e deverá ser feita em linguagem simples e clara, sem a utilização de citações. Nesta etapa são justificadas a escolha do tema, a importância da pesquisa e as possíveis contribuições para o campo de pesquisa em estudo. O pesquisador pode ainda, demonstrar que tem condições físicas, materiais e intelectuais para a realização do projeto dentro do tempo previsto.
  • 6. 6 - OBJETIVOS Os objetivos são as metas que o pesquisador pretende constatar, verificar, analisar para esclarecer o problema de pesquisa Os objetivos pretendem sempre examinar o objeto dentro de determinados parâmetros. Os objetivos podem ser de duas ordens: geral e específicos. Objetivo geral: busca definir uma meta para todo o trabalho. Está ligado à formulação do problema e à proposição das hipóteses. Traduz o que a pesquisa procura alcançar. Objetivos específicos: explicitam as operações processuais que, articuladas, permitem alcançar o objetivo geral. Estão ligados diretamente à estrutura, ao atendimento de questões mais particulares da pesquisa. Os objetivos específicos podem ser estabelecidos a partir de cada capítulo do “sumário provisório”. Desenvolver, verificar, analisar, investigar, descrever, comparar, identificar, são verbos utilizados na elaboração dos objetivos.
  • 7. 7. EMBASAMENTO TEÓRICO O embasamento teórico é constituído por três etapas: consulta bibliográfica preliminar (revisão bibliográfica), marco teórico (teoria de base) e definição de conceitos. Deve formar um texto logicamente coerente dentro do qual o trabalho do pesquisador se fundamenta. A consulta bibliográfica preliminar serve para dar ao pesquisador a certeza da existência de material disponível e acessível que permitirão atingir os objetivos específicos estabelecidos. Possibilita uma visão geral e atual da temática a ser trabalhada, selecionando os itens que constituirão a estrutura provisória dos capítulos da monografia. Situar o trabalho de pesquisa em um marco teórico é fundamental para a manutenção do raciocínio lógico e coerente ao longo de todo o trabalho de pesquisa. Além disso, permite a localização dos pesquisadores e grupos que trabalham com o tema e a situação da pesquisa no campo teórico dos estudos em comunicação. A construção de um conjunto articulado de conceitos e de proposições, que possam dar sustentação à compreensão do problema de pesquisa, é a essência do embasamento teórico. É formado pelo estudo, apropriação e/ou confronto dos referenciais teóricos utilizados, os quais são articulados de forma a dar sustentação ao problema de pesquisa. È o momento de ultrapassar o nível de resenha ou fichamento dos autores e de fazer uma reflexão sobre os conceitos mobilizados pela pesquisa. Torna-se necessário esclarecer qual a compreensão que podemos ter sobre o problema de pesquisa utilizando esses conceito, através de que ângulos ou aspectos.
  • 8. 8 .METODOLOGIA Mencionar as opções metodológicas, referentes aos métodos e técnicas, que serão utilizados na construção do raciocínio lógico que acompanhará o desenvolvimento da estrutura provisória do projeto de pesquisa. O método é o caminho para se chegar a um fim. Descrever como será formado o corpus de pesquisa e como será analisado Explicar as razões das escolhas e sua fundamentação. As opções metodológicas referentes ao corpus da pesquisa ou amostra devem ser construídas e justificadas com base no problema de pesquisa. Deve-se esclarecer como será feita a construção de categorias de descrição/análise e as técnicas que permitirão capturar os dados a serem estudados. Pode-se avançar na construção de roteiros, pautas ou instrumentos.
  • 9. 9 – CRONOGRAMA Todas as atividades incluindo a defesa da dissertação de mestrado devem ser cumpridas no prazo máximo de 24 meses. ATIVIDADES 2013 2014 2015 Março Cumprimento de créditos por meio de disciplinas e atividades complementares X X Revisão do Projeto de Pesquisa X Qualificação do Projeto X Publicação em periódicos científicos X X Redação Final X Abertura do processo de defesa (60 dias antes da data de defesa) X Finalização da dissertação e entrega para avaliação da banca (30 dias de antecedência) X Defesa da dissertação a partir de março de 2014 (prazo mínimo -12 meses) até março de 2015 (prazo máximo - 24 meses) X X (prazo máximo) Primeira semana de março de 2015 é o último prazo para defender a dissertação de mestrado (24 meses).
  • 10. 10. BIBLIOGRAFIA Deve ser registrado todo o material que possibilitou um conhecimento prévio sobre o tema e sua delimitação. Relação de todas as obras consultadas em ordem alfabética conforme determina ABNT. (autor, obra, edição, local, editora, ano de publicação) BRAGA, J. L. LOPES, M. I. V. de; MARTINO, L.C. (Org.) Pesquisa empírica em Comunicação. São Paulo: Paulus, 2010. BAUER, Martin W. e GASKEL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002. ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1988. FRAGOSO, S.; RECUERO, R.; AMARAL, A. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2011. JOHNSON, Telma. Pesquisa social mediada por computador: questões, metodologias e técnicas qualitativas. Rio de Janeiro: E-papers, 2010. LAGO, Cláudia e BENETTI, Márcia. Metodologia de pesquisa em Jornalismo LOPES, Maria Immacolata Vassalo. Pesquisa em comunicação. Formulação de um modelo metodológico. São Paulo: Loyola, 2001. LOPES, Maria Immacolata Vassalo. (Org.) Epistemologia da Comunicação. São Paulo: Loyola, 2007. MALDONADO, Alberto Efendy et al. Metodologias de Pesquisa em Comunicação: olhares, trilhas e processos. Porto Alegre: Sulina, 2006. SANTAELLA, Lucia. Comunicação e pesquisa. Projetos para mestrado e doutorado. São Paulo: Hacker, 2001.
  • 11. 11. SUMÁRIO PROVISÓRIO DA DISSERTAÇÃO Indicar aqui os capítulos e suas subdivisões INTRODUÇÃO CAPÍTULO I 1.1 1.2 1.3 CAPÍTULO II 2.1 2.2 2.3 CAPÍTULO III 2.1 2.2 2.3 CONSIDERAÇÕES FINAIS BIBLIOGRAFIA